Você está na página 1de 962

LIEBHERR

Grua móvel com lança telescópica

LTM 1220-5.2
LTM 1220-5-2-004

Manual de instruções
Manual de instruções núm.: 17202-01-14

Páginas: 962

Número da fábrica

Data

O manual de instruções pertence a grua!

O manual deve estar sempre à mão e deve ser levado


junto com a grua!

Deve-se respeitar os regulamentos durante o


deslocamento da grua sobre as estradas e durante o
serviço de grua!

Liebherr-Werk Ehingen GmbH


Postfach 1361
D-89582 Ehingen / Donau
: +49 (0) 7391 502–0
Fax: +49 (0) 7391 502–3399
: info.lwe@liebherr.com
www.liebherr.com

1
Prefácio

Generalidades
Esta grua foi construída de acordo com a mais moderna tecnologia e com as normas de segurança
técnica reconhecidas. Mesmo assim, durante a utilização da grua, o utilizador e/ ou terceiros podem
estar sujeitos a perigos de lesões corporais e de vida, assim como danificações na grua ou danos
materiais.
Esta grua somente pode ser utilizada em perfeito estado técnico, de acordo com o trabalho
determinado para ela assim como com em plena consciência da segurança e dos perigos envolvidos.
Deve ser eliminada imediatamente qualquer tipo de avaria que possa por em risco a segurança.
Somente com uma autorização por escrito da firma Liebherr - fábrica Ehingen GmbH podem ser
executadas modificações na grua.
Manual de instruções
Este manual de instruções deverá garantir-lhe uma operação segura da grua e o aproveitamento de
todas as possibilidades de aplicação permitidas. Além disso, ele também dá instruções sobre a
função de agregados e sistemas importantes.
Com esse fim, neste manual de instruções são utilizados termos específicos. Para evitar
mal-entendidos deverá empregar sempre os mesmos termos.
Este manual de instruções foi traduzido segundo os melhores conhecimentos e com consciência. Em
erros de tradução a Liebherr-Werk Ehingen GmbH não assume qualquer responsabilidade. Para a
exactidão da objectividade é unicamente decisivo o manual de instruções em idioma Alemão. Se ao
ler este manual de instruções encontrar erros ou mal-entendidos, por favor informe imediatamente
isso à Liebherr-Werk Ehingen GmbH

PERIGO
Perigo de acidente devido a uso incorrecto!
 Com esta grua deverá trabalhar somente pessoal devidamente qualificado e especializado.

Dar atenção tanto ao manual de instruções assim como as instruções e regulamentos válidas no
local de trabalho (como, por exemplo, os normas de prevenção de acidentes).
A utilização deste manual de instruções:
– facilita a tomada de conhecimento com a grua
– evita avarias devidas ao uso impróprio
Seguindo o manual de instruções:
– aumenta a fiabilidade de serviço
– aumenta a vida útil da grua
– diminui as despesas de reparações e de falhas
Mantenha este manual de instruções sempre à mão na cabina do condutor ou seja, do condutor da
grua.
O manual de instruções faz parte da grua!
Utilize a grua somente depois de estar precisamente familiarizado com este manual de instruções e
mediante o cumprimento destas.
No caso de lhe enviarmos mais informações sobre a grua, por exemplo, na forma de boletins de
informações técnicas, dar atenção também a estas instruções e juntá-las ao manual de instruções.

2 LIEBHERR
0.01 Prefácio 141643-08

No caso de não compreender o manual de instruções ou algum dos capítulos, deverá informar-se
junto de nós antes de iniciar com o respectivo trabalho.
É proibido reproduzir e divulgar as informações e as figuras deste manual de instruções ou utilizá-los
para fins de concorrência. Todos os direitos de acordo com a lei dos direitos de autor ficam
expressamente reservados.
Todas as normas de prevenção de acidentes, manual de instruções etc. partem do princípio que a
grua é utilizada para os fins determinados para esta.
Utilização para fins determinados
A utilização da grua para tais fins determinados consiste exclusivamente em levantar e baixar cargas
soltas com pesos e centro de gravidade conhecidos.
Para isso deve ser utilizado um gancho ou um moitão do gancho homologado pela Liebherr com o
cabo de elevação transpassado pela polia destes e, somente deve-se trabalhar com os estados dos
equipamentos montados permitidos.
Somente é permitido o deslocamento da grua, com ou sem carga suspensa, de acordo com as
tabelas de carga e de deslocamento. Os estados dos equipamentos montados no momento e as
condições de segurança pré definidos devem estar de acordo com o manual de instruções.
Qualquer outra ou uma extensão do tipo de utilização significa uma não utilização de acordo com os
fins determinados.
Para uma utilização de acordo com os fins determinados deve-se seguir as exigências prescritas na
documentação da grua (no manual de instruções, tabela de carga, planejador de tarefas), quanto as
normas de segurança, condições, pré requisitos, estados dos equipamentos montados e etapas de
trabalho.
O fabricante da grua não assume nenhuma responsabilidade por danos causados por uma utilização
fora dos fins determinados para a grua ou através de uma utilização não permitida desta. Os
respectivos riscos ficam unicamente por conta do proprietário, do explorador e do usuário da grua.

0.01 LIEBHERR 3
141643-08 0.01 Prefácio

Utilização da grua não dentro dos fins determinados.


A não utilização da grua para os fins determinados é:
– o trabalho fora dos parâmetros estipulados e permitidos na tabela de carga do estado do
equipamento montado no momento.
– o trabalho fora dos parâmetros estipulados e permitidos na tabela de carga para os alcances da
lança e para a zona de rotação.
– a escolha de cargas que não estão de acordo com o real estado do equipamento montado no
momento.
– a escolha de códigos do limitador do momento de carga (LMB) que não estão de acordo com o
real estado do equipamento montado no momento.
– trabalhar com o limitador de momento de carga ligado por ponte ou com o interruptor de fim de
curso de elevação ligado por ponte.
– o aumento do alcance da lança para a carga a ser levantada depois do limitador do momento de
carga ter sido desligado, por exemplo, a carga é puxada inclinada.
– a utilização do indicador da pressão de apoio como uma função de segurança contra o
tombamento.
– a utilização de partes do equipamento não são permitidos para a grua
– a utilização da grua em actividades de desporto e de recreação, principalmente de saltos com
elástico (Bungee)
– a circulação em estradas com um estado de deslocação não permitido (carga sobre o eixo,
dimensões)
– o deslocamento da grua equipada em um estado de deslocação não permitido
– pressionar, puxar ou levantar a carga através do ajuste do nivelamento, das longarinas corrediças
ou dos cilindros de apoio.
– pressionar, puxar ou levantar a carga accionando o mecanismo de rotação, o sistema de
basculamento, ou o mecanismo de movimentos telescópicos
– o desprendimento de objectos com a grua
– a utilização da grua para trabalhos de translação durante períodos de tempo longos
– aliviar a grua subitamente (serviço com mandíbulas ou balde)
– a aplicação da grua quando a carga suspensa na grua for alterada no seu peso, por exemplo o
enchimento de um contentor pendurado no gancho de carga
A grua não pode ser utilizada para:
– a fixação de carga fixa em que o seu peso e centro de gravidade não são conhecidas e as quais
por exemplo primeiramente tenham de ser livres através de um maçarico de corte
– levar pessoas fora da cabina do condutor
– o transporte de pessoas dentro da cabina da grua durante a marcha.
– o transporte de pessoas com os meios de retenção de carga e sobre a carga
– o transporte de pessoas com o cesto para o trabalho, quando não exista uma autorização por
escrito do órgão responsável pela segurança do trabalho
– o transporte de carga sobre o chassi inferior
– o serviço com dois ganchos sem equipamento adicional
– a utilização da grua para trabalhos de transbordo durante períodos de tempo longos
O manual de instruções de serviço deve ser lido e cumprido por todas as pessoas que se ocupem
com o trabalho, serviço, montagem e manutenção da grua.
Instruções de advertência
Com os termos “Observação”, “PRECAUÇÃO”, “AVISO” e “PERIGO” utilizados neste manual de
instruções chamamos a atenção de todas as pessoas que trabalham com a grua para certas formas
de comportamentos importantes.
Observação:
O termo “Observação” é utilizado para chamar a atenção sobre determinados aspectos.

PRECAUÇÃO:
O termo “PRECAUÇÃO” é utilizado para alertar contra possíveis danos materiais ou danos corporais
ligeiros.

4 LIEBHERR 0.01
0.01 Prefácio 141643-08

AVISO:
O termo “AVISO” é utilizado para alertar contra possíveis danos corporais graves.

PERIGO:
O termo “PERIGO” é utilizado para alertar contra perigos que representem risco de vida.

Dispositivos de segurança
Deverá prestar especial atenção aos dispositivos de segurança montados na grua. Deverão ser
permanentemente controlados quanto ao seu funcionamento correcto. É proibido trabalhar com a
grua quando os dispositivos de segurança não funcionam ou funcionam mal.
O seu lema deverá ser sempre:
Segurança está em primeiro lugar!
Agrua está construída conforme os regulamentos válidos para o serviço de grua e para serviço de
marcha e está aprovada pela correspondente autoridade pública competente.
Peças de equipamento e peças de substituição

PERIGO
Perigo de morte com partes do equipamento não originais!
Se a grua for operada com partes do equipamento não originais, a grua pode falhar e causar
acidentes mortais!
Componentes da grua podem ser danificados!
 Operar a grua somente com partes do equipamento originais!
 É proibido o serviço de grua com partes do equipamento que não pertencem à grua!

PERIGO
A homologação da grua e a garantia do fabricante perdem a validade!
Caso as peças originais montadas sejam modificadas, manipuladas ou trocadas por iniciativa própria
(por exemplo desmontagem de peças, montagem de peças não originais), perdem a validade,
homologação da grua, bem como a garantia do fabricante.
 Não modificar as peças originais montadas.
 Não desmontar as peças originais.
 Utilizar somente peças de reposição genuínas Liebherr.

Definição das instruções de direcção


Marcha à frente significa deslocação com a cabina do condutor em frente.
Marcha atrás significa deslocação com as luzes traseiras do chassi inferior em frente.
À frente, atrás, à direita, à esquerda, relaciona-se na grua sobre o estado em que a cabina do
condutor e lança indicam para a mesma direcção. À frente é sempre na direcção da cabina do
condutor.
À frente, atrás, à direita, à esquerda relaciona-se na cabina do condutor sobre o chassi inferior. A
cabina do condutor está sempre à frente.
À frente, atrás, à direita, à esquerda relaciona-se na cabina da grua sobre o chassi superior. À
frente é sempre na direcção da lança.
A pedido do cliente
Equipamentos específicos a pedido do cliente estão marcados com *.

0.01 LIEBHERR 5
Índice

6 LIEBHERR
Índice

Índice

1.00 Descrição da grua 17

1.01 Terminologia 18

1 Componentes da grua 19

2 Lança adicional 21

1.02 Descrição do produto 22

1 Chassi da grua 23

2 Chassi superior 24

3 Equipamento adicional 25

1.03 Características técnicas 27

1 Dimensões 29

2 Conjunto de pneumáticos 29

3 Cargas sobre os eixos 29

4 Meios de retenção de carga 29

5 Forças dos apoios 30

6 Nível de emissões relativo ao local de trabalho 30

7 Velocidades 30

8 Diâmetro do cabo 32

9 Alturas de elevação 32

2.00 Segurança 43

2.01 Regulamentos de trânsito 44

1 Regulamentos de trânsito 45

2.02 Instruções para a rodagem 46

1 Instruções para a rodagem 47

2.03 Planificação de trabalho 48

1 Planificação de trabalho 49

2.04 Notas técnicas gerais de segurança 50

1 Exigências relativas ao condutor da grua 51

2 Escolha da posição 55

3 Taludes e fossas 57

LIEBHERR 7
Índice

4 Pressões sobre o chão permitidas 58

5 Estabilização 61

6 Serviço de grua com carga 62

7 Ligação à terra 64

8 Trabalho com a grua durante uma trovoada 66

9 Trabalhos de soldadura na carga 66

10 Instruções de segurança em caso de alimentação externa (230 V AC) 66

11 Trabalhos nas proximidades de emissores 69

12 Perigo para o tráfego aéreo 70

13 Sinais manuais de instrução 73

14 Atenção à influência do vento 73

15 Interrupção do trabalho da grua 75

16 Começar outra vez o trabalho com a grua 75

17 Terminar o trabalho com a grua 76

18 Desligar o veículo 76

2.05 Placas de identificação na grua 77

1 Sinais de aviso 79

2 Instruções de advertência 81

3 Sinais de prescrições / Sinais de proibição 85

4 Sinais de indicação 87

2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 88

1 Dispositivos de segurança contra queda na grua 89

2 Pontos de fixação 89

3 Pontos de fixação na ponta abatível 91

4 Parapeitos no chassi superior 95

5 Máquinas com cabina basculável para cima* 97

3.00 Comando no chassi da grua 99

3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 100

1 Instrumentos de comando e de controlo no veículo 101

3.02 Antes do início da deslocação 122

1 Controlos gerais antes do início da deslocação 123

2 Posto de trabalho cabina do condutor 131

3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 136

8 LIEBHERR
Índice

1 Generalidades 137

2 Sistema de suspensão dos eixos 139

3 Sistema de bloqueio dos eixos 145

3.04 Serviço de marcha 146

1 Estados de deslocação da grua 147

2 Arrancar e desligar o motor 149

3 Deslocação 157

4 Bloqueios dos diferenciais 197

5 Direcção 203

6 Rebocagem 213

3.05 Grua no local de trabalho 215

1 Generalidades 217

2 Unidade de comando dos estabilizadores 223

3 O programa “Estabilização” 237

4 Antes de deixar o local de aplicação 247

4.00 Comando no chassi superior 249

4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 250

1 Instrumentos de operação e de controlo 251

4.02 Sistema computadorizado LICCON 266

1 Generalidades 267

2 Inicialização do sistema computadorizado LICCON 271

3 Elementos de função do sistema computadorizado LICCON 275

4 O programa “Equipar” 277

5 O programa “Serviço” 295

6 O programa “Movimentos telescópicos” 339

7 O programa “Parâmetros de controlo” 343

8 O programa “Limitação da área de trabalho” * 351

9 O programa “Estabilização” 353

10 O programa “Monitoração do motor” 369

11 Sistema computadorizado LICCON no modo Stand-by 377

4.03 Colocação da grua em serviço 380

1 Controlos antes da colocação em serviço 381

2 Local de trabalho - cabina do condutor da grua 385

LIEBHERR 9
Índice

3 Arrancar o motor do chassi superior e motor do chassi inferior e desligar 393

4 Sistema computadorizado LICCON após o arranque do motor 403

4.04 Dispositivos de segurança 406

1 Em geral 407

2 Sistema computadorizado LICCON 407

3 Dispositivos de segurança gerais 411

4 Vista geral dos avisos acústicos e ópticos 413

5 Ligação por ponte “bascular para cima com sobrecarga” 417

6 Ligação por ponte do LICCON 417

4.05 Serviço de grua 420

1 Generalidades 421

2 Sistema computadorizado LICCON 429

3 Basculação 431

4 Levantar / baixar 435

5 Rotação 437

6 movimentos telescópicos 443

4.06 Colocação do cabo 454

1 Generalidades 455

2 Colocação e remoção dos cabos de aço no moitão do gancho 457

3 Fixação e retirada do gancho de carga* 463

4 Planos de colocação do cabo 467

4.07 Contrapeso 480

1 Generalidades 481

2 Montagem 485

3 Desmontagem das placas de contrapeso 489

4.08 Trabalho com carga 494

1 Instruções técnicas de segurança para trabalhar com carga 495

2 Controlos antes do início do trabalho com a grua 495

3 Recepção da carga 499

4 Serviço de grua 501

4.12 Serviço com dois ganchos 503

1 Em geral 505

5.00 Equipamento 511

10 LIEBHERR
Índice

5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 512

1 Inspecção dos elementos de segurança 513

2 Controlo dos cabos 513

3 Medidas de controlo antes de estabilizar a grua 514

4 Medidas de controlo antes do serviço de grua 515

5 Transporte de componentes 515

6 Molas a gás para auxiliar a montagem de componentes 516

7 Pesos 516

8 Pulsador de ligação por ponte LICCON 519

9 Montagem / desmontagem 523

10 Levantar / substituir 540

5.02 Ponta abatível TK 541

1 Em geral 543

2 Montagem da ponta abatível 553

3 Colocar o cabo de elevação 577

4 Reequipar a ponta abatível mecânica de 0° para 22.5 ou 45° 579

5 Ligações hidráulicas 585

6 Conexões eléctricas 591

7 Levantar 597

8 Ajustar o ângulo da ponta abatível em ponta abatível hidráulica 599

9 Reequipar a ponta abatível mecânica de 22,5° ou 45° para 0° 603

10 Retirar o cabo de elevação 609

11 Desmontagem da ponta abatível 611

5.09 Cabrestante 2 634

1 Generalidades 635

2 Montagem 635

3 Desmontagem 637

5.10 Polia na extremidade da lança telescópica 638

1 Generalidades 639

2 Montagem 639

3 Desmontagem 645

5.12 Lança auxiliar 648

1 Em geral 649

2 Montagem da lança auxiliar 649

LIEBHERR 11
Índice

3 Levantar 665

4 Retirar o cabo de elevação 667

5 Desmontagem da lança auxiliar 669

5.25 Extensão da lança telescópica 676

1 Generalidades 677

2 Montagem 679

3 Estabelecer as conexões eléctricas/hidráulicas 681

4 Levantar 681

5 Desmontagem 683

5.27 Tabelas de levantamento e depósito 684

1 Generalidades 685

2 Tabela para levantamento e depósito para serviço T 685

3 Tabelas de levantamento e depósito para serviço TK/TNZK 685

4 Tabelas de levantamento e depósito para serviço TVK/TVNZK 686

6.00 Equipamento adicional 687

6.01 Aquecimento / pré-aquecimento do motor* 688

1 Aquecimento da cabina do condutor 689

2 Aquecer a cabina do condutor da grua 705

6.02 Accionamento de emergência 716

1 Em geral 717

2 Accionamento de emergência do chassi superior 719

3 Accionamento de emergência do chassi da grua 751

6.04 Controlador das longarinas corrediças 754

1 Generalidades 755

2 Bases de apoio 755

3 Trabalhar com o controlador das longarinas corrediças 757

6.05 Descida de emergência 762

1 Accionamento de emergência 763

7.00 Manutenção e conservação 767

7.01 Manutenção e conservação em geral 768

1 Em geral 769

2 Limpeza e conservação da grua 770

3 Colocação fora de serviço numa interrupção de trabalho 771

12 LIEBHERR
Índice

4 Instruções de manutenção 771

7.02 Intervalos de manutenção do chassi inferior da grua 772

1 Plano de manutenção e inspecção do chassi da grua 773

7.03 Intervalos de manutenção do chassi superior da grua 784

1 Plano de manutenção e inspecção do chassi superior 785

7.04 Intervalos de manutenção do chassi inferior da grua 793

1 Motor de translação 795

2 Caixa de mudanças automatizada 801

3 Engrenagem de distribuição 805

4 Sistema hidráulico 807

5 Secador de ar para o sistema do ar comprimido e travões 817

6 Pneus / Rodas 817

7 Eixos 821

8 Ajuste das vias dos pneus 823

9 Inclinar a cabina do condutor 825

10 Sistema eléctrico - Iluminação 825

7.05 Intervalos de manutenção do chassi superior da grua 828

1 Motor da grua 829

2 Mecanismo de accionamento das bombas 833

3 Sistema hidráulico 835

4 Sistema de lubrificação central 843

5 União giratória 850

6 Cabrestantes 853

7 Caixa de engrenagens do mecanismo giratório 857

8 Secador de ar do sistema de ar comprimido do chassi superior 859

9 Sistema eléctrico - Iluminação 859

10 Lança telescópica 861

7.06 Plano de lubrificação, quantidades de enchimento 862

1 Chassi da grua 863

2 Chassi superior 867

7.07 Combustíveis e lubrificantes 868

1 Schmierstofftabelle 869

8.00 Inspecções da grua 877

LIEBHERR 13
Índice

8.01 Inspecção periódica de gruas 878

1 Generalidades 879

2 Inspecção da construção de sustentação de aço 880

3 Inspecção dos cabrestantes de levantamento e de retracção 897

4 Controlo do gancho de carga 907

5 Inspecção do mecanismo de empuxo do cabo na lança telescópica 907

6 Controlar as funções dos sistemas de travamento interiores e exteriores da


lança telescópica 907

7 Controlo dos circuitos de segurança dos apoios anti-retorno 908

8 Controlar os acumuladores do nitrogénio 908

9 Controlo das polias dos cabos 908

10 Controlo da função do sistema de protecção contra sobrecarga 908

11 Controlo da união giratória de rolos 908

12 Controlo da fixação dos agregados de suporte de carga 909

13 Controlo dos depósitos de combustível e dos depósitos de óleo 909

14 Controlo do cabrestante auxiliar, para a colocação do cabo, cabrestante de


salvamento, cabrestante do roda sobressalente 909

15 Anexos 910

8.04 Controlo dos cabos de aço da grua 920

1 Introdução 921

2 Cabos metálicos 921

3 Comportamento de serviço dos cabos de aço 927

4 Estado das instalações em relação com os cabos em operação 927

5 Protocolo da inspecção do cabo de aço 928

6 Armazenamento e marcação do cabo 928

7 Cabos de aço e ligações do fim do cabo 928

8 Torção de dilatação em cabos livres de torção e a sua eliminação 930

9 Anexo 1 933

10 Anexo 2 933

11 Anexo 3 937

12 Anexo 4 938

8.07 Controlo do travão pneumático dos travões de discos 939

1 Em geral 941

2 Controlo visual 941

14 LIEBHERR
Índice

3 Controlo do funcionamento e da eficiência dos travões 942

4 Inspecção interior dos travões 943

9.00 Notas gerais 947

9.02 Trabalhos de conservação suplementares 948

1 Medidas de controle 949

2 Cuidado durante os trabalhos de reparação e de manutenção 949

3 Trabalhos de manutenção importantes 950

4 Notas de manutenção para componentes substituíveis 950

5 Indicações para o serviço de marcha 950

6 Eliminação 950

7 Substituição das rodas 950

8 Substituição dos pneus 951

Index 955

LIEBHERR 15
16 LIEBHERR
1.00 Descrição da grua

LIEBHERR 17
146703-00 1.01 Terminologia

B199858

18 LIEBHERR 1.01
1.01 Terminologia 146703-00

1 Componentes da grua

1.1 Chassi da grua


1 Chassi de 5 eixos
2 Pneumáticos
3 Motor de translação
4 Cabina do condutor
5 Longarinas corrediças • com cilindros de apoio
6 Placas de apoio

1.2 Chassi superior


10 Motor da grua
11 Cabina da grua
12 Contrapeso
13 Cilindro basculável • para o ajuste da lança telescópica
14 Cabrestante 1
15 Cabrestante 2*
16 Cabo de elevação
17 Moitão do gancho

1.3 Lança telescópica (T)


20 Pé da lança
21 Elemento telescópico 1
22 Elemento telescópico 2
23 Elemento telescópico 3
24 Elemento telescópico 4
25 Elemento telescópico 5

1.01 LIEBHERR 19
146703-00 1.01 Terminologia

B196240

20 LIEBHERR 1.01
1.01 Terminologia 146703-00

2 Lança adicional

2.1 Ponta abatível (TK)*


31 Adaptador
32 Pé da lança
33 Cabeçal
34 Elemento intermediário

2.2 Ponta abatível com extensão (TVK)*


31 Adaptador
32 Pé da lança
33 Cabeçal
34 Elemento intermediário
35 Extensão

2.3 Ponta abatível ajustável hidraulicamente (TNZK)*


31 Adaptador
32 Pé da lança
33 Cabeçal
34 Elemento intermediário
40 Cilindro de ajuste

2.4 Ponta abatível regulável hidraulicamente com extensão (TVNZK)*


31 Adaptador
32 Pé da lança
33 Cabeçal
34 Elemento intermediário
35 Extensão
40 Cilindro de ajuste

1.01 LIEBHERR 21
146688-00 1.02 Descrição do produto

B198140

22 LIEBHERR 1.02
1.02 Descrição do produto 146688-00

1 Chassi da grua

1.1 Armação
Construção de fabrico próprio em forma de caixa, com peso optimizado e à prova de torção, em aço
para construção de grão fino altamente resistente.

1.2 Estabilizadores
Apoio em 4 pontos, hidraulicamente extensível na horizontal e na vertical.
Nivelamento automático dos apoios.
Indicador electrónico de inclinação.

1.3 Motor
Diesel de 6 cilindros, fabrico Liebherr, Tipo D 846 A7, refrigerado por água.
Potência: 370 KW bei 1900 r.p.m.
Binário máx.: 2355 Nm com 1200 - 1500 r.p.m.
Emissões de gás de escape: de acordo com as convenções 97/68/EG graduação 3 e EPA/CARB Tier
3
Depósito do combustível: 490 l

1.4 Caixa de engrenagens


Caixa de mudança de velocidade ZF-12 com sistema de mudanças automatizada AS-TRONIC
Intarder ZF montado directamente na caixa de velocidades.
Engrenagem de distribuição de duas graduações com diferencial de distribuição bloqueável.

1.5 Eixos
Todos os 5 eixos soldados em aço para construção de grão fino altamente resistente.
Todos os eixos dirigidos.
Os eixos 2, 4 e 5 são eixos planetários com bloqueios dos diferenciais.

1.6 Suspensão
Todos os eixos são de suspensão hidropneumática “Suspensão Niveaumatik” e bloqueáveis
hidraulicamente.

1.7 Conjunto de pneumáticos


10 – pneus.
Dimensões dos pneus: 385 / 95 R 25

1.8 Direcção
Direcção hidráulica - Servocom ZF, instalação de 2 circuitos com dispositivo de assistência hidráulica
e bomba de urgência suplementar accionada pelo eixo.
Os eixos 3, 4 e 5 são dirigidos electro-hidraulicamente dependente da velocidade e a partir de 30
km/h o terceiro e quarto eixo serão fixados para marcha em frente.
A partir de 60 km/h o quinto eixo será fixado em marcha em frente.
Direcção de acordo com a norma EG 70/311/EWG.

1.02 LIEBHERR 23
146688-00 1.02 Descrição do produto

1.9 Travões
Travão de serviço: servo-freio por ar comprimido em todas as rodas, instalação de dois circuitos
Todos os eixos estão equipados com travões de discos.
Travão de mão: acumulador por mola actuando sobre todas as rodas dos eixos segundo até quinto.
Travões contínuos: travão do motor do tipo travão de válvula de escape com sistema de travagem
suplementar LIEBHERR (ZBS).
Intarder na caixa de mudanças de velocidade. Travões de acordo com a norma EG 71/320 /EWG.

1.10 Cabina do condutor


Cabina espaçosa fabricada com chapa de aço, resistente a corrosões através de pintura de fundo por
imersão cataforese, com suspensão elástica e amortecida hidraulicamente.
Revestimento interior com isolamento acústico e térmico conforme as recomendações da EG, Vidros
de segurança, instrumentos de comando e de controlo, Equipamento de conforto.

1.11 Sistema eléctrico


Sistema moderno de Bus de dados, corrente contínua de 24 Volts, 2 baterias cada uma com 170 Ah.
Iluminação está de acordo com as leis de trânsito em vigor na Alemanha (StVZO).

2 Chassi superior
2.1 Armação
Estrutura soldada em forma de caixa de fabrico próprio, com peso optimizado e de aço para
construção de grão fino altamente resistente também a torções. Como elemento de ligação para o
chassi da grua serve uma coroa giratória com 3 carreiras de rolos que possibilita um movimento de
rotação ilimitado.

2.2 Motor da grua


Diesel de 4 cilindros, fabrico Liebherr, Tipo D 934 L A6, refrigerado por água.
Potência: 180 kW com 1800 r.p.m.
Binário máximo: 1140 Nm com 1500 r.p.m.
Emissões de gás de escape: de acordo com as convenções 97/68/EG graduação 3 e EPA/CARB Tier
3
Depósito do combustível: 265 l

2.3 Accionamento da grua


Hidráulico Diesel com 5 bombas de débito variável com êmbolos axiais com servo comando e
regulação de potência limite automática, 1 bomba dupla de engrenagens.
Accionamento hidráulico em construção compacta acoplado por flange directamente no motor Diesel,
agregado de accionamento completo fechado hermeticamente para isolamento de ruídos.

2.4 Comando
Comando electrónico através do sistema LICCON (comando SPS). Duas alavancas de comando
quádruplas manual de autocentragem. Regulação contínua de todos os movimentos da grua através
do ajuste das bombas hidráulicas, adicionalmente regulação da velocidade através do ajuste das
rotações do motor Diesel.

24 LIEBHERR 1.02
1.02 Descrição do produto 146688-00

2.5 Mecanismo de elevação


Motor de cilindrada variável com êmbolos axiais.
Cabrestante Liebherr com engrenagem planetária integrado e travão de retenção carregado por
mola.
O accionamento do mecanismo de elevação ocorre num circuito de óleo fechado.

2.6 Mecanismo de basculação


1 cilindro diferencial com válvulas de retenção de segurança.

2.7 Mecanismo de rotação


Motor de débito constante com êmbolos axiais, engrenagens planetária, travão de retenção
carregado por mola.

2.8 Cabina do condutor da grua


Tipo de chapa de aço galvanizado, revestimento pulverizado com vidros de segurança, elementos de
comando e de controlo, equipamento de conforto.
cabina do condutor da grua inclinável para trás.

2.9 Dispositivos de segurança


Sistema de limitação de sobrecarga LICCON, sistema de teste, Interruptor fim de curso gancho em
cima, válvulas de segurança contra a ruptura de tubos e mangueiras.

2.10 Lança telescópica


Construção segura construída com aço para construção e resistente a torção com perfil oval da
lança, 1 pé da lança e 5 elementos telescópicos. Todos os elementos telescópicos independentes
uns dos outros extensíveis hidraulicamente. Sistema telescópico de ciclo rápido “Telematik”.
Comprimento da lança: 13,3m até 60m

2.11 Contrapeso
74 t

2.12 Sistema eléctrico


Sistema moderno de Bus de dados, corrente contínua de 24 Volts, 2 baterias cada uma com 170 Ah.

3 Equipamento adicional
3.1 Ponta abatível
12,2m até 36m de comprimento, montável sob 0°, 22,5° ou 45° para com a lança telescópica.
Cilindro hidráulico* para regulação da ponta abatível de 0° até 45°.

3.2 Extensão da lança telescópica


Peças de treliça de7 m de comprimento, com isso 7 m maior ponto de encosto para a ponta abatível.

3.3 Cabrestante 2
Para o serviço de 2 ganchos ou em serviço com a ponta abatível, quando o cabo principal de
elevação tiver que ficar transpassado pela polia.

1.02 LIEBHERR 25
146688-00 1.02 Descrição do produto

3.4 Conjunto de pneumáticos


10 – pneus.
Dimensões dos pneus: 445 / 95 R 25 e 525 / 80 R 25

3.5 Tracção 10 x 8
Adicionalmente pode ser accionado o 2. eixo

26 LIEBHERR 1.02
1.03 Características técnicas 146689-01

Página vazia!

1.03 LIEBHERR 27
146689-01 1.03 Características técnicas

B199844

28 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

1 Dimensões

Dimensões dos 385 / 95 R 25 445 / 95 R 25* 525 / 80 R 25*


pneus
A 3950 mm 4000 mm 4000 mm
B 3000 mm 3000 mm 3100 mm
C 2563 mm 2551 mm 2573 mm
D 3700 mm 3750 mm 3750 mm
E 2000 mm 2050 mm 2050 mm
F 15 ° 17 ° 17 °
G 12 ° 14 ° 14 °
H 18 ° 20 ° 20 °
I 14 ° 16 ° 16 °

2 Conjunto de pneumáticos

Dimensões dos Peso da roda Pressão dos pneus em Pressão dos pneus em
pneus serviço de marcha em “serviço de marcha com
estradas públicas equipamento montado”
385 / 95 R 25 260 kg 10 bar 10 bar
445 / 95 R 25* 320 kg 9 bar 10 bar
525 / 80 R 25* 375 kg 7 bar 8 bar

3 Cargas sobre os eixos


– Grua em posição de marcha
– Estado de marcha consulte Capítulo 3.04

Eixos 1 2 3 4 5 Peso total


Peso 12 t 12 t 12 t 12 t 12 t 60 t

4 Meios de retenção de carga

1.03 LIEBHERR 29
146689-01 1.03 Características técnicas

Carga Polias Colocações do cabo Peso próprio


151,0 t 9 16 2,000 t
142,6 t 7 15 1,500 t
107,7 t 5 11 1,300 t
70,6 t 3 7 1,040 t
31,2 t 1 3 0,840 t
10,5 t - 1 0,500 t

5 Forças dos apoios

Máxima força de apoio em cada à frente atrás


apoio
Com carga nominal 855 kN 1180 kN

6 Nível de emissões relativo ao local de trabalho

Nível de pressão acústica em Ruído permanente LpAeq


regime nominal do motor
Ouvido esquerdo Ouvido direito
Cabina do condutor, lado do 74 db(A) 74 db(A)
condutor
Cabina do condutor, lado do 74 db(A)
passageiro
Cabina do condutor da grua 74 db(A)

7 Velocidades
7.1 Velocidades de marcha com o conjunto de pneumáticos
385 / 95 R 25

30 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

Velocidade Mudança
1 2 3 4 5 6 7 8
Velocidade de estrada 5,20 6,70 8,60 11,10 14,00 18,10 23,80 30,60
km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h
Velocidade todo o 2,30 2,90 3,80 4,80 6,10 7,90 10,40 13,30
terreno km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h

Velocidade Mudança Inclinação


máxima
9 10 11 12 R1 R2
Velocidade de estrada 39,40 50,50 64,20 75,00 5,60 7,2 48 %
km/h km/h km/h km/h km/h km/h
Velocidade todo o 17,20 22,00 28,00 35,80 2,40 3,10 > 60 %
terreno km/h km/h km/h km/h km/h km/h

7.2 Velocidades de marcha com conjunto de pneumáticos 445 / 95 R 25


e 525 / 80 R 25

Velocidade Mudança
1 2 3 4 5 6 7 8
Velocidade de estrada 5,70 7,30 9,40 12,10 15,30 19,70 25,90 33,20
km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h
Velocidade todo o 2,50 3,20 4,10 5,30 6,70 8,60 11,30 14,50
terreno km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h km/h

Velocidade Mudança Inclinação


máxima
9 10 11 12 R1 R2
Velocidade de estrada 42,80 55,00 69,80 80,00 6,10 7,90 43 %
km/h km/h km/h km/h km/h km/h
Velocidade todo o 18,70 23,90 30,40 39,00 2,70 3,40 56 %
terreno km/h km/h km/h km/h km/h km/h

7.3 Velocidades da grua

1.03 LIEBHERR 31
146689-01 1.03 Características técnicas

Accionamentos Sem graduação Cabo / comprimen-


to do cabo
Mecanismo de 0 m/min - 130 m/min para colocação simples do cabo 23 mm /280 m
elevação 1
Mecanismo de 0 m/min - 130 m/min para colocação simples do cabo 23 mm /280 m
elevação 2
Mecanismo de 0 r.p.m. - 1,3 r.p.m.
rotação
Mecanismo de cerca de 50 s 1 ° até 82 ° posição de lança
basculação
Movimentos Cerca de 580 s para o comprimento da lança 13,2 m - 72 m
telescópicos

8 Diâmetro do cabo

Tipo de cabo Diâmetro do cabo


Cabo de elevação 1 23 mm
Cabo de elevação 2 23 mm

9 Alturas de elevação

32 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

Página vazia!

1.03 LIEBHERR 33
146689-01 1.03 Características técnicas

B196242 Lança telescópica (T)

34 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

B196466 Lança telescópica com ponta abatível (TK 22 m)

1.03 LIEBHERR 35
146689-01 1.03 Características técnicas

B196467 Lança telescópica com ponta abatível (TK 29 m)

36 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

B196468 Lança telescópica com ponta abatível (TK 36 m)

1.03 LIEBHERR 37
146689-01 1.03 Características técnicas

B196469 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 22 m )

38 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

B196470 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 26,2 m )

1.03 LIEBHERR 39
146689-01 1.03 Características técnicas

B196471 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 29 m )

40 LIEBHERR 1.03
1.03 Características técnicas 146689-01

B196472 Lança telescópica com ponta abatível e extensão (TVK 36 m )

1.03 LIEBHERR 41
42 LIEBHERR
2.00 Segurança

LIEBHERR 43
141178-06 2.01 Regulamentos de trânsito

B195219

44 LIEBHERR 2.01
2.01 Regulamentos de trânsito 141178-06

1 Regulamentos de trânsito
A grua está autorizada a circular na estrada mediante o cumprimento dos regulamentos regionais de
trânsito.
Antes de se deslocar em estradas públicas, caminhos e praças públicas é necessário colocar a grua
no estado permitido para que esteja de acordo com respectivas leis de trânsito estipuladas.
É necessário que os pesos, as cargas sobre os eixos e as dimensões determinadas nos livretes
sejam cumpridas e não sejam ultrapassadas com sobrecargas.
Quanto às cargas sobre os eixos, é necessário distinguir entre as cargas tecnicamente possíveis e as
permitidas pelos regulamentos de trânsito.
Nos países com regulamentos segundo a UE (CEE), não são permitidas cargas sobre os eixos
superiores a 12 t na circulação em estradas.
É da responsabilidade do utilizador da grua o deslocamento com carga sobre o eixo acima de 12 t.

PERIGO
Perigo de acidente devido a excesso de carga sobre o eixo e o excesso de peso total!
Ao aumentar as cargas sobre os eixos e o peso total, diminui do mesmo modo a capacidade de
travagem.
Aumenta o desgaste dos calços dos travões e o perigo de sobreaquecimento do travão. Deste modo,
o sistema da direcção, o travão de serviço, o travão de estacionamento e o travão contínuo deixam
de corresponder aos regulamentos!
A duração da vida útil de todas peças que serão afectadas através duma carga elevada sobre o eixo
reduzir-se-á, como por exemplo: (travões, pneus, jantes, eixos, assim como os componentes
completos de accionamento, suspensão e direcção.)
 Cumpra imprescindivelmente às especificações relativas a carga sobre o eixo e ao peso total!

Somente é permitido transportar um moitão do gancho à frente quando:


– isto é permitido no respectivo estado de deslocação da grua (veja o capítulo 3.04)
– o cabo tiver sido transpassado pela polia no máximo 4 vezes
– se enganchar e amarrar o respectivo olhal no acoplamento de reboque

PERIGO
Perigo de acidente devido a limitação da visão do condutor!
 Durante o deslocamento da grua em estradas públicas o campo visual do condutor não pode ser
limitado através do moitão do gancho.

1.1 Polia na extremidade do mastro*


Para evitar a limitação da visão do condutor quando a polia na extremidade do mastro está montada,
é necessário bascular da posição de trabalho para a posição de transporte e travar nesta posição por
meio de uma cavilha e de uma mola de segurança.

1.2 Regulamentos nacionais de trânsito


Durante o deslocamento com a grua é necessário cumprir os respectivos regulamentos nacionais
de trânsito!
O transporte de pessoas na cabina da grua não é permitido.

2.01 LIEBHERR 45
141617-03 2.02 Instruções para a rodagem

B195219

46 LIEBHERR 2.02
2.02 Instruções para a rodagem 141617-03

1 Instruções para a rodagem

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais durante o deslocamento com a grua.
 Rodar imprescindivelmente a grua!

Considere portanto os seguintes regulamentos:


1) durante a marcha é necessário controlar permanentemente os indicadores da temperatura e da
pressão do óleo!
Em caso de uma indicação de falha parar imediatamente o serviço de marcha!
• Executar os seguintes trabalhos de manutenção ao fim dos primeiros 50 km e 100 km:
• não apertar demasiado as porcas das rodas (binário de aperto máximo permitido = 600 Nm).
Verificar a fixação sólida das porcas das rodas.
• Verificar o nível da água e o nível do óleo do motor.
• Verificar o nível do óleo da caixa de velocidades comutavél sob carga, na caixa de
velocidades automática ou na caixa de velocidades automatizada.
• Controlar o motor, a caixa de velocidades e os eixos quanto à sua fixação sólida e
estanquidade (controlo visual).
• Controlar os eixos articulados quanto à sua fixação sólida.
• Controlar as restantes peças do mecanismo de translação quanto à sua fixação sólida.
• Verificar a pressão e o estado do conjunto de pneumáticos (controlo visual).

1.1 Rodagem dos calços dos travões


A fim de que o travão obtenha uma eficiência ideal, é necessário activar, isto é, fazer a rodagem de
cada calço do travão novo.

PERIGO
Perigo de acidente!
Deverá evitar a rodagem de calços novos por meio de várias travagens contínuas durante espaços
de tempo mais prolongados ou por meio de várias travagens violentas, à velocidade máxima do
respectivo veículo, existe elevado perigo de acidente.
 Travagens violentas e travagens contínuas são proibidas!

Os calços dos travões devem ser rodados com travagens intercaladas no âmbito do campo inferior
até médio de velocidades do veículo, nisto são proibidas as travagens violentas. A distância da
rodagem - desejáveis são pelo mínimo 500 km - depende geralmente das possibilidades do veículo.
Nesta fase não é permitido ultrapassar a temperatura máxima de 200 °C no tambor ou no disco do
travão. A subida de temperatura resultante de uma única travagem não deverá ultrapassar 15% do
valor máximo.

2.02 LIEBHERR 47
141674-00 2.03 Planificação de trabalho

B195219

48 LIEBHERR 2.03
2.03 Planificação de trabalho 141674-00

1 Planificação de trabalho
A planificação de trabalho, bem como uma grua em perfeito estado de funcionamento e uma
equipa bem preparada, são uma condição importante para o trabalho seguro com a grua.

PERIGO
Perigo de acidente devido à falta de informações!
Se faltarem ao condutor da grua as informações necessárias, o trabalho com a grua pode tornar-se
impossível ou o condutor será forçado a improvisar.
 É imprescindível que o condutor da grua informe-se precisamente antes do início da deslocação!

O condutor da grua deverá receber ou procurar, atempadamente antes do início da marcha para o
local de trabalho, as informações necessários, em particular:
– espécie de trabalho com a grua
– local de trabalho (distância)
– trajecto
– alturas e larguras das passagens
– cabos eléctricos aéreos (com indicação da tensão)
– condições de espaço no local de trabalho
– limitações de movimento causadas por edifícios
– peso e dimensões da(s) carga(s) a levantar
– altura de levantamento e alcance da lança necessários
– capacidade de carga do solo no local de trabalho
Com base nestes dados o condutor terá de preparar os equipamentos necessários para o trabalho
com a grua:
– moitões de gancho / ganchos de carga
– lança auxiliar
– meios de lingagem
– Contrapeso
– material para calços para placas de apoio

2.03 LIEBHERR 49
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B195219

50 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

1 Exigências relativas ao condutor da grua

1.1 Em geral
A exigência mais importante relativa ao condutor da grua é a utilização e aplicação da grua, de forma
a evitar quaisquer perigos para si e para outras pessoas.
Para que possa cumprir esta exigência, damo-lhe seguidamente algumas instruções de segurança
importantes.
Muitos casos de danificações com gruas ocorrem devido a erros de operação da grua

PRECAUÇÃO
Perigo devido a erros de operação!
 No seu próprio interesse e no interesse dos outros, procure conhecer a fundo a sua grua e
conheça também todos os perigos relacionados com os trabalhos a efectuar.

Erros de operação, que repetidamente são feitos em serviço de deslocação e serviço da grua,
especialmente:
• falta de atenção durante o trabalho, por exemplo:
• movimento de basculamento demasiado rápido
• travagem abrupta da carga
• puxar na oblíqua
• afrouxamento dos cabos
– sobrecarga
– velocidade de deslocação demasiado elevada com carga ou equipamento sobre faixa de
rodagem irregular
– erros ao fixar a carga
– aplicação imprópria, especialmente tracção oblíqua, desprendimento de carga fixa
– vento sobre a carga suspensa
– erro durante a circulação em estradas sem carga, por exemplo, sobrecarga do motor ou caixa de
velocidades
– choques com pontes, telhados ou cabo de alta tensão por consequência de altura de passagem
muito baixa
– insuficiente estabilização, base de apoio, fundamentação das placas de apoio
– erros de montagem e desmontagem das lanças
Muitos casos de danificações com gruas são causados por erros de manutenção:
– falta de óleo, massa lubrificante, produto anti-congelante
– sujidade
– cabos de arame partidos, pneus danificados, peças desgastadas
– defeitos no interruptor de emergência, ou no limitador do momento de carga (LMB)
– falha dos travões e da embraiagem
– defeitos no sistema hidráulico, por exemplo, fissura na mangueira hidráulica
– afrouxamento de parafusos

2.04 LIEBHERR 51
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

1.2 Equipamento de protecção pessoal


PERIGO
Elevado perigo de acidente!
Em caso de não se usar o equipamento de protecção, o condutor da grua ou o pessoal auxiliar
podem ser mortos ou feridos!
 O condutor da grua e o pessoal auxiliar são obrigados a levar consigo e usar os seus
equipamentos de protecção pessoal!
 Utilizar o equipamento de protecção pessoal conforme as Normas correspondentes!

Ao equipamento de protecção pertence as seguintes partes do equipamento:


– capacete de protecção
– luvas de protecção
– cinto de segurança contra perigo de queda
– sapatos de segurança
– roupa de aviso

52 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

1.3 Obrigações do gruísta


1) O gruísta tem de controlar a função dos travões e dos dispositivos do interruptor fim de curso de
emergência antes de começar o trabalho. Ele tem de observar o estado da grua a deficiências
evidentes. Em gruas comandadas sem fios ele tem de controlar a coordenação do dispositivo de
comando e grua.
2) O gruísta tem de parar imediatamente o trabalho com a grua, caso verifique deficiências que
ponham em risco a segurança.
3) O gruísta tem de comunicar todos os danos na grua ao superior responsável e, em caso de
mudança na grua, também ao seu sucessor. Em gruas modificáveis no local as quais serão
montadas e desmontadas no local de trabalho respectivo, ele tem de registar adicionalmente as
deficiências num livro de controle da grua.
4) O gruísta tem para isso de tomar o cuidado que:
• antes da liberação da entrada de corrente para os agregados de accionamento têm de ser
colocados todos os dispositivos de comando na posição zero ou em ponto morto,
• antes de sair do posto de comando tem de colocar os dispositivos de comando em zero ou
em ponto morto e bloquear a entrada de corrente,
• ao depositar o dispositivo de comando para o comando sem fios este seja assegurado contra
a ligação não autorizada.
5) O gruísta tem de tomar cuidado que a grua disposta ao vento não seja operada para além dos
limites determinados pelo fabricante da grua assim como depositar a lança antecipadamente
antes de alcançar a velocidade do vento perigosa para a grua e no final do trabalho.
6) O gruísta tem de observar em todos os movimentos da grua a carga ou em marcha sem carga
os dispositivos de recepção de carga, quando através destes possam nascer perigos. Não
sendo possível observar, o condutor da grua somente poderá comandar a grua consoante os
sinais de um dirigente.
7) O gruísta tem de dar sinais de aviso caso necessário.
8) O gruísta não pode conduzir cargas por cima de pessoas.
9) Cargas fixadas manualmente podem ser movimentadas pelo gruísta somente depois de receber
sinais evidentes do assistente, do dirigente ou de um responsável determinado pelo Empresário.
Para bom entendimento têm de ser utilizados sinais com o gruísta, estes têm de ser
concordados entre os responsáveis e o gruísta antes da sua aplicação. Caso o gruísta
reconhecer que cargas estão fixadas incorrectamente, então ele não pode transportar estas.
10) Enquanto estiver uma carga pendurada na grua o gruísta tem de manter os dispositivos de
comando na área das mãos. Isto não vale para a rebocagem de veículos com gruas de reboque.
11) O gruísta não pode arrancar posições finais para serviço normal as quais estão somente
limitadas através do interruptor fim de curso de emergência.
12) O gruísta não pode recolher uma sobrecarga depois do tempo de actuação do limitador do
momento de carga através da retracção/levantamento da lança.
13) O gruísta não pode ligar por ponte a protecção contra sobrecarga para aumentar a potência de
elevação da grua.

2.04 LIEBHERR 53
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B102519

54 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

2 Escolha da posição
Para evitar, logo de início, perigos de acidente, a escolha da posição é de grande importância.

PERIGO
Perigo de acidente devido a um subsolo não resistente!
Se a grua não for apoiada em subsolo resistente, esta pode tombar e ao mesmo tempo matar
pessoas!
 Apoiar a grua somente em subsolo resistente!
 Observar os seguintes pontos!

Na escolha do local de trabalho para a grua observar o seguinte:


1) Escolher o local para a montagem de tal forma para que os movimentos da grua possam ser
executados sem colisões e a estabilização possa ser expandida para a base de apoio como está
especificada nas tabelas de carga.
Tome muita atenção que não sejam feridas ou mortas pessoas!
Mantenha uma distância de segurança de 0,5 m. Se isto não for possível então tem de vedar a
zona de perigo.
2) Apoiar correctamente a grua e fundamentar as placas de apoio sobre uma grande área conforme
a resistência do solo no local da montagem.
3) Mantenha uma distância de segurança para caves ou similares.
4) Mantenha uma distância de segurança para taludes ou similares.
5) Seleccione o alcance tão pequeno quanto possível. Não utilize a grua a 100 %.
6) Seleccione o comprimento correcto da lança para a queda da carga.
7) É proibida a tracção oblíqua!
8) Seleccione a correcta colocação do cabo do cabo de elevação para queda da carga.
9) Observe o peso e a superfície de ataque do vento da carga.
10) Seleccione os meios de fixação conforme o peso da carga, o tipo de fixação e do ângulo de
inclinação.
11) Mantenha distância suficiente para os cabos eléctricos aéreos.

2.04 LIEBHERR 55
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B102520

56 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

3 Taludes e fossas
A grua não deverá ser colocada demasiado próxima de taludes ou fossas. Será necessário cumprir
uma distância de segurança suficiente conforme o tipo de terreno.

PERIGO
Tombamento da grua!
As bordas do talude ou fossas podem abater quando a distância de segurança A ou o ângulo de
terraplanado β não for mantido. Através do abatimento do talude ou das fossas a grua pode tombar e
matar pessoas!
 Delimite o talude ou fossa!
 Manter a distância de segurança!
 Manter o ângulo de terraplanado!

Termo Abreviatura
Distância para o suporte das A
fossas
Profundidade das fossas T
Ângulo de assentamento da α
carga
Ângulo de terraplanado β

Observação
 Sem calculação comprovativa da segurança da estabilidade não pode ser ultrapassado o ângulo
de terraplanado β determinado na tabela!

Terreno Ângulo de
terraplanado
em terrenos não coesivos e terrenos coesivos moles β= 45°
em terrenos rijos ou terrenos coesivos meio rígidos β= 60°
em rochas β= 80°

Calculação da distância de segurança A:


Tipo de terreno Ângulo de registo da carga necessário Fórmula
α
terreno mole α≤30° A=2xT
terreno sólido α≤45° A=1xT

2.04 LIEBHERR 57
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

4 Pressões sobre o chão permitidas


Quando a grua se encontra apoiada, os cilindros de apoio têm de transmitir ao chão forças
consideráveis. Em certos casos, um único cilindro de apoio tem de suportar aproximadamente todo o
peso da grua, incluindo a carga, e transmitir estas ao solo.
Em qualquer dos casos, o solo tem de suportar a pressão com segurança. Quando a superfície das
placas de apoio não é suficiente, estas têm de ser fundamentadas conforme com a resistência do
chão.
Pode calcular-se a superfície de apoio necessária a partir da resistência do chão e da força de apoio
da grua.

Observação
 Tenha em consideração que a força de apoio, dependente do peso, sem carga pode ser maior do
que com carga.

PRECAUÇÃO
Perigo de queda devido a um calçamento incorrecto!
 Para realizar o calçamento das placas de apoio somente podem ser considerados materiais
estáveis como, por exemplo, pranchas de madeira bem dimensionadas.
 Para obter uma distribuição da pressão regular pela superfície a ser calçada, os apoios devem
encontrar-se centrados sobre o calçamento.

Pressões sobre o chão permitidas


Tipo de terreno [N/cm2 ]
1. Terrenos orgânicos:
Turfa, lama podre, terra pantanosa 0
2. Aterros não solidificados:
Entulho 0 até 10
3. Terrenos não-coesivos:
Areia, saibro, pedras e as suas misturas 20
4º Terrenos coesivos:
a) Lamaceiro argiloso, misturado com solo nativo 12
b) Lamaceiro, composto por barro de influência atmosférica e de 13
encostas
c) Barro gordo, composto por barro e aterros
rijo 9
semi-mole 14
sólido 20
d) Terrenos granulosos, barro até areia, zona de saibro e pedras
rijo 15
semi-mole 22
sólido 33
5º Rochas em estado uniforme sólido:

58 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

Pressões sobre o chão permitidas


a) frágil, com vestígios de erosão 150
b) não frágil 400

No caso de haver dúvidas quanto à resistência do chão do local do trabalho, deverá proceder-se a
uma análise do chão, por exemplo, por meio de uma sonda de cravação.

Exemplo: calculação da pressão de apoio específica


Força de apoio máximo conforme o Capítulo 1.03: 720 kN 720000 N
Superfície da placa de apoio quadrada com 550 mm comprimento 3025 cm2
lateral conforme o Capítulo 1.03: 302500 mm2
80 % como sustentação da superfície da placa de apoio: 302500 mm2 2420 cm2
x 0,8 = 242000 mm2
Pressão de apoio específico = Força de apoio / Superfície da placa de 720000 N / 3600 cm2 =
apoio 297,52 N/cm2
Pressão de apoio específico: 298 N/cm2

O valor específico da pressão de apoio encontra-se para além da compressão do solo permitida de
todos os tipos de pedras soltas. Se esta grua for aplicada sobre terrenos naturais, tipo de terreno
saibro, compressão do solo permitido 20 N/cm2 , tem de ser aumentada a superfície de apoio.

Exemplo: calculação da superfície de apoio necessária


Força de apoio máximo conforme o Capítulo 1.03: 720 kN 720000 N
Compressão do solo permitida: 20 N/mm2 20 N/cm2
Superfície de apoio necessária = Força de apoio / Compressão do solo 720000 N / 20 N/cm2 =
permitida 36000 cm2
Superfície de apoio necessária: 36000 cm2 = 3,6 m2

A superfície da fundamentação de cada placa de apoio tem de ter pelo mínimo 3,6 m2 .

Observação
 As respectivas forças de apoio podem ser determinadas com o planificador da aplicação da grua.

2.04 LIEBHERR 59
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B180001

60 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

5 Estabilização
O cumprimento da base de apoio correspondente à tabela de carga é de grande importância para a
segurança do serviço da grua.
A concordância das superfícies de apoio nas longarinas corrediças tem de ser cumprida, para que se
possa garantir a transmissão das forças entre as longarinas corrediças.
somente é permitido apoiar no estado de expansão.

PERIGO
Perigo de acidente devido à tombagem da grua!
Não são permitidas posições intermédias entre as larguras dos estabilizadores especificadas, uma
vez que a transmissão das forças apenas é possível através das superfícies de apoio laterais e, nas
posições intermédias pode ser originada uma transmissão errada de força sobre o banzo superior.
 Encavilhar as longarinas corrediças para evitar um posterior ajuste das superfícies de apoio.
 A cavilhas têm que estar completamente colocadas e travadas!

Todas as 4 longarinas corrediças e o cilindro de apoio têm de ser expandidos de acordo com os
dados da tabela de carga, portanto também os do lado oposto do contrapeso.
Se forem somente expandidas as longarinas corrediças do lado da carga a grua pode virar ao ser
girada ou ao baixar a carga.

PERIGO
Perigo de queda da grua devido a extensão incorrecta das longarinas corrediças!
Devido à carga suspensa no gancho o cabo de elevação e a lança telescópica, e em serviço com
ponta em treliça, esta e os cabo de retenção são tensionados e deformados. Se nesta situação a
carga sair dos cabos de retenção ou romper o cabo de retenção ou o de elevação, é causada uma
descarga súbita. A lança recua rapidamente. Por esse motivo a grua pode tombar.
Contra o anteriormente pressuposto, pode achar-se necessário bascular a carga para o lado oposto.
Por esse motivo a grua pode tombar.
Girando numa direcção diferente do sentido longitudinal do veículo, a grua pode tombar, devido ao
momento da lança ou do contrapeso.
 É imprescindível que todas as 4 longarinas corrediças e os cilindros de apoio têm de ser
estendidos de acordo com os dados da tabela de carga!

5.1 Nivelamento da grua


Além do calçamento correcto dos apoios, o nivelamento horizontal da grua é de grande importância
para a segurança do serviço.

PERIGO
Perigo de queda da grua devido ao seu posicionamento inclinado!
Se a grua estiver inclinada e a lança for basculada no sentido do declive, daí resultará um aumento
do alcance da lança. É possível que o mecanismo de rotação não possa manter mais o chassi
superior e a grua em extremo caso poderá tombar.
 É imprescindível o alinhamento da grua na horizontal!

Exemplo: em 50 m comprimento da lança actua uma posição inclinada da grua somente para 5° num
alcance da lança de 10 m um aumento do alcance da lança de a = 4 m.

2.04 LIEBHERR 61
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

5.2 Controlo das medidas de segurança


A grua está correctamente apoiada:
– o local foi seleccionado de maneira a que o trabalho com a grua possa ser realizado com o
mínimo de alcance da lança possível.
– a capacidade de carga do chão é suficiente.
– a distância de segurança entre a grua e as fossas e os taludes é suficiente.
– é certo que na zona de trabalho da grua não existem cabos eléctricos electrizados.
– existem obstáculos que limitem os movimentos necessários da grua.
– a suspensão dos eixos está bloqueada.
– todas as quatro longarinas corrediças e os cilindros de apoio foram extraídos sobre a base de
apoio indicada pela tabela de carga.
– as longarinas corrediças estão travadas por cavilhas para evitar escorregamentos.
– as placas de apoio estão travadas.
– a grua encontra-se nivelada horizontalmente.
– os eixos encontram-se aliviados, isso significa, os pneus não estão em contacto com o chão.

6 Serviço de grua com carga


Antes de iniciar o trabalho o condutor da grua deverá certificar-se de que esta se encontra em
condição segura de serviço. Os dispositivos de segurança, como o limitador do momento de carga, o
interruptor de fim de curso de elevação, travões, etc. deverão estar operacionais:
– o limitador do momento de carga deverá estar ajustado conforme o estado do equipamento
montado no momento na grua.
– as cargas que estão indicadas na tabela de carga não podem ser ultrapassadas.
– a grua nunca deverá ser sobrecarregada acima das cargas permitidas.
– o condutor da grua deverá ter conhecimento do peso, do centro de gravidade e das dimensões da
carga antes de iniciar o trabalho com a grua.
– os elementos de suporte, os meios de retenção de carga, meios de fixação, têm de corresponder
às exigências.
– há que ter em conta que o peso do moitão do gancho e o peso dos meios de fixação deverão ser
deduzidos da carga indicada na tabela de carga.

Exemplo:
Carga máxima permitida segundo a tabela 30,000 t
Peso do moitão do gancho 350 kg - 0,350 t
Peso do cabo de retenção 50 kg - 0,050 t
Carga útil efectiva da grua = 29,600 t

Neste caso o peso da carga a elevar deve ser no máximo de 29,6 t .

6.1 Contrapeso
O contrapeso necessário depende do peso da carga a levantar e do alcance da lança necessário
para o trabalho com a grua. Decisivo para a escolha do contrapeso é a informação na respectiva
tabela de cargas.

PERIGO
Perigo de queda da grua!
 Colocar o contrapeso imprescindivelmente conforme a tabela de cargas!

62 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

6.2 Mecanismo de elevação, cabo de elevação


A força de elevação da grua depende da força de tracção do mecanismo de elevação e do possível
número de colocações do cabo de elevação. Trabalhando com um cabo simples, a grua somente
poderá levantar apenas a carga suportada pelo mecanismo de elevação.
Se a carga a levantar for superior à força de tracção do mecanismo de elevação, o cabo de elevação
tem de ser várias vezes colocado pela polia de acordo com o princípio da talha entre o cabeçal de
polias da lança e do moitão do gancho.
Cumpra as respectivas indicações no livro de tabelas de carga e no manual de instruções durante a
colocação do cabo.

PERIGO
Perigo de acidente devido a rompimento do cabo ou danos na mecanismo de elevação ou no motor
de accionamento!
 Cumpra sem falta a força de tracção máxima.

6.3 Serviço de grua


PERIGO
Perigo de acidente caso não sejam cumpridos os seguintes pontos!
 É imprescindível observar os seguintes pontos.

Existe perigo quando:


1) O limitador do momento de carga não se encontra ajustado de acordo com o estado do
equipamento montado no momento e, por essa razão não pode corresponder às suas funções
de protecção
2) O limitador do momento de carga está danificado ou fora de serviço
3) As longarinas corrediças do apoio hidráulico não tiverem sido estendidas de acordo com a
medida especificada na tabela de cargas
4) As placas de apoio não tiverem sido calçadas com materiais estáveis com uma superfície grande
o suficiente, de acordo com as condições do terreno
5) seja executado uma tracção oblíqua
Especialmente perigosa é a tracção oblíqua para o lado já que a lança telescópica tem um
momento de resistência inferior para o lado
É proibida a tracção oblíqua.
6) Em trabalhos de desmontagem seja carregada uma carga demasiado pesada, que depois de
solta fica suspensa na grua
7) Com o gancho de carga são desprendidas cargas presas
Mesmo que o peso da carga presa não exceda a carga permitida, a grua pode tombar para trás,
ao desprender-se repentinamente a carga com a tensão da lança que recua abruptamente como
um arco tenso.
8) Se trabalha com vento demasiado forte
Deverão ser cumpridas as indicações da tabela de cargas.
9) A grua não se encontra nivelada horizontalmente e a carga é basculada no sentido do declive
10) Devido ao comando incorrecto dos movimentos da grua a carga suspensa começa a oscilar
11) As cargas e os alcances da lança indicados na tabelas das carga são ultrapassados
12) Os trabalhos se efectuam na proximidade de cabos eléctricos aéreos e estes não forem
desligados por um electricista qualificado ou a zona de perigo não tiver sido coberta ou limitada
No caso destas medidas não poderem ser tomadas é imprescindível respeitar uma distância de
segurança suficiente:

2.04 LIEBHERR 63
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

Tensão nominal Distância mínima


até 1 kV 1m
superior 1 kV até 110 kV 3m
superior 110 kV até 220 kV 4m
superior 220 kV até 380 kV 5m
com tensão nominal desconhecida 5m

AVISO
Perigo devido a descarga eléctrica!
Se mesmo com todo cuidado se verificar uma descarga eléctrica, deve agir-se do seguinte modo:
 Manter a calma!
 Não abandonar a cabina do condutor da grua!
 Alertar as pessoas que se encontrem no exterior para que fiquem paradas e não toquem na grua!
 Conduzir a grua para fora da zona de perigo!

7 Ligação à terra
7.1 Ligação à terra da grua
PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
Caso a grua não seja ligada a terra de modo adequado, existe o perigo de choque eléctrico.
 Ligar a terra a grua de modo adequado!

Ligar a terra a grua antes da colocação em serviço:


– perto de emissoras (de rádio e televisão, estações de rádio etc.)
– perto de instalações de comutação de alta-frequência
– quando existir uma grande tendência a trovoada ou começo de trovoada
A grua pode carregar-se com electricidade electrostática principalmente quando a grua estiver
apoiada sobre lençóis de material sintético ou sobre material isolante (por exemplo pranchas de
madeira).

PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
Caso a grua não seja ligada a terra de modo adequado, existe o perigo de choque eléctrico.
 Evitar que a grua carregue-se com electricidade electrostática!

Para evitar que a grua carregue-se com electricidade electrostática é necessário:


– cravar no chão uma barra de ligação à terra com aproximadamente 2 m de comprimento
– um cabo condutor eléctrico com no mínimo 16 mm2 de secção nominal
– ligação à massa na grua, ou um grampo de aperto roscado, como é utilizado para trabalhos de
soldadura
Basicamente:
– utilizar sempre uma barra de ligação à terra com perfil em cruz
– a resistência do chão deve ser menor que 0,5 Ohm
– a ligação eléctrica entre a grua e o chão deve formar uma condução eléctrica em perfeito estado.

64 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

Ligar a extremidade do cabo eléctrico para ligação à terra, com uma secção nominal de no mínimo
16 mm2 , com uma barra de ligação à terra que será cravado no chão.
Cravar no chão uma barra de ligação à terra no mínimo 1,5 m.
Para aumentar a conductividade da terra humedece-la ao redor da barra metálica.

Observação
 A resistência da terra depende do tipo de terra e das áreas de contacto da barra de ligação à
terra.

Ligar a outra extremidade do cabo para ligação à terra, com uma secção nominal de no mínimo
16 mm2 com a ligação à massa na grua, consulte Capítulo 3.01.

Observação
 A ligação eléctrica entre a grua e o chão deve formar uma condução eléctrica em perfeito estado.

Caso exista a possibilidade de ligação à um fundamento ou fita de ligação à terra que possuam uma
menor resistência eléctrica a terra, sempre dar preferência a esta possibilidade de ligação à terra.

PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
Caso a grua não seja ligada a terra de modo adequado, existe o perigo de choque eléctrico.
 Assegure-se de que a ligação eléctrica entre a grua e o chão forme uma condução eléctrica em
perfeito estado

7.2 Ligação à terra da carga


PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
Caso a grua não seja ligada a terra de modo adequado, existe o perigo de choque eléctrico.
 Ligação à terra da carga de modo adequado!

Ligar a terra a carga antes da colocação em serviço:


– perto de emissoras (de rádio e televisão, estações de rádio etc.)
– perto de instalações de comutação de alta-frequência
– quando existir uma grande tendência a trovoada ou começo de trovoada
Mesmo quando a grua está ligada a terra, a carga pode carregar-se com electricidade electrostática.
Isto pode ocorrer principalmente quando o moitão do gancho utiliza polias de material plástico e
quando os meios de fixação sejam não condutores eléctricos (cordas de plásticos ou de cânhamo).

PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
Caso a grua não seja ligada a terra de modo adequado, existe o perigo de choque eléctrico.
 Evitar que a carga carregue-se com electricidade electrostática!
 A ligação eléctrica entre a carga e o chão deve formar uma condução eléctrica em perfeito
estado.

Para evitar que a carga carregue-se com electricidade electrostática é necessário:


– cravar no chão uma barra de ligação à terra com aproximadamente 2 m de comprimento
– um cabo condutor eléctrico com no mínimo 16 mm2 de secção nominal
– uma barra metálica com um punho isolante para tocar a carga.
Ligar a extremidade do cabo eléctrico para ligação à terra, com uma secção nominal de no mínimo
16 mm2 , com uma barra de ligação à terra que será cravado no chão.
Cravar no chão uma barra de ligação à terra no mínimo 1,5 m.
Para aumentar a conductividade da terra humedece-la ao redor da barra metálica.

2.04 LIEBHERR 65
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

Observação
 A resistência da terra depende do tipo de terra e das áreas de contacto da barra de ligação à
terra.

Ligar a outra extremidade do cabo eléctrico para ligação à terra, com uma secção nominal de no
mínimo 16 mm2 , com a barra metálica provida de punho isolante.

PERIGO
Perigo de morte causado por choque eléctrico!
 Somente se deve segurar a barra metálica pelo punho isolante!

Segure a barra metálica pelo punho isolante.


Tocar carga com a barra metálica antes de toca-la com a mão.

8 Trabalho com a grua durante uma trovoada


De acordo com o tempo onde seja possível a queda de um raio:
– parar imediatamente o trabalho com a grua
– sempre baixar a carga
– retrair a lança telescopicamente ou depositá-la e colocá-la em uma posição e local seguro
– desligar o motor da grua.

PERIGO
Perigo de acidente devido a queda de um raio!
 Nenhuma pessoa deve permanecer em uma zona perto da grua.

9 Trabalhos de soldadura na carga


Observação
 A carga deve adicionalmente ser ligada a terra.

Quando for executado trabalhos de soldadura na carga, o grampo de aperto roscado do aparelho de
soldadura deve ser fixado na peça a ser soldada, para evitar que uma corrente eléctrica flua através
do cabo de elevação ou do chassi da grua.

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais do aparelhos de comando do aquecimento!
 Soltar o cabo negativo e positivo da bateria e colocar o cabo positivo na massa do veículo.

10 Instruções de segurança em caso de alimentação


externa (230 V AC)

66 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

Se uma grua é alimentada por alimentação independente da rede de distribuição de tensão baixa
(230 V AC), esta representa um perigo potencial.
Existe especialmente o perigo de choque eléctrico quando ocorre uma interrupção no condutor de
protecção eléctrico na grua em combinação com um curto-circuito à massa (através de uma
solicitação mecânica nos cabos de alimentação flexíveis ou na instalação doméstica), quando há
bornes eléctricos soltos, elevada resistência nos condutores e nas conexões, inversão dos
condutores, medidas de protecção defeituosas ou não disponíveis (FI).

PERIGO
Perigo de morte através de um choque eléctrico!
O contacto com água e / ou dispositivos avariados podem conduzir a uma retardação de tensão
através do contacto do corpo com a massa. O indivíduo em contacto com água / dispositivos
avariados é sujeito a um choque eléctrico perigoso.
 Os cabos de alimentação externa tem que estar em pleno funcionamento!

Certifique-se que os cabos de alimentação externa flexíveis estejam em pleno funcionamento.


Caso necessário, aconselhamos o emprego de um transformador separador de corrente.

PRECAUÇÃO
Perigo devido a choque eléctrico!
 Para o controle das medidas de protecção e para avaliar se é possível a alimentação através da
rede geral de distribuição energia eléctrica é sempre necessário a presença de um electricista
competente que disponha dos meios de medição respectivos segundo VDE.

2.04 LIEBHERR 67
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B189640

68 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

11 Trabalhos nas proximidades de emissores


No caso de existir emissoras nas proximidades da obra, irão verificar-se campos electromagnéticos
fortes.
Os campos electromagnéticos podem conduzir a perigos directos e / ou indirectos em pessoas e
bens, através de:
– afecta os órgãos humanos através de aquecimento
– perigo de incêndio e perigo de inflamação através do aumento da temperatura
– formação de faíscas ou de arcos voltaicos

PERIGO
Perigo devido a campos electromagnéticos!
 Em todo o caso, consulte a Empresa LIEBHERR antes do trabalho com a grua nas proximidades
de emissoras!
 Consulte ainda um especialista em altas-frequências!

A radiação de alta-frequência (HF-) de uma emissora exige para o seu campo uma protecção de
trabalho maior e regulamentos UVV especiais por parte do condutor da grua e assistente:
1) Todas as gruas têm de estar “permanentemente” conectadas à terra. Através de um controle
visual ou de um dispositivo de controlo de passagem simples deve ser controlado se a escada
de acesso, a cabina e as polias dos cabos estão conectados à terra.
2) Todas as pessoas que trabalhem com a grua ou com grandes peças de metal têm que usar
durante o trabalho luvas plásticas sem ligas de metal e roupa adequada para protecção contra
queimaduras.
3) Não há motivo para entrar em pânico caso se sinta um aquecimento da mão. Aja como se a
respectiva peça, aço de construção ou longarina estiver “quente”.
4) A temperatura da peça afectada pela alta-frequência varia consoante o seu “tamanho”. Por
exemplo, a grua, a longarina, a armadura estão “mais quentes”.
5) Na movimentação da grua é proibido o contacto com outras cargas (arcos voltaicos). Uma vez
que estas as queimaduras incrustadas diminuem consideravelmente a capacidade de carga dos
cabos, é necessário comunicar estes contactos imediatamente ao mestre de máquinas, a fim de
que os cabos passem por uma inspecção.
6) Entre o gancho de carga e o meios de fixação tem que estar sempre colocado um isolador 1 é
absolutamente proibida a remoção deste isolador 1.
7) É proibido o contacto com o cabo acima do isolador 1.
8) É proibido o contacto das cargas suspensas na grua com partes do corpo desprotegidas depois
do levantamento ou baixamento destas.
9) É proibido o trabalho em tronco nu ou com calças curtas.
10) Cargas maiores devem ser transportadas se possível na horizontal, a fim de diminuir a captação
de alta-frequência.
11) Nos trabalhos manuais necessários é preciso ligar a carga primeiro à terra ou isolá-la
adicionalmente (lâmina de borracha entre a peça e a luva).
12) Com um meio de medição apropriado pode ser avaliada a “temperatura” da peça.
No caso de uma peça estar electrizada em uma distância de 1 cm - 2 cm com por exemplo
500 V a peça não deve ser tocada com as mãos nuas.
Quanto maior a distância, tanto maior a tensão na peça:
em 10 cm de distância há então cerca de 600 V em 30 cm de distância cerca de 2000 V.
13) Para evitar a ocorrência de acidentes por consequência somente é permitido o trabalho em
zonas de construção elevadas utilizando um cinto de segurança.
14) O contacto com materiais explosivos (por exemplo, abastecimento) deve ter lugar a uma
distância de pelo menos 6 m a partir de todos os locais onde possam ocorrer faíscas através do
trabalho com grandes peças de metal. Para encher devem ser usadas mangueiras para
abastecimento que sejam de borracha condutora.
15) Todos os acidentes e acontecimentos extraordinários devem ser comunicados de imediato à
direcção da obra local e ao engenheiro de segurança.

2.04 LIEBHERR 69
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

12 Perigo para o tráfego aéreo


Em trabalhos com gruas serão alcançadas alturas que poderão pôr em perigo o tráfego aéreo. Isto
vale especialmente nas proximidades de aeroportos.

PERIGO
Perigo para o tráfego aéreo!
Se não forem tomadas medidas de protecção, isto poderá conduzir a um perigo para o tráfego aéreo!
 Buscar a autorização junto das autoridades responsáveis para o tráfego aéreo!
 Montar a luz de advertência para aviões sobre o cabeçal da lança e ligar!

70 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

Página vazia!

2.04 LIEBHERR 71
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

B180003

72 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

13 Sinais manuais de instrução


Em todos os movimentos da grua o condutor da grua terá de observar sobretudo a carga e, sem
carga, o gancho da grua ou meios de retenção de carga.

PERIGO
Perigo de acidente devido a cargas suspensas!
 Observar constantemente a carga!
 Não permanecer embaixo de uma carga suspensa!

Não sendo isto possível, o condutor da grua somente poderá accionar a grua consoante os sinais de
um ajudante para tal designado.
As instruções podem ser dadas por sinais manuais ou por aparelho de comunicação por rádio. É,
porém, necessário garantir a exclusão de mal-entendidos e equívocos.

PRECAUÇÃO
Perigo de acidente devido ao mal entendimento dos sinais manuais!
 Os sinais manuais têm de ser combinados por ambos e feitos de forma inequívoca!

Aconselhamos os sinais manuais representados na página anterior.


No estrangeiro deverão ser cumpridos as normas nacionais.
Explicação dos sinais manuais:
bascular a lança para cima 1
bascular a lança para baixo 2
levantar a carga lentamente 3
descer a carga lentamente 4
bascular a lança para cima lentamente 5
bascular a lança para baixo lentamente 6
bascular a lança para cima e segurar a carga 7
bascular a lança para baixo e segurar a carga 8
expandir a lança telescópica 9
retrair a lança telescópica 10
bascular a lança para cima e descer a carga 11
bascular a lança para baixo e levantar a carga 12
levantar a carga 13
descer a carga 14
bascular a carga nesta direcção 15
parar com tudo 16
pare! 17

14 Atenção à influência do vento


É imprescindível cumprir as respectivas indicações sobre as velocidades do vento permitidas nas
tabelas de carga:
– para a grua equipada
– para o serviço de grua
É a velocidade do vento superior do que a máxima permitida, então tem de ser parado o serviço de
grua. A lança e o equipamento têm de ser depositadas.
O condutor da grua tem de se informar junto dos serviços meteorológicos sobre as velocidades do
vento a esperar, ao:
1) começar o trabalho com a grua
2) interrupção do trabalho da grua
3) começar outra vez o trabalho com a grua

2.04 LIEBHERR 73
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

PERIGO
Tombamento da grua!
Se a grua for operada com uma velocidade de vento, superior do que a máxima velocidade permitida
conforme a tabela de carga, então a grua pode tombar e matar pessoas!
 Estão a ser esperadas velocidades do vento superiores do que aquelas que para a grua montada
são permitidas no máximo, então o equipamento e a lança têm de ser depositadas!
 Estão a ser esperadas velocidades do vento superiores do que aquelas que para o serviço de
grua são permitidas no máximo, então é proibido o levantamento da carga!

Força do vento Velocidade do vento Efeitos do vento


Beaufort Designação [m/s] [km/h] em regiões interiores
0 Calmaria 0 - 0,2 1 Calmo, fumaça sobe verticalmente
1 Bafagem 0,3 - 1,5 1-5 Fumaça mostra a direcção do vento;
cata-vento não gira
2 Aragem 1,6 - 3,3 6 - 11 Sente-se o vento na face; cata-vento
começa a girar
3 Vento fraco 3,4 - 5,4 12 - 19 Folhas e ramos finos mexem-se. Folhas
se mexem; bandeirolas se estendem
4 Vento moderado 5,5 - 7,9 20 - 28 Folhas e papéis voam; bandeiras
tremulam; pequenos galhos se curvam.
5 Vento fresco 8,0 - 10,7 29 - 38 Folhas e papéis voam; bandeiras
tremulam; pequenos galhos se curvam.
6 Vento muito 10,8 - 13,8 39 - 49 Grandes galhos em movimento; o vento
fresco assobia ao passar por fios
7 Vento forte 13,9 - 17,1 50 - 61 Árvores completas em movimento,
impedimento sensível ao andar contra o
vento
8 Vento muito forte 17,2 - 20,7 62 - 74 Quebram-se os galhos das árvores. É
(borrasca) difícil andar contra o vento.
9 Vento duro 20,8 - 24,4 75 - 88 Danos nas partes salientes das árvores.
Impossível andar contra o vento.
10 Tempestade 24,5 - 28,4 89 - 102 Arranca árvores e causa danos na
estrutura dos prédios
11 Tempestade 28,5 - 32,6 103 - 117 Danos generalizados em árvores e
violenta construções
12 Furacão 32,7 e 118 e Danos graves e generalizados
mais mais

74 LIEBHERR 2.04
2.04 Notas técnicas gerais de segurança 141675-12

15 Interrupção do trabalho da grua


15.1 Interromper o trabalho com a grua
Sai o condutor da grua durante o trabalho com a grua a grua equipada tem de estar assegurado que
no aparecimento de ocorrências não previstas, não ocorram perigos para a grua nem para os
arredores.

PERIGO
Perigo de morte!
Se a grua não for vigiada podem aparecer ocorrências que pode levar a grua para um estado
inseguro.
Com isto a grua pode tombar e conduzir a graves ferimentos a pessoas e danos em material
 Por isso manter a grua sempre debaixo de controlo!

Ocorrências são por exemplo:


– afundamento do subsolo através de caída de chuva forte
– descongelamento do gelo por baixo dos apoios
– temporal, Tempestade, Trovoada
– desabamento de terras
– socavação
– cedência dos cilindros de apoio
– cedência dos cilindros de basculação
– vandalismo
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– não está pendurada carga nos ganchos
– a grua não impede nenhuma circulação

Observação
 Se for interrompido o trabalho com a grua com uma grua equipada, então tem de estar certificado
que através de pessoal instruído e qualificado são iniciadas medidas a tempo para que no
aparecimento de uma ocorrência possa colocar a grua num estado seguro.

PERIGO
Perigo de acidente!
 Se não é possível manter a grua equipada constantemente sob controlo, então deverá ser
depositado o equipamento e a lança.

16 Começar outra vez o trabalho com a grua


16.1 Retomar o trabalho com a grua
Ao começar outra vez o trabalho com a grua o condutor da grua é obrigado a controlar o estado da
grua e os sistemas de segurança.

PERIGO
Perigo de acidente!
 Se o condutor da grua sair mesmo por curto espaço a cabina da grua ele é obrigado antes de
começar outra vez com o trabalho com a grua de controlar os ajustes dos modos de serviço e
caso necessário ajustar de novo.

 Controlar o ajuste do modo de serviço e sendo necessário ajustar de novo.

2.04 LIEBHERR 75
141675-12 2.04 Notas técnicas gerais de segurança

17 Terminar o trabalho com a grua


17.1 Terminar o trabalho com a grua
Antes do gruísta poder sair da grua, têm de estar cumpridas as condições seguintes:
 Despendurar a carga nos ganchos da grua ou depositar sobre o solo.
 Retraír telescopicamente a lança telescópica e depositar a lança.
 Colocar a alavanca de comando (interruptor mestre) na posição 0.
 Ligar o aquecimento.
 Fechar o travão de estacionamento no chassi inferior da grua.
 Desligar o motor e retirar a chave de ignição.
 Assegurar as gruas móveis contra utilização não autorizada. Todos os posto de comando os
quais estão equipados com uma fechadura estão fechados, quando estes não são accionados no
momento ou estão ocupados.
 Assegurar as gruas móveis contra movimentação incontrolada. Ver parágrafo “Desligar o veículo”.

18 Desligar o veículo
PERIGO
Perigo de acidente através da movimentação do veículo!
Se os pontos que se seguem forem desprezados pelo condutor da grua, pessoas poderão ser feridas
mortalmente.
 É proibido estacionar o veículo num declive ou numa subida com mais de 18%.
 Estacionar o veículo por princípio somente com o travão de estacionamento bloqueado.
 O chão sobre o qual o veículo será estacionado tem de ter resistência suficiente e ser plano, de
tal forma, que os calços não escorreguem sob carga, ou que não se possa introduzir no chão.

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– o veículo encontra-se sobre chão resistente e plano
– o travão de estacionamento está fechado
Sob as seguintes condições o veículo tem de ser travado e assegurado com o número de calços
prescritos - adicionalmente ao travão de estacionamento, contra movimentação involuntária:
– o veículo foi estacionado num declive ou numa subida
– o veículo foi estacionado sem vigilância
– o veículo está avariado, especialmente quando o sistema de travões está defeituoso

PERIGO
Movimentação do veículo descontroladamente!
Se não forem colocados todos os calços prescritos directamente atrás de cada roda, o veículo pode
movimentar-se descontroladamente e por consequência ferir e até matar pessoas.
 Colocar de tal forma todos os calços prescritos, para que estes reagem contra a força de
movimentação na encosta!
 Colocar todos os calços prescritos directamente encostados por baixo da roda!
 Colocar de tal forma todos os calços empurrados para a frente rigorosamente encostados, para
que estes tenham acção de travagem imediata e mantenham o veículo em posição de
estacionamento!

76 LIEBHERR 2.04
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

Página vazia!

2.05 LIEBHERR 77
146690-00 2.05 Placas de identificação na grua

B198435

78 LIEBHERR 2.05
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

1 Sinais de aviso

1.1 Modelo dos sinais de aviso


A forma é triangular, a margem e a imagem do sinal são em preto. O fundo é amarelo.

Observação
 Sinais de aviso são sinais de segurança os quais alertam sobre riscos ou perigos.
 Todos os sinais de aviso na grua têm por isso de estarem completos e mantidos em estado
legível.

1.2 Sinais de aviso na grua


Estão montados os seguintes sinais de aviso na grua:
– Sinais de aviso 1, “Aviso sobre tensão eléctrica perigosa”, tem validade somente para
determinados Países*
– Sinais de aviso 2, “Aviso de carga suspensa”
– Sinais de aviso 3, “zona de basculação”, tem validade somente para determinados Países*

2.05 LIEBHERR 79
146690-00 2.05 Placas de identificação na grua

B199894

80 LIEBHERR 2.05
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

2 Instruções de advertência

2.1 Modelo das instruções de advertência


A forma é rectangular. A margem, os caracteres e a imagem são em preto. O fundo é amarelo.

Observação
 Instruções de advertência são sinais de segurança com texto os quais alertam sobre riscos ou
perigos.
 Todos as instruções de advertência na grua e na ponta abatível têm de estar completos e serem
mantidos em estado legível.

2.2 Instruções de advertência na grua


Estão montados as seguintes instruções de advertência na grua:
– Instrução de advertência 11, “Aviso de alta tensão”, tem validade somente para determinados
Países*
– Instrução de advertência 12, “aviso sobre tensão eléctrica perigosa”, tem validade somente para
determinados Países*
– Instrução de advertência 13, “abastecer somente com combustível Diesel”

2.05 LIEBHERR 81
146690-00 2.05 Placas de identificação na grua

B198437

82 LIEBHERR 2.05
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

2.3 Instruções de advertência na lança suplementar


Estão montadas as seguintes instruções de advertência na lança suplementar:
– Instruções de advertência 14
– Instruções de advertência 15

2.05 LIEBHERR 83
146690-00 2.05 Placas de identificação na grua

B199895

84 LIEBHERR 2.05
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

3 Sinais de prescrições / Sinais de proibição

3.1 Modelo dos sinais de prescrição


A forma é redonda e o fundo é azul.
A superfície do sinal é limitado através de um bordo luminoso.

Observação
 Sinais de prescrição são sinais de segurança, os quais prescrevem determinados procedimentos.
 Todos os sinais de prescrição na grua têm de estarem completos e mantidos em estado legível.

3.2 Modelo dos sinais de proibição


A forma é redonda, a margem é vermelha e a imagem do sinal são em preto Por cima da imagem do
sinal está marcada uma barra transversal vermelha. O fundo é branco.

Observação
 Sinais de proibição são sinais de segurança que proíbem um procedimento através do qual pode
nascer um perigo.
 Todos os sinais de proibição na grua têm de estarem completos e mantidos em estado legível

3.3 Sinais de prescrições / Sinais de proibição na grua


Estão montados os seguintes sinais de prescrições / Sinais de proibição na grua:
– sinais de proibição 20, “Proibida a entrada a pessoas não autorizadas”
– sinais de prescrição 21, “velocidade”, tem validade somente para determinados Países*
– sinais de prescrição 22, “velocidade”, tem validade somente para determinados Países*

2.05 LIEBHERR 85
146690-00 2.05 Placas de identificação na grua

B198439

86 LIEBHERR 2.05
2.05 Placas de identificação na grua 146690-00

4 Sinais de indicação

4.1 Modelo dos sinais de indicação


A forma é rectangular e os caracteres em preto. O fundo é amarelo.

Observação
 Sinais de indicação são sinais que advertem adicionalmente em forma de um texto.
 Todos os sinais de indicação na grua têm de estarem completos e mantidos em estado legível.

4.2 Sinais de indicação na grua


Estão montados os seguintes sinais de indicação na grua:
– sinais de indicação 31, “Comutação automática da pressão dos pneus”
– sinais de indicação 32, “Indicações de serviço”
– sinais de indicação 33, “Normas de serviço para gruas”, tem validade somente para determinados
Países*
– sinais de indicação 34, “Altura do veículo”, tem validade somente para determinados Países*
– sinais de indicação 35, “Limitador de velocidade”
– sinais de indicação 36, “Indicações de serviço para o modo de manobras”
– sinais de indicação 37, “Nível da potência acústica”

2.05 LIEBHERR 87
146691-01 2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

B199896

88 LIEBHERR 2.06
2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 146691-01

1 Dispositivos de segurança contra queda na grua

PERIGO
Perigo de queda!
Em montagem e desmontagem o pessoal de montagem têm que ser assegurados contra queda
através de meios auxiliares apropriados. Se isto não for observado, então o pessoal de montagem
poderá cair e ao mesmo tempo ferir-se gravemente ou até morrer.
 Todos os trabalhos de montagem têm de ser executados em regra geral a partir de uma altura
de2 m com meios auxiliares adequados (plataforma elevatória, andaimes, escadas, grua auxiliar
etc.)! A altura na qual tem de ser executada a montagem / desmontagem com meios auxiliares
está dependente das normas nacionais. Têm de ser mantidas as normas nacionais!
 Caso estes trabalhos não possam realizados quer com estes meios auxiliares, quer a partir do
solo, o pessoal de montagem deverá proteger-se com um equipamento de protecção pessoal (por
exemplo, cinto de segurança) contra o perigo de queda!
 Se as seguranças contra queda (balaustradas) estiverem montadas no chassi superior então
estas deverão ser colocadas na posição para montagem / desmontagem e fixadas.

Observação
 Os letreiros 1 marcam os pontos de fixação nos quais o pessoal de montagem se têm de
pendurar com cintos de segurança autorizados e assegurar-se contra queda.

2 Pontos de fixação
2.1 Pontos de fixação na lança telescópica
Pontos de fixação A, Ponto de fixação B, Ponto de fixação C, Ponto de fixação D e Ponto de
fixação E estão montados na lança telescópica.

PERIGO
Em trabalhos nas alturas existe perigo de queda!
Se as instruções que se seguem não forem observadas, o pessoal de montagem pode cair e ferir-se
gravemente ou até morrer.!
 Antes de todas as montagens / desmontagens e trabalhos de manutenção no chassi superior e
lança telescópica o pessoal de montagem tem de colocar o cinto de segurança autorizado e
equipamento de protecção.
 No tubo 2 será pendurada a escada com dispositivo de um gancho em trabalhos de montagem
/ desmontagem, consulte para isso o parágrafo “Montar o dispositivo de um gancho na escada”.
 O pessoal de montagem tem que se pendurar com o cinto de segurança autorizado no ponto de
fixação A, ou ponto de fixação B, ou ponto de fixação C, ou ponto de fixação D ou ponto de
fixação E e assegurar-se contra queda.

PERIGO
Perigo de danificação!
 Nunca pendurar cargas ou objectos no ponto de fixação A, ponto de fixação B, ponto de
fixação C, ponto de fixação D ou ponto de fixação E.

2.06 LIEBHERR 89
146691-01 2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

B102241

90 LIEBHERR 2.06
2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 146691-01

3 Pontos de fixação na ponta abatível

Observação
 Para os trabalhos de montagens / e desmontagens na ponta abatível e na extensão da ponta
abatível tem de ser utilizada a escada 11 juntamente fornecida com dispositivo de
enganchamento 12.
 A escada 11 é transportada por baixo da cabina do condutor.

PERIGO
Perigo de acidente através da montagem errada do dispositivo de enganchamento!
Os dois ganchos 14 no dispositivo de enganchamento 12 não podem estar durante o transporte
virados para baixo para a faixa de rodagem!
O dispositivo de enganchamento 12 tem de estar de tal forma montado na escada 11, para que os
dois ganchos 14 estejam durante o transporte virados para “cima” para a cabina do condutor!
 Montar e fixar correctamente por baixo da cabina do condutor a escada 11 com dispositivo de
enganchamento 12 depois de terminar os trabalhos de montagem e desmontagem.
 Controlar antes do início da deslocação, se os ganchos 14 do dispositivo de
enganchamento 12 estão virados para cima para a cabina do condutor.

3.1 Utilizar a escada


PERIGO
Perigo de acidente!
Se as instruções que se seguem não forem observadas, a escada pode tombar e o pessoal de
montagem pode cair da escada e ferir-se gravemente ou até morrer!
 Escadas defeituosas não podem ser utilizadas!
 Utilizar somente a escada juntamente fornecida com travessa 9!
 O dispositivo de enganchamento 10 na escada serve como segurança contra queda. Em todos os
trabalhos de montagens / desmontagens na ponta abatível e na extensão da ponta abatível e na
lança telescópica tem de ser utilizada a escada com dispositivo de enganchamento 10!
 A escada tem de ser instalada com estabilidade e acessível com seguridade.
 Para um procedimento seguro com a escada deverá observar as instruções de segurança na
escada.

3.2 Montar o dispositivo do enganchamento na escada


Antes de se poder utilizar a escada tem de montar o dispositivo de enganchamento 12 num degrau.
 Pressionar a escada com o degrau necessitado contra a chapa de bloqueio 13 no dispositivo de
enganchamento 12 ( ponto X), ver a figura 1, figura 2
Resultado:
– as chapas de bloqueio 13 abanam no sentido da seta e a recepção libertam o dispositivo de
enganchamento 12 para o degrau, ver figura 3

 Empurrar o dispositivo de enganchamento 12 para “cima”


Resultado:
– as chapas de bloqueio 13 recua automaticamente (seta) para a sua “posição inicial ” e fixam o
degrau, ver figura 4

2.06 LIEBHERR 91
146691-01 2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

B102242

92 LIEBHERR 2.06
2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 146691-01

3.3 Pontos de fixação na ponta abatível / extensão da ponta abatível


PERIGO
Em trabalhos nas alturas existe perigo de queda!
Se as instruções que se seguem não forem observadas, a escada pode tombar e o pessoal de
montagem pode cair da escada e ferir-se gravemente ou até morrer!
 Em todos os trabalhos de montagens / desmontagens na ponta abatível e na extensão da ponta
abatível tem de ser utilizada a escada 11 com travessa 10 e dispositivo de enganchamento 12,
consulte para isso o parágrafo “Montar o dispositivo de enganchamento na escada”.
 Pendurar a escada com dispositivo de enganchamento 12 no respectivo ponto de fixação
correctamente e montar com estabilidade.
 A escada não pode ser utilizada como escada suspensa. A escada tem de ser apoiada sobre o
chão.
 Para um procedimento seguro com a escada deverá observar as instruções de segurança na
escada.
 Aceder à escada somente com “sapatos limpos”.

Para os trabalhos de montagens / desmontagens na ponta abatível e na extensão da ponta abatível


têm de ser observados os pontos de fixação para a escada:
– ponto de fixação D
– ponto de fixação E
– ponto de fixação F
– ponto de fixação G
– ponto de fixação H
– ponto de fixação I

2.06 LIEBHERR 93
146691-01 2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

B199897

94 LIEBHERR 2.06
2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 146691-01

4 Parapeitos no chassi superior

PRECAUÇÃO
Perigo de esmagamento de membros do corpo!
Ao bascular o parapeito podem ser esmagados membros do corpo!
 Tenha especial atenção ao bascular o parapeito!

4.1 Bascular o parapeito para a posição de montagem/desmontagem


 Soltar o elemento de tensão 4.
 Puxar a si o trinco 9 e bascular o parapeito 1 em posição para montagem / desmontagem.
 Fixar o parapeito 1 em posição para montagem/desmontagem: bloquear alavanca de aperto 5.
 Soltar o bloqueio 8
 Bascular o estribo basculante 7 em posição para montagem / desmontagem até o
bloqueio 8 engate outra vez.
 Soltar o elemento de tensão 4.
 Bascular o parapeito 3 em posição para montagem/desmontagem.
 Fixar o parapeito 3 em posição para montagem/desmontagem: bloquear alavanca de aperto 5.
 Soltar o bloqueio 8
 Bascular o estribo basculante 6 em posição para montagem / desmontagem até o
bloqueio 8 engate outra vez.

4.2 Bascular o parapeito para a posição de transporte


 Soltar o bloqueio 8
 Bascular o estribo basculante 6 para a posição de transporte até o bloqueio 8 engate outra vez.
 Bascular o parapeito 3 para a posição de transporte.
 Fixar o parapeito 3 com elemento de tensão 4.
 Soltar o bloqueio 8
 Bascular o estribo basculante 7 para a posição de transporte até o bloqueio 8 engate outra vez.
 Soltar a alavanca de aperto 5.
 Bascular o parapeito 1 para a posição de transporte e bloquear o trinco 9.

2.06 LIEBHERR 95
146691-01 2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua

B199944

96 LIEBHERR 2.06
2.06 Dispositivos de segurança contra queda na grua 146691-01

5 Máquinas com cabina basculável para cima*

Observação
 Em máquinas com cabina basculável para cima* respectivamente extensíveis
telescopicamente* estão montados pontos de fixação atrás no chassi superior.

5.1 Pontos de fixação no chassi superior


No chassi superior está montado ponto de fixação J.

PERIGO
Em trabalhos nas alturas existe perigo de queda!
Se as instruções que se seguem não forem observadas, o pessoal de montagem pode cair e ferir-se
gravemente ou até morrer.!
 Antes de todas as montagens / desmontagens e trabalhos de manutenção no chassi superior o
pessoal de montagem tem de colocar o cinto de segurança autorizado e equipamento de
protecção.
 Em trabalhos de montagem / desmontagem e trabalhos de manutenção atrás no chassi superior,
pendurar a escada 5 na chapa 6.
 Utilizar somente a escada juntamente fornecida com travessa 9.
 Para um procedimento seguro com a escada deverá observar as instruções de segurança na
escada.
 Aceder à escada somente com “sapatos limpos”.
 O pessoal de montagem tem que se pendurar com os cintos de segurança autorizados no ponto
de fixação J e assegurar-se contra queda.

PERIGO
Perigo de danificação!
 Nunca pendurar cargas ou objectos no ponto de fixação J.

 Colocar o cinto de segurança autorizado e equipamento de protecção.


 Limpar a sujidade nos sapatos.
 Pendurar a escada 5 na chapa 6 e montá-la com estabilidade.
 Pendurar o cinto de segurança no ponto de fixação J.

2.06 LIEBHERR 97
98 LIEBHERR
3.00 Comando no chassi da grua

LIEBHERR 99
147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B194457

100 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1 Instrumentos de comando e de controlo no veículo

1.1 Elementos gerais de operação


1 Travão de serviço
2 Regulação do motor
3 Travão de
estacionamento
4 Tacógrafo • Velocímetro
• Odómetro
• Relógio
5 Volante da direcção
6 Interruptor na coluna da • Comutação dos faróis médios / máximos
direcção à esquerda • Accionamento da buzina óptica
• Accionamento do sinal pisca-pisca (esquerda / direita)
• Accionamento do limpa-vidros (0, intermitente, I, II)
• Accionamento do dispositivo limpa-pára-brisas
• Accionamento da buzina
7 Interruptor na coluna da • Travões contínuos:
direcção à direita posição de comutação 0 - 1
Posição de comutação 2 - 5* (com travão de corrente de
Foucault*)
• Tempomat
• Temposet
• Acelerador manual
• Em serviço de comutação manual comutar a velocidade para
uma velocidade mais alta ou mais baixa
8 Pulsador a pedal • Regulador pneumático da inclinação e da altura do volante
10 Assento do condutor • Indicação:
para a descrição “Ajuste do assento do condutor” ver o
Capítulo 3.02, Antes do início da deslocação.
14 Caixa das baterias
15 Interruptor principal das
baterias

3.01 LIEBHERR 101


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B103438

102 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

17 Unidade de indicação
18 Unidade do teclado • O controlo de funções no pulsador está acesa: a função
está seleccionada e executada
• O controlo de funções no pulsador está a piscar: a função
está seleccionada mas não executada
• Sinal acústico (pip) soa ao pressionar o pulsador: função
não permitida foi seleccionada
19 Consola central
20 Interruptor, pulsador • Interruptor: comutar o espelho exterior direito / esquerdo
• Pulsador: regulação do espelho electricamente
26 Interruptor* • Carregador das baterias, comutação chassi superior (OW) /
chassi inferior (UW)
27 Interruptor* • Sistema Dolly
28 Interruptor* • Câmara - Bomba de lavagem
31 Chave de ignição • Posição: P/0/I/II
32 Contador de horas de
serviço
33 Tomada embutida de 24
V
34 Interruptor rotativo • Comutação Serviço chassi inferior / Serviço chassi superior
35 Acendedor de cigarros
36 Indicador de pressão • primeiro e segundo eixo, lado esquerdo
sobre os eixos
37 Indicador de pressão • primeiro e segundo eixo, lado direito
sobre os eixos
38 Indicador de pressão • quarto e quinto eixo, lado esquerdo
sobre os eixos Com compensação da pressão sobre os eixos: terceiro até
quinto eixo, lado esquerdo
39 Indicador de pressão • quarto e quinto eixo, lado direito
sobre os eixos Com compensação da pressão sobre os eixos: terceiro até
quinto eixo, lado direito
40 Interruptor* • Aquecimento adicional / pré-aquecimento do motor
41 Cinzeiro
42 Reservatório • Líquido para limpeza dos vidros
43 Iluminação interior
44 Direcionadores da saída • Para aquecimento / ventilação / sistema de ar condicionado*
de ar
45 Interruptor • Alavanca de accionamento do vidro da janela do lado
esquerdo
46 Interruptor • Alavanca de accionamento do vidro da janela do lado direito
47 Interruptor • Alavanca de accionamento do vidro da janela do lado direito
48 Tacógrafo
49 Interruptor • Desligar o Intarder
Indicação:
o interruptor 49 encontra-se por baixo da consola central.
50 Interruptor • Comutar a engrenagem de distribuição para roda livre
Indicação:
o interruptor 50 encontra-se por baixo da consola central.
60 Interruptor de paragem
emergência*

3.01 LIEBHERR 103


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B103439

104 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1.2 Elementos de comando Câmara - Monitor*


61 Pulsador • Ligado / Desligado
62 Sensor do comando à
distância
63 Sensor da claridade • Regulador automático de claridade
64 Selector da câmara
65 Pulsador do Menu • As seguintes funções podem ser seleccionados no Menu:
• Vareta de medição
• KA 1 (espelho)
• Horário automático
• Cor
• Claridade
• Contraste
• Cor (só em NTSC)
66 Pulsador • Aumento do volume sonoro
67 Pulsador • Redução do volume sonoro
68 Interruptor • Interruptor dia / noite
69 Pulsador • Elevar a ligação do canal
70 Pulsador • Reduzir a ligação do canal

3.01 LIEBHERR 105


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B199845

106 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1.3 Unidade do teclado


100 Interruptor selector de • Marcha atrás “R”
marcha
101 Interruptor selector de • Marcha neutra “N”
marcha
102 Interruptor selector de • Marcha à frente “D”
marcha
104 Pulsador • Comutação, mudança de velocidades automática / manual
O controlo de funções não acende: serviço de comutação
automático
O controlo de funções acende: serviço de comutação
manual
105 Pulsador • Em serviço de comutação manual comutar para 1 velocidade
maior
107 Pulsador • Comutação velocidade lenta / velocidade de estrada
Controlo de funções acende: velocidade lenta está
conectada
Controlo de funções não acende: circulação em estradas
está conectada
Controlo de funções pisca: erro
Controlo de funções pisca rapidamente: a engrenagem de
distribuição está comutada para roda livre, o pulsador 50 está
accionado
108 Pulsador • Em serviço de comutação manual comutar para 1 velocidade
inferior
109 Indicação • Código de funções
110 Pulsador • Tecla de informação (diagnóstico) Código de erro do sistema
LICCON (LEC) na unidade de indicação
112 Pulsador de • Nível do veículo, levantar à frente à esquerda
accionamento com 2
mãos
113 Pulsador de • Nível do veículo, levantar à frente à direita
accionamento com 2
mãos
114 Indicação • Grau do aquecimento, grau de intensidade da luz
115 Pulsador • Ajuste da luminosidade do indicador e da unidade do teclado
116 Pulsador • Diagnóstico
117 Pulsador • Direcção independente do eixo traseiro, limite de rotação do
volante para a direita
118 Pulsador • Direcção independente do eixo traseiro, limite de rotação do
volante para a esquerda
119 Pulsador de • Nível do veículo, descer à frente à esquerda
accionamento com 2
mãos
120 Pulsador de • Nível do veículo, descer à frente à direita
accionamento com 2
mãos
121 Pulsador de • Conectar o programa de direcção “Circulação em estradas”
accionamento com 2
mãos
122 Pulsador de • Conectar o programa de direcção “Direcção a todas as rodas”
accionamento com 2
mãos
123 Pulsador de • Conectar o programa de direcção “Velocidade paralela”
accionamento com 2
mãos

3.01 LIEBHERR 107


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

124 Pulsador de • Conectar o programa de direcção “Medida de viragem


accionamento com 2 reduzida”
mãos
125 Pulsador de • Conectar o programa de direcção “Direcção independente”
accionamento com 2
mãos
127 Pulsador de • Nível do veículo, levantar atrás à esquerda
accionamento com 2
mãos
128 Pulsador de • Nível do veículo, levantar atrás à direita
accionamento com 2
mãos
129 Pulsador de • Nivelamento automático durante o rodagem em estradas
accionamento com 2
mãos
130 Pulsador de • Bloquear a suspensão dos eixos
accionamento com 2
mãos
135 Pulsador de • Nível do veículo, descer atrás à esquerda
accionamento com 2
mãos
136 Pulsador de • Nível do veículo, descer atrás à direita
accionamento com 2
mãos

108 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

Página vazia!

3.01 LIEBHERR 109


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B199845

110 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

138 Pulsador de • Conexão dos bloqueios do diferenciais longitudinais na


accionamento com 2 engrenagem de distribuição + Conexão do eixo 1 ( com
mãos accionamento 10x8*)
140 Pulsador de • Conexão do bloqueio do diferencial transversal eixo 1 ( com
accionamento com 2 accionamento 10x8*) + Eixo 2
mãos
141 Pulsador de • Conexão do bloqueio do diferencial transversal do eixo 4 +
accionamento com 2 Conexão do bloqueio do diferencial transversal do eixo 4 +
mãos eixo 5
142 Pulsador de • Compensação da pressão sobre os eixos do eixo 1 + 2 / 3 - 5
accionamento com 2
mãos
143 Pulsador de • Confirmação do accionamento com as 2 mãos
accionamento com 2 Indicação:
mãos o “pulsador de accionamento com 2 mãos” tem de ser
accionado para:
ajuste do nível do veículo
conectar os programas de direcção
conectar os bloqueios dos diferenciais
bloquear a suspensão dos eixos
compensação da pressão sobre os eixos 1 + 2 / 3 - 5
144 Pulsador* • Ligar / desligar aquecimento adicional
145 Pulsador • Aquecimento da cabina do condutor mais quente
146 Pulsador • Aquecimento da cabina do condutor mais fria
147 Pulsador • Número de rotações do ventilador (ventoinha) mais elevado
148 Pulsador • Número de rotações do ventilador (ventoinha) mais baixo
149 Pulsador* • Aquecimento do assento do condutor
150 Pulsador • Luz de condução
151 Pulsador* • Faróis de nevoeiro
152 Pulsador* • Sistema de ar condicionado
153 Pulsador • Circulação de ar
154 Pulsador • Ar fresco
155 Pulsador • Alimentação de ar na região dos pés
156 Pulsador • Alimentação de ar para o vidro da frente
157 Pulsador* • Aquecimento do assento do passageiro
158 Pulsador • Luz de posição
159 Pulsador • Luz traseira de nevoeiro
160 Pulsador* • Aquecimento do espelho exterior
164 Pulsador • Ligar e desligar manualmente a iluminação das longarinas
corrediças
165 Pulsador • Luzes de identificação omnidireccional
166 Pulsador • Sistema de luzes de emergência

3.01 LIEBHERR 111


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B198094

112 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1.4 Unidade de indicação


180 Luz de controlo* • Aquecimento adicional
Pisca: em avaria
181 Luz de controlo • Direcção
está acesa: Direcção em boas condições
pisca rapidamente: Erro no sistema de direcção, com
indicação do código de erro
pisca vagarosamente: Ligação Bus LSB avariado
182 Luz de aviso • Nível da água de refrigeração do motor demasiado baixo
183 Luz de controlo • Filtros de ar sujos
184 Luz de controlo • Pré-incandescência do motor Diesel
185 Luz de aviso • Circuito de direcção I (bomba de direcção)
186 Luz de aviso • Circuito de direcção II (bomba de direcção auxiliar)
187 Luz de aviso • Limitação da velocidade
188 Luz de controlo • Embraiagem aberta, a luz de controlo ilumina-se em:
• processo de inicio de marcha, travão de serviço +
“interruptor selector de marcha, marcha à frente D” está
accionado
• Processo de conexão
189 Luz de aviso • Avaria na caixa de velocidades
192 Luz de controlo* • Desbloqueado quando em funcionamento no sistema Dolly*
Pisca: quando em marcha com Dolly* e interruptor ligado 27 a
pressão do óleo hidráulico para a comutação livre do travão do
mecanismo de rotação / travão de descer do cilindro de
basculação desce para baixo da zona permitida.
193 Luz de controlo* • Redução da força do travão automática
195 Luz de controlo • Faróis máximos
196 Luz de controlo • Faróis médios
197 Luz de controlo • Luz traseira de nevoeiro
198 Luz de controlo* • Luzes de reconhecimento ao redor
199 Luz de controlo* • Luzes de reconhecimento ao redor
200 Luz de controlo • Travão do motor activado
201 Luz de controlo • Travão de estacionamento bloqueado
202 Luz de controlo* • Travão de corrente de Foucault activo
204 Luz de aviso • Calços dos travões gastos
207 Luz de controlo* • ABV (impedidor de bloqueio de travagem automático) no
reboque
ABV, impedidor de bloqueio de travagem automático
Acesa: erro ABV
Pisca: em avaria de comunicação entre a electrónica ABV do
veículo
No serviço com reboque, esta luz de aviso tem de se apagar a
partir de uma velocidade de marcha superior a cerca de
10 km/h
208 Luz de controlo • Erro Bus CAN
210 Indicação • Direcção de marcha do veículo esquerda / direita
211 Indicação* • Direcção de marcha do atrelado esquerda / direita
212 Luz de aviso • Sistema de luzes de emergência
213 Luz de controlo • Luzes de reconhecimento ao redor
214 Luz de controlo • Luzes de reconhecimento ao redor

3.01 LIEBHERR 113


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B198095

114 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

220 Luz de controlo • Tempomat ou Temposet activados


221 Indicação • Número de rotações do motor [r.p.m.]
222 Indicação • Caixa de velocidades na posição neutra “N”
223 Indicação • Indicação da marcha
Indicação:
indicação breve da velocidade ajustada para Tempomat e
Temposet
224 Luz de aviso • Pisca: erro do sistema ou indicação de serviço activado
Através do pressionamento da “tecla i” 110 o erro no sistema
ou a indicação de serviço serão indicados no Indicador 225.
• Aceso: erro de comando activado
erro de comando surge automaticamente no Indicador 225.
225 Indicação • LICCON-Error-Code (LEC) com a “tecla i” premida
226 Indicador gráfico de • Temperatura do óleo da caixa de velocidades [graus],
barras 30 °C - 120 °C
227 Luz de aviso • Temperatura do óleo demasiado elevada - superior a 110 °C
228 Indicador gráfico de • Reserva de combustível [%], 0 até 100%
barras
229 Luz de aviso • Reserva de combustível - inferior a 10 %
230 Indicador gráfico de • Temperatura do líquido de refrigeração do motor [graus],
barras 30 °C - 120 °C
231 Luz de aviso • Temperatura do líquido de refrigeração ou do ar de admissão
demasiado elevada ou erro motor
232 Indicador gráfico de • Pressão do óleo do motor [bar], 0 bar - 10 bar
barras
233 Luz de aviso • Pressão do óleo demasiado baixa / temperatura do óleo
demasiado elevada
234 Indicador gráfico de • Tensão da bateria [V], 21 V - 30 V
barras
235 Luz de aviso • Controlo da carga
236 Indicador gráfico de • Reserva de ar comprimido I [bar], 0 bar - 10 bar
barras
237 Luz de aviso • Reserva de ar comprimido I inferior a 5,5 bar
238 Indicador gráfico de • Reserva de ar comprimido II [bar], 0 bar - 10 bar
barras
239 Luz de aviso • Reserva de ar comprimido II inferior a 5,5 bar
240 Indicador gráfico de • Reserva de ar comprimido III [bar], 0 bar - 10 bar
barras
241 Luz de aviso • Reserva de ar comprimido III inferior a 5,5 bar
242 Indicador gráfico de • Pressão actual do travão com o travão accionado - circuito de
barras travagem I [bar], 0 bar - 10 bar
243 Luz de aviso • Pisca: transmissor de pressão do travão no circuito I avariado
244 Indicador gráfico de • Pressão actual do travão com o travão accionado - circuito de
barras travagem II [bar], 0 bar - 10 bar
245 Luz de aviso • Pisca: transmissor de pressão do travão no circuito II avariado

3.01 LIEBHERR 115


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B198096

116 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1.5 Unidade de comando dos estabilizadores


Unidade de comando dos estabilizadores à esquerda:
250 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização à frente à direita
251 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização à frente à direita
252 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização atrás à direita
253 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização atrás à direita
254 Pulsador • Expandir a longarina corrediça à frente à esquerda
255 Pulsador • Retrair a longarina corrediça à frente à esquerda
256 Pulsador • Expandir a longarina corrediça atrás à esquerda
257 Pulsador • Retrair a longarina corrediça atrás à esquerda
258 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização à frente à esquerda
259 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização à frente à esquerda
260 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização atrás à esquerda
261 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização atrás à esquerda
262 Indicação • Indicação da força de apoio à frente à direita
263 Indicação • Indicação da força de apoio atrás à direita
264 Indicação • Indicação da força de apoio à frente à esquerda
265 Indicação • Indicação da força de apoio atrás à esquerda
266 Indicação • Indicador de inclinação
267 LED 1°
268 LED 5°
269 Pulsador • Liberação da unidade de comando dos estabilizadores
Indicação:
antes de se poder pôr em movimento os cilindros de
estabilização ou as longarinas corrediças deverá primeiro ser
accionado o desbloqueamento da unidade de comando dos
estabilizadores 269.
271 Pulsador • Recolher todos os cilindros de estabilização e colocá-los na
horizontal
272 Pulsador • Expandir todos os cilindros de estabilização e colocá-los na
horizontal
273 Pulsador • Motor desligado
274 Pulsador • Motor ligado
275 Pulsador • Reduzir o número de rotações do motor
276 Pulsador • Aumentar o número de rotações do motor
277 LED • Acende quando accionado o desbloqueamento da unidade de
controlo dos estabilizadores

3.01 LIEBHERR 117


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B198096

118 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

Unidade de comando dos estabilizadores à direita:


266 Indicação • Indicador de inclinação
267 LED 1°
268 LED 5°
269 Pulsador • Liberação da unidade de comando dos estabilizadores
Indicação:
antes de se poder pôr em movimento os cilindros de
estabilização ou as longarinas corrediças deverá primeiro ser
accionado o desbloqueamento da unidade de comando dos
estabilizadores 269.
271 Pulsador • Recolher todos os cilindros de estabilização e colocá-los na
horizontal
272 Pulsador • Expandir todos os cilindros de estabilização e colocá-los na
horizontal
273 Pulsador • Motor desligado
274 Pulsador • Motor ligado
275 Pulsador • Reduzir o número de rotações do motor
276 Pulsador • Aumentar o número de rotações do motor
277 LED • Acende quando accionado o desbloqueamento da unidade de
controlo dos estabilizadores
280 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização à frente à direita
281 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização à frente à direita
282 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização atrás à direita
283 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização atrás à direita
284 Pulsador • Expandir a longarina corrediça à frente à direita
285 Pulsador • Retrair a longarina corrediça à frente à direita
286 Pulsador • Expandir a longarina corrediça atrás à direita
287 Pulsador • Retrair a longarina corrediça atrás à direita
288 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização à frente à esquerda
289 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização à frente à esquerda
290 Pulsador • Retrair o cilindro de estabilização atrás à esquerda
291 Pulsador • Expandir o cilindro de estabilização atrás à esquerda
292 Indicação • Indicação da força de apoio à frente à direita
293 Indicação • Indicação da força de apoio atrás à direita
294 Indicação • Indicação da força de apoio à frente à esquerda
295 Indicação • Indicação da força de apoio atrás à esquerda

3.01 LIEBHERR 119


147093-00 3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua

B198097

120 LIEBHERR 3.01


3.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi da grua 147093-00

1.6 Ligação à terra da grua móvel


300 Cavilha • Ligação à massa
Indicação:
Para que a grua móvel possa ser ligada à terra, está montada
a cavilha 300 para a ligação à massa. Ligação à terra da grua
móvel, consulte Capítulo 2.04.

3.01 LIEBHERR 121


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B198140

122 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

1 Controlos gerais antes do início da deslocação


Antes do início da deslocação deverão ser efectuados os seguintes controlos.
Para uma descrição pormenorizada dos trabalhos de controlo apresentados em baixo consulte o
Capítulo 7.04.

1.1 Controlar o nível do óleo e o filtro


 Controlar o nível do óleo no motor de tracção.
 Controlar o nível do óleo na caixa de velocidades automática e engrenagem de distribuição.
 Controlar o nível do óleo no depósito hidráulico para a direcção, para os estabilizadores e
suspensão dos eixos.
 Controlar o filtro no reservatório do óleo hidráulico.

1.2 Controlar o nível do combustível


Observação
Evacuar o ar do circuito do combustível.
Se rodar até esvaziar o depósito de combustível, terá em seguida evacuar o ar do sistema do
combustível.
 Não rodar até esvaziar o depósito de combustível.

 Controlar a reserva de combustível no indicador do combustível na cabina do condutor.

1.3 Controlar o nível do líquido de refrigeração


AVISO
Perigo de ferimentos por queimaduras da pele!
 Proceder ao controlo do nível do líquido de refrigeração apenas com o motor frio.

 Encher o reservatório de compensação do líquido de refrigeração até ao vertedouro no tubo de


reabastecimento.

3.02 LIEBHERR 123


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B198140

124 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

1.4 Controlar o conjunto de pneumáticos


Controlar ao mesmo tempo também a roda sobressalente*.

AVISO
Perigo de acidente por conjunto de pneumáticos impróprios!
 Controlar regularmente os pneus a danificações, falta de perfil e pressão de ar.

A profundidade do perfil dos pneus não deverá ser inferior ao valor mínimo especificado por lei.
 Controlar a profundidade do perfil dos pneus.
 Controlar o estado do conjunto de pneumáticos quanto a existência de danificações.
 Controlar o assento correcto dos pneus sobre as jantes.

PERIGO
Perigo de acidente através dum assento falso do aro de fecho!
 Controlar o assento perfeito do aro de fecho.

 Quando o aro de fecho não assento correctamente:


pedir ajuda a pessoal especializado.

PERIGO
Perigo de acidente!
Ao controlar a pressão do ar nos pneus e depois da montagem dos pneus o anel de aperto está
correctamente montado sobre as jantes.
 Controlar a montagem correcta do anel de aperto sobre a jante!

 Quando o anel de aperto não está correctamente montado:


aconselhe-se com pessoal especializado.

AVISO
Perigo através de pressão de ar nos pneus falsa.
 Manter a pressão de ar especificada.

A pressão de ar nos pneus montados na grua deverá conter a pressão indicada para os respectivos
pneus. Ver o Capítulo 1.03.
 Controlar a pressão do ar.
 Os discos das rodas deverão ser controlados ao seu estado de funcionamento seguro. Ver o
Capítulo 7.04.

3.02 LIEBHERR 125


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B199846

126 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

1.5 Controlar o estado geral de transporte


Observação
Transporte em estradas públicas:
 Para o estado de transporte sobre estradas públicas e para respeitar a carga máxima nos eixos
de 12 t tem que manter os estado de deslocação da grua como está descrito no Capítulo 3.04.

PERIGO
Perigo de acidente através de estados de transporte impróprios!
 Bloqueios, trava de segurança com mola e cavilhas de segurança devem ser montadas e fixadas
de forma a que não se possam soltar durante o transporte e assim causar danos.
 Sob o parágrafo “Estado geral de transporte” as medidas de segurança, medidas de bloqueio e
controlos descritas deverão ser executadas sem falta!

Para o estado de transporte da grua móvel deverão ser fixadas e asseguradas todas as peças soltas.
 Durante a marcha o anemómetro não pode estar montado na lança telescópica.
 Colocar o chassi superior no sentido da marcha e fixar mecanicamente para não poder rodar.
 A lança telescópica tem que estar retraída completamente e depositada no depósito da lança.
 A lança telescópica tem que estar fixada contra um deslocamento impróprio.
 Retrair o estribo ao lado da cabina da grua e travar.
 Fechar a janela e a porta 4 da cabina do condutor da grua.
 Travar a escada de montagem por baixo do pára-choques frontal.
 Cada uma das 4 longarinas corrediças dos estabilizadores hidráulicos deverão ser travadas por
meio de cavilhas 1/1a para evitar que se estendam involuntariamente. Bloquear as 4
cavilhas 2 nos respectivos suportes para transporte.
 Colocar as quatro placas de apoio na posição de transporte e travar através das cavilhas 5 para
evitar que se estendam involuntariamente.
 Levar os quatro calços e fixar nos dispositivos de fixação.
 Fechar as caixas de conexões 6 para as unidades de comando de apoio à esquerda e direita.
 Todas as fechaduras das portas da caixa de ferramentas, portas dos armários e revestimentos
têm que estar fechadas.
 Controlar todas as cavilha de travamento apenas utilizadas para o serviço de grua estejam
completas e travar para o transporte.
 Colocar o interruptor rotativo 3 para “serviço de marcha”.
 Meter o programa de direcção “Circulação em estradas”.
 Ajustar o sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos sobre o nível para o deslocamento em
estradas em “suspensão”, ver o Capítulo 3.03.
 Pendurar o cabo de elevação no acoplamento de reboque 7 e apertar bem.

3.02 LIEBHERR 127


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B199847

128 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

1.6 Controlar a iluminação


Certifique-se que o interruptor principal das baterias e a ignição estão ligadas.

PERIGO
Perigo de acidente através da iluminação defeituosa!
 Deixar reparar a iluminação defeituosa antes do início da deslocação por pessoal especializado!

Iluminação da grua:
– médios 1
– máximos 2
– luz de posição à frente e atrás 3
– faróis de nevoeiro* 4
– luzes pisca-pisca 5
– faróis de posicionamento traseiro 6
– luzes do travão 7
– faróis de marcha atrás 8
– luzes de identificação omnidireccional 9
– iluminação de limites 10
– luz traseira de nevoeiro 11
– iluminação da matrícula 12
– luzes de sinalização lateral 13
– refletores olho de gato 14
 Controlar todas as luzes antes de iniciar a marcha.

3.02 LIEBHERR 129


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B191514

130 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

2 Posto de trabalho cabina do condutor

PERIGO
Perigo de acidente através dum ajustamento errado do espelho e do volante!
 Ajustar o assento do condutor, espelho e volante antes de iniciar a marcha.
 Nunca ajustar ou reajustar o assento do condutor, espelho e volante durante a marcha.

2.1 Ajustar o assento do condutor


O assento do condutor com suspensão pneumática 10 pode ser ajustado para todas as medidas de
corpos.
A pedido do cliente o assento do condutor pode ser equipado com IPS* sistema integrado
pneumático (Integrated Pneumatic System). IPS* serve como apoio lateral adicional da região
lombar.
 A dureza da suspensão será ajustada automaticamente.
 Bloquear a suspensão horizontal 1.
 Ajuste progressivo da altura com “função de memória” 7.
 Ajuste da regulação horizontal 2.
 Ajuste do encosto do assento 8.
 Ajuste da inclinação da superfície do assento 6.
 Ajuste da profundidade do estofo do assento 4.
 Baixar o sistema de oscilação 5.
 Ajuste do amortecedor 9 (amplamente variável).
 Ajuste do aquecimento do assento* 3.
 Ajustar o encosto, região inferior ( LWS*) 10.
 Ajustar o encosto, região superior ( LWS*) 11.
 Ajustar as laterais superiores do encosto ( IPS*) 12.

3.02 LIEBHERR 131


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B195972

132 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

2.2 Ajuste dos espelhos


 Antes do início da marcha os espelhos exteriores têm que ser limpos e regulados de acordo com
o campo de vista do condutor.
 Accionar o interruptor 20 sobre a consola central 19.
Resultado:
– pode ser comutado entre o espelho do lado direito e esquerdo;
– o espelho será ajustado.

2.3 Ajustar o volante


O ajustamento do volante processa-se pneumaticamente.
 Accionar o pulsador 8.
Resultado:
– a inclinação e altura do volante será ajustada.

2.4 Ligar o aquecimento / ventilação


A cabina do condutor pode ser aquecida ou ventilada conforme a temperatura desejada.
Descrição pormenorizada, ver 6.01.
 Para regular o aquecimento ou o ventilador deverá utilizar a unidade do teclado 18.

2.5 Colocar o cinto de segurança


PERIGO
Perigo de morte se não colocar o cinto de segurança!
Se o cinto de segurança não for posto em serviço de marcha, pode o condutor respectivamente o
condutor ajudante em caso de acidente ou numa travagem forte serem feridos mortalmente.
 Antes de começar e durante a marcha com a grua o condutor e o condutor ajudante têm que
colocar o cinto de segurança.

 Colocar o cinto de segurança.

3.02 LIEBHERR 133


146693-00 3.02 Antes do início da deslocação

B198139

134 LIEBHERR 3.02


3.02 Antes do início da deslocação 146693-00

2.6 Controlar os instrumentos de comando mais importantes


PERIGO
Perigo de morte através de instrumentos de comando avariados!
 Defeitos de funcionamento devem ser eliminados por pessoal especializado antes do início da
marcha.

Certifique-se que o interruptor principal das baterias 15 está ligado. Os controlos deixam-se então
somente executar.
Por vezes a ignição também tem que estar ligada para executar os controlos.

2.6.1 Controlar com a ignição desligada


 Sistema de luzes de emergência: accionar o pulsador 166 com o controlo de funções e controlar.
 Luzes de reconhecimento ao redor: accionar o pulsador 165 com o controlo de funções e
controlar.
 Luz de posição: accionar o pulsador 158 com o controlo de funções e controlar.

2.6.2 Com a ignição ligada controlar


 Faróis médios: accionar o pulsador 150 com o controlo de funções, controlar a luz de
controlo 195 e a luz de controlo 196.
 Faróis de nevoeiro* (só com os faróis médios ou luz de posição ligados): accionar o
pulsador 151 com o controlo de funções e controlar.
 Faróis de nevoeiro* (só com os faróis médios ou luz de posição ligados): accionar o
pulsador 159 com o controlo de funções, controlar a luz de controlo 197.
 Aquecimento: aumentar a temperatura, accionar o pulsador 145 com controlo de funções e
controlar.
 Aquecimento: baixar a temperatura, accionar o pulsador 146 com controlo de funções e controlar.
 Aquecimento adicional: accionar o*: pulsador 144 com controlo de funções e controlar a luz de
controlo 180.
 Ventilador: accionar o pulsador 147 e o pulsador 148 com controlo de funções e controlar.
 Sistema de limpa pára-brisas / lava pára-brisas: controlar o interruptor na coluna da
direcção 6 com reservatório para o sistema lava pára-brisas.
 Controlar a buzina 6.
 Pisca-pisca: accionar o interruptor na coluna de direcção 6 com luz de controlo 210 e controlar.

3.02 LIEBHERR 135


146694-00 3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

B199851

136 LIEBHERR 3.03


3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 146694-00

1 Generalidades

1.1 Descrição
Todos os eixos são dirigidos por meio de barras de direcção longitudinal e transversal. Os eixos
possuem uma suspensão hidropneumática com cilindro hidráulico livres de manutenção, regulável na
altura e bloqueáveis hidraulicamente. Os eixos podem conforme o estado de marcha serem ligados
através da compensação da pressão dos eixos uns com os outros.

1.2 Eixos em suspensão

1.2.1 Estado de deslocação 1


Veja para isso a figura 1.
Serve para deslocação na estrada. Todos os eixos encontram-se em suspensão. O curso elástico é
de +150 mm/-150 mm. Afim de melhorar a capacidade de passar um terreno a vau o chassi completo
pode ser levantado 150 mm. Afim de reduzir a altura de passagem o chassi completo pode ser
rebaixado 150 mm. Durante a marcha em terreno inclinado o chassi completo pode ser inclinado +/-
9,3 ° lateralmente. Garante-se a estabilidade lateral do veículo nas curvas através da suspensão
hidráulica do eixo.

1.3 Eixos bloqueados

1.3.1 Estado de marcha 2


Veja para isso a figura 2.
Serve para apoiar a grua. Todos os eixos estão bloqueados.
A compensação da pressão dos eixos é feita entre os pares de eixos 1 + 2 e 4 + 5.

1.3.2 Condição de deslocamento 3


Veja para isso a figura 3.
Serve para “deslocar com equipamento” sobre vias planas. Todos os eixos estão bloqueados.
A compensação da pressão dos eixos é feita entre os eixos 1 + 2 e 3 - 5.

3.03 LIEBHERR 137


146694-00 3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

B199852

138 LIEBHERR 3.03


3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 146694-00

2 Sistema de suspensão dos eixos

PERIGO
Perigo de lesões ao accionar o sistema de suspensão dos eixos / bloqueio dos eixos!
 Certifique-se de que não se encontram pessoas na zona de perigo da grua!

2.1 Rodagem em estradas / deslocação sobre todo terreno


 Para transporte em estradas, auto-estradas assim como em terrenos, desligar o pulsador 130.
Resultado:
– a luz do controlo de funções no pulsador 130 não acende.
– nesta posição todos os eixos encontram-se posição de amortecimento.
– o nível da grua pode ser regulado.

2.2 Regulação do nível


A regulação do nível pode ser executada manualmente ou automaticamente.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o veículo encontra-se sobre solo plano
– o motor de tracção está em funcionamento
– o sistema de suspensão dos eixos está activado
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”

PRECAUÇÃO
Perigo de danificações!
 Execute somente a regulação do nível com o veículo imobilizado!
 Executar a regulação do nível sobre solo plano e resistente.
 Em condições de pista irregular o veículo nunca poderá ser levantado nem descido
completamente.

A luz de controlo de funções no pulsador 129 tem que acender durante o processo de regulação do
nível.
– Se a luz de controlo de funções não acender interromper imediatamente o processo!
– Deixar reparar a avaria por pessoal especializado.
Após terminar o processo de nivelamento a luz de controlo de funções no pulsador 129 deve apagar.
Se a luz de controlo não se apagar, a avaria tem que ser reparada por pessoal especializado.

2.2.1 Regulação do nível automaticamente


O pulsador 143 e o pulsador 129 operam a regulação do nível automática. O nivelamento da grua
(altura para o deslocamento sobre estradas) é executado automaticamente através dos interruptores
de nível colocado nos cilindros de suspensão.
 Accionar juntamente o pulsador 143 e o pulsador 129 até piscar a luz do controlo de funções no
pulsador 129.
Resultado:
– durante o nivelamento automático acende a luz de controlo de funções no pulsador 129 e pisca
ao atingir o nível para deslocamento.
– cada uma das luzes de controlo de funções para o ajuste do nivelamento manual pisca nos
(pulsador 112, 113, 119, 120, 127, 128, 135 e 136), quando o cilindro hidráulico respectivo de
suspensão tiver atingido o nível para o deslocamento sobre estradas.

3.03 LIEBHERR 139


146694-00 3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

B199852

140 LIEBHERR 3.03


3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 146694-00

2.2.2 Regulação do nível manual


Pressionando-se o botão de accionamento para 2 mãos para a regulação do nível manual e o
pulsador 143 será ajustado o nível manualmente. Ao mesmo tempo os cilindros de suspensão serão
enchidos ou esvaziados.

AVISO
Perigo!
Somente é autorizada a regulação manual da altura de marcha em estradas públicas para adaptar a
grua para casos especiais, por ex.: descer em passagens por baixo de pontes, para reduzir a altura
da grua.
 A regulação do nível somente é autorizada em casos especiais e com o veículo imobilizado!

Levantar o veículo
 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 112.
Resultado:
– o nível do veículo será levantado à frente à esquerda.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 113.


Resultado:
– o nível do veículo será levantado à frente a direita.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 127.


Resultado:
– o nível do veículo será levantado atrás à esquerda.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 128.


Resultado:
– o nível do veículo será levantado atrás à direita.

Levantar o veículo completamente


 Pressionar o pulsador 143, mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 112,
pulsador 113, pulsador 127, pulsador 128.
Resultado:
– o nível do veículo será levantado completo.

3.03 LIEBHERR 141


146694-00 3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

B199852

142 LIEBHERR 3.03


3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 146694-00

Baixar o veículo
 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 119.
Resultado:
– o nível do veículo será baixado à frente à esquerda.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 120.


Resultado:
– o nível do veículo será baixado à frente à direita.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 135.


Resultado:
– o nível do veículo será baixado atrás à esquerda.

 Pressionar o pulsador 143 mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 136.


Resultado:
– o nível do veículo será baixado atrás à direita.

Baixar o veículo completamente


 Pressionar o pulsador 143, mantendo-o pressionado e de seguida pressionar o pulsador 119,
pulsador 120, pulsador 135, pulsador 136.
Resultado:
– baixar o nível do veículo completamente.

3.03 LIEBHERR 143


146694-00 3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos

B199852

144 LIEBHERR 3.03


3.03 Sistema de suspensão / de bloqueio dos eixos 146694-00

3 Sistema de bloqueio dos eixos

3.1 Generalidades
Os eixos bloqueiam quando da:
1) Estabilização da grua
2) Deslocamento no estado montado

3.2 Conectar o bloqueio dos eixos


Certifique-se que o solo é plano e resistente.
 Pressionar o pulsador 130 e o pulsador 143.
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 130 acende.
– a suspensão hidropneumática de todos os eixos está bloqueada

3.3 Estabilização da grua


Uma descrição pormenorizada sobre a estabilização da grua encontrará no Capítulo 3.05.

3.4 Deslocamento no estado montado


Uma descrição pormenorizada encontrará no livro em separado “Deslocar com equipamento
montado”, Capítulo 15.01.

3.03 LIEBHERR 145


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B199853

146 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

1 Estados de deslocação da grua


Antes do deslocamento da grua em estradas públicas, deverá retrair a lança telescópica
completamente, e depositá-la sobre o cavalete suporte.

Observação
Circulação em estradas públicas.
 Devem ser cumpridas sem falta as normas nacionais!

1.1 Cargas sobre o eixo até 12 t


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a lança telescópica está retraída, e depositada
– o cabo de elevação está pendurado no acoplamento de reboque frontal e bem apertado
– o sistema de suspensão dos eixos está ajustado em “suspensão”
– o veículo se encontra na posição nivelada para a rodagem em ruas e estradas

Eixos
1+2 3-5
com: 1 condutor
Tracção 10 x 8
sem: Ponta abatível
Moitão do gancho / Gancho de
carga
Cabrestante 2
Contrapeso: Nenhum contrapeso
Cargas sobre o Total: 60,0 t 2 x 12,0 3 x 12,0
eixo:

1.2 Cargas sobre o eixo superior a 12 t


PERIGO
Elevado perigo de acidente!
Por causa do peso total elevado a distância de travagem é maior!
Existe um desgaste maior dos calços dos travões e o perigo de sobreaquecimento dos travões é
elevado.
O sistema da direcção, o travão de serviço, o travão de estacionamento e o travão contínuo não
estão mais de acordo com as normas!
A duração da vida útil de todas peças que serão afectadas através duma carga sobre o eixo elevada
reduzir-se-á, como por exemplo: travões, pneus, jantes, eixos, assim como os componentes
completos de accionamento, suspensão e direcção.
 Controle frequentemente as correspondentes peças!

3.04 LIEBHERR 147


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198104

148 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

2 Arrancar e desligar o motor


O motor pode trabalhar a plena carga somente depois de ter alcançado a temperatura de serviço.

2.1 Arrancar o motor


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o interruptor principal das baterias 15 está ligado
– o travão de estacionamento 3 está fechado
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”
– o interruptor rotativo 34 está comutado para o serviço de chassis inferior

2.1.1 Com temperatura do líquido de refrigeração superior a 20 °C ou o motor está


na temperatura de serviço
 Rodar a chave de ignição 31 para a posição “I”.
Resultado:
– a luz de controlo 184 pisca.
– a luz de controlo da carga da bateria 235 acende.
– existe prontidão de arranque.

 Rodar a chave de ignição 31 para a posição “II” e arrancar o motor.

Eliminação de problemas
Se o motor não arrancar ao fim de, no máximo, 10 segundos?
 Fazer uma pausa de 1 minuto. Para cada operação de arranque é permitido ligar o motor de
arranque três vezes durante 10 segundos, com uma respectiva pausa de 1 minuto.

3.04 LIEBHERR 149


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198104

150 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

2.1.2 Com sistema de arranque por incandescência em temperatura do líquido de


refrigeração inferior a 20 °C
Para o melhoramento do processo de arranque a frio e na fase de aquecimento o motor está
equipado com sistema de arranque por incandescência. O sistema de arranque por incandescência
liga numa temperatura do líquido de refrigeração inferior a 20 °C automaticamente.
O sistema de arranque por incandescência desliga automaticamente, quando:
– durante a prontidão de arranque o motor não é arrancado
– o motor é arrancado, estando a luz de controlo 184 acesa
– a temperatura do líquido de refrigeração com o motor em funcionamento alcança 20 °C

Observação
Operacionalidade da bateria durante a estação fria do ano.
A capacidade de arranque diminui fortemente com o frio: Por exemplo, com a temperatura de
-10 °C a capacidade normal reduz-se para apenas 66%.
 Por isso, depois de desligar o motor, as baterias devem ser guardadas, se possível, num
compartimento aquecido.

 Rodar a chave de ignição 31 para a posição “I”.


Resultado:
– a luz de controlo 184 acende primeiramente e começa a piscar após curto tempo.
– a luz de controlo da carga da bateria 235 acende.
– existe prontidão de arranque.

 Rodar a chave de ignição 31 para a posição “II” e arrancar o motor.

Eliminação de problemas
A luz de controlo 184 pisca rapidamente?
O dispositivo de comando do arranque de incandescência reconheceu um erro.
 Corrigir o erro.

3.04 LIEBHERR 151


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198104

152 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

2.2 Controlo dos instrumentos após o arranque


As seguintes luzes de controlo têm de apagar com o motor ligado:
 Controlar a luz de controlo da pressão do óleo do motor 233.

Eliminação de problemas
A luz de controlo da pressão do óleo do motor 233 continua acesa ou não for indicada a pressão do
óleo?
Existe perigo de danificações no motor.
 Desligar imediatamente o motor!

 Controlar a luz de controlo pré-incandescência. 184


 Controlar a luz de controlo da carga bateria 235.
 Controlar a luz de controlo temperatura do óleo da engrenagem 227.
 Controlar a luz de controlo circuito de direcção I 185.

A luz de controlo do circuito de direcção II 186 apaga-se apenas durante a marcha com a velocidade
de cerca 10 km/h.
 Controlar a luz de controlo circuito de direcção II 186.
 Controlar a luz de controlo circuito de ar comprimido I 237.
 Controlar a luz de controlo circuito de ar comprimido II 239.
 Controlar a luz de controlo circuito de ar comprimido III 241.

3.04 LIEBHERR 153


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B199854

154 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

2.3 Desligar o motor

2.3.1 Desligar
Ver para isso também o parágrafo “Desligamento do veículo (estacionar)”.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o travão de estacionamento 3 está fechado
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”
– o interruptor rotativo 34 está comutado para o serviço de chassis inferior

PRECAUÇÃO
Perigo de danificação no motor!
 Desligar imediatamente o motor em descida ou em forte variação de pressão do óleo, descida de
potência e rotações sem modificação da regulação do motor, forte formação de fumo, subida da
temperatura do líquido de refrigeração ou aparecimento súbito de ruídos anormais no motor!

 Retornar a chave de ignição 31 até ao encosto.


 Retirar a chave de ignição 31 e arrumar.

2.3.2 Desligar em caso de perigo


Em caso de perigo poderá imobilizar o veículo imediatamente pressionando o interruptor de
emergência* 60.

PRECAUÇÃO
Accionamento do interruptor de emergência* 60
 Utilize o interruptor de emergência* 60 somente em situações de emergência absoluta. É
proibido a utilização do interruptor de emergência* 60 para serviço!

 Pressionar o interruptor de emergência* 60.


Resultado:
– o veículo será imediatamente parado.

 Para poder desligar outra vez desligar o interruptor de emergência* 60 depois de a ter accionado:
destravar este com a chave de ignição.

3.04 LIEBHERR 155


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B195950

156 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3 Deslocação

3.1 Modificação do número de rotações de marcha lenta do motor


O aumento das número de rotações de marcha lenta será retirado automaticamente após a
pré-selecção do interruptor selector de marcha “D” ou “R”.

3.1.1 Modificação do número de rotações de marcha lenta do motor por meio do


interruptor na coluna da direcção
Caso seja necessário o número de rotações de marcha lenta com o veículo parado e com a caixa de
velocidades na posição neutra “N” pode ser modificado com a interruptor na coluna da direcção 7.
Depois do arranque do motor o número de rotações de marcha lenta será regulado automaticamente
dependente da temperatura do líquido de refrigeração.
 Manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 8.
Resultado:
– o número de rotações de ponto morto aumenta ciclicamente de aproximadamente 50 r.p.m..

 Tocar levemente o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 8.


Resultado:
– o número de rotações de ponto morto aumenta para aproximadamente 50 r.p.m..

 Soltar o interruptor na coluna da direcção 7.


Resultado:
– o motor funciona com as rotações alcançadas.

 Manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 9.


Resultado:
– o número de rotações de ponto morto diminuem ciclicamente para aproximadamente 50 r.p.m..

 Tocar levemente o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 9.


Resultado:
– o número de rotações de ponto morto diminuem para aproximadamente 50 r.p.m..

 Soltar o interruptor na coluna da direcção 7.


Resultado:
– o motor funciona com as rotações alcançadas.

 Tocar levemente o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 6.


Resultado:
– o aumento do número de rotações do motor em marcha lenta está desligado.

3.1.2 Modificar o número de rotações de marcha lenta com a regulação do motor


 Ajustar o número de rotações de marcha lenta com a regulação do motor 2.
 Accionar o botão 7.
Resultado:
– o motor funciona com as rotações ajustadas.

3.04 LIEBHERR 157


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198105

158 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.2 Travão de estacionamento

3.2.1 Fechar

PERIGO
Movimentação do veículo descontroladamente!
Se a alavanca manual 3 ao ser fechado o travão de estacionamento não engatar correctamente, o
veículo pode movimentar-se incontroladamente e ferir mortalmente pessoas.
 Controlar sem falta que a alavanca manual 3 está correctamente engatada. A alavanca
manual 3 não pode (sem se puxar para fora) pressionar para a frente.

 Puxar a alavanca manual 3 para trás até ela engatar.


Resultado:
– o travão de estacionamento está fechado.
– a luz de controlo 201 está acesa.

3.2.2 Abrir
Certifique-se, se a reserva de ar comprimido III tem a pressão de desbloqueamento dos travões
necessária.

PERIGO
Movimentação do veículo descontroladamente!
Ao desbloquear o travão de estacionamento a grua pode-se colocar imediatamente em movimento e
ferir mortalmente pessoas.
 Ao desbloquear o travão de estacionamento travar a grua com o travão de serviço ou acelerar
com a regulação do motor!

 Puxar a alavanca manual 3 até ao encosto no sentido longitudinal da alavanca e carregar para a
frente.
Resultado:
– o travão de estacionamento está aberto.
– a luz de controlo 201 apaga.

Eliminação de problemas
O travão de estacionamento não se desbloqueia mesmo que a alavanca manual 3 tenha sido
colocada para a frente?
A reserva de ar comprimido III para a pressão de desbloqueamento necessária dos travões não
existe. A luz de aviso 241 está acesa.
 Colocar a alavanca manual 3 outra vez para trás.
 Encher a reserva de ar comprimido III até a luz de aviso 241 apagar.

3.04 LIEBHERR 159


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198105

160 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.3 Travão de serviço


PERIGO
Perigo de morte através do travão de serviço defeituoso!
 Executar imediatamente após o início da deslocação uma teste de travagem.

 Carregar o pedal 1 e controlar o travão de serviço.


Resultado:
– a indicação no indicador gráfico de barras 242 e no indicador gráfico de barras 244 tem que se
movimentar proporcionalmente para com o trajecto do pedal do travão de serviço.

3.4 Travão contínuo


O travão contínuo é composto pelo travão do motor, pelo Intarder hidráulico e pelo travão de corrente
de Foucault*.

3.4.1 Condições de trabalho


O travão contínuo somente pode ser accionado com o motor ligado. Quando o travão contínuo for
accionado não se pode acelerar.
A utilização adequada do travão contínuo em comportamento de marcha prevista reduzir-se-à o
desgaste do travão de serviço e com isso os custos de serviço.

PERIGO
Na aplicação do travão contínuo terá ter o máximo dos cuidados!
 Comutar cada graduação individualmente uma atrás da outra sob observação atenciosa do
comportamento de marcha do veículo.

Sobre trajectos de declive longos


Sobre trajectos de declive longos seleccionar uma graduação de comutação de tal forma para que,
para outras adaptações de travagens fique ainda à disposição graduações de comutação.
Se não chegar o efeito de travagem, travar o veículo com o travão de serviço e comutar de retorno.
Com neve, gelo e com faixa de rodagem sujas

PERIGO
Perigo de morte!
 Bloqueiam as rodas ao accionar o travão contínuo, então seleccionar uma graduação de
comutação mais baixa!

Através duma aplicação cuidadosa do travão contínuo poderá alcançar também em condições más
da faixa de rolamento uma boa e segura retardação.

3.04 LIEBHERR 161


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198105

162 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.4.2 Accionar
O travão contínuo será accionado com o interruptor na coluna da direcção de 6 graduações. 7 Estão
à disposição 5 posições de comutação.
Puxar o interruptor na coluna da direcção 7 de graduação para graduação e não aos solavancos,
para eventualmente impedir uma travagem excessiva.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7.
Resultado:
– na posição de comutação 1 está activado o Intarder.
– na posição de comutação 2 até 5 está activado o Intarder, o travão do motor e o travão de
corrente de Foucault*.

 Quando a faixa de rodagem estiver molhada:


engatar por curto espaço em cada posição de comutação para impedir um eventual
bloqueamento das rodas.

AVISO
Perigo de sobreaquecimento!
 Logo que o veículo pare ou não seja necessária mais nenhuma retardação, desligar o travão
contínuo.

A comutação de retorno do interruptor na coluna da direcção 7 pode ser executada entre as


graduações de uma somente vez sem pausas.
 Retorno do interruptor na coluna da direcção 7 para a graduação 0.
Resultado:
– travão contínuo está desligado.

3.04 LIEBHERR 163


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198100

164 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.5 Caixa de mudanças automatizada

3.5.1 Em geral
A caixa de mudanças automatizada pode ser utilizada em serviço automático ou em serviço de
comutação manual. A caixa de velocidades possui 12 velocidades de marcha à frente e 2 marchas
atrás. Os respectivos estados de comutação serão indicados na indicação 223.

3.5.2 Comutar entre serviço automático e serviço de comutação manual


Ao ligar a ignição será activada automaticamente o serviço automático. Na zona de marcha neutra
“N” e na zona de marcha atrás “R” está sempre activado o serviço de marcha manual.
 Accionar o pulsador 104 para mudar entre serviço automático e serviço de comutação manual.
Resultado:
– a luz de controlo na tecla 104 não acende: serviço automático
– a luz de controlo na tecla 104 acende: serviço de comutação manual

3.5.3 Arrancar

PERIGO
Perigo de morte com a grua em rolamento!
Após o desbloqueamento do travão de estacionamento 3 o veículo começa imediatamente em
movimento.
 Ao desbloquear o travão de estacionamento 3 travar a grua com o travão de serviço 1 ou acelerar
com a regulação do motor 2.

A velocidade de arranque será determinada pela caixa de velocidades automaticamente conforme a


resistência à marcha anterior. Ela pode ser corrigida manualmente para cima ou para baixo. Para
isso terá que ser mudada para o serviço de comutação manual. Depois pode ser outra vez mudada
imediatamente para o serviço automático.
No modo de arranque a embraiagem está aberta quando a regulação do motor não é accionada
Accionando levemente a regulação do motor a embraiagem será fechada.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua encontra-se imobilizada
– a caixa de velocidades automática está na posição neutra “N”
– o travão de estacionamento 3 está accionado
 Accionar levemente o travão de serviço 1.
 Accionar o pulsador 100 para marcha atrás.
ou
 Accionar o pulsador 102 para marcha em frente.
 Eventualmente corrigir a velocidade de arranque.
 Desbloquear o travão de serviço 1.
 Accionar levemente a regulação do motor 2.
Resultado:
– a embraiagem fecha. Isto será indicado através de um leve solavanco.

 Desbloquear o travão de estacionamento 3 e caso necessário accionar a regulação do motor 2.


Resultado:
– o veículo começa a rodar.

3.04 LIEBHERR 165


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198101

166 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.5.4 Circular em subidas ou declives


Quando em subidas ou em declives a regulação do motor 2 tiver que ser retornada para a posição 0
em virtude da situação do trânsito, a caixa de velocidades comuta primeiramente para a velocidade
de arranque. Pouco antes do veículo se imobilizar nesta velocidade, a embraiagem separa e a força
de tracção ou a força do travão será interrompida. Isto poderá conduzir que o veículo repentinamente
role para trás ou se acelera. Um novo accionamento da regulação do motor 2 não aumenta
imediatamente a força de tracção, já que primeiramente a embraiagem terá que ser fechada.
 Quando se encontrar em subidas:
após a abertura da embraiagem accionar o travão de serviço 1.
 Quando se encontrar em subidas, deverá calcular com uma redução da potência do travão ao
abrir a embraiagem:
accionar o travão de serviço 1 com mais força.

3.5.5 Descida de montanha com uma subida logo a seguir


Em descida de montanha com uma subida logo a seguir a caixa de mudanças automática não
reconhece imediatamente que o veículo se encontra numa subida.
 Accionar o pulsador 104.
Resultado:
– o serviço de comutação manual será comutado.

 Com o interruptor na coluna da direcção 7 comutar para velocidade inferior.


ou
 Com o pulsador 108 comutar para velocidade inferior.
 Seleccionar a velocidade correspondente à subida.
 Accionar o pulsador 104.
Resultado:
– o serviço automático será conectado.

3.04 LIEBHERR 167


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198100

168 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.5.6 Seleccionar a direcção de marcha


Certifique-se que o veículo se encontra imobilizado.
Direcção de marcha para atrás “R”
Esta posição serve para recuar o veículo.
 Accionar o pulsador 100.
Resultado:
– a luz de controlo no pulsador 100 está acesa.

Posição neutra “N”


Esta posição serve para arrancar o motor e para a serviço de marcha lenta.
Utilize também a posição neutra enquanto o veículo não estiver vigiado com o motor em
funcionamento.

PERIGO
Perigo de morte com a grua em rolamento!
 Certifique-se que em necessidade de saída da grua com o motor em funcionamento esteja o
travão de estacionamento correctamente puxado e as rodas com calços.

 Accionar o pulsador 101.


Resultado:
– a luz de controlo no pulsador 101 está acesa.
– a luz de controlo 222 está acesa.

Direcção de marcha à frente “D”


Esta zona de marcha é seleccionada em geral para serviço de marcha para a frente.
 Accionar o pulsador 102.
Resultado:
– a luz de controlo no pulsador 102 está acesa.

3.04 LIEBHERR 169


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198102

170 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.5.7 Serviço automático


Em serviço automático o condutor acciona somente a regulação do motor ou o travão. A comutação
das velocidades será executada automaticamente dependente do estado de marcha com orientação
de consumo pelo sistema. A caixa de velocidades selecciona conforme os dados da direcção de
marcha automaticamente uma velocidade de arranque. A velocidade de arranque pode ser adaptada
manualmente à situação de marcha.
Accionar o travão de serviço, antes de comutar da posição neutra “N” para uma zona de marcha. De
contrário soa um sinal de aviso acústico e na unidade de indicação 225 aparece uma indicação de
operação.

A indicação 223 contem as seguintes informações:


– serviço automático: A
– não ocupado: B
– velocidade metida: C
– velocidade metida: D

3.5.8 Serviço de comutação manual


Em serviço de comutação manual ocorrerá a selecção da velocidade através do condutor por meio
do interruptor na coluna da direcção 7 ou por meio do pulsador 105 e do pulsador 108.
Accionar o travão de serviço, antes de comutar da posição neutra “N” para uma zona de marcha. De
contrário soa um sinal de aviso acústico e na unidade de indicação 225 aparece uma indicação de
operação.
Em serviço de comutação manual não se pode deslocar com Tempomat ou Temposet.
Se, se tentar na 12º velocidade em frente comutar para uma velocidade maior ou tentar na primeira
velocidade em frente ou na primeira velocidade marcha atrás comutar para uma velocidade inferior,
soará um sinal acústico e na unidade de indicação 225 aparece uma indicação de operação.
Se, se continuar a comutar para uma velocidade inferior do que aquela que caixa de velocidades
permite, soará um sinal acústico e na unidade de indicação 225 aparece uma indicação de operação.

A indicação 223 contem as seguintes informações:


– velocidade seleccionada: A
– velocidade seleccionada: B
– velocidade metida: C
– velocidade metida: D

3.04 LIEBHERR 171


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198103

172 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

Seleccionar a velocidade com interruptor na coluna da direcção


Com o interruptor na coluna da direcção podem ser comutadas uma ou mais velocidades
simultaneamente. O interruptor na coluna da direcção retorna para a posição inicial após cada
accionamento.
Comutar para velocidade mais alta
 pressionar por curto espaço a alavanca manual 7 para cima.
Resultado:
– comutar uma velocidade mais alta.

 Manter a alavanca manual 7 para cima.


Resultado:
– as velocidades serão aumentadas ciclicamente em passos de 1/2 segundos.

Comutar para velocidade inferior


 Pressionar por curto espaço a alavanca manual 7 para baixo.
Resultado:
– comutar uma velocidade inferior.

 Manter a alavanca manual 7 para baixo.


Resultado:
– as velocidades serão reduzidas ciclicamente em passos de 1/2 segundos.

Seleccionar a velocidade com o pulsador


Com o pulsador 105 e o pulsador 108 podem ser comutadas simultaneamente para uma ou mais
velocidades mais altas respectivamente mais inferiores.
Comutar para velocidade mais alta
 Accionar por curto espaço o pulsador 105.
Resultado:
– comutar uma velocidade mais alta.

 Manter pressionado o pulsador 105.


Resultado:
– as velocidades serão aumentadas ciclicamente em passos de 1/2 segundos.

Comutar para velocidade inferior


 Accionar por curto espaço o pulsador 108.
Resultado:
– comutar uma velocidade inferior.

 Manter pressionado o pulsador 108.


Resultado:
– as velocidades serão reduzidas ciclicamente em passos de 1/2 segundos.

3.5.9 Indicação das instruções de advertência


Avaria na caixa de velocidades

Após ligar a ignição a caixa de velocidades realiza um autocontrole. Existe um erro na caixa de
velocidades então será dado imediatamente ou logo a seguir à ligação do motor uma mensagem de
erro “CH” na indicação 223.

3.04 LIEBHERR 173


146695-01 3.04 Serviço de marcha

A indicação 223 contem as seguintes informações:


– erro na caixa de velocidades: A
– erro na caixa de velocidades: B
– velocidade metida: C
– velocidade metida: D
 Desligar o motor e reparar o erro na caixa de velocidades.

Perda de ar comprimido

Em perda de ar comprimido poderá acontecer que a caixa de velocidades não está mais em
condições para poder ser comutada.
Isto será indicado através da indicação 223 “AL”.
Se por razões duma pressão de ar muito baixa a embraiagem não abrir ao parar, então o motor será
estrangulado.

A indicação 223 contem as seguintes informações:


– perda de ar comprimido: A
– perda de ar comprimido: B
– velocidade metida: C
– velocidade metida: D
 Começar o serviço de marcha somente com ar comprimido suficiente.

Embraiagem sobrecarregada

Em carregamento, fortemente excessivo da embraiagem pode levar a um sobreaquecimento da


embraiagem.
Isto será indicado através da indicação 223 “CL”.

A indicação 223 contem as seguintes informações:


– sobreaquecimento da embraiagem: A
– sobreaquecimento da embraiagem: B
– velocidade metida: C
– velocidade metida: D

PERIGO
Perigo de morte através do deslocamento incontrolado da grua!
Quando o condutor ignorar a mensagem de erro “CL”, a embraiagem fecha propriamente ao accionar
o pedal do gás. Isto pode conduzir ao estrangulamento do motor e ao rolamento para trás da grua.
 Parar o veículo sem falta e deixar arrefecer a embraiagem!

174 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

PRECAUÇÃO
Perigo de danos na embraiagem!
Se em mensagem de erro “CL” for desligada a ignição e logo a seguir ser ligada outra vez, então a
mensagem de erro “CL” não será mais indicada, mesmo estando a embraiagem sobreaquecida.
 Deixar arrefecer sem falta a embraiagem!

 Parar o veículo e deixar arrefecer a embraiagem até se poder comutar outra vez.

3.04 LIEBHERR 175


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198106

176 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.6 Marcha para todo o terreno (marcha para todo o terreno/serviço de


manobras)
Marcha para todo o terreno é composta pelos modos de serviço:
1) Deslocação com marcha para todo o terreno
A marcha para todo o terreno pode ser conectada separadamente.
2) Serviço de manobras
O serviço de manobras exige antecipadamente a marcha para todo o terreno.

3.6.1 Deslocação com marcha para todo o terreno


Ao comutar a marcha para todo o terreno será novamente comutada automaticamente para o serviço
de comutação manual, velocidade de arranque 2º comutar (V1...V4 ou R1 ...R2) são somente
possíveis com o veículo imobilizado.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua encontra-se imobilizada
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”
– o travão de estacionamento 3 está accionado

Conectar a marcha para todo o terreno


 Accionar o pulsador 107.
Resultado:
– a marcha para todo o terreno está conectada.
– o controlo de funções no pulsador 107 acende.

 Accionar levemente o travão de serviço 1 e manter pressionado.


 Accionar o pulsador 100 para marcha atrás.
ou
 Accionar o pulsador 102 para marcha em frente.
 Soltar o travão de estacionamento 3.
 Desbloquear o travão de serviço 1.
Resultado:
– o veículo coloca-se em movimento.

Desligar a marcha para todo o terreno


 Accionar o pulsador 107.
Resultado:
– a marcha para todo o terreno está desligada.
– o controlo de funções no pulsador 107 apaga.

3.04 LIEBHERR 177


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198107

178 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.6.2 Serviço de manobras


O serviço de manobras está somente previsto para as seguintes situações de marcha:
– deslocamento vagaroso (manobrar) em condições de locais apertados;
– executar vagarosamente o estacionamento e a saída do lugar de estacionamento;
– serviço de marcha com equipamento montado, consulte o Capítulo 15.01.

PRECAUÇÃO
Danificação da caixa de velocidades!
Se o Serviço de manobras for conectado com o veículo bloqueado então a caixa de velocidades
pode ser danificada.
 É proibido o serviço de manobras com o veículo da grua bloqueado!
 Seleccionar o serviço de manobras só quando este for sem falta necessário.

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a marcha para todo o terreno está conectada
– a grua encontra-se imobilizada
– o travão de estacionamento 3 está accionado

Em geral
A cooperação do motor e caixa de velocidades diferencia-se em serviço de manobras
considerávelmente do serviço normal.
Em serviço normal será determinado somente o momento do motor máximo através da regulação do
motor 2. Os movimentos de fechar e abrir da embraiagem assim como a mudança de velocidade
será assumida pelo sistema electrónico (regulacão dos momentos).
Em serviço de manobras o fechar da embraiagem está directamente dependente da posição do
pedal de marcha. Num leve accionamento da regulação do motor 2 a embraiagem é activada e
transfere um pequeno momento o qual todavia não é suficiente para movimentar o veículo. Noutros
accionamentos da regulação do motor 2 a embraiagem fecha sempre mais forte, até estar fechada
em total accionamento da embraiagem 100 %. Na marcha lenta a rotação do motor fica
aproximadamente constante até a uma posição do pedal de marcha de 50 %. Só depois sobe a
rotação do motor até ao máximo de 1400 r.p.m.. O momento de rotação do motor será adaptado às
respectivas exigências (regulação do número de rotações).
Enquanto a embraiagem arrastar forma-se calor o qual sobreaquecerá a embraiagem. Num forte
sobreaquecimento da embraiagem será indicado um “Aviso embraiagem sobrecarregada” “CL”.
Consulte Instruções de advertência indicação 223. O arrastar da embraiagem está ligada com
desgaste o qual será tanto maior, quanto maior for a temperatura da embraiagem.
Por isso deverão ser evitadas as seguintes situações sem falta:
– parar o veículo na montanha com a regulação do motor.
– manobras prolongadas com velocidade muito baixa.
– bascular até libertar o veículo bloqueado.

3.04 LIEBHERR 179


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198107

180 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

Conectar o serviço de manobras


 Accionar levemente o travão de serviço 1 e manter pressionado.
 Accionar o pulsador 100 para marcha atrás.
ou
 Accionar o pulsador 102 para marcha em frente.
 Com o interruptor na coluna da direcção 7 meter a velocidade 1.
ou
 Com o pulsador 108 meter a velocidade 1.
Resultado:
– o serviço de manobras está conectado.

A indicação 223 contem as seguintes informações.


– Serviço de manobras: A
– Velocidade seleccionada: B
– não ocupado: C
– Velocidade metida: D

 Soltar o travão de estacionamento 3.


 Desbloquear o travão de serviço 1.
Resultado:
– O veículo coloca-se em movimento.

Desligar o serviço de manobras


 Com o interruptor na coluna da direcção 7 comutar a velocidade 1 para velocidade mais alta
 Com o pulsador 105 comutar a velocidade 1 para velocidade mais alta
Resultado:
– o serviço de manobras está desligado.

3.04 LIEBHERR 181


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198108

182 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.7 Importantes instrumentos de controlo durante a marcha

3.7.1 Controlar o circuito de direcção II


Numa velocidade de marcha de cerca 10 km/h a luz de aviso 186 do circuito de direcção II hidráulico
apaga.
 Controlar a luz de aviso 186.

Eliminação de problemas
A luz de aviso 185 e luz de aviso 186 piscam?
Existe um erro no sensor.
 Reparar a causa do erro.

Eliminação de problemas
A luz de aviso 186 não apaga?
O circuito de direcção II não está operacional.
 Imobilizar imediatamente a grua e reparar a causa do erro.

3.7.2 Controlar a pressão do óleo do motor


Indicação da pressão do óleo do motor no indicador gráfico de barras 232 de 0 bar - 10 bar.
 Controlar a luz de aviso 233 e indicador gráfico de barras 232.

Eliminação de problemas
A pressão do óleo baixa durante a marcha e também não sobe com o aumento do número de
rotações?
Numa pressão do óleo muito baixa ou nenhuma pressão de óleo não existe nenhuma lubrificação no
motor. Isto conduz a danificações no motor.
 Imobilizar imediatamente a grua e desligar o motor.

3.7.3 Controlar a reserva de ar comprimido I, II, III


As luzes de aviso 237, 239, 241 não acendem.
 Controlar as luzes de aviso 237, 239, 241.

Eliminação de problemas
Todas ou uma das luzes de aviso 237, 239, 241 estão acesas?
O sistema de travões não está operacional.
 Imobilizar imediatamente a grua e reparar a causa do erro.

3.04 LIEBHERR 183


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198108

184 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.7.4 Controlar a reserva de combustível


Não rodar até esvaziar o depósito de combustível, de contrário terá em seguida evacuar o ar do
sistema do combustível.
Indicação do conteúdo de combustível no indicador gráfico de barras 228 em porcento (%), 0 até
100%.
Caso a reserva de combustível seja menor do que 10% (cerca 34 l) a luz de controlo 229 amarela
acende.
 Verificar a luz de controlo 229.
 Quando a luz de controlo 229 amarela está acesa:
encher a reserva de combustível.

Eliminação de problemas
A luz de controlo 229 pisca.
Existe um erro no sensor.
 Reparar o erro.

3.7.5 Controlar a temperatura do líquido de refrigeração


Indicação da temperatura do líquido de refrigeração no indicador gráfico de barras 230 de
30 °C - 120 °C.
 Controlar a luz de aviso 231 e indicador gráfico de barras 230.
 Quando a temperatura do líquido de refrigeração durante a marcha é muita alta:
Primeiramente tentar através da redução de carga e aumento do número de rotações, baixar a
temperatura para a zona permitida entre 85 °C - 90 °C.

Eliminação de problemas
A luz de aviso 231 acende durante a marcha?
Uma temperatura do líquido de refrigeração sobreelevada conduz a uma sobreelevada temperatura
do motor. Isto conduz a danificações no motor.
 Imobilizar imediatamente a grua e desligar o motor.

3.04 LIEBHERR 185


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198108

186 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.7.6 Controlar a temperatura do óleo da caixa de velocidades


Indicação da temperatura do óleo da caixa de velocidades indicador gráfico de barras 226 de
30 °C - 120 °C.
A indicação da temperatura no indicador gráfico de barras 226 tem que se encontrar em serviço de
marcha normal na zona permitida.
 Controlar a luz de aviso 227 e o indicador gráfico de barras 226.

Eliminação de problemas
A luz de aviso 227 pisca?
Existe um erro no sensor.
 Reparar o erro.

Eliminação de problemas
A luz de aviso 227 acende durante a marcha?
 Imobilizar imediatamente a grua e desligar o motor.

Eliminação de problemas
Indicação no indicador gráfico de barras 226 alcança a zona vermelha?
 Imobilizar imediatamente a grua.
 Comutar a caixa de velocidades na posição neutra “N”.
 Deixar funcionar o motor com cerca de 1500 r.p.m..
 Quando a temperatura do óleo não baixa dentro de curto espaço para a zona da temperatura
permitida:
desligar completamente o motor.

3.04 LIEBHERR 187


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198109

188 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.8 Tempomat
Com o Tempomat pode ser memorizada uma velocidade de marcha superior a 20 km/h. A operação
do Tempomat ocorre com o interruptor na coluna da direcção 7. Com o Tempomat activado acende a
luz de controlo 220 e a velocidade ajustada será indicada por curto espaço na indicação 223.
Utilizar somente o Tempomat quando as condições de trânsito permitem uma velocidade constante.
Em subidas ou declives eventualmente a velocidade não pode ser mantida.
Com o Tempomat ligado retirar o pé da regulação do motor.

PERIGO
Perigo de derrapagem sobre faixa de rodagem escorregadia!
 Não utilizar o Tempomat sobre faixa de rodagem escorregadia!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– o serviço automático está comutado
– a velocidade de marcha é superior a 20 km/h.
– o travão de serviço e o travão contínuo não estão accionados

3.8.1 Memorizar a velocidade do Tempomat


Certifique-se que o Tempomat não está activado.
 Acelerar o veículo para a velocidade desejada.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 8 ou no sentido 9.
Resultado:
– a velocidade memorizada será indicada por curto espaço na indicação 223.
– a luz de controlo 220 está acesa.

3.8.2 Indicação Tempomat da velocidade actual


Certifique-se que o Tempomat não está activado. A luz de controlo 220 está acesa.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 8 ou no sentido 9.
Resultado:
– a velocidade memorizada será indicada por curto espaço na indicação 223.

3.04 LIEBHERR 189


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198109

190 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.8.3 Modificar a velocidade do Tempomat actual


 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 8 e accionar dentro de 10 segundos
outra vez na direcção 8.
Resultado:
– A velocidade será aumentada 2 km/h.

 Manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 8.


Resultado:
– a velocidade será aumentada continuamente a 2 km/h.

 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 9 e accionar dentro de 10 segundos


outra vez na direcção 9.
Resultado:
– a velocidade será reduzida a 2 km/h.

 Manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 9.


Resultado:
– a velocidade será reduzida continuamente a 2 km/h.

3.8.4 Desligar o Tempomat


 Acelerar através da regulação do motor por mais do que 10 s.

Se a regulação do motor for acelerada menos do que 10 s a grua trava após largar a regulação do
motor para a velocidade de marcha que está memorizada no Tempomat.
A velocidade de marcha memorizada é apagada, quando chave de ignição foi girada para a posição
“0”.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 6.
 Accionar o travão de serviço ou travão contínuo.
 A velocidade desce abaixo de 10 km/h.

3.8.5 Retomar outra vez a velocidade velha do Tempomat


Caso o Tempomat for desligado, mas a chave de ignição não foi girada para posição “0”, então a
velocidade de marcha anterior pode ser retomada outra vez.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 na direcção 9.
Resultado:
– a velocidade será indicada a piscar na indicação 223.

 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 dentro de 2 segundos novamente no sentido 9.


Resultado:
– a velocidade indicada será outra vez aceita.

3.04 LIEBHERR 191


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198110

192 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.9 Temposet
Com Temposet pode ser limitada a velocidade de marcha a partir de 10 km/h. A operação do
Temposet ocorre com o interruptor na coluna da direcção 7. Com o Temposet activado acende a luz
de controlo 220 e a velocidade de marcha ajustada será indicada por curto espaço na indicação 223.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o serviço automático está comutado
– a velocidade de marcha é superior a 10 km/h

3.9.1 Memorizar a velocidade do Temposet


Certifique-se que o Temposet não está activado.
 Acelerar o veículo para a velocidade desejada.
 Accionar o botão 7.
Resultado:
– a velocidade memorizada será indicada por curto espaço na indicação 223.
– a luz de controlo 220 está acesa.

3.9.2 Indicação da velocidade actual do Temposet


Certifique-se que o Temposet está activado. a luz de controlo 220 está acesa.
 Accionar o botão 7.
Resultado:
– a velocidade memorizada será indicada por curto espaço na indicação 223.

3.9.3 Modificar a velocidade actual do Temposet


 Pressionar o botão 7 e accionar o interruptor na coluna da direcção 7 no sentido 8. Dentro de 10
segundos accionar novamente na sentido 8.
Resultado:
– A velocidade será aumentada 2 km/h.

 Pressionar o botão 7 e manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 8.


Resultado:
– a velocidade será aumentada continuamente a 2 km/h.

 Pressionar o botão 7 e accionar o interruptor na coluna da direcção 7 no sentido 9. Dentro de 10


segundos accionar novamente na sentido 9.
Resultado:
– a velocidade será reduzida a 2 km/h.

 Pressionar o botão 7 e manter o interruptor na coluna da direcção 7 na posição 9.


Resultado:
– a velocidade será reduzida continuamente a 2 km/h.

3.9.4 Desligar o Temposet


A velocidade do Temposet será apagada na posição da chave de ignição “0” e a velocidade
específica do veículo será activada.
 Accionar o interruptor na coluna da direcção 7 mais que 3 segundos na sentido 6.

3.04 LIEBHERR 193


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198111

194 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

3.10 Terminar a marcha

3.10.1 Parar
 Travar a grua até imobilizar.
 A zona de marcha seleccionada pode ficar ligada.

Em paragens prolongadas (mais que 1 minuto) comutar a caixa de mudanças com o


pulsador 101 para a posição neutra “N”. Com isto o desgaste na embraiagem será reduzido e a
duração de vida da embraiagem será aumentada.
 Travar a grua com o travão de serviço ou de estacionamento contra translação imprópria.

3.10.2 Interromper a marcha com o motor em funcionamento


 Travar a grua até imobilizar.
 Accionar o pulsador 101 e comutar a caixa de mudanças para a posição neutra “N”.
 Fechar o travão de estacionamento 3.
Resultado:
– a luz de controlo 201 está acesa.

3.10.3 Estacionar o veículo com o motor em funcionamento


 Travar a grua até imobilizar.
 Accionar o pulsador 101 e comutar a caixa de mudanças para a posição neutra “N”.
 Fechar o travão de estacionamento 3.
Resultado:
– a luz de controlo 201 está acesa.

 Quando a grua foi operada com a máxima de potência do motor ou quando a temperatura do
líquido de refrigeração é superior a 95 °C:
deixar funcionar o motor sem carga 1-2 minutos com número de rotações de marcha lenta.
 Quando as funções especiais (luz de posição, luzes ao redor, pisca-pisca, aquecimento
adicional*) estão ligadas:
desligar as funções especiais.
 Desligar a ignição 31 e retirar a chave de ignição.
 Desligar o interruptor principal das baterias 15 e retirar o interruptor de came.
 Fechar a cabina do condutor.
 Bloquear o veículo com calços contra uma movimentação incontrolada.

3.04 LIEBHERR 195


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198112

196 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

4 Bloqueios dos diferenciais


Para deslocação em todo o terreno, em caminhos não sólidos e em condições de marcha invernais
este veículo possui bloqueios dos diferenciais comutáveis.
Com os bloqueios dos diferenciais conectados está activada uma limitação da velocidade até
40 km/h.
A velocidade de todo o terreno e os bloqueios dos diferenciais somente podem ser comutados com o
veículo imobilizado e na sequência seguinte:
1) Conexão do bloqueio do diferencial longitudinal na engrenagem de distribuição + conexão do
eixo 1 (com tracção 10x8)*
2) Conexão do bloqueio do diferencial transversal do eixo 4 + conexão do bloqueio do diferencial
transversal do eixo 4 + eixo 5
3) Bloqueio do diferencial transversal eixo 1 (em accionamento 10x8)* + Eixo 2

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais nos eixos de tracção!
 Ligar e desligar os bloqueios dos diferenciais somente com o veículo imobilizado!
 Nunca ligar os bloqueios dos diferenciais durante a patinagem das rodas de tracção!
 Circular cuidadosamente, não arrancar aos solavancos, não dar todo gás!
 Somente circular em trajectos rectos e não em curvas!
 Circular com os bloqueios dos diferenciais somente em terrenos difíceis (por exemplo: areia,
lama, solo solto ou fundo lodoso, etc.).

4.1 Conectar o bloqueio do diferencial longitudinal na engrenagem de


distribuição + eixo 1 (com tracção 10x8)*
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o veículo encontra-se imobilizado
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”
 Accionar o pulsador 138 e pulsador 143.
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 138 acende.
– o bloqueio do diferencial longitudinal na engrenagem de distribuição + eixo 1 (com tracção
10x8)* está conectado.

Eliminação de problemas
O controlo de funções no pulsador 138 pisca.
As rodas dentadas do diferencial tem uma posição dente sobre dente.
 Meter a velocidade e arrancar cuidadosamente.

3.04 LIEBHERR 197


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198112

198 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

4.2 conectar o bloqueio do diferencial longitudinal do eixo 4 + conexão


do bloqueio do diferencial transversal do eixo 4 + eixo 5
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o veículo encontra-se imobilizado
– a caixa de velocidades automática está na posição neutra “N”
– o bloqueio do diferencial longitudinal na engrenagem de distribuição + eixo 1 (com tracção
10x8) está conectado.
 Accionar o pulsador 141 e pulsador 143.
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 141 acende.
– o bloqueio do diferencial longitudinal do eixo 4 + conexão do bloqueio do diferencial transversal
do eixo 4 + eixo 5 está conectado.

Eliminação de problemas
O controlo de funções no pulsador 141 pisca.
As rodas dentadas do diferencial tem uma posição dente sobre dente.
 Meter a velocidade e arrancar cuidadosamente.

4.3 Conectar o bloqueio do diferencial transversal eixo 1 (em


accionamento 10x8)* + Eixo 2
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o veículo encontra-se imobilizado
– a caixa de velocidades automática está na posição neutra “N”
– o bloqueio do diferencial longitudinal na engrenagem de distribuição + eixo 1 (com tracção
10x8) está conectado
 Accionar o pulsador 140 e pulsador 143.
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 140 acende.
– o bloqueio do diferencial transversal do eixo 1 (em accionamento 10x8)* + Eixo 2 está conectado.

Eliminação de problemas
O controlo de funções no pulsador 140 pisca.
As rodas dentadas do diferencial tem uma posição dente sobre dente.
 Meter a velocidade e arrancar cuidadosamente.

3.04 LIEBHERR 199


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198112

200 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

4.4 Desligar os bloqueios dos diferenciais


PRECAUÇÃO
Perigo de danificações nos eixos de tracção assim como no sistema de tracção total!
Durante o deslocamento sobre solo antiderrapante com o bloqueio do diferencial conectado poderão
aparecer danificações consideráveis.
 Desligar a conexão do bloqueios dos diferenciais o mais rápido possível outra vez.

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– o veículo encontra-se imobilizado
– a caixa de velocidades está em posição neutra “N”

Através do desconexão dos bloqueios dos diferenciais longitudinais serão também desconectados
automaticamente os bloqueios dos diferenciais transversais conectados.
 Accionar o pulsador 138 e pulsador 143.
Resultado:
– os controlos de funções no pulsador 138, pulsador 140 e pulsador 141 apagam;
– todos os bloqueios dos diferenciais serão desligados.

 Accionar o pulsador 140 e pulsador 143.


Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 140 apaga;
– o bloqueio do diferencial transversal do eixo 1 (em accionamento 10x8)* + Eixo 2 está desligado.

 Accionar o pulsador 141 e pulsador 143.


Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 141 apaga;
– o bloqueio do diferencial longitudinal do eixo 4 + conexão do bloqueio do diferencial transversal
do eixo 4 + eixo 5 está desconectado.

3.04 LIEBHERR 201


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B199855

202 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

5 Direcção
Para direccionar a grua são possíveis 6 tipos de serviço:
1) Circulação em estradas, figura 1
2) Direcção a todas as rodas, figura 2
3) Velocidade paralela, figura 3
4) Medida de viragem reduzida, figura 4
5) Direcção independente, figura 5

Observação
Circulação em estradas públicas!
 Somente no modo de serviço “Circulação em estradas” circular em estradas públicas.

5.1 Em geral
PERIGO
Perigo de esmagamento!
 Quando arrancar ou meter uma velocidade é proibida a permanência de pessoas entre as rodas.

A admissibilidade da comutação entre cada um dos tipos de serviço será controlada pelo respectivo
sistema. Se uma comutação não for autorizada soa um sinal acústico e uma mensagem de erro de
operação (LEC) será indicada na unidade de indicação 225.
Uma comutação do modo de serviço é por princípio somente possível até a uma velocidade de 18
km/h. Uma activação do modo de serviço poderá então ocorrer somente quando as rodas estão
numa posição em que uma transição para o modo de serviço seleccionado é possível em
continuação.
Depois da ligação da alimentação eléctrica será activada o último modo de serviço que foi
seleccionado.
Condizem as viragens de direcção das rodas com o modo de serviço selecionado será activado o
modo de serviço selecionado.
Se as viragens de direcção das rodas não condizem com o modo de serviço por último selecionado,
pisca o controlo de funções no pulsador do modo de serviço por último ajustado. O modo de serviço
“Direcção independente” será ajustada. Assim o respectivo modo de serviço pode ser seleccionado
indirectamente.
A partir de uma temperatura de -20 °C accionar várias vezes a direcção antes de começar a marcha
para que o óleo no cilindro de direcção seja aquecido.

Observação
Direccionar em posição!
Para salvaguardar o direccionamento do eixo traseiro electricamente direccionado numa velocidade
menor que 5 km/h, um acumulador hidráulico em cada arranque do motor e de seguida ciclicamente
após cada pedido de direccionamento será admitido e carregado com líquido de pressão do circuito
de direcção II. Isto pode por curto espaço, conduzir a um pequeno aumento de força no volante da
direcção.
 Este procedimento não tem influências na segurança do sistema da direcção, o sistema da
direcção continua mesmo assim em pleno funcionamento!

3.04 LIEBHERR 203


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198114

204 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

5.1.1 Limitação da velocidade em erro na direcção dos eixos traseiros activado


Aparece um erro na direcção, a velocidade de marcha máxima será limitada para 40 km/h contanto
não seja eficaz uma limitação menor que 40 km/h e o veículo se movimente com uma velocidade até
40 km/h.
No aparecimento de um erro durante a marcha e uma velocidade de marcha maior que 40 km/h será
reduzida a velocidade máxima para a actual velocidade de marcha. Isso significa, que o condutor
pode continuar a marcha com a actual velocidade até ele marchar vagarosamente. Ele não pode
acelerar mais. Se a velocidade de 40 km/h for alcançada respectivamente baixada fica a limitação em
40 km/h fixada. Com isto será impedido que o veículo em velocidade mais alta perca repentinamente
a potência e assim com isto travada fortemente.

5.1.2 Controlos de funções


 O controlo de funções no pulsador acende.
Resultado:
– modo de serviço está activado.

 o controlo de funções no pulsador não acende.


Resultado:
– modo de serviço não está activado.

 Controlo de funções no pulsador pisca vagarosamente.


Resultado:
– modo de serviço está seleccionado, mas ainda não foi aceite pelo comando.
– controlo de funções pisca tanto tempo, até ser possível uma aceitação do modo de serviço.

Eliminação de problemas
Controlo de funções no pulsador para o modo de serviço activado acende, o controlo de funções no
pulsador do modo de serviço seleccionado pisca vagarosamente?
O modo de serviço seleccionado não corresponde ao modo de serviço activado, porque o comando
(ainda) não autoriza a comutação.
 Colocar as rodas numa posição em que seja possível uma comutação.
 Ou, seleccionar indirectamente o modo de serviço.

Eliminação de problemas
Controlo de funções no pulsador pisca rapidamente?
Isto significa um erro no sistema de direcção. A função da tecla será impedida, eventualmente será
dado um sinal acústico ou indicada uma mensagem de erro na unidade de indicação 225.
 Reparar o erro.

3.04 LIEBHERR 205


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198114

206 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

5.1.3 Luzes de controle


A luz de controlo 181 indica o estado da direcção:
– a luz de controlo 181 está acesa: Direcção está em boas condições
– a luz de controlo 181 pisca rapidamente: Erro no sistema de direcção com código de erro
– a luz de controlo 181 pisca vagarosamente: Erro na ligação Bus LSB

PERIGO
Perigo de acidente!
Um erro na direcção será indicado através do piscar da luz de controlo 181 e de um piscar rápido de
todos os 6 pulsadores para os modos de serviço de direcção. Adicionalmente soam todos os 3 s um
sinal acústico. Os eixos de direcção traseiros retornam automaticamente para a posição 0° centrada.
Em marcha de curva momentânea isto realiza-se somente numa modificação de direcção de marcha
da grua. Através da posição 0° dos eixos de direcção traseiros o raio de curva da grua será maior.
 Não é mais possível a mudança dos tipos de serviço.
 Circular somente um trajecto curto com velocidade reduzida e logo que possível terminar a
marcha.
 Deixar corrigir imediatamente o erro por pessoal especializado e treinado autorizado!

 Colocar a ignição para “LIGAR”.


Resultado:
– um teste de luzes realiza-se na unidade de indicação e na unidade do teclado.
– a luz de controlo 181 “Direcção” será desligada por curto espaço.

Observação
 Se não é enviado nenhum erro da “direcção dos eixos traseiros activada” para a unidade do
teclado ou unidade de indicação a grua pode ser movimentada.

3.04 LIEBHERR 207


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B199856

208 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

5.2 Mudar entre os tipos de serviço

5.2.1 Seleccionar directamente


Seleccionar o modo de serviço desejado com o pulsador 143 e o pulsador dos tipos de serviço.
Rodar o volante da direcção tanto, até as rodas dos eixos dianteiros se movimentem através da
posição 0°. As rodas dos eixos traseiros serão alinhadas automaticamente. Depois de alcançar o
modo de serviço desejado acende constantemente a luz de controlo do pulsador do modos de
serviço.

5.2.2 Seleccionar indirectamente através do modo de serviço “Direcção


independente”
O modo de serviço também pode ser modificado sem esbarro de direccionamento momentâneo das
rodas nos eixos dianteiros. Para isto seleccionar primeiramente o modo de serviço “Direcção
independente”. Depois do modo de serviço “Direcção independente” ter sido aceitado tem de
pressionar tanto tempo o pulsador 143 juntamente com o pulsador dos modos de serviço desejados,
até as rodas dos eixos traseiros terem alcançado a sua posição nominal. Depois de ter alcançado o
modo de serviço desejado a luz de controlo está sempre acesa no pulsador dos modos de serviço.

5.3 Circulação em estradas

O modo de serviço “Circulação em estradas” será ajustado de forma estandarde. Com isto os eixos
de direcção traseiros serão dirigidos dependentemente do esbarro de direccionamento dos eixos
dianteiros. O ângulo de direcção será reduzido com o aumento da velocidade do veículo. A partir de
uma velocidade de 30 km/h os eixos de direcção 3 e 4 serão regulados de retorno na posição 0°. A
partir de uma velocidade de 60 km/h o eixo de direcção 5 será regulado de retorno na posição 0°.

 Accionar o pulsador 143 e pulsador 121.

5.4 Direcção a todas as rodas

O modo de serviço “Direcção a todas as rodas” dirige de tal forma os eixos de direcção traseiros
dependentemente do esbarro de direccionamento dos eixos dianteiros, que o veículo obterá um
mínimo possível raio de viragem.
A velocidade de marcha máxima está reduzida para 20 km/h.

3.04 LIEBHERR 209


146695-01 3.04 Serviço de marcha

 Accionar o pulsador 143 e pulsador 122.

5.5 Velocidade paralela

Com o modo de serviço “Velocidade paralela” eixos de direcção traseiros serão dirigidos na mesma
direcção dos eixos dianteiros. O esbarro de direccionamento máximo dos eixos de direcção traseiros
será limitado através do esbarro de direccionamento máximo do primeiro eixo de direcção traseiro.
A velocidade de marcha máxima está reduzida para 20 km/h.
Se os eixos dianteiros forem fortemente virados do que o ângulo máximo possível dos eixos de
direcção traseiros, as rodas poderão raspar. Isto também é dependente da distribuição do peso da
grua.

 Accionar o pulsador 143 e pulsador 123.

5.6 Medida de viragem reduzida

Com o modo de serviço “Medida de viragem reduzida” os eixos de direcção traseiros


dependentemente dos eixos dianteiros serão de tal forma virados que a medida de viragem da
traseira do veículo será reduzida ao mínimo. Caso típico deste modo de serviço é a deslocação a
cantos de edifícios.
A velocidade de marcha máxima está reduzida para 20 km/h.
Neste modo de serviço são possíveis somente marchas em curvas limitadas.

 Accionar o pulsador 143 e pulsador 124.

5.7 Direcção independente

210 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

Com o modo de serviço “Direcção independente” os eixos de direcção traseiros independentemente


do esbarro de direccionamento dos eixos dianteiros serão dirigidos através da tecla 117 e tecla 118.
Os eixos de direcção traseiros viram paralelamente, quando os eixos dianteiros e os eixos de
direcção traseiros viram todos no mesmo sentido. Com a viragem em sentido oposto os eixos de
direcção serão distribuídos como numa marcha em curva. O modo de serviço “Direcção
independente” é conectável em qualquer posição das rodas.
A velocidade de marcha máxima está reduzida para 20 km/h.

 Accionar o pulsador 143 e pulsador 125.

3.04 LIEBHERR 211


146695-01 3.04 Serviço de marcha

B198122

212 LIEBHERR 3.04


3.04 Serviço de marcha 146695-01

6 Rebocagem

6.1 Regras gerais para o reboque


As seguintes regras para o reboque devem ser seguidos sem falta:
– em processo de reboque abrir o travão de estacionamento, de contrário será danificado o sistema
de travões.
– manter por princípio em rebocagem uma velocidade inferior a 20 km/h.
– para rebocagem do veículo utilizar o acoplamento de manobras.
– rebocar somente com uma barra de reboque.
– ligar as luzes de emergência e faróis médios.
– ao rebocar geralmente deve-se comutar a engrenagem de distribuição para roda livre.

6.2 Rebocar quando estiver avariado o motor de translação e / ou caixa


de mudanças
Quando o motor de translação não poder ser arrancado, deverá estabelecer uma alimentação de ar
comprimido do veículo rebocador para a grua móvel. Para a alimentação de ar comprimido da grua
móvel a ser rebocada está montada um acoplamento à frente por baixo da pára-choques.
Unir esta ligação para a alimentação externa através de um mangueira condutora com o veículo
rebocador.

PERIGO
Perigo de acidente!
 A reserva de pressão de ar comprimido do sistema de travões da grua móvel a ser rebocada tem
que ser pelo mínimo de 6 bar durante a rebocagem.
 Com o motor desligado o veículo está somente dirigível a partir de uma velocidade de
5 km/h - 10 km/h.

 Accionar o interruptor 50 e comutar a engrenagem de distribuição para roda livre.


 Comutar a caixa de mudanças com o selector de campo de marcha 101 para a posição neutra
“N”.

6.3 Rebocagem com o motor de translação intacto

6.3.1 Rebocar em caso de avaria na engrenagem de distribuição


 Retirar nas flanges dos eixos articulados os eixos articulados da engrenagem de distribuição para
os eixos de tracção e atar em cima.
 Comutar a caixa de mudanças com o selector de campo de marcha 101 para a posição neutra
“N”.
 Deixar o motor funcionar com número de rotações de marcha lenta.

6.3.2 Rebocagem em caso de avaria nos eixos de tracção


Apenas pessoal autorizado e especializado treinado poderá tomar medidas de precaução para o
rebocamento em caso de danos nos eixos de tracção.
 Encarregar pessoal especializado.

3.04 LIEBHERR 213


146695-01 3.04 Serviço de marcha

6.4 Acoplamento de manobras prolongado*


Observação
 No acoplamento de manobras prolongado* somente pode ser pendurado o moitão do gancho
para deslocamento da grua móvel. Se a grua móvel for rebocada, então o acoplamento de
manobras tem de ser montado sem prolongamento na grua móvel.
 O momento de aperto dos parafusos para a fixação do acoplamento de manobras é de 540 Nm.

 Desmontar o acoplamento de manobras prolongado*.


 Desmontar o prolongamento no acoplamento de manobras.
 Montar o acoplamento de manobras sem prolongamento na grua móvel.

214 LIEBHERR 3.04


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

Página vazia!

3.05 LIEBHERR 215


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198125

216 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

1 Generalidades

1.1 Escolher o local de trabalho


Observação
 Observar e respeitar sem falta o Capítulo 2.04, “Instruções técnicas de segurança”.

Base de apoio
Reduzida 8,89 m x 5,5 m
Larga 8,89 m x 8,3 m

 Escolher o local de trabalho da grua de tal forma, para que os apoios possam ser expandidos
sobre a base de apoio determinada na tabela de cargas e a grua ser nivelada horizontalmente.

1.2 Reequipar do serviço de marcha para serviço de grua


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua encontra-se sobre solo plano e sólido
– o travão de estacionamento está fechado
– a caixa de mudanças de velocidades encontra-se na posição Neutra “N”
– o motor está em funcionamento

1.2.1 bloquear a suspensão dos eixos


A suspensão dos eixos tem que ser bloqueada antes de apoiar a grua.
 Accionar o pulsador 130 e o pulsador 143
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 130 acende.
– a suspensão dos eixos está bloqueada.

 Estender os cilindros de apoio e longarinas corrediças.

1.2.2 Comutar para serviço de grua


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o motor está desligado
– a ignição está desligada
– a suspensão dos eixos está bloqueada

Se for accionado o interruptor rotativo 34 com o motor em funcionamento, então o motor será
automaticamente desligado.
Quando o interruptor rotativo 34 for comutado para serviço de conjunto giratório, então o motor na
unidade de comando dos estabilizadores não pode ser mais arrancado. Da mesma maneira não será
mais possível uma modificação das rotações na unidade de comando dos estabilizadores.
 Comutar o interruptor rotativo 34 para a esquerda sobre o símbolo “serviço de grua”.
Resultado:
– a grua está comutada para serviço de chassi superior.

3.05 LIEBHERR 217


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B187743

218 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

1.3 Colocar as placas de apoio da posição de transporte (figura 1) para


a posição de serviço (figura 2)
 Retirar a trava de segurança com mola 5 da cavilha encaixável 3.
 Puxar para fora a cavilha encaixável 3 do orifício 2.
 Puxar para fora no punho de fixação a placa de apoio até ao encosto da cavilha encaixável 4 na
cabeça esférica do cilindro de apoio.
 Introduzir a cavilha encaixável 3 no orifício 1 e travar com a trava de segurança com mola 5.

1.4 Colocar as placas de apoio da posição de serviço (figura 2) para a


posição de transporte (figura 1)
 Retirar a trava de segurança com mola 5 da cavilha encaixável 3.
 Puxar para fora a cavilha encaixável 3 do orifício 1.
 Introduzir a placa de apoio no punho de fixação até ao encosto na cabeça esférica do cilindro de
apoio.
 Introduzir a cavilha encaixável 3 no orifício 2 e travar com a trava de segurança com mola 5.

1.5 Placas de apoio, figura 3


Observar as instruções de segurança e a compressão do solo permitida (consultar o Capítulo 2.04).
Superfície das placas de apoio = 3600 cm2

PERIGO
Perigo de acidente!
 Utilizar somente materiais apropriados para o fundamento.
 Colocar o fundamento no centro por baixo das placas de apoio.

 Fundamentar as placas de apoio sobre uma grande área conforme às condições do terreno com
materiais estáveis largos como madeira, placas de ferro ou betão.

3.05 LIEBHERR 219


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198125

220 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

1.6 Reequipar do serviço de grua para serviço de marcha


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está apoiada e nivelada horizontalmente
– as rodas não têm contacto com o solo
– a suspensão dos eixos está bloqueada
– a lança telescópica está completamente retraída
– a lança telescópica está depositada para a frente no depósito da lança
– a caixa de mudanças de velocidades encontra-se na posição Neutra “N”

1.6.1 Desligar o bloqueamento dos eixos

AVISO
Danificação da suspensão do eixo!
Se o bloqueamento dos eixos for desligado, sem que as rodas tenham contacto com o solo, então a
suspensão do eixo pode ser danificado através da queda dos eixos.
 Desligar somente o bloqueamento dos eixos, quando todas as rodas tiverem contacto com o solo.

 Retrair o cilindro de apoio, até todas as rodas tiverem contacto com o solo.
 Accionar o pulsador 130 e pulsador 143.
Resultado:
– o controlo de funções no pulsador 130 apaga-se.
– a suspensão dos eixos está activada.

 Retrair completamente os cilindros de apoio e as longarinas corrediças.

1.6.2 Comutar para serviço de marcha


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o motor está desligado
– a ignição está desligada
 Comutar o interruptor rotativo 34 para a direita sobre o símbolo “serviço de marcha”.
Resultado:
– a grua está comutada para serviço de marcha.

3.05 LIEBHERR 221


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198126

222 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2 Unidade de comando dos estabilizadores

2.1 Generalidades
O apoio da grua pode ocorrer através das unidades de comando dos estabilizadores no chassi da
grua assim como desde a cabina da grua.
De cada lado do veículo está colocada uma unidade de comando dos estabilizadores (caixas de
conexões) com pulsadores para operação do apoio.

PERIGO
Perigo de morte!
 O condutor da grua é obrigado a ajustar a respectiva larguras dos estabilizadores conjugada na
respectiva tabela de cargas no dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON.
 Os cilindros de apoio têm estar calçados conforme a prescrição.

 Ligar a ignição.
 Accionar a liberação da unidade de comando dos estabilizadores 269.
Resultado:
– todos os pulsadores e o LED 277 verde da “liberação da unidade de comando dos
estabilizadores” estão acesos;
– a unidade de comando dos estabilizadores está activada;
– a liberação apaga-se, quando dentro de 120 s nenhuma outra tecla seja accionada ou quando a
liberação da unidade de comando dos estabilizadores 269 seja accionada novamente;
– a desactivação da unidade de comando dos estabilizadores será indicada através da luz
intermitente nos pulsadores assim como através do desligamento do LED verde 277.

 O motor pode ser arrancado através do pulsador 274 ou desligado através do pulsador 273. A
rotação do motor pode ser regulada durante o processo de apoio através do pulsador 276 e do
pulsador 275.

3.05 LIEBHERR 223


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199244

224 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.2 Estender as longarinas corrediças com a unidade de comando dos


estabilizadores
As longarinas corrediças do lado esquerdo do veículo somente podem ser accionadas pela unidade
de comando dos estabilizadores colocada deste lado.
As longarinas corrediças do lado direito do veículo somente podem ser accionadas pela unidade de
comando dos estabilizadores colocada deste lado.

PERIGO
Perigo de morte ao retrair e ao expandir as longarinas corrediças!
 A expansão e a retracção das longarinas corrediças tem de ser observada pelo operador.
 Ao estender e retrair as longarinas corrediças não é permitido encontrarem-se pessoas nem
objectos na zona de perigo.

 Desencavilhar as cavilhas de segurança 1 nas longarinas corrediças.


 Desencavilhar as cavilhas de segurança 1a na longarina corrediça “atrás à direita”.

Observação
 Ao expandir as longarinas corrediças desloca-se primeiramente a longarina corrediça interior
completamente e só depois a longarina corrediça exterior.

 Estender as longarinas corrediças para a base de apoio determinada na tabela de cargas:


 Unidade de comando dos estabilizadores esquerda: accionar pulsador 254 e pulsador 256.
 Unidade de comando dos estabilizadores direita: accionar pulsador 284 e pulsador 286.

PERIGO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Se as seguintes condições não forem cumpridas então a grua pode tombar.
 Encavilhar sem falta as longarinas corrediças, para que seja evitado um desajustamento posterior
das superfícies de apoio!
 Encavilhar todas as cavilhas de segurança e travar.
 Não apoiar em posições intermédias!

 Fixar e bloquear as longarinas corrediças com a cavilha de segurança 1 e cavilha de


segurança 2.

Observação
 Para encavilhar a longarina corrediça “atrás à direita” tem de ser utilizada em vez da cavilha de
segurança 1 a cavilha de segurança 1a.

3.05 LIEBHERR 225


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198128

226 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.3 Estender o cilindro de apoio com a unidade de comando dos


estabilizadores
PERIGO
Perigo de acidente ao apoiar!
 Ao estender e retrair os cilindros de apoio não é permitido encontrarem-se pessoas nem objectos
na zona de perigo.
 Levantar a grua tanto até que as rodas não tenham mais contacto com o solo.
 Não desloque o cilindro de apoio completamente em serviço de grua (até ao encosto)! Com os
cilindros de apoio completamente expandidos deverá retrair outra vez pelo mínimo 10 mm.

Certifique-se que a grua foi tanto levantada para que as rodas não tenham mais contacto com o solo.

2.3.1 Apoiar manualmente


Apoiar a grua

Expandir uniformemente os cilindros de apoio individualmente através do accionamento do


respectivo pulsador e apoiar a grua.
Os cilindros de apoio movimentam-se neste caso somente com a velocidade mínima e serão após
2,5 s acelerados para a velocidade máxima.
 Unidade de comando dos estabilizadores da esquerda: accionar pulsador 251, pulsador 253,
pulsador 259 e pulsador 261.
 Unidade de comando dos estabilizadores da direita: accionar pulsador 281, pulsador 283,
pulsador 289 e pulsador 291.

Nivelar a grua na horizontal

PERIGO
Tombamento da grua!
Se a grua não for nivelada na horizontal, então a grua pode tombar e matar pessoas!
 Nivelar a grua na horizontal sem falta!
 A divergência da tolerância máxima permitida da posição horizontal da grua é de 0,5 % (0,3°)!

 Expandir e retrair individualmente os cilindros de apoio até o díodo luminoso interior acender.
Resultado:
– a grua encontra-se na horizontal.

3.05 LIEBHERR 227


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198128

228 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.3.2 Apoiar automaticamente

PERIGO
Perigo de acidente!
Ao accionar a estabilização automática a grua será nivelada horizontalmente automaticamente.
 Certifique-se que o nivelamento encontra-se na tolerância autorizada e que todas as quatro
placas de apoio têm contacto com o solo.

Enquanto o chassi inferior se encontra em posição inclinada (campo - 5°) os cilindros de apoio serão
dirigidos com a velocidade de cerca 75%. Ao alcançar a zona 1° a velocidade será reduzida para
50%.
 Accionar o pulsador 272.
Resultado:
– todos os cilindros de apoio serão expandidos.
– a grua será nivelada horizontalmente.

2.3.3 Controlar os apoios


Para minimizar o perigo de acidente, terão que ser sem falta mantidos os estados de expansão e as
regulamentos de segurança seguintes.

PERIGO
Perigo de morte através do tombamento da grua!
Através da carga pendurada no gancho o cabo de elevação e a lança telescópica (em serviço com
lança auxiliar também esta e o cabo de retenção) serão tensionados e deformados. Se nesta
situação a carga cair dos cabos de retenção ou romper o cabo de retenção ou o cabo de elevação, é
causada uma descarga súbita. A lança recua rapidamente. Agora estão expandidos somente as
longarinas corrediças do lado da carga, a grua pode tombar.
Ao contrário das suposições anteriores poderá todavia ser necessário bascular a carga para o lado
oposto. Quando somente estiverem expandidas as longarinas corrediças do lado da carga a grua
pode tombar.
Ao girar desde a posição longitudinal do veículo a grua pode tombar através do momento da lança
respectivamente momento do contrapeso, quando não estiverem expandidas todas as quatro
longarinas corrediças.
 É imprescindível expandir todas as 4 longarinas corrediças dos apoios, também aquelas que se
encontram do lado oposto da carga.

 Controlar os estados de expansão.


 Certifique-se que todas as quatro longarinas corrediças dos apoios da estabilização estejam
expandidas

3.05 LIEBHERR 229


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199245

230 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.4 Retrair o cilindro de apoio com unidade de comando dos


estabilizadores
PERIGO
Perigo de ferimentos a pessoas ao estender e retrair os cilindros de apoio!
 Tome atenção que não se encontrem pessoas ou objectos na zona de perigo.

 Arrancar o motor.

Retrair uniformemente os cilindros de apoio individualmente através do accionamento do respectivo


pulsador até as rodas entrarem em contacto com o solo.
 Unidade de comando dos estabilizadores da esquerda: accionar pulsador 250, pulsador 252,
pulsador 258 e pulsador 260.
 Unidade de comando dos estabilizadores da direita: accionar pulsador 280, pulsador 282,
pulsador 288 e pulsador 290.
ou
Quando todos os cilindros de apoio tiverem que ser retraídos em conjunto:
 Accionar o pulsador 271 até as rodas terem contacto com o solo.

AVISO
Danificação da suspensão do eixo!
Se o bloqueamento dos eixos for desligado, sem que as rodas tenham contacto com o solo, então a
suspensão do eixo pode ser danificado através da queda dos eixos.
 Desligar somente o bloqueamento dos eixos, quando todas as rodas tiverem contacto com o solo.

 Accionar o pulsador 130 e pulsador 143 e desligar o bloqueamento dos eixos.


 Retrair completamente todos os quatro cilindros de apoio.

2.5 Colocar as placas de apoio na posição de transporte e bloquear


 Colocar as placas de apoio na posição de transporte e bloquear.

3.05 LIEBHERR 231


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199245

232 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.6 Retrair as longarinas corrediças com a unidade de comando dos


estabilizadores
As longarinas corrediças sobre o lado esquerdo do veículo somente podem ser accionadas pela
unidade de comando dos estabilizadores da esquerda.
As longarinas corrediças sobre o lado direito do veículo somente podem ser accionadas pela unidade
de comando dos estabilizadores da direita.

PERIGO
Perigo de ferimentos de pessoas ao estender e retrair as longarinas corrediças.
 Accione somente as longarinas corrediças que possa ver.
 Tome atenção que não se encontrem pessoas ou objectos na zona de perigo.

 Desencavilhar a cavilha de segurança 1 e cavilha de segurança 2.


 Desencavilhar as cavilhas de segurança 1a na longarina corrediça “atrás à direita”.
 Depositar as cavilhas de segurança 2 nos respectivos depósitos.

Observação
 Ao retrair as longarinas corrediças desloca-se primeiramente a longarina corrediça exterior
completamente e só depois a longarina corrediça interior.

 Unidade de comando dos estabilizadores esquerda: accionar pulsador 255 e pulsador 257.
Resultado:
– as longarinas corrediças sobre o lado esquerdo do veículo serão retraídas individualmente.

 Unidade de comando dos estabilizadores direita: accionar pulsador 285 e pulsador 287.
Resultado:
– as longarinas corrediças sobre o lado direito do veículo serão retraídas individualmente.

 Fixar e bloquear a longarina corrediça com a cavilha de segurança 1.

Observação
 Para encavilhar a longarina corrediça “atrás à direita” tem de ser utilizada em vez da cavilha de
segurança 1 a cavilha de segurança 1a.

3.05 LIEBHERR 233


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B198130

234 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

2.7 Ligar a iluminação das longarinas corrediças


Numa velocidade superior a 3 km/h está a iluminação das longarinas corrediças bloqueada.
Com o motor desligado está também desligada a iluminação das longarinas corrediças e bloqueada.
O estado “iluminação das longarinas corrediças automática activada / desactivada” será notado.

2.7.1 Manual
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o motor está em LIGAR
– o veículo está parado
 Accionar o pulsador 164 na unidade do teclado.
Resultado:
– a iluminação das longarinas corrediças será desligada ou ligada.

2.7.2 Automático
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o veículo encontra-se em serviço de estabilização (caixa de velocidades na posição Neutra “N” e
accionamento de uma tecla na unidade de comando dos estabilizadores
– o motor está em LIGAR
– o veículo está parado
 Accionar um tecla qualquer na unidade de comando dos estabilizadores.
Resultado:
– a iluminação das longarinas corrediças será ligada.

Eliminação de problemas
A iluminação das longarinas corrediças não se deixa ligar automaticamente?
Se a iluminação das longarinas corrediças foi ligada automaticamente e de seguida foi desligado no
chassi inferior através do pulsador 164 na unidade do teclado, então está desactivada a ligação
automática da iluminação das longarinas corrediças.
 Ligar outra vez a iluminação das longarinas corrediças com a pulsador 164 na unidade do
teclado. A iluminação das longarinas corrediças automática está outra vez activada.

3.05 LIEBHERR 235


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B194255

236 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

3 O programa “Estabilização”

3.1 Generalidades
A operação da estabilização desde a cabina da grua ocorre através do monitor LICCON. Ver também
o Capítulo 4.02, parágrafo “O programa Apoiar”.
Pode-se também trabalhar e se deslocar com a grua no “Programa estabilização”. Em processos de
apoio os quais têm que ser repetidos em curtos intervalos de tempo, poderá com isto renunciar à
comutação de retorno para o “Programa Serviço”.

PERIGO
Perigo de acidente se não forem observadas as indicações de perigo!
Quando as seguintes indicações de perigo não forem observadas existe elevado perigo de acidente!
 Todas os regulamentos e indicações de perigo descritas no Parágrafo “Unidade de comando dos
estabilizadores” têm que ser cumpridas!
 A expansão e a retracção das longarinas corrediças tem de ser observada pelo operador.
 Ao expandir e retrair os estabilizadores sem contacto visual com o respectivo cilindro de apoio ou
longarina corrediça então deverá trabalhar com um ajudante.
 Ao estender e retrair as longarinas corrediças deverá tomar atenção que não se encontrem
pessoas ou objectos na zona de perigo.
 A grua tem que estar nivelada horizontalmente
 Todas as 4 longarinas corrediças e cilindros de apoio têm que ser expandidos, também aquelas
que se encontram no lado oposto da carga.

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a grua encontra-se sobre solo plano e sólido
– a lança telescópica está completamente retraída e colocada sobre o suporte da lança
– o travão de estacionamento na cabina do condutor e na cabina da grua está fechado
– a cavilha de segurança 1 respectivamente a cavilha de segurança 1a e a cavilha de
segurança 2 nas quarta longarinas corrediças estão desencavilhadas
– o interruptor rotativo 34 está comutado para serviço de grua
– a suspensão dos eixos está bloqueada
– o motor está em funcionamento

3.05 LIEBHERR 237


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199945

238 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

3.2 Estender as longarinas corrediças desde a cabina da grua


PERIGO
Perigo de morte através do tombamento da grua!
 É imprescindível expandir todas as 4 longarinas corrediças dos apoios, também aquelas que se
encontram do lado oposto da carga.

Somente se pode expandir uma longarina corrediça de cada vez.


 Accionar a tecla de função F7 7 e seleccionar a longarina corrediça desejada.
Resultado:
– selector (seta dupla) aparece na longarina corrediça seleccionada.

Observação
 Ao expandir as longarinas corrediças desloca-se primeiramente a longarina corrediça interior
completamente e só depois a longarina corrediça exterior.

 Accionar a tecla de função F5 5 e estender a longarina corrediça para a base de apoio


necessitada.
 Estender todas as longarinas corrediças para a base de apoio necessitada.

PERIGO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Se as seguintes condições não forem cumpridas então a grua pode tombar.
 Encavilhar sem falta as longarinas corrediças, para que seja evitado um desajustamento posterior
das superfícies de apoio!
 Encavilhar todas as cavilhas de segurança e travar.
 Não apoiar em posições intermédias!

 Fixar e bloquear as longarinas corrediças com a cavilha de segurança 1 e cavilha de


segurança 2.

Observação
 Para encavilhar a longarina corrediça “atrás à direita” tem de ser utilizada em vez da cavilha de
segurança 1 a cavilha de segurança 1a.

3.05 LIEBHERR 239


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B194258

240 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

3.3 Expandir os cilindros de apoio desde a cabina da grua


PERIGO
Perigo de acidente ao apoiar!
 Ao estender e retrair os cilindros de apoio não é permitido encontrarem-se pessoas nem objectos
na zona de perigo.
 Levantar a grua tanto até que as rodas não tenham mais contacto com o solo.
 Não desloque o cilindro de apoio completamente em serviço de grua (até ao encosto)! Com os
cilindros de apoio completamente expandidos deverá retrair outra vez pelo mínimo 10 mm.

3.3.1 Apoiar manualmente


Podem ser expandidos até 4 cilindros de apoio simultaneamente.
 Com o campo de teclas 1 - 4 numérico seleccionar ou não seleccionar o respectivo cilindro de
apoio.
Resultado:
– selector(es) aparecem respectivamente desaparecem nos cilindros de apoio seleccionados.

 Accionar a tecla de função F3 3.


Resultado:
– os cilindros de apoio pré-seleccionados serão expandidos.

3.3.2 Nivelar a grua na horizontal

PERIGO
Tombamento da grua!
Se a grua não for nivelada na horizontal, então a grua pode tombar e matar pessoas!
 Nivelar a grua na horizontal sem falta!
 A divergência da tolerância máxima permitida da posição horizontal da grua é de 0,5 % (0,3°)!

 Estender e retrair os cilindros de apoio individualmente até que o ponto (quadrado pequeno) se
encontre no ponto central do nível de bolha de ar gráfico.
Resultado:
– a grua encontra-se na horizontal.

3.3.3 Apoiar automaticamente

PERIGO
Perigo de acidente!
Ao accionar a estabilização automática a grua será nivelada horizontalmente automaticamente.
 Certifique-se que o nivelamento encontra-se na tolerância autorizada e que todas as quatro
placas de apoio têm contacto com o solo.

 Accionar a tecla SHIFT 10 e a tecla de função F3 3.


Resultado:
– todos os cilindros de apoio serão expandidos.
– a grua será nivelada horizontalmente.

3.05 LIEBHERR 241


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199946

242 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

3.4 Retrair os cilindros de apoio desde a cabina da grua


Pode ser retraídos até 4 cilindros de apoio simultaneamente.
 Com o campo de teclas 1 - 4 numérico seleccionar ou não seleccionar o respectivo cilindro de
apoio.
Resultado:
– selector(es) aparecem respectivamente desaparecem nos cilindros de apoio seleccionados.

 Accionar a tecla de função F4 4 e retrair o cilindro de apoio pré-seleccionado até as rodas da grua
ter contacto com o solo.
ou
 Accionar a tecla SHIFT 10 e a tecla de função F4 4 e retrair o cilindro de apoio seleccionado até
as rodas terem contacto com o solo.

AVISO
Danificação da suspensão do eixo!
Se o bloqueamento dos eixos for desligado, sem que as rodas tenham contacto com o solo, então a
suspensão do eixo pode ser danificado através da queda dos eixos.
 Desligar somente o bloqueamento dos eixos, quando todas as rodas tiverem contacto com o solo.

 Accionar o pulsador 130 e pulsador 143 e desligar o bloqueamento dos eixos.


 Retrair completamente todos os quatro cilindros de apoio.

3.5 Colocar as placas de apoio na posição de transporte e bloquear


 Colocar as placas de apoio na posição de transporte e bloquear.

3.6 Retrair as longarinas corrediças desde a cabina da grua


Somente se pode retrair uma longarina corrediça de cada vez.
 Desencavilhar a cavilha de segurança 1 e cavilha de segurança 2.
 Desencavilhar as cavilhas de segurança 1a na longarina corrediça “atrás à direita”.
 Depositar as cavilhas de segurança 2 nos respectivos depósitos.
 Accionar a tecla de função F7 7 e seleccionar a longarina corrediça desejada.
Resultado:
– selector (seta dupla) aparece na longarina corrediça seleccionada.

Observação
 Ao retrair as longarinas corrediças desloca-se primeiramente a longarina corrediça exterior
completamente e só depois a longarina corrediça interior.

 Accionar a tecla de função F6 6 e retrair completamente a longarina corrediça.


 Retrair completamente todas as 4 longarinas corrediças.
 Fixar e bloquear todas as longarinas corrediças com a cavilhas de segurança 1.

Observação
 Para encavilhar a longarina corrediça “atrás à direita” tem de ser utilizada em vez da cavilha de
segurança 1 a cavilha de segurança 1a.

3.05 LIEBHERR 243


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199947

244 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

3.7 Ligar a iluminação das longarinas corrediças


Numa velocidade superior a 3 km/h está a iluminação das longarinas corrediças bloqueada.
Com o motor desligado está também desligada a iluminação das longarinas corrediças e bloqueada.
O estado “iluminação das longarinas corrediças automática activada / desactivada” será notado.

3.7.1 Manual
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o motor está em LIGAR
– o veículo está parado
 Accionar a tecla de função F2 2.
Resultado:
– a iluminação das longarinas corrediças será desligada ou ligada.

3.7.2 Automático
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o motor está em LIGAR
– o veículo está parado
 Accionar qualquer função de apoio.
Resultado: a iluminação das longarinas corrediças será ligada.
Eliminação de problemas
A iluminação das longarinas corrediças não se deixa ligar automaticamente?
Se a iluminação das longarinas corrediças foi ligada automaticamente e de seguida foi desligada
através da tecla de função F2 2 ou através da pulsador 164, então está desactivada a ligação
automática da iluminação das longarinas corrediças.
 Ligar a iluminação das longarinas corrediças outra vez com a tecla de função F2 2 ou
pulsador 164. A iluminação das longarinas corrediças automática está outra vez activada.

3.05 LIEBHERR 245


146704-00 3.05 Grua no local de trabalho

B199857

246 LIEBHERR 3.05


3.05 Grua no local de trabalho 146704-00

4 Antes de deixar o local de aplicação

4.1 Executar os controlos


Depois duma prolongada permanência no canteiro de obras deverá antes do início da deslocação
executar todos os controlos descritos sob o Capítulo 3.02.

PERIGO
Perigo de acidente através de estados de transporte impróprios!
 Bloqueios, trava de segurança com mola e cavilhas de segurança devem ser montadas e fixadas
de forma a que não se possam soltar durante o transporte e assim causar danos.

Execute os seguintes controlos antes de deixar o local de aplicação:


 controle se a suspensão dos eixos está ligada;
 controle se os cilindros de apoio estão completamente retraídos;
 controle se as placas de apoio estão em posição de transporte e fixadas 5;
 controle se as longarinas corrediças estão completamente retraídas e encavilhadas 1/1a;
 controle se as cavilhas de segurança 2 se encontram travadas nos seus dispositivos de fixação.
 controle se os calços se encontram nos seus dispositivos de fixação;
 controle se a lança telescópica está retraída e colocada sobre o cavalete suporte;
 controle se o chassi superior está travado com o chassi inferior;
 controle se os revestimentos na plataforma giratória estão fechadas;
 controle se as portas e as janelas da cabina da grua estão fechadas;
 controle se o estribo por baixo da cabina da grua está retraído e travado;
 controle se, o escadote e a cabina do condutor estão travadas de modo adequado.
 controle se a roda sobressalente* está fixada correctamente;
 controle se o cabo de elevação está pendurado e bem apertado no acoplamento de reboque 7.

3.05 LIEBHERR 247


248 LIEBHERR
4.00 Comando no chassi superior

LIEBHERR 249
146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B196007

250 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

1 Instrumentos de operação e de controlo

1.1 Elementos gerais de operação


300 Apoio para o braço
301 Interruptor de contacto do
assento
302 Alavanca manual • Ajustamento da inclinação do assento
303 Pulsador • Apoio das vértebras lombares na zona inferior do encosto
304 Pulsador • Apoio das vértebras lombares na zona superior do encosto
305 Alavanca manual • Bloqueio do ajuste do assento horizontal
306 Alavanca manual • Ajustamento da inclinação do encosto
308 Interruptor rotativo • Comutação entre circulação de ar / ar fresco
309 Interruptor rotativo • Ventilador de 3 posições
310 Regulador rotativo • Temperatura de aquecimento da cabina
311 Tomada 24 V
312 Iluminação da cabina
313 Trinco • Segurança do estribo
Puxar o punho e segurar: estribo destravado
Largar o punho e engatar: estribo travado
314 Reservatório • Líquido para limpeza dos vidros
315 Luz de controlo da carga • Motor do chassi superior
da bateria
316 Luz de controlo • Pré-incandescência do motor do chassi superior, comando da
flange de aquecimento
317 Luz de controlo da carga • Motor do chassi inferior
da bateria
318 Luz de controlo • Pré-incandescer o motor do chassi inferior, sistema de
arranque por incandescência
319 Chave de ignição • Motor do chassi inferior
320 Chave de ignição • Motor do chassi superior
321 Termóstato* • Aquecimento adicional
322 Interruptor principal das
baterias
323 Parafuso de aperto • Ajustamento do posto de comando no sentido longitudinal
324 Interruptor* • Aquecimento do assento
325 Parafuso de ajustamento • Ajustamento da inclinação do apoio para o braço
326 Alavanca de aperto • Ajustamento da altura do apoio para o braço

4.01 LIEBHERR 251


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B198141

252 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

1.2 Elementos de operação da consola do tejadilho


335 Interruptor à chave* • Ligar / desligar o serviço de radiofonia
340 Luz de controlo • Lubrificação central
341 Contador de horas de
serviço do chassi
superior
342 Luz de controlo* • Sistema de ar condicionado ligado
343 Luz de controlo • Encavilhamento telescópico
Indicação:
a luz de controlo 343 de encavilhamento telescópico somente
será necessária, quando a lança telescópica tiver de ser
encavilhada manualmente.
345 Interruptor • Iluminação do painel dos instrumentos
346 Interruptor • Estender / retrair a estribo
accionado em cima: estribo desloca-se para fora
accionado em baixo: estribo desloca-se para dentro
347 Interruptor* • Luz de aviso de tráfego aéreo, no cabeçal da lança ou na
ponta abatível simples e dupla
348 Pulsador* • Ajustamento da altura do farol de trabalho no elemento base
da lança
349 Interruptor* • Farol de trabalho no elemento base da lança
350 Interruptor* • Farol de trabalho no elemento base da lança ou no cabeçal da
lança.
351 Interruptor* • Faróis de trabalho no tejadilho da cabina, atrás e à frente
352 Interruptor • Faróis de trabalho para o cabrestante e aquecimento do
espelho
353 Interruptor • Faróis de trabalho na frente da cabina
354 Interruptor* • Sistema de ar condicionado
355 Luz de controlo* • Aquecimento adicional ligado
356 Interruptor* • Aquecimento adicional

4.01 LIEBHERR 253


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

357 Letreiro • Comando das 2 posições do interruptor 358 para serviço de


emergência
358 Pulsador • Para serviço de emergência, com duas posições de
comutação
• Posição 2 (accionada em cima):
• levantar
• girar para a esquerda
• retrair o elemento telescópico
• bascular a lança para cima
• Posição 0 (posição intermédia):
• desligado
• Posição 1 (accionada em baixo):
• descer
• girar para a direita
• expandir a lança telescópica
• bascular a lança para baixo
359 Interruptor • Comutação manual da pressão para serviço de emergência
360 Interruptor • Telescopagem manual
• Posição 2 (accionado em cima): desencavilhar o elemento
telescópico
• Posição 0 (posição central): encavilhar o elemento telescópico,
travar cilindro de accionamento dos movimentos telescópicos
ou Telescopagem automática
• Posição 1(accionado em baixo): desencavilhar o cilindro do
elemento telescópico
361 Letreiro • Comando das 3 posições do interruptor 360

254 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

Página vazia!

4.01 LIEBHERR 255


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B198142

256 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

362 Interruptor de paragem


emergência
363 Luz de controlo • Alimentação de ar comprimido em desmontagem telescópica
364 Interruptor • Conexão da alimentação de ar comprimido em desmontagem
telescópica
365 Pulsador • Sistema lava pára-brisas janela da frente
366 Interruptor • Limpa pára-brisas pára-brisa, 2 graduações: 1 intervalo, 2
lavar
367 Pulsador • Sistema limpa-pára-brisas janela do teto
368 Interruptor • Limpa-vidros janela do tecto, 2 graduações: 1 intervalo, 2 lavar
369 Interruptor • Bloqueamento do chassi superior
370 Luz de controlo • Contrapeso levantar / descer
372 Relógio temporizador Com as seguintes indicações:
para aquecimento • hora e dia da semana
adicional* • Avaria no aquecimento adicional
• Temperatura do ar
• Pré-programação do aquecimento
374 Pedal • Travão do mecanismo de rotação
375 Pulsador a pedal • Roda livre mecanismo de rotação
377 Pedal • Regulação do motor do motor do chassi superior
378 Monitor do LICCON
379 Besouro • Contrapeso em cima / em baixo
390 Interruptor de paragem
emergência*

4.01 LIEBHERR 257


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B196009

258 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

1.3 Elementos de operação da consola de controlo (gruas com um


cabrestante)
Consola de controlo à esquerda:
400 Interruptor mestre à Mecanismo de movimentos telescópicos
esquerda (MS 2) • Accionar o interruptor mestre 400 no sentido Y+ (para a
frente): expandir a lança telescópica.
• Accionar o interruptor mestre 400 no sentido Y- (para trás):
retrair a lança telescópica.
Mecanismo de rotação:
• accionar o interruptor mestre 400 no sentido X+ (para a
direita): mecanismo de rotação gira para a direita.
• Accionar o interruptor mestre 400 no sentido X- (para a
esquerda): mecanismo de rotação gira para a esquerda.
401 Pulsador • Ligação por ponte do interruptor de contacto do assento.
Ou quando estiver accionado o interruptor de contacto do
assento: comutação do transmissor de vibrações 403
402 Pulsador • Comutação da velocidade rápida para cabrestante 1 e
bascular para cima.
403 Transmissor de • Indicador da rotação do cabrestante, (vibrador) cabrestante 1
vibrações
404 Pulsador • Bloqueamento da regulação do motor do motor do chassi
superior
Indicação:
através do accionamento do pulsador 404 a regulação do
motor fica bloqueada na posição momentânea.
405 Pulsador • Buzina
410 Interruptor • Bascular a cabina da grua
• Posição 2 (accionada em cima): a cabina da grua bascula para
baixo
• Posição 0 (posição intermédia): desligada
• Posição 1 (accionada em baixo): a cabina da grua bascula
para cima
411 Pulsador • Desligar / ligar o “travão de estacionamento do mecanismo de
rotação”
412 Pulsador • Ligação por ponte do protecção contra sobrecarga, serve para
bascular para cima a lança durante sobrecarga
Perigo:
apenas é permitido efectuar a ligação por ponte quando,
com carga em suspensão, se deu a sobrecarga ao
proceder à descida da lança e o condutor da grua está
absolutamente certo de que sairá da zona de sobrecarga
por meio da basculação para cima. Do mesmo modo é
proibida a ligação por ponte do dispositivo de segurança
contra sobrecarga LICCON em caso do alcance da lança
ser inferior / igual 3,5 m.

4.01 LIEBHERR 259


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B196009

260 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

Consola de controlo à direita:


420 Interruptor mestre à Cabrestante 1:
direita (MS 1) • accionar o interruptor mestre 420 no sentido Y+ (para a frente):
cabrestante 1 desenrola e a carga é baixada.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido Y- (para trás):
cabrestante 1 enrola e a carga é levantada.
Basculação da lança telescópica: interruptor 430 na posição à
esquerda:
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X+ (para a
direita): a lança telescópica é basculada para baixo.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X- (para a
esquerda): a lança telescópica é basculada para cima.
Bascular a lança suplementar*: interruptor 430 na posição à
direita:
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X+ (para a
direita): a ponta abatível é basculada para baixo.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X- (para a
esquerda): a ponta abatível é basculada para cima.
421 Transmissor de • Indicador da rotação do cabrestante, (vibrador) cabrestante 1
vibrações
422 Pulsador • Comutar a velocidade rápida para o cabrestante 1 e bascular
para cima.
423 Pulsador • Buzina
424 Pulsador • Ligação por ponte do interruptor de contacto do assento.
Ou quando estiver accionado o interruptor de contacto do
assento: comutação do transmissor de vibrações 421
425 Pulsador • Bloqueamento da regulação do motor do motor do chassi
superior
Indicação:
através do accionamento do pulsador 425 a regulação do
motor fica bloqueada na posição momentânea.
430 Interruptor • Pré-selecção do modo de serviço para o interruptor mestre
420
• Posição esquerda: bascular a lança telescópica
• Posição direita: bascular a lança suplementar
431 Interruptor • Desligar o sinal acústico de aviso (campainha na plataforma
giratória)
433 Interruptor • Modo de Stand-by
Indicação:
ao accionar o pulsador 433 o motor do chassi superior será
desligado mas o LICCON fica ligado.

4.01 LIEBHERR 261


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B196010

262 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

1.4 Elementos de operação da consola de controlo (gruas com dois


cabrestantes)*
Consola de controlo à esquerda:
400 Interruptor mestre à Cabrestante 2
esquerda (MS 2) • accionar o interruptor mestre 400 no sentido Y+ (para a frente):
cabrestante 2 desenrola e a carga é baixada.
• accionar o interruptor mestre 400 no sentido Y- (para trás):
cabrestante 2 enrola e a carga é levantada.
Mecanismo de rotação:
• accionar o interruptor mestre 400 no sentido X+ (para a
direita): mecanismo de rotação gira para a direita.
• Accionar o interruptor mestre 400 no sentido X- (para a
esquerda): mecanismo de rotação gira para a esquerda.
401 Pulsador • Ligação por ponte do interruptor de contacto do assento.
Ou quando estiver accionado o interruptor de contacto do
assento: comutação do transmissor de vibrações 403
402 Pulsador • Comutação da velocidade rápida para cabrestante(s) e
bascular para cima.
403 Transmissor de • Indicação da rotação do cabrestante, (vibrador) cabrestante 2
vibrações ou sensor de rotação, (vibrador) mecanismo de rotação
404 Pulsador • Bloqueamento da regulação do motor do motor do chassi
superior
Indicação:
através do accionamento do pulsador 404 a regulação do
motor fica bloqueada na posição momentânea.
405 Pulsador • Buzina
410 Interruptor • Bascular a cabina da grua
• Posição 2 (accionada em cima): a cabina da grua bascula para
baixo
• Posição 0 (posição intermédia): desligada
• Posição 1 (accionada em baixo): a cabina da grua bascula
para cima
411 Pulsador • Desligar / ligar o “travão de estacionamento do mecanismo de
rotação”
412 Pulsador • Ligação por ponte do protecção contra sobrecarga, serve para
bascular para cima a lança durante sobrecarga
Perigo:
apenas é permitido efectuar a ligação por ponte quando,
com carga em suspensão, se deu a sobrecarga ao
proceder à descida da lança e o condutor da grua está
absolutamente certo de que sairá da zona de sobrecarga
por meio da basculação para cima. Do mesmo modo é
proibida a ligação por ponte do dispositivo de segurança
contra sobrecarga LICCON em caso do alcance da lança
ser inferior / igual 3,5 m.

4.01 LIEBHERR 263


146717-00 4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior

B196010

264 LIEBHERR 4.01


4.01 Instrumentos de comando e de controlo no chassi superior 146717-00

Consola de controlo à direita:


420 Interruptor mestre à Cabrestante 1:
direita (MS 1) • accionar o interruptor mestre 420 no sentido Y+ (para a frente):
cabrestante 1 desenrola e a carga é baixada.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido Y- (para trás):
cabrestante 1 enrola e a carga é levantada.
Mecanismo de movimentos telescópicos: interruptor 430 na
posição esquerda:
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido Y+ (para a
direita): expandir a lança telescópica;
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X- (para a
esquerda): retrair a lança telescópica.
Bascular a lança telescópica: interruptor 430 na posição
intermédia:
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X+ (para a
direita): a lança telescópica é basculada para baixo.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X- (para a
esquerda): a lança telescópica é basculada para cima.
Bascular a lança suplementar*: interruptor 430 na posição à
direita:
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X+ (para a
direita): a ponta abatível é basculada para baixo.
• accionar o interruptor mestre 420 no sentido X- (para a
esquerda): a ponta abatível é basculada para cima.
421 Transmissor de • Indicador da rotação do cabrestante, (vibrador) cabrestante 1
vibrações
422 Pulsador • Comutação da velocidade rápida para cabrestante(s) e
bascular para cima
423 Pulsador • Buzina
424 Pulsador • Ligação por ponte do interruptor de contacto do assento.
Ou quando estiver accionado o interruptor de contacto do
assento: comutação do transmissor de vibrações 421
425 Pulsador • Bloqueamento da regulação do motor do motor do chassi
superior
Indicação:
através do accionamento do pulsador 425 a regulação do
motor fica bloqueada na posição momentânea.
430 Interruptor • Pré-selecção do modo de serviço para o interruptor mestre
420
• Posição esquerda: mecanismo de movimentos telescópicos
• Posição intermédia: bascular a lança telescópica
• Posição direita: bascular a lança suplementar
431 Interruptor • Desligar o sinal acústico de aviso (campainha na plataforma
giratória)
433 Interruptor • Modo de Stand-by
Indicação:
ao accionar o pulsador 433 o motor do chassi superior será
desligado mas o LICCON fica ligado.

4.01 LIEBHERR 265


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B195219

266 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

1 Generalidades

Observação
Indicação
 As figuras no monitor neste Capítulo servem apenas como exemplo. Os valores numéricos em
cada um dos símbolos e tabelas não têm necessariamente de corresponder à grua. Para além
disso, algumas das figuras ocupam o máximo do monitor LICCON com símbolos. Em serviço
normal da grua não será apresentada uma indicação idêntica no monitor LICCON.

O sistema computadorizado LICCON é um sistema para comando e monitoramento de gruas móveis.


Além da protecção contra sobrecarga (limitador de momento de carga = LMB) existem ainda
inúmeros programas de aplicação com os quais os movimentos da grua poderão ser comandados e
controlados.
Actualmente o sistema computadorizado LICCON abrange os seguintes programas de aplicação:
– programa “Equipar”
– programa “Serviço”
– programa “Movimentos telescópicos”
– programa “Estabilização* ”
– programa “Limitação da área de trabalho* ”
– programa “Parâmetros de controlo”
– programa “Monitoração do motor”
A interconexão entre os componentes eléctricos e da electrónica no chassi inferior e chassi
superior é executada através da técnica de transmissão pelo barramento de dados ( bus do
Sistema Liebherr = LSB).

1.1 Protecção contra sobrecarga (LMB)


A protecção contra sobrecarga processa-se na unidade central do microprocessador 0 do bloco
funcional básico 0. O sistema computadorizado LICCON trabalha segundo o princípio da comparação
entre a carga real e a carga máxima permitida segundo a tabela de cargas e as colocações do cabo.

1.1.1 Carga real


A carga real é calculada a partir da detecção de dados variáveis.
A carga da grua é composta pelo momento de carga e o momento da lança. Ela exerce no cilindro
basculante da lança uma força que é medida por sensores de pressão.
O momento da lança é calculado a partir da informação do sensor angular (ângulo da lança), da
informação do sensor de comprimento (comprimento da lança) e dos dados técnicos da grua (pesos
das lanças) do tipo de serviço programado.
O alcance da lança é calculado com a ajuda da informação do sensor angular (ângulo da lança), da
informação do sensor de comprimento (comprimento da lança) e dos dados geométricos do modo de
serviço programado. Aqui é tomada em consideração a flexão da lança, causada pelo próprio peso e
pelo peso da carga.
A carga real é calculada a partir da carga total, do momento da lança e do alcance da lança.

1.1.2 Carga máxima segundo a tabela de cargas e as colocações do cabo


Os dados técnicos da grua, como as tabelas de cargas, os pesos das lanças e os dados
geométricos, encontram-se arquivados na memória central de dados do sistema computadorizado
LICCON.
A partir das tabelas de cargas é permanentemente calculada a “carga máxima segundo a tabela de
cargas e as colocações do cabo” para o estado do equipamento montado no momento ajustado, para
as colocações do cabo programadas e para o alcance da lança calculado.

4.02 LIEBHERR 267


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

1.1.3 Comparação
A carga real e a “carga máxima segundo a tabela de cargas e as colocações do cabo” serão
comparadas. Ao aproximar-se o limite programado é activado um pré-aviso. Assim que este limite é
ultrapassado, é accionada a "paragem de sobrecarga" e os movimentos da grua amplificadores do
momento da carga são desligados.

268 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

Página vazia!

4.02 LIEBHERR 269


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B192995

270 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

2 Inicialização do sistema computadorizado LICCON


Depois de ligado, o sistema computadorizado LICCON procede a um auto-teste.
Neste são testadas em primeiro lugar as conexões da unidade central do microprocessador (ZE 0)
com o monitor. Se durante o controlo não for acusado qualquer erro, o monitor mostra a imagem:

Caso durante o controlo não tenham sido encontradas quaisquer anomalias nas conexões, é
realizado um teste do sistema em todas as unidades centrais do microprocessador (ZE). O decurso
gradual do auto-teste pode ser observado no indicador de 7 segmentos das unidades centrais. Caso
não haja qualquer erro no teste de sistema, surge no monitor a imagem:

Depois surge no monitor, por pouco tempo, a imagem geral de inicialização:

Observação
Erro durante a inicialização do sistema computadorizado LICCON.
Se durante a inicialização do sistema computadorizado LICCON surgir uma indicação de pré-aviso,
de aviso ou de STOP da monitoração do motor, então será mudado automaticamente para o
programa “Monitoração do motor”.
 Informe-se no parágrafo “Programa monitoração do motor”.

Uma vez concluído com êxito o processo de arranque, será mudado automaticamente para o
programa “Equipar”.

4.02 LIEBHERR 271


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B198728

272 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

2.1 Pré-selecção do modo de serviço no sistema computadorizado


LICCON
PERIGO
Perigo de acidente!
 Pode ser seleccionado na pré-selecção do modo de serviço somente o modo de serviço, o qual
também corresponde com o estado do equipamento montado no momento real da grua.

Foi terminado com êxito o processo de arranque, aparecerá depois de ocorrer o auto-teste do
sistema computadorizado LICCON no monitor para aproximadamente 3 s a tela de pré-selecção do
modo de serviço.

Observação
Indicação
 A tela de pré-selecção do modo de serviço será saltada, quando a grua possui somente um nível
(por exemplo: somente serviço telescópico) - sem equipamento opcional. Será então mudado
directamente para a imagem do equipamento do único possível nível.
 Numa perda de dados na memória (por exemplo por consequência duma primeira inicialização do
programa) o modo de serviço até agora existente“será desactivado” e o primeiro modo de serviço
na pré-selecção do modo de serviço activado. Aparece agora a imagem do equipamento
correspondente.

Accione ao aparecer a tela de pré-selecção do modo de serviço - dentro de 3 s - a tecla de função


“F1” ou “F2” .
Resultado:
– a tela de pré-selecção do modo de serviço será mantida até ao accionamento do ajustamento
através da tecla “F8” ou “ENTER” .

Observação
Indicação
 Se o condutor da grua não accionar dentro de 3 s nenhuma das duas teclas de função “F1” ou
“F2” , então ficará o modo de serviço até agora existente - o qual estava activado antes da
ligação do sistema computadorizado LICCON, ajustado e aparece automaticamente a
correspondente imagem do equipamento.

Accione a tecla de função “F1” (Cursor para baixo) ou “F2” (Cursor para cima), e seleccione o
modo de serviço necessário para o trabalho com a grua.

Observação
Indicação
 O modo de serviço seleccionado está na tela de pré-selecção do modo de serviço no monitor
marcado em preto.

accionar “F8” ou “ENTER” .


Resultado:
– o modo de serviço ajustado será aceitado no sistema computadorizado LICCON e aparece a
imagem do equipamento correspondente

4.02 LIEBHERR 273


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196489

274 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

3 Elementos de função do sistema computadorizado


LICCON
A função de cada um dos elementos de função do monitor depende do programa, portanto pode
variar conforme o programa LICCON accionado. Descrições mais pormenorizadas encontram-se em
cada um dos programas LICCON.
A Campo de teclas
P Teclas do programa • Selecção de cada um dos programas LICCON
P0 Equipar • SHIFT e P0: Monitoração do motor
P1 Serviço
P2 Recepção da grua • Coeficientes de correcção (somente para pessoal da
LIEBHERR)
P3 Estabilizadores
P4 Movimentos telescópicos
P6 Parâmetros de controlo
P7 Limitação da zona de
trabalho*
P8 Sistema de teste
C Tecla de confirmação • Confirmação de modificações
“ENTER”
D Pulsador à chave de • Posição de serviço (pára automaticamente)
ligação por ponte = grua no serviço normal
• posição para a direita, (premindo)
= interruptor de fim de curso de elevação e desligamento do
LMB estão ligados por ponte
E Teclas de função • Ajustamento da luminosidade do monitor
especiais • E3 e E1: ligar / desligar a iluminação no fundo
• E3 e E2: regulação da claridade em três graduações
• As restantes funções das teclas de função especiais
dependem do programa e são explicadas na descrição de
cada um dos programas LICCON.
F Teclas de função • As funções das teclas de função correspondem sempre com
as indicações na linha de símbolos das teclas de função
indicadas acima dos pulsadores no monitor
G Monitor • Indicação de cada um dos programas (exemplo: Programa
“Serviço”)
H Tecla SHIFT • Ocupação da tecla em segundo plano, por exemplo “Função
de supervisão”
I Indicação LED • Alimentação eléctrica do monitor disponível

4.02 LIEBHERR 275


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196012

276 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4 O programa “Equipar”
Após a conexão e depois da inicialização correcta do sistema computadorizado LICCON, surge
automaticamente o programa “Equipar”.

Observação
Programação e indicação do estado do equipamento montado no momento e da colocação do cabo.
 Geralmente é automaticamente programado e indicado de novo o estado do equipamento
montado no momento e a colocação do cabo utilizados da última vez. Ocorrerá só quando o
sistema computadorizado for pela primeira vez iniciado ou quando uma perda de dados na
memória, por exemplo em consequência da primeira inicialização do programa (mudança da
bateria ou de um ZE, etc.), aparece na imagem do equipamento o primeiro o estado de
equipamento válido com o primeiro modo de serviço válido e o número de colocação “0”.

O programa “Equipar” permite ao condutor da grua programar o modo de serviço actual, o estado
actual do equipamento da grua e o número de colocações do cabo de elevação.
Além disso, com o programa “Equipar” podem ser vistas todas as tabelas de cargas programadas no
LICCON.

4.1 Ajuste do modo de serviço e do estado do equipamento montado


no momento
O condutor da grua pode ajustar o modo de serviço e o estado do equipamento montado no
momento com as teclas de função ou por meio do código curto de 4 dígitos.
Ajuste com as teclas de função:
encontra a explicação das teclas de função no parágrafo “Linha das teclas de função” neste Capítulo.
 Seleccionar as respectivas teclas de função.
 Pressionar a tecla Enter para confirmação e aceitação dos ajustes.
Resultado:
– os dados da tabela de cargas seleccionada podem ser vistos.

Ajustar com o código curto de 4 dígitos:


 introduzir o código curto de 4 dígitos através do campo de teclas no monitor LICCON;
 Pressionar a tecla Enter para confirmação e aceitação dos ajustes.
Resultado:
– os dados da tabela de cargas seleccionada podem ser vistos.

4.02 LIEBHERR 277


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196490

278 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4.2 Campos do programa “Equipar”


No programa “Equipar” o monitor está dividido em três campos:
– linha de informações gerais 1
– campo de indicação dos valores da tabela de cargas 2
– Linha das teclas de função 3

Observação
Indicação
 As figuras no monitor neste Capítulo servem apenas como exemplo. Os valores numéricos em
cada um dos símbolos e tabelas não têm necessariamente de corresponder à grua. As tabelas de
cargas programadas da grua devem ser respeitadas.

4.02 LIEBHERR 279


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196491

280 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4.2.1 Linha de informações gerais


1 Símbolo “Comprimento • Símbolo é igual em todos os modos de serviço
da lança telescópica”
2 Abreviaturas • Para as unidades de comprimento programadas (LE) e
unidades de peso (GE)
como LE são possíveis [m] e [ft]
como GE são possíveis [t] e [lbs]
3 Código curto de 4 dígitos • Junto a mensagem “CODE” dentro dos parêntesis rectos
• Cada código curto descreve inequivocamente um estado do
equipamento montado no momento da grua. Os estado do
equipamento montado no momento válidos e os respectivos
números do código curto encontram-se no livro de tabelas de
carga da grua.
4 Número organizatório de • Diz respeito à tabela de cargas ajustada
8 algarismos • Dependente do modo de serviço
• Exemplo: BXXX YYZZ
• Letra na primeira posição = base de calculação da tabela de
carga específica do país; por exemplo: “B” = DIN, BS 75%.
• Combinação de algarismos “XXX” = modo de grua
• Bloco de caracteres de 4 dígitos “YYZZ” = respectivo modo
de serviço; com isso YY = Estado geométrico principal;
ZZ = Estado geométrico dos acessórios
5 Número da página • Diz respeito à parte da tabela de cargas indicada no momento
• Está separado do número organizatório por “.”
• Entre parêntesis, encontra-se o número total de páginas desta
tabela de cargas

4.02 LIEBHERR 281


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196492

282 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4.2.2 Campo de indicação dos valores da tabela de cargas


1 Comprimentos das • em [m] respectivamente [ft]
lanças telescópicas no máximo, 7 colunas por página de indicações
• Indicação como eixo horizontal do campo dos valores de carga
2 Símbolo “Alcance da • Dependente do modo de serviço
lança” • em [m] respectivamente [ft]
• No máximo 9 linhas de valores de alcance
• Eixo vertical do campo dos valores de carga
3 Campo dos valores de • Colunas por baixo dos comprimentos das lanças telescópicas
carga e nas linhas à direita dos valores de alcance
• Valores de carga dependentes do comprimento e alcance das
lanças
4 Número de colocações •* n *
do cabo de elevação n = número de colocações do cabo de elevação entre o
cabeçal da lança e o moitão do gancho, para se poder levantar
a carga máxima da coluna da tabela de cargas
correspondente.
Indicação:
caso um valor de carga da coluna ultrapasse a carga elevável
com o número máximo de colocações, aparece junto do
número de colocações uma marcação (“!”). Esta marcação
alerta para o facto de, para elevar essa carga, ser necessário
um equipamento especial.
5 Linha de indicações • Se uma tabela de cargas for composta por mais de 7 colunas,
especiais esta não pode ser completamente apresentada devido ao
tamanho do monitor. Neste caso setas de marcação no
primeiro ou no sétimo campo desta linha alertam para o facto
de, à esquerda ou à direita da tabela mostrada, se
encontrarem outras colunas da tabela. Estas podem ser vistas
premindo a tecla E1 ou a tecla E2.
Como informação adicional será indicada o número da coluna
seleccionada no momento e o número das colunas nesta
tabela, por exemplo 45 (89) corresponde 45º de 89 colunas.
• Indicação:
com a combinação de teclas SHIFT e E1 ou SHIFT e
E2 poderá, quando possível, mudar de páginas entre as 7
colunas da tabelas de cargas (corresponde a 1 página) para a
esquerda ou para a direita. A marcação para a selecção do
ponto de limite dos elementos telescópicos será colocada no
centro.

4.02 LIEBHERR 283


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196492

284 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

6 Estado de expansão dos • Em percentagem [%]


elementos telescópicos • Na primeira coluna encontra-se o símbolo “Comprimento da
lança” [%].
Ao lado encontram-se dispostas 5 linhas para o estado de
expansão dos elementos telescópicos. Neste caso o número
na coluna dos símbolos designa o respectivo elemento
telescópico (número mais elevado = elemento telescópico mais
exterior). O valor da coluna do comprimento das lanças mostra
o estado percentual de expansão do elemento telescópico que
deve ser cumprido para o respectivo comprimento da lança.
O indicador de estado “+” ao lado do valor percentual do
estado de expansão significa que o correspondente elemento
telescópico deverá estar encavilhado.
O indicador de estado “-” ao lado do valor percentual do estado
de expansão significa que o correspondente elemento
telescópico poderá ser movimentado telescopicamente até ao
valor percentual do estado de expansão (conforme a tabela de
cargas) sob carga.
7 Marcação da selecção do • Através da tecla de função especial E1 ou da tecla de função
destino dos elementos especial E2 a marcação pode ser movimentada para a
telescópicos esquerda ou direita. (consultar o Capítulo 4.05, parágrafo
“movimentos telescópicos”)

4.02 LIEBHERR 285


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196493

286 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4.2.3 Linha das teclas de função


A linha das teclas de função é composta pelas teclas de função de F1 até F8 e a linha de símbolos
das teclas de função acima destas. As teclas de função correspondem aos símbolos das teclas de
função acima destas.
Através dos símbolos das teclas de função são indicadas várias funções ou eles alertam para as
seguintes modificações:
– modo de serviço
– estado do equipamento montado no momento
Nem todas as teclas de função do monitor LICCON têm de estar preenchidas com símbolos. Isto
depende do programa selecionado.
Premindo uma tecla de função, o símbolo acima desta muda a sua aparência, o seu significado ou o
seu conteúdo textual.
F1 Paginação vertical • Devido ao tamanho do monitor podem ser representadas
simultaneamente no máximo 10 linhas da tabela de cargas.
Caso uma tabela consista de mais de 10 linhas a sua
apresentação é dividida em várias páginas. Carregando uma
tecla, é mostrada a página seguinte da tabela de cargas e, ao
mesmo tempo, o número da página actual na “linha das
informações gerais” aumenta para o número seguinte. Tendo
chegado à última página e voltando a carregar na tecla de
função F1 volta-se à página 1.
F2 Estado geométrico • Possibilidade de ajuste dos vários modos de serviço da lança
principal principal da grua (caso se aplique). Os modos encontram-se
descritos no símbolo por meio de abreviaturas e dados de
comprimento.
• Exemplo:
T para lança telescópica
SHIFT e F2 • Lança principal anterior (caso se aplique)

4.02 LIEBHERR 287


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196493

288 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

F3 Acessórios • Possibilidade de ajuste dos vários tipos de acessórios da grua


(caso se aplique). Os modos encontram-se descritos no
símbolo por meio de abreviaturas e dados sobre o ângulo e o
comprimento.
• Exemplo:
“K 0°” 22 m serviço de grua com a ponta abatível* montada a
0° em relação à lança telescópica, comprimento de 22 m
• Indicação:
o accionamento da tecla de função F2 e / ou da tecla de
função F3 apaga todos os dados dependentes do modos de
serviço e do estado do equipamento montado no momento do
monitor e coloca o código curto na linha de informações gerais
em “CODE >????<”.
• Dados dependentes do modo de serviço:
• símbolo do comprimento da lança telescópica da linha de
informações gerais
• unidades de comprimento e de peso
• número organizatório da tabela de cargas
• símbolo do alcance da lança
• comprimentos das lanças telescópicas
• símbolo dos comprimentos das lanças telescópicas na zona
“Estado de expansão dos elementos telescópicos em
percentagem [%]”
• estado de expansão percentual dos elementos telescópicos
com indicador de estado
• Dados dependentes do estado de equipamento:
• numeração da página actual e das páginas totais da tabela
de cargas
• valores de alcance da lança em unidades de comprimento
• valores de carga em unidades de peso
SHIFT e F3 • Estado anterior dos acessórios
F4 Contrapeso • Possibilidade de ajuste do contrapeso actual que tem de se
encontrar no chassi superior, para que possam ser atingidos
os valores da tabela presente. Carregando na tecla aparece o
seguinte símbolo respectivo com texto complementar no
símbolo do contrapeso.
• Exemplo:
“74 t ” = contrapeso total de 74 t
F5 Base de apoio • Possibilidade de ajuste da base de apoio. Os apoios devem
ser estendidos e encavilhados nas medidas especificadas nos
símbolos, quando se tiver que trabalhar com a presente tabela
de cargas.
• Exemplo:
“8.88 m x 8.3 m ” = base de apoio larga, largura ( =
comprimento x largura)

4.02 LIEBHERR 289


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196493

290 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

F6 Zona de rotação do • Zona de trabalho 360°: movimento giratório ilimitado possível


chassi superior • Zona de trabalho 0°: para trás (travada).
F7 Colocação do cabo de • Possibilidade de ajuste do número de ramais de cabos de
elevação elevação para atingir uma determinada capacidade de carga
O número de ramais de cabos de elevação (colocação do
cabo) indicado no símbolo pode ser aumentado um a um
carregando na tecla, até um valor máximo estabelecido por
cada um dos modo de serviço. Depois o contador recomeça
por um valor mínimo também ele estabelecido pelo modo de
serviço.
Caso o valor programado, ao comutar o modo de serviço, se
encontre dentro da zona entre o valor mínimo e o valor
máximo, ele mantém a sua validade. Caso contrário, ele é
ajustado para o valor mínimo do novo modo de serviço.
• Depois de uma “primeira inicialização do programa” (por
exemplo, perda de dados na memória), indicação da
colocação do cabo de elevação indica “0”.
SHIFT e F7 • Retirar 1 das colocações do cabo
F8 Tecla de função • Confirmação do estado do equipamento montado no momento
Condições:
o ajuste de um estado do equipamento montado no momento
tem de estar completamente concluído, ou seja, é indicado um
código curto válido e no campo das tabelas encontram-se
valores de cargas.
As condições externas para este estado de equipamento, caso
prescritas, têm de ser cumpridas (por exemplo, bloqueamento
do chassi superior).
No estado do equipamento montado no momento a grua não
deverá ter uma carga superior a 20 % e a carga suspensa no
gancho não poderá pesar mais do que 0,5 t. De contrário, a
comutação para o programa “Serviço” apenas poderá ser feita
por meio da tecla do programa P1. Não será possível então
uma transmissão do novo estado do equipamento montado no
momento ajustado.
Se a grua estiver equipada com um controlador das longarinas
corrediças*, é necessário que as longarinas corrediças se
encontrem estendidas sobre a base de apoio indicada pela
tabela de cargas escolhida.
Se estas condições se verificarem, o estado do equipamento
montado no momento seleccionado e as colocações do cabo
são confirmados com a tecla “O.K.” e os parâmetros são
transmitidos ao programa “Serviço”.
Indicação:
após a comutação para a imagem de serviço, assegure-se de
que o estado do equipamento montado no momento escolhido
(código curto) e a(s) colocação(ções) do cabo de elevação
foram transmitidos.
• Indicação de erro de comando do programa “Equipar”
Erros de comando, que foram produzidos no programa
“Equipar”, serão indicados no símbolo por cima da tecla de
função F8 e depositados para aproximadamente 5 segundos
no registro de erros. Se neste espaço de 5 segundos a tecla
de função F8 for premida, será automaticamente mudado para
a imagem de determinação de erros do sistema de teste e o
erro é listado. O erro de comando não será memorizado.
Os erro de comando se encontram sempre nas primeiras
linhas da memória de erros.

4.02 LIEBHERR 291


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196494

292 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4.2.4 Outros elementos de serviço


A Campo de teclas • Premindo uma tecla do campo de teclas apagam-se todos os
dados do monitor dependentes do modos de serviço e do
estado de equipamento.
• Com os pulsadores 0 a 9 do campo de teclas é introduzido
directamente o código curto no monitor LICCON.
• A tecla P e a tecla . não têm funções no programa “Equipar”.
P Teclas do programa • Selecção dos vários programas. Os ajustes feitos no programa
equipar são apagados e continuam a utilizar-se o estado do
equipamento montado no momento e as colocações do cabo
confirmados por último através da tecla O.K.
O programa momentaneamente utilizado não pode voltar a ser
chamado por meio da sua tecla do programa.
C Tecla de confirmação • Serve para a confirmação da introdução de dados, tanto para a
“ENTER” confirmação da introdução de um código curto, como para a
modificação do estado do equipamento montado no momento,
através das teclas de função.
• Pressionando a tecla Enter após a introdução do código curto,
procura o código curto em todas as tabelas de cargas
memorizadas. Caso a tabela de cargas correspondente esteja
programada, esta é apresentada por inteiro, caso contrário
segue-se uma indicação de erro sob a forma de “????” na
segunda parte do número organizatório e o sinal acústico
“buzina” soa.
• Pressionando Enter depois de modificar o modo de serviço por
meio da tecla de função F2 e da tecla de função F3, procura
este modo de serviço, acciona o seu primeiro estado do
equipamento montado no momento e mostra a tabela de
cargas correspondente e o seu código curto. Em caso de erro,
a indicação de código curto mantém-se como “CODE ????”,
como número organizatório será indicado “axxx???” e o sinal
acústico “buzina” soa.
• Pressionando a tecla Enter depois de modificar o estado do
equipamento montado no momento por meio da tecla de
função F4, da tecla de função F5 e da tecla de função F6,
apresenta no monitor esta tabela de cargas (caso exista), em
conjunto com o código curto. Em caso de erro, a indicação do
código curto mantém-se como “CODE ????” e o sinal acústico
“buzina” soa.
D Pulsador à chave de • Não tem qualquer função no programa “Equipar”
ligação por ponte
E Paginação horizontal • Os pulsadores E1 e E2 têm apenas uma função quando se
chama a atenção para tal na “linha para indicações especiais”.
Caso uma tabela de cargas seja composta por mais do que 7
colunas, regra geral, são indicadas as colunas 1 a 7 na
primeira indicação do estado do equipamento montado no
momento.
A seta dupla à margem da linha direita chama a atenção para
outras colunas nesse sentido. Se o cursor for movimentado ao
longo de uma margem marcada com setas, assim são
indicadas, no movimento seguinte neste sentido, as três
colunas seguintes da tabela. Depois o cursor será novamente
centrado automaticamente.
H Tecla SHIFT • Por exemplo função Supervisor

4.02 LIEBHERR 293


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196495

294 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5 O programa “Serviço”
O programa LICCON “Serviço” apoia o condutor da grua mostrando permanentemente no monitor, de
uma forma compreensível, os dados relevantes para o serviço da grua. Um sinal acústico
acompanha todas as indicações críticas. Conforme o equipamento poderá ser adicionada uma linha
com outros símbolos pelo condutor da grua, caso necessário, ou automaticamente em caso de falha.
Além disso, o condutor da grua é alertado para estados de sobrecarga eminentes. Em caso de
sobrecarga e em muitos estados de erro, que poderiam causar perigo, ocorre um desligamento.
No programa “Serviço” o monitor está dividido em seis zonas:
– informações sobre a geometria da grua e a carga 1
– funções de alarme 2
– funções especiais 3
– funções adicionais monitoradas 4
– indicação do cabrestante 5
– Linha das teclas de função 6

Observação
Indicação
 As figuras no monitor neste Capítulo servem apenas como exemplo. Os valores numéricos em
cada um dos símbolos e tabelas não têm necessariamente de corresponder à grua. A ocupação
do monitor LICCON com os símbolos são utilizados apenas para descrição.
 Uma indicação idêntica dos símbolos não aparecerá no serviço de grua!

4.02 LIEBHERR 295


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196496

296 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.1 Informações sobre a geometria da grua e a carga


1 Símbolo “Carga • Em [t] ou [lbs]
máxima”
1.1 Número de colocações • n = o número de colocações do cabo de elevação, colocado no
do cabo de elevação cabeçal de polias seleccionado por meio da tabela de cargas
(anteriormente ajustado no programa “Equipar”).
1.2 Carga máxima segundo a • Em [t] ou [lbs]
tabela de cargas e as • Esta depende de:
colocações do cabo • modo de serviço seleccionado
• estado do equipamento montado no momento escolhido
(tabela de cargas)
• alcance da lança
• colocações do cabo de elevação
• Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando não é possível o acesso a um
valor da tabela de cargas, por exemplo por a grua não se
encontrar no campo da tabela de cargas ou faltarem um ou
mais sensores ou estarem de tal modo danificados que o
alcance da lança não possa ser calculado.
2 Símbolo “Carga • Em [t] ou [lbs]
momentânea”
2.1 Carga momentânea • Indicação da carga real = carga (em [t] ou[lbs]) no momento
suspensa do gancho da grua
• É indicada a carga total calculada incluindo os pesos dos
elementos de carga, recepção da carga e / ou meios de
fixação
Accionando a função “Tarar” (consulte a descrição tecla de
função F7 no parágrafo “Linha de símbolos das teclas de
função”) é possível comutar para a indicação do peso líquido.
No símbolo aparece ainda a palavra “líquido”, a designação da
unidade de peso encontra-se directamente ao lado do símbolo
de carga.
• Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando faltam um ou mais sensores ou
se encontram de tal modo danificados que não é possível
calcular a carga momentânea.

4.02 LIEBHERR 297


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196496

298 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

3 Símbolo “barra indicadora


do grau aproveitamento
dinâmico”
3.1 Número organizatório de • Designa o modo de tabela de cargas ajustada e o modo de
8 algarismos serviço
3.2 Código curto • Designa o estado do equipamento montado no momento
ajustado
3.3 Escala do grau • Marcação a partir de 90% de aproveitamento: pré-aviso
aproveitamento • Marcação em 100% de aproveitamento: desligamento -STOP
3.4 Barra indicadora do grau • conforme a tabela de cargas e colocação do cabo
aproveitamento dinâmico
da grua
3.5 Rotação do motor • Em r.p.m.
• Indicação:
“????” será indicado num valor de rotações inválido
(aproximadamente 10 segundos). Em caso de avaria, será
comutado para rotações fixas. A indicação numérica pisca,
além disso é apresentada uma mensagem de erro.
3.5.1 Fixação da rotação do • A rotação do motor pode ser fixada através do interruptor
motor mestre. Com as rotação do motor fixada aparece o símbolo
“+” atrás dos dados de rotações.
4 Símbolo “Alcance da
lança”
4.1 Alcance da lança • em [m] respectivamente [ft]
Designa a distância horizontal do centro de gravidade da carga
(no gancho de carga seleccionado pelo modo de serviço) do
eixo de rotação do chassi superior da grua, medida no chão.
Aqui é tomada em consideração a flexão da lança causada
pelo próprio peso e a carga suspensa.
• Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando faltam dados geométricos ou
valores dos sensores, de modo que não é possível calcular o
alcance da lança.
4.2 Ângulo da lança principal • Em [°]
para a horizontal • Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando faltam dados geométricos ou
valores dos sensores, de modo que não é possível calcular o
ângulo da lança principal para a horizontal.

4.02 LIEBHERR 299


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196496

300 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5 Símbolo “Comprimento
da lança principal”
5.1 Comprimento da lança • em [m] respectivamente [ft]
principal
5.2 Estado de expansão de • Em [%]
cada um dos elementos Sequência: elemento telescópico 1 até ao elemento
telescópicos telescópico 5 da esquerda para a direita
5.3 TELEMATIC • Funções especiais no programa “Serviço”
Indicação:
no símbolo “Comprimento da lança principal” são
apresentadas todas as informações necessárias, para que um
condutor da grua experiente possa, sem mudar para o
programa “Movimentos telescópicos”, estender a lança
telescópica no comprimento desejado.
5.3.1 Alcançado o destino
pré-seleccionado do
movimento telescópico
5.3.2 Comando de • Pedido: retrair a lança telescópica = seta para baixo
direccionamento através • Pedido: expandir a lança telescópica = seta para cima
do interruptor mestre
5.3.3 Erro no sistema
6 Símbolo “Altura do
cabeçal de polias”
6.1 Altura do cabeçal de • em [m] respectivamente [ft]
polias • Designa a distância vertical entre a superfície da base da grua
e o eixo do cabeçal de polias seleccionado, para o qual é
válida a carga máxima indicada.
• Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando faltam dados geométricos ou
valores dos sensores, de modo que não é possível calcular a
altura do cabeçal de polias.
6.2 Ângulo da ponta abatível • Em [°]
hidraulicamente ajustável • O ângulo da ponta abatível será indicado como ângulo relativo
(TNZK)* entre o cabeçal de polias da lança telescópica e a ponta
abatível.
• Indicação:
é indicado “? ? ? . ?” quando faltam dados geométricos ou
valores dos sensores,de modo que não é possível calcular o
ângulo da ponta abatível hidraulicamente ajustável.

4.02 LIEBHERR 301


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196497

302 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.2 Funções de alarme


Os movimentos da grua são controlados nas suas zonas de limitação. Quando um limite for
alcançado condutor da grua será informado através do surgimento dos seguintes símbolos
intermitentes.
2 Símbolo “Limitação da • A zona de basculação da lança é limitada tanto para cima
lança” como para baixo. Se ao bascular a lança é atingida uma
posição final obtida pela tabela de cargas escolhida, surge
este símbolo.
2.1 Seta indicando para • A seta indica que o desligamento da lança principal foi
cima causada por se ter atingido o limite superior.
Indicação:
é possível bascular a lança principal para baixo.
2.2 Seta indicando para • A seta indica que o desligamento da lança principal foi
baixo causada por se ter atingido o limite inferior.
Indicação:
é possível bascular a lança principal para cima.

4.02 LIEBHERR 303


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196498

304 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

3 Símbolos “Gancho em • Para se evitar que a grua seja operada sem o interruptor de
cima no HES1 / HES2* ” fim de curso de elevação (HES), deve-se frequentemente
monitorar a presença da configuração mínima do interruptor
fim de curso. Não estando encaixado um interruptor de fim de
curso de elevação necessário para um determinado tipo de
serviço, isto é, não activado no Sistema de barramento (Bus)
LSB, então será causado um STOP-LMB e será ainda
apresentada uma mensagem de erro de operação. São
possíveis quatro interruptores de fim de curso de elevação.
3.1 HES1 • Local de montagem: cabeçal da lança telescópica à direita
Endereço no Bus: 28
Interruptor: -S930
• O símbolo aparece quando:
• o moitão do gancho vai chocar contra o HES1 no cabeçal da
lança telescópica à direita
• HES1 não está activo, mesmo sendo obrigatório que ele se
encontre no barramento (Bus)
• HES1 tem um erro interno
• Indicação:
os movimentos da grua enrolar o cabrestante de elevação,
bascular para baixo a lança telescópica e expandir a lança
telescópica serão desligados.
3.2 HES2* • Local de montagem: Ponta abatível simples* ou Lança
auxiliar*
Endereço no Bus: 27
Interruptor: -S940
• O símbolo aparece quando:
• o moitão do gancho choca contra o HES2 na ponta abatível
simples* ou na lança auxiliar*
• HES2 não está activo, mesmo sendo obrigatório que ele se
encontre no Bus
• HES2 tem um erro interno
• Indicação:
os movimentos da grua enrolar o cabrestante de elevação,
bascular para baixo a lança telescópica e expandir a lança
telescópica serão desligados.
O HES2 tem que estar encaixado no modo de serviço “Ponta
abatível simples” ou “Lança auxiliar”. Não sendo este o caso,
será causado um “STOP-LMB” e será ainda apresentada uma
mensagem de erro de comando.
3.3 HES1 e HES2* • O símbolo aparece, quando o símbolo HES1 3.1 e
HES2 3.2 aparecerem simultaneamente.

4.02 LIEBHERR 305


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196498

306 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4 Símbolos “Gancho em • Para se evitar que a grua seja operada sem o interruptor de
cima no HES3* / fim de curso de elevação (HES), deve-se frequentemente
HES4* ” monitorar a presença da configuração mínima do interruptor
fim de curso. Não estando encaixado um interruptor de fim de
curso de elevação necessário para um determinado tipo de
serviço, isto é, não activado no Sistema de barramento (Bus)
LSB, então será causado um STOP-LMB e será ainda
apresentada uma mensagem de erro de operação.
4.1 HES3* • Local de montagem: ponta abatível dupla*
Endereço no Bus: 26
Interruptor: -S945
• O símbolo aparece quando:
• o moitão do gancho choca contra o HES3 na ponta abatível
dupla*
• HES3 não está activo, mesmo sendo obrigatório que ele se
encontre no Bus
• HES3 tem um erro interno
• Indicação:
os movimentos da grua enrolar o cabrestante de elevação,
bascular para baixo a lança telescópica e expandir a lança
telescópica serão desligados.
O HES3 tem que estar encaixado no modo de serviço “ponta
abatível dupla”. Não sendo este o caso, será causado um
“STOP-LMB” e será ainda apresentada uma mensagem de
erro de comando.
4.2 HES4* • Local de montagem: cabeçal da lança telescópica esquerdo
* ou polia na extremidade do mastro*
Endereço no Bus: 24
Interruptor: -S931
• O símbolo aparece quando:
• o moitão do gancho choca contra o HES4 no cabeçal da
lança telescópica à esquerda* ou na polia na extremidade da
lança*
• HES4 não está activo, mesmo sendo obrigatório que ele se
encontre no Bus
• HES4 tem um erro interno
• Indicação:
os movimentos da grua enrolar o cabrestante de elevação,
bascular para baixo a lança telescópica e expandir a lança
telescópica serão desligados.
O HES4 tem que estar encaixado no modo de serviço “Polia
na extremidade da lança”. Não sendo este o caso, será
causado um “STOP-LMB” e será ainda apresentada uma
mensagem de erro de comando.

4.02 LIEBHERR 307


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196499

308 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5 Símbolo “Pré-aviso”
5.1 Aproveitamento das • Da “carga actual” e da “carga máxima segundo a tabela de
tabelas de carga cargas e colocação do cabo” resulta o grau actual de
aproveitamento das tabelas de carga. O símbolo
“pré-aviso” aparece quando o grau actual de aproveitamento
das tabelas de carga ultrapassa os limites programados para o
pré-aviso (90 %).
5.2 Monitoração do motor • Se surgir um aviso na monitoração do motor, aparecerá o
símbolo “pré-aviso da monitoração do motor” no monitor
LICCON.
6 Símbolo “STOP”
6.1 Ultrapassagem da • O símbolo “STOP” aparece, quando o aproveitamento da
capacidade de carga tabela de cargas (“actual carga” > “ultrapassa a máxima carga
conforme a tabela de cargas e colocação do cabo”) a marca
de 100%.
• Indicação:
são desligados todos os movimentos da grua que aumentam o
momento de carga.
6.2 Monitoração do motor • Se surgir um STOP na monitoração do motor, seguir-se-á a
comutação automática (do programa “Serviço”,
“Estabilização” ou “Movimentos telescópicos”) para o programa
“Monitoração do motor”.
6.3 Limitação da zona de • Atingindo-se a limitação da zona de trabalho* programada,
trabalho* este estado será indicado através do símbolo STOP limitação
da área de trabalho* 6.3 em lugar do símbolo
“STOP-LMB” 6.1 normal.
Indicação:
se simultaneamente ocorrer um STOP-LMB, continua a ser
indicado o símbolo STOP Limitação da área de trabalho* 6.3.
Se pode reconhecer o STOP-LMB, quando a barra indicadora
do grau aproveitamento dinâmico ultrapassa os 100% ou
quando uma carga máxima de 0 t está autorizada.

4.02 LIEBHERR 309


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196500

310 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

7 Símbolo “Buzina” • Sinal acústico


• Soa adicionalmente quando há uma indicação óptica (por
exemplo E:1TMS) de erros de serviço encontrados, que levam
ao desligamento de um movimento, e quando há erros de
aplicação com número de erro (por exemplo erro no sensor,
causados por falsos sinais no sensor ou por um sensor
avariado)
“Buzina” tem um apito longo de aproximadamente 0,5
segundos, o qual será repetido num ciclo de segundo.
• Erros de serviço são:
• sobrecarga
• lança fora da zona do ângulo da tabela de cargas
• lança fora da zona do alcance da lança na tabela de carga
• estado de expansão dos elementos telescópicos não
correspondente à tabela de cargas
• Sensores controlados são:
• interruptor de fim de curso de elevação
• transmissor de comprimento
• transmissor de ângulo
• transmissor de pressão
• anemómetro
• tensão das baterias
• sensor indutivo
“Buzina breve” • Soa quando há uma indicação óptica de erros que não têm
número de erro e que não levam imediatamente ao
desligamento dos movimentos da grua pelo dispositivo de
segurança contra sobrecarga LICCON.
“Buzina curta” tem um apito de aproximadamente 0,1
segundos, o qual será repetido num ciclo de segundo.
• Erros controlados são:
• ultrapassagem da velocidade do vento máxima permitida
(apenas com o Anemómetro* activado)
• força de apoio máxima ou mínima ultrapassada (apenas
com controlo da força de apoio* activado)
• valor de aproveitamento da grua para “ATENÇÃO” (90 %)
atingido.
Prioridade e “Buzina desligada” • O alarme “Buzina” tem uma prioridade superior ao alarme
“Buzina breve”, isto é, a “Buzina” supera a “Buzina breve”.
• Tanto a “Buzina” como a “Buzina breve” do monitor podem ser
desligadas por meio da tecla de função F8.
• Através dum novo accionamento da tecla de função F8 será
mudado automaticamente para a imagem de determinação de
erros do sistema de teste. Nesta imagem será mostrado o erro
documentado.
• Indicação:
tanto a “Buzina” como a “Buzina breve” voltam, porém, a
reactivar-se imediatamente em caso de um novo erro.

4.02 LIEBHERR 311


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196501

312 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.3 Funções especiais


Para as funções especiais consultar também o Capítulo 4.04, parágrafo “Resumo do aviso
acústico/visual”.
1 Símbolo “Serviço de
montagem”
1.1 Montagem • O símbolo pisca, quando o comando da grua é comutado
através do pulsador à chave de ligação por ponte D para a
posição “Montagem”.
Indicação:
o programa “Serviço” está travado, quer dizer não pode ser
comutado mais nenhum programa através das teclas do
programa.
1.2 Serviço de emergência • O símbolo pisca em serviço de emergência: interruptor S81 ou
sem montagem XNOT accionado. Quando não está comutado através do
pulsador à chave de ligação por ponte D para “Montagem”.
Indicação:
o programa “Serviço” não estará bloqueado neste caso.
o modo de serviço “Sem ligação por ponte do motor” está
activo.
1.3 Serviço de emergência e • O símbolo pisca em serviço de emergência, quando é
Montagem comutado através do pulsador à chave de ligação por ponte
D para “Montagem”.
2 Símbolo “Velocidade • O símbolo aparece, quando num movimento da grua está
rápida” comutada a velocidade rápida.
• Isto é possível nos seguintes movimentos da grua:
• subir / descer mecanismo de elevação 1
• subir / descer mecanismo de elevação 2
• bascular a lança para cima

4.02 LIEBHERR 313


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196502

314 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.4 Funções adicionais monitoradas para o serviço da grua


Existem funções adicionais monitoradas, as quais se deixam iluminar caso necessário ou
automaticamente.
O monitoramento de todas as funções adicionais está sempre activa, somente os símbolos poderão
estar desligados. Os símbolos das funções adicionais monitoradas têm o seu lugar fixo no monitor
LICCON.
Com a tecla de função F3 podem-se ligar os símbolos das funções adicionais monitoradas. Já que
nem todos os símbolos para as funções adicionais cabem numa página (com ocupação máxima),
serão distribuídos em duas páginas. Os símbolos da página 2 (caso existir) podem ser mostrados
através da tecla de função F4.
Página 1:
inclinação da grua 1
velocidade do vento 2
indicação da força de apoio 3
zona de rotação 4
carga movimentada telescopicamente 5
Página 2:
sem função
Aparece um ou mais erros destas funções vigiadas aparecerá a apresentação no programa
“Serviço” como se segue:
• funções adicionais monitoradas desligadas F3:
• Erro numa função na página 1:
símbolo indicado na página 1.
• Erro numa função na página 2:
símbolo indicado na página 2.
• Erro numa função na página 1 e 2:
símbolo indicado na página 1 e símbolo por cima de F4 pisca ( = chamada de atenção para
erro de uma função na página 2).
• Funções adicionais monitoradas conectadas F3:
• nenhum erro:
os símbolos opcionais (a pedido do cliente) serão indicados.
Caso também haja símbolos opcionais na página 2, o símbolo “Mudança de página” da tecla
F4 está activado ( = indicação para a possibilidade de mudança).
• Erro numa função na página 1:
símbolo já está indicado.
• Erro numa função na página 2:
símbolo “Mudança de página” pisca (= chamada de atenção para erro de uma função na outra
página).
• Erro numa função na página 1 e 2:
símbolo indicado na página 1.
símbolo “Mudança de página” pisca (= chamada de atenção para erro de uma função na outra
página).

4.02 LIEBHERR 315


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196503

316 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

1 Símbolo “Inclinação” • Indicação da inclinação do chassi superior da grua em relação


à horizontal no sentido longitudinal e transversal. A indicação é
gráfica e numérica.
1.1 Parte gráfica • A representação gráfica tem a forma de um nível de bolha de
ar, no qual se move um ponto (pequeno quadrado) que
representa a bolha de ar. O centro do ponto indica o valor
exacto da inclinação.
1.2 Parte numérica
1.2.1 Zona de inclinação • Valor 1° ou 5°
Este valor representa a solução da representação gráfica, e
pode apenas aceitar os valores “1°” ou “5°”. Sendo a inclinação
da grua no sentido transversal e no sentido longitudinal inferior
a 1°, o nível de bolha de ar move-se na zona de 1°. Caso um
dos valores ultrapasse pelo mínimo o limite de 1°, dá-se uma
comutação para a zona de 5°.
A mudança de zona ocorre automaticamente.
1.2.2 Inclinação da grua • Em [°] no sentido transversal
• A seta dupla descreve o sentido da inclinação:
• seta dupla à esquerda = a grua está inclinada para a
esquerda
• seta dupla à direita = a grua está inclinada para a direita
1.2.3 Inclinação da grua • Em [°] no sentido longitudinal
• A seta descreve o sentido da inclinação:
• seta para cima =a grua está inclinada para trás
• seta para baixo = a grua está inclinada para a frente

4.02 LIEBHERR 317


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196523

318 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

2 Símbolo “Velocidade do • As velocidades do vento são indicadas dependendo das


vento” unidades de medição usadas na tabela de cargas em [m/s] ou
[ft/s].
2.1 Símbolo “Velocidade do • Em [m/s] ou em [ft/s]
vento”
2.2 Velocidade do vento
actual
2.2.1 Anemómetro (WG) 2 • Anemómetro 2 existente:
(acessório) cabeçal da lança telescópica: sem indicação
acessório: velocidade do vento actual do WG2 será indicada
• Anemómetro 2 não existente:
cabeçal da lança telescópica: sem indicação
acessório: “???” será indicado estaticamente
2.2.2 Anemómetro (WG) 1 • Anemómetro 1 existente:
(cabeçal da lança cabeçal da lança telescópica: velocidade do vento actual do
telescópica) WG1 será indicada
acessório: velocidade do vento actual do WG1 será indicada
• Anemómetro 1 não existente:
cabeçal da lança telescópica: “???” será indicado
estaticamente no WG1
acessório: “???” será indicado estaticamente no WG1
2.3 Velocidade do vento • Com o símbolo com texto “máx:”
máxima permitida • O valor depende do tipo de serviço e do estado do
equipamento montado no momento
Indicação:
não sendo possível aceder a uma tabela de carga, o valor
máximo começa a piscar e o alarme acústico “Buzina
breve” soa.
Caso o valor actual da velocidade do vento ultrapasse o valor
máximo indicado, este começa a piscar e o alarme acústico
“Buzina breve” soa.
Os movimentos da grua não são desligados!

4.02 LIEBHERR 319


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196504

320 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

3 Símbolo “Indicação da • O controlo da força de apoio LICCON verifica


força de apoio” * permanentemente, durante o serviço da grua, a pressão
hidráulica actual nos 4 cilindros de apoio por meio do sensor
de pressão e converte-a numa força [t] para cada estabilizador.
O símbolo “Indicação da força de apoio” * 3 pode ser indicado
caso necessário no programa “Serviço”, ou o símbolo
aparecerá automaticamente ao ocorrer uma situação crítica
juntamente com o sinal de alarme “buzina breve”, quando um
estabilizador alcança ou ultrapassa a força máxima ou um
estabilizador alcança ou fica abaixo da força mínima. O valor
correspondente será indicado com uma luz intermitente.
Indicação:
para cada estabilizador estão programadas de fábrica a
mesma força de apoio máxima e uma força mínima comum.
No programa “Estabilização” podem ser alterados estes 5
valores de acordo com a situação. (veja o parágrafo
“Modificação do monitoramento mínima e máxima da força de
apoio”)
Independente dos valores mínimos / máximos programados
será controlada regularmente, quando a soma das duas forças
do apoio mínimas for inferior de que 15% das forças de apoio
total. Se este limite não for atingido, serão assim apresentados
os dois apoios com as menores forças.

PERIGO
Perigo!
 Não ocorrerá um desligamento dos movimentos da grua ao alcançar as forças de apoio mínima /
máxima programadas!

PERIGO
Perigo de queda!
 Quando os dois estabilizadores com a menor força se encontram no sentido da lança, desliga-se
o movimento telescópico de retracção.

3.1 Indicação da actual força • Indicação da força de apoio por estabilizador


de apoio

PERIGO
Perigo devido a indicação da força de apoio errada!
A indicação da força de apoio pode, sob determinadas circunstâncias, ser errada ou imprecisa.
 Veja também as indicações de perigo no parágrafo “Estabilização / Notas”.

3.2 Unidade de peso da força • Em [t] ou [lbs]


de apoio
3.3 Indicação da base de
apoio

4.02 LIEBHERR 321


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196505

322 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

4 Símbolo “Zona de
rotação”
4.1 Velocidade de rotação • V: [%]
máxima • Designa a “velocidade de rotação máxima” actual
(seleccionada) do mecanismo de rotação com o interruptor
mestre totalmente direccionado, em relação à velocidade de
rotação máxima atingível do mecanismo de rotação com a
pré-selecção de velocidade de 100%.
No programa LICCON “Parâmetros de controlo” este valor é
pré seleccionável em graus percentuais pré-definidos.

PERIGO
Perigo de acidente devido a velocidade de rotação demasiado elevada!
 A pré-selecção tem de ser efectuada de acordo com as indicações do livro de tabelas de carga.

4.2 Posição momentânea do • Em relação à direcção principal de trabalho “para trás” (0 [°])
chassi superior da grua* sobe no sentido horário até ao valor máximo de 180º
4.2.1 Sentido da variação A seta à frente do valor indica o sentido da variação
• Seta para a direita: girar para a direita
• Seta para a esquerda: girar para a esquerda
4.3 Estado do bloqueamento
entre o chassi superior e
o chassi inferior
4.3.1 Retenção parada • Cavilha de bloqueio em alto: chassi superior desencavilhado
4.3.2 Retenção intermitente • Cavilha de bloqueio nas posição intermédia: erro
4.3.3 Retenção parada • Cavilha de bloqueio em baixo, ±5° para trás: chassi superior
encavilhado para trás
4.3.4 Retenção intermitente • Cavilhas de bloqueio em baixo, não depois de ± 5° para trás:
chassi superior encavilhado

4.02 LIEBHERR 323


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196506

324 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5 Símbolo “Carga • Este símbolo aparece automaticamente quando é


movimentada seleccionado o movimento da grua “movimentos
telescopicamente” telescópicos” e a lança telescópica ainda se encontra
encavilhada.
No símbolo é indicada a carga na unidade de peso marcada
pela tabela de cargas ([t] ou [lbs]), sob a qual o elemento
telescópico seleccionado ainda pode ser desencavilhado e a
qual pode de seguida ser movimentada telescopicamente.
• A valor indicado começa a piscar e o alarme acústico “Buzina
breve” soa, quando a carga suspensa no gancho é maior ou o
valor indicado é “0”.
• Caso a lança telescópica não se encontre encavilhada,
aparece no símbolo “Carga máxima” 1 o mesmo valor que no
símbolo “Carga movimentada telescopicamente” 5 e o símbolo
“Carga movimentada telescopicamente” 5 deixa de aparecer
automaticamente, mas sim somente depois de accionada a
tecla de função F3.

4.02 LIEBHERR 325


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196507

326 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.5 Símbolo “Indicação do cabrestante”


1 Símbolo “Cabrestante 2” • O significado dos símbolos para cabrestante 1 e cabrestante
2* são idênticos e será explicado no Símbolo “cabrestante
1” 2.
2 Símbolo “Cabrestante 1”
2.1 Caminho percorrido • Em [m] ou [ft]
a partir de um ponto zero a ser pré determinado
• em serviço individual com a colocação do cabo ajustado no
Programa “Equipar”: percurso percorrido pelo gancho
em serviço paralelo: percurso percorrido pelo moitão
• As posições anteriores à vírgula são apresentadas com, no
máximo, 3 grandes algarismos. As posições posteriores à
vírgula são apresentadas com algarismos pequenos. (Veja
também a descrição da tecla de função F1 e da tecla de
função F2).
• Condição para uma indicação correcta é a concordância entre
o valor introduzido e o número real de ramais do cabo entre o
cabeçal da lança e o moitão do gancho.
Caso as colocações do cabo ajustadas não se encontrem em
conformidade com a colocação do cabo do respectivo
cabrestante (por exemplo, cabrestante na polia na extremidade
da lança com a tabela de cargas accionada para a lança
principal), pode ser calculado o percurso correcto do gancho a
partir do percurso do gancho indicado como se segue:

Interpretação dos caracteres


• sHk = percurso correcto do gancho
• sHa = percurso do gancho indicado
• ne = colocação do cabo ajustadas
• nt = colocação do cabo real
• O cálculo do percurso do gancho somente funciona com
exactidão se a carga se encontrar suspensa e não for
basculada durante a manobra de elevação. A flexão e a
extensão do cabo não são tomados em consideração.
• Indicação:
a indicação do comprimento (indicação do percurso do
gancho) somente é correcta e a passagem de uma camada
para outra somente será correctamente considerada, se o
cabrestante tiver sido ajustado e, entretanto, não tiver havido
qualquer interrupção na alimentação eléctrica da unidade
central ZE ("primeira inicialização do programa"). O
ajustamento da indicação do percurso do gancho efectua-se
enrolando e desenrolando o cabo até accionar o interruptor
ajustável.
2.2 Sentido do movimento do As setas no valor do comprimento indicam o sentido do
gancho movimento do gancho em relação ao ponto zero:
• seta para cima: o gancho movimentou-se do ponto zero para
cima
• seta para baixo: o gancho movimentou-se do ponto zero para
baixo
2.3 Unidade de comprimento • Em [m] ou [ft]
para a indicação do
percurso do gancho

4.02 LIEBHERR 327


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196507

328 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

2.4 Indicação do estado do • Existem cinco símbolos do estado do cabrestante (todos


cabrestante intermitentes):
2.4.1 desenrolar
2.4.2 enrolar
2.4.3 desenrolado • Desenrolar encontra-se bloqueado
2.4.4 enrolado • Enrolar encontra-se bloqueado
2.4.5 O cabrestante está • Enrolar e desenrolar estão bloqueados (através do programa
desactivado ou não “Parâmetros de controlo”)
introduzido • Indicação:
não aparece qualquer símbolo do estado do cabrestante,
então o cabrestante activado encontra-se parado e não está
nem enrolado e nem desenrolado.
2.5 Símbolo do cabrestante • (com fim do cabo para o símbolo do estado do cabrestante)
2.6 Número do cabrestante • Exemplo: 1 : 1 Y
com número de Primeira cifra: número do cabrestante
interruptor mestre e Segunda cifra: número do interruptor mestre
accionamento da Letra: direcção de accionamento do interruptor mestre
direcção do interruptor
mestre

2.7 Transmissor de • Quando o sensor de vibrações para um cabrestante for


vibrações* comutado no interruptor mestre, aparece no símbolo do
cabrestante o símbolo sensor de vibrações* 2.7.
Na primeira função da grua dirigida será conectado o sensor
de vibrações.

4.02 LIEBHERR 329


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196508

330 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.6 Linha das teclas de função


A linha das teclas de função é composta pelas teclas de função de F1 até F8 e a linha de símbolos
das teclas de função acima destas. As teclas de função correspondem aos símbolos das teclas de
função acima destas.
Os símbolos das teclas de função podem desencadear uma função ou mudar, por accionamento
(teclas de função) a sua aparência e com isso o seu significado.
Nem todas as teclas de função têm de estar preenchidas com símbolos. Isto depende do programa
selecionado “activo”.
Premindo uma tecla de função, o símbolo acima desta muda a sua aparência, o seu significado ou o
seu conteúdo textual.
F1 Tecla de função • Ponto zero para indicação do percurso do gancho cabrestante
2*
• Através da tecla de função F1 aparece o símbolo “colocar a
zero a indicação do cabrestante”, isso significa ao premir a
tecla será colocado o indicador do percurso do gancho do
cabrestante 2* no símbolo do cabrestante que se encontra por
cima para “000,00”. A partir de aqui é válida a medição do
percurso.
F2 Tecla de função • Ponto zero para indicação do percurso do gancho cabrestante
1
• Através da tecla de função F2 aparece o símbolo “colocar a
zero a indicação do cabrestante”, isso significa ao premir a
tecla será colocado o indicador do percurso do gancho do
cabrestante 1 no símbolo do cabrestante que se encontra por
cima para “000,00”. A partir de aqui é válida a medição do
percurso.
F3 Tecla de função • Símbolos de monitoramento, ligar ou desligar
• Com a tecla de função F3 podem ser ligadas ou desligadas
todas as funções adicionais monitoradas previstas na grua.
• O aspecto do símbolo modifica-se de acordo com o estado:
• “moldura grossa” = símbolos das funções adicionais
desligados
• “moldura fina” = símbolos das funções adicionais ligados
• Indicação:
o monitoramento de todas as funções adicionais está sempre
activa, somente os símbolos poderão ser desligados. Quando
uma limitação vigiada for ultrapassada, então segue-se um
sinal acústico de aviso (buzina) e o correspondente símbolo
será indicado, também quando os símbolos de vigilância
estavam desligados.
F4 Tecla de função • Comutar a página de monitoramento, (caso exista)
consulte também o parágrafo “Funções adicionais
monitoradas”
F5 Tecla de função • sem função
F6 Tecla de função • sem função

4.02 LIEBHERR 331


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196508

332 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

F7 Tecla de função • Taragem


• Activando a tecla de função F7 a indicação da carga real é
colocada em “0”. Simultaneamente aparece no símbolo da
indicação da carga real a mensagem “neto” ("líquido"). Por
meio desta função é, por exemplo, possível eliminar os pesos
do cabo de elevação, dos elementos de transporte, meios de
retenção de carga e meios de fixação e assim indicar apenas o
peso da carga a levantar (carga líquida).
Quando é retirada a taragem, desaparece a mensagem
“líquido” do símbolo “Indicação da carga real” e é indicado o
valor da carga bruta
• Esta taragem é eliminada através de uma das três seguintes
acções:
• premindo de novo a tecla de função F7.
• movimentos telescópicos da lança para mais de 3 unidades
de comprimento (dm respectivamente 1/10 ft)
• basculando mais de ± 4°
F8 Tecla de função • Desligar buzina / diagnóstico de erro
• Desligamento do sinal acústico de aviso
Os sinais de aviso acústicos “buzina” e “buzina curta” podem
ser desligadas pressionando-se a tecla de função F8.
Em caso de novo erro o sinal de aviso acústico volta a ligar.
• Mensagem de erro no símbolo “Buzina”
Ao surgir um erro de sistema, de aplicação ou de comando,
aparece no símbolo “Buzina” uma mensagem de erro (veja a
figura 1).
Exemplo: E:0EAM1
Após premir duas vezes a tecla de função F8 o sinal acústico
de aviso será desligado e o programa “Sistema de testes”,
mudará para a imagem de determinação de erros, onde o erro
será documentado. (veja o capitulo Diagnóstico)
• Função especial do símbolo “Buzina”
Para a entrega da grua o sistema computadorizado LICCON
dispõe de um programa especial. Após a entrega da grua este
programa é bloqueado. Se no símbolo “Buzina” for indicada
uma marcação suplementar (triângulos na margem superior,
veja a figura 2), isto significa que o programa ainda não está
bloqueado. Deve entrar imediatamente em contacto com os
serviço de assistência ao cliente da LIEBHERR.
Para evitar comandos errados, o acesso ao programa
especial somente é permitido ao pessoal treinado e
especializado da LIEBHERR.

4.02 LIEBHERR 333


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196509

334 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

5.7 Outros elementos de serviço


Para os restantes elementos de função da unidade de indicações e de função do sistema
computadorizado LICCON estão designadas no programa “Serviço” as seguintes funções.
A Campo de teclas • Os pulsadores “0” a “9” e “P” não têm nenhuma função no
programa “Serviço”
• As teclas “SHIFT” e “.”
Com o pulsador “.” será ligada e desligada a chamada função
da imagem de teste, isso significa todos os símbolos
existentes aparecem com um valor de indicação errado sobre
o monitor.
Indicação:
porém, as funções adicionais monitoradas têm de estar
abertas na página desejada, caso apareçam na imagem de
testes. A indicação da imagem de testes pode ser mantida
carregando nas teclas “SHIFT” e “.”, caso contrário, ao fim de
10 segundos ou carregando novamente na tecla “.”, aparece a
imagem de serviço normal.
P Teclas do programa • Com as teclas do programa pode-se seleccionar entre cada
um dos vários programas. Aí há, no entanto, que tomar em
consideração particularidades específicas de cada programa
(por exemplo comutar de “Equipar” para “Serviço” regra geral
premindo 1 X “O.K.”).
Indicação:
o programa momentaneamente utilizado não pode voltar a ser
activado por meio da sua tecla do programa.
Os programas apenas podem ser activados através da sua
tecla do programa quando o pulsador à chave de ligação por
ponte “Montagem” não se encontra na posição “montagem”.
C Tecla de confirmação • Não tem qualquer função no programa “Serviço”
“ENTER”

4.02 LIEBHERR 335


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196509

336 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

D Pulsador à chave de A tecla de chave para ligação por ponte tem duas posições:
ligação por ponte • Posição de serviço (pára automaticamente)
serviço normal na grua
• posição para a direita, (premindo)
interruptor de fim de curso de elevação e desligamento do
LMB estão ligados por ponte

PERIGO
Elevado perigo de acidente!
Através do Pulsador à chave podem ser ligados por ponte tanto a protecção contra sobrecarga
quanto o interruptor de fim de curso de elevação.
Neste caso já não existe uma protecção adicional contra sobrecarga do cabo da grua!
 Aja com a máxima atenção.

Girando a chave para a posição e “pulsando à direita” poderão


ser ligados por ponte os desligamentos limitadores de
movimentos:
• ligação por ponte da protecção contra sobrecarga:
ao ser ultrapassado o momento de carga máximo permitido, o
dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON irá
desligar todos os movimentos da grua que aumentem o
momento de carga. Este desligamento pode ser ligado por
ponte através do pulsador à chave de ligação por ponte D na
posição “pulsando à direita”.
Indicação:
a ligação por ponte da protecção contra sobrecarga
somente pode ter lugar na presença dum supervisor da
grua com o máximo cuidado. Todas as indicações do
dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON estão
operacionais.
• Ligação por ponte do desligamento do interruptor de fim de
curso de elevação:
Se ao movimentar para cima o moitão do gancho entrar em
contacto com o peso do interruptor de fim de curso, este é
accionado. Os movimentos da grua “enrolar cabrestante”,
“expandir a lança telescópica” e “bascular a lança telescópica
para baixo” serão desligados. Este desligamento pode ser
ligado por ponte através do pulsador à chave de ligação por
ponte D na posição “pulsando à direita”.
Indicação:
a ligação por ponte do desligamento do interruptor de fim
de curso de elevação somente poderá ter lugar na
presença de um supervisor da grua e com a colaboração
de um ajudante. O ajudante terá que estar em contacto
directo com o condutor da grua e observar constantemente a
distância entre o moitão do gancho e o cabeçal da lança.
Todos os movimentos da grua devem ser feitos com o máximo
cuidado, a uma velocidade mínima.
E Teclas de função • Ajuste do brilho do monitor (veja o parágrafo “Elementos de
especiais função do sistema computadorizado LICCON”)
H “Tecla SHIFT” • Ocupação da tecla no segundo plano
“SHIFT” e “P0”: chamada do programa Monitoração do motor

4.02 LIEBHERR 337


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196510

338 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

6 O programa “Movimentos telescópicos”


A imagem de movimentos telescópicos indica ao condutor da grua num gráfico dinâmico o estado de
encavilhamento da lança telescópica, a posição de cada um dos elementos telescópicos em relação
uns aos outros e o estado de expansão do cilindro de accionamento dos movimentos telescópicos
(veja o Capítulo 4.05 “Serviço de grua”).

6.1 Iniciar o programa


 Premir a tecla do programa P4
ou
 Accionamento automático a partir do programa “Serviço”, ao ser atingido o destino do movimento
telescópico (A!) 9.1 e movimentando telescopicamente através do interruptor mestre

6.2 Superfície do painel de comando


Para a descrição dos símbolos 2 a 7, veja o parágrafo “Funções de alarme” no programa “Serviço”.
2 Desligamento de outros • Devido a ultrapassagem da carga esperada no estado de
movimentos telescópicos desencavilhamento
relativos ao cilindro de • Indicação:
accionamento dos esta é a representação característica do programa do mesmo
movimentos telescópicos processo, como no parágrafo “Carga movimentada
telescopicamente”.
3 Símbolo “Gancho em
cima” no HES1 e/ou
HES2
4 Símbolo “Gancho em
cima” no HES3 ou HES4
5 Símbolo “Pré-aviso”
6 Símbolo “STOP”
7 Símbolo “Alcance da
lança”
7.1 Alcance da lança • em [m] respectivamente [ft]
7.2 Ângulo da lança principal • Em [°]
para a horizontal
8 Símbolo “Apresentação
estilizada da lança
telescópica”
8.1 Actual estado de • Em [%]
expansão dos elementos
telescópicos 1 - 5
8.2 Actual estado de • Em [%]
expansão do cilindro de
accionamento dos
movimentos telescópicos
8.3 Indicação da carga real e • Em [t] ou [lbs] e em [%]
aproveitamento
percentual da capacidade
grua
8.4 Rotação do motor • Em r.p.m.

4.02 LIEBHERR 339


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196510

340 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9 Símbolo “Modo
automático de
movimentos
telescópicos”
9.1 Alcançado o destino
pré-seleccionado do
movimento telescópico
9.2 Comando de Instruções:
direccionamento através • retrair a lança telescópica = seta indica para baixo
do interruptor mestre • expandir a lança telescópica = seta indica cima
9.3 Erro no sistema
10 Símbolo “Destinos
seleccionados dos
movimentos telescópicos
dos elementos
telescópicos 1 - 5”
10.1 Selecção do destino dos
elementos telescópicos 1
-5
10.2 Marcação intermitente • No destino ajustado dos movimentos telescópicos
(seta) • Para aviso, em caso de erro de comando, destino alcançado,
ou indicar novo destino.
11 Linha das teclas de
função
F1 Tecla de função • Comutação entre serviço automático e movimentos
telescópicos manuais
F3 Tecla de função • Selecção do destino - elemento telescópico 1
F4 Tecla de função • Selecção do destino - elemento telescópico 2
F5 Tecla de função • Selecção do destino - elemento telescópico 3
F6 Tecla de função • Selecção do destino - elemento telescópico 4
F7 Tecla de função • Selecção do destino - elemento telescópico 5
F8 Tecla de função • premir 1x:
desligar o sinal acústico
• premir 2x:
os erros indicados opticamente no símbolo “Buzina” serão
automaticamente apresentados na imagem de determinação
de erros (veja o Capítulo “Diagnóstico”).

4.02 LIEBHERR 341


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196511

342 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

7 O programa “Parâmetros de controlo”


O programa “Parâmetros de controlo” oferece as seguintes possibilidades:
– pré-seleccionar a velocidade de rotação máxima do mecanismo de rotação
– pré-selecção da máxima velocidade de rotação dos cabrestantes assim como a activação /
desactivação do cabrestante 1 e cabrestante 2*
– pré-seleccionar a velocidade de basculação máxima da lança telescópica
Durante o programa “Parâmetros de controlo” será vigiada o pulsador à chave de ligação por ponte
D. Se o pulsador à chave de ligação por ponte D for accionado durante o programa ocorre
imediatamente a comutação de retorno para o programa “Serviço”.

PERIGO
Perigo de acidente!
 É importante nunca proceder a uma alteração das velocidades máximas, bem como à activação /
desactivação dos cabrestantes durante a realização de um movimento da grua.

7.1 Iniciar o programa


 Premir a tecla do programa P6

4.02 LIEBHERR 343


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196511

344 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

7.2 Superfície do painel de comando


1 Tipo de grua
2 Selector • Seta dupla para baixo
• Para a escolha dos símbolos
3 Símbolo “Mecanismo de
rotação”
3.1 Símbolo “velocidade de • Vmáx em [%]
rotação máxima”
4 Grupo de símbolos
“Cabrestantes”
4.1 Cabrestante 1
4.2 Cabrestante 2*
4.4 Selector • Seta para a direita
• Para seleccionar os cabrestantes
4.5 Símbolo do cabrestante
4.5.1 Cabrestante activado
4.5.2 Cabrestante desactivado
4.6 Velocidade • Em [%]
• Veja o campo de valores com selector
5 Símbolo “Velocidade de • Vmáx em [%]
basculação máxima”
6 Campo de valores com • Os valores percentuais indicam a velocidade na deflexão
selector máxima da alavanca de comando manual, sempre em relação
à velocidade máxima atingível do accionamento, numa
velocidade pré-seleccionada de 100%. Podem ser
pré-seleccionados 5 graus.
7 Linha das teclas de
função
F4 Tecla de função • Selecção dos cabrestantes
F5 Tecla de função • Activar ou desactivar os cabrestantes seleccionados
F7 Tecla de função • Selecção dos valores percentuais de cada velocidade no
campo de valores
F8 Tecla de função • Comutação para o programa “Serviço” e confirmação do
parâmetro
8 Tecla de confirmação • Aceitação do ajuste de velocidade seleccionado para as
“ENTER” funções anteriormente ajustadas
9 Teclas de função
especiais
E1 Tecla de funções • Movimenta o selector 2 para seleccionar os símbolos para a
especiais esquerda
E2 Tecla de funções • Movimenta o selector 2 para seleccionar os símbolos para a
especiais direita

4.02 LIEBHERR 345


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196511

346 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

7.3 Modificação da velocidade de rotação máxima do mecanismo de


rotação
PERIGO
Perigo de acidente!
 Respeitar sempre no serviço de grua com carga as velocidades de rotação máximas
dependentes do comprimento da lança e dos modos de serviço (segundo as tabelas de carga)!
 Quanto maior for o comprimento da lança, maior é o peso do equipamento e quanto maior for a
carga, tanto menor será “velocidade de rotação máxima” ajustada.
 Com a carga máxima nunca é permitido dirigir até ao encosto o interruptor mestre do mecanismo
de rotação.

 Com a tecla de funções especiais E1 ou com a tecla de funções especiais E2 seleccionar o


símbolo “velocidade de rotação máxima” 3.1.
Resultado:
– selector (seta dupla para baixo) 2 aparece por cima do símbolo.

 Seleccionar a velocidade de rotação máxima em [%] com a tecla de função F7.


Resultado:
– selector (seta para a direita) 6.1 aponta para o valor percentual seleccionado.

 Confirmar a velocidade de rotação máxima seleccionada com a tecla “Enter” 8.


Resultado:
– o valor da velocidade de rotação máxima será aceito.

7.4 Cabrestantes

7.4.1 Modificação da velocidade de rotação máxima


 Seleccionar com a tecla de funções especiais E1 ou com a tecla de funções especiais E2 o grupo
de símbolos - cabrestantes 4.
Resultado:
– selector (seta dupla para baixo) 2 aparece por cima do grupo de símbolos.

 Com a tecla de função F4 seleccionar o símbolo para cabrestante 1 ou cabrestante 2*.


Resultado:
– selector (seta para a direita) 4.4 aponta para o cabrestante seleccionado.

 Seleccionar a velocidade de rotação máxima em [%] com a tecla de função F7.


Resultado:
– selector (seta para a direita) 6.1 aponta para o valor percentual seleccionado.

 Confirmar a velocidade de rotação máxima seleccionada com a tecla “Enter” 8.


Resultado:
– o valor da velocidade de rotação máxima será aceito.

4.02 LIEBHERR 347


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196511

348 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

7.4.2 Activar / desactivar cada um dos cabrestantes


Para evitar um comando indesejado de um cabrestante não utilizado no momento, desactivar cada
um dos cabrestantes.
 Seleccionar com a tecla de funções especiais E1 ou com a tecla de funções especiais E2 o grupo
de símbolos - cabrestantes 4.
Resultado:
– selector (seta dupla para baixo) 2 aparece por cima do grupo de símbolos.

 Com a tecla de função F4 seleccionar o símbolo para cabrestante 1 ou cabrestante 2*.


Resultado:
– selector (seta para a direita) 4.4 aponta para o cabrestante seleccionado.

 Activar ou desactivar o cabrestante seleccionado com a tecla de função F5.


Resultado: o símbolo do cabrestante muda a sua aparência:
– símbolo do cabrestante traçado = cabrestante desactivado 4.5.2
– símbolo do cabrestante não traçado = cabrestante activo 4.5.1

7.5 Modificação da velocidade de basculação máxima


 Com a tecla de funções especiais E1 ou com a tecla de funções especiais E2 pode ser
seleccionado o símbolo “velocidade de basculação máxima” 5.
Resultado:
– selector (seta dupla para baixo) 2 aparece por cima do símbolo.

 Seleccionar a velocidade de basculação máxima em [%] com a tecla de função F7.


Resultado:
– selector (seta para a direita) 6.1 aponta para o valor percentual seleccionado.

 Confirmar a velocidade de basculação máxima seleccionada com a tecla “Enter” 8.


Resultado:
– o valor da velocidade de basculação máxima será aceito.

7.6 Comutar novamente para o programa “Serviço”


 Accionar a tecla de função F8.
Resultado:
– com a anterior confirmação, com a tecla “Enter” 8, serão aceitos os parâmetros.

4.02 LIEBHERR 349


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196512

350 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

8 O programa “Limitação da área de trabalho” *


Uma descrição detalhada da limitação da área de trabalho - veja o manual de instruções em
separado “Limitação da área de trabalho”.

8.1 Iniciar o programa


 Premir a tecla do programa P7.

8.2 Superfície do painel de comando


1 Símbolo “Limitação da
altura do cabeçal de
polias”
2 Símbolo “Limitação dos
raios de acção”
3 Símbolo “Encosto da
limitação de rotação”
3.1 Encosto direito da
limitação de rotação
3.2 Encosto esquerdo da
limitação de rotação
4 Símbolo “Limitação do • No estado inactivo, os símbolos das funções de limitação são
ângulo com selector dos apresentados com os símbolos traçados
bordos e pontos”
5 Selector de funções • Para seleccionar as funções de limitação
6 Símbolo “Representação
gráfica das limitações
programadas”
7 Linha das teclas de
função
F1 Tecla de função • Selecção dos pontos 1 ou 2 dos bordos ajustados A ou B
F2 Tecla de função • Selecção dos bordos A ou B a ser programados
F3 Tecla de função • O selector de função será movimentado para uma função de
limitação abaixo
F4 Tecla de função • A função de limitação com o qual o selector de função foi
seleccionado mudará o seu estado. Caso até agora ela tenha
estado activa, depois de se premir a tecla de função F4 ela
ficará inactiva e vice-versa. Uma função de limitação inactiva
será marcada através dum símbolo traçado. Se o selector de
função aponta para a limitação de rotação esquerda ou direita,
assim serão sempre ligadas as duas limitações.
Indicação:
numa limitação dos bordos será apenas ligado o bordo
pré-seleccionado. O bordo não indicado pode estar
simultaneamente activo ou inactivo.
F5 Tecla de função • Todas as funções de limitação ficarão inactivas
F8 Tecla de função • Sair do programa e voltar para o programa “Serviço”

8.3 Apresentação no programa “Serviço”


Se se activa uma limitação da área de trabalho programada, este estado será indicado no programa
“Serviço” através de um símbolo STOP alternativo na posição do símbolo STOP-LMB normal (veja o
parágrafo “Funções de alarme” no programa “Serviço”).

4.02 LIEBHERR 351


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196513

352 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9 O programa “Estabilização”
O programa “Estabilização” pode conter até três elementos independentes uns dos outros (a pedido
do cliente).
A demonstração no monitor apresenta a configuração completa do programa “Estabilização”.
Conforme o pedido do cliente estará cada um dos elementos do programa inactivo ou não e por isso
não visível no monitor LICCON. Os valores numéricos nos símbolos servem apenas de exemplo e
não têm necessariamente de corresponder à grua.

9.1 Iniciar / terminar o programa

9.1.1 Iniciar o programa


 Premir a tecla do programa P3.

9.1.2 Terminar o programa


 Premir a tecla do programa P1.
Resultado:
– o programa será encerrado
– voltar para o programa “Serviço”.

9.1.3 Configuração do programa


Estabilização
• Estabilização manual
• Estabilização automática e alinhamento da grua na horizontal
• Serviço da grua no programa “Estabilização”
Monitoramento da força de apoio *
O monitoramento da força de apoio verifica constantemente durante o serviço e, em cada um dos 4
cilindros de apoio, através de um sensor de pressão, a pressão actual e indica-a como força de apoio
para cada um dos estabilizadores Através da capacidade de programação variável dos valores limite,
é possível utilizar o monitoramento da força de apoio também como pré-aviso.
Indicação do comprimento das longarinas corrediças *
Através da indicação do comprimento das longarinas corrediças são apresentados os estados de
expansão de cada uma das longarinas em [%].

4.02 LIEBHERR 353


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196524

354 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9.1.4 Estabilização
Estabilização manual
Encontra uma descrição detalhada no Capítulo 3.05 “Grua no local de trabalho.”
4 Campo de
monitoramento e campo
de operação e comando
4.1 Símbolo da grua
4.2 Base de apoio • [m] respectivamente [ft]
4.3 Selectores de função • Para seleccionar o cilindro de apoio
4.4 Selectores de função • Para selecção das longarinas corrediças
Linha das teclas de função no modo de monitoramento / comando (ao iniciar o programa)
F2 Tecla de função • Ligar / desligar manualmente a iluminação das longarinas
corrediças
F3 Tecla de função • Expandir o(s) cilindro(s) de apoio pré-seleccionado(s)
F4 Tecla de função • Retrair o(s) cilindro(s) de apoio pré-seleccionado(s)
F5 Tecla de função • Expandir a longarina corrediça pré-seleccionada
F6 Tecla de função • Retrair a longarina corrediça pré-seleccionada
F7 Tecla de função • Seleccionar longarina corrediça
F8 Tecla de função • Premir 1x = desligar sinal acústico
• Premir 2x = erros indicados opticamente no símbolo
“Buzina” são demonstrados automaticamente na imagem de
determinação de erros. Veja também o Capítulo 7.10
“Diagnóstico”.

Observação
Indicação
 Por razões de segurança somente é possível seleccionar uma longarina corrediça.
 somente faz sentido premir as teclas de função “F3” e “F4” quando estiver pré-seleccionada uma
longarina corrediça. Caso não esteja pré-seleccionado um cilindro de apoio, soa um tom na
buzina.
 As funções das teclas de função “F3” a “F6” somente estão activas, por razões de segurança,
enquanto a respectiva tecla estiver premida.
 Como mensagem acústica soa, durante o tempo da função, um “som da buzina num determinado
ritmo”.

6 Campo de teclas • Com os pulsadores 1 até 4 será seleccionado respectivamente


não seleccionado o respectivo estabilizador
21 Símbolo “Inclinação” • Veja as funções adicionais monitoradas, Símbolo “Inclinação”

4.02 LIEBHERR 355


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196524

356 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

Estabilização automática e alinhamento da grua na horizontal

“SHIFT” + “F3” • Ao premir a combinação de teclas “SHIFT” + “F3” são


expandidos todos os cilindros de apoio e a grua é nivelada
horizontalmente.
“SHIFT” + “F4” • Ao premir a combinação de teclas “SHIFT” + “F4” todos os
cilindros de apoio são retraídos e a grua é nivelada
horizontalmente.

Observação
Indicação
 Atendendo aos valores de inclinação dados pelo sensor de nível, os estabilizadores serão
movimentados independentemente da escolha do sentido pré-seleccionado enquanto a tecla
estiver premida, de maneira a que a grua se encontre na posição horizontal.

PERIGO
Perigo de acidente!
 Verifique se cada uma das quatro placas de apoio está em contacto com o solo. Caso contrário,
há perigo de acidente.

4.02 LIEBHERR 357


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196514

358 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

Serviço da grua no programa “Estabilização”


Esta função somente está desbloqueada na opção “monitoramento da força de apoio” *.
Para uma descrição dos símbolos, veja o parágrafo “Funções de alarme” no programa “Serviço”.
10 Símbolo “alcance da
lança e ângulo da lança
principal”
10.1 Alcance da lança com a • Em [m] respectivamente [ft]
carga na lança
10.2 Ângulo da lança • Em [°]
11 Símbolo “STOP”
12 Símbolo “Pré-aviso”
13 Símbolo “Gancho em • No HES3 ou HES4
cima”
14 Símbolo “Gancho em • No HES1 e/ou HES2
cima”
20 Símbolo “carga”
20.1 Carga máxima na lança • Em [t] respectivamente [lbs]
20.2 Carga momentânea na • Em [t] respectivamente [lbs]
lança
20.3 Aproveitamento • Em [%]
dinâmico
21 Símbolo “Inclinação”
21.1 Parte gráfica
21.2 Parte numérica
21.2.1 Zona de inclinação • 1° ou 5°
21.2.2 Inclinação • Da grua no sentido transversal
21.2.3 Inclinação • Da grua no sentido longitudinal
Linha das teclas de função:
F1 Tecla de função • Comutação para o campo de ajuste das forças de apoio limite
(veja o parágrafo “monitoramento da força de apoio”)
• Indicação:
aqui é causado imediatamente uma parada através do
limitador do momento de carga (STOP-LMB). Todos os
movimentos de elevação e basculação serão desligados e os
símbolos para o serviço da grua desaparecem.
F8 Tecla de função • Terminar o modo de ajustamento
Aparecem outra vez todos os símbolos para o serviço da grua
e todos os movimentos da grua estão outra vez liberados.

4.02 LIEBHERR 359


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196515

360 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9.2 Monitoramento da força de apoio*


PERIGO
Perigo de acidente!
 O monitoramento da força de apoio LICCON serve apenas como meio de auxilio. Uma possível
sobrecarga da grua não poderá ser evitada deste modo.
 O monitoramento da força de apoio não deverá ser utilizada de modo algum com o fim de utilizar
a grua até ao limite de basculação.

4 Campo de
monitoramento e campo
de operação e comando
4.1 Símbolo da grua com
números de apoio
4.2 Base de apoio • Em [m] respectivamente [ft]
4.5 Valores da força de • Em [t] respectivamente [kips]
apoio
4.6 Unidade das forças de • Em [t] respectivamente [kips]
apoio indicadas
Linha das teclas de função no modo de monitoramento / comando:
F1 Tecla de função • comutação para o campo de ajuste para as forças de apoio
limite
F8 Tecla de função • premir 1x:
desligar o sinal acústico
• premir 2x:
os erros indicados opticamente no símbolo “Buzina” serão
indicados automaticamente na imagem de determinação de
erros (veja o Capítulo “Diagnóstico”)
5 Campo de ajuste para as
forças de apoio limite
5.1 Unidade das forças • Em [t] respectivamente [kips]
máximas de limitação de
apoio indicadas
5.2 Símbolo da grua com
números de apoio
5.3 Valores máximos das • Máximo em [t] respectivamente [kips]
forças de limitação de
apoio
5.4 Valor mínimo das forças • Mínimo em [t] respectivamente [kips]
de apoio limite Válido para todos os quatro apoios
5.5 Setas do selector • Apontam para o campo de ajuste activo
Linha das teclas de função no modo de ajuste:
F1 Tecla de função • posicionar o cursor (indicador de introdução) no próximo valor
da força de apoio limite
F2 Tecla de função • posicionar o cursor (indicador de introdução) no valor da força
de apoio limite anterior
F8 Tecla de função • comutar para o campo de monitoramento e campo de
operação e comando 4 anterior

4.02 LIEBHERR 361


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196516

362 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9.2.1 Indicação das actuais forças de apoio


Indicação das actuais forças de apoio na imagem de serviço, consulte o parágrafo “Função adicional
monitorada para o serviço de grua”.

9.2.2 Notas
A possibilidade de autodeterminar os valores limite, permite utilizar o monitoramento da força de
apoio LICCON como dispositivo de pré-aviso.
No entanto é necessário ter em conta uma possível inexactidão da indicação. Devido à fricção nos
cilindros de apoio, é possível, conforme o tipo de equipamento, uma medição incorrecta de até ± 2%
da capacidade de carga máxima de uma grua.
Isto aplica-se especialmente:
– em grandes forças de apoio
– em cilindros de apoio expandidos a longa distância
– ao expandir os cilindro de apoio (até 15 minutos depois)
Para garantir um trabalho correcto do monitoramento da força de apoio LICCON e uma indicação
correcta, não é permitido deslocar o cilindro de apoio nem para “bloco em baixo” nem para “bloco em
cima”.

4.02 LIEBHERR 363


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196517

364 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9.2.3 Modificar as forças de apoio limite mínimas e máximas


Adicionalmente como medidas de segurança este programa vigia o pulsador à chave de ligação por
ponte. Num serviço de montagem ocorrerá a comutação de retorno para o programa “Serviço”.
No campo de monitoramento e campo de operação e comando 4 serão indicados os actuais valores
das forças de apoio.
Caso um ou mais valores se encontrem abaixo ou acima dos valores máximos programados das
forças de apoio limite, estes serão indicados piscando intermitentemente.
No campo de ajuste 5 serão indicados os valores das forças de apoio limite máximas / e mínimas
programadas.
Assegure-se de que
– se trabalha com a grua estabilizada
– o pulsador à chave de ligação por ponte não está accionado
O programa funciona inicialmente no modo de monitoramento. Serão indicados todos os símbolos
relevantes para o serviço de grua.

Observação
Comutar para o campo de ajuste para as forças de apoio limite.
 Contudo será imediatamente causado um STOP-LMB. Todos os movimentos de elevação e
basculação serão desligados e os símbolos para o serviço da grua desaparecem.

Ao premir a tecla de função F1, as duas setas duplas 5.5 apontam para o campo de ajuste 5 para as
forças de apoio limite. O cursor aparece sobre o valor máximo da força de limitação do apoio, no
estabilizador 1.
Com o accionamento do tecla de função F1 ou tecla de função F2 comutará de retorno o cursor para
o próximo respectivamente para o anterior valor de limitação de força de apoio máximo ou para o
valor de limitação de força de apoio mínimo (vale para todos os quatro cilindros de apoio).

Observação
Controlo dos valores da força de apoio limite quanto às zonas de validade.
Cada novo valor da força de apoio limite introduzido será controlado quanto à sua zona de validez.
 O valor introduzido será aceito caso esteja correcto.
 Caso esteja incorrecto, o valor será recusado com a mensagem de erro “Error” como sendo
demasiado elevado ou baixo.

É possível alterar os valores da força de apoio limite com as teclas alfanuméricas e terminar a função
de introdução com a tecla Enter.
Com a tecla de função F8 é possível voltar para o campo de monitoramento e campo de operação e
comando 4.
Com a tecla do programa P1 é possível voltar para o programa “Serviço”.

4.02 LIEBHERR 365


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196518

366 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

9.3 Indicação do comprimento das longarinas corrediças*


4 Campo de
monitoramento e campo
de operação e comando
4.1 Símbolo da grua com
números de apoio
4.2 Base de apoio • Em [m] respectivamente [ft]
4.7 Valores de comprimento • Em percentagem do comprimento máximo de extensão
das longarinas • Os valores do comprimento da longarina corrediça piscam nos
corrediças campos que não são apropriados para a estabilização.
4.8 Símbolo de percentagem • Unidade para a indicação dos comprimentos das longarinas
corrediças
Linha das teclas de função ao iniciar o programa (monitoramento / comando):
F8 Tecla de função • premir 1x:
desligar o sinal acústico
• premir 2x:
os erros indicados opticamente no símbolo “Buzina” serão
indicados automaticamente na imagem de determinação de
erros (veja o Capítulo “Diagnóstico”)

4.02 LIEBHERR 367


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196519

368 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

10 O programa “Monitoração do motor”


No programa “Monitoração do motor” são apresentados todos os dados relevantes para o motor, por
exemplo pressão do óleo do motor, temperatura do líquido de refrigeração e outros. A mudança a
partir dos programas “Serviço”, “Estabilização” ou “Movimentos telescópicos” ocorre
automaticamente em caso de avaria.
Quando o Motor do chassi inferior está desligado serão indicadas em serviço da grua somente os
dados do motor da grua em caso de uma avaria, respectivamente ao comutar para a imagem de
vigilância do motor.

10.1 Iniciar o programa


Assim se inicia automaticamente o programa:
 apenas uma vez ao ocorrer um STOP durante o serviço de grua (pelo menos um interruptor
mestre está direccionado ou accionado). A imagem de monitoração do motor é apresentada
durante 3 segundos e depois muda-se automaticamente para a imagem de serviço.
ou
 Ao ocorrer um pré-aviso, aviso ou STOP durante a inicialização do sistema computadorizado
LICCON.
Assim se inicia o programa a pedido:
neste caso será mantida a imagem de monitoração do motor e todos os movimentos da grua que
aumentem o momento de carga serão bloqueados ou desligados.
 Premir a combinação de teclas SHIFT e P0 (equipar).

4.02 LIEBHERR 369


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196519

370 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

10.2 Possíveis situações de Pré-aviso, Aviso, STOP da monitoração do


motor

Situações Pré aviso Aviso 5.2 STOP 6.2


Falta - pressão do óleo do motor (valor de indicação) x
Falha - pressão do óleo do motor (valor de indicação) x
Pressão do óleo do motor - aviso activo x
Falta - temperatura do líquido de refrigeração / do ar de x
admissão (valor de indicação)
Falha - temperatura do líquido de refrigeração / do ar x
de admissão (valor de indicação)
Temperatura do líquido de refrigeração / do ar de x
admissão - aviso activo
Nível do líquido de refrigeração - aviso activo x
Falta - temperatura do óleo hidráulico (valor de x
indicação)
Falha - temperatura do óleo hidráulico (valor de x
indicação)
Temperatura do óleo hidráulico (valor de indicação) x
demasiado elevado
Controlo dos filtros de ar x
Falta da tensão das baterias (valor de indicação) x
Erro da tensão das baterias (valor de indicação) x
A tensão das baterias não se encontram entre 16 V e x
36 V
Falta - reserva de combustível (valor de indicação) x
Falha - reserva de combustível (valor de indicação) x
Reserva de combustível (valor de indicação) 10 % ou x
inferior
Reserva de combustível (valor de indicação) 6 % ou x
inferior
Reserva de combustível (valor de indicação) 1 % x

Se ao ocorrer um STOP do motor for comutado automaticamente para o programa “Monitoração do


motor”, há a possibilidade de manter a imagem de monitoração do motor durante 3 segundos (manter
a imagem de monitoração do motor premindo a tecla de função F1). Volta-se para a imagem de
serviço premindo a tecla de função F8 (O.K.) ou a tecla do programa P1 (Serviço). Se a imagem de
monitoração do motor não for mantida, então automaticamente depois de 3 segundos será comutado
novamente para o programa “Serviço”.

4.02 LIEBHERR 371


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196519

372 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

10.3 Manter a imagem de monitoração do motor


A mudança automática para a imagem de monitoração do motor somente terá lugar a partir dos
programas “Serviço”, “Movimentar telescopicamente” ou “Estabilização”.
Se um acontecimento de monitoramento na imagem de monitoração do motor for terminado com a
tecla de função F8, não ocorrerá no mesmo acontecimento mais nenhuma comutação automática
para a imagem de monitoração do motor.
Quando comutar para o programa “Serviço” aparece o símbolo STOP 6.2 ou o símbolo de
pré-aviso 5.2. Nos programas “Serviço”, “Movimentar telescopicamente” ou “Estabilização” não serão
apresentados pré-avisos.

AVISO
Perigo de danos graves caso se ignorem os acontecimentos de STOP!
Se durante muito tempo se trabalhar em outros programas, por exemplo “Equipar” ou “Sistema de
teste”, é necessário comutar as vezes para a imagem de monitoração do motor para assegurar que
não surgiram nenhuns acontecimentos na monitoração do motor, que possam conduzir a danificação
ou destruição do motor.
 Mudar as vezes para a imagem de monitoração do motor!

 Accionar a tecla de função F1.


Resultado:
– o quadro dos símbolos será indicado como uma borda fina;
– são desligados ou desbloqueados todos os movimentos da grua que aumentem o momento de
carga.

 Accionar a tecla de função F8.


Resultado:
– voltar para o programa “Serviço”.
– está liberado o bloqueio dos movimentos da grua que aumentem o momento de carga;
– no programa “Serviço” continua representado o símbolo de aviso ou de STOP.

4.02 LIEBHERR 373


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196520

374 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

10.4 Símbolos para a monitoração do motor

10.4.1 Motor da grua


10 Conteúdo do depósito do • Em [%]
combustível O símbolo pisca, quando a reserva de combustível é inferior a
10 %
11 Pressão do óleo • Em [bar]
A indicação numérica no símbolo pisca, quando a pressão do
óleo do motor está muito baixa
12 Temperatura do líquido • Em [°C]
de refrigeração / do ar de
admissão
12.1 Temperatura do líquido • A indicação numérica pisca, quando a temperatura do líquido
de refrigeração de refrigeração é demasiado elevada
12.2 Temperatura do ar de • A indicação numérica pisca, quando a temperatura do ar de
admissão admissão é demasiado elevada
13 Nível do líquido de • O símbolo aparece quando o nível do líquido de refrigeração é
refrigeração demasiado demasiado baixo
baixo
14 Filtro de ar sujo • O símbolo aparece quando o filtro de ar está sujo
18 Função adicional, tensão • Em [V]
da bateria A indicação numérica no símbolo pisca, quando a tensão da
bateria é inferior a 16 Volts ou superior a 36 Volts

10.4.2 Motor de translação


20 Conteúdo do depósito do • Em [%]
combustível O símbolo pisca, quando a reserva de combustível é inferior a
10 %
21 Pressão do óleo • Em [bar]
A indicação numérica no símbolo pisca, quando a pressão do
óleo do motor está muito baixa
22 Temperatura do líquido • Em [°C]
de refrigeração / do ar de
admissão
22.1 Temperatura do líquido • A indicação numérica pisca, quando a temperatura do líquido
de refrigeração de refrigeração é demasiado elevada
22.2 Temperatura do ar de • A indicação numérica pisca, quando a temperatura do ar de
admissão admissão é demasiado elevada
23 Nível do líquido de • O símbolo aparece quando o nível do líquido de refrigeração é
refrigeração demasiado demasiado baixo.
baixo
24 Filtro de ar sujo • O símbolo aparece quando o filtro de ar está sujo
26 Símbolo “Avaria na caixa • pisca intermitente:
de engrenagens” avaria na caixa de mudanças automática
• Estático:
embraiagem sobrecarregada ou perda da pressão do ar
28 Função adicional, tensão • Em [V]
da bateria A indicação numérica no símbolo pisca, quando a tensão da
bateria é inferior a 16 Volts ou superior a 36 Volts

10.5 Linha das teclas de função


F1 Tecla de função • Manter a imagem de monitoração do motor
F8 Tecla de função • Comutar novamente para o programa “Serviço”
As teclas de função F2 - F7 não têm função.

4.02 LIEBHERR 375


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196521

376 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

11 Sistema computadorizado LICCON no modo


Stand-by

11.1 Inicializar o sistema computadorizado LICCON no modo Stand-by


Existem duas possibilidades para alcançar o modo Stand-by no sistema computadorizado LICCON:
– inicialização do sistema computadorizado LICCON sem motor
– desligar o motor com a tecla paragem do motor

Inicialização do sistema computadorizado LICCON sem motor:


 girar a chave de arranque 320 para a posição “I” e deixá-la aí.
Resultado:
– o sistema computadorizado LICCON está em funcionamento e o monitor mostra a imagem do
equipamento ou, com motor STOP / Aviso / Pré-aviso do motor, a imagem de monitoração do
motor.

 Premir a tecla de função F8 (O.K.).


Resultado:
– mudar para o programa “Serviço”.

Desligar o motor com a tecla Motor-Stop:


 accionar o interruptor 433.
 deixar a chave de arranque 320 na posição “I”.
Resultado:
– o motor está desligado.

4.02 LIEBHERR 377


145971-02 4.02 Sistema computadorizado LICCON

B196521

378 LIEBHERR 4.02


4.02 Sistema computadorizado LICCON 145971-02

11.2 Serviço stand-by / Alarme activos


Os programas de serviço assim como as indicações no monitor funcionam como no processo de
inicialização do sistema computadorizado LICCON com arranque do motor (serviço de grua).
Não é possível quaisquer movimento da grua. Se no entanto foi seleccionado um movimento da
grua, será dado uma indicação de operação no monitor LICCON.
Exemplo: operação Rotação - Desligamento - Motor da grua não funciona
A duração do serviço Stand-by é de 15 minutos, dos quais 3 minutos de alarme Stand-by. A
operação do sistema computadorizado LICCON durante o serviço Stand-by prolongará
automaticamente o tempo de Stand-by.
 No Serviço Stand-by não é premida qualquer tecla no monitor.
Resultado:
– após 12 minutos é atingido o alarme Stand-by (buzina)
– no monitor aparece a imagem: STANDBY (ver figura)

 Premir agora qualquer tecla no monitor LICCON.


Resultado:
– comutar para o programa interrompido;
– o tempo de Stand-by será prolongado por mais 15 minutos.

 Durante o aviso Stand-by (duração: 3 minutos) não será accionada nenhuma tecla no monitor.
Resultado:
– o sistema computadorizado LICCON desliga completamente. O desligamento é anunciado
através de um sinal acústico de 60 segundos (buzina curta) e de 30 segundos (buzina longa)
antes. A fonte de alimentação do sistema computadorizado LICCON desliga;
– no monitor LICCON aparece a imagem: CRT Selftest: ERROR: Host Interface: Break! (ver
figura) e a luz de controlo 315 e a luz de controlo 316 piscam. Neste caso, isto não é mensagem
de erro no sistema computadorizado LICCON, a mensagem de erro no monitor aparece apenas
devido à interrupção entre o monitor e unidade central.

11.3 Impedimento de arranque


Voltar a arrancar o motor depois do desligamento completo do sistema computadorizado
LICCON:
 girar primeiro a chave de ignição 320 para a posição “0”;
 girar a chave de ignição 320 para a posição “I” (observar o tempo de pré-incandescência);
 girar a chave de ignição 320 brevemente para a posição “II”.
Resultado:
– o motor está em funcionamento.

4.02 LIEBHERR 379


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198140

380 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

1 Controlos antes da colocação em serviço


Antes de colocar a grua em serviço é necessário proceder a vários controlos.

1.1 Controlar o nível do óleo e o filtro


 Verificar o nível do óleo no motor.
 Verificar o nível do óleo no depósito hidráulico.
 Verificar o filtro no depósito hidráulico.

1.2 Controlar o nível do combustível


Observação
Evacuar o ar do circuito do combustível.
Se rodar até esvaziar o depósito de combustível, terá em seguida evacuar o ar do sistema do
combustível.
 Não rodar até esvaziar o depósito de combustível.

No monitor LICCON está indicado em forma numérica o conteúdo do depósito do combustível em


percentagem [%].
 Verificar o conteúdo do depósito do combustível no monitor LICCON.

1.3 Controlar o nível do líquido de refrigeração


AVISO
Perigo de ferimentos por queimaduras da pele!
 Proceder ao controlo do nível do líquido de refrigeração apenas com o motor frio.

O depósito do líquido de refrigeração e o reservatório de compensação deve encontrar-se cheio até o


tubo de reabastecimento transbordar.
 Controlar o nível do líquido de refrigeração.

1.4 Controlar o sistema de lubrificação central


O reservatório de massa lubrificante deverá encontrar-se permanentemente cheio com massa
lubrificante conforme a lista de lubrificantes, ver o Capítulo 7.05.
 Verificar o reservatório de massa lubrificante.

4.03 LIEBHERR 381


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198140

382 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

1.5 Controlar o estado geral da grua


PERIGO
Perigo de acidente devido à queda de objectos!
 Antes de a lança ser levantada, é necessário controlar se há peças soltas em cima da lança
principal ou da lança auxiliar, por exemplo, cavilhas, molas de segurança ou gelo.

 Verifique se a grua se encontra convenientemente apoiada e nivelada horizontalmente, sobre


subsolo e solo plano e estável.
 Verifique se a coroa dentada da união giratória se encontra limpa e lubrificada com massa
lubrificante.
 Verifique se a alimentação de ar do radiador a óleo e do radiador a água está desbloqueada.
 Verifique se as tampas laterais encontram fechadas e bloqueadas
 Certifique-se que não há pessoas ou objectos na zona de perigo da grua.
 Certifique-se que o tambor para cabos, assim como o interruptor de fim de curso, encontram-se
livre de neve e gelo
 Certifique-se que não se encontram peças soltas em cima do chassi superior e da lança
telescópica

4.03 LIEBHERR 383


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B196018

384 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

2 Local de trabalho - cabina do condutor da grua

2.1 Ajuste do assento do condutor


O assento do condutor da grua pode ser ajustado para todas as estaturas.
 Regular a inclinação da superfície do assento com a alavanca 302.
 Regular a altura do assento com a alavanca 302.
 Regular o apoio pneumático para as vértebras lombares na zona inferior do encosto com o
pulsador 303.
 Regular o apoio pneumático para as vértebras lombares na zona superior do encosto com o
pulsador 304.
 Desbloquear o ajuste horizontal do assento com o arco 305.
 Regular a inclinação do apoio das costas com a alavanca 306.
 Regular o posto de comando no sentido longitudinal com o parafuso de aperto 323.
 Regular a inclinação do apoio do braço com o parafuso de ajustamento 325.
 Regular a altura do apoio do braço com a alavanca 326.

4.03 LIEBHERR 385


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198143

386 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

2.2 Estribo
Para que o condutor da grua possa aceder e sair da grua mais facilmente, é possível estender e
retrair o estribo da cabina da grua.
Depois de terminado o trabalho com a grua, voltar a retrair o estribo e fixá-lo na posição final.

2.2.1 Estender o estribo


 Girar para cima o apoio esquerdo do braço.
 Puxar o dispositivo de trava 313 e accionar em cima o interruptor 346.
Resultado:
– o estribo é estendido.

 Largar o trinco 313 logo que o estribo se estenda.


 Estender o estribo até encaixar o bloqueio.

2.2.2 Recolher o estribo


 Girar para cima o apoio esquerdo do braço.
 Puxar o dispositivo de trava 313 e accionar em baixo o interruptor 346.
Resultado:
– o estribo é recolhido.

 Largar o trinco 313 logo que o estribo se retraia.


 Retrair o estribo até encaixar o bloqueio.

2.3 Accionar o aquecimento do assento*


 Accionar o interruptor 324.

2.4 Accionar o Aquecimento / Ventilação


É possível aquecer ou ventilar a cabina do condutor da grua à temperatura desejada. Os elementos
de comando do aquecimento/ a ventilação encontram-se por baixo do assento do operador da grua.
Para uma descrição pormenorizada consulte o Capítulo 6.01.

2.4.1 Aquecer
 Colocar o regulador rotativo 308 em serviço de circulação de ar.
 Ligar o ventilador com o interruptor rotativo 309.
 Regular a temperatura com o regulador rotativo 310.

2.4.2 Ventilar
 Colocar o regulador rotativo 308 em serviço de ar fresco.
 Ligar o ventilador com o interruptor rotativo 309.

4.03 LIEBHERR 387


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B196020

388 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

2.5 Inclinação da cabina da grua


Para que o condutor da grua possa ter um campo de visão melhor, a cabina pode ser inclinada para
cima.
Com a cabina do condutor da grua inclinada, a porta, ao ser aberta, desloca-se para trás, até ao
encosto, com grande rapidez. Por isso segurar no punho a porta e abrir vagarosamente.
Depois de terminado o trabalho com a grua, voltar a colocar a cabina na horizontal.

PRECAUÇÃO
Perigo de acidente!
 Com a cabina inclinada é proibida a permanência no estribo!
 Com a cabina inclinada e com contrapeso depositado sobre os chassi não é permitido girar o
chassi superior para trás.

2.5.1 Inclinar a cabina do condutor da grua para cima


 Accionar o pulsador 410 em baixo.
Resultado:
– a cabina bascula para cima.

2.5.2 Colocação horizontal da cabina do condutor da grua.


 Accionar o pulsador 410 em cima.
Resultado:
– a cabina bascula para baixo.

4.03 LIEBHERR 389


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198144

390 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

2.6 Accionar o limpa-vidros / sistema limpa-pára-brisas

2.6.1 Accionar o limpa-vidros


É possível accionar os limpa-vidros da janela da frente e da janela do telhado por meio dos
interruptores com 2 posições (posição 1 - intervalo, posição 2 - limpar).
 Se pretender accionar o limpa-vidros na janela da frente:
accionar o interruptor 366.
ou
Se pretender accionar o limpa-vidros na janela do tejadilho:
 accionar o interruptor 368.

2.6.2 Accionar o sistema limpa-pára-brisas


Os limpa pára-brisas da janela da frente, tal como da janela do tecto, podem ser reforçados por um
sistema lava-para-brisas.
O reservatório para o líquido para limpeza dos vidros terá de ser enchido com um produto
anticongelante, à venda no mercado, antes do início da época fria.
 Se pretender accionar o sistema lava-para-brisas da janela da frente:
accionar o pulsador 365.
ou
Se pretender accionar o sistema lava-para-brisas da janela do tecto:
 accionar o pulsador 367.

2.7 Abrir a janela da frente


AVISO
Perigo de ferimentos nas mãos por entalamento!
 Tenha em atenção as suas mãos ao fechar a janela da frente.

Um conjunto de cilindros de gás apoia o movimento de elevação da janela da frente.


 Para abrir a partir do interior, pressionar a janela da frente.
ou
Caso a janela somente se abra parcialmente:
 Fixar com as correias o ângulo de abertura desejado.

2.8 Controlar a buzina


Observação
Utilização da buzina!
 Apenas é permitido utilizar a buzina em situações de perigo para se conservar o efeito de aviso.

 Antes do início do trabalho a buzina tem de ser controlada quanto ao seu funcionamento.

4.03 LIEBHERR 391


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198145

392 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

3 Arrancar o motor do chassi superior e motor do


chassi inferior e desligar
O motor pode trabalhar a plena carga somente depois de ter alcançado a temperatura de serviço.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– os interruptores principais das baterias estão ligados
– a caixa de velocidades automática está na posição neutra “N”
– o interruptor rotativo 34 está na posição para trabalho com o chassi superior

3.1 Arrancar o motor do chassi superior


 Girar a chave de ignição 320 para a posição “I”.
Resultado:
– a luz de controlo 316 pisca.
– a luz de controlo 315 está acesa.
Existe prontidão de arranque.

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais!
 O motor somente pode ficar em funcionamento, quando está acesa a luz de controlo 315 e pisca
a luz de controlo 316.

 Girar a chave de ignição 320 para a posição “II”.


 Arrancar o motor.

Eliminação de problemas
O motor não arranca depois de no máximo 10 segundos.
 Fazer uma pausa de 1 minuto. Em cada tentativa poderá accionar o motor de arranque 3 vezes
10 segundos, entre os accionamentos fazer uma pausa de 1 minuto.

4.03 LIEBHERR 393


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198145

394 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

3.2 Arrancar o motor do chassi superior e comando da flange de


aquecimento
Para melhorar o processo de arranque a frio, o motor está equipado com uma flange de
aquecimento. O comando de flange de aquecimento liga numa temperatura do líquido de refrigeração
inferior a 10 °C. Do mesmo modo o comando de flange de aquecimento será activado numa
temperatura do líquido de refrigeração superior 25 °C e numa temperatura de ar de admissão inferior
a -10 °C. Estas condições de ligação é necessária com o motor quente e ar muito frio.
No arranque do motor com comando da flange de aquecimento é aumentado o número de rotações
de marcha lenta para apoiar a bateria.

AVISO
Operacionalidade da bateria durante a estação fria do ano.
A capacidade de arranque diminui fortemente com o frio: por exemplo, com a temperatura de 10 °C a
capacidade normal reduz-se para apenas 66%.
 Por isso, depois de desligar o motor, as baterias devem ser guardadas, se possível, num
compartimento aquecido.

 Girar a chave de ignição 320 para a posição “I”.


Resultado:
– a luz de controlo 316 acende primeiramente e começa a piscar após curto tempo.
Existe prontidão de arranque.

 Girar a chave de ignição 320 para a posição “II”.


 Arrancar o motor.

Eliminação de problemas
A luz de controlo 316 pisca rapidamente?
O dispositivo de comando reconheceu um erro no comando da flange de aquecimento.
 Corrigir o erro.

4.03 LIEBHERR 395


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198145

396 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

3.3 Arrancar o motor do chassi inferior


 Girar a chave de ignição 319 para a posição “I”.
Resultado:
– a luz de controlo 318 pisca.
– a luz de controlo 317 está acesa.
Existe prontidão de arranque.

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais!
 O motor somente pode ficar em funcionamento, quando está acesa a luz de controlo da carga da
bateria 317 e pisca a luz de controlo 318.

 Girar a chave de ignição 319 para a posição “II”.


 Arrancar o motor.

Eliminação de problemas
O motor não arranca depois de no máximo 10 segundos.
 Fazer uma pausa de 1 minuto. Em cada tentativa poderá accionar o motor de arranque 3 vezes
10 segundos, entre os accionamentos fazer uma pausa de 1 minuto.

3.4 Arrancar o motor do chassi inferior com o sistema de arranque por


incandescência
Para o melhoramento do processo de arranque a frio e na fase de aquecimento o motor está
equipado com sistema de arranque por incandescência.
O sistema de arranque por incandescência desliga automaticamente, quando:
– durante a prontidão de arranque do motor não é arrancado.
– o motor é arrancado, estando a luz de controlo 318 acesa.
– a temperatura do líquido de refrigeração com o motor em funcionamento alcança 20 °C.

AVISO
Operacionalidade da bateria durante a estação fria do ano.
A capacidade de arranque diminui fortemente com o frio: por exemplo, com a temperatura de 10 °C a
capacidade normal reduz-se para apenas 66%.
 Por isso, depois de desligar o motor, as baterias devem ser guardadas, se possível, num
compartimento aquecido.

 Girar a chave de ignição 319 para a posição “I”.


Resultado:
– a luz de controlo 318 acende primeiramente e começa a piscar após curto tempo.
Existe prontidão de arranque.

 Girar a chave de ignição 319 para a posição “II”.


 Arrancar o motor.

Eliminação de problemas
A luz de controlo 318 pisca?
O dispositivo de comando reconheceu um erro no sistema de arranque por incandescência.
 Corrigir o erro.

4.03 LIEBHERR 397


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B198146

398 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

3.5 Controlo dos instrumentos após o arranque


Assim que há uma tensão estável com motor em funcionamento, são comutados automaticamente o
comando eléctrico da grua e o controlo de sobrecarga do sistema computadorizado LICCON.
Segue-se um autoteste do sistema do microprocessador, após alguns segundos aparece no monitor
a imagem do estado do equipamento.

3.5.1 Controlo dos instrumentos no monitor LICCON


Os seguintes símbolos têm que apagar quando o motor da grua e motor de translação estão a
funcionar
 Verificar a luz de controlo 315.
 Verificar a luz de controlo 317.
 Controlar o símbolo 11 respectivamente símbolo 21 “pressão do óleo do motor” no monitor
LICCON.

Eliminação de problemas
Indicador de cifra para a pressão do óleo do motor no símbolo 11 respectivamente no
símbolo 21 “pressão do óleo no motor” pisca após aproximadamente 10 s ainda ou começa a piscar
durante o serviço da grua?
A pressão do óleo do motor é demasiado baixa. O motor poderá ser danificado devido à reduzida
pressão do óleo.
 Desligar imediatamente o motor e identificar a causa.

 Controlar o indicador de cifra para a temperatura do líquido de refrigeração no símbolo 12.1 e


símbolo 22.1.

Eliminação de problemas
O indicador de cifras para a “temperatura do líquido de refrigeração” no
símbolo 12.1 respectivamente no símbolo 22.1 pisca durante o serviço?
A temperatura do líquido de refrigeração é demasiado alta. Uma elevada temperatura do líquido de
refrigeração pode causar danos no motor.
 Desligar de imediato o motor.

 Controlar o símbolo 10 respectivamente símbolo 20 “conteúdo do depósito do combustível”.


 Verificar o símbolo 19 “temperatura do óleo do sistema hidráulico”.
 Controlar o símbolo 12.2 respectivamente elemento simbólico 22.2 “temperatura de ar de
admissão”.
 Controlar o símbolo 13 respectivamente elemento simbólico 23 “nível do líquido de refrigeração”.
 Controlar o símbolo 14 respectivamente símbolo 24 “filtro de ar”.
 Controlar o símbolo 26 “caixa de mudanças”.
 Controlar o símbolo 18 respectivamente símbolo 28 “tensão das baterias”.

3.6 Monitoração do motor


veja o Capítulo 4.02, parágrafo Monitoração do motor.

4.03 LIEBHERR 399


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B199952

400 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

3.7 Desligar o motor do chassi superior

3.7.1 Desligar o motor do chassi superior


Após o serviço com a plena potência do motor ou com elevada temperatura do líquido de
refrigeração (superior a 95 °C) deixar o motor funcionar sem carga com o número de rotações de
marcha lenta 1-2 minutos..
 Girar para trás até ao encosto a chave de ignição 320.
 Retirar e guardar a chave de ignição 320.

3.7.2 Desligar o motor do chassi superior em caso de perigo

PRECAUÇÃO
Accionamento do interruptor de emergência
 Apenas é permitido utilizar o interruptor de emergência 390 ou o interruptor de
emergência 362 em situações de absoluta emergência. É proibido accionar o interruptor de
emergência 390 ou o interruptor de emergência 362 em serviço normal!

 Pressionar o interruptor de emergência 390.


ou
 Pressionar o interruptor de emergência 362.
Resultado:
– a grua será imediatamente parada.

3.8 Desligar o motor do chassi inferior


Após o serviço com a plena potência do motor ou com elevada temperatura do líquido de
refrigeração (superior a 95 °C) deixar o motor funcionar sem carga com o número de rotações de
marcha lenta 1-2 minutos..
 Girar para trás até ao encosto a chave de ignição 319.
 Retirar e guardar a chave de ignição 319.

4.03 LIEBHERR 401


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B196422

402 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

4 Sistema computadorizado LICCON após o arranque


do motor
O sistema computadorizado LICCON somente está pronto para o serviço com o motor em
funcionamento.

4.1 Aguardar a fase de inicialização


Depois de se ligar, o sistema computadorizado LICCON inicia e executa um auto-teste, veja o
Capítulo 4.02.
 Aguardar a fase de inicialização.
Resultado:
– a imagem do equipamento surge no monitor LICCON.
Geralmente é indicado o último estado do equipamento montado no momento seleccionado e o
último número de colocações dos cabos seleccionado.
Se durante a fase de inicialização for movimentado um interruptor mestre da posição zero, é
interrompido o ciclo de funcionamento da cadeia eléctrica de segurança.
 Neste caso:
desligar o motor e a ignição e de seguida voltar a ligá-los.

Eliminação de problemas
No monitor LICCON é indicado um erro?
 Desligar o motor e a ignição e de seguida voltar a ligá-los.
 O sistema computadorizado LICCON mostra automaticamente a imagem de determinação de
erros.

Eliminação de problemas
O monitor LICCON não indica o último estado do equipamento montado no momento e o último
número de colocações dos cabos seleccionados?
Quando ocorrer uma perda de dados na memória (primeira inicialização do programa), aparecerá na
imagem do equipamento o primeiro estado do equipamento montado no momento válido. O número
de colocações será colocado em “0”.
 Voltar a ajustar o estado do equipamento montado no momento e o número de colocações dos
cabos.

4.2 Aceitar o estado do equipamento montado no momento e a


colocação do cabo de elevação até agora ajustados
Verificar na imagem de serviço se estão ajustados o código curto e o número de colocações
correctos.
 Se as ajustamentos na imagem de serviço estiverem correctas:
Accionar a tecla de função “F8” 8.
Resultado:
– o programa “Equipar” será terminado e os Parâmetros ajustados serão aceites no Programa
“Serviço” que de novo foi arrancado.

4.03 LIEBHERR 403


146705-00 4.03 Colocação da grua em serviço

B196422

404 LIEBHERR 4.03


4.03 Colocação da grua em serviço 146705-00

4.3 Ajuste de um novo estado do equipamento montado no momento e


de uma nova colocação do cabo de elevação
O estado do equipamento montado no momento seleccionado e indicado pode ser modificado
através das teclas de função ou através de inserção do código curto.

4.3.1 Ajustar o novo estado do equipamento montado no momento com as teclas de


função
 Pressionar a tecla de função “F2” 2 até estar seleccionado o estado geométrico principal
desejado.
 Pressionar a tecla de função “F3” 3 até estar seleccionado o estado do acessório desejado.
 Pressionar a tecla de função “F4” 4 até estar seleccionado o contrapeso desejado.
 Pressionar a tecla de função “F5” 5 até estar seleccionada a base de apoio desejada.
 Pressionar a tecla de função “F6” 6 até estar seleccionada a zona de rotação do chassi superior
desejada.
 Pressionar a tecla “Enter” 9.
 Controlar a tabela de cargas ajustada.

4.3.2 Ajustar o novo estado do equipamento montado no momento inserindo um


código curto
O código curto é indicado na tabela de cargas.
 Entrada de dados do código curto de 4 números com o campo de teclas A.
 Pressionar a tecla “ENTER” 9.
Resultado:
– os dados da tabela de cargas seleccionada podem ser vistos.

Para uma descrição precisa do programa “Equipar” ver o Capítulo 4.02.


 Controlar a tabela de cargas ajustada.

4.3.3 Ajuste de uma nova colocação do cabo de elevação


 Pressionar a tecla de função “F7” 7 até estar seleccionado o número de colocações do cabo
desejado.
ou
 Pressionar as teclas de função “SHIFT” 10 e “F7” 7 até estar seleccionado o número de
colocações do cabo desejado.

4.3.4 Verificar e aceitar o novo estado do equipamento montado no momento e a


nova colocação do cabo de elevação
 Se os ajustamentos na imagem do equipamento estiverem correctas:
Accionar a tecla de função “F8” 8.
Resultado:
– o programa “Equipar” será terminado e os Parâmetros ajustados serão aceites no Programa
“Serviço” que de novo foi arrancado.

 Verificar na imagem de serviço se estão ajustados o código curto e o número de colocações


correctos.

4.03 LIEBHERR 405


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

B199954

406 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

1 Em geral

1.1 Dispositivos de segurança


Antes de cada trabalho com a grua, o condutor da grua tem a obrigação de se assegurar do perfeito
estado de funcionamento dos dispositivos de segurança.

PERIGO
Perigo de acidente devido a dispositivos de aviso e de segurança avariados!
O trabalho com a grua com dispositivos de aviso e de segurança avariados pode conduzir a
acidentes mortais!
 Assegure-se de que todos os dispositivos de aviso e de segurança estão em funcionamento.
 Certifique-se que, se a protecção contra sobrecarga funciona.

1.1.1 Controlar a protecção contra sobrecarga


Com a lança telescópica completamente retraída telescopicamente e nivelada horizontalmente sem
carga e sem meios de retenção de carga o LICCON tem que indicar o seguinte:
– carga 0 t
– comprimento da lança telescópica 13,3 m
– ângulo da lança telescópica 0°

1.2 Instrumentos de nivelamento


Para garantir a segurança do trabalho da grua, a grua tem que estar sobre um subsolo plano e
estável, e nivelada horizontalmente.

PERIGO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Se a grua não estiver nivelada horizontalmente, esta pode tombar. A variação máxima permitida da
posição horizontal da grua é de ± 0,5% (± 0,3°).
 Nivelar a grua sem falta na horizontal.

1.2.1 Instrumentos de nivelamento do chassi inferior


Nos dois lados do veículo, está colocada uma unidade de comando dos estabilizadores com
pulsadores para operar os estabilizadores, assim como um indicador de inclinação electrónico.

1.2.2 Instrumentos de nivelamento no chassi superior


O nivelamento horizontal da grua será indicado no sistema computadorizado LICCON, em forma de
gráfico, assim como numericamente.

2 Sistema computadorizado LICCON


O sistema computadorizado LICCON é um sistema para comando e monitoração das gruas móveis.
Além protecção contra sobrecarga (limitador de momento de carga LMB) existem inúmeros
programas de aplicação que poderão ser utilizados para comando e controle dos movimentos da
grua, ver Capítulo 4.02.

4.04 LIEBHERR 407


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

2.1 Protecção contra sobrecarga


Os sensores importantes para a protecção contra sobrecarga são:
– transmissor de comprimento
– transmissor de ângulo
– transmissor de pressão
– sensor indutivo do encavilhamento da lança telescópica
A protecção contra sobrecarga electrónico desconecta todos os movimentos da grua que
aumentam o momento de carga ao ultrapassar o momento de carga permitido. Depois, apenas
poderão ser accionados movimentos que diminuem o momento de carga.

PERIGO
Perigo de acidente!
A existência da protecção contra sobrecarga não dispensa o condutor da grua da sua obrigação de
cuidado.
 Certifique-se antes de levantar uma carga do seu peso e a posição do centro de gravidade e
decida de acordo com a tabela de cargas, se a grua está em condições de fazer esse trabalho.

A protecção contra sobrecarga não pode abranger todos os situações de serviço da grua que
possam surgir.

PERIGO
Perigo de acidente através duma errada operação da grua!
Através duma errada operação da grua a protecção contra sobrecarga não será mais eficaz ou o
desligamento não ocorre suficientemente rápido. Neste caso são possíveis acidentes mesmo quando
a protecção contra sobrecarga está montada!
 Tenha especial atenção!

A protecção contra sobrecarga abrange, mas:


– não desliga, por exemplo pela velocidade do vento
– não controla, por exemplo inclinação da grua
– não controla, por exemplo ângulo de rotação da plataforma giratória
A protecção contra sobrecarga não abrange:
– o enganchar da carga ou os meios de retenção de carga
– elevadas forças de retardo
– queda da carga sobre os cabos de aço
– tracção oblíqua
– o deslocamento da grua num subsolo com grande inclinação do solo
– um subsolo a ceder

PERIGO
Tombamento ou destruição da grua!
 A protecção contra sobrecarga é um dispositivo conforme EN 13000. Ela não pode ser utilizada
no serviço normal como dispositivo de desligamento para movimentos da grua de qualquer tipo.
 A protecção contra sobrecarga deverá, antes do início do trabalho com a grua, encontrar-se
ajustado ao estado do equipamento montado no momento na grua de acordo com a tabela de
carga. Apenas assim poderá cumprir a sua função protectora.
 A protecção contra sobrecarga tem de ser ajustada de novo depois de cada modificação do
estado do equipamento montado no momento e/ou da configuração da lança para o respectivo
estado do equipamento montado no momento e/ou da respectiva configuração da lança.
 O condutor da grua tem de manter a sua função de cuidado, apesar da protecção contra
sobrecarga.

408 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

2.1.1 Falha da protecção contra sobrecarga


O trabalho com a grua sem o LICCON é tecnicamente possível.

PERIGO
Há um grande perigo de acidente!
Caso o LICCON não esteja operacional devido a um erro do monitor LICCON, da unidade central ou
da fonte de alimentação, a grua pode ser operada, em situações urgentes, sob cuidados extremos no
serviço de emergência.
 Neste caso a responsabilidade é inteiramente do condutor da grua.
 O condutor da grua não deve utilizar o serviço de emergência quando ele não está
completamente para as tarefas de monitoramento e dos perigos que daí resultam.

2.1.2 Modo de procedimento em caso de avaria


Em princípio devem ser sempre cumpridas estritamente todas as condições da tabela de cargas,
mesmo aquelas que não são controladas através do LMB:
– o peso certo da carga inclusive os meios de retenção de carga têm que ser conhecidos
– o estado da lança telescópica e a geometria da lança telescópica têm que ser conhecidos e têm
de estar em concordância com os valores indicados na tabela de carga correspondente
o comprimento da lança e alcance da lança terão que ser medidos manualmente.
– tem que se ter a certeza que a lança telescópica está encavilhada
Em caso de falha do monitor LICCON:
substituir o monitor LICCON por um monitor sobresselente operacional.
Em caso de falha da unidade central:
substituir a unidade central por uma unidade central sobresselente operacional
Em caso de falha da fonte de alimentação:
substituir a fonte de alimentação por uma fonte de alimentação sobresselente operacional
Em caso de falha de um ou vários sensores poderá se continuar o trabalho manualmente, se os
“valores em falta” forem controlados manualmente e estes se encontrem em concordância com a
tabela de cargas utilizada.

2.1.3 Terminar o levantamento da carga


Caso seguindo estas medidas não seja possível corrigir a avaria, recomendamos:
– consulte o notdef320Cserviço de assistência ao cliente da Liebherr mais próximo ou a fábrica da
Liebherr Ehingen antes de prosseguir o levantamento da carga
Caso isto não seja possível, o levantamento da carga pode ser terminado sob extremo cuidado da
seguinte forma:
– todos os valores necessários à determinação exacta do estado do equipamento montado no
momento e da tabela de carga correspondente, têm de ser medidos ou determinados
manualmente.

PERIGO
Perigo de acidente devido a sobrecarga da grua!
 O peso da carga, incluindo gancho e meios de fixação, tem de ser conhecido!

4.04 LIEBHERR 409


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

B196424

410 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

3 Dispositivos de segurança gerais

3.1 Anemómetro
O aviso da velocidade do vento ocorre na imagem de serviço do sistema computadorizado LICCON.
Quando o actual valor da velocidade do vento ultrapassa o valor máximo indicado, o símbolo 1 “Aviso
de vento” começa a piscar e o alarme acústico “Buzina breve” soa. Todavia não ocorre o
desligamento dos movimentos da grua.

PERIGO
Perigo de acidente caso a velocidade do vento permitida seja ultrapassada!
Todavia não ocorre o desligamento automático do movimento da grua.
 Parar o serviço de grua e baixar a lança.

3.2 Interruptor de fim de curso de elevação “gancho em cima”


O interruptor de fim de curso de elevação deverá evitar a colisão do moitão do gancho com o cabeçal
da lança.
Antes do início trabalho com a grua, o interruptor de fim de curso de elevação terá de ser controlado
quanto ao seu funcionamento, chocando o moitão do gancho com o peso de comutação.
Quando o interruptor de fim de curso de elevação for accionado aparecerá o símbolo 2 na imagem de
serviço. Os movimentos da grua “levantar”, “bascular para baixo” e “expandir a lança
telescópica” serão desligados.

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento ou destruição da grua!
 Durante o serviço da grua somente executar a ligação por ponte do interruptor de fim de curso de
elevação com o interruptor à chave, se um ajudante controlar atentamente a distância entre o
moitão do gancho e o cabeçal da lança. Esse ajudante deverá encontrar-se em contacto directo
com o condutor da grua.
 Realizar o movimento de elevação com extremo cuidado e com a velocidade mínima.
 A conexão por ponte do interruptor de fim de curso de elevação apenas é permitido em situações
de emergência por pessoas autorizadas.
 Não utilizar o interruptor de fim de curso de elevação durante o trabalho com a função de um
dispositivo de desligamento.

3.3 Interruptor de fim de curso do cabrestante: desenrolado


O interruptor final de cames montado no cabrestante comuta para “cabrestante desenrolado”, quando
somente se encontram três enrolamentos do cabo no cabrestante.

PERIGO
Perigo de acidente devido à queda da carga!
Caso não sejam seguidas as seguintes indicações, a fixação dos cabos poderá romper e a carga irá
cair.
 O interruptor final de cames tem que ser desligado quando se encontram três enrolamentos do
cabo no cabrestante!
 Se durante a montagem o cabo de elevação for enrolado, é necessário prestar atenção para que
a extremidade do cabo pare ainda antes do cabrestante e não seja bobinada por cima do
cabrestante. Se a extremidade do cabo for enrolado uma vez mais por cima do cabrestante, será
necessário reajustar o interruptor final de cames!
 Se um novo cabo for colocado, é necessário reajustar o interruptor final de cames!

4.04 LIEBHERR 411


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

B103444

412 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

3.4 Interruptor de paragem emergência*


Ao accionar o interruptor de EMERGÊNCIA 60, o interruptor de EMERGÊNCIA 362 ou o Interruptor
de EMERGÊNCIA 390 serão desligados o motor e o comando eléctrico da grua. Qualquer movimento
efectuado pode ser assim imediatamente parado.
Depois de accionar o interruptor de EMERGÊNCIA 60 ou o interruptor de EMERGÊNCIA 390, a
liberação do desbloqueamento somente poderá ser efectuada através de uma chave por pessoa
autorizada.

Observação
Cumpra imprescindivelmente as seguintes indicações!
 Utilize o Interruptor de EMERGÊNCIA apenas em situações de emergência verdadeiros!
 É proibido em serviço accionar o Interruptor de EMERGÊNCIA!

3.5 Desbloqueio do comando


O interruptor de contacto do assento 301 pára o comando da grua assim que o condutor da grua se
levante.
Deste modo ele evita movimentos involuntários da grua ao accionar não intencionalmente o
interruptor mestre ao entrar ou sair da grua.
O pulsador 401 e o pulsador 424 fazem a ligação por ponte do interruptor de contacto do
assento 301 quando necessário, por exemplo quando é necessário trabalhar de pé.

3.6 Válvulas hidráulicas de segurança


Existem dois tipos distintos:
– válvulas de limitação de pressão contra rupturas dos tubos e rupturas das mangueiras
– válvulas de retenção do cilindro de basculação, cilindro de accionamento dos movimentos
telescópicos e nos cilindros de apoio

3.7 Estribo de segurança


O estribo de segurança 40 no pé da lança telescópica é um dispositivo de segurança mecânico!

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
Através duma montagem incorrecta, danificações ou não existente estribo de segurança 40 no pé da
lança telescópica, pode a ponta abatível – por razões de um erro de montagem cair e causar
ferimentos mortais.
 Certifique-se, antes da montagem das pontas abatíveis que o estribo de segurança 40 está
montado correctamente no pé da lança telescópica e não está danificado.
 O Estribo de segurança 40 é um dispositivo de segurança mecânico. Por isso é proibido modificar
o estribo de segurança 40 em qualquer forma.

4 Vista geral dos avisos acústicos e ópticos


4.1 Condutor da grua

4.04 LIEBHERR 413


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

Condutor da grua
Sinal acústico de Aviso óptico - símbolos monitor
aviso LICCON
lento rápido Pré Desliga-
aviso mento
Função Sinal

Serviço de grua, Grau de X2 X


montagem, aproveitame-
desmontagem nto LMB
maior que
90%
Serviço de grua, Grau de X2 X
montagem, aproveitame-
desmontagem nto LMB
maior 100%
Pulsador à chave Montagem X X
de ligação por
ponte D
Pulsador à chave Serviço de X X X
S81 ou conector emergência
XNOT
Pulsador à chave Ligação por X X
de ligação por ponte LMB
ponte D gancho em
cima
“Sem motor” X
ligação por
ponte

X = não é possível desligar


X1 = possível desligar após 5 segundos no posto de comando

X2 = possível desligar imediatamente no monitor LICCON

4.2 Pessoas na zona de perigo

414 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

Pessoas na zona de perigo


Sinal acústico de Aviso óptico
aviso
Função Sinal Campainha Lâmpada
plataforma giratória relampejante cabina /
tecto
Serviço de grua, Grau de
montagem, aproveitamento LMB
desmontagem maior que 90%
Serviço de grua, Grau de X1
montagem, aproveitamento LMB
desmontagem maior 100%
Pulsador à chave de Montagem X X
ligação por ponte D
Pulsador à chave S81 Serviço de emergência X
ou conector XNOT
Pulsador à chave de Ligação por ponte LMB X X
ligação por ponte D gancho em cima
“Sem motor” ligação
por ponte

X = não é possível desligar


X1 = possível desligar após 5 segundos no posto de comando

X2 = possível desligar imediatamente no monitor LICCON

4.04 LIEBHERR 415


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

B196424

416 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

5 Ligação por ponte “bascular para cima com


sobrecarga”

5.1 Ligação por ponte


Em caso de sobrecarga ocorrerá também o desligamento do movimento da grua “bascular para
cima” apesar de, com a carga suspensa, este movimento diminuir o momento de carga.

PERIGO
Perigo de acidente devido a sobrecarga e tombamento da grua!
Não tente levantar uma carga basculando para cima a lança, quando o mecanismo de elevação foi
desligado pelo limitador de momento de carga.
 Faça a ligação por ponte da zona limite apenas quando o dispositivo de segurança contra
sobrecarga LICCON, com carga suspensa, não indicar sobrecarga e o alcance da lança não for
inferior a 3,5 m.

 Para não obstante efectuar este movimento da grua:


accionar o pulsador 412 e direccionar o interruptor mestre “MS1 420 ” no sentido X-.

6 Ligação por ponte do LICCON


O pulsador à chave de ligação por ponte D no monitor LICCON tem duas posições:
– posição de serviço (auto-retenção): a grua está em serviço normal
– posição para a direita (tactear): o interruptor de fim de curso de elevação e o desligamento do
limitador do momento de carga estão ligados por ponte

6.1 Ligação por ponte da protecção contra sobrecarga


Uma vez ultrapassado o momento de carga máximo permitido, o dispositivo de segurança contra
sobrecarga LICCON desliga todos os movimentos da grua que aumentam o momento de carga. Este
desligamento pode ser ligado por ponte através do pulsador de chave para ligação por ponte D para
a posição “pulsando à direita”.

PERIGO
Elevado perigo de acidente através da ligação por ponte da protecção contra sobrecarga!
Quando a protecção contra sobrecarga for ligada por ponte, não existe mais nenhuma protecção
contra sobrecarga da grua!
Todas as indicações do dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON ficam operacionais.
 A ligação por ponte da protecção contra sobrecarga é somente autorizada para casos de
montagem ou em casos de emergência!
 O pulsador de chave para ligação por ponte D só pode ser accionada por pessoas as quais
conhecem as consequências do seu procedimento em relação à ligação por ponte da protecção
contra sobrecarga!
 Somente é permitida a ligação por ponte da protecção contra sobrecarga na presença do
supervisor da grua e mantendo o máximo dos cuidados.
 É proibido o serviço da grua com a protecção contra sobrecarga ligada por ponte!

4.04 LIEBHERR 417


147095-00 4.04 Dispositivos de segurança

B196424

418 LIEBHERR 4.04


4.04 Dispositivos de segurança 147095-00

6.2 Ligação por ponte do desligamento gancho em cima


Se ao movimentar para cima o moitão do gancho entrar em contacto com o peso do interruptor de fim
de curso, este é accionado. Os movimentos da grua “enrolar os cabrestantes”, “bascular para baixo a
lança telescópica” e “expandir a lança telescópica” serão desligados simultaneamente. O
desligamento pode ser ligado por ponte através do pulsador de chave para ligação por ponte D na
posição “pulsando à direita”.

PERIGO
Elevado perigo de acidente através da ligação por ponte da protecção contra sobrecarga!
Quando o desligamento do gancho em cima for ligado por ponte, existe o perigo que em outros
levantamentos respectivamente ao bascular para baixo a lança seja puxado o moitão do gancho
contra o cabeçal de polias. Com isso as polias serão danificadas o qual poderá ter por consequência
a queda da carga!
 Somente é permitida a ligação por ponte do desligamento gancho em cima na presença do
supervisor da grua e com a colaboração de um “dirigente”. O ajudante terá que estar em contacto
directo com o condutor da grua e observar constantemente a distância entre o moitão do gancho
e o cabeçal da lança.
 Todos os movimentos da grua devem ser feitos com a velocidade mínima e com extremo
cuidado.

6.3 Accionar o pulsador de ligação por ponte LICCON


 Girar o pulsador de chave de ligação por ponte D para a direita e manter.
Resultado:
– o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está desactivado.
– o símbolo de montagem 3 no monitor LICCON pisca.
– soa um sinal acústico.
– a lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua está acesa.

 Quando o pulsador de chave para ligação por ponte D tiver que ser desligado:
não accionar mais o pulsador de chave para ligação por ponte D.
Resultado:
– o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está activado.
– o símbolo montagem 3 no monitor LICCON apaga.
– o sinal acústico está desligado.
– a lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua apaga.

4.04 LIEBHERR 419


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196011

420 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

1 Generalidades
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua encontra-se apoiada e nivelada horizontalmente de acordo com as informações descritas
na tabela de cargas
– o estribo na subida para a cabina do condutor da grua está deslocado para fora
– o contrapeso encontra-se montado e travado de acordo com as informações da tabela de cargas
– o motor da grua está em funcionamento
– o moitão do gancho encontra-se transpassado pela polia correctamente de acordo com o plano
de colocação do cabo
– todos os dispositivos de segurança encontram-se ajustados de acordo com as instruções da
tabela de cargas
– a zona de perigo encontra-se livre de pessoas e objectos

PERIGO
Perigo de acidente!
 Accionar o interruptor mestre sempre devagar e com sensibilidade, assim a grua é poupada e é
possível evitar o perigo de acidente.
 Assegure-se que na zona de trabalho da grua não se encontram obstáculos e que a zona de
perigo está livre de pessoas.
 Antes de iniciar um movimento da grua é necessário dar um sinal de aviso (buzina).

1.1 Chassi superior

1.1.1 Bloquear o chassi superior


No trabalho com a grua somente “para trás” ou no Capítulo 4.09, bloquear mecanicamente o chassi
superior com o chassi inferior.

Observação
Dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON
 A liberação do dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON somente terá lugar quando o
chassi superior estiver bloqueado correctamente com o chassi inferior.

 Accionar o pulsador 369.


Resultado:
– o dispositivo de retenção do chassi superior está bloqueado
o símbolo 1 aparece no monitor LICCON.

1.1.2 Destravar o dispositivo de retenção do chassi superior


 Quando o chassi superior está travado:
Accionar outra vez o pulsador 369.
Resultado:
– o dispositivo de retenção do chassi superior está destravado.

4.05 LIEBHERR 421


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196011

422 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

1.2 Rotação do motor

1.2.1 Activar a retenção da rotação do motor


O dispositivo de retenção da rotação do motor alivia o condutor da grua quando se trabalha durante
muito tempo com um número constante de rotações do motor. A regulação do motor pode ser fixa em
qualquer posição.
 Accionar o pedal 377 para a regulação do motor até estar alcançada a rotação desejada.
 Accionar o pulsador 404.
ou
 Accionar o pulsador 425.
Resultado:
– o pedal 377 está travado.

1.2.2 Desactivar a retenção da rotação do motor


 Quando a retenção da rotação do motor está activada:
Accionar outra vez o pulsador 404.
ou
 Accionar outra vez o pulsador 425.
Resultado:
– a retenção é desactivada.

4.05 LIEBHERR 423


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196011

424 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

1.3 Velocidade rápida “Power Plus”


Observação
Tenha em atenção!
 Se um movimento da grua por razões do seu aproveitamento actual já alcançou a sua velocidade
máxima, não é mais possível o aumento de velocidade através da comutação da velocidade
rápida.
 Se a potência total de todos os movimentos da grua dirigidos maior do que a potência que está à
disposição, o movimento da grua o qual exige maior potência será reduzido.
 Caso para um ou vários movimentos da grua dirigidos for acrescentado ou retornado um outro
comando de movimento da grua, este terá influências sobre os outros movimentos. Por isso é
aconselhado em situações em que uma influência de cada um dos movimentos da grua são
perturbados entre si, não deve comutar a velocidade rápida respectivamente descomutar a
velocidade rápida.

1.3.1 Conectar a velocidade rápida “Power Plus”


Com o pulsador 402 ou com o pulsador 422 é aumentada a velocidade do movimento da grua
“bascular para cima” e “subir / descer”.

PERIGO
Perigo de acidente quando a colocação do cabo for executada com um até três cabos!
 Não accionar a velocidade rápida quando a grua transporta uma carga com mais de 50% da sua
capacidade de carga máxima permitida com o respectivo alcance da lança.

 Accionar o pulsador 402.


ou
 Accionar o pulsador 422.
Resultado:
– a velocidade rápida está activada.
o símbolo 2 aparece no monitor LICCON.

1.3.2 Desligar a velocidade rápida “Power Plus”


 Quando a velocidade rápida está accionada:
Accionar outra vez o pulsador 402.
ou
 Accionar outra vez o pulsador 422.
Resultado:
– a velocidade rápida está desactivada.
O símbolo 2 desaparece no monitor LICCON.

4.05 LIEBHERR 425


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196011

426 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

1.4 Sensor de vibrações


Através da conexão do sensor de vibrações poderá também aperceber-se de um movimento da grua
através da vibração do interruptor mestre.
Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– está accionado o interruptor de contacto do assento 301

1.4.1 Cabrestante 1
 Accionar o pulsador 424.
Resultado:
– o sensor de vibrações 421 está activado.

 Quando o sensor de vibrações 421 está ligado:


Accionar outra vez o pulsador 424.
Resultado:
– o sensor de vibrações 421 está desligado.

1.4.2 Cabrestante 2 ou mecanismo de rotação


Se o cabrestante 2 e o mecanismo de rotação forem accionados, então o sensor de
vibrações 403 reage ao primeiro movimento efectuado.
 Accionar o pulsador 401.
Resultado:
– o sensor de vibrações 403 está activado.

 Quando o sensor de vibrações 401 está ligado:


Accionar outra vez o pulsador 401.
Resultado:
– o sensor de vibrações 403 está desligado.

4.05 LIEBHERR 427


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196012

428 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

2 Sistema computadorizado LICCON


Ver Capítulo 4.02.

2.1 O motor da grua está em funcionamento


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– as baterias estão carregadas através do alternador
– verifica-se uma tensão estável

O comando da grua eléctrico e o sistema computadorizado LICCON ligam automaticamente.


Segue-se um autoteste do sistema computadorizado LICCON.
 Aguarde o autoteste.
Resultado:
– após alguns segundos aparece no monitor a imagem do equipamento.

Eliminação de problemas
Não aparece a imagem do equipamento no monitor?
Durante o autoteste do sistema computadorizado LICCON foi encontrado um erro.
 Ver Capítulo 4.02.

2.2 Modo de Stand-by


Não é possível executar movimentos com a grua. Ver o cap. 4.02, parágrafo “Sistema
computadorizado LICCON no modo Stand-by”.

4.05 LIEBHERR 429


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196013

430 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

3 Basculação
A velocidade do movimento da grua “bascular” é controlado através do direccionamento do
interruptor mestre 1 420 e através do pedal 377 da regulação do motor

PERIGO
Perigo por sobrecarga respectivamente tombamento da grua!
 É proibido levantar uma carga basculando a lança para cima, se ela tiver causado o desligamento
da grua pela activação do dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON ao tentar
levantá-la por meio do mecanismo de elevação.

3.1 Basculação da lança telescópica


No programa “parâmetros de controlo” é possível pré-seleccionar a velocidade de basculação
máxima da lança telescópica.
Ver Capítulo 4.02, parágrafo “Parâmetros de controlo”.

3.1.1 Bascular a lança telescópica em gruas com um cabrestante


Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– o interruptor 430 está colocado para a posição esquerda “bascular a lança telescópica”
 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X-.
Resultado:
– a lança telescópica é basculada para cima.

 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X+.


Resultado:
– a lança telescópica é basculada para baixo

3.1.2 Bascular a lança telescópica em gruas com dois cabrestantes


Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– o interruptor 430 está colocado na posição intermédia “bascular a lança telescópica”
 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X-.
Resultado:
– a lança telescópica é basculada para cima.

 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X+.


Resultado:
– a lança telescópica é basculada para baixo

4.05 LIEBHERR 431


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196013

432 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

3.2 Bascular a ponta abatível*


Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– o interruptor 430 está colocado na posição direita “bascular a ponta abatível”
 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X-.
Resultado:
– a ponta abatível é basculada para cima.

 Direccionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X+.


Resultado:
– a ponta abatível é basculada para baixo.

4.05 LIEBHERR 433


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196014

434 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

4 Levantar / baixar

PRECAUÇÃO
Perigo de danificação do cabo de elevação ao enrolar ou desenrolar!
 Não permitir a formação de cabos frouxos.

A velocidade do movimento da grua “levantar” é controlado através do direccionamento do respectivo


interruptor mestre e através do pedal 377 da regulação do motor.
No programa “Parâmetros de controlo” é possível pré-seleccionar a velocidade máxima dos
cabrestantes. Do mesmo modo é possível desactivar ou activar cada um dos cabrestantes.
Ver Capítulo 4.02, parágrafo “Parâmetros de controlo”.

4.1 Subir / descer o cabrestante 1


No símbolo do cabrestante 3 será indicado, que o cabrestante 1 gira, também quando por causa das
múltiplas colocações e velocidade mínima não seja visível um movimento do gancho.
 Orientar o interruptor mestre 1 420 no sentido Y+.
Resultado:
– o cabrestante 1 desenrola, a carga é baixada.

 Orientar o interruptor mestre 1 420 no sentido Y-.


Resultado:
– o cabrestante 1 enrola, a carga é levantada.

4.2 Subir / descer o cabrestante 2


No símbolo do cabrestante 4 será indicado, que o cabrestante 2 gira, também quando por causa das
múltiplas colocações e velocidade mínima não seja visível um movimento do gancho.
 Orientar o interruptor mestre 2 400 no sentido Y+.
Resultado:
– o cabrestante 2 desenrola, a carga é baixada.

 Orientar o interruptor mestre 2 400 no sentido Y-.


Resultado:
– o cabrestante 2 enrola, a carga é levantada.

4.05 LIEBHERR 435


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196015

436 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

5 Rotação
A velocidade do movimento da grua “Rotação” é controlado através do direccionamento do
interruptor mestre 2 400 e através do pedal 377 da regulação do motor.
Por princípio vale, que com lança comprida e grande carga a grua deverá ser operada com
velocidade reduzida.
No programa “Parâmetros de controlo” é possível pré-seleccionar a velocidade máxima de rotação.
Consultar o Capítulo 4.02 “sistema computadorizado LICCON”, parágrafo “Parâmetros de controlo”.
No livro de tabelas de carga estão indicadas as velocidades de rotação máximas em percentagens.
Estes valores dependentes do comprimento da lança e do modo de serviço não podem ser de
maneira alguma ultrapassados.

5.1 Rotação do chassi superior


Certifique-se, que o chassi superior esteja desencavilhado antes de iniciar o movimento rotativo.

PERIGO
Perigo de morte!
 Assegure-se de que na zona de rotação da grua não se encontram obstáculos e de que a zona
de perigo está livre de pessoas.
 Antes de iniciar um movimento da grua é necessário dar um sinal de aviso (buzina).
 Rodando com carga é necessário iniciar ou travar o movimento de rotação com extremo tacto.

 Direccionar o interruptor mestre 2 400 no sentido X+.


Resultado:
– o chassi superior gira para a direita.

 Direccionar o interruptor mestre 2 400 no sentido X-.


Resultado:
– o chassi superior gira para a esquerda.

4.05 LIEBHERR 437


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196015

438 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

5.2 Mecanismo de rotação em geral


Esta grua está equipada com um “mecanismo de rotação tensionado”. Com “mecanismo de rotação
tensionado” ocorre a actuação dos travões logo que o interruptor mestre 2 400 seja movimentado
para a direcção da posição zero. O travão de estacionamento abre logo que o interruptor
mestre 2 400 seja movimentado para fora da posição zero.

5.2.1 Ligar / desligar o travão de estacionamento


Quando o travão de estacionamento estiver desligado, então a carga pode ser retida com o travão do
mecanismo de rotação 374.
O travão de estacionamento liga automaticamente, quando:
– o interruptor de contacto do assento 301 seja accionado.
– o motor seja desligado.
O travão de estacionamento não pode ser desligado, em:
– desligamento do mecanismo de rotação através do controlador das longarinas corrediças;
– desligamento do mecanismo de rotação através do dispositivo de segurança contra sobrecarga
LICCON;
– limitação da área de trabalho activada.
 Accionar o interruptor 411 para a direita.
Resultado:
– o travão de estacionamento está desligado.

 Accionar o interruptor 411 para a esquerda.


Resultado:
– o travão de estacionamento está ligado.

5.3 Comutar o mecanismo de rotação para roda livre


Para posicionar a lança facilmente por cima da carga, pode comutar o mecanismo de rotação para
roda livre.
O interruptor mestre 2 400 não pode ser dirigido ao mesmo tempo.
O mecanismo de rotação não pode ser comutado para roda livre, em:
– desligamento do mecanismo de rotação através do controlador das longarinas corrediças;
– desligamento do mecanismo de rotação através do dispositivo de segurança contra sobrecarga
LICCON;
– limitação da área de trabalho activada.
 Accionar o pulsador a pedal 375.
Resultado:
– o mecanismo de rotação está comutado para roda livre.

Eliminação de problemas
O chassi superior gira involuntariamente com o mecanismo de rotação libertado (por exemplo através
do vento) para o lado.
 Não largar o pulsador a pedal 375.
 Orientar o interruptor mestre 2 400 no sentido da rotação e depois largar o pulsador a pedal 375.
 Travar o movimento rotativo através da colocação de retorno vagaroso do interruptor
mestre 2 400.

4.05 LIEBHERR 439


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196015

440 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

5.4 Conectar o travão do mecanismo de rotação


PRECAUÇÃO
Perigo de danificação da grua respectivamente da união giratória de rolos!
O travão do mecanismo de rotação não pode travar o momento de rotação total.
 Por isso pode utilizar o travão do mecanismo de rotação 374 somente em velocidades de rotação
mínimas, isso significa o interruptor mestre 2 400 é aproximado para a posição zero.
 Não travar abruptamente o movimento rotativo da grua retornando o interruptor mestre 2 400 para
a posição zero e/ ou accionando o travão do mecanismo de rotação 374!

Utilizar o travão do mecanismo de rotação 374 somente para os casos de aplicação seguintes.

5.4.1 Deslocar com forte vento lateral


Se com forte vento lateral e sistemas da lança comprido for girado contra o vento, então o chassi
superior girará por consequência do vazamento no motor hidráulico em sentido oposto.
Isto pode ser evitado como se segue:
 Accionar o travão do mecanismo de rotação 374 e orientar o interruptor mestre 2 400 no sentido
rotativo desejado.
 Largar vagarosamente o travão do mecanismo de rotação 374 até o chassi superior se girar para
o sentido rotativo desejado.

5.4.2 Parar o movimento rotativo em forte vento lateral


 Retardar para a mínima velocidade da grua com o interruptor mestre 2 400.
 Accionar cuidadosamente o travão do mecanismo de rotação 374, até a grua se imobilizar no
ponto desejado.

4.05 LIEBHERR 441


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196013

442 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6 movimentos telescópicos

6.1 Comando do movimento da grua

6.1.1 Gruas com um cabrestante


A velocidade do movimento da grua será comandada através da deflexão do interruptor
mestre 2 400 e através do pedal da regulação do motor. 377.
 Accionar o interruptor mestre 2 400 no sentido Y+ (para a frente).
Resultado:
– a lança telescópica será expandida telescopicamente.

 Accionar o interruptor mestre 2 400 no sentido Y- (para trás).


Resultado:
– a lança telescópica é retraída telescopicamente.

6.1.2 Gruas com dois cabrestantes*


A velocidade do movimento da grua será comandada através da deflexão do interruptor
mestre 1 420 e através do Pedal 377 da regulação do motor.
Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– o interruptor 430 está colocado para a posição esquerda “telescopagem”
 Accionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X+ (para a direita).
Resultado:
– a lança telescópica será expandida telescopicamente.

 Accionar o interruptor mestre 1 420 no sentido X- (para a esquerda).


Resultado:
– a lança telescópica é retraída telescopicamente.

4.05 LIEBHERR 443


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196273

444 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6.2 Generalidades
O comando telescópico automático “TELEMATIC” é composto por:
– cilindro de accionamento dos movimentos telescópicos de efeito duplo
– encavilhamento da pinça accionado hidraulicamente
– encavilhamento da lança accionado hidraulicamente
O encavilhamento das pinças e da lança estão acoplados uns com os outros mecanicamente, isso
significa, um elemento telescópico somente pode ser encavilhado quando a pinça estiver
simultaneamente bloqueada com esse elemento telescópico.
Na imagem dos movimentos telescópicos do LICCON será indicado ao condutor da grua num gráfico
dinâmico o estado do encavilhamento da lança telescópica, a posição de cada um dos elementos
telescópicos em relação aos outros e o estado de expansão do cilindro de accionamento dos
movimentos telescópicos.
Através do processo automático do movimento telescópico, o condutor da grua pode muito facilmente
movimentar telescopicamente a lança telescópica, já que ele não tem que se ocupar do
encavilhamento / desencavilhamento do cilindro de accionamento dos movimentos telescópicos ou
dos elementos telescópicos. O comando telescópico do LICCON possibilita por isso movimentos
telescópicos com facilidade, apenas têm que se introduzir no sistema os dados do destino
telescópico desejado.
O comando dos movimentos telescópicos do LICCON determina qual a sequência de cada um dos
elementos telescópicos a serem deslocados, para alcançar o estado final pretendido. Após a entrada
dos dados do destino telescópico pretendido, todos os movimentos telescópicos assim como
bloquear / desbloquear serão realizados automaticamente.
Os seguintes processos serão realizados pelo sistema:
– bloqueamento e desbloqueamento do cilindro de accionamento dos movimentos telescópicos
– encavilhamento e desencavilhamento dos elementos telescópicos
– a sequência para expandir telescopicamente os elementos telescópicos, para alcançar o estado
final pretendido
O decurso automático será contudo apenas executado, enquanto o interruptor mestre for dirigido.
Com o interruptor mestre serão definidas a direcção e a velocidade dos movimentos telescópicos.
Deste modo o condutor da grua mantém constantemente o controlo sobre a grua.
A direcção do movimento do cilindro será determinado anteriormente pelo sistema computadorizado
LICCON.
Se a lança telescópica for prolongada, neste momento os elementos telescópicos não alcançáveis
têm de ser movimentados, então será necessário primeiro recolhe telescopicamente, até que o último
elemento telescópico a ser movimentado seja alcançado. Neste caso, para prolongar a lança
telescópica (expandir a lança telescópica) terá primeiro que se retrair a lança telescópica.
O sistema computadorizado LICCON indica em que direcção terão que se fazer em seguida os
movimentos telescópicos. Conforme estas indicações de direcção terá também que se direccionar o
interruptor mestre. Assim é mantida a relação entre a direcção de movimentos do respectivo
interruptor mestre e os elementos telescópicos.
Deste modo é possível alcançar um destino de movimento telescópico sem a imagem de serviço.
Não será necessário por isso observar constantemente o monitor LICCON.
Quando é necessário alterar a direcção com o interruptor mestre, a lança telescópica fica parada se
for mantida a actual direcção. Isto quer dizer que, o interruptor mestre deverá ser direccionado no
outro sentido. Se não se movimentar também no outro sentido, isto significa que o destino do
movimento telescópico foi alcançado. Este estado será opticamente apresentado na imagem de
serviço. Após cerca de 3 até 5 segundos será comutado para a imagem dos movimentos
telescópicos se o interruptor mestre, continuar a ser direccionado.

4.05 LIEBHERR 445


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196016

446 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6.3 Seleccionar o destino do movimento telescópico


Existem duas possibilidades para seleccionar o destino do movimento telescópico:
1) Selecção do destino através da imagem do equipamento
2) Selecção do destino através da imagem dos movimentos telescópicos

6.3.1 Selecção do destino através da imagem do equipamento


 Accionar a tecla do programa P0.
Resultado:
– a imagem do equipamento aparece no monitor LICCON.

 Movimentar com as teclas de seta 4 o cursor 1 para a esquerda ou para a direita, para a coluna
correspondente ao comprimento desejado da lança telescópica.

Como informação de apoio será indicado o actual seleccionado número da coluna 3 e a quantidade
de colunas indicada nesta tabela. Por exemplo 45(89) significa coluna 45 de 89.
O indicador de estado (±) à esquerda ao lado do valor percentual do estado de expansão significa:
– “+” o elemento telescópico correspondente tem que estar encavilhado.
– “-” o elemento telescópico correspondente pode ser movimentado telescopicamente sob carga
até ao valor percentual do estado de expansão (conforme a tabela de cargas).
A seta dupla 2 na margem à esquerda e / ou direita desta linha indica mais colunas em cada uma das
direcções.
Se o cursor 1 for movimentado numa margem marcada com setas, aparecerá assim no próximo
movimento nesta direcção a indicação da(s) próxima(s) coluna(s) de carga(s).
O cursor 1, se deslocará ele mesmo para a coluna seguinte, de acordo com as possibilidades este se
encontrará centrado.
Uma modificação do destino do movimento telescópico somente será possível quando o interruptor
mestre se encontrar na posição zero.
Se na imagem do equipamento não aparece nenhum cursor, isto significa que, através da imagem de
movimentos telescópicos foi pré-seleccionada no tabelário uma configuração da lança não apoiada e
eventualmente também alcançada!
 Accionar a tecla de função “F8” 8.
Resultado:
– o destino do movimento telescópico seleccionado está activo.
– a coluna seleccionada para o respectivo destino do movimento telescópico será marcada
lateralmente em negrito.

4.05 LIEBHERR 447


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196275

448 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6.3.2 Selecção do destino através da imagem dos movimentos telescópicos


 Accionar a tecla do programa P4.
Resultado:
– a imagem de movimentos telescópicos surge no monitor LICCON.

A selecção do destino dos movimentos telescópicos faz-se através do accionamento frequente da


tecla de função correspondente ao elemento telescópico respectivo. Após cada accionamento da
tecla modifica-se o estado de expansão pretendido do respectivo elemento telescópico para o valor
percentual seguinte onde se encontra um furo de encavilhamento.
Ao contrário da imagem do equipamento, o comprimento do elemento telescópico indicado após o
accionamento das teclas de função, está imediatamente activo como destino, sem qualquer outra
confirmação. Não é necessária uma confirmação já que as respectivas teclas de função não têm
outra função.
Como reconfirmação da função, poderá ser interpretada uma seta de direcção no símbolo
automático 9.2, directamente após a modificação do destino do movimento telescópico.
Quando aparece o símbolo 2 piscando intermitentemente no monitor LICCON:
– não há possibilidade de desencavilhar os elementos telescópicos
– a carga não encavilhada está ultrapassada
– não existe tabela de cargas
 Accionar a tecla de função “F3” 3.
Resultado:
– aparece no elemento telescópico 1: 0%, 46%, 92% ou 100%.

 Accionar a tecla de função “F4” 4.


Resultado:
– aparece no elemento telescópico 2: 0%, 46%, 92% ou 100%.

 Accionar a tecla de função “F5” 5.


Resultado:
– aparece no elemento telescópico 3: 0%, 46%, 92% ou 100%.

 Accionar a tecla de função “F6” 6.


Resultado:
– aparece no elemento telescópico 4: 0%, 46%, 92% ou 100%.

 Accionar a tecla de função “F7” 7.


Resultado:
– aparece no elemento telescópico 5: 0%, 46%, 92% ou 100%.

4.05 LIEBHERR 449


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196275

450 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6.4 Movimentos telescópicos para o destino seleccionado


Quando o destino do movimento telescópico desejado está ajustado, então será apresentada na
imagem de serviço e na imagem de movimentos telescópicos em que direcção o interruptor mestre
deve ser dirigido.
Se o interruptor mestre for dirigido ao contrário da direcção dada anteriormente, o elemento
telescópico ficará parado. A direcção antes dada ficará como critério de erro mesmo assim visível.
Quando é atingido o destino dos movimentos telescópicos ajustado, a lança telescópica ficará parada
ao fazer-se qualquer movimento do interruptor mestre e as marcações sobre o destino dos
movimentos telescópicos ajustado começam a piscar. Deste modo é atingido o objectivo.
 Quando aparece no símbolo automático 9 a seta 9.2 para cima:
direccionar o interruptor mestre para a frente no sentido Y+.
Resultado:
– a lança telescópica será expandida telescopicamente.

 Quando aparece no símbolo automático 9 a seta 9.2 para baixo:


direccionar o interruptor mestre para trás no sentido Y-.
Resultado:
– a lança telescópica é retraída telescopicamente.

4.05 LIEBHERR 451


146696-00 4.05 Serviço de grua

B196017

452 LIEBHERR 4.05


4.05 Serviço de grua 146696-00

6.5 Fazer o movimento telescópico com a imagem de serviço


O sistema de movimentos telescópicos está feito de maneira a que um condutor de grua experiente
possa efectuar os movimentos telescópicos sem imagem de movimentos telescópicos, apenas com a
imagem de serviço.
O condutor da grua recebe a indicação acerca do sentido para a deflexão do interruptor mestre
através da seta 5.3.2 no símbolo 5.
Se o condutor da grua, tendo já alcançado o destino dos movimentos telescópicos, continuar a fazer
movimentos telescópicos ocorrerá a comutação automática da imagem de serviço para a imagem
dos movimentos telescópicos. Se o interruptor mestre continuar a ser orientado, as marcações no
destino dos movimentos telescópicos ajustado piscam. Isto significa que o destino do movimento
telescópico foi atingido.
 Quando aparece no símbolo 5 a seta 5.3.2 para cima:
direccionar o interruptor mestre para a frente no sentido Y+.
Resultado:
– a lança telescópica será expandida telescopicamente.

 Quando aparece no símbolo automático 5 a seta 5.3.2 para baixo:


direccionar o interruptor mestre para trás no sentido Y-.
Resultado:
– a lança telescópica é retraída telescopicamente.

Uma vez atingido o destino do movimento telescópico, aparece o símbolo A! 5.3.1.


 Direccionar o interruptor mestre por aproximadamente mais 3 segundos até que o elemento
telescópico encaixe na cavilha.

6.6 Interromper o movimento telescópico


O movimento telescópico pode ser interrompido em qualquer momento.
As cavilhas, o cilindro de movimentos telescópicos e os elementos telescópicos ficam assim como
estavam no último estado, durante o direccionamento do interruptor mestre.
Se desejado, poderá ser modificado o destino dos movimentos telescópicos e poderão ser feitos
movimentos telescópicos automáticos para este destino.
Ou pode-se continuar o movimento através da comutação para serviço manual.

6.7 Movimentos telescópicos manuais (serviço de emergência)


O movimento telescópico manual é visto como modo de excepção, porque através do modo
automático é alcançado qualquer estado de saída.
Em movimentos telescópicos manuais terá que se executar o desencavilhamento e encavilhamento
do cilindro de movimentos telescópicos e os movimentos telescópicos manualmente.
Através da marcação na imagem dos movimentos telescópicos será indicado em qual dos elementos
telescópicos se encontra o dispositivo de encavilhamento do cilindro de movimento telescópico.
A proximidade de um furo de encavilhamento num elemento telescópico pode-se deduzir com 1% de
exactidão da imagem dos movimentos telescópicos.
Uma descrição pormenorizada para a telescopagem manual encontrará no Capítulo 6.02.

4.05 LIEBHERR 453


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B199147

454 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

1 Generalidades

1.1 Cabos de aço e ligações do fim do cabo


Certifique-se se para a utilização no caso específico é necessário um cabo livre de torção ou um
cabo não livre de torção. O tipo do cabo seleccionado determina as respectivas ligações do fim do
cabo, para isso veja o Capítulo 8.04.

PERIGO
Perigo de acidente!
 A correcta selecção e utilização do cabo de aço e das ligações do fim do cabo são as condições
fundamentais para um serviço de grua correcto e livre de acidentes.

PERIGO
Perigo de graves danos materiais e corporais!
 Os cabos não livres de torção nunca poderão ser aplicados com uma conexão do fim do cabo
rotativo!
 Nunca pode ser montado nenhum dispositivo de eliminação de torções / turbilhão!

1.2 Colocar o cabo de elevação com cabo auxiliar*


Se um cabrestante 2 é montado na grua então será juntamente fornecido um cabo auxiliar 34 para a
colocação do cabo de elevação 31.
 Retirar os tubos de segurança do cabo 14 e 15 no cabeçal de polias.
 Pegar o cabo auxiliar 34 da caixa das ferramentas.
 Unir o cabo auxiliar 34 com o cabo de elevação 31: empurrar o soquete prensado 8 sobre a luva
de retracção 33.
 Atirar o cabo auxiliar 34 para a frente o mais possível por cima do cabeçal de polias.
 Com a barra de montagem pousar o cabo auxiliar 34 por cima da polia do cabo superior 13.
 Desenrolar o cabrestante 2 e puxar o cabo auxiliar 34 com o cabo de elevação 31 por cima da
polia do cabo superior 13.
 Retirar o cabo auxiliar 34 no cabo de elevação 31 e colocar o cabo de elevação 31 no moitão do
gancho.

4.06 LIEBHERR 455


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196215

456 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

2 Colocação e remoção dos cabos de aço no moitão


do gancho

2.1 Colocação
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– encontra-se presente um ajudante para conduzir o cabo de elevação

2.1.1 Montagem
 Colocar o moitão do gancho por baixo do cabeçal de polias da lança telescópica.
 Retirar do moitão do gancho 19 as molas de segurança 18 dos dois tubos de segurança dos
cabos e puxar ambos os tubos de segurança do cabo para fora.
 Retirar no cabeçal de polias as molas de segurança do tubo de segurança do cabo 14 e no tubo
de segurança do cabo 15 e puxar os tubos de segurança do cabo para fora.

PERIGO
Existe perigo de acidente devido a erro de comando da função da grua e devido ao perigo de
escorregamento em cima da lança telescópica!
 Não pisar a lança telescópica!
 Os trabalhos de montagem têm se ser feitos em lugar sólido!

 O ajudante conduz o cabo de elevação por cima da lança telescópica para o cabeçal de polias e
simultaneamente o condutor da grua comanda o cabrestante.
 Colocar o cabo de elevação por cima da polia superior do cabo 13 e alinhar o cabo entre o
cabeçal de polias e o moitão do gancho de acordo com o plano de colocação do cabo para a
tabela de cargas correspondente.
 Voltar a introduzir os dois tubos de segurança do cabo e travar com molas de segurança.

4.06 LIEBHERR 457


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196215

458 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

2.1.2 Enganchar o cabo de elevação, figura 1, 2, 3

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais!
Caso a cavilha 3 seja montada incorrectamente, o cabo de elevação irá roçar na cavilha 3 ou na
fecho abatível 2, veja a figura 3.
 Introduzir a cavilha 3 sempre “de dentro para fora” e travar por fora.

 Encavilhar o fecho do cabo 1 de acordo com colocação do cabo, no cabeçal de polias ou no


moitão do gancho e travar com a mola de segurança.
 Introduzir no fecho do cabo 1 o pino de bloqueio 6 girar a alavanca 5 para “baixo” e fixá-la nesta
posição.
Resultado:
– a alavanca de bloqueio 4 é girada para baixo.

 Enganchar a extremidade do cabo com o soquete prensado 8 no fecho do cabo e puxar o cabo
“para baixo” (no sentido da seta) até que o soquete prensado 8 se encontre encostado no cone 7.
 Soltar a alavanca 5.
Resultado:
– a alavanca 5 volta à posição inicial e é bloqueada pelo pino de bloqueio 6.

2.1.3 Montagem do peso do interruptor de fim de curso de elevação, figura 4


O fecho de corrente 9 serve simultaneamente como fixação do peso 11. Não é permitido substituir
por outras peças como manilha ou peças semelhantes.
 Soltar a porca de fecho 10 e desaparafusar.

AVISO
Perigo de ferimentos dos pés!
O peso do interruptor de fim de curso de elevação 27 é composto por duas partes metidas uma na
outra, o peso 11 e a peça portadora 12.
 Quando enganchar e desenganchar é necessário prestar atenção para que as duas peças não se
separem e o peso 11 não caia.

 Remover o peso do interruptor de fim de curso de elevação 27.

Em caso de colocação do cabo de elevação múltiplas, é necessário que o peso do interruptor de fim
de curso de elevação 27 seja colocado à volta do “cabo vertical”, isto é, à volta do cabo mais próximo
do fecho do cabo.
 Com uma mão colocar o peso 11 no cabo de elevação e segurar.
 Com a outra mão introduzir a peça portadora 12 por de trás do cabo de elevação e por baixo do
peso 11.
 Empurrar o peso 11 por cima da peça portadora 12.
 Voltar a enganchar o peso do interruptor de fim de curso de elevação 27 no fecho de corrente 9,

O fecho de corrente 9 tem de estar prendido na porca de fecho 10 de maneira a que a porca de
fecho 10 não possa soltar-se por si própria.
 Aparafusar a porca de fecho 10 no fecho de corrente 9.

4.06 LIEBHERR 459


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196215

460 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

2.1.4 Proceder a um controlo visual


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o fecho de corrente 9 encontra-se totalmente fechado
– o peso do interruptor de fim de curso 27 está colocado no “cabo vertical”

PERIGO
Perigo de acidente!
Uma colocação do cabo incorrecta ou entradas erradas podem causar acidentes.
 Certifique-se novamente que a colocação do cabo foi executada correctamente e a protecção
contra sobrecarga foi ajustada correctamente.

 Introduzir os dados e controlar o número de colocações no programa Equipar, do sistema


computadorizado LICCON.

2.2 Remoção dos cabos de aço

2.2.1 Descer o moitão do gancho

AVISO
Perigo de ferimentos por o moitão do gancho poder tombar no momento da remoção dos cabos de
aço!
 Assegure-se de que o moitão do gancho está numa posição segura.

 Descer o moitão do gancho e colocá-lo sobre o solo.

2.2.2 Desprender o cabo de elevação


 Introduzir no fecho do cabo 1 o pino de bloqueio 6 girar a alavanca 5 para baixo e fixá-lo nesta
posição.
Resultado:
– a alavanca de bloqueio 4 é girada para o lado e o bocal do cabo 8 é desbloqueado.

 Empurrar o cabo de elevação para cima e desprender o bocal do cabo 8.

4.06 LIEBHERR 461


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196216

462 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

3 Fixação e retirada do gancho de carga*

3.1 Fixação
Certifique-se de que as seguintes ferramentas estão disponíveis:
– uma chave de boca (abertura da chave 13 mm)

3.1.1 Montagem
 Colocar o gancho de carga por baixo do cabeçal de polias da lança telescópica.
 Retirar no cabeçal de polias as molas de segurança do tubo de segurança do cabo 14 e no tubo
de segurança do cabo 15 e puxar os tubos de segurança do cabo para fora.

PERIGO
Existe perigo de acidente devido a erro de comando da função da grua e devido ao perigo de
escorregamento em cima da lança telescópica!
 Não pisar a lança telescópica!
 Os trabalhos de montagem têm se ser feitos em lugar sólido!

 O ajudante conduz o cabo de elevação por cima da lança telescópica para o cabeçal de polias e
simultaneamente o condutor da grua comanda o cabrestante.
 Colocar o cabo de elevação por cima da polia do cabo 13 superior.
 Voltar a colocar o tubo de segurança do cabo 14 e o tubo de segurança do cabo 15 e travar com
as molas de segurança.
 Encavilhar o fecho do cabo 1 no gancho de carga 26 e travar com a mola de segurança.

3.1.2 Enganchar o cabo de elevação figura 7


 Introduzir no fecho do cabo 1 o pino de bloqueio 6 girar a alavanca 5 para o lado e segurar nesta
posição.
Resultado:
– a alavanca de bloqueio 4 é girada para o lado.

 Enganchar a extremidade do cabo com o soquete prensado 8 no fecho do cabo e puxar o cabo
no sentido da seta até que o soquete prensado 8 se encontre encostado ao cone 7.
 Soltar a alavanca 5.
Resultado:
– a alavanca 5 volta à posição inicial e é bloqueada pelo pino de bloqueio 6.

4.06 LIEBHERR 463


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196216

464 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

3.1.3 Montagem do peso do interruptor de fim de curso de elevação, figura 5


O fecho de corrente 9 serve simultaneamente como fixação do peso 11. Não é permitido substituir
por outras peças como manilha ou peças semelhantes.
 Soltar a porca de fecho 10 e desaparafusar.

AVISO
Perigo de ferimentos dos pés!
O peso do interruptor de fim de curso de elevação 27 é composto por duas partes metidas uma na
outra, o peso 11 e a peça portadora 12.
 Quando enganchar e desenganchar é necessário prestar atenção para que as duas peças não se
separem e o peso 11 não caia.

 Remover o peso do interruptor de fim de curso de elevação 27.


 Com uma mão colocar o peso 11 no cabo de elevação e segurar.
 Com a outra mão introduzir a peça portadora 12 por de trás do cabo de elevação e por baixo do
peso 11.
 Empurrar o peso 11 por cima da peça portadora 12.
 Voltar a enganchar o peso do interruptor de fim de curso de elevação 27 no fecho de corrente 9,

O fecho de corrente 9 tem de estar prendido na porca de fecho 10 de maneira a que a porca de
fecho 10 não possa soltar-se por si própria.
 Aparafusar a porca de fecho 10 no fecho de corrente 9.

3.1.4 Proceder a um controlo visual


Certifique-se de que a seguinte condição seja cumprida:
– o fecho de corrente 9 encontra-se totalmente fechado

PERIGO
Perigo de acidente!
Uma colocação do cabo incorrecta ou entradas erradas podem causar acidentes.
 Certifique-se novamente que a colocação do cabo foi executada correctamente e a protecção
contra sobrecarga foi ajustada correctamente.

 Introduzir os dados e o número de colocações no programa Equipar, do sistema computadorizado


LICCON ou controlar.

3.2 Retirada do cabo

3.2.1 Baixar o gancho de carga


 Colocar o gancho de carga 26 sobre o solo.
 Remover o peso do interruptor de fim de curso de elevação 27, de acordo com a descrição no
início do Capítulo.

3.2.2 Desenganchar o cabo de elevação, figura 6


 Introduzir no fecho do cabo 1 o pino de bloqueio 6 girar a alavanca 5 para o lado e segurar nesta
posição.
Resultado:
– a alavanca de bloqueio 4 é girada para o lado e o bocal do cabo 8 é desbloqueado.

 Empurrar o cabo de elevação no sentido do gancho de carga e desprender o bocal do cabo 8.

4.06 LIEBHERR 465


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191933

466 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4 Planos de colocação do cabo

4.1 Montagem do equipamento suplementar*

4.1.1 Montagem do equipamento suplementar*


 Fixar as polias suplementares 3 no orifício determinado.
 Encavilhar a cavilha 1.
 Travar a cavilha 1 com as molas de segurança 2.

4.06 LIEBHERR 467


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191927

468 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.2 Colocação do cabo no serviço T

4.2.1 Moitão do gancho de 1 - Polia / Gancho de carga

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
1–vez no moitão do gancho ou no ponto
fixo do gancho de carga
2–vezes no cabeçal de polias
3–vezes no moitão do gancho

4.06 LIEBHERR 469


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191928

470 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.2.2 Moitão do gancho de 3 - Polias

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
4–vezes no cabeçal de polias
5–vezes no moitão do gancho
6–vezes no cabeçal de polias
7–vezes no moitão do gancho

4.06 LIEBHERR 471


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191929

472 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.2.3 Moitão do gancho de 5 - Polias

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
8–vezes no cabeçal de polias
9–vezes no moitão do gancho
10–vezes no lado do cabeçal de polias
11–vezes no moitão do gancho

4.06 LIEBHERR 473


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191930

474 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.2.4 Moitão do gancho de 7 - Polias

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
12–vezes no cabeçal de polias
13–vezes no moitão do gancho
14–vezes no cabeçal de polias

4.06 LIEBHERR 475


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B196426

476 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.2.5 Moitão do gancho de 9 - Polias

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
16–vezes no cabeçal de polias

4.06 LIEBHERR 477


146718-00 4.06 Colocação do cabo

B191932

478 LIEBHERR 4.06


4.06 Colocação do cabo 146718-00

4.3 Colocação do cabo em serviço TK/TVK/TNZK/TVNZK

Colocação do Ponto de fixação do cabo


cabo
1–vez no moitão do gancho ou no ponto
fixo do gancho de carga
2–vezes no cabeçal de polias

4.06 LIEBHERR 479


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

480 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

1 Generalidades
Antes do serviço de marcha em estradas públicas o contrapeso deverá ser distribuído como descrito
no capítulo 3.04.
As placas de contrapeso têm marcado o seu próprio peso.

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Caso seja utilizado um contrapeso diferente do indicado na tabela de cargas, a grua poderá ficar
danificada ou tombar.
 O contrapeso tem que ser montado conforme aos dados nas tabela de cargas!

1.1 Combinações de contrapeso


PRECAUÇÃO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Se uma outra combinação de contrapesos for utilizada do que aquela que está determinada nas
tabelas, então a grua pode tombar.
 Utilizar as combinações de contrapesos indicadas nas seguintes tabelas!

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


0 Nenhum contrapeso 0,0

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


12 Placa de contrapeso 1 12

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


22 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


32 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 3 10

4.07 LIEBHERR 481


145976-00 4.07 Contrapeso

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


34 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 4 12

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


42 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 3 10

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


44 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 4 12

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


54 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 4 12

Contrapeso [t] Diferentes combinações Peso por placa [t]


74 Placa de contrapeso 1 12
Placa de contrapeso 2 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 3 10
Placa de contrapeso 4 12
Lastro suplementar 5 10
Lastro suplementar 5 10

482 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

1.2 Controlar as placas de contrapeso


PERIGO
Perigo de acidente através de placas de contrapesos danificadas!
Se as placas de contrapeso danificadas forem lastradas, então não está mais garantida a fixação
sólida das placas de contrapeso.
 Substituir as placas de contrapeso danificadas!

Antes de montar ou desmontar as placas de contrapeso deve fazer um controlo visual relativo a
danos ou objectos estranhos ao contrapeso.
Ao colocar a placa de contrapeso 1 sobre o cone de centragem 9 e ao empilhar as placas de
contrapeso em cima umas das outras, não pode haver entre as placas de contrapeso outros
objectos.

4.07 LIEBHERR 483


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

484 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

2 Montagem

2.1 Generalidades
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– o veículo de transporte com as placas de contrapeso encontra-se na proximidade da grua
apoiada
– os cilindros do lastro estão totalmente retraídos

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Em posições de lança a pique, para as quais não estão determinadas nenhumas cargas nas tabelas
de carga, existe perigo de queda ao girar o chassi superior! Este perigo aumenta com uma base de
apoio reduzida ou apoiada, com as longarinas corrediças retraídas.
 As informações indicadas nas tabelas de carga devem ser seguidas sem falta

2.2 Empilhar as placas de contrapeso em cima do veículo


 Arrancar o motor.
 Ajustar o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON conforme a tabela de carga e o
contrapeso montado na plataforma giratória.

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Antes de a lança ser levantada do suporte de transporte, é necessário apoiar a grua conforme a
tabela de cargas e ajustar o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON conforme a tabela
de cargas válida! Ao lastrar não é permitido, de modo algum, ultrapassar os comprimentos da lança e
os alcances da lança especificado na tabela de carga! Se isto não for respeitado, existe perigo de
acidente devido ao tombamento da grua!
 Cumpra imprescindivelmente as indicações da tabela de carga!

A placa de contrapeso 1 deve ser sempre colocada em primeiro lugar no cavalete suporte, sendo
utilizada como placa suporte para as outras placas de contrapeso.
 Suspender a placa de contrapeso 1 nos cabos de retenção e depositá-la com a própria grua
sobre o cone de centragem 9 no cavalete suporte.
 Depositar as placas de contrapeso necessárias sobre a placa de contrapeso 1.

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Se o lastro suplementar 5 “for pendurado só à direita” ou “só à esquerda”, então a grua pode tombar.
 Enganchar o lastro suplementar 5 sempre aos pares à direita e à esquerda!

 Enganchar o lastro suplementar 5 à direita e esquerda.

4.07 LIEBHERR 485


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

486 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

2.3 Colocação das placas de contrapeso


 Girar o chassi superior até que o ponteiro 8 pequeno na coroa giratória coincidir com o
parafuso 6 marcado, figura 2.
Resultado:
– os cilindros do lastro estão agora junto aos orifícios colocação da placa de contrapeso 1.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será travado com o chassi inferior

 Premir a pulsador 370 para baixo até soar um sinal acústico.


Resultado:
– ao soar o sinal acústico o cilindros do lastro estão completamente expandidos;

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será destravado.

 Girar com cuidado o chassi superior para a direita até que o ponteiro 7 grande na coroa giratória
coincidir com o parafuso 6 marcado, figura 1.
Resultado:
– os cilindros do lastro retraíram-se para a posição de carregar a placa de contrapeso 1.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será travado com o chassi inferior

PERIGO
Perigo de acidente!
 Enquanto o chassi superior não estiver travado, não é permitido fazer qualquer movimento
(levantar / baixar o contrapeso)!

 Premir a pulsador 370 para cima até soar um sinal acústico.


Resultado:
– ao soar o sinal acústico, os cilindros do lastro estão completamente retraídos.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será destravado.

O contrapeso também pode ser colocado directamente quadro suporte do contrapeso com a ajuda de
um grua auxiliar. A colocação do contrapeso no chassi da grua e a rotação do chassi superior deixam
de ser necessárias neste caso, as seguintes etapas de trabalho são iguais.
 Ajustar o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON conforme a tabela de cargas e o
contrapeso montado.

4.07 LIEBHERR 487


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

488 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

3 Desmontagem das placas de contrapeso

3.1 Generalidades
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– o veículo de transporte para a recepção das placas de contrapeso encontra-se na proximidade da
grua apoiada

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Em posições de lança a pique, para as quais não estão determinadas nenhumas cargas nas tabelas
de carga, existe perigo de queda ao girar o chassi superior! Este perigo aumenta com uma base de
apoio reduzida ou apoiada, com as longarinas corrediças retraídas.
 As informações indicadas nas tabelas de carga devem ser seguidas sem falta!

4.07 LIEBHERR 489


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

490 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

3.2 Desmontar as placas de contrapeso


 Girar o chassi superior até que o ponteiro 7 grande na coroa giratória coincidir com o
parafuso 6 marcado, figura 1.

AVISO
Perigo de acidente!
É necessário que o chassi superior se encontre travado com o chassi da grua para que o contrapeso
possa ser depositado e fixado no cone de centragem 9.
 Travar o chassi superior com o chassi da grua.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será travado com o chassi inferior

 Premir a pulsador 370 para baixo até soar um sinal acústico.


Resultado:
– ao soar o sinal acústico o cilindros do lastro estão completamente expandidos;

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será destravado.

 Girar o chassi superior para a esquerda até que o ponteiro 8 pequeno na coroa giratória coincidir
com o parafuso 6 marcado, figura 2.
Resultado:
– os cilindros do lastro estão agora junto aos orifícios de entrada das placas de contrapeso.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será travado com o chassi inferior

 Premir a pulsador 370 para cima até soar um sinal acústico.


Resultado:
– ao soar o sinal acústico, os cilindros do lastro estão completamente retraídos.

 Accionar o interruptor 369.


Resultado:
– o chassi superior será destravado.

4.07 LIEBHERR 491


145976-00 4.07 Contrapeso

B196427

492 LIEBHERR 4.07


4.07 Contrapeso 145976-00

3.3 Levantar cada uma das placas de contrapeso do quadro do veículo


com a própria grua
Ajustar o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON conforme a tabela de carga e o
contrapeso lastrado.

PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
Os comprimentos da lança e alcances da lança indicados na tabela de cargas, não devem em caso
algum ser ultrapassados. Se isto não for respeitado, existe perigo de acidente devido ao tombamento
da grua!
 Cumpra imprescindivelmente com os comprimentos da lança e os alcances da lança indicados na
tabela de cargas!

 Suspender uma a uma as placas de contrapeso nos cabos de retenção e depositá-las sobre o
veículo de transporte com a própria grua.

3.4 Serviço de marcha com as placas de contrapeso depositadas sobre


o quadro do veículo
Com contrapesos colocados as cargas sobre os eixos aumentam.

PERIGO
Perigo de acidente devido a ultrapassagem da carga sobre o eixo e do peso total!
Caso as cargas sobre os eixos e o peso total do veículo forem ultrapassados devido ao não
observação destas indicações, diminuem também as capacidades de travagem na mesma proporção
do peso ultrapassado! Direcção, travão de serviço, travão de estacionamento e travão contínuo
deixam de corresponder às convenções da UE!
 Respeitar sem falta a carga sobre o eixo e o peso total especificada!

4.07 LIEBHERR 493


146079-02 4.08 Trabalho com carga

B195219

494 LIEBHERR 4.08


4.08 Trabalho com carga 146079-02

1 Instruções técnicas de segurança para trabalhar


com carga
Consultar o Capítulo 2.04. “Instruções técnicas de segurança”.

PERIGO
Perigo de acidente!
Em posições da lança a pique, para as quais não estão mencionadas cargas nas tabelas de cargas,
existe o perigo de queda “para trás” ao girar o chassi superior, isto é, para o lado do contrapeso. Este
perigo existe especialmente em caso de base de apoio reduzida e com a grua estabilizada com as
longarinas corrediças retraídas.
 Cumpra os alcances indicados na tabela de cargas.

PERIGO
Perigo de acidente devido a rompimento do cabo!
 Deve-se cumprir o número de colocações do cabo indicado na tabela de cargas, apropriado para
a carga máxima.

PERIGO
Perigo de acidente!
 Peça o auxílio de um ajudante quando for atingida a última camada de colocações num tambor
de enrolamento. O ajudante deve assegurar que permanecem sempre pelo menos três camadas
de colocações no tambor.

Cumpra as cargas máximas indicadas na tabela de cargas.


Execute e trave também todos os movimentos da grua cuidadosamente. Deste modo evita uma
oscilação da carga pendurada.
Monte o cabo no moitão de gancho necessário para o levantamento da carga máxima. Não deverá
ser montado um moitão de gancho maior.

2 Controlos antes do início do trabalho com a grua


O condutor da grua, antes de iniciar o trabalho com a mesma, deverá estar seguro da funcionalidade
da grua antes de iniciar o trabalho com a mesma, após nova ronda de inspecção:
– verifique se a grua se encontra devidamente estabilizada e nivelada na horizontal
– verifique se todos os valores válidos para o estado de equipamento momentâneo indicados na
tabela de cargas se encontram ajustados e cumpridos
– assegure-se de que não se encontram pessoas ou objectos na zona de perigo da grua.

PERIGO
Perigo de acidente ao girar a grua devido a pessoas ou objectos na zona de perigo!
Isto aplica-se sobretudo em obras com espaço reduzido, na zona posterior de alcance do contrapeso
e para o chassi.
 Antes de iniciar um movimento de rotação, dê um sinal de aviso (buzina).
 Antes de iniciar um movimento de rotação, assegure-se de que não se encontram pessoas ou
objectos na zona de perigo.

4.08 LIEBHERR 495


146079-02 4.08 Trabalho com carga

2.1 Controlo visual de danos


PERIGO
Perigo de acidente!
 Interrompa imediatamente o trabalho com a grua caso verifique danos que ponham em risco a
segurança de trabalho.

Os seguintes danos põem em risco a segurança de trabalho:


– danos nas estruturas pórticas da construção da grua como lanças, estabilizadores, etc.
– a carga escorrega devido ao não funcionamento do travão do mecanismo de elevação
– erros de comando no comando da grua
– as luzes de controlo e de aviso não funcionam
– danos nos cabos de elevação
– erros de comando nos dispositivos de segurança
– danos no sistema hidráulico
Comunique todos os danos na grua ao superior responsável e, em caso de mudança de condutor da
grua, também ao seu sucessor.

2.2 Deformação da lança telescópica com incidência dos raios solares


somente de um lado
Nas gruas com lança telescópica, quando há incidência dos raios solares somente de um lado, há
uma diferença de temperatura entre o lado da lança voltado para o sol e o lado não atingido pelo sol.
Isto leva a uma deformação lateral da lança telescópica, que poderá reduzir a capacidade de carga
da lança telescópica. Por exemplo, com uma diferença de temperatura entre os dois lados da lança
de 30 °C e um comprimento de lança de 60 m, resulta uma diferença de comprimento entre os dois
lados da lança devido às diferenças de temperatura de cerca de 22 mm. Esta diferença leva a uma
deformação lateral dos perfis!
Caso a carga máxima seja utilizada no total, sobretudo com extensões da lança como ponta em
treliça fixa, a ponta em treliça basculável ou a ponta abatível, é necessário assegurar por controle
óptico antes da tomada da carga que não existe qualquer deformação lateral causada por incidência
solar somente de um lado.

PERIGO
Perigo de acidente devido a sobrecarga dos elementos de construção!
Caso a lança telescópica esteja deformada devido à incidência lateral dos raios solares, isto poderá
levar à sobrecarga de elementos de construção e levar assim a acidentes.
 Girar a grua de modo a que ambos os lados da lança estejam à mesma temperatura evitando
assim a deformação lateral causada pela diferença de temperatura!

496 LIEBHERR 4.08


4.08 Trabalho com carga 146079-02

Página vazia!

4.08 LIEBHERR 497


146079-02 4.08 Trabalho com carga

B102716

498 LIEBHERR 4.08


4.08 Trabalho com carga 146079-02

3 Recepção da carga
Utilizar a grua sempre de modo a que os seus peças estruturais não sejam danificados e a
segurança da estabilidade seja garantida.

3.1 Elevação da carga


PERIGO
Perigo de esmagamento para as pessoas na zona da carga!
 É necessária a máxima cautela ao levantar carga.

PERIGO
Perigo de tombamento da grua!
É proibido levantar uma carga basculando a lança para cima, se ela tiver causado o desligamento da
grua pela activação da protecção contra sobrecarga LICCON ao tentar levantá-la por meio do
mecanismo de elevação. Isto causa a sobrecarga ou a tombamento da grua.
 Não levantar a carga do solo basculando para cima a lança.

Observação
Quando for utilizado cabrastante auxiliar* (cabrestante para montagem ou cabrestante para
colocação do cabo) tome atenção ao seguinte:
 Utilizar o cabrestante auxiliar (cabrestante para montagem ou cabrestante para colocação do
cabo) somente para montagem e não para levantamento de carga!
 É proibido o levantamento de carga com o cabrestante auxiliar!

Quando o cabo de retenção da carga a levantar for fixado manualmente por um ajudante:
– assegure-se de que as mãos do ajudante não sejam esmagadas pelos cabos estirados entre a
carga e o cabo de retenção da carga
– assegure-se de que os membros do ajudante (mãos, pernas etc.) não sejam esmagados pelas
oscilações da carga ao levantá-la.

3.2 Tracção oblíqua


PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
A tracção oblíqua pode destruir a grua ou provocar o tombamento desta.
 O moitão do gancho deve ser sempre fixado alinhado verticalmente sobre o centro de gravidade
da carga a ser levantada!
 É proibida a tracção oblíqua!

A grua está construída exclusivamente para elevar cargas na vertical. Na elevação oblíqua,
efectuada no sentido da lança ou na sua transversal, surgem para além das forças na vertical
causadas pela carga, forças horizontais complementares, para a qual a lança não está preparada.

4.08 LIEBHERR 499


146079-02 4.08 Trabalho com carga

B102717

500 LIEBHERR 4.08


4.08 Trabalho com carga 146079-02

3.3 Arrancar cargas presas


PERIGO
Perigo de acidente devido ao tombamento da grua!
O desprendimento de cargas presas pode destruir a grua ou provocar o tombamento desta.
 É proibido o desprendimento de cargas presas!

4 Serviço de grua
A carga máxima da grua não é limitada apenas pela segurança da estabilidade, mas também, em
muitos casos, quebra-se um elemento de transporte em caso de sobrecarga da grua antes de a grua
tombar. Sobretudo elementos com risco de amolgaduras, como por exemplo a lança telescópica,
poderão ficar danificados subitamente em caso de sobrecarga da grua sem uma deformação
anteriormente visível.

4.1 Em geral
É necessário manter sempre sob controlo uma carga suspensa. A condição básica para tal é um
accionamento seguro e sensível das funções da grua.

PERIGO
Perigo de acidente devido a carga em oscilação!
Carga oscilante pode danificar a grua ou faze-la tombar.
 Accione todas as funções da grua lentamente e com sensibilidade.
 É necessário que todos os movimentos da grua sejam sempre iniciados lentamente.
 É necessário que todos os movimentos da grua sejam sempre travados lentamente.

PRECAUÇÃO
Perigo de danos nas polias do cabo!
 Deposite os moitões do gancho, as lanças, as pontas abatíveis, as lanças auxiliares e as polias
de ramal simples de forma a que as polias do cabo não pousem no solo.

4.2 Cabos de guia


Para apoiar o condutor da grua na condução exacta da carga aconselha-se a utilização de cabos de
guia. Assim poderão ser evitados movimentos involuntários da carga e danos causados em
consequência disso.

4.3 Transporte de pessoas


Esta grua não se destina ao transporte de pessoas.

PERIGO
Perigo de acidente!
 Nunca transporte pessoas com a carga ou com os elementos de recepção da carga.

4.4 Perigo de esmagamento


PERIGO
Perigo de acidente!
 Assegure-se de que nunca se encontram pessoas por baixo da carga suspensa.

É necessário ter o máximo cuidado ao baixar a carga. Há perigo de esmagamento para as pessoas
que se encontrem nas proximidades da zona da carga a baixar.

4.08 LIEBHERR 501


146079-02 4.08 Trabalho com carga

4.5 Trabalhos nas proximidades de cabos eléctricos aéreos


PERIGO
Perigo de acidente!
O não cumprimento das seguintes indicações pode causar danos.
 Siga cuidadosamente as seguintes indicações.

Caso haja cabos eléctricos aéreos nas proximidades da obra, estes terão de ser desconectados por
electricistas especializados. Se isto não for possível, é necessário cobrir ou limitar a zona de perigo.
Caso também não seja possível tomar estas medidas, é necessário observar as seguintes distâncias
de segurança:

Tensão nominal Distância mínima [m]


até 1kV 1
1 kV – 110 kV 3
110 kV – 220 kV 4
220 kV – 380 kV 5
em caso de tensão nominal 5
desconhecida

Se apesar de todos os cuidados houver uma descarga eléctrica, é necessário agir como se segue:
– manter a calma
– não abandonar a cabina do condutor da grua
– avisar as pessoas que se encontram no exterior para que parem e não toquem na grua
– conduzir a grua para fora da zona de perigo.

4.6 Trabalhos de cravação ou retirada de estacas-prancha


Os trabalhos de colocação ou remoção de estacas-prancha com a grua podem transmitir vibrações
as estruturas de sustentação de aço da grua. Estas vibrações poderão levar a uma fadiga do material
e conduzir assim a danos nas estruturas de sustentação de aço da grua.

PERIGO
Regras importantes para os trabalhos de cravação ou a retirada de estacas-pranchas!
Quando se executam trabalhos de cravação ou se retiram estacas-prancha com a grua, é necessário
cumprir as regras seguintes. Se não forem cumpridas as regras, a grua poderá ficar danificada.
 O dispositivo de cravação não deverá transmitir oscilações à lança!
 Ao puxar as estacas-prancha, a força máxima de tracção está limitada conforme a tabela de
cargas da grua! É proibida a limitação da força máxima de tracção somente através da protecção
contra sobrecarga da grua! A limitação da força de tracção pode ser conseguida, por exemplo,
através de uma balança da grua colocada entre o gancho da carga e o dispositivo de tracção.

502 LIEBHERR 4.08


4.12 Serviço com dois ganchos 141688-07

Página vazia!

4.12 LIEBHERR 503


141688-07 4.12 Serviço com dois ganchos

B195478

504 LIEBHERR 4.12


4.12 Serviço com dois ganchos 141688-07

1 Em geral
Em serviço de dois ganchos será diferenciado:
1) Serviço com polia na extremidade da lança* na lança telescópica
2) Serviço com polia na extremidade da lança* na ponta em treliça
3) Serviço com uma extensão de lança (ponta abatível, lança auxiliar, ponta basculante)

1.1 Serviço com polia na extremidade da lança* na lança telescópica


Esta possibilidade está montada para elevações rápida através da polia na extremidade da lança no
qual o moitão do gancho colocado na lança telescópica pode ficar colocado.
Para o serviço com a polia na extremidade do mastro não existem tabelas de carga extras. A polia na
extremidade do mastro é geralmente operada com o modo de serviço da lança telescópica.

PERIGO
Perigo de acidente através da indicação do raio de acção e de carga inexacta.
 O serviço com a polia na extremidade da lança a indicação do raio de acção e de carga da
protecção contra sobrecarga não é exacto, porque a polia na extremidade da lança na geometria
da lança não está considerada.

 Ajustar o modo de serviço da lança telescópica no dispositivo de segurança contra sobrecarga.

PERIGO
Perigo de acidente através da sobrecarga do mecanismo de elevação ou do cabo de elevação!
Uma segurança através da protecção contra sobrecarga ocorrerá somente quando a colocação na
lança telescópica é igual ou maior do que a colocação na polia na extremidade da lança.
 Ajustar a protecção contra sobrecarga para a mais pequena colocação dos dois ganchos.

Para as cargas a serem levantadas deverão ser somados os pesos dos moitões do gancho (gancho
de carga) a polia na extremidade do mastro e o meios de fixação.
O ajustamento para a mais pequena colocação dos dois ganchos certifica que a grua não pode ser
sobrecarregada.
 Introduzir a colocação do cabo, correspondentemente à verdadeira colocação na polia na
extremidade da lança.

4.12 LIEBHERR 505


141688-07 4.12 Serviço com dois ganchos

B195475

506 LIEBHERR 4.12


4.12 Serviço com dois ganchos 141688-07

1.2 Serviço com polia na extremidade da lança* na ponta em treliça


Esta possibilidade está montada para elevações rápidas através da polia na extremidade da lança,
onde o moitão do gancho colocado na ponta em treliça pode ficar colocado.
Para o serviço com a polia na extremidade do mastro não existem tabelas de carga extras. A polia na
extremidade da lança será geralmente utilizada com o modo de serviço da ponta em treliça.

PERIGO
Perigo de acidente através da indicação do raio de acção e de carga inexacta.
 O serviço com a polia na extremidade da lança a indicação do raio de acção e de carga da
protecção contra sobrecarga não é exacto, porque a polia na extremidade da lança na geometria
da lança não está considerada.

 Ajustar o modo de serviço da ponta em treliça da protecção contra sobrecarga.

PERIGO
Perigo de acidente através da sobrecarga do mecanismo de elevação ou do cabo de elevação!
Uma segurança através da protecção contra sobrecarga ocorrerá somente quando a colocação do
cabo na ponta em treliça é igual ou maior do que a colocação do cabo na polia na extremidade da
lança.
 Ajustar a protecção contra sobrecarga para a mais pequena colocação dos dois ganchos.

Para as cargas a serem levantadas deverão ser somados os pesos dos moitões do gancho (gancho
de carga) a polia na extremidade do mastro e o meios de fixação.
O ajustamento para a mais pequena colocação dos dois ganchos certifica que a grua não pode ser
sobrecarregada.
 Introduzir a colocação do cabo, correspondentemente à verdadeira colocação na polia na
extremidade da lança.

4.12 LIEBHERR 507


141688-07 4.12 Serviço com dois ganchos

B180647

508 LIEBHERR 4.12


4.12 Serviço com dois ganchos 141688-07

1.3 Serviço com uma extensão de lança (ponta abatível, lança auxiliar,
ponta basculante)
Esta possibilidade está à disposição voltar as cargas com simultâneo serviço dos dois mecanismos
de elevação.

Observação
Levantamento da carga
 A carga tem que ser levantada ou descida com o componente mais débil (ponta abatível, lança
auxiliar, ponta basculante) primeiramente para 100%.

 Em “serviço de dois ganchos” com extensão de lança (ponta abatível, lança auxiliar, ponta
basculante) tem que ser ajustado a protecção contra sobrecarga para o modo de serviço
extensão da lança (ponta abatível, lança auxiliar, ponta basculante).

PERIGO
Perigo de acidente através da sobrecarga do mecanismo de elevação ou do cabo de elevação!
 A colocação na lança tem quer igual ou maior do que a colocação na extensão da lança (ponta
abatível, lança auxiliar, ponta basculante).

 Introduzir na protecção contra sobrecarga correspondentemente a colocação existente à


colocação na extensão da lança (ponta abatível, lança auxiliar, ponta basculante).

A carga total máxima autorizada corresponde neste caso à carga total autorizada na correspondente
tabela de carga para o serviço com extensão de lança (ponta abatível, lança auxiliar, ponta
basculante).
Para as cargas a serem levantadas deverão ser somados os pesos dos moitões do gancho e os
meios de fixação.

Observação
Indicação do raio de acção
 A indicação do raio de acção (alcance da lança) ocorre correspondentemente à extensão da
lança introduzida (ponta abatível, lança auxiliar, ponta basculante).
 A capacidade de carga de cada um dos ganchos corresponde em “serviço de 2 ganchos” à carga
autorizada da correspondente tabelas de carga para o serviço com extensão de lança (ponta
abatível, lança auxiliar, ponta basculante).
 A soma do carregamento corresponde em serviço de 2 ganchos à carga autorizada da
correspondente tabelas de carga para o serviço com extensão de lança (ponta abatível, lança
auxiliar, ponta basculante).

PERIGO
Perigo de acidente através da sobrecarga de cada um dos componentes da grua!
 O levantamento de uma carga com 2 ganchos é somente autorizado conforme as figuras Va. 1 e
Va 2.

PERIGO
Perigo de acidente
 Estão os dois ganchos carregados é proibido descer a lança!
 Uma segurança através da protecção contra sobrecarga não está mais existente.
 Por isso a carga tem que ser sempre recolhida sobre o raio de acção máximo.

Logo que o gancho interior seja puxado a indicação de carga na protecção contra sobrecarga está
errado!
 Se for levantada uma carga conforme Va. 1, então a carga será em primeiro lugar levantada
completamente com o gancho que se encontra mais para fora 100%.

4.12 LIEBHERR 509


510 LIEBHERR
5.00 Equipamento

LIEBHERR 511
145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B195219

512 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

1 Inspecção dos elementos de segurança


Para segurança das cavilhas na ponta abatível e peças em treliça são utilizadas elementos de
segurança. Através de danificações mecânicas ou deformação poderá reduzir notavelmente a força
da mola dos elementos de segurança. Se não existir suficiente força de tensão, não é permitido
utilizar mais os elementos de segurança. A segurança da cavilha tem que ser executada com um
elemento de segurança funcionamento.

PERIGO
Perigo de acidente se a força da mola do elemento de segurança não for suficiente!
Numa força da mola insuficiente do elemento de segurança não está mais garantida a segurança da
cavilha.
 Utilizar elemento de segurança com uma força da mola suficiente!

2 Controlo dos cabos


Tem de ser executado por um especialista um controlo do cabo antes da montagem e em períodos
regulares para que sejam identificadas antecipadamente possíveis danificações e aparecimentos de
desgaste, consulte Capítulo 8.04.
Os cabos têm de ser imediatamente depositados se um dos seguintes danos apresentados forem
detectados:
– ruptura dum cordão
– ruptura do arame
– acumulação de fios rotos no cabo
– redução do diâmetro do cabo em comparação à medida nominal a 10 % ou mais
– deformações no cabo

2.1 Colocar o cabo de elevação novo


Para que seja garantida a segurança e as características de funcionamento só deverão ser utilizadas
peças de reposição originais da Liebherr.
Está a superfície nas ranhuras das polias do cabo danificadas deve ser antes de instalar um novo
cabo de elevação, torneadas ou substituídas Se isto não for observado, conduz a danificações no
novo cabo.

2.1.1 Gruas com interruptor final de cames


O interruptor final de cames está ajustado a partir da fábrica, de forma que este será desligado
quando somente se encontrar 3 voltas de cabo de elevação sobre o cabrestante.

PERIGO
Perigo de acidente devido à queda da carga!
Se as indicações seguintes não forem observadas a fixação final do cabo de elevação pode rebentar
e a carga cair.
 Se for colocado um novo cabo de elevação terá que ser ajustado de novo o interruptor final de
cames!
 O interruptor final de cames tem que ser de tal forma ajustado para que desligue quando ainda
estiverem somente 3 camadas de cabo de elevação sobre o cabrestante!
 Se o cabo de elevação em montagem for enrolado então o fim do cabo de elevação tem que ficar
à frente do cabrestante e não pode ser puxado através do cabrestante, de contrário terá que ser
ajustado outra vez de novo o interruptor final de cames!

5.01 LIEBHERR 513


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

2.1.2 Gruas com sensor de rotação do cabrestante


O sensor de rotação do cabrestante está ajustado a partir da fábrica. Em utilização correcta não é
necessário nenhum novo ajustamento do sensor de rotação do cabrestante.

PERIGO
Evitar sem falta os seguintes casos, de contrário o sensor de rotação do cabrestante terá que ser
reajustado.
 Puxar por baixo do cabrestante o fim do cabo de elevação através do enrolamento do
cabrestante!
 Retirar o cabo de elevação do cabrestante “imobilizado”.
 O sensor de rotação do cabrestante também tem que ser reajustado, quando em serviço ou em
mudança do cabo de elevação foi determinado que, onde em 4 voltas de cabo sobre o
cabrestante não ocorre nenhum desligamento do movimento “desenrolar cabrestante”.

3 Medidas de controlo antes de estabilizar a grua


Execute os seguintes controlos antes de estabilizar a grua:
– controle se a suspensão dos eixos está bloqueada
– controle se a capacidade de carga do solo para o peso é suficiente
– controle se as placas de apoio estão travadas na posição de serviço
– controle se existe uma distância de segurança para as fossas e taludes
– controle se está seguro, que na zona de trabalho da grua não se encontram cabos eléctricos
electrizados
– certifique-se que o trabalho com a grua seja executado com o mínimo possível de alcance da
lança
– controle se existem obstáculos que prejudiquem os movimentos necessários da grua.

514 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

4 Medidas de controlo antes do serviço de grua


Observação
 Se o condutor da grua sair mesmo por curto espaço a cabina da grua então ele é obrigado antes
de começar outra vez com o trabalho com a grua de controlar os ajustes dos modos de serviço e
caso necessário ajustar de novo.

Execute os seguintes controlos antes do serviço de grua:


– controle se as longarinas corrediças estão travadas por meio de cavilhas contra deslocamento
– controle se a grua está apoiada e nivelada horizontalmente
– controle se não há contacto dos pneus com o solo.
– Controlar se o dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está ajustado de acordo com
as indicações da tabela de cargas.
– Controlar se o pulsador de chave de ligação por ponte no monitor e o pulsador de chave para
montagem estão desligados.
– Controlar o desligamento da protecção contra sobrecarga através da deslocação da posição de
serviço “em cima” e “em baixo”.
– Controlar o desligamento da protecção contra sobrecarga através da deslocação do interruptor de
fim de curso.
– Controlar o bom funcionamento e função do anemómetro.
– Controlar o desligamento do interruptor de fim de curso da ponta em treliça “posição mais a
pique”. Ver capítulo 8.12.
– Controlar o desligamento do interruptor de fim de curso da ponta em treliça “posição mais
inferior”. Ver capítulo 5.04.
– Controlar o desligamento do interruptor de fim de curso báscula na posição ponta em treliça
“posição mais a pique.” Ver Capítulo 5.04
– Controlar o bom funcionamento do pêndulo do dispositivo de segurança de retenção mecânico na
zona de basculação total do pêndulo.

PERIGO
Tombamento da grua!
Se as medidas de controlo não forem executadas antes do serviço da grua, a grua pode tombar ou
ser danificada!
Pessoas podem ser feridas ou feridas mortalmente!
 É absolutamente proibido o serviço da grua se os sistemas de segurança não estão a funcionar
correctamente!
 Iniciar com o serviço da grua somente quando todos os sistemas de segurança foram controlados
e estão a funcionar correctamente!
 Iniciar com o serviço da grua somente quando o dispositivo de segurança contra sobrecarga
LICCON está ajustado de acordo com as indicações na tabela de carga!
 Iniciar com o serviço da grua somente quando a gruas se encontra apoiada de modo adequado e
nivelada horizontalmente!

5 Transporte de componentes
Se os componentes forem transportados sobre um veículo acompanhador então estes deverão ser
fixados de modo adequado. Caso necessário, os componentes devem ser transportados calçados ou
com um dispositivo de transporte especial.

5.1 Transporte das peças em treliça


Se para o transporte as peças em treliça forem empurradas umas para as outras, então estas
deverão ser fixadas em cada uma com 2 correntes.

5.01 LIEBHERR 515


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

6 Molas a gás para auxiliar a montagem de


componentes
Em diversos componentes estão montadas molas a gás para facilitar a montagem destes
componentes.

PERIGO
Perigo de esmagamento!
Com as molas a gás avariadas não está mais garantida a eficácia de auxilio sobre os componentes
movimentáveis!
Pessoas podem ser mortas ou serem gravemente feridas através da caída de componentes!
Existe elevado perigo de acidentes!
 Não utilizar componentes com molas a gás avariadas! Substituir molas a gás avariadas!
 Controlar sobre danificações exteriores nas molas a gás antes de cada accionamento do
respectivo componente!
 É absolutamente proibida a permanência de pessoas ou objectos que se encontram na zona de
movimentação do componente o qual é auxiliado por meio de molas a gás!
 É proibida a permanência de pessoas ou objectos na zona de perigo total do componente
movimentável!

7 Pesos
Observação
Por favor tome atenção:
 O peso do respectivo componente deve ser recolhido do correspondente Capítulo ou do letreiro
sobre os componentes respectivos!
 Caso o peso do respectivo componente não está descrito nem sobre o letreiro nem no Manual de
instruções, então o peso deverá ser perguntado junto aos serviço de assistência ao cliente da
fábrica Liebherr Ehingen.
 Se os componentes forem empurrados para dentro um dos outros (por exemplo elementos
intermediários) ou os componentes serão dobrados em si (por exemplo ponta abatível), então
resulta-se o peso total da soma do peso de cada um dos componentes.
 Utilizar uma grua auxiliar com suficiente capacidade de carga.

516 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

Página vazia!

5.01 LIEBHERR 517


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197716

518 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

8 Pulsador de ligação por ponte LICCON


O pulsador à chave de ligação por ponte no monitor LICCON tem duas posições:
– posição de serviço (auto-retenção): a grua está em serviço normal
– posição para a direita (tactear): o interruptor de fim de curso de elevação e o desligamento do
limitador do momento de carga estão ligados por ponte

8.1 Ligação por ponte da protecção contra sobrecarga


Uma vez ultrapassado o momento de carga máximo permitido, o dispositivo de segurança contra
sobrecarga LICCON desliga todos os movimentos da grua que aumentam o momento de carga. Este
desligamento pode ser ligado por ponte através do pulsador de chave para ligação por ponte na
posição “pulsando à direita”.

PERIGO
Elevado perigo de acidente através da ligação por ponte da protecção contra sobrecarga!
Quando a protecção contra sobrecarga for ligada por ponte, não existe mais nenhuma protecção
contra sobrecarga da grua!
Por consequência de um erro de operação a lança pode partir ou a grua tombar!
Pessoas podem ser feridas mortalmente!
Todas as indicações do dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON ficam operacionais.
 A ligação por ponte da protecção contra sobrecarga é somente autorizada para casos de
montagem ou em casos de emergência!
 O pulsador de chave para ligação por ponte só pode ser accionada por pessoas as quais
conhecem as consequências do seu procedimento em relação à ligação por ponte da protecção
contra sobrecarga!
 Somente é permitida a ligação por ponte da protecção contra sobrecarga na presença do
supervisor da grua e mantendo o máximo dos cuidados.
 É proibido o serviço da grua com a protecção contra sobrecarga ligada por ponte!

8.2 Ligação por ponte do desligamento gancho em cima


Se ao movimentar para cima o moitão do gancho entrar em contacto com o peso do interruptor de fim
de curso, este é accionado. Os movimentos da grua “enrolar os cabrestantes”, “bascular para baixo a
lança telescópica” e “expandir a lança telescópica” serão desligados simultaneamente. O
desligamento pode ser ligado por ponte através do pulsador de chave para ligação por ponte na
posição “pulsando à direita”.

PERIGO
Elevado perigo de acidente através da ligação por ponte da protecção contra sobrecarga!
Quando o desligamento do gancho em cima for ligado por ponte, existe o perigo que em outros
levantamentos respectivamente ao bascular para baixo a lança seja puxado o moitão do gancho
contra o cabeçal de polias. Com isso as polias serão danificadas o qual poderá ter por consequência
a queda da carga!
 Somente é permitida a ligação por ponte do desligamento gancho em cima na presença do
supervisor da grua e com a colaboração de um “dirigente”. O dirigente tem que estar em contacto
directo com o condutor da grua e controlar constantemente a distância entre o moitão do gancho
e o cabeçal da lança.
 Todos os movimentos da grua devem ser feitos com a velocidade mínima e com extremo
cuidado.

5.01 LIEBHERR 519


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197716

520 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

8.3 Accionar o pulsador de ligação por ponte LICCON


 Girar o pulsador de chave de ligação por ponte para a direita e manter.
Resultado:
– O dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está desactivado.
– O símbolo montagem no monitor LICCON pisca.
– Soa um sinal acústico.
– A lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua está acesa.

 Quando o pulsador de chave de ligação por ponte tiver que ser desligada:
Não accionar mais o pulsador de chave de ligação por ponte.
Resultado:
– O dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está activado.
– O símbolo montagem no monitor LICCON apaga.
– O sinal acústico está desligado.
– A lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua apaga.

5.01 LIEBHERR 521


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197714

522 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9 Montagem / desmontagem

9.1 Generalidades
PERIGO
Perigo de morte através da montagem ou desmontagem errada!
A montagem / desmontagem de componentes não pode de maneira alguma ser executada por
pessoal não especializado. Montagem / desmontagem errada pode conduzir à morte ou a graves
ferimentos!
 A montagem e desmontagem só pode ser executada por pessoal autorizado e especializado!

Observação
 Observe ao executar a montagem / desmontagem de cada um dos componentes também o
capitulo relacionado com os componentes!
 Utilizar o cabrestante auxiliar (cabrestante para montagem ou cabrestante para colocação do
cabo) somente para montagem e não para levantamento de carga!
 É proibido o levantamento de carga com o cabrestante auxiliar!

A montagem / desmontagem normal obriga que todos os componentes a serem transportados


separadamente têm de ser transportados com uma grua auxiliar e meios de encosto nas
proximidades do solo e ligados com a grua com segurança (de modo adequado).
Antes do pessoal de montagem poderem dirigir-se para as proximidades das cargas suspensas
como por exemplo contrapesos, peças de treliça ou lança suplementar etc., estas cargas têm de ser
baixadas sobre o solo, sobre cavaletes, ou para outros depósitos suficientemente resistentes a
cargas.

PERIGO
Perigo de colisão e esmagamento!
A permanência nas proximidades da carga suspensa significa perigo de colisão e esmagamento ao
movimentar as cargas lateralmente.
 Durante a montagem / desmontagem não é permitido ninguém dirigir-se para a zona de perigo de
queda da carga suspensa antes terminar o processo de fixação prevista ou até permanência por
baixo da carga suspensa!

PERIGO
Perigo de queda!
Em montagem e desmontagem o pessoal de montagem têm que serem assegurados contra queda
através de meios auxiliares apropriados. Se isto não for observado, então o pessoal de montagem
poderá cair e ao mesmo tempo ferir-se gravemente ou até morrer.
 Todos os trabalhos de montagem têm de ser executados em regra geral a partir de uma altura
de2 m com meios auxiliares adequados (plataforma elevatória, andaimes, escadas, grua auxiliar
etc.)! A altura na qual tem de ser executada a montagem / desmontagem com meios auxiliares
está dependente das normas nacionais. Têm de ser mantidas as normas nacionais!
 Caso estes trabalhos não possam realizados quer com estes meios auxiliares, quer a partir do
solo, o pessoal de montagem deverá proteger-se com um equipamento de protecção pessoal (por
exemplo, cinto de segurança) contra o perigo de queda! Uma descrição dos pontos de fixação
para o equipamento de protecção pessoal encontrará no Capítulo 2.06.
 Se as seguranças contra queda (balaustradas) estiverem montadas no chassi superior então
estas deverão ser colocadas na posição para montagem / desmontagem e fixadas. Ver capítulo
2.06.
 É proibido andar sobre a lança telescópica ou numa lança suplementar!

5.01 LIEBHERR 523


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197715

524 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2 Montagem / desmontagem da lança suplementar


Se peças da treliça não estão durante a montagem / desmontagem pousadas no chão deve-se
fundamentar estas, com material adequado e estável. Seleccionar de tal forma a altura do
calçamento para que as peças em treliça não tenham mais contacto com o solo. Tome especial
atenção quando as peças da treliça têm polias do cabo. Caso contrário podem ser danificadas as
polias do cabo.
Na desmontagem deverá tomar atenção que a grua auxiliar puxe a carga verticalmente para cima. O
operador da grua tem de se certificar que a capacidade de carga da grua auxiliar é suficiente para
manter com seguridade a peça a ser desmontada no respectivo raio. A fixação da grua auxiliar tem
de ocorrer de tal forma para que o gancho da grua auxiliar se encontre por cima do centro de
gravidade da peça a ser desmontada e os cabos de fixação estarem fixados na carga.

PERIGO
Tombamento da grua!
A tracção oblíqua pode destruir a grua ou provocar o tombamento desta.
 O moitão do gancho deve ser sempre fixado alinhado verticalmente sobre o centro de gravidade
da carga a ser levantada!
 É proibida a tracção oblíqua!

PERIGO
Perigo de acidente durante a montagem / desmontagem das lanças suplementares!
Quando em desmontagem da lança suplementar não estiver assegurada ou não estiver calçada,
então você poderá ser morto ou ser gravemente ferido!
 Nunca desencavilhar as cavilhas com a lança suplementar não fixada ou não calçada!
 Nunca desencavilhar as cavilhas de ligação de lança suplementar não fixada ou não calçada!
 É proibida a permanência por baixo da lança suplementar assim como na zona de perigo
completa durante o encavilhamento e desencavilhamento da lança suplementar!
 Bloqueie as cavilhas nos pontos do mancal assim como também no depósito!
 È proibido encostar a escada auxiliar a um componente a ser desmontado!

PERIGO
Perigo de acidente com as cavilhas bloqueadas!
As cavilhas podem bloquear-se devido a tracção oblíqua, uma força de elevação da grua auxiliar
demasiado alta ou uma força de elevação da grua auxiliar demasiado baixa.
Peças tensionadas podem-se soltar repentinamente ao desencavilhar as cavilhas e o pessoal de
montagem ser gravemente ferido.
 Ao desencavilhar as cavilhas tem que a “força de elevação” da grua auxiliar ser adaptada ao
“peso” das peças a serem levantadas!
 Cavilhas emperradas não podem ser desencavilhadas à força!
 Eliminar a causa da tensão!

Observação
Instruções para o encavilhamento e desencavilhamento:
 Encavilhar respectivamente desencavilhar ambas as cavilhas as quais estão num plano
horizontal, isso significa esquerda e direita!
 Encavilhar a cavilha inferior de dentro para fora e desencavilhar fora para dentro!
 Encavilhar e desencavilhar as cavilhas cónicas duplas montáveis horizontalmente de fora para
dentro!
 Encavilhar e desencavilhar as cavilhas cónicas duplas montáveis verticalmente de cima para
baixo!

5.01 LIEBHERR 525


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197718

526 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.1 Montagem de peças de treliça com a lança suplementar ancorada com uma
grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na montagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem encavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça poderão
dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser feridas
pessoas com ferimentos mortais.
 Encavilhar as cavilhas na sequência determinada!

 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 1 e fixar, figura 1.


 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 2 e fixar, figura 1.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 3 e fixar, figura 1.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 4 e fixar, figura 1.
 Levantar o cabeçal com a grua auxiliar, figura 2.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 5 e fixar, figura 2.
 Levantar as peças de treliça, figura 3.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 6 e fixar, figura 3.

5.01 LIEBHERR 527


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197719

528 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.2 Desmontagem de peças de treliça com a lança suplementar ancorada com


uma grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na desmontagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem desencavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça
poderão dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser
feridas pessoas com ferimentos mortais.
 Desencavilhar as cavilhas na sequência determinada!

 Bascular para baixo a lança suplementar até o cabeçal ter ligeiramente contacto com o solo figura
1.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 1 e desencavilhar, figura 1.
 Depositar as peças de treliça completamente, figura 2
 Levantar o cabeçal com a grua auxiliar, figura 2.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 2 e desencavilhar, figura 2.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 3 e desencavilhar, figura 3.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 4 e desencavilhar, figura 3.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 5 e desencavilhar, figura 3.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 6 e desencavilhar, figura 3.

5.01 LIEBHERR 529


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197705

530 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.3 Montagem de peças de treliça com a lança suplementar em sustentação livre


com uma grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na montagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem encavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça poderão
dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser feridas
pessoas com ferimentos mortais.
 Encavilhar as cavilhas na sequência determinada!

 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 1 e fixar, figura 1.


 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 2 e fixar, figura 2.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 3 e fixar, figura 2.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 4 e fixar, figura 3.

5.01 LIEBHERR 531


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197706

532 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.4 Desmontagem de peças de treliça com a lança suplementar em sustentação


livre com uma grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na desmontagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem desencavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça
poderão dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser
feridas pessoas com ferimentos mortais.
 Desencavilhar as cavilhas na sequência determinada!

 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 1 e desencavilhar, figura 1.


 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 2 e desencavilhar, figura 2.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 3 e desencavilhar, figura 3.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 4 e desencavilhar, figura 4.

5.01 LIEBHERR 533


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197712

534 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.5 Montagem de peças de treliça com a lança suplementar em sustentação livre


sem grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na montagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem encavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça poderão
dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser feridas
pessoas com ferimentos mortais.
 Encavilhar as cavilhas na sequência determinada!

Em gruas com ajuste angular hidráulico e lança suplementar em sustentação livre a montagem /
desmontagem de peças de treliça suplementares pode ocorrer através da própria grua.
Para isso tem de proceder como se segue.
 Montar as peças de treliça conforme o comprimento necessário.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 1 e fixar, figura 1.
 Bascular para cima a lança suplementar até se poder encavilhar a cavilha no ponto 2, figura 2.
 Encavilhar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 2 e fixar, figura 2.

5.01 LIEBHERR 535


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197713

536 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.2.6 Desmontagem de peças de treliça com a lança suplementar em sustentação


livre sem grua auxiliar
Os gráficos são exemplarmente compreensíveis. Os gráficos não têm de condizer exactamente com
a grua.

PERIGO
Perigo de morte na desmontagem de lanças suplementares!
Se as cavilhas não forem desencavilhadas na sequência determinada, então as peças de treliça
poderão dobrar descontroladamente para baixo e até mesmo cair para baixo. Com isso poderão ser
feridas pessoas com ferimentos mortais.
 Desencavilhar as cavilhas na sequência determinada!

Em gruas com ajuste angular hidráulico e lança suplementar em sustentação livre a montagem /
desmontagem de peças de treliça suplementares pode ocorrer através da própria grua.
Para isso tem de proceder como se segue.
 Bascular para baixo a lança suplementar até o cabeçal ter ligeiramente contacto com o solo figura
2.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano B) no ponto 1 e desencavilhar, figura 2.
 Bascular para baixo a lança suplementar estar pousado completamente sobre o solo a peça de
treliça a ser desmontada, figura 3.
 Destravar a cavilha dos dois lados ( plano A) no ponto 2 e desencavilhar, figura 3.
 Desmontar completamente a lança suplementar.

5.01 LIEBHERR 537


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

B197717

538 LIEBHERR 5.01


5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem 145763-06

9.3 Pulsador de ligação por ponte de montagem*


PERIGO
Perigo de morte em serviço de grua com o pulsador de chave para montagem * conectado.
 O accionamento do pulsador de chave para montagem* só é autorizado para finalidades de
montagem!
 O pulsador de chave para montagem* só pode ser accionado por pessoas, as quais conhecem as
consequências deste procedimento de ligação por ponte!
 Com o pulsador de chave para montagem* ligado o interruptor de fim de curso de elevação e o
dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON estão ligados por ponte!
 Serviço de grua com o pulsador de chave para montagem* comutado é expressamente proibido!
 O pulsador de chave para montagem* tem de ser retirado imediatamente depois de terminar os
trabalhos de montagem e entregá-la a uma pessoa autorizada!

 Accionar o pulsador de chave para montagem*.

Resultado:
– O dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está desactivado.
– A luz de controlo no pulsador acende.
– O símbolo montagem no monitor LICCON pisca.
– Soa um sinal acústico.
– A lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua está acesa.

 Quando o pulsador de chave para montagem* deve ser desligado:


Desligar o pulsador de chave para montagem* através do accionamento do pulsador*.

Resultado:
– O dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON está activado.
– A luz de controlo no pulsador apaga
– O símbolo montagem no monitor LICCON apaga.
– O sinal acústico desliga.
– A lâmpada relampejante vermelha sobre a cabina da grua apaga.

9.4 Montagem / desmontagem dos condutores hidráulicos


Ao ligar ou desligar os condutores hidráulicos por meio de acoplamentos rápidos, deve-se ter
atenção que o processo de acoplamento seja correctamente executado.

PERIGO
Perigo de acidente através da perda de pressão ou vazamentos!
Se os acoplamentos rápidos não estiverem completamente acoplados (especialmente tubagem de
refluxo) assim como o desacoplamento próprio dos acoplamentos rápidos podem conduzir a graves
acidentes através da falha de componentes estruturais!
 Controlar se estão correctas as conexões nos acoplamentos rápidos antes de começar o trabalho
com a grua.

 O sistema hidráulico antes de ser ligado, ou antes de ser desligado tem que estar sem pressão.
Desligar o motor e esperar brevemente.
 Encaixar as partes do acoplamento (luva e conector) uma nas outras e aparafusá-las por meio da
porca manual.
 Apertar o acoplamento hidráulico com a mão Apertar a porca manual ao ponto de se sentir um
encosto seguro.

5.01 LIEBHERR 539


145763-06 5.01 Notas técnicas de segurança durante a montagem e desmontagem

10 Levantar / substituir
Certifique-se que as seguintes condições estão cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada, estabilizada e nivelada horizontalmente.
– o contrapeso está montado na plataforma giratória de acordo com a tabela de cargas.
– a lança telescópica está retraída completamente
– a lança adicional é montada conforme à tabela de cargas e do manual de instruções
– todos os interruptores do fim de curso estão correctamente montados e em pleno funcionamento
– todas as ligações das cavilhas estão travadas
– o cabo de elevação está correctamente colocado nas polias do cabo e travado com a cavilha de
segurança do cabo contra o desprendimento
– não se encontram pessoas na zona de perigo
– não se encontram peças soltas sobre a lança telescópica ou sobre a lança da ponta
– no inverno está a lança telescópica, a lança adicional e os seus componentes (interruptor de fim
de curso, carretel para cabos, lâmpada relampejante, anemómetro, etc.) livre de neve e gelo.

PERIGO
Perigo de morte!
 Montagem incorrecta ou interruptores do fim de curso que não funcionam, assim como peças que
caem (cavilhas, trava de segurança com mola, gelo etc.) podem causar acidentes!

10.1 Controlar as condições


 Controle, se todas as condições estão cumpridas.

540 LIEBHERR 5.01


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

Página vazia!

5.02 LIEBHERR 541


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B192122

542 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

1 Em geral
Esta grua pode ser equipada com uma ponta abatível hidráulica ou mecânica. A ponta abatível com
“ajuste angular mecânico” pode ser montada em extensão de linha recta (0 °) ou sob um ângulo de
22,5 ° respectivamente 45 ° para a lança telescópica. A ponta abatível com “ajuste angular
hidráulico” pode ser basculada sob carga de 0 ° até 45 °. Em circulação em estradas está a ponta
abatível dobrada na lança telescópica e travada mecanicamente.

PERIGO
Perigo de acidente durante o deslocamento com a ponta abatível!
 Antes da rodagem em ruas e estradas, a ponta abatível deverá ser colocada na posição de
transporte e bloqueada mecanicamente.
 Certifique-se de que a ponta abatível se encontra travada correctamente antes de iniciar a
rodagem da grua em estradas públicas.

1.1 Variantes da ponta abatível


São possíveis as seguintes variantes de pontas abatíveis:
– ponta abatível simples com “ajuste angular mecânico”
– ponta abatível simples com “ajuste angular hidráulico”
– ponta abatível dupla com “ajuste angular mecânico”
– ponta abatível dupla com “ajuste angular hidráulico”
– ponta abatível de 3 elementos com “ajuste angular mecânico”
– ponta abatível de 3 elementos com “ajuste angular hidráulico”
– ponta abatível de 4 elementos com “ajuste angular mecânico”
– ponta abatível de 4 elementos com “ajuste angular hidráulico”

1.1.1 Ponta abatível simples, ver figura 1

Posição Designação Comprime-


nto
1 Adaptador 1,5 m
2 Peça de redução 7,05 m
6 Pé da lança 3,65 m
Comprimento da ponta abatível simples 12,2 m

1.1.2 Ponta abatível dupla, ver figura 2

Posição Designação Comprime-


nto
1 Adaptador 1,5 m
2 Peça de redução 7,55 m
3 Cabeçal 9,3 m
6 Pé da lança 3,65 m
Comprimento da ponta abatível dupla 22,0 m

5.02 LIEBHERR 543


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B192122

544 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

1.1.3 ponta abatível de 3 elementos, ver a figura 3

Posição Designação Comprime-


nto
1 Adaptador 1,5 m
2 Peça de redução 7,55 m
3 Cabeçal 9,3 m
4 Extensão da ponta abatível 7m
6 Pé da lança 3,65 m
Comprimento da ponta abatível de 3 29 m
elementos

1.1.4 Ponta abatível de 4 elementos, consulte a figura 4

Posição Designação Comprime-


nto
1 Adaptador 1,5 m
2 Peça de redução 7,55 m
3 Cabeçal 9,3 m
4 Extensão da ponta abatível 7m
5 Extensão da ponta abatível 7m
6 Pé da lança 3,65 m
Comprimento da ponta abatível de 4 36 m
elementos

5.02 LIEBHERR 545


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197158

546 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

1.2 Pontos de fixação “ponta abatível completa”


Nos pontos de fixação “ponta abatível completa” o cabeçal, quando é levado, tem que estar dobrado
e travado.

1.2.1 Em geral
Para as diversas variações de transporte da ponta abatível estão nela colocados diversos olhais de
fixação. As diversas variações de transporte são diferenciadas em ponta abatível simples ou dupla ou
“ajuste angular mecânico” ou “ajuste angular hidráulico”.
Os respectivos olhais de fixação estão marcados com letreiros.

PERIGO
Perigo de acidente devido a fixação incorrecta!
A fixação incorrecta da ponta abatível pode levar a situações de perigo de morte.
 Fixar a ponta abatível de acordo com os pontos de fixação visíveis nas placas!

Observação
 Na ponta abatível dupla com “ajuste angular mecânico” ou “hidráulico”, tem que ser utilizado
meios de retenção de carga com um comprimento de 2 m .

1.2.2 Ponta abatível simples, ver figura 5


Ponta abatível simples com “ajuste angular mecânico”.

Denominação Abreviatura Peso


Mecânico MEC
Ponta abatível simples EKS 2,0 t

1.2.3 Ponta abatível simples, ver figura 6


Ponta abatível simples com “ajuste angular hidráulico”.

Denominação Abreviatura Peso


Hidráulico hydr
Ponta abatível simples EKS 2,0 t

5.02 LIEBHERR 547


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197158

548 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

1.2.4 Ponta abatível dupla, ver figura 7


Ponta abatível dupla com “ajuste angular mecânico”.

Denominação Abreviatura Peso


Mecânico MEC
Ponta abatível dupla DKS 2,6 t

1.2.5 Ponta abatível dupla, ver figura 8


Ponta abatível dupla com “ajuste angular hidráulico”.

Denominação Abreviatura Peso


Hidráulico hydr
Ponta abatível dupla DKS 2,6 t

5.02 LIEBHERR 549


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196429

550 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

1.3 Pontos de fixação “ponta abatível dividida”


Para que se possa montar ou desmontar a ponta abatível de 3 elementos respectivamente ponta
abatível de 4 elementos, estão colocados na ponta abatível diversos olhais de fixação.
Os respectivos olhais de fixação estão marcados com letreiros.

1.3.1 Ponta abatível simples, ver figura 9

Denominação Abreviatura Peso


Peça de redução R 0,7 t

1.3.2 Ponta abatível dupla, ver figura 10

Denominação Abreviatura Peso


Peça de redução com R+K 1,3 t
cabeçal

1.3.3 Extensão da ponta abatível, ver a figura 11

Denominação Abreviatura Peso


Extensão da ponta KV 0,7 t
abatível

5.02 LIEBHERR 551


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103445

552 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2 Montagem da ponta abatível


Em serviço telescópico o cilindro de basculação 10 pode caso necessário ser dobrado para cima.

2.1 Em geral
PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
Através duma montagem incorrecta, danificações ou não existente estribo de segurança 40 no pé da
lança telescópica, pode a ponta abatível – por razões de um erro de montagem cair e causar
ferimentos mortais.
 Certifique-se, antes da montagem das pontas abatíveis que o estribo de segurança 40 está
montado correctamente no pé da lança telescópica e não está danificado.
 O Estribo de segurança 40 é um dispositivo de segurança mecânico. Por isso é proibido modificar
o estribo de segurança 40 em qualquer forma.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!
 A ponta abatível tem de estar fixada por um cabo auxiliar durante o processo de basculação!

PERIGO
Perigo de queda!
Em montagem e desmontagem o pessoal de montagem têm que ser assegurados contra queda
através de meios auxiliares apropriados. Se isto não for observado, então o pessoal de montagem
poderá cair e ao mesmo tempo ferir-se gravemente ou até morrer.
 Todos os trabalhos de montagem têm de ser executados em regra geral a partir de uma altura
de2 m com meios auxiliares adequados (plataforma elevatória, andaimes, escadas, grua auxiliar
etc.)! A altura na qual tem de ser executada a montagem / desmontagem com meios auxiliares
está dependente das normas nacionais. Têm de ser mantidas as normas nacionais!
 Caso estes trabalhos não possam realizados quer com estes meios auxiliares, quer a partir do
solo, o pessoal de montagem deverá proteger-se com meios adequados (por exemplo, cinto de
segurança) contra o perigo de queda!
 É proibido andar sobre a lança telescópica ou ponta abatível!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– o contrapeso está montado na plataforma giratória correspondentemente às tabelas de carga
– a lança telescópica está completamente retraída
– a ponta abatível está fixada para o transporte no pé da lança telescópica
– a lança telescópica está baixada para trás ou para o lado na posição 0°,

PERIGO
Perigo de acidente devido a basculação lateral espontânea da ponta abatível no desencavilhamento!
A lança telescópica deve estar na posição 0°, de contrário existe o perigo de acidentes devido a
basculação lateral espontânea da ponta abatível quando se desencavilhar.
 Colocar a lança telescópica na posição 0°.

5.02 LIEBHERR 553


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196430

554 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.2 Retirar o cabo de elevação no cabeçal da lança telescópica


Para acelerar a colocação do cabo de elevação após a montagem da ponta abatível, poderá colocar
o moitão do gancho na distância para a grua que irá corresponder mais tarde à distância com a lança
telescópica retraída com a ponta abatível montada.
 Expandir telescopicamente a lança telescópica para o comprimento correspondente.
 Depositar o moitão do gancho no solo.
 Despendurar o cabo de elevação do ponto de fixação do cabo.
 Desmontar por razões de segurança o peso do interruptor de fim de curso de elevação e a
corrente.

Observação
 No serviço com a ponta abatível, o interruptor de fim de curso de elevação tem que ser puxado
mecanicamente e o cabo de accionamento tem que ser fixado por meio do mosquetão no cabeçal
da lança telescópica.
 Se para o serviço da ponta abatível for utilizado o cabo de elevação do cabrestante 2, então a
lança telescópica poderá ficar com o cabo colocado.

 Retirar o tubo de segurança no cabeçal das polias e na polia da nuca.


 Retrair a lança telescópica telescopicamente outra vez completamente.

2.3 Inspecção importante antes da basculação de pontas abatíveis


hidráulicas (serviço TNZK)
PERIGO
Perigo de morte devido a basculação espontânea para baixo da ponta abatível!
Com pontas abatíveis hidráulicas (serviço TNZK), é necessário verificar antes da basculação da
ponta abatível se é indicada uma pressão de 60 bar no manómetro 44. Caso a pressão no
manómetro 44 seja muito baixa, isso poderá levar a acidentes mortais devido à basculação
espontânea para baixo da ponta abatível!
 É absolutamente proibido, bascular a ponta abatível com uma pressão menor de que 60 bar no
manómetro 44.

O estrangulador 45 somente pode ser accionado para trabalhos de manutenção.


 Se no manómetro 44 for indicado uma pressão muito baixa:
ligar o condutor hidráulico.
 Bascular para cima a ponta abatível, até que seja indicada uma pressão de pelo menos 60 bar no
manómetro 44.

2.4 Montagem da ponta abatível simples transportada na grua


O cabeçal 3 que não é necessário, fica encavilhado na lança telescópica no serviço com ponta
abatível simples.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda do cabeçal!
No serviço com a ponta abatível simples o cabeçal 3 na lança telescópica não pode ser
desencavilhado. De contrário existe perigo de acidente devido a queda do cabeçal 3.
 Não desencavilhar o cabeçal 3 na lança telescópica!

5.02 LIEBHERR 555


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196430

556 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.4.1 Processo de montagem, parte 1


Ao bascular o apoio da ponta abatível 18 para fora e para dentro deverá ter em consideração que
com a primeira mão será desbloqueada a cavilha de mola 8 e com a segunda mão será girado o
apoio da ponta abatível 18 por cima do cabeçal.
 Destravar e desencavilhar a cavilha de mola 8
 Bascular para fora o apoio da ponta abatível 18 até a cavilha de mola 8 engatar novamente

Com uma “ponta abatível hidráulica” (serviço TNZK) tem que antes de bascular a ponta abatível para
fora desengatar o condutor hidráulico.
 Quando se transporta uma ponta abatível hidráulica:
desacoplar o condutor hidráulico no ponto E.
 Fixar o cabo auxiliar 17 no ponto C.
 Quando é transportada uma ponta abatível dupla:
Destravar e desencavilhar a cavilha 23.
 Quando é transportada uma ponta abatível dupla:
Puxar o cabo de fibras perlon 13 e soltar bloqueio entre o cabeçal 3 e peça de redução 2.
 Arrancar o motor da grua.
 Premir a pulsador 451 e bascular para fora a ponta abatível com o cilindro de basculação até ser
possível encavilhar no ponto A.
 Encavilhar a cavilha 9 em cima e em baixo no ponto A e fixar.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
Para segurança da cavilha 9 deverão ser utilizados molas de segurança especiais. Não é autorizado
a utilização de fichas de mola ou molas de segurança na cavilha 9. A ponta abatível somente pode
ser desencavilhada no ponto D quando as cavilhas 9 no ponto A estiverem encavilhadas e fixadas
em cima e em baixo.
 Encavilhar e fixar as cavilhas 9 no ponto A em cima e em baixo.

 Bascular para o lado a cobrejunta de segurança 15 com barra de montagem 11.


 Empurrar a alavanca 16 com barra de montagem 11 para cima e engatar na corrediça 14.
 Premir o pulsador 451 e bascular totalmente para fora a ponta abatível com o cilindro de
basculação.
 Destravar o cilindro de basculação 10 com barra de montagem 11.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível pode cair em sequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!

 Bascular a peça de redução 2 com cabo auxiliar 17 para 180° até se poder encavilhar no
ponto B em cima e em baixo.

5.02 LIEBHERR 557


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196431

558 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.4.2 Processo de montagem, parte 2

PERIGO
Perigo de acidente!
 É proibida a utilização de fichas de mola ou molas de segurança nas cavilhas 20 e cavilhas 21!
 Para segurança da cavilha 20 e da cavilha 21 deve utilizar molas de segurança especiais.

 Encavilhar as cavilhas 20 em baixo no ponto B e fixar.

Para que no ponto B possa ser encavilhada em cima, deverá ser utilizada a montagem
auxiliar 22 hidráulica/mecânica.
 Destravar as cavilhas 24 e desencavilhar do furo 19.
 Encavilhar a montagem auxiliar 22 na cobrejunta de reboque com cavilhas 24 e fixar.
 Fechar o botão rotativo 26.
 Expandir o cilindro hidráulico do dispositivo de montagem auxiliar 22 através do accionamento da
bomba manual 25 até que o orifício no olhal da ponta abatível alinhe com o da lança telescópica.
 Encavilhar as cavilhas 21 em cima no ponto B e fixar.
 Abrir o botão rotativo 26.
Resultado:
– o cilindro hidráulico da montagem auxiliar 22 volta para a posição inicial e a cavilha 24 será
aliviada.

5.02 LIEBHERR 559


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196430

560 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.5 Montagem da ponta abatível dupla transportada na grua

2.5.1 Montagem da peça de redução, parte 1


Ao bascular o apoio da ponta abatível 18 para fora e para dentro deverá ter em consideração que
com a primeira mão será desbloqueada a cavilha de mola 8 e com a segunda mão será girado o
apoio da ponta abatível 18 por cima do cabeçal.
 Destravar e desencavilhar a cavilha de mola 8
 Bascular para fora o apoio da ponta abatível 18 até a cavilha de mola 8 engatar novamente

Com uma “ponta abatível hidráulica” (serviço TNZK) tem que antes de bascular a ponta abatível para
fora desengatar o condutor hidráulico.
 Quando se transporta uma ponta abatível hidráulica:
desacoplar o condutor hidráulico no ponto E.
 Fixar o cabo auxiliar 17 no ponto C.
 Destravar e desencavilhar a cavilha 12 e encavilhar no orifício 40.
 Premir a pulsador 451 e bascular para fora a ponta abatível com o cilindro de basculação até ser
possível encavilhar no ponto A.
 Encavilhar a cavilha 9 em cima e em baixo no ponto A e fixar.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
Para segurança da cavilha 9 deverão ser utilizados molas de segurança especiais. Não é autorizado
a utilização de fichas de mola ou molas de segurança na cavilha 9. A ponta abatível somente pode
ser desencavilhada no ponto D quando as cavilhas 9 no ponto A estiverem encavilhadas e fixadas
em cima e em baixo.
 Encavilhar e fixar as cavilhas 9 no ponto A em cima e em baixo.

 Bascular para o lado a cobrejunta de segurança 15 com barra de montagem 11.


 Empurrar a alavanca 16 com barra de montagem 11 para cima e engatar na corrediça 14.
 Premir o pulsador 451 e bascular totalmente para fora a ponta abatível com o cilindro de
basculação.
 Destravar o cilindro de basculação 10 com barra de montagem 11.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível pode cair em sequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!

 Bascular a peça de redução 2 com cabo auxiliar 17 para 180° até se poder encavilhar no
ponto B em cima e em baixo.

5.02 LIEBHERR 561


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103448

562 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.5.2 Montagem da peça de redução, parte 2

PERIGO
Perigo de acidente!
 É proibida a utilização de fichas de mola ou molas de segurança nas cavilhas 20 e cavilhas 21!
 Para segurança das cavilhas 20 e das cavilhas 21 deve utilizar molas de segurança especiais.

 Encavilhar as cavilhas 20 em baixo no ponto B e fixar.

Para que no ponto B possa ser encavilhada em cima, deverá ser utilizada a montagem
auxiliar 22 hidráulica/mecânica.
 Destravar as cavilhas 24 e desencavilhar do furo 19.
 Encavilhar a montagem auxiliar 22 na cobrejunta de reboque com cavilhas 24 e fixar.
 Fechar o botão rotativo 26.
 Expandir o cilindro hidráulico do dispositivo de montagem auxiliar 22 através do accionamento da
bomba manual 25 até que o orifício no olhal da ponta abatível alinhe com o da lança telescópica.
 Encavilhar as cavilhas 21 em cima no ponto B e fixar.
 Abrir o botão rotativo 26.
Resultado:
– o cilindro hidráulico da montagem auxiliar 22 volta para a posição inicial e a cavilha 24 será
aliviada.

2.5.3 Montagem do cabeçal


 Retirar o cabo auxiliar 17 no ponto C e fixar no cabeçal 3.

PRECAUÇÃO
A ponta abatível poderá bascular involuntariamente!
Durante o desbloqueio do dispositivo de trava a ponta abatível pode bascular involuntariamente.
Para evitar que ocorra uma basculação lateral espontânea da ponta abatível:
 Prender a ponta abatível com o cabo auxiliar!

 Retirar a mola de segurança 7 no ponto F.


 Puxar o cabo de fibras perlon 13 e soltar bloqueio entre o cabeçal 3 e peça de redução 2.
 Bascular para a frente o cabeçal 3 a 180°, até que ser possível encavilhar no ponto C.

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível pode cair em sequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!
 Não é permitida a utilização de trava de segurança com mola ou molas de segurança nas
cavilhas 27!
 Para fixar a cavilha 27 devem-se utilizar as molas de segurança especiais.

 Encavilhar em cima e em baixo a cavilha 27 e fixar com as molas de segurança.


 Retirar o cabo de elevação.

5.02 LIEBHERR 563


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197289

564 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.6 Montagem da ponta abatível de 3 elementos


A ponta abatível de 3 elementos é uma ponta abatível estendida através da extensão da ponta
abatível 4.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a ponta abatível está montada na lança telescópica ou na extensão da lança telescópica
– existe uma grua auxiliar com capacidade de carga suficiente

PERIGO
Perigo de acidente ao montar/desmontar a ponta abatível de 3 elementos!
Caso as seguintes condições não sejam respeitadas, durante a montagem / desmontagem o pessoal
poderá sofrer ferimentos mortais.
 Ao desprender as cavilhas, não deverá estar ninguém por baixo da ponta abatível!
 Desencavilhar ou encavilhar as cavilhas na sequência determinada!
 Fixar a grua auxiliar de modo a que não ocorra tracção oblíqua!

 Pendurar a peça de redução 2 na grua auxiliar e tensionar ligeiramente o cabo de retenção.


ou
 Pendurar a peça de redução 2 com cabeçal 3 na grua auxiliar e tensionar ligeiramente o cabo de
retenção.

PERIGO
Perigo de acidente com as cavilhas bloqueadas!
As cavilhas podem bloquear-se devido a tracção oblíqua através de uma força de elevação da grua
auxiliar demasiado alta ou uma força de elevação da grua auxiliar demasiado baixa.
Peças bloqueadas podem-se soltar repentinamente ao desencavilhar as cavilhas.
 Ao desencavilhar as cavilhas tem que a “força de elevação” da grua auxiliar ser adaptada ao
“peso” das peças a serem levantadas!
 Cavilhas emperradas não podem ser desencavilhadas à força!
 Eliminar a causa da tensão!

 Destravar e desencavilhar as cavilhas 50 dos dois lados.

Observação
 Antes de desencavilhar e encavilhar as cavilhas X, a extensão Y tem que ser aparafusada
respectivamente desaparafusada. Depois fixar as cavilhas X com molas de segurança dos dois
lados. Antes do início da deslocação em estradas públicas a extensão Y tem que ser outra vez
desaparafusada e as cavilhas X serem fixadas com molas de segurança dos dois lados.

 Destravar as cavilhas 51 dos dois lados e desencavilhar de fora para dentro.


 Depositar a peça de redução 2.
ou
 Depositar a peça de redução 2 com cabeçal 3.

5.02 LIEBHERR 565


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197289

566 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

 Pendurar a extensão da ponta abatível 4 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da forquilha no
pé da lança 6.
 Encavilhar a extensão da ponta abatível 4 com pé da lança 6: encavilhar as cavilhas 50 dos dois
lados de fora para dentro e fixar.
 Encavilhar as cavilhas 51 dos dois lados de fora para dentro e fixar.
 Pendurar a peça de redução 2 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da forquilha na extensão
da ponta abatível 4.
ou
 Pendurar a peça de redução 2 com cabeçal 3 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da
forquilha na extensão da ponta abatível 4.
 Encavilhar a peça de redução 2 com extensão da ponta abatível 4: encavilhar as cavilhas 52 dos
dois lados de fora para dentro e fixar.
 Encavilhar as cavilhas 53 dos dois lados de fora para dentro e fixar.

5.02 LIEBHERR 567


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197290

568 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.7 Montagem da ponta abatível de 4 elementos


A ponta abatível de 4 elementos é uma ponta abatível estendida através da extensão da ponta
abatível 4 e extensão da ponta abatível 5.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a ponta abatível está montada na lança telescópica ou na extensão da lança telescópica
– existe uma grua auxiliar com capacidade de carga suficiente

PERIGO
Perigo de acidente ao montar/desmontar a ponta abatível de 4 elementos!
Caso as seguintes condições não sejam respeitadas, durante a montagem / desmontagem o pessoal
poderá sofrer ferimentos mortais.
 Ao desprender as cavilhas, não deverá estar ninguém por baixo da ponta abatível!
 Desencavilhar ou encavilhar as cavilhas na sequência determinada!
 Posicionar os cabos de retenção de modo a que não ocorra tracção oblíqua!

 Pendurar a peça de redução 2 na grua auxiliar e tensionar ligeiramente o cabo de retenção.


ou
 Pendurar a peça de redução 2 com cabeçal 3 na grua auxiliar e tensionar ligeiramente o cabo de
retenção.

PERIGO
Perigo de acidente com as cavilhas bloqueadas!
As cavilhas podem bloquear-se devido a tracção oblíqua através de uma força de elevação da grua
auxiliar demasiado alta ou uma força de elevação da grua auxiliar demasiado baixa.
Peças bloqueadas podem-se soltar repentinamente ao desencavilhar as cavilhas.
 Ao desencavilhar as cavilhas tem que a “força de elevação” da grua auxiliar ser adaptada ao
“peso” das peças a serem levantadas!
 Cavilhas emperradas não podem ser desencavilhadas à força!
 Eliminar a causa da tensão!

 Destravar e desencavilhar as cavilhas 50 dos dois lados.


 Destravar as cavilhas 51 dos dois lados e desencavilhar de fora para dentro.
 Depositar a peça de redução 2.
ou
 Depositar a peça de redução 2 com cabeçal 3.
 Pendurar a extensão da ponta abatível 5 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da forquilha no
pé da lança 6.
 Encavilhar a extensão da ponta abatível 5 com pé da lança 6: encavilhar as cavilhas 50 dos dois
lados de fora para dentro e fixar.

Observação
 Antes de desencavilhar e encavilhar as cavilhas X, a extensão Y tem que ser aparafusada
respectivamente desaparafusada. Depois fixar as cavilhas X com molas de segurança dos dois
lados. Antes do início da deslocação em estradas públicas a extensão Y tem que ser outra vez
desaparafusada e as cavilhas X serem fixadas com molas de segurança dos dois lados.

 Encavilhar as cavilhas 51 dos dois lados de fora para dentro e fixar.

5.02 LIEBHERR 569


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197290

570 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

 Pendurar a extensão da ponta abatível 4 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da forquilha na
extensão da ponta abatível 5.
 Encavilhar a Extensão da ponta abatível 4 com Extensão da ponta abatível 5: encavilhar as
cavilhas 52 dos dois lados de fora para dentro e fixar.
 Encavilhar as cavilhas 53 dos dois lados de fora para dentro e fixar.
 Pendurar a peça de redução 2 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da forquilha na extensão
da ponta abatível 4.
ou
 Pendurar a peça de redução 2 com cabeçal 3 na grua auxiliar e introduzir nos cabeçais da
forquilha na extensão da ponta abatível 4.
 Encavilhar a peça de redução 2 com extensão da ponta abatível 4: encavilhar as cavilhas 54 dos
dois lados de fora para dentro e fixar.
 Encavilhar as cavilhas 55 dos dois lados de fora para dentro e fixar.

5.02 LIEBHERR 571


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103446

572 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.8 Montar na grua a ponta abatível simples transportada em separado

2.8.1 Montar a ponta abatível transportada em separado para posição de serviço de


grua
Para a descrição dos respectivos pontos de fixação, ver parágrafo “Pontos de fixação”.
 Fixar a grua auxiliar nos respectivos pontos de fixação da ponta abatível.
 Levantar a ponta abatível com a grua auxiliar e introduzir nos pontos de encavilhamento da lança
telescópica.

PERIGO
Perigo de acidente!
 É proibida a utilização de fichas de mola ou molas de segurança nas cavilhas 9, cavilhas 20 e
cavilhas 21!
 Para segurança das cavilha 9, cavilha 20 e cavilha 21 utilizar as molas de segurança especiais.

 Encavilhar a ponta abatível com a lança telescópica:


 Encavilhar as cavilhas 9 em cima e em baixo no ponto A e fixar.
 Encavilhar a cavilha 20 e cavilha 21 em cima e em baixo no ponto B e fixar.
 para a restante montagem da ponta abatível dupla, ver parágrafo “Montagem do cabeçal”.

5.02 LIEBHERR 573


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103447

574 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

2.8.2 Montar a ponta abatível transportada em separado para posição de transporte


Para montagem da ponta abatível 1 transportada em separado na grua é necessário que esteja à
disposição uma grua auxiliar.
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– a lança telescópica está completamente retraída
– a lança telescópica encontra-se na direcção de marcha em posição 0°

PERIGO
Perigo de acidente devido à basculação lateral espontânea da ponta abatível ao retirar o meio de
fixação!
A lança telescópica tem de estar na posição 0°, de contrário existe o perigo de acidentes devido a
basculação lateral espontânea da ponta abatível ao retirar o meio de fixação.
 Colocar a lança telescópica na posição 0°.

 Fixar a grua auxiliar nos respectivos pontos de retenção da ponta abatível, ver parágrafo “Pontos
de fixação”.

PRECAUÇÃO
Perigo de danos materiais!
Através da não observação das seguintes indicações, podem ser executados movimentos
descontrolados da ponta abatível e por consequência conduzir a danificações na zona da lança
telescópica e na cabina do condutor.
 Executar movimentos de grua da grua auxiliar somente com extremo cuidado e aceleração
mínima.
 A ponta abatível tem de estar fixada por um cabo auxiliar durante o processo de basculação!

 Levantar a ponta abatível com a grua auxiliar e introduzir nos pontos de encavilhamento no
cabeçal da lança telescópica.

PERIGO
Perigo de acidente!
 É proibida a utilização de fichas de mola ou molas de segurança nas cavilhas 9!
 Para fixar a cavilha 9 devem-se utilizar as molas de segurança especiais.

 Encavilhar a ponta abatível com a lança telescópica:


 Encavilhar as cavilhas 9 em cima e em baixo no ponto A e fixar.

PERIGO
Perigo de morte devido à caída da ponta abatível!
Através de um encavilhamento incorrecto da ponta abatível na lança telescópica, pode acontecer
ferimentos graves ou até mortais.
 Certifique-se antes de retirar a grua auxiliar, que a ponta abatível está correctamente encavilhada
no ponto A em cima e em baixo e travada.

 Retirar a grua auxiliar.

Observação
 Para outros procedimentos de dobragem da ponta abatível na lança telescópica respectivamente
para posição de transporte, deve recolher as informações no parágrafo “Desmontagem da ponta
abatível”.

5.02 LIEBHERR 575


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196435

576 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

3 Colocar o cabo de elevação

PERIGO
Perigo de escorregamento na ponta abatível!
Ao aceder à ponta abatível, por exemplo na colocação ou retirada do cabo de elevação, poderá
escorregar e cair da ponta abatível.
 É proibido aceder à ponta abatível!

3.1 Bascular a polia de guia do cabo para a posição de serviço


 Destravar e desencavilhar a cavilha 30.
 Girar a polia de guia do cabo 29 para a posição de serviço.
 Encavilhar a polia guia do cabo 29 na posição de serviço: encavilhar as cavilhas 30 e fixar.

3.2 Colocar o cabo de elevação


 Destravar e desencavilhar a cavilha de segurança do cabo 28 e cavilha de segurança do cabo 31.
 Em serviço com ponta abatível dupla, ponta abatível de 3 elementos ou ponta abatível de 4
elementos:
destravar e desencavilhar a cavilha de segurança do cabo 34.
 Colocar o cabo de elevação por cima da polia guia do cabo 29 e por cima da polia do
cabeçal 32 em 12,2 m ou por cima da polia do cabeçal 35 em 22 m.
 Encavilhar novamente a cavilha de segurança do cabo e fixar com os conectores abatíveis.

PRECAUÇÃO
Danificação do cabo de elevação!
Se em serviço com a ponta abatível dupla, ponta abatível de 3 elementos ou ponta abatível de 4
elementos forem encavilhadas as cavilhas de segurança do cabo 31, então poderá o cabo de
elevação em flecha roçar nas cavilhas de segurança do cabo 31 e ser danificada.
 As cavilhas de segurança do cabo 31 em serviço de ponta abatível dupla , ponta abatível de 3
elementos ou ponta abatível de 4 elementos não podem ser encavilhadas!

 Colocar o gancho de carga ou moitão do gancho.


 Montar o peso do interruptor de fim de curso de elevação.

Observação
 No serviço com a ponta abatível com o moitão do gancho com o cabo colocado na lança
telescópica, deve ser subtraído o peso do moitão do gancho com o cabo colocado na lança
telescópica da carga a ser levantada.

5.02 LIEBHERR 577


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196436

578 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

4 Reequipar a ponta abatível mecânica de 0° para 22.5


ou 45°

PERIGO
Perigo de morte!
Através da não observância das seguintes indicações de perigo, poderá em trabalhos de montagem
ou reequipamento na ponta abatível levar a acidentes mortais.
 Na zona de perigo da grua não é permitido a permanência de pessoas.

Existem 2 possibilidades de reequipar a ponta abatível mecânica para 22,5° ou 45°:


1) Montagem angular com o cabo de elevação como cabo de retenção, ver a figura 12
Somente permitido em serviço com ponta abatível simples e ponta abatível dupla.
2) Montagem angular com a ponta abatível fundamentada, veja a figura 13
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– a lança telescópica está completamente retraída
– a ponta abatível está construída com prolongamento em linha recta (posição 0°)
– a lança telescópica está basculada para trás ou para um lado

5.02 LIEBHERR 579


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196437

580 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

4.1 Montagem angular com o cabo de elevação como cabo de retenção


AVISO
Danificação da ponta abatível e do cabo de elevação!
Caso a lança telescópica seja expandida telescopicamente ou basculada para baixo enquanto o cabo
de elevação se encontra tensionado no ponto fixo de montagem, poderão ficar danificados o cabo de
elevação e a ponta abatível.
 Não expandir ou bascular para baixo a lança telescópica com o cabo de elevação tensionado no
ponto fixo de montagem!
 Montagem angular com o cabo de elevação como cabo de retenção somente é permitido em
serviço com ponta abatível simples e ponta abatível dupla!

4.1.1 Preparativos para o trabalho


 Retirar o cabo de elevação no dispositivo de fecho.
 Desmontar o peso do interruptor de fim de curso de elevação.
 Em serviço com ponta abatível dupla
Introduzir o bocal de pressão 42 no ponto de fixação de montagem 43.
ou
Em serviço com ponta abatível simples
 Introduzir o bocal de pressão 42 no ponto de fixação de montagem 41.
 Tensionar o cabo de elevação através duma deflexão com muito tacto do correspondente
alavanca de comando manual.

4.1.2 Ajuste angular


A ponta abatível pode ser operada nos ângulos 0 °, 22,5 ° e 45 °. O ajustamento dos respectivo
ângulo ocorrerá através das cavilhas 36.

PERIGO
Perigo de acidente através duma incontrolada “viragem para baixo” da ponta abatível!
Se as indicações seguintes não forem observadas, então a ponta abatível poderá incontroladamente
dobrar “para baixo”!
 O orifício 35 não pode ser desencavilhado!
 Desencavilhar somente as cavilhas 36 quando a ponta abatível estiver assegurada com o cabo
de elevação!

 Destravar a cavilha 36 e desencavilhar do furo 33.


 Em ajuste angular 22,5 °
Encavilhar a cavilha 36 no orifício 34 e fixar.
ou
Em ajuste angular 45 °
 Introduzir as cavilhas 36 no dispositivo de fixação para transporte.

4.1.3 Posicionar a ponta abatível


 Encavilhar as cavilhas 36 no orifício 34 e fixar ou introduzir no dispositivo de fixação para
transporte.
 Desenrolar o cabo de elevação através da deflexão da correspondente alavanca de comando
manual e simultaneamente bascular para cima a lança telescópica até a cobrejunta de
tracção 37 estar apertada na respectiva cavilha e a ponta abatível seja assegurada através da
cavilha.
 Soltar o soquete prensado no ponto fixo de montagem.

5.02 LIEBHERR 581


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196438

582 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

4.2 Montagem angular com ponta abatível fundamentada

4.2.1 Preparativos para o trabalho

Observação
 A ponta abatível pode ser repousada sobre o solo ou, caso seja necessário, deverá ser colocada
de modo adequado sobre uma construção suporte inferior.

 Bascular para baixo completamente a lança telescópica até que a ponta abatível repouse sobre o
solo.

4.2.2 Ajuste angular


A ponta abatível pode ser operada nos ângulos 0 °, 22,5 ° e 45 °. O ajustamento dos respectivo
ângulo ocorrerá através das cavilhas 36.

PERIGO
Perigo de acidente através duma incontrolada “viragem para baixo” da ponta abatível!
Se as indicações seguintes não forem observadas, então a ponta abatível poderá incontroladamente
dobrar “para baixo”!
 O orifício 35 não pode ser desencavilhado!
 Somente desencavilhar as cavilhas 36 quando a ponta abatível estiver pousada sobre o solo ou
sobre um fundamento de modo adequado.

 Destravar a cavilha 36 e desencavilhar do furo 33.


 Em ajuste angular 22,5 °
Encavilhar a cavilha 36 no orifício 34 e fixar.
ou
Em ajuste angular 45 °
 Introduzir as cavilhas 36 no dispositivo de fixação para transporte.

4.2.3 Posicionar a ponta abatível


 Encavilhar as cavilhas 36 no orifício 34 e fixar ou introduzir no dispositivo de fixação para
transporte.
 Bascular para cima a lança telescópica, até a cobrejunta de tracção 37 estar apertada na
respectiva cavilhas e a ponta abatível seja assegurada através das cavilhas.

5.02 LIEBHERR 583


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196887

584 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

5 Ligações hidráulicas

5.1 Estabelecer as ligações hidráulicas


Uma conexão hidráulica para a ponta abatível tem que ser somente estabelecida em ajuste angular
hidráulico (serviço TNZK). Através dos diferentes diâmetros dos acoplamentos hidráulicos não é
possível um acoplamento falso dos acoplamentos hidráulicos.
 No serviço com ponta abatível hidráulica:
estabelecer as conexões hidráulicas.
 Depois do serviço com a ponta abatível simples:
proteger as ligações contra sujidades.

5.2 Tambor de mangueiras hidráulicas para serviço de ponta abatível


A alimentação hidráulica da ponta abatível ocorre através do tambor de mangueiras hidráulicas na
lança telescópica. Em serviço de lança telescópica prolongada tem que ser montada a
consola 442 no dispositivo de fixação 441 na “posição de descanso”.
Deste modo será evitado um enrolamento / desenrolamento desnecessário das mangueiras
hidráulicas.

PRECAUÇÃO
Perigo de acidente através dum retorno brusco das mangueiras hidráulicas!
As mangueiras hidráulicas estão sob pressão de mola. Se, se largar a consola 442 desmontada,
então esta recua por consequência da força da mola contra o tambor de mangueiras hidráulicas.
Com isto o pessoal de montagem pode ser ferido ou o tambor de mangueiras hidráulicas ser
danificado.
 Não deixar retornar bruscamente a consola desmontada 442!
 Assegurar a consola desmontada 442 e depois montar outra vez!

5.2.1 Montar os acoplamentos das mangueiras na posição de serviço


 Encaixar o conector da consola de comando 449 na tomada 440 na cabina da grua.
 Desencavilhar a consola 442 com os acoplamentos hidráulicos do dispositivo de fixação 441.
 Desenrolar tanto as duplas mangueiras hidráulicas 443 com o pulsador 450, até a
consola 442 poder ser encavilhada com os acoplamentos hidráulicos no dispositivo de
fixação 445 no cabeçal da lança.
 Colocar as duplas mangueiras hidráulicas 443 nas guias 444.
 Encavilhar e fixar a consola 442 no dispositivo de fixação 445.
 Com o pulsador 451 tensionar vagarosamente as mangueiras hidráulicas 443 duplas.
 Retirar o conector da consola de comando 449.

5.2.2 Montar os acoplamentos das mangueiras na posição de descanso


 Encaixar o conector da consola de comando 449 na tomada 440 na cabina da grua.
 Com o pulsador 450 aliviar a tensão vagarosamente das mangueiras hidráulicas 443 duplas.
 Desencavilhar a consola 442 com os acoplamentos hidráulicos do dispositivo de fixação 445 no
cabeçal da lança.
 Retirar as duplas mangueiras hidráulicas 443 das guias 444.
 Desenrolar tanto as duplas mangueiras hidráulicas 443 com o pulsador 451, até a
consola 442 poder ser encavilhada com os acoplamento hidráulicos no dispositivo de
fixação 441 e fixada
 Com o pulsador 451 tensionar vagarosamente as mangueiras hidráulicas 443 duplas.
 Retirar o conector da consola de comando 449.

5.02 LIEBHERR 585


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197291

586 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

5.2.3 Desmontar o tambor de mangueiras hidráulicas

PERIGO
Perigo de morte devido a queda do tambor de mangueiras!
 Por consequência de um erro na montagem / desmontagem pode cair o tambor de mangueiras 8!
 É proibida a permanência por baixo do tambor de mangueiras 8 durante a montagem ou
desmontagem!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a lança telescópica está basculada para baixo e retraída
– as conexões hidráulicas do acoplamentos das mangueiras 7 para a ponta abatível estão
separadas
– para a desmontagem do tambor de mangueiras hidráulicas 8 está preparada uma grua auxiliar
com meios de fixação apropriados
– as luzes de identificação omnidireccionais 9 da cabina do condutor estão desmontadas
 Pendurar a grua auxiliar com meios de fixação apropriados no cobrejunta de encosto 1 do tambor
de mangueiras hidráulicas 8 e fixar, ver a figura 1.
 Desaparafusar o punho cruzado 2 da peça de rolamento e retirar o cabo 3 da peça de rolamento,
ver a figura 1.

PRECAUÇÃO
Perigo de acidente através dum retorno brusco das mangueiras hidráulicas!
As mangueiras hidráulicas estão sob pressão de mola. Se, se largar a consola 442 desmontada,
então esta recua por consequência da força da mola contra o tambor de mangueiras hidráulicas 8.
Com isto o pessoal de montagem pode ser ferido ou o tambor de mangueiras hidráulicas 8 será
danificado.
 Não deixar retornar bruscamente a consola desmontada 442!
 Assegurar a consola 442 desmontada depois de desencavilhar!

 Destravar as cavilhas A da consola 442, puxar para fora e retirar com os acoplamentos das
mangueiras 7 ver a figura 2.
 Retirar as duplas mangueiras hidráulicas 443 das guias 444 da lança telescópica e enrolar, ver a
figura 1

Observação
 Enrolar e desenrolar a mangueira hidráulica, ver parágrafo “Tambor de mangueiras hidráulicas
para o serviço de ponta abatível”.

 Fixar a consola 442 com acoplamentos das mangueiras 7 atrás no Tambor de mangueiras
hidráulicas 8 com cavilhas A e fixar, ver a figura 3.
 Separar todas as conexões hidráulicas e eléctricas da lança telescópica para o tambor de
mangueiras hidráulicas 8.
 Fixar as conexões separadas com os elementos tensores 4 no tambor de mangueiras
hidráulicas 8, ver a figura 3.
 Desaparafusar todas os quatro parafusos sextavados C do dispositivo de fixação 5, ver a figura
4.
 Levantar o tambor de mangueiras hidráulicas 8 com a grua auxiliar e retirar.
 Antes do tambor de mangueiras hidráulicas 8 ser depositado, desencavilhar as cavilhas B da pé
de apoio 6, ver a figura 5.
 Bascular o sapata de apoio 6 na posição Y, ver a figura 6.
 Encavilhar o pé de apoio 6 com cavilhas B e fixar.
 Depositar o tambor de mangueiras hidráulicas 8 com a grua auxiliar sobre solo plano, ver a figura
5.
 Montar as luzes de identificação omnidireccionais 9 sobre a cabina do condutor.

5.02 LIEBHERR 587


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B197310

588 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

5.2.4 Montar o tambor de mangueiras hidráulicas

PERIGO
Perigo de morte devido a queda do tambor de mangueiras!
 Por consequência de um erro na montagem / desmontagem pode cair o tambor de mangueiras 8!
 É proibida a permanência por baixo do tambor de mangueiras 8 durante a montagem ou
desmontagem!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a lança telescópica está basculada para baixo e retraída
– para a desmontagem do tambor de mangueiras hidráulicas 8 está preparada uma grua auxiliar
com meios de fixação apropriados
– as luzes de identificação omnidireccionais 9 da cabina do condutor estão desmontadas
 Pendurar na grua auxiliar no tambor de mangueiras hidráulicas 8 na cobrejunta de encosto 1 com
meios de fixação apropriados e levantar, ver a figura 5.
 Desencavilhar as cavilhas B do pé de apoio 6 ver a figura 5.
 Bascular o sapata de apoio 6 na posição X, ver a figura 6.
 Encavilhar o pé de apoio 6 com cavilhas B e fixar.
 Fixar o tambor de mangueiras hidráulicas 8 com a grua auxiliar na lança telescópica.
 Aparafusar de modo adequado todos os quatro parafusos sextavados C no dispositivo de
fixação 5, ver a figura 4.
 Montar de modo adequado o tambor de mangueiras hidráulicas 8 na lança telescópica.
 Retirar a grua auxiliar.
 Estabelecer todas as conexões hidráulicas e eléctrica da lança telescópica para o tambor de
mangueiras hidráulicas 8.
 Aparafusar o punho cruzado 2 na peça de rolamento e introduzir o cabo 3 na peça de rolamento,
ver a figura 1.
 Aparafusar o punho cruzado 2 e apertar bem.
 Destravar as cavilhas A atrás no tambor de mangueiras hidráulicas 8 e puxar para fora, ver a
figura 3.
 Retirar a consola 442 com acoplamentos das mangueiras 7.
 Desenrolar a mangueira hidráulica 443 dupla e colocar nas guias 444 da lança telescópica, ver a
figura 1.
 Encavilhar e fixar a consola 442 com acoplamentos das mangueiras 7 no dispositivo de
fixação 445 com cavilhas A, ver a figura 2.

Observação
 Montar a consola 442 na posição de serviço / posição de descanso e enrolar e desenrolar a
mangueira hidráulica, consulte o parágrafo “Tambor de mangueiras hidráulicas para o serviço de
ponta abatível”.

 Montar as luzes de identificação omnidireccionais 9 sobre a cabina do condutor.

5.02 LIEBHERR 589


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103474

590 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

6 Conexões eléctricas

6.1 Accionar mecanicamente o interruptor de fim de curso de elevação,


figura 14
Quando se trabalhar com o serviço com a ponta abatível no “serviço com um gancho”, então o
interruptor de fim de curso de elevação -S930/-S931 não utilizado deverá ser accionado
mecanicamente.
 Desmontar o peso do interruptor de fim de curso de elevação e a corrente.
 Puxar o cabo do interruptor de fim de curso de elevação 20 e fixar com a manilha 21 no ponto de
fixação 22.

6.2 Conexões eléctricas na ponta abatível simples

6.2.1 Serviço com um gancho, figura 15


Em serviço com um gancho apenas está activado o interruptor de fim de curso de elevação S940 na
ponta abatível simples.
 Accionar o interruptor de fim de curso de elevação -S930 mecanicamente.
 Quando estiver montado na lança telescópica:
accionar o interruptor de fim de curso de elevação* -S931 mecanicamente.
 Encaixar a ficha de cabo -X500 na tomada -X556V.
 Introduzir o adaptador -X556 na tomada -X501.
 Introduzir o interruptor de fim de curso de elevação -S940 com a ficha do cabo -X501 na
tomada -X556H.
 Introduzir o anemómetro* com ficha do cabo -X556W na tomada -X556.
 Introduzir a lâmpada relampejante* com a ficha do cabo -X460 na tomada -X460Y.
 Ou introduzir o alarme indicador de alta tensão* com a ficha do cabo -X486 na tomada -X486Y.

6.2.2 Serviço com dois ganchos, figura 16


No serviço com dois ganchos estão activados o interruptor de fim de curso de elevação S930 na
lança telescópica e o interruptor de fim de curso de elevação S940 na ponta abatível simples!
 Quando estiver montado na lança telescópica:
accionar o interruptor de fim de curso de elevação* -S931 mecanicamente.
 Encaixar a ficha de cabo -X500 na tomada -X556V.
 Introduzir o adaptador -X556 na tomada -X501.
 Introduzir o interruptor de fim de curso de elevação -S940 com a ficha do cabo -X501 na
tomada -X556H.
 Introduzir o anemómetro* com ficha do cabo -X556W na tomada -X556.
 Introduzir a lâmpada relampejante* com a ficha do cabo -X460 na tomada -X460Y.
 Ou introduzir o alarme indicador de alta tensão* com a ficha do cabo -X486 na tomada -X486Y.

5.02 LIEBHERR 591


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103475

592 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

6.3 Conexões eléctricas na ponta abatível dupla

6.3.1 Serviço com um gancho, figura 17


No serviço com um gancho apenas está activado o interruptor de fim de curso de elevação S945 na
ponta abatível dupla. O interruptor de fim de curso de elevação S940 na ponta abatível simples está
desconectado.
 Accionar o interruptor de fim de curso de elevação -S930 mecanicamente.
 Quando estiver montado na lança telescópica:
accionar o interruptor de fim de curso de elevação* -S931 mecanicamente.
 Encaixar a ficha de cabo -X500 na tomada -X556V.
 Encaixar a ficha de cabo -X505 na tomada -X501.
 Introduzir o adaptador -X556 na tomada -X502.
 Introduzir o interruptor de fim de curso de elevação -S945 com a ficha do cabo -X502 na
tomada -X556H.
 Introduzir o anemómetro* com ficha do cabo -X556W na tomada -X556.
 Introduzir a lâmpada relampejante* com a ficha do cabo -X460 na tomada -X460Y.
 Ou introduzir o alarme indicador de alta tensão* com a ficha do cabo -X486 na tomada -X486Y.

6.3.2 Serviço com dois ganchos, figura 18


No serviço com dois ganchos estão activados o interruptor de fim de curso de elevação S930 na
lança telescópica e o interruptor de fim de curso de elevação S945 na ponta abatível dupla! O
interruptor de fim de curso de elevação S940 na ponta abatível simples está desconectado.
 Quando estiver montado na lança telescópica:
accionar o interruptor de fim de curso de elevação* -S931 mecanicamente.
 Encaixar a ficha de cabo -X500 na tomada -X556V.
 Encaixar a ficha de cabo -X505 na tomada -X501.
 Introduzir o adaptador -X556 na tomada -X502.
 Introduzir o interruptor de fim de curso de elevação -S945 com a ficha do cabo -X502 na
tomada -X556H.
 Introduzir o anemómetro* com ficha do cabo -X556W na tomada -X556.
 Introduzir a lâmpada relampejante* com a ficha do cabo -X460 na tomada -X460Y.
 Ou introduzir o alarme indicador de alta tensão* com a ficha do cabo -X486 na tomada -X486Y.

5.02 LIEBHERR 593


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103473

594 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

6.4 Controlo de funções


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– as conexões eléctricas estão estabelecidas
– o sistema computadorizado LICCON está em funcionamento

6.4.1 anemómetro

PRECAUÇÃO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Na montagem de um sensor de vento / anemómetro defeituoso a velocidade do vento não pode ser
mais determinada.
 Verificar o funcionamento do anemómetro após cada montagem deste.

 Accionar manualmente o anemómetro.


Resultado:
– o elemento simbólico “velocidade do vento” 2.2 aparece no monitor.

6.4.2 interruptor de fim de curso de elevação


 Accionar manualmente todos os interruptores fim de curso activados.
Resultado:
– o respectivo elemento simbólico “Gancho em cima” aparece no monitor.
– o cabrestante desliga.

Observação
 Na substituição de um interruptor de fim de curso de elevação o respectivo interruptor de fim de
curso de elevação terá que possuir o endereço Bus correcto assim como a versão do Software
correcta para que seja reconhecido outra vez pelo sistema Bus.

5.02 LIEBHERR 595


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196442

596 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

7 Levantar

7.1 Preparativos para o trabalho


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– o contrapeso está montado na plataforma giratória correspondentemente às tabelas de carga
– a lança telescópica está completamente retraída
– a ponta abatível esta montada segundo a tabela de cargas e segundo o manual de instruções
para o seu funcionamento
– todos os interruptores fim de curso estão montados correctamente e completamente operacionais
– todas as uniões das cavilhas estão travadas
– o cabo de elevação está bem colocado nas polias do cabo e travado contra desprendimento com
as cavilhas de segurança do cabo.
– não se encontram peças soltas na lança telescópica ou na ponta abatível
– a lança telescópica, a ponta abatível e os seus componentes (por exemplo interruptor de fim de
curso, luz de advertência para aviões, anemómetro.) têm que estar livres de neve ou gelo no
inverno.

PERIGO
Perigo de acidente!
Interruptores fim de curso montados falsamente ou não operacionais assim como caída de peças
(por exemplo cavilhas, fichas de mola, gelo) podem conduzir a acidentes!
 Montar todos os interruptores fim de curso, cavilhas e fichas de mola correctamente.

 Controle, se todas as condições estão cumpridas.

7.2 Processo de levantamento


PERIGO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Os raios de acção determinados nas tabelas de carga não podem ser inferiores nem ultrapassar,
também não quando não houver carga no gancho! Se esta prescrição não for cumprida a grua pode
tombar.
 Comparar e verificar os ajustes feitos e o estado do equipamento montado no momento com a
sistema computadorizado LICCON!

Ajuste do dispositivo de segurança contra sobrecarga LICCON, veja Capítulo 4.02.


 Ajustar e confirmar no dispositivo segurança contra sobrecargas LICCON correspondentemente
aos estados de equipamento necessário.
 Bascular para cima a lança telescópica com a ponta abatível montada até que o LICCON indique
a liberação.
 Estender telescopicamente a lança telescópica para os valores determinados nas tabelas de
carga.

5.02 LIEBHERR 597


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196443

598 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

8 Ajustar o ângulo da ponta abatível em ponta abatível


hidráulica
A zona de ajuste da ponta abatível fica entre 0 ° e 45 ° para a lança telescópica. É possível bascular
com carga a ponta abatível ajustável hidraulicamente.

PERIGO
Perigo de acidente através da queda da grua!
Se a carga da grua máxima for ultrapassada a grua pode tombar.
 É imprescindível que os dados nas tabelas de cargas sejam respeitados!
 As tabelas de carga para a ponta abatível ajustável hidraulicamente são somente válidas para o
ângulo 0 °, 22,5 ° e 45 °!
 Para os ângulos de ajuste que ficam entre os ângulos nominais 0°, 22,5° e 45°, será determinada
pelo sistema computadorizado LICCON a carga máxima e indicada no monitor LICCON.

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– as ligações hidráulicas estão estabelecidas
– as conexões eléctricas estão estabelecidas
– o motor está em funcionamento
– modo de serviço TNZK está ajustado no LICCON e confirmado.

8.1 Indicação do ângulo para a ponta abatível


O ângulo da ponta abatível 50 é indicado no LICCON como ângulo relativo entre o cabeçal de polias
da lança telescópica e a ponta abatível.

8.2 Bascular com “ajuste angular hidráulico”


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– o interruptor 430 está colocado na posição direita “bascular a ponta abatível”
 Quando se vai bascular para baixo a ponta abatível:
orientar o interruptor mestre 420 para a direita no sentido X+.
Resultado:
– bascular para baixo a ponta abatível hidráulica.

 Quando se vai bascular para cima a ponta abatível:


orientar o interruptor mestre 420 para a esquerda no sentido X-.
Resultado:
– a ponta abatível hidráulica é basculada para cima.

5.02 LIEBHERR 599


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196443

600 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

8.3 movimentos telescópicos


Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a ponta abatível está para um ângulo nominal de 0° ou 22,5° ou 45°

Observação
 Movimentos telescópicos são somente possíveis num ângulo nominal da ponta abatível de 0° ou
22,5° ou 45°!
 Em posições intermédias entre os ângulos nominais da ponta abatível não é possível executar
movimentos telescópicos!
 Caso se modifique em movimentos telescópicos o ângulo de aproximadamente +/-2° em relação
ao ângulo nominal então os movimentos telescópicos serão parados. Neste caso o condutor da
grua tem que colocar a ponta abatível outra vez no ângulo nominal para poder continuar a
executar movimentos telescópicos.

 Executar os movimentos telescópicos da lança telescópica como está descrito no Capítulo 4.05.

5.02 LIEBHERR 601


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196436

602 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

9 Reequipar a ponta abatível mecânica de 22,5° ou 45°


para 0°

PERIGO
Perigo de morte!
Através da não observância das seguintes indicações de perigo, poderá em trabalhos de montagem
ou reequipamento na ponta abatível levar a acidentes mortais.
 Na zona de perigo da grua não é permitido a permanência de pessoas.

Existem 2 possibilidades de reequipar a ponta abatível mecânica de 22,5 °/45 ° para 0 °:


1) Montagem angular com o cabo de elevação como cabo de retenção, ver a figura 12
Somente permitido em serviço com ponta abatível simples e ponta abatível dupla.
2) Montagem angular com a ponta abatível fundamentada, veja a figura 13
Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:
– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– a lança telescópica está completamente retraída
– o contrapeso está montado na plataforma giratória correspondentemente às tabelas de carga
– a lança telescópica está basculada para trás ou para um lado

5.02 LIEBHERR 603


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196437

604 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

9.1 Reequipar com o cabo de elevação como cabo de retenção

9.1.1 Preparativos para o trabalho

AVISO
Danificação da ponta abatível e do cabo de elevação!
Caso a lança telescópica seja expandida telescopicamente ou basculada para baixo enquanto o cabo
de elevação se encontra tensionado no ponto fixo de montagem, poderão ficar danificados o cabo de
elevação e a ponta abatível.
 Não expandir ou bascular para baixo a lança telescópica com o cabo de elevação tensionado no
ponto fixo de montagem!
 Reequipar com cabo de elevação como cabo de retenção somente é permitido em serviço com
ponta abatível simples e ponta abatível dupla!

 Descer a lança telescópica até que no cabeçal da ponta abatível se possa retirar o cabo do
moitão do gancho.
 Retirar o cabo de elevação no moitão do gancho.
 Desmontar o peso do interruptor de fim de curso de elevação.
 Em serviço com ponta abatível dupla
Introduzir o bocal de pressão 42 no ponto de fixação de montagem 43.
ou
Em serviço com ponta abatível simples
 Introduzir o bocal de pressão 42 no ponto de fixação de montagem 41.
 Tensionar o cabo de elevação através duma deflexão com muito tacto do correspondente
alavanca de comando manual.

AVISO
Perigo de danificação da ponta abatível e do cabo de elevação!
 Logo que a ponta abatível alcance o encosto 0 °, parar imediatamente o movimento “levantar” e
“bascular”.

 bascular para baixo a lança telescópica e simultaneamente enrolar o cabo de elevação, para que
a ponta abatível seja mantida sempre na mesma altura, aproximadamente. 1,0 m - 1,5 m, acima
do solo, até alcançar a 0 ° -posição (encosto na cobrejunta de tracção).

9.1.2 Posicionar a ponta abatível

PERIGO
Perigo de acidente através duma incontrolada “viragem para baixo” da ponta abatível!
Se as indicações seguintes não forem observadas, então a ponta abatível poderá incontroladamente
dobrar “para baixo”!
 O orifício 35 não pode ser desencavilhado!
 Desencavilhar somente as cavilhas 36 quando a ponta abatível estiver assegurada com o cabo
de elevação!

 Destravar as cavilhas 36 e desencavilhar do orifício 34 ou retirar do dispositivo de fixação para


transporte.
 Encavilhar a cavilha 36 no orifício 33 e fixar.
 Despendurar o cabo de elevação no ponto fixo de montagem.

5.02 LIEBHERR 605


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196438

606 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

9.2 Reequipar com ponta abatível fundamentada


 Bascular para baixo a lança telescópica até se poder retirar o cabo do moitão do gancho.
 Desmontar o dispositivo de fecho e peso do interruptor de fim de curso.
 Bascular completamente para baixo a lança telescópica até que a ponta abatível repousar sobre
o solo.

PRECAUÇÃO
Perigo de danificação!
 A superfície de apoio tem que ser sólida e plana, para que a ponta abatível ao ser basculada para
baixo não se enterre no solo.
 A ponta abatível pode ser repousada sobre o solo ou, caso seja necessário, deverá ser colocada
de modo adequado sobre uma construção suporte inferior.

 Continuar a bascular para baixo a lança telescópica cuidadosamente até a posição 0 ° -(encosto
na cobrejunta de tracção) seja alcançada

PERIGO
Perigo de acidente através duma incontrolada “viragem para baixo” da ponta abatível!
Se as indicações seguintes não forem observadas, então a ponta abatível poderá incontroladamente
dobrar “para baixo”!
 O orifício 35 não pode ser desencavilhado!
 Somente desencavilhar as cavilhas 36, quando a ponta abatível estiver pousada sobre o solo ou
sobre uma fundamentação de modo adequado!

 Destravar as cavilhas 36 e desencavilhar do orifício 34 ou retiradas do dispositivo de fixação para


transporte.
 Encavilhar a cavilha 36 no orifício 33 e fixar.

5.02 LIEBHERR 607


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196444

608 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

10 Retirar o cabo de elevação

PERIGO
Perigo de queda da ponta abatível!
Ao aceder à ponta abatível, por exemplo na colocação ou retirada do cabo de elevação, poderá
escorregar e cair da ponta abatível.
 É proibido aceder à ponta abatível!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a lança telescópica está retraída telescopicamente
– o moitão do gancho / gancho de carga está depositado sobre o solo
– o cabo de elevação está retirado do ponto de fixação do cabo
– o peso do interruptor de fim de curso de elevação e a corrente estão desmontadas

10.1 Desencavilhar / encavilhar a cavilha de segurança do cabo


 Destravar e desencavilhar a cavilha de segurança do cabo 28 e cavilha de segurança do cabo 31.
 Em serviço com ponta abatível dupla, ponta abatível de 3 elementos ou ponta abatível de 4
elementos:
Destravar e desencavilhar a cavilha de segurança do cabo 34.
 Enrolar o cabo de elevação.
 Encavilhar novamente a cavilha de segurança do cabo 28, a cavilha de segurança do cabo 31 e a
cavilha de segurança do cabo 34 e fixar com os conectores abatíveis.

10.2 Bascular a polia guia do cabo para a posição de transporte


 Destravar e desencavilhar a cavilha 30.
 Girar a polia de guia do cabo 29 para a posição de transporte.
 Encavilhar a polia guia do cabo 29 na posição de transporte: encavilhar as cavilhas 30 e fixar.

5.02 LIEBHERR 609


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103452

610 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11 Desmontagem da ponta abatível

11.1 Em geral
PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível poderia cair em consequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!
 A ponta abatível tem de estar fixada por um cabo auxiliar durante o processo de basculação!

PERIGO
Perigo de queda!
Em montagem e desmontagem o pessoal de montagem têm que ser assegurados contra queda
através de meios auxiliares apropriados. Se isto não for observado, então o pessoal de montagem
poderá cair e ao mesmo tempo ferir-se gravemente ou até morrer.
 Todos os trabalhos de montagem têm de ser executados em regra geral a partir de uma altura
de2 m com meios auxiliares adequados (plataforma elevatória, andaimes, escadas, grua auxiliar
etc.)! A altura na qual tem de ser executada a montagem / desmontagem com meios auxiliares
está dependente das normas nacionais. Têm de ser mantidas as normas nacionais!
 Caso estes trabalhos não possam realizados quer com estes meios auxiliares, quer a partir do
solo, o pessoal de montagem deverá proteger-se com meios adequados (por exemplo, cinto de
segurança) contra o perigo de queda!
 É proibido andar sobre a lança telescópica ou ponta abatível!

Certifique-se que as seguintes condições sejam cumpridas:


– a grua está correctamente apoiada e nivelada na horizontal
– o contrapeso está montado na plataforma giratória correspondentemente às tabelas de carga
– a lança telescópica está completamente retraída
– a ponta abatível está na posição 0°
– as conexões eléctricas / hidráulicas na ponta abatível estão desconectadas
– a polia guia do cabo está dobrada da posição de serviço para a posição de transporte
– a lança telescópica está baixada para trás ou para o lado na posição 0°,

PERIGO
Perigo de acidente devido a basculação lateral espontânea da ponta abatível no desencavilhamento!
A lança telescópica deve estar na posição 0°, de contrário existe o perigo de acidentes devido a
basculação lateral espontânea da ponta abatível quando se desencavilhar.
 Colocar a lança telescópica na posição 0°.

5.02 LIEBHERR 611


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103452

612 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11.2 Preparativos para o trabalho antes da basculação de pontas


abatíveis hidráulicas
Antes da basculação da ponta abatível hidráulica* esta tem de estar totalmente basculada para cima
e ser mantida aproximadamente 15 segundos no bloco. Deste modo encher-se-á o acumulador
hidráulico.
 No serviço com ponta abatível hidráulica:
bascular para cima a ponta abatível e deslocar sobre o bloco.
Resultado:
– o manómetro 44 depois deve indicar 200 até 250 bar.

5.02 LIEBHERR 613


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196445

614 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11.3 Desmontagem da ponta abatível simples transportada na grua,


parte 1
 Desengatar a alavanca 16 com barra de montagem da corrediça 14 e puxar para baixo.
 Fixar o cabo auxiliar 17 no ponto C.

Ao bascular o apoio da ponta abatível 18 para fora e para dentro deverá ter em consideração que
com a primeira mão será desbloqueada a cavilha de mola 8 e com a segunda mão será girado o
apoio da ponta abatível 18 por cima do cabeçal.
 Destravar e desencavilhar a cavilha de mola 8.
 Bascular para fora o apoio da ponta abatível 18 até a cavilha de mola 8 engate outra vez.

Para que se possa desencavilhar no ponto B em cima, tem que ser utilizada a montagem
auxiliar 22 hidráulica/mecânica.
 Fechar o botão rotativo 26 na bomba manual 25.
 Deslocar o cilindro hidráulico da montagem auxiliar 22 através do accionamento da bomba
manual 25 até a cavilha 21 possa ser desencavilhada.
 Destravar a cavilha 21 em cima e desencavilhar.
 Abrir o botão rotativo 26 na bomba manual 25.
Resultado:
– o cilindro hidráulico da montagem auxiliar 22 desloca-se para a posição de saída.

 Desencavilhar a cavilha 24 e encavilhar no furo 19 e fixar.

PERIGO
A ponta abatível poderá bascular involuntariamente!
Durante o desencavilhamento da cavilha 20 a ponta abatível poderá bascular involuntariamente.
Para evitar que ocorra uma basculação lateral espontânea da ponta abatível:
 Prender a ponta abatível com o cabo auxiliar!
 A escada auxiliar não pode ser encostada na ponta abatível!

 Destravar a cavilha 20 em baixo e desencavilhar.

5.02 LIEBHERR 615


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B196446

616 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11.4 Desmontagem da ponta abatível simples transportada na grua,


parte 2
PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível poderia cair em consequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!

 Bascular para trás a ponta abatível até o cilindro de basculação 10 estar travado com a ponta
abatível.
 Arrancar o motor da grua.
 Premir a pulsador 450 e bascular para dentro a ponta abatível com o cilindro de basculação até
se ouvir a trava 43 engatar.
 Controle se o bloqueio 43 está engatado correctamente.

PERIGO
Perigo de morte ao desencavilhar a cavilha 9!
Se as cavilhas 9 forem desencavilhadas antes da trava 43 estar engatada, a ponta abatível irá cair e
poderá ferir mortalmente o pessoal de montagem.
 As cavilhas 9 somente podem ser desencavilhadas, quando o bloqueio 43 está engatado e a
alavanca manual 16 está fixada com a cobrejunta de segurança 15.

 Fixar a alavanca manual 16 com a cobrejunta de segurança 15.


 Destravar as cavilhas 9 no ponto A e desencavilhar e introduzir no dispositivo de fixação para o
transporte.
 Accionar o pulsador 450 e bascular para dentro a ponta abatível com o cilindro de basculação.
Resultado:
– quando transportada a ponta abatível dupla, a peça de redução 2 será travada com o cabeçal 3.

 Quando é transportada uma ponta abatível dupla:


Encavilhar a cavilha 23 e fixar.

Ao bascular o apoio da ponta abatível 18 para fora e para dentro deverá ter em consideração que
com a primeira mão será desbloqueada a cavilha de mola 8 e com a segunda mão será girado o
apoio da ponta abatível 18 por cima do cabeçal.
 Remover a cavilha de mola 8 e deslocar o apoio da ponta abatível 18 até a cavilha de
mola 8 encaixar.
 Fixar a cavilha de mola 8.
 Quando se transporta uma ponta abatível hidráulica:
acoplar o condutor hidráulico para o cilindro hidráulico no ponto E.
 Retirar o cabo de elevação 17.

Em “pontas abatíveis hidráulicas ” está montado no cilindro hidráulico um reservatório para a recolha
de óleo. Quando o reservatório para a recolha de óleo está cheio este terá que ser esvaziado.
Também quando a ponta abatível não é transportada com a grua.
 No serviço com ponta abatível hidráulica:
esvaziar o reservatório para a recolha de óleo do cilindro hidráulico.

5.02 LIEBHERR 617


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103449

618 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11.5 Desmontagem da ponta abatível dupla transportada na grua

11.5.1 Desmontagem do cabeçal


 Fixar o cabo auxiliar 17 no cabeçal

PERIGO
A ponta abatível poderá bascular involuntariamente!
Durante o desencavilhamento da cavilha 27 a ponta abatível poderá bascular involuntariamente.
Para evitar que ocorra uma basculação lateral espontânea da ponta abatível:
 Prender a ponta abatível com o cabo auxiliar!
 A escada auxiliar não pode ser encostada na ponta abatível!

 Destravar e desencavilhar a cavilha 27

PERIGO
Perigo de morte devido a queda da ponta abatível!
A ponta abatível poderia cair em consequência de um erro de montagem.
 É proibido permanecer por baixo da ponta abatível durante o processo de basculação!
 É proibida a permanência na zona de rotação assim como na zona de basculação da ponta
abatível!
 As cavilhas 23 têm de permanecer encavilhadas.

 Bascular para dentro o cabeçal 3 e depois travar com a peça de redução 2.

PERIGO
O cabeçal poderá bascular para fora involuntariamente!
Para que o bloqueio entre o cabeçal 3 e pé da lança 2 não seja aberto involuntariamente, tem que
adicionalmente introduzir a mola de segurança 7 no ponto F.
 Introduzir a mola de segurança 7 no ponto F.

 Controlar se o cabeçal 3 e a peça de redução 2 está travada de modo adequado.


 Retirar o cabo auxiliar 17 no cabeçal 3 e fixar no ponto C.
 Desengatar a alavanca 16 com barra de montagem da corrediça 14 e puxar para baixo.

Ao bascular o apoio da ponta abatível 18 para fora e para dentro deverá ter em consideração que
com a primeira mão será desbloqueada a cavilha de mola 8 e com a segunda mão será girado o
apoio da ponta abatível 18 por cima do cabeçal.
 Destravar e desencavilhar a cavilha de mola 8.
 Bascular a extensão do apoio da ponta abatível 18 até a cavilha de mola 9 engate outra vez.

5.02 LIEBHERR 619


147096-00 5.02 Ponta abatível TK

B103449

620 LIEBHERR 5.02


5.02 Ponta abatível TK 147096-00

11.5.2 Desmontagem da peça de redução, parte 1


Para que se possa desencavilhar no