Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS/ UEMG - Escola de Design

Maquetes de móveis e espaços arquitetônicos

Professor Romeu Rodrigues

Laurene Marquesane Oliveira da Silva

Dossiê maquete de móvel de papel laminado

Belo Horizonte

2018
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS/ UEMG - Escola de Design

Maquetes de móveis e espaços arquitetônicos

Professor Romeu Rodrigues

Laurene Marquesane Oliveira da Silva

Dossiê maquete de móvel de papel laminado

Dossiê apresentado a disciplina “Maquetes


de móveis e espaços arquitetônicos” como
pré-requisito para obtenção de nota parcial
na disciplina

Belo Horizonte

2018
1. Perfil do cliente

A cliente responsável pela demanda do móvel em questão é Letícia Augusta,


adolescente de 15 anos, matriculada no 1º ano de uma escola particular da cidade de
Belo Horizonte. A cliente mora no bairro Funcionários em uma casa alugada, junto com
seus pais.Tem estatura mediana e um corpo esbelto. Sua rotina é ir as aulas durante o
dia até as 17h30 e à noite permanecer em casa, exceto às quartas quando tem aulas de
inglês numa escola de idiomas perto de sua casa atual. Quando chega em casa a cliente
estuda até as 22h quando encerra as atividades diárias. Durante os finais de semana ela
costuma sair com as amigas em locais como Shoppings Centers e parques, além de
praticar atividades físicas todos os sábados pela tarde. Além disso, ainda no final de
semana são reservadas 4 horas, tanto no sábado quanto no domingo para estudos e
realização das tarefas de casa.

A cliente é uma adolescente muito carismática. Tem boas notas no colégio e um estilo
de vida saudável, condizente com sua faixa etária. Ela também coleciona alguns
prêmios estudantis que recebe devido ao bom rendimento escolar. Ela gosta de moda e
de “youtubers” que estão em alta, como o Felipe Neto. Além disso, ela apresenta um
grande conhecimento em história da arte, bem aquém para uma adolescente da idade
dela. Cita muito os movimentos Modernistas e o De Stijl quando o assunto é tocado,
apresenta especial apreço por este movimento artístico. Também gosta muito de
literatura em especial a norte-americana. É muito tranquila, o que é refletido no seu
modo de vestir e na decoração do quarto atual dela que é clara e orgânica.
Briefing

Neste ano, como a cliente juntamente com os pais, a cliente se mudará para uma
casa nova e definitiva. Por isso, ela nos solicitou que a ajudássemos a propor uma
solução na cômoda que ficará em seu novo quarto. Um ponto que foi ressaltado pela
cliente é que agora, por estar perto de completar a maioridade, e por ser seu quarto
definitivo na casa dos pais, ela quer um móvel com menos forma orgânica, tais quais os
móveis do quarto atual, e um mais geométrico para combinar com a decoração que será
feita que terá mais cores e mais linhas.

Um ponto que teve que ser levado em consideração na hora de projetar, a pedido
da cliente, é que a cômoda terá como função primária guardar suas caixas etnológicas
de borboletas que ela coleciona desde criança. Mas por se tratar de uma coleção de algo
delicado, ao menos a parte onde as caixas ficarão, deverão ficar mais escondidas
protegidas da luz do sol para não danificar.

Sendo assim, foi proposto a ela um móvel com uma gaveta superior com 10 cm
de altura, 1 metro de comprimento e 60 centímetros de profundidade para que nesta
gaveta em especial ela possa armazenar suas quatro caixas de coleção que tem 7
centímetros de altura, 47 centímetros de comprimento e 30 centímetros de
profundidade. Abaixo da gaveta teria um nicho para ela colocar seu computador com a
mesma espessura do espaço da gaveta e abaixo outros dois nichos com 2 portas de
correr para ela guardar seu material escolar, tendo a altura mais alta do que a gaveta e o
nicho. Acima da cômoda ela poderia colocar os troféus e medalhas que ela já ganhou
durante a vida escolar.

Na parte do acabamento resolvemos propor a ela algo mais artístico para


ressaltar ainda mais esse lado dela. Por isso, foi proposta uma pintura em tons de preto,
branco e azul, que são as principais cores utilizadas por Piet Mondrian, artista que a
cliente gosta muito, especialmente por ser do movimento que ela mais gosta que é o De
Stijl.
Designer referência

Piet Mondrian

Piet Mondrian foi um pintor neerlandês modernista. Criou o movimento artístico


neoplasticismo e colaborou com a revista De Stijl e depois com as formas da pintura
concreta.

Suas pinturas seguem o naturalismo realista. Em 1903 experimenta uma


profunda crise espiritual ao entrar em contato com grupos católicos do Brabante, que
acabam retratados em seus quadros com toques místicos.

Entre 1908 e 1911, dos pintores de vanguarda, Mondrian primeiramente sofreu


influência de Van Gogh, Jan Toorop, Georges Seurat, Paul Cézanne e Pablo Picasso. O
resultado foi uma técnica mais ousada, uma paleta mais clara e uma abordagem cada
vez mais sistemática em sua obra.

No fim de 1911, simplifica seu sobrenome, entra em contato com o Cubismo e


se estabelece no parisiense Montparnasse, onde executa sua série de Árvores, na qual
persegue a abstração. E, 1914, uma doença do pai o obriga a voltar ao seu país natal,
onde o surpreende a I Guerra Mundial, e ali deve ficar. Ainda em plena conflagração,
em 1917, conhece Theo van Doesburg, com quem funda a revista De Stijl, na qual
publica vários ensaios pragmáticos. Em 1919 pôde voltar a Paris, onde faz seu
manifesto sobre o neoplastia.

A partir de então, sua ênfase sobre a interação dinâmica e puramente relacional


entre verticais e horizontais e planos coloridos. Por meio de tais relações efêmeras,
Mondrian reinterpretou as formas esféricas em termos de um jogo dinâmico de forças
interiores e exteriores, percebendo analogias mais profundas com oposições entre
energia e matéria, espaço e tempo.

Com rigidez calvinista dirige o grupo Abstraction-Création, que reúne


numerosos artistas de vanguarda. Mondrian expõe raramente e vende só a
colecionadores bem informados. Contudo, o seu nome começa a soar mundialmente nos
meios artísticos. Em 1938 sentindo a iminência da guerra, refugia-se em Londres,
quando as bombas caem sobre a capital britânica, em 1940, muda-se para o Estados
Unidos. Durante 4 anos a paleta de Mondrian se anima no novo lar, Nova York.
Talvez tenha sido contagiado pelo ritmo vertiginoso daquela cidade estridente.
Mondrian exclui o negro de sua última composição, Broadway Boogie-Woogie, onde
pinta com suas peculiaridades neoplásticas, em retângulos e quadrados, a agitação da
nova pátria, a exuberante vitalidade do jazz e o barulho das ruas e das pessoas.

Pouco depois, busca uma nova criação em tela, batizada Victory Boogie-
Woogie, que não teve tempo de finalizar. Morreu, em 1º de fevereiro de 1944, na nova
capital da arte presidida pela estátua da Liberdade.

Composição 2, Piet Mondrian, 1922, Solomon R. Guggenheim Museum, New York,


Estados Unidos.

Moinho na Luz Solar: Moinho Winkel, Piet Mondrian, 1908, Haags


Paisagem Sinuosa com Rio, Piet Mondrian, 1906, Museu d’Orsay, Paris

Natureza Morta com Gingerpot 2, Piet Mondrian, 1912, Haags Gemeentemuseum,


Holanda

Composição com Grid, Piet Mondrian, 1919, Rijksmuseum Kröller-Müller, Otterlo,


Holanda.
Bibliografia

Piet Mondrian; Disponível em: <

https://www.historiadasartes.com/prazer-em-conhecer/piet-mondrian/#jp-carousel-
4590> Acesso em 26 março de 2019

Piet Mondrian; Disponível em < https://pt.wikipedia.org/wiki/Piet_Mondrian> Acsso


dem 26 março de 2019