Você está na página 1de 5

UMN

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DA HUÍLA


DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E MINAS
Exame de Recurso de Electrotecnia Mineira /Curso de Eng.º Minas 3º Ano.

Data: 23/11/018 Duração: 180min Docente: Prof. Eng.º Ixieto Ngonga

 Não é permitido ter o telefone ligado durante a prova


 Leia as questões com bastante atenção e responda com clareza
 Numerar as respostas, não é permitido qualquer tipo de consulta.

1) Como varia a intensidade de magnetização?

Solução: Varia em função da intensidade do campo aplicado.

2) Define a permeabilidade magnética.

Solução: A capacidade que os materiais possuem de perturbar a distribuição das linhas de força ou
é uma medida da facilidade com que as linhas de campo podem atravessar um dado material, está
relacionada com a intensidade de magnetização.

3) A que categoria magnética pertence o bismuto e qual é o seu valor?

Solução: O Bismuto pertence a categoria ou classificação magnética dos materiais Diamagnéticos. A


permeabilidade magnética do bismuto é de 0,9998.

4) Em um circuito resistivo capacitivo, com capacitore de placas paralelas de 1mm, circula em um


determinado instante uma corrente de deslocamento de 10A e o mesmo cria um campo magnético
uniforme de 200 mT, aplicando a 4ª equação de maxwell determina o fluxo elétrico criado entre as
placas.

Solução: aplicando a 4ª equação de maxwell

𝑑𝜙𝐸
⃗ . 𝑑𝑙 = 𝜇0 . 𝜀0 ×
∮𝐵 + 𝜇0 . 𝐼𝑒𝑛𝑣
𝑑𝑡

𝑑𝜙𝐸
𝐵 × 𝑙 = 𝜇0 . 𝜀0 × + 𝜇0 . 𝐼𝑒𝑛𝑣
𝑑𝑡

10−9 𝑑𝜙𝐸
200 × 10−3 𝑇 × 10−3 𝑚 = 4𝜋 × 10−7 𝑊𝑏 /𝐴. 𝑚 × ( × + 10𝐴)
36𝜋 𝑑𝑡

10−16 𝑑𝜙𝐸
2 × 10−4 𝑊𝑏 /𝑚 = ( 𝑊𝑏 /𝐴. 𝐹 × + 1,2566𝑊𝑏 /𝑚)
9 𝑑𝑡

−16 𝑑𝜙𝐸
−11,3076𝑊𝑏 /𝑚 = 10 𝑊𝑏 /𝐴. 𝐹 ×
𝑑𝑡
1/1
UMN
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DA HUÍLA
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E MINAS
17 𝑑𝜙𝐸
−1,13076 × 10 =
𝑑𝑡

𝑑𝜙𝐸 = −1,13076 × 1017 𝑑𝑡

𝜙𝐸 = −1,13076 × 1017 ∫ 𝑑𝑡

5) Como mostra a figura-1 ao lado o eixo z contem uma distribuição de carga, entre 𝑧 = −7𝑚 𝑒 𝑧 = 7𝑚,
com densidade uniforme 𝜌𝑙 = 15𝑛𝐶/𝑚. Calcule a força eléctrica em (4, 0, 0)𝑚, usando coordenadas
cartesianas.
Figura-1
Solução:

Onde 𝑟 − 𝑟 ´ = (4,0,0) − (𝑥, 𝑦, 𝑧)

𝑎𝑟 = 𝑟 − 𝑟 ´ = (4,0,0) − (0,0, 𝑧) = (𝑥 − 𝑥0 ) + (𝑦 − 𝑦0 ) + (𝑧 − 𝑧0 )

𝑎𝑟 = 𝑟 − 𝑟 ´ = (4 − 0) + (0 − 0) + (0 − 𝑧) = (𝟒, 𝟎, −𝒛) = (𝟒𝒂𝒙 − 𝒛𝒂𝒛 )

Portanto 𝑅 2 = (4 − 0)2 + (0 − 0)2 + (0 − 𝑧)2 = (𝟏𝟔, 𝟎, 𝒛𝟐 ) =


(𝟏𝟔 + 𝒛𝟐 )

𝑑𝑄
𝑑𝐸 = 𝑎
4𝜋ℰ0 𝑅 2 𝑟

𝑑𝑄
𝑑𝐸 = (𝑟 − 𝑟 ´ )
4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 ´ |3

15𝑛 𝑑𝑧
𝑑𝐸 = (𝟒𝒂𝒙 − 𝒛𝒂𝒛 )
4𝜋ℰ0 (𝟏𝟔 + 𝒛𝟐 )3/2

Devido a haver simetria em relação ao plano 𝑧 = 0, o campo resultante não terá componente
segundo z. assim integrando a equação teremos:
𝑧
15𝑛 (𝟒𝒂𝒙 − 𝒛𝒂𝒛 )
𝐸=∫ 𝟐 3/2
𝑑𝑧
−𝑧 4𝜋ℰ0 (𝟏𝟔 + 𝒛 )

15 × 10−9 7 4𝑑𝑧
𝐸= ∫ 𝒂
2 3/2 𝒙
4𝜋ℰ0 −7 (16 + 𝑧 )

15 × 10−9 7 4𝑑𝑧
𝐸= ∫ 𝒂
10−9 (16 + 𝑧 2 )3/2 𝒙
4𝜋 × 36𝜋 −7

2/1
UMN
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DA HUÍLA
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E MINAS
7
4𝑑𝑧
𝐸 = 135 ∫ 𝒂
2 3/2 𝒙
−7 (16 + 𝑧 )

1 7
𝐸 = 135 × √𝑧 2 + 16 | 𝒂𝒙
4 −7

7
𝐸= √65𝒂𝒙 = 𝟎, 𝟒𝟑𝟒𝒂𝒙 𝑉/𝑚
130

6) Use coordenadas cilíndricas para calcular o campo E em 𝑟 = 0, 𝑧 = 4,a um disco uniformemente


carregado, como mostra a figura-2 definido por 5 ≤ 𝑟 𝑚 , 𝑧 = 0,que contém uma distribuição de
0,0004
cargas com densidade 𝜌𝑠 = 𝐶/𝑚2.
𝑟

Solução: Supondo a densidade uniforme como 𝜌𝑠 :

𝑟 − 𝑟 ´ = (0, 𝜙, ℎ) Onde 𝑟 − 𝑟 ´ = (0,0,4) − (𝑟, 0,0)

𝑎𝑟 = 𝑟 − 𝑟 ´ = (0 − 𝑟) + (0 − 0) + (4 − 0) = (−𝒓, 𝟎, 𝟒) = (−𝒓𝒂𝒓 + 𝟒𝒂𝒛 )

Portanto 𝑅 2 = (𝒓𝟐 + 𝟏𝟔)

𝑑𝑄 = 𝜌𝑠 𝑟𝑑𝑟𝑑𝜙

𝑑𝑄
𝑑𝐸 = 𝑎
4𝜋ℰ0 𝑅 2 𝑟 Figura-2

𝜌𝑠 𝑟𝑑𝑟𝑑𝜙
𝑑𝐸 = ´ 3
(𝑟 − 𝑟 ´ )
4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 |

𝜌𝑠 𝑟𝑑𝑟𝑑𝜙
𝑑𝐸 = (−𝒓𝑎𝑟 + 𝟒𝑎𝑧 )
4𝜋ℰ0 (𝒓𝟐 + 𝟏𝟔)3/2

𝐶𝑜𝑚𝑜 𝑧 = 𝑟 = 0

4 × 𝜌𝑠 𝑟𝑑𝑟𝑑𝜙
𝑑𝐸 = (𝑎 )
4𝜋ℰ0 (𝒓𝟐 + 𝟏𝟔)3/2 𝑧

4 × 10−4
4 𝜙 𝑟 × 𝑟𝑑𝑟𝑑𝜙
𝐸= ∫ .∫ 𝑟 𝒂𝒛
4𝜋ℰ0 𝜙0 𝑟0 (𝒓𝟐 + 𝟏𝟔)3/2

1,6 × 10−3 2𝜋 5 𝑑𝑟𝑑𝜙


𝐸= ∫ .∫ 𝟐
𝒂
3/2 𝒛
4𝜋ℰ0 0 0 (𝒓 + 𝟏𝟔)

3/1
UMN
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DA HUÍLA
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E MINAS
5
3,2𝜋 × 10−3 1 𝑟 1 𝑟0
𝐸= [ × − × ]∫ .𝒂
4𝜋ℰ0 16 √𝑟 2 + 16 9 √𝑟0 2 + 16 0 𝒛

3,2𝜋 × 10−3 1 5 1 0
𝐸= [ × − × ]𝒂
10 −9 16 √5 + 16 16 √0 + 16 𝒛
2 2
4𝜋 × 36𝜋

𝐸 = 4,42𝑀𝑉/𝑚𝒂𝒛

7) Aplicando o teorema de divergência para a corrente eléctrica e a lei circuital de Ampére em uma
3
superfície esférica incremental de área 25
𝜋𝑚2 , se a densidade volumétrica de cargas numa certa

região do espaço decresce a uma taxa de 0,67 × 102 𝐶/𝑚3 . 𝑠. Qual será o valor médio da componente
da densidade de corrente dirigida para fora, que atravessa a superfície esférica?

Solução: Aplicando o teorema de divergência para a corrente eléctrica e a lei circuital de Ampere
temos:
.
𝐼 = ∮ ∇𝐽. 𝑑𝑣
𝑣
.
𝐼 = ∮ 𝐽. 𝑑𝑆
𝑆
. .
∮ ∇𝐽. 𝑑𝑣 = ∮ 𝐽. 𝑑𝑆
𝑣 𝑆
Como o divergente e a densidade de corrente e constante na superfície fechada, as integrais ficam:
. .
∇𝐽 ∮ 𝑑𝑣 = 𝐽 ∮ 𝑑𝑆
𝑣 𝑆
∇𝐽 × 𝑣 = 𝐽 × 𝑆
4
𝑣 = × 𝜋𝑟 3
3
3
𝑆 √ 𝜋𝑚2
𝑟=√ = 25 = 0,173𝑚
4×𝜋 4×𝜋
2 3 4 3
∇𝐽 × 𝑣 (0,67 × 10 𝐶/𝑚 . 𝑠) × (3 × 𝜋 × (0,173𝑚) )
𝐽= = = 3,85𝐴/𝑚2
𝑆 3 2
𝜋𝑚
25

8) Três cargas pontuais −5𝑚𝐶, −7𝜇𝐶 e 5𝑚𝐶 se localiza em (−3, −2, 4), (0, 5, −2) (1, 1, −2), ,
respetivamente. Determinar o potencial eléctrico em (2, 1, 3), supondo potencial zero no infinito.
Comenta o Resultado.

Solução: Em coordenadas cartesianas temos: (𝑥, 𝑦, 𝑧)


[𝑟 − 𝑟´]𝑄1 = (2, 1, 3) − (−3, −2, 4) = (2 + 3)𝑎𝑥 + (1 + 2)𝑎𝑦 + (3 − 4)𝑎𝑧

4/1
UMN
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DA HUÍLA
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA E MINAS
= (5𝑎𝑥 + 3𝑎𝑦 − 𝑎𝑧 ) = √(5)2 + (3)2 + (−1)2 = √35
[𝑟 − 𝑟´]𝑄2 = (2, 1, 3) − (0, 5, −2) = (2 − 0)𝑎𝑥 + (1 − 5)𝑎𝑦 + (3 + 2)𝑎𝑧
= (2𝑎𝑥 − 4𝑎𝑦 + 5𝑎𝑧 ) = √(2)2 + (−4)2 + (5)2 = 3√5
[𝑟 − 𝑟´]𝑄3 = (2, 1, 3) − (1, 1, −2) = (2 − 1)𝑎𝑥 + (1 − 1)𝑎𝑦 + (3 + 2)𝑎𝑧
= (𝑎𝑥 + 5𝑎𝑧 ) = √(1)2 + (0)2 + (5)2 = √26
𝑄1 𝑄2 𝑄3
𝑈(𝑟) = + + + 𝐶0
4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 | 4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 | 4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 ´ |
´ ´
1 𝑄1 𝑄2 𝑄3
𝑈(𝑟) = [ + + ]+0
4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 ´ | |𝑟 − 𝑟 ´ | 4𝜋ℰ0 |𝑟 − 𝑟 ´ |
1 5𝑚 7𝜇 5𝑚
𝑈(𝑟) = [− − + ]
4𝜋ℰ0 |√35| |3√5| |√26|
1 5𝑚 7𝜇 5𝑚
𝑈(𝑟) = −9 [− − + ] = 1,21𝑀𝑉
10 |√35| |3√5| |√26|
4𝜋 × 36𝜋
O potencial eléctrico é positivo, existe um ganho de energia potencial ao movimentarmos as
cargas.

5/1