Você está na página 1de 7

PARÁBOLAS DE JESUS - MATEUS 24:45—51 — O

SERVO FIEL E PRUDENTE — SERMÃO 019

Esse artigo é parte da série "Parábolas de Jesus" e é muito


recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos
das verdades contidas nessa série, com aplicações para os
nossos dias. No final do artigo você encontrará links para os
outros artigos dessa série.

Sermão 019

A Parábola do Servo Fiel e Prudente

Mateus 24:45—51

45 Quem é, pois, o servo fiel e prudente, a quem o senhor


confiou os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu
tempo?
46 Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando
vier, achar fazendo assim.

47 Em verdade vos digo que lhe confiará todos os seus bens.

48 Mas, se aquele servo, sendo mau, disser consigo mesmo:


Meu senhor demora-se,

49 e passar a espancar os seus companheiros e a comer e beber


com ébrios,

50 virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera e em


hora que não sabe

51 e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os hipócritas; ali


haverá choro e ranger de dentes.

Lucas 12:41—46

41 Então, Pedro perguntou: Senhor, proferes esta parábola para


nós ou também para todos?

42 Disse o Senhor: Quem é, pois, o mordomo fiel e prudente, a


quem o senhor confiará os seus conservos para dar-lhes o
sustento a seu tempo?

43 Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando


vier, achar fazendo assim.

44 Verdadeiramente, vos digo que lhe confiará todos os seus


bens.

45 Mas, se aquele servo disser consigo mesmo: Meu senhor


tarda em vir, e passar a espancar os criados e as criadas, a
comer, a beber e a embriagar-se,

46 virá o senhor daquele servo, em dia em que não o espera e


em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com
os infiéis.

Introdução
1. Existem 39 parábolas contadas por Jesus registradas nos Evangelhos.

2. A Parábola do Servo Fiel e Vigilante é uma das parábolas em que Jesus nos
ensina a necessidade de sermos vigilantes, de forma permanente. Nessa vida.
3. Ela aparece em duas versões: Mateus 24:45—51 e Lucas 12:41—46.

4. Nas duas passagens o servo recebe a responsabilidade de administrar a casa de


seu Senhor, enquanto esse se encontra ausente.

5. O servo tem duas opções diante de si: 1) ser fiel e prudente; 2) ser descuidado e
imprudente. No primeiro caso ele receberá grande recompensa de seu Senhor. No
segundo caso o mesmo está destinado a sofrer uma severa punição.

I. A Parábola.

A. O Servo Fiel e Pudente.


1. Nas duas passagens que temos diante de nós Jesus está se dirigindo aos seus
discípulos.

2. Pedro se interessa em saber se essa parábola vale apenas para os discípulos ou


se é uma parábola geral, válida para todos.

Lucas 12:41

41 Então, Pedro perguntou: Senhor, proferes esta parábola para


nós ou também para todos?
2. A parábola trata do senhor de uma casa que precisa se ausentar por um período
de tempo não especificado. Ele faz seus planos e em seguida chama um de seus
servos que ele acredita teria condições de administrar a casa durante sua ausência.

3. O senhor entrega a casa e os outros servos aos cuidados desse um em que ele
confiava. Ele devia alimentar seus companheiros e demonstrar toda sua fidelidade
e prudência no cuidado de tudo. A recompensa pela fidelidade seria receber uma
responsabilidade ainda maior: a de administrar todos os bens do seu senhor.

4. Desse servo se espera duas coisas: que ele seja πιστὸς — pistòs —
verdadeiro, fiel eφρόνιμος — frónimos — inteligente, sábio ou prudente. Essas
são as características que marcam o verdadeiro crente conforme as instruções de
Jesus em

Mateus 5:37

Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto
passar vem do maligno.
Esse servo é sempre fiel à sua palavra. Os outros conservos podem confiar nele.
Além disso, ele é inteligente o suficiente para antecipar problemas e dificuldades e
agir para resolvê-las antes que se tornem incontroláveis.

5. Quando o senhor regressa de sua viagem ele ouve as palavras elogiosas de todos
os outros servos de como o responsável havia cuidado bem de tudo. Como resultado
o senhor promove esse servo para administrador geral de todos os seus bens. O
servo havia passado no teste que lhe fora aplicado pelo senhor.

A. O Servo Infiel.
1. O servo infiel já é outra história, completamente diferente. Todas as vezes que
um senhor coloca alguém como responsável pela sua casa, ele espera que esse
servo se comporte de modo adequado e coerente com as responsabilidades que
tem.

2. Mas, infelizmente, a natureza humana, nem sempre é confiável. E uma posição


de comando pode trazer para fora muitas características indesejáveis em um servo
do senhor. Note que tais características já se encontravam dentro daquele indivíduo.
Elas não se manifestavam porque o servo não ocupava uma posição de liderança.
Mas a partir do momento em que isso aconteceu, as mesmas afloraram de modo
incontrolável.
3. Existem muitas pessoas assim. Elas aparentam uma serenidade e confiança
enquanto não ocupam posições de liderança. Seus sentimentos mais terríveis estão
bem escondidos por baixo de camadas de gentileza e dedicação. Mas quando são
guindados à posição de comando, logo demonstram seu verdadeiro caráter. São
pessoas traiçoeira, ardilosas e, muitas vezes, cruéis.

4. Temos certeza que muitos leitores sabem do que estamos falando e outro tanto
deve ter experimentado na própria pele a dor infligida por esses verdadeiros lobos
em peles de cordeiro.

5. Sem se preocupar com o dia da volta do seu senhor, esse indivíduo não hesita
em usar todo poder e força que lhe foram confiados para servir seus conservos, para
prejudicá-los e feri-los. São homens totalmente sem caráter. Que se regozijam em
explorar a simplicidade dos outros. Eles imaginam o dia da confrontação nunca vai
chegar.
6. Mas, eis que, de mudo súbito e inesperado, o senhor retorna e ouve que aquele
servo foi irresponsável e infiel. Como ele maltratou os outros, como os explorou para
benefício próprio e etc.

7. As palavras de Jesus são claras e duras:

Mateus 25:50—51

50 virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera e em


hora que não sabe

51 e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os hipócritas; ali


haverá choro e ranger de dentes.
Não existe alternativa para o servo infiel: a parte que lhe cabe, por toda eternidade
é com os hipócritas no lago de fogo.

Apocalipse 21:8

Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos


abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos
idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será
no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda
morte.

Conclusão:
1. Como servos do Senhor, nossa primeira e mais importante obrigação para como
nossos irmãos deve ser a disposição de servi-los —

1 Pedro 4:10

Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu,


como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.
2. Quando somos confiados, pelo próprio Senhor, com uma posição de liderança e
de comando, ai de nós se nos atrevermos a usar tal posição para fazer mal aos
pequeninos do reino. Como Jesus disse:

Lucas 17:1—2

1 Disse Jesus a seus discípulos: É inevitável que venham


escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm!

2 Melhor fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de


moinho, e fosse atirado no mar, do que fazer tropeçar a um
destes pequeninos.
3. Certamente o apóstolo Paulo estava refletindo essas palavras quando escreveu
o seguinte para os coríntios:

1 Coríntios 4:2

2 Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada


um deles seja encontrado fiel.
4.É óbvio que alguns servos recebem maiores responsabilidades que outros, mas
eles também terão que enfrentar um julgamento mais severo. Esse é. Por exemplo,
o caso dos mestres, os quais segundo

Tiago 3:1

Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo


que havemos de receber maior juízo.
5. Na parábola, Jesus é o senhor da casa e seus servos somos todos nós os crentes,
especialmente aquele que o Senhor coloca em posições de liderança e comando.
Esses devem ser caracterizados, acima de tudo, pela atitude de serviço, conforme
as próprias palavras do Senhor em

Marcos 10:42—45

42 Mas Jesus, chamando-os para junto de si, disse-lhes: Sabeis


que os que são considerados governadores dos povos têm-nos
sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem
autoridade.

43 Mas entre vós não é assim; pelo contrário, quem quiser


tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva;

44 e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos.

45 Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas
para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.
Se anão agirmos assim jamais entraremos no reino celestial.