Você está na página 1de 2

A Influência da Televisão na Sala de Aula....

Introdução ao Trabalho de Conclusão do Curso de Comunicação Social.


(Roberta Molina)

No jogo de influência entre televisão e escola, televisão e


família, a TV quase sempre tem levado a melhor, segundo pesquisas
realizadas por psicólogos e especialistas em educação infantil da
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), cujo objetivo é
mostrar a influência da televisão na educação das crianças na sala de
aula do Ensino Fundamental da 1ª a 4ª séries. Tais pesquisas
resultaram em um relatório técnico no qual salienta o efeito até mesmo
junto aos adultos, quando menciona supervelocidade com que as
imagens sucedem no vídeo.

“Considerando o telespectador infantil, podemos dizer que a


criança exposta a uma grande quantidade de informações velozmente
transmitidas, está sendo usado em suas oportunidades de desenvolver-
se do ponto de vista cognitivo, e tenderá a atrofiar sua capacidade de
abertura da percepção, ou terá dificuldade de desenvolver uma
percepção do mundo” adulta criativa “diz o referido relatório”.

Parece se tornar evidente que os pesquisadores da


UNICAMP só têm se preocupado em explorar os pontos negativos da
TV junto ao telespectador infantil, entretanto também existe o lado
positivo.

O objetivo desse trabalho é mostrar o poder influenciador da


televisão na educação escolar desviando às vezes o papel da família e
da escola na formação sócio-educacional da criança. A televisão tem
muitas finalidades e vocações e pode ter em parte a educativa quando
bem utilizada tanto em casa como na sala de aula.

O primeiro capítulo deste trabalho enfatizará a TV como


instrumento de educação, uma vez que o seu uso na sala de aula
poderia estar sendo feito como auxiliar do professor na tarefa de educar;
(a televisão jamais pode ser vista como substituta da educação
tradicional). A TV não é excludente, mas complementar.

O segundo capítulo tratará da influência da TV no contexto


escolar. Algumas pessoas têm uma má impressão da TV, por achar que
ela é pouca educativa, mas não se pode negar que todos estão sujeito à

1
sua influência, não podendo simplesmente ignorá-lo desejando que se
desligue o aparelho para que se faça uma tarefa escolar.

O terceiro capítulo mostrará o poder psicológico na


educação infantil, uma vez que estudos científicos realizados pela
Universidade de São Paulo (USP), indicam que as crianças brasileiras
assistem em média mais televisão que as de outros países e, por isso
ficam sujeitas aos efeitos desastrosos da televisão.

O quarto capítulo denominará a televisão como recurso


pedagógico na educação infantil, no que diz respeito à metodologia
compartilhada escola, televisão e família.

Roberta Molina é Jornalista, formada pela Universidade Estadual da


Paraíba, Pós-Graduada em Jornalismo Cultural. Historia e, Sociologia.
e-mail: robertamribairo@hotmail.com
robertamribeiro@gmail.com