Você está na página 1de 5

DICAS:

Alto-falantes, sua resposta acústica com a sala


Texto, pesquisa e adaptações: Fernando José Peixoto Lopes
Técnico operador de áudio (27)9-9518-4850 Vivo e WhatsApp
fernando@masterdbsound.com.br

APOIO

HTTPS://www.facebook.com/masterdbsound/?ref=bookmarks
Enquanto os estúdios profissionais têm o benefício do tratamento acústico criado por
especialistas no campo acústico, em casa ao criar nosso ambiente, para ouvir música,
criar ou mixar áudio, ou simplesmente desfrutar de um bom som surround com
nossos alto-falantes, encontramos uma sala já construída, na qual podemos fazer
algumas coisas para maximizar o potencial de nossos alto-falantes.

Nem sempre é fácil obter bons resultados, mas, através da aplicação de alguns
princípios básicos, você deve ser capaz de otimizar seu ambiente para ouvir, de uma
maneira muito real, o áudio que você toca nos alto-falantes.

Vamos falar primeiro sobre o grande problema de salas que não são criadas
especificamente para ouvir áudio.

Nessas salas, como em qualquer espaço com quatro paredes, no mínimo, um teto e
um piso, encontramos as famosas ondas estacionárias, que se comportam
repetidamente, reproduzindo certas frequências entre duas superfícies paralelas, que
foram rebatidas entre as paredes, piso e teto, ou entre todas as superfícies, é o que
em acústica são chamados de modos.

Alto-falantes e modos acústicos

Os Modos Acústicos, são ondas estacionárias que estão dentro da sala de audição,
não há espaço que não tenha modos, o objetivo é encontrar o equilíbrio entre esses
modos para que não ocorram efeitos acústicos irritantes, bolas de sons sérios e
medíocres, etc.

Sobre localização dos alto-falantes, é importante o alinhamento simétrico entre eles,


a altura em relação ao ponto de audição e a distância entre eles, mas você também
deve levar em conta as distâncias entre os alto-falantes e as paredes diferentes.
Telhado e chão.

Parece bobo, mas não é, calculando e ajustando a distância entre os alto-falantes, o


teto e o chão, já que a aparência dos Modos em nossa sala dependerá até certo ponto
dessa colocação.

Uma sala retangular típica tem três modos principais ou axiais que correspondem às
dimensões principais - alta, larga e longa - gerando não apenas problemas de ondas
estacionárias em três frequências, mas em um número muito maior de frequências
que nós chamamos de harmônicos múltiplos dos modos principais.

Para complicar ainda mais as coisas, existem também modos oblíquos e tangenciais
relacionados às dimensões de canto a canto da sala, embora estes sejam menos
intensos que os principais modos axiais.
Modos Axiais

Os modos axiais são, os culpados da maioria dos problemas em relação à resposta


acústica da nossa sala.

O que queremos é ouvir bem nossas caixas em nossa sala, então o importante é
saber como esses Modos Axiais atuam em nossa sala e tentar evitá-los ou evitá-los
sem ter que fazer um condicionamento acústico muito trabalhoso.

A primeira coisa que devemos fazer é saber qual é o nosso Modo Fundamental, que
será aquele com a frequência mais grave e do qual vamos ter problemas.

Deixo aqui uma fórmula, muito simples que te ajudará a saber se a sua sala tem
problemas axiais muito acentuados ou pouco acentuados.

Nesta fórmula você só tem que colocar a velocidade do som que será de 344 m / s, e
onde ele coloca a distância entre as paredes, você deve medir a distância entre as
paredes paralelas e escolher a maior delas, é suposto ser o comprimento da sua sala,
embora às vezes a distância entre o chão e o teto possa ser maior.

O resultado que lhe dará, será o da frequência física estacionária mais irritante de sua
sala, se você conseguir atenuá-la ou dominá-la, você terá um monte de ganho.

O pior caso será aquele em que duas das três dimensões coincidem, neste caso, as
ondas estacionárias irão gerar picos de intensidade, o que fará com que as temidas
bolas de baixo, ou sons irritantes em frequências médias.

Estes são responsáveis pelos problemas em graves e graves frequências médias entre
300 Hz e 20 Hz.

Mas não vamos apenas falar sobre problemas, vamos procurar soluções e vamos
aprender algo importante que é o posicionamento dos alto-falantes e sua
resposta acústica com a sala.

Introduzimos o tema dos modos e sabemos que nossa sala responde a algumas
frequências que criam interferências, não nos permitindo ouvir o áudio como se deve
com nossos alto-falantes.
Existe uma série de programas na internet que você pode usar para fazer medições
acústicas, que lhe darão um grande número de números para analisar e que lhe
darão muitas informações sobre como tratar sua sala.

A primeira coisa que fica evidente é que o efeito dos modos da sala depende tanto da
posição dos alto-falantes quanto da posição do ouvinte dentro da sala. Os alto-
falantes devam ser colocados simetricamente e angulados na direção do ouvinte,
aproximadamente 30 graus a partir da linha central, você deve ter uma certa margem
de manobra de posição entre as três dimensões.

Quando você coloca um alto-falante a uma distância de uma parede ou superfície


sólida, parte da energia das baixas frequências vai viajar para trás e será refletida na
parede.

Dependendo da distância até a parede, algumas frequências irão rebater (pular,


saltar) em fase, o que resultará em picos de frequência, e outras serão canceladas,
resultando no cancelamento das frequências de fase, deixaremos de ouvi-las. O ideal
é introduzir um elemento aleatórios nesses cancelamentos e picos de frequência
sempre que possível, e uma maneira de fazer isso é certificar-se de que a distância
do alto-falante até a parede traseira seja diferente da distância até a parede lateral, e
diferente de a distância com o solo e com o telhado.

Além disso, certifique-se de que o alto-falante não esteja exatamente na metade do


caminho entre o chão e o teto por pelo mesmo motivo. É melhor estar abaixo ou
acima da caixa de som, do que não ter o driver exatamente na altura da cabeça, você
pode sempre inclinar o alto-falante ligeiramente para apontar os drivers para a
posição de controle, se necessário. O comportamento dos modos também nos diz
que múltiplos exatos devem ser evitados, portanto, se os alto-falantes estiverem a
meio metro da parede traseira, por exemplo, não coloque as caixas de som a um
metro e meio das paredes laterais, ou outros múltiplos, isso causaria problemas.
O que se aplica as caixas de som também se aplica à posição de audição, e se você
estiver sentado perto de uma parede, você notará que a faixa de baixa frequência soa
mais alta do que se você estivesse longe das paredes. Isso se deve ao efeito de
borda, mas também pode-se notar que "pontos quentes" ocorrem se a cabeça está
exatamente na metade do caminho entre o chão e o teto, essa é uma das razões
pelas quais os estudos tendem a ter tetos maiores do que o habitual. É claro que você
tem que tentar sempre sentar-se a meio caminho entre as paredes laterais para ter
uma imagem precisa do que você está ouvindo, mas você pode seguramente evitar
sentar-se a meio caminho entre as paredes da frente e de trás.

É claro que o tamanho e distribuição da nossa sala, ditará em muitos casos a nossa
posição de escuta, em salas pequenas, é aceitável instalar os alto-falantes no lado da
parede mais longa, para minimizar os problemas causados pelos reflexos das paredes
laterais no ponto de audição.

Uma vez que tenhamos decidido a nossa posição de escuta e a de nossos falantes,
tentaremos movê-los para frente e para trás um pouco, enquanto tocamos música, já
que em algumas posições o som será mais claro e poderoso do que em outros.

Aconselho a reproduzir uma partitura com uma vasta gama de notas de baixa
frequência com a mesma intensidade, nos ajudará a terminar de determinar a
colocação, evitando os pontos onde as frequências mais baixas geram um sinal
aumentado.

Com essas dicas, espero que eu adicionei um pouco de luz, colocar as caixas
acústicas corretamente em sua sala ou igreja.

“DEUS SEJA LOUVADO”!