Você está na página 1de 35

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

ENGENHARIA DA PRODUÇÃO

JORGE GAMBOA BARBOSA

ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PRODUTO

Eunápolis-BA
2019
JORGE GAMBOA BARBOSA

ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PRODUTO

Trabalho de Conclusão de Curso – Etapa I, apresentado


à Universidade Pitágoras Unopar, como requisito parcial
para a obtenção do título de Bacharel em Engenharia de
Produção.

Orientadora: Camille Chaves Vicente

Eunápolis-BA
2019
Dedico este trabalho a
Deus por ter me abençoado gloriosamente, à minha
esposa e filha que me acompanharam nessa jornada.
AGRADECIMENTOS

Agradeço a minha orientadora por ter me ajudado na elaboração


deste trabalho, ao meu tutor de sala o Sr. Saulo Santos Oliveira pela sua
contribuição.

À minha adorável esposa por ter me encorajado a nunca desistir e


principalmente a minha filha que esteve presente nos momentos em que eu me
tornava ausente em sua vida.

Agradeço a todos os outros membros da minha família que mesmo


distantes me cederam forças contribuindo para esse momento e por fim, a Deus por
nunca ter me abandonado e ter me abençoado com saúde e sabedoria.
“O universo conspira a favor de quem produz bondade”.
(Rômullo Quirino)
GAMBOA BARBOSA, Jorge. Elaboração de Projeto de Produto. 2019. 35 páginas.
Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia de Produção) – Centro de Ciências
Empresariais e Sociais Aplicadas, Universidade Pitágoras Unopar, Eunápolis-BA,
2019.

RESUMO

Este trabalho representa alguns conceitos importantes na elaboração de Projeto por


subsídio de gerenciamento de projeto, por intermédio da revisão bibliográfica. O
tema foi proposto para elevar o nível de conhecimento acerca de elaboração de
projeto de produto, contribuindo com conceitos sobre vertentes importantes que são
intrínsecas ao gerenciamento de projetos. O gerenciamento de projeto exerce
profundamente o papel na orientação de desenvolvimento de produto ou serviço,
influenciando de forma favorável no produto final. No século em que vivemos não faz
sentido pensar em produto sem antes imaginar um projeto, este estudo traz à tona
os conceitos teóricos de orientação sobre projetos, com intuito de elucidar esse
vislumbre. Uma das ferramentas importantes no que tange ao planejamento é o
DPCA, hoje cada vez mais é difundido nas organizações e nos estudos, visto que o
seu impacto sempre será positivo, sempre será bem visto na ótica de projetos. De
forma simples haverá um aprofundamento nas áreas de gerenciamento de projeto e
suas influências na elaboração de projeto de produtos, viabilizado com todos outros
conceitos através da metodologia básica exploratória, cujas informações estão
referenciadas neste estudo, os resultados são apresentados de forma interpretativa
de origem qualitativa, ao longo deste estudo.

Palavras-chave: Produto. Gerenciamento. PDCA. Planejamento. Projeto.


GAMBOA BARBOSA, Jorge. Elaboração de Projeto de Produto. 2019. 35 páginas.
Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia de Produção) – Centro de Ciências
Empresariais e Sociais Aplicadas, Universidade Pitágoras Unopar, Eunápolis-BA,
2019.

ABSTRACT

This work represents some important projects in the elaboration of a project


management project, through the bibliographic review. The theme was proposed to
raise the level of knowledge about product design, contributing with concepts about
important aspects that are inherent in project management. The management of
project oriented the paper in the orientation of development and product, influencing
the formal for commercial product. In the century in which we live it does not make
sense to think of a product without first imagining a project, this study brings up the
theoretical concepts of project orientation, in order to elucidate this glimpse. Most of
the tools are important for DPCA planning, today it is becoming more widespread in
organizations and studies, since the impact will always be positive, it will always be
seen from a project perspective. The perspectives are an advance in the areas of
project study and its influences in the evolution of the research project, made
possible with the means of permanent control in an interpretive way, throughout this
study.

Key-words: Product. Management. PDCA. Planning. Project.


LISTA DE FIGURAS

Figura 01: Processo de desenvolvimento de produto simplificado ............................ 15


Figura 02: As 6 etapas essenciais da criação de produto ......................................... 17
Figura 03: O que buscar em um novo produto .......................................................... 19
Figura 04: Cinco fases observadas na elaboração de um Projeto Conceitual .......... 19
Figura 05: Ciclo de vida do produto........................................................................... 22
Figura 05: Elementos de pós-desenvolvimento......................................................... 25
Figura 07: Áreas de conhecimento do gerenciamento de projeto ............................. 27
Figura 08: Visão do ciclo de vida do projeto .............................................................. 29
Figura 09: Níveis típicos de custo e pessoal em toda a estrutura genérica do ciclo de
vida de um projeto ..................................................................................................... 30
LISTA DE QUADROS

Quadro 01: Fases de projeto de produtos correlacionadas com as fases do


PDCA ........................................................................................................................ 14
Quadro 02: Documentos que compõem o projeto detalhado conforme o
PMBOK ..................................................................................................................... 20
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

PDP Processo de Desenvolvimento de Produto

PDCA Planejar, Executar, Checar e Agir (Plan/ Do/ Check/ Act)

SWOT Análise das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças (strengths,


weaknesses, opportunities e threats)

EAP Estrutura Analítica de Projetos

PMBOK Project Management Body of Knowledge

DP Desenvolvimento de Produto
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................................... 13
2 JUSTIFICATIVA ................................................................................................. 14
3 PROBLEMA ....................................................................................................... 15
4 OBJETIVO ......................................................................................................... 16
5 DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO............................................................... 17
5.1 PRÉ-DESENVOLVIMENTO ........................................................................... 20
5.2 DESENVOLVIMENTO .................................................................................... 21
5.2.1 PROJETO CONCEITUAL ........................................................................... 23
5.2.2 PROJETO DETALHADO ............................................................................ 23
5.2.3 PREPARAÇÃO PARA PRODUÇÃO E LANÇAMENTO.............................. 25
5.3 PÓS DESENVOLVIMENTO ........................................................................... 28
6 ÁREAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO E SUA INFLUÊNCIA PARA O
DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO ...................................................................... 30
CONCLUSÃO............................................................................................................ 35
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 36
13

1 INTRODUÇÃO

A busca incessante em desenvolver novos produtos eleva o ser


humano em níveis intelectuais inimagináveis, as concepções oriundas de
fundamentos estruturados em projetos com inteligência, alavanca o sucesso de um
desenvolvimento de produto propínquo à perfeição.
Para Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 192):

Muitas empresas, independentemente do segmento em que atuam,


desenvolvem projetos de produtos e de processos constantemente em
busca de sua sobrevivência e até mesmo para o aumento de sua
competitividade diante do mercado.

Na ótica atual no que tange aos aspectos de elaboração de produto,


o projeto é primordial, não devendo ser excêntrico dos elementos que irão lapidar os
resultados planejados.
É importante destacar que:
Cada projeto cria um produto, serviço ou resultado único. O resultado do
projeto pode ser tangível ou intangível. Embora elementos repetitivos
possam estar presentes em algumas entregas e atividades do projeto, esta
repetição não muda as características fundamentais e exclusivas do
trabalho do projeto (PMBOK, 2013).

Um projeto sem gerenciamento não faz sentido no contexto atual, a


presença de um elemento humano com expertise para gerir um projeto é tão
importante que não faz sentido questionar o que seria mais valioso, o projeto ou o
gerenciamento de projeto, ambos são indivisíveis.
A aceitação do gerenciamento de projetos como uma profissão
indica que a aplicação do conhecimento, processos, habilidades, ferramentas e
técnicas pode ter um impacto significativo no sucesso do projeto (PMBOK, 2013).

Por intermédio do cenário atual, este trabalho visa denotar um


conteúdo que proporcione clareza ao vislumbre sobre projeto de elaboração de
produto, utilizando os conceitos básicos, porém técnicos, precedidos pela ótica de
gerenciamento de projetos.
14

2 JUSTIFICATIVA

No Brasil tem se observado que em todos os anos diversas


empresas encerram o seu ciclo de vida, geralmente devido ao fracasso, isto remete
à vários fatores, inclusive pessoais, mas não podemos deixar de citar que o principal
deles é a falta de um projeto bem elaborado e o exercício de planejamento rotineiro.
O fator pessoal que implica no fracasso está ligado diretamente a falta de
conhecimento específico que é primordial na qualificação e capacitação para os
negócios.
Compreender os problemas que promovem o fracasso nas
empresas, é a real motivação da realização deste trabalho, diante deste cenário o
autor pretende esclarecer que, para distanciar a organização do fracasso é
necessário aproximá-lo do planejamento. Os meios para solução da falta de projeto
de produto e aplicação das técnicas de gerenciamento de projeto é a exposição das
estruturas que possibilitam a formação dos processos de conhecimentos teóricos
fundamentais, formando os caminhos para à excelência.
15

3 PROBLEMA

O problema objeto de discussão deste trabalho é a ausência de


práticas relacionadas à elaboração de projeto e planejamento, elementos
fundamentais que devem existir para desenvolver um produto ou serviço. As
pesquisas realizadas para consolidação deste trabalho foram direcionadas aos
assuntos no intuito de compreender os problemas de desenvolvimento de produtos.
É importante a realização das pesquisas acerca deste assunto, pois,
há resultados que permitem conhecimentos que irão promover reflexões positivas
sobre o assunto.
Todos que compreenderem os assuntos citados neste trabalho irão
se beneficiar, pois a vida humana não faz sentido sem planejamento e
desenvolvimento, os conhecimentos originados neste trabalho serão independentes
de sua área de atuação pois será de grande valia em qualquer segmento, atuação e
pretensão.
16

4 OBJETIVO

Este trabalho foi elaborado considerando conceitos simples, porém


muito importantes na área de desenvolvimento de produto, esclarecendo que é
fundamental exercer a prática de planejamento antes de um realizar o
desenvolvimento de qualquer produto e acompanhar o seu andamento. O principal
objetivo da elaboração deste trabalho é apresentar de forma simples que os
conhecimentos sobre as técnicas de desenvolvimento de produto e gerenciamento
de projetos são elementos fundamentais para resulta um produto bem elaborado
que satisfaça os requisitos determinados.
17

5 DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO

Um produto utiliza vários elementos para proporcionar sua


elaboração, as etapas para esse desenvolvimento simbolizam uma organização de
estruturação de projetos, são fundamentos sincronizados, direcionam os caminhos a
serem percorridos até a chegada (o produto).
Para Filho (2004):
A atividade projetual, como compreendida nos dias de hoje, é
relativamente recente. As formas de organização e condições do
trabalho trazidas pela aplicação de metodologias e ferramentas de
projeto, a necessidade de interação de diferentes competências em
equipes multidisciplinares são respostas das empresas às demandas
cada vez mais sofisticadas por parte de usuários, que tem seu poder
de barganha progressivamente consolidado, seja pelas novas
condições de mercado, pela globalização de produtos e dos meios
de produção ou por novas regras de legislação que buscam proteger
os direitos dos consumidores diante da indústria.
Neste contexto, não cabem mais métodos intuitivos ou não
estruturados de projeto, mas sim a aplicação de novos e sofisticados
conjuntos de procedimentos para desenvolvimento de produtos.
Discutir o processo que levou a esta nova situação, bem como
apresentar uma contribuição à reflexão sobre o tema.
18

Quadro 01: Fases de projeto de produtos correlacionadas com as fases do


PDCA.
Macro fases do Fase do projeto de
Fase do PDCA
projeto de produtos produtos
Identificação e seleção
de oportunidades
Pré-desenvolvimento Geração de conceitos P (plan / planejar)
Avaliação de
conceitos/projetos

Projeto conceitual

Projeto detalhado
Desenvolvimento D (do / fazer)
Preparação da produção

Lançamento do produto

Acompanhamento do
projeto C (check / checar) e
Pós-desenvolvimento
Acompanhamento do A (act / agir)
lançamento
Fonte: Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 192).

É observado que:

Historicamente, os fatores de sucesso ou fracasso de um novo produto


estavam ligados à previsibilidade e criatividade. Ao longo da história, sabe-
se que o desempenho do desenvolvimento de um produto depende também
das práticas de gestão adotadas. Sendo assim, uma ferramenta de gestão
eficiente nesse processo é o ciclo PDCA – Plan, Do, Check, Act. Ou seja, é
possível obter sucesso nesse processo quando se planeja, executa,
controla e melhora continuamente as atividades em busca de melhores
resultados (ARAUJO; GARCIA; MARTINES, 2016).

É relevante conhecer que:


Para o estudo de desenvolvimento de produtos é imprescindível ter um
contato inicial com alguns conhecimentos prévios. Dentre eles, o conceito
de produto ciclo de vida do produto e projeto. Inicialmente, é necessário o
entendimento do conceito de produto, considerando seu envolvimento com
a produção e com o consumidor Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 192).
19

O desenvolvimento do produto também envolve o acompanhamento


do produto após o lançamento, para realizar mudanças necessárias decorrentes de
sua utilização e planejar a sua descontinuidade, envolvendo, assim, todo ciclo de
vida do produto. Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 192).
No geral os produtos são basicamente uma ideia, ela foi pensada e
desenvolvida, existem ferramentas e meios alternativos que auxiliam na condução
desse caminho com sucesso.

Figura 01: Processo de desenvolvimento de produto simplificado

Fonte: Adaptado de <https://pt.dreamstime.com>. Acesso em: 03 mai 2019.

O desenvolvimento de produto é traçado por fases, o


desenvolvimento propriamente dito já é considerado um projeto e todo projeto é
fragmentado para que seja possível alcançar um objetivo maior, o sucesso.

O PMBOK 5ª edição (2013) estabelece que:


Um projeto pode ser dividido em qualquer número de fases. A fase de um
projeto é um conjunto de atividades relacionadas de maneira lógica que
culmina na conclusão de uma ou mais entregas. As fases do projeto são
usadas quando a natureza do trabalho a ser executado é única para uma
parte do projeto, e são normalmente ligadas visando o desenvolvimento de
uma entrega principal específica. Uma fase pode enfatizar os processos de
um grupo específico de processos de gerenciamento do projeto, mas é
provável que a maioria ou todos os processos serão executados de alguma
forma em cada fase. Geralmente as fases são terminadas sequencialmente,
mas podem se sobrepor em algumas situações do projeto. Fases distintas
normalmente têm durações ou esforços diferentes.
20

5.1 PRÉ-DESENVOLVIMENTO

A fase de pré-desenvolvimento é crucial para o resultar final do


produto, é o carro chefe. É importante que o produto a ser projetado, seja
consolidado por intermédio de questionamentos que poderão alavancar as vertentes
acerca de sua viabilidade.
Para Abrantes (2019):
Qual é o seu objetivo com a criação de determinado item?
Existe a possibilidade de as pessoas se interessarem pelo projeto?
Qual será a tecnologia aplicada?
Existe algum requisito?
A funcionalidade é algo que faz parte da criação?
Trata-se de uma inovação?
Esses são alguns dos questionamentos que devem ser feitos, no intuito de
estudar a viabilidade da proposta. Porque mesmo uma ideia genial deve se
enquadrar nos critérios mercadológicos, tendo em vista que a criação de um
produto é implementada para suprir necessidades e criar desejos.
A geração de ideias abri um horizonte de possibilidades, o fato é que
as ideias a serem transformadas em produtos remete ao pré-desenvolvimento, se
tornando um passo importante nessa etapa.

Lopes (2018) destaca que:


Com o grande desenvolvimento tecnológico, muitas empresas já não
conseguem competir baseadas apenas na qualidade ou nos custos dos
produtos oferecidos. Com a segmentação cada vez maior dos mercados,
oferecer inovações contínuas aos consumidores tornou-se um diferencial
competitivo.

Deve ser considerado no pré-dimensionamento, características


diferenciadas no produto que o torne viável, existem algumas vertentes que
definitivamente são utilizadas para firmar um conceito mais assertivo que antecede o
desenvolvimento de produto, a figura 02 denota esses elementos de forma sucinta.
21

Figura 02: As 6 etapas essenciais da criação de produto

Fonte: Adaptado de < http://startupsdobrasil.com.br/desenvolvimento-de-um-produto/>. Acesso em:


02 mai 2019.

5.2 DESENVOLVIMENTO

Qualquer produto a ser desenvolvido com sucesso, somente será


possível, se houver a implantação e implementação de um bom planejamento.

Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 31) definem que:


O início do desenvolvimento de produtos envolve processos de
planejamento, definição e análise de conceitos. Sendo assim, em um
próximo momento, é iniciada a macro-fase do desenvolvimento
propriamente dito, que é subdividida em: projeto conceitual, projeto
detalhado, preparação da produção e lançamento do produto.
Nessa fase é crucial analisar com afinco cada subdivisão, as falhas
são mais suscetíveis no processo de desenvolvimento de produto. O PDCA deve
existir nessa etapa para contribuir com acréscimo de boas práticas e auxiliar na
redução de falhas, a qualidade é intrínseca nesses momentos.
22

Para Vargas (2019):


A Organização deve buscar sempre em um novo produto, um novo
lançamento, suprir as seguintes demandas:

Melhorar a qualidade: Sempre podemos melhorar a qualidade, sempre


existe algum aprendizado que nos permite melhorar continuamente o
produto.
Reduzir os custos de fabricação: Reduzir os custos de fabricação é uma das
formas de aumentar a margem de contribuição do produto e,
consequentemente aumentar a competividade.
Agregar características: A inclusão de novas características no produto,
aumenta a possibilidade de aceitação perante o cliente, porque mais
necessidades serão supridas.
Aumentar a abrangência do portfólio: Em algumas situações, o lançamento
visa suprir uma lacuna no portfólio de produtos que, após discussão dentro
do Planejamento Estratégico da Organização, resultou na decisão de seu
lançamento.
Inovar: O produto que inova é aquele que cria uma nova dimensão de
utilização, um novo conceito, muitas vezes atendendo a demandas ainda
não detectadas pelo cliente. Ou em outros casos, atendendo a demandas
que nenhum outro produto atende.
Um novo produto deve apresentar características importantes para
justificar a sua permanência no mercado e elevar mais tempo no ciclo de vida.

Figura 03: O que buscar em um novo produto

Fonte: https://gestaoindustrial.com/desenvolvimento-do-produto/.
23

5.2.1 PROJETO CONCEITUAL

Segundo Antunes (2011):


O Projeto Conceitual é a validação de uma ideia, ou seja, é a confirmação
de que a melhor solução está sendo proposta para atender a determinado
requerimento ou necessidade nas diversas áreas de uma planta industrial.
É, portanto, a fase inicial do processo de projeto de um produto ou
instalação. É através dele que são concebidas as maneiras de solução
para um determinado problema ou necessidade.

Figura 04: Cinco fases observadas na elaboração de um Projeto Conceitual

Fonte: http://meiofiltrante.com.br/edicoes.asp?id=743&link=ultima&fase=C.

O projeto conceitual de certa forma representa o produto e suas


características, em determinados processos de desenvolvimento pode ser instável,
porém alterável, a filosofia de melhoria contínua certamente é um elemento
importante a ser aplicado nessa fase, para garantir um bom resultado.

5.2.2 PROJETO DETALHADO

Para Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 31):


A partir das informações geradas pela macrofase de pré-desenvolvimento,
ocorre a fase de desenvolvimento, e essas informações são documentadas
no plano do projeto, o qual é composto por: escopo do projeto, escopo do
produto (conceito do produto), etapas de produção e sua duração, prazos
de entrega, orçamentos, responsáveis por cada etapa, recursos
necessários, especificações do produto durante a produção para avaliação
da qualidade, considerando as normas a serem atendidas, indicadores de
desempenho, entre outras informações específicas de cada projeto.
(KEELING, 2012).
24

O resultado do ciclo de vida do produto está ligado ao detalhamento


de projeto, essa fase dá suporte e conhecimento para originar as etapas de
preparação para produção e lançamento, sem detalhamento de um projeto,
certamente não seria possível definir as características de um produto e suas
funcionalidades com antecipação.

Quadro 02: Documentos que compõem o projeto detalhado conforme o PMBOK


Documento Descrição
Termo de Abertura do Documento que apresenta os objetivos, as vantagens e os resultados
Projeto esperados do projeto.
Registro de Stakeholders Apresenta as partes interessadas do projeto.
Apresenta a entrega do projeto, ou seja, o produto. Apresentando desde
Declaração de Escopo
documentos até o produto final do projeto. Possui todas as especificações
do Projeto
do produto a ser entregue, como: tamanho, cor, formato, peso etc.
Estrutura Analítica do Quadro que apresenta as atividades de forma gráfica, utilizado a fim de
Projeto (EAP) facilitar a comunicação e a visão geral do projeto.
Cronograma Lista das tarefas com suas durações, dependências, recursos alocados
etc.
Orçamento Previsão de custos e de fluxo de caixa do projeto.
Plano da Qualidade Documenta o tipo de controle de qualidade ou padrões que deverão ser
atendidos, como a ISO 9000.
Plano de Recursos Apresenta todos os recursos financeiros, humanos, equipamentos,
instalações, entre outros necessários.
Matriz de Funções e Matriz denominada RACI, contendo os nomes e as funções de cada um
Responsabilidades dos responsáveis por cada atividade do projeto.
Documenta os tipos de informações necessárias aos envolvidos,
Plano de Comunicações apresentando a forma de distribuição para cada uma das informações (e-
mail, telefone, apresentações etc.).
Plano de Gerenciamento Apresenta todos os riscos do projeto, suas análises, bem como as ações
de Riscos preventivas e corretivas para cada um dos riscos.
Plano de Gerenciamento Registra todas as compras ou aquisições necessárias de forma detalhada,
das Aquisições informando como serão realizadas.

Fonte: Trentim (2014) por Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 35).


25

5.2.3 PREPARAÇÃO PARA PRODUÇÃO E LANÇAMENTO

Nessa fase inicia-se o processo de produção e posterior o seu


lançamento no mercado de trabalho, nesse processo é considerável que haja à
análise do ciclo de vida do produto, tornado essa informação um critério de
conhecimento importante para iniciar a produção e garantir o seu lançamento no
mercado de trabalho.
Filho (2006) denota sobre o ciclo de vida do produto da seguinte
forma:
Pode–se dizer que o produto, em uma analogia com os seres vivos, passa
por quatro etapas de desenvolvimento: introdução (nascimento),
crescimento, maturação e declínio. Cada estágio apresenta as seguintes
características.
 Etapa introdutória: caracteriza-se pelas elevadas despesas de
promoção e pelo grande esforço por tornar a marca reconhecida pelo
mercado. Nesta etapa, os preços costumam ser mais altos em razão da
baixa produtividade e custos tecnológicos de produção e as margens são
apertadas em função do valor que o mercado se dispõe a pagar.
 Etapa de Crescimento: ocorre a partir do momento em que a
demanda pelo produto aumenta. A relação entre promoção e vendas
melhora em função do aumento nas vendas.
 Etapa de Maturação: neste estágio, a taxa de crescimento das
vendas diminui e tende a se estabilizar, pois o consumidor já se acostumou
ao produto e começa a pressionar por redução de preços. É um momento
em que as vendas brutas se mantêm no nível do crescimento do mercado.
 Etapa de Declínio: esta etapa marca o processo de desaparecimento
do produto no mercado em função do declínio insustentável nas vendas. A
velocidade com que isso ocorre depende de características do produto.
Produtos que incorporam muita tecnologia tendem a decair mais
rapidamente e normalmente são retirados do mercado pelo fabricante.
Desta forma, é possível especificar em qual estágio do ciclo de vida
encontram-se os produtos da sua empresa, bem como o de concorrentes.
Pode-se assim promover um interessante mapeamento do mercado atual,
dos produtos fabricados e de sua posição no mercado (bem como da
situação da própria empresa).
26

Figura 05: Ciclo de vida do produto

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Ciclo_vida_produto.png.

A preparação para produção remete à organização de sequências


com ideais voltado para o produto projetado, de modo que seja possível o seu
desenvolvido respeitando os requisitos mínimos de qualidade, o fato é que a
produção precede de processos de manufatura e serviços, cada um deles
apresentam uma característica distinta. O processo a ser escolhido dever ser
definido no detalhamento de projeto, é coerente viabilizar um determinado processo
após uma análise minuciosa, pois a produção utiliza recursos importantes, tipo,
espaço, tempo e mão de obra.
Meire (2013) cita que:
As operações de manufatura e serviços tem relação direta com o
volume e variedade do produto ou serviço produzido. Operações de baixo volume
apresentam uma alta variedade e vice-versa, portanto, cada tipo de processo em
manufatura ou serviço implica na forma de como as atividades das operações são
organizadas, levando-se em conta seu volume e variedade.
Os tipos de processos em manufatura são:

 Processos de projeto: este tipo de processo trabalha com


itens discretos e customizados, com início e fim bem
definidos, o que representa um período relativamente longo
de produção. Tem como característica baixo volume e alta
variedade e geralmente o produto fabricado é único.
27

 Processos de jobbing: os processos de jobbing também


possuem como característica baixo volume e alta variedade,
mas enquanto que em processos de projeto cada produto
possui recursos especificamente para ele, em processos de
jobbing os recursos da produção são divididos entre eles. A
operação processa uma série de produtos que diferirão entre
si por suas características.

 Processos em lotes: como o próprio nome diz, os produtos


são fabricados em lotes. Possuem como característica alto
volume e baixa variedade.

 Processos de produção em massa: também possuem como


característica alto volume e baixa variedade, mas apresentam
um volume ainda maior do que os processos em lotes.

 Processos contínuos: os processos contínuos situam-se além


dos processos de produção em massa, pelo fato de operarem
em volumes ainda maiores e variedades muito baixas, pois
trabalham em um processo ininterrupto devido as
características da operação.

Os tipos de processos em serviços são:

 Serviços profissionais: serviços profissionais apresentam um


baixo volume e alta variedade devido ao seu alto nível de
customização, sendo que é adaptado para atender às
necessidades individuais dos clientes. São baseados em
pessoas, com ênfase no processo.

 Serviços de massa: serviços de massa apresentam alto


volume e baixa variedade. São baseados em equipamentos
28

com orientação para o produto. Como não é um serviço


profissional, deve seguir procedimentos preestabelecidos.
 Lojas de serviços: as lojas de serviços encontram-se entre os
serviços profissionais e os de massa, pois são caracterizadas
por níveis de contato com o cliente, customização, volumes
de clientes e liberdade de decisão.
O produto antes de ser lançado deve ser testado, dessa forma
(BAXTER, 2011, p. 325) destaca que:
A decisão sobre o uso ou não de protótipos para comunicação ou para
desenvolvimento de projeto é relativamente simples. Você sabe o que deve
ser comunicado e aquém essa comunicação deve ser dirigida. Você está
em condições de decidir se o esforço para construir o protótipo para teste de
falha em produto é mais complicado. As falhas podem ocorrer fora do seu
controle
Se após teste o produto apresentar falhas. A análise das falhas é um
método para estimar as falhas potenciais de um produto, avaliando-se a sua
importância relativa (BAXTER, 2011, p. 329).

5.3 PÓS DESENVOLVIMENTO

Para (EMAZE, 2016):


Compreende a retirada sistemática do produto do mercado e, finalmente,
uma avaliação de todo o ciclo de vida do produto, para que as experiências
contrapostas ao que foi planejado anteriormente sirvam de referência a
desenvolvimento futuros. /Início: Produto lançado. /Fim: Produto retirado do
mercado. /Acompanha o produto e o processo: realiza atualizações, propor
melhorias, compilar lições aprendidas. Retirar o produto do mercado:
Preparar a retirada, e implementar a retirada.
Essa fase compreende o acompanhamento do desenvolvimento do
produto por intermédio de três importante elementos, acompanhamento do
desenvolvimento, acompanhamento pós-lançamento do produto, o início e o fim do
pós-desenvolvimento esses são fatores que afetam o desempenho de projetos de
produtos, essas vertentes direcionam um rumo ao produto podendo ser positivo ou
negativo, isso dependerá no nível de controle acerca desses elementos.
29

Figura 06: Elementos de pós-desenvolvimento

Fonte: Elaborador pelo autor, de Paula, Cardoso e Woitas (2018, p. 46).

Após o lançamento do produto, é importante avaliar a aceitação do


público-alvo perante à novidade, o que envolve adaptação de comunicação ou
estrutura, caso receba avaliações negativas (Editorial Dom Bosco, 2018).
30

6 ÁREAS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO E SUA INFLUÊNCIA PARA O


DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO

Gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos,


habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de cumprir os seus
requisitos. A aplicação do conhecimento requer o gerenciamento eficaz dos
processos de gerenciamento do projeto (PMBOK 5ª edição, pág. 47).

Para (VALERIANO, 2015):


É importante destacar a abrangência da expressão objetivo do projeto,
atentando para o fato de que ela se refere a produto e a serviço, mas
acrescenta mais um resultado. Todos se lembram do objetivo do Projeto
Apolo: "colocar um homem na Lua até o fim da década"², definido pelo
presidente dos EUA em rede de comunicação mundial. Mas o objetivo era
muito mais elo que isso: era alcançar o pioneirismo na corrida espacial,
obter elevada capacitação de equipes de projeto e de construção de
requintados produtos, inclusive de aplicação militar. Os subprodutos obtidos
foram de alto valor comercial em seus desdobramentos em aplicações
várias, de comunicações a sustentação da vida em ambiente adverso etc.

PMBOK 5ª edição, pág. 48:


Os processos de gerenciamento de projetos são aplicados globalmente e
nos mais variados setores econômicos e indústrias. “Boa Prática” significa
que existe um acordo geral de que a aplicação dos processos de
gerenciamento de projetos pode aumentar as chances de sucesso em uma
ampla gama de projetos. Boa prática não significa que os conhecimentos,
habilidades e os processos descritos devem ser sempre aplicados de forma
uniforme em todos os projetos. Para qualquer projeto específico, o gerente
do projeto, em colaboração com a equipe do projeto, é sempre responsável
por determinar quais processos são apropriados e o grau apropriado de
rigor para cada um.
31

Figura 07: Áreas de conhecimento do gerenciamento de projeto

Fonte: Elaborado pelo autor.

As áreas de gerenciamento de projetos causam influências na


elaboração de projeto de produtos conforme a sua organização, nitidamente é
possível analisar esses aspectos definidos por (VARGAS, 2018):

Gerenciamento da integração – Área que engloba os processos requeridos para


assegurar que todos os elementos do projeto sejam adequadamente coordenados e
integrados, garantindo que o seu todo seja sempre beneficiado.

Gerenciamento do Escopo – Área que engloba os processos necessários para


assegurar que, no projeto, esteja incluído todo o trabalho requerido, e somente o
trabalho requerido, para concluí-lo de maneira bem-sucedida.

Gerenciamento do Cronograma (tempo) – Área que engloba os processos


necessários para assegurara conclusão do projeto no prazo previsto. É uma das
áreas visíveis do gerenciamento de projetos.

Gerenciamento dos Custos – Área que engloba os processos requeridos para


assegurar que um projeto seja concluído de acordo com seu orçamento previsto.
32

Gerenciamento da Qualidade – Área que engloba os processos requeridos para


assegurar que os produtos ou serviços do projeto estarão em conformidade com o
solicitado pelo cliente ou contratante.

Gerenciamento dos Recursos – Área que engloba os processos requeridos para


fazer uso mais efetivo dos recursos do projeto (materiais, equipamentos e pessoas).

Gerenciamento das Comunicações – Área que engloba os processos requeridos


para assegurar que as informações do projeto sejam adequadamente obtidas
disseminadas.

Gerenciamento dos Riscos – Área que visa planejar, identificar, qualificar,


quantificar, responder e monitorar os riscos do projeto.

Gerenciamento das Aquisições – Área que engloba os processos requeridos para


adquirir bens e serviços de fora da organização promotora. Também conhecido
como gerenciamento de suprimentos ou contratos.

Gerenciamento das Partes Interessadas – Área que engloba os processos


requeridos para garantir que as partes interessadas no projeto (fornecedores,
equipe, patrocinador, comunidade etc.) sejam identificadas, avaliadas e
estrategicamente gerenciadas.

Visto que os projetos são temporários em natureza, seu sucesso


deve ser medido em termos da sua conclusão dentro das restrições de escopo,
tempo, custo, qualidade, recursos e risco (Pág. 35 PMBOK 5ª edição).
33

Figura 08: Visão do ciclo de vida do projeto

Fonte: (VARGAS, 2018).

Ciclo de vida do projeto é a série de fases pelas quais um projeto


passa, do início ao término. As fases são geralmente sequenciais e os seus nomes e
números são determinados pelas necessidades de gerenciamento e controle das
organizações envolvidas no projeto, a natureza do projeto em si e sua área de
aplicação.
As fases podem ser desmembradas por objetivos funcionais ou
parciais, resultados ou entregas intermediárias, marcos específicos no escopo geral
do trabalho, ou disponibilidade financeira. As fases são geralmente limitadas pelo
tempo, com um início e término ou ponto de controle. Um ciclo de vida pode ser
documentado em uma metodologia. O ciclo de vida do projeto pode ser definido ou
moldado de acordo com aspectos exclusivos da organização, setor ou tecnologia
empregada. Embora todos os projetos tenham um início e um fim definidos, as
entregas e atividades específicas conduzidas neste ínterim poderão variar muito de
acordo com o projeto.
O ciclo de vida oferece uma estrutura básica para o gerenciamento
do projeto, independentemente do trabalho específico envolvido (Pág. 38 PMBOK 5ª
edição).
34

Figura 09: Níveis típicos de custo e pessoal em toda a estrutura genérica do ciclo de
vida de um projeto

Fonte: PMBOK 5ª edição.

É importante ressaltar que na maioria das vezes um projeto é


desenvolvido em etapas, ou seja, enquanto a execução de um conjunto de trabalho
acontece, uma outra parte dos trabalhos pode ainda estar sendo planejada
(VARGAS, 2018).

As áreas de gerenciamento de projetos possuem características


técnicas bem definidas, a ponto de fornecer todo suporte em conceito teórico para
elaborar qualquer projeto de produto.
35

CONCLUSÃO

Qualquer objeto - um parafuso, um prédio, um avião - concebido


pelo homem é um produto. Neste caso, o importante para o desenvolvimento da
atividade projetual não é necessariamente o produto a\ser desenvolvido, mas o rigor
e a consistência do método utilizado. Filho (2004).
Como vimos, as operações que possuem uma alta variedade de
produtos e serviços, consequentemente apresentarão um baixo volume devido ao
fato de que não tem como trabalhar com grandes quantidades quando a operação
exige atenção a detalhes. Desta forma, é improvável trabalharmos com alto
volume/alta variedade e baixo volume/baixa variedade. Meire (2013).
A pesquisa de mercado é importantíssima em todos os processos de
PDP, porque ela permite corrigir problemas que possam surgir quando o produto
estiver ativo. Quanto antes os problemas forem identificados, mais lucrativo sairá
para a empresa (Editorial Dom Bosco, 2018).
É possível compreender a importância sobre as áreas de
gerenciamento do projeto, a serem aplicadas no desenvolvimento de produtos, é
possível absorver conceitos bem definidos que devem preceder a elaboração de
projeto de produto, dessa forma as probabilidades de sucesso do projeto serão
maiores.
Foi visto que o produto é resultado de um projeto na ótica do
planejamento, nada é feito por a caso, no cenário mercadológico a sobrevivência
dependerá da inteligência, que no geral é utilizada para desenvolver algo útil para à
vida humana, é a principal justificativa para se produzir um produto, satisfazer as
necessidades dos clientes.
36

REFERÊNCIAS

VARGAS, Ricardo Viana. Gerenciamento de projetos: Estabelecendo diferenciais


competitivos. 9º Edição. Rio de Janeiro-RJ: Brasport Livros e Multimídia Ltda, 2018.

EMAZE, Fases, Apresentação Pré-Projeto. “Gestão do gabinete de estética –


Marina beauty” Micael Faleiro Nº7 Nicole Gomes Nº8 12ºP2 2016. Disponível em: <
https://www.emaze.com/@AOOTIITZ/Aprese

nta%C3%A7%C3%A3o-Pr%C3%A9-Projeto.pptx&gt>. Acesso em: 10 mai. 2019.

Editorial Dom Bosco, 2018. O que é o processo de desenvolvimento de


produtos? Disponível em: < https://www.domboscoead.com.br/pos-graduacao/no
ticias/o-que-e-o-processo-de-desenvolvimento-de-produtos/624>. Acesso em: 10
mai. 2019.

ABRANTES, Letícia. 6 passos para se destacar na hora do desenvolvimento de


produtos. Saia do lugar. Disponível em: <https://saiadolugar.com.br/desenvolvimen
to-de-produtos/>. Acesso em: 02 mai. 2019.

LOPES, Aleson. Desenvolvimento de um produto: as 6 etapas essenciais da


criação. Startups do Brasil. Disponível em: < http://startupsdobrasil.com.br/desenvol
vimento-de-um-produto/>. Acesso em: 02 mai. 2019.

Romeiro Filho, Eduardo. 2006. Projeto do Produto - Apostila do Curso. Segundo semestre
de 2006. 8ª Edição. Belo Horizonte

CORRÊA, Jonathan. O que são Processos produtivos? Disponível


em:<https://administradores.com.br/producao-academica/o-que-sao-processos-
produtivos>. Acesso em: 02 mai. 2019.

Meire. Gestão de processos: Processos em manufatura e serviços. Disponível em:


<https://blogdaqualidade.com.br/processos-em-manufatura-e-servicos/>. Acesso em:
02 mai. 2019.

BAXTER, Mike. Projeto de Produto. São Paulo: São Paulo, 2011.

VALERIANO, Dalton. Moderno Gerenciamento de Projetos 2º edição. São Paulo-


SP: Pearson Education do Brasil, 2015.

ANGELO, Adalcir da Silva:LUKOSEVICIUS, Alessandro Prudêncios. PRINCE2 O


método de gerenciamento de projetos: Formação e Certificação. Riode Janeiro-
RJ: Brasport Livros e Multimídia Ltda, 2016.