Você está na página 1de 1

Núcleo de Estudos Estratégicos

em Defesa e Segurança

Anúncio do estabelecimento de uma “Província do


Estado Islâmico” na África Central: uma análise e
possíveis reflexos para o Brasil
Por Luiz Claudio Talavera de Azeredo*
remotas regiões de fronteira de ambos os países Tal linha de ação objetiva evidenciar a falsa
Um ataque contra soldados do exército da e aproveitam o vácuo de poder dos Estados impressão de que o grupo ainda retém
República Democrática do Congo foi registrado nacionais da região para atuar de acordo com capacidades de atuação militar muito superiores
no mês de abril de 2019 no remoto vilarejo de suas agendas de objetivos, em regra as que possui na realidade.
Kamango, situado na província de Nord Kivu, extremamente danosa aos direitos humanos das Fica então delineado um cenário de perda de
no extremo leste do Estado africano em pauta. escassas e paupérrimas comunidades locais. capacidade combativa do EI, em que pese ainda
Poucos dias após, a “agência de notícias” Amaq, Ainda que a região em questão possa ensejar inspirar grupos jihadistas de menor vulto ao
que veicula notícias da organização jihadista facilidades para abrigar militantes que redor do globo incentivando e aceitando sua
Estado Islâmico do Iraque e da Síria (EI - planejariam realizar uma hipotética “retirada citação pelo alinhamento de sua agenda de
também denominada Estado Islâmico do Iraque estratégica”, as grandes dificuldades de objetivos.
e do Levante), reivindicou a autoria do ataque infraestrutura acarretam, entre outros óbices, Adicionalmente, pode-se concluir também que
para o EI informando que o ato havia sido enormes obstáculos à comunicação e ao fluxo em caso de um efetivo estabelecimento do EI na
realizado por militantes da “Província do EI na logístico, situação adversa para uma região anunciada, será iniciado um processo de
África Central”. organização com intenções de fortalecimento “confinamento” que possivelmente redundará
A reivindicação da autoria do ataque para o EI institucional e de divulgação de suas atividades no fim das ações de vulto do grupo jihadista em
levantou suspeitas quanto à sua veracidade pela no contexto internacional. razão dos fatores já citados.
dúvida da capacidade do grupo jihadista de atuar Nesse contexto há registros de que o Para o Brasil, identificam-se reflexos no campo
em outras regiões do globo ao mesmo tempo em estabelecimento em regiões isoladas no das informações públicas uma vez que é
que têm sofrido repetidas derrotas, advindas de médio/longo prazo se revelou prejudicial para crescente a presença de militares brasileiros na
combates contra fortes opositores, em territórios grupos armados que, apesar da facilidade de RDC no âmbito da Missão da Organização das
anteriormente controlados no Oriente Médio. movimentação pelas matas e pequenos Nações Unidas para Estabilização da RDC
A verossimilhança do estabelecimento do povoados, acabaram por perder gradativamente (MONUSCO).
aludido território fundamentalista na África é o seu poderio, principalmente pela dificuldade de O recente desdobramento de instrutores de
que se pretende analisar sinteticamente neste suprimento e de mobilidade fora de sua região Centro de Instrução de Guerra na Selva de
texto a partir de dois fatores basilares: a situação de homizio. nosso Exército para instruir a Brigada de
atual do EI e a região do pretenso território Intervenção da missão evidencia uma
africano anunciado. participação mais efetiva de nosso país nas
Com relação a situação atual do EI, os dados Para o Brasil, identificam-se atividades de apoio ao trabalho da MONUSCO
disponíveis e as informações transmitidas no reflexos no campo das informações cujo comando já é exercido por um general
noticiário internacional deixam claro que seu públicas uma vez que é crescente a brasileiro.
poderio militar e seu domínio territorial têm Interpretações apressadas podem conduzir ao
diminuído continuamente a partir dos presença de militares brasileiros na
raciocínio equivocado de que o anúncio do
constantes enfrentamentos contra diferentes RDC no âmbito da Missão da suposto território africano controlado pelo EI
oponentes tanto Exércitos Regulares, a exemplo Organização das Nações Unidas acarretaria riscos adicionais aos brasileiros na
do Exército do Iraque, como milícias populares, para Estabilização da RDC RDC, premissa já identificada como não válida
apoiadas ou não por distintos atores externos, ao longo do texto.
que lutam para livrar áreas no Oriente Médio do (MONUSCO).
Circulam ainda na internet indicações de que o
jugo do EI. EI anunciou o estabelecimento de um suposto
Poucos dias após o ataque realizado na RDC, Exemplifica a argumentação em pauta a atual
território na República Centro Africana, outro
um atentado contra igrejas católicas ocorrido no situação do grupo armado “Exército de
país na região com a presença de militares
domingo de Páscoa no Sri Lanka lançou luz Resistência do Senhor” (LRA no seu acrônimo
brasileiros.
sobre a dúvida em questão a partir de sua em inglês).
Tais indicações, geralmente advindas de
reivindicação pelo EI. Grupo ugandês de inspiração religiosa (cristã
traduções imprecisas e de avaliações
As investigações realizadas revelaram ceticismo animista), com similar intenção de criar de um
equivocadas, são dissociadas de qualquer
quanto à participação direta de militantes do EI território próprio, o LRA também buscou se
ligação com a realidade.
no ato e indicaram como autor do ataque um estabelecer na África Central na região
grupo islâmico radical do país com ligações com fronteiriça entre a RDC, Uganda, Sudão do Sul
* Luiz Claudio Talavera de Azeredo
grupos congêneres em outras partes do mundo. e República Centro Africana (RCA).
Tenente Coronel do Exército Brasileiro
A tentativa do EI em assumir um ataque não Ações iniciais de ataques a povoados e lctazeredo@gmail.com
realizado diretamente é coerente com conclusão subjugação de pequenas populações obtiveram Analista associado ao NEEDS/UFSCar
de alguns analistas no sentido de que o ataque algum êxito e asseguraram visibilidade ao LRA (Junho/2019)
na RDC, foi na realidade, realizado pela chegando mesmo alguns países, entre os quais
organização jihadista “Forças Democráticas os Estados Unidos, classificarem o grupo
Aliadas” (ADF no seu acrônimo em inglês) de armado em questão como terrorista por ações
Uganda. executadas e atrocidades cometidas.
A organização acima referida tenta, há cerca de Em decorrência de seu padrão de atuação, o
20 anos, estabelecer uma área sob controle LRA passou a ser combatido com maior ênfase,
jihadista na sua região de atuação, mas só sendo inclusive mobilizadas tropas
conseguiu apenas controlar de forma temporária multinacionais como uma Força Tarefa da
pequenas cidades isoladas em regiões remotas. União Africana estabelecida para tal finalidade
Existem dados de que, há alguns anos, a ADF e a Missão Multidimensional Integrada das
iniciou uma aproximação com o EI a partir da Nações Unidas para Estabilização da RCA
clara identificação de propósitos. Tal (MINUSCA - como integrante da MINUSCA
procedimento foi intensificado pela utilização atuei no esforço contra o LRA ao desempenhar
de símbolos do EI e de alegações de possível a função de Chefe da Seção de Operações do
recebimento de recursos das mesmas fontes setor no qual também se homiziava o referido
financiadoras do EI. grupo).
Ante o exposto, pode-se concluir parcialmente Em decorrência do trabalho das mencionadas
que, apesar da tentativa do EI de assumir tropas, as capacidades do LRA foram
ataques realizados em outras regiões do globo, enormemente diminuídas, estando o outrora
dados consistentes apontam para sua potencial vigoroso grupo atualmente resumido a poucas
incapacidade em realizar atos efetivos fora do dezenas de integrantes e com capacidade apenas
Oriente Médio, sendo tais ações realizadas por de realizar atos esporádicos de banditismo.
grupos menores com propósitos similares aos da Face ao exposto pode-se inferir, à guisa de
organização jihadista com maior visibilidade conclusão parcial, que a região do pretenso
internacional. território africano anunciado oferece mais
Com relação à região do pretenso território dificuldades do que facilidades para
africano cujo domínio foi anunciado, destaca-se estabelecimento de grupos armados com
que a grande permeabilidade fronteiriça entre aspirações internacionais.
Uganda e a RDC e a precária infraestrutura A partir das conclusões parciais, é lícita a síntese
existente no local, em especial a rede de de que o anúncio do estabelecimento de um
circulação viária, são fatores que favorecem a território na África Central pode ser entendido
existência de grupos armados na área. como um blefe dentro de uma estratégia de
Tais agrupamentos, como a já mencionada comunicação do EI para mascarar seu processo
organização jihadista “ADF”, se homiziam nas de declínio ou sinalizar uma improvável retirada
estratégica para outras regiões do globo.

Você também pode gostar