Você está na página 1de 9

TEMA:

Vitamina D: vantagens na saúde e no esporte

PROBLEMA: A pesquisa bibliográfica deste trabalhoprocura responder algumas


questões,como: Qual a utilidade da vitamina D? Quais suas fontes e doses
adequadas? Em quais aspectos ela pode auxiliar no melhoramento da saúde? A
vitamina D possui algum benefício para praticantes de esportes?

JUSTIFICATIVA

Apesar da vida da população atual ser cada dia mais construída por exageros na questão
alimentar, as deficiências de alguns micronutrientes ainda são comuns. Uma das
carências que mais ocorrem é a hipovitaminose de vitamina D . Pode ocorrer em
qualquer faixa etária,porém possui maior incidência em crianças e
adolescentes,podendo prejudicar-las em seu crescimento e desenvolvimento.

Com o passar dos anos foi-se verificando uma relação entre a carência de vitamina D e
uma menor saúde óssea. A vitamina D possui um papel muito importante no
desenvolvimento do sistema imune e no músculo-esquelético,além do papel
importante na saúde cardiovascular, regulação da secreção de insulina e também no
sistema nervoso. Por esta razão, é de suma importância compreender o funcionamento
da vitamina D e quais são as consequências de sua deficiência tanto para pessoas
sedentárias quanto para atletas.

OBJETIVO GERAL:

Realizar uma revisão bibliográfica sobre o papel da vitamina D na saúde dos indivíduos
e na área esportiva.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Conhecer a fisiologia da vitamina D

Aprender os valores de referência da vitamina D

Entender os riscos de não atingir a quantidade adequada desta vitamina no organismo

Compreender como a vitamina D pode aulixar em uma melhor qualidade de vida dos
indivíduos

HIPÓTESE:

Acredita-se que estar com a dose adequada de vitmina D no organismo pode prevenir
inúmeras doenças e a sua suplementação pode auxiliar no desempenho esportivo.
METODOLOGIA

O presente estudo terá uma abordagem de revisão bibliográfica encontrada em obras


literárias,artigos em sites de pesquisas científicas como Scielo,Pubmed,a fim de obter as
informações necessárias.
O trabalho não terá pesquisa de campo.

REFERENCIAL TEÓRICO

Fazendo uma busca em artigos Scielo,em livros e monografias,podeos observar que o


interesse pela pesquisa sobre as vantagens da vitamina D têm crescido muito.Nota-se
que médicos,nutricionistas e profissionais da saúde estão buscando maiores
conhecimentos á respeito desta vitamina,pois têm se demonstrado vantagens na saúde
de quem se utiliza,desde para auxiliar nos ossos até a parte imunológica dos indivíduos.

Autores citam que aA vitamina D possui muitas funções,como fator de


transcrição,modulando uma média de 200 genes,se destacando desde imunomodulação
até cardioproteção e vasoproteção.(HOLICK,2007;MAALOUF,2008)
Alguns estudos veem demonstrado que indivíduos com níveis baixos de vitamina D
possuem maior risco de hipertensão arterial e de outros fatores de risco para diabetes e
hipercolesterolemia (MILOVANOVIC et al., 2012).

Portanto,é de extrema importância pesquisar e estar ciente de benefícios ou riscos,além


de como obter a vitamina D,para que a saúde dos indivíduos possa se beneficiar.
Introdução
A vitamina D, popularmente conhecida como ‘vitamina do sol’, pode ser
considerado, hoje em dia, um precursor hormonal, precursor este que começou
a ser estudado a muitos anos atrás, tendo registro de sua existência há 720
milhões de anos .Esta vitamina se apresenta de duas formas: ergocalciferol ou
vitamina d3.
(BANDEIRA,F,2006)

Holick MF. The Influence of Vitamin D on Bone Health Across the Life Cycle The Vitamin D
Epidemic and its Health Consequences. J. Nutr. 2005;135:2739S–2748S.)

O ser humano pode obter a vitamina D através da exposição solar ou por


meios dietéticos, como a alimentação e suplementação. Alguns exemplos de
fontes de vitamina D seriam o fígado, peixes gordos, óleos de peixe, gema de
ovo, produtos lácteos, entre outros. Porém são poucos os alimentos que
possuem quantidade significativa de vitamina D. Sendo assim, a principal
maneira de se obter esta vitamina, acaba sendo através da síntese cutânea
que é induzida pela radiação solar.

Atualmente, esta vitamina têm sido alvo de pesquisas crescentes, onde


demonstram que ela possui uma função muito além de apenas participar do
metabolismo do cálcio e a formação óssea. Estudos mostram sua interação
junto ao sistema imune, pois o receptor da vitamina D têm sua expressão em
vários tecidos corporais como intestino, células imunológicas, coração, rins,
cérebro, entre outros mais. (JONES,BJ,2008)

A deficiência da vitamina D tem sido considerada um problema mundial, e isto


pode levar à muitos prejuízos aos seres humanos pois esta deficiência têm se
relacionado com várias doenças autoimunes, incluindo doença inflamatória
intestinal,esclerose múltipla,artrite reumatoide,diabetes melitos insulin-
dependente , entre muitos outros. Inúmeros são os fatores de risco para se ter
hipovitaminose D,como por exemplo a idade, sexo, etnia e Índice de massa
corpórea.

(CANTORNA,MT,2004)
Vid d doses e carencia

A vitamina D é uma vitamina lipossolúvel, que possui sua maior parte de absorção no
intestino delgado, onde cerca de 80% é absorvida. Não há problemas de
biodisponibilidade desta vitamina em indivíduos saudáveis e que não possuam
problemas em relação à ingestão de lipídios, pois a presença de doenças que alteram
o metabolismo lipídico podem influenciar na absorção das vitaminas lipossolúveis
(WORTSMAN,J.et al.Decreased bioavailability of vitamina D in obesity. Am
J.Clin.Nutr,v.72,p.6690-3,2000 -------------

A vitamina D é considerada um pró-hormônio biologicamente inativo e para se tornar


ativo é necessário que se passe por duas hidroxilações: o primeiro no fígado, onde
então é formada a 25-hidroxivitamina D (25-OHD3), denominada também como
calcidiol; após isso, nos rins, formando a 1α,25- dihidroxivitamina D [1α,25-(OH)2D3],
denominada como calcitriol, e o 24R,25-dihidroxivitamina D3 [24R,25(OH)2D3],
conhecido também como 24-hidroxicalcidiol .Estudos já isolaram e quimicamente
foram caracterizarados 37 metabólitos diferentes da vitamina D3, porém as suas
funções não estão muito bem esclarecidas (University of California,2011)
Uma das mais importantes funções na regulação do sistema endócrino da vitamina D
ocorre no rim, por meio de um controle rigoroso da atividade da enzima 1-hidroxilase.
A produção do calcitriol pode ser modulada de acordo com as concentrações de cálcio
e em função de outras necessidades endócrinas do corpo. Os principais fatores que
fazem a regulação da produção do calcitriol são a concentração da 1α,25-(OH)2D3, o
paratormônio, e as concentrações do cálcio e fosfato presente no sangue. O calcitriol
pode também ser produzido em vários outros tecidos do corpo. Os efeitos biológicos
da 1α,25(OH)2D são mediados por um fator de transcrição nuclear que é conhecido
como o receptor de vitamina D (WACKER M ,2013)
A obtenção de vitamina D através da radiação solar não é capaz de resultar em
intoxicação,diferente do excesso desta vitamina em suplementos,por exemplo. 5
?????????????????
Algumas das principais fontes desta vitamina são alimentos derivados do leite, óleo de
fígado de peixe, ou produtos enriquecidos, como por exemplo, a quantidade de
vitamina D na gema do ovo pode ser aumentada caso haja uma adição de
colecalciferol na ração dos animais que produzem este ovo. (MATTILA,P.et
al.Cholecalciferol and 25-hydroxycholecalciferl content of chicken egg yolk as affected
by the cholecalciferol of feed.J.Agric.Food Chem,v.47,p.4089-92,1999)
Segundo Michael F.Holick
‘’A unidade usada para medir a vitamina D são nanogramas por mililitro e a maior
parte dos especialistas, incluindo eu mesmo, concorda que a deficiência de vitamina D
é definida como menos de 20 nanogramas por mililitro de 25-vitamina D. A
insuficiência de vitamina D se caracteriza por valores entre 21 a 29 nanogramas por
mililitro. A suficiência de vitamina D começa em 30 nanogramas por mililitro. Muitos
especialistas recomendam que para obter todos os benefícios da vitamina D devemos
manter níveis séricos em torno de 40 nanogramas por mililitro.’’
(por na bibliografia Holick, Michael F. Vitamina D / Michael F. Holick; [versão brasileira
da editora] - 1. cd. - São Paulo, SP : Editora Fundamento Educacional Ltda., 2012.)

Em seu livro,coloca uma imagem onde retrata bem quando ocorre deficiência ou
suficiência da vitamina D

Ver como coloca legenda em foto


file:///C:/Users/letic/Downloads/LIVRO%20VITAMINA%20D%20COMO%20UM%20TR
ATAMENTO%20TAO%20SIMPLES%20PODE%20REVERTER%20DOENCAS%20TA
O%20IMPORTANTES%201.pdf

A deficiencia de vitamina D teve um grande aumento na época após revolução


industrial,onde causou raquitismo em crianças e osteomalácia em adultos.As
recomendações de ingestão da vitamina D podem ser expressas em microgramas (ug)
ou em unidades internacionais (UI).Se formos comparar,1 ug equivale a 40 UI.
Uma das razões era que a deficiência só era diagnosticada quando já estava em fase
muito avançada ,quando já tinha se instalado o raquitismo ou a osteomalácia. 55,59
(As recomendações de ingestão da vitamina D podem ser expressas em microgramas
(ug) ou em unidades internacionais (UI).Se formos comparar,1 ug equivale a 40 UI.
Há alguns fatores que podem aumentar o risco de se ter a hipovitaminose D,como
pode-se observar na tabela
https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/39636/000558708.pdf?sequence=1

As recomendações de ingestão da vitamina D podem ser expressas em microgramas


(ug) ou em unidades internacionais (UI).Se formos comparar,1 ug equivale a 40 UI.
(DELUCA,H.F.Overview of general physiologic features and functions of vitamin D.Am
J.Clin.Nutr.,v.80 (suppl),p.1689S-1696S,2004)

No ano 1997, a Food and Nutrition Board , do Instituto de Medicina dos EUA, estabeleceu
alguns valores de referência de vitamina D que mostram a ingestão adequada que seria
suficiente para conseguir manter adequados os níveis séricos da 25-OHD3 para quem
apresenta pouca exposição solar. (Institute of Medicine, 1997)

Esses valores levantaram muita discussão entre cientistas por todo o mundo, pois antes,as
recomendações para as várias faixas etárias eram baseadas somente pensando na
manutenção da saúde óssea. Porém,desde 1997, ano em que as DRIs foram lançadas,têm se
observado muitos outros benefícios além da função óssea da Vitamina D,o que acabava
tornando a quantidade que tinha sido publicada inapropriada.

Se baseando DRIs, não estava sendo suficiente para a manutenção de níveis adequados de PTH
e para a prevenção de diversas doenças crônicas (MERKE J,1989).

Alóia e col., em 2008, publicaram um artigo fazendo a sugestão de recomendação de ingestão


de vitamina D para pacientes com 25-OHD3 abaixo de 55 nmol/L (22 ng/mL) fosse 5.000
UI/dia, e pacientes com 25-OHD3 acima de 55 nmol/L deveria ser de 3.800 UI/dia.

Mosekilde, em 2008 , sugeriu que a ingestão, para manter os níveis séricos da 25-OHD3 entre
75 e 100 nmol/L (30 e 40 ng/mL), poderia ser entre 700 a 1.000 UI/dia.

Portanto, no mês de em novembro do ano de 2010, foi lançado outra recomendação para
cálcio e vitamina D. A ingestão recomendada de vitamina D pelo IOM, para as várias faixas
etárias, está presente na tabela abaixo:
Tabela XX : ingestão diária recomendada de vitamina D

Fonte: . Institute of Medicine. Report Release: Dietary Reference Intakes for Calcium and
Vitamin D, 2010

Jones BJ, Twomey PJ. Issues with vitamin D in routine clinical practice.
Rheumatology 2008; 47:1267-68.

University of California, Riverside. History of vitamin D. Disponível em:


<http://vitamind.ucr.edu/about>

Bandeira F, Dreyer P, Bandeira C. Vitamina D Deficiency: A Global Perscpective. Arq. Bras.


Endocrinol. e Metabol. 2006;50(4):640–6

Cantorna MT, Mahon B. Mounting evidence for vitamin D as an environmental factor


affecting autoimmune disease prevalence. Exp Bio Med (Maywood) 2004;

229(11):1136-42.

Aloia JF, Patel M, Dimaano R, Li-Ng M, Talwar SA, Mikhail M et al. Vitamin D intake to attain a
desired serum 25-hydroxyvitamin D concentration. Am J Clin Nutr 2008 Jun;87(6):1952-8

Mosekilde L. Vitamin D requirement and setting recommendation levels: long-term


perspectives. Nutr Rev 2008;66(suppl2):S170-S177
Wacker M, Holick MF. Vitamin D – effects on skeletal and extraskeletal health and the
need for supplementation. Nutrients 2013;5(1):111-48

Gilbertson TJ,Stryd RP.High-performance liquid chromatographic assay for 25-


hydroxyvitamin D3 in serum.Cin Chem 1977

Holick, Michael F. Vitamina D / Michael F. Holick; [versão brasileira da editora] - 1. cd. - São
Paulo, SP : Editora Fundamento Educacional Ltda., 2012

. Institute of Medicine. Report Release: Dietary Reference Intakes for Calcium and Vitamin D,
2010.

Standing Committee on the Scientific Evaluation of Dietary Reference Intakes, Food and
Nutrition Board, Institute of Medicine. Dietary reference intakes (DRI) for calcium, phosphorus,
magnesiumvitamin D and fluoride. Washington, DC: National Academy Press; 1997. p. 250-87.

Merke J, Milde P, Lewieka S, Hügel U, Klaus G, Mangelsdorf DJ et al. Identification and


regulation of 1,25-dihydroxivitamin D3 receptor activity and biosynthesis of 1,25-
dihydroxivitamin D3. Studies in cultured bovine aortic endothelial cells and human dermal
capillaries. J Clin Invest 1989;83(6):1903-15.

Norman Aw.On becoming a molecular endocrinlogist.Steroids, 2001

http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/525

A vitamina D, conhecida como “vitamina do sol”, é, na verdade, um dos hormônios (ou


precursor hormonal, mais exatamente) mais antigos de que o homem tem registro, sendo sua
existência extimada em 750 milhões de anos (1,2). Este precursor hormonal existe em duas
formas na natureza: ergocalciferol, ou vitamina D2, que está presente em plantas e alguns
peixes; e colecalciferol, ou vitamina D3, que é sintetizada na pele através da exposição solar
(3). O homem pode obter vitamina D (colecalciferol) através de outras duas fontes, além da
exposição solar, sendo elas: dieta e suplementos dietéticos (3–7). Como poucos alimentos
contem ou estão enriquecidos com vitamina D (tal como o fígado, peixe gordo, óleo de peixe,
gema de ovo, leite e produtos lácteos, leite de soja, manteiga, margarina), o principal
determinante do status de vitamina D na população é a síntese cutânea, induzida por radiação
ultravioleta B (UVB)

A vitamina D e seus pró-hormônios têm sido alvo de um número crescente de pesquisas nos
últimos anos, demonstrando sua função além do metabolismo do cálcio e da formação óssea,
incluindo sua interação com o sistema imunológico, o que não é uma surpresa, tendo em vista
a expressão do receptor de vitamina D em uma ampla variedade de tecidos corporais como
cérebro, coração, pele, intestino, gônadas, próstata, mamas e células imunológicas, além de
ossos, rins e paratireoides.
Atualmente, a insuficiência/deficiência de vitamina D tem sido considerada um problema de
saúde pública no mundo todo,

Estudos atuais têm relacionado a deficiência de vitamina D com várias doenças autoimunes,
incluindo diabetes melito insulino-dependente (DMID), esclerose múltipla (EM), doença
inflamatória intestinal (DII), lúpus eritematoso sistêmico (LES) e artrite reumatoide (AR).1-4
Diante dessas associações, sugere- -se que a vitamina D seja um fator extrínseco capaz de
afetar a prevalência de doenças autoimunes

evidências recentes sugerem o envolvimento dessa vitamina em diversos processos celulares


vitais, como: diferenciação e proliferação celular, secreção hormonal (por exemplo: insulina),
assim como no sistema imune e em diversas doenças crônicas não transmissíveis (1-5). Na
maioria dos indivíduos, a síntese cutânea é a principal fonte de vitamina D, sendo o restante
obtido pela alimentação e pelo uso de suplementos (2). Após a síntese cutânea, a vitamina D
entra na circulação e é transportada para o fígado, unida à proteína ligante da vitamina D
(DBP). No fígado, ocorre a primeira hidroxilação para a 25(OH)D, que será secretada no
plasma. Para se tornar ativa, a 25(OH)D é metabolizada pela enzima 25-hidroxivitamina D 1α-
hidroxilase (CYP27B1) nos rins, formando 1,25(OH)2 D3 . A produção desse metabólito é
controlada principalmente pela concentra- ção de paratormônio (PTH), cálcio e fósforo séricos.

Resumo

Manter níveis adequados de vitamina D é importante não só para evitar o raquitismo e


a osteomalácia,a manutenção da ingestão e a exposição á luz solar adequadamente
pode ser fundamental para evitar problemas ósseos, auxiliar em doenças autoimunes

Adequate vitamins D levels is not only important for to prevent rickets and osteomalacia,the
adequate intake and adequality expose to the sun are great for to prevent bone
problems,autoimmune diseases