Você está na página 1de 24

z ambezE

Comercial

as
ZAMBEZE
Abertas assinaturas
uint

para 2019
às q

TABELA DE PREÇOS
Sai

período
trimestral semestral ANUal

2.300,00mt 2.900,00mt 4.450,00mt

O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a
MAIS INFORMAÇÕES
mt
50,00
Director: Ângelo Munguambe l Editor: Egídio Plácido l Maputo, 13 de Junho de 2019 l Ano XVI l nº 859 Cell: 82 45 76 070 | 84 26 98 181
Email: esmelifania2002@gmail.com

Venâncio e a eleição de governadores sem mão do presidente

É isto que
Dhlakama
queria!
“Constitucional”
regista os
primeiros
engenheiros
Alegados distúrbios de homens armados em Manica e Sofala

Assassinos da paz
atrapalham Nyusi e Ossufo
2| zambeze | destaques | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Nyusi acusa homens da Renamo


de ameaçarem populações
O Presidente da República, Filipe Nyusi, assume que há paz definitiva em Moçam-
homens da Renamo que estão a ameaçar a população bique, tendo as partes pre-
nas províncias de Tete e Manica. Entretanto, o secretá- visto que até Agosto, antes
rio-geral da Renamo, André Magibire, refuta as acusa- das eleições de 15 de Outu-
ções e diz que o seu partido é pela paz. bro, seja assinado um acor-
do de paz no país.
"Há homens da Renamo no pode haver moçambicanos Um dos pontos mais
mato a ameaçar as popula- a serem proibidos de circu- complexos das negociações
ções. Temos este problema lar", afirmou Nyusi, acres- tem sido a questão do desar-
em Moatize, província de centando que caso a situa- mamento, desmobilização
Tete, e no distrito de Báruè, ção continue as autoridades e reintegração dos homens
Manica", disse Filipe Nyusi. serão orientadas para agir. armados da Renamo.
O Chefe do Estado fala- O PR diz que esta situ- O principal partido da
va durante um comício na ação é inadmissível. “Não oposição exige a presença
província de Tete, no centro podemos permitir isso. dos seus quadros no Serviço
de Moçambique. Não podemos continuar de Informação e Segurança
De acordo com Nyusi, a ter moçambicanos com do Estado (SISE) e nas aca-
citando a Lusa, as alegadas armas em casa, ao mesmo demias militares, o que não
ameaças do braço armado tempo a fazerem democra- tem tido resposta por parte
da Renamo nestas regiões cia. Não estamos a compre- do Executivo moçambicano.
está a atrasar o desenvol- ender esta tendência do que Além do desarmamento
vimento local, na medida está a acontecer, porque o secretário-geral da Re- militar da Renamo que gociações, foi criada uma e da integração dos homens
em que as populações têm com Dhlakama discutimos namo, André Magibire, anda aí a disparar", disse à comissão para fiscalizar as do braço armado do maior
medo de circular em deter- e ficou tudo claro. Não há considerou lamentáveis as Lusa o secretário-geral do tréguas e os acordos. Por- partido da oposição nas
minados pontos. nenhuma necessidade de declarações do Chefe do partido, que acrescenta que que o Presidente não falou Forças Armadas, a agenda
"Num destes distri- pessoas se fixarem no mato Estado, tendo afirmado que os pronunciamentos do com a comissão para averi- negocial entre as duas partes
tos, ficámos durante mui- e dizer que aqui é minha a Renamo não está a amea- Presidente fazem parte de guar estas alegadas amea- envolvia a descentralização
to tempo com três a cinco terra. Não há terra de nin- çar as populações. uma propaganda política, ças?", questionou o secretá- do poder, ponto que já foi
escolas fechadas, porque guém, a terra é dos moçam- "A Renamo é pela paz quando faltam poucos me- rio-geral da Renamo. ultrapassado com a revisão
as crianças estavam com bicanos. e os seus soldados são pela ses para as eleições gerais. O Governo e a Renamo da Constituição, em Julho do
medo de ir à escola. Não Contactado pela Lusa, trégua. Não existe nenhum "No âmbito das ne- continuam a negociar uma ano passado.

Acordos de paz em Agosto

A prática poderá ditar a paz efectiva


em virtude de ter-se as ar- ainda continuamos em ten- vimento, Carmona aponta Olhamos para estes
LUÍS CUMBE mas como força de manter sões militares. Lembrando os processos eleitorais que acordos com certo cepticis-
o poder. que estas supostas nego- continuam problemáticos. mo, porque como se sabe
No mês em curso espera-se iniciar o processo de Desmi-
De acordo com San- ciações vêm arrastando o Os processos democráticos já houve vários acordos e
litarização, Desmobilização e Reintegração (DDR) dos
de Carmona, porta-voz do tempo, continua a situação em Moçambique continu- se fosse para construir um
homens residuais da Renamo e a assinatura do acordo
de paz definitivo no princípio de Agosto. Entretanto, MDM, faltam elementos de não clareza de coisa re- am a correr fora do desejá- quarto para guardarmos
apesar de alguns partidos políticos se mostrarem op- que garantam que os acor- lacionada com a liberdade vel, num país que se preza acordos, penso que já terí-
timistas no que refere ao alcance de uma paz efectiva, dos venham trazer uma paz do povo moçambicano, ser Estado de direito demo- amos um número conside-
apontam alguns pontos a minar, desde o processo de definitiva. havendo uns que ficam no crático. rável dos acordos em torno
recenseamento eleitoral que foi exclusivo, falta de cla- Defende Carmona que mato e outros na cidade. “São estes aspectos que desta questão da paz”.
reza e objectividade no diálogo, sob ponto de vista de tanto a Frelimo, como a Re- É do nosso interesse do nos levam a ficar cépticos
prática. namo devem olhar para os MDM que, quer do lado da de certa forma a estas pro-

U
moçambicanos como a me- Renamo, quer da Frelimo, gramações de paz, mas é “A prática poderá
m dos encal- crático de Moçambique lhor coisa que Moçambique olhem que estas tensões do nosso interesse que haja ditar o sucesso
ços de que os (MDM) olha para os acor- tem, e acrescenta que se a que continuam acabam se uma paz realmente que ve- do processo” -
partidos políti- dos de Agosto com algum reflexão descesse em torno reflectindo em perdas de nha para ficar e o povo de
PODEMOS
cos usam para cepticismo, dado o nível de da valorização do homem vidas humanas. Se tudo que forma viva, apesar das dí-
apontar falta de vontade falta de coerência e de ob- como centro de tudo, não está a ser feito é em nome vidas. Para além do processo
política no diálogo con- jectividade do próprio pro- se estaria ainda a discutir do povo, então o mesmo
ducente à paz é o processo cesso de negociação, que questões de guerra. tem de ter domínio dos
de recenseamento eleitoral desde sempre caracterizou Critica o secretismo dossiers do que está a ser
que foi exclusivo de poten- o diálogo. no diálogo, não obstante se negociado, porque falar de
ciais eleitorais da oposição. A existência de inte- discutir em torno de ques- paz é vago, é preciso falar-
resses não declarados em tões que interessam aos mos da objectividade, dos
público, entende o MDM, moçambicanos, proibidos contextos, das razões que
“Falta de coerência e a que não espelham para de opinar, o que só eleva os sejam do domínio público
de objectividade pode o benefício público, tem níveis de cepticismo em re- para que este também pos-
minar a paz efectiva” - ditado acordos nunca defi- lação aos acordos de Agos- sa contribuir nesta negocia-
nitivos, adiando o alcance to próximo. ção, mas o povo não sabe e
MDM
de uma paz duradoura, que “Se nós falamos de que só aproveitar ver quando há
bastando uma das partes se há acordos a serem repro- encontros em Chimoio.
O Movimento Demo- irritar o povo é que sofre, gramados, significa que Num outro desenvol-
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | destaques | zambeze |3

de negociação se imbuir de de defesa dos seus interes- sa de fraudes do processo a paz efectiva esteja para nas conversações e outros lho”.
grande desconfiança, Abí- ses, como partido político e eleitoral, de resultados que breve. O artista plástico que não estão. “Os que estão As comissões a que se
lio Forquilha, presidente do como elementos membros”. foram proclamados sem nota que a desconfiança da nas conversações estão ali a refere são os salários dos
partido PODEMOS, acusa editais. Renamo pode ser um dos negociar pela reforma deles, deputados, quer nas Assem-
ter havido alguma emoção Sabe-se que o AGP, que entraves. as forças residuais não terão bleias Municipais, quer na
no tratamento do dossier
“Estamos a pôr será assinado, é o terceiro A Renamo, pensa Nor- a reforma”, disse. E é negro o da República. Diz ele que
e uma tentativa de querer medicamento por cima depois de Roma. Desde lá berto, está consciente de traço que faz, apontando o isto se prova na reacção da
passar ao povo ideia de que de ferida que não se fez para cá houve conflitos, e que a Frelimo se multipli- futuro destas forças sem re- Renamo aos resultados das
há trabalho a ser feito e de limpeza” - PIMO estes conflitos têm origem cou em várias células ar- forma, diz que o Estado Islâ- últimas eleições, que mes-
entendimento entre as par- O líder do PIMO (Par- na divulgação de resultados madas. “Eles são donos do mico, que agora reivindica os
eleitorais que são fraudu- mo se tendo provado a vi-
tes. tido Independente de Mo- Exército, da Polícia da Re- ataques em Cabo Delgado,
Este cenário levou a que lentos, e todos conhecemos tória em alguns municípios
çambique), Yá-qub Sibin- pública de Moçambique, do pode recrutar estes guerri-
os moçambicanos consi- o responsável disso”. se resignou, não interpôs
dy, apesar de ser optimista SISE, donos das empresas lheiros que têm armas e que
derassem que até Outubro No entanto, Sibindy nenhum recurso. “Prefere
quanto ao alcance de uma de segurança privada arma- estão descontentes. “Será
passado o processo fosse avalia que uma paz efecti- ir à televisão fazer barulho,
paz efectiva, lamenta os da”. A acrescer a isto, pensa uma outra versão do conflito
concluído, desarmar-se e va dependerá da fidelidade à procura duma solução po-
cenários que acompanham Norberto, pode estar o fac- Renamo -Frelimo/Governo”.
reintegrar os homens resi- no cumprimento na letra lítica, quando há soluções
to de o falecido líder da Re- Norberto não pensa em
duais da Renamo nos mol- jurídicas”.
namo, Afonso Dhlakama, paz, mas em tréguas. Neste
des acordados. ter sofrido vários ataques. momento, Moçambique, diz A nata da Renamo, as-
“Vimos a confiança que sume Norberto, está aco-
“Esta é outra razão pela qual ele, vive uma trégua, o que
o Presidente da República modada no Parlamento da
a Renamo não entregará as virá em Agosto será outra
e o falecido líder Afonso Assembleia da República e
armas”. trégua. E os resultados das
Dhlakama tinham criado, avança ainda que o baru-
Mas vai mais a fundo na eleições de Outubro serão
em que um ia ao lugar do lho da Renamo hoje é para
análise, olhando para ou- o teste a esta “paz”. “Até aqui
outro, o que era de salutar, acomodar mais alguns indi-
tras ramificações de guerra são tréguas mediante comis-
mas depois daí passamos
que podem surgir depois do sões. A Renamo vai receber víduos como governadores,
para outra fase de questões
“acordo”. Norberto diz que a sua comissão para mais como administradores. “Os
militares, e na calendari-
há duas facções de militares uma trégua. Quando acabar guerrilheiros estão na misé-
zação do cronograma do
acordo é onde não se tra- na Renamo, os que estão a comissão, há mais baru- ria até hoje”.
balhou bem na percepção
de como seriam os aspectos e no espírito dos acordos
práticos, por isso que dize-
mos que há atraso”, indicou
o processo, que se espera
traga a paz, uma vez exis-
tirem manchas olhando
de Agosto próximo, e do
combinado com o falecido
“Não se deve tratar a paz como
Forquilha.
Para Forquilha, é fun-
para o decurso do processo
de recenseamento eleitoral
líder da Renamo, Afonso
Dhlakama. um evento” - Nova Democracia
damental olhar para o pro- caracterizado pela exclusão “O país tem melhores
cesso sob ponto de vista de do eleitorado pela oposição. leis com destaque na legis- O líder do partido Nova
espírito e de prática, desde Sibindy considera que lação eleitoral, mas falta Democracia (ND), Salo-
considerar o sentimento o que cria revolta da Re- muita vontade política, que mão Muchanga, considera
que os residuais da Renamo namo é a forma como os é se cumprir com o que está ser fundamental que o as-
têm em relação aos acordos órgãos eleitorais, o STAE e escrito. Dhlakama foi para sunto da paz não seja tra-
político, como parte inte- a CNE, actuam nos proces- o mato, porque o voto não tado como um evento, que
grante fundamental do pro- sos conducentes às eleições, foi transparente em 2014, dura apenas algum mo-
cesso, e a parte política da apadrinhando as fraudes, houve uma causa, e hoje mento ou como um pique-
vontade de se desarmar os como forma de (re) colocar quer se desarmar por cima nique pré-eleitoral, sob ris-
homens alinhado ao pacote candidatos do partido no de um processo deficitário, co de ser mais um acordo.
dependente da descentrali- poder. portanto, no dia que estas Muchanga entende a
zação que se exigia. A fonte questiona como manobras terminar tere- paz como um valor trans-
Estes aspectos, de acor- é que a Renamo poderá mos um país diferente”. versal para a persecução
do com Forquilha, contri- tranquilizar, sabendo an- do desidrato de progresso,
buíram para que mesmo as- tecipadamente que o povo “Não haverá paz socioeconómico e de justi-
sinados acordos na prática que devia o eleger foi ex- ça social, esta paz vai além
efectiva, haverá
faltar saber o que iniciaria, cluído no processo de re- de questões da reintegra-
trégua” ção militar. Há que atender
pois, para a Renamo, o iní- censeamento eleitoral, uma
cio passava pela reintegra- questão fundamental para as grandes preocupações
ção, e o aprovar de um qua- uma paz efectiva no país. Olha o diálogo entre a da sociedade, desde a des-
dro jurídico que garantisse No entanto, sublinha que a Renamo e a Frelimo como partidarização do Estado,
a efectivação das exigências Renamo sempre abraçou o uma forma de garantir pri- descentralização, a rique-
não equacionadas do ponto processo de negociação no vilégios para quem está à za nacional, o que não se
de vista prático. espírito de boa-fé. frente, enquanto as forças limita aos anseios de dois
“Não podíamos ter a “Ninguém vai acreditar residuais continuam na partidos.
entrega das armas dos ho- que existem negociações miséria. Desconfia da paz No entanto, Salomão
mens da Renamo sem que Muchanga lamenta o facto
as leis fossem aprovadas, de não haver sinais de um e sustentável. de que seja uma paz efecti-
da descentralização, e de diálogo que leve a assinatu- Por outro lado, enten- va, tratando de um proces-
como as eleições de Outu- ra de acordos definitivos, e de Muchanga que uma paz so que se presa sério.
bro passado iriam correr, o nível de incerteza sobre efectiva e duradoura assen- “Em 2016, quando se
que são as primeiras coisas como cada parte poderá ta na reconciliação nacio- fez a Revisão Periódica
que eram exigidas pela Re- se comportar pós-eleições nal, na construção de uma Universal, nas Nações Uni-
namo. presidenciais, facto que as- sociedade de inclusão, em das, Moçambique foi reco-
Por exemplo, as listas socia a política de dúvida que o Estado é compatível mendado a desenvolver um
dos homens que a Renamo imperante. com os direitos humanos e processo de inclusão de to-
foi apresentando para que É que, de acordo com não funciona como instru- dos os sectores da socieda-
fossem reintegrados inclu- Muchanga, os próprios mento de combate político de, para que de facto fosse
íam inclusive os que foram processos de negociação de exclusão, ou seja, a paz uma paz sustentável. Mas
tirados no passado e a Re- sempre foram conduzidos deve significar o encontro há que destruir criativa-
namo exigia que fossem sérias com a Renamo, pois efectiva, que se anuncia de forma excludentes, so- dos moçambicanos para o mente a política da dúvida
reintegrados, e que fossem não existem, ninguém acre- para Agosto, e prefere falar bretudo a sociedade, vítima estabelecimento de um pa- e acreditarmos que estamos
colocados outros homens dita que em Agosto haverá duma trégua que os resulta- da situação de instabilidade radigma de justiça social. perante um processo de paz
noutros pontos-chave, o uma paz efectiva, e não é dos das eleições de Outubro que nunca foram ouvidos, e Entretanto, Muchanga para inspirarmos a socieda-
que também revela o pro- preciso ser analista para en- podem colocar em causa. sublinha que a ausência de considera que, chegados a de a acreditar nas eleições,
blema de falta de confiança tender isto. Afonso Dhlaka- José Norberto é pes- um processo inclusivo não esta, é importante que os o que é fundamental”, fun-
pela Renamo nos processos ma foi para o mato por cau- simista, não acredita que conduz a uma paz efectiva moçambicanos tenham fé damentou Muchanga.
4| zambeze | destaques | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Renamo entra confiante nas eleições de Outubro

Este é o modelo eleitoral


que Dhalakama sonhava
A Renamo submeteu oficialmente esta segunda-feira a O processo de inscrição
sua inscrição na Comissão Nacional de Eleições (CNE), dos proponentes e apre-
para participar nas eleições gerais de 15 de Outubro. sentação de candidaturas
E diz entrar com “muita confiança” na corrida eleito- acontece em simultâneo
ral que será a primeira sem o antigo líder do partido, com a credenciação dos
Afonso Dhlakama, que segundo Venâncio Mondlane, o mandatários de candidatu-
mandatário da perdiz tanto se bateu para que a descen- ras para a eleição do Pre-
tralização estivesse na berlinda das negociações sidente da República, dos

S
deputados da Assembleia
egundo o manda- namo está preparada para da República e dos mem-
tário da Renamo, abraçar este modelo de des- bros das assembleias pro-
Venâncio Mondla- centralização. “A Renamo vinciais. A CNE diz que
ne, a máquina do preparou-se para esta luta estão criadas as condições
partido está “afinada” para em função daquilo que é a para que o processo decor-
entrar na corrida eleitoral e implantação do partido a ra sem sobressaltos. Para
expectante quanto ao início nível territorial. Estamos além da Renamo, Frelimo,
da campanha. “Entramos preparados, porque é jus-
o Movimento Democrático
com muita confiança, com tamente este novo modelo
de Moçambique, MDM, foi
uma força anímica ainda que o partido tanto lutou
o primeiro partido político
reforçada em função do para que fosse concretiza-
com assento parlamentar
trabalho político que temos do”, disse.
a manifestar interesse em
desenvolvido, sobretudo participar nas eleições ge-
logo depois das eleições au- Fraude “zero” rais.
tárquicas”. O mandatário da Rena- Inscreveram-se junto
Uma das novidades das mo indicou que para evitar aquele órgão, igualmente,
um programa de formação contagem paralela". dãos eleitores proponentes
próximas eleições é que o a fraude eleitoral o partido os partidos PODEMOS e
para aqueles que serão os interessados em participar
governador provincial dei- está a realizar uma série de União Para a Reconciliação
xa de ser nomeado pelo nossos delegados de candi- CNE espera inscrever nas eleições gerais de 15 de
actividades que têm a ver para participar nas sextas
Presidente da República, datura e também temos um mais de 20 partidos Outubro iniciou no dia 1 de
com a reestruturação das eleições presidenciais, le-
passando a ser o cabeça de bases a nível nacional e o gabinete eleitoral que, neste Junho corrente. A Comis- gislativas e das terceiras
lista do partido vencedor a momento, tem uma estra- O processo de inscri- são Nacional de Eleições
reforço das delegações polí- eleições dos membros das
nível local. ticas até a nível local. tégia para a gestão da cam- ção de partidos políticos, prevê inscrever até ao dia assembleias provinciais
Entretanto, Venâncio Segundo o mandatário panha, do dia da votação coligações de partidos po- 15 mais de 20 partidos e co- marcadas para o dia 15 de
Mondlane disse que a Re- da Renamo, "nós temos e também para a própria líticos e grupos de cida- ligações. Outubro.

Para eleições de 10 Outubro

Neto de Francisco Manyanga é


candidato presidencial do PODEMOS
O partido PODEMOS, criado recentemente no país, ele- da Frelimo que pediam ciplinar na Frelimo por ter
geu Hélder Mendonça, conhecido nos meandros musi- mais "inclusão económica", pretendido se candidatar
cais como Dinho XS, para candidato daquela formação mas hoje dizem estar "de- às autárquicas como inde-
à Presidência da República nas eleições de 15 Outubro sencantados, porque não pendente e com o apoio da
no país. Mendonça é neto de sangue do herói moçam- era possível a mudança de AJUDEM.
bicano Francisco Manyanga. A eleição de Mendonça rumo a partir de dentro do Depois da reunião do
para aquela missão afasta por completo as especulações partido". Comité Central da Freli-
de que Samora Machel Júnior seria o candidato daquele A nova organização é mo, havido em Maio, Sa-
partido criado pelos membros da AJUDEM. integrada por membros mito nunca mais deu caras

D
da Associação de Ajuda ao ao público manifestando a
e acordo com candidatos durante a pri- Desenvolvimento de Mo- sua indignação para com o
um comunica- meira sessão do Conselho çambique (AJUDEM), que partido Frelimo. Aliás, dis-
do do Partido Central daquele partido. tentou concorrer, sem su- tanciou-se do PODEMOS e
Optimista pelo "O país precisa sem dú- cesso, às eleições autárqui- da possibilidade de se can-
Desenvolvimento de Mo- vida de uma outra visão es- cas de 2018, em Maputo, didatar por aquele partido
çambique (PODEMOS), trutural de funcionamento, com uma lista encabeçada mesmo que receba algum
Hélder Mendonça, neto bem como de gestão inspi- por Samora Machel Júnior convite nesse sentido.
do histórico combaten- rada numa cultura virada (Samito), filho do primeiro “Como vou fazer uma
te da luta de libertação de aos interesses do Estado Presidente do país e mili- coisa dessas? Eu sou da
Moçambique Francisco unitário, inclusivo e que presidente do partido, Al- Os criadores do PO- tante destacado da Frelimo. Frelimo e estou na Frelimo,
Manyanga, foi eleito num respeite o bem público", bino Forquilha, citado no DEMOS, registado a 14 de Refira-se que Samito respondeu Samora Machel
grupo composto por três disse durante a sessão o comunicado. Maio, são antigos membros enfrenta um processo dis- Júnior.
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | Destaque | zambeze |5

Violação da postura de ética de servidor público

Frelimo censura edil de Boane


por arrogância de férias, e talvez podemos A bancada da Frelimo meiro Secretário, Yola da
relatório do encontro com nos encontrar na tomada na AM refere ainda que Merla Machaiela, solicita
o Presidente do Município de posse em Fevereiro de censura Jacinto Lourei- uma carta de anulação a
de Boane, João Loureiro, 2019”, lê-se no documento ro, visto que tanto tolerou moção de censura.
no qual este teria aceitado que temos vindo a citar. maus comportamentos Por outro lado, du-
a proposta da retirada do Os pronunciamentos de deste, contudo, desta vez, rante uma sessão daquele
ponto, alegadamente para Jacinto Loureiro não terão atingiu proporções alar- partido na província de
não incorrer a uma respon- caído em bom-tom entre os mantes, por ter acontecido Maputo, vários jornalis-
sabilidade civil e criminal. seus camaradas, que expli- perante a oposição, tendo tas confrontaram o pre-
Conforme justificou cam na referida moção que ferido a sensibilidade polí- sidente do município de
ainda a mesma bancada aquela postura arrogante tica, pessoal e social de cada Boane, Jacinto Loureiro,
da Frelimo na altura, os e pejorativa do “camarada membro da bancada e des- sobre a moção de cen-
membros dos órgãos das presidente” Jacinto Lourei- prestigiando acima de tudo sura, bem como sobre
autarquias locais, como é o ro para com a bancada da a boa imagem e histórico informações vinculadas
caso do próprio edil, “estão Frelimo e perante a oposi- de disciplina observado no nas redes sociais sobre
DÁVIO DAVID
sujeitos à responsabilidade ção demonstrou total fal- partido Frelimo. suposta não tomada de
Afinal, o Presidente do Conselho Autárquico da Vila de civil e criminal pelos actos ta de respeito para com os posse do mesmo.
Boane, na província de Maputo, Jacinto Loureiro, foi ou omissões realizados no seus bons camaradas, falta Censura abafada no Jacinto Loureiro, sem
(mesmo) alvo de uma moção de censura da sua própria exercício dos seus cargos”. da deontologia política e “sovaco” gravar entrevista, des-
bancada - Frelimo - na Assembleia Autárquica, por ale- Paradoxalmente, de não observância da disci- mentiu tudo, tendo dito
gado comportamento arrogante e violação da postura acordo com a mesma fonte, plina partidária. Entretanto, outro do- em “off ” à imprensa que
ética de um servidor público perante seus camaradas e Jacinto Loureiro em sede “Face a isso, a bancada cumento em nossa posse nunca sofreu nenhuma
da bancada da oposição. da plenária da AM simples- da Frelimo condena vee- com referência a número moção de censura e que

T
mente ficou indiferente, mente a actitude tomada 13/SPM/GPS/2019 diri- relativamente à sua to-
udo remota ne, a bancada censura, por facto que motivou a ban- pelo edil e censura o com- gido ao secretário do Co- mada de posse, fez ques-
ao mês de De- unanimidade, o compor- cada a tomar iniciativa de portamento do camarada mité Distrital de Boane, tão de exibir o vídeo re-
zembro do ano tamento manifestado na 5ª solicitar a retirada do ponto Jacinto Loureiro”, explica a assinado pela chefe subs- ferente àquela cerimónia
transacto e na Sessão Ordinária pelo Pre- em alusão por falta de fun- fonte. tituta do gabinete do Pri- pública.
legislatura passada, em que sidente do Conselho Muni- damentação.
a bancada da Frelimo con- cipal da vila de Boane”, lê-se Ademais, o documento
denou com veemência o
comportamento arrogante
no documento.
De acordo com a fonte
acusa ainda que na apresen-
tação do Plano Económico
Simango formaliza
manifesto pelo Presiden- que temos vindo a citar, nos Social (PES) do Município
te da Autarquia de Boane,
Jacinto Loureiro, durante a
dias 12 e 13 de Dezembro
de 2018, a bancada da Fre-
de Boane para o ano de
2019, a bancada da Frelimo
candidatura às presidenciais
5ª sessão ordinária daquela limo esteve reunida para assistiu “a um teatro jamais Daviz Simango, presi- ta-feira, momentos de- Por outro lado, Si-
assembleia. analisar a proposta dos visto na nossa história po- dente do Movimento De- pois da entrega da sua mango defende ser básico
A moção de censura pontos de agenda submeti- lítica partidária, pois aque- mocrático de Moçambi- candidatura, o candida- trazer a credibilidade da
(que inclusive circulou nas dos para a referida 5ª sessão la apresentação efectuada que (MDM), foi o segundo to do MDM defendeu Assembleia da Repúbli-
redes sociais) foi desmen- ordinária da AM da autar- pelo presidente do municí- a manifestar, junto do a necessidade de tornar ca (AR), no sentido de
tida pelo próprio edil, mas quia de Boane, dentre os pio demonstrou uma total Conselho Constitucional, mais robusto o sistema que a Casa do Povo seja
em nossa posse, datada de vários pontos, a bancada da falta de respeito para com a intenção de concorrer de justiça para o país seja o centro privilegiado na
27 de Dezembro de 2018, Frelimo solicitou ao Conse- a Assembleia Municipal da à presidência nas eleições efectivamente um Estado fiscalização do Executivo.
assinada pelo antigo chefe lho Municipal a fundamen- Vila de Boane e em particu- de Outubro. Na semana de direito e um factor de O Presidente da Repúbli-
da bancada da Frelimo na- tação legal do ponto nú- lar com a bancada da Freli- passada, o presidente da eficiência da economia do ca defende o político deve
quela autarquia, José Inácio mero 5, que versava sobre mo, no que tange à obser- Frelimo, Filipe Nyusi, país. olhar para a AR como uma
Beiane. a apresentação, apreciação vância das regras, normas, também manifestou a in- Simango diz ser fun- casa de concertação de
Diz o documento em e aprovação da proposta éticas e deontologia de um tenção de concorrer à sua damental reverter a de- ideias em debates plenárias
alusão que a atitude do edil, de alteração do número de edil da Frelimo”. própria sucessão. mocracia armada e insta- junto dos parlamentares.
que é por sinal membro da vereações, submetido pelo No segundo dia da re- Com entrada em vi- lar uma democracia que “A nossa Constituição
Frelimo, foi recorrente em Conselho Municipal, que, ferida sessão ordinária, diz gor da nova lei eleitoral, de facto esteja baseada deve assegurar transfor-
quase todas as sessões da por sua vez, se comprome- ainda o mesmo documento, os candidatos têm até o num Estado de direito, mar o Conselho Constitu-
plenária da AM, durante teu em trazer a devida fun- no dia 17 de Dezembro de próximo dia 16 de Julho o que requer instituições cional em Tribunal Cons-
os cincos anos do seu man- damentação no dia 14 de 2018, o Presidente Jacinto o prazo para a entrega fortes e com separação titucional, a existência de
dato, e perante a oposição Dezembro de 2018. Loureiro, convidado a fazer das suas candidaturas à nítida do poder Judiciá- tribunal de contas, eleição
violou, inúmeras vezes, os Porém, o mesmo do- a sua intervenção antes do Presidência da Repúbli- rio, Legislativo e Executi- directa dos governadores,
estatutos do partido pre- cumento refere que no dia encerramento, dirigiu-se à ca. Dos principais parti- vo, onde o cidadão seja o com devidos poderes, bem
visto nas alíneas d), e do 14 de Dezembro de 2018, AM, na qual a bancada da dos nacionais, a Frelimo centro de atenção. como a fiscalização por
artigo 12 (deveres de con- primeiro dia da 5 sessão, Frelimo é maioritária, ten- já inscreveu Filipe Nyusi O partido governante, parte da assembleia pro-
duta) previstos nas alíneas o Conselho Municipal de do dito que “fiquei muito e o MDM, Daviz Siman- de acordo com Simango, vincial do orçamento, pla-
a) c) do artigo 12 e (deveres Boane ainda não havia sub- triste inconsolável convos- go, e nos próximos dias não deve se considerar no de actividades e os seus
especiais) previstos nas alí- metido o dispositivo legal co, pois fiquei três dias a a Renamo vai oficializar de Estado, sob risco de deveres”.
neas a), g) do número 2 do que fundamentava a refe- preparar o discurso, porque Ossufo Momade. Nos desencadear um Estado Produzir instrumentos
artigo 13. rida proposta, pelo que, a era a intervenção do último partidos emergentes, o falido, como resultado de internos em consonância
“Face ao comportamen- bancada da Frelimo, reuni- mandato, fiquei magoado PODEMOS vai avançar hipoteca do próprio Es- com legislação moçambi-
to reiterado do edil com cú- da pontualmente, indicou e rasguei o meu discurso, com o músico e produ- tado. A governação deve cana, de modo a cautelar
mulo dos acontecimentos uma comissão ad-hoc para pois hoje seria o dia mais tor Dinho XS, enquanto a inspirar-se na necessida- princípio da necessidade
da 5ª Sessão ordinária da convencer o edil a retirar o feliz e de grandes surpresas, Nova Democracia não vai de de desenvolver Mo- de gestão de riscos, impar-
AM de Boane. Tendo em ponto na agenda. muitas coisas para vocês, concorrer à sucessão de çambique no progresso cialidade e transparência
vista a salvaguarda da ima- A referida comissão, se- mas por causa desta situa- Filipe Nyusi. político, socioeconómico para definir a fraude e a
gem do partido nos órgãos gundo a nossa fonte, apre- ção tudo fica inválido, vou Entretanto, esta quar- e cultural. corrupção. L. Cumbe
autárquicos da Vila de Boa- sentou perante a bancada o
6| zambeze | opinião | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Maputadas Francisco Rodolfo

Junto à Estátua Eduardo Mondlane:

É urgente a pintura de passadeiras,


presidente Comiche…
• Partidos políticos não deixem tudo para última hora…
• Ensinar como se elabora o “Manifesto Eleitoral” (esta agora)…

Este domingo estivemos é nessas avenidas em que os cional de Eleições), STAE querem à velocidade de territorial…” – explica o Pe-
com o Pedro no Xima do automobilistas circulam com (Secretariado Técnico de cruzeiro organizar congres- dro, depois de pagar a nossa
Alto-Maé, este bairro onde alta velocidade… É caricato!... Administração Eleitoral)!…” sos na véspera de eleições, conta, naquele Xima muito
viviam brancos de terceira, -“Terminada a época Alguns querem – diz o Pedro. como se a experiência de concorrido para saborear os
pois os da primeira viviam chuvosa, o presidente do -Muitos partidos não Raul Domingos, presidente sorvetes.
nas suas Polanas, nas suas Conselho Autárquico de à velocidade de têm “assessores nenhuns” do PDD não fosse o mais -A campanha eleitoral
Sommershields, onde os Maputo, Dr. Eneas Comi- cruzeiro organi- para alertar pelo respeito e eloquente. Ter partido de das eleições de 15 de Ou-
pretos poderiam perma- che, tem de “pôr ordem na observância do calendário dimensão nacional, não é tubro de 2019 vai ser muito
necer até as 18 horas, pois aldeia” no que diz respeito zar congressos eleitoral, por exemplo, es- por dá cá aquela palha…” – animada, porque há muitos
depois voltariam para os às passadeiras nos gran- na véspera de peram mesmo que alguém diz o Pedro. jovens que vão votar pela
seus Xipamanines, Mafa- des cruzamentos, mesmo lhes “ajude”… -Veja que esta coisa de primeira vez.
lalas, Chinhambanines, antes da reabilitação das eleições, como -“Querem “chegar ao po- “ganhar dinheiro pela polí- -“Espero que os partidos
Inhagoias, Benficas, etc.. avenidas e ruas…” – lança se a experiência der” esperando um financia- tica virou febre…” se organizem para terem
Sentados no Xima pedi o nyandayeio, o Pedro. mento como o “trist fund”* -“Vi anúncio de seminá- delegados de candidatura e
sorvete com baunilha, mas -Esta semana a Frelimo de Raul Domin- do tempo da ONUMOZ…” rios para “ensinar partidos não declaram as reclamações
antes com o Pedro, atra- foi fazer o registo do seu gos, presidente – explica o Pedro. políticos” a elaborar “mani- através de jornais ou televi-
vessámos a Av. Eduardo candidato, Filipe Jacinto -Sempre escrevi que era festos eleitorais”… - riposta sões ou rádios…”
Mondlane. Nyusi, numa cerimónia em
do PDD não “triste fundo”, mais isso levou o Pedro. -Reclamar no local per-
-“Isto aqui é uma ba- que a mandatária Verónica fosse o mais alguns partidos a “ficarem -Ora, se um partido é mite o “fecho do processo”
rafunda, quando os carros Nataniel Macamo Ndlovu foi calados todo o tempo” e “ensinado a elaborar o ma- com a transparência neces-
“entregar a documentação”
eloquente. Ter só surgindo no início da nifesto” por aqueles que têm sária. Não é depois de os
circulam não respeitam as
passadeiras, estacionando da praxe… No aconteci- partido de di- eleições… organizações “especializa- delegados, os membros de
mesmo por cima delas!...” mento invulgar, com uma -“Dizias que são partidos das” em angariar fundos em mesa irem à sua vida que
mensão nacio-
– diz o Pedro, naquele tom chegada quase que triunfal políticos sem sede…” madolares** não terá capa- vão ser reunidos para, efec-
provocatório. com militantes do “batuque” nal, não é por cidade de “governar-nos”… tivamente, “discutir” uma
-O problema de aciden- e “maçaroca” com o seu ver- dá cá aquela -É evidente que alguns -“Depois de tantos anos possível irregularidade…
tes de viação tem muito a melhão… - digo ao Pedro, deles aparecem agora fi- de independência nacional Com o Pedro, combiná-
ver com este conjunto de pois tivemos oportunidade palha…” – diz o nanciados do exterior, num e da introdução de multi- mos proximamente a mais
situações… - respondo. de assistir ao acto. Pedro. coro que os seus “mentores” partidarismo ainda aparece abordagens nas nossas con-
-“Quase toda a Av. Edu- -“Esperemos que alguns financiam quase que aberta- esta mazelas…” – lamenta versas semanais…
ardo Mondlane não tem partidos que nascem agora mente. Aproveitam alguns o Pedro. “trist fund”* - fundo que
passadeiras pintadas, daí não esperem para “última exigir “a intervenção da dirigentes que já denunciá- -Ensinar a elaborar o a ONUMOZ atribuía aos
que todo o peão não é dis- hora” para não esquecer as Comunidade Internacional”, mos que estavam nalgumas manifesto… partidos políticos moçam-
ciplinado…” “caixas” com assinaturas para que “evitem a fraude”… organizações chamadas de -“Dá mesmo para rir, bicanos no início, para fazer
-Mesmo os sinais mar- como sucedeu com algum -“Isso de fraude, já é sociedade civil, mas que mas tem piada que há quem face às despesas da sua im-
cados no pavimento depois partido, no passado…” papo furado, é disco antigo, de sociedade civil só tem o acredita na força desses par- plantação e pagamento da
da época chuvosa deveriam -No fim, quando não pois tu sabes que a Renamo nome, e agora querem enve- tidos, porque por dar uma campanha eleitoral.
ser reavivados nas grandes conseguem entregar a do- e MDM está nos órgãos redar pela política… “conferência de imprensa” madolares** - dólares
avenidas, sobretudo, porque cumentação vão mesmo como CNE (Comissão Na- -“É caricato!... Alguns julgam que tem implantação americanos.

zambezE
FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA


FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a

Director: Ângelo Munguambe | Cell: 84 562 3544 Grafismo: NOVOmedia, SARL


Registado sob o nº 016/GABINFO-DE/2002
(E-mail: munguambe2 @hotmail.com Fotografia: José Matlhombe
Propriedade da NOVOmedia, SARL
Revisão: Nhamona Wa Kehá
Editor: Egídio Plácido | Cell: 82 592 4246 ou 84 771 0584
Gestora Administrativa (E-mail. egidioplacidocossa@gmail.com) Expansão:
Esmeralda do Amaral, Cell: 82-457 6070 | 84-269 8181 Redacção: Ângelo Munguambe, Egídio Plácido Adélio Machaieie (Chefe), Cell: 82-578 0802
esmelifania2002@gmail.com e Luís Cumbe (PBX) 82-307 3450
Publicidade:
Colaboradores: Dávio David, Elton da Graça Esmeralda do Amaral
Direcção, Redacção Maquetização e Administração:
Av. 25 de Setembro, N. 1676, 1o Andar, Portas 5 e 6
e Elton Pila Cell: 82-457 6070 | 84-269 8181 | 82-307 3450 (PBX)
Cell: 82-307 3450 (PBX) Colunistas: Sheikh Aminuddin Mohamad, Cassamo Lalá, esmelifania2002@yahoo.com.br
zambeze.novomedia@hotmail.com Impressão: Sociedade do Notícias S.A
Francisco Rodolfo e Samuel Matusse
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | opinião | zambeze |7

x Muphengula

Editorial
Editorial
O C anto da C igarra Govelane

Luta contra a
corrupção: a grande
marca de Filipe Nyusi
Não matem a
paz!
No dia 15 de Outubro Habituados a confundir
de 2015, o Presidente da o silêncio como cumplici-
República, Filipe Jacinto dade e não como respeito
Nyusi, proferia na Praça ao princípio da separação
da Independência um dos de poderes, muitos mo-
melhores discursos de çambicanos, alguns mem-
tomada de posse de um bros do partido Frelimo e
Chefe de Estado, a avaliar outros que pisaram a linha
pelo feedback que foi resul- estão a sentir na pele o agir
tando para vários extractos da justiça, sem contempla- Parecendo que possa ser mais uma pressão das tantas ou poucas que a Fre-
sociais, culturais, religio- ções, sem interferências, limo e ou o Governo faz à Renamo, sobre a vigência de homens armados nas
sos, e em todos os locais, uma verdadeira aula de matas, temos para nós que o mesmo faz sentido, na perspectiva que a paz bate
desde as barracas, chapas, como se procede a inter-
reuniões sociais, etc. dependência de poderes. a porta e a eleições se avizinham. Já o dissemos em ocasiões anteriores que o
Não era para menos, o Ao abordar este assun- jogo democrático não se compadece com armas e tiros de permeio.
Chefe do Estado havia as- to, estou ciente de que não
sumido e elevado a fasquia estou a inventar ou forjar Apesar de muitos apologistas da intranquilidade social e democrática pode-
de responsabilidade que nada mais do que aquilo
destronava por completo que os próprios moçambi- rem considerar esta atitude como uma aberração, voltamos a repisar que manter
a teoria dos que não acre- canos têm conseguido en- homens armados, inviabilizando promessas domésticas não lembra ao diabo.
ditavam no seu potencial xergar. Nunca na história
ou fingiam não acreditar, do nosso Moçambique, o Se, e lá estamos nós, for satisfeita esta vontade, o Estado e a sociedade no
vendendo-nos a ideia de nosso País viu tantos diri-
que ele não passava de um gentes pararem no banco geral respirarão de alívio, pois teríamos uma organização onde uma única voz
sonhador e que as suas dos réus para responderem saída do escrutínio de Outubro se repercutiria nas diferentes esferas da vida
promessas não passariam sobre as práticas nocivas económica, social, quiçá política, e as movimentações dos cidadãos não seriam
disso, promessas. ao desenvolvimento do
Há poucos meses do Estado moçambicano, que
mutiladas por qualquer tipo de atitude belicista, para além de que uma vez a
final do seu mandato, não foram praticando. Renamo fora das matas, os seus homens, segundo promessa governamental,
obstante ter encontrado Ignorar ou fingir que tal incarnada nas negociações, seriam enquadrados nos comandos do Exército e
um País mergulhado em facto não se deve à confian- da Polícia, e outros sentiriam o pulsar da vida nos diversos quadrantes de de-
problemas políticos, so- ça transmitida aos órgãos
ciais e económicos, Nyu- de administração da justiça senvolvimento. Seria lindo e contagiante, mas as últimas declarações de Filipe
si conseguiu estampar a pelo principal magistrado Nyusi, em relação à presença desnecessária de homens armados alegadamente
sua marca de governação da nação, é assumir que da Renamo, criando pânico na zona centro do país, leva-nos à feia dedução de
com várias acções visíveis, ainda não desenvolvemos,
tangíveis, mensuráveis, como nação, a sensibilida-
que Agosto, se esta for a tónica, estará cada vez mais distante, e o povo ficará
embora reconheça que de de reconhecer quando agastado e sem moral de votar.
subsistem ainda vários as coisas correm bem e
desafios. melhor, independente- Os discursos de ameaça, as falsas pressões sem fim e outros artefactos im-
Contudo, na minha mente a quem lhes possa
óptica, há duas áreas que caber crítica ou elogio.
peditivos da paz não têm espaço, porque, mais dia, menos dia, vai entrar em
o Presidente Nyusi será Por isso, não foi por acaso jogo a organização política da participação dos partidos e candidatos às eleições
eternamente recordado, que Nyusi disse há dias, de Outubro, e, por ora, decorre todo um trabalho político, onde se advinham
nomeadamente sobre os quando depositava a sua alianças pré-eleitorais e, quer queiramos quer não, alguns candidatos estão em
passos gigantescos dados candidatura para as Elei-
no chamado dossier da paz, ções de Outubro próxi- pré-campanha, e isso dá vantagem no dia da realização do escrutínio.
bem como a luta contra a mo, que continuará a luta
corrupção. Darei maior iniciada em 2015. Não há Abriu-se uma nova página na democracia nacional e nada nos poderá demover.
atenção a este último ca- dúvidas que os resultados O PR assume que esta é uma daquelas oportunidades da qual não nos podemos
pítulo. do que foi feito até aqui
Mas em quê o Presi- demonstram que é uma alhear, e o diálogo não vai parar. Ossufo Momade segue-lhe a peugada e reitera
dente influenciou na luta aposta certa para a mora- a necessidade da paz efectiva. Posto isto, questionamo-nos. Quem periga a paz?
contra a corrupção, de- lização do nosso País.
certo questionaria o leitor Se há reservas para O tempo urge e não deve abrir alas aos desentendimentos, e os políticos
menos atento ao cenário quem quer que seja, sobre devem aproveitar as oportunidades para estarem conectados ao seu eleitorado,
político e de governação, os passos que o Sistema de tendo como função, tanto informar os eleitores sobre o trabalho que está a ser
bem como o leitor interes- Administração da Justiça
sado em compreender esta está a dar, patrocinado realizado , quanto conquistar novos simpatizantes que possam votar nessa pessoa
dinâmica do poder Execu- pelo posicionamento legal em eleições futuras. E este exercício não é fácil. Exige comunicação eficiente
tivo agindo no Judicial. A do nosso Chefe do Estado, entre os políticos e eleitores, são necessárias acções contundentes e efectivas,
resposta é muito simples e na luta contra a corrupção, e esta comunicação é necessária, especialmente nos períodos de crise política,
acessível. Nyusi estabele- peço então que se faça uma
ceu uma regra que só não análise comparativa daqui- para que a população possa acompanhar o trabalho dos políticos. E isto não se
a segue quem não compre- lo que foi conseguido até faz de arma em punho.
ende: Tolerância zero aos então. Nestes termos, en-
que usam a sua influência, dosso Nyusi, assim como O rufar do batuque não deve afugentar a perdiz. Deve, isso sim, rufar com
honra, posição e nome do todos os moçambicanos maior intensidade, convidando a ave à dança democrática, despertando o inte-
partido para praticar actos o farão! resse por esse assunto tão importante. Viva a paz!
de corrupção. Mais não disse!
8| zambeze | opinião | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Almadina Sheikh Aminuddin Mohamad

Querido filho / querida filha


O dia em que me veres já conta da minha ignorância pois eu bem sei quando é que te, irritado, aborrecido ou Os pais devem ser ama- eles a asa da humildade e
velho, tenha paciência comi- relativamente às novas tec- preciso de comer e quando é desalentado quando eu es- dos e bem tratados enquanto dizei: “Ó Senhor meu, tem
go e tenta compreender-me. nologias, dá-me algum tem- que não preciso. tiver junto de ti. Sempre que vivos, pois é durante esse misericórdia de ambos como
Se eu me sujar po para que eu as assimile, e Quando as minhas per- puderes deves fazer questão período que se deve de- eles tiveram para comigo,
quando estiver a comer não olhes para mim com um nas já cansadas não me de estar junto de mim. monstrar o amor, a doçura e criando-me desde peque-
, ou se de alguma forma for sorriso zombeteiro. permitirem andar, oferece- Esforça-te por me com- os sentimentos mais ternos nino”.
desajeitado no vestir, tenha Eu ensinei-te como -me o teu ombro, da mesma preender e ajuda-me, assim que emanam de um coração Quão infeliz é aquele
paciência. Lembra-te dos fazer muitas das coisas que maneira que eu te ofereci a como eu o fiz contigo quan- verdadeiramente afectuoso. que não se preocupa com as
momentos que eu passei a hoje fazes. Ensinei-te a co- minha mão quando come- do começaste a tua vida. Deve-se amá-los enquanto necessidades e conforto dos
ensinar-te como comer e mer direito sem te lambu- çaste a dar os primeiros pas- forem vivos e não esperar Pais já idosos.
Ajuda-me a caminhar.
como vestir. zares, a vestir sem inverteres sos e ainda não te sustinhas que tenham já abalado deste
Ajuda-me a terminar da Uma ocasião o Profeta
a posição dos calções, da nas pernas. mundo, quando já estive-
Quando estiver a melhor maneira a minha Muhammad (S.A.W.) disse:
camisola ou dos sapatinhos. rem na campa, cobertos de
falar contigo, repetir as mes- E quando qualquer dia, já longa jornada com amor “Ele que seja humilhado;
Ensinei-te a enfrentar a vida. areia, para falar deles usando
mas coisas várias vezes, não por qualquer razão, ficar e paciência. Pagar-te-ei ele que seja desgraçado;
palavras doces, pois nessa
me interrompas. Pelo con- Quando em algum mal-humorado dizendo sempre com um sorriso de ele que seja rebaixado”. Os
altura eles já não ouvem,
trário, escuta-me. Lembra-te momento eu tiver falhas algumas inconveniências, satisfação e com o amor companheiros do Profeta ou
nem vêem.
que quando eras pequeno, eu de memória ou desalinhar não te zangues, pois um dia incomensurável que sempre ouvirem isto perguntaram;
tinha que ler para ti centenas o fio de alguma conversa, compreenderás isso. Tenta nutri por ti. Deus diz no Al-Qur’án, “Quem”? O Profeta respon-
de vezes a mesma história até dá-me tempo para eu me entender que a minha vida Cap. 17, Vers. 23: deu: “Esse cujos Pais (ambos
Não te refiras a mim
adormeceres. recordar e realinhar o fio da nessa idade já não é vivida, usando a expressão “o velho “O teu Senhor decretou ou um deles) que atingiram
Quando eu não minha memória. E caso eu mas sim, sobrevivida. / a velha”. Chama-me antes que não adoreis senão a Ele; a velhice (enquanto o filho
quiser tomar banho, não não consiga, não te enerves, Um dia irás descobrir pelo meu merecido nome “O E que sejais bondosos para está vivo) e não adquiriu o
me envergonhes nem te pois o mais importante não é que, pesem embora alguns PAI / A MÃE”. com os vossos Pais. Se um Paraíso (ao tratá-los com
zangues comigo. Lembra-te aquilo que digo no meio da erros, eu sempre quis o me- deles ou ambos atingirem a bondade)”. (Musslim)
Quando eu estiver doen-
quantas vezes eu corria atrás conversa mas sim, estar ao lhor para ti, e sempre tentei velhice em vossa companhia; Se quiseres ser bem tra-
te fica ao meu lado. Lembra-
de ti inventando milhares de pé de ti, ter-te junto a mim, preparar um caminho por Não dizei ‘uff ’ (arre), nem os tado pelo teu filho / filha,
-te das noites inteiras e por
histórias para te convencer a e me escutares. onde pudesses trilhar sem maltrateis; Outrossim, diri- trata-me bem, e lembra-te
vezes seguidas em que eu
tomar banho. Se em qualquer grandes dificuldades. gi-lhes palavras generosas. do dito popular: “Cá se faz
ficava acordado quando tu
Quando te deres momento eu me recusar a Não te deves sentir tris- adoecias. E por misericórdia (isto e cá se paga”.
comer, não me obrigues, é, ternura) estendei sobre

S obre o A mbiente R odoviário Cassamo Lalá*

Registo de infracções de condutores


O INATTER é a enti- tripartido estabelecido en- executar estes registos será da devolução da carta de travenção se ter tornado de- instrutores e directores de
dade responsável por or- tre SADC-COMESA-EAC, responsável por assegurar condução apreendida. finitiva ou, quando se trate escolas de condução, titula-
ganizar este tipo de recolha com vista a uniformizar o direito de informação e São dados de identifica- de decisão judicial, a mesma res de alvarás de escolas de
de dados, enquanto não procedimentos e compar- de acesso aos dados pelos ção do condutor, entre ou- tiver transitado em julgado. condução, examinadores e
for nomeada a Autorida- tilhar informações quando, respectivos titulares, bem tros, o número e o tipo de Para esta recolha de entidades autorizadas para a
de Nacional de Segurança por exemplo, um condutor como velar para que a con- licença de condução, bem dados é preciso organizar actividade de inspecções de
Rodoviária (ANSR). Já se moçambicano comete uma sulta ou comunicação da como o bilhete de identida- impressos que serão preen- veículos.
devia dispor de um registo transgressão em Botswana informação respeitem as de, o nome e residência. chidos pelos seus titulares Em conformidade com
nacional mais eficiente das ou um motorista deste país condições previstas na lei. Em relação a cada in- ou pelos seus mandatários a explicação aqui apresenta-
infracções cometidas pelos cometa uma contraven- Assim, qualquer pessoa, fracção punida, conforme ou, podem ainda ser reco- da, dá para ver que este ser-
condutores de automóveis, ção em Moçambique. Este desde que devidamente procedimento seguido por lhidos a partir de informa- viço de recolha e registo de
a fim de ter dados estatísti- registo de infracções deve identificada, tem o direito outros países, devem ser re- ções reunidas pelas forças dados das infracções come-
cos sobre o comportamen- seguir os requisitos estan- de reconhecer o conteúdo colhidos os seguintes dados: de segurança e pelas demais tidas é uma tarefa que deve
to geral dos condutores dardizados por um modelo do registo ou registos cons- Número do auto e entidade autoridades competentes. ser bem organizada. Vai
moçambicanos e também usado em todos os países tantes das bases de dados autuante, data e código da Normalmente, estes dados exigir pessoal competente
saber como proceder com africanos aderentes ao refe- que lhe respeitem. infracção, data da decisão recolhidos devem ser con- para saber gerir estes dados
mais eficiência, por exem- rido Acordo Tripartido. Este registo funciona condenatória, número do servados pelo prazo de 5 informativos e estatísticos,
plo, em relação aos que A organização e registo como um ficheiro consti- processo e entidade deci- anos subsequentes à deci- para além de um sistema
não cumpriram os paga- dos processos de contra- tuído por dados relativos à sória, período de inibição são se tornar definitiva ou bem estruturado, equipa-
mentos pecuniários das venção dos automobilistas identificação do condutor, (data de início e do fim do ao trânsito em julgado da mentos adequados e uma
multas aplicadas e como resultantes da aplicação do à cada infracção punida período de inibição), exe- sentença, findo o qual são coordenação entre as estru-
agir perante prevaricadores Código da Estrada deve com inibição de condução cução da acção de formação eliminados de imediato. turas ou entidades envolvi-
reincidentes, podendo de- manter-se actualizado pe- em território nacional, à (data de início e fim da fre- Para além destes registos das neste processo. Será que
terminar os procedimentos los serviços competentes existência de inibição de quência). No que se refere de dados, existe um outro já estamos a preparar-nos
e as acções adequadas a se- porque este é e vai ser um conduzir aplicada por or- aos dados relativos às in- referente às infracções co- para responder atempada
rem desenvolvidas perante serviço de grande respon- ganismos estrangeiros, e à fracções praticadas apenas metidas pelos que não são e eficientemente a estes de-
as situações constatadas. sabilidade e utilidade. O existência de decisões em podem ser recolhidos após condutores, por exemplo, safios que serão exigidos ao
Por outro lado, Moçam- INATTER ou o serviço medidas de segurança que a decisão condenatória pro- indivíduos não habilitados nosso país a nível nacional e
bique aderiu a um acordo que receber delegação para devam ser cumpridas antes ferida no processo de con- com carta de condução, internacional?
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | comercial | zambeze |9
10 | zambeze | comercial | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | comercial | zambeze | 11
12 | zambeze | comercial | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | comercial | zambeze | 13
14 | zambeze | comercial | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | comercial | zambeze | 15
16 | zambeze | comercial | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

PUBLICIDADE

MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARA A AVALIAÇÃO E CONCEPÇÃO DE EXPRESSION OF INTEREST FOR ASSESSMENT AND DESIGN OF WATER
SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA COMUNIDADES EM SUPPLY SYSTEMS FOR COMMUNITIES IN AFUNGI
AFUNGI
Anadarko Mozambique Area 1, Lda. (AMA1) has started the implementation of
A Anadarko Moçambique Área 1, Lda. (AMA1) começou a implementação do a Resettlement Plan for communities on the Afungi Peninsula, Palma District,
Plano de Reassentamento para as comunidades na Península de Afungi, no Cabo Delgado Province, Mozambique, in preparation for the construction of an
Distrito de Palma, na Província de Cabo Delgado, em Moçambique, em LNG facility and associated port infrastructure. Preliminary assessments of
preparação para a construção da fábrica de GNL e infra-estruturas portuárias community water and health highlight significant health, employment and
associadas. As avaliações preliminares da água e da saúde da comunidade general livelihood issues arising from the poor use of water and limited
chamam a atenção para problemas significativos de saúde, emprego e meios de availability of potable water. Issues include malaria, bilharzia and various
subsistência em geral, decorrentes do uso inadequado da água e da diarrhoeas, loss of work and school days and a contribution to the morbidity and
disponibilidade limitada de água potável. Estes problemas incluem a malária, mortality rate in the communities of the Afungi Peninsula.
bilharziose e diarreias, perda de trabalho e dias de escola e uma contribuição
para a taxa de morbilidade e mortalidade nas comunidades da Peninsula de In this context, AMA1 invites interested entities to submit Expression of Interest
Afungi. (EoI) for provision of services to build a platform for strategic investment in
community water sources, water systems and their management that will prove
Neste contexto, a AMA1 convida empresas interessadas a submeterem a sua both viable and sustainable for Afungi communities:
Manifestação de Interesse (MdI) para a prestação de serviços de construção de
uma plataforma para o investimento estratégico em fontes de água para as  Groundwater survey: this service requires preliminary studies of the
comunidades, sistemas de água e respectiva gestão que se mostrará viável e groundwater in the Afungi Peninsula by identifying and analyzing
sustentável para as comunidades de Afungi. existing data, identifying specific sites for hydrogeological assessment
to provide a general broad-based understanding of the Afungi
 Estudo das águas subterrâneas: este serviço requer estudos groundwater systems and the future needs to provide adequate safe
preliminares das águas subterrâneas na Península de Afungi, water to communities living around the LNG Project DUAT.
identificando e analisando os dados existentes, identificando locais  Assess current supplies: based on a review of existing information
específicos para avaliação hidrogeológica para fornecer uma and field visits, verify and update data on the current status of the water
compreensão geral abrangente dos sistemas de águas subterrâneas de supplies in each community, including wells, boreholes and other water
Afungi e as necessidades futuras para fornecer água adequada segura às sources, to identify at a minimum, their use (drinking and other uses),
comunidades que vivem nas proximidades do DUAT do Projecto de supply capacity, infrastructure conservation and operational status and
GNL. management. Where necessary also carry out water quality
 Avaliar os fornecimentos actuais: com base numa revisão das assessments. This work to be carried in close collaboration with other
informações existentes e visitas de campo, verificar e actualizar dados AMA1 implementing partners.
sobre o ponto de situação actual de fornecimento de água em cada  Assess future demand: based on population figures and current
comunidade, incluindo poços, furos e outras fontes de água, para supplies
identificar, no mínimo, o seu uso (consumo e outros usos), capacidade
de fornecimento, conservação da infraestrutura e ponto de situação  Design future community projects: the different communities near
operacional e gestão. Sempre que necessário, realizar igualmente the AMA1 projects will have different demands and potential supplies.
avaliações da qualidade da água. Este trabalho deve ser realizado em Detailed project designs need to be drawn up and consulted with
estreita colaboração com outros parceiros de implementação da AMA1. communities.
 Avaliar futura procura: com base nos números da população e nos
fornecimentos actuais.
 Concepção de futuros projectos comunitários: as diferentes The EoI shall provide detailed information about the competences and relevant
comunidades próximas dos projectos da AMA1 terão diferentes experience of the company or entity. Suitably experienced companies or entities
necessidades e potenciais fornecimentos. Concepções detalhadas de may express interest as a consortium, in which case the Expression of Interest
projecto precisam ser elaborados em parceria com as comunidades. should include clear definition of roles and responsibilities of consortium
members. The participation of national companies or entities is encouraged.

A MdI deverá detalhar a experiência e competências relevantes da empresa ou The following documentation should also be included:
entidade. As Empresas ou entidades com capacidade adequada poderão  Updated Articles of Association (as published in the Official Gazette).
associar-se e manifestar interesse como um consórcio, sendo neste caso  Updated Certificate of Commercial Registration
necessário incluir a definição clara dos papéis e responsabilidades de cada  Operational License or equivalent document issued by the relevant
membro do consórcio. A participação de empresas ou entidades nacionais é authorities
encorajada.  Evidence of tax registration and commencement of activity declaration
(M/01C e M02)
As Empresas ou entidades interessadas deverão ainda incluir a seguinte  Company profile
documentação:  Detailed description of similar services offered
 Portfolio of projects rendered
 Estatutos actualizados (conforme publicados no Boletim da República)
 Certidão do Registo Comercial actualizada The Expression of Interest with the subject: ASSESSMENT AND DESIGN OF
 Alvará ou documento equivalente emitido pelas autoridades WATER SUPPLY SYSTEMS COMMUNITIES IN AFUNGI shall be submitted no
competentes. later than 17:00 (UTC+2) 21st of June 2019, to the following Electronic address:
 Comprovativo do registo fiscal e declaração de início de actividades
rsccontractsMOZ@anadarko.com
(M/01C e M/02)
 Perfil da empresa
 Descrição detalhada dos serviços semelhantes já prestados
 Portefolio de projectos prestados/executados

A Manifestação de Interesse deverá fazer referência ao assunto: A AVALIAÇÃO


E CONCEPÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA
COMUNIDADES EM AFUNGI e deverá ser enviada até às 17h00 (UTC+2) do dia
21 de Junho de 2019, para o seguinte endereço electrónico:
rsccontractsMOZ@anadarko.com
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 DESPORTO zambeze | 17

Desporto recreativo Bancada central

Choupal e Jardim perdem liderança Deixem o desporto


definir prioridades
O Choupal e Jardim são nato e tudo indica que não 16ª Jornada Madgumb’s, Munna’s x
as duas equipas que até a esta para só competir mas Kongolote, Eleven Main x
15ª jornada do campeonato sim, para lutar pelo titulo. ADV cmc x Xipanipa- O caldo está entornado! A Selecção Nacio-
Matendene, Mafalala x Sus-
de futebol de veteranos da ne, Amigos Khongolote nal de voleibol de sala está em via de perder a
Resultados da 15ª tenta, Círculo x Veteranos
cidade do Maputo coman- x Leões Bravos, Inhagoia possibilidade de participar nos jogos africanos
Unidos e Luís Cabral fica
davam a tabela classificati- jornada x Jardim, Tsalala x Ami-
der fora. Marrocos 2019.
va, mas no fim-de-semana Círculo - ADV cmc gos Matola, Choupal x
Em causa está uma decisão maquiavélica do
aceitaram derrotas, per- (0-2), Inhagoia - Tsalala Classificação Ministério da Juventude e Desporto de apenas as
mitindo que a equipa do (1-3), jardim - Kongolo- equipas que se qualificam na posição de pódio são
Khongolote assumisse a li- te (0-1), Leões Bravos - Amigos Kongolote ........ 32 Xipanipane .................... 18 as únicas e exclusivas que podem ir ao Marrocos
derança, com 32 pontos da Choupal (1-0), Mafalala ADV cmc ...................... 32 Kongolote ..................... 18 2019. Ou seja, um senhor/senhora de fato e gravada,
tabela classificativa. - Xipanipane (0-0), Ma- Choupal.......................... 30 Mafalala ......................... 17 sentado/a num ar condicionado, que recebe no fim
As equipas do Choupal tendene - Munna’s (3-0), Jardim ............................. 30 Inhagoia ......................... 16 de cada mês salário que vem dos nossos descontos,
e Jardim desceram e par- Veteranos Unidos - Ami- Tsalala ............................. 29 Círculo ........................... 15 decide sobre quem deve ir a uma prova continental,
tilham a segunda posição gos Kongolote (2-3), Ami- Luís Cabral .................... 23 Matendene ..................... 15 com prestígio para o país, mesmo estes depois de
com 30 pontos cada e, este gos Matola - Madgumb’s Madgumb’s .................... 22 Leões Bravos .................. 13 terem conseguido a qualificação com todo mérito.
é o primeiro ano da equipa (0-0), Luís Cabral - Eleven Munna’s .......................... 21 Sustenta .......................... 7
dos Amigos Kongolote que Main (0-2), Sustenta ficou Afinal, o que de facto nós como pais pretendemos?
Amigos Matola .............. 21 Veteranos Unidos ......... 3
participam neste campeo- de fora. Esta situação nos remete logo a priori para a
Eleven Main .................. 19
chamada priorização das modalidades desportivas
no país para viário efeitos, desde a premiação até
alocação dos fundos.
No bairro de Hulene Não queremos de forma alguma dizer que não
existe modalidades desportivas mais importantes

Nova Luz e Cruzeiro dão goleadas que outras. Não! Estaríamos a enganar-nos porque
na nossa realidade é inegável que, por exemplo, o
futebol, mesmo com os resultados negativos que vem
averbando, não seja importante (para a maioria dos
Depois de na semana deve-se referir que a no- D - Ondas do Mar (3-1), Classificação moçambicanos) que o xadrez ou golfe.
antepassada a Nova Luz vidade foi o desaire da Escorpião - Nova Luz O que queremos dizer é que devem ser os despor-
ter dado uma goleada de equipa dos Veteranos que (5-1), Mavalane - Célula tistas ou o próprio desporto a definir o que deve ser
seis bolas a uma, frente ainda não tinha perdido H (2-2), Matsuva - Nova Matsuva .......................... 16 prioritário. Não nos parece muito sensato impedir
à Célula A, no domingo nenhum jogo em cinco Aliança (4-1), Cruzeiro - Veteranos ....................... 13 uma Selecção que conseguiu uma qualificação para
passado voltou a dar mais jornadas, sendo esta a sua Sporting (10-1). Nova Luz ........................ 12 uma competição, seja qual for, só porque não esteve
uma, desta vez foram cin- primeira perda de pontos Célula D ......................... 12 no pódio. No mínimo é ridicularizar o desporto. Se
co bolas a uma frente ao com a Célula A, penúlti- 7ª jornada Cruzeiro ......................... 10
fosse a equipa de futebol que conseguiu a qualifi-
Escorpião, enquanto o mo classificado, por 2-1. Ressuscitados ................ 10
Escorpião x Célula cação todos estariam à frente a falar da preparação
Cruzeiro recebia e humi- Célula H ......................... 9
A, Nova Luz x Mavalane, da equipa nacional, só porque todos sabem que o
lhava o Sporting, por 10-1. Resultados da 6ª Célula A ......................... 7
Entretanto, o Jordão, Ressuscitados x Cruzeiro, Escorpião ....................... 6
futebol dá uma visibilidade política e social.
jornada Não é justo, por exemplo, que o próprio Ministé-
jogador da Nova Luz, é o Sporting x Célula D, On- Nova Aliança ................. 6
melhor marcador do cam- Ressuscitados - Ti- das do Mar x Nova Alian- Mavalane ........................ 5 rio da Juventude e Desporto dê a cara para o futebol
peonato com sete golos. gres (4-2), Célula A - ça, Célula H x Tigres e Ondas do Mar................ 5 e esquecer outras modalidades. Por exemplo, na
Mas acima de tudo, Veteranos (2-0), Célula Matsuva veteranos. recente deslocação dos Mambas para Guiné-Bissau
até excursão da estranha Onda vermelha, constituída
por um punhado de amigos, conseguiu lugar para

Seniores passear, mas não há dinheiro para levar o voleibol


para uma prova que qualificou.
Pena que isso seja recorrente. Os que na verdade

SLB mantém-se no comando sentem na pele são atletas das artes marciais. Vezes
sem conta participam em campeonatos do mundo,
empunhando a bandeira moçambicana, mas quando
– Fábrica de Cofres (1-2), chegam ao país nem sequer são reconhecidos. São
Célula B – Black Star (2-2),
tratados com uma grande indiferença, apenas porque
Xissinguana – Matsuva Jr
que não são considerados modalidades prioritárias.
(1-0), SLB - Nova Luz (3-2).
Jogos em atraso Que tal mudarmos de paradigma e passar a ser
Guetho x Matsuva Jr, modalidade prioridade aquelas que de facto trazem
Revolução x Time Time resultados palpáveis e elevam bem alto o nome de
Moçambique. Ou então, por que não definimos
prioridades internas e prioridades internacionais?
Tabela Classificativa Dizer que o nosso futebol é prioritário no plano
internacional e assinar a nossa própria sentença
SLB .................................. 13 de morte.
Xissinguana ................... 11
Por agora, o que nós pedimos é que os decisores
Nova Luz ........................ 8
Matsuva .......................... 7
tenham mais sensibilidade. Deixem a nossa equipa
Tim Tim ......................... 6 de voleibol ir aos jogos africanos Marrocos 2019. Ela
Revolução ...................... 6 não vai como convidada, conseguiu a qualificação
Blak Star ......................... 5 para o evento. Essa história de pódio é uma treta que
A equipa do SLB está a Foi um jogo para car- o golo da sua vitória. só envergonha o próprio Ministério da Juventude e
comandar a tabela classi- díacos pois, os golos apa- Ressuscitados Jr............ 4
F. Cofres ......................... 3 Desporto. A senhora vice-ministra é desportista de
ficativa, depois de no fim- reciam em cada lado ate’, Quadro de resultados mão cheia, por isso que nós temos certeza de que
-de-semana ter vencido o houve empate de dois a dois Célula B .......................... 1
Ressuscitados – Re- Guetho ........................... 0 ela entende o que aqui queremos explicar. Z
seu adversário por 3-2. mas, no fim, a SLB marcou
volução (1-4), Time Time
18 | zambeze | NACIONAL | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

DADCO Mandioca, em Inhambane

Camponeses denunciam
imposições no preço da mandioca
da mandioca há vários anos, negociações, mas a empresa tores deste tubérculo resisten- à instituição. É difícil quando
Elton da Graça conta que a empresa trouxe não pisa o travão perante este te à seca. Desde o ano em que um produtor reclama isso e
um novo panorama na sua imbróglio que acarreta mais a a empresa iniciou as suas ope- outro reclama aquilo, então
Os produtores de mandioca, na província de Inhamba- vida, dado que nem sempre vida dos produtores. rações de compra de mandio- é isso que nós temos-lhes
ne, denunciam imposições na compra de tubérculos pela conseguia colocar a mandio- “A agricultura é uma acti- ca sempre priorizou políticas dito para evitarem que haja
nova empresa instalada em Inharrime, DADCO Mandioca ca no mercado e esgotar como vidade de risco e as condições de imposição no concernente discursos desavindos”, disse
Moçambique (DMM), a mesma que vende a matéria-prima tem acontecido agora. No en- impostas pela fábrica são di- à compra de mandioca facto a fonte, acrescentando que
para a Cervejas de Moçambique. Segundo os produtores, tanto, a DADCO Mandioca, fíceis. Imaginemos: se em um que lesa os produtores. são cerca 6000 produtores
segundo Deve, aquando da ano produzo quatro hectares “Sempre foi assim e se que vendem os tubérculos
o preço da mandioca por tonelada vária de 2000 a 2500
sua instalação em Inharrime, de mandioca em função da- não aparecer ninguém, a situ- a DADCO“, referiu fonte da
meticais, o que não cobre os custos de produção que são
sempre impôs o preço para a quilo que forem as mudanças ação vai manter-se. Já subme- PROSUL.
demasiados altos .
compra da mandioca. climáticas, posso não alcan- temos um oficio às entidades Entretanto, o director da

D
Isto é, o preço por quilo- çar o objectivo de colher toda competentes, nomeadamente DADCO, Humbert Melick,
epois de Nam- Porque o mercado moçam- grama vária de 2 a 2,5 cen- esta quantidade. Então, nesta à PROSUL, havendo sinais disse que a empresa não tem
pula, a DAD- bicano se ressente bastante tavos na moeda nacional. perspectiva produzo seis me- positivos e acreditamos que contactos com os produto-
CO Mandioca da importação do trigo para Como se explica? Se a empre- ses para ganhar, por exemplo, brevemente teremos uma res- res. Estes por sua vez é que
Mo çambique a produção do pão, a fábrica sa for solicitada pelos produ- quatro mil hectares se for na posta cabal”. colocam os seus produtos e
(DMM) estabeleceu-se no decidiu aumentar o seu por- tores para se dirigir ao campo razão dos dois mil meticais O projecto de desenvol- contactam a empresa para a
distrito de Inharrime, pro- tefólio com olhos postos no para a aquisição da mandioca por tonelada. É preciso que vimento de cadeias de valor aquisição, e porque a fábrica
víncia de Inhambane, com processamento da mandioca custa 2,5 centavos e a particu- saiamos dessa situação”, disse nos corredores de Maputo e dispõe de meios os técnicos
horizontes que passam pelo para a produção de trigo e laridade nesta operação é que a fonte. Limpopo (PROSUL) a nível se deslocam para os campos.
empoderamento dos peque- posterior venda às indústrias a empresa disponibiliza seus Suzana Guirrugo, outra da província de Inhambane já Humbert Melick fez sa-
nos produtores de mandioca de panificação. colaboradores e seu transpor- produtora oriunda de Janga- recebeu reclamações dos pro- ber ainda que muitos produ-
ao nível daquela província. te para o efeito. A segunda mo, também vai no diapasão dutores pelo preço. Contudo, tores manifestam intenção
"O mercado da mandio- explicação é que se a iniciati- de Januário Deve. Segundo segundo fonte anónima, a de vender seus produtos à
Segundo o director-geral da
ca é industrial e tem muitas va for do produtor a empresa Guirugo, desde 2013 que vem instituição ordenou os pro- fábrica. A fonte entende se-
fábrica, Humbert Melick, a
oportunidades, daí que os prática o preço de 2 meticais e trabalhando com a DADCO dutores a organizarem-se em rem normais as reclamações
DMM iniciou os seus traba-
produtores devem se pre- a mesma não se responsabili- e há registo de muitas coisas associações, com vista a resol- dos produtores em relação
lhos há cinco anos, contudo za pelos custos de transporte, que mudaram na sua vida, ver o diferendo entre ambos. ao preço, daí que querem
ocupar mais em aumentar
a compra da mandioca era entre outros, que advierem atendendo ao facto de ser viú- “Os camponeses devem mais aumentos. Entretanto,
a produção", disse a fonte,
destinada para a exportação acrescentando que a fábrica das operações. Januário Deve va. Contudo, o preço da com- ter uma associação, de modo Melick disse não obstar da
para o mercado sul-africano está orçada em cerca de três diz que o preço não satisfaz. pra da mandioca por tonela- que esta entidade possa con- pretensão dos produtores,
e para a produção de cerve- milhões de dólares. Apesar dessa situação, já en- da continua a ser o centro da jugar todas as reclamações mas é preciso haver aumen-
ja através do bolo de amido. Januário Deve, produtor traram em negociações e re- discórdia por parte de produ- dos produtores e submetam to da produção.

EN4 ameaça segurança rodoviária a iluminação pública não


for suficiente nas pontes,
podemos aumentar ainda
mais para evitarmos que

Governo e TRAC divergem as pessoas atravessem a


estrada como o fazem, por
isso resulta em atropela-

no modelo do separador central


mentos e estes atropelamen-
tos são fatais”.
A fonte acrescenta que
há trabalhos em curso com
vista evitar o máximo pos-
ragem da Parmalat e Casa corrido desde o início das de atravessar a estrada ig-
LUÍS CUMBE Branca, tendo o Governo obras em 2017. No entan- norando a ponte pedestre,
sível de ocorrência de sinis-
tralidade na via.
e a TRAC concordado com to, Mazive acrescenta que motoristas, a sociedade no
“A TRAC está a traba-
As obras de ampliação da EN4, no troço Shoprite a implantação de pontes houve discórdia em rela- geral, e juntos encontrar
lhar e a envidar esforços
- Praça 16 de Junho (Maputo e Matola), deverão ser como medida de mitigação ção ao modelo sugerido medidas que reduzam o
com outros parceiros para
entregues esta semana em curso pela TRAC Moçambi- de acidentes. pela TRAC, esperando-se número dos acidentes que
que o número dos acidentes
que. No entanto, o Governo e a concessionária TRAC Facto é que os muníci- harmonizar ideias junto acontecem nas estradas.
seja reduzido. Não nos agra-
continuam sem o modelo ideal do separador central pes nunca se amoldaram do Governo no modelo a Mazive entende que a
da sermos chamados para
a ser implementado, um dos principais obstáculos ao com o uso de pontes pedes- acordar. questão de as pessoas atra-
retirar corpo de alguém que
projecto, uma vez serem necessárias medidas de redu- tres construídas um pouco “Uma parte é feita pela vessarem as estradas sem
foi atropelado. É preciso
ção de acidentes de viação recorrentes ao longo da via. pelo troço que está a co- TRAC, que é submeter pro- usar as pontes pedestres
entender que não é só com
nhecer ampliação. Em tem- postas às autoridades, e es- não deve ser vista como
barreiras físicas que se faz
pos antes da remoção do tas dizem o que temos que nova e a acontecer apenas
A plataforma da EN4 da via é notório nos pontos este trabalho, mas também
separador no eixo central, fazer. Houve discórdia em na N4, argumentando que
que conheceu alargamento onde a asfaltagem se mos- com sensibilização, desde
vezes sem conta as comuni- relação àquilo que a TRAC desde os tempos em que o
compreende uma largura tra efectivamente concluí- as escolas primárias até aos
dades arredor perfuravam a tinha proposto. Queremos separador central metálico
de 12.5 metros, a partir da da, associado à ausência de jovens. A maioria das pesso-
rede de vedação para atra- reconciliar as ideias e vir- e a rede divisória, as pesso-
faixa central da estrada em placas de sinalização de ve- as que atravessa as estradas
vessar ao longo do troço. mos com uma única solu- as sempre recortavam para
toda a sua extensão para locidade limite, que por sua sem usar as pontes não são
De acordo com Fenias ção”, argumentou o repre- atravessar.
cada lado da estrada, ou vez propicia a ocorrência crianças, mas sim jovens,
Mazive, representante da sentante da TRAC. “Quando retirámos a
seja, ganhou mais duas fai- de acidentes de viação ao visto que as crianças de hoje
TRAC em Moçambique, Entretanto, Mazive diz iluminação pública houve
xas, no troço entre o cruza- longo do troço. são jovens do amanhã. Por-
até esta parte se desconhe- que a redução dos acidentes a desculpa de que as pontes
mento da Shoprite da Ma- É nesta zona que em tanto, precisamos começar
ce o modelo de separador de viação não é apenas um eram assoladas por assal-
tola e a Praça 16 de Junho, anos passados havia-se hoje com a sensibilização
central a ser implementado trabalho que deve ser feito tantes, razão pela qual não
na cidade de Maputo. transformado em autênti- das crianças para saber a
(que se espera incluir as- singularmente pela TRAC, se podia usar as pontes,
O uso abusivo de velo- co corredor da morte, mais forma adequada de se atra-
pectos de segurança), não mas deve envolver a todos, mas agora temos a ilumi-
cidade pelos utilizadores precisamente na antiga pa- vessar a estrada”.
obstante o tempo trans- desde os que têm a prática nação pública de volta. Se
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | INTERNACIONAL| zambeze | 19

Académico português João Casanova de Almeida no ISFIC

Devemos apostar num líder atento


às necessidades dos colaboradores
há chefes aqui e ali, e nal- tável no tempo, porque é
DÁVIO DAVID gum momento temos que isso que se deseja”, explicou
usar a língua para engraxar João Casanova de Almeida.
O académico português, João Casanova de Almeida, de- os sapatos para a chefia”, de- Casanova disse ainda
fende que todos países do mundo devem apostar numa li- nunciou Armando. que é preciso que as or-
derança por coaching, ou situacional, que esteja atenta às Em resposta e em ex- ganizações percebam que
necessidades de cada colaborador, alegadamente porque clusivo ao Zambeze, João quanto mais capazes forem
cada colaborador de uma organização tem necessidades de Almeida disse que todas os seus colaboradores, mais
diferentes. as sociedades tiveram mo- facilidades eles vão ter em
mentos em que não tinham atingir os seus objectivos,

O
docente João as características essenciais uma estrutura organiza- porque as lideranças po-
Casanova de que, “eu preciso transmitir cional ou qualquer tipo de dem delegar responsabili-
Almeida pro- organização que estivesse dades nessas pessoas, e isso
para aqueles que me se-
feriu uma pa- concebida para responder “ao contrário de colocar a
guem, para que conheçam a
às necessidades sociais, mas chefia em cheque vai ajudá-
lestra, nesta terça-feira, em visão da organização, e pos-
como “eu dizia também, o -lo numa estratégia de lide-
Maputo, subordinada ao sam ser também eles, cada
caminho faz-se caminhan- rança”.
tema “Liderança e Comu- um nas suas funções ser
do”. João Casanova de Al-
nicação nas Organizações” eficazes com a organização”.
“É preciso que tome- meida, 54 anos, é doutora-
no Instituto Superior de
Por outro lado, segundo mos consciência daquilo do em Educação pela Uni-
Formação, Investigação e
De Almeida, o líder “efi- que é preciso adequar para versidade de Estremadura
Ciência (ISFIC). Durante
caz” deve saber comunicar que o líder, quer liderados, em Espanha, especialista
a sua apresentação, De Al-
e comunicar “eficazmente”, olhem para a sua organi- em Educação. Foi chefe de
meida defendeu que neste
fazendo passar as mensa- zação e pensar que aquela gabinete da Secretária de
século 21, todos os países
gens daquilo que se preten- organização é para manter, Estado da Educação, Ma-
precisam de uma liderança
de que a organização atinja potenciar e encontrar os riana Torres Cascais, do
atenta às características de melhores modelos, quer de anterior Governo de coliga-
de uma forma que todos o
cada indivíduo, e daí que liderança, quer de colabo- ção PSD/CDS, e é autor de
entendam. Deve ser alguém feito, e devem merecer, mas çambique e Portugal. Esta-
“uma liderança por coa- ração, para que essa orga- vários livros sobre política
que não pode exigir que as também criticadas quando mos num Estado em que a
ching ou liderança situacio- nização possa ser susten- educativa.
pessoas sejam pontuais no o tem que o ser (…) em pri- liderança não tem espaço,
nal sejam as mais indicadas
trabalho, quando ele chega vado, porque ninguém gos-
para promover altos de- Comercial
duas horas mais tarde. “Ele ta de ser criticado em pú-
sempenhos nas organiza-
precisa liderar pelo exem- blico por aquilo que falhou.
ções, porque estão atentos
às características de cada
plo”.
João Casanova de Al-
Isso são sensibilidades que
um líder deve ser para que CHEGA DE SOFRER EM SILÊNCIO
um dos colaboradores”.
Para aquele orador, não
meida ajunta que um líder
precisa tomar decisões e
possamos ser uma lideran-
ça eficaz”, exortou João Ca-
DR. MAGOMA (ESPECIALISTA EM
se deve pensar nos cola-
boradores como um todo,
envolver os seus colabora-
dores, e sempre lhes dizer
sanova de Almeida.
MEDICINA TRADICIONAL)
como se todos tivessem as porque toma tais decisões, Como um líder pode
mesmas necessidades “o para que cada um, na sua emergir e conquistar Se já andaste à procura de solução para os teus problemas e não achaste,
coaching e a liderança si- dimensão, possa também espaço numa socieda- vem agora se libertar da escuridão, se foste fechado, estás doente e não
tuacional são aquelas que tomar as suas decisões nas de de bajuladores de sabes o que fazer, não tens sorte na vida, estragaram a tua vida com
devemos apostar no século tarefas que tem ao seu car- “chefes”? feitiçaria sem saberes.
21”, observou João Casano- go. Entretanto, De Almeida Com grande força dos seus remédios.
va de Almeida. “Um líder tem que ser foi confrontado pela plateia
alguém que seja flexível
1. SUPER KINGO – trata e elimina problemas de próstata para
do evento sobre caminhos
Casanova de Almeida homens;
para perceber que há pes- para um líder conquistar
explicou em entrevista ao 2. MNYASI – serve para fortificar as veias do sexo masculino para
soas que precisam de mais espaço numa sociedade de
Zambeze que para ser um
líder eficaz, primeiro, deve
apoio e orientação e de “bajuladores” de chefes. ser grande e gordo, aumenta duração e repetir o acto sexual
mais direcção, porque já Foi o caso do docente 3. NGETA MISTURA – trata doenças como fraquezas no corpo e
ser alguém que sabe que a
tem conhecimento que lhe de Direito, Gagendra Ar-
sua organização deve con- recuperação de impotência sexual em pouco tempo;
permita caminhar de algu- mando, que quis saber do
ciliar a vida profissional dos
ma forma, exercer o con- orador sobre que espaço 4. SUPER MULUNDOKA – serve para fazer mulher poder conceber,
seus colaboradores com a ele desbloqueia trompas entupidas, cura miomas, reforça óvulos.
trolo para saber se os cola- nós temos de poder ser lí-
vida pessoal, porque, se-
boradores estão a caminhar der, numa sociedade de 5. MSWOSHA MISTURA – serve para eliminar maus espíritos que
gundo ele, uma pessoa que
na direcção certa, delegar- “escovistas” em que nos en- bloqueiam a sorte no seu negócio, emprego, lar, faculdade, lotaria,
está bem na sua vida pes-
-lhes responsabilidades contramos? resolver problemas financeiros, etc.;
soal “está bem” na sua vida
porque são pessoas que já Segundo o docente Ar-
profissional.
têm autonomia suficiente mando, na sociedade mo-
6. KALEMBO – serve para recuperar o amor perdido, chamar
Para justificar a sua po- para trabalhar sozinhos”, çambicana pouco se fala de pessoas que estão longe, ser gostado no serviço e por onde andar.
sição, João Casanova de Al- explanou De Almeida. líder, somente de “chefes” 7. MUTAMBO – serve para tratar infecção urinária, recuperar
meida explica que as emo- Acima de tudo isso, um e que os colaboradores de- vontade de sexo.
ções são “importantíssimas líder precisa de ter atitude, vem dançar a música que
para as nossas relações e “ter uma atitude positiva está a ser tocada, sob pena
Endereço: Maputo, Av. do Trabalho, Alto-Maé, Paragem Novo
para nossa estabilidade” perante as pessoas, porque de se ser diferente e margi-
numa organização, e um lí- no fundo, as organizações nalizado. Mundo
der deve ter isso em conta, são feitas por pessoas e “Falo de África, mas
e olhar para os seus colabo- elas gostam de ser elogia- também de Europa, e o Contactos: 86 3624939/85 2785233
radores e perguntar sobre das pelo que fazem de bem exemplo em concreto é Mo-
20 | zambeze | NEGÓCIOS E MERCADOS | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Banco Industrial e Comercial Causando prejuízos na ordem de mais de


da China investe quatro biliões um milhão de meticais
de dólares em Moçambique Cliente da ADeM abastecia
lagoa artificial com ligação
clandestina de água

A parceria entre o Banco Industrial e Comercial da Chi- representa a continuação


na (ICBC) e o Standard Bank, existente desde 2008, já desse relacionamento.
resultou no financiamento conjunto de mais de quatro De acordo com o execu-
biliões de dólares norte-americanos em projectos eco- tivo sénior e vice-presidente
nómicos nos sectores de telecomunicações, agricultura, do ICBC, Hu Hao, “nos
turismo, entre outros continente africano, incluindo últimos anos, os países têm
Moçambique. aprofundado as relações em

E
várias vertentes e inúmeros
sta informação foi do Standard Bank”, frisou. sectores. Em 2018, a China
dada a conhecer O Banco Industrial e Co- passou a ser o principal
pelo administra- mercial da China (ICBC) de- investidor em Moçambi-
dor-delegado do tém 20 por cento do Grupo que com um investimento
Standard Bank, Chuma Standard Bank, uma parceria acumulado de mais de 7
Nwokocha, à margem do que torna o investimento biliões de dólares norte-
workshop promovido, re- chinês em Moçambique -americanos nos sectores
centemente, em Maputo mais cómodo e fácil, dada de infra-estrutura, agri-
por esta instituição bancá- à experiência de ambas as cultura, telecomunicações,
ria, sob o lema “Elevando instituições. mineração, entre outros. O
a parceria China-África a Para Chuma Nwokocha, número de empresas chine-
novos patamares”. a parceria com o ICBC vai sas interessadas em investir Um cliente da empresa Águas da Região de Maputo “Abordámo-lo na sua
alavancar ainda mais a con- em Moçambique aumentou (AdeM) abasteceu clandestinamente, durante seis me- residência, mas não se
O encontro, que envol- tribuição do Standard Bank ses consecutivos, uma lagoa artificial, localizada num mostrou interessado em
significativamente”.
veu empresários chineses e no desenvolvimento de Mo- Para o executivo sénior e campo de cultivo, no bairro Patrice Lumumba, no mu- colaborar para a resolu-
moçambicanos, enquadra- çambique, onde tem estado vice-presidente do ICBC este nicípio da Matola, província de Maputo, causando um ção do problema, razão
-se na visita da comitiva do a financiar muitos projectos investimento requer serviços prejuízo no valor de mais de um milhão de meticais. pela qual decidimos re-

D
ICBC, liderada por Hu Hao, de desenvolvimento.  No financeiros de qualidade, meter o caso às autorida-
vice-presidente deste banco sector do petróleo e gás, sendo que o ICBC oferece etectada no uma média de seis mil me- des competentes”, referiu
chinês a Moçambique, para os dois bancos investiram, uma vasta gama de produtos âmbito da ticais por dia, o que duran- a gestora Comercial da
estabelecer contactos com o aproximadamente, 8 biliões e serviços financeiros a mais campanha de te, seis meses, perfaz  mais Área Operacional da Ma-
Standard Bank, empresários de dólares norte-americanos de 7 milhões de clientes desactivação e de um milhão de meticais. chava, destacando tratar-
chineses e líderes de 20 em- na construção da Plataforma corporativos e 600 milhões remoção de ligações clan- Abordada no local do -se de um cliente da em-
presas nacionais estratégicas Flutuante de Gás Natural clientes particulares. destinas e irregulares nas incidente, Isabel Maculuve, presa com um histórico
entre as quais a Electricidade Liquefeito (FLNG), em Pal- Por sua vez, o embaixa- cidades de Maputo, Mato- gestora Comercial da Área de dívida, decorrente do
de Moçambique (EDM), a ma, na província de Cabo dor em Moçambique da Re- la e no distrito de Boane, a Operacional da Machava consumo de água na sua
Hidroeléctrica de Cahora Delgado. pública Popular da China, Su referida ligação clandestina da AdeM, explicou que, residência e que se recusa
Bassa (HCB) e a Empresa “Sabemos que a China Jian, disse, na ocasião, que foi removida, recentemen- devido ao elevado volume a pagá-la.
Nacional de Hidrocarbone- é um dos maiores finan- “na Câmara de Comércio te, por uma equipa técnica de água perdido, em con- Muito recentemente, a
tos (ENH). ciadores de projectos em há mais de 50 empresas da empresa, após uma ten- sequência desta operação AdeM procedeu ao corte
O ICBC e o Standard Moçambique e, deste modo, chinesas registadas, e muitas tativa fracassada de resolu- ilegal, a empresa resolveu no fornecimento do pre-
Bank, conforme indicou o Standard Bank está melhor outras Pequenas e Médias ção do caso com o suposto remover a ligação, para cioso líquido à casa do
Chuma Nwokocha, têm posicionado, através da sua Empresas estão a desenvol- autor. depois prosseguir com os visado, mas que viria a
representações em mais de capacidade,  expertise  e co- ver a cooperação em vários Calcula-se que, com trâmites legais. restabelecê-lo por inicia-
40 países no mundo, incluin- nhecimento profundo do domínios”, destacou. esta engenharia criminosa, Para já, conforme ga- tiva própria, danificando
do o continente africano: mercado, para trazer o po- O diplomata referiu ter a lagoa artificial destinada rantiu Isabel Maculuve, o contador de água: “Ele
“São poucos os bancos no tencial do ICBC a Moçam- constatado com satisfação ao regadio da bananeiras e foi feita uma queixa-cri- não quer colaborar con-
mundo com esta cobertura bique”, indicou o adminis- que o Standard Bank está hortas encaixava, por dia, me contra o suposto autor nosco, muito menos se
territorial e em produtos e trador delegado, destacando a oferecer garantias sóli- 50 mil litros de água, quan- da ligação clandestina, retratar. Apenas disse que
serviços. O ICBC tem mais que muitos empresários chi- das e serviços qualificados tidade suficiente para abas- numa unidade policial do podíamos agir, conforme
de 16 mil balcões, sendo que neses em Moçambique têm às empresas chinesas no tecer cerca de 100 clientes. bairro Patrice Lumumba, entendêssemos, mas que
em África este banco realiza uma relação com o ICBC, desenvolvimento dos seus Em termos monetários, que notificou formalmen- isso teria consequências”,
as suas transacções, através sendo que o Standard Bank investimentos e negócios. o prejuízo corresponde a te o suposto infractor. concluiu Isabel Maculuve.
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | COMERCIAL | zambeze | 21

Nova delegação distrital do INSS


em Inhambane aberta ao público
O Presidente da República, Filipe Nyusi, inaugurou re- ceiros sociais, sector priva-
centemente as instalações da delegação distrital do Ins- do, sindicatos, contribuin-
tituto Nacional de Segurança Social (INSS) de Inham- tes, beneficiários do INSS,
bane, construídas de raiz, visando proporcionar melhor pensionistas, Trabalha-
atendimento aos utentes do Sistema de Segurança So- dores por Conta Própria,
cial, nomeadamente contribuintes, beneficiários e pen- entre outros, o governador
sionistas. do província de Inhamba-

C
ne, Daniel Chapo, referiu-
oncebida no indispensáveis. -se ao aumento do número
sistema "open “Neste espaço, o empre- de contribuintes do INSS
space", a dele- sário que procura canalizar como um dos desafios do
gação distrital atempadamente as contri- governo local.
de Inhambane compreende buições dos trabalhadores, “Neste momento, esta-
dois pisos, onde funcionam o trabalhador que procura mos a trabalhar, principal-
os serviços administrativos saber da sua situação con- mente, com as entidades
e uma parte para arrenda- tributiva, até os pensionis- empregadoras para que os
mento, no quadro da po- tas, que procuram receber descontos que fazem aos
lítica de desenvolvimento as suas pensões, devem trabalhadores sejam cana-
imobiliário do INSS. encontrar um atendimento lizados ao INSS e um dos
No acto inaugural, cordial, profissional e céle- maiores desafios que temos
o estadista referiu que a re”, frisou Filipe Nyusi. como governo provincial
nova infra-estrutura pú- A aproximação dos ser- é aumentar o número de
blica, para além da notável viços públicos ao cidadão, contribuintes, principal-
melhoria das condições, conforme explicou o Presi- mente aqueles que traba-
conforto e acessibilidade, dente da República, enqua- lham por conta própria,
representa a vontade do dra-se no prosseguimento por todo o país, em diferen- rança Social, Vitória Diogo, têm dificuldade de locomo- por forma a que cada dia
Governo de melhorar cada do compromisso eleitoral te sectores. o INSS procedeu à entrega ção. que passa tenhamos mais
vez mais a qualidade da em facilitar a vida ao povo, Na cerimónia, teste- simbólica de cadeiras de Dirigindo-se igualmen- contribuições e possamos
prestação de serviços ao cultura que tem vindo a ser munhada pela ministra do rodas a duas pensionistas, te a uma plateia composta garantir o futuro dos nos-
cidadão, provendo recursos implementada, um pouco, Trabalho, Emprego e Segu- que por razões de doença por representantes dos par- sos trabalhadores”, afirmou.

Maratona Hacka4Moz

Jovens desenvolvem soluções para


desafios que a sociedade enfrenta
Mais de cinquenta jovens provenientes de todo o País talentos do nosso País (os blinhou Manuela Rebelo. 
participaram, recentemente, numa maratona tecnoló- jovens), cuja criatividade A governante reafirmou,
gica, com vista ao desenvolvimento de soluções para os deve ser por nós estimu- ainda, o compromisso do
desafios que a sociedade enfrenta. lada”, disse Márcia Fenita. Governo em continuar a

A
Na ocasião, a vice-ministra apoiar a inovação tecnoló-
iniciativa, pro- iniciativa no envolvimento gica no País, tendo exorta-
dos Transportes e Comu-
movida pelo dos jovens e da tecnolo- do aos jovens a tomarem
nicações, Manuela Rebe-
Ministério dos gia no desenvolvimento a dianteira na busca de
lo, referiu que, através do
Transportes e de soluções tecnológicas, soluções dos diversos pro-
Hack4Moz, o Governo es-
Comunicações, através do para os problemas que blemas sociais, tais como
pera que os participantes
Programa de Desenvol- apoquentam a sociedade. os ligados à mobilidade,
tragam soluções concretas
vimento Espacial, contou racionalização e acessibili-
com a parceria tecnológica para diversos problemas
sociais, principalmente dade dos serviços de trans-
da Moçambique Telecom A inovação é o no sector dos transportes. porte nos centros urbanos
SA (Tmcel) e apoio téc- (e não só). 
nico do Banco Mundial. motor do cres- “Promovemos esta marato-
na porque acreditamos que
Denominada Hack4Moz, a cimento. Quan- a melhoria e acessibilidade
“A inovação é o motor
iniciativa juntou desenvol- do crescimento. Quanto
vedores de software, gráfi- to mais inova- aos serviços básicos passam mais inovações fizermos
por colocarmos a tecnolo-
cos, técnicos de marketing, ções fizermos gia ao serviço do desenvol-
no nosso País, mais pró-
entre outros profissionais ximos do desenvolvimen-
e entusiastas, que durante no nosso País, vimento. Observamos, com to estaremos”, acentuou.
três dias usaram a sua cria- mais próximos satisfação, o engajamento e Importa realçar que, du-
tividade, para criar soluções interesse de todos os jovens rante a maratona, foram
de alto impacto no País. do desenvolvi- “Todos estamos cientes da esperamos que esta ini- presentes, cientes de que realizados eventos paralelos,
Intervindo na cerimónia de mento estare- importância que as tecno- ciativa (Hack4Moz) sirva envidarão todos os esforços nomeadamente debates,
abertura, a directora execu- logias de informação e co- de plataforma para que os necessários para encontra- master classes, networkings
tiva comercial da Moçambi- mos municação desempenham jovens apresentem propos- rem soluções para os dife- e meet-ups, que contaram
que Telecom, Márcia Feni- no desenvolvimento da tas tecnológicas represen- rentes desafios propostos com a presença de diversos
ta, realçou a importância da economia do País. Por isso, tantivas da forja de novos através da tecnologia”, su- especialistas e mentores.
22 | zambeze | cultura | Quinta-feira, 13 de Junho de 2019

Aurélio Furdela

Cavando o tempo para trazer à superfície


vidas que não são do nosso tempo
Sangare Okapi e Amosse Mucavele

Conversar com Aurélio Furdela, numa altura em que


contamos poucos dias para o lançamento de "Saga
d'Ouro", o jeito foi mesmo thlangamelar, em entrevis-
ta, onde o escritor considera que a nossa intelectualida-
de gosta de ser bajulada, é uma espécie de importação
da cultura do sistema político, quase uma tentativa de
reprodução da hierarquia vinda da luta de libertação
nacional, merecedora de uma certa glorificação, esses
outros se querem Chipandes da literatura.

S
angare Okapi (SO) cobrir que afinal somos tão
– Sete anos passam, iguais ao que entendemos
desde a publica- como passado, somos ape-
ção de “As Hienas nas uma repetição da histó-
Também Sorriem”, 2012 a ria. E, se insistires em olhar
2019, esse intervalo não lhe para esta dimensão como
parece um longo estágio de um salto, então fica com a
hibernação? ideia de um salto no tempo,
que exige um outro nível de
Aurélio Furdela (AF)–
construção narrativa.
Preferia entender de outra
forma, pois encaro a criação Amosse Mucavele (AM)
literária como uma elabo- – Acredita que para atingir
ração que precisa de tempo esse nível de construção
para maturação. É óbvio que narrativa terá valido a pena
também haja quem precise alguma influência literária
apenas de alguns meses para que queira destacar? O ro-
concluir a sua obra, algo me- mance histórico já começa
teórico? Talvez... uma obra a cimentar alguma tradição
literária, acima de tudo, é em Moçambique, sobretu- um capricho necessário à e 90 ganha maior expressão que sugerem às editoras depender apenas da opinião
um exercício de construção, do através de autores das disposição da actual acade- nos últimos anos, quase internacionais quem deve dos académicos, pois se esses
tudo depende do material gerações que nos antece- mia. Transcorridos 50 anos que em simultâneo, isso ser publicado. Com o tem- se entregam ao compadrio
envolvido, pode ser de cons- dem, Mia Couto, Borges ou mais, provavelmente irá evidencia o teu raciocínio? po essa força se esboroa e tudo ficará a mercê das suas
trução precária, que de ano Coelho, Ungulani Ba Ka se descobrir muito mais ele- poetas da dimensão de um condimentações. Não digo
AF – Em parte sim, pois
em ano exige renovação, de Khosa, entre outros… mentos a fundir o que hoje Amin Nordine ganharão a aqui que não temos uma
a cada tempo perpassa uma
lançamento e lançamento. tipificamos como geração visibilidade que hoje é-lhes crítica séria na academia,
AF– Acredito que qual- espécie de nuvens de ideias,
Para o meu caso, prefiro es- Charrua e Oásis. Hoje ha- negada. Lucílio Manjate é um bom
quer escritor insere uma da qual todos chovemos a
truturas muito mais sólidas bitamos o mesmo universo exemplo a esse nível. Nos
série de influências, e não nível criativo. É claro que SO – Que papel desem-
e isso requer tempo. social, histórico e literário, jornais, José dos Remédios
quero crer que seja uma ilha sendo da mesma espécie, penhariam as páginas cul-
no qual autores criam e marca passo positivo. Mas
SO – Tive o privilégio neste mar de leituras que nos porque de facto o somos, turais, em contraposição,
recriam, influenciando-se também andamos a dar
de acompanhar algumas toca. Mas se prefere falar de salvo algumas especificida- ou em auxílio da academia,
mutuamente a nível de ideias crédito a críticos que leem
etapas da construção deste alguma tradição em Moçam- des deste ou daquele, que são para dar esta visibilidade
e formas de escrita. Numa pessoas e não livros. Um
“Saga d’Ouro”, senti que bique, prefiro não olhar para naturais. Quem contactar aos autores que parecem
interacção, a influência não Amin Nordine foi e é lido
estavas bastante preocu- o nosso caso como algo que com a literatura moçambi- esquecidos ao longo dos
avança somente numa única como pessoa e não como
pado em dar um grande seja isolado do mundo. A cana tenderá a olhar agora tempos?
direcção. O que acontece no poeta. Contudo, um bom
salto a nível de construção memória manda dizer que como se do mesmo cardume
olhar de alguma crítica, que AF – A crítica a nível verso nem sempre rima com
do texto. Agora, no limiar recuemos até à Idade Média se tratasse. Não é por caso
hoje faz a opinião, é de cariz dos jornais mostra-se mais bom-menino. Pior é que
do tempopara o livro estar e o romance histórico já era que a oportunidade de pu-
monolítico. Resumindo, dependente da opinião da nem se está à procura de
ao crivo do grande público, prática, e todos perseguimos blicação no Brasil, por exem-
acredito que das gerações, academia, não se confere bons meninos, mas de adu-
sente que conseguiu dar essa tradição. Por lotaria da plo, acontece quase que em
entre aspas aqui, que surgem luz própria. Não são poucas ladores. A nossa intelectua-
esse salto? vinda ao mundo, no nosso simultâneo para um Aldino
na década 80 e 90, nascem as vezes que li nas páginas lidade gosta de ser bajulada,
caso, uns descobriram-no Muianga, ou um Clemente
AF – O salto é de pára- similaridades óbvias, indu- culturais, entrevistas com é uma espécie de importação
primeiro que os outros, e Bata, como aconteceria en-
-quedistas, um autor cami- zidas pelo contexto, e não académicos, com perguntas da cultura do sistema políti-
podem sim ter sido uma tre um Suleimane Cassamo
nha com o texto, segue o por alguém. Dessa geração claras de aferição do nível de co, quase uma tentativa de
janela que revelou esse maior e Rogério Manjate. Mas
curso que a escrita exige. alargada, dependendo das escrita dos autores emergen- reprodução da hierarquia
universo da escrita, que também é preciso entender
Sem responder directamente particularidades, podere- tes. Reproduzem o pensa- vinda da luta de libertação
todos perseguimos, somos que esta internacionalização
à questão, diria que me di- mos com o tempo concluir mento, em títulos garrafais, nacional, merecedora de
herdeiros de um género está ainda ferida, de ser
verti bastante a escrever o que exista uma primeira, tipo: o que se escreve hoje é uma certa glorificação, esses
literário que data de há sé- uma espécie de extensão do
segunda e até terceira onda lixo? Falta alguma capaci- outros se querem Chipandes
livro. Mais do que escrever, culos. E quando se refere nosso contexto interno de
da mesma geração. dade crítica, como também da literatura.
foi também um autêntico a gerações literárias, hoje, legitimação de escritores. Os
trabalho de arqueólogo. Foi que duro na vida há quase AM – Encarando a situ- mesmos actores que tendem pesa uma certa preguiça, de AM – Não achas que,
necessário cavar o tempo meio século, olho para esta ação como colocas, admito a sentir-se deuses para dizer ler e transmitir a própria nalgum momento, te fal-
para trazer a superfície vidas questão de gerações literá- que a internacionalização, quem é quem na literatura impressão. Se não é preguiça, ta alguma modéstia, que
que não são do nosso tempo. rias em Moçambique como grosso modo, dos autores moçambicana ainda são então é insegurança, mas o chega a confundir-se com
Depois, o espanto, ao des- mera precipitação, embora que emergem nos anos 80 os mesmos que controlam, sistema literário não pode arrogância aos olhos

Nenhum grande homem se queixa de falta de oportunidades.


Pensamento da Semana: Ralph Waldo Emerson
Quinta-feira, 13 de Junho de 2019 | cultura | zambeze | 23

José Norberto: Ministério da


Cultura nada produz
Tido como polemista, não esconde as opiniões radicais recreativo, teríamos uma
que tem sobre o estado de coisas. E fá-lo também nesta sociedade que saberia valo-
conversa em que sugere o caminho que o país deve tri- rizar a arte, uma sociedade
lhar na área das artes e cultura. culta. E uma sociedade culta

É
alimenta os seus artistas.
O artista come comida e a
recorrente a ideia comportamento.”
sociedade cultura”.
consolidada sobre Este afastamento da re-
Por isso, pensa no ar-
a estupidificação alidade, uma realidade que
tista como uma espécie de
da sociedade, so- nos é tão próxima, faz Nor-
sociedade civil, que pode
bretudo por via da cultura. berto pensar que a África se
influenciar na tomada de
E quem devia andar contra vai desenvolver do que resta
decisões do poder político.
esta corrente parece dar da ciência e da tecnologia
O Núcleo de Arte, considera,
ainda mais margens para do ocidente. Pensa que os
podia fazer um projecto de
um rio que afunda em si avanços que celebramos a
lei e entregar à Assembleia
mesmo. Seriam os acadé- partir das novas tecnologias
da República, depois pres-
micos, pensa Norberto, se de informação e comunica-
sionar até que se analise”.
estes não fossem “papa- ção não são mérito nosso. “É
Até porque, pensa Nor-
gaios” do que aprenderam. apenas porque os europeus
berto, que o Ministério da
Pensa na escrita da pró- precisam encontrar alguém
Cultura está aquém do que
pria História de África, a para vende. O que resta
dele se espera. E fosse ele
partir da pena do próprio da tecnologia chega aqui,
Norberto a ditar as regras,
africano, fora da leitura porque somos um bom
fecharia O Ministério da
que o ocidente impôs. Uma mercado”.
Cultura. “Porque o Estado
reescrita da História, pensa Então, pensa nos artistas frequente do artista à toxico- esculpir um tronco que se é sustentando é o que não gasta muito a dar de comer
Norberto, que deve partir como cicerones de uma dependência. “Como se vai intelectual. Qualquer artesão sabe pintar, nem desenhar. a um ministério que nada
da aproximação à realida- grande revolução que passa, fazer uma unidade de pensa- faz isso”. E o discurso entre o E a partir do momento que produz”. Fecharia, disse,
de, como uma forma de se no caso de Moçambique, mento para pressionar vários intelectual e o não intelectual é sustentado já não pensa”. também as Mold’Artes, os
deixar absorver o modus pela construção de uma es- sectores da sociedade, se não não é possível por que há Então, disse, as reformas centros culturais. “Passaria
vivendi do povo. “Para co- trutura de pensamento sobre se está lúcido?”, questiona. um fosso. que se devem fazer em Mo- a ser o Estado a definir o
nhecer o comportamento a qual se podem erguer todas Outro ponto é a ausência Mas será também preci- çambique devem começar perfil de galeria de arte”. E
africano, é preciso conhecer as outras coisas. Mas ao de um discurso que funda- so vencer o neocolonialismo por legislativas e regulamen- o Estado, indicou, teria de
o pensamento, a filosofia de mesmo tempo que apresenta mente a criação das obras de que, diz o artista, tem como tares. “Se fosse de lei que nos regulamentar começar para
vida do africano que gera a solução, prevê os entraves. arte. “A maior parte dos nos- estratégia promover a me- jornais existisse um espaço que se aplicasse a política do
este comportamento. O Um deles, indica Norberto, sos artistas não é intelectual. diocridade para estupidifi- sobre educação estética, mecenato e patrocínio”.
pensamento é que define o é a associação quase sempre Não é porque se consegue car a sociedade. “O artista um espaço didáctico, não

de alguns? sim senhor sempre que um intelectualidade de plena ter uma opinião sobre eles. a crítica. AF – Oh Amosse, isso
senhor dos anéis fala, isso é concórdia, isso é política. Quanto à questão de cavar equivale a perguntar a um
AF – Tudo depende do AM – Já Agora, o que
bajulação. Quanto à arro- Quem está na literatura deve essa coisa, não ficarei tran- nubente o que fará com a
que acreditamos ser mo-
gância, prefiro responder estar preparado para ideias cado em casa com medo da irá fazer com os cinco mil esposa depois do casamen-
déstia ou arrogância. Eu
que muitos confundem au- contrárias, como também chuva. Estou preparado para euros do prémio? to, isso é óbvio, pá. (Risos)
entendo por modéstia o
toconfiança com arrogância. discuti-las, ou ficar calado,
reconhecimento individual
sem diabolizar a quem pode.
de que há matérias que não AM – Sente que o teu
tenho domínio, devo apren- crescimento como escritor SO – Falando em ideias, Aurélio Furdela
der, dos livros ou de quem foi favorecido do facto de não acha que estando a
sabe. Por isso, ao longo do estar ligado à AEMO? escrever um romance histó- Escritor, dramaturgo,
processo de escrita, por rico correu risco de estar a guionista e letrista, com
AF – Essa é uma ideia livro de estreia em 2003: De
exemplo, do livro que lança- cavar a sua própria sepultu-
que muitos gostariam de medo Morreu o Susto, a que
rei na sexta-feira, várias são ra, depois de fazer a crítica
fazer passar. Entretanto, es- se seguiram Gatsi Lucere, O
as pessoas que contactei para que fez ao livro Mulheres de
tar ligado à AEMO até certo Golo que Meteu o Arbitro e
me passarem informação ou Cinza, um outro romance
ponto veio a pesar contra. As Hienas Também Sorriem.
alguma bibliografia, para ler histórico?
Tudo o que escrevo a nível de Está representado nas
e avançar com o meu pro-
opinião pessoal, desprovido AF – A literatura não é antologias “Lusofônica La
jecto. Uma dessas pessoas
de argumentos, não faltam bem um campo de troca de Nuova Narrativa in Língua
é o António Sopa, a quem
os que associam as minhas galhardetes, sendo um cam- Portoghese”, com o conto
agradeço a orientação para
ideias a quem julgam que po de pensamento, este deve “Da mocidade à Velhice de
a leitura de alguns autores.
manda nos outros. Sou um ser exteriorizado e recebido Lacrina”, traduzido para em livro pela AMOLP, 2005. ático AMOLP/Instituto
Também recorri a Américo
sujeito de pensamento livre, como tal por parte de quem italiano e “A Minha Maputo” Autor de duas radionovelas, Camões - 2003; Prémio
Pacule, para testá-lo como
para quem me conhece, quer que seja. Escritores (2012), com o conto “Um no âmbito do programa R e ve l a ç ã o d a R e v i s t a
leitor, e dele colhi opiniões.
desde a fase da escola se- como Suleimane Cassamo, Homem com 33 Andares na N’wetiem Moçambique. TVZINE, 2003, Prémio
Aliás, Sangare, quantas vezes
cundária, onde começo a Mia Couto, Ungulani Ba Ka Cabeça”, igualmente inserido Como letrista, salienta-se Nacional de Texto Dram-
bati a tua porta às 6 da ma-
despertar como indivíduo, Khosa ou Aldino Muianga, na revista brasileira Macondo. da sua lavra a autoria da ático Sobre HIV-2003, pro-
nhã para leres uma parte de
até à universidade sempre fizeram parte das minhas Como dramaturgo es- canção oficial da X Edição movido pelo Ministério da
capítulo da obra? Depois e
fui assim. Reconheço que leituras, e talvez da mi- creveu e publicou várias do Festival Nacional da Cultura. Em 2017 Prémio
pedia para leres em voz alta,
hoje seja difícil para quem nha formação como autor. peças originais para o pro- Cultura -2018. Literário 10 de Novembro,
enquanto eu caminhava no
cresceu a ser pau mandado Nunca Deuses imaculáveis. grama de teatro radiofónico Distinguido com Pré- instituído em homenagem
teu quarto, de uma ponta a
admitir que haja gente com Reconheço esses escritores “Cena Aberta”, da Rádio mio Revelação de Lit- a Cidade de Maputo. Li-
outra, para ouvir o ritmo da
opinião própria, também pela dimensão que têm. Mas Moçambique, nas quais eratura AEMO/Instituto cenciado em História, pela
cada palavra? Isso enten-
porque andamos a tentar isso não deve me tornar destaca-se “GatsiLucere”, Camões - 2003; Prémio Universidade Eduardo
do como modéstia. Agora,
construir uma espécie de pequeno a ponto de não publicada posteriormente Revelação de Texto Dram- Mondlane.
aquilo de curvar-se ou dizer
z ambezE
Comercial Comercial

Renovação de Renovação de
assinaturas assinaturas
para 2019 O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a
para 2019
Av. 25 de Setembro, Nr. 1676 l Cell: 82 30 73 450 l esmelifania2002@gmail.com l Maputo

Contra Corrente
Fabião Carapau

Fabricantes covardes de
mentiras e falsas notícias
Há muito tempo que recebemos regularmente nos criam-nas para ter os futuro, podemos ter mitem utilizar as redes uma série de normas
nossos telefones e terminais eletrónicos, através das seus cinco minutos de um caos de informação sociais para ofender, in- entre todos nós e estes
redes sociais, Whatsapp e mensagens de natureza glória nas redes, outras envenenada que pode sultar e prejudicar pes- indivíduos que julgam
ofensiva contra figuras políticas e de outro tipo de vezes têm instruções afectar a convivência soas inocentes. Isto não estar na posse da "sua"
actividades, emitidas por indivíduos cobardes que se para criá-las e transmi- entre todos nós e a de- é censura ou controlo verdade, são um cancro
escondem no anonimato ou com nomes falsos nessas ti-las por pessoas enco- mocracia nos seus prin- da liberdade de expres- para a sociedade e para a
redes para insultar, denegrir e ofender, através de co- bertas que têm os seus cípios, pois muitas pes- são, é defender os cida- convivência.
mentários e notícias falsas, pessoas públicas ou social- interesses pessoais ou soas ficariam indefesas dãos de uma nova ação Podemos dizer que
mente conhecidas.

U
de grupo, outras vezes à mercê dos indesejá- criminosa, defender a hoje em dia o contrapeso
são ressentidos sociais veis que utilizam estas sua honra o mesmo que a estas redes sociais de-
ltima- pública com vista às pró- que justificam a sua redes de uma forma que pode ser feito se um cepcionantes e inimigas
mente, ximas eleições ou com a deceção na vida e a sua poderíamos considerar meio de comunicação da verdade são os meios
porém, intenção de prejudicar a raiva, através das redes delitiva e até criminosa. social atravessar a linha de comunicação social,
com as sua carreira política, quer com mensagens pouco Os cidadãos não sa- vermelha. que têm uma grande res-
próximas a nível do partido, quer edificantes. berão o que é verdade e Precisamos defender- ponsabilidade em tudo o
eleições presidenciais e a nível das instituições A grande injustiça é o que é mentira, criando -nos dos activistas co- que publicam ou trans-
legislativas em poucos públicas. que essas ofensas ou fal- uma situação de desin- vardes que, sem dúvida, mitem, ainda que por
meses, as redes sociais L amentavelmente, sas notícias que afectam formação e de dúvidas podem ser categorizados vezes exagerem nas no-
estão mais activas neste os cidadãos não param uma pessoa, qualquer que os deixará sem opi- como "delinquentes so- tícias.
tipo de ataques menti- por um momento para pessoa, ficam impu- nião ou com uma opi- ciais" e que creem ser al- Ao contrário das re-
rosos e ofensivos, assim pensar se a notícia é nes, primeiro, porque nião manipulada e erra- guém, sem ser ninguém. des sociais, os nomes
como em notícias falsas verdadeira ou não, re- não temos os meios, de da, pelo que, por vezes, Moçambique é um dos seus jornalistas, do
que aumentaram signifi- enviam-nas para outro momento, para poder não saberão que decisão dos países africanos com director ou do editor são
cativamente. amigo e assim a cadeia é detectar através das re- tomar para defender os maior liberdade de im- conhecidos, e não há dú-
Por vezes, estes ata- transmitida de uns para des quem é o autor ou o seus próprios interesses prensa e de expressão vida de que se pode re-
ques visam interesses po- os outros sem importar transmissor e segundo, ou ideologias políticas. do continente, e pode clamar uma história que
líticos, ou seja, prejudicar ou verificar a veracida- não há nenhuma insti- Hoje em dia sabe- competir com qualquer não corresponde inteira-
um determinado políti- de dessa informação, ou tuição policial ou judi- mos que é muito difícil outro país ocidental, mas mente à realidade ou que
co, procurando criar uma seja, se é verdadeira ou ciária que possa agir em controlar esta situação, a liberdade de expressão foi mal interpretada.
imagem negativa do falsa. defesa do ofendido. Pre- mas a qualquer momen- não pode ser confundida A minha liberdade
mesmo, a fim de dimi- Os fabricantes covar- cisamos de novas leis. to deve haver um con- com libertinagem, onde acaba onde começa a tua,
nuir a sua influência ou des dessas mentiras ou Se esta situação não trolo que responsabilize vale tudo. Viver em so- isto é a democracia, o
degradar a sua imagem falsas notícias, às vezes pode ser controlada no os amorais que se per- ciedade implica cumprir respeito pelos outros.

Comercial

Departamento Comercial
ANUNCIE NO Contactos: (+258) 82 307 3450

ZAMBEZE
(+258) 824576070 | (+258) 84 269 8181
E-mail: esmelifania2002@gmail.com
esmelifania2002@yahoo.com.br