Você está na página 1de 2

Narrativa sobre Segurança Alimentar e Nutricional (SAN)

 Contar um acontecimento
 Introdução (falar o que é), desenvolvimento (expor a historia, os
conflitos), conclusão (desfecho, o que acontece).
 pois as ações necessárias para promover as condições de segurança
alimentar da sociedade, gerar humanização e reduzir desigualdades
serão distintas conforme os problemas encontrados. monitoramento da
situação alimentar e nutricional da população, a partir do enfoque da
humanização e da redução das desigualdades.

Nos dias atuais, com a previsão de crescimento populacional cada vez maior, vale
questionar se haverá quantidade suficiente de alimentos para a população. Em
contrapartida, há um alerta para a taxa de mortalidade por desnutrição de
crianças. O mais preocupante é que, enquanto metade da população fica entre a
miséria e a pobreza, a outra metade sofre com doenças como obesidade,
diabetes, hipertensão, que são causadas pelo excesso e pelos erros da
alimentação e ao estilo de vida atual, onde os alimentos ultra processados são de
fácil acesso e preço, além de serem práticos para o dia a dia. O contraste destas
doencas e a fome resulta em situações de insegurança alimentar e nutricional, gerando
desumanização e aumento das desigualdades.

De acordo com o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), Segurança Alimentar


e Nutricional (SAN) entende-se por “a realização do direito de todos ao acesso
regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem
comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas
alimentares promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam
ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis”.

Para garantir igualdade, humanidade e que estes direitos atinjam a maior parte da
população, é importante levar em conta e estudar tudo que pode interferir, pois é
essencial que haja humanização, respeito e conduta ética do ser humano, dos governos
e das comunidades. Devemos ficar atentos a aonde este alimento está sendo
direcionado, pois pode haver quantidade de alimento suficiente em uma região, mas a
população não ter acesso a eles, assim como em relação a qualidade, o alimento deve
estar livre de risco por contaminação (livre de transgênicos e agrotóxicos), problemas
de apodrecimento ou outros decorrentes de prazos de validade vencidos. Assim como
os alimentos devem ser consumidos de forma digna, em ambiente limpo, seguindo as
normas de higiene. Além disso, deve-se levar em conta a regularidade. As pessoas
devem ter acesso constante à alimentação, alimentando-se ao menos três vezes ao dia.

Para haver oferta adequada de alimentos para a população, é importante valorizar os


produtores locais (principalmente os pequenos e médios) para garantir alimentos
frescos além de fazer a economia local se valorizar, fazer compras em feiras orgânicas,
preservação da biodiversidade, produção sustentável em harmonia com a natureza,
Ademais, a população deve ter conhecimento necessário para reconhecer um alimento
orgânico, com o selo permitido para os produtores que seguirem as diretrizes, e o ideal
é que os transgênicos também contenham um selo indicando, para deixar claro aquele
tipo de alimento. Ainda é importante lembrar da importância da fiscalização da SAN,
ficando atentos em como anda a oferta e demanda de alimentos, além de garantir a
correta pecuária e agropecuária de orgânicos.

Você também pode gostar