Você está na página 1de 8

Universidade Zambeze Disciplina: Física I

Lição n0 1: Mecânica como


Faculdade de Ciência e Tecnologia ciência. Fundamentos
Matemáticos
Cursos: Engrias, Mecatrónica e Processos Ano 2016 Primeiro Semestre

Docente Responsável: Enfraime Jaime Valoi


Aula Teórica
Subtemas:
 Definição da Física  Operação com vectores
 Ramos da Física  Cossenos e Ângulos Directores
 Grandezascomo
Mecânica Fundamentais
ciência e Unidades  Derivadas Simples e Compostas
 Álgebra Vectorial, Representação de um vector  Integrais Indefinidos e Definidos

I. Difinição

Apalavra Fisica tem origem no vocábulo grego que significa natureza, por via disso, ela deveria
dedicar-se ao estudo de todos os fenômenos da natureza. Entende-se por física, a ciência cujo
objectivo é estudar as componentes da matéria e suas interações mútuas, para explicar as
propriedades da matéria no seu estado natural, assim como outros fenômenos naturais que podem
ser observados.

I.1 Ramos da Física

A tentativa de perceber esses fenômenos que ocorrem na natureza levou ao desenvolvimento da


ciência dividindo a física em dois (2) ramos importantes, a saber, a física clássica e moderna.

I.1.1 Física Clássica (antes do século XIX)

Na física clássica encontramos as ciências como: Mecânica (que estuda os conceitos de, força,
espaço, inércia, tempo, velocidade, massa, aceleração, energia, …), Termodinâmica (que estuda
os conceitos de calor, energia térmica, pressão, volume, dilatação, temperature, …), Óptica (que
estuda os conceitos como, os raios de luz, reflexão, refracção, lentes, espelhos, …),
Electromagnetismo (que estuda por sua vez, o conceito de carga eléctrica, corrente eléctrica,
campo eléctrico e magnetico, …) e por último, a Física Atómica/nuelear (que se dedica ao estudo
dos conceitos como, os átomos, núcleos, fotões, electrões, …)

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 1


I.1.2 Física Moderna

Fazem partes deste ramo, somente a mecânica quântica e relativista.


Contudo, a fisica de facto é uma ciênçia importante na vida quotidiana, e, relaciona-se com várias
outras ciênçias nas pesquisas, onde, a observação e a experimentação são métodos básicos de
investigação.

Durante o primeiro semestre do nosso curso vamos estudar a física I, que enquadra-se no estudo
da mecânica, que é um dos ramos da física que dedica-se ao estudo do repouso e o movimento dos
corpos sujeitos a acção de forças.

I.2 Grandezas Fundamentais e Unidades

Os físicos reconhecem a existência de quatro tipos de grandezas fundamentais e independentes:

a) Comprimento (metro) - é utilizado para localizer a posição de um ponto no espaço, ou


então dimensão do sistema físico.
b) Massa (quilograma) - é uma propriedade da matéria pela qual podemos comparar a acção
de corpos com outros.
c) Tempo (segundos) - é uma quantidade importante no estudo da dinâmica porque é com ela
que avalia-se a ocorrência dos eventos.
d) Força (newton) – é uma grandeza que tem a capacidade de vencer a inércia de um corpo,
modificando-lhe a velocidade (seja na sua magnitude ou direção, já que se trata de um
vetor).

Em geral, a dificuldade para aprender a Matemática é o maior obstáculo dos estudantes para
entender a Física, assim, o primeiro passo que você deve dar para tornar-se um bom físico é
aprender a lidar com as fórmulas Matemáticas. Esta é a razão pela qual introduzimos os temas da
disciplina olhando o tema sobre fundamentos matemáticos que será suporte para a continuação
dos demais temas.

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 2


I.3 Algebra Vectorial

Durante as aulas destacaremos dois tipos de grandezas físicas, a saber, grandezas escalares e
vectoriais.

Chama-se vector a um segmento orientado, isto é, um segmento, para qual foi indicado seu ponto
inicial (origem) e ponto terminal.

a) Grandeza vectorial é aquela que pode ser caracterizada por um módulo (úmero não
negativo que indica o comprimento do vector), uma direção e um sentido. Dentre várias
destacamos, o deslocamento, velocidade, aceleração, a força e o campo magnético.
b) Grandeza escalar é aquela que pode ser caracterizada apenas pelo seu módulo. Como
exemplo citam-se, a temperatura, pressão, volume, massa e energia.

Vector Unitário

Um vector unitário tem seu módulo igual a um (1). Para construir um vector unitário 𝑢
⃗ que tenha
⃗ ⃗
a mesma direção e sentido que um outro vector 𝑉 , basta dividir o vector 𝑉 pelo seu módulo, isto
é:

𝑉
𝑢
⃗ = (1.1)
⃗|
|𝑉
⃗ ).
A relação (1.1), também define o que chamamos de versor do vector V (Vers𝑢

Representanão de um Vector/Expressão cartesiana de um vector

⃗ . Desta
Seja X; Y;Z, um sistema cartesiano ortogonal e, os versores representados por, 𝑖, 𝑗 𝑒 𝑘
forma:
1 0 0

𝑖 = (0) , 𝑗 = (1) 𝑒 𝑘 = (0) (1.2)
0 0 1
Como se pode ver,
⃗|=1
|𝑖| = |𝑗| = |𝑘

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 3


4.2.1 No espaço tridimensional

Para representar um vector no espaço (Figura I.1), são necessários


apenas dois ângulos, por exemplo, 𝜃 𝑒 𝛼.
𝛼
Dado o vector, 𝐴 = 𝐴𝑥 + 𝐴𝑦 + 𝐴𝑧 , então o seu modulo sera, 𝜃

|𝐴| = √𝐴𝑥 2 + 𝐴𝑦 2 + 𝐴𝑧 2 (1.3)


Figura I.1 Vector no espaço

4.2.2 No plano bidimensional

Visto que o plano bidimensional (Figura I.2), então o vector


será, 𝐴 = 𝐴𝑥 + 𝐴𝑦 , e o seu módulo apresentado na forma,

|𝐴| = √𝐴𝑥 2 + 𝐴𝑦 2 (1.4)


𝜃

Figura I.1 Vector no Plano

4.2.3. Na linha

No caso da Figura 1.3, numa direcção o vector tem a forma,


𝐴 = 𝐴𝑥 𝑖 e o seu módulo é, X

Figura I.3 Vector numa direcção


|𝐴| = √𝐴𝑥 2 = 𝐴𝑥 (1.5)

⃗ = (𝑥, 𝑗, 𝑧), é (𝑢
De modo geral a expressão cartesiana de um vector 𝑢 ⃗ ).
⃗ = 𝑥𝑖 + 𝑦𝑗 + 𝑧𝑘

4.3 Operação com Vectores

⃗ 𝑒 𝑏⃗ = 𝑏𝑥 𝑖 + 𝑏𝑦 𝑗 + 𝑏𝑧 𝑘
Vamos considerar dois vectores dados na forma, 𝑎 = 𝑎𝑥 𝑖 + 𝑎𝑦 𝑗 + 𝑎𝑧 𝑘 ⃗.

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 4


4.3.1. Adição e Subtração

𝑎 + 𝑏⃗ = 𝑖(𝑎𝑥 + 𝑏𝑥 ) + 𝑗(𝑎𝑦 + 𝑏𝑦 ) + 𝑘
⃗ (𝑎𝑧 + 𝑎𝑧 ) (1.6)

𝑎 − 𝑏⃗ = 𝑖(𝑎𝑥 − 𝑏𝑥 ) + 𝑗(𝑎𝑦 − 𝑏𝑦 ) + 𝑘
⃗ (𝑎𝑧 − 𝑎𝑧 ) (1.7)

4.3.1.1 Propriedades Básicas

a) Comutativa: 𝑢
⃗ +𝑣 =𝑣+𝑢

b) Associativa: (𝑢
⃗ + 𝑣) + 𝑤 ⃗ + (𝑣 + 𝑤
⃗⃗ = 𝑢 ⃗⃗ )

c) Elemento Neutro: 𝑢
⃗ +0=𝑢

⃗ + (−𝑢
d) Oposto: 𝑢 ⃗)=0

e) 𝑢
⃗ +𝑣 =𝑢
⃗ +𝑤
⃗⃗ → 𝑣 = 𝑤
⃗⃗

4. 3.2. Produtos Interno ou Escalar de vectores

É a operação entre vectores que tem como resultado uma grandeza escalar.

(𝑎. 𝑏⃗ )
(𝑎. 𝑏⃗) = |𝑎|. |𝑏⃗|. 𝑐𝑜𝑠𝜃 (1.8) ↔ 𝑒 𝑜 â𝑛𝑔𝑢𝑙𝑜 𝑒𝑛𝑡𝑟𝑒 𝑎 𝑒𝑏⃗ 𝑠𝑒𝑟á, 𝑐𝑜𝑠𝜃 = (1.9)
|𝑎|. |𝑏⃗|

𝑎𝑥 𝑏𝑥
(𝑎. 𝑏⃗) = (𝑎𝑦 ) . (𝑏𝑦 ) = 𝑎𝑥 . 𝑏𝑥 + 𝑎𝑦 . 𝑏𝑦 + 𝑎𝑧 . 𝑏𝑧 (1.10)
𝑎𝑧 𝑏𝑧

4.3.3.Produtos Externo ou vectorial

É a operação entre vectores que tem como resultado uma grandeza vectorial.

(𝑎𝑥𝑏⃗) = |𝑎|. |𝑏⃗|. 𝑠𝑒𝑛𝜃

𝑖 𝑗 ⃗
𝑘 𝑎𝑦 𝑎𝑧 𝑎𝑥 𝑎𝑧 𝑎 𝑎𝑦
(𝑎𝑥𝑏⃗ ) = |𝑎𝑥 𝑎𝑦 𝑎𝑧 | = 𝑖 | | − 𝑗 |𝑏 | + ⃗ | 𝑥
𝑘 | (1.11𝑎)
𝑏𝑧 𝑏𝑧 𝑥 𝑏𝑧 𝑏𝑥 𝑏𝑧
𝑏𝑥 𝑏𝑧 𝑏𝑧

(𝑎𝑥𝑏⃗) = 𝑖(𝑎𝑦 . 𝑏𝑧 − 𝑏𝑧 . 𝑎𝑧 ) − 𝑗(𝑎𝑥 . 𝑏𝑧 − 𝑏𝑥 . 𝑎𝑧 ) + 𝑘


⃗ (𝑎𝑥 . 𝑏𝑧 − 𝑏𝑥 . 𝑎𝑦 ) (1.11𝑏)

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 5


Exercício de Aplicação

⃗ 𝑒 𝐵
Dados dois vectores, 𝐴 = 4𝑖 + 𝑗 + 3𝑘 ⃗ , determine,
⃗ = −2𝑖 + 𝑗 − 2𝑘
a) Verifique se o vector 𝐴 é o não unitário
b) A soma e a diferença (𝐴 + 𝐵 ⃗ 𝑒𝐴−𝐵 ⃗)
⃗)
c) O produto escalar (𝐴. 𝐵
d) O produto vectorial (𝐴𝑥𝐵⃗)
e) O ângulo entre os vectores

Resolução

a) Para verificar se o vector é unitário precisamos de determinar o seu módulo, pois, é unitário o vector cujo módulo
é igual a unidade. Recorrendo a definição temos,
|𝐴| = √42 + 12 + 32 ≈ 5,1 , então o vector não é unitário porque 5,1 ≠ 1
⃗ = 2𝑖 + 2𝑗 + 𝑘
⃗ = (4 + (−2))𝑖 + (1 + 1)𝑗 + (3 + (−2))𝑘
b) 10 Para soma, 𝐴 + 𝐵 ⃗
⃗ = 6𝑖 + 5𝑘
⃗ = (4 − (−2))𝑖 + (1 − 1)𝑗 + (3 − (−2))𝑘
20 Para a diferença, 𝐴 − 𝐵 ⃗

c) Visto que não somos dados o ângulo, para calcular o produto escalar usamos a forma,
4 −2
⃗ ) = (1) . ( 1 ) = 4. (−2) + 1.1 + 3. (−2) = −13
(𝐴. 𝐵
3 −2
d) Para o produto vectorial temos,

𝑖 𝑗 𝑘⃗
⃗)=| 4
(𝐴𝑥𝐵 ⃗ (4 + 2) = −5𝑖 + 2𝑗 + 6𝑘
1 3 | = 𝑖(−2 − 3) − 𝑗(−8 + 6) + 𝑘 ⃗
−2 1 −2
e) Para encontrar o ângulo entre os vectores, podemos usar tanto a definição do produto escalar ou vectorial, mas,
primeiro precisamos de determinar o módulo de cada vector, isto é,

⃗ | = √(−2)2 + 12 + (−2)2 = 3
|𝐴| = √42 + 12 + 32 ≈ 5,1 𝑒 |𝐵
⃗)
(𝐴. 𝐵 −13
𝑐𝑜𝑠𝜃 = → 𝜃 = 𝑎𝑟𝑐𝑐𝑜𝑠 ( ) = 𝑎𝑟𝑐𝑐𝑜𝑠(0,85) ≈ 1480
⃗|
|𝐴|. |𝐵 5,1.3

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 6


4.4.Angulos Directores e Cossenos Directores

Ângulo director, é um ângulo compreendido entre um vetor e os eixos


coordenados (x,y e z). Para estudar os ângulos e cossenos directores

vamos considerar um vector V no espaço tridimensional, figura


1.4.
𝑉𝑧
⃗ , então pela relação (1.7),
⃗ = 𝑉𝑥 𝑖 + 𝑉𝑦 𝑗 + 𝑉𝑧 𝑘
Se 𝑉
𝑉𝑥 𝑉𝑦

⃗ |. |𝑖|. 𝑐𝑜𝑠𝛼, logo, 𝑐𝑜𝑠𝛼 = 𝑉.𝑖
⃗ . 𝑖 = |𝑉
𝑉 ⃗ |.|𝑖|
|𝑉
Figura I.4 Ângulos Directores (𝛼, 𝛽 𝑒 𝛾)
𝑉𝑥 1 𝑉𝑥 0 𝑉𝑥 0
(𝑉𝑦 ).(0) (𝑉𝑦 ).(1) (𝑉𝑦 ).(0)
𝑉𝑧 0 𝑉 𝑉𝑧 0 𝑉𝑦 𝑉𝑧 1 𝑉
𝑐𝑜𝑠𝛼 = ⃗ |.1
|𝑉
= |𝑉⃗𝑥| (1.12) 𝑐𝑜𝑠𝛽 = ⃗ |.1
|𝑉
= |𝑉⃗| (1.13) 𝑐𝑜𝑠𝛾 = ⃗ |.1
|𝑉
= |𝑉⃗𝑧| (1.14)

Visto isto chegamos a identidade trigonométrica dos ângulos directores, isto é,

𝑐𝑜𝑠 2 𝛼 + 𝑐𝑜𝑠 2 𝛽 + 𝑐𝑜𝑠 2 𝛾 = 1 (1.15)

Exercício de Aplicação

⃗ , determine os seus cossenos directores e os ângulos directores.


Dado o vector, 𝐴 = 4𝑖 + 𝑗 + 3𝑘

Resolução

𝐴 𝐴𝑦 𝐴
Recorrendo as definições (1.12), (1.13) e (1.14), escrevemos, 𝑐𝑜𝑠𝛼 = |𝐴𝑥| , 𝑐𝑜𝑠𝛽 = |𝐴| 𝑒 𝑐𝑜𝑠𝛾 = |𝐴𝑧|

Calculando o módulo do vector, tem-se, |𝐴| = √42 + 12 + 32 ≈ 5,1

4 1 3
𝑐𝑜𝑠𝛼 = 5,1 ↔ 𝛼 = arccos(0,78) ≈ 380 , 𝑐𝑜𝑠𝛽 = 5,1 ↔ 𝛽 ≈ 790 𝑒 𝑐𝑜𝑠𝛾 = 5,1 ↔ 𝛾 = 540

Para provar a resposta podemos usar a identidade trigonométrica, isto é, 𝑐𝑜𝑠 2 38 + 𝑐𝑜𝑠 2 79 + 𝑐𝑜𝑠 2 54 ≈ 1

4. 5 Derivadas Simples e Compostas

𝑑𝒙 𝑑 𝑑𝑣
1. =1 7. (𝑎𝒗) = 𝑎
𝑑𝑥 𝑑𝑥 𝑑𝑥

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 7


𝑑 𝑑𝑥 𝑑
2. (𝒆𝒙 ) = 𝑒 𝑥 8. 𝑑𝑥 (𝑒 𝑢 ) = 𝑒 𝑢
𝑑𝑥 𝑑𝑥

𝑑 𝑑𝑢 𝑑𝑣 𝑑𝑢
3. (𝒖 + 𝒗) = + 𝑑𝑥 , 𝑢 ≡ 𝑣 = 𝑓(𝑥) 9. (𝒆𝒖 ) = 𝑒 𝑢 𝑑𝑥 , 𝑠𝑒 𝑢 = 𝑓(𝑥)
𝑑𝑥 𝑑𝑥

𝑑 𝑑
4. (𝑐𝑜𝑠 𝜃) = −𝑠𝑒𝑛 𝜃 10. 𝑑𝑥 (𝑠𝑒𝑛 𝜃) = 𝑐𝑜𝑠 𝜃
𝑑𝑥

𝑑 𝑑𝑢 𝑑 𝑑𝑢
5. (𝑐𝑜𝑠 𝒖) = −𝑠𝑒𝑛 𝑢 , 𝑢 = 𝑓(𝑥) 11. 𝑑𝑥 (𝑠𝑒𝑛 𝒖) = 𝑐𝑜𝑠 𝑢 𝑑𝑥
𝑑𝑥 𝑑𝑥

𝑑
6. Fórmula geral de derivação, 𝑑𝑥 (𝑥 𝑛 ) = 𝑛𝑥 𝑛−1

4.6. Integrais Indefidos e Definidos

1. ∫ 𝑑𝑥 = 𝑥 7. ∫ 𝑎𝑣𝑑𝑥 = 𝑎 ∫ 𝑣𝑑𝑥 , 𝑣 = 𝑓(𝑥)

2. ∫ 𝑠𝑒𝑛 𝑥 𝑑𝑥 = −𝑐𝑜𝑠 𝑥 8. ∫ 𝑐𝑜𝑠 𝑥 𝑑𝑥 = 𝑠𝑒𝑛 𝑥

1 1
3. ∫ 𝑠𝑒𝑛 𝑘𝑥 𝑑𝑥 = − 𝑘 𝑐𝑜𝑠 𝑘𝑥 9. ∫ 𝑐𝑜𝑠 𝑘𝑥 𝑑𝑥 = 𝑘 𝑠𝑒𝑛 𝑘𝑥

𝑒 𝑘𝑥
4. ∫ 𝑒 𝑥 𝑑𝑥 = 𝑒 𝑥 10. ∫ 𝑒 𝑘𝑥 𝑑𝑥 = 𝑘

𝑏
5. ∫𝑎 𝑑𝑥 = 𝑥

𝑥 𝑚+1
6. Fórmula geral de integração, ∫ 𝑥 𝑚 𝑑𝑥 = , (𝑚 ≠ −1)
𝑚+1

Exercício de Aplicação

Calcula a derivada e a integral da função, 𝑥(𝑡) = 4𝑡 3 + 3𝑡 2 + 2𝑡 + 4, sabendo que, 𝑥0 = 0 𝑒 𝑥 = 1

Resolução
𝑑𝑥
a) Pela fórmula de derivação temos, 𝑑𝑡 = 12𝑡 2 + 6𝑡 + 2
b) Pela fórmula de integração resulta,
𝑥 1
∫𝑥 𝑥(𝑡)𝑑𝑡 = ∫0 (4𝑡 3 + 3𝑡 2 + 2𝑡 + 4) 𝑑𝑡 = 44 + 𝑡 3 + 𝑡 2 + 4𝑡
0

Dr Enfraime Jaime Valoi, valoi.enfraime@gmail.com Page 8

Você também pode gostar