Você está na página 1de 5

Estrutura e o funcionamento do PJ

1 Conteúdo: organização judiciária Criação/alteração/extinção/classificação/agrupamento

Estrutura e o funcionamento dos serviços auxiliares

Competência legislativa privativa do TJ

Comarcas sede Art. 6º Em cada município haverá sede de comarca, dependendo a sua implantação do cumprimento dos
requisitos estabelecidos nesta Lei, mediante apuração pelo Tribunal de Justiça.
2 Divisão judiciária1 Comarcas vinculadas
Parágrafo único. Os municípios que não forem sedes de comarcas serão qualificados como comarcas
Distrito judiciário vinculadas, formando com as respectivas sedes uma única jurisdição, observado o disposto no art. 12 desta Lei.

Art. 16. Os distritos judiciários que, a critério do Tribunal de


Justiça, atendam a adequados requisitos populacionais e
socioeconômicos, contarão com um ofício de registro civil de
pessoas naturais, a ser criado por lei, e um juizado de paz.

§ 1º Nas comarcas de significativa extensão territorial, cada distrito


judiciário disporá, no mínimo, de um registrador civil das pessoas
naturais, instituído por lei de iniciativa do Tribunal de Justiça.

§ 2º Os indicadores de que trata o caput serão considerados com


base em dados regularmente divulgados pelo Instituto Brasileiro
de Geografia e Estatística, na forma do art. 38 da Lei Federal nº
8.935, de 18 de novembro de 1994.

§ 3º A instalação do distrito judiciário estará consumada com a


posse da primeira pessoa que desempenhar a delegação de oficial
do registro civil de pessoas naturais, após a criação da serventia
por lei e provimento mediante aprovação em concurso público de
provas e títulos.

1
O fracionamento é unicamente para fins de administração da Justiça.
Protocolo de petições e documentos

Comarca vinculada ou sede Atendimento ao público

Expedição de certidão

- Quando da reunião dos processos na comarca sede (Órgão Especial) => Prática de atos

Audiências

Comarca vinculada

Qq ato que exija comparecimento em juízo

Comarca sede com juízo único => O titular pelo tempo que ali atuar

- Juiz nas comarcas vinculadas Comarca sede com mais de um juízo => Rodízio anual

Juiz auxiliar da respectiva zona judiciária => Designação do TJ

A Corregedoria-Geral da Justiça zelará para que o juiz responsável pela comarca vinculada nela compareça, no mínimo, a
cada 15 dias, para a realização de audiências e/ou quaisquer outros atos necessários para uma célere prestação jurisdicional.

Inicial
A classificação/reclassificação das Comarcas, por entrâncias, dependerão de lei, e
- Classificação das comarcas => 3 entrâncias Intermediária obedecerão a fatores objetivos, relacionados com a extensão territorial, o número
Final de habitantes, o colégio eleitoral, o movimento forense e a receita tributária.

ALTERAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO POPULAÇÃO MÍNIMA MOVIMENTO FORENSE2 COLÉGIO ELEITORAL


Implantação nova comarca 15.000 ≥ 50% por juiz3
30.000 ≥ 1.300 feitos
Elevação de inicial para intermediária 40.000 ≥ 1.200 feitos Mín. 60% da população4
50.000 ≥ 1.100 feitos
Elevação de intermediária para final 200.000 ≥ 8.000 feitos

2
Média anual de casos novos, considerado o triênio anterior ao da implantação, daquela registrada, por juiz, no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Ceará.
3
A aferição do número de demandas será feita pela secretaria do juízo a que pertencer a comarca vinculada, com base no domicílio de, pelo menos, uma das partes envolvidas nos litígios,
lavrando-se certidão que será acompanhada de relatório consolidado dos feitos identificados como relativos à comarca a ser implantada, para fins de apreciação pelo Tribunal de Justiça.
O Tribunal de Justiça publicará, em sua página eletrônica, anualmente, até o dia 31 de março, resumo do quantitativo de casos novos ingressados no último triênio, incluído o resultado do ano
imediatamente anterior, estratificado por zona, comarca e unidade, bem como a média, por magistrado, mediador e conciliador, no âmbito do Poder Judiciário Estadual.
4
Os dados sobre a população e o eleitorado serão os oficialmente apurados e divulgados, respectivamente, pelo IBGE e pelo TRE-CE.
Regra especial para comarcas com mais de 50.000 habitantes

Art. 8º A distribuição das varas e o número de juízes serão proporcionais à efetiva demanda judicial e à respectiva população, devendo o Tribunal de
Justiça zelar para que todas as comarcas que contem com mais de 50.000 (cinquenta mil) habitantes tenham, pelo menos, 2 (duas) unidades judiciárias.

À exceção da Comarca de Fortaleza, as comarcas serão agrupadas em zonas


judiciárias, todas dotadas de juízes auxiliares com jurisdição no território respectivo,
cuja atuação dependerá de prévia designação da Presidência do Tribunal de Justiça.
- Zonas judiciárias: agrupamento de comarcas do interior Art. 10. A composição das zonas judiciárias observará, tanto quanto possível, a
regionalização para fins de planejamento que decorrer de legislação estadual.

Parágrafo único. A zona judiciária poderá ter mais de uma sede, de modo a atender
à racionalidade e à eficiência do serviço.

JUIZADOS AUXILIARES DA COMARCA DE FORTALEZA JUIZADOS AUXILIARES DO INTERIOR (30)5


Designação do diretor do Fórum Designação do presidente do TJ
Vacância Vacância
Licença médica superior a 30 dias Licenças
Afastamento para função administrativa Hipóteses Faltas
Hipótese (prioritariamente) Convocação por Tribunais Impedimentos e suspeições
Cumprir metas do CNJ Férias individuais
Participar de projetos ou programas de Comarcas vinculadas
redução de taxa de congestionamento

01.4 2306

5
O Juiz de Direito do Juizado Auxiliar tem residência na sede da respectiva Zona Judiciária.
MEDIDA REPRESENTAM O MESMO QUE A Lei de Introdução nunca fez nem faz
Bit parte do Código Civil. Trata-se de uma “lei
introdutória” de todos os ramos do Direito.

Analogia Interpretação extensiva !!!!!!!!Falta resto da aula 07


Outra norma é aplicada Apenas amplia-se o sentido da norma Assistido somente até 7.2
Há integração Há subsunção

Multas previstas em resoluções criadas por agências reguladoras


Não há violação do princípio da legalidade na aplicação de multa previstas em resoluções criadas por agências reguladoras, haja vista que elas foram criadas
no intuito de regular, em sentido amplo, os serviços públicos, havendo previsão na legislação ordinária delegando à agência reguladora competência para a
edição de normas e regulamentos no seu âmbito de atuação (STJ, 2ª Turma AgRg no AREsp 825.776/SC, Rei. Min. Humberto Martins, julgado em 05/04/2016).