Você está na página 1de 962

LIEBHERR

Grua móvel com lança telescópica

LTM 1220-5.2

LTM 1220-5-2-004

Manual de instruções

Manual de instruções núm.: 17202-01-14

Páginas: 962

Número da fábrica

Data

Número da fábrica Data
Número da fábrica Data

O

manual de instruções pertence a grua!

O

manual deve estar sempre à mão e deve ser levado

junto com a grua!

Deve-se respeitar os regulamentos durante o deslocamento da grua sobre as estradas e durante o serviço de grua!

Liebherr-Werk Ehingen GmbH Postfach 1361 D-89582 Ehingen / Donau : +49 (0) 7391 502–0 Fax: +49 (0) 7391 502–3399 : info.lwe@liebherr.com www.liebherr.com

1

Prefácio

Generalidades Esta grua foi construída de acordo com a mais moderna tecnologia e com as normas de segurança técnica reconhecidas. Mesmo assim, durante a utilização da grua, o utilizador e/ ou terceiros podem estar sujeitos a perigos de lesões corporais e de vida, assim como danificações na grua ou danos materiais. Esta grua somente pode ser utilizada em perfeito estado técnico, de acordo com o trabalho determinado para ela assim como com em plena consciência da segurança e dos perigos envolvidos. Deve ser eliminada imediatamente qualquer tipo de avaria que possa por em risco a segurança. Somente com uma autorização por escrito da firma Liebherr - fábrica Ehingen GmbH podem ser executadas modificações na grua.

Manual de instruções Este manual de instruções deverá garantir-lhe uma operação segura da grua e o aproveitamento de todas as possibilidades de aplicação permitidas. Além disso, ele também dá instruções sobre a função de agregados e sistemas importantes. Com esse fim, neste manual de instruções são utilizados termos específicos. Para evitar mal-entendidos deverá empregar sempre os mesmos termos. Este manual de instruções foi traduzido segundo os melhores conhecimentos e com consciência. Em erros de tradução a Liebherr-Werk Ehingen GmbH não assume qualquer responsabilidade. Para a exactidão da objectividade é unicamente decisivo o manual de instruções em idioma Alemão. Se ao ler este manual de instruções encontrar erros ou mal-entendidos, por favor informe imediatamente isso à Liebherr-Werk Ehingen GmbH

informe imediatamente isso à Liebherr-Werk Ehingen GmbH PERIGO Perigo de acidente devido a uso incorrecto! Com

PERIGO

Perigo de acidente devido a uso incorrecto!

Com esta grua deverá trabalhar somente pessoal devidamente qualificado e especializado.

Dar atenção tanto ao manual de instruções assim como as instruções e regulamentos válidas no local de trabalho (como, por exemplo, os normas de prevenção de acidentes).

A utilização deste manual de instruções:

facilita a tomada de conhecimento com a grua

evita avarias devidas ao uso impróprio

Seguindo o manual de instruções:

aumenta a fiabilidade de serviço

aumenta a vida útil da grua

diminui as despesas de reparações e de falhas

Mantenha este manual de instruções sempre à mão na cabina do condutor ou seja, do condutor da grua.

O manual de instruções faz parte da grua!

Utilize a grua somente depois de estar precisamente familiarizado com este manual de instruções e mediante o cumprimento destas. No caso de lhe enviarmos mais informações sobre a grua, por exemplo, na forma de boletins de informações técnicas, dar atenção também a estas instruções e juntá-las ao manual de instruções.

0.01 Prefácio

141643-08

No caso de não compreender o manual de instruções ou algum dos capítulos, deverá informar-se junto de nós antes de iniciar com o respectivo trabalho.

É proibido reproduzir e divulgar as informações e as figuras deste manual de instruções ou utilizá-los

para fins de concorrência. Todos os direitos de acordo com a lei dos direitos de autor ficam expressamente reservados. Todas as normas de prevenção de acidentes, manual de instruções etc. partem do princípio que a grua é utilizada para os fins determinados para esta.

Utilização para fins determinados

A utilização da grua para tais fins determinados consiste exclusivamente em levantar e baixar cargas

soltas com pesos e centro de gravidade conhecidos.

Para isso deve ser utilizado um gancho ou um moitão do gancho homologado pela Liebherr com o cabo de elevação transpassado pela polia destes e, somente deve-se trabalhar com os estados dos equipamentos montados permitidos. Somente é permitido o deslocamento da grua, com ou sem carga suspensa, de acordo com as tabelas de carga e de deslocamento. Os estados dos equipamentos montados no momento e as condições de segurança pré definidos devem estar de acordo com o manual de instruções. Qualquer outra ou uma extensão do tipo de utilização significa uma não utilização de acordo com os fins determinados. Para uma utilização de acordo com os fins determinados deve-se seguir as exigências prescritas na documentação da grua (no manual de instruções, tabela de carga, planejador de tarefas), quanto as normas de segurança, condições, pré requisitos, estados dos equipamentos montados e etapas de trabalho.

O fabricante da grua não assume nenhuma responsabilidade por danos causados por uma utilização

fora dos fins determinados para a grua ou através de uma utilização não permitida desta. Os respectivos riscos ficam unicamente por conta do proprietário, do explorador e do usuário da grua.

141643-08

0.01 Prefácio

Utilização da grua não dentro dos fins determinados.

A

não utilização da grua para os fins determinados é:

o trabalho fora dos parâmetros estipulados e permitidos na tabela de carga do estado do equipamento montado no momento.

o trabalho fora dos parâmetros estipulados e permitidos na tabela de carga para os alcances da lança e para a zona de rotação.

a escolha de cargas que não estão de acordo com o real estado do equipamento montado no momento.

a escolha de códigos do limitador do momento de carga (LMB) que não estão de acordo com o real estado do equipamento montado no momento.

trabalhar com o limitador de momento de carga ligado por ponte ou com o interruptor de fim de curso de elevação ligado por ponte.

o aumento do alcance da lança para a carga a ser levantada depois do limitador do momento de carga ter sido desligado, por exemplo, a carga é puxada inclinada.

a utilização do indicador da pressão de apoio como uma função de segurança contra o tombamento.

a utilização de partes do equipamento não são permitidos para a grua

a utilização da grua em actividades de desporto e de recreação, principalmente de saltos com elástico (Bungee)

a circulação em estradas com um estado de deslocação não permitido (carga sobre o eixo, dimensões)

o deslocamento da grua equipada em um estado de deslocação não permitido

pressionar, puxar ou levantar a carga através do ajuste do nivelamento, das longarinas corrediças ou dos cilindros de apoio.

pressionar, puxar ou levantar a carga accionando o mecanismo de rotação, o sistema de basculamento, ou o mecanismo de movimentos telescópicos

o desprendimento de objectos com a grua

a utilização da grua para trabalhos de translação durante períodos de tempo longos

aliviar a grua subitamente (serviço com mandíbulas ou balde)

a aplicação da grua quando a carga suspensa na grua for alterada no seu peso, por exemplo o enchimento de um contentor pendurado no gancho de carga

A

grua não pode ser utilizada para:

a fixação de carga fixa em que o seu peso e centro de gravidade não são conhecidas e as quais por exemplo primeiramente tenham de ser livres através de um maçarico de corte

levar pessoas fora da cabina do condutor

o transporte de pessoas dentro da cabina da grua durante a marcha.

o transporte de pessoas com os meios de retenção de carga e sobre a carga

o transporte de pessoas com o cesto para o trabalho, quando não exista uma autorização por escrito do órgão responsável pela segurança do trabalho

o transporte de carga sobre o chassi inferior

o serviço com dois ganchos sem equipamento adicional

a utilização da grua para trabalhos de transbordo durante períodos de tempo longos

O

manual de instruções de serviço deve ser lido e cumprido por todas as pessoas que se ocupem

com o trabalho, serviço, montagem e manutenção da grua.

Instruções de advertência

Com os termos “Observação”, “PRECAUÇÃO”, “AVISO” e “PERIGO” utilizados neste manual de instruções chamamos a atenção de todas as pessoas que trabalham com a grua para certas formas de comportamentos importantes.

Observação:

Observação:

O

termo “Observação” é utilizado para chamar a atenção sobre determinados aspectos.

PRECAUÇÃO:

PRECAUÇÃO:

O

termo “PRECAUÇÃO” é utilizado para alertar contra possíveis danos materiais ou danos corporais

ligeiros.

0.01 Prefácio

141643-08

  AVISO:
 

AVISO:

O

termo “AVISO” é utilizado para alertar contra possíveis danos corporais graves.

PERIGO:

PERIGO:

O

termo “PERIGO” é utilizado para alertar contra perigos que representem risco de vida.

 

Dispositivos de segurança Deverá prestar especial atenção aos dispositivos de segurança montados na grua. Deverão ser

permanentemente controlados quanto ao seu funcionamento correcto. É proibido trabalhar com a grua quando os dispositivos de segurança não funcionam ou funcionam mal.

O

seu lema deverá ser sempre:

Segurança está em primeiro lugar! Agrua está construída conforme os regulamentos válidos para o serviço de grua e para serviço de marcha e está aprovada pela correspondente autoridade pública competente.

Peças de equipamento e peças de substituição

PERIGO Perigo de morte com partes do equipamento não originais!

PERIGO Perigo de morte com partes do equipamento não originais!

Se a grua for operada com partes do equipamento não originais, a grua pode falhar e causar acidentes mortais! Componentes da grua podem ser danificados!

Operar a grua somente com partes do equipamento originais! É proibido o serviço de grua com partes do equipamento que não pertencem à grua!

  PERIGO
 

PERIGO

A

homologação da grua e a garantia do fabricante perdem a validade!

Caso as peças originais montadas sejam modificadas, manipuladas ou trocadas por iniciativa própria (por exemplo desmontagem de peças, montagem de peças não originais), perdem a validade, homologação da grua, bem como a garantia do fabricante.

Não modificar as peças originais montadas.

Não desmontar as peças originais.

Utilizar somente peças de reposição genuínas Liebherr.

Definição das instruções de direcção Marcha à frente significa deslocação com a cabina do condutor em frente.

Marcha atrás significa deslocação com as luzes traseiras do chassi inferior em frente.

À frente, atrás, à direita, à esquerda, relaciona-se na grua sobre o estado em que a cabina do

condutor e lança indicam para a mesma direcção. À frente é sempre na direcção da cabina do condutor.

À frente, atrás, à direita, à esquerda relaciona-se na cabina do condutor sobre o chassi inferior. A

cabina do condutor está sempre à frente.

À frente, atrás, à direita, à esquerda relaciona-se na cabina da grua sobre o chassi superior. À

frente é sempre na direcção da lança.

A pedido do cliente Equipamentos específicos a pedido do cliente estão marcados com *.

Índice

Índice

Índice

1.00

Descrição da grua

17

 

1.01 Terminologia

18

 

1 Componentes da grua

19

2 Lança adicional

21

 

1.02 Descrição do produto

22

 

1 Chassi da grua

23

2 Chassi superior

24

3 Equipamento adicional

25

 

1.03 Características técnicas

27

 

1 Dimensões

29

2 Conjunto de pneumáticos

29

3 Cargas sobre os eixos

29

4 Meios de retenção de carga

29

5 Forças dos apoios

30

6 Nível de emissões relativo ao local de trabalho

30

7 Velocidades

30

8 Diâmetro do cabo

32

9 Alturas de elevação

32

2.00

Segurança

 

43

 

2.01 Regulamentos de trânsito

44

 

1

Regulamentos de trânsito

45

 

2.02 Instruções para a rodagem

46

 

1

Instruções para a rodagem

47

 

2.03 Planificação de trabalho

48

 

1

Planificação de trabalho

49

 

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

50

 

1 Exigências relativas ao condutor da grua

51

2 Escolha da posição

55

3 Taludes e fossas

57

Índice

 

4 Pressões sobre o chão permitidas

58

5 Estabilização

61

6 Serviço de grua com carga

62

7 Ligação à terra

64

8 Trabalho com a grua durante uma trovoada

66

9 Trabalhos de soldadura na carga

66

10 Instruções de segurança em caso de alimentação externa (230 V AC)

66

11 Trabalhos nas proximidades de emissores

69

12 Perigo para o tráfego aéreo

70

13 Sinais manuais de instrução

73

14 Atenção à influência do vento

73

15 Interrupção do trabalho da grua

75

16 Começar outra vez o trabalho com a grua

75

17 Terminar o trabalho com a grua

76

18 Desligar o veículo

76

 

2.05 Placas de identificação na grua

77

 

1 Sinais de aviso

79

2 Instruções de advertência

81

3 Sinais de prescrições / Sinais de proibição

85

4 Sinais de indicação

87

 

2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

88

 

1 Dispositivos de segurança contra queda na grua

89

2 Pontos de fixação

89

3 Pontos de fixação na ponta abatível

91

4 Parapeitos no chassi superior

95

5 Máquinas com cabina basculável para cima*

97

3.00 Comando no chassi da grua

99

 

3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

100

 

1

Instrumentos de comando e de controlo no veículo

101

 

3.02 Antes do início da deslocação

122

 

1 Controlos gerais antes do início da deslocação

123

2 Posto de trabalho cabina do condutor

131

 

3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

136

Índice

 

1 Generalidades

137

2 Sistema de suspensão dos eixos

139

3 Sistema de bloqueio dos eixos

145

 

3.04 Serviço de marcha

146

 

1 Estados de deslocação da grua

147

2 Arrancar e desligar o motor

149

3 Deslocação

157

4 Bloqueios dos diferenciais

197

5 Direcção

203

6 Rebocagem

213

 

3.05 Grua no local de trabalho

215

 

1 Generalidades

217

2 Unidade de comando dos estabilizadores

223

3 O programa “Estabilização”

237

4 Antes de deixar o local de aplicação

247

4.00 Comando no chassi superior

249

 

4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

250

 

1

Instrumentos de operação e de controlo

251

 

4.02 Sistema computadorizado LICCON

266

 

1 Generalidades

267

2 Inicialização do sistema computadorizado LICCON

271

3 Elementos de função do sistema computadorizado LICCON

275

4 O programa “Equipar”

277

5 O programa “Serviço”

295

6 O programa “Movimentos telescópicos”

339

7 O programa “Parâmetros de controlo”

343

8 O programa “Limitação da área de trabalho” *

351

9 O programa “Estabilização”

353

10 O programa “Monitoração do motor”

369

11 Sistema computadorizado LICCON no modo Stand-by

377

 

4.03 Colocação da grua em serviço

380

 

1 Controlos antes da colocação em serviço

381

2 Local de trabalho - cabina do condutor da grua

385

Índice

 

3 Arrancar o motor do chassi superior e motor do chassi inferior e desligar

393

4 Sistema computadorizado LICCON após o arranque do motor

403

 

4.04

Dispositivos de segurança

406

 

1 Em geral

407

2 Sistema computadorizado LICCON

407

3 Dispositivos de segurança gerais

411

4 Vista geral dos avisos acústicos e ópticos

413

5 Ligação por ponte “bascular para cima com sobrecarga”

417

6 Ligação por ponte do LICCON

417

 

4.05

Serviço de grua

420

 

1 Generalidades

421

2 Sistema computadorizado LICCON

429

3 Basculação

431

4 Levantar / baixar

435

5 Rotação

437

6 movimentos telescópicos

443

 

4.06

Colocação do cabo

454

 

1 Generalidades

455

2 Colocação e remoção dos cabos de aço no moitão do gancho

457

3 Fixação e retirada do gancho de carga*

463

4 Planos de colocação do cabo

467

 

4.07

Contrapeso

480

 

1 Generalidades

481

2 Montagem

485

3 Desmontagem das placas de contrapeso

489

 

4.08

Trabalho com carga

494

 

1 Instruções técnicas de segurança para trabalhar com carga

495

2 Controlos antes do início do trabalho com a grua

495

3 Recepção da carga

499

4 Serviço de grua

501

 

4.12

Serviço com dois ganchos

503

 

1

Em geral

505

5.00 Equipamento

 

511

Índice

5.01

Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

512

 

1 Inspecção dos elementos de segurança

513

2 Controlo dos cabos

513

3 Medidas de controlo antes de estabilizar a grua

514

4 Medidas de controlo antes do serviço de grua

515

5 Transporte de componentes

515

6 Molas a gás para auxiliar a montagem de componentes

516

7 Pesos

516

8 Pulsador de ligação por ponte LICCON

519

9 Montagem / desmontagem

523

10 Levantar / substituir

540

5.02

Ponta abatível TK

541

 

1 Em geral

543

2 Montagem da ponta abatível

553

3 Colocar o cabo de elevação

577

4 Reequipar a ponta abatível mecânica de 0° para 22.5 ou 45°

579

5 Ligações hidráulicas

585

6 Conexões eléctricas

591

7 Levantar

597

8 Ajustar o ângulo da ponta abatível em ponta abatível hidráulica

599

9 Reequipar a ponta abatível mecânica de 22,5° ou 45° para 0°

603

10 Retirar o cabo de elevação

609

11 Desmontagem da ponta abatível

611

5.09

Cabrestante 2

634

 

1 Generalidades

635

2 Montagem

635

3 Desmontagem

637

5.10

Polia na extremidade da lança telescópica

638

 

1 Generalidades

639

2 Montagem

639

3 Desmontagem

645

5.12

Lança auxiliar

648

 

1 Em geral

649

2 Montagem da lança auxiliar

649

Índice

 

3 Levantar

665

4 Retirar o cabo de elevação

667

5 Desmontagem da lança auxiliar

669

 

5.25

Extensão da lança telescópica

676

 

1 Generalidades

677

2 Montagem

679

3 Estabelecer as conexões eléctricas/hidráulicas

681

4 Levantar

681

5 Desmontagem

683

 

5.27

Tabelas de levantamento e depósito

684

 

1 Generalidades

685

2 Tabela para levantamento e depósito para serviço T

685

3 Tabelas de levantamento e depósito para serviço TK/TNZK

685

4 Tabelas de levantamento e depósito para serviço TVK/TVNZK

686

6.00

Equipamento adicional

687

 

6.01

Aquecimento / pré-aquecimento do motor*

688

 

1 Aquecimento da cabina do condutor

689

2 Aquecer a cabina do condutor da grua

705

 

6.02

Accionamento de emergência

716

 

1 Em geral

717

2 Accionamento de emergência do chassi superior

719

3 Accionamento de emergência do chassi da grua

751

 

6.04

Controlador das longarinas corrediças

754

 

1 Generalidades

755

2 Bases de apoio

755

3 Trabalhar com o controlador das longarinas corrediças

757

 

6.05

Descida de emergência

762

 

1

Accionamento de emergência

763

7.00

Manutenção e conservação

767

 

7.01

Manutenção e conservação em geral

768

 

1 Em geral

769

2 Limpeza e conservação da grua

770

3 Colocação fora de serviço numa interrupção de trabalho

771

Índice

 

4

Instruções de manutenção

771

 

7.02 Intervalos de manutenção do chassi inferior da grua

772

 

1

Plano de manutenção e inspecção do chassi da grua

773

 

7.03 Intervalos de manutenção do chassi superior da grua

784

 

1

Plano de manutenção e inspecção do chassi superior

785

 

7.04 Intervalos de manutenção do chassi inferior da grua

793

 

1 Motor de translação

795

2 Caixa de mudanças automatizada

801

3 Engrenagem de distribuição

805

4 Sistema hidráulico

807

5 Secador de ar para o sistema do ar comprimido e travões

817

6 Pneus / Rodas

817

 

7 Eixos

821

 

8 Ajuste das vias dos pneus

823

9 Inclinar a cabina do condutor

825

10 Sistema eléctrico - Iluminação

825

 

7.05 Intervalos de manutenção do chassi superior da grua

828

 

1 Motor da grua

829

2 Mecanismo de accionamento das bombas

833

3 Sistema hidráulico

835

4 Sistema de lubrificação central

843

5 União giratória

850

6 Cabrestantes

853

7 Caixa de engrenagens do mecanismo giratório

857

8 Secador de ar do sistema de ar comprimido do chassi superior

859

9 Sistema eléctrico - Iluminação

859

10 Lança telescópica

861

 

7.06 Plano de lubrificação, quantidades de enchimento

862

 

1 Chassi da grua

863

2 Chassi superior

867

 

7.07 Combustíveis e lubrificantes

868

 

1

Schmierstofftabelle

869

8.00 Inspecções da grua

877

Índice

8.01

Inspecção periódica de gruas

878

 

1 Generalidades

879

2 Inspecção da construção de sustentação de aço

880

3 Inspecção dos cabrestantes de levantamento e de retracção

897

4 Controlo do gancho de carga

907

5 Inspecção do mecanismo de empuxo do cabo na lança telescópica

907

6 Controlar as funções dos sistemas de travamento interiores e exteriores da lança telescópica

907

7 Controlo dos circuitos de segurança dos apoios anti-retorno

908

8 Controlar os acumuladores do nitrogénio

908

9 Controlo das polias dos cabos

908

10 Controlo da função do sistema de protecção contra sobrecarga

908

11 Controlo da união giratória de rolos

908

12 Controlo da fixação dos agregados de suporte de carga

909

13 Controlo dos depósitos de combustível e dos depósitos de óleo

909

14 Controlo do cabrestante auxiliar, para a colocação do cabo, cabrestante de salvamento, cabrestante do roda sobressalente

909

15 Anexos

910

8.04

Controlo dos cabos de aço da grua

920

 

1 Introdução

921

2 Cabos metálicos

921

3 Comportamento de serviço dos cabos de aço

927

4 Estado das instalações em relação com os cabos em operação

927

5 Protocolo da inspecção do cabo de aço

928

6 Armazenamento e marcação do cabo

928

7 Cabos de aço e ligações do fim do cabo

928

8 Torção de dilatação em cabos livres de torção e a sua eliminação

930

9 Anexo 1

933

10 Anexo 2

933

11 Anexo 3

937

12 Anexo 4

938

8.07

Controlo do travão pneumático dos travões de discos

939

 

1 Em geral

941

2 Controlo visual

941

Índice

 

3 Controlo do funcionamento e da eficiência dos travões

942

4 Inspecção interior dos travões

943

9.00 Notas gerais

947

 

9.02 Trabalhos de conservação suplementares

948

 

1 Medidas de controle

949

2 Cuidado durante os trabalhos de reparação e de manutenção

949

3 Trabalhos de manutenção importantes

950

4 Notas de manutenção para componentes substituíveis

950

5 Indicações para o serviço de marcha

950

6 Eliminação

950

7 Substituição das rodas

950

8 Substituição dos pneus

951

Index

955

1.00 Descrição da grua

146703-00

1.01 Terminologia

146703-00 1.01 Terminologia B199858 18 LIEBHERR 1.01

B199858

1.01 Terminologia

146703-00

1 Componentes da grua

1.1 Chassi da grua

1 Chassi de 5 eixos

2 Pneumáticos

3 Motor de translação

4 Cabina do condutor

5 Longarinas corrediças

6 Placas de apoio

1.2 Chassi superior

• com cilindros de apoio

10 Motor da grua

11 Cabina da grua

12 Contrapeso

13 Cilindro basculável • para o ajuste da lança telescópica

14 Cabrestante 1

15 Cabrestante 2*

16 Cabo de elevação

17 Moitão do gancho

1.3 Lança telescópica (T)

20 Pé da lança

21 Elemento telescópico 1

22 Elemento telescópico 2

23 Elemento telescópico 3

24 Elemento telescópico 4

25 Elemento telescópico 5

146703-00

1.01 Terminologia

146703-00 1.01 Terminologia B196240 20 LIEBHERR 1.01

B196240

1.01 Terminologia

146703-00

2 Lança adicional

2.1 Ponta abatível (TK)*

31 Adaptador

32 Pé da lança

33 Cabeçal

34 Elemento intermediário

2.2 Ponta abatível com extensão (TVK)*

31 Adaptador

32 Pé da lança

33 Cabeçal

34 Elemento intermediário

35 Extensão

2.3 Ponta abatível ajustável hidraulicamente (TNZK)*

31

Adaptador

32

Pé da lança

33

Cabeçal

34

Elemento intermediário

40

Cilindro de ajuste

2.4 Ponta abatível regulável hidraulicamente com extensão (TVNZK)*

31

Adaptador

32

Pé da lança

33

Cabeçal

34

Elemento intermediário

35

Extensão

40

Cilindro de ajuste

146688-00

1.02 Descrição do produto

146688-00 1.02 Descrição do produto B198140 22 LIEBHERR 1.02

B198140

1.02 Descrição do produto

146688-00

1 Chassi da grua

1.1 Armação

Construção de fabrico próprio em forma de caixa, com peso optimizado e à prova de torção, em aço para construção de grão fino altamente resistente.

1.2 Estabilizadores

Apoio em 4 pontos, hidraulicamente extensível na horizontal e na vertical. Nivelamento automático dos apoios. Indicador electrónico de inclinação.

1.3 Motor

Diesel de 6 cilindros, fabrico Liebherr, Tipo D 846 A7, refrigerado por água. Potência: 370 KW bei 1900 r.p.m. Binário máx.: 2355 Nm com 1200 - 1500 r.p.m.

Emissões de gás de escape: de acordo com as convenções 97/68/EG graduação 3 e EPA/CARB Tier

3

Depósito do combustível: 490 l

1.4 Caixa de engrenagens

Caixa de mudança de velocidade ZF-12 com sistema de mudanças automatizada AS-TRONIC Intarder ZF montado directamente na caixa de velocidades. Engrenagem de distribuição de duas graduações com diferencial de distribuição bloqueável.

1.5 Eixos

Todos os 5 eixos soldados em aço para construção de grão fino altamente resistente. Todos os eixos dirigidos. Os eixos 2, 4 e 5 são eixos planetários com bloqueios dos diferenciais.

1.6 Suspensão

Todos os eixos são de suspensão hidropneumática “Suspensão Niveaumatik” e bloqueáveis hidraulicamente.

1.7 Conjunto de pneumáticos

10 – pneus. Dimensões dos pneus: 385 / 95 R 25

1.8 Direcção

Direcção hidráulica - Servocom ZF, instalação de 2 circuitos com dispositivo de assistência hidráulica

e bomba de urgência suplementar accionada pelo eixo.

Os eixos 3, 4 e 5 são dirigidos electro-hidraulicamente dependente da velocidade e a partir de 30 km/h o terceiro e quarto eixo serão fixados para marcha em frente.

A partir de 60 km/h o quinto eixo será fixado em marcha em frente.

Direcção de acordo com a norma EG 70/311/EWG.

146688-00

1.02 Descrição do produto

1.9

Travões

Travão de serviço: servo-freio por ar comprimido em todas as rodas, instalação de dois circuitos Todos os eixos estão equipados com travões de discos. Travão de mão: acumulador por mola actuando sobre todas as rodas dos eixos segundo até quinto. Travões contínuos: travão do motor do tipo travão de válvula de escape com sistema de travagem suplementar LIEBHERR (ZBS). Intarder na caixa de mudanças de velocidade. Travões de acordo com a norma EG 71/320 /EWG.

1.10

Cabina do condutor

Cabina espaçosa fabricada com chapa de aço, resistente a corrosões através de pintura de fundo por imersão cataforese, com suspensão elástica e amortecida hidraulicamente. Revestimento interior com isolamento acústico e térmico conforme as recomendações da EG, Vidros de segurança, instrumentos de comando e de controlo, Equipamento de conforto.

1.11

Sistema eléctrico

Sistema moderno de Bus de dados, corrente contínua de 24 Volts, 2 baterias cada uma com 170 Ah. Iluminação está de acordo com as leis de trânsito em vigor na Alemanha (StVZO).

2 Chassi superior

2.1 Armação

Estrutura soldada em forma de caixa de fabrico próprio, com peso optimizado e de aço para construção de grão fino altamente resistente também a torções. Como elemento de ligação para o chassi da grua serve uma coroa giratória com 3 carreiras de rolos que possibilita um movimento de rotação ilimitado.

2.2 Motor da grua

Diesel de 4 cilindros, fabrico Liebherr, Tipo D 934 L A6, refrigerado por água. Potência: 180 kW com 1800 r.p.m. Binário máximo: 1140 Nm com 1500 r.p.m.

Emissões de gás de escape: de acordo com as convenções 97/68/EG graduação 3 e EPA/CARB Tier

3

Depósito do combustível: 265 l

2.3 Accionamento da grua

Hidráulico Diesel com 5 bombas de débito variável com êmbolos axiais com servo comando e regulação de potência limite automática, 1 bomba dupla de engrenagens. Accionamento hidráulico em construção compacta acoplado por flange directamente no motor Diesel, agregado de accionamento completo fechado hermeticamente para isolamento de ruídos.

2.4 Comando

Comando electrónico através do sistema LICCON (comando SPS). Duas alavancas de comando quádruplas manual de autocentragem. Regulação contínua de todos os movimentos da grua através do ajuste das bombas hidráulicas, adicionalmente regulação da velocidade através do ajuste das rotações do motor Diesel.

1.02 Descrição do produto

146688-00

2.5

Mecanismo de elevação

Motor de cilindrada variável com êmbolos axiais. Cabrestante Liebherr com engrenagem planetária integrado e travão de retenção carregado por mola. O accionamento do mecanismo de elevação ocorre num circuito de óleo fechado.

2.6

Mecanismo de basculação

1 cilindro diferencial com válvulas de retenção de segurança.

2.7

Mecanismo de rotação

Motor de débito constante com êmbolos axiais, engrenagens planetária, travão de retenção carregado por mola.

2.8

Cabina do condutor da grua

Tipo de chapa de aço galvanizado, revestimento pulverizado com vidros de segurança, elementos de comando e de controlo, equipamento de conforto. cabina do condutor da grua inclinável para trás.

2.9

Dispositivos de segurança

Sistema de limitação de sobrecarga LICCON, sistema de teste, Interruptor fim de curso gancho em cima, válvulas de segurança contra a ruptura de tubos e mangueiras.

2.10

Lança telescópica

Construção segura construída com aço para construção e resistente a torção com perfil oval da lança, 1 pé da lança e 5 elementos telescópicos. Todos os elementos telescópicos independentes uns dos outros extensíveis hidraulicamente. Sistema telescópico de ciclo rápido “Telematik”. Comprimento da lança: 13,3m até 60m

2.11

Contrapeso

74 t

2.12

Sistema eléctrico

Sistema moderno de Bus de dados, corrente contínua de 24 Volts, 2 baterias cada uma com 170 Ah.

3 Equipamento adicional

3.1 Ponta abatível

12,2m até 36m de comprimento, montável sob 0°, 22,5° ou 45° para com a lança telescópica. Cilindro hidráulico* para regulação da ponta abatível de 0° até 45°.

3.2 Extensão da lança telescópica

Peças de treliça de7 m de comprimento, com isso 7 m maior ponto de encosto para a ponta abatível.

3.3 Cabrestante 2

Para o serviço de 2 ganchos ou em serviço com a ponta abatível, quando o cabo principal de elevação tiver que ficar transpassado pela polia.

146688-00

1.02 Descrição do produto

3.4 Conjunto de pneumáticos

10 – pneus. Dimensões dos pneus: 445 / 95 R 25 e 525 / 80 R 25

3.5 Tracção 10 x 8

Adicionalmente pode ser accionado o 2. eixo

1.03 Características técnicas

146689-01

Página vazia!

146689-01

1.03 Características técnicas

146689-01 1.03 Características técnicas B199844 28 LIEBHERR 1.03

B199844

1.03 Características técnicas

146689-01

1 Dimensões

Dimensões dos

385 / 95 R 25

445 / 95 R 25*

525 / 80 R 25*

pneus

A 3950

mm

4000

mm

4000

mm

B 3000

mm

3000

mm

3100

mm

C 2563

mm

2551

mm

2573

mm

D 3700

mm

3750

mm

3750

mm

E 2000

mm

2050

mm

2050

mm

F 15

°

17

°

17

°

G 12

°

14

°

14

°

H 18

°

20

°

20

°

I 14

°

16

°

16

°

2 Conjunto de pneumáticos

Dimensões dos

Peso da roda

Pressão dos pneus em

Pressão dos pneus em

 

pneus

serviço de marcha em

“serviço de marcha com

 

estradas públicas

equipamento montado”

385 / 95 R 25

260

kg

10 bar

10

bar

445

/ 95 R 25*

320

kg

9

bar

10

bar

525

/ 80 R 25*

375

kg

7

bar

8 bar

3 Cargas sobre os eixos

– Grua em posição de marcha

– Estado de marcha consulte Capítulo 3.04

Eixos

1

2

3

4

5

Peso total

Peso

12 t

12 t

12 t

12 t

12 t

60 t

4 Meios de retenção de carga

146689-01

1.03 Características técnicas

Carga

Polias

Colocações do cabo

Peso próprio

151,0 t

9

16

2,000 t

142,6 t

7

15

1,500 t

107,7 t

5

11

1,300 t

70,6 t

3

7

1,040 t

31,2 t

1

3

0,840 t

10,5 t

-

1

0,500 t

5 Forças dos apoios

Máxima força de apoio em cada apoio

à frente

atrás

Com carga nominal

855 kN

1180 kN

6 Nível de emissões relativo ao local de trabalho

Nível de pressão acústica em regime nominal do motor

Ruído permanente L pAeq

Ouvido esquerdo

Ouvido direito

Cabina do condutor, lado do condutor

74 db(A)

74 db(A)

Cabina do condutor, lado do passageiro

74

db(A)

Cabina do condutor da grua

74

db(A)

7 Velocidades

7.1 Velocidades de marcha com o conjunto de pneumáticos 385 / 95 R 25

1.03 Características técnicas

146689-01

Velocidade

 

Mudança

 
         

12345678

   

Velocidade de estrada

5,20

6,70

8,60

11,10

14,00

18,10

23,80

30,60

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

Velocidade todo o terreno

2,30

2,90

3,80

4,80

6,10

7,90

10,40

13,30

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

Velocidade

 

Mudança

 

Inclinação

 

máxima

9

10

11

12

R1

R2

Velocidade de estrada

39,40

50,50

64,20

75,00

5,60

7,2

48

%

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

 

Velocidade todo o terreno

17,20

22,00

28,00

35,80

2,40

3,10

> 60 %

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

7.2 Velocidades de marcha com conjunto de pneumáticos 445 / 95 R 25 e 525 / 80 R 25

Velocidade

 

Mudança

 
         

12345678

   

Velocidade de estrada

5,70

7,30

9,40

12,10

15,30

19,70

25,90

33,20

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

Velocidade todo o terreno

2,50

3,20

4,10

5,30

6,70

8,60

11,30

14,50

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

Velocidade

 

Mudança

 

Inclinação

 

máxima

9

10

11

12

R1

R2

Velocidade de estrada

42,80

55,00

69,80

80,00

6,10

7,90

43

%

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

 

Velocidade todo o terreno

18,70

23,90

30,40

39,00

2,70

3,40

56

%

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

km/h

 

7.3 Velocidades da grua

146689-01

1.03 Características técnicas

Accionamentos

 

Sem graduação

Cabo / comprimen- to do cabo

Mecanismo de

0

m/min - 130 m/min para colocação simples do cabo

23

mm /280 m

elevação 1

   

Mecanismo de

0

m/min - 130 m/min para colocação simples do cabo

23

mm /280 m

elevação 2

   

Mecanismo de

0

r.p.m. - 1,3 r.p.m.

rotação

 

Mecanismo de

cerca de 50 s 1 ° até 82 ° posição de lança

 

basculação

 

Movimentos

Cerca de 580 s para o comprimento da lança 13,2 m - 72 m

 

telescópicos

 

8 Diâmetro do cabo

Tipo de cabo

Diâmetro do cabo

Cabo de elevação 1

23

mm

Cabo de elevação 2

23

mm

9 Alturas de elevação

1.03 Características técnicas

146689-01

Página vazia!

146689-01

1.03 Características técnicas

146689-01 1.03 Características técnicas B196242 Lança telescópica (T) 34 LIEBHERR 1.03

B196242

Lança telescópica (T)

1.03 Características técnicas

146689-01

1.03 Características técnicas 146689-01 B196466 Lança telescópica com ponta abatível (TK 22 m) 1.03 LIEBHERR 35

B196466

Lança telescópica com ponta abatível (TK 22 m)

146689-01

1.03 Características técnicas

146689-01 1.03 Características técnicas B196467 Lança telescópica com ponta abatível (TK 29 m) 36 LIEBHERR 1.03

B196467

Lança telescópica com ponta abatível (TK 29 m)

1.03 Características técnicas

146689-01

1.03 Características técnicas 146689-01 B196468 Lança telescópica com ponta abatível (TK 36 m) 1.03 LIEBHERR 37

B196468

Lança telescópica com ponta abatível (TK 36 m)

146689-01

1.03 Características técnicas

146689-01 1.03 Características técnicas B196469 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 22 m )

B196469

Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 22 m )

1.03 Características técnicas

146689-01

1.03 Características técnicas 146689-01 B196470 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 26,2 m )

B196470

Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 26,2 m )

146689-01

1.03 Características técnicas

146689-01 1.03 Características técnicas B196471 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 29 m )

B196471

Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 29 m )

1.03 Características técnicas

146689-01

1.03 Características técnicas 146689-01 B196472 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 36 m )

B196472

Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 36 m )

2.00 Segurança

141178-06

2.01 Regulamentos de trânsito

141178-06 2.01 Regulamentos de trânsito B195219 44 LIEBHERR 2.01

B195219

2.01 Regulamentos de trânsito

141178-06

1 Regulamentos de trânsito

A grua está autorizada a circular na estrada mediante o cumprimento dos regulamentos regionais de

trânsito.

Antes de se deslocar em estradas públicas, caminhos e praças públicas é necessário colocar a grua no estado permitido para que esteja de acordo com respectivas leis de trânsito estipuladas.

É necessário que os pesos, as cargas sobre os eixos e as dimensões determinadas nos livretes

sejam cumpridas e não sejam ultrapassadas com sobrecargas.

Quanto às cargas sobre os eixos, é necessário distinguir entre as cargas tecnicamente possíveis e as permitidas pelos regulamentos de trânsito. Nos países com regulamentos segundo a UE (CEE), não são permitidas cargas sobre os eixos superiores a 12 t na circulação em estradas.

É da responsabilidade do utilizador da grua o deslocamento com carga sobre o eixo acima de 12 t.

PERIGO Perigo de acidente devido a excesso de carga sobre o eixo e o excesso de Perigo de acidente devido a excesso de carga sobre o eixo e o excesso de peso total! Ao aumentar as cargas sobre os eixos e o peso total, diminui do mesmo modo a capacidade de travagem.

Aumenta o desgaste dos calços dos travões e o perigo de sobreaquecimento do travão. Deste modo,

o sistema da direcção, o travão de serviço, o travão de estacionamento e o travão contínuo deixam de corresponder aos regulamentos!

A duração da vida útil de todas peças que serão afectadas através duma carga elevada sobre o eixo

reduzir-se-á, como por exemplo: (travões, pneus, jantes, eixos, assim como os componentes completos de accionamento, suspensão e direcção.)

Cumpra imprescindivelmente às especificações relativas a carga sobre o eixo e ao peso total!

Somente é permitido transportar um moitão do gancho à frente quando:

– isto é permitido no respectivo estado de deslocação da grua (veja o capítulo 3.04)

– o cabo tiver sido transpassado pela polia no máximo 4 vezes

– se enganchar e amarrar o respectivo olhal no acoplamento de reboque

PERIGOe amarrar o respectivo olhal no acoplamento de reboque Perigo de acidente devido a limitação da

Perigo de acidente devido a limitação da visão do condutor!

Durante o deslocamento da grua em estradas públicas o campo visual do condutor não pode ser limitado através do moitão do gancho.

1.1 Polia na extremidade do mastro*

Para evitar a limitação da visão do condutor quando a polia na extremidade do mastro está montada,

é necessário bascular da posição de trabalho para a posição de transporte e travar nesta posição por meio de uma cavilha e de uma mola de segurança.

1.2 Regulamentos nacionais de trânsito

Durante o deslocamento com a grua é necessário cumprir os respectivos regulamentos nacionais de trânsito!

O transporte de pessoas na cabina da grua não é permitido.

141617-03

2.02 Instruções para a rodagem

141617-03 2.02 Instruções para a rodagem B195219 46 LIEBHERR 2.02

B195219

2.02 Instruções para a rodagem

141617-03

1 Instruções para a rodagem

para a rodagem 141617-03 1 Instruções para a rodagem PRECAUÇÃO Perigo de danos materiais durante o

PRECAUÇÃO

Perigo de danos materiais durante o deslocamento com a grua.

Rodar imprescindivelmente a grua!

Considere portanto os seguintes regulamentos:

1) durante a marcha é necessário controlar permanentemente os indicadores da temperatura e da pressão do óleo! Em caso de uma indicação de falha parar imediatamente o serviço de marcha!

• Executar os seguintes trabalhos de manutenção ao fim dos primeiros 50 km e 100 km:

• não apertar demasiado as porcas das rodas (binário de aperto máximo permitido = 600 Nm). Verificar a fixação sólida das porcas das rodas.

• Verificar o nível da água e o nível do óleo do motor.

• Verificar o nível do óleo da caixa de velocidades comutavél sob carga, na caixa de velocidades automática ou na caixa de velocidades automatizada.

• Controlar o motor, a caixa de velocidades e os eixos quanto à sua fixação sólida e estanquidade (controlo visual).

• Controlar os eixos articulados quanto à sua fixação sólida.

• Controlar as restantes peças do mecanismo de translação quanto à sua fixação sólida.

• Verificar a pressão e o estado do conjunto de pneumáticos (controlo visual).

1.1 Rodagem dos calços dos travões

A fim de que o travão obtenha uma eficiência ideal, é necessário activar, isto é, fazer a rodagem de cada calço do travão novo.

PERIGO Perigo de acidente! Perigo de acidente!

Deverá evitar a rodagem de calços novos por meio de várias travagens contínuas durante espaços de tempo mais prolongados ou por meio de várias travagens violentas, à velocidade máxima do respectivo veículo, existe elevado perigo de acidente.

Travagens violentas e travagens contínuas são proibidas!

Os calços dos travões devem ser rodados com travagens intercaladas no âmbito do campo inferior até médio de velocidades do veículo, nisto são proibidas as travagens violentas. A distância da rodagem - desejáveis são pelo mínimo 500 km - depende geralmente das possibilidades do veículo. Nesta fase não é permitido ultrapassar a temperatura máxima de 200 °C no tambor ou no disco do travão. A subida de temperatura resultante de uma única travagem não deverá ultrapassar 15% do valor máximo.

141674-00

2.03 Planificação de trabalho

141674-00 2.03 Planificação de trabalho B195219 48 LIEBHERR 2.03

B195219

2.03 Planificação de trabalho

141674-00

1 Planificação de trabalho

A planificação de trabalho, bem como uma grua em perfeito estado de funcionamento e uma

equipa bem preparada, são uma condição importante para o trabalho seguro com a grua.

uma condição importante para o trabalho seguro com a grua. PERIGO Perigo de acidente devido à

PERIGO Perigo de acidente devido à falta de informações!

Se faltarem ao condutor da grua as informações necessárias, o trabalho com a grua pode tornar-se impossível ou o condutor será forçado a improvisar.

É imprescindível que o condutor da grua informe-se precisamente antes do início da deslocação!

O

condutor da grua deverá receber ou procurar, atempadamente antes do início da marcha para o

local de trabalho, as informações necessários, em particular:

– espécie de trabalho com a grua

– local de trabalho (distância)

– trajecto

– alturas e larguras das passagens

– cabos eléctricos aéreos (com indicação da tensão)

– condições de espaço no local de trabalho

– limitações de movimento causadas por edifícios

– peso e dimensões da(s) carga(s) a levantar

– altura de levantamento e alcance da lança necessários

– capacidade de carga do solo no local de trabalho

Com base nestes dados o condutor terá de preparar os equipamentos necessários para o trabalho com a grua:

– moitões de gancho / ganchos de carga

– lança auxiliar

– meios de lingagem

– Contrapeso

– material para calços para placas de apoio

141675-12

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança B195219 50 LIEBHERR 2.04

B195219

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12

1 Exigências relativas ao condutor da grua

1.1 Em geral

A exigência mais importante relativa ao condutor da grua é a utilização e aplicação da grua, de forma

a evitar quaisquer perigos para si e para outras pessoas.

Para que possa cumprir esta exigência, damo-lhe seguidamente algumas instruções de segurança importantes. Muitos casos de danificações com gruas ocorrem devido a erros de operação da grua

com gruas ocorrem devido a erros de operação da grua PRECAUÇÃO Perigo devido a erros de

PRECAUÇÃO

Perigo devido a erros de operação!

No seu próprio interesse e no interesse dos outros, procure conhecer a fundo a sua grua e conheça também todos os perigos relacionados com os trabalhos a efectuar.

Erros de operação, que repetidamente são feitos em serviço de deslocação e serviço da grua,

especialmente:

• falta de atenção durante o trabalho, por exemplo:

• movimento de basculamento demasiado rápido

• travagem abrupta da carga

• puxar na oblíqua

• afrouxamento dos cabos

– sobrecarga

– velocidade de deslocação demasiado elevada com carga ou equipamento sobre faixa de rodagem irregular

– erros ao fixar a carga

– aplicação imprópria, especialmente tracção oblíqua, desprendimento de carga fixa

– vento sobre a carga suspensa

– erro durante a circulação em estradas sem carga, por exemplo, sobrecarga do motor ou caixa de velocidades

– choques com pontes, telhados ou cabo de alta tensão por consequência de altura de passagem muito baixa

– insuficiente estabilização, base de apoio, fundamentação das placas de apoio

– erros de montagem e desmontagem das lanças

Muitos casos de danificações com gruas são causados por erros de manutenção:

– falta de óleo, massa lubrificante, produto anti-congelante

– sujidade

– cabos de arame partidos, pneus danificados, peças desgastadas

– defeitos no interruptor de emergência, ou no limitador do momento de carga (LMB)

– falha dos travões e da embraiagem

– defeitos no sistema hidráulico, por exemplo, fissura na mangueira hidráulica

– afrouxamento de parafusos

141675-12

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

1.2 Equipamento de protecção pessoal

gerais de segurança 1.2 Equipamento de protecção pessoal PERIGO Elevado perigo de acidente! Em caso de

PERIGO Elevado perigo de acidente!

Em caso de não se usar o equipamento de protecção, o condutor da grua ou o pessoal auxiliar podem ser mortos ou feridos!

O condutor da grua e o pessoal auxiliar são obrigados a levar consigo e usar os seus

equipamentos de protecção pessoal! Utilizar o equipamento de protecção pessoal conforme as Normas correspondentes!

Ao equipamento de protecção pertence as seguintes partes do equipamento:

– capacete de protecção

– luvas de protecção

– cinto de segurança contra perigo de queda

– sapatos de segurança

– roupa de aviso

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12

1.3 Obrigações do gruísta

1) O gruísta tem de controlar a função dos travões e dos dispositivos do interruptor fim de curso de emergência antes de começar o trabalho. Ele tem de observar o estado da grua a deficiências evidentes. Em gruas comandadas sem fios ele tem de controlar a coordenação do dispositivo de comando e grua. 2) O gruísta tem de parar imediatamente o trabalho com a grua, caso verifique deficiências que ponham em risco a segurança. 3) O gruísta tem de comunicar todos os danos na grua ao superior responsável e, em caso de mudança na grua, também ao seu sucessor. Em gruas modificáveis no local as quais serão montadas e desmontadas no local de trabalho respectivo, ele tem de registar adicionalmente as deficiências num livro de controle da grua. 4) O gruísta tem para isso de tomar o cuidado que:

• antes da liberação da entrada de corrente para os agregados de accionamento têm de ser colocados todos os dispositivos de comando na posição zero ou em ponto morto,

• antes de sair do posto de comando tem de colocar os dispositivos de comando em zero ou em ponto morto e bloquear a entrada de corrente,

• ao depositar o dispositivo de comando para o comando sem fios este seja assegurado contra a ligação não autorizada. 5) O gruísta tem de tomar cuidado que a grua disposta ao vento não seja operada para além dos limites determinados pelo fabricante da grua assim como depositar a lança antecipadamente antes de alcançar a velocidade do vento perigosa para a grua e no final do trabalho. 6) O gruísta tem de observar em todos os movimentos da grua a carga ou em marcha sem carga os dispositivos de recepção de carga, quando através destes possam nascer perigos. Não sendo possível observar, o condutor da grua somente poderá comandar a grua consoante os sinais de um dirigente. 7) O gruísta tem de dar sinais de aviso caso necessário. 8) O gruísta não pode conduzir cargas por cima de pessoas. 9) Cargas fixadas manualmente podem ser movimentadas pelo gruísta somente depois de receber sinais evidentes do assistente, do dirigente ou de um responsável determinado pelo Empresário. Para bom entendimento têm de ser utilizados sinais com o gruísta, estes têm de ser concordados entre os responsáveis e o gruísta antes da sua aplicação. Caso o gruísta reconhecer que cargas estão fixadas incorrectamente, então ele não pode transportar estas. 10) Enquanto estiver uma carga pendurada na grua o gruísta tem de manter os dispositivos de comando na área das mãos. Isto não vale para a rebocagem de veículos com gruas de reboque. 11) O gruísta não pode arrancar posições finais para serviço normal as quais estão somente limitadas através do interruptor fim de curso de emergência. 12) O gruísta não pode recolher uma sobrecarga depois do tempo de actuação do limitador do momento de carga através da retracção/levantamento da lança. 13) O gruísta não pode ligar por ponte a protecção contra sobrecarga para aumentar a potência de elevação da grua.

141675-12

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança B102519 54 LIEBHERR 2.04

B102519

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12

2 Escolha da posição

Para evitar, logo de início, perigos de acidente, a escolha da posição é de grande importância.

acidente, a escolha da posição é de grande importância. PERIGO Perigo de acidente devido a um

PERIGO Perigo de acidente devido a um subsolo não resistente!

Se a grua não for apoiada em subsolo resistente, esta pode tombar e ao mesmo tempo matar pessoas!

Apoiar a grua somente em subsolo resistente!

Observar os seguintes pontos!

Na escolha do local de trabalho para a grua observar o seguinte:

1) Escolher o local para a montagem de tal forma para que os movimentos da grua possam ser executados sem colisões e a estabilização possa ser expandida para a base de apoio como está especificada nas tabelas de carga. Tome muita atenção que não sejam feridas ou mortas pessoas! Mantenha uma distância de segurança de 0,5 m. Se isto não for possível então tem de vedar a zona de perigo. 2) Apoiar correctamente a grua e fundamentar as placas de apoio sobre uma grande área conforme a resistência do solo no local da montagem. 3) Mantenha uma distância de segurança para caves ou similares. 4) Mantenha uma distância de segurança para taludes ou similares. 5) Seleccione o alcance tão pequeno quanto possível. Não utilize a grua a 100 %. 6) Seleccione o comprimento correcto da lança para a queda da carga. 7) É proibida a tracção oblíqua! 8) Seleccione a correcta colocação do cabo do cabo de elevação para queda da carga. 9) Observe o peso e a superfície de ataque do vento da carga. 10) Seleccione os meios de fixação conforme o peso da carga, o tipo de fixação e do ângulo de inclinação. 11) Mantenha distância suficiente para os cabos eléctricos aéreos.

141675-12

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança B102520 56 LIEBHERR 2.04

B102520

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

141675-12

3 Taludes e fossas

A grua não deverá ser colocada demasiado próxima de taludes ou fossas. Será necessário cumprir uma distância de segurança suficiente conforme o tipo de terreno.

PERIGO Tombamento da grua! As bordas do talude ou fossas podem abater quando a distância de Tombamento da grua! As bordas do talude ou fossas podem abater quando a distância de segurança A ou o ângulo de

terraplanado β não for mantido. Através do abatimento do talude ou das fossas a grua pode tombar e matar pessoas!

Delimite o talude ou fossa!

Manter a distância de segurança!

Manter o ângulo de terraplanado!

Termo

Abreviatura

Distância para o suporte das

A

fossas

Profundidade das fossas

T

Ângulo de assentamento da

α

carga

Ângulo de terraplanado

β

Observaçãoda α carga Ângulo de terraplanado β Sem calculação comprovativa da segurança da estabilidade

Sem calculação comprovativa da segurança da estabilidade não pode ser ultrapassado o ângulo de terraplanado β determinado na tabela!

Terreno

Ângulo de

terraplanado

em terrenos não coesivos e terrenos coesivos moles

β= 45°

em terrenos rijos ou terrenos coesivos meio rígidos

β= 60°

em rochas

β= 80°

Calculação da distância de segurança A:

Tipo de terreno

Ângulo de registo da carga necessário

α

Fórmula

terreno

mole

α30°

A = 2 x T

terreno

sólido

α45°

A = 1 x T

141675-12

2.04 Notas técnicas gerais de segurança

4 Pressões sobre o chão permitidas

Quando a grua se encontra apoiada, os cilindros de apoio têm de transmitir ao chão forças consideráveis. Em certos casos, um único cilindro de apoio tem de suportar aproximadamente todo o peso da grua, incluindo a carga, e transmitir estas ao solo. Em qualquer dos casos, o solo tem de suportar a pressão com segurança. Quando a superfície das placas de apoio não é suficiente, estas têm de ser fundamentadas conforme com a resistência do chão. Pode calcular-se a superfície de apoio necessária a partir da resistência do chão e da força de apoio da grua.

Observaçãoda resistência do chão e da força de apoio da grua. Tenha em consideração que a

Tenha em consideração que a força de apoio, dependente do peso, sem carga pode ser maior do que com carga.

PRECAUÇÃOdo peso, sem carga pode ser maior do que com carga. Perigo de queda devido a