Você está na página 1de 2

Entende-se por Sinase o conjunto ordenado de princípios, regras e

critérios que envolvem a execução de medidas socioeducativas,


incluindo-se nele, por adesão, os sistemas estaduais, distrital e
municipais, bem como todos os planos, políticas e programas específicos
de atendimento a adolescente em conflito com a lei.

O SINASE não é um subsistema do SUAS. Não se anquandra na política


de assistência social. Por mais persuasivo que o texto seja, não devemos
confundir a atuação do SUAS, embora haja convergências nos sistemas.

O Sinase será coordenado pela União e integrado pelos sistemas


estaduais, distrital e municipais
--

O SINASE refere-se ao conjunto de medidas privativas de liberdade ou


não: internação e semiliberdade; liberdade assistida e prestação de
serviço à comunidade e internação provisória.
--

O adolescente em cumprimento de medida socioeducativa que


apresente indícios de transtorno mental, de deficiência mental, ou
associadas, deverá ser avaliado por equipe técnica multidisciplinar e
multissetorial.
§ 6o A suspensão da execução da medida socioeducativa será avaliada,
no MÍNIMO, a cada 6 (seis) meses.

Art. 42. As medidas socioeducativas de liberdade assistida, de


semiliberdade e de internação deverão ser reavaliadas no MÁXIMO a
cada 6 (seis) meses, podendo a autoridade judiciária, se necessário,
designar audiência, no prazo máximo de 10 (dez) dias, cientificando o
defensor, o Ministério Público, a direção do programa de atendimento, o
adolescente e seus pais ou responsável.
--
o transcurso da execução de uma MSE de internação, o adolescene
comete novo ato infracional, recebendo mais uma MSE de internação. O
juiz procederá à unificação das medidas. Como regra, pois, o juiz não
pode determinar o reinício de cumprimento de MSE (iniciar novamente a
MSE já cumprida) ou deixar de considerar os prazos máximos (tempo
máximo de cumprimento da MSE) e de liberação compulsória (momento
no qual o adolescente deve ser liberado obrigatoriamente), exceto no
caso de aplicação de MSE aplicada por ato infracional praticado
DURANTE a execução de MSE anterior, nos termos do art. 45, §1º,
LSINASE.

Logo, se o adolescente estava internado há 1 ano e recebe nova MSE de


internação, ele poderá, por esta, ficar mais 3 anos internado,p. ex., o
que resultaria ( em tese) em 4 anos de internação, desconsiderando-se,
cf. a LSINASE, o 1 ano daquela primeira MSE. Assim, é possível afirmar
que, após a uunificação das MSE, é possível que seu prazo seja superior
a 3 anos de cumprimento., pois pode-se ignorar o tempo anterior de
cumprimento.

--

Das Medidas Específicas de Proteção


Art. 99. As medidas previstas neste Capítulo poderão ser
aplicadas isolada ou cumulativamente, bem como substituídas
a qualquer tempo.
Capítulo IV
Das Medidas Sócio-Educativas
Art. 113. Aplica-se a este Capítulo o disposto nos arts. 99 e 100.

--

Segundo a lei n. 12.594/12 (Instituidora do Sinase), as medidas


socioeducativas têm por objetivos: a integração social do adolescente e
a garantia de seus direitos individuais e sociais, por meio do
cumprimento de seu plano individual de atendimento; a
responsabilização do adolescente quanto às consequências lesivas do
ato infracional; e a desaprovação da conduta infracional, sendo a
sentença o parâmetro máximo de privação de liberdade ou restrição de
direitos, obedecidos, contudo, os limites legais.

--