Você está na página 1de 33

Gestão de Riscos –Como lidar com

as incertezas do Projeto?
Thomaz Ottoni da Fonseca
04/11/2015

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 1


ORIENTAÇÕES INICIAIS

Dê preferência ao uso de uma conexão de banda larga

O evento não fará uso do vídeo (webcam), somente slides e áudio

Se necessário, ajuste o idioma da sala na barra de ferramentas superior

O evento terá ~45 min. de apresentação e ~15 min. finais para perguntas

Você pode mandar suas perguntas pelo chat ao longo da apresentação

Para aqueles que possuem certificação PMP, o evento vale 1 PDU

A apresentação será gravada e o vídeo publicado posteriormente no site e redes


sociais:

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 2


MISSÃO
Apoiar nossos clientes a estabelecer modelos de negócios em que eles tenham o controle
e trazer visibilidade do desempenho para a gestão de seus processos de software.

DIRECIONAMENTO ESTRATÉGICO COM:


Estimativas e Medição de Projetos de Software

Implantação da Análise de Pontos de Função (IFPUG, NESMA , COSMIC)

Auditoria de Medições de Projetos de Software Medidos com APF

Benchmarking e Análises de produtividade

Avaliação para Melhoria dos Processos de Software

Engenharia de Requisitos

Planejamento e avaliação do desempenho (Escopo, Esforço, custo, prazo, qualidade)

Construção e Monitoramento de Contratos de Software baseados em Resultados

Integração do Desenvolvimento Ágil com a Governança Corporativa de TI usando Métricas


Funcionais

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 3


FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Capacitação em APF: Workshop APF:
APF: Fundamentos,
Medição e Metodologia
Benefícios e Implantação
Estimativa de Software e Práticas de Medição
8 horas (EAD e presencial)
16 horas (EAD e presencial) 16 horas (Presencial)

Medição e Estimativa de
Preparação para Software com o Método Oficina de Contagem
o Exame CFPS COSMIC de Pontos de Função
96 horas (EAD e presencial) Sessões de 8 ~ 40 horas
16 horas (Presencial)

Engenharia de Requisitos de
Oficina de Requisitos
Software
Sessões de 8 ~ 40 horas
24 horas

Estimativa de Projetos de Introdução ao Gerenciamento de


Software com o COCOMOII Projetos Gestão de Riscos em Projetos
16 horas 16 horas 16 horas

O livro mais vendido de APF no país foi escrito por nós

Formou ~25% de especialistas certificados pelo IFPUG no Brasil

Representante do Scope Project Sizing Software

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 4


Perfil do Palestrante
Thomaz Ottoni

Profissional de TI com mais de 21 anos de experiência na área de TI, sendo


que há 19 anos gerenciando projetos e portfólios, com experiência na
implantação e gestão de PMO e na instrução em gerenciamento de projetos.
Formado em Ciência da Computação na UFES, MBA em Gestão Empresarial
pela FGV e certificado PMP. Atualmente atua além da gestão de projetos,
como consultor e instrutor de temas relacionados ao gerenciamento de
projetos.

Contatos:
Telefone – (27)3225-3515 / (27)98118-8039
E-mail – thomaz.ottoni@nipsa.es
Blog: http://excelenciaemprojetos.com.
5
Gestão de Riscos – Como lidar com as
incertezas do Projeto?

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 6


Agenda
Por que Gerir Riscos?
O que são riscos?
Objetivos da gestão de riscos
Principais Conceitos
Ciclo da Gestão de Riscos
Identificação
Análise Qualitativa
Análise Quantitativa
Planejamento de Respostas
Monitoramento

7
Por que Gerir Riscos?
• Imaginou entregar um estádio para a Olimpíada
depois que os jogos já se encerraram?
• Como Amyr Klink atravessou o atlântico sozinho a
remo?
• Case do Aeroporto Denver International – Como a
maior pista de pouso dos EUA conseguiu ser
concluída no prazo e no orçamento?
• Então...Não é uma atividade opcional
• Problemas devem preferencialmente ser evitados a
terem que ser tratados.
• Para cada problema potencial do projeto,
deveríamos ter planos prontos.
• O gerenciamento de riscos agrega valor aos demais
processos de gerenciamento de projeto.
• Os riscos podem ser substancialmente reduzidos.
Alguns estudos indicam uma redução de 90%.
• O projeto deixa de controlar o gerente de projetos e
o gerente de projetos passa a controlar o projeto.

8
O que são riscos?

Riscos de projeto
são eventos ou
condições incertas,
que se ocorre tem
efeitos positivos ou
negativos nos
objetivos do projeto.

9
Gerenciamento de Riscos –
Objetivos Os objetivos do
gerenciamento dos riscos
são aumentar a
probabilidade e o impacto
dos eventos positivos e
reduzir a probabilidade e o
impacto dos eventos
negativos no projeto.

Também pode ser visto como a redução das


incertezas do projeto e a melhora na qualidade
das decisões do projeto.

10
Riscos - Principais Conceitos
Ameaças e oportunidades – Um
risco é algo que pode ou não
ocorrer. Se ocorrer, pode ter
impactos positivo (oportunidades)
ou negativo (ameaças) no projeto.

Definição de incerteza – A incerteza é uma falta de


conhecimento sobre um evento que reduz a confiança
nas conclusões com base nos dados. O trabalho que
precisa ser feito, o custo, o prazo, as necessidades de
qualidade ou comunicações, etc, podem ser incertos.
A investigação das incertezas pode ajudar a identificar
riscos.
11
Riscos - Principais Conceitos
Fatores de risco
Probabilidade Impacto

Risco
Frequência
Momento Esperado

Ao analisar os riscos, é necessário determinar:


• A probabilidade de que ocorra
• O intervalo dos resultados possíveis (impacto ou valor
em jogo)
• Momento esperado (quando) no ciclo de vida do projeto
• Frequência prevista dos eventos de risco com essa
origem (quão frequente)
12
Riscos - Principais Conceitos
Tolerâncias a riscos – As
tolerâncias são as áreas de risco
que são aceitáveis ou
inaceitáveis.
Por exemplo, “um risco que afete a
nossa reputação não será
tolerado”. A NASA tem pouca
tolerância com riscos!

Limite de Riscos - Um limite é a quantidade de risco


que é aceitável. Por exemplo, “podemos aceitar o
risco de um atraso de duas semanas, mas não mais”.
Apetite de Riscos – É o grau de incerteza que uma
organização está disposta a aceitar, na expectativa de
uma recompensa. Ex: Google.
13
Riscos - Principais Conceitos
 Risco Geral do projeto = Riscos
Individuais + Riscos desconhecidos
 Riscos Individuais = Riscos
conhecidos mapeados  Onde
todos os processos de gestão de
riscos agem.
 Riscos desconhecidos = Incertezas
não mapeadas.
 Reservas do projeto = Reservas de
Contingência (p/ riscos individuais)
+ Reservas Gerenciais (p/ riscos
desconhecidos).

14
O Ciclo da Gestão de Riscos

15
O Ciclo da Gestão de Riscos - Planejamento
Como conduzir as atividades de
gestão dos riscos de um projeto?
O bom planejamento aumenta a
probabilidade de sucesso para os
demais processos de
gerenciamento dos riscos.
Garante que o grau, o tipo e a visibilidade do
gerenciamento dos riscos sejam proporcionais tanto
aos riscos como à importância do projeto para a
organização.
Viabiliza tempo e recursos para as atividades de
gerenciamento dos riscos.
Estabelece critérios para a avaliação dos riscos. Ex: O
que significa uma probabilidade 3 neste projeto?
16
O Ciclo da Gestão de Riscos - Identificação
Principais objetivos:
Em riscos,
• Identificar e registrar uma lista longa de quantidade
ameaças e oportunidades para o projeto é
e para os pacotes de trabalho. qualidade

• Certificar-se que todos os riscos estão


no formato causa-risco-efeito:
– Ex: (Causa) O uso da nova ferramenta de
desenvolvimento pode levar (risco) a uma
menor produtividade que pode levar a
(impacto) atrasos nas entregas.
• Certificar-se de compreender
efetivamente os riscos

17
O Ciclo da Gestão de Riscos - Identificação
Riscos que costumam ser esquecidos:
• Riscos ref. Gerenciamento de Projetos
– Má análise de requisitos
– Má ou ausência de Gerência de mudanças
– Má gerência de aquisições
– Falta de apoio ou autoridade necessária
– ...
• Riscos ref. a Processos
• Riscos ref. a questões comerciais

18
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa
Riscos Ações
Severidad
Legenda Abas e Probabilidade Impacto Categoria Ação Cód. Prior.
Definição Probabilidade x Impacto Cód. Risco ou Issue relacionado
Domínio Instrucoes 1-Muito baixa 1-Muito baixo Organizacional Prevenir 0-Sem prioridade
Riscos 2-Baixa 2-Baixo Gestão do projeto Mitigar 1-Baixa
Acoes 3-Média 3-Médio Técnico Transferir 2-Média
Grafico 4-Alta 4-Alto Externo Assumir 3-Alta
EAR 5-Muito Alta 5-Muito Alto
Param

Exemplo de matriz de probabilidade e impacto


19
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa

Avaliação da urgência dos riscos –


Exemplo de Matriz considerando urgência:

20
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa
• Riscos agrupados por categorias - A
categorização de riscos pode revelar
causas-raiz comuns de riscos ou áreas
do projeto que requerem atenção
especial.
• Listas de riscos que requerem resposta a
curto prazo.
• Lista de Riscos para análise e resposta
adicional
• Lista de observação de riscos de baixa
probabilidade
• Tendências nos resultados da análise
qualitativa de riscos

21
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa
Quando realizar?
1 - Avaliar risco geral do projeto de forma quantitativa para
verificar a probabilidade geral do projeto em cumprir um
cronograma ou um orçamento.
2 - Quantificar riscos específicos priorizados pela análise
qualitativa de riscos por poderem gerar impacto potencial
e substancial no projeto.

Deve-se sempre avaliar o custo-benefício antes de


realizar.

22
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa
Exemplo de Árvore de Decisão (Avaliação de risco específico):

23
O Ciclo da Gestão de Riscos
Análise Qualitativa
Exemplo de risco geral do projeto.
Custo total do projeto simulado, utilizando-
se a técnica de Monte Carlo.

24
O Ciclo da Gestão de Riscos
Planej. de Respostas
As respostas planejadas devem ser:
• Adequadas à relevância do risco;
• Ter eficácia de custos;
• Ser realistas dentro do contexto do
projeto;
• Acordadas por todas as partes
envolvida;
• Ter um responsável designado;
• Ser oportunas.

Em geral é necessário selecionar a


melhor resposta ao risco entre as
diversas opções possíveis.
25
O Ciclo da Gestão de Riscos
Planej. de Respostas
Respostas aos riscos – Para cada risco identificado
deve haver uma, mesmo que seja aceitação.
Plano de Contingência O que fazer, se acontecer?
Plano Alternativo - Caso a estratégia selecionada não
seja totalmente eficaz ou se um risco aceito ocorrer.
Gatilhos - Deve ser identificados os gatilhos que
acionam o uso das reservas para contingências de
tempo ou custo.
Riscos secundários – Riscos gerados por decorrência
da adoção de estratégias de respostas a riscos. Estes
riscos também devem ser revistos.
Riscos residuais - que se espera que permaneçam
depois que as respostas planejadas tiverem sido
adotadas, bem como os que foram deliberadamente
aceitos;
26
O Ciclo da Gestão de Riscos
Planej. de Respostas
Estratégias para riscos
negativos ou ameaças
• Eliminar
• Transferir
• Mitigar
• Aceitar

Estratégias para riscos positivos


ou oportunidades
• Explorar
• Compartilhar
• Melhorar
• Aceitar

27
O Ciclo da Gestão de Riscos
Monitoramento
• Reavaliação de riscos
• Auditorias de riscos
• Análises da variação e tendências
• Medição de desempenho técnico
• Análise das reservas
• Reuniões de andamento

28
O Ciclo da Gestão de Riscos
Monitoramento
Análise das reservas –
Exemplo:

29
Conclusões

Gerenciar riscos é essencial para o


sucesso do projeto;
Riscos de projeto são eventos ou
condições incertas que afetam os
objetivos do projeto;
O gerenciamento de riscos visa reduzir
as incertezas do projeto;
Entendemos os principais conceitos
relacionados ao gerenciamento de
riscos.
Passamos pelo ciclo de gerenciamento
de riscos e a importância de cada etapa.

30
PESQUISA!

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 31


PRÓXIMOS EVENTOS
• WEBINARS:
O Padrão de Estimativas de Projetos do PMI
Data: 24 de Novembro de 2015
Horário: 20h
​Inscrição: https://goo.gl/HlN81P

• PRÓXIMAS TURMAS:
Gestão de Riscos em Projetos
Lugar: Brasília
Data: 09/12 a 11/12 de 2015
Inscrição: Favor enviar e-mail para curso@fattocs.com.

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 32


PERGUNTAS?

Obrigado pela sua atenção!

Thomaz Ottoni
thomaz.ottoni@nipsa.es
https://www.linkedin.com/pub/thomaz-ottoni/5/613/a37
thomaz_ottoni

Brasília: (61) 4063-7484


São Paulo: (11) 4063-4658
Vitória: (27) 3026-6304
Rio de Janeiro: (21) 4063-5311
Belo Horizonte: (31) 4063-8475

© 2015 FATTO Consultoria e Sistemas | www.fattocs.com 33

Você também pode gostar