Você está na página 1de 177

Colhedora de Cana Série A8000

Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes

Contém informações e segredos comerciais confidenciais da CNH Industrial. Qualquer uso deste trabalho, sem o consentimento expresso por escrito é estritamente proibida
Nome:

Período:

Instrutor:

2
Prezado Leitor,

As instruções aqui contidas neste Manual de Treinamento, foram elaboradas pelo Centro de

Treinamento CNH. É proibida a reprodução ou qualquer forma de comercialização do mesmo.

É política da CNH ter o contínuo melhoramento dos seus produtos, reservando-se o direito à

alteração dos dados fornecidos na presente publicação que estão sujeitos a variações de

produção, sem aviso prévio.

A principal finalidade do curso é orientar, demonstrar e instruir os Técnicos da Rede de

Concessionários CASE IH, sobre a manutenção e reparação da respectiva máquina

abordada.

Ao realizar qualquer tipo de trabalho descrito neste Manual é recomendado ter em mãos as

ferramentas e equipamentos de segurança necessários para a execução do mesmo.

Caso necessário, o leitor poderá encontrar informações mais detalhadas no:


• Manual do Operador;
• Manual de Serviço;
• Catálogo Eletrônico de Peças Online;
• Boletins de Serviço (BS).

Todas as informações deste Material em respeito ao seu conteúdo é de propriedade da CNH


Global N.V.

Editor : Eduardo Moro


Edição: Janeiro de 2015
Local: Centro de Treinamento CNH

3
Objetivo:
 Capacitar o técnicos da frota de clientes a realizar diagnósticos, reparos e manutenções
preventivas e corretivas básicas nas Colhedoras de Cana da série 8000, para evitar o efeito
de “máquina parada”.

Conteúdo Programático:

 A8000 e A8800: diferenças e especificações dos dois modelos


 Motor: especificações e manutenções preventivas
 Princípio de funcionamento de:
• Corte de base: especificações, desmontagem, análise e montagem;
• Picador: especificações, desmontagem, análise e montagem;
• Corte de Pontas e Triturador;
• Rolo tombador;
• Rolo alimentador;
• Rolos Transportadores;
• Extrator e Capuz do Extrator Primário;
• Elevador;
• Flap;
• Extrator e Capuz do Extrator Secundário;
 Sistemas:
• Auto Tracker: função, princípio de funcionamento e operação, manutenções
• Smart Cruise: função e parâmetros do sistema
• Control Cruise: função e princípio de funcionamento

 Comandos da Cabine;
 Monitor: princípio básico de operação e diagnósticos de falhas;
 Operando a colhedora;
 Segurança na operação, manutenções e contra incêndio;
 Corte de Base e Picador: princípio de funcionamento, especificações e ajuste;
 Hidráulica: princípio de funcionamento, componentes e circuitos hidráulicos;
 Plano de manutenção: manutenções diárias e programadas;
 Elétrica: componentes, circuitos elétricos e rede CAN;
 Transmissão: calibração de bombas;
 Avaliação;

Público Alvo:
 Técnicos dos clientes Case IH;

Pré-Requisitos Necessários:
 O aluno deve ser alfabetizado, com idade superior ou igual a 18 anos com noções básicas
de mecânica, hidráulica e elétrica.

4
Índice

Seção Página
1 - Característica e especificações técnicas.......................................................................... 7
Modelos...........................................................................................................8
Diferenças entre os modelos............................................................................ 9

2 - Motor................................................................................................................................11
Características.................................................................................................12
Sistema Dual Curve.........................................................................................13
Sistema Smart Cruise......................................................................................13
Especificações do motor..................................................................................14

3 - Implementos....................................................................................................................18
Corte de Pontas e Triturador............................................................................19
Divisores de linha............................................................................................20
Sapata Flutuante.............................................................................................20
Disco de corte lateral.......................................................................................21
Rolo Tombador................................................................................................22
Rolo Alimentador..............................................................................................23
Corte de Base..................................................................................................24
Especificações do Corte de Base....................................................................25
Rolos Transportadores..................................................................................... 26
Picador............................................................................................................. 27
Extrator Primário..............................................................................................28
Elevador...........................................................................................................30
Extrator Secundário.........................................................................................32
Flap..................................................................................................................
33

4- Comandos da Cabine.......................................................................................................34

5 – Monitor............................................................................................................................40

6– Auto Tracker....................................................................................................................45

7 – Operando a colhedora..................................................................................................... 53
Ao ligar.............................................................................................................
54
Ao desligar........................................................................................................54
Utilizando o Joystick......................................................................................... 55
Manobras.........................................................................................................56
Segurança durante a operação........................................................................ 57

5
Índice

Seção Página
8 - Sistemas de segurança da máquina................................................................................58
Botões de emergência...................................................................................... 59
Assento do operador........................................................................................ 60
Freio de estacionamento.................................................................................. 61
Trava de segurança.......................................................................................... 62
Grades laterais.................................................................................................
63
Trava para auxilio a manutenções.................................................................... 65
Sistema de segurança do motor....................................................................... 66

9 - Segurança contra incêndio.............................................................................................68

10 - Corte de Base e Picador (especificações técnicas)........................................................


71

11 – Sistema Hidráulico e Componentes Hidráulico..............................................................72

12 – Circuito hidráulico das bombas de implementos............................................................. 88


Bomba Superior................................................................................................89
Bomba Inferior..................................................................................................
90
Diagrama de motores....................................................................................... 91
Localização de componentes........................................................................... 92

13 – Manutenção hidráulica...................................................................................................
97

14 – Sistema Elétrico e Componentes Elétricos....................................................................


114

15 – Rede CAN......................................................................................................................
139

16 – Diagnóstico de falhas.....................................................................................................
159

17 – Calibração de bombas...................................................................................................
163

18 – Caderno de exercício.....................................................................................................
168

6
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 1: Características e Especificações Técnicas

7
Características e Especificações

 A colhedora de cana de série 8000 é composta por dois modelos de máquinas:

A8000

A8800

8
Características e Especificações

 Características dos dois modelos:

A8000

 Declividade máxima: 10%


 Velocidade máxima: 12 km/h (colheita)
 Não necessita de caminhão para deslocamento
entre áreas
 Peso:15200 Kg
 Maior compactação em relação a máquina de
esteira
 Indicada para terrenos arenosos

A8800

 Declividade máxima: 15%


 Velocidade máxima: 9 km/h
 Necessita de caminhão para deslocamento entre
áreas
 Peso: 18500 Kg
 Menor compactação em relação a máquina de
pneu
 Indicada para terrenos argilosos

9
Anotações

10
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 2: Motor

11
Motor

 CASE IH 9.0L

 Número de Cilindros: 6

 Combustível: Diesel

 Rotação nominal: 2100 RPM

 Certificação EPA TIER III

 Sistema de injeção: Common Rail

 Sistema Dual Curve

 Sistema Smart Cruise

12
Motor
Sistema Dual Curve
É o sistema que permite ao cliente selecionar qual o melhor tipo de curva que se enquadra
com sua cana tendo como sugestão de fábrica as seguintes opções:

- Curva de Baixa Potência com – 330 CV


Recomendada para canaviais de baixa/média produtividade;

- Curva de Alta Potência com – 354 CV


Recomendada para canaviais de alta produtividade.
Para selecionar a curva de potência, acesse: menu; ferramentas; motor; senha; e selecione a
curva de potência desejada

 O sistema foi desenvolvido visando a otimização do consumo de combustível, sem


perder a performance independente das condições de colheita

Parâmetros para ajuste automático da rotação do motor:


 Carga do motor abaixo de 85% 1800 rpm

 Carga do motor acima de 85% 1850 rpm

 Reversão dos implementos 2100 rpm

 Velocidade até 7,2 km/h A8800 1800 rpm

 Velocidade acima de 7,2 km/h A8800 2100 rpm

 Velocidade até 16,3 km/h A8000 1800 rpm

 Velocidade acima de 16,3 km/h A8000 2100 rpm

 Temperatura de ar de admissão (70° à 75°) 1800 à 2100 rpm

 Máquina parada por mais de 15 segundos 1200 rpm

Para selecionar a curva de potência, acesse: menu; ferramentas; motor; senha; e selecione a
curva de potência desejada com ou sem o controle do Smart

13
Motor

Especificações:

 Reservatório de Diesel: 480 litros

 Óleo Lubrificante: SAE 15W40

 Troca de óleo e filtro do motor: 250 horas

 Capacidade de óleo lubrificante: 24 litros

 Aditivo de arrefecimento: Akcela Anti-Freeze

 Capacidade de liquido de arrefecimento: 44 litros

 Troca do pré filtro de combustível: 250 horas

 Troca do filtro principal: 250 horas

 Troca do filtro Blow-by: 500 horas

14
Motor

Vareta para verificação do nível de óleo

Bocal de abastecimento de óleo do motor

Nível correto do líquido de arrefecimento

Pré filtro de combustível

Filtro diesel Filtro Blow by

15
Motor

Filtro de ar:
 Verificar o indicador de saturação

 Copo do pré-filtro vazio.

 Tela do pré-filtro completamente sem palha ou sujeira.

 Aviso: Nunca funcione o motor sem filtro de ar.

 Nunca limpar o elemento interno (filtro de segurança). Substituir quando sujo ou danificado
ou na substituição do elemento externo.

 Substitua o elemento externo após 6 limpezas ou 1000 horas.

16
Anotações

17
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 3: Implementos

18
Implementos

Cortador de Pontas / Triturador

 O Cortador de Pontas ou Triturador são utilizados para cortar a ponteira da cana .


 A diferença entre eles é que o cortador de pontas corta a ponteira da cana em um
único pedaço e o triturador corta em pequenos pedaços de 100mm.

Cortador de Pontas Triturador

Manutenção:

 Lubrificação dos tambores: a cada


50 horas;
 Inspeção das facas diariamente;
 Lubrificação das articulações
diariamente
 Acumulador de pressão: 1200 psi

Localização na máquina

19
Implementos
Divisores de Linha

 Levanta a cana caída e separa a cana da linha que está sendo cortada da cana da
linha lateral.

Manutenção:
 Desgaste das sapatas espirais
 Lubrificação das graxeiras, mancais e
bandejas: diariamente

Sapatas Flutuantes
 Direcionam os talos caídos para o
cortador de base, reduzindo a perda.

 Importante : regular a corrente


mantendo a base da sapata no
mesmo alinhamento do disco do
corte de base

20
Implementos

Disco de Corte Lateral

 Desenvolvido afim de auxiliar na colheita de cana verde e cana


trançada, separando a linha de corte da rua lateral.
Manutenção:
 Inspeção das facas diariamente

21
Implementos

Rolo Tombador
 Desenvolvido para auxiliar na colheita da cana caída

Opções:
 Ajuste mecânico de 3 posições (opcional)
 Ajuste Hidráulico feito pela cabine (série)

Manutenção:
 Lubrificação da articulação do rolo hidráulico diariamente;
 Limpeza;

22
Implementos

Rolo Alimentador

 Auxilia na tração da cana para o cortador de base.

Manutenção:
 Desgaste das barbatanas;
 Limpeza;

23
Implementos

Corte de Base

 Corta a cana ao nível do solo conforme a regulagem de altura da suspensão e alimenta


conjunto de rolos transportadores.

24
Implementos

Manutenção do Corte de Base

Verificações:
• Inspeção das facas diariamente;
• Desgaste dos discos;
• Respiro da caixa de engrenagens;
• Nível de óleo: cada 50 horas (máquina nivelada)

Acumulador de pressão para máquinas A8800:


 1700 psi

ATENÇÃO:
Para qualquer manutenção embaixo da máquina o uso da sapata de
segurança é obrigatório.

25
Implementos

Trem de Rolos

 Leva a cana cortada para o picador e permite queda livre de impurezas.

Verificar:

– Desgaste barbatanas;

– Limpeza;

– Rolos flutuantes com movimento livre;

– Lubrificação: a cada 50 horas para rolamentos sem proteção;

a cada 500 horas para rolamento com proteção;

26
Implementos

Picador

 Corta a cana em toletes e os arremessa no bojo (cesto). Ajuste do comprimento de


tolete feito no monitor
• 4 facas: 180 a 220 mm

 Verificar:
• Desgaste e sincronismo das facas;
• Desgaste da borracha arremessadora;
• Respiro da caixa de engrenagens;
• Ajuste do defletor;
• Folga no volante;
• Fixação da tampa protetora;
• Verificar o nível de óleo diariamente.

Defletor

Tampa protetora

27
Implementos

Extrator Primario
 Provoca fortes correntes de ar separando as impurezas dos toletes de cana enquanto
estes caem no bojo.
 Rotação variável de 500 rpm a 1100 rpm

Verificar:
 Desgaste das pás;
 Balanceamento das pás (diferença máxima de 15g entre pás opostas);
 Existência de folga no mancal;
 Anti-Vortex;
 Lubrificação a cada 50 horas.

Antivortex

 Melhora o direcionamento da palha evitando o efeito do Vórtex do vento.

 Evitar quantidade excessiva de cana no cesto do elevador evita o desgaste prematuro do


Anti-Vórtex.

28
Implementos

Capuz do Extrator Primário

 Direciona a sujeira para fora do transportador.

Verificar:
• Lubrificação diariamente;
• Limpeza;
• Regulagem da corrente.

29
Implementos

Elevador

 Conduz os toletes de cana para o transbordo


• ATENÇÃO: Cuidado com o equilíbrio da
máquina ao posicionar o elevador, em especial
para máquinas modelo A8000.

Verificar:
• Limpeza: diária
• Lubrificação: diária
• Desgaste no batente da mesa
• Alternar taliscas
• Regulagem da tensão da corrente

Batente da mesa

30
Implementos

Ajuste da corrente do Elevador

A corrente é acionada por roda dentada, afim de reduzir o desgaste.


O outro eixo não tem dentes para permitir a variação do comprimento da corrente

Ajuste da corrente:

1. Soltar os oito parafusos dos mancais e os três parafusos do piso regulável


2. Solte as porcas e gire o parafuso de regulagem até que a tensão seja obtida
3. A tensão correta deixa uma folga de 25mm na seção esquerda na parte inferior do
elevador (deixar talisca reta)
4. Apertar as porcas e todos parafusos

25mm

31
Implementos

Extrator Secundário

 Provoca fortes correntes de ar, retirando impurezas dos toletes de cana, enquanto
estes caem no transbordo.
Verificar:
• Desgaste das pás;
• Balanceamento das pás;
• Existência de folga no mancal;
• Lubrificação: cada 50 horas.

32
Implementos

Capuz Extrator Secundário

 Direciona as impurezas para fora do transbordo.

Verificar:
• Lubrificação: diária
• Limpeza
• Regulagem da corrente

Lamina de Distribuição (Flap)

 Utilizada para distribuir os toletes de cana


igualmente no transbordo.

Verificar:
• Desgaste da borracha (rasgos)
• Movimento vertical livre

33
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 4: Comandos da Cabine

34
Comandos da Cabine.
Console direito da cabine.

1- Sistema de bloqueio (para as A8000) 14- Acionamento do disco de corte lateral esq.
2- Transb. traseiro/Corte de pontas dobrável 15- Altura do disco de corte lateral direito
3- Giro do capuz do extrator primário 16- Acionamento do disco de corte lateral dir.
4- Rotação do extrator primário 17- Home (retorno tela principal)
5- Modo transporte / Colheita 18- Sair (Esc) do monitor
6- Indicador de direção 19- Botão de navegação do monitor
7- Freio de estacionamento 20- Posição do rolo tombador
8- Extrator primário 21- Rotação do motor diesel
9- Extrator secundário 22- Giro do capuz do extrator secundário
10- Pisca alerta 23- Alavanca multifunção
11- Altura do elevador 24- Parada de emergência
12- Inclinação do corte de base 25- Funções de colheita
13- Altura do disco de corte lateral esquerdo 26- Porta copo

35
Comandos da Cabine.
Alavanca multifuncional.

D- Subir o cortador de pontas)


G- Descer o cortador de pontas
H- Giro do cortador de pontas para esquerda
B- Giro do cortador de pontas para direita

a- Shift
b- reversão da hélice do radiador
c- buzina

36
Comandos da Cabine.
Alavanca multifuncional.

37
Comandos da Cabine.
Painel superior.

1- Acende/Apaga os faróis internos e habilita os faróis intermediários e externos


2- Opcional
11- Liga/Desliga o ar condicionado
3- Opcional
12- Liga/Desliga o limpador de parabrisa
4- Opcional
13- Lavador de parabrisa
5- Acende/Apagar os faróis intermediários
14- Sinalizador Rotativo.
6- Acende/Apaga os faróis externos
15- Iluminação interna.
7- Acende/Apaga os faróis externos LD e LE
8- Acende/Apaga os faróis traseiros
9- Liga/Desliga o ventilador internos
10- Selecionar ar quente ou frio

38
Anotações

39
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 5: Monitor

40
Monitor

Funções de colheita /
Transporte

Velocidade de
deslocamento

Altura do
corte de base

Carga do motor

Curva de
Potência

Temperatura
do óleo
hidráulico

Indicador de
combustível Informações de
falhas ou sistemas
ativados

41
Monitor

Auxilia no diagnóstico de falhas e Importar informações e


Configuração Geral da
erros gravados na memória da configurações
colhedora
máquina. Detecção de falhas

Calibração de
Auto Tracker e
transmissão

Resumo de
dados de
colheita.

Informações de colheita Parâmetros da colhedora

42
Ao desligar a máquina o monitor
indicará que o cartão não deve ser
removido

43
Anotações

44
1
Módulo
2 Conversor N2
Régua de
3
de altura volume
4
5
6 Sensor Bloco
7 de de
pressão Cilindros
8
Registro
Aberto

Válvula de alívio

Altura do Ct. Base

400

Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes


Seção 6: Sistema Auto Tracker

45
Auto Tracker

Sistema Auto Tracker

 O sistema Auto Tracker controla a altura da suspensão automaticamente de


acordo com as irregularidades do terreno

 Para seu perfeito funcionamento, o operador deve programar corretamente a


altura de trabalho e a pressão de trabalho de acordo com terreno e a cana a
ser cortada

46
Auto Tracker

Trabalhando com o sistema Auto Tracker

Módulo
1
Conversor N2
Régua 2 de
de altura volume
3
4
5 Sensor Bloco
6 de de
7 pressão Cilindros
8 Registro
Fechado

Válvula de alívio

Altura do Ct. Base

47
Auto Tracker

Trabalhando com o sistema Auto Tracker

Módulo
1
Conversor N2
Régua 2 de
de altura volume
3
4
5 Sensor Bloco
6 de de
7 pressão Cilindros
8 Registro
Fechado

Válvula de alívio

Altura do Ct. Base

400

48
Auto Tracker

Trabalhando com a escala.

1
Módulo
2 Conversor N2
Régua de
3
de altura volume
4
5
6 Sensor Bloco
7 de de
pressão Cilindros
8
Registro
Aberto

Válvula de alívio

Altura do Ct. Base

400

49
Auto Tracker

Trabalhando com a escala.

1
Módulo
2 Conversor N2
Régua de
3
de altura volume
4
5
6 Sensor Bloco
7 de de
pressão Cilindros
8
Registro
Aberto

Válvula de alívio

Altura do Ct. Base

400

50
Auto Tracker
Especificações:

 Óleo: Case TCH Fluid

 Trocar a cada 750 horas

 Capacidade:

• Reservatório: 0,5 litros

• A8000: 0,2 litros

• A8800: 0,3 litros

 Pressão de nitrogênio:

• Conversor antigo: 29 à 36 PSI / 2 à 2,5 bar

• Conversor novo: 72 à 87 PSI / 5 à 6 bar


 Nível de óleo:
• Com a máquina nivelada o óleo deve estar no meio da escala visual

• Obs: para verificação do nível de óleo o registro deve estar aberto

• Para fecha-lo a suspensão deve estar totalmente elevada

51
Auto Tracker

Na tela de calibrações do monitor existem três calibrações exclusivas do sistema Auto Tracker.
São ela:

• Condições de trabalho: auxilia o operador a encontrar a pressão e altura de trabalho


ideal;

• Corte de base: usada para encontrar o ponto mínimo e máximo do sensor de altura.
Deve ser feita sempre depois de realizar qualquer manutenção no sistema;

• Pressão mínima do cortador de base: permite encontrar a faixa de pressão quando


o sistema estiver em neutro. Isso nos permite limitar a faixa de “vazio” e a faixa de
“trabalho”. Deve ser feita depois de manutenções no bloco do corte de base;

52
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 7: Operando a Colhedora

53
Operando a colhedora
“Antes de ligar o motor faça as verificações prévias vistas anteriormente”

Ao ligar:
 A chave de ignição possui um sistema de trava que impossibilita girar a chave após a
mesma já ter sido girada ate o ponto (c). Caso a colhedora não entre em
funcionamento na primeira partida retorne a chave na posição desligado e aguarde
aproximadamente 30 segundos.
 Obs: não deixar a chave de ignição na posição partida por mais de 20 segundos.
c
a b

• Chave de ignição
o (a) Desligado
o (b) Posição pós chave
o (c) Partida

 A rotação do motor diesel em marcha lenta deve ser em torno de 800 rpm. Acelere,
pressionando o botão para atingir aproximadamente 1500 rpm e aguarde que o motor
entre na temperatura normal de trabalho, na faixa de 85º C.

 Regule o assento e os retrovisores na posição mais adequada para o seu trabalho.

 Verifique a temperatura do óleo hidráulico

Ao Desligar
 Reduza a rotação do motor diesel para marcha lenta e o mantenha por 5 minutos para
que a lubrificação e a temperatura do motor se estabilizem. Isso evitará desgaste
prematura no motor e na turbina.

 Desligue o ventilador, ar condicionado e faróis.

 Desligue o motor diesel.

 Desligue a chave geral.

54
Operando a colhedora
Utilizando o Joystick:

3 2

Comando Função

1 Liga/desliga o Cruise Control

2 Ativa o Cruise Control na última velocidade programada

3 Ajuste da velocidade

OBS: para ativar o modo cruzeiro o joystick deve ser deslocado parcialmente à frente

Direcional da alavanca
Para frente

Conversão à Conversão à
esquerda direita

55
Operando a colhedora

Manobras de fim de linha.

Uma dica importante é fazer as manobra de final de linha em três etapas (como ilustração
ao lado), reduzindo a rotação do motor para 1500 RPM, desligando os implementos e
voltando a acioná-los em rotação de trabalho somente quando reiniciar a rua de cana.
Isso economizará combustível e minimizará os desgastes da máquina

1500 rpm

1800 rpm 1800 rpm

1500 rpm

56
Operando a colhedora

Segurança Durante a Operação

 Operar a máquina em terrenos com declividade de até 10% para máquinas de pneu e
15% para máquinas de esteira;

 Antes de ligar o motor observe se não há ninguém ao redor da máquina e de um sinal de


alerta com buzina;

 Não frear a máquina bruscamente;

 Não alterar o movimento diretamente de avanço para ré ou vice e versa;

 Somente operar a máquina pessoas com conhecimento da mesma;

 Quando operar perto de estradas e cidades sempre deixar luzes piscando;

 Utilize o cinto de segurança;

 Antes de qualquer reparo desligue a chave geral da máquina;

 Opere os controles somente quando sentado no assento do operador;

57
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 8: Sistemas de Segurança da Colhedora

58
Sistema de Segurança

 As Colhedoras de Cana modelos A8000 e A8800 estão montadas com um sistema


de parada de emergência e deve ser usado em caso de extrema urgência.

Este botão (laranja) irá afogar o motor e todas as funções da máquina.

Esse botão (amarelo) irá impedir apenas as funções de colheita:

• Corte de pontas
• Industrial
• Disco de corte laterais
• Esteira do Elevador
• Motor dos Extratores

59
Sistema de Segurança

As colhedoras de cana da série 8000


estão equipadas com sensor de
presença instalado no banco do
operador. Caso o operador esteja
trabalhando com a máquina
(implementos ligados) e se levantar do
acento, este sensor irá desligar os
implementos e frear a colhedora em
aproximadamente 5 segundos

• O Banco de Instrução deve ser


utilizado somente para
treinamento de um novo
operador ou quando um técnico
estiver diagnosticando um
problema mecânico.

• Em todas suas utilizações deve-


se utilizar o cinto de segurança

60
Sistema de Segurança

Sistema de Freio

 As colhedoras de cana da série 8000 vêm equipadas com sistema de freio de


segurança que impede o deslocamento da máquina caso o sistema esteja acionado

1
1- Botão do freio
estacionário

• As Colhedoras A8000 possuem pedais


de freio que pode ser utilizados
separadamente em manobras ou
conjugados em transporte.

Pedais de freio das colhedoras modelo A8000

61
Sistema de Segurança

Trava de Segurança

• Sempre que houver necessidade de realizar quaisquer tipo de manutenção e/ou

inspeção embaixo ou em regiões de risco da máquina, é OBRIGATÓRIO o uso

das travas de segurança.

62
Sistema de Segurança

• Escada para facilitar o acesso a máquina.

• Grades de proteção frontal

63
Sistema de Segurança

• Grades de proteção lateral

64
Sistema de Segurança
Travas para auxilio em manutenções

Porta de acesso ao ventilador dos


radiadores

Porta superior de acesso ao motor

Porta de acesso a caixa do motor


lado esquerdo

Porta de acesso a caixa do motor


lado direito

65
Sistema de Segurança

Sistema de Segurança do Motor

 Baixa pressão de óleo do motor:


• diminui a rotação
 Alta temperatura do motor:
• diminui a rotação
 Porta da caixa do motor(lado direito)
• se aberta desliga o motor
 Tela de limpeza do Cooling Package:
• se aberta desliga o motor
 Baixo nível de água e óleo hidráulico:
• desliga o motor

66
Anotações

67
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 9: Segurança contra Incêndio

68
Segurança contra incêndio
Segurança Contra Incêndio
• Remover diariamente material acumulado da colheita e resíduos da máquina
• NÃO abasteça o tanque com o motor funcionando.
• NÃO abasteça o tanque próximo a fogo, pessoas soldando ou fumando.
• Realizar todas as manutenções necessárias na máquina, como consta no
Manual do Operador

Extintor de Incêndio:

Os usuários da máquina devem possuir conhecimento mínimo da correta


utilização do extintor de incêndio. A seguir algumas informações complementares:

Especificação do extintor: Classe ABC, Carga 4kg

 Sempre manter um extintor de incêndio nas colhedoras;


 Dentro do prazo de validade;
 Com a pressão correta, indicada pela faixa verde;
 Com o lacre integro;
 Selo do INMETRO;
 Dentro do prazo de validade do teste hidrostático e de durabilidade;

Em caso de incêndio:

• Retirar o extintor do suporte de fixação


• Apertar o gatilho e movimentar o jato em forma de leque.
• Se o combustível for liquido não aplique diretamente sobre a superfície, para evitar
que se espalhe a área de incêndio.
• A fumaça é sempre tóxica, evite respirá-la.

69
Anotações

70
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 10: Corte de Base e Picador

71
Corte de Base

Especificações Corte de Base:

 Fixado ao chassi da máquina


 Motor hidráulico M51
 Rotação do disco: 640 RPM
 Relação de engrenagem 2,65:1
 Diâmetro do disco: 565 mm
 As pernas do cortador são acionadas em sincronismo
 Óleo lubrificante: 9,5 litros de SAE 85W140
 Período de troca: com 50 horas, 250 horas e depois a cada 250 horas

Especificações Picador:

 Dois rolos com rotação invertida


 Montados com Facas (com 7 parafusos cada faca)
 Rotação dos rolos 205 RPM
 São acionados hidraulicamente por motores M57.4
 Relação de engrenagem 1:1
 Óleo lubrificante: 7,5 litros de SAE 85W140
 Período de troca: com 50 horas, 250 horas e depois a cada 250 horas Volante
(Princípio da Inércia). Conserva a energia do sistema
 Em caso de travamento uma embreagem de segurança é a proteção

72
Anotações

73
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 11: Sistema Hidráulico e Componentes Hidráulicos

74
Hidráulica

Circuito Hidráulico

Cilindro

Bloco

Bomba

Motor

Tanque Filtro

75
Hidráulica

O sistema hidráulico é composto por:

4 Bombas – 2 de Engrenagem (Implementos)


2 de Pistão (transmissão)

`Óleo Hidráulico: AW 100 – 601,6 litros


(480L Tanque 120L Sistema Hidráulico 1,6L (Caixa de Bombas)

Bomba Inferior Bomba LD Bomba LE Bomba Superior


(Implementos ) (Transmissão ) (Transmissão ) (Implementos )

76
Componentes Hidráulicos

Bombas:

 Convertem Energia Mecânica em Energia Hidráulica

Bomba de Pistão:

 com rotação constante pode ter fluxo variável:

Bomba de Engrenagem:

 com rotação constante o fluxo também é constante:

77
Componentes Hidráulicos

Atuadores:
 Convertem a potência hidráulica em uma potência mecânica

 Na máquina existem dois tipos de atuadores:.

• Cilindros (Atuadores Lineares)


• Motores (Atuadores Rotativos)

Princípio de funcionamento:

 Motores:

Na colhedora existem três tipos de motores:

• Motores de engrenagem
• Motores Orbitais
• Motores de Pistão

78
Componentes Hidráulicos

 Pistão:

Na colhedora existem dois tipos de pistões:

• Pistão e efeito simples


• Pistão de duplo efeito

Blocos Hidráulicos:

 São blocos de alumiíio que suporta as válvula direcionais

Simbologia:

P A B T

79
Componentes Hidráulicos

Válvulas de controle de pressão :

Válvula de Alívio: Válvula utilizada para limitar a pressão máxima do sistema.

Válvula de Sequência: Válvula de controle de pressão normalmente fechada utilizada para


garantir que um sistema seja acionado antes de outro sistema, com base na pressão

Válvula de Contrabalanço: Válvula de controle de pressão normalmente fechada utilizada


junto com cilindros para compensar o peso ou uma carga potencialmente descontrolada.

Válvulas direcionais:

 Válvula responsável em direcionar o óleo

Válvulas de 4 vias e 3 posições (Cetop)

80
Componentes Hidráulicos

Válvulas de 1 via e 2 posições(Piloto)

Funcionamento:
 Válvulas de 4 vias e 3 posições (Cetop)

A válvula Cetop é composta por um corpo, um carretel e por um comando de acionamento


O comando de acionamento, que pode ser elétrico, mecânico ou hidráulico, empurra o
carretel que direciona o óleo da entrada P para as saídas A, B ou T.
Para teste de acionamento, as Cetops acionadas eletricamente vêm com uma haste que
permite o acionamento mecânico

81
Componentes Hidráulicos

Tipos de válvulas direcionais:

82
Componentes Hidráulicos

Tipos de válvulas direcionais:

83
Componentes Hidráulicos
Funcionamento:

84
Componentes Hidráulicos

Controladores direcionais com pilotagem hidráulica:

Válvulas hidráulica acionada por piloto

A válvula direcional por pilotagem hidráulica, geralmente é utilizada em circuitos com fluxo
maior que 30 GPM (galões por minuto). É composta por um corpo e um carretel para
direcionamento do óleo (semelhante à válvula Cetop)
É utilizada uma válvula Cetop para fazer a pilotagem do carretel da válvula hidráulica

85
Componentes Hidráulicos

Válvulas de 1 via e 2 posições (Piloto)

Normalmente Aberta

Normalmente Fechada

Válvulas piloto são válvulas compostas por um carretel que permite ou não a passagem
de óleo ao circuito.

86
Componentes Hidráulicos
Valvistor:
 É uma válvula variável utilizada para controlar a vazão de um sistema hidráulico

Funcionamento: 200 rpm

100 rpm

50 rpm

87
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 12: Circuito Hidráulico das Bomba de Implementos

88
Circuito Hidráulico da Bomba Superior

89
Circuito Hidráulico da Bomba Inferior

90
Motores

91
Circuito Hidráulico

Localização de componentes:

 Motores:

1. Motor dos Tambores reunidores


2. Motor do Corte de Pontas
3. Motor de Triturador
4. Motor dos divisores de linha
5. Motor dos discos de corte lateral
6. Motor da transmissão
7. Motor do giro do capuz do extrator primário
8. Motor do extrator primário
9. Motor da esteira do elevador
10. Motor do giro do extrator secundário
11. Motor do extrator secundário
12. Motor do Picador

92
Circuito Hidráulico

Localização de componentes:

 Blocos hidráulicos

1. Bloco do Extrator Primário;


2. Bloco da direção;
3. Bloco do comando dos cilindros;
4. Válvula BA66;
5. Acumuladores;
6. Bloco auxiliar;
7. Bloco do sistema de arrefecimento;
8. Motor hidráulico de hélice do sistema
de arrefecimento;

93
Circuito Hidráulico

Localização de componentes:

 Blocos hidráulicos

1. Bloco do Elevador;
2. Divisor de Fluxo;
3. Valvistor dos rolos transportadores;
4. Bloco Picador;
5. Bombas de Engrenagens;
6. Bombas de Pistão;
7. Bloco do Corte de Base;
8. Divisor de Fluxo;
9. Bloco do disco de corte lateral;
10. Bloco do Corte de Pontas;

94
Circuito Hidráulico

Localização de componentes:

 Cilindros A8000

1. Mastro cortador pontas


2. Altura divisor de linha
3. Disco de corte lateral
4. Rolo tombador
5. Inclinação cabine
6. Giro do elevador
7. Subir elevador
8. Flap do Extrator
9. Elevação Suspensão
11. Indicador de altura (Auto Tracker)
13. Direção
15. Ajuste Cortador de Pontas (opcional)
16. Inclinação Divisor Linha std/45º

95
Circuito Hidráulico

Localização de componentes:

 Cilindros A8800

1. Mastro cortador pontas


2. Altura divisor de linha
3. Disco de corte lateral
4. Rolo tombador
5. Inclinação cabine
6. Giro do elevador
7. Subir elevador
8. Flap do Extrator
10. Elevação Suspensão
12. Indicador de altura (Auto Tracker)
14. Ajuste da Esteira
15. Ajuste Cortador de Pontas (opcional)
16.. Inclinação Divisor Linha std/45º

96
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 13: Manutenção Hidráulica

97
Manutenções

Limpeza na Colhedora

Observação:
 A limpeza é um item muito importante do plano de manutenção.
Manter a colhedora sempre limpa, evita possíveis princípios de
incêndio e possibilita um melhor rendimento durante a colheita
 Ao lavar os radiadores, sem limpa-lo primeiramente com ar para
retirar o excesso de sujeira e depois lave com jato de água. Após
a lavagem com água, seque todo o sistema com ar comprimido
 Ao lavar a caixa do motor, tome cuidado com os conectores,
sensores e cabos elétricos. Jato forte de água pode rompe-lo
 Antes de lavar a caixa do motor, garante que a temperatura do
motor esteja abaixo de 50º
 Nunca tente remover obstruções ou objetos da
máquina com o motor ou com os implementos
funcionando.

98
Manutenções

Plano de manutenção:

O plano de manutenção está no manual do operador que acompanha a máquina. Nele você
encontrará todos as manutenções necessárias para o perfeito funcionamento da colhedora

As manutenções da colhedora são divididas em:


 Manutenção diária
 Manutenção 50 horas (realizada com 50 horas)
 Manutenção 250 horas (realizada com 250 e depois a cada 250 horas)
 Manutenção 500 horas (realizada com 500 e depois a cada 500 horas)
 Manutenção 750 horas (realizada com 750 e depois a cada 750 horas)
 Manutenção 1000 horas (realizada com 1000 e depois a cada 1000 horas)
 Manutenção 1500 horas (realizada com 1500 e depois a cada 1500 horas)
 Manutenção 2500 horas (realizada com 2500 e depois a cada 2500 horas)

As manutenções são divididas em:

99
Manutenções

100
Manutenções

101
Manutenções

102
Manutenção no sistema hidráulico

Óleo Hidráulico: Akcela AW100


Verificar diariamente:
 nível de óleo do tanque principal diariamente – 480 litros
 nível de óleo da caixa de engrenagens diariamente – 1,6 litros

 Respiro do tanque principal não bloqueado


 Respiro da caixa de engrenagem não bloqueado

103
Manutenção no sistema hidráulico

Troca dos filtros de Retorno

 Três Filtros de Retorno (10 microns)


• Primeira troca: com 50 horas
• Segunda troca: com 750 horas
• As demais: a cada 750 horas

Procedimento de troca:

 Fechar os dois registros

 Drenar o Óleo (Bujão)

 Retirar as tampas 1, 2 e 3

1 2 3
 Substitua os filtros

Tomada de
pressão
ATENÇÃO:
Reabra os registros ao término da operação.

104
Manutenção no sistema hidráulico
Troca dos filtros de Sucção:

Três Filtros de Sucção (149 microns)

Filtro de Sucção

Os filtros podem ser trocados ou


limpos a cada safra

Procedimento de inspeção ou troca dos filtros de sucção::


 Feche os registros
 Drene o óleo e verifique o filtro removendo o cárter

Bujões
do
Dreno

Tampa
do
ATENÇÃO:
cárter Reabra os registros ao término da
operação.
105
Manutenção no sistema hidráulico
Filtro de Sucção:

São filtros de proteção do sistema de


transmissão (10 microns)

 Primeira troca: 50 horas


 Segunda troca: 250 horas
 As demais: a cada 250 horas

Procedimento de troca dos filtros


de sucção da transmissão:

 Fechar os dois registros.

 Drene o óleo da reservatório soltando


os tampões.

 Substitua os filtros.

 Certifique que os tampões soltos


anteriormente estejam fechados.

 ABRA OS REGISTROS

106
Manutenção no sistema hidráulico

Observação:

Após a troca dos filtros de sucção


da transmissão, retirar o ar através
dos pontos indicados

Após a trocas dos filtros de retorno ou sucção,


verificar novamente o nível do óleo hidráulico

107
Manutenções

Basculamento da Cabine

 A cabine pode ser inclinada para a direita. Isso permite acessar a caixa do motor,
além de diversas funções sob a cabine.

 Para inclinar a cabine, remova os pinos lynch e abaixe as travas de segurança nas
bases da cabine lado esquerdo.

 A8000  alinhar o elevador com a máquina antes de bascular a cabine.

OBS: antes de inclinar, abra o proteção lateral


para não quebrar o vidro da cabine.

108
Manutenções
Basculamento do Teto
 O teto pode ser basculado, obtendo acesso ao ar condicionado, faróis e lanterna.

 Tomar cuidado ao abaixar o teto após o basculamento, evitando danos na vedação.

OBS: o sistema de ventilação interno da cabine possui


filtros de ar para evitar a entrada de poeira dentro da
cabine. Estes filtros devem ser limpos a cada 50 hora e
trocados a cada 500 horas.

109
Manutenções

Radiadores

 Pacote de Radiadores (Cooling Package) constituído de:


1. Radiador de água
2. Radiador de óleo hidráulico
3. Intercooler
4. Radiador extra de óleo hidráulico
5. Condensador do ar condicionado
6. Radiador de óleo diesel
 Pressão positiva na caixa do motor;
 Reversão para limpeza a cada 20 min com opção de
acionamento pelo operador a qualquer momento
 Limpeza diária e verificação de tubos e mangueiras

Reversão

110
Implementos
Rodas e Cubos

• A8000: Verificar se as porcas de retenção das rodas traseiras e dianteiras estão


apertadas.
• Verificar as pressões dos Pneus
• Cubos traseiros: verificar se os parafusos que prendem na estrutura estão apertados.
• Verificar o nível de óleo e retirar o ar diariamente (cap.: 3,6L 85w140)
• Folga da esteira rodante: 45mm a 65mm
(retire a graxa para esticar a esteira e solte a mangueira do cilindro de tensionamento e
insira graxa para recolhe-la)

Solte a mangueira e insira graxa

Retire a graxa para tensionar a esteira

Dianteiro: Traseiro (industrial): Traseiro (agrícola):

111
Segurança nas manutenções

Segurança:
 Mantenha sempre os adesivos de segurança e de informações limpos e visíveis.

 Durante montagem, operação ou manutenção na máquina, utilize os EPI’s indicados.

 Não use joias ou roupas folgadas que podem enroscar-se com peças em movimento. Use
sempre roupas justas. Mantenha mãos, pés, roupas e cabelo afastados de peças em
movimento.

 Nunca tente remover obstruções ou objetos da máquina com o motor funcionando.

 Sempre desligue o motor e retire a chave da ignição ao sair do banco do operador ou da


máquina.

 Para efetuar manutenção na máquina, coloque-a sempre em uma superfície firme e plana.

 Mantenha a área utilizada para manutenção limpa e seca.

 Evite o contato com o ácido da bateria

 Antes de realizar qualquer solda na máquina desconectar o cabo da bateria.

 Sempre desconectar primeiro o negativo (-) depois o positivo (+). Ao conectar, primeiro o
positivo (+) depois o negativo (-).

112
Anotações

113
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 14: Sistema Elétrico e Componentes Elétricos

114
Componentes Elétricos

Motores Elétricos:
Os motores transformam energia elétrica em energia mecânica. São compostos por uma
parte fixa formada por imãs e uma parte móvel formada por um conjunto de bobinas.
Quando a corrente elétrica atravessa a bobina, o campo magnético gerado nos fios se opõe
ou é atraído, dependendo da posição da bobina, ao campo magnético do imã,
movimentando o rotor.

Motor elétricos da colhedora:

Motor Limpador Pára-brisa Motor do Ventilador

Localização: Teto da cabine Localização: Dentro da caixa preta no teto da


( Lado Direito ) cabine
( Lado Esquerdo )

115
Componentes Elétricos

Motor da Buzina Motor do Reservatório de Água

Localização: Teto da cabine


Localizado: Parte superior da cabine Localização: Parte inferior da cabine
(Lado Direito ) ( Lado Esquerdo )

Motor Giroflex

Localizado: Parte superior do teto da cabine

116
Componentes Elétricos

Interruptores:
Função: abrir e fechar o circuito

Circuito Aberto Circuito Fechado

117
Componentes Elétricos
Fusível
Função: Proteger os circuitos elétricos de sobrecargas

Composição:

 Pedaços finos de metal que se aquecem e derretem quando uma corrente elevada
passa por ele, abrindo o circuito

 Cada fusíveis suporta um valor de corrente limitada

 Podem ser diferenciados por cor ou pelo número marcado em sua cápsula

Sempre substituir por um fusível de mesma capacidade

Diferença entre um maxi fusível e um mini fusível

Protegido por uma capa termoplástica de alta


resistência térmica para proteção do Este modelo é utilizado para circuitos
elemento condutor contra mal contato e eletrônicos que exijam grande potência. Por
choque elétrico, é utilizado por automóveis ter um tamanho maior, possui uma melhor
de passeio e veículos pesados, e também dissipação de calor.
por aplicações eletrônicas de baixa tensão.

118
Componentes Elétricos

Tabela de cores de fusível:

Cor Corrente nominal

03 amp. Violeta

04 amp. Rosa

05 amp. Tangerina

7,5 amp. Marrom

10 amp. Vermelho

15 amp. Azul

20 amp. Amarelo

25 amp. Cristal

30 amp. Verde

40 amp. Laranja

119
Componentes Elétricos
Placa de Fusível

Localizada atrás do console lado direito

120
Componentes Elétricos

121
Componentes Elétricos

122
Componentes Elétricos

Relês

Os relês são basicamente interruptores eletromagnéticos.

São utilizados para:

• Segurança: através de uma baixa corrente permite a passagem de uma alta corrente

• Funcionalidade: exemplo: lâmpadas intermitentes, temporizadas, etc.

123
Componentes Elétricos
Tipos de Relês que compões o sistema elétrico da A8000::

Normal Aberto/Fechado: enquanto o relê estiver desabilitado, o circuito entre as linhas


30 (+positivo direto da bateria) e 87-a (saída normal fechada) permanecem fechados.
Quando o relê é ativado através das linhas 85 (-da bobina do relê) e 86 (+da bobina do relê)
o circuito entre as linha 30 e 87-a é aberta fechando o circuito entre a linha 30 e 87 (saída
normal aberta).

87a/4 87a/4

30/3 87/5 30/3 87/5

Bobina de Bobina de
85/2 86/1 85/2 86/1
comando comando

Desabilitado Habilitado

Eletrônico: os relês eletrônicos não possuem linha fixa por ser acionado eletronicamente.
O exemplo abaixo é do relê eletrônico existente na placa de fusíveis da colhedora de cana
A8000/8800

3 3

Circuito Circuito
4 1 4 1
Eletrônico Eletrônico

Desabilitado Habilitado

124
Componentes Elétricos

Potenciômetro
 Variar a resistência de acordo com a sua posição variando assim a corrente elétrica
que passa por ele

Solenoide

 Transformar um sinal elétrico em uma ação mecânica

Composição: bobina de fio com um êmbolo móvel


Funcionamento: a corrente elétrica para pela bobina
gerando um campo magnético que aciona um êmbolo ou
carretel permitindo ou bloqueando a passagem de óleo

125
Componentes Elétricos

Válvula Solenoide PWM

 Solenoide que trabalha com pulso variáveis, podendo assim variar as posições do
êmbolo ou carretel, tendo enumeras possibilidades de fluxo de óleo

Válvula PWM existentes na colhedora:

Válvula PWM de controle da rotação dos Válvula PWM de controle da rotação do


rolos transportadores extrator primário

126
Componentes Elétricos

Válvula PWM de controle da hélice do Válvula PWM de controle da altura da


ventilador suspensão

Válvula PWM de controle da transmissão

127
Componentes Elétricos

Sensores
 Os sensores transformam os sinais não elétricos em sinais elétricos

Sensor de temperatura Sensor de pressão

Sensor de rotação do picador Sensor de pressão do picador

Localização: Atrás do volante do picador Localização: No bloco do Picador


( lado direito da máquina ) ( lado esquerdo da máquina )

128
Componentes Elétricos

Sensor da porta de serviço Sensor de presença de água no diesel

Localização: Porta da caixa do motor Localização: Lado direito do chassi


( lado direito da maquina )

Sensor de rotação do extrator primário Sensor do pedal de freio

Localização: Acima do Extrator Primário Localização: em baixo da cabine


(Apenas máquinas 8000)

129
Componentes Elétricos

Sensor de temperatura do óleo hidráulico Sensor de altura do corte de base

Localização: Dentro da caixa de motor Localização: no cilindro de nitrogênio


( lado esquerdo da máquina ) ( Atrás da cabine)

Sensor de pressão do corte de base Sensor de rotação do corte de base

Localização: No Bloco do Corte de Base Localização: Atrás do Motor M51


( lado esquerdo da máquina ) ( lado esquerdo da máquina )

130
Componentes Elétricos

Sensor de posição da bomba de transmissão Sensor de nível de combustível

Localização: Atrás da solenóide da bomba Localização: Abaixo da cabine


( lado esquerdo da máquina )

Anotações

131
Componentes Eletrônicos

Módulos

 Módulos são componentes que recebem informação, processam estas informações e


tomam uma decisão
 A colhedora de cana da Série 8000 possui 8 módulos standard. São eles:

Display ECM

Joystick
Tração
Maestro II

132
Componentes Eletrônicos

RHM - Right Hand Module (Módulo da Mão Direita)

 Localização: dentro do console do lado direito

 Função: recebe o sinal dos botões do console e envia para a Rede CAN

SCM - Sugar Cane Module (Modulo Cana de Açúcar)

 Localização: abaixo do console do lado direito

 Função: Recebe o sinal do RHM, identifica a função e executa enviando o sinal para a
solenóide

SCM3
SCM2
SCM1

133
Componentes Eletrônicos

134
Componentes Eletrônicos

135
Componentes Eletrônicos

136
Componentes Eletrônicos

ECU - Engine Control Unit (Unidade Controle do Motor)

 Localização: bloco do motor

 Função: recebe os sinais dos sensores e determina a quantidade de combustível a


ser injetada e o momento certo de fazer a injeção

Display (Monitor)

 Localização: cabine

 Função: faz a interface entre o operador/técnico com os outros módulos e permite


visualizar e inserir informações para o software AFS, codificando a informação para a
Rede CAN

137
Componentes Eletrônicos

Joystick

 Localização: apoio do braço esquerdo

 Função: controlar o deslocamento da máquina

Maestro

Localização: sobre o SCM3

Função: recebe os sinais do Joystick e controla a bomba de transmissão

138
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 15: Rede CAN

139
Rede CAN

Rede CAN

 CAN = Controller Area Network


(Rede de Controle de Área)

 Rede de Comunicação entre os Módulos

 Finalidade: Reduzir o número de cabos e aumentar a confiabilidade

 Constituída por um par de fios


 CAN High (amarelo)
 CAN Low (verde)

REDE CAN COMPLETA

140
Rede CAN

Exemplo:

141
Rede CAN

Exemplo:

142
Rede CAN

Exemplo:

143
Rede CAN

Falhas na rede CAN:

 Caso a rede CAN apresente falhas o monitor apresentará o código de falhas:

144
Rede CAN

Testes da Rede CAN

Posição dos Pinos


A – Massa (BL)
B – Positivo (RD)
C – CAN H (YE)
D – CAN L (GN)
E – Comunicação
F – Comunicação serial com RHN (PK)
G Comunicação serial com RHM (BL)
H – CAN H (YE)
J – CAN L (GN)

145
Rede CAN

Teste da Rede CAN

CAN 1
CAN H (fio amarelo)

120Ω Localizado no Localizado no 120Ω


chicote da cabine ECU

CAN L (fio verde)

CAN 2
CAN H (fio amarelo)

120Ω Localizado no Localizado no 120Ω


chicote da cabine Chicote do elevador

CAN L (fio verde)

Resistores de mesmo valor ligados em paralelo

120
R=
2 R = 60Ω
146
Rede CAN

Teste de resistência da Rede CAN

CHAVE DE IGNIÇÃO DESLIGADA!!!!!!!


CAN 1
CAN H (fio amarelo)

CAN L (fio verde)

Resistência da Rede CAN 1


R = 60Ω
Rede CAN

OK!
Pinos C e D
Utilizando o multímetro com as pontas de
prova nos pino C e D devemos encontrar a
resistência especificada

147
Rede CAN

Teste de resistência da Rede CAN

CHAVE DE IGNIÇÃO DESLIGADA!!!!!!!


CAN 2
CAN H (fio amarelo)

CAN L (fio verde)

Resistência da Rede CAN 2


R = 60Ω
Rede CAN

OK!
Pinos H e J
Utilizando o multímetro com as pontas de
prova nos pino H e J devemos encontrar a
resistência especificada

148
Rede CAN

Teste de resistência da Rede CAN

CAN H (fio amarelo)

CAN L (fio verde)

Valores menores que 5 Ohm indicam que o cabo amarelo está


ATENÇÃO:
em curto circuito com o verde, repare ou troque o chicote

CAN H (fio amarelo)

CAN L (fio verde)

Caso o valor encontrado for igual a 120 Ohm indica que o cabo
ATENÇÃO:
amarelo ou o verde está rompido, repare ou troque o chicote

149
Rede CAN

Teste de tensão da Rede CAN

CHAVE DE IGNIÇÃO LIGADA!!!!!!!


Tensão da Rede CAN 1 Tensão da Rede CAN 2

V = 2,2a 2,8V
Chicote
Utilizando o multímetro com as pontas de
prova nos pino C D H J com a massa,
devemos encontrar a tensão especificada
OK!
150
Rede CAN

Teste de tensão da Rede CAN

Valores menores que 2,2 Volts indica falha em algum dos


ATENÇÃO:
módulos que mantêm a rede alimentada

Valores moires que 2,8 Volts indica curto circuito com


ATENÇÃO:
alimentação, repare ou troque o chicote

Resumo:

 RESISTÊNCIA = 60 Ω

 TENSÃO = de 2,2 a 2,8 V

― Pinos C e D (CAN 1)

― Pinos H e J (CAN 2)

151
Chicote

Chicote Elétrico

 Conjunto de cabos utilizados para alimentar um circuito elétrico e enviar e receber sinal

Cores dos cabos e suas funções:


 O cabos podem ser identificados pelas cores:

Vermelho – Positivo Direto


Preto – Negativo
Roxo - Luzes
Branco – Funções Positivas

Cinza – Funções Negativas


Laranja – Positivo Pós Chave
Amarelo – Sinal dos Sensores/Interruptores
Azul – Negativo de Referencia
Rosa – Positivo de Referência

152
Chicote

Localização de Componentes

1. Chicote da Cabine
2. Chicote Cortador de Pontas
3. Chicote Bloco Auxiliar
4. Chicote do Comando Principal
5. Chicote Motor IVECO
6. Chicote Mangueiras do Elevador
7. Chicote Comando do Elevador
8. Chicote Traseiro Lado Direito
9. Chicote do Teto da Cabine

153
Chicote

Localização de Componentes

10. Chicote Frontal


11. Chicote Bombas Tração
12. Chicote Traseiro Lado Esquerdo

154
Chicote

Pontos de Aterramento

GND 1 – Abaixo da placa de circuito impresso GND 2 – Em cima do teto da cabine lado direito

GND 3 – Próximo do bloco do disco de corte GND 4 – Parte dianteira do motor com acesso
lateral, no Chassi lado esquerdo por baixo da cabine

GND 5 – Abaixo dos motores do picador,


lado esquerdo do chassi

155
Chicote

Pontos de Aterramento

GND 7 – Acima do bloco principal,


GND 6 – Próximo ao bloco do elevador, parte lado direito do chassi
superior do elevador

GND 8 – No parafuso que fixa o coxim do motor GND 9 – Abaixo da cabine

GND 10 – Embaixo da cabine próximo ao coxim


traseiro direito

156
Chicote

Reparos no chicote elétrico:

 Buscar obter do operador uma descrição clara do problema e se possivel, operar a


máquina para confirmar.

 Ao realizar qualquer manutenção na colhedora, sempre desligue o chave geral,


situada no piso do lado esquerdo do assento do operardor

 Não reparar cabos de sensores, pois são blindados

 Ao realizar reparos nos chicotes, usar somente soldas com núcleo de resina. Outros
tipos de soldas podem resultar em danos no chicote ou interferir no sinal que passa
por eles

 Em manutenções ou reparos que será necessário utilizar soldas eletricas, desligue a


chave de ignição e desconecte os cabos da bateria

 Desconecte primeiro o negativo depois o positivo. Ao conectar, primeiro o positivo


depois o negativo

 Não utilizar fontes de 12 volts diretamente na solenoide para evitar danos ao sistema
elétrico da colhedora

 Nunca acoplar ou desacoplar conectores elétricos com o motor funcionando para


evitar danos na colhedora ou lesões por descargar elétricas inesperadas

 Se houver necessidade de limpar os conectores elétricos, deve-se usar spray limpa


contatos. Não usar nenhum outro método para limpar os terminais

 Não utilizar lâmpadas de teste com fonte de alimentação ou com lâmpadas


incandescente

157
Anotações

158
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 16: Diagnóstico de Falhas

159
Diagnóstico de Falhas

 É possível através do monitor, fazer um diagnóstico das possíveis falhas que a


colhedora pode apresentar

Alarme: Erro:
Problema Mecânico Problema Elétrico
Ex: A 2125 Ex: E 0295
Baixa pressão de óleo no motor Temperatura do óleo hidráulico

 Quando há uma falha ativa, o erro fica como “ativo” em vermelho no monitor
 Quando a falha foi resolvida, o erro fica como “OK” em verde no monitor

Ativo (Vermelho)

Já resolvido (Verde)

160
Diagnóstico de Falhas

Tela de Diagnóstico:

 Na tela diagnóstico do monitor,


podemos testar todas na
funções da colhedora. Isso nos
permite identificar se a falha é
de comando ou controle

 Para acessar a tela de


diagnóstico devemos:

• Pressione menu
• Diagnóstico
• A guia Diagnóstico e
acessar qual o circuito
que vai ser testado

161
Anotações

162
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 17: Calibração da Transmissão

163
Calibração de Transmissão

Por que calibramos a transmissão?

 A calibração é utilizada para alinhar as informações entre as bombas, o joystick e o


módulo maestro
 Deve ser realizada somente após um reparo em componente ligados diretamente
ao sistema eletrônico da transmissão ou quando não haver uma conformidade nas
informações entre joystick, bombas e módulo maestro

 As calibrações referentes a transmissão são:

• Deslocamento de Bombas
• Ângulo de Roda
• Solenoide de Direção
• Solenoide de Tração
• Balanço de Bombas

164
Calibração de Transmissão

Tipos de calibração

 Deslocamento da bomba : este procedimento permite que o módulo Maestro


reconheça os valores apresentados pelo sensor da bomba nas posições neutro e de
máximo deslocamento.

 Solenoides da tração : este procedimento de calibração permite que o módulo


Maestro reconheça os valores mínimos de sinal que devem ser enviados para as
solenoides das bombas começarem a controlar o fluxo de óleo.

 Balanço das bombas: este procedimento equaliza eletronicamente os sinais


enviados as solenoides das bombas, compensando a diferença de eficiência e
fazendo que as duas esteiras andem no mesmo passo, evitando o desvio da
máquina.

 Sensor da Direção (Ângulo da roda):este procedimento permite que o módulo


Maestro reconheça os valores do sensor de posição do cilindro em neutro e
totalmente a esquerda e a direita. Isso evita o desalinhamento da máquina e melhora
a eficiência do sistema.

 Solenoides da direção: este procedimento de calibração permite que o módulo


Maestro reconheça os valores mínimos de sinal que devem ser enviados para as
solenoides do bloco hidráulico da direção começarem a controlar o fluxo de óleo.

165
Calibração de Transmissão

Sequência de calibração:

A8000 A8800

Deslocamento de bomba Deslocamento de bomba

Solenóide de tração Solenóide de tração

Deslocamento de bomba Deslocamento de bomba

Ângulo de roda Balanço de bombas

Solenóide de direção

Ângulo de roda

OBS: Para o deslocamento de bombas o modo Cruiser debe ser ativado

166
Anotações

167
Mecânica, Hidráulica e Elétrica - Clientes
Seção 18: Caderno de Exercício

168
Quais as principais características que diferenciam os dois modelos de colhedoras
de cana?

Qual o objetivo do sistema Smart Cruise?

De que forma o sistema Smart Cruise atinge seu objetivo?

Quais as informações necessárias para que o sistema Smart execute seu


trabalho?

Qual caminho que temos que seguir no monitor para acessarmos a tela que nos
permite selecionar a curva de potência mais adequada com ou sem o controle do
Smart Cruiser?

169
Qual a especificação do óleo utilizado no motor C9 da colhedora A8000 e qual seu
período de troca?

Qual a função do filtro Blow-by?

Quantas vezes podemos limpar o filtro de ar?

Quantas e de que tipo são as bombas compõem o circuito hidráulico das


colhedoras de cana da série A8000?

Identifique na figura abaixo as bombas e que circuito elas alimentam:

170
Qual o óleo utilizado na caixa de bombas e qual seu período de troca?

Qual o óleo utilizado na caixa do Corte de Base, Picador e Cubo Redutor?


Quando ele deve ser trocado?

Qual a função de uma válvula direcional (Cetop)?

O que muda entre uma válvula Cetop de centro aberto, centro fechado, flutuante e
tipo tánden?

Cite os dois tipos de válvulas piloto que existem no sistema hidráulico da colhedora:

171
O rolo tombador foi desenvolvido para auxiliar na cana caída ou na cana em pé?
Por que?

Qual a função do sistema Auto Tracker?

Quais parâmetros são utilizados para que o Auto Tracker execute sua função?

Para se trabalhar com o sistema Auto Tracker em que posição deve estar o
registro?

( ) Aberto

( ) Fechado

Qual procedimento devemos seguir para verificar o nível de óleo do sistema Auto
Tracker?

Em qual posição deve estar a suspensão para fecharmos o registro do sistema


Auto Tracker?

172
Qual o período de troca do óleo do sistema Auto Tracker?

Onde está localizado o conversor de volume e o sensor de altura do sistema Auto


Tracker? Caso necessário, por onde repomos o óleo do sistema?

Quando fazemos a calibração de condições de trabalho?

Quando fazemos a calibração de corte de base?

Quando fazemos a calibração de pressão mínima do cortador de base?

173
Qual a função do volante do picador?

A cana colhida pela colhedora A8000 pode ser picada entre 180mm e 220mm. O
que muda na máquina para termos essa variação de tamanho de tolete?

Qual a função do “Anel Anti-Vortex”?

Em colheita para qual lado deve estar posicionado o capuz do extrator primário ?

Liste abaixo todos os itens que devem ser trocados na manutenção de 50 horas.

1
2
3
4
5
6

Quais revisões compõem o plano de manutenção da colhedora?

174
Na tela “Ferramentas” do monitor Pró 700 que equipam as colhedoras de cana,
existem configurações que podem prejudicar o funcionamento da máquina caso
sejam alterados incorretamente, principalmente nas telas de Corte de Base e
Picador. Quais os parâmetros que podem ser alterados durante a operação que
não prejudicam o funcionamento da máquina?

Qual a função da válvula BA66 quando os implementos estão acionados no


sentido de colheita?

No sistema hidráulico da colhedora existem dois valvistores. O que faz e quais


circuitos possuem este componente?

O que acontece caso o operador levante do assento quando a máquina estiver


colhendo?

Porque o óleo hidráulico, após retornar ao bloco, precisa ir para tanque?

175
Qual a função de um fusível?

Como podemos diferencia a capacidade de corrente que um fusível suporta?

Quando um fusível queima devemos:

( ) trocar por um de maior capacidade

( ) trocar por um de mesma capacidade

( ) trocar por um de menor capacidade

Na placa de fusíveis existem vários relês. Qual a função destes reles?

Quais tipos de relês temos na colhedora de cana?

Qual a função do potenciômetro da bomba da transmissão?

176
Centro de treinamento de
Piracicaba

Contém informações e segredos comerciais confidenciais da CNH Industrial. Qualquer uso deste trabalho, sem o consentimento expresso por escrito é estritamente proibida