Você está na página 1de 43

CLP OMRON – Treinamento básico 1

ÍNDICE

1 – Introdução ............................................................................................................................. 03

2 – Uso do programador e programação básica .........................................................................05


2.1 – Inicializando ................................................................................................................ 05
2.2 – Escrevendo um programa .......................................................................................... 05
2.3 – Visualizando um programa ......................................................................................... 07
2.4 – Procurando uma instrução específica ........................................................................07
2.5 – Monitorando contatos ................................................................................................. 07
2.6 – Forçando contatos ...................................................................................................... 08
2.7 – Inserindo instruções no programa ..............................................................................08
2.8 – Deletando instruções do programa .............................................................................09
2.9 – Alterando valores de canais .......................................................................................09
2.10 – Alterando valor presetado em temporizadores e contadores ...................................10
2.11 – Particularidades do programador ..............................................................................10

3 – Endereçamento e memória do CLP.......................................................................................13

4 – Funções mais utilizadas do CLP............................................................................................ 14


4.1 – Função 00 – NOP........................................................................................................ 14
4.2 – Função 01 – END........................................................................................................ 14
4.3 – Funções 02 e 03 – IL e ILC......................................................................................... 14
4.4 – Funções 04 e 05 – JMP e JME....................................................................................15
4.5 – Função 11 – KEEP...................................................................................................... 16
4.6 – Função 12 – CNTR...................................................................................................... 16
4.7 – Funções 13 e 14 – DIFU e DIFD.................................................................................17
4.8 – Função 20 – CMP........................................................................................................ 17
4.9 – Função 21 – MOV....................................................................................................... 18

5.1 – Gerenciamento de arquivos ............................................................................................... 20


5.1.1 – Criando um novo programa .....................................................................................20
5.1.2 – Abrindo programas existentes .................................................................................20
5.1.3 – Salvando programas ............................................................................................... 21
5.1.4 – Fechando programas .............................................................................................. 23
5.1.5 – Imprimindo programas ............................................................................................. 23

5.2 – Criando programas em LADDER........................................................................................ 24


5.2.1 – Entrando com instruções em LADDER....................................................................24
5.2.2 – Entrando com funções em LADDER........................................................................25
5.2.3 – Copiando, cortando e colando em LADDER............................................................26

5.3 – Criando programas em MNEMÔNICO................................................................................27


5.3.1 – Entrando com instruções e visualizando em MNEMÔNICO.....................................27
5.3.2 – Entrando com funções em MNEMÔNICO................................................................28
5.3.3 – Copiando, cortando e colando em MNEMÔNICO....................................................29

5.4 – Tabelas de visualização ..................................................................................................... 30


5.4.1 – Tabela de endereços ............................................................................................... 30
5.4.2 – Tabela de referência cruzada ..................................................................................31
5.4.3 – Tabela de dados do CLP.......................................................................................... 32
5.4.4 – Tabela de memória não utilizada .............................................................................32

5.5 – Trabalhando ON-LINE......................................................................................................... 34


5.5.1 – Conectando com o CLP........................................................................................... 34
CLP OMRON – Treinamento básico 2

5.5.2 – Modificando o modo do CLP....................................................................................36


5.5.3 – Salvando programas do CLP....................................................................................36
5.5.4 – Restaurando programas do CLP..............................................................................37
5.5.5 – Editando programas em On-Line .............................................................................37
5.5.6 – Desconectando o CLP.............................................................................................. 38

5.6 – Monitorando programas do CLP......................................................................................... 39


5.6.1 – Marcando malhas .................................................................................................... 39
5.6.2 – Usando o monitor diferencial....................................................................................40
5.6.3 – Comparando o programa ........................................................................................ 40
5.6.4 – Forçando contatos ................................................................................................... 41

ANEXOS...................................................................................................................................... 42
CLP OMRON – Treinamento básico 3

1) INTRODUÇÃO

Um Controlador Lógico Programável – CLP é basicamente um dispositivo


eletrônico microprocessado que tem por finalidade substituir os comandos elétricos
feitos com reles e contatores. O circuito de comando é armazenado na memória do
CLP, os sinais correspondentes a saídas (bobinas, solenóides, válvulas, lâmpadas etc)
são físicos e os dispositivos atuadores tais como chaves, sensores, botões,
microcontatos fornecem um sinal elétrico ao CLP.

Figura 1 – Comparação entre uso de comando elétrico e CLP

Observe na figura 1 acima que no comando elétrico temos reles cujos contatos
servem apenas para lógica de acionamento. No CLP temos também contatos que
CLP OMRON – Treinamento básico 4

somente são utilizados no programa, sem função externa. É o caso dos contatos 500 e
501 no programa. A saída 200, contudo, é implementada fisicamente. Em ambos os
casos podemos utilizar tantos contatos quanto desejarmos destas saídas (respeitando o
limite de memória do CLP).

O programa representado na fig.1 não pode ser entendido diretamente pelo CLP.
Para que o mesmo possa compreender e executar uma determinada tarefa é
necessário que o programa seja escrito na memória do mesmo através de uma
determinada linguagem. No caso do CLP OMRON este programa seria escrito em
mnemônico da seguinte forma:

LD 0000
OUT 0500
LD 0001
OR 0501
AND NOT 0500
OUT 0501
LD 0501
OUT 0200
END Indica final de programa

Diferente do comando elétrico onde as bobinas são energizadas aleatoriamente


a medida que as condições vão sendo satisfeitas o CLP tem uma sequência lógica para
acionamento e reconhecimento dos sinais externos.
Observe:

Primeiramente o CLP verifica todas entradas físicas e atualiza as mesmas na


memória e então passa a execução do programa. Quando encontrar o final do
programa o controlador reinicia o processo, atualizando as saídas e lendo as entradas.
Isso quer dizer que se uma entrada sofrer uma modificação durante a etapa de
execução do programa o CLP não reconhecerá esta alteração até que tenha terminado
a fase atual. A este ciclo se dá o nome de CICLO DE SCAN.
O tempo que o CLP gasta para efetuar este processo limita a utilização do
mesmo em aplicações de alta frequência. Vejamos porque: Supondo que o SCAN de
um determinado CLP dure meio segundo (0,5s) e que uma entrada de um sensor de
clock pisque com um período de 0,2s (5Hz). Como o CLP somente reconhecerá este
sinal uma vez por ciclo, a frequência máxima que será medida é de 1Hz. Estes valores
não são reais, e valores típicos de SCAN estão na ordem de aproximadamente 5 a
20ms dependendo do modelo do CLP e tamanho do programa.
CLP OMRON – Treinamento básico 5

2) USO DO PROGRAMADOR/PROGRAMAÇÃO BÁSICA

2.1) INICIALIZANDO

Toda vez que o programador for conectado ao CLP (de preferência com a chave
no modo MONITOR) deverá ser seguido o seguinte procedimento de inicialização:

Se a chave estiver no modo RUN ou PROGRAM este será o modo apresentado


no display, ao invés de MONITOR. É importante lembrar que se o programador estiver
no modo PROGRAM o CLP entra em bloqueio e pára de executar o programa.

2.2) ESCREVENDO UM PROGRAMA

Como descrito acima, o CLP interpreta uma linguagem própria, com mnemônicos
que abreviam comandos, por exemplo LD para LOAD.
Para entrar com o seguinte trecho de código no CLP devemos seguir os passos
a frente:

LD 0000
OUT 0500
LD 0001
OR 0501
AND NOT 0500
OUT 0501
LD 0501
OUT 0200
END Indica final de programa

O exemplo a seguir considera que o CLP esteja com a memória de programa


vazia (veja item 2.11para procedimento de limpeza de memória).
CLP OMRON – Treinamento básico 6

Primeiramente o chave do programador deve ser passada para PROGRAM para


que possamos entrar com o código do programa.
Exemplo:

Passando a chave para MONITOR ou RUN o CLP inicia automaticamente a


execução do programa.
CLP OMRON – Treinamento básico 7

2.3) VISUALIZANDO UM PROGRAMA

Para verificar o programa, basta utilizar as setas para cima e para baixo. Os
endereços serão mostrados sequencialmente.

Temos a opção de entrar diretamente com um determinado endereço quando o


display estiver apresentando 0000, digitando o número do mesmo e após varrer o
programa com as setas da forma apresentada.

2.4) PROCURANDO UMA INSTRUÇÃO ESPECÍFICA


Com o display apresentando 0000 digitamos a instrução que desejamos
encontrar e pressionamos SRCH

2.5) MONITORANDO CONTATOS

É possível monitorar o estado de contatos internos, entradas ou saídas da


seguinte forma:
CLP OMRON – Treinamento básico 8

2.6) FORÇANDO CONTATOS

O CLP OMRON permite que sejam forçados contatos internos, entradas ou


saídas. Os contatos permanecem forçados até que o CLP tenha a alimentação
interrompida. Podemos forçar um contato na condição de ligado ou desligado.
No exemplo a seguir a saída 200 foi forçada ligada (ON), voltada ao estado
normal, forçada desligada (OFF) e novamente voltada ao estado normal.
Exemplo de force da saída 200 (na série H):

No exemplo acima se não pressionarmos SHIFT antes do SET ou RESET o


contato não permanecerá forçado e somente ficará na situação forçada enquanto o
botão for mantido apertado.

CUIDADO!

Embora útil na apuração de defeitos e testes, a operação de forçar contatos


pode ser extremamente perigosa uma vez que sobrepõe qualquer condição de
segurança imposta pelo programa. Desta forma é necessário muita cautela
quando for desejado forçar algum contato.

2.7) INSERINDO INSTRUÇÕES NO PROGRAMA

Basta que a instrução seguinte seja apresentada no display e então digitamos a


nova instrução, pressionamos INS e seta para baixo. O programa é deslocado
inteiramente para baixo e a instrução inserida.
CLP OMRON – Treinamento básico 9

Por exemplo:

2.8) DELETANDO INSTRUÇÕES DO PROGRAMA

Para eliminar alguma instrução do programa a mesma deve estar sendo


apresentada no display. Então pressiona-se DEL e seta para cima, para confirmação.
Por exemplo:

A instrução seguinte toma lugar da deletada na memória.

2.9) ALTERANDO VALORES DE CANAIS (DMs etc.)

É possível alterar algum canal com o CLP no modo MONITOR. Para tanto
procede-se como indicado abaixo (para alterar o DM 200, por exemplo):
CLP OMRON – Treinamento básico 10

2.10) ALTERANDO VALOR PRESETADO EM TEMPORIZADORES E CONTADORES

O procedimento descrito acima para alterar o valor de canais também pode ser
utilizado para temporizadores e contadores, contudo se efetuarmos como indicado
estaremos alterando o valor atual do temporizador ou contador. Se desejarmos alterar o
valor presetado (que terá validade em toda contagem a partir da alteração) devemos
procurar a instrução no programa e alterar o dado, observe:

2.11) PARTICULARIDADES DO PROGRAMADOR

Nem tudo no programador OMRON é trivial. Alguns detalhes não são descritos
diretamente no teclado. A seguir temos uma descrição de alguns destes detalhes.
CLP OMRON – Treinamento básico 11

Endereçamento indireto:

Funções com diferenciação

Manipulando ou inserindo contatos de relê auxiliar AR

Apagando totalmente o conteúdo da memória:

Alerta

Certifique-se de que realmente deseja apagar totalmente o programa - uma


vez executado esse procedimento não há volta.

* Executando exatamente a sequência descrita acima, apagaremos o


programada memória e os dados atuais da área HR, CNT e DM (estas áreas serão
CLP OMRON – Treinamento básico 12

completamente zeradas). Se desejarmos manter os dados em alguma destas áreas,


devemos selecionar a área a ser preservada antes de pressionarmos MONTR.
CLP OMRON – Treinamento básico 13

3) ENDEREÇAMENTO E MEMÓRIA DO CLP (SÉRIE H E CQM1) *

A memória do CLP OMRON é dividida nas seguintes áreas lógicas (canais de 16


bits):

Área Descrição Série H CQM


I/O Canal associado a entradas e saídas. 000-0246 000-229
IR Relê interno – Utilizados como canais ou bits auxiliares.
SR Relê especial – Contatos especiais, tais como bits de 247-255 244-255
temporização etc.
TR Relê temporário – Reles auxiliares para malhas complexas TR0-TR7 TR0-TR7
HR Relê retentivo – Este canal mantém seu conteúdo mesmo HR00-HR99 HR00-HR99
na ausência de alimentação no CLP.
AR Relê auxiliar – Bits de indicação de erro etc. AR00-AR27 AR00-AR27
LR Relê de ligação – Canais para auxiliares para LR00-LR63 LR00-LR63
comunicação serial entre CLPs.
TC Temporizadores e contadores TC000-TC511 TC000-TC511
DM Área de dados da memória – permite armazenar valores DM0000- DM0000-
de trabalho, temporários etc. DM1999 DM6655

* Maiores detalhes no anexo 2


CLP OMRON – Treinamento básico 14

4) FUNÇÕES DO CLP (MAIS UTILIZADAS)

4.1) Função 00 (NOP) – Nenhuma operação

Toda vez que o CLP encontra uma função NOP não executa nada e perde o
tempo de execução de uma instrução básica.

Exemplo:

LD 0000
OR 0200
NOP
OUT 0300

4.2) Função 01 (END) – Fim

Indica o final do programa. Quando o CLP encontra a função 01 (END) o mesmo


entende que acabou o programa e reinicia um novo ciclo, ou seja, após o END nada
será executado.
Deve obrigatoriamente ser utilizada no final do programa.

Exemplo:

END

4.3) Função 02 (IL) e 03 (ILC) – Intertravamento e fim de intertravamento

Após uma função IL não habilitada todas as saídas das linhas seguintes serão
desligadas até que apareça uma instrução ILC.
No exemplo abaixo se a entrada 0000 estiver OFF, as saídas 200 e 201 serão
desligadas, independentes das condições das linhas correspondentes. Caso a entrada
0000 esteja ON as saídas 200 e 201 serão ligadas (ou desligadas) de acordo com as
condições das linhas das mesmas.
CLP OMRON – Treinamento básico 15

Exemplo:

LD 0000
IL
LD 0012
AND 0500
OUT 0200
LD H300
AND 0005
OUT 0201
ILC

4.4) Função 04 (JMP) e 05 (JME) – Salto e fim de salto

No exemplo que segue se a entrada 0000 estiver ON as saídas 200 e 201 serão
ligadas ou desligadas de acordo com as condições da linha. Caso a entrada 0000 fique
OFF as saídas permanecerão nas condições anteriores – ligadas ou desligadas.

Exemplo:

LD 0000
JMP 00
LD 0012
AND 0500
OUT 0200
LD H300
AND 0005
OUT 0201
JME 00
CLP OMRON – Treinamento básico 16

4.5) Função 11 (KEEP) – Retenção

A função 11 (KEEP) é um flip-flop simples. No exemplo abaixo com um pulso na


entrada 0000 o contato HR1000 é setado (ON) e com um pulso na entrada 0002 o
contato HR1000 é resetado (OFF).
Qualquer contato da área IR ou saída (I/O) pode ser usado, contudo costuma-se
usar contatos da área HR para funções de ‘memória’, já que o conteúdo desta área
permanece inalterado mesmo em caso de interrupção na alimentação.

Exemplo:

LD 0000
LD 0002
KEEP HR1000
LD HR1000
OUT 0200

4.6) Função 12 (CNTR) – Contador reversível

Ou contador crescente/decrescente. O contador parte de 0 e quando atinge o


valor setado liga o contato. O contato do CNTR aparece no programa como um contato
normal de contador.

Exemplo:

LD 0000
LD 0002
LD 0003
CLP OMRON – Treinamento básico 17

CNTR 100
#0010

II – Entrada crescente
DI – Entrada decrescente
Rt - Reset

4.7) Função 13 (DIFU) e 14 (DIFD) - Diferenciação

Quando as condições de uma função DIFU se tornam ON, o contato se torna ON


por somente um ciclo de SCAN. Na função DIFD o contato fica ON durante um ciclo de
SCAN quando as condições passam de ON para OFF.

Exemplo:

LD 0000
DIFU 1000
LD 0012
DIFD 1002

Pode-se entender as funções DIFU e DIFD como geradores de um pulso.

4.8) Função 20 (CMP) – Comparação

Efetua a comparação entre o valor atual de dois canais e em função do resultado


”liga” determinado contato interno.
CLP OMRON – Treinamento básico 18

Exemplo:

LD 0000
OUT TR0
CMP
DM0000
DM0001
LD TR0
AND 25505
OUT 300
AND 25506
OUT 301
AND 25507
OUT 302

Cada vez que a entrada 0000 for ‘ligada’ é feita uma comparação entre o valor
atual dos canais DM0000 e DM0001 e em função do resultado será ‘ligado’ um dos
contatos 25505, 25506 ou 25507.
Assim se DM0000 > DM0001 liga 25505 e saída 300
Se DM0000 = DM0001 liga 25506 e saída 301
Se DM0000 < DM0001 liga 25507 e saída 302

4.9) Função 21 (MOV) – Movimentação

Quando uma função MOV é executada o valor contido no primeiro canal


informado na função é transferido para o segundo canal. No exemplo abaixo quando a
entrada 0000 for ligada o valor do canal DM0000 será transferido para o canal DM0001.
CLP OMRON – Treinamento básico 19

Exemplo:

LD 0000
MOV
DM0000
DM0001
CLP OMRON – Treinamento básico 20

Parte 2 – Software SYSMAC-CPT


5.1 Gerenciamento de arquivos

5.1.1 Criando um novo programa

Você pode criar um novo programa selecionando o comando NEW no menu


FILE ou diretamente clicando no botão Novo na barra de menu principal.

Digite aqui o
nome do
programa

Digite
qualquer
comentário/
observação

Escolha o
modelo da
CPU

Figura 5.1 – Caixa de diálogo de criação de novo programa

Após entrada dos dados clique em OK. Uma nova janela de programa em
Ladder aparecerá.

5.1.2 Abrindo programas existentes

Para abrir programas selecione o comando OPEN no menu FILE ou diretamente


clicando no botão Abrir na barra de menu principal.

Aparecendo a caixa de diálogo selecione o drive/diretório onde se encontra o


programa e selecione o programa desejado que aparecerá na lista e então clique em
OK.
CLP OMRON – Treinamento básico 21

Digite aqui Lista dos Selecione


diretamente programas aqui o
o nome do contidos no diretório
programa diretório atual de
atual trabalho

Selecione
aqui o drive
de trabalho

Figura 5.2 – Caixa de diálogo de abertura de programa

5.1.3) Salvando programas

Para salvar um programa selecione o comando SAVE no menu FILE ou


diretamente clicando no botão Salvar na barra de menu principal.

Se for a primeira vez que o programa atual é salvo aparecerá uma caixa de
diálogo (figura 5.3), caso contrário o programa será diretamente salvo no disco.

Após completar as informações solicitadas na caixa de diálogo Salvar Programa


e clicar em OK, será aberta uma nova caixa de diálogo de Sumário (figura 5.4). Nesta
nova caixa pode ser informado dados diversos a respeito do programa, como nome do
autor, da empresa, assunto, palavras chave etc.
CLP OMRON – Treinamento básico 22

Digite aqui Lista dos Selecione


diretamente programas aqui o
o nome do contidos no diretório
programa diretório atual de
atual trabalho

Selecione
aqui o drive
de trabalho

Figura 5.3 – Caixa de diálogo Salvar Programa

No sumário
podem ser
entradas
informações
diversas
CLP OMRON – Treinamento básico 23

Figura 5.4 – Sumário

5.1.4) Fechando programas

Para fechar um programa selecione o comando CLOSE no menu FILE. Se o


programa tiver sofrido modificações e não tiver sido salvo será pedido confirmação para
que o mesmo seja salvo.

5.1.5) Imprimindo programas

Um programa pode ser impresso selecionando o comando PRINT no menu FILE.


Uma caixa de diálogo será aberta solicitando dados de impressão.

O programa imprime o que atualmente está sendo apresentado na tela. Assim


para imprimir o programa em mnemônico deve-se primeiro mudar a tela para
mnemônico.

Figura 5.4 – Caixa de diálogo de impressão


CLP OMRON – Treinamento básico 24

5.2 Criando programas em LADDER

5.2.1 Entrando com instruções em LADDER

No momento que um novo programa é criado ou aberto é apresentado o


diagrama em LADDER do mesmo. Para inserir uma instrução deve-se inicialmente
selecionar uma célula do diagrama, como indicado na figura abaixo.

Célula selecionada Barra de ferramentas


com o mouse ou com com instruções
as setas do teclado LADDER

Figura 5.5 – Apresentação em LADDER do programa

Com a célula selecionada você pode selecionar diretamente uma instrução da


barra de ferramentas ou escolher a instrução a partir do menu LADDER.

Para inserir uma linha clique no botão linha da barra de ferramentas ou selecione
CONECT LINE do menu LADDER. Então arraste o mouse do ponto inicial até o ponto
final da posição desejada.
CLP OMRON – Treinamento básico 25

Após inserir uma instrução é necessário editá-la, ou seja, informar o endereço e


o nome da instrução. Para tanto dê um duplo clique ou <Enter> na instrução a ser
editada. Após preencha a caixa de diálogo (figura 5.6).

O que é a instrução Algum comentário


(Bt_Liga, por exemplo) adicional a respeito da
instrução.

Endereço da instrução
(00000, por exemplo)

Figura 5.6 – Dados de uma instrução

OBSERVAÇÃO: Após fornecido um nome a um determinado endereço, só é possível


alterá-lo através da opção ADDRESS MANAGER do menu VIEW ou
ADDRESS WORKBOOK da submenu TABLES do menu VIEW, veja
item 5.4.1.

5.2.2 Entrando com funções em LADDER

Da mesma forma que foram inseridas instruções podem ser inseridas funções.
Diretamente pela barra de ferramentas através do botão FUN ou selecionando
FUNCTIONS... do menu LADDER. Através de uma destas seleções será ativada uma
caixa para escolha da função desejada.
Selecione aqui a que Selecione aqui a
grupo pertence a função desejada
função desejada

Figura 5.7 – Opções de funções

Após a entrada de uma função esta também deve ser editada. Com um duplo
clique como antes podemos editá-la. Os dados devem ser fornecidos numa caixa
CLP OMRON – Treinamento básico 26

semelhante a apresentada na figura 5.6. Dependendo da função existem vários


“OPERANDOS”. Os dois canais numa função MOV, por exemplo.

5.2.3 Copiando, cortando e colando em LADDER

Você pode copiar, cortar e colar partes de um programa para outro ou mover
partes em um mesmo programa.

Para selecionar uma ou mais linhas basta clicar ao lado esquerdo da linha e
arrastar o mouse pelas linhas desejadas.
Então selecione COPY (copiar) ou CUT (cortar) no menu EDIT. Posicione o
cursor na posição de destino do trecho selecionado e selecione PASTE (colar) do menu
EDIT. É possível efetuar estas operações diretamente através de botões da barra de
ferramentas.
CLP OMRON – Treinamento básico 27

5.3 Criando programas em MNEMÔNICO

5.3.1 Entrando com instruções e visualizando em MNEMÔNICO

Para visualizar o programa em Mnemônico clique no botão mnenônico na barra


de ferramentas (figura 5.8) ou se seleciona a opção indicada na figura 5.9.

Figura 5.8 – Botão Mnemônico

Figura 5.9 – Selecionando visualização em Mnemônico

Após selecionado visualização em mnemônico a tela apresentada será


semelhante a da figura 5.10. Para inserir instruções primeiramente deve ser
selecionada uma linha com o mouse ou com as setas do teclado.

Após seleção existem 3 opções: 1) digitar diretamente a instrução; 2) Selecionar


uma instrução através da barra de ferramentas mnemônico e 3) Escolher a instrução
através da opção CONTACTS ou COILS do menu MNEMONIC.

Um exemplo seria digitar diretamente:


CLP OMRON – Treinamento básico 28

Ld 0001 .

Barra de instruções
em mnemônico

Figura 5.10 – Visualização em mnemônico

5.3.2 Entrando com funções em MNEMÔNICO

Diretamente pela barra de ferramentas através do botão FUN ou selecionando


FUNCTIONS... do menu LADDER. Através de uma destas seleções será ativada uma
caixa para escolha da função desejada (de forma semelhante a apresentada em
LADDER).

Outra maneira é digitando diretamente a função, por exemplo, para mover o


DM0000 para o DM0001 pode ser digitado diretamente:

Mov Dm0000 Dm0001

Ou

21 0000 0001

O número 21 é diretamente interpretado como a função desejada.


CLP OMRON – Treinamento básico 29

5.3.3 Copiando, cortando e colando em MNEMÔNICO

Assim como em LADDER, é possível copiar, cortar e colar partes de um


programa para outro ou mover partes em um mesmo programa.
Primeiramente selecione uma ou mais linhas arrastando o mouse ou utilizando
as setas do teclado e em seguida selecione COPY (copiar) ou CUT (cortar) no menu
EDIT. Posicione o cursor na posição de destino do trecho selecionado e selecione
PASTE (colar) do menu EDIT. É possível efetuar estas operações diretamente através
de botões da barra de ferramentas.
CLP OMRON – Treinamento básico 30

5.4 Tabelas de visualização

O software CPT possui 4 tabelas de visualização e programação de dados:


- Tabela de endereços
- Referência cruzada
- Dados CLP
- Memória não utilizada

5.4.1 Tabela de endereços

O tabela de endereços é uma lista que contém todos os endereços de memória


atualmente utilizados no programa, bem como os nomes associados a estes
endereços.
Para acessar lista ou tabela de endereços selecione a opção TABLES do menu
VIEW e selecione a opção ADDRESS WORKBOOK deste submenu.

Neste ponto pode-se selecionar a área de memória desejada. Em


todas as áreas a organização é em ordem crescente de endereços,
enquanto na NAME aparecem todas as áreas e a organização é em
ordem alfabética do nome.

Figura 5.11 – Tabela de endereços


CLP OMRON – Treinamento básico 31

Para adicionar um novo endereço clique no botão + na barra de ferramentas ou


selecione INSERT ROW no menu EDIT.

A seguinte caixa de diálogo será apresentada:


Nome do Clique aqui para
elemento adicionar o
correspondente endereço
ao endereço.

Endereço a ser
inserido

Comentário a
respeito do
endereço

Figura 5.12 – Caixa de diálogo para adicionar um novo endereço

Para simplesmente editar um determinado endereço (alterar o nome, por


exemplo), clique no campo correspondente e faça a alteração.

5.4.2 Tabela de referência cruzada

A tabela de referência cruzada apresenta todas as referências a um determinado


endereço, ou seja, apresenta todos os locais onde um determinado bit ou canal aparece
no programa, inclusive DMs.

Endereço de Locais onde o


memória (contato mesmo é utilizado
ou canal) no programa
CLP OMRON – Treinamento básico 32

Figura 5.13 – Referência cruzada

Para acessar a tabela de referência cruzada, selecione CROSS REFERENCE do


submenu TABLES do menu VIEW.

5.4.3 Tabela de dados do CLP

Esta tabela apresenta todos os valores dos canais e bits dos canais. Se o CLP
estiver on-line a tabela é atualizada de acordo com alterações no CLP, caso contrário
conterá os valores anteriores (ou zero, para novos programas).
Para acessar esta tabela selecione PLC DATA do submenu TABLES do menu
VIEW.
Selecione nesta barra o
formato desejado para
apresentação dos dados
(Hexa, decimal, binário etc)

Figura 5.14 – Tabela de dados de memória

Esta tabela pode ser editada. Assim é possível escrever na área de dados e
enviar ao CLP.

5.4.4 Tabela de memória não utilizada

A tabela de memória não utilizada apresenta uma informação muito útil na


elaboração ou manutenção de programas, uma vez que apresenta os endereços
utilizados e não utilizados no programa.
CLP OMRON – Treinamento básico 33

Para acessar esta tabela selecione UNUSED MEMORY do submenu TABLES do


menu VIEW.

Vale a seguinte notação:


0 – Quando o programa
não utiliza o endereço.
X – Quando o programa
usa o endereço e o
mesmo tem nome ou
comentário.
P – Quando o programa
usa o endereço mas
Selecione a área de o mesmo não possui
memória desejada nome nem
comentário.
D – Quando o endereço
é documentado mas
não utilizado

Figura 5.15 – Tabela de memória não utilizada


CLP OMRON – Treinamento básico 34

5.5 Trabalhando On-line

5.5.1 Conectando com o CLP

Existem dois modos de conexão com o CLP.


- Selecionando a opção GO ON LINE no menu ON LINE
- Clicando no botão escrito OFF LINE no painel de controle do CLP e escolhendo ON-
LINE.

Botão para acessar


configurações de
comunicação

Botão de STATUS para Seleção do modelo do


conexão com o CLP ou CLP
alternar modo de func.

Figura 5.16 – Conexão com o CLP

Após uma destas seleções responda OK. O software CPT efetua uma verificação
do programa, testes de comunicação e lê informações do CLP. Se tudo estiver correto o
botão de conexão acima passa a indicar PROGRAM, informando o modo de operação
do CLP e conexão On-line.

Em caso de erro na conexão com o CLP


CLP OMRON – Treinamento básico 35

Se houver alguma falha durante o processo descrito acima será apresentada a


seguinte mensagem de erro: Unable to establish communications with PLC. Neste
caso efetue o seguinte:
1) Verifique o cabo de conexão com o CLP;

2) Verifique o modelo do CLP conectado com as configurações no CPT.


Para isto clique no botão indicado na figura 5.16 e corrija o modelo e CPU do CLP.

Figura 5.17 – Caixa diálogo para seleção do modelo e CPU do CLP

3) Verifique as configurações de comunicação.

Para acessar a tela de configuração clique no botão indicado na figura 5.16 ou


selecione COMMUNICATION SETTINGS... do menu ON-LINE. Em seguida clique em
SETUP.

Verifique os dados referentes a comunicação serial. Para acessar os dados da


porta serial do computador conectado ao CLP clique em SETUP a partir da tela abaixo:

Figura 5.18 – Caixa diálogo para configuração da rede serial


CLP OMRON – Treinamento básico 36

Na caixa da porta serial é possível escolher a porta utilizada para acessar o CLP
bem como demais dados de comunicação tais como taxa de transmissão, paridade etc.
De uma maneira geral a única opção pode sofrer alterações é a porta serial que varia
normalmente entre COM1 e COM2 nos computadores.

Figura 5.18 – Caixa diálogo para configuração da porta serial

5.5.2 Modificando o modo do CLP

Você pode alternar o modo de funcionamento do CLP de PROGRAM para


MONITOR, RUN ou DEBUG (somente em alguns modelos) clicando no botão de
STATUS – indicado na figura 5.16.

Figura 5.19 – Seleção do modo de funcionamento do CLP

5.5.3 Salvando programas do CLP (CLP computador)

Primeiramente o CLP deve estar conectado – ON-LINE. Veja item anterior para
conexão.

Selecione a opção TRANSFER FROM PLC... do menu ON-LINE. Selecione o


que deseja transferir na caixa de diálogo (figura 5.19) e em seguida clique em
TRANSFER FROM PLC.
CLP OMRON – Treinamento básico 37

Em caso de transferência do programa deve ser informado ainda se a


transferência é de todo programa ou somente até a última instrução END do programa.

Figura 5.20 – Opções de transferência entre CLP e SYSMAC

5.5.4 Restaurando programas do computador (computador CLP)

Com o CLP conectado ao computador (veja item ‘’Conectando com o CLP’’),


selecione a opção TRANSFER TO PLC... do menu ON-LINE.

Da mesma forma anterior você deve optar pelo que deseja transferir. Veja caixa
abaixo:

Figura 5.21 – Opções de transferência entre SYSMAC e CLP

5.5.5 Editando programas em ON-LINE


CLP OMRON – Treinamento básico 38

É possível editar uma linha do programa em on-line. Primeiramente você deve


marcar a linha e com o CLP conectado selecionar BEGIN ON-LINE EDIT do submenu
ON-LINE EDIT do menu ON-LINE.
Após a linha ser editada normalmente como em off-line selecione CHECK AND
TRANSFER ou CANCEL do submenu ON-LINE EDIT do menu ON-LINE.

5.5.6 Desconectando o CLP

Basta clicar no botão de status (figura 5.16) e selecionar OFF-LINE ou selecionar


a opção GO OFF-LINE do menu ON-LINE.
CLP OMRON – Treinamento básico 39

5.6 Monitorando programas do CLP

Somente é possível monitorar o funcionamento de um programa com o CLP no


modo MONITOR, para tanto consulte item 5.5.2 - Modificando o modo do CLP.

5.6.1 Marcando malhas

Quando um programa está sendo monitorado pode ser útil visualizar na tela
somente algumas linhas (malhas) de interesse, mesmo que estejam em locais
diferentes do programa.

Para tanto selecione a malha com o teclado ou mouse e dê um duplo clique no


canto esquerdo da mesma. As malhas marcadas possuem o sinal de checagem ao lado
como indicado na figura abaixo.

Após selecionar todas as malhas desejadas clique na opção VIEW MARKS do


menu EDIT. Somente as malhas marcadas serão visualizadas na tela.

Linha marcada.

Figura 5.22 – Marcando malhas

Para retirar as marcas selecione CLEAR ALL MARKS do menu EDIT.


CLP OMRON – Treinamento básico 40

5.6.2 Usando o monitor diferencial

Como normalmente não é possível visualizar alguns contatos – como funções


DIFU ou DIFD por exemplo, o SYSMAC permite monitorar a variação dos mesmos
através de um monitor especial.

Clique em DIFFERENTIAL MONITOR do menu LADDER. Na caixa de diálogo


selecione o contato que deseja monitorar.

Figura 5.23 – Monitor diferencial

Cada vez que o contato sofrer a alteração selecionada (ligar ou desligar) a caixa
mudará de cor indicando esta alteração do contato.

5.6.3 Comparando o programa

É possível verificar se o programa atualmente contido no CLP é igual a versão


salva no CPT. Para tanto, com o CLP conectado, seleciona-se COMPARE TO PLC no
menu ON-LINE.

Selecione o
que deseja
comparar
CLP OMRON – Treinamento básico 41

Figura 5.24 – Caixa de diálogo de comparação de programa

Se for selecionado comparação de programa o CPT solicita se a comparação é


até o END ou de todo o programa:

Figura 5.25 – Comparação até o último END ou de todo programa

Neste exemplo
os programas
do CLP e do
micro são
iguais

Figura 5.26 – Exemplo do resultado de uma comparação

5.6.4 Forçando contatos

Quando o CLP está on-line com o CPT é possível forçar contatos. Para isso
posiciona-se o cursor sobre o contato que se deseja forçar e clica-se com o botão
direito. Após seleciona-se a operação desejada (ON, OFF ou limpa)

Figura 5.27 – Forçando contatos


CLP OMRON – Treinamento básico 42

ANEXO 1

OPÇÕES AVANÇADAS EM CLPs DA SÉRIE H

Podemos alterar algumas configurações nos CLPs da série H através dos DMs
de 900 a 929 (para mais informações consulte tabela dos DMs).
Porém não basta alterarmos estes DMs para que as alterações tenham efeito de
forma adequada. Existem alguns procedimentos que devem ser executados pelo
usuário para que o CLP reconheça as modificações.
Basicamente devemos efetuar duas tarefas chamadas de “SYSTEM SETTING” e
“SYSTEM REGISTRATION”. Na primeira habilitamos o CLP a aceitar e operar com as
modificações e na segunda registramos estas modificações para que prevaleçam
mesmo em caso do CLP ser desligado – o processador efetua uma cópia de backup
dos DMs 900 nos DMs 1900. Não entraremos em detalhes sobre estas tarefas, uma
vez que foge ao escopo desta apostila.
Basicamente devemos seguir os passos abaixo caso efetuemos alguma
modificação na área de configuração. Devemos seguir estes passos também se o CLP
por algum motivo perder dados da área de configuração e apresentar alarme SYS FAL
9E ou 9F – quando as configurações vão para o padrão de fábrica e o contador de alta
velocidade perde sua função. Neste caso antes de seguirmos o processo abaixo
devemos alterar o valor do DM905 para 8000, reabilitando o contador rápido da
entrada 0000.

Com a chave em PROGRAM ou MONITOR pressione exatamente a seguinte


sequência:

A sequência acima consiste dos seguintes passos:

1) Forçar o contato AR1415 em ON para entrar com comandos de sistema;


2) Escrever o valor 100 na canal AR14 (comando para System Setting);
3) Escrever o valor 200 na canal AR14 (comando para System Registration);
4) Resetar o contato AR1415.
CLP OMRON – Treinamento básico 43