Você está na página 1de 5

TOMÁS DE AQUINO (1221-1274)

1- VIDA
2- O SER
3- AS 5 VIAS PARA PROVAR A EXISTÊNCIA DE DEUS
4- A TEORIA DO DIREITO

1 – VIDA

- Tomás nasceu em Roccasecca (sul do Lácio) em 1221. Seu pai chamava-se Landolfo
(conde de Aquino) e sua mãe chamava-se Teodora.

- Começou seus estudos na Abadia de Montecassino, mas, depois se transferiu para a


universidade de Nápoles e lá veio a se tornar dominicano.

- Muito reservado, era chamado pelos amigos de “boi mudo”.

-Tornou-se discípulo de Alberto Magno nos anos 1248-1252 e foi por ele indicado para
ensinar em Paris, onde permaneceu de 1252-1259.

- Ao sair de Paris ensinou em algumas universidades da Europa.

- Morreu em 1274, aos 53 anos, no Mosteiro Cisterciense de Fossanova, a caminho do


Concílio de Lion.

2 - O SER

a) O ente é tudo o que existe

- Ente lógico: existe na mente

- Ente real: existe fora da mente.

b) O ente lógico

- Nem todo conceito pensado tem uma correspondência fora da mente.

Ex. “Afirmação”

Não existe algo no mundo que corresponde a “afirmação”. Existem pessoas que afirmam.
Existem coisas sobre as quais fazemos afirmação.

c) O ente real: é tudo o que há no mundo e Deus.

- Deus é o Ente criador. Ele é ser, nele essência e existência coincidem.

- O SH (e o mundo) é o ente criado. Nele a essência precede a existência.

- A essência do SH e tudo que é criado é potência de ser. Ela é o que faz uma coisa ser o
que ela é, mas ela é contingente. Realiza-se no tempo e pode não realizar-se.

→ Os gregos se perguntavam: o que a essência?


→ Tomás se pergunta: o que é o ser?

d) Os transcendentais: UNO, VERDADEIRO E BOM.

- Transcendentais são as propriedades mais gerais do ser. Eles estão em todos os seres.
Eles vão além dos universais.

→ UNO

- O ser é uno, significa que intrinsecamente ele não é contraditório, não dividido ou oposto
a si, embora seja participável.

- A unidade depende do grau de ser:

Deus – unidade simples

SH – unidade composta e orgânica

Pedra – unidade composta por justaposição

- A unidade do ser é ontológica, não numérica. A unidade numérica é matemática.

→ VERDADEIRO

- O ser é inteligível, é racional. Todo ente é verdadeiro porque é expressão do pensamento


de Deus.

- A verdade do ser é ontológica: adequação do ente à mente de Deus.

- A verdade do ser não é lógica: adequação da mente humana ao ente.

→ BOM

- O ser é bom. Todo ente é bom.

- As coisas existem porque são queridas por Deus, pois Ele cria amando.

- Existem três tipos de bem: honesto, útil e deleitável.

O bem honesto é aquele bem desejado por si mesmo

O bem útil é aquele bem desejado como meio para chegar a algo

O bem deleitável é aquele bem desejado pelo prazer que oferece.

e) A analogia do ser

- Somente Deus é o ser. As criaturas participam do ser de Deus.

- A relação entre o ser de Deus e o ser das criaturas é de analogia.

- Analogia é uma relação de semelhança e dessemelhança.

- O que se predica das criaturas pode se predicar de Deus somente em grau máximo.
3 – AS 5 VIAS PARA PROVAR A EXISTÊNCIA DE DEUS

a) A via do Primeiro Motor Imóvel

- Há 4 tipos de movimento

Quantidade: aumentar ou diminuir

Qualidade: gerar ou corromper-se

Relação: translação

- Tudo que está em movimento foi movido por algo diferente de si mesmo.

- Mas quem causou o primeiro movimento? Um Motor Imóvel, ao qual chamamos Deus.

b) A via da Causa Eficiente Primeira

- Tudo que existe no mundo tem uma causa eficiente.

- A causa eficiente pode

ANÁLOGA, que produz um efeito distinto e inferior (Ex. homem – estátua) e

UNÍVOCA, que produz um efeito da própria espécie.

- Quem é a Causa Eficiente Primeira? Deus.

- A Causa Eficiente Primeira é ANÁLOGA ou UNÍVOCA? Análoga. Ao criar Deus produz um


efeito distinto e inferior à Sua Natureza.

c) A via do ser necessário e do ser contingente.

- O ser necessário é aquele que não precisa de outro para existir. Ele não pode não existir.

- O ser contingente é aquele que precisa de outro para existir. Ele pode não existir e tudo o
mais continuará o mesmo.

- Todo ser contingente precisa de outro para existir. Ora, se o ser contingente existe, então
o ser necessário existe ou o próprio contingente será necessário, o que é absurdo.

- E quem é o ser necessário que fez surgir o contingente? O ser necessário é Deus.

d) A via dos graus do ser

- o ser revela uma hierarquia de graus.

Um ente é belo, mais belo, mais belo...

Um ente é perfeito, mais perfeito, mais perfeito...


- Se não houver um Ente que tem o grau máximo em tudo, não faz sentido dizer que um
ente tem mais grau do que outro. Qual é o Ente que tem o grau máximo? O Ente que tem
o grau máximo de ser é Deus.

e) A via da ordem

- O mundo e cada um dos entes existentes revelam uma ordem belíssima

- O corpo humano, uma vitória régia...

- Se há uma ordem, então há uma causa eficiente para ela.

- O caos não pode ser causa eficiente da ordem. Nem UNÍVOCA (da mesma espécie só
sairia caos!), nem ANÁLOGA (causaria algo inferior, mas a ordem é superior ao caos!)

- Além disso, se há uma Inteligência, então há também um fim. Uma ordem não resulta do
acaso, ela tem uma finalidade precisa e é dirigida para ela conscientemente.

- E quem é a Inteligência Ordenadora que impõe a do mundo? Deus.

4 - A TEORIA DO DIREITO

a) O livre-arbítrio

- O SH humano conhece o fim ao qual tende cada coisa por natureza. Mas a vontade é livre
para querê-lo ou não.

b) A lei eterna

- É o plano de Deus, a ordem da criação (visível e invisível)

c) A lei natural

- É a lei da natureza conhecida pela razão humana.

d) A lei humana

- É o Direito racional. Construído para dissuadir os indivíduos da prática do mal.

- Ele é promulgado pela multidão ou pela autoridade quando visam o bem comum.

- A lei humana deriva da lei natural

* Por dedução – jus gentium (não homicídio)

* Por especificação – jus civile (o modo de punir)

- A lei humana visa tornar a coexistência pacífica.

- Se a lei humana contradiz a lei natural não é lei e sim corrupção da lei. Não deve ser
obedecida.

e) a lei divina
- É a lei revelada no Evangelho.

- Ela visa o fim último, a salvação.