Você está na página 1de 4

Condições de abertura de conta bancaria

1. A pratica da banca moçambicana


Nos bancos de Moçambique, as contas de Deposito à ordem são geralmente abertas a favor, a
pedido do cliente, através dum serviço de Atendimento aos clientes (DAC) numa das
seguintes moedas: MZN(metical), USD (Dólar americano), EUR (Euro), GBP (Libra
Esterlina) e ZAR (Rand).1
Em regra, estas contas não são remuneradas, podendo, no entanto, casuisticamente, serem
negociadas condições especiais de remuneração, assumindo o banco o ónus de devolver a
coisa (o numerário), quando o depositante o exija e com todos os frutos, eles, neste caso, são
juros, cuja taxa é geralmente previamente acordada.
Na data da constituição do deposito a prazo, o banco depositário devera emitir um titulo
nominativo representativo do deposito, no qual deverão constar os seguintes elementos: a)
Nome do titular da conta; b) numero da conta; c) valor do deposito, em algarismos e por
extenso; d) prazo e data do vencimento; e) taxa de juro convencionada, forma e calendário de
pagamento de juros; f) condições de renovação do deposito, na ausência de declaração do
depositante.
Uma conta de Depósitos é, como se tem repetidamente dito, um contrato celebrado entre o
cliente e o Baco, através do qual as partes assumem deveres recíprocos relativos a diversas
praticas bancarias, o qual marca o inicio de uma relação bancaria complexa e duradoura,
fixando o quadro básico do relacionamento entre o Banco e o cliente, e tem como base as
condições gerais de Deposito e usos bancários, possuindo características de um contrato de
adesão, constituindo o núcleo fundamental dos diversos actos bancários que irão ocorrer entre
as partes.
No acto de abertura da conta, o cliente deve assinar as Condições Gerais de Deposito que
contem as regras sobre a movimentação da conta, incluindo juros, comissões e despesas que o
Banco poderá debilitar na conta do cliente.
2. Requisitos para abertura de contas bancarias
Para a celebração do contrato de abertura de conta, para alem do preenchimento dos
formulários o cliente deve apresentar ao Banco a seguinte documentação:2
2.1.Pessoas singulares –residentes e não residentes
Para abertura de uma conta bancaria para residentes e não residentes individuais, o cliente
deve preencher os seguintes Formulários a) Ficha de Abertura de Conta; b) Ficha de
Informação do Cliente- Pessoas Singulares (devem ser preenchidas por todos os titulares e
co-titulares da conta); c) ficha de assinaturas (a ser preenchida por cada pessoa que obriga a
conta; d) convenção de cheque.
As pessoas singulares devem apresentar os seguintes documentos a) Fotocopia autenticada do
Bilhete de Identidade, Passaporte ou DIRE; b) documento comprovativo do NUIT; c)
Atestado de Residência para residentes; ou d) referencias Bancarias feitas por mensagem

1
WATY, Teodoro Andrade, Direito Bancário, pag.158.
2
Idem, pag.160
SWIFT emitidos pelo banco do cliente no seu Pais de residência para não residentes, e) Carta
de autorização de execução de instruções do cliente transmitidas por fax caso este pretenda
enviar as instruções via ao Banco.
2.2.Pessoas colectivas
a. Sociedades comerciais e outras Pessoas Colectivas
Para abertura de uma conta bancaria para uma sociedade comercial residente, o cliente deve
apresentar os seguintes documentos: a) Carta solicitando aa abertura da(s) conta (s), onde
constem os nomes das pessoas autorizadas a movimentar a (s) conta(s), e especificando as
respectivas condições de movimentação, o(s) nome(s) das pessoas que irão movimentar a(s)
conta(s); b) fotocopia autenticada dos Estatutos da sociedade publicados no Boletim da
Republica, incluindo as alterações verificadas na sociedade desde a sua constituição ate à
data; c) Fotocopia autenticada da Certidão de Registo junto da Conservatória de Registo das
Entidades Legais; d) documento comprovativo do NUIT (Numero Único de Identificação
Tributaria); e) Alvar(Licença) ou Documento Equivalente; f) Fotocopia autenticada da acta
da Reunião da Assembleia Geral da Sociedade de eleição dos órgãos sociais da sociedade; g)
carta de autorização de execução de instruções do cliente transmitidas por fax caso este
pretenda enviar as instruções por fax Banco. 3
b. Sociedades e outras pessoas colectivas não residentes
Para abertura de uma conta de deposito à ordem a favor de sociedades comercias ou outras
pessoas colectivas não residente, o cliente devera apresentar os documentos exigidos para as
pessoas colectivas residentes, sendo que o atestado de residência devera ser substituído por
referencias bancarias por meio de mensagem SWIFT a emitir pelo Banco do país de
residência do cliente e das pessoas que obrigam a conta. Todos os documentos devem ser
certificados pelo Consulado moçambicano no país onde a pessoa colectiva exerça a sua
actividade.
2.3.Alteração das condições de movimentação de contas
Tratando-se de alteração de uma conta uni titulada para uma conta plurititulada, o cliente
devera apresentar ao banco os seguintes documentos: a) Carta solicitando a alteração da
titularidade de conta, por si assinada; b) ficha de Abertura de Conta contendo a indicação do
novo titular da conta; c) ficha de assinatura, assinadas por cada um dos co-titulares; e) ficha
de Informação de Clientes – Pessoas singulares relativamente ao novo co-titular da conta; g)
documento comprovativo do NUIT do mesmo; h) atestado de residência, sendo residente ou
referencias bancarias, sendo não residente; e i) condições Gerais de Deposito, assinadas por
todos os co-titulares.
Porem, se tratar de uma conta plurititulada, a alteração da sua estrutura exige que a carta a
solicitar a alteração seja subscrita por todos os co-titulares, mantendo-se a necessidade da
apresentação dos documentos acima listados.
Em conclusão, pode-se dizer que as condições de abertura de conta constam de condições
gerais de natureza formularia.

3
WATY, Teodoro Andrade, Direito Bancário, pág. 161.
No acto de abertura da conta exige-se um valor mínimo, que varia de banco para banco, bem
como consoante o tipo de conta bancaria que se pretende ser titular; exige-se também a
manutenção de um saldo mínimo estabelecido, isto para o banco poder estabelecer o
pagamento de despesas inerentes aio funcionamento da conta.
Para alem da identidade dos titulares com a indicação do nome (Bilhete de Identidade),
morada, entidade empregadora, filiação, naturalidade, nacionalidade, data de nascimento,
numero de Bilhete de Identidade e entidade emitente, da firma, sede, objecto principal, nome
das pessoas que obrigam a conta, exige-se que se tenha a certeza da personalidade,
capacidade jurídica e da identidade do cliente.
3. Tipos de conta bancaria
As cotas bancarias podem classificar-se em função de três critérios diferenciadores, como
seja o regime de exigibilidade, numero de titulares e residência dos titulares.
De acordo com o regime de exigibilidade ou do tipo de deposito, podem ser (a)à ordem ou a
vista, b) com pré-aviso ou c) a prazo.
As contas a prazo, por seu turno, podem distinguir-se por mobilizáveis e colectivas ou não.
Quanto ao numero de titulares, as contas podem ser singulares ou individuais e colectivas.
As contas colectivas podem ser conjuntas ou individuais, solidarias ou mistas.4
a) Conta à ordem
Também denominada impropriamente por conta cheque ou conta corrente, é aquela cujos
fundos são exigíveis a qualquer momento, através de pagamento total ou parcial do seu
credito pelo banco, que é obrigado a ter o montante disponível.
Este tipo de conta da a faculdade de o titular poder dispor dos fundos depositados a qualquer
momento. Por ser exigível a qualquer altura; o saldo desta conta é utilizado como meio de
pagamento através da emissão de cheques ou outras ordens de pagamento.
b) Conta com pré-aviso, ou deposito com pré-aviso
É a conta cujos depósitos só são exigíveis depois de prevenido o depositário, geralmente por
escrito e com a antecedência fixada na clausula de pré-aviso.
c) Conta a prazo, ou deposito a prazo
Esta modalidade o deposito é feito de uma única vez. E só pode ser movimentado decorrido o
prazo contratado.
O termo prazo é estabelecido pelas partes, não obstante ser pratica a existência de prazos
fixados pelo banco; o cliente não pode reclamar a restituição do montante antes do
vencimento do prazo.
Caso tenha necessidade de levantar o dinheiro ates do termo do prazo, pode perder os juros
convencionados.

4
WATY, Teodoro Andrade, Direito Bancario, pag. 164
d) Conta conjunta
Conjunta é aquela conta em que são necessárias assinaturas de todos os titulares, ou é aquela
para cuja movimentação a debito se exige a actuacao unitária de todos os seus titulares
mediante a recolha de todas as assinaturas.
e) Conta solidaria
Designa-se de solidaria aquela conta, à ordem, com pré-aviso ou a prazo, que, para a sua
movimentação a debito, é suficiente a assinatura de qualquer dos titulares, indistinta e
isoladamente.5
Este tipo de conta permite uma maior maleabilidade e facilidade no deposito,
levantamento de fundos e na consulta dos saldos devido à solidariedade em que assenta,
pois, o cumprimento efectuado pelo banco a qualquer co-titular liberta-operante os
restantes co-titulares.
A solidariedade deste tipo de conta assenta no regime estabelecido nas obrigações
solidárias, nos termos do artigo 512 do Código Civil.
f) Conta mista
É designada de mista aquela conta que para que as suas movimentações valem as assinaturas
de uma parte dos titulares podendo-se dizer que exige uma participação solidaria de grupos
de assinaturas actuando conjuntamente.

5
Pag 165