Você está na página 1de 13

Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

MÓDULO 10

Metais de Base
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

2
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

METAIS DE BASE

Objetivos
Através do estudo deste módulo o leitor deve tornar-se apto a:

1. Identificar e localizar as especificações ASTM acerca de metais de base


2. Saber a estrutura das especificações ASTM de metais de base e a maneira de utilizá-
las;
3. Verificar se as marcações em um dado metal de base atendem aos requisitos da
especificação;
4. Designar os aços inoxidáveis de acordo com a classificação AISI.
5. Diferenciar especificações de classificação

1. Noções sobre especificações ASTM* acerca de metais base

As especificações ASTM acerca de metais de base são normas técnicas que visam padronizar
as características dos materiais. Estas especificações encontram-se atualmente em um
conjunto formado por 16 Seções (00, 01, 02, ...15), subdivididas em volumes.
Cada volume contém informações específicas a respeito de determinados assuntos.
EXEMPLOS:

Volume 01.03 – (Steel – Plate, Sheet, Strip, Wire, - Aços-chapas, folhas, fitas, arames;
Produtos com Revestimentos Metálicos).
Volume 01.04 – (Steel-Structural, Reinforcing, Pressure Vessel, Railway – Aço – Estrutural,
Armação, Vasos de Pressão, Ferrovia; Elementos de ligação).

1.1 SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO DAS NORMAS AST

A identificação das normas ASTM tem a seguinte forma:

ASTM X YYY zz ( Z’Z’Z’Z’) L


1º 2º 3º 4º 5º

ONDE:

1º - Este dígito, representado por uma letra maiúscula, indica a que o grupo pertence à norma,
dentro das seguintes classes:

A – Metais ferrosos.
B – Metais não-ferrosos.
C – Aglutinantes, cerâmica, concreto e materiais de alvenaria.
D – Materiais diversos.
E – Assuntos diversos.
F – Materiais para aplicações específicas.
G – Corrosão, deterioração e degradação de materiais.
Es – Normas de última hora.

2º - Estes dígitos, em número de um a quatro, são representados por números que não têm
nenhum significado lógico e que, correspondem apenas à ordem cronológica de numeração das
normas. Para cada grupo geral há uma seqüência numérica correspondente.

3
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

*American Society for Testing and Materiais

EXEMPLO:

A1, A2, A3,...


B1, B2, B3,...
C1, C2, C3,...

Assim, com relação às normas A 432 e A 433, sabe-se que a norma A 433 foi apresentada em
etapa posterior à edição da norma A 432.

3º - Estes dígitos indicam o ano de emissão original ou de adoção como norma ou no caso de
revisão, o ano da última revisão.

4º - Estes dígitos, quando existem, são apresentados entre parênteses, e indicam o ano da
última reaprovação, sem alteração, da norma.

5º - Este dígito, quando existe, é representado por uma letra minúscula, e indica um número de
revisões sofridas pela norma no ano de aprovação da mesma (a = segunda revisão, b = terceira
revisão, e assim por diante). Se este dígito é representado por uma letra T maiúscula, indica
que o documento representa uma tentativa de norma técnica.

EXEMPLO:

A 516 74 a
Metal Número Ano de aprovação Sofreu uma
Ferroso Seqüencial ou da última revisão no ano de aprovação

1.2 ORGANIZAÇÃO DOS VOLUMES DE NORMAS ASTM

Como já foi visto, cada volume de normas contém assuntos específicos. As normas de cada
volume são ordenadas seqüencialmente, de acordo com os caracteres alfanuméricos que
constituem a identificação das mesmas.

EXEMPLO:

Seqüência de ordenação do volume 02.02 (Die-Cast Metals; Aluminum and Magnesium Alloys –
Moldes Fundidos de metal; Ligas de Alumínio e Magnásio)

B 6-70, B26-75,..., E 8-69, E 88-58,...

O volume 00.01 ASTM constitui um índice geral, que contém:

 Listagem identificando todos os volumes das normas ASTM;


 Índice remissivo de todos os assuntos incluídos nos volumes;
 Listagem alfanuméricas das normas ordenadas seqüencialmente.

4
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

1.2 COMO CONSULTAR A COLEÇÃO DE NORMAS ASTM

Existem duas formas diferentes de se fazer à consulta.

Deseja-se conhecer as especificações contidas na coleção de normas ASTM sobre um


determinado assunto.

Procedimento de consulta:

Consulta-se o índice remissivo contido no volume 00.01, que indicará:


- a identificação das normas ASTM sobre o assunto;
- os volumes nos quais se encontram as normas identificadas.

EXEMPLO:

Deseja-se identificar na coleção ASTM as especificações sobre tubulação de aço para serviços
em baixa temperatura ( “Seamless and Welded Steel Pipe for Low – Temperature Service).

Consulta-se no índice remissivo do volume 00.01 o assunto pretendido – Steel Pipe (tubulação
de aço) Seamless/Welded for Low-temperature service (com costura para serviços em baixa
temperatura). Identifica-se então a especificação desejada, obtendo-se a seguinte informação:
(A 333) 01.01. Isto significa que a especificação desejada é a A333, que consta do volume
01.01 da coleção ASTM.

Deseja-se localizar na coleção de normas ASTM uma dada especificação.

Procedimento de consulta:

Consulta-se, no volume 00.01, a listagem alfanumérica das normas ordenadas


seqüencialmente, que indicará o volume (ou volumes) em que consta a especificação desejada.

EXEMPLO:

Deseja-se localizar na coleção ASTM a especificação A 370 – Methods and Definitions or


Mechanical testing of Steel Products ( Métodos e Definições para Ensaios Mecânicos de
Produtos de aço).

Procedimento de consulta:

Consulta-se o volume 00.01 (índice) na listagem alfanumérica; seguindo a ordenação crescente


de letras e números, chega-se à especificação A 370-76 seguida dos nºs. 01.01, 01.02, 01.03,
01.04,01.05 e 03.01.

1.3 ESPECIFICAÇÕES ASTM ACERCA DE METAIS DE BASE

Simplificadamente as especificações ASTM que mais interessam à atividade de soldagem


podem ser reunidas em três grupos, I, II e III, a saber:

GRUPO I:
Especificações que agrupam os materiais de acordo com suas características, comportamento
mecânico e utilização.

5
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

Este grupo de especificações indica uma série de requisitos para o enquadramento dos
materiais como, por exemplo, limite mínimo de resistência à tração , alongamento mínimo, faixa
permissível de composição química, etc.

 Exemplos de especificações deste grupo:

A 335 – Seamless Ferritic Alloy-Steel Pipe for High Temperature service (Tubos sem Costuras
de Aço-Liga Ferrítico para serviços em alta temperatura).
A 515 – Pressure Vessel Plates, Carbon Steel, for intermediate – and higher – Temperature
service (Chapas de aço carbono para Vasos de Pressão para Serviços em Média e alta
Temperatura).
A 516 – Pressure Vessel Plates, Carbon Steel, for moderate – and Lower – Temperature Service
(Chapas de Aço Carbono para Vasos de Pressão para Serviços em temperatura Baixas e
Moderadas).

 Exemplos de itens comumente encontrados em especificações deste grupo:

a) Escopo – Indica o campo de aplicação da especificação, bem como os materiais nela


contidos.
b) Documentos aplicáveis – Lista outras especificações indicadas no texto.
c) Requisitos gerais – Normalmente, neste item, indica-se uma especifica
cão ASTM que define requisitos gerais como, por exemplo, tolerâncias dimensionais e de peso,
modo de identificação do material, critérios de avaliação de descontinuidades originadas na
fabricação, etc
d) Fabricação – Indica requisitos de fabricação dos materiais.
e) Tratamento térmico – Indica, normalmente em função da espessura, os tratamentos
térmicos que devem ser executados nos materiais.
f) Composição química – Indica a faixa de composição permissível a cada material.
g) Requisitos mecânicos – Indica os ensaios mecânicos requeridos e as propriedades
mecânicas mínimas para material.
h) Requisitos Suplementares – Em algumas especificações são listados requisitos
suplementares que, embora não sejam necessários de acordo com a especificação, podem ser
requeridos, conforme o desejo do comprador.

GRUPO II:

Especificações que definem requisitos gerais para os produtos de acordo com a sua forma e
utilização.

Estas especificações indicam requisitos gerais como, por exemplo, tolerâncias dimensionais e
de peso, número de ensaios mecânicos a serem executados, modo de embalagem e
identificação dos produtos, etc. Cada especificação deste grupo é chamada por uma série de
especificações do grupo I.

 Exemplos de especificações deste grupo:

A 6 – General Rqueriments for Rolled Steel Plates, Shapes, Sheet Piling, and Bars for Structural
Use (Requisitos gerais para chapas laminadas de Aço, Perfis, Estacas-Preancha e Barras para
Uso estrutural).

6
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

A 20 – General Requeriments for Steel Plates for Pressure Vessels (Requisitos gerais para
Chapas de Aço Utilizadas em Vasos de Pressão).
A 530 – General Requeriments for Specialized Carbon and Alloy Steel Pipe (Requisitos gerais
para tubos de aços carbono e baixa liga especiais).

 Exemplos d itens comumente encontrados em especificações deste grupo:

a) Escolpo – Indica o campo de aplicação da especificação. Normalmente indica as


especificações do grupo I em que se aplica.
b) Documentos aplicáveis – Lista outras especificações indicadas no texto.
c) Definições – Define os termos julgados necessários para o entendimento da norma.
d) Tolerâncias dimensionais – Define os limites dimensionais para cada produto.
e) Qualidade – Define limites para descontinuidades originadas na fabricação do produto.
f) Ensaios mecânicos – Indica a quantidade de ensaios mecânicos que devem ser
executados, localização para a retirada de corpos de prova, etc.
g) Identificação – Define o modo e o que deve conter a identificação dos produtos.

GRUPO III:

Especificações que definem procedimentos para os ensaios previstos nas especificações do


grupo I. Estes tipos de especificações definem procedimentos de ensaio como, por exemplo,
dimensões dos corpos de prova, características necessárias às máquinas de ensaio, critérios
de avaliação dos resultados dos ensaios, etc.

 Exemplo de especificação deste grupo:

A 370 – Methods and Definition for Mechanical Testing of Steel Products (Métodos e Definições
para Ensaios Mecânicos de Produtos de Aço).

1.4 Marcação do metal de Base de Acordo com as Especificações ASTM

Como já foi visto, as especificações ASTM prevêem que o metal de base seja marcado de
forma a que se possibilite identificá-lo facilmente. Para se verificar a maneira com que o metal
de base deve ser marcado, deve-se observar os requisitos das especificações do grupo I e do
grupo II (ver item 1.4).

EXEMPLO:

Verificar como devem ser feitas as marcações para identificar uma chapa de 3000 x 2000 x 25
mm de aço carbono de especificação ASTM A 516 Grau 70.

Procedimento de consulta:

a) Verificar se na especificação A 516 existe algum requisito quanto à marcação do material. Ver
item 3.1 da A 516 existe algum requisito quanto à marcação do matéria ver item 3.1 da A 516.
Resposta: “Deve ser de acordo com a especificação A 20”.

b) Consultar a especificação A 20 – item 13.1

2. NOÇÕES SOBRE CLASSIFICAÇÃO AISI PARA AÇOS INOXIDÁVEIS

7
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

A classificação AISI para aços inoxidáveis está contida no Manual de Produtos de Aço AISI para
aços inoxidáveis e aços resistentes ao calor (Steel Products Manual AISI – Stainless and Heat
Resisting Steels). Os aços inoxidáveis, segundo a AISI, são classificados tomando-se por base:

- a microestrutura do aço;
- a composição química do aço.

A classificação AISI para aços inoxidáveis tem a seguinte forma:

X YY a
1º 2º 3º

*American Iron and Steel Institute

1º - O primeiro dígito indica a micro-estrutura do aço, podendo ser:

2 ou 3 → aços inoxidáveis austeníticos;


4 → aços inoxidáveis ferríticos ou martensíticos.

2º - Os dois dígitos que se seguem ao primeiro particularizam uma determinada faixa de


composição química para cada aço. São representados por algarismos e não tem significado
lógico.

3º - O último dígito, que aparece algumas vezes na classificação AISI para aço inoxidáveis,
diferencia aços de classificação semelhante, e significa que um dos elementos químicos
constituintes do aço tema faixa de composição alterada em relação à classificação que não
contém este dígito. O último dígito é representado por uma letra maiúscula ou pelo símbolo do
elemento em questão.

EXEMPLO:

304 %C < 0.08


304 L %C < 0.03 (demais elementos idênticos ao 304)

L = low carbon (baixo carbono)

A seguir estão listados os aços inoxidáveis de acordo com a classificação AISI.

8
CLASSIFICAÇÃO AISI DOS AÇOS INOXIDÁVEIS
COMPOSIÇÃO QUÍMICA, EM PORCENTAGEM MÁXIMA, A MENOS QUE INDICADO DE OUTRA FORMA

C Mn P S Si Cr Ni Mo ElementosOutros

0,15 5,50/7,50 0,060 0,030 1,00 16,00/18,00 3,50/5,50 N 0,25

0,15 7,50/10,00 0,060 0,030 1,00 17,00/19,00 4,00/6,00 N 0.25

0,12/0,25 14,00/15,50 0,060 0,030 1,00 16,50’18,00 1,00/1,75 N 0.32/0.40

0,15 2,00 0,045 0,030 1,00 16,00/18,00 6,00/8,00

0,15 2,00 0,045 0,030 1,00 17,00/19,00 8,00/10,00


0,15 2,00 0,045 0,030 2,00/3,00 17,00/19,00 8,00/10,00
0,15 2,00 0,20 0,15 Min. 1,00 17,00/19,00 8,00/10,00 0,60*
0,15 2,00 0,20 0,060 1,00 17,00/19,00 8,00/10,00 Se0,15Min
0,08 2,00 0,045 0,030 1,00 18,00/20,00 8,00/10,00
0,080,030 2,002,00 0,0450,045 0,0300,030 1,001,00 17,00/19,0018,00/20,00 8,00/10,008,00/12,00 Cu 3,004/4,00

0,08 2,00 0,045 0,030 1,00 18,00/20,00 8,00/10,50 N 0,10/0,16


0,12 2,00 0,045 0,030 1,00 17,00/19,00 10,50/13,00
0,08 2,00 0,045 0,030 1,00 19,00/21,00 10,00/12,00
0,20 2,00 0,045 0,030 1,00 22,00/24,00 12,00/15,00
0,08 2,00 0,045 0,030 1,00 22,00/24,00 12,00/15,00
0,25 2,00 0,045 0,030 1,50 24,00/26,00 24,00/26,00
0,08 2,00 0,045 0,030 1,50 24,00/26,00 24,00/26,00
0,25 2,00 0,045 0,030 1,50/3,00 23,00/26,00 23,00/26,00
0,08 2,00 0,045 0,030 1,00 16,00/18,00 16,00/18,00
0,08 2,00 0,20 0,10 Min. 1,00 16,00/18,00 16,00/18,00
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

9
10
CLASSIFICAÇÃO AISI DOS AÇOS INOXIDÁVEIS
COMPOSIÇÃO QUÍMICA, EM PORCENTAGEM MÁXIMA, A MENOS QUE INDICADO DE OUTRA FORMA

P S Si Cr Ni Mo ElementosOutros
Designação Número UNS

0,045 0,030 1,00 16,00/18,00 10/14,00 2,00/3,00


201 (S20100)
0,45 0,030 1,00 16,00/18,00 10,00/14,00 2,00/3,00 N 0,10/0,16
202 (S20200)
0,045 0,030 1,00 18,00/20,00 11,0/15,00 3,00/4,00

0,045 0,030 1,00 18,00/20,00 11,00/15,00 3,00/4,00 205 (S20500)

0,045 0,030 1,00 17,00/19,00 9,00/12,00 Ti 5XC Min.


301 (S30100)
0,040 0,030 1,00 25,00/30,00 3,00/6,00 1,00/2,00
302 (S30200)
0,040 0,030 0,75/1,50 17,00/20,00 34,00/37,00
302 B (S30215)
0,045 0,030 1,00 17,00/19,00 9,00/13,00 Cb+Ta 10XC Min. 303 (S30300)
0,045 0,030 1,00 17,00/19,00 9,00/13,00 Co 0,20 Max.Ta 0,10Max.Cb+Ta 10XC Min. 303 Se (S30323)
304 (S30400)
0,045 0,030 1,00 15,00/17,00 17,00/19,00 304 L (S30430)(S30403)

0,040 0,030 0,50 11,50/13,00


304 N (S30451)
0,040 0,030 1,00 11,50/14,50 AI 0,10/0,30
305 (S30500)
0,045 0,045 1,00 10,50/11,75 /0,75Ti 6XC Min.
308 (S30800)

0,040 0,030 1,00 11,50/13,50 309 (S30900)


309 S (S30908)
0,040 0,030 1,00 11,50/13,50 1,25/2,50
310 (S31000)
0,060 0,15 Min. 1,00 12,00/14,00 6,60
310 S (S31008)
0,060 0,060 1,00 12,00/14,00 Se 0,15 Min.
314 (S31400)
0,040 0,030 1,00 12,00/14,00
316 (S31600)
0,060 0,15 Min. 1,00 12,00/14,00 0,60
316 F (S31620)
0,025 0,025 0,75 11,00/13,00 0,50/1,00 0,75/1,25 W 0,75/1,25V 0,15/0,30
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base
CLASSIFICAÇÃO AISI DOS AÇOS INOXIDÁVEIS/ Continuação

Designação UNSNúmero C Mn
Mn P S Si Cr Ni Mo ElementosOutros

316L (S31603) 0,030 2,00


1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00

1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 316N (S31651) 0,08 2,00

1,25 0,060 0,15 Min. 1,00 16,00/18,00 0,60* 317 (S31700) 0,08 2,00

1,25 0,060 0,060 1,00 16,00/18,00 Se 0,15 Min. 317L (S31703) 0,030 2,00

1,00 0,040 0,030 1,00 15,00/17,00 1,25/2,50 321 (S32100) 0,08 2,00
319 (S32900) 0,10 2,00
1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 0,75/1,25

1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 0,75/1,25 Cb+ 330 (N08330) 0,08 2,00

1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 0,75 347 (S34700) 0,08 2,00

1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 -,75 348 (S34800) 0,08 2,00
1,00 0,040 0,030 1,00 16,00/18,00 0,75

1,00 0,040 0,030 1,00 18,00/23,00 384 (S38400) 0,08 2,00

1,50 0,040 0,030 1,00 23,00/27,00 N 0,25 403 (S40300) 0,15 1,00

405 (S40500) 0,80 1,00

409 (S40900) 0,80 1,00

410 (S41000) 0,15 1,00

414 (S41400) 0,15 1,00

416 (S41600) 0,15 1,25

416Se (S41623) 0,15 1,25

420 (S42000) > 0,15 1,00


420F (S42020) > 0,15 1,25

422 (S42200) 0,20/0,25 1,00


Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

11
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

COMPOSIÇÃO QUÍMICA, EM PROCENTAGEM MÁXIMA, A MENOS QUE INDICADO DE OUTRA FORMA

0,12

0,12

0,12

0,12

0,20

012

0,12

0,60/0,75
Determinação UNSNúmero

(S42900)

(S43000)

(S43020)

(S43023)

(S43100)

(S43400)

(S43600)

(S44002)

(S44003)

(S44004)

(S44200)

(S44600)
429

430

430FSe

431

434

436
430F

440A

440B

440C

442

446

3. DIFERENÇA ENTRE CLASSIFICAÇÃO E ESPECIFICAÇÃO

 Especificação é uma descrição precisa de um conjunto de requisitos a serem satisfeitos


pelo material, indicando, nos casos apropriados, os procedimentos de verificação dos
requisitos a serem atendidos pelo material.
 Classificação define uma sistemática de arranjo ou divisão dos materiais em grupos,
baseada em características similares como a composição química.

Observe-se, por exemplo, as especificações ASTM estabelecem as condições de teste de


material, de forma a garantir as propriedades mecânicas mínimas exigidas. Além disto,
estabelece uma série de outros requisitos como modo de fabricação, propriedades mecânicas,
critérios de aceitação, faixa de composição química, embalagem, identificação, etc. A

12
Curso de Inspetor de Soldagem – Metais de Base

classificação AISI, entretanto, indica apenas uma maneira de designar os materiais conforme a
composição química.

EXEMPLO:

Dentre todos os materiais listados na especificação ASTM A 240 – 72b, pode-se encontrar as
classificações AISI para aços inoxidáveis 304, 321, 405, 410, etc.

ASTM A 240 – 72b

- propriedades mecânicas
- testes a serem executados
- composição química

304 321 405

410

PORTANTO:

 A classificação AISI, neste caso está citada na especificação ASTM A 240-72b

 Para um material classificado como, por exemplo, AISI 304, pertencer a esta
especificação ASTM, é necessário que satisfaça outros requisitos além da composição
química.

13