Você está na página 1de 19

SOCIOLOGIA

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 1 13/09/17 9:21 AM


SOCIOLOGIA ENEM

No canto registrado pela cultura popular, a carac-


TEMA 1
terística do mundo rural brasileiro no século XX
Sociedade global destacada é a
a) atuação da bancada ruralista.
1 (Enem) Um carro esportivo é financiado pelo Ja- b) expansão da fronteira agrícola.
pão, projetado na Itália e montado em Indiana, c) valorização da agricultura familiar.
México e França, usando os mais avançados com- d) manutenção da concentração fundiária.
ponentes eletrônicos, que foram inventados em e) implementação da modernização conservadora.
Nova Jérsei e fabricados na Coreia. A campanha
publicitária é desenvolvida na Inglaterra, filmada TEMA 3
no Canadá, a edição e as cópias, feitas em Nova
York para serem veiculadas no mundo todo. Teias Cultura contemporânea
globais disfarçam-se com o uniforme nacional que
lhes for mais conveniente. 1 (Enem)
REICH, R. O trabalho das nações: preparando-nos para o capitalismo
no século XXI. São Paulo: Educator, 1994. (Adaptado.) Hoje, a indústria cultural assumiu a herança
civilizatória da democracia de pioneiros e empre-
A viabilidade do processo de produção ilustrado sários, que tampouco desenvolvera uma fineza de
pelo texto pressupõe o uso de
sentido para os desvios espirituais. Todos são livres
a) linhas de montagem e formação de estoques.
para dançar e para se divertir, do mesmo modo
b) empresas burocráticas e mão de obra barata.
c) controle estatal e infraestrutura consolidada.
que, desde a neutralização histórica da religião, são
d) organização em rede e tecnologia de informação. livres para entrar em qualquer uma das inúmeras
e) gestão centralizada e protecionismo econômico. seitas. Mas a liberdade de escolha da ideologia,
que reflete sempre a coerção econômica, revela-se
em todos os setores como a liberdade de escolher
TEMA 2
o que é sempre a mesma coisa.
Sociedade brasileira ADORNO, T; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento:
fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

1 (Enem PPL)
A liberdade de escolha na civilização ocidental, de
Canto dos lavradores de Goiás acordo com a análise do texto, é um(a)
a) legado social.
Tem fazenda e fazenda
b) patrimônio político.
Que é grande perfeitamente c) produto da moralidade.
d) conquista da humanidade.
Sobe serra desce serra
e) ilusão da contemporaneidade.
Salta muita água corrente
Sem lavoura e sem ninguém TEMA 4
O dono mora ausente. Práxis política
Lá só tem caçambeiro
1 (Enem)
Tira onda de valente A favela é vista como um lugar sem ordem,
Isso é que é grande barreira capaz de ameaçar os que nela não se incluem.
Atribuir-lhe a ideia de perigo é o mesmo que re-
Que está em nossa frente
afirmar os valores e estruturas da sociedade que
Tem muita gente sem terra busca viver diferentemente do que se considera
Tem muita terra sem gente. viver na favela. Alguns oficiantes do direito, ao de-
MARTINS, J. S. Cativeiro da terra.
fenderem ou acusarem réus moradores de favelas,
São Paulo: Ciências Humanas, 1979. usam em seus discursos representações previa-

2    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 2 13/09/17 9:21 AM


mente formuladas pela sociedade e incorporadas
TEMA 6
nesse campo profissional. Suas falas se funda-
mentam nas representações inventadas a respeito Sociologia brasileira
da favela e que acabam por marcar a identidade
dos indivíduos que nela residem. 1 (Enem)
RINALDI, A. Marginais, delinquentes e vítimas: um estudo sobre Em sociedade de origens tão nitidamente per-
a representação da categoria favelado no tribunal do júri da cidade do
Rio de Janeiro. In: ZALUAR, A.; ALVITO, M. (Orgs.). sonalistas como a nossa, é compreensível que os
Um século de favela. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1998. simples vínculos de pessoa a pessoa, independen-
tes e até exclusivos de qualquer tendência para a
O estigma apontado no texto tem como conse-
quência o(a)
cooperação autêntica entre os indivíduos, tenham
a) aumento da impunidade criminal. sido quase sempre os mais decisivos. As agrega-
b) enfraquecimento dos direitos civis. ções e relações pessoais, embora por vezes precá-
c) distorção na representação política. rias, e, de outro lado, as lutas entre facções, entre
d) crescimento dos índices de criminalidade. famílias, entre regionalismos, faziam dela um todo
e) Ineficiência das medidas socioeducativas. incoerente e amorfo. O peculiar da vida brasileira
parece ter sido, por essa época, uma acentuação
TEMA 5 singularmente enérgica do afetivo, do irracional,
do passional e uma estagnação ou antes uma atro-
Desenvolvimento e crise fia correspondente das qualidades ordenadoras,
disciplinadoras, racionalizadoras.
1 (Enem) HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

Texto I Um traço formador da vida pública brasileira ex-


Dezenas de milhares de pessoas comparece- pressa-se, segundo a análise do historiador, na
ram à maior manifestação anti-troika (Comissão a) rigidez das normas jurídicas.
Europeia, Banco Central Europeu e FMI) em b) prevalência dos interesses privados.
Atenas contra a austeridade e os cortes de gastos c) solidez da organização institucional.
públicos aprovados neste domingo no parlamen- d) legitimidade das ações burocráticas.
e) estabilidade das estruturas políticas.
to grego.
Disponível em: <www.cartamaior.com.br>. Acesso em: 8 nov. 2013.
TEMA 7
Texto II
As políticas de austeridade transferem o ônus Antropologia
econômico para as classes trabalhadoras. Para di-
1 (Enem)
minuir os prejuízos do capital financeiro, socia-
lizam as perdas entre as classes trabalhadoras. Quando surgiram as primeiras notícias sobre a
O capitalismo não foi capaz de integrar os traba- presença de seres estranhos, chegados em barcos
lhadores e ao mesmo tempo protegê-los. grandes como montanhas, que montavam numa es-
pécie de veados enormes, tinham cães grandes e fe-
Entrevista com Ruy Braga. Revista IHU online. Disponível em:
<www.ihu.unisinos.br>. Acesso em: 8 nov. 2013. (Adaptado.) rozes e possuíam instrumentos lançadores de fogo,
Montezuma e seus conselheiros ficaram pensando:
Diante dos fatos e da análise apresentados, a po- de um lado, talvez Quetzalcóatl houvesse regressa-
lítica econômica e a demanda popular correlacio-
do, mas, de outro, não tinham essa confirmação.
nada encontram-se, respectivamente, em
PINSKY, J. et. al. História da América através de textos.
a) controle da dívida interna e implementação das São Paulo: Contexto, 2007. (Adaptado.)
regras patronais.
b) afrouxamento da economia de mercado e su- A dúvida apresentada inseria-se no contexto da
peração da lógica individualista. chegada dos primeiros europeus à América, e sua
c) aplicação de plano desenvolvimentista e afir- origem estava relacionada ao
mação das conquistas neoliberais. a) domínio da religião e do mito.
d) defesa dos interesses corporativos do capital e b) exercício do poder e da política.
manutenção de direitos sociais. c) controle da guerra e da conquista.
e) mudança na estrutura do sistema produtivo e d) nascimento da filosofia e da razão.
democratização do acesso ao trabalho. e) desenvolvimento da ciência e da técnica.

Sociologia   3

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 3 13/09/17 9:21 AM


2 (Enem) palavras a respeito do pai que lutava pelo Talibã
Quanto ao “choque de civilizações”, é bom – não é necessário pensar muito sobre qual teria
lembrar a carta de uma menina americana de sete sido a nossa reação.
anos cujo pai era piloto na Guerra do Afeganistão: ZIZEK, S. Bem-vindo ao deserto do real.
São Paulo: Bom Tempo, 2003.
ela escreveu que – embora amasse muito seu pai
– estava pronta a deixá-lo morrer, a sacrificá-lo A situação imaginária proposta pelo autor explici-
pelo seu país. Quando o presidente Bush citou ta o desafio cultural do(a)
suas palavras, elas foram entendidas como ma- a) prática da diplomacia.
nifestação “normal” de patriotismo americano; b) exercício da alteridade.
vamos conduzir uma experiência mental simples c) expansão da democracia.
e imaginar uma menina árabe maometana pa- d) universalização do progresso.
teticamente lendo para as câmeras as mesmas e) conquista da autodeterminação.

ANOTAÇÕES

4    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 4 13/09/17 9:21 AM


SOCIOLOGIA COMPLEMENTO ENEM

2 (Enem)
TEMA 1
Existe uma cultura política que domina o sis-
Sociedade global tema e é fundamental para entender o conserva-
dorismo brasileiro. Há um argumento, partilhado
1 (Enem)
pela direita e pela esquerda, de que a sociedade
Atualmente, as represálias econômicas con- brasileira é conservadora. Isso legitimou o conser-
tra as empresas de informática norte-americanas vadorismo do sistema político: existiriam limites
continuam. A Alemanha proibiu um aplicativo dos para transformar o país, porque a sociedade é
Estados Unidos de compartilhamento de carros; conservadora, não aceita mudanças bruscas. Isso
na China, o governo explicou que os equipamentos justifica o caráter vagaroso da redemocratização
e serviços de informática norte-americanos repre- e da redistribuição da renda. Mas não é assim.
sentam uma ameaça, pedindo que as empresas A sociedade é muito mais avançada que o sistema
estatais não recorram a eles. político. Ele se mantém porque consegue conven-
SCHILLER, D. Disponível em: <www.diplomatique.org.br>. cer a sociedade de que é a expressão dela, de seu
Acesso em: 11 nov. 2014. (Adaptado.)
conservadorismo.
As ações tomadas pelos países contra a espiona- NOBRE, M. Dois ismos que não rimam. Disponível em:
gem revelam preocupação com o(a) <www.unicamp.br>. Acesso em: 28 mar. 2014. (Adaptado.)
a) subsídio industrial.
A característica do sistema político brasileiro, res-
b) hegemonia cultural.
saltada no texto, obtém sua legitimidade da
c) protecionismo dos mercados.
a) dispersão regional do poder econômico.
d) desemprego tecnológico.
b) polarização acentuada da disputa partidária.
e) segurança dos dados.
c) orientação radical dos movimentos populares.
d) condução eficiente das ações administrativas.
TEMA 2 e) sustentação ideológica das desigualdades
existentes.
Sociedade brasileira

1 (Enem) TEMA 3

Cultura contemporânea

1 (Enem)

Texto I

BROCOS, R. A redenção de Cam, 1895. Disponível em:


<http://mnba.gov.br>. Acesso em: 13 jan. 2013.

Na imagem, o autor procura representar as dife-


rentes gerações de uma família associada a uma
noção consagrada pelas elites intelectuais da épo-
ca, que era a de
a) defesa da democracia racial.
Tradução: “As mulheres do futuro
b) idealização do universo rural.
farão da Lua um lugar mais limpo
c) crise dos valores republicanos. para se viver”.
d) constatação do atraso sertanejo. Disponível em: <www.propagandashistoricas.com.br>.
e) embranquecimento da população. Acesso em: 16 out. 2015.

Sociologia   5

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 5 13/09/17 9:21 AM


Texto II 3 (Enem)

Metade da nova equipe da Nasa é Ações de educação patrimonial são realizadas


composta por mulheres em diferentes contextos e localidades e têm mos-
Até hoje, cerca de 350 astronautas america- trado resultados surpreendentes ao trazer à tona
nos já estiveram no espaço, enquanto as mulheres a autoestima das comunidades. Em alguns casos,
não chegam a ser um terço desse número. Após promovem o desenvolvimento local e indicam solu-
o anúncio da turma composta 50% por mulhe- ções inovadoras de reconhecimento e salvaguarda
res, alguns internautas escreveram comentários do patrimônio cultural para muitas populações.
machistas e desrespeitosos sobre a escolha nas PELEGRINI, S. C. A.; PINHEIRO, A. P. (Orgs.).
Tempo, memória e patrimônio cultural. Piauí: Edupi, 2010.
redes sociais.
Disponível em: <https://catracalivre.com.br>. Acesso em: 10 mar. 2016. A valorização dos bens mencionados encontra-se
correlacionada a ações educativas que promovem a(s)
A comparação entre o anúncio publicitário de a) evolução de atividades artesanais herdadas
1968 e a repercussão da notícia de 2016 mostra a do passado.
a) elitização da carreira científica. b) representações sociais formadoras de identida-
b) qualificação da atividade doméstica. des coletivas.
c) ambição de indústrias patrocinadoras. c) mobilizações políticas criadoras de tradições
d) manutenção de estereótipos de gênero. culturais urbanas.
e) equiparação de papéis nas relações familiares. d) hierarquização de festas folclóricas praticadas
2 (Enem) por grupos locais.
e) formação escolar dos jovens para o trabalho
Texto I realizado nas comunidades.

4 (Enem)

Não estou mais pensando como costumava


pensar. Percebo isso de modo mais acentuado quan-
do estou lendo. Mergulhar num livro, ou num longo
artigo, costumava ser fácil. Isso raramente ocorre
atualmente. Agora minha atenção começa a divagar
depois de duas ou três páginas. Creio que sei o que
está acontecendo. Por mais de uma década venho
passando mais tempo on-line, procurando e sur-
fando e algumas vezes acrescentando informação
Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br>. Acesso em: 6 abr. 2016.
à grande biblioteca da internet. A internet tem sido
Texto II uma dádiva para um escritor como eu. Pesquisas
A eleição dos novos bens, ou melhor, de novas que antes exigiam dias de procura em jornais ou na
formas de se conceber a condição do patrimônio biblioteca agora podem ser feitas em minutos. Como
cultural nacional, também permite que diferen- disse o teórico da comunicação Marshall McLuhan
tes grupos sociais, utilizando as leis do Estado e o nos anos 60, a mídia não é apenas um canal passivo
apoio de especialistas, revejam as imagens e ale- para o tráfego de informação. Ela fornece a matéria,
gorias do seu passado, do que querem guardar e mas também molda o processo de pensamento. E o
definir como próprio e identitário. que a net parece fazer é pulverizar minha capacida-
de de concentração e contemplação.
ABREU, M.; SOIHET, R.; GONTIJO, R. (Orgs.). Cultura política e
leituras do passado: historiografia e ensino de história. CARR, N. Is Google making us stupid? Disponível em:
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. <www.theatlantic.com>. Acesso em: 17 fev. 2013. (Adaptado.)

O texto chama a atenção para a importância da Em relação à internet, a perspectiva defendida pelo
proteção de bens que, como aquele apresentado autor ressalta um paradoxo que se caracteriza por
na imagem, se identificam como: a) associar uma experiência superficial à abundân-
a) Artefatos sagrados. cia de informações.
b) Heranças materiais. b) condicionar uma capacidade individual à desor-
c) Objetos arqueológicos. ganização da rede.
d) Peças comercializáveis. c) agregar uma tendência contemporânea à ace-
e) Conhecimentos tradicionais. leração do tempo.

6    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 6 13/09/17 9:21 AM


d) aproximar uma mídia inovadora à passividade igualdade entre todos os seres humanos em relação
da recepção. aos direitos fundamentais é o resultado de um pro-
e) equiparar uma ferramenta digital à tecnologia cesso de gradual eliminação de discriminações e, por-
analógica. tanto, de unificação daquilo que ia sendo reconhecido
como idêntico: uma natureza comum do homem aci-
TEMA 4 ma de qualquer diferença de sexo, raça, religião, etc.
BOBBIO, N. Teoria geral da política: a filosofia política
Teoria política e as lições dos clássicos. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

1 (Enem) De acordo com o texto, a construção de uma so-


ciedade democrática fundamenta-se em:
Texto I a) A norma estabelecida pela disciplina social.
Até aqui expus a natureza do homem (cujo or- b) A pertença dos indivíduos à mesma categoria.
gulho e outras paixões o obrigaram a submeter-se c) A ausência de constrangimentos de ordem
pública.
ao governo), juntamente com o grande poder do seu
d) A debilitação das esperanças na condição
governante, o qual comparei com o Leviatã, tiran-
humana.
do essa comparação dos dois últimos versículos do e) A garantia da segurança das pessoas e valo-
capítulo 41 de Jó, onde Deus, após ter estabelecido res sociais.
o grande poder do Leviatã, lhe chamou Rei dos So-
berbos. Não há nada na Terra, disse ele, que se lhe
possa comparar. TEMA 5
HOBBES, T. O Leviatã. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Práxis política
Texto II
1 (Enem)
Eu asseguro, tranquilamente, que o governo
civil é a solução adequada para as inconveniências O Movimento Negro Unificado (MNU) dis-
do estado de natureza, que devem certamente ser tingue-se do Teatro Experimental do Negro (TEN)
grandes quando os homens podem ser juízes em por sua crítica ao discurso nacional hegemônico.
causa própria, pois é fácil imaginar que um homem Isto é, enquanto o TEN defende a plena integração
tão injusto a ponto de lesar o irmão dificilmente será simbólica dos negros na identidade nacional “hí-
justo para condenar a si mesmo pela mesma ofensa. brida”, o MNU condena qualquer tipo de assimila-
ção, fazendo do combate à ideologia da democracia
LOCKE, J. Segundo tratado sobre o governo civil. Petrópolis: Vozes, 1994.
racial uma das suas principais bandeiras de luta,
Thomas Hobbes e John Locke, importantes teó- visto que, aos olhos desse movimento, a igualdade
ricos contratualistas, discutiram aspectos ligados formal assegurada pela lei entre negros e brancos
à natureza humana e ao Estado. Thomas Hobbes, e a difusão do mito de que a sociedade brasileira
diferentemente de John Locke, entende o estado não é racista teriam servido para sustentar, ideo-
de natureza como um(a) logicamente, a opressão racial.
a) condição de guerra de todos contra todos, miséria
COSTA, S. Dois Atlânticos: teoria social, antirracismo, cosmopolitismo.
universal, insegurança e medo da morte violenta. Belo Horizonte: UFMG, 2006 (adaptado).
b) organização pré-social e pré-política em que
o homem nasce com os direitos naturais: vida, No texto, são comparadas duas organizações do
liberdade, igualdade e propriedade. movimento negro brasileiro, criadas em diferentes
c) capricho típico da menoridade, que deve ser contextos históricos: o TEN, em 1944, e o MNU,
eliminado pela exigência moral, para que o ho- em 1978. Ao assumir uma postura divergente da
mem possa constituir o Estado civil. do TEN, o MNU pretendia
d) situação em que os homens nascem como de- a) pressionar o governo brasileiro a decretar a
tentores de livre-arbítrio, mas são feridos em igualdade racial.
sua livre decisão pelo pecado original. b) denunciar a permanência do racismo nas rela-
e) estado de felicidade, saúde e liberdade que é ções sociais.
destruído pela civilização, que perturba as re- c) contestar a necessidade da igualdade entre
lações sociais e violenta a humanidade. negros e brancos.
d) defender a assimilação do negro por meios não
2 (Enem)
democráticos.
O processo de justiça é um processo ora de diver- e) divulgar a ideia da miscigenação como marca
sificação do diverso, ora de unificação do idêntico. A da nacionalidade.

Sociologia   7

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 7 13/09/17 9:21 AM


2 (Enem) b) consolidação do movimento operário interna-
cional.
A democracia deliberativa afirma que as partes
c) promoção de consenso com as elites políti-
do conflito político devem deliberar entre si e, por cas locais.
meio de argumentação razoável, tentar chegar a um d) constituição de espaços de debates transver-
acordo sobre as políticas que seja satisfatório para sais globais.
todos. A democracia ativista desconfia das exor- e) construção das pautas com os partidos políti-
tações à deliberação por acreditar que, no mundo cos socialistas.
real da política, onde as desigualdades estruturais
influenciam procedimentos e resultados, proces- TEMA 6
sos democráticos que parecem cumprir as normas
de deliberação geralmente tendem a beneficiar os Desenvolvimento e crise
agentes mais poderosos. Ela recomenda, portanto,
que aqueles que se preocupam com a promoção de 1 (Enem)
mais justiça devem realizar principalmente a ativi- No final do século XX e em razão dos avanços
dade de oposição crítica, em vez de tentar chegar a da ciência, produziu-se um sistema presidido pelas
um acordo com quem sustenta estruturas de poder técnicas da informação, que passaram a exercer
existentes ou delas se beneficia. um papel de elo entre as demais, unindo-as e asse-
YOUNG, I. M. Desafios ativistas à democracia deliberativa. gurando ao novo sistema uma presença planetária.
Revista Brasileira de Ciência Política, n. 13, jan.-abr. 2014.
Um mercado que utiliza esse sistema de técnicas
As concepções de democracia deliberativa e de avançadas resulta nessa globalização perversa.
democracia ativista apresentadas no texto tratam SANTOS, M. Por uma outra globalização.
como imprescindíveis, respectivamente, Rio de Janeiro: Record, 2008. (Adaptado.)
a) a decisão da maioria e a uniformização de
Uma consequência para o setor produtivo e outra
direitos.
para o mundo do trabalho advindas das transfor-
b) a organização de eleições e o movimento
mações citadas no texto estão presentes, respec-
anarquista.
tivamente, em:
c) a obtenção do consenso e a mobilização das
a) Eliminação das vantagens locacionais e amplia-
minorias.
ção da legislação laboral.
d) a fragmentação da participação e a desobedi-
b) Limitação dos fluxos logísticos e fortalecimento
ência civil.
de associações sindicais.
e) a imposição de resistência e o monitoramento
c) Diminuição dos investimentos industriais e des-
da liberdade.
valorização dos postos qualificados.
2 (Enem) d) Concentração das áreas manufatureiras e redu-
ção da jornada semanal.
Cúpula dos Povos começa como e) Automatização dos processos fabris e aumento
contraponto à Rio120 dos níveis de desemprego.
Enquanto a conferência oficial no Riocentro,
2 (Enem)
na Barra, é restrita a participantes credenciados,
que só entram depois de passar por um forte con- O mercado tende a gerir e regulamentar todas
trole de segurança, a Cúpula dos Povos é aberta as atividades humanas. Até há pouco, certos campos
ao público, em tendas ao ar livre no Aterro do Fla- – cultura, esporte, religião – ficavam fora do seu al-
mengo. Ela é aberta também às tribos e discussões cance. Agora, são absorvidos pela esfera do mercado.
mais diversas, em mesas de debate e painéis ge- Os governos confiam cada vez mais nele (abandono
ridos pelos próprios participantes, buscando pro- dos setores de Estado, privatizações).
mover a mobilização social. Problemas ambientais, RAMONET, I. Guerras do século XXI:
novos temores e novas ameaças. Petrópolis: Vozes, 2003.
econômicos, sociais, políticos e de minorias serão
discutidos no evento, afirma uma ativista norte- No texto é apresentada uma lógica que constitui
-americana, em alusão ao movimento que ocupou uma característica central do seguinte sistema so-
Wall Street, em Nova York, no ano passado. cioeconômico:
a) Socialismo.
Disponível em: <www.bbc.co.uk>. Acesso em: 14 ago. 2012.
b) Feudalismo.
Uma articulação entre as agendas ambientalistas c) Capitalismo.
e a antiglobalização indica a d) Anarquismo.
a) humanização do sistema capitalista financeiro. e) Comunitarismo.

8    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 8 13/09/17 9:21 AM


TEMA 7

Trabalho

1 (Enem)

THAVES. Jornal do Brasil, 19 fev. 1997. (Adaptado.)

A forma de organização interna da indústria citada gera a seguinte consequência para a mão de obra nela inserida:
a) Ampliação da jornada diária.
b) Melhoria da qualidade do trabalho.
c) Instabilidade nos cargos ocupados.
d) Eficiência na prevenção de acidentes.
e) Desconhecimento das etapas produtivas.

TEMA 8

Durkheim e Weber

1 (Enem)

A sociologia ainda não ultrapassou a era das construções e das sínteses filosóficas. Em vez de assumir a
tarefa de lançar luz sobre uma parcela restrita do campo social, ela prefere buscar as brilhantes generalidades
em que todas as questões são levantadas sem que nenhuma seja expressamente tratada. Não é com exames
sumários e por meio de intuições rápidas que se pode chegar a descobrir as leis de uma realidade tão complexa.
Sobretudo, generalizações às vezes tão amplas e tão apressadas não são suscetíveis de nenhum tipo de prova.
DURKHEIM, E. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

O texto expressa o esforço de Émile Durkheim em construir uma sociologia com base na
a) vinculação com a filosofia como saber unificado.
b) reunião de percepções intuitivas para demonstração.
c) formulação de hipóteses subjetivas sobre a vida social.
d) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.
e) incorporação de um conhecimento alimentado pelo engajamento político.

2 (Enem)

A crescente intelectualização e racionalização não indicam um conhecimento maior e geral das condi-
ções sob as quais vivemos. Significa a crença em que, se quiséssemos, poderíamos ter esse conhecimento a
qualquer momento. Não há forças misteriosas incalculáveis; podemos dominar todas as coisas pelo cálculo.
WEBER, M. A ciência como vocação. In: GERTH, H.; MILLS, W. (Org.). Max Weber: ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1979. (Adaptado.)

Tal como apresentada no texto, a proposição de Max Weber a respeito do processo de desencantamento
do mundo evidencia o(a)
a) progresso civilizatório como decorrência da expansão do industrialismo.
b) extinção do pensamento mítico como um desdobramento do capitalismo.
c) emancipação como consequência do processo de racionalização da vida.
d) afastamento de crenças tradicionais como uma característica da modernidade.
e) fim do monoteísmo como condição para a consolidação da ciência.

Sociologia   9

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 9 13/09/17 9:21 AM


SOCIOLOGIA VESTIBULARES

a) A força militar contemporânea, por seu poder


TEMA 1
de persuasão e atributos personalísticos, é
Durkheim e Weber um agente exemplar do tipo de dominação
carismática.
1 (UFU-MG – Adaptada) b) Na sociedade contemporânea, o poder com-
partilhado entre cidadãos e Estado, para o uso
Durkheim parte da proposição: ‘cada socie-
da força, define a dominação legítima do tipo
dade tem sua moral’; o que todo mundo pode
racional-legal.
admitir. De fato, a moral da sociedade romana
c) O Estado contemporâneo caracteriza-se pela
difere concretamente da moral do Estado so- fragmentação do poder de força, conforme o
viético ou do Estado liberal norte-americano. tipo ideal de dominação carismática, a exemplo
É verdade que cada sociedade tem instituições, do patriarca.
crenças ou práticas morais que lhe são próprias, d) O Estado contemporâneo define-se pelo direi-
e que caracterizam o tipo a que essas sociedades to de monopólio do uso da força, baseado na
pertencem. dominação legítima do tipo racional-legal.
ARON, R. As etapas do pensamento sociológico. e) O tipo ideal de dominação tradicional é exer-
São Paulo: Martins Fontes, 1993. p. 360-361. cido com base na legitimidade e na legalidade
do poder de uso democrático da força pelo
São exemplos de instituições essenciais para a
Estado contemporâneo.
sociedade na concepção de Durkheim:
a) Família, escola e Estado.
b) Casamento, escola e classes sociais. TEMA 2
c) Família, solidariedade mecânica e justiça.
Marx e marxistas
d) Política, solidariedade orgânica e classes sociais.
e) Empresa, artes e revolução.
1 (UEL-PR) O dinheiro alterou enormemente as re-
2 (UEL-PR) Leia o texto a seguir e responda à lações sociais e, no desenvolvimento da história
questão. econômica da sociedade, atingiu o seu ápice com
o modo de produção capitalista. Com base nos
O desenvolvimento da civilização e de seus
conhecimentos sobre os estudos de Karl Marx, as-
modos de produção fez aumentar o poder bélico sinale a alternativa que apresenta, corretamente,
entre os homens, generalizando no planeta a ati- as explicações sobre a produção da riqueza na
tude de permanente violência. No mundo con- sociedade capitalista.
temporâneo, a formação dos Estados nacionais fez a) A mercantilização das relações de produção
dos exércitos instituições de defesa de fronteiras e de reprodução, por intermédio do dinheiro,
e fator estratégico de permanente disputa entre possibilita a desmistificação do fetichismo da
nações. Nos armamentos militares se concentra mercadoria.
o grande potencial de destruição da humanidade. b) Enquanto mediação da relação social, o di-
Cada Estado, em nome da autodefesa e dos inte- nheiro demonstra as particularidades das re-
resses do cidadão comum, desenvolve mecanismos lações entre indivíduos, como as políticas e as
de controle cada vez mais potentes e ostensivos. familiares.
c) O dinheiro tem a função de revelar o valor de
O uso da força pelo Estado transforma-se em re-
uso das mercadorias, ao destacar a valorização
curso cotidianamente utilizado no combate à vio-
diferenciada entre os diversos trabalhos.
lência e à criminalidade.
d) O dinheiro é um instrumento técnico que facili-
COSTA, C. Sociologia: introdução à ciência da sociedade.
São Paulo: Moderna, 1997. p. 283-285. (Adaptado.)
ta as relações de troca e evidencia a exploração
contida no trabalho assalariado.
Assinale a alternativa que apresenta, corretamen- e) O dinheiro caracteriza-se por sua capacidade
te, a concepção sociológica weberiana sobre o de expressar um valor genérico equivalente,
uso da força pelo Estado contemporâneo. intercambiável por qualquer outro valor.

10    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 10 13/09/17 9:21 AM


TEMA 3 TEMA 4

Sociedade global Sociedade brasileira

1 (Unicamp-SP – Adaptada) 1 (Unesp-SP)

A presença de empresas globais que domi- Texto 1


nam o mercado de tecnologia no mundo costuma
A ministra da Igualdade Racial, Luiza Bair-
gerar atritos com os governos nacionais e impac- ros (PT), acusa a polícia e os frequentadores de
tos de diferentes dimensões em sua indústria shoppings de discriminar jovens negros nos “ro-
cultural e na privacidade dos indivíduos. Diante lezinhos”. “As manifestações são pacíficas. Os
do poder dessas grandes empresas, os Estados problemas são derivados da reação de pessoas
nacionais buscam estabelecer regras antitrustes brancas que frequentam esses lugares e se assus-
para o setor. tam com a presença dos jovens.” Para ela, a limi-
Farhad Manjoo, The New York Times/ nar que autorizou os shoppings a barrar clientes
Folha de S. Paulo, 11/06/2016,
p. 1 e 2. (Adaptado.) “consagra a segregação racial” e dá respaldo ao
que a PM “faz cotidianamente”: associar negros
Com relação ao poder econômico e político ao crime.
das empresas globais de tecnologia digital e as (Medo de “rolezinho” é reação de brancos, diz ministra.
ações dos governos nacionais, é correto afirmar Folha de S. Paulo, 16.01.2014.)
que:
Texto 2
a) A tecnologia digital representou uma expres-
siva reestruturação da ordem global. Houve Não se percebia, originalmente, nenhuma
maior democratização da circulação de infor- motivação de classe ou de “raça” nos rolezinhos.
mações pela internet e os Estados nacionais Agora, sim, grupos de esquerda, os tais “movi-
perderam totalmente o controle do conteúdo mentos sociais” e os petistas estão tentando to-
transmitido pelas redes digitais. mar as rédeas do que pretendem transformar
b) O poder das grandes empresas de tecnologia em protesto de caráter político. Se há, hoje,
predomina apenas nos países pobres, cujos Es- espaços de fato públicos, são os shoppings. As
tados dispõem de limitadas legislações para o praças de alimentação, por exemplo, são verda-
controle desses grupos econômicos em seus deiras ágoras da boa e saudável democratização
territórios, sobretudo no que diz respeito às do consumo e dos serviços. Lá estão pobres, ri-
mídias globais. cos, remediados, brancos, pretos, pardos, jovens,
c) As leis antitrustes surgiram no final do século velhos, crianças...
XX e foram criadas pelos Estados nacionais Reinaldo Azevedo. Rolezinho e mistificações baratas.
para o controle do poder econômico das em- Folha de S. Paulo, 17.01.2014. (Adaptado.)

presas globais do mercado de tecnologia digi-


O confronto dos dois textos permite afirmar que
tal, setor que costuma desenvolver práticas de
a) o texto 1 elogia o caráter democrático da so-
mercado anticompetitivas.
ciedade brasileira, enquanto o texto 2 assume
d) As empresas de tecnologia digital formam uma posição elitista.
verdadeiros oligopólios e controlam diversas b) ambos criticam a manipulação do desejo exer-
redes informacionais; apesar disso, elas ainda cida pela publicidade e pelo marketing na so-
dependem das legislações dos Estados nacio- ciedade de consumo.
nais para a atuação nos territórios e comercia- c) o texto 1 aborda o tema pelo viés da segrega-
lização dos seus produtos. ção racial, enquanto o texto 2 critica a manipu-
e) As tecnologias desenvolvidas pelos sistemas de lação da opinião pública.
informações com alcance mundial são inaces- d) ambos tratam os “rolezinhos” como resultado
síveis às organizações terroristas e têm servido histórico e material da luta de classes na socie-
como importante instrumento de combate às dade brasileira.
organizações criminosas dos setores de tráfico e) ambos tratam as manifestações como protestos
de drogas, contrabando e atentados de cunho de natureza ideológica contra os processos de
político. exclusão social.

Sociologia   11

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 11 13/09/17 9:21 AM


TEMA 5 TEMA 6

Cultura contemporânea Teoria política

1 (UEL-PR – Adaptada) 1 (Famema-SP)

Analise a charge, leia o texto a seguir e responda Contudo, o príncipe deve fazer-se temer de
à questão. tal modo que, se não conseguir a amizade, possa
pelo menos fugir à inimizade, visto haver a possi-
bilidade de ser temido e não ser odiado, ao mesmo
tempo. Isto sucederá, sempre, se ele se abstiver de
se apoderar dos bens e riquezas dos seus cidadãos
e súditos e também das suas mulheres.
Nicolau Maquiavel [O Príncipe] apud
Ricardo de Moura Faria et al. História, 1993.

Se o homem em estado de natureza está tão


livre quanto se disse, se é senhor absoluto de sua
pessoa e bens, igual aos maiores, sem estar sujeito
a quem quer que seja, por que abandonará sua
(Disponível em: <https://sociologiareflexaoeacao.files.wordpress. liberdade? [...] Portanto, a grande e principal fina-
com/2015/07/cena-cotidiana-autor-desconhecido-facebook.jpg>
Acesso em: 20 abr. 2016.)
lidade dos homens que se unem em comunidade
é a preservação de sua propriedade.
As reações mais íntimas das pessoas estão
John Locke [Sobre o governo civil] apud
tão completamente reificadas para elas próprias Ricardo de Moura Faria et al. História, 1993.
que a ideia de algo peculiar a elas só perdura na
Com base nesses excertos escritos na Europa da
mais extrema abstração: personality significa para
Idade Moderna, é correto afirmar que os autores
elas pouco mais que possuir dentes deslumbran- a) legitimam a filosofia iluminista, apesar de dis-
temente brancos e estar livres do suor nas axilas cordarem quanto à divisão da sociedade.
e das emoções. Eis aí o triunfo da publicidade na b) defendem o direito à propriedade, embora se
indústria cultural. refiram a diferentes concepções de Estado.
ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. c) justificam o absolutismo monárquico, a partir
Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: da submissão a uma autoridade superior.
Jorge Zahar, 1985. p. 138.
d) condenam a teoria do direito divino dos reis,
A respeito da relação entre Indústria Cultural, esva- além de apoiarem a divisão do poder em três.
ziamento do sentido da experiência e superficializa- e) expressam visões ideológicas opostas, pois
ção da personalidade, assinale a alternativa correta. representam, respectivamente, a burguesia e
a) A abstração a respeito da própria personalidade a nobreza.
é uma capacidade por meio da qual o sentido
da experiência, esvaziado pela Indústria Cultu- TEMA 7
ral, pode ser reconfigurado e ressignificado.
b) A superficialização da personalidade e o esva- Práxis política
ziamento do sentido da experiência são efeitos
secundários da Indústria Cultural, decorrentes 1 (UEL-PR) Leia o texto a seguir.
dos exageros da publicidade. Uma parte considerável dos novos ativistas já
c) A superficialização da personalidade resulta compareceu a protestos e a encontros presenciais,
da ação por meio da qual a Indústria Cultural mas há muitos que se manifestam exclusivamen-
esvazia o sentido da experiência ao concebê-la te na Internet sob a forma de textos, hashtags e
como um sistema de coisas.
vídeos. E o volume de informação produzido por
d) O esvaziamento do sentido da experiência cria-
eles sinaliza a centralidade que a política assumiu
do pela Indústria Cultural atesta a superficiali-
no dia a dia dos brasileiros.
dade inerente à personalidade na medida em
CIRNE, S. Somos todos ativistas. Galileu. abr. 2016. p. 41. (Adaptado.)
que ela é uma abstração.
e) O poder de reificação exercido pela Indústria As formas de ativismo on-line e off-line, no Brasil,
Cultural sobre a personalidade consiste em demonstram a emergência, na sociedade civil, de
criar um equilíbrio entre sensibilidade (emo- novos atores políticos, que se articulam por meio
ções) e pensamento (máxima abstração). de ações coletivas em rede. Com base no texto e

12    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 12 13/09/17 9:21 AM


nos conhecimentos sobre as recentes formas de O processo ironizado na charge, em que cada par-
mobilização dos atores da sociedade civil, assinale ticipante da reunião acrescenta um item à imagem
a alternativa correta. do operário, refere-se
a) As ações coletivas em rede podem ser com- a) à tomada de decisões no âmbito coletivo, que
paradas aos movimentos sindicais brasileiros integra os operários no planejamento fabril e
da década de 1970, por adotarem práticas de valoriza o trabalho.
organização e de mobilização em defesa da b) à alienação do trabalho, que fragmenta as eta-
esfera privada contra a opressão estatal. pas produtivas e controla os movimentos dos
b) As manifestações políticas organizadas em redes trabalhadores.
de movimentos caracterizam-se pela participa- c) ao aumento das exigências contratuais, que
ção de diversos grupos e de múltiplos atores elevam o desemprego estrutural e alimentam
imersos na vida cotidiana, com militância parcial as instituições de qualificação profissional.
e efêmera.
d) à substituição do trabalhador na linha de mon-
c) O atual ativismo político no Brasil, a exemplo
tagem, que mecaniza as fábricas e evita a es-
do mundo, mobiliza entidades e organizações
pecialização produtiva.
ideologicamente unificadas e com práticas co-
e) ao desenvolvimento de novas técnicas, que
muns no mercado, a fim de obter vantagens
complexificam a produção e selecionam os pro-
coletivas trabalhistas e salariais.
fissionais com domínio global sobre o produto.
d) O ciberativismo, na contemporaneidade, en-
volve, como no passado, a mobilização das
grandes classes e a afirmação do movimento TEMA 9
operário como principal protagonista das trans-
formações socioeconômicas. Desenvolvimento e crise
e) Os sujeitos dos movimentos favoráveis às polí-
ticas neoliberais, na atualidade brasileira, orga- 1 (Unesp-SP)
nizam-se em rede para a defesa da intervenção
e da regulação da economia e das relações de
trabalho, pelo Estado.
AQUI TÁ ESCRITO DEVE TER
QUE SUBIMOS SIDO NAQUELE
TEMA 8 UM PONTO NO DIA QUE A GENTE
IDH MUNDIAL! ALMOÇOU!

Trabalho

1 (Unesp-SP)

(www.pelicanocartum.net)

A charge ironiza uma das variáveis que compõem


o cálculo do Índice de Desenvolvimento Humano
proposto pela Organização das Nações Unidas,
a saber,
a) a renda, pela referência ao dia em que as per-
sonagens almoçaram.
b) a expectativa de vida, pela alusão ao condi-
cionamento físico da personagem que move
o carrinho.
c) a renda, pela referência aos objetos de alto va-
lor agregado que as personagens carregam.
d) a escolaridade, pela alusão à língua portu-
guesa empregada em sua forma padrão pelas
personagens.
e) a mobilidade, pela referência ao meio de trans-
(Caulos. Só dói quando eu respiro, 2012.) porte utilizado pelas personagens.

Sociologia   13

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 13 13/09/17 9:21 AM


SOCIOLOGIA COMPLEMENTO VESTIBULARES

c) O aparato político e estatal é a base sobre a


TEMA 1
qual se articulam as disputas pelo controle e
Durkheim e Weber
pela apropriação dos meios de produção.
d) A ordem partidária e jurídica que compõe o
1 (UFU-MG – Adaptada) estado burguês determina a emergência das
forças revolucionárias dos trabalhadores.
Ao contrário de outros pensadores socioló- e) A consciência social e o sistema jurídico contra-
gicos anteriores, Weber acreditava que a Socio- dizem a existência material na medida em que
logia deveria se concentrar na ação social e não pretendem anular o antagonismo das relações
nas estruturas. de produção.
GIDDENS, Anthony. Sociologia. 4. ed.
Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 33.
TEMA 3
De acordo com esta assertiva, Weber considera
que Teoria política
a) as ideias, os valores e as crenças têm o poder
de ocasionar transformações. 1 (Unicamp-SP – Adaptada)

b) o conflito de classes é o fator mais relevante Quanto seja louvável a um príncipe manter
para a mudança social. a fé, aparentar virtudes e viver com integridade,
c) as estruturas existem externamente ou inde- não com astúcia, todos o compreendem; contudo,
pendentemente dos indivíduos. observa-se, pela experiência, em nossos tempos,
d) os fatores econômicos são os mais importantes que houve príncipes que fizeram grandes coisas,
para as transformações sociais. mas em pouca conta tiveram a palavra dada, e
e) as ações sociais são exclusivamente políticas e
souberam, pela astúcia, transtornar a cabeça dos
voltadas para as mudanças institucionais.
homens, superando, enfim, os que foram leais [...].
Um príncipe prudente não pode nem deve guardar
TEMA 2 a palavra dada quando isso se lhe torne prejudicial
e quando as causas que o determinaram cessem
Marx e marxistas
de existir.
1 (UEL-PR) A imagem de um edifício alude à existên- Nicolau Maquiavel, O Príncipe.
São Paulo: Nova Cultural, 1997. p. 73-85.
cia de uma estrutura ordenada. De modo análogo,
a compreensão e a explicação sobre a organiza- A partir desse excerto da obra, publicada em 1513,
ção de uma sociedade também podem invocar o é correto afirmar que:
tema da ordem e sua antítese, o caos, como, por a) O jogo das aparências e a lógica da força são
exemplo, as questões relativas à harmonização algumas das principais artimanhas da política
social e às revoluções. No caso da teoria de Karl moderna explicitadas por Maquiavel.
Marx, a metáfora espacial de um edifício é utili- b) A prudência, para ser vista como uma virtude,
zada para exemplificar seu entendimento sobre a não depende dos resultados, mas de estar de
dinâmica dialética da sociedade. acordo com os princípios da fé.
Com base nos conhecimentos sobre Karl Marx a c) Os princípios e não os resultados é que defi-
respeito das relações entre infraestrutura e supe- nem o julgamento que as pessoas fazem do
restrutura, assinale a alternativa correta. governante, por isso é louvável a integridade
a) Os conflitos entre grupos sindicais mais po- do príncipe.
litizados e de status mais elevado, na produ- d) A questão da manutenção do poder é o prin-
ção, geram a eliminação das desigualdades cipal desafio ao príncipe e, por isso, ele não
sociais. precisa cumprir a palavra dada, desde que au-
b) O controle das ideias e das instituições de uma torizado pela Igreja.
época é insuficiente para estabelecer o valor e) As ações políticas devem ser orientadas pelos
do trabalho e a igualdade de oportunidades princípios da ética, pois o governante não pode
no mercado. contrariar a moral vigente entre os cidadãos.

14    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 14 13/09/17 9:21 AM


TEMA 4 TEMA 5

Práxis política Trabalho

1 (FGV-SP) 1 (Famerp-SP) Contextualizada pelas questões do


espaço agrário brasileiro, a grilagem em áreas ru-
O melhor de Calvin Bill Watterson rais é corretamente compreendida como
a) a ocupação, por grandes agricultores, de terras
E COMO DITADOR, SÓ E NÃO TOLERAREI
EU MANDO NO DISSIDENTES! abandonadas, os quais se valem da possibilida-
GOVERNO! de futura de exercer o usucapião.
b) a desapropriação de glebas pelo poder públi-
co, o qual ressarce financeiramente os proprie-
tários desses espaços.
c) o agenciamento de trabalhadores rurais para
áreas de cultivo, os quais são submetidos a con-
dições de trabalho análogas à escravidão.
d) o compartilhamento da mão de obra e de equi-
pamentos necessários à produção, com o acordo
de divisão dos lucros.
e) a apropriação ilegal de glebas por especulado-
EU DECIDIREI O QUE É BOM! NÃO PODEMOS
EU DECIDIREI... PÔR ISSO EM res, que utilizam títulos de propriedade falsos.
VOTAÇÃO?
HORA DE
DORMIR.
TEMA 6

Desenvolvimento e crise

1 (Fac. Med. Albert Einstein – Adaptada) A partir dos


anos 1980, a palavra neoliberalismo passou a ser
bastante empregada, sobretudo com a finalidade
de caracterizar políticas econômicas que, entre
outras ações,
O Estado de S. Paulo, 15/04/2016. a) ampliavam a legislação trabalhista, fechavam o
mercado interno aos produtos estrangeiros, es-
A visão crítica, marcadamente cética, dos dife- tatizavam os setores estratégicos da economia
rentes sistemas de governo, que se pode su- e promoviam reforma agrária.
bentender na tirinha, só NÃO está presente na b) estabeleciam mecanismos de controle cam-
seguinte citação: bial, suprimiam benefícios e vantagens fiscais,
a) A diferença entre uma democracia e uma di- estatizavam o setor bancário e desenvolviam
tadura consiste em que, numa democracia, se programas de apoio às pequenas e médias
pode votar antes de obedecer às ordens. empresas.
b) Democracia é quando eu mando em você, di- c) celebravam pactos sociais com os setores sindi-
tadura é quando você manda em mim. cais, eliminavam barreiras alfandegárias, apoia-
c) A diferença entre democracia e comunismo vam os programas internacionais de proteção
é que, na democracia, o governo se procla- ambiental e defendiam aumentos reais dos sa-
ma povo e, no comunismo, o povo se pro- lários dos trabalhadores.
clama governo. d) reduziam drasticamente os encargos fiscais, es-
d) Como verdadeiro democrata, nunca nego a timulavam as atividades e os lucros das grandes
ninguém o direito de concordar inteiramente empresas, realizavam privatizações e promo-
comigo. viam desregulamentação dos mercados.
e) As democracias, embora respeitem a vontade e) fortaleciam a estrutura sindical, praticavam rígi-
da maioria, protegem escrupulosamente os do controle da inflação, defendiam programas
direitos fundamentais dos indivíduos e das assistencialistas e promoviam políticas de de-
minorias. fesa do meio ambiente.

Sociologia 15

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 15 13/09/17 9:21 AM


TEMA 7

Sociedade global

1 (UEL-PR) Leia a tirinha a seguir e responda à questão.

VOCÊ ESTÁ ESTOU QUERO QUE VO- EI, A UM PLANETA


MUITO GORDO. OUVIN- CÊ PERCA PESO. AONDE CUJA GRAVIDADE
DO. OUVIU BEM ? FALOU. VAI ? SEJA MENOR.

(Disponível em: <https://dicasdeciencias.com/2011/03/28/garfield-saca-tudo-de-fisica/>. Acesso em: 27 abr. 2016.)

No pensamento sociológico clássico e contemporâneo, as dimensões igualdade, diferença e diversidade


assumem importância para estudos relacionados à questão das desigualdades sociais.
Com base nos conhecimentos sobre as perspectivas sociológicas que explicam a desigualdade social, no
cotidiano das sociedades capitalistas, assinale a alternativa correta.
a) A sociologia weberiana, quando analisa as modernas sociedades ocidentais, demonstra que os fatores
econômicos e os antagonismos entre as classes determinam as hierarquias de poder e os tipos de
dominação.
b) As análises de Marx defendem a ideia de que as mudanças mais recentes na ordem mundial capitalista
alteraram a preeminência das classes na explicação das assimetrias sociais e diversidades culturais.
c) Na sociologia de Bourdieu, os fatores econômicos, simbólicos e culturais, a exemplo da renda, do prestígio
e dos saberes, incorporados pelos agentes em seu cotidiano e em sua trajetória de vida, são responsáveis
pela diferenciação de posições nos campos sociais.
d) No pensamento funcionalista, a origem da desigualdade social encontra-se nas contradições econômicas
e políticas entre os agrupamentos, que mantêm relações uns com os outros para produzir e reproduzir a
estrutura social.
e) Para os pensadores críticos do neoliberalismo, a mobilidade dos indivíduos de um estrato social para
outro, no Brasil, é acompanhada igualmente por mudanças na estrutura de classes sociais, na medida em
que pobres e ricos se aproximam.

2 (FMABC-SP – Adaptada)

“A reorganização das estruturas produtivas e o aumento dos fluxos comerciais e financeiros, configurando
uma situação de crescente interdependência mundial, no presente contexto de aceleração do desenvolvi-
mento tecnológico”.
Bolívar Lamounier. “Crise ou mudança”. In: Celso Barroso Leite. Antologia informal. Paraná: Destaque, 2000, p. 83. (Adaptado.)

O texto apresenta uma definição possível do fenômeno


a) do mutualismo.
b) da estatização.
c) do ambientalismo.
d) da globalização.
e) do socialismo.

3 (FGV-SP) Desde 2015, tem crescido o número de imigrantes e refugiados que utilizam a chamada “rota bal-
cânica”, para chegar a países da União Europeia, por meio de um corredor que passa pela Turquia, Grécia,
Macedônia, Sérvia, Hungria e Áustria.

16    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 16 13/09/17 9:21 AM


A respeito da rota balcânica indicada no mapa, NÃO é correto afirmar:
a) O aumento do fluxo de refugiados por essa rota é explicado pelos conflitos armados nas regiões de origem
dos deslocados, com destaque para a Síria.
b) A rota terrestre é mais segura do que a travessia pelo Mediterrâneo, realizada por refugiados em barcos
precários e controlados por traficantes.
c) As fronteiras dos países dessa rota são mantidas abertas para os que migram por motivos políticos e
religiosos.
d) O corredor dos Bálcãs também é utilizado por jovens que procuram escapar da falta de oportunidades
em seus respectivos países.
e) O objetivo da maior parte dos imigrantes é alcançar países do centro e norte europeus, como a Alemanha,
por exemplo.

TEMA 8

Cultura contemporânea

1 (UEL-PR) Analise a charge a seguir e responda à questão.

(Disponível em: <https://sociologiareflexaoeacao.files.wordpress.com/2015/07/cena-cotidiana-


autor-desconhecido-facebook.jpg> Acesso em: 20 abr. 2016.)

Leia o texto a seguir:


O avanço do uso de novas tecnologias de informação e comunicação altera as relações sociais, os hábitos
cotidianos e os costumes das pessoas, especialmente nas grandes cidades. Um exemplo é a crescente utilização
da Internet, das redes sem fio, dos celulares e smartphones tanto em pesquisas escolares como nos espaços
privados e públicos. Nos trens, nos ônibus e nas ruas, o uso dessas tecnologias se multiplica e se transforma
quase em uma regra, relegando àqueles que não os usam como comportamentos “fora dos padrões”.
Adaptado de: OLIVEIRA, L. F.; COSTA, R. C. R. Sociologia para jovens do século XXI. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2013. p. 250-254.

Sociologia   17

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 17 13/09/17 9:21 AM


Com base na charge, no texto e nos conhecimen- E quanta gente vem e vai!
tos sociológicos sobre os efeitos da expansão das
novas tecnologias de informação e comunicação
E tudo tem aquele caráter impressivo que
nas relações sociais, assinale a alternativa correta. faz meditar:
a) Para Zigmunt Bauman, na modernidade líquida, Enterro a pé ou a carrocinha de leite puxada
a intensa interatividade e a multiplicação das por um bodezinho manhoso.
relações em rede criam vínculos sociais dura-
douros e quadros de referência e de identifica- Nem falta o murmúrio da água, para sugerir,
ção permanentes. pela voz dos símbolos,
b) Para Umberto Eco, os efeitos principais do avan-
Que a vida passa! que a vida passa!
ço dos novos meios de comunicação, nos locais
mais isolados, são a padronização dos compor- E que a mocidade vai acabar.
tamentos, o desaparecimento das diversidades Estrela da vida inteira, 2009.
culturais e das tradições comunitárias.
c) O uso de tecnologias móveis e pessoais de co- O poema faz referência
municação, como os smartphones, ao mesmo a) à pobreza do campo, quando comparada à ri-
tempo em que estimula relações sociais virtu- queza das cidades.
ais, seja através de voz, de SMS, de fotos ou b) à possibilidade de as cidades se expandirem
vídeos, dificulta a disseminação de conteúdos em direção ao campo.
e de ideias divergentes. c) à beleza que surge do crescimento e da moder-
d) Na contemporaneidade, o acesso universal e nização dos ambientes urbanos.
ilimitado às redes digitais rompe com o con- d) à importância do jovem na construção de uma
trole das grandes empresas sobre a produção sociedade melhor.
e a circulação de notícias e com a sua atuação e) à desumanização dos indivíduos no processo
em rede nacional e internacional. de homogeneização das cidades.
e) A utilização cada vez mais frequente de celu-
2 (Uerj – Adaptada) Em junho de 2013, várias mani-
lares confere maior mobilidade nas comunica-
ções, modifica as formas de controle dentro festações mobilizaram a população das capitais
e fora dos grupos e torna públicas conversas brasileiras. A fotografia mostra a ocupação da área
consideradas, no passado, restritas ao mundo externa do Congresso Nacional por manifestantes:
privado.

TEMA 9

Sociedade brasileira

1 (Famema-SP) Leia o poema de Manuel Bandeira


para responder à questão.
A estrada
Esta estrada onde moro, entre duas voltas <noticias.uol.com.br>
do caminho,
É inevitável a comparação com as grandes ma-
Interessa mais que uma avenida urbana. nifestações ocorridas anteriormente, como a Pas-
seata dos Cem Mil, no Rio de Janeiro, em 1968.
Nas cidades todas as pessoas se parecem.
Se, nesta, a extensão e o tipo de repressão policial
Todo o mundo é igual. Todo o mundo é toda aumentaram o custo da participação e restringi-
a gente. ram o escopo da manifestação a um grupo mais
Aqui, não: sente-se bem que cada um traz a restrito e específico de manifestantes, na de agora,
sua alma. 45 anos depois, o uso de meios não letais de repres-
são baixou o risco de danos e aumentou, por con-
Cada criatura é única. sequência, a presença de uma gama mais ampla de
Até os cães. setores da sociedade. Uma coisa é bala de chumbo
e o grito de “abaixo a ditadura”; outra é bala de
Estes cães da roça parecem homens de negócios: borracha e o aviso de que o “pote de mágoa vazou”.
Andam sempre preocupados. Marly Motta. Adaptado de <noticias.uol.com.br>.

18    Ciências humanas e suas tecnologias

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 18 13/09/17 9:21 AM


Uma diferença entre as manifestações populares através do desgaste da população. Sua unidade
na sociedade brasileira datadas do ano de 1968 e étnica básica não significa, porém, nenhuma
as ocorridas em junho de 2013 está associada hoje uniformidade, mesmo porque atuaram sobre ela
à vigência de: forças diversificadoras: a ecológica, a econômica
a) restrição ao voto e a migração. Por essas vias se plasmaram his-
b) estado de direito toricamente diversos modos rústicos de ser dos
c) soberania do legislativo brasileiros: os sertanejos, os caboclos, os crioulos,
d) supremacia do executivo
os caipiras e os gaúchos. Todos eles muito mais
e) Regime de exceção
marcados pelo que têm de comum como brasilei-
ros, do que pelas diferenças devidas a adaptações
TEMA 10 regionais ou funcionais, ou de miscigenação e
aculturação que emprestam fisionomia própria
Sociologia brasileira
a uma ou outra parcela da população.
Darcy Ribeiro. O povo brasileiro, 1995. (Adaptado.)
1 (Unesp-SP) Leia o texto para responder à questão.

Surgimos da confluência, do entrechoque De acordo com Darcy Ribeiro, dois movimentos


e do caldeamento do invasor português com caminharam concomitantemente ao longo do pro-
índios silvícolas e campineiros e com negros cesso de formação do povo brasileiro:
africanos, uns e outros aliciados como escravos. a) a produção de uma unidade étnica nacional e
Nessa confluência, que se dá sob a regência dos a conformação de uma cultura nacional homo-
portugueses, matrizes raciais díspares, tradições gênea.
culturais distintas, formações sociais defasadas b) a produção de uma sociedade nacional mul-
tiétnica e a coexistência de culturas regionais
se enfrentam e se fundem para dar lugar a um
em extinção.
povo novo. Novo porque surge como uma etnia
c) a produção de uma sociedade nacional multi-
nacional, que se vê a si mesma e é vista como étnica e a conformação de culturas regionais
uma gente nova, diferenciada culturalmente de transplantadas de outros países.
suas matrizes formadoras. Velho, porém, porque d) a produção de uma unidade étnica nacional
se viabiliza como um proletariado externo, como e a conformação de diversidades sociocultu-
um implante ultramarino da expansão europeia rais regionais.
que não existe para si mesmo, mas para gerar lu- e) a produção de uma sociedade nacional mul-
cros exportáveis pelo exercício da função de pro- tiétnica e a coexistência de culturas regionais
vedor colonial de bens para o mercado mundial, fragmentadas.

ANOTAÇÕES

Sociologia   19

REV_ENEM_VESTIB_LP_Sociol_002-019_17.indd 19 13/09/17 9:21 AM