Você está na página 1de 30
Sumário 1 SOBRE ESTE EBOOK 04 2 ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE 05 3 DIREITOS AUTORAIS 06

Sumário

1 SOBRE ESTE EBOOK 04

2 ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE 05

3 DIREITOS AUTORAIS 06

SOBRE A AUTORA 07 5INTRODUÇÃO 08

4

6 TERAPIA ABA NOÇÕES GERAIS

09

7 IMPORTANTE SABER

11

8 COMO É A FORMAÇÃO DO TERAPEUTA ABA?

12

9 ABA INTERVENÇÃO INTENSIVA 13

10 PROCEDIMENTOS DE ENSINO

10

11 ANALISANDO O COMPORTAMENTO

11

12 ABA NA ESCOLA 12

13 AVALIAÇÕES :COMO AVALIAR UMA CRIANÇA?

15

14 PROGRAMAS ABA

19

12.1 Combinar Rapidamente Muitas Figuras Compatível com

ABBLS-R Código B7 20

11.2 Classificar em Categorias Compatível com ABBLS-R Có-

digo B8 21 11.3 Imitação de Construção em Bloco Compatível com ABBL- S-R Código B12 22

11.4

Combinando Figura Relacionada Compatível com ABBL-

S-R Código B16 23

11.5 Classificar Figuras por Característica Compatível com ABBLS-R Código B18 24

11.6 Preenchendo Labirintos Compatível com ABBLS-R Códi-

go B27 25

11.7 Olhar para o(a) professor(a) quando o Nome é Chamado

Compatível com ABBLS-R Código C1 26

11.8 Instrução Receptiva Acompanhada de Atividade Preferida

Compatível com ABBLS-R Código C2 27 1.9 Instrução Receptiva Acompanhada de Atividade Preferida Compatível com ABBLS-R Código C6 28 11.10 Instrução Receptiva Acompanhada de Instruções Sim- ples Compatível com ABBLS-R Código C9 29

Código C6 28 11.10 Instrução Receptiva Acompanhada de Instruções Sim- ples Compatível com ABBLS-R Código C9
Sobre este ebook A ideia deste E-book surgiu da necessidade de termos no Bra- sil

Sobre este ebook

A ideia deste E-book surgiu da necessidade de termos no Bra-

sil uma intervenção de qualidade, que honre verdadeiramen-

te seus princípios e procedimentos. E que, consequentemente,

contribua com a democratização do conhecimento, para que assim possamos alcançar um número maior de crianças que necessitem dos serviços de intervenção em nosso país, que tem mão de obra escassa no que tange ao assunto.

O que se pretende aqui é prover uma noção geral sobre o que é

a ABA, de uma maneira simplória. É claro que em um simples

e-book como este não se pode ter a pretensão de abordar toda

a complexidade que é a intervenção, ainda assim, acreditamos

que este material contribui, mesmo que de forma singela, para

a disseminação do conhecimento.

4
4
ainda assim, acreditamos que este material contribui, mesmo que de forma singela, para a disseminação do
ainda assim, acreditamos que este material contribui, mesmo que de forma singela, para a disseminação do

Isenção de Responsabilidade

Todas as informações contidas neste guia são provenientes de meus estudos, pesquisas e aprendizados pessoais como Psicopedagoga Clínica, Pós Graduada em Ensino Estrutu- rado para criança autista, Especialista em análise do comporta- mento aplicada pela Faculdade Cambury e Mestranda em Análi- se do Comportamento Aplicada - UNB.

Embora eu tenha me esforçado para garantir a precisão e a mais alta qualidade dessas informações, eu não me respon- sabilizo pela implementação por parte do leitor de qualquer técnica, procedimento ou avaliação aqui citada. Assim, você deverá usar as informações deste guia de acordo com a sua situação e necessidade.

Além disso, em nenhum momento neste guia há a intenção de difamar, desrespeitar, insultar humilhar ou menosprezar você leitor ou qualquer outra pessoa, cargo ou instituição. Caso qualquer escrito seja interpretado dessa maneira, eu gostaria de deixar claro que não houve intenção nenhuma de minha parte em fazer isso. Caso você tenha alguma observação para fazer quanto a este guia, você pode entrar em contato comigo pelo email: contato@pedagogiaestruturada.com.br.

para fazer quanto a este guia, você pode entrar em contato comigo pelo email: contato@pedagogiaestruturada.com.br. 5
Direitos Autorais Este guia está protegido por leis de direitos autorais. Todos os direitos sobre

Direitos Autorais

Este guia está protegido por leis de direitos autorais. Todos os direitos sobre este guia são reservados. Você não tem permissão para vender este guia nem para copiar/reproduzir o conteúdo do guia em sites, blogs, jornais ou quaisquer outros veículos de dis- tribuição e mídia. Qualquer tipo de violação dos direitos autorais está sujeita a ações legais.

de dis- tribuição e mídia. Qualquer tipo de violação dos direitos autorais está sujeita a ações
de dis- tribuição e mídia. Qualquer tipo de violação dos direitos autorais está sujeita a ações

Sobre a Autora

Sobre a Autora Olá, me chamo Michelli Freitas e quero te contar brevemente sobre a minha

Olá, me chamo Michelli Freitas e quero te contar brevemente sobre a minha história. Eu sou mãe de dois príncipes, sendo o mais velho deles um mocinho autista, e foi por causa do meu filho, hoje com

6 anos, que iniciei meus estudos na área do autismo, e das dificul- dades de aprendizagem, mas em especial na linha de Análise do Comportamento Aplicada (ABA). Hoje sou Psicopedagoga Clínica

e Institucional, pela Uninter, Especialista em Ensino Estruturado para criança Autista, Especialista em análise do comportamento aplicada (ABA), pela Faculdade Cambury. E Mestranda em Aná- lise do Comportamento Aplicada - UNB. Apaixonada por ensinar

o tido como impossível aos tidos como incapazes de aprender. No

meio de tantos estudos, me descobri na docência, em dar aula, em disseminar informações de qualidade e, consequentemente, me- lhorar a qualidade dos serviços prestados, contribuindo para a for- mação de vários profissionais que atuam com crianças e adolescen- tes com atraso no desenvolvimento. Sou autora dos treinamentos “ABA é pra mim?” “Entendendo o Protocolo Vb-Mapp, Avaliação de Habilidades Funcionais - AFLS, ABA e Alfabetização” e sou Co- ordenadora do curso de Pós Graduação Análise do Comportamen-

to Aplicada voltada para a aprendizagem.

e sou Co- ordenadora do curso de Pós Graduação Análise do Comportamen- to Aplicada voltada para
Introdução Neste livro pretende-se explicar de forma simplória, para aque- les que ainda não conhecem,

Introdução

Neste livro pretende-se explicar de forma simplória, para aque- les que ainda não conhecem, ou tem breves noções sobre a Te- rapia ABA, o que é a Terapia ABA, a quem se destina, quais são suas técnicas e procedimentos, porque ela vem sendo tão falada recentemente, e se de fato ela funciona. Além disso, falaremos também de como é a formação do terapeuta, como são suas formas de avaliação, como analisar um comportamento e se é possível Terapia ABA na escola.

Terapia Aba Noções Gerais Mas afinal o que é ABA? Bom, ABA nada mais é

Terapia Aba Noções Gerais

Mas afinal o que é ABA? Bom, ABA nada mais é que uma si- gla em Inglês que significa Applied Behavior Analysis (Análise do Comportamento Aplicada), e é uma ciência que tem seus princípios e procedimentos próprios. A ABA, ou o ABA (de método ABA) como ficou conhecida no Brasil, ficou bastante famosa com o boom de diagnósticos de Autismo, sendo chan- celada popularmente como terapia para autistas. Porém, para os estudiosos do tema, sabemos que a ABA (como a chamo, pois, nos referimos a ciência do comportamento aplicada - haja vista que ABA não é um método como veremos a seguir) não é somente uma terapia para autistas.

A ABA não pode ser considerada um método, e sim uma meto- dologia. Essa metodologia busca modificar comportamentos que sejam socialmente relevantes. Confira abaixo a definição de ABA:

“Análise Aplicada do Comportamento é um processo sistemáti- co de intervenções aplicadas baseada em princípios da teoria de aprendizagem para melhorar comportamentos significativos so- cialmente para um nível significativo, e demonstrar que a inter- venção aplicada é responsável pela melhora no comportamento.” (Baer, Wolf & Risley, 1968; Sulzer-Azaroff & Mayer, 1991)

Com o uso desse conceito surge também a necessidade de fazer a definição de compor- tamento para que a ABA possa ser compre- endida. O que é então comportamento? Bem, comportamento é simplesmente tudo que fa- zemos, andar, comer, ir ao banheiro, escrever, falar, tudo que o que modifica o ambiente e é modificado por ele.

Agora que você já sabe isso, podemos seguir com nossa explicação. A ABA possui princí- pios e procedimentos de ensino de compor- tamentos socialmente relevantes, logo, pode- mos pensar que escrever, ler, recortar, pintar são comportamentos socialmente relevantes, logo podemos observar que ABA e educação tem tudo a ver, como a tampa e a panela mes- mo. E ela usa, dentro os seus procedimentos, instrumentos que quebram tarefas maiores em pequenas tarefas, sempre usando a moti- vação do aluno para o ensino.

Portanto, se eu tenho uma criança indepen- dente de qualquer diagnóstico que saia da curva tradicional de aprendizagem será que ABA pode ser eficaz á ela? Com toda a certe- za. Se eu tenho uma criança com problemas de comportamento ABA pode ser eficaz para ela? Sem sombra de dúvidas.

Importante Saber A Terapia ABA vem sendo cada dia mais consolidada por ser uma intervenção

Importante Saber

A Terapia ABA vem sendo cada dia mais consolidada por ser

uma intervenção baseada em evidência científica, ou seja, uma prática que possui anos de muitas pesquisas, desde 1980 se re-

comenda Terapia ABA para os indivíduos dentro do Transtor- no do Espectro Autista.

Porém, como já disse acima, é preciso deixar muito claro que a Terapia ABA não é somente para crianças autistas, pois, já temos estudos e artigos científicos que apontam para o uso da Terapia ABA para crianças com Transtorno do Déficit de Aten- ção com ou sem Hiperatividade, e crianças com Síndrome de Down. Sendo assim, devemos sempre ter em mente que a ABA é ciência do comportamento humano e que, portanto, pode ser usada em vários campos, como por exemplo no marketing.

Dentro da ABA realizamos o registro de tudo aquilo que faze- mos, pois, assim podemos sempre ter um panorama claro de

como está a nossa intervenção, de fato medindo o quanto aque-

le determinado comportamento está modificado ou não. É ain-

da importante salientar que Terapia ABA tem sempre objetivos

claros e definidos e que sempre devem ser expostos aos que convivem com a criança.

Como é a Formação do Terapeuta ABA?

A ABA no Brasil é vista nas faculdades de Psi-

cologia de uma forma ainda insuficiente para que o profissional saia capacitado para atuar na área. Além disso, existe uma grande discussão pela separação da ABA da psicologia, como ocorre com a Psicanálise. Hoje é possível estu- dar a ABA a nível de Pós Graduação, basta ter um diploma de curso superior em qualquer

área e você poderá ingressar e começar os seus estudos, haja vista que a ABA é uma ciência com princípios e preceitos próprios. Em nos- so país muita polêmica ocorre em torno des-

se assunto, mas é importante salientar que nos

Estados Unidos a formação do Terapeuta ABA passa por um Mestrado em Análise do Com- portamento Aplicada, já que lá não existe a Pós Graduação que aqui no Brasil chamamos de latu sensu. Sendo assim, para que o profissio- nal possa de fato atuar e realizar intervenções ele passa por alguns critérios regulados pela Behavior Analysis Certification Board (BACB) no qual o profissional precisa de um Mestrado na área de ABA, psicologia, ou educação, além da realização de um curso específico em ABA, 1500 horas de prática sob supervisão de um BCBA (profissional já certificado), e ser apro- vado na prova de certificação.

ABA Intervenção Intensiva?

A Terapia ABA é de fato bastante conhecida por ser uma in- tervenção que é feita de maneira intensiva, portanto, falamos de 30 a 40 horas por semana. Porém, é importante salientar que podemos transformar a escola em um ambiente que segue os preceitos e princípios para a Terapia ABA, bem como apli- cá-los em casa e no dia-a-dia da criança e, claro, no tempo de ensino direto na mesinha e fora dela.

bem como apli- cá-los em casa e no dia-a-dia da criança e, claro, no tempo de

13

Procedimento de Ensino Como ensino alguém usando Terapia ABA?

A ABA possui técnicas e procedimentos próprios de ensino de um comportamento, sendo assim, colocarei aqui uma de suas mais usadas técnicas, que se chama DTT (Discrete Trial Training). Traduzindo para o português podemos chamá-la de “Treino de tentativa discreta”.

Nessa técnica quebramos uma habilidade em partes menores e a ensinamos passo a passo, em um ambiente estruturado. É importante salientar que para fazer uso de DTT não necessa- riamente preciso estar na mesa com a criança. Na DTT usa- mos também repetições, ou seja, ensinamos esse procedimento repetidas vezes (a critério do profissional a quantidade) para que o aprendizado ocorra. Além de treino de DTT, a ABA usa muitos outros elementos e para discorrer sobre cada um deles seriam necessários vários capítulos de livros, mas aqui vão elas para quem quiser se aprofundar e saber mais:

aqui vão elas para quem quiser se aprofundar e saber mais: • Uso de Reforço Positivo

• Uso de Reforço Positivo e Negativo

• Uso de Níveis de Ajuda

• Treino de Imitação

• Uso de Procedimento de Modelagem

• Uso de Procedimento de Encadeamento

• Uso de Punição Negativa e Positiva

• Uso de Procedimento de Extinção

• Uso de Procedimento de Análise de Tarefas

• Compreensão da Linguagem como um Comportamento e estu- do dos operantes verbais

Analisando o Comportamento

Muitas vezes um comportamento ocorre e nós queremos sa- ber porque aquilo ocorreu, principalmente quando falamos de crianças com comportamentos inadequados, ou talvez mesmo que não sejam considerados inadequados - já que a inadequa- ção pode ser algo subjetivo - podemos dizer que o comporta- mento está prejudicando de alguma forma o indivíduo.

E para chegarmos nas possíveis razões desse comportamen- to precisamos nos atentar ao que aconteceu antes e depois de determinado comportamento ocorrer, o que chamamos de dados ABC (Antecedente - Behavior/Comportamento - Consequência) e, para isso, colhemos vários dados para que possa ser avaliado por um profissional que entenda de Aná- lise Funcional do Comportamento. Para que a função deste comportamento possa ser descoberta depois que os dados forem coletados e analisados.

ABA na Escola

É importante salientar que, como já disse acima, na minha visão

ABA e Educação se completam de uma maneira muito cone- xa, portanto, é importante que a escola e os professores saibam pelo menos noções básicas da ABA para que possam usar suas técnicas e procedimentos como facilitadores da aprendizagem escolar.

Ao falarmos de inclusão como falamos na atualidade precisa- mos levar em consideração que é necessário elaborar para cada criança que fuja da curva convencional de aprendizado um Pla- no de Ensino Individualizado, ou seja, o que vou ensinar para

essa criança com base no repertório que ela possui. Tudo isso, claro, levando em consideração avaliações das quais falaremos

a seguir, a idade cronológica da criança, a presença ou não de Pré Requisitos para o ensino de determinada habilidade, bem como tudo que for relevante para o caso em questão.

Avaliações Como avaliar uma criança?

Dentro da ABA temos protocolos de avaliações próprios que nós dão um panorama geral do que chamamos de repertório da criança, ou seja, daquilo que ela sabe, suas habilidades.

No meio da Terapia ABA temos protocolos que são básicos para iniciar uma intervenção como por exemplo a Vbmapp (Verbal Behavior Milestones Assessment and Placement Program), a ABBLS (The Assessment of Basic Language and Learning Skills - Revised (ABLLS-R), e temos também a AFLS (The Assess- ment of Functional Living Skills). O mais usado no Brasil é a Vbmapp, porém, são todos de extrema importância e o que de- finirá qual será usado serão alguns fatores tais como: repertório da criança, idade, dentre outros.

Existem outros protocolos, inclusive alguns específicos para Habilidades Sociais, mas aqui me ative somente aos principais. Principais informações sobre cada Avaliação:

VBMAPP - É uma avaliação que traz em que nível a criança está comparada a uma criança de de- senvolvimento típico, tendo como base os preceitos do Comporta- mento Verbal, avaliando a criança por meio dos operantes verbais e outras habilidades tais como: brin- car, comportamento de sala, habi- lidades de matemática e outras.

de sala, habi- lidades de matemática e outras. ABLLS - É uma avaliação de lin- guagem

ABLLS - É uma avaliação de lin- guagem básica e habilidades de aprendizagem que avalia 544 habi- lidades em 25 áreas diferentes de habilidade, é geralmente recomen- dada para crianças com um reper- tório um pouco mais avançado.

AFLS - Avaliação de habilidades de vida funcional a qual possui pro- tocolos de avaliação para seis áreas diferentes: habilidades básicas. ha- bilidades de casa, participação da comunidade, habilidades na esco- la, habilidades de independência, habilidades vocacionais.

de casa, participação da comunidade, habilidades na esco- la, habilidades de independência, habilidades vocacionais. 18
de casa, participação da comunidade, habilidades na esco- la, habilidades de independência, habilidades vocacionais. 18

Programas ABA

Combinar Rapidamente Muitas Figuras Compatível com ABBLS ®-R Código B7

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

 

Objetivo:

Ao receber várias figuras idênticas e o(a) professor(a) disser “Com- bine” o(a) aluno(a) deve combinar pares de figuras rapidamente com suas figuras que combinam de forma idêntica.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Colocar uma pilha de figuras idênticas na frente do(a) aluno(a) enquanto você diz “Combine”. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) alu- no(a) combinar todos os conjuntos de figuras – não reforçar. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não combinar todos os conjuntos de figuras – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Colocar uma pilha de figuras idênticas na frente do(a) aluno(a) enquanto você diz “Combine”. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) combinar todas as figuras, elogie e forneça reforço. Se não combinar todos os conjuntos de figuras, dizer “Combine” e exemplificar os movimentos de combinação. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) com- binar todas as figuras, elogiar e fornecer reforço. Se não combi- nar todas as figuras, dizer “Combine” e utilizar orientação física para ajudar o(a) aluno(a) a combinar todas as figuras restantes. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

 

34

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   34 The Autism Skill Acquisition Program™ 20

Classificar em Categorias Compatível com ABBLS ®-R Código B8

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

 

Objetivo:

Ao receber uma variedade de cartões com figuras/objetos e o(a) pro- fessor(a) disser, “Classifique” o(a) aluno(a) colocará todos os itens das mesmas categorias em pilhas separadas.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Colocar uma variedade de cartões com figuras/objetos na frente do(a) aluno(a) e dizer, “Classifique.” Aguardar 5 segundos por uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) separar todos os cartões/objetos em pilhas corretas – não reforçar. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não separar todos os cartões / objetos em pilhas corre- tas- não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Colocar uma variedade de cartões com figuras/objetos na fren- te do(a) aluno(a) e dizer, “Classifique.” Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) classificar corretamente todos os cartões/ objetos, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não classificar todos os cartões/objetos, dizer “Classifique” e exempli- ficar a classificação correta. Aguardar 5 segundos por uma res- posta. Se o(a) aluno(a) classificar corretamente todos os cartões/ objetos, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não classificar todos os cartões/objetos, dizer “Classifique” e orientar fisicamente a mão do(a) aluno(a) para classificar todos os cartões com figuras/ objetos. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

 

35

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   35 The Autism Skill Acquisition Program™ 21

21

Imitação de Construção em Bloco Compatível com ABBLS ®-R Código B12

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

 

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) apresentar um cartão padrão e fornecer blo- cos ao(a) aluno(a) e dizer “Construa isto”, o(a) aluno(a) colocará os blocos sobre o cartão padrão para formar o padrão sobre o cartão.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Apresentar o cartão padrão e os blocos ao(à) aluno(a) e dizer “Construa isto”. Aguardar 5 segundos para uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) criar proje- to sobre o cartão padrão – não reforçar. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não criar projeto sobre o cartão padrão – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Apresentar o cartão padrão e os blocos ao(à) aluno(a) e dizer “Construa isto”. Aguardar 5 segundos para uma resposta. Se o(a) aluno(a) colocar os blocos sobre o cartão padrão para formar design sobre o cartão, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não colocar os blocos sobre o cartão padrão, para formar design sobre o cartão, diga “Construa isto” e gesticule na direção do car- tão padrão. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o aluno colocar os blocos sobre o cartão padrão para formar design so- bre o cartão, elogiar e fornecer reforço. Se o aluno não colocar os blocos sobre o cartão padrão para formar design sobre o cartão, dizer, “Construa isto” e utilize orientação física para completar o projeto. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

 

39

The Autism Skill Acquisition Program™

22

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   39 The Autism Skill Acquisition Program™ 22

Combinando Figura Relacionada Compatível com ABBLS ®-R Código B16

Nome do(a) aluno(a):

 

Data de início:

 

Objetivo:

Ao receber uma figura, uma gama de escolhas de figura, e o(a) pro- fessor(a) disser “Combine”, o(a) aluno(a) combinará a figura àquela relacionada em uma série.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Colocar uma figura diretamente na frente do(a) aluno(a) e uma figura relacionada em uma gama, aproximadamente 30-60cm de distância do(a) aluno(a) enquanto você diz “Combine”. Aguardar 5 segundos para uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) combinar figuras relacionadas – não reforçar. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não combinar as figu-

ras

relacionadas – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Colocar uma figura diretamente na frente do(a) aluno(a) e uma figura relacionada em uma gama aproximadamente 30 -60cm distante do(a) aluno(a). Dizer, “Combine”. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) combinar as figuras relacio-

nadas, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não combinar

as

figuras relacionadas, dizer “Combine” e exemplificar o movi-

mento de combinação. Aguardar 5 segundos por uma respos- ta. Se o(a) aluno(a) combinar as figuras relacionadas, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não combinar as figuras rela-

cionadas, dizer “Combine” e utilizar orientação física para aju- dar o(a) aluno(a) a combinar as figuras relacionadas. Pontuar

V

para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar

M

se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo.

Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

 

43

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   43 The Autism Skill Acquisition Program™ 23
Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   43 The Autism Skill Acquisition Program™ 23

23

Classificar Figuras por Característica Compatível com ABBLS ®-R Código B18

Nome do(a) aluno(a):

 

Data de início:

 

Objetivo:

Ao receber figuras que variam por uma característica da figura e o(a) professor(a) disser, “Classifique”, o(a) aluno(a) colocará as figu- ras em pilhas apropriadas com base na característica das figuras.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Colocar dois modelos de figura aproximadamente 30 m distante do(a) aluno(a). Colocar várias figuras na frente do(a) aluno(a). Colocar uma figura com a mesma característica como mode-

lo da pilha em cada modelo. Dizer, “Classifique”. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) classificar figuras nas pilhas corretas

não reforçar. Uma resposta incorreta é classificada com (-) se

o(a) aluno(a) não classificar figuras nas pilhas corretas – não

incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Colocar dois modelos de figura aproximadamente 30 cm distante do(a) aluno(a). Colocar várias figuras na frente do(a) aluno(a). Colo- car uma figura com a mesma característica como modelo da pilha em cada modelo. Dizer. “Classifique”. Aguardar 5 segundos por uma res-

posta. Se o(a) aluno(a) classificar as figuras em pilhas corretas, elogiar

e

fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não classificar figuras nas pilhas

corretas, dizer “Classifique” e exemplificar a classificação. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) classificar as figuras nas pilhas corretas, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não classificar as figuras nas pilhas corretas, dizer “Classifique” e utilizar orientação física para ajudar o(a) aluno(a) a classificar as figuras nas pilhas corretas. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motiva- ção verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

   

The Autism Skill Acquisition Program™

24

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com     The Autism Skill Acquisition Program™ 24

Instrução Receptiva Acompanhada de Atividade Preferida Compatível com ABBLS ®-R Código C2

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

 

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) disser, “Vá

(nomear

atividade)” o(a)

aluno(a) cumprirá com o pedido para desempenhar uma atividade preferida contextualizada.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Dizer “Vá

 

(nomear

atividade)”. Aguardar 5 segundos por

uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido para se envolver na atividade preferida – não reforçar. Passar para a próxima tentativa. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não se envolver na atividade requerida – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Dizer “Vá

 

(nomear

atividade)”. Aguardar 5 segundos

por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido, elo- giar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não cumprir, dizer “Vá

 

(nomear

atividade)” e apontar para a atividade. Aguar-

dar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir

com o pedido, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não

cumprir, dizer, “Vá

(nomear

atividade)” e orientar fisica-

mente o(a) aluno(a) para a atividade. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

   

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com     The Autism Skill Acquisition Program™ 25

25

Instrução Receptiva Acompanhada de Atividade Preferida Compatível com ABBLS ®-R Código C6

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

 

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) disser, “Vá

(nomear

atividade)” o(a)

aluno(a) cumprirá com o pedido para desempenhar uma atividade preferida contextualizada.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Dizer “Vá

 

(nomear

atividade)”. Aguardar 5 segundos por

uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido para se envolver na atividade preferida – não reforçar. Passar para a próxima tentativa. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não se envolver na atividade requerida – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Dizer “Vá

 

(nomear

atividade)”. Aguardar 5 segundos

por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido, elo-

 

giar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não cumprir, dizer “Vá

(nomear

atividade)” e apontar para a atividade. Aguar-

dar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não

cumprir, dizer, “Vá

(nomear

atividade)” e orientar fisica-

mente o(a) aluno(a) para a atividade. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

   

The Autism Skill Acquisition Program™

26

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com     The Autism Skill Acquisition Program™ 26

Instrução Receptiva Acompanhada de Instruções Simples Compatível com ABBLS ®-R Código C9

Nome do(a) aluno(a):

 

Data de início:

 

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) fornecer uma diretriz simples, por exem- plo, “Acene com as mãos”, o(a) aluno(a) cumprirá com o pedido.

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Fornecer sugestão ao(à) aluno(a) para participar de uma respos- ta simples. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Uma respos- ta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido – não reforçar. Passar para a próxima tentativa. Uma res- posta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não cumprir com o pedido – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Fornecer sugestão ao(a) aluno(a) para participar de uma res- posta simples. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não cumprir com o pedido, repetir a sugestão e exemplificar a ação. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) cumprir com o pedido, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não cumprir com o pedido, repetir a sugestão e orientar fisicamente o(a) aluno(a) para cumprir. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

   

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com     The Autism Skill Acquisition Program™ 27

27

Instrução Receptiva Acompanhada de Selecionar entre Múltiplos Objetos Preferidos Compatível com ABBLS ®-R Código C12

Nome do(a) aluno(a):

Data de início:

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) apresenta múltiplos objetos preferidos e

diz “Toque

(nomear

o objeto)”, o(a) aluno(a) tocará no objeto

preferido nomeado.

 

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto /

 

Ambiente:

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Ao mesmo tempo, apresentar múltiplos objetos preferidos do(a)

aluno(a) e dizer “Toque

(nomear

o objeto)”. Aguardar 5

segundos por uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) tocar o objeto nomeado – não refor-

çar. Passar para a próxima tentativa. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não tocar o objeto nomeado

não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

 

Procedimentos de Ensino:

Ao mesmo tempo, apresentar múltiplos objetos preferidos na

frente do(a) aluno(a) e dizer “Toque

(nomear

o objeto)”.

 

Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) tocar o

objeto nomeado, elogiar e dar acesso ao objeto. Se o(a) aluno(a)

não tocar o objeto nomeado, dizer “Toque

(nomear

o obje-

to)” e apontar para o objeto nomeado. Aguardar 5 segundos por

uma resposta. Se o(a) aluno(a) tocar o objeto nomeado, elogiar

e

permitir acesso ao objeto. Se o(a) aluno(a) não tocar o objeto

nomeado dizer “Toque

(nomear

o objeto)” e orientar fisi-

camente o(a) aluno(a) para tocar o objeto nomeado. Pontuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pontuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

www.stimuluspublications.com The Autism Skill Acquisition Program™

The Autism Skill Acquisition Program™

28

foi utilizada. Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com The Autism Skill Acquisition Program™ 28

Instrução Receptiva Acompanhada de Selecionar entre Figuras de Itens Comuns Compatível com ABBLS ®-R Código C14

Nome do(a) aluno(a):

 

Data de início:

 

Objetivo:

Quando o(a) professor(a) apresenta múltiplas figuras de objetos e diz

“Toque

(nomear

a figura do objeto)”, o(a) aluno(a) tocará a figura

nomeada

Pessoa Que Realiza o Objetivo:

 

Contexto / Ambien- te:

 

Materiais:

 

Reforços:

 

Referência:

Ao mesmo tempo, apresentar múltiplas figuras de objetos ao(à) alu-

no(a) e dizer “Toque

(nomear

a figura)”. Aguardar 5 segundos

por uma resposta. Uma resposta correta é pontuada com (+) se o(a) aluno(a) tocar a figura nomeada – não reforçar. Passar para a pró- xima tentativa. Uma resposta incorreta é pontuada com (-) se o(a) aluno(a) não tocar a figura nomeada – não incentivar. Passar para a próxima tentativa.

Procedimentos de Ensino:

Ao mesmo tempo, apresentar múltiplas figuras de objetos na frente

do(a) aluno(a) e dizer “Toque

(nomear

a figura)”. Aguardar 5

 

segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a) tocar a figura nomea-

da, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a) não tocar a figura no-

meada, dizer “Toque

(nomear

a figura)” e apontar para a figura

nomeada. Aguardar 5 segundos por uma resposta. Se o(a) aluno(a)

tocar a figura nomeada, elogiar e fornecer reforço. Se o(a) aluno(a)

não tocar a figura nomeada dizer “Toque

(nomear

a figura)” e

orientar fisicamente o(a) aluno(a) para tocar a figura nomeada. Pon- tuar V para resposta correta que seguiu a motivação verbal. Pontuar M se a resposta correta ocorreu após motivação com exemplo. Pon- tuar com P se a orientação física foi utilizada.

Metas Adicionais:

 

www.stimuluspublications.com

 

69

The Autism Skill Acquisition Program™

Metas Adicionais:   www.stimuluspublications.com   69 The Autism Skill Acquisition Program™ 29