Você está na página 1de 6

Direito Administrativo – Princípios da Administração pública

 Princípios administrativos
o Valores, diretrizes, mandamentos mais gerais que orientam a elaboração de
leis administrativas e direcionam a atuação da administração pública e
condicionam a validade de todos os atos administrativos. Auxiliam também na
interpretação de normas
 Princípios
o Expressos
 Previstos taxativamente em uma norma jurídica de caráter geral (CF)
o Implícitos
 Não constam taxativamente em norma jurídica, mas decorrem de
jurisprudência e doutrina. (subentendido na norma, não tem
taxatividade) #pode estar constado em lei específica, mas não em
norma geral
 Princípio expresso: LIMPE
o Previsto expressamente
 Toda administração pública
 Direta
 Indireta: Autarquias, fundações públicas, empresas publicas
e sociedades de economia mista.
 De qualquer dos poderes
 Executivo
 Legislativo
 Judiciário
 Da: União, Estados, DF, Municípios
 #Ministério público (MP) e Tribunal de contas da união (TCU)
o Irão seguir os seguintes princípios
 LEGALIDADE
 IMPESSOALIDADE
 MORALIDADE
 PESSOALIDADE
 EFICIÊNCIA

#NAO HÁ HIERARQUIA ENTRE PRINCÍPIOS

 Legalidade
o Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer senão por virtude de lei
 Privado: Pode fazer tudo o que a lei não proíbe. (AUTONOMIA DE
VONTADE)
 Público: Só pode fazer aquilo que for autorizado/determinado em lei.
(VONTADE LEGAL)

Princípio da legalidade Reserva legal


Atuação administrativa deve pautar-se a lei Determinadas matérias devem ser reguladas
em sentido amplo, abrangendo qualquer necessariamente por lei formal
tipo de norma.

 EXCEÇÕES AO PRINCÍPIO DA LEGALIDADE


o MEDIDAS PROVISÓRIAS
 Atos normativos com força de lei, editados pelo PR, em situações de
relevância e urgência.
o ESTADO DE DEFESA
 Decretados pelo PR, ouvidos o conselho da república e o de defesa
nacional, para:
 preservar ou prontamente restabelecer, em locais estritos e
determinados, a ordem pública ou a paz social ameaçadas
por grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas
por calamidades de grande proporção da natureza.
 Estado de defesa implica
o Restrições de alguns direitos
o ESTADO DE SÍTIO
 Decretado pelo PR, após autorização do conselho nacional e ouvidos o
conselho da republica e de defesa nacional, em casos de:
 Comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de
fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada
durante o estado de defesa ou de declaração de estado de
guerra ou resposta a agressão armada estrangeira.
o Estado de sítio é + grave do que o de defesa
 Havendo então + restrições
 Princípio da impessoalidade
o #VEDADO: DAR NOME A RUAS, ESCOLAS, ETC A PESSOA VIVA!!!!
o Princípio da impessoalidade possui 4 sentidos:
 PRINCÍPIO DA FINALIDADE
 PRINCÍPIO DA IGUALDADE OU ISONOMIA
 VEDAÇÃO DA PROMOÇÃO PESSOA
 IMPEDIMENTO E SUSPEIÇÃO

o PRINCIPIO DA FINALIDADE
 Sentido amplo
o O princípio da finalidade é sinônimo de interesse
público, já que qualquer ato da ADM deve visar a
satisfação do público/coletivo.
 Sentido estrito
o Ato administrativo deve satisfazer a finalidade
específica prevista em lei. Se não for dentro destes
padrões será inválido
 EX:
 Servidor público é removido
o #Remoção: finalidade de adequar o numero de
servidores nas diversas unidades administrativas
 MAS ele foi removido para o interior com o
intuito de ser punido por trabalhar mal
 Nesse caso atendeu apenas o sentido amplo, pois punir
servidor está dentro do interesse público, mas feriu o sentido
estrito já que remoção não pode ser meio de punição! Logo o
ato é NULO!
o PRINCIPIO DA IGUALDADE E DA ISONOMIA
 Principio da impessoalidade se traduz na ideia de isonomia, pois a
administração deve atender a todos:
 Igualmente/isonomia
 Sem discriminação
o Ex: concurso público, licitação.
 VEDADO:
 Favorecer pessoas
 Utilizar perseguições indevidas
 #tratamento diferenciado só é permitido quando expresso em lei: ex:
deficiente.
 # Analisando esses dois primeiros aspectos, podemos perceber que o
princípio da impessoalidade decorre do princípio da supremacia do
interesse público – em virtude da busca pela finalidade ou pelo
interesse público – e da isonomia ou igualdade – em decorrência do
tratamento igualitário, nos termos da lei.
o VEDAÇÃO DA PROMOÇÃO PESSOAL
 Agentes públicos atuam em nome do Estado. Dessa forma não poderá
ocorrer a personalização ou promoção pessoal de agentes públicos
pelos atos realizados.
 A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos
órgãos públicos
 Deverá ter caráter:
 Educativo
 Informativo
 Orientação social
 Não podendo constar
 Nomes
 Símbolos
 Imagens
 Que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores
públicos.
o Logo as atividades da administração não podem ser imputadas aos
funcionários que as realizam, mas aos órgãos e entidades que representam
o IMPEDIMENTO E SUSPEIÇÃO
 Afasta aqueles que não podem decidir de modo imparcial em Processo
administrativo ou Processo jurídico em função de:
 Parentesco
 Amizade
 Inimizade
 Em resumo o principio da impessoalidade
o Busca pela finalidade pública
o Tratamento isonômico dos administrados
o Vedação da promoção pessoal
o Necessidade de se declarar fatos de impedimento e suspeição

 PRINCÍPIO DA MORALIDADE
o Seria aquilo que embora em consonância com a lei, ofende a moral, os bons
costumes, as regras de boa administração, os princípios de justiça e de
equidade, a ideia de honestidade, nesses casos haverá então ofensa ao
principio da moralidade administrativa
 #Logo pode haver uma situação legal, porém imoral
o Ex: Pode não existir lei que proíba nomeação de cônjuge para exercer cargo
em comissão em determinado órgão, ate então o fato é legal. Porem o ato é
imoral pois fere os bons princípios e a honestidade.
o SUMULA 13 – STF – VEDADO NEPOTISMO
 VIOLA A CF
 Nomeação de:
 Cônjuge
 Companheiro
 Parente
o Em linha reta ou colateral ou por afinidade até 3º
 Da:
 Autoridade nomeante
 Servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de:
o Direção
o Chefia
o Assessoramento
 Para o exercício de cargo:
 Comissão
 Confiança
 Função gratificada
 Na administração direta ou indireta de qualquer dos poderes da
União, Estados, DF e Municípios.
 #COMPREENDIDO TAMBÉM A NOMEAÇÃO/DESIGNAÇÃO RECÍPROCA

#Para cargos de natureza política a sum13 é aplicada de acordo com o caso. Só sendo
caracterizado como nepotismo quando houver nomeação de alguém sem capacidade técnica
ou ficar demonstrado troca de favores ou outra forma de fraudar a legislação.

 Segundo Gustavo Barchete, princípio da moralidade se divide em três:


 Dever de atuação ético (princípio da probidade)
 Agente público deve ter comportamento: ético, transparente e honesto
perante o administrado
 Vedado:
o Sonegar, violar ou prestar informações incompletas com o
objetivo de enganar os administrados. Vedado ainda o agente se
utilizar do conhecimento limitado que as pessoas tem sobre a
administração para obter benefícios pessoais ou para prejudicar
indevidamente ao próprio administrado.
 Concretização dos valores consagrados em lei
 Não deve só cumpri a lei, como também seus valores.
 Observância dos costumes administrativos
 Deve-se cumpri os costumes, regras criadas informalmente no decorrer do
cotidiano.

#IMORALIDADE DO ATO SURGE DO CONTEÚDO DO ATO, NÃO É PRECISO DA INTEÇÃO DO


AGENTE PÚBLICO PARA QUE O ATO SEJA IMORAL

EX: CARA PODE NOMEAR UM PARENTE PARA CARGO EM COMISSÃO, MAS SEM SABER QUE
ERA SEU PARENTE. Logo ele sem a intenção cometeu um ato imoral!

 PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE
 Para que o ato seja eficaz, deve ser publicado em órgãos oficiais, para então os
atos externos produzam efeitos externos e para que haja implicação então de
ônus para o patrimônio público.
 Ou seja, pode o ato ser válido, mas não produzirá efeitos enquanto não houver sua
eficácia através da publicação.
 Nem todo ato precisa ser publicado, mas sim aqueles que tenham: efeitos gerais
(destinatários indeterminados) e de efeitos externos (alcançam os administrados).
 Ex: editais de licitação e concurso.
 Outra situação é quando implica em ônus para o patrimônio público, como
assinatura de contratos ou concurso público. Implica em mexer com algo do povo,
logo deve ser divulgado.
 Exigência de transparência da atuação administrativa
 Derivado do princípio da indisponibilidade do interesse público, um modo
dos administrados controlarem a administração pública.
 Dispositivos importantes
 Segundo a CF/88: Art. 5º (...) XXXIII –
 Todo tem direito a receber dos órgãos públicos informações de seu
interesse:
o Particular
o Coletivo
o Geral
 Que serão prestadas no prazo da lei
o Sob pena de responsabilidade ressalvadas aquelas cujo sigilo seja
imprescindível a segurança da sociedade e do Estado.

#INFORMAÇÕES DEVEM SER DISPONIBILIZADAS AOS INTERESSADOS COM EXCEÇÃO: DADOS


PESSOAIS E SIGILOSOS

 PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA
 Este princípio deve ser cumprido, mas sempre de acordo com as leis e princípios
 Este princípio visa fornecer serviços públicos de modo rápido, eficiente, qualidade e com o
menor custo possível desde que mantidos os padrões de qualidade e no menor tempo.
 Em relação ao modo de atuação do agente público espera-se a melhor atuação possível
 Consequência: avaliação especial de desempenho para aquisição de estabilidade e a
possibilidade de perda de cargo público (flexibilização de estabilidade) em decorrência da
avaliação periódica de desempenho.
 Quanto ao modo de organizar, estruturar e disciplinar a ADM PUB: exige-se que seja a
mais racional possível, permitindo que se alcancem melhores resultados na prestação de
serviços públicos.
 PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA INCLUÍDO POR MEIO DA EMENDA CONSTITUCIONAL 19/1998 –
EMENDA DA REFORMA ADMINISTRATIVA.

Você também pode gostar