Você está na página 1de 2

Palavra dos dias 28/01/2019 a 02/02/2019

DESPERTADOS PELO ESPÍRITO

Então, Ageu, o enviado do SENHOR, falou ao povo, segundo a mensagem do SENHOR, dizendo:
Eu sou convosco, diz o SENHOR. O SENHOR despertou o espírito de Zorobabel, filho de Salatiel,
governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, e o espírito
do resto de todo o povo; eles vieram e se puseram ao trabalho na Casa do SENHOR dos
Exércitos, seu Deus,ao vigésimo quarto dia do sexto mês. Ageu 1.14-15

Discussão:

 Você tem se sentido desanimado em sua caminhada com Deus?


 O que como podemos lutar contra esse desânimo?

Os versículos 12-14 relatam a reação dos líderes e do povo à mensagem de Ageu. Ele
obedeceram ao Senhor porque reconheceram que ele havia enviado Ageu. "O povo temeu
diante do Senhor" (v.12), adorando-o e dando-lhe a devida atenção. Assim Deus anunciou uma
nova palavra de Deus: "Eu sou convosco" (v.13). A presença do Senhor manifestou-se numa
disposição renovada de todo o povo na obra do templo. Três verdades nos chamam a atenção
neste texto:

Em primeiro lugar, Deus trabalha em nós antes de trabalhar por nosso intermédio (1.14). “O
Senhor despertou o espírito de Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e o espírito de
Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e o espírito do resto de todo o povo...” (1.14). O
Eterno deu ânimo e coragem aos dois líderes. O impacto do ânimo divino não ficou apenas no
coração; desceu às mãos.

Antes de Deus trabalhar por nosso intermédio, ele trabalha em nós. Na verdade é o próprio
Deus quem faz a sua obra por nosso intermédio. Deus é o agente, somos apenas os
instrumentos. Um planta, outro rega, mas só Deus pode dar o crescimento (I Co 3.6). Deus é
quem opera em nós tanto o querer quanto o realizar (Fp 2.13). O impacto da pregação de
Ageu foi tal que todos, unanimemente, decidiram retomar o trabalho no templo, mas de
forma alguma isto lhes foi creditado. O Senhor o fizera.

Em segundo lugar, um povo motivado demonstra entusiasmo coletivo (1.14). “... eles vieram
e se puseram ao trabalho...” (1.14). Quando Deus despertou o espírito da liderança e dos
liderados, todos se ergueram para o trabalho. O que faltava era motivação e entusiasmo. Um
povo motivado é um povo ativo. Um povo despertado por Deus é um povo dinâmico e
operoso. Onde falta entusiasmo e motivação, há acomodação espiritual e cada um começa
acorrer atrás apenas de seus interesses.

Na construção do segundo templo, todos colocaram as mãos na obra. Os líderes na frente e


em seguida todo o povo. O trabalho é grande e precisa da participação de todos. Hoje,
infelizmente, cerca de vinte por cento dos membros realizam a obra enquanto os demais
assistem. Precisamos entender que somos um corpo no qual cada membro tem sua função.
Somos uma família na qual cada um exerce o seu papel. Somos um exército onde cada soldado
tem seu campo de luta. Somos construtores do santuário de Deus no qual cada um deve
trabalhar com zelo e alegria!
Palavra dos dias 28/01/2019 a 02/02/2019

Pergunta: Você acha que o ânimo é contagioso? O que podemos fazer para ser contagiados?

Em terceiro lugar, um povo despertado por Deus engaja-se na obra de Deus (1.14,15). "...
eles vieram e se puseram ao trabalho na Casa do Senhor dos Exércitos, seu Deus, ao vigésimo
quarto dia do sexto mês” (1.14,15). A casa de Deus havia sido abandonada por mais de quinze
anos. Os fundamentos tinham sido lançados, mas a casa ainda estava sem teto. Os escombros,
os obstáculos, a oposição e o edito do rei persa lançaram uma pá de cal na disposição do povo.
Porém, ao ouvir a voz de Deus, o povo se encheu de entusiasmo e todos se puseram ao
trabalho na Casa do Senhor. A reedificação do templo é o centro de interesse ao redor do qual
gira tudo que o Ageu pregou.

Somente ao obedecer ao Senhor o povo pode chamar-lhe de “seu Deus” (1.14). Eles não
tinham o direito de chamar-lhe de “seu Deus” enquanto não começassem a escutá-lo e a
aproximar-se dele. Vinte e quatro dias após a mensagem do Senhor ter sido transmitida ao
povo pela instrumentalidade de Ageu, a obra da reconstrução do templo teve início. Essas três
semanas decorridas não indicam uma demora em responder ao desafio lançado; antes,
constituíram o tempo necessário para planejamento e organização. O material tinha de ser
reunido (1.8) e técnicos competentes precisavam ser contratados (Ed 3.7).

CONCLUSÃO: A presença de Deus conosco é a maior necessidade, o maior refúgio e o maior


estímulo para fazermos sua obra. Tão logo o povo se voltou para Deus, Deus se voltou para o
povo. Tão logo eles se humilharam e obedeceram, Deus se tornou favorável a eles e os
fortaleceu com sua presença. O problema do povo não era a presença dos inimigos nem a
enormidade dos obstáculos, mas a ausência de Deus. Se Deus está conosco nenhum problema
pode deter os nossos passos. O apóstolo Paulo pergunta: “Se Deus é por nós, quem será
contra nós?” (Rm 8.31).

Com que frequência ouvimos um sermão e declaramos: "Este foi um excelente sermão, eu
deveria coloca-lo em prática"? No entendo, ao deixamos a Igreja, esquecemos-nos dele e não
agimos de acordo com a Bíblia. Esta pessoas puseram suas palavras em prática. Quando ouvir
um bom sermão ou ensino, pergunte a si mesmo o que deveria fazer a respeito, e então faça
planos para coloca-lo em prática.

Pergunta: No momento atual da sua vida você sente desencorajado e desanimado? Tenha um
tempo de oração para que Espírito Santo nos desperte e no encha de ânimo e de coragem.
Peça pela presença de Deus na vida das pessoas.