Você está na página 1de 2

PROFª: DIOGO BRITO Conteúdo: MORFOLOGIA

MORFOLOGIA – É a parte da gramática que  Prefixos: acrescentados ao início do radical.


Exemplo: engordar.
estuda a estrutura e o processo de formação das  Sufixos: acrescentados ao fim do radical. Exemplo:
palavras de uma determinada língua. Trata ainda gordura, gorducho, gordinho.
da classificação e das flexões das palavras.
 Desinências: são os morfemas indicativos das flexões
Palavra é uma unidade lingüística de som e das palavras, ou seja, das variações por que elas passam
significado que entra na composição dos para indicar as categorias de gênero e número (nos
enunciados da língua. substantivos, adjetivos e pronomes) e de pessoa, número,
modo e tempo (nos verbos).

 Vogal Temática: morfema que caracteriza as


Estrutura das Palavras conjugações verbais, estabelecendo a ligação entre o
radical e as desinências.

 Tema: é o conjunto formado pelo radical acrescido


da vogal temática (o tema do verbo “cantar” é canta-).
 Vogais e Consoantes de Ligação: são vogais e
consoantes que, sem trazer nenhuma informação
gramatical ou modificação de sentido, vêm entre dois
morfemas para facilitar a pronúncia. Podemos dizer, então,
que sua utilização deve-se a leis fonéticas.

Formação de Palavras

Observam-se, na Língua Portuguesa, dois


diferentes processos de formação de palavras: derivação
e composição.
 Derivação: é o processo de formação de palavras
pelo acréscimo de afixos a um determinado radical, da
subtração de morfemas ou da troca de classe gramatical.
Subdivide-se em:
Observe as seguintes palavras:
Gordo, gordinho, gordura, gorducho, gordão, engordar.  Derivação prefixal: ocorre quando a nova palavra é
A comparação entre essas estruturas revela uma unidade formada pelo acréscimo de um prefixo ao
comum: gord- dotada de significado específico; essas radical da palavra primitiva.
unidades são chamadas de elementos mórficos ou
morfemas. Os elementos mórficos são classificados de  Derivação sufixal: ocorre quando a nova palavra é
acordo com a função que exercem nas palavras. Assim, formada pelo acréscimo de um sufixo ao
temos: radical da palavra primitiva.
 Radical: é o morfema que corresponde ao sentido
básico da palavra. Em alguns casos, pode ser depreendido  Derivação parassintética: ocorre quando a nova
por comparação entre várias palavras de uma mesma palavra é formada pelo acréscimo simultâneo
família (grupo de palavras que se organizam a partir de um de um prefixo e um sufixo ao radical da
mesmo radical e que mantêm, por esse motivo, um vínculo palavra primitiva.
de significado). As palavras apresentados acima, cujo
radical é gord-, podem ser chamadas de cognatas.  Derivação regressiva: a nova palavra é formada pela
 Afixos: são morfemas que, se acrescentados a um subtração de um elemento da palavra
radical, dão origem a uma nova palavra. Os afixos de
subdividem em:
primitiva. Geralmente são formados substantivos
a partir de verbos por meio desse processo.

 Derivação imprópria: neste caso, a palavra


muda de classe gramatical sem que tenha
sofrido qualquer alteração de natureza
morfológica; a mudança ocorre pelo contexto em
que a palavra é utilizada.

LEMBRE-SE: Quando dizemos que uma palavra é


primitiva, quer dizer que ela não se origina de nenhuma
outra. Para saber se uma palavra é primitiva, tente sempre
lembrar de outras palavras da mesma família, pois a
palavra primitiva costuma ser a menor de todas (já que não
apresentará prefixo, sufixo ou desinência)!

PRIMITIVAS DERIVADAS
casa casario, casarão, casebre
flor florista, florido, florescer

 Composição: é o processo de formação de novas


palavras pela combinação de radicais de palavras
diferentes. Pode ser de dois tipos:
 Composição por justaposição: os radicais
agregados conservam-se inalterados.

 Composição por aglutinação: há a alteração


de pelo menos um dos radicais que foram
agregados para a formação da nova
palavra.

 Outros Processos:

 Neologismo: criação de uma nova


palavra. Exemplo: Imexível.
 Abreviação vocabular: telefone – fone;
pornográfico – pornô.
 Siglonimização: criação de siglas.
Exemplo: PIB – Produto Interno Bruto.
 Onomatopéia: criação de palavras com a
intenção de imitar ou reproduzir certos sons ou
ruídos. Exemplo: tique-taque, zunzum, miau, bem-te-
vi.