Você está na página 1de 152

in um.

' G eta
h

deScMagelUde.

/ -vr r o n ú c c am
Aj fninraj noticiai Ho prcjenic Anno.

E U lim o anno de 1741, deixando ar-


mados nam fó na Europa , mas ainda na
Afia , c na America vários CheátK», cm
que o? curiofos da hiftoria moderna ve^
ram reprci'enrar ncfte.cm que eniramo?,
as faraes fcenas, que tem preparado a
difeordia c os Políticos obtervarám os
eleitos das máquinas, que íe tem difpof-
lo nos
rant«*. . Gabinetes dos Príncipes beliee-
c t mando
aos «^Sff (? cada hunt as medidas ás íuas forças,
todas a> r,,.,? * acrccentaránt para a decoraram do acto
do luas IV?.'~ . Parecc,clP nccdlarias.ou aumentan-
ctaqoc.: ce ,' ,'VvlL Ç®pregando a íuhtilc/a das fuás nego-
S-®du oi fcm ^ r?"s » r c,cd,to ** linhas, que vain lao-
u* defigmos, ben» jx-detnos elperar ver novos re-
A piç-
s» r 5
-«» rei reduzio d fua obediência o grande Principado da Finfai-
Aia, que comprchcnde feis Províncias. unidas i Coroa de Sué-
cia defdc o anno de 11 50 , cm que foi conqtiiflada por Santo
Erice. Com cilas vemagens fuceffivas tem obrigado aos Sue-
cos a lhe pediiem a Paz; c pertendéfique unida cila conquif-
ta ao feu Império. Aiuftou com os Turcos as diferenças, em
que eftavam fohre a demarcaçam dos limites de hum, e outro
domínio. Negou audiência ao Embaixador do EmperadorCar-
los Vil; porque lhe nam deu o titulo de Emperairiz, e apro-
veitando-fe da conjuntura , o obrigou a que a rcconheceflc
com efte titulo , e para coroar de gloria n feu reinado, per-
tende fó fazer lograr aosfeus(ubditos as felicidades da Paz,
florecendo cnt'e elles o commcTcio, que hc o nervo das Mo-
narquias , e as artes, cas fcicncias, que fam o ornato das Na-
ções.
Succia mal aconlelhada mudou de Minitlcrio; c pelo
mefmo caminho, por onde intentava chegar á lua cxaltaçam,
encontrou com huma ignominia nunca experimentada atégo-
ra da valerola Naçam Sueca , que com os gloriofos progrellbs
das luas Armas tem dado tantas vezes prova* do leu esforço.
Nem por mar, nem |>or terra executaram os feus Gcneraes as
ordensdaquoiU Cone, e como de hum mal nacom outros,
) procedeu deftc o pedir a Paz antes dc latisfazer a fua vingan-
ça , c ao mefmo tempo, que a Naçam defeiava cllaheleccr hum
governo clediivo, elcgeo como por direito hereditário hum
liiccfinr para a Coroa ; porém como o Rey, eos Bifados Citam
de animo de chegar ás mayorcs extremidades, le a Ruilia lhes
lotpuzcr condições exorbitantes, ainda o Pheãtro daquella
guerra fica armado, para nelle fc reprclcntarcm algumas ope-
rações.
A Gran Bretanha por confcguir a liberdade da fua Na-
çam nos mares da America, efulientaro equilíbrio do poder
na Ruropa, tem feito hum excelfivo defem bolço. e feito cf-
'"'Ç v extraordinários porém com a fortuna de ficar podtf-
'"'a . c rwpcitada cm toda a parte a lua Naçam. Nos marcS
'intrica evpugn.-íram as Villas de Ponohr/o, c de Lhap.re,
rj
d ? Cuba Aguenta anima . no Peru Pay/a , enoKei-
r
'" d; \!fz!co Realejo. No Mtéiterramt obrigou as E.fqtia-
d© 1 rjnçu, e C;ite!!a a ie meterem cm Toni on, onde ain-
-is cita bloqueando o General Mal bens! Queimou no porto
u
• '''op** -a g-iés dc lie tun ha, e obrigou ao Rey da» duas
òi-
Suilito a mandar recolhi* a Nápoles a< Tuas i ropas, e '
mar lium aito de neutralidade. Reftabeleceo na òuicia o Rir-
lido. que alii perdêra, de modo, que lot requerido para Me-
dianeiro no aiufte da Paz, queaquclla Coroa trata cornada
Ruília. A favor da Rainh3 de Huuj-ria tem pruncado aí» raa-
yorcs finezas, nam fó com grolbs, e onfidciaveis fommas de
dinheiro; mas com hum numero grande de 1 ropas, empre-
gadas a dim na diverfain, que fez por Hanover ao pix.cr-de
Franca, entretendo fem puxar peia eipada o Exercito uo Ma-
rechal dc Maylkbois, que fem fazer, operaq^m alguma exii-
lio quafi hum anno no Circulo dc Wtjlpba)ta\ como out.a
inais poderofa, intentada por Flandes com o lítio dc
quc , fuípenfo pela conrtancia , com que permaneceo a Rcpu- .
blica de Holiuida na neutralidade , até ta/..-r o tempo impra-
ticável a fua cxccuqam. Confcguio ajuíbr
havia entre a mefma Rainha , c os Rcys dc l rtif/ia,c dc r
Unia, fendo El Rey Britânico o Medianeiro dos 1 rata.io ,
que entre eftas íe celcbráram. Mas to mefrao tempo . que *
fuás armas fc tem feito refpeiradas na Europa, e na America, y
em huma , e outra pane tem acrecentado muno as comei»- »
enciasdofeu commercio; porque na America introduz, n
domínios dc Hefpanha por Portobelo todos o* J)
e manufacturas tam livremente , como íeaquclla \ iltt h f
huma das fiias Colonia*; c o tem elhhclccido novamente
a Pedia pelo Mar CoJpio com grande ventagem dt» lewa
.xcrcfics, ajufiando para efte efeieo hum rratado particmar
aliança . e commercio com o Império da Ru ília. 1 cm n- -
gum detrimento no da Europa, por lhe haverem tomado'»^
de 400 navios os Armadores Heipanboes; mas alem dc q
cites ordinariamente fam de pouca importância , *«* |
eltá ref.ircida no geral pela grande riqueza . que os mgn
acháram nos que tem aprezado aos Holpanhoes.
A Rainha de Hungria,os mclmos ícus inimigos
pofic6cs. que fizeram para extinguirem, ou ao nu nos -
rem a fua Augulta Cala . a moeram mais poderolj. e
para a execuqam defte pro.edo h avça , AjwíW , „«
Sesonia lhe invadiram ao nielmo tempo por ajuile con» ^ ^
-a Bohemia . a Auflrta, a Meu* , e a Moravia. Abrig -•
tamanha tgmpeftadccm Ercsbu-RO. Os Húngaro*.,qu«
dalizados aréeftc tempo da auftcndmle do goy crno ^
co, recatavam contribuir com as luas peffoas, c com ^
t
^àâ. e tendo a aliança rco patrocmio .la I m pea triz dnP.ut-
fia fua tia, nam fofrena , que a C i'oa Dinomaiqueza s on lei-
vc o Ducado de Se/cjzicia, que feus avós poliuiram , e Sua
Map. Dinaroarqucz? fern mais dueito, que o leu puder ablo-
luio lhe lem ufurpado , arr3ncando-Jhe por força do léu do-
mínio ; e como os.Lft.idos de Sut-cia juntos em Coites con-
vieiam, an que nquelle Principe feia futuro lucellor do trono
Sueco, nam pode deixar demandar declarar pelos (eus Milili-
tros cm Stokbolm, queefta deiçani lhe nam podia fer nunca
indiferente.
Hollanda perfiftindo no fyftêma de confervar a amifade
com todos, e adiantar as força? com o leu commercio; ao
meJroo tempo, que fe enfraqueceftetn as das outras Potencias
coin 3 guerra ; prevenio o perigo, que podia correr desarma-
da a fua liberdade, aumentando onumeio das (nas 'lropas,
excrcitando-as no maneio das ai mas, e nas evoluções preci-
las na guerra , renovando as fortificações das luas Praças , e
nomeando Generaes capazes de governar (cientificamente as
luas armas i porém conhecendo , de que efeito leria a lua du-
çlaraçam para fegurar o equilíbrio do poder na Euioya , tem
rcculado atégora todas as; propoftas, que fe opoein á lua neu-
tralidade , ou por naiu diminuir as forças duPrança, ou por
rum fazer mais vigorotas as de Inglaterra.
A Corte del-Vança, oue em outro tempo intimidava a
l.uropa com os leus formidáveis Cxercitos , encomendou ago-
,J
o® 'eus interdTes i força das fuás negociações. '1 eve em
mais dedous féculas nor a í afj s*u/iri.i V»*» ««vritto

# x-ai*v* % 1. 4 vQraílTtt 9 c |C!l'-ll-


ai exiinguir-lhe até o nome. Parccendo-lhe indecente Inllac
-que tiniu prometido na aceiraçain . que fe.', ,u Pragmatic*

Um f " ' c !§'lor<nKia deixar de lançar inani de opor» unidade


uiio,JV|0Íl V aos leus '"lurelTcs a tudo atendeu, fazendo
ni f. ' M ope/açarn o J-Jeiror de Baviera, e aiudando-o com
fluiiTr n,J • "ani coin p nome do inimiga da Rainha de
Po,. i• "* • * oomo Auxiliar do melinohleitor. Nairécorrel-
0
feniDr/I?™ ^ ^UCC'I"S if difpolições. As 'lropas Prancc/as
tv- u.j m -ulerolas: os léus Marechacs todos peritos ra Ar-
c
'u'4 cfco'ljidos por hum Confelh» iam con-
■ . "Uji.-jo úys. negócios , o no conhecimento dos lit»
Ratos,
gcitos, de quem fia a execuçam dos Teus proieétos; mas os fu-
ceiTos, que rem havido na Bohemia, na Au/iria, na Alema-
nha , nam parecem naturae* , ecomo eftes Iam tam públicos ,
parecem fuperfluas as reflexões. Perto do rjoU homens fahi-
iam de França, para invadirem a Alemanha pela IVeílpbalia,
pela Aufíria , pelo Danúbio, e pelo Rkeno. He verdade, que
a inclemência do clima , a força do trabalho, e a falta do pro-
vimento nas marchas diltantes dos feus armazéns , contribuí-
ram também muito para a deftruiçam deites Corpos. Faltá-
rnm-lhe os Reys de Pruffia , e de Polonia ás prometias , que
lhe fizeram. l)s Turcos nam quizeram aprovei ta r-fe da con-
juntura , mas também cita circunltancia nam he natural. Pode
com tudo fazer França hum F.mpcrador, como lhe convinha;
porque fez hum Emperador pouco poderofo. Obrigou alguns
dos Eleitores a votar contra , o que defeiavam, e conftrangeo
o d; Hanover a entrar cm huma neutralidade , depois de ha-
ver formado hum Exercito; confeguio, que ElRev de Pruf-
Jia eo'. ide o antigo direito , que tinha aos Eftados de Bertbeu,
c Juliert a favor do Eleitor Palatino, evitando, que os Pruf-
li anos le nam fizetiem tam poderofos junto ao Rbeno. 1 era
i-poito Itunktrfue no mcfmo ellado, cm que le achava antes
da Paz de Utreque , alfultando Inglaterra, c Hollanda, e fãs
difpofiçõcs, para na Primavera próxima fazer refpcitar as luas
fronreims com o numero das luas Tropas.
Hcfpanha tem moltrado , quanto hc grande o poder ds
fua Monarquia. Sufpendido o cominercio das índias, diminuí-
das as rendas da* Alfandegas, feachi hábil pira emprender
acções , a que fó o projecto faz gloriofas. Com hum I xerci-
to a trave fiou todo o 1 Itado Eclefiafiico , e eftabéleceo o 1 to-
no das duas Siciliat para o primeiro Infante. Com outro che-
gou o Duque de Montemor ás ribeiras do Panaro, pertenden-
do fabricar outro para o Infante D. Filipe na Lombardia. (-«m
hum formado de Tropas efeolhidas paliou o melmo Infante,
roda a França, e ganhou em huma Campanha todo oiDucad
d* fiaboya , conftrangerdo a dár-lhe obediência os \
dei Rey de Sardenha, promulgando Leys, c batendo moeda nu
mefmo Paiz. Actualmente vam marchando mais 1 ropas
Hcfpanha , c levantando-fe outras na Helvécia , pata cní»'
for o poder, com que Sua Alteza Real pertende penetra
Principado dc Piamonte, a iim de chegar a dtabelecer-ie ^
Ducado de Milam; e ao mdiuo tempo 1c citam levanta
i
.-antas Tropas . que poliam íuprir o numero das que fe extia-
hirant do icú continente. . . ,
vi Rey de Sardenha reconhecendo os feus intcreflcs jul-
nou . que nam convinha nem áfua conlervaqam, nem ao leu
focego, deixar meter os Teus Eftados entre duas Poiencmpo-
dcrolas. e ambas de huma mefma Gafa. Pela parte da sab.>
o Coroa de França. pela do Piamonte a de Hclpnl^, que pe-
lo antigo direito. que tem ao l .lbdo de Milam , per tendei ia
revendicar a pofle de todos os territórios , que 'ie perten-
ciam , c o Empe-rador defunto lhe cedeu. I aquclle Pnnci x.
íó pe-rtende por vifinho outro. que de tempos cm tempos lhe
vá JArsando territórios, ate que pofla íntitular-íc Ri y da Lom-
bardia. Para eftc efeito rcecitando todas as propelias . que ..a
Puttc de Franca. c dc Hefpanha fe lhe fizeram. abraçou o par-
tido da Rainha de Hungria , c com as luas 1 ropas lhe amdou a
defender dos Helpanhoes os klludos dc Mude na, e Krpgio, eu-
k» Principe a Corte de Hefpanha havia ganhado, Fafa abur a
pu.ta ás luas Tropas. a fim dc le poderem iniroduzir nos 1 -
todos de Parma , e Plactucia, e depois no Ducado de Milan,
luta nolle fazer feu aftento o Infante D. trhpe ; poiem tan-
to que vio. que o General Train pertendia introCu/ir-le nas
bootclros de Nápoles; e flue leria pofltvcl, que a Vitta ca*
Tropa» AulíriacaS lizefle renovar os afectos dos Napolitanos ,
c pela fua natural propcnt.un íublevar a leu lavor «>s l o»os.
começou a retroceder logo coin a* fuás 1 ropas , as quae* or-
denou , que fó fe opuzcilcm á paflagem dos Helpanhoes . e
turn paflállum nunca o Panaro. |tara os irem bui car nas tciios
da Igreja, molhando , que o feu defipnio he 16 ajudar a isai-
nha na defenfa *, pordm nam na conquilta. Hcípanho p.ira le-
ver huma divertem a cite Principe. para que nam polia axilar
a Rainha , e allim lhe lique mais fácil executar o leu projecto,
lhe mandou fazer pela Saboya a po.lerofa divert am, a que deu
pnncipio o Conde de dimes , e prokguitá na Primavera pro-
pina o Marquez dela Mirra ; ceftc lerá outroTheátro, on-
. veremos repreíentarn efte anno as acqões, que le clpeiam
dc lropas iam valerofa , eguericiras.
1 T A I. I A.
A Nápoles 17 de Noxemlro.
Sercniffima Infanta Alatia lfr.bel. Primeira filha deSuas
Maqcllades , faleceu no primeiro uo corrente entidade
-c dou: ai..,qs, c hum mez- No dia 10 íc icflituinun Suas
W1 i dl--
Ii i
ro'ue, que a Regência de Tangerc tem convindo com os
Hollandses cm huma fufpcnfom deannas por ires mczes,
Mia que nolle tempo fe trabalhe em concluir hum Tratado
formal dc Paz , c amilade.
Bolonha i o de Novembro.
Am feconiirmou o juizo, que fe fez pelas aparências de
N partir prontamente o Exercito Ilcfpanhol das vilinhan-
çjs de Bolonha ; porque ainda exilic nos me I'm os polios, que
ocupava, Os Auílriacos, c Piamonrezes fazem de quando em
Juando entradas no território de Bolonha. A feniana paliada
e avançou ate* lurvino hum groHo dc (-avaliaria , dividido cm
tres Corpos; c alli fe deteve até o Domingo , cm que voltou
a Samoggia , c Piumazeo. Os Hefpanhocs entendendo , que
pcfiendiam atacalos, íc puzeram em ordem dc Batalha} po-
rém o fcu intento era fó facilitar a pa (Tosem de hum Corpo dc
cinco para 6U Piamontezes , que palTáram para a Tejeaua
pelo caminho de Pijloya, c tanto que fouhéram, que efles
tinham chegado áqucíla fronteira , fe refirdram de Làvino pa-
ra Buonporto. Pouco depois fez outro dellacamento , dividi-
■ «><> cm duas Tropas, huma entrada pela Bolonha alta até Pe-
Qpafi no mcfmo tempo aparecêram muitas partidas de
limiares cin Scuta , c na Ponte do Rheno, e infultáram as fen-
; tmellaí, que os Hefp.inhoes tem por aquella parte ; porém dc
'"•'as elhs entradas fc riam colheo outro fruélo mais que a-
C
" ° General D.Joatn Boaventura de finges , rtior-
Çsuaoo^lcus portos avançados, c tornando novas'medidas d
«egurança das luas Tropas.
S Génova 21 de Novembro.
• Rundo os últimos 3vifos, qnc fe rccehéram dc Gorjeta
entramos no recovo . de que poderá renovar-fc hrevemen-
«cnaqucíla Ilha a guerra :eílina. Trezentos dos feus h'.bi-
' collimj»dudos pqr Ginlani, e Pao/or/i , fe ajuntaram
dc
cr pedindo ao Governador fe publkaflê,
001 c xccu< am
feito , . i prontamente o Rcgitr ento, que foi
y Ra,an,
t,rnauatn i'lo pela
a pegar n.is França
armas, ;eporque nam
a tratar o fazendo
como ali'm,
inimigos a< s

«H ' . < Afj "V ^g«icia informada do referido mandou , cue


«■ it,. ^'lljdor de Ba/lia lizefle publicar o dito Regimento a c
li tmt»V "aS Pnnc,Pacs Cidades da quelle Reino, o que le
<-• Ccr''j "ecu,ad
J' ~o receberam, eo ° tlencio,
- mas namque
le diz o modonefla
fe cbferva com ma-
que

ter ia,

teria. íii prefumir. que Te nam acha nquetia Tlho com perfeti,
ta tranquilidade, pois alguns avilos antecedente* diziam, que
a mayor parte dos habitantes de Bolagna t nha tomado aj
armas para íe opor a hum deihcamenr, que o Marquez
Spínola. Commiflario General da Republica , refolvco uiafc»
Au àquella Província, matando alguns Soldados , que empe-'
nhados no lêguii-.coto da caça tinham chegado até o territó-
rio de hum dos few Con folhos; e as me Imas cartas referiam
haver lufpe'ttas , de que ca habitantes de Ba/agna entretém
correfpondcncia fecrcta, eque todos citam prontos para ic
ajuntarem ao primeiro final, que para illo Ic lhes iizer.

PORTUGAL.
Lisboa i de "janeiro.
A' j6 do mez palTado, primeira Oitava da feita do Natal,
concorreo toda a Nobreza ao PaÇo , c beijou a mant i
Suos Magcítades, e Altezas. Os MiniiVos Lfirangelros rize-
ran» os cumprimentos de boas feitas na fórma poltumáda.
A a7 dia dcS.Joam huangciifla le fcllcjoucom pala o
nome de Sua Mag. '1 oda a Nobteza, e Mloiftros da Coite hei-
•jdram as maó< ás pefloas Reaet.
Hontetn por for o ultimo dia do mez de Dezembro, e
••uno paliado de 174*. fe cantou na Igreja de S. Roque da <>
ja profeflò dos Padres da Companhiadejefu* coma lolcnir.i-
,1:1,1c, e concurfo colluraado o llynuio Te Deum lauàanmt,
cm accam de graças por todas as mercês , c benefícios
x o difeurfo dclle foi Deos Noflo Senhor fervido tor a cite
Reino.

Sabio a luz bum livro de folio intitulado Vida da inlip*


Vicflra de efpirito a virtuoft Madre Maria Perpetua da Lttt»
lieIh 1 o/a Carmelita calcada do exemplar/[Timo Convent»
l /p, rança da Cidade de Beja. Seu Autor o P. l/.jozc
ra de Santa Anna, Cbroniffa da lua Província do Carmo
tio de Portugal. Veude-fe o dito livro na portaria do Car»'
tie Ha Cor te, onde lambem fe achar dm outras obras IliHonm
do me/mo Autor; na portaria do Colleg/o do Carmo dc Coin»'*
t na pos taria do Convento da Ii/pera/iça dc Béja.

NaOfficinade LUIZ JOZE' CORREA LEMOS-


Com todas as licenças necc(Janas.
GAZETA
I) E

L I S$y^SBOA.

dc S.Magcftauc.

Terça feira 7 & Janeiro de 1744-

INTRODUZAM AS FUTURAS NOTICIAS


do prejeuie anno.

S fuceffo» de huns annos dam materia


aos judiciolos, para difcorreretn com
acerto íobre os acontecimentos dos ou-
tros ; e quando ntd o Sol tranlpollo ne-
ga a claridade aos hemisfetios. os ta-
cto s depois dc íucedidos nam lo a dei-
xam nas memorias, mas - trans, cr cm
dc modo aos entendimentos, que po .ein
. ' prever com elln os futuros; porque por
num Ivneficio fobrcnatural da Providencia fica contcrvada,
"u nj experiência , ou na licam. He verdade , que pódem na!—
ar
algumas vezes os lew pronóílicos, mnsem todas â*coufas
«* 4 unJo lc obíenra o incfmo , porque tudo cede ao- Decrs-
. ; <U Expediçam iXviíw Vimos neftc anno paiTudo cm varus
014^1*3 & i_u.õpu diferentes .-êaas. Humus pa«c-
. a cera::!
pemtríz de Alemanha víOv*, a Rainha de Hungria fua filhai
o R-7 de I'ruQia, o Duque de Brumuiek . c o de Mtcklen-
burgo. Lftc ultimo leu a\ò materno f os outros pr. entes muy
propinqucs de feu marido. Kraw tórios as tuas iníbnci is, ma»
era muito mais fórte o ciúme, que lhe dava a liberdade da-
quela I'rincipci, achar,do-íc em huni Trono tam coftúmdo
» Ca t hit trofe>, como o da Ruffia \ e oara lulpcnder os ro^oa
dosintercelTi'ies , qualquer palavra de rclenrimer.to teve for-
ça de conlp'raqitn. Aprovei tou-l'e hum Mir.;!!ro déftro
conjuntura, c atribuliio a outro innocente deite Crime aorn
gein delle. Caltigou-lc leveramente; ainda que nam bem ave-
riguai ; e aiDm ficou a Imperatriz lcgora , fufpenús as inf-
tanci.i , e fatisreita a intercellam com o acrecentnmento do
iublict.o; mas continuando na prizam de Dunamunda com
leu marido, e í^us filhos, efla deplorável, eoíclarecid iliir*
runccza.
fc
. ™ djbaigo das boas dilpofiçdes do P.CY , e dos
fclta.y*. vio infeltcvsoi luceflbs d-sluas armas, efazerem-
ic 05 Kt 'Tranos fenhores de toda a lintandia fem rctiftrncto.
Aceitou a Paz , que os mcímot inimigos ( que a nwu udlcia-
vammenos) lhe propuv.dram. Pren/tVam, c caftig.íram os
Jois C.neraes. n que fc atribuhio toda * infeb'cidad.- da ulti-
nu(.4mpanha-, mas nem o abraçar a Paz antes de vingada .
nem «>% meímos triunfos dos feus inimigos , poderám nunca
«cr_ perder a Naçam Sueca a reputaçam devalcroô , t:--»
^ coiraiia em todo o tempo com os teu» progrertos. dos lé-
us anngo* conteryados na Hiltória, e vilto> com muita ad~

cam SE °V° Frefcnle- devendo fegundo a fua conltiiui-


!liruro fu
iu r ^ celTor para o Trono, prevenindo as revo-
qUe P i<:iia havt r íu,uras
vidtdí,V o °' ; ' J' fez prudentemente na
l!U c Cf Cn hum
(a »m . 7 * ' « .J° Ptincipe de huma grande Ca-
nto ri» * exillc llnda ° Rcal <"angue do feu magnani-
m.i- ' ''ívo 1 c P",rj foAenwr efla eleiqam . fe armou por
Rujil P°r tc, ra • «eforçmdo-fe com affiilencia das armas da

io1jcif??'"^âí.rí,?endeu eftender o domínio da fua Cala.


'•'«£t ,POr feu "í* no Trono dc òuteia. o prra feita»
0
'crraftíí? í8"'' ^ftcT,,ou fodas ssfuas forças marítima* .
5°-U Vln É*c,c'ri> n<* fronteira daKurnei,
°.a l;»* *[tolMdis . e pozhuma poderoiAs-
--»"i wc bague Suípeodeo- a cxwcuqatr, das lua»
A ii ideas
f'iUs & inft.incia (*"« duas Potencia* Marítima#, da Corte Fui"—»
Moa , o do Rey de Prulfia; e fó ficou lucrando com ellas di-
ligencias faber os muiros ânimos. que tinha da lua parte na-
quelle Reino; porque ainJaque pertende a renuncia formal
Co Ducado dc Sele/vicia, e da Ducal Hei/afia , íe duvida,
que o Gram Duqocda Ruffia, que cedeu A Coroa de Suécia,
para a qual foi primeiro eleito, a favo» do Principe Auoifo
leu primo , queira ceder lcm outra conveniência o leu Eíjado
patrimonial: entendendo muitos, que cllc o qu'zcra ante*
potluir hoje, ainda que pequeno, confiado na fidelidade dos
jetis vaffaMos, que ocupar hum de tenta vallidam. onde a in-
conftancia dos lubditos o hain de ter lempre eni hum perpe-
mo ffifto.
Poloiia entre a e (limada liberdade da lua Nobreza, tem
encontrado o perigo de liuma guerra civil; o fe teme , que
entre a Caio de Tar/o , e as de Pclocki, e Ceítnloriniki, íc
experimentem os mcímos difturhios , que i.t caufiram as dife-
renq «>. que houve entre a de Oghiski, c a de Sapieba. O Rey
pcfto em Drejda cuida mais no lublidio da Coroa , que ra*
comodidades dos vaiTallos, que ha tantos me/es , que o cha-
mam , c o confultam. A grande doença da Rainha fua efjW»
lhe ten lei vi ao de cicuia para nam ir a Par/ovia , onde a 1W
nuthoridadc podia dar remedio á perturbaram , e a fuaptefen*
i* animar os abatidos ânimos dos póvoa; porètn lembrada
bua Mag, Pploueoa, de que deve efte beneficio limplcz Á (-•
fe de Ai,Uria , ltrm embargo das repetidas inílancia* de variai
Coroas , nam tem feito outra demoíira.çjin contra 3 Rainha
de Hungria, ( depois de acabada a guerra da fíobenâa ) que
entreter algumas das fuas Tropos na fronteira daquelle Re*
no, em quanto a ii-flaqam o permitiu; fe nam he , que a if
*a«am da Bavura lhe tem fervido de exemplo para acautf
lat-ie. , _ ■
Pruffia quer coníervar Silezia. c a amifade de França ) *
jvra confeguir huma, o outra coula, dclejj muito, que a
nba de Hungria lhe nam fuja fnperior em forças. P-tra et»
efeito entretendo boa corrcfpondencia com a mefma Prinf^
za , tem completado , e pofto prontas a marchar as luas 1 &
pus. Publica , que dele» ver a cabiça do Império com a d*
cençta, que requer a íua grno íe dignidade, e o Corpo
nico livre da cpicllam das Tropas Eítiangciras. Com a mel*
ilida ióiuia Plaurw de faci£;aqocs, conluluda* cem o • wgj
râáor, e com França, encaminhando-fe fcmpre a fua idéa a
diflipar as forcas ia Rainha, dando huma purçam dos feus
domínios ao Imperador; e fendo a lua máxima principal, que
fique a Cafa de PrufFi a mais poderofa na Alemanha.
O Imperador deílituhido ainda de todos os feus Lltados;
mas entumáz na pertençam de defpoiar a Rainha dc Hun-
gria de huma grande parte dos que pofiue, abraça com p n-
decontentamento iodai as perluafoens, que lhe fazem tobre
efle 3t!nmpt" os f us mefmos inimigos , ( que cue defeonhe-
ce ) lupondo ler empenho da amiíadc , o que tie mixn.:a íu-
til para enfraquecer o Império todo, e principalmente a Cala
ce Auft'ia, que o tem livrado ha mais dc dous fcculos dc tam
rcpeii.. is invaíi. ns; c como o que le defeja, nuncr fe afigu-
ra diti d , aceita os fubf.dios dos feus Aliados , c como quem
ram r m mais cue perder ,tópa a tudo.
A Rainha de Hungria fó confiada no amor dos fens vai-
íallos, e na infcparavcl, e útil Aliança da Gran Bretanha, ne-
nhuma das tempeftades , que vô armar contra os Iciis interei-
fes, a a'emoíi7i. Continda em defender os Lítados. que lhe
deu odiu-uo de filha primogénita dc hum Monarca , jvcos
polluhia como herança inconteftavcl de ícus avós ; c cuida
muito n nam oitenta* todai as foas forças, por confcvar os
feus Aliados, enain «lar mayore» pretextos aos fens ummgos.
Poz na íronwka dn Bobertia* e na Moravia , ambas conhnan-
tqs.com a Stitzia, na primeira o Conde dc KhevenbuHer, na
le.^nda o Baram oe berne Ian , ambos dos mais famolos Ge-
J eraes , que tem na leu ler viço , com dous C«'pcs de gente
» ohiervar os movimentos dos Pruffianos. Recluta , c aumen-
to as luas Tropas , que ham de fervir nas ribeiras do Rheno
contra Fiança, c reforça as que manda na Italia o Príncipe
de Lobkozitz; intentando reunir A fua Coroa aqucllas Provin
ci.'t, que ainda que cedidas á Coroa de França por Traiados
íolemncs, fc acham eftes ror diíeito nullos, peia mvam de
nim haver aquella ( orca oMervado , o que iiellesellipulou.
A Grau Bretanha firme cm úilkcntar, como prometeu ,
* Pragir.atica Siuifnm, locorre a Rainha de Hungria com tu-
. o que lhe he potfivCl; c para adiantar asopcvaçGc. da Cam-
P'nha proxinia.eaon-.efmo tempo tiiar ao Impera 'or.e ao Rey
FniiFu, as « dcoueixpr-le, nam quiz deixar rquarte-
no Corpo dolmpeno nenhuma d. s fuasT ropae, c a- fez.
Fa'>ar ao Paiz Bai& Aujlrioeo. onde, legt ndo today as infe-
A iii icncias,
* I
rendas, fcrá naPrimavéra próxima oTheátro daguerra. Co-
mo efte Príncipe defeia ha muito tempo, que a balança do
poder da Kurópa leponha no equilíbrio; venJo-a propender
para a parte de França, e muito maif, depois que fahio da
Cafa de Ariflria a Província da Silee.iii, acrecenta á obriga-
çam da garantia as diligencia* de diminuir-lhe as forças, dei-
poiando-a das que fe entende haver arrancado contra juftiça
da meima Cafa de Auflria, a fim que eite defmembramento
poffa fazer igual a balança. O que os Deputados do Parlamen-
to publicam, faz eíperar, que entrando em aíliviJadc a fua
Camera, aprovará efpontaneamcnte toda» as idtías dei Rey ,
que com a elpada , com o dinheiro, com a penna, e com as
negociações, defende a razam , a juftiça , c o reflo procedi-
mento da Rainha.
HoUania, que olha fempre com grande prudência para
tudo, o que deve obrar, tem ajudado cont dinheiro . c com
Tropas Auxiliares, a Rainha de Hungria, tem tomar a refo-
Juçam de fe intercílar nefta guerra como p3rte. Pcríu3dcm-na
a fazello com as luas reprefentações a mcfma Rainha, e a
Gran Bretanha; mas querendo-as reforçar por meyo do inte-
rclTc, defendeu Sua Mag. Húngara agora o comercio, que
fem embargo da guerra exiftta ainda livre entre a França, c o
Paiz Baixo, c propôz á Inglaterra introduzir nefte todas as
manufacturas de leda , e Ian das fabricas Inglczas ; mas ao
mcfmo tempo , que com cila refoluçam 1e molh a agradecida
aos bcncficios de Inglaterra, ocaliona hum relcntimenio a
Hollanda. Extrahíam otégcra os 1'ubditos defta Répuhlica o«
panos. e os efto'os da Gran Bretanha e;n branco, c melhora-
dos com o beneficio das tintas, os metiam com grande con-
veniência lua cm todo o Paiz Baixo, e pela meima via os in-
troduziam em muitas partes dc Alemanha. Segue-fe de ft a pef-
da huma nova ventagem ao comercio dos Inglczes, acrcccn-
tando a emulaçam, que 1'obre efta materia exilic fempre en-
tre as duas Nações; mas he muy verolimei, que o inrcreile a
mova a fe opòr a efta oferta , oefvanccendo-3 com a reiolu-
Sim de entrar manifelbmente nas idéas d<«s duas Coro3fc
cha-le a Répuhlica ainda lentida , de que os Inglezcs na
guerra precedente ã Paz de Utreque, (e apartaíTem da Alian-
ça , cm que eftavam com ella . deixando-a expofta a todo o
pezo da guerra, e fem as venr.iqens, com que etperavam te
a lua dcípczaj mas lc ci^uc.cudo-ic «cite icientiiucno^
e advertindo ascircumílancias da prefcnte conjuntura , fe in-
tercfiarem, como lhes convêm, no abatimento de França,
em nenhum tempo o poderiam conleguir íem tanta diticulda-
de, vendo a Cafa de A nitria mais podçrolà , que em outro
tempo, e livre da diverfam , com que os Turcos na fronteba
da Hungria atalhavam os teus progrcilos da parte do Hbcuu,
Inglaterra empenhada uefte projeao, e a França com menos
forças , como fe divulga.
trança empenhada em tirar a Coroa Imperial á Cafa dê
Aullria, o confeguio; c íem emtargo de ver anuinat ao novo
Imperador os íeus I-.ftados , a troco das Tropas , que perdeu,
teve o interefie de ver delbuir os Alcmaens, huns aos outros.
Or Ihuoverianoí . e as Tropas da Ha {fia, pclêjam a favor dos
Auflrtacos contra os Havaros , e os Palatinos , e com as mais
Nações, que fe agregam a hum, e outro partido, matando-íe,
c arruinando- e huns aos outtos , lendo todos Alcmaens , que
deviam defender unidos a liberdade do Império. Perdeu a Ba-
talha de Dettingen , mas vio que nam fe aproveitaram da lua
ventagem os Aliados. Retirou as fuis Trop3s para a Al/acta ,
e obfcrvou , que pela contradicçam dos Gencraes inimigos , c
pela falta dos armazéns, nam pudéram intentar rada contra os
dous hxcrcitos dos iMarechaes de Noailles, e Coigui, nem
pelo Rbeno , ncin pela Brisgovia, O fim defia Campanha re-
novou o orgulho, que parecia abatido nos Franceses , depois
«pulfos da taviera , c do A/lo l'alatinado , e obrigados a fa-
hirdas vifinhanças do Meio. Publicam cw Aliados, que nam
tem os Francczcs dinheiro, nem Gencraes , nem Tropas exer-
citadas na guerra ; porOm os Francezes moftram , que lhes fo-
beinm os Generacs, pois abatem huns, metem hum no Cabi-
nete, e nomeam outros para Commandantes dos txercitos ,
que prometem pôr na /tilada , em F/andes, em Italia ; levan-
,am
Tropas no leu Par/, tomam muitas a foido na htlittia ,
c
publicam , que terãm perto de 400U homens ua Primavera
Ptovima Falain em mandar vime naus dos pórtos do M,.r
Ureano pata o Mediterrâneo, e fazer levantar o bloqueyo ás
-'quadras, que eftam reclinas ha dousanno» cm 7eulcn Se
fills promclTa« fc pódem cumprir, corno alguns nam duvi-
arn , ben poderá ler nelte anno a fcêna pouco agradaveJ á
ainha de Hungria , e aos feu.s Aliados; poraue baila a Fran-
v* lu(tentar ilcl'a a Juafronteira, edeixar fiulitados os ata-
" > cãs dutpc&is dosicus iuiuugos j c wotuu os Francezcs
re fíruaçtá, em qu? eternos. he mny flr.erfa.Ta tw* no« DO!
d?ru fcr mflfios inconveniente hunu boa guerra . que permal
ncwnaWa, em que nos vO.no*. A lubfiíencCTa

Armm Vm5"* ' Cufl" ,n,,ito á Gorrta • e ^nla <JUe a /?/,/-


Í;J ??< f * 35 qUC ^ em noir
° Acorro , lhes deve-
s
íífnm! "Tí ° cartei», eos mantimento,; c affirn fc
r/mmi'n"nrn d,Bhc,
nn f°.'
c
obfl °
tc
ar J?P° •
fc
° '«*yo de chegar ao
mo elk ; .indo he muy con liderarei, (empre
nS'™? , ? fi Ciarmos preparados!
multa gente enr >n VCo-

ff ' que fe nam declare hrevememe fé


he iSm »nlU:r • Parn quc
° ^ »« Cite fc

cn-unr-r E ./t/ , ?',in trouxecommiffam na'a o


U rqUCZ
;tn " * Ionian., pnflki par°
íSdi" jfeÍJ1?a °* tlrtnnaS?
que d',iam n 'V Tn* «town, que a? neffas 1 rnp,* ,
n cm ih!™1 I fronteiras dertas duas Províncias, en iraram
iftm» ,rf \ • ,nvcrn" ■ P°fl»3v«em &»ro o mefm.. a* de
co^TííWclfe^oS 7 m,li?T «»'»«*- cnrn tudo .
grades ar !rSnJ i « na>tí,lwa de hunu guerra. Fprmam-fe
c
*• e£££51CrTr^^V' r^nclpalmente na
Jcr. fioer,-li . ! •r"pa?fp°rfcrq3 em rodo o Rein:,; Po-
u!lC,en cn
Mm J^ave?m?nr/ S« ™ ^hamnrea k- ajute-
nui. dlficuknf. a ^v f ,,:C no fla AIiai
j . 'k1 co™ a f;.z

,rabjlhan
P^nurbaqa,,, no » ' Por evitar eila
Portugal.
A}» i. ,< yri'ta 7 de metro.
do T P 'r fIr ° u!rhnn dia aono
rafla-
^drcs da ^ V"e da Cafa Profrffa
d<w

r^aSKF4*^ d
"iurfo
,? a !<^ ?T ? oa, !ÍS:
í , 05
**rcafe i'iracim do
"--«Mçm» i novoauno.
^usnp;:mcnios coftuma-
Fa-
12 »
Faleceu noíh Cidade a 33 de Dezembro de afilio paflado
cm idade de 71 anno*, e 9 meze» a Iluíbillima. e ExcelcntfÊ
fim a Senhora D. Maria Anna Lanza Francijca de Sou/a Tava-
res da Stlva Majeartnbas , 11. Marqueza de Arronebfs, V.
Conde (Ta de Miranda, Senhora , e Oimmeno.n'or.. de Souja,
c de S. Vicente de Villa-Fianca de Xira , viúva do Principi
Carlos 'jozé de Ligue, II. Marquez do Arrombes, falecida
em Veneza no anuo de 1712. Foi fepultada no dia fcguintc
na Igreja do Convento dos Religiofos ArrabiJos de Santa Ca-
th.niua do Riba-mar, onde lie o jazigo da Tua Cata. H.tvia m-
eido na Cidade do Porto a tç d_- Abril do anoo de 1672.
A 3 do corrente faleceu com perro de 80 ar.no.-> de iJutie
D. Lopo de Almeida , Comine ndador na Ordem de Malta, <
Balio de Léfía, que íeivio muito tempo neila Corte o empre-
go de Recebedor da fua Rcligiam , c de Vddor da Caía dl
Vrinccza nofla Senhora. Foi fcpultaáo na Igreja dos Religiolci
Terceiro^ dc Nolla Senhora dejefus com alBlteriJa de todai
Nobreza.
Na Villa dc Trar.cáfo ds Província da Beira faleceu .1 n
de Dezembro do anno pifado em id ida de 7a Jacinto Lo
Tavares da Cofia, Fidalgo da Caia de Sua Mag; General
Bat-Ilia nos feus Exércitos, Governador da Praça de Atinei**>.
Jue bavia fere annos governava com boa latis façam .is A«4«
í tod i a Província, cuio emprego li 1 via exercitado teu pif
Balthafar Lopes Tavares.
A 21 do proprio rr.ez faleceu em idade de 70 annos »
lua quinta dos Namorados, junto i Villa de Ourem, / ttisOb
te/ino de Freitas, Fidalgo .ta Cafa de Sua Mageft; Cavalldp
Commtfndador na Ordem dcCitriílo, c Supcnntendcotf -
Çoudelat ia da Comarca de Ourem, e foi fepultadò no 0-r
'•cato de Santo Antcuio da incluiu Villa , onde a lua Cafa t--3
jazigo
. Junto i Vil Li da Barca nas margens do rio uma co -
huma fonte, na qua! a experiência tem defeuberto b-. pm
tempo grandes virtudes pa<a curar varias- enfermidade'•
Bebendo as luas aguai, ou banhundo-ie nellas; c por eí'i
v.am concorre muito pôvo a bulcallas, ereconhece eviacw
beneficio no feu ufo.

Na Officinale LUIZ JOZE' CORREA LEMO*


Ccjm ioda; as licenças neceÇasias.
B O A.

Com Privilegio deS.Mageílade:

Terça feira 5 dc Janeiro de 1745.

I <V T R O D V C, J M
th r.otiiiai futuras dejie prejente ar.no

EMORAVEL ferá a todos o« fccol is


o jnno dc 1744. na.n ló pelos grandes
íucetios , que nelle havemos referido,
mas pela éfptíçiaiiUadc dz /crmcs dcfva-
nccidoa todas as eroivczas pr« iodadas
j-eiav potencias befigtuincs N.-m f»<y
MÍUprc o cr-forct» d : ioMud'S nam toy
íuficicnte a pt'icu dm. Generae , nam
fry p:ide<ofa a direcção) dos cabinet es ,
Pai' que o;, cf itos cofre;poi^eitcp ds idéas l.mpteniêísm
a* PftCça» v Hefpaniia cxmdiar do Medi:eMcneo
1 ?.rn 1,1
1'c. a , p-ra ope Jl.es fcrilc livra o corrercio de
1.' "1 ,C,# 1,u '£ » c 3
OlH'a vonquiflar a I ombardia,
c
to ao <1 " • " aos. feu cXsrvito ; n.v dc-
" d IflIjío con l;jic,de si dcFeveieiio, cm erne <>*
A Het-
tou a «Jí mvadir Inf^icrso , p.ewxto a efta exj<e-
0ue lORtava e* Roma , j«« J dcp(->r vtlo nono ao Rey da
diçim. Intentada 1- . n-(Tn haver i-utrrra declarada
Gran li , ícm e . J • hu0l Aliado tom poderá
entre ambaí as Coroas, para «u« [Junoucraut todas 3S
a Rainha de Hw*- v~'%&*£3Jo dc W-

wmmm

inelinos lnfta*. %<£&ZZ£i£Í'°Kà° ta Key.


S
, qu-4 a emftcaa fornada Faia°o
o «i»« douono iuiiiaceu

vé :''e ss^srÇSSHS&I

ír/^i: aatf. «*■*- • «■«"«""313

nhafbrmado deW*r » ffi^JTve^lta . 5de


SgSBS»5®^
nio os Ducados de Lwm , « £«:• «v4 « btlhno l"f
Mayo um dc iet««c, que ucm a Ban ha, ncra o Uei» ^
f
r— r.rrarN^n a fin viaeem , hia medi'ando asmáqui-
^ ^rfr
ms. ^ue fc íTvia w
aequeieoeww fcrvir
• Kpara conferirF|Rcv
o fruto da fi»a o
miffami inwcnirou no capricho, de qu ^ icu an o nam
daqucJlc

« -ST- «^3? 'SíWSS ITJ'^X-

Sn^níríIiíde >Mríi, c em varia* partes da Monarquia

sé ss S

ja&Eftsss
de fcr comandado pelo Imperador , executa.»» muito a von
,ídC
X » Sfemedlatamente oot? ^
t-m, e fo.m.ram hum Tratado co n o ntulo de W^T<?£
ia» vitiifcaqncs fe trccáram em I raurfc-i a X de Àgofto)> *
Cortes àe Fr/inefort , de B'riin, de Ma\bf,m\Z t 'Z ±
Eraofim.confórtne fe prestou, muy ^
• Caminhava à obterem da par. géral, e &
t do O co.po Germânico; po*n <* «W deviam fcr ohri
par a Rainha de Hungria a aceiula . cedendo o ^dos p m_
epics. que pofluhia . huns a« Imperador.< outros a limpa
^a, alguns a Proffi*. e ao Rey de Polo*'** praça 'de /-
«>n> rodo ofcu circulo, par. que delle n.odohca jc. enan»
wiquitad, . aSatida a Cdfa de Aufína, fcmpre
*m de h„„b«» . e fe^e envejada .
"•-K poder es áeAlemmbsi P»*ê« « g^T-S vL.MÍM
Corte de/',,/„//>« ( do-de emanaram eftes influxos) era 11
Jar osfccj fclhdm da óprdflam . que padeçam com a en a-
que nelles fez o exercito An«ittco, ocupando já horn*
A iii P3
parte da Al/aeia ; prrque tinha Prarçi, como injuria , qt?ca>
guina Potenc-a da Europa fe ar-evc fie a entrar com excrcit*
nas terras do úu Domínio. Para a cxecuç.in ricllc pro dtil»
entraram log » por acccíTam no dito Tratado os Rcys de Fraaj
ça , e Hefpanha , obrigando-fe ambos-á« condiçojSs , que ret
le fe eílipuláram. Foram convidadas para fazer o iccímo to-
do» os Príncipes do Império , os Rey» de Dinamarca , e Sué-
cia , e a Imperatriz da Rullia, mas ninguém le difpôz ena
mais zelo 3 exccutálo, que o Rey de Pruflia.
File Monarca clquecendo-lc da lua Real palavra , pe-
diu licença ao Governo dc Saxonia, para partar a Bohemia; c
porque le lhes nam deu , a tomou quafí violenramwue. té
trou nos Elhdos da Rainhi. tomou a CMadc de Fraga, 11
de Rudxaeh , Irautnfeld> Tabor, Teiti, c outras. Mandou
meaçor ao Rey de Polonia, fe nam rctirafle as tropas, qned>
va de focorro á Rainha ; pediu alíidencias a Suécia, e a Rtfr
fia, pertendendo queenrraflem no Tratado da uniam; porí-a
eflas Potencias fc excuzáram , declarando a Ru/fia, que :c.i»
como declarada contra li a guerra , que efte P.-incipe deu-
ralTe ao Rey de Polouia, a quem queria alfiltir com todas «
fuas forças. Chegou da Alfa/ia o Principe Carlos dt La**
com o exercito Aullriaco., uniu-fe com eIJe o Duque de Sf
xonia IVeiffenJels com hum exercito de 20 até ajC Saxcr,i<
March á ram a bufear cllc Principe inquieto , e fan cmbarr.o
do refpeito , que fe dévc a Mageliade, perjuro, e delde If
'bor, aonde fe achava acampado, fov retrocedendo <cir.p'«
de rio cm rio , até ultimamente rcpallar o Albis. Retirou tf
tropas, que tinha mandado á Moravia, c vendo-fe fem cl* 1
peran<^is de executar a fua empreza, pede armiílicio ao Ptj1"-" 1
cipc (.ar/os, requere nova compoíiçam á Rainha , fem poJff
conlegtiir atégora nada , do que fúplica ; e auerendo Gelp0*
jila da« fens t.lhidos, fe vé na contingência ue perder algi»®
dos que pacificamente ellava polluhindo.
Fmprendeu o Imperador, a inllancias do Rey de Profi*
ir com o exercito da uniam roltaurar os leu- Filado» E!«"°* |
raes. Concorreram com porquês de tropas o Eleitor Pa'a,,r'.\'
c o Landlgrave de TUJfia Cofiei: refo^çou-o França com
homers, e chegou lcm opnfiçam até Munich ; m3s roman» I
a refoluçam de ir hufear o Conde de Balbiani, e empte"-" I
o fitio dê Paffau, Balbiani o previne, e lhe dertóta o àcUr a
camento, que clle mandava a Oberbaus , e fiam ló con»?'
ainJa Beraun , • e outras praças na Baviera , mas põz nova-
mente litio á de Burgbaujen, que o Imperadoi tinha revendi-
C-do. c guarnecido.
No que deixamos rcfcii Io, fe juílifica a reflecçam , que
faremos feito de fahirem defvaneci.las todas m empresas»
qu-; ie intentaram executar no anr.o , que acabou. S6 foy afe-
ftiva a doCabinéte de França , porque logrou ver a Ali", lia
livre das tropas Auflriacas , e m3tar os Alemcéí htns aos ou-
tros , defpovoando drfle tr. ódo o Paiz. queeilragam cem as
íuas dclordcns ; porque depois de render hriburgo, huma das
mayorcs, c mais fóitcs praças da fronteira de Alemanha , to-
ma quartéis de Inverno nas icrrei dor Eleitores Lclcliaflicos,
c de outros Príncipes, cujos tilados ficam yifinhos ao IUtc-
no, para que cftcs iuflentcm joU homens das luas tropas,
dandp-lhes o vinho, a cerveja, a lenha , e tudo o mais , ex-
cepto o pan>, e a carne, que íómente lhes pron &e dar èl-
Rey i c para que também lhes tenha as n aos ataJas para nam
p 'derem ufar delias em beneficio do Império Germânico, que
clhm vendo dcltruhir; porém ainda eíte fe acharia mais conf-
térnado, fc a Coroa de França feguiffe todos os diâames do
Rey de Pruflia. Qucixava-íe efie Principe , r'c que trabalhan-
do tanto por ajudar as idéas do Oabinéte de França, exaltar a
gloria de Sua Mag. Chriítianiflima , e engrandecer o leu Do-
mínio , cmprcgálíe 3S fu3s forças, cxpuzefíc a foa pcUoa a pe-
rigo , c que Sua Mag. Chriftianilfima , ou os ícus Geneiaes,
nam cuidaflem em concorrer para o efeito da fua expedient;
pois podendo embaraçar ao Principe Carlos na Sulnp.o, quan-
do o exercito de Sua Mageflade Chiifltaniflima e 11 ove ló tres
léguas dillantc do Auftriaco , c podendo dai-lhe batalha , o
iam fizúram , eftendo rx dias contínuos vendo 3s diljoíi-
Çooí , que elle fazia para reti:ar-le. Os provimentos de vive-
rei , e forragens , a paffagrm da artelharia, a fabrica das prn-
'es, e o concerto dos caminhos para a lua maicha ; deixan-
do-o paliar livremente, c fem perda confidcravcl o rio ; po-
dendo perder ao menos amerade da lua gente , fe os Gene-
ves Franceses quizeflem fazer as diligencias, que deviam.
O metmo Principe mandou requerer a França pelo Feld Ma-
rechal tohenuttavi, leu Mir.ift.o, que no remanecente deita
«tnpanha fequizciTc reme. ii ar cila ventagem , que fe havia
P"'Jido, mandando fem a menor demora reforçar o exercito
u,
»«ul com 50 batalhões de infanteiia, Ho elquadroés de
ca-
8
cavalaria , e attelharia profla , para rcffaurat todpí os F fbd«a
do Imperador, e entrar na Bohemia , a fazer huma divertem
ao exercito do Principe de Lorena. Que mandalle marchar
tamhem logo hum corpo de qçU homem cm direitura a Ha-
nover , cuio movimento pndeiia ter eftas tres conlequcncias:
a primeira obrigar o Rey Britânico a huma pronta compoli-
çim , como no anno de 17*1 . que logo mandou á Corte de
1 rançi Monf. de Hardenberg a pedir a neutralidade . e fica-
ria tem elle apoyo perdendo a Rainha de Hungria toda a lua
altivez..! : a fegunda obri.'ar ao Eleitor de Coloma a perder o
z.lo de compatriota de Alemanha , e entrar n*s idéas do Im-
perador feu irmam , e dos feus Aliados: a terceira caufar mail
terror , e fulto aos Hollanders, vendo marchar as tropas de
Hanover do Paic Baixo , que cóbre os leos EílaJos , para
defenderem a tua propria fronteira, e poder o exercito de
Sua Míg. Chriftianiflima obrar com a fuoerioridade , que lhe
convém ; continuando as fuas conquilbs . e os feus triunfo*.
Também reprcl"ent3va Sua Mageftade Prufliana , que era
neceffatio mandar Miniftrot, que loubeilrm impedir , que
os Ioglezes, c os Aullriaco® fenam aiuibilem com a Corte
de Drefda , nem ganhillem para o feu pa tido a Polonia , e
a Rufia, como defeiívam.para embaraçar as operações, oue
Sua Mageftade Prufiiana começava a lazer ; tirando defle
n ódo o principal apoyo do Imperador c< ntra a Rainha de
Hungria no Império. He cér'o, que execu'ado tudo . o que
eítc Ptincipe advertia, fe achara o partido Aulfriaco em ma-
yor apetto ; porem França tinha logrado ver fóra do feu pai3
o exercito Aultriaco , fem fe expôr ao rifeò' de huma b'ta-
lha ; c quiz fegurar com a praça dc Fr eybur go a i'ua fiontci-
ra.
FlRcv de Pruflia fe engana com os oanegyicos, que lhe
fazem do feu pode» ot Mintftro* de Françt. Entrou ria vai-
dade de fazer, o que a mefma França nam pô 'c confrgu'i-
Qyizoftentar a grandeza das fitas forçjs para méter tenet a
Alemanha toda, e le fazer refpei'a to das Potencias l-.ftran-
geitas. Njm penérra , que FranÇa l"6 o bufei pira ftarêlo da
mefma Aiemanha, cm que clle he nacido. Se enfeguiu a de-
cadência, ou a ruína total da Caía ae Au/Iria, executou, o
cu? França anhelava. Sc ficou dL-tfruirto na em prez» t*'n"
hem da g >fto a Françi, porque vê aSitiio hum Prirc»"*
grande do Império. He pequena venlagem paia FiartÇ'vCf
cen*
tantos iti! homem Aterram», cornoire de
crtto

poáct coníeguir a extinqam . como ,„c proroeiu . das qua-


,,0 primeiras RépuWteai da t.orojfe , lhe ha de ceder uua-
tro Provi nelas da de Hollanda, con'crvando para li st tres con
»oio o Paiz Baixo Auíhiaco; que dará ao Imperador toda a
d s Eínuizaros com a Bohemia , T)rol, Auihia anterior■ e
ale ; e ouc dará a fen primo, cR/toro o Infame Uom Hh-
p-, as dé Veneza , eGénova , com os tilados, que aliai*
rihi dc Hungria poifuc na Italia ; e ao Rey das duas Sicilia* a
Tofcana com as terras, que a Kdpubhca de Vena» domina
di outra parte do Adriático ? Pois le l mnça r"dc"c °Ptct •
c<ccuçam de projcílo tam chimérico, nam Iana mais pof-
to de pôr neila grandeza a feu filho, do que rcpartila pelos
íeui Aliadoi? _ , _
Todos os Revs da EurApa tem moltrado nePe anno
cbm n.3>or evidencia o career do feu gdnio. O Rey Chnl-
tiamflimo o de Conquiílador, paliando da caiApanha de Han-
dles para a Alfacia , e dali a Brifgovia , conquiftando praças,
c dando nufteroios locorros aos feus Aliado» para fazerem
o mefmo. O de Heípanha o da valcrofa Conliancia . com que
depoij de tam repetidas perdas dc excelentes tropas, c da
dsfpeza de innumeraveis fôrras, perfifte no começa, o dc-
fignio de elhbelecer hum novo treno para hum hl lio leitei-
ro. OdaGran Bretanha o da Firmeza, com que cxecu a as
proméfTas cfti puladas nos léus Tratados, dando p dcrcios
íoccrros de dinheiro , e de tropas aos 1'eus Aliados. Concor-
rendo tam liberalmente a gencrola Naçam Britânica com os
cahedaes precifos para hum difpendio tam extraordinário,
que parecera incrível, feonam fizefle evidente a expericn-
cia. ElRey dc Sardenha o de intrépido, defendendo com
Unto acordo os 1'eus Eftados por rantas parles acometido',
""grilando as mais eípeciolas ofertas, por nam faltnr ao ci-
lipulalo nas fuas Alianças ; expondo os fens Domínios, c
11
vi-las, e fazenda* dos feus vaflalos, porconfervar a Ita-
Jú livro das perturbaqnens da guerra. O de PrulTia o da
|"c nilante, ed* perjuro, infrangindo (em nenhuma cauia
hj|
n Tratado elUpulàdo havia hum anno com a Rainha dc
4
Hut-
IO
Hungria , abniudo com 3 garantia dc hum Rey da Gran Brei
tanha, c teu tio materno; ingrato i obrigaç?m de lhe lar-
gir huma província como Silelia, ingrato a huma cafa , efe
quem a!c3nçiu o titulo» e dignidade dc Rey , fazendo 01
inayores esforços por deflruir hum membro do m:f.no cor-
po, dc que clle he membro. A Rainha de Hungria, dig.
niíiima Palas da Aufhia, o de Mignanima , cujo cora-
çam lo nam intimida na mayor força das adverfidades:
rebatendo a hum melmo tempo os ataques de tantas Poten-
cias inimigas, conjuradas para a ruina da fua augujfa cala;
mas com tanta felicidade que, quando a querem cfcurccer,
refplandcce mais. O do Imperador ( perdoe-me a Magda-
dc de dignidade tam fuptQma ) o de ambicioto. Nam 'con-
tente de fitceder ao Imperador Carlos VI. no trono, quiz
também íuccdcr em todos os feus Eftados,- fundado em ' um
tellamento, ( ou fito radico , ou inteiramente nulio ) poit
nam havia , nem caufa, nem direito , para que 1'uccJclTera
nclics os defeendetes de huma filha do Imperador Fernando L
c folie privada dc íuccdcr huma filha , de quem legitima-
mente os pofluhia. A ambiçatn defte Principe o tem feito
cair cm grandes abfurdos, e o póie fazer reincidir ainda cm
mais profundo precipício. -A am bicam o fez admitir a paten-
te de Generaliflimo das tropas de França; a nmbiçam o f.-t
eitipular comaqoella Coroa, c com a de Prulfia huma cf*
treita Aliança , contraria a todas as conilituiçocs do Impcrio,
dcprccando , e admitindo tropas Eltrangeiras , dando-lhei
quartéis nas terras dos Príncipes, e Eíhdos do corpo Ger-
mânico, para fazerem a guerra ao feu principal membro,
para de ít ruir huma caía , que foy fempre a anteraural da
Chriítandadc; c ao me fino tempo o mais fóite baluarte da
Alemanha , contra os ataques da cafa de Bourbon , perten-
dente há dous Céculo® da Monarquia univerfal. A amhiç-n
o tem feito entrar na idéa de fccularizar o Arccbifpado J«
Saltzburgo, e os Bifpados dc Augíburgo, e de Freilingcn,
fitoad s no circulo de Baviera, mas com a lbberonía, e d*
tulos de Príncipes do Império. Eíla ambiçam he a ve.via»
que o céga p3ra nam ver, que França o engana com o* '?*
cr-rro*, que lhe dá, com as vcntJgcns, que lhe promete;
ao mefmo tempo, que liv-e a A'lacia do exercito Audi '•*
co , o devia icguir o b'srcchal deCoigni para aciu«»r
progiéiTos do Rey de Piuifut, e conquiíhr pura clle ( cu>j°
ti •
Ih- promete) o Reino de Bohemia . cu-dcu fó em impedir am
Aurtriácos outra entrada oaAlfoctav apoderando-fe de Pn-
Cuco; c quando no principio do Vetam devia paliar a U-
ricú ji'a cxpullar delia os Aulhiacos, abou a campanha no
Paiz baixo, a que Sua Maaeftadc Imperial nam tinha nenhu-
ma rcnencam •, porque íegundo o artigo. 4 fepwado do
Tratado , que ambos ajoftáram em 3 de Junho de i741. to-
do as conquiftas. que Sua Magcftade CAnManiflima frzcílo
no diio paiz , para divertir as armas da Rainha de Hun-
fíj em leu favor, lhe ficariam para tempre; c nunca pode-
rá convir em Tratado algum , pelo qual Frarça tofle oori-
viii a rcftiíuir as praças, que tomafle, foliem quaes fol-
iem , c ainda irelrtto as da Barreira. Rita aiBbiam lhe taZ
ver o laftiinofo citado . cm que os leus propnos Abados
deixaram as terras do leu Eleitorado , onde os_ lavradores
Sira acudir alua cultura, fe vem na urgência de meter 24
aniens a puxar pelos arados por falta dc cavalos . e de boys.
Finalmente eltaambiçim feri o motivo, com que veremos
no prefeme anno cubcrtos dc tropas os campos de Alema-
nha , c do Baiz baixo. Os Príncipes do Império rem começa-
da a aluir os olhos, e a fazer reprcieataçoens ao mel mo
1 aver*dor do perigo , com que fe acha ampaçido rodo o
c rpo 'í T-nanico; e fe as forças Francezas o nam fu.tenta-
rem n> trono, pode-iamos ver nos noflos dias obfervar, o
que cm outro tempo fizéram os Eleitores do Império ao .m-
perador Adolpho deNaifau, a quem delooi.vam da digni-
dade Imperial, fem mais crime, que o de fazer-fe merce-
nnio de Inglaterra, recebendo fubfidioa para mover a -guer-
ra a Françt, o que julgava n iniuiiofo na cabeça do Impé-
rio: e q ic nam pudeiám fazer 3gora, vendo elht cabeça go-
vernada inteiramente pelos influxos de França , cercada dos
leu» Miniltros , dos ftus Gcneraes, e das luas tropas os Fi-
la! n de Badtn , dc Damftat, de Naffau , dc Spira . de
" "'"II, de Coloria, Ire vir es , e a melma Mogwuia ..Cor»
,c
ilo primeiro Eleitor do Império, oprimidos dejoU ho-
mens da mefma N.içim : obrando tudo o contrario . do que
Pfometeu, c jurou na capitulaçam , com que fc lhe conlc-
"u a Coroa Imperial.
l> Cram Senhor fe acba tam embaraçado na Alia com a
*Uc"a . que fe nam poderá entremeter ra da Euiópa , per
'; «nftanclas, cue lo lhe façam , e ventagens, que íc lhe
A
'^«eientcui.
13
A Imperatriz da Raffia, eftimuhda de França , pelai'
negociaçoe* dc Monf. de ' ha or die, mandou dizer a Monf. •
do zillion ( que a Co:tede Vet faille# enviou por (uceflur ao
dito Marquez ) que da fua pertoa íc faria ioda acftimaqatn;
mas que r.am havia ter nenhum traio , ou comunicaçam c«m
o» icus Miniltros; e dechuou ao darrulfia, que há de fuf-
tentar ao Rey dc PoJr.cia com todas a* fuas forçis, fe Sua
Mageltade Prufiiana lhe mover guerra, por haver looorridoa
Rainha de Hungria.
O Rey da Suécia procura confervar-fe em paz, c adi-
antar o comctcio dos íeus valia los na India Orienta) , c no
I.evante i e querendo conlervar a amizade da Ruflin. a nuiv
dou ccniultar lohre a repólía , uue devia dar a os Miniilrci
d » Imperador, dc Franç3 , e PruiTia, que o convidaram pan
entrar na uniam de Prancfort, como Djque da Pomerauia.
O Rey de Polonia, querendo emíervar a indivifibilida-
de da Gafa dc Aulbia, pela «úieranç» de ainda podírem vir a
fuceder neila algum dia Icuí filhos , iòcorrc a Rainha , e lhe
clU l -lidrando mayores reforços.
A Republica dc ilollanda coteiando as aflcvcraçoCs de
amizade d- França com a conquiíta dar praça» da lua Hirta-
ra . reconhece 3 < entidam, com que a;ig>va procedeu , e \'f
tomando ar medidas m.bs convenientes a Tua fcgunnçi. Hm
todas as paires lc fazen asmiyo.-cs picvcnç ■£> para a ci'- I
tiouaçam da guerra; e «ffim te emos no prefonte «uno nv«
de l,u iheatrog marciaes , cm que 'nam pode.n deixar &
vor-fe laiUrr.oías íccnas.

At noticiar chega da t riede corrtjj fe far am puhi'tf I


r.o Suplemento delia femana.
Sabio a hz hum» Carta eferita a cirto Cavulhia • * I
quem hum Jett amigo Aittriaci tinha e[trita o-uia , ou '/'• |
Itie ponderava com muita paixs>n as eiretut/í/mciai la j
ts guerra da Európa; e açora ufjla fe lhe aoflra.u i.'t •''* [
da/tira, e dtfàpaixpaadi acute , fazendo fe a hum , e
partido inteira jti/lica. fende-fe nos pape lidas •> <e I
do l aço , e uo livreiro da d Iro dt S. Domingos , e em {<•!>'
J 'Sm Carvalho na Cutelaria. ^ I

NaOHwina de LUIZ JOZÊ' CDRRtfA LE'A^-


Cem todas as licenças necejjat ias.
1

.10
n;
•in
it
j1
GAZETA

LISBO a

Numero 1.

Quinta feira 7 de Janeiro de 1745.

RUSSIA.
Mofcow 2 dc Nvotmbro.

E PO IS que os Barões dc Neubaus,


e dc AJardefcUt, Miniftros PIeni|>o-
tcneÍ3rios do Imperador, e do Puy
liaPruiiia, déram parte á Imperatriz
VT- ; cm nome de feus Amas do Tratado
de uniam, concluído cm Irantforl,
■9 . convidando a Sua Mag. Imperial
< ipa-
" cp;íiar nclla , convidaram depois ao (iram
Ciram Duque
L)i da
Ruflia , como
como P """
Duque de Ho!facia, — —r-'
ein confideraçam
d0í
- «cus Kíbdof.
Efteiif» de.Alemanha ; porém nem Sua Alag,,
•icm ,Sua Alteza imperial quizcr.im aceitar o convite \ e
* imperatriz mandou declarar ao Barair. de Álortiçfeidt,
C
5!tV v -' I':n:llinna dcclaraiid guerra ao Rey
ir.otiro oc l.avxr d-do tiopus a Rai-
A nha
»4
nha ilc Hungria , po lia entender que a tin'-a declarado
contra a lia lia ; porquê Sua Mag, Imp. tomava a Polo-
nia , e os Ell ados Kleitoracs .]e Sua Alag. Poloneza na
ina protecçatn, c lhe* In de iilillir com rodas as luas
forcas, liuntcm teve o Conde de Gyl/enibi/rgo , novo
Miniftro dc Suécia, audiência da Imperatriz, e lhe en-
tregou cartas de Sua Mag. Sueca , e dc Suas Altezas
Reaes-os Príncipes herdeiros do mefmo Reino, nas quaes
lie davam parte do leu cazamento. Flavia ta dias, que
o Uaratn de Cetfcrricre/ita, Embaixador extraordinário
da mefifu Coroa , havia tido a fu3 primeira audiência
publica ile Sua Alag. Imperial, fazendo-lhe hum elegan-
te Jifcurfo com repetidas allcveraçocs, c pròtcftos dc
amizade, a que o Conde de Bg/lucbejf , Gram Chance-
ler, rofpondeu em nome da melnu Pnnccza. Por ordem
tia Corte le notificou a : i do mez paliado a todos os
Miniilros Estrangeiros, que daquelle-dia por diante po-
deriam conferir com o Grani Chanceler, e Vice-Chan-
ccler juntos, todas as Sc lbs leiras, e feparadamente to-
das as Terças.
A Imperatriz determina paliar brevemente a Petrífr
burgo, mas em quanto Ic detiver nefta Cidade , fc tem
regulado, que todos OS Domingos haverá Allembíca no
paço , e todas as Quintas feiras bailes dc maltaràdos.
Neila próxima haverá hum, cm que lóentraram pelicas
do ferviço do paço de ambos os léxos: as Damas verti-
das cm trage dc marinheiros , os Cavallieros no de Ge-
orgianas, c Ukranezas. A 24 do paliado fe celebrou no
paço o cumprimento dc nnnos da Duqucea de Anbalt-
í&rbfl, a quem por colgaduras deram, n Imperatriz hum
riquillimo ayram dcpóTolas ; a Gram Duqtieza liia l'",a
outro ayram , e hum anel de brilhantes ; e o (iram Iíu*
q.ie liuina caixa para tabaco de ouro, guarnecida de dia-
mantes.
Petrisbttrgo 7 de Novembro.
IT F. iú torn torre o gelo, que por pouco tempo que
k aflun continue, fe acharam os navios eftrangciros,
que citam cm Croufíadt, no perigo de Hear ali todo o
Inverno *, c a neve he já tanta no paiz , que fe podem f a-
zer viagens nos trenós. O General Kimerman rem or-
dem de ir a Alofcou , para de lá paliar i Ukratiia a co-
in melar hum corpo de tropos , que eíla ntquclla provín-
cia. Chegou aqui de Tie/ma o Conde dc Hanizuv/, Ç t-
valhero Dinamarquês , com huma nuinerofa comitiva.
Entende-fc que vem encarregado de huma comilfam par-
ticular da Rainha de Hungria. Monf. i!e AU ion, Minif-
iro de França, fe cfperava aqui há dias *, mas fabe-fe que
havendo chegado a Riga, achou recado da imperatriz,
que continha, que a aia pcllòa feria.Jcmprc muy agrad.i-
vcl a Sua Mag. Imperial *, mas que fe lhe advertia , que
indo á Corte , nam devia ler trato , nem comunicavam
alguma com os feus Miniltros: e que cl.Kr nam fabendo,
o que determinaria, fizera alto. e dei pachara hum cria-
do a Paris para faber, o que LI Re)' lhe ordenava.
S U E C I A.
Stockholm 17 dc Novembro.
HAvcndo-fc polio era Concelho, fe fe devia reformar
iiuma parte das tropas, que anualmente ha no
Reino, fe viram muy divididos os pareceres no Sena-
do , infi(lindo muitos Senadores, que fe deviam ccmler-
var, como eliavam ; mas como o mayor numero foy dc
cpiiúain , que depois de haver fullcntado Suécia huma
guerra tam pczacla, como fov a ultima , fe nam devia
cuidar mais que em recolher os frutos da paz, o que natn
poderia luceder, nam diminuindo o numero das tropas',
P^ra ao incfmo tempo diminuir as defpezas \ e prevale-
vc:
'án efla, Ic decidiu que fe défje baixa a 3c hoprens cm
Ca
d,i coivpanhia , de que relultará poupárero-fe 80C du-
cados cada anno. FaJa-ie umbem cm diminuir confide-
,a
velmcute adefpeza da marinha. Muitos oficiacs3 .Mie
A ii dc-
17
que eftava; mas em fim vidram i convir na mefinn refolu-
çam , c í«5 parecem opoAos á planta tias inipoíiçocs, cm
que os mais acordam, pertendendo que a repartida!» nam
cftá bem proporcionada; eque o eltabslccimc uo de di-
reitos novos do entrada, e Ihhida , lòbrc as mercado-
rias , fera muito oncrozo aos po/os. O Pabtiusdo da
Kuliia pertende contribuir lo hunia corta fôma tciios os
annus para a deípeza, que a Republica empronde fazer.
D I N A M A K C A.
Kopenb.igucn 22 de Novembro.
OS Miniltros do Key da Gran Bretanha, e da Rai-
nha lie Hungria tem trabalhado tanto nas tuas ne-
gociações, que ÈIRey tem convindo em fornecer hum'
corpo de 12IJ homens das luas tropas a Gran Bretenha
em'virtude de hum Tratado antigo ; mas com n condi-
çaindenam lerem empregadas maisque na defenfa dos I'!fi-
tados de Hanover, ou de Brehmen, e de Werbden. Tern-
le mandado ordens á Hoifiacia , para que das tropas, que
ali fie acham aquarteladas, fe tire .0 numero prometido,
o ijqqI há dc fiervir com o titulo de auxiliar.
ALE M ANHA.
Hamburgo 27 de Novembro,
17 Serevc-fie de Varfovia com data de 21 de Novem-
hro , que por caufia lie fie haver referido dc dife-
rentes módos, o infeliz incidente, que fez ini'ruttifera
a l)iéta, publicando cada hum, o que o ficu intcrelle lhe
dich , tinha o Rev ordenado le mandiífie hunia rclaçora
exacta a todos os fieus Miniltros , que citam nas Cortes
tJtrangeiras, e nflim efiperamos ver aqui brevemente pu-
dica cita noticia. He opiniam gdral, que Sua Mag. ilea-
's tovio o Inverno cin 1'olonia pura remediar os inconve-
nientes, que podein refiultar da iueficacia da Dieta. Se-
teio as cartas de Hanover, corre nnquelln Cidade a
Vo
'- de hjfver o Conde dc I'alj'y entrado 11a Sifefia com
y t1 I lun jaros , e guarnecidos os Ducados de Tropo ti, e
J•'Z<rndorJf, donde obrigou a rctirar-íc o General Mar-
y/iizi
witz \ c depois entro?! n? Silefía Prufljana, para onde o
Rev deTruilia depois. depaffar oAibis lez mover parte
das Tuas tropas. Carras de Kgra , vindas por Alarenberg
dizem, que o Conde dc Sch.tinn, e outros 6 Generics
Pruliianos fe tinham retirado de Bohemia •, e que o Prin-
cipe moço dc Anbalt-Dcjfatt queria largar o ler viço , c
renunciar rodos os léus empregos. Dizem também , que
os Auftriacos fazem preparações para tomar Praga. De
tudo fe cfpera a conlirmaçam. De Eyfenacb fe avifa ha-
ver a!i chegado a 16 do corrente o Príncipe dc Schwartz-
burgo-Rudojiadt, para fe receber com a l'rinceza Ber-
nardina de Saxonia Eyfenacb , o que le executará a 19
com grande magnificência.
B O H E M I A.
Quartel General do Principe Carlos dc Lorena em
Scbijelitz 21 de Novembro.
NA noite dc 14 para 15 do corrente levantou o ex-
ercito Aultriaco o arrayal corn toda a cautela, que
Sua AltezaSercnillitua pratica, para ocultar aos inimig'#
cite movimento,que nam tinha menor objecto,que a paliar
gein do Atbis. A clle fim fe tinham feito (havia já dias) to-
das asdifpoliçocs pofliveis, e os pontoes partiram de noitCi
para chegarem antes de amanhecer á borda do rio; mas co-
mo tinham de atravclTar hum bofque pantanofo, fe cmp£
giram de modo, que vendo o Principe, que nam poderia*"
chegar a tempo,tomou a refoluçaõ dc deferir a empreza p*
ra outrodin,e mandou fazer alto cm Per/ocb (oiiJe tomou
o feu quartel) ás tropas, que tinham marchado por Ac-!''
ebowitz. O Duque de Stxouia Weijjenfets, que dc>n
paflar o rio junto a Pard/durz, fez também alto; e o cof*
po de referva fufpcndcu o ataque, que ao romper doutf
tinha começado contra a Cidade de Colliu . por fazer di-
veriam á idea dos inimigos com clVe imaginado , e ap1'
reme projé&o ; mas ainda ouc folie o ataquefa!'o •
verdadeiro para o Baram de T> enck, que f:>:ou feridoCl*
hum pé com humn laica de pé .Ira , de maneira que I>1 jj
poderá fervir neltas ties fenunas. ^n'
Kim fez o exercito movimento nos dias feguintes';
mis a (8 fe foy poftar a ala dquerdaçm Wirizaw, para te
chegar ao exercito auxiliar* de S x>nii, c fizer crer aos
inimigos (que citavam do outra banda do rio acampados,
c acantonados) que o no lio exercito marchava para a-
queib parte, fendo o intento do Principe bem diferente.
A »9 (3 horas antes de romper b dia ) levantou o la-
do direito ò campo com-toda a artelharia, e fazendo cd-
rasa retaguarda , marchou por Stiumvitz, pira vir ocu-
par as alturas de 'Tefebelitz, fobranceiras ao rio Albrr,
onde o Duque de Saxonia U ci/fcnfcltls chegou ao inclino
tempo com as luas tropas, toda a íua artelharia , e a nof-
la ála cíqucrda , que fe tinha ajuntado com ellc no dia
precedente. Preparou-fe a artcljiaria, aceitada na mef-
ma eminência , e começou pelas 6 horas a fazer hum fo-
go terrível contra 4 batalhoÊS, e 3 cfquadroes Pruífianos,
que guardavam a prava opolla do rio sHbis, porque o 1 ei-
to do exercito inimigo fe achava acantonado nos lugares
vifinhos. O Cícneral Scbullenbnrgfl'ntraveçou o rio pelas
8 horas em barcos, que fez ajuntar de vários pórtos do
mefmo rio, com 11 companhias de Granadeiros, -1 in-
umes de cfpingardas, c quali todos osCroatos ; e che-
gou a defcmbãrcár, antes que os inimigos pude liem vir.
acodir ás tropas , que citavam encarregadas a defender a
pilíagem , e fe achavam já muito mal tratadas. Fabricá-
r
flni-Itf pontes com grande prontidam , c paifáram ambos
°s exércitos fucclfivamente o rio, tomando logo poltó
deíb parte , fem que a palfagcm «uflalle aos Aultnacos,
m
-'-s que 100 homens,entre mortos,e feiidos, c n uito n e-
*** ao exercito de Saxònin. Poy muito mayor a perda dos
«nim.gixs, porque lhes aprizionámoí alguns oficiaes, e mni-
Toldados , toroando-Ihes hum canham, e os Saxonies
""Us. Perdôram alôm dilto toda a ribeira do A/bis; por-
que de ta! forte os defordennu o improvizo delta empro-
z,
i que abandonaram precipitadamente todos os pó It os,
qu; ocupavam fobre o incfmo rio: particularmente Tri-
viitz,
a I R irt 11, com a Senhora /)o>:n Jcanm Jt^éfá .if Ijrfxi,
dm iiufiri/., e Excdeniif Senh nes M.jrqKzc.% <1-
do qucm hi ei -ranças .'e fuceflnm poltJuima. 1-oy
n.vr;»rc>a de S Frrmcií. o J •«> i O ,Vi^ onjc (0 ^ „ aJ li»»
\»i* com affiitench de 101L a Nolirc*., Ja Cotic
DE LISBOA

tíc S. Magelhdc.

Ie Quinta feira 17. de Fevereiro de 1755.



TUR Q_U I A.
CoiiSlantinopla 26. de Novembro.
S ultimas cartas recebidas da Georgia
nos trazem a noticia, de one defejando
o GeneraliíTimo da Perfia Tb,imas Kottli
Kban fazer mais numerozo o leu Ex-
ercito, mandou hum parente leu chama-
do Baulic ao Reino de Kandabar, para
alii ajuntar hum corpo de 14U. Solda-
dos, com os quaes devia marchar a in-
ifimuiaii t* corporarfe com elle. Ajuntou Baulic efte
POn?? ru TroPas • e vendo-as à fua ordem, intentou abrir a
J, - ; *. fortuna, cobrindo a treiqam, feita ao parente, com
c ' fidelidade devida ao feu Rey. Gomeqou a ganhar
tr' 11("nc'"Js os aninios dos Cabos fuhal ternos , e os fez cn-
1'r 'iein ^IO|C^° de repor o Sophi Ibámas febre o Trono,
jj au PJJJJconfpiraqan» a fazer alguns progreftbs.e tinha
q' ,!jdo as luas Tropas até o numero tic j 6U. homens,
Zo tvir u m«' am
'g°s de Thámas Kouli Khan lhe fez avi-
• - a ata latprcflb do que fe pafl'ava ; c elle querendo ata-
G lliar
lliar o dando logo no princípio, partiu do campo da Cidade
de Sammaebia, que ja tinha reduzido à fua obediência , com
hum grande dellacamento de Cavallaria para Caudábar. fíau-
lic, tendo avizodafua marcha, procurou rctirarfe cm Hi!pa-
fun com a fua gente.' Tbàmas Kouli Kbàn prcvenindo-lhc o
feu intento, com huma marcha mais apreflada fe lhe opoz
no caminho, e nam fó lhe embaraçou o entrar naquelia Cida-
de , onde queria fazer a proclamaçam do Rey prezo; mas ocu-
pou de tal maneira os portos circunvizinhos, que o precifou ,
a vir a huma batalha , em que totalmente dertruhiu os que o
defendiam, fazendo-o a elle prizioneiro ; c querendo, que o
feti caftigo fervi (Tc de exemplo a todos,os que ti vertem a idé§ I
de 1c rebe'larem , lhe fez logo tirar os olhos , e atado depois I
à cauda de hum cavalIo, o mandou arrartar pelas principles I
ruas de Hifpahanc ultimamente cortar-lhc a cabeça. Satis-1
feito Thdmas Kouli Kban com efta vingança , unindo às luas i
as Tropas do rebelde, marchou com todas para a Georgia a
profegúir a lua conqnifta Etttcnde-íe, que em quanto cita
Sucrra fe nam acaba, nam quererá o Sultam , por mais que íe
ifcorra o contrario , entrar em nova guerra com alguma das
Potencias Chriftaus. O Cavalleiro CoiUarini, novo Embaixa-
dor da Republica de Vcncza , he tratado aqui com grandes
diftinçoens , e muitos finaes de eftimaçam, c nam fe fala iá rJ
viagem, que Monf. Calkoea, Embaixador da Republica de
Hollands, determinava fazer ao feu paiz. A pefte continua ~
feus coíhimados ertragos; e os Miniftros Eftrangciros lc tor*
náram a retirar para as fuas Cazas dc campo , que tem alugi*
do ius vizinlianças defta Cidade.
RUSSIA.
Petritburgo :8. de Dezembro.
CHegou a erta Corte hum Embaixador da Períia, cu...
cartas credenciaes fam feitas cm nome do Soplii, m®11"
no,e allinadas pelo General Thámas Kouli Khan .como R0"
gente daquelle Império. Elie Minirtro veyo coin huma
Jíiiflàm muy importante, fobre a qual tem iá tido varias et
ferencins com os da Corte. O delRey Augufto recebeu
maaientc hum Exprerto de Varfovia, cujos defpachos fby
me iiatamente communicar u Emperatriz, que lhe cone*
pua iflo huma auiiencia particular. As Tropas Rurtianas ,<1
ficaram na Ukrnrna, à ordem do Tenente General Dci'g-^
citam eui plena, marcha para Polonia, para fe incorpora^
^reconhecendo Sua Mag. os evidentes (hues da P^tccçarf
. Divina, que o exaltou, c tem fuftentado ate o prelcnte m
„ Trono, havia crido, que a lua primeira obrigaram ne.dar
„ humiliffimas graças a Dcos nollo Senhor, e que tem por hu-
,, ma prova viuvei delia protecçom as leguranças, que lhei
dam as Potencias vizinhas, elpecialmente a Sercniilima So-
„ berana da Ruilia, de nam fó retirar as fuas 1 rocas do Kev
no. tanto que a Republica eftiver pacinca; mas de narnlog
„ mar a menor pertençam fobre nenhuma Província uo Rcng
.. de Poionia, lendo l"ó o feu único hm ver a Republica lua ai.a-
da cm huma inteira fogurança das luas liberoadcs, uiumim-
dades, e direitos: que deixa aos Filados o confidcrarem in.:-
duramente le o dei prezo das Leys, que abre as portas a to-
„das .is in;ulliças,cas divilocns intcihnas, quecaulam tua-
„tos males ao Reino, Iam convenientes à Republica, oaie
„ vai mais dar fim às infelicidades prefentes, e conferaiT I
„ evacuaram das Tropas , reftituindo a uniam, c a conha^j
„ entre o Soberano, ca liberdade, aceitando a paz, que a»
„ Potencias vizinhas oflèrecem , para reporem a Rcpuonca»
„ na fua puimeira felicidade. Que Sua Mag. feguindo o exern-
_ pio dei Rey leu pay fará todas as fuas diligencias, paraau
„ curar nella felicidade* nam querendo outra gloria, pende**
„ i» feu reinado, mais que a relhuraçam da paz, c a tranqui
„ lidade publica; que para cíle eftèito proteíta diante de i><-
„c de todo o Mundo, empenhando a lua Real «i.avra , qi*;
„ nam emprenderá nunca a menor coufa , que feia coiara
„ Rcligiam Gatholica, contra as Leys, ou contra a liberaac®
da Republica , mas fará fempre firme a lua legurança p
„toda aforre de meyos , declarando, que nada outra c
„ pertende mais , que pôr termo aos males prc.entes, ca r
„ tria ni po.Tc do logro perfeito das luas immunidades, 0"
c
„ para fe checar a hum fim tam faudavel, indica a " '.
.. do Confolho para o dia 24. de Janeiro do anno dc
„ ra nella ajuftar as medidas, que fe devem tomar, para ic
„zer a futura Dieta de pacilicaçam , c regular nella ti
,, que for necefiàrio para o rclbbelecimento da trami1'1^' . ■
.. publica. A i>). deu EIRey audiência ao Conde Po;:m f .
Pa atino dc Mazovia , e o recebeu com grande ben#
«> que também praticou com o«dous irmãos Condes di<• • . ff
a que também falou no mefmo dia; e o mais velho > ,
hiarecíial da Corte da Coroa, 1'aJiiu da Camera ua auo-1 •
11

r«n o Mam do Marechal ha mam, dc cuio emprego fc*'o-

|M£i.

Rainha, fe ficou confervando ainda no dps JSfcm^tasA ^

•rcíti O Principe d, fe-Homburço chegou a . «■»£££


donde devia partir logo para Leopoldia, dep as de haver man
dado cartas aos Palatina*», c dito^«rcwm^nh<w,com
ordem de prepararem mantimentos, c forragem para a iu! d
tenda das Aias Tropas. Os Cpmniandan^dc, do
Forte da Trindade, c outras Pragas da melma frontu a toram
mandados notificar pelos Gcncraes do Frt'do contrano , pa.
ra darem obediência a Stanislao ; porém rcfpondéxam, que
ium reconlieceriam outro Rejs a Augulto 111.

"P 15 cv conWoiÊaffilteS ncfti

^ a Su Mag. que ElB-cy de Fruto. leu Amo , lhe tinha tor


do com grande golto protecqam à fuapeffoa, mas que n n
•">' - lua intcnqam , «me Konigsberg lerviffe de couto a hum
gm grande numero de Senhores, c Cavalheiros Potomezes.
' •Udeclararam
•- ^vimuutn feziSilé tomar
11U1U&I novas
n\í»«M medidas aofeu pattido
i . , 1u
!im
(". & eftá na refolucam dc paffar Sua Mag. ao Exercito. ua
c r
" 0A. para o que marchará efte para as noffas vizinhanças ,
J?«afo, que polia o Palatinado de Kiovia , que o governa ,
"J" do território de Jaroslawia , onde fc meteu, para citar
feguro, c onde as Tropas Ruflianas o tem bloqueado de
> que ou ha dc ficar vencedor, com grande perua
Rufli.itJos, ou fubmcierfe com todas AS Tropas à otedienc*'
do Eleitor dc Saxonia. O Conde de Tarlo , StaroUe de Ja-
cl ski, c Marechal da Confederaram geral, que le fez a favor
del Rev, fov a Primislawia, acompanhado de hum grande nu-
mero de Confelheiros, c outros Nobres Confederados. A (.on-
fcderacam deu já principio ao feu Tribunal, c por fua ordem
tem ii partido a mayor parte dos Miniftros, que nomeou pan
irem às Cortes Eftrangciras. Nellc fe refolveu também coo-
li fear os bens- dc todos, os que feguem o partido do Eleitor de
Saxonia Depois que o Conde P«v/«ry ameaqou aos Lithu*
nos que feguem o partido contrario , dc ufar com clles o mo-
mo , que os partidários do Eleitor ufara com os Polonezcs Brt
a ElRey. O Principe Wienowicski, ChanccUcr daLithuan-
que entrou no Palatinado dc Novogradia com algumas 11
i>as. lhes fez obiervar mais exaéla difciplina i c lc contenta
tirar contribuicoens dos habitantes , fem permitir delor
aos Soldados. Reccbeu-fc avizo, que havendo o General a*
jrreski, que manda hum corpo de Ruflianos, nalíadoo no*.
titia cm 7d*w/fs,cahiu cmhuma embofeada das l ropas
lonczas, que lhe matou hum bom numero dc gente, e to
a mayor parto da bagagem do dito General. Os Deputados
Dantzick nam pagarám ainda a contribuiçam, que lhes im
,, Eleitor de Saxonia, c continuam a fazer grandes mltana
para qucaquclle Príncipe lhes abata alguma coufa; e os
put.idos , que o Magiftrado mandou a Pctrisburgo clcrev
quo a Czarina moftra boa vontade de lhes acordar a m
y-aca ; nus que nam quer confentir, que as l ropas oaxo;(!
que citam cm WccbfdmmAa, favam antes da inteira pacr
cam das perturbacoens do Reino. Aqiu nos leguram,, q
Czarina. depois das rcprefentaqodns , que lho fez Mont
I-citam», Miniftro dcFranqa,tem feitofefpender as
que tinha paliado para o focorro dejoU. homens ,quep«
teu dar no Empcrador , e fufpcndido as mais reloluqocm-
havia tomado febre as coufas de Polonia , até ver o cam.
que tomam as negociaçoens, que te fazem para o .
paz-, porém também fe diz , que nocafo que fc nam con
mandará outra vez a Polonia o Feld-Marcchal Genera ^
de Mv nick, para que unindo todas as forças da Rui wj .
xonia, proliga o nolTo partido dc Palatinado em Pai .
até que o dillipc totalmente; porém algumas cartas f ,
lares de Pctrisburgo nos afleguram , que cm numa

á, que os Miniftros da Czarina tiveram com Monf. de Z£-
iar, lhe declardra, que nam foy por odio, que a C/arina ti-
Tflje n EIRcy Stanislao , nem por motivo algum pcfloal o na-
(frfe oporto à lua eleiqam, c às diligencias, que lc temleito
*la luftentar; mas unicamente por defender a Uberdade de
Wonia , cuias Conftituiqões mais folcmnes , nam lómcnte o
excluem do direito dc afpirar à Coroa, mas ainda o tem pro-
fcifcto da fua patria; porém que lc for poffivel P'°^r"lh(5
cetro Principado ainda que ventaiOZO , o qual nam tenha na-
ái de com mum em Polonia, fe nam oporá de ncnliuma ina-
n.iraao feu eftabelccimento.
DINAMARG A.
Copenhague i. de Janeiro.
TOdos os Miniltros da Corte foram hoje-a Fredericksberg
para comprimentarem a Suas Mageftadcs , com a oca-
fiam doanno novo. Expediram-fe^aportes emnorncdcSua
» Mag. para os Deputados, que a Cidade dc Hamburgo ha.de
rr.iadar a crta Corte ■, e cntende-lc, que fe cinerará a fuache
I cada, c o fucerto da fua commiflam, antes de lo delcarrega-
| ran os navios Hamburguczes, que foram tornadas peias rra-
' gatas delRey ,«c fe acham ainda nerta bahiadefronte
te Alguma- Potencias da Europa fe tem empregado com
cfficacia cm aiuftar cftas diferenças. rftidns
Os últimos avizos de Stockholmo dizem, que os Utados
do Reino, vam continuando as fuas Artcmbléas lobre alguns
Rocios importantes, que fe lhe propu/eram ha poucotem
P°. c que alfim hc incerto o fepararem-fe antes d® anno no-
vo, como fe entendia: também acrefcentam ,quc le nas ia no-
meado por Fcl-Marechaes das forças de Suécia, os Gencraes
Strbrrbiclm, e Hamilton.
mm; ale
Vienna

. -Quelle tempo. Do Nápoles fc teve tnmbem t-..-


1, vi.- que brevemente le havia dc pôr cm marcha hum cor-
'V 1'ropas Hefpanholas para vir reforçar o Exercito dos
u 04
- n3 Lombardia. Sobre cftas novas fe fez antehentem
hum
8o ■■■■■■■■■■■■■RHpppapi
hum Confclho dc Eftado, c refo! veh-fe, que fe fizcfiem rtnrchaf1
para aquclíe paiz mais »oU. homens, que lc hamde haver por
ncgociaqam uc alguns Príncipes do Império. Mandcu-lc oFdm
Marechal General Principe Wenceshp del.ickrenilcin à Cor-
te da Prullia, com huma commiíTan» importante. Em Inglatcni
fc tomáram a rezam de juro por conta do Emperador, coin per-
nuifani de Sua Mag. Britannica 150U. libras elterlinas, que fa-
zem dousmilhoens dc cruzados. Chegou de Nápoles o Prínci-
pe de Belmonte Pignatelli, General da Cavullaria, c teve au£-
encia do Emperador. Dizem que o feu Regimento dcCouraf
fas, que ficou priziòneíro cm Bitonto, fe tornará a formar à
novo. Na Praça dc Belgrado houve tres incêndios ao mefiro
tempo com grandillimodanno. O Commandantc deEgra, Ci-
dade do Rcyho de Bohemia, veyo à Corte a reprezentar a nc-
ceflidade, que havia de lè reforçar a guamicam daqucllaPra.;;
e le mandou marchar alguma gente paraefleefleyto. PedeSw
Mag. Imp. o Capello para o Bilpo Príncipe de Pallau , que cod
cila' nova dignidade pairará a Ronu para aililtir aos negociei
deftaCorte. Ha já algum tempo que o Conde de Pieteubcrg,
primeiro Minillro do Eleitor dc Colonia veyo a cila Corte com
huma commillám de S. A. Elcit. Neila tomou a refoluçain -c 1
palTar aoferviqo do Emperador; c indo depois a huma das fiui
torras com a lua familia, fc mandou da Corte do mefmo Eleitor, I
hum dellacamento dc Tropas para o prenderem; o que ellcevr j
tou, havendo faido com aCondcflá lua mulher, algiimas hor-i
antesdacazade campo em auefe achava. Informado o Enijc*
rador delta diligencia manaou fazer queixa a Moni JIeiuiJ'n
Agente de S.A.P.lcit. neita Corte, defendendolhe o frequenta
o 1'aqo, antes de 1c lhe dar fatisfaqam; e fez expedir hum rer
cripto aos feus Minillros rcfidentcs em Ratisbonna, com of*
dem de fc queixarem aos Filados do Império delta emprtf*
da Corte de Bonna, como contraria àsConllituiqoens, c UJJ
do mefmo Império. Tambein fedeu parte ao Eleitor deipj
ra para fc intrometer nclle negocio, c evitar o alto refent"1*^
to úo Emperador.
Iranrfort 7. de janeiro. .
HUm dcílacamento Jaguarniqam dc Philipsiwrgo 1
a 4. do corrente, c deu dc improyizo lbbrco po'1.0.
Acrjtó, onde havia alguns Huflarc®, que ficáram todos pn-
neiros, excepto hum Cibo de Efquadra, que foy tocar a £
r.os poltoí vizinhos. As Tropas Imperiaes fe puzeram 105^
íimas . c ímpcuiram que os uuuugus |>eueik.iuuu «*i«-
fijí« , que he o que intentavam, como fe prezume. Como as
firraiciv; Iam inuy raras cm Worms, tiniram os Francczes da-
o.:!lj Cidade quatro Companhias de Dragoens, que manda-
tai para Spira, efupriram a fuafalta com outras tantas de In-
Mtcv Tcm-fe embarcado eni Strasburgo quantidade de fari-
rupara provimento das Tropas Francezas, que citam deguar-
B^amcm Spira, Worms, e outras l'ratas ao longo do Rheno.O
Marechal dcNoailhcs partiu a 27. ce Dezembro para Pariz,
>!ondc le doera cm Hiitmiiigneo Marechal de Asfeld. A 24. do
pjilàdo feíez lobre o Rher.o a prova lichuma ponte volante,
« invençaxn nova com bom iucclla Oslmpcriaes tem fortití-
aòo.e guarnecido de Tropas todas as entradas da Moresi o ue-
£'Yf. Os Franceses contiuuama fazer grandes aluiazcnsa naAI-
i-dj.c em todas as Praqas que ocupam ao longo doRiieno.el-
jccialmentc de feno, eaveya, para poderem entrar muito ledo
1
campanha com hum Exercito de cein mil homens. legundo
pablicam, que feri dividido cm dous corpos ícparadoSí Cqn-
reyo-fe Clltre oi Gencracs do Emperador, c os de França, que
J carros, e mais carruagens publicas, poderám ir, e voltar aos
uomiaios de França» como 110tempo oa paz, vido que levem
pijportes deiRcy Chriftianiílirfio. A carioca deDourlach foy
j "i''iM.eira, que pailbu com cita permiflam depois da declara-
I V«m da guerra.
CRAM BR ET A N H A.
1^-■ y. Londres 27.de Janeiro.
' [Vj O primeiro do corrente chegou hum Expreflb da Haya
I ' '.4 Suas Mageíhdes com avizo, que o Príncipe , e Prin-
V:v,j dc Orange, haviam chegado felizmente àquella Gdade.
-• as naus de guerra, que cllam actualmente nas índias
p^iocntacs, fe eíperam nos noflos portos no principio da
Uv, v 4
t ;;.' - ' próxima, c leram fubftituidas por outras, que par-
"'li li l.ltti / \ t.. - J - I/! .M A tak ix\tA* /t á!n l* r
mu! . que vagou j>or morte do Almirante Saunders, e
«ramiflario do Aimirantado , que tinha o inclino Almi-

, 11? ',|c.PrCapitam
'-.''uiii °v<\ram •Purvis,
_° pnmeiro no'Conde
membro de Graiiard.c
do Parlamento. o
O Con-
y-c'i;:vUo ''«Mock, fucede ao Conde de Granará no em-
//.i2v f N ,cv-A!mirantc da El quadra branca ; c o Capitam
< lt onlra
» s / Í ?5' -Almirante da EfquaJra azul em lugar
u
" * '"tádock. Os Comuiiiiarios do AlmirauUdo m.m-
dárara
dáram armar a nau de guerra , chamada o Cavallo marintM
r ueguerra com-®» r\ í intHm l .flIHV OH I hK ú
c nomearam para leu Conunandantc o Capitam Compro i. l\,t
dos navios daElquadra , que citava
Cavalleirojoam J
No» ris, lê mandam defarmar.e aparelhar ou-
^ tan^PaSftiSlir,* ,... r„ko;t..ir tios
íos uue
que citam
ettam cm
cm t.batbm,
CteU» t< f
outros portos. No lim de Dezembro remaram hu^ven o^, -
•erriveis , Que deltniiram muitos navios , que citavam (d -1
ierro
ferro rclte
nctte rio ;, quatro
uuam» mu*.
que haviam
•»jpartido
- - para
i— a - «
ram obrigados a arribar às Dunas, c hum ,que lc\a\are.*|
tas para 1'orromabon, deu icoita à entrada do porto de Jh-,
ires. Na ilha de Portland huma ponta uc terra de .em vfflj
di parte do Nordeíle, fe lumcrgiu no mar; deitruindo qujl
inteiramente o molhe, e deixando huma aberta tam g,-nl
na ilha que os moradores daquella vizinhança le acham ém
da affbiSSL As inundaqoens , que houve em varias ptfd
deite Reino, fe tem diminuído tanto , ^ ^
den iá andar relas eftradas fem perigo. IXfue -3. de UM
£0 doarão Se «733- até ao. ^Dezembro de ,7>3£^onB
pelos roes tirados dos livros dos baòtizadlos, c.
verem-ie bautizado nas frcgiiez.as ce Londres,, c1U c!.mj
ter 8U0ÇÇ. meninos, e 8L67Ç. meninas, que fa/tm Wl
So.. C felecteun . jfco.í. homens de to£ »£g
c i aUoaó. mulheres, c meninas, que fazem .6Lo6z. \ ^
defuntas, e menos ouc o anno paliado 3U 17«■
O Conde de Montijo , Embaixador de HeTpanna.g
hum novo Memorial à Corte, expondo, „ Que
Senhor tinha feito todas as reflexões, que fe p< >'1 ^
"ghlar íobre a reprefentaçun , que lhe ^
' Map. Britanmca, cm ordem a cxccuqam dos 1 ataa , jn
I fubfiftera entre as duas Coroas ; ^rcconheccndo^u i
, bem fundados os aggravos, c queixas cc Inglawna 3
deixará de lhe dar brevemente faOsfoçam, e aoerc *
o dito Miniitro nofeu Memorial, „ Qye tmha foculgg
„ fua Corte para entrar cm conferencia
„ Sua Mag. Britannica, e concluir hum novo ,,-d*
" mercio entre asduas iiacoens; c para ue!(M
„ tempo o defejo, que Sua Mag.Cathohca tem,
„ nem a mandar a Madrid os (.ommilianos, que 1
„ ram, para regrar as pcrtenqocns da Coroal, c ^^
«!«*•/11 nflccurando haver o mefmo Monarca na» -yf»
iyais prccifes) paw fer informado das contravene p-
8
3
cvs In
InfJC7.cs
c 7 fe ti-
- afeito ao Tratado do AÍTcnto , dc que OS "! . ^ o com-
Sn, queixado tanto, dizendo fe lhes tinha •mpcd.dohavendo
íiocio dos negros na forma que lhe fojr eíbpulado, ha* coin
J&anhoes diffimulado cite negocio aos 'ranches
undo-detrimento, e prejuízo da Companhia fodeza. Alie
E, que fc refpondeu nefta Corte ao dito Memorial, „
Se as mefinas promcflàs tinha id feito cm ou!ra °"fiam a
Coite dc Madrid fem nenhum eiTeito i e que ló fazendo-fc
' ,ullic.i às queixas dc Sua Mag. Britanmca, te rodcria oar ft
ifvnccridade das novas propoftas: que o mancai fe fcgpnua
:;^nmXics a Madrid % tenha por fuperflao, «mg
.fcliefpanha queria renovar o Tratado , podia mancar os
. feu-: CommiiTarios a Londres, onde eftas coutas fe P^dia.n
- tratar com igual facilidade , fem Inglaterra acrcfcentar no-
, .as dâpczas is que já tinha leito para o mcfmo nceocio.
Também fc aflegura haver Sua Maff. Britanmca mandado re-
jrefentar novamente a ElRejr Cathohco por Monf. K*-]Ci
leu Miniftro cm Madrid, que Sua Mag. nam poderá reputar
I nunca por iuftas asconquiftas das armas Hcfpanholas nos Ket-
uos de Nápoles , e Sicilia , fem embargo dc todas as razocus
aliciadas pela Corte de Hefpanha.
PORTUGAL. Lisboa 17. & Fevereiro.
A Rainha nofla Scnhora.com os Sereniflimos Príncipes do
Brazil, eo Senhor Infante D.Pedro, feandáram divertin-
do Sabado na Tapada de Alcantara cm vários géneros;dcí caca;
f depois fiaram à tua coílunuda devoram da Imagem dc Is. Se-
nho radas Ncceflidadcs. ,
Defdc 6. até 11. do corrente furgiram no porto delta ci-
.. . n»n i-fT-i"! a niiidi'prrrra lin-

— iczes.c i.Dinamarqucz. . ,
Lm todas as Povoaqocns doRcyno fc tem leitejado com
.^'aliiliraas demonlhacoens dc eofto o nacimentq da Sere-
}'"'«« Princesa da Beira. Na Cidade dc Coimbra . Capital da
■"■'inciadefte nome.alTim como fe recebeu eíts feliz noticia,
«atou o Cabido, Sede vacantc o Te Deun; fojfmneracntc na
JS *-hi
Igceja Cathedral. A Univcrfidade fez o mefmo na Capella Rc
dos feus Paços, e foy cm prociflàm cm fórma de PrcGito cant
Mifla na Capella da Rainha Santa Ifabel, no Real MoGeiroi
Santa Clara daqueUa Cidade, cm que prdgou o P.M.Pr.Joi
; TanoeLI^ajtc dc Theolooia, com igual aplaufo de toda a Un
vcrlidade. O Magi Grado ifcftiiiou o dia 7. dcilcmez paraadc
monftraçam do leu ieGejo 11a Real Icrcja de Santa Cruz &
Concgos Regrantes deS Agoftinho; aquelcfeguiram lumia*
rias, c repiques na lórmacolhnnada.
Na Villa de Barcellos houve na primeira noite htunaillsl
minaçam geral, excedendo a tudo aclevadilGma torre do P.'d
ciodosSereniflimos Duques dc Bragança. No legundouiahal
ve combate dc touros, allittindo o Senado diftribuindo p reinai
a todas as fortes. No terceiro fc cantou o Te D cum, e liointl
MiHà folemne cm acçam dc graças na iníigne Collcgiada dl
Santa Maria Mayor, onde na melma tarde houvehum SeniuJ
Panegyrico, a que affiftiu a Collcgiada, Senado, Nobreza, e h\
vo, imalizando 110 quarto dia com hunu folemne ProcifLni. jj
Xí it s. Dtmingti/e wmitm te he< ti fepthmi Iuoocr «i lo. -tl
f'f'fifa*. aaj.'tiotva'gr/be,, ,immune it me/m* .Ut„ fib„ , TííbiMiico ' I.
Jco. Hey, Ptuzt. Píom^airiodí SeotMf»» Moiici.m „„ lfUlll. / ..-11
ittr ti iitiS*írf*rrtii, PoitiinCM, tuclu:illn , * Ordem , na
«'•ÍUSfCfliifc 'friiiiilieDividi Drcictí ctôcjoicunililxcuicciciti U . i.n.fl
Ata hm itmtit Veil Cbrifli gHiit.
b—taza lit Marcel Mn tira ii Ca v.i 'ti" ri a ite Salve t ri, [r m ta j b
ntilnlaét, Hiltcrú dji loiram» dr Sirapiilti.c Gcnfiodino, ,t>* Un. «I1
'tgeaitCailte iaSytvaCmta *a uaa.va/t vante i»v*k teu im/ufia * toa«V'l
UXyftio, ti mi Ct frtlit» ite fazer ai Vrainmigtawiaaiieiei, e jtxlamalt rum * I
JuvêfitKtfiht e Premjetuiiit P./{retail Frantt, t bnaaSjteixttni'/a, i^V
ati'S'iam a faver it nltliv* <]ai, qur, quod.
ft da Gmiienli,it naittu Venttiant, I inter,e Aaliflnrit it Piiueiftir /*l
Gtvernai,, it Mailt a, f w alttaemenn ft aeba mtfla Ctrtt, t ten i.eba
'' Land,», IPatma.Mcieua, , Milam , tadjthúh Au* tare, *.i /. / ""I
dt, rrae law/». tttt,;„nit, fin fee ft faceia,rira j■
iu Pundyti.rpefiiti e.rl./aeiai iiiaeCttue, tfpeeiahtm,San: fyn /V"!
a'e Paiaa. t Mar.lua, «it Peerdpt tn'irii itSahya. ten la lem ljviSr.tffr"'fcI
t ia/iaarbeeer, mnHU, t exerl!,rue faai-te i,jf,,n,iptn Statute it Pung*h ,k I
timamtale it/laii* o/aSaaiaC.i-aii Mifnittrda, t/fede/meaie , fine/i ""ta'J
ia Capella ia irfiga/tlemfrfifa ie^ttlU Ctza, Dr.. na Santa G-.h-l., tali r"'" I
it a/nlraeeiitueinati it Pinuree Pitl,£*rxei it^UihftfituhitlRt, D.M" \
/tIPej D.Jtae-i III. mi i*afift,rtti<amna tree it Pint,,» Ga/far
U
f"- F'*Z<tlPi*dr, t lami/m heatniiGaligte i'ftat Piatu Ilifeant.l, "P |
tu W/aieir/ia ha lalcez taelnalginate. tin, n, kfeinat

NaOiiicinade ANTONIO CORREA I


Cm todas as Hçeuças necejjdrias.
ífoffl. o 97

GAZETA

DELISBOA OCCIDENTAL

Com Privilegio de S. Mageftadc

Quinta feira 27. de Fevereiro de 1738.

TURQUIA.
Conjiant inópia 27. de Dezembro.

OR hum Correyo defpachado do Cam-


po dc Oczakeru, chegado ha poucos dias
a ella Corte, fc havia recebido a noti-
cia , deque as noffas Tropas comman-
dadas pelo Seraskier Bacbi de Bender,
Centzy-Ali-Bacbd, tinham polio fitio a
Oczakow, e ganhado já as obras exte-
riores da mefma Praça ; c que fc efpcra-
va dar brevemente a S. A. a nova do feu
'C!>>iiniento; porém a 20. chegou outro de Cartola , dcfpa-
^ladodo acampamento do Gram Vizir , com avifo, de que o
'"cirno Exercito tinha levantado o lítio a 10. de Novembro;
*• en:re os mais delpachos que trouxe , fe achou huma carta
150
dito Seraskier, na qual fc dclculpa do mau fuceflo delia
Jfpreza; •• dizendo, que elle íe nam havia apartado hum ato-
„ "Jo das ordens de S. A. que os Soldados no aflalto geral ti-
leito tudo,quanto lhes foy poflivel, pata a fazer bem
90
xanfn (c reconhece aeor3, quando íc ncciífitai dclJcs, para
£&METÍS»! porque ainda que ic aHcgura!^
,<5!lfam aceitado a mcdiacam de Franqa , Inglatcna , C Hol
""r " paia aiuftarem
.MaK-mafuIa fua paz
r". com os impe. ^...«. ...
de Ato».
?, r Ruffia ; como S. A. infifte. em que a bale delia nego-
' m deve ler o Tratado de PaJJarwit* . em quanto ao

pg»aãiBag8saa^«

5Te pa'rTclle aos l>abi«|n«^

^SèS5S

licam pertencendo aS. A. ^ S S í A.

Pftriiburco a8. dc Dezembro.


QFeld-M3rechal Laíey chegou da Ukrania a ^mana paí-

ãf

Ei£!5SSH|Sa|SÍ

ssssa^si^s
receberam da fronteira de Turquia dizem, aueo.GramVizic
Partira de Carta/a para Adrianopoh , onde determina pal a
Inverno j mas que fe entende , que
Conrtantínopia, para dar conta ao CnmSgto ^cftada^
ura que fe acham as coufas da guerra , e eonfultar com o.
nhlros do Divan os meyos de pôr em campanha forqas tam
confidoraveis , que poffam operar com *ne hofocçflo contra
«»Kuílianos; por dm também as noflas inteUigenciasnoí d.
'/cm, que os Turcos cílam perfuad.dos a que ellc Mm.Uro u
* dcpollo da fua dignidade antes dc fc dar principio á Campa
Turcos , e de 30U. Tartaros , todos commandados por Qcat-
Zy-Ali Bach d, Seraikier de Binder , c Bacbd de tres caudas,
que tinha por íubalternos Btnglt Girey, novo Ktom da mi
Si lhe fornecerám foo. homens de Infantcria, c 200. de
aliaria. VI. Que le regulará de acordo commum com a
Empcratriz da Rullia o numero de Tropas, que le ham de
peter noites dous Ducados, e os quartéis, que nelle liam de
ccupar. VII. Que os Gcntis-homens de Polonia, e Lithuania,
çue pollucin bens noites Ducados , gozaram de todos os pri-
lilcgios, que logram o» Kurlandezes ; e teram cm todos os
(" ;oceiTos eiveis , ou crimes o direito de apcllarein para El-
cy, e para a Republica de Polonia. VIII. Que todos os Po-
toneaes. ou Lithuanos, que fe acham prezos em Kurlandia ,
ou em Scmigalia , leram repoítos na fua liberdade , e le nam
eerám continuar os procelTos intentados contra ellcs , nem
nar nenhuma pertençam , que lhes faça carga. IX. Que o
Duque de Kurlandia nam concederá a nenhuma pelToa o di-
reito da naturalidade, mas remeterá á Dieta geral de Polonia,
as que deíejarem alcançar eíte direito. X. Que a convençam
feita no anno de if 8y. entre Elevam Bat tori , Rey de Polo-
nia, e Federico II. Rey de Dinamarca, fobre aconfcrvaçam
das franquezas afeitas ao deftrito de Pi/tyu , fe porá em cxc-
cuçam. XI. Que a Empei at riz da Rullia, querendo favorecer
o 1'uquc de Kurlandia , confente, que os habitantes de Kur-
landia , e Semigalia tenham a propriedade de metade do rio
Bnyna, c que 3lli logrem livremente a pefca do lannam ; c
Sua Mag. Imp. da Rullia eítá também na difpofiçam de render
a' Ilhas de Rooa, c de Spielbom, e as mais, que eitam no gol-
lo de Livonia, de que os Eltado* de Kurlandia pediam a rclti-
tuiçam, como feudos, que em outro tempo fizeram par:e dos
•io iiinios do Duque de Kurlandia. XII. Que o Duque prome-
te da lua parte á Empcratriz de nam perturbar nunca a nave-
Mçamdos navios RulTianos, c de moderar os direitos, que
Mgain cm Kurlandia as mercadorias da Rufli3.
SUÉCIA.
Stockholm 4. de 'Janeiro.
P LRcy tem eferito ao Duque de Kurlandia, dando lhe o
XL parabém da fua eJeiçam. Nam fe fala iá na AiTcmbléa
R«al dos Eítados do Reino, que citava lixa p3ra *4- de Ma-
io proximo, fern embargo de le haverem expedido já da
L 'anediaria as cartas circulares para a convocaçam delta al-
ambica ; antes fediz, que El Rey fa'á neílc anno hunia via-
p,em j Alemanha. Monf. de Befiucbef, Miniflro da Empcratriz
Rullia. teve a 14. do incz pj.Xido liuma audiência particu-
lar
craque nam partem rcclutas, que fe vam incorporar nos Re-
li pimentos Imperiaes, que citam na Hungria.' O Gram Duque
>u fir trabalhar com toda a prerta nas fnas equipagens. O Feld-
i Marechal Conde de Kcvenktiller fe elpera aqtii brevemente
cj Klchvohia. Dizem que S A. Real rerd á (na ordem o Con-
:J 1- de Konigfcck , o Duque de Arembcrg, o Conde de Keveu-
I Irilltr, e o Conde de Xe/iperg , todos Fcld-Marechaes; mas
e como a Corre nam publicou ainda a Jilla dos Gencracs", tudo
, p que fe diz, he fó por conie&uras. O General Conde de Pie-
: ftitbi ha lido feito commandante da Praça de Segedin ; e o
General de batalha Surndabl ferá Governador de Caliban.
PORTU GA I..
1
U _ Santarém io. de Fevereiro.
' li Xperimentandc-fe nefta Villa , e nos campos circumvifi-
\_j nhos huma feca univerfa! por falta de chuvas, e haven-
do-ie feiro varias Prociiloens de Preces para pedir ;i miíerieor-
c a de Duos hum focorro tam precito para a fubâllencia dos
habitantes, o Senado da Camera em nome da nieíma Villa le
iiuntou com o Clero, e convieram em pedir licença ao Iliuf-
tnficno Cabido da Si de Lisboa Oriental , para poderem tra-
zer cm proeillam pela Villa o Santirtimo Milagre , que ha J04.
"nus ic conferva com grande devoçam dos fieis na Igreja Pa-
'oquial deSanro Eftevam da rnelma Villa, por haver experi-
j «C'J, e tradica 111, que o anno, cm qiic fahs em publico, he
o 'C ,Vigmio
ao Kev. ^U|Wiinte;
geraledelia
alcança la a, fedifpoz
Villa licença por carta mais
o modo mandada
dc-
Y7? • Cl'm 9"1-' i'' !'J ,air ^ villa publica a Magcítade Divina
. "1KO 035 elpecies de Pam , que tam miraculolamente fe
erva incorrupto; c com efeito no di.i 13. de Fevereiro fe
;ia «ferida ptociflam , que durou das nOve horas e oieya
■ manhan af<í í»uma e mejra depois do meyo dia , em que fe
alem da Cruz da CoJIegtada de Alcaçova 233. de outras
Irmandades defc Arcediagado, 12. das Irmandades do
n,> ,le outras
fbftu' tantas Paroquias,
• '» villj ; as- Commnnidadcs que ha Agolílnhojí
dos R-ligiofos nos ties bairros
Déf-
I cff.' jdos Kc'igiofos Terceiros, dòs Óhferyànrefr de S. Fran-
Tr,nos
- dos Aqortinho.,
- «aos neftas Common dosRcligiolbs
idades muitos Dominici» ; eoutras
das entre-;
t_ ■«-ruzes do Clero delia Villa com 266 Clérigos, 181. Pa-
s con
Co > capas Pluviaes. Tod3s 3s Juíliças da Villa , e íua
arcaj c logo o Santi.Umo Milagre, que levava o Rev.
Terça feira 13 de Fevereiro de 1748.

RUSSIA.
Petrisbnrgo 16 de Dezembro.

KSTFJOU-SE com grande folcmni-


dadc o dia de Santo André, Prote&or
da primeira Ordem Militar defte lm-
j peno. Foy a Imperatriz acompanha-
da dos Cavaleiros delia á Capela do
Paço , onde alliftiu aos ofícios Divi-
nos. Recebeu depois obfequiofos cum-
~ primentos de toda a Corte , c de noi-
j® (em que houve iluminações por toda a Cidade ) deu o
v-onde de Leftoc hum grande baile \ c teve a honra, de
Sue a Imperatriz, e Suas Altezas Rcacs cealTcm em fua
G cafa
na
caía com todos os Miju.Vos Eftrangeiros. N"o mcfmo
dia recebeu o General Barím de Breirfacb, Embaixador
extraordinário de Suas Mageftades Imperiaes dos Roma-
nos, hum ExprcHò da lua Coorte com dclpachos, que
logo comunicou aos Aliniílros da Imperatriz, com os
quaes teve huma larga conferencia. A j fc fcílcjou o no-
me da Grande Duqucza com grande' pompa. Toda a Cor-
te'concorrcu a dar-Ihe o parabém. I louve defeargas dc
artilharia na fortaleza, e no Aknirantado. Jantáram Suas
Altezas Imperiaes cm público com os Cavalheiros, e
Damas das duas primeiras dalles, cm liuma mefa dcqo
pclloas. Depois dc jantar houve hum baile na galaria, a
que fe feguiu huma fumptuofa ceya em tres mefas dc
i5opclJbas, a que foram convidados os Embaixadores,
e Miniftros Eílrangeiros, com huma boa ferenata , em
quanto fe comeu \ e toda a noite eftivcram iluminados o
palacío, c a Cidade.
No dia feguinte fe fcílcjou o aniverfario da cxalu-
çam da Imperatriz ao trono dcítc Império com huma
magnificência fuperior. AfliíliuSuaMag. Imperial acom-
panhada de Suas Altezas Imperiaes, e de toda a Corte,
aos ofícios Divinos. Reçcheu depois os parabéns de io-
dos as iMmillros Efirangeiros, c dc todos os grandes Se-
nhores do Império. Jantou no feu quarto particular com
algumas pefloas da primeira diftínçam. Pelas 7 horas
da noite concorrôram ao Paço todos os Senhores da
Corre. A companhia das guardas do corpo íc poz em si»
na galaria ; e a Imperatriz como fua Ca pi tan apareceu
com a farda uniforme, e completa do me Imo corpo , £
admitiu a beijar-lhe a ntam, nam fó os Oficiaes, e fubal-
terros, mas os fímples Toldados. Ceou-íe dt' Js na gran-
de lala, e toda eíla companhia fc repartiu -«n diverfaS
mefas difpodas em forma , que figuravam Huma Coroa.
Os Oficiaes , e lubalternos cearam á mela da Impero# iz,
c os Miniílros Eílrangeiros, e Damas da Corte na de^uas
m
li.,,,5 Rcjcs. Houve varias dcCcarg* de «rtiÇanu, lu-
ílinirias por roda n Cidi.de , c hum» bel* iluimnajam no

"':T Sã» d*Cortes dc Vtog,


t de Londres correvos das luas Cortes; pediram, e alcan-
Í X audiência da Imperatriz, * quem deram pnrre
£ Sus dei pachos. Dizem que trouxdram as rat.ficaço^
do Tratado allinado ultimamente com a Imperatriz dos
Romanos, e com as Potencias marítimas; c que em con-
fequencia » «pedir»"» logo ordens, pan. e pôr em mu-
chl i :ò delir men o corpo de tropes s.ml.sres, em que

M
' Honf-Xl/rfw!Minittro J= Frenç., recebeu por hum
rvprélTo ordem para fe recolher a Paris, de que logo deu
parte no Conde dcBefucbef , e fiz actualmente as fuás
difpoficoSspara partir. Nam iabemos.le virá em feu lugar
outro Miiultro, ou fe a fua Corte fe c0"tcntara dc quc h.
que nefta hum Secretario com a incumbência dos feos ne-
gócios. F.fta noite pegou o fogo na cala da Academiadas
Artes e Scicncias, e deixou inteiramente reduzido a cin-
zas a quelle foberbo edifício. Deu efte »nçcndioaopr.nci-
pio hum grande fufto pela mzgmhca coleçam ^ouzas
Ligas, curiolas, c raras. que nelte fe confervavam, efe
haviam a juntado nos reinados precedentes ; porém nam
fov a perda um laftimofo, como fe íupòz, por nayer a 'C
licidade de f:.lvar-fe o cabincte das medalhas, e mineraes,
a Biblioteca . os mnnuferitos todas as hguras anatómi-
cas lo celebre Monf. Ruyfcb , e a mayor parte detodtó
rs couzas preciofi* , e raras dc an.maçs, aves, peixes, c
o iras curiolidades naturaes ; c ló fah.u com algum dano,
que fe pode remediar, o grande, c famofo globo.quc com
minta defpeza foy trazido da Holfacia , c colocado n
torre da Academia. A Imperatriz vay efta noite para
C'.zarkazello , onde quer alDllir alguns dias.

G U PO-
i. .
a!gom incidente, que o obrigue a vir mais cedo. Fála-fe,
cm que o Príncipe Xavier, filho fegundo de Sua Magef-
(adc, fahirá brevemente de Drefda para ir ver paizes ef-
irangciros.
SUÉCIA.
Stocbkolm só de Dezcmbr».
1^ Oy a Nobreza obrigada a cóntormar-fc com os defe-
jos das outras Ordens, para efeito de fc feparar a Die-
ta pelo Natal; e fez o ReJ publicar por hum Rey de Ar-
mas , com as ceremónias collumadas, que fe fepararia a
J5 dellc mez, convidando os Ellndos, para que fc ajun-
taflem naquelledia na fala grande do palacio, porque que-
ria allifiir a cila folemnidade. Nolle intervalo fc ajunta-
ram todos os Jias as quatro Ordens. Examináram-fe as
queixas dos poizanos , e alguns meinoriaes fobre as ma-
uufaduras. Continuou também a Junta íecretn as fuas
conferencias , íem le labor a matéria, que nclla fc tratou,
mais que pelos lucéfios, que fe vam vendo. Rctirou-fe o
Senador,eCram Marechal Baram de Ackerbieltu, renunci-
ando o lugar , que tinha no Senado, fazendo deixaçam
dos empregos, que ocupava na Corte ; e partindo para
* luas terras a efperar a mudança, que todos os bem in-
tencionados elperam com tanta impaciência. O Conde de
7e/Jin nam fómente le nem apartará do manejo dos nego-
nem da Corte de Suas Altezas Reaes , como a Ruí-
tolicitou no principio da Dieta ; mas ainda felhe pe-
•'11 •> que aceita lie o cargo dePiefidente da Chancelaria
«ai, de que já tomou pólfe , e ao inefmo tempo do pof-
to de primeiro Miniftro, que lhe anda anexo; e íe au-
mentaram mais -os feus ordenados com ;U efeudos por
°nno. Alouf. Setb, Secretario de Ellado da repartiram da
£uerra, alcançou o cargo de Senador, que vagou pela dc-
" ilfam do Baram de Acker biehn \ e ode Gram Marechal
p conferido ao Senador liaram delaubc. A primeira
wmçauv do Conde de IçJJin foy reiterar novamente por
G lii ci-
126
ordem do Rey ã to'c? 05 '.'íniftw Fílrangciros, ecfpe-
cialmente aos ua Rnjpa, Grau liretnnba, c HoÚtfnda, as
alJbvcraçoGs, de qu£ todas ás nicdi.ias tomadas in Diôr»
fe nam encaminham mais, que a entreter in iohvcímen-
tc a boa amizade, e inteligência com as ítias Corres r c
que 1c nam atenderá a nenhumas inltnuaçògs contrarias a
cite diélamc; porém como chegam !ucelli>'nmcnre gran-
des remedas de Parts, c o Marque/, dc Lawnarié an.lt
lempre na Corte com aparências de triunfante, lê nant
duvida, que fc renovará outra vez o Tratado de fublldi >
entre éítc Reino, e ode França. Mortf. Gitidikent, Mi-
niítro do Rey daGran Bretanha, mandou entregar aos
Miniltros F.ltrangciros huma narrnçam de tudo, o que íti-
ccdeu na entrega do negociante Springer , que íe havia
refugiado na fua cafa , muito ampla , c muito bem dedu-
zida.
A fentença , que fc pronunciou a 1 z contra cltc rco,
foy levada d A (tembica dos F (tidos, que n confirmou, or-
denando, que ic imprimido; e os pomos principal, por-
que foy condenado , lãm, „ que pertendeu prolt rar a li»
„ berdadc, e direito dos Fitados, tanto na Dieta donm
„ no de 1743, como depois; c anular tudo, o que neila
,, fc havia unanimemente eltabelecido. Que urdiu e>n-
„ prezas perigofas contra o Reino, e a pátria, fj/cnJ1»
,, diltribuir dinheiro para cite efeito \ pelo que fegundo
„ as leys havia merecido perder a vida , a honra , e a (V
„ zenda •, mas que a Junta fecreta mitigando cít» fenUT-
„ ça lhe perdoava a vida. Foy executada -.121, expondo
o réo d viíta do povo.na praça mayor, com o feu nome
pregado no pelourinho, e hum rótulo, cm que íc lia o fe*
cr! ne, c a fua condenaram.
A 22 foy o Marechal da Di-ta com o* Oradores ttoí
quatro Fitados do Reino ao Faço , e pediram audiencti
particular ao Rey , na qual lhe requereram cm nome de
toda a Aflcmbléa, quizêllc nomear hum dos Senhores '!>
TS7
Rein"» para Governador, on Avo de Sua Altera Real o
I'rincipc(iii/lavo\ e ari'iidcrido Sua Mag. a crta luplica,
nomeou para elle emprego na preícnça i!o Principe ft>-
cellor . e Princeza Real, ao mcfmo Conde de Tcffiir.
A aí ft leparou a Dieta co:n todas as coreniónias , e fo-

Piam a 3 de Jau tiro.

PRoveu a Imperatriz Rainha o regimento de dragões,


que vagou por falecimento do Conde Gimdakaro de
Altbjn (falecido em idade de 8z nnnos) no Serenif. Ar-
chíduque ;7'í/e, que logo apareceu vertido com a farda
uniforme do melino regimento Dm lo-fe a efcolher a c fi-
fe Principe huma dúzia de divilas com luas tenções, efi-
coilieu p.tre todas, a que tinha crte cpigraphe : Pi o DtO>y
ÍT fiopafo.
O (.'onde de h Ricqtte tem tido muitas conferencias
com c»s Minirtros da Cortei mas nim pirti^á antes dc fa-
hêr, o -jue o Rey JeS rdenha refponqc lohre os últimos

mie a lua mi liam teve por ohjcíto a planta das operações


dos Aliados cm Italia. Os Generacs nomeados para Icrvi-
'e:n cl..- amo naqucHa província, fim: o General de arti-
'Vri i Conde de Brown, Comandante em chéfc. Os Te-
nentes de Fe hl Marcchaes de infanteria, o Conde de Ko-
"{Ztegç , o Principe Piccnlomini, o Baram de Keubl, o
Gunde Afovati, o Conde dc Neubaui, c o Conde de
3(irbn», qr.é ficará no carteio dc Mi/avt.
Corre a vóz , de que os Francezes querendo evitar,
ine as nollas tropas nam entrem pelo MnfeUanas fuas ter-
,as
i mandam voltar do Dt!Jina<Ío, e Provença as tropas,
tinham para o exercito de Italia, para formarem hunv
i or-
123
à ordem do Principe áeCa/iti, que defendera a pafTagem
do Rhenoje que o Conde de Ciermon t- Galier ande já com
o titulo de Marechal comandara outro , que fc formará
das tropas, que o Rey de Prujjia, e o de Poloi/ia lám o-
brigados a dar ao Rey Chriftianiilimacm virtude dos feus
Tratados, para embaraçara padagcm das tropasRu (fia-
.nas. Fazem-fe difpofiçocs para Ic opôr a tanta máquina.

PORTUGAL.
Lisboa 13 de Fevereiro.
Or ordem do Rev nolTo Senhor, para facilitar mais
aexpediçam das tropas, que determina mandar elle
*nno ao Filado da Índia^ íe impiimiu huma clpecic de
Edital, que contém o leguinte.
Tendo a Divina bondade abençoado as armas delta
Coroa, c o valor dos Portuguezes na India com tam ven-
tajoíos fucéllòs, que nam ló recuperaram com gran le cré-
dito da Naçam parte, do que citava perdido, mas tomá-
iam muitas praças, c terras aos Inheis vi linhos; caltigan-
.do a lua iníolencia, c livrando aquelle Fitado da opref-
iam, em que há poucos annos Ic achava: rcfolv.cu a ileal
providencia de Sua Mag. íullenrar aquella conquiíla com
focorros taes, que ponham .em Ícguranç3 o lo cego, e
a felicidade dos Valia los, que nella relidem ,e contribuam
como fempre a confervarfe, c dilatar-fe a Santa Fé de
Chrilto nas terras do Oriente. Para elle efeito tem o mef-
jno Senhor mandado prevenir com largueza tudo o ncccf
fario, lem reparar em qualquer difpeiidio da lua Real fa-
zenda ; determinando também, que fc tranfportem nelta
monçam ao menos,iU$co homens de tropas.; e eípera Sua
Mag. do zelo, e fidelidade dos feus loldados, que dc boa
vontade concorreram para hum lim tam gloriofo. Pel®
<)uc manda propôr, aos que voluntariamente quizerem ir
participar da honra, que tem adquirido, os que fervem n*
Índia, !é aproveitem delia ocaíiam para o leu adiantamen-
_ *-9
to, e cm feu Real Nome lhes promete as condições íe-
oííntes. .
• 1. Nam íerim obrigados a lervir na India mais quo
feis njinos, eapàbados elles, nam neci-Uujf.im de licença
alguma para dar baixa , nem poderam o Viec-Rey , oa
Governadores daquclle Eltado rctélos por ma» tempo no
fcrviço contra luas vontades, por qualquer çaula, ou pre-
texto , que feja.
II. Na volta do Índia fc lhes fará o tranfpórtc nas .
naus de Sua Mag. a cufta da Real fazenda ; c no cafo quo
efcolham outra comodidade para fe recolherem, nam lhes
lerá podo impedimento algum.
III. Acabado o dito tempo , lhes ferá livre tornar
pira o Reino, on ficar na Indiá, ou noBrafil, ou pairar
ás Minas, ou a qualquer parte dosdominios de Sua Mag.
conforme mais lhes agradar.
IV. Em qualquer das ditas partes ficará a feu arbí-
trio tornar a incorporar-Ie nas tropas , ou nam; fem qum
mais poliam ler obrigados ao fcrviço contra fua vontade.
E querendo incorporar-fe, entraram na meíma gradua-
çam , que houverem tido no ferviço da India j e nos pot-
tos, quando houver cabimento.
V. Concorrendo a pertender portos, ferám preferi-
dos cm igual graduaçam a quaefqucr outros, que nam te-
nham fervido na índia.
VI. Antes do embarque fedará a cada hum cinco1
mezes de foldo dobrado; e por ajuda de culto quatro me-
ies dc foldo fingélo.
Debaixo deltas condições, que infalivelmente fe ham
dvobfcrvar, todo o que quizer pairar na prefente mon-
ao Eftadoda índia, dê o feu nome para fer alirtado.
< fe alguma pertoa, fem fer aítualraente foldado, quizer
v
oluninriamenie aliftar-fe, fc lhe guardaram as mefmas
- ' " r-'~ s mercês coltuinadas, confòr-

Dtf
'3d
Declara-fc, que as ditas conJiçoes fe nam entende-
r."n a favor, dos que forem conflrangjdos, ou feiam tol-
dados, ou nam.
A Rainha , c Princesa noflas Senhoras foram no Sa-
bado da (emana pairada, por íer dia de S Brás, a Capela
da Ordem de Malta, dedicada ao mcfmoSanto, onde
fe celebrava magnificamente a Tua feita. Na Quinta feira
8 do corrente, por ler diadcS.Joain d> Maca , vifuáram
o convento das religiofas da Suniiífima Trindade de Cam-
po Lide ; c na Seita feira o das religiofas de Santa Apolo-
nia , por íer o dia da melma Santa.
Faleceu em Guimaraehs em idade de s annos, 10
inc7es, c 15 dias, depois de fete femanas de remédios,
D. Jolí Raymundo de Lancaltro, filho fegundo de Dom
Antonio dc Lancaltro, com grande fentimento de feus
pays , e avós, pela fua excelente indole.
Celebraram le na vil > dc Reatei/e no Reino de Ga-
liza os dcfpolòrios dc Gaipar de Queirós, Ribeiro, e
Vafconcélos, Senhor do Couto , e Paço de Oriz , c doi
Morgados do íeu folar em Amarante, com a Senhora Do-
na Mariana Joaquina Camalho de Gayofo Arias O/ores
de l.éinos, filha de D. Joam Antonio Camalho de Men-
donça , e Arias , oitavo Senhor da mefma vila de Rem'-
Je, de Guia unes, c das ilhas dc Salvor a, Dion ta, e
1»/, com fuasjurifdiçoes, Coutos, c Padroados, e deiua
mulher, c prima íegunda, a Senhora Don3 Maria Vcn*
tura deGavo'o Arias, e Lemos, irinan dn fexto Conde dc
Amarante, MarquCz de S. Miguel, Vifcondede Oca, «
Senhor deTheanes, immediato fucclíbr do Marquezado
de Camarajfa , com a honra de Grande dc f lefpanlu,
que adtualmenre pofiiie feu primo o Conde de Ribadavia,
tamhc.n Grande dc Hefpanha , c Mordomo inór do Rcf
Oathólico. Fez-íe eita funçam em 8 de Dezembro no
Oratorio do Senhor de Rcme/le coin aíTiitcncia de todo*
os parentes da Senhora Noiva , e dc inuicos Fidalgos di-
quellc
J çicHeRcino; fevando a procuraçam do Noivo feu ir ma, 17
> -in cl Teixeira de Qgeirós, o Vaíconcéjos, Fidalga
Capeiam da Cafa Real, e depois de fe haverem entre-
liJo com lucellivos banquetes, c repetidas demonílra-
ç- es de go lio , partiu a Senhora Noiva com hums nume-
iufa, e luzida companhia a 12 de Janeiro, c chegou a 20
3 Braga, oude fe apedram a lazer oraçam perante a Ima-
pcm da Conceiçam de N. Senhora, Padroeira da antiga
Capela do leu Morgado, que eit.iva cullofamente arma-
tí 1, e dali profegúíram a fua viagem para a fua caía dos
Coimbrãs, lidar dos u\ ós maternos do Noivo.
Efcrevc-fc da Cidade do Porto, que havendo fahido
oExcetentillimo, e Revercndiflimo Bilpo no Domingo
*' pairado dos feus paços Epilcopaes com todo o leu
elbdo , precedido do numcroío cortejo de mais de 50
I carruagens, e das dignidades, e Cónegos da fua Cathe-
d'jl, Joy a inligne Colegiada de S. Martinho de Ctdo-
fata, extra muros da mefma Cidade, a tomar póílc do íeu
l corado, de que o Papa lhe fez novamente inercé. Ape-
ou-!c no leu páieo , e deleançando hum pouco nas cafes
aa relidencia dos Priores, íaliiu delia acompanhado de
10J00 Clero, Nobreza, c Povo para a Igreja , onde o
"-ebeu j porta com pálio, c as honras collumadas , o

1 ^l,J me,ma Colegiada, e pairando ao Altar mór,


«depo-s ao trono, tomou pólle , e recebeu a obediência
Cabido. Cantou-fe depois o Te Deutn foleranemente
P1'" muíica efeolhida. Recolheu-fe ao leu paço com o
-'■no cortejo, eftarido todas as ruas daquelle dilatado
J '' nlio cheyas de gente , c armadas de ricas tapeçarias,
: P judiu fe a funçam defta pólle com repiques, falvas de
Ur,a c:toc cnlc
n'jri ' ' ^°5a ar
» c
noites de kimi-
A na'u di India, que enrrfm a zt »fo niez paliado, (c
chama xV. Scd>m a da Nazareth t iras S. íraunfa
°vier. Havú li mezes% c 22 dias, que tinha fehido
de
»3-
dcGoa , c yP» da Bahia, onde fc demorou ijfl. Vlnhi
comandada pelo Capitam Filipe Francifco de Proença, e
Silva ; e comboyada pela nau de guerra Madre de Deus,
de que he Comandante o Capitam de inar, e guerra D.
Pedro Antonio d* Eftree.
Entrou no porto defta Cidade no primeiro , fegun-
do, e terceiro defte mez coin 76, 77, e 78 dias de via-
gem a frota do Maranham , c Gram Para', com carga dc
ca aú , baunilha, café, carimx, aíTucar, tabaco, fallapa-
rilha, madeira , c outros géneros.
Acham-fc ao prefente furtos ncftc rio, áléin dos na-
vios nacionaes, 111 dc Inglaterra, 30 de Hollanda, 10 !:
Dinamarca, 8 de Suécia, 6 de Hamburgo, 6 de LubeJ:,
4 de Dwtzick , a dc Veneza, 1 Napolitano, 1 Romano,
1 Heípanhól, e 1 Prulfiano.
Em vila de Conde celebraram os Irmãos da Venerá-
vel Ordem Terceira da Pcnitcncia-a 7 de Janeiro a colo-
caçam da Imagem da fua irman terceira Santa AHchuine
viuva, natural daCidade de Piza, com expoliçam do Stn
tillimo , havendo fido conduzida para a fua Igreja com
huma prociíTam foJeinnc , .comporta de varias figui J
ricamente adornadas , e de hum grande concurlo d-'
Scmc- j

SvnagrWa Defenganada, oln-a do Padre Joam Pedi»


Pinamonti d" Companhia de fefus, traduzida tia lingu*
Portuguesa. Vende-Çe ao Chiado em enfa de Manuel Cf*
valho, mercador de livros, defronte da botica deUley.
Monf. Jacob morador ao Carpo Santo , defronte ^
palacio da Corte Real, vende por preço muy acomodai
toda a ca/la de fazendas da Índia, a faber: louças, d *
café, &c.

' Na Oficina de LUIZ JOSE> CORREA LEMoI


Cem as licenças necef., e Privileg. Ileal.
Koo 4f* dSj

I GAZETA

OCCIDENTAL

Coin Privilegio <JeS.MagelUdt

Quinta feira 11dc Outubro dc 17 3 4«

TURQUIA.
CmfttaiimêpJ* jo. di Jmlh».
OJE chegou num KxptclToda fronteira d i Pee fia
co>n i noticia, de elinera <s deus Exeicitoi Turco,
ujpO Pe'Gino ooa pioprioi acrmpamcntci cm que fe
R&'j achavam nil arrieiai precedente» . nil que tinha
chegadoao Ottoman'* hum Embayxadoi do Gene-
S raliflimo T*íc*ai Ktnti Kb*a. e fe nam publica a ma-
,c, a ( a íu CCD,,n
c ' '
ciirento doi negceiri,* entendem
''''®
, ique
poictn
veyo oi que
para (emamais
ajuflar paz
tee e't-Ct
« Command.nte
ite para dai armai
a peder c> nleguir, Turcai;tcdai
cffcicceu pcique
ai fe fabe^
cindi-
,,Ue 0 Pc 1
I'M*' ' * Fe',e0<:'a • fe™ «robaigo de ferem pezada» ao
" auno,icelli noticia nam efperada, tem pcflo em grande movi»
j °r Nioiflrcs Eflrangeiroi. que aqui reftdem, pctque faz ccn-
;t6iri 'tf'PeUa. que iá havia , por haver cila One mandado (uf-
J a
I, ® 'cha dai Tropa», e accnduçam das muniçceni dc guer-
111 ,t 0e
J lle pair. Efla Corte dezejindo ccnfervar a amizade, c
i ;[.Ct,mK,>. ^Public, fc Vtneza , permitiu ao feu P.mbayxadrr. fi-
.. -Publicar hum Fdrnum, ou patente, pela qual a» naui da Repuj
e,n a,
llç, *c», e meter apique n-*» marca defte Império, ei na-
^Cfcrlaiioi dc Batbaiia, v<Ro que feja íóia dc tiro da artelba-
Xy m
«abarque. Soube-fepor amo do meímo General, que toda a No-
fcreza Sicilian» coneorria à ptefla 30 arrayal Hcípanhcl, dezejando
gióllrar a grande aft:ílo,quc confeivavam paraRIRcy Cttholicojque
BOmdnodia chegaram ao Campo o Principe de Palagonia, eo
,-rimcgenito do Príncipe d: la Catbolica, attual Pretor, a dar obe-
diência a EIRcy cm nome do Senado; que no primeiro do corrente
marchara o Duque dc Biconto para Malcfiii*. onde também (c
achara hum nurnerolo coucutfo de Nobreza, r. povo, para ver o
Exercito, do qual fe dedicaram a z. hum Regimento de Cavallar
til. e hum de Dragoen» para Siracuza, c outro de Cavallaria para
Trapaoi, com ordem dc bloquear ar guarniçoeni delia» du3» Pra-
ç»r. e que no mefmo dia pela» cinco hora» da (arde, fizera a fua en-
trada publica em Palermo , acompanhado de todo» o» Ofliciae» do
Exercito, e havia fido recebido à portada Igreja Cathedral pelo Ar-
ccbiípo, com toio o Cabido { que fe cantára o 71 Deam ; que fera
achmido EIRey Cirloi de Napolei.Rey dc Sicilia ; e que o Duque
deB.toaio, deponde haver jutadocomo Vice-Rey daquellc Rey no
ac-míervaçam do» Privilegio» da Cidade de PÓItrmt, havia (ido
acompanhado pelo Senado ate o Paço, onde (cachava roda a No-,
breu, e o» OiÓcuc» militarei: Que íe tinha começado a dezembar-
«r a attelharia para (e atacar OptlUmtrt, onde havia (ó duzento»
hom-.ni de guarniçam ;e que entre tanto mandara cercar Jirmini,
MtUvu, e com que no efpaço de pouco mail de doze dia»
•e achariam bloqueada» roda» a* guatniçoer.» Aleman» daquellc
Reyoo: Que o General Rtm*, que era o Commandante de Palermo,
íc achava aílualtnente com o» Mioiltro», e principac» militarei do»
Aleanens na Praça de Siracuz* , a qual ctlava ji invellida pela nof-
hCavíUtria : Que a guarniçam de á/iIazí» , que conlhra fóde
'p. homem, íe dizia ter ordem para fe retirar a Medina, porém
qucoDaq.ie de Bitonto tinha difpoHocortatlhc o caminho , eapo-
írrurfe da Praça; e aflim efperava logcitar brevemente todo» os Cara-
P^-ezei, e receixr as renda* da Ilha, que ellavam próxima» a ven-
cerle.
Também fe receberam carta* do Tenente General Conde de
*lwfilhie,t»IU em
Ij'j;que dava conta
UAV4UV/IIIA a Sua Magcllade de haver dezembu-
d UU4
c
j4o fdtfjncntc com ai faas Tropai, no dia 19* dc Agoflo, no ficio
®b'*ni(Jo a Qrrltáí on(;e o príncipe de Cilbiniz» havia tahido a recc-
- 'a cm, hum grande numero de Camponezei armado», para faci-
— o Ini leu AirmUtrmf
dezembarque,. no ctacazo nur
que foíTc necelfario : Que
folie necelíitio O íe O
o
:,
pc de havia largado a Torre de Faro . e determina-
te»;. nt oíCiililloi de MfAgrift*. e C$JliU*tU4. roa» que fc
"oaCidade, ícm permitir que a Camera faille a dar obedica-
cia
&
U 'prem a mim por e(h mercê. O Marquez de JtptU . irrosm do
Duque dc S Biaz , paffou por aqui a *8- do m:z paliado , faicnd»
onínho pata Madrid, ondt vai levar a noricia de haverem laitío de
Kipolet ai Tropai dellinada» para a expediçam de Sicilia. A» c.rrai
te L'trne dizem havecem entrado Baqaellc potro hjjmi 1 arcana,
coe vinha de Marfclha . e irazia a bordo roil c quarenta e lei» boro-
bii. que leva para Napolei. O Meflre dc hum navio loglez. referiu
11 raeíma Cidade , haver encontrado a i r. de Apollo, na altura dc
Oh Pájfaro, duai naoi de guerra Francezai, que faziam viagem pa-
raNipclei, com duai falua» de Sicilia que haviam tomado neltci
«arei. Efcreveíc de Tripoli, em cana» de ir dc Julho, haverem
íriío íeteGaleota» a cotio centra o» navio» Chrillaúi e que havia
ji tomado hum» barca dc Malta carregada de azeite, com treze ho-
mens de equipagem, que lodo» ficàram cativor. O»avizo» de Rema
adegaram , que o Cardeal Cienfiiegc» ficará continuando ca mel-
ro a ineumbeociade Minitirodo Ereperador.de quero rleançára a per-
mitíim de poder renuociar no Cardeal Acqnr.iv* o feu Atcebi'pado
no ReynodeSieilii.cctn aclauzuU de lhedar jtU.fio-
rim dc penfim rode» o» annoi; c que S. Migcfladc Imperial o provê
•m outro Bíípado na Hungria, ou Bohemia.
Gtiêvi íy. de Seitoibrf.
QUarta feira zy. do mez paliado partiram deflc porto para a Ilha
d- Cotfcga Pedro Maria Jufliniani, c Hugr. Ficlquí. por Com-
miff.rioi da Republica, para procurarem reduzir 4obediência
w defeentente» daquclU Ilha . e rellibclccer por meyo da docilidade
et deícomentci; porém duvida-fe, que íeja bem fuCedida a lua
Ccmraiflim ; porque ha avizo» que affegutam citarem o* rcbeldci
detcrmimdoi afacri.lcar vidai, e fazenda», para conservarem a lua
liberdade . e íepararem a fua Ilha da dependência da Republica ; a
cujo fim cem jl feito hum» planta de governo accommrdado ao
Renio d» Naçam Cccfa , com Ley» que querem cítabelecir panai
fiufu Civil, e Criminaci; rezolvuodo viver como huroa Republica
^eaocraticí, debayxo da protecção de certa Potencia ellcangcira.
oi tem ajudado muito com armai, c muniçoeni pata oi íultcn-
'na faa tebeliam. A ítf. foy cleyto por Senador Denm^n Ataria
G"birini,tto lugsr dc Jorge Ccntuiioni; quefeexcuzou de acei-
'«eíl» dignidade. A-Z7 entrou huma barca Genoveza. que teve
[•oocombire contra huma galcota barbara . 4 qual ccnllraegeoa
'^Rir d:poi» de a haver muito maltratado. Tem chegado aqui va-
l!c
'OfficiaeiGeneraei que vera de França . e paliam ao Exercito
'"«Jo da Lombardia, O Me lire de hum navio chegado de Barcc-
haa ha pouco trrnpo, affirm a, preoararfe niquclle porto outro no.
yyii .
49*
et» /-junto a BitU. pelo qotl podiam entrai no i-rritorio de Fetràta; c
•uai ecu eiTeito hiam íotoerem varia» partes dclle.ícm embargo cai ie-
pi-finoçccn«, que o Papa mardou t.icr ac General Ccode deKo-
cigfeck. Os Ftaocezci, e Piamcntezes tir.hsm mai» tem provido o
de» leu Exercito, e uixadoo Ktlado de Modcnj em buma contribuição»
I»» de70U. libras, além de l8co. cairc» de feno , SU. face* de avr ya . e
-s. quantidade dc palha ,e lenha, e cande;» para o» Soldado», que fe
icfc ham de aquaitellar nc leu paiz no Invciro proximo; niai para fazec
à. nab abundante o arrayal. fizeram (air dclle tcdas as pcficas iouteil.
co- Como es Exércitos citavam à villa hum do outro , fez o Marechal
i.r. de alguns prcícntc» ao Conde de Kcnigíeck, c ao Principe
ii-I Luisdc Wirtembetg, a queelle» correfpondcram com outror. Nam
y.- I cblhnteclla» urbanidaie» cortezei, íen.ptc c» Exercitei efiavaro vi-
ro ' gtuctciobícrvaodohum o» móvimrnioi do cutrc; c ccntinuarrente
a• I havia alteraçoeoi fobre quem vive.comofe cflivcflem para entrar era
huma batalha,o que nam deixa ?a de cançar muito as Tropas de hurr,
e cutro partido. O Exercito Imperial fez alguns movimente»,e íe ef-
'h tendeu até M*l» di parte ásAfirsadul c fe fortificava em Bcrpfortt,
Mfttdiura.c CuriAioni. Nam havia dia. em que n:tnh uvefle alguma
pequena efearamuça entre cs (tildados dos deu» parridor. Hua def-
laeaniento das Tropas Impcrues,ls chegou a 5. de Setembro ■Q*>f-
para reconhecera»íotuficaçccns, que es Aludes fizsan. na-
qnelle fitio; e com efla ccaziaro houve hum chc que . em que ficà-
mortos, e fe idos perto de trinta Soldados deambat as parte»,
j* Huffwes Imperiacs faziam continuas entradas no Ducado de
Mcdena , e particularmente no território de Garpi, e cutras Praças
ecunadas j ele» Aliadcs. Efles a p. fizeram hum ccP.ccamento . que
pallsndocitio 0*/i», tomeu hum ccrnboy de cem catre» ,que hiam
:
p'zo Exerdto Imperial, carrega jeidd feno, ede outro» previrren-
,c
«- Macd-Iram cs Imperiaes algumas Trepas para a banda de Gn-
**'dJ4 ,: fim de ccbrir Mirtr.dttU , per entendeu m que os Ali-.dos
Soeriam porlhe fitio. Kfiei mandatam algum dali. c; n entr» psra a
F*'te de OrtMMá , fuípcitando que os Imperiaes internavam tetra»
Quelle território, onder s pov-s, per (e livrarem da eprcff.ir drs
"bjtos delRey de Sardenha, os dezejam com irnpicicncia. Dticju
*"niumm3menre os Imperiaes dar batalha aos Aliados , e mndà-
® retirar de Mirandela a mayor parte d< 1 provimento . e muni-
Ç fn> de guerra , que alli tinham , nc Orando quererem f.cZ--mrar3r
1
Kj/?* corn em
fi'.usç*m aider, de»chiva
que fe que mudando o Fxercfrr*
pau ir f;bre squellaAlisdoa
Crdide,
«elleahuma planiee. < nde lhe era ctnverlerreataCillo.fi ndo-
• lupcrioridadc da lua Cavaria ; poièm prevendo ciAliad »
etla
* ■——• — •«luucm loccomoo» com mayor nu-
mero de genre, logravam o-lta noite o tíeflruirlhe rodo o írt
exercito, eo reftaurar por confcquencia todo Milan. O Piin-
cip;iLuii de Wmtembcrg paitia oa madrugada dc ri. com bua
grille deflaca mento de Couraffa», Dragceoi, eGunadeirof. e
paliando o Stttbi* logrou o dar dc improvizo libre 01 delbca-
mento» que o Marechal de Brcglio linha feito do corpodegentí
que manda , para fazerem fachins; e paffando o fru numero de 4#
Cavallo». npoiíTeâram morto» . cu prizienrirc». excepto trinta«
quatro, que d;ver.mà ligeireza do» íeu» cavalloi o falvarem-fc Es-
timulados o» G-nerae» Aliadc» de tantoinfulto . fizeram Cocfelho
de gaerra no quartel delRey de Sardenha^ refclveulc fair a bufe*
oj .tnperue», e CjHhe» batalha. Sua Magcflade fez paffar
cia 17. a» Toa» Tropa» . efe formaram tedasem batalha em hufl
terreno vemni zo entre L*zsrnM.t ende reíolvcrama.no-
tr
M.rech .K,Ctyv
w il. de 5fyí«J«dcBha mandava
o lado direito. o centro
e o cfquerdo da vanguarda.
o Marechal o
de *"•
?'*■ ' onreha i çilta do» Alenaca»;« o Cond
gaia
tíoU. homcni, atacira novamente aoiFrancezei, edepoii d: ha.
ma di'pctadi&rnji batalha, em que pereceu hum grande numero d:
inimigo* • c cm que Kl Rey de Sardenha ficou fcrjdo, legráram ú
armai Alcmaoi huma gloriou vitoria , ficando tocaltneòtf deflriaido
o Exercito do» Aliada». de que fc eíperapi oom impaciência ai indi.
vidoaçcer.i. Aflegura-íe, que no dia t8. recebera o Marechal d:
Ckit,ny doai balo. huma pelo ventre por bayxo da Venera da Ordem
dc tílciiito Santo, de que fópor beneficio da Coira ,'lhc fie au hum
pequena contuzum,outra cm humi peroa.rimfcmlheofl-ndernMi
iDufculo, nem oilu. A perda doa Officii:» Francezei tem filo grin-
ít,(imanai tres acçoeni. Dizem que Sua Magelle Imperial fjti
marchar i jU. homem do Exercito do Rheno para a Italia, em qo?
hamdcentiar dU. Dinamarquezca; e que com elle reforço poderio
noflo Exercito expulçar netlc Inverno ai Tropai A liada» d: toda a
Lombardia. Publica-le aqui, que a Republica de Veneza tem re-
geitarto toda» ai ofFcrta» que a Corte Oe Vienna lhe tem feito, pari
a perfuadir a declaratle a teu favor na prefente guerra Aiíeguia-fe,
que a Coite Imperial lolicitacom grande força, que o Papa Ih- oefr
mita quartcii de Inverno em Far ata, eBtlmkt ; mai que Sua Sani-
dade dilata a repofia, namdezejandoiertiotc» militarei por vizi-
nho?. O» Impfliiaci deixaram em Miraoéula de guzrniçain 600. In-
famei, e 6a Cavalloi.
GR AN BRETANHA.
Lenira z.àt Outuoro.

Aip. domezpaílado houve hum grindeConlelho de P.liado


em Kcnfington, de que refultou delpacharle hum RxpretTo a
Horácio Walpole, Embayxidorde Sua Mageltade na Miya. ToJÒI
o» OHiciae* do» Regimentoi queefum em Elcocia. tiveram ord-ffl
para irem para 01 leu» quarteii, e a mayor pare- apuzcramjie"
execuçam. Coniinua-feetnaflegurar-fc. que íe cxpeliiàm breve-
mente order.». para augmentar todoi 01 Regimento* de Infantaria»
eCavallaria, que cllam na Gram Bretanha, c 02 Hiberni-. l°*
do» oi Ofiiciaei dor navio» que eflam aparelhados noi portoi *-*
Ca*'Am,F!ymcittb,SbtrrnrJf,c Pcrtimttiih.ltm ordem pua patlar logo *
feu bordo. Per humoavio qOechegou de Silt,lt recebeu a ootici».
de havei Moof. de ZrUieijr<, Miniftro Plenipotenciário de SJ|
Magellade concluído a paz com EIRey de M>rroco»7 cttipól'00
le entre outrci anigoi, qosferam pclloj em liberdade . toJn^
Inglczci que íe acham elcravoi naquelle paiz. mediante a íom:nl
de mil ciuzadoi.poc cada hum o que fc havia jà executado, to-
do»
49J
ict oi cativos le recclhetàm com o mcfmo Minifiro a Irgjaterra.
Cjthi da IndiuOrient»), elcrita» cm Ptmbtj a 12.«3c Fevereirodel-
ir inr.o , diiem que o Capitam Suxtbam , Commandante da ran
BlXij 7:rftG*Uty , que andava em feiviço da Co re pa chia da India
iillcRcyao, fc encontrara no m?r com o famozo pirata Aupri,
qu iraria hue» Armada dc muitoi Parios • egalcctai, em que
imia naii do zU. hemens de equipage; cque fern embargode
cihi IÓ com huma nau , oaucáta, e bateu; mniandolhc ra pe-
le) 10 leu principal Capiiam.e quantidade da fua gente,e qo tnelmo
[iuta fieira fétido em hum hcmbtò , c fora cbrig>do a fegir cem o
•eito , largando bum* cmbatcaçam que linha lomado aor Portu-
ruc::j , peuca» heras amei do combate: e que o deixara dc tal
fctic deflruido , que cm todo cite anno nam poderia tornar a fair
ao mar. Or Direftoici da Companhia da India rcfolveiam tomar
pata Icrviço do í«u Comrr.ercio r.clte preiente anno treze naoi. e (e
ijuctirim a if. para regrarem ci difFcrtnici potior a que (am dcl-
t»idoi. Também dizem que tiveram avizo deque muitoi del feui
niiior que vinham da Inlit, na n poderam dobrar o Cabo de Bom
f-ffi'AHc* a tempo; e que aflim nam viram a loglatetia tam depteda
c.rno (eefperava.
Ai ultimar caitii de 7V/«'nani dam efperançai dc poder
PJR *v de Sítdcoha mudar de filterna ; e le diz . que ti Conde
k ':«v, Hmbayxador defia Coroa naquella Corte , le recolher!
o'-veniente. A ty. do mez paliado íe lançou ao mar huma r.au de
guerra de 70. peçi», a que le deu o nome de Prir.cipe A
10 houve humafuiioza tempcltadecom trovreni. e rayo». ce que
hun cahi j na caza de Monf.Hop. Minillro da Republica de Hol-
bntíi, o.foy iam futíozo o vento , que houve oaquelle dia, c na
"**« "tguir.:-,que fez efcacear ar ancorar de muitoi tatior r erc:n-
. que cltavarp em BUiVm-aII , e era outrea Ctici do rio Ttntzis
'ccebcndo grande damno. fez voltar trei, ou quatro barcor, c heu-
rc
fcgunas pelToai afogadas.

E» r PORTUGAL.
/.WW" ZI. Jt Ori'!"í.
m ! glniioza Matriarcha S'nta Thereía de Je7u«,toy
v ... 00fia Senhora, n. Quinta Telia da fernana pafiada ao
• lo.l- ry de Santo Alberto dai RcligioZas Carmelitas dc'calçai, que
«'-•nravim 31 Vefpbrti da fua frlfl, e no dia feguinte vifuou »com-
2^'" do Senhor Infante D. Pedro o Igreja is N< fia Senhora dej
• dedica doj Rcligiozos da refciida Qrdcta, dctdc.pitiiram i de
Santo
GAZETA

DELISBOA OCCIDENTAE.

Com PrivUcgi dc S. Magcítadfif

ON

Quinta feira 4. dc Novembro de 1754.

.ITALIA.
Palermo 4. dl Setembro.
HEGA&AM as Tropas Hefpanholas d ba«
h:a de Sol onto 110 dia 29. domez de Ago-
llo, acabàram dc desembarcar 110 dia 30.
e logo fcz o Diique de Bitonto a revilta de
rodas, e achou que nem hum fó homem le
havia delgarrado ; e que fó trinta Cavallos
]8 10 haviam perdido na paflàgem. No mcf-
—y-
" n" , "?° dia chegaram aoc.impo Hcfpanholo
Aèrno tuagonui, co filho primogénito do Pretor do
Ídtíiíí fom oScna^o de Palermo; fizeram o juramento de
r>tr -íl? a<> novo de Napóles , elogo le feguiu hum
ar,
Roiio ° concurfo
^i-om que paliavam alua de Nobreza, c povo;
obediência manifeftanrio
ao domínio de Suao
dia féguinte depois de haver dado ordem de
11 , 7®nfJr a a rt
. vliiaria para atacar a Fortaleza dc Castel-
''°nrn ^avia trezentos Imperiaes ) fc poz o Duque de
trjOc í efS nui c'la»e f°y acampar em Mala Spina, aonde em
I ' ^«7 jecebçu ^.homenagem de muitos lhuoeus, e d?
A.ui .. hum

L_
- ....
.tc,eCliiCoonfà C quatro Soldados prizioncirqs de guerra.'
Conde de Marfitbac, Comma.udanto das Tropas, que
barci ram na Torre do Faro, efereveu ao Duque de ifi-
to, que havendolclhc ajuntado na Grotta hum grande nu-
» dc paizanos armados , marchara a 30. de Agofto para o
de Santa Maria dejefus, que difta íódous terqos de le-
de Medina; c que os moradores daquelia Cidade, fern ern-
dc todas as diligencias, que fez o Principe dc I/>bkc*>irz
jura os impedir, lhe mandaram Deputados, pelos quaes lhe
ailcguravam
vam . cíhirem promptos a receber as Tropas deLRcy
dcísapoles, tanto queqiHJMH
eltas obrigaflem ao Príncipe
jp . Lm.k'wita
i Cidade para a Cidadclla;
j retirar fe da Cidade para a Cidadcll acrcfeentando o meihio
Conde na lua carta, que os Imperiaes tinham defamparudo os
Ctftcltos do Matagrifonc, e Caffellazo; c que Tc moíltavain
determinados a nam defender mais que o de Gonzaga, onde
tinham metido dc guarniçam quatrocentos homens.
Aapoies 14. de Setembro.
ou à Corte hum ExpreíTo de Medina com a noticia»
_ que vendo o Commandante Imperial da Torre de tara
chegar a Armada Helpauhola, mandára pôr Jogo à polvora que
tinha, com que fez voar a mayor parte da Torre; e que cucrá^
«ando depois fete peças de artclnaria, fc retinira com a guar-
nil,?™ para a Cidadclla dc Medina : Que 029. dezembarcára
a Infantaria Hefpanhola cm Santa Maria dc la Gr et ta, três 1 ç*
Roas dilVante de Medina : Que a 30. dezembarcára aCavalla-
'ia nomcfmo fitio: e os habitantes de Medina foram aprefcn-
'ar as chaves ao Conde deMarfilhac : Que as Tropas Impe-
riaes fe retiraram à Cidadella, e feriam cm numero atò 3U.
homens. Outros avizos de Sicilia dizem,que o novo Vice-Rev,
Duque dc Ui tonto , tinha feito inveftir o Forte de Ca fie//amar
t* junto a Palermo, efe apoderara do Caftello de 'Termini, e
« outras Fortalezas,onde havia guarniqam Aleman. Com tani
fehees noticias paliou Sua Mageftade com toda a fuaCorte 2t
Vi'pella dedicada aS.Januario, Protector dc Nápoles, onde em
«Çnm de graças fez cantar o Tc Drum ede noite houve lu-
i;hiarias por toda a Cidade. At. fe recebeu avizo, que a guar-
dam do Forte dc Áquila , fe tinha rendido prizioneira de
Era às Tropas Hefpanholas . que o bloqueavam , e que o
mandante de Cotrone , depois dc haver encravado a arte-
£'arh ( fe tinha embarcado cm hum navio Gcnovez com 17*.
Bancos, de que fe compunha a fua euaruiqam, e fc fez à vela
*fr • - - jmia
pa «a A gúar.iícAm Je Capntt, atnd.1 <ro»M<jao«ada pe-
los Hcipanhces, nam d;ixa do faier do tempos om tempos al-
gumas raid is, tomando codas os mantimentos, que pôde acharfl
pelos cimp is, por cuja caufa os habitantes , cie mais de duas
legoas cm roda, nam ouzam dar pado aos leus gados dentro I
cclte terrirorio; c nnreíra nvim fn m* rn0.i.-Y!u ki„ '

pua, lem embargo de fe defender obftinadamcntc naqnella O


dado, mandou dizer ao General que o Bloqueva, que lhe f.dt*
vaíi azeite para prover a alampadn, que ardia diante do San-
tiffimoi Sacramento, a que elle catholicamente attendeu, mau-
if a fca pcflba cnvccmi'/a ptíA porta do hum "quintal , tom
filhos léus, dous Ajudantes vlccampo, e cinco criados. O
calo da lua gente com a lua guarda; o alguns Officials, eni
ci:io numero" entrava Monf. de Caramon .ficaram pri/ioneiros
toda a lua equipagem, papeis, e cofre, cm que havia j j.
loU. Lnizes de ouro. As Tropas dos Aliados ocuparam
mm pollo lbbrc o Sccebia \ mas aiuperioridadc dosAle-
nucns.que em menos deraeya liora fizeram paliar o rio a mais
iic trinta eiquadroens, os,obrigou a retirar para Bonduncllo,
onde o Marechal de Brbgliu lc tinlia incorporado com a briga-
da dc Cbitmpiígna, e onde Meflieurs deCbatilbon, de Bouacet,
cCaiías, fc haviam ajuntado com dous Regimentos de Ca-
valaria'
iaria ; porem os Impcriacsnos tomaram as equipages de le-
M das nofiàs brigadas. O Marechal de Coigny advertido da
ordem, em■■
dclbrdem que citava o quartel do Marechal■■de Broelio,
concorreu com quatro brigadas, cElRey de Sardenha paliou
lagoaòmefmo fitio, ecm hum Confclhodcguerra,que le fez,
fc relulvcu. mandar contramarchar as Tropas lbbrc o lado cf-
querdo, o que executaram com boa ordem , Iflvondo .comfigo
algumas bagajes. O Exercito lc fitiou atraz dc dous folios, oir
uLk para a parte de S\ Bcucdcto, com o lado efqnetdo lbbrc o
f rriía, eo direito fobre o Forte Gonaiga. Os Alomacnsfe
'•irtnáram em batallia beni defronte, c alli iic.íram todo o dia,
ciicuio tempo os Hullarcs queimaram o campo dos Aliados ,
«' mubáram as equipages de' quantidade de Olficiaes, que ti-
nham osfeus cavallos ao palio.
A 16.1c notou, que os Impcriacs faziam desfilar o feu la-
cfquerdo para o Zero, a fim de nos cortar a communicaqam
«<im Guaftalia, lbbrc o quefe tomou o partido de os prevenir
c";npce(lj, o que feexecutou com tam boa ordem, que todo
° Exercito chegou à noite a Guaftalia , excepto dous bata-
woejjsdelRcY ue Sardenha, que vendo-le cortados, le retirá-
a S. Benedcto. c foram obrigados a rcndcrlc prizionciros.
ri Regimento de Picardia,e outros,que fe tinham defgarrado,
Jhcgaram hontem ànoite ao Exercito, cm que hoje entrou 4
Avaliaria.

mt/ Campo de S. Benedeto r 7. de Setembro.


jF| Fcld-Marcchal Conde de Konigfeck fez ajuntar no Teu.
; " quartel todos os Gcneraes do Exercito do Empcrador no
^ H pelas cinco lioras.da tarde , e lhes dille que tinha avi-
Aaa ii zos
Sn Sq ) £** • «feram oufra parte doi
JSu if, /' ?*? huma,fó Iinha• cque a mayor P2
ar
in™n
co í?c' Vllhamandado
ao DucadoIdciModena: P?"
que o Secchia quartéis
fc podia de retref-
vadear em

íwíT 2frc?' f aiim f® P'.*"a Paflar ion grande dificuldade'


P CrU
ír fnHn^E-
eruto dos inimigos ;e°Í *?*? aunanimemente
havendo-fe • * «war o Hx-
reíolvidsL
e
8»mr«.ao e J °Conde ordem aos Gcneraes, que paflkflc cai»
, 4 Pofto • c "Jepois dc fc tocar a recolher, manditfc
lançar abaixo as fuás barracas, c fe fizeflem todos worapS
a marchar com as Tuas brigadas, para os fitios, que lhes fo-
go. Feitas todas clbs dilpoficoens , marchou o Exercito i
ftrdina logo immeuiatamcntc depois da meya noite, c fe ar»
para s mar
cebcOem. Na 8j®n*fe
»? marcha dódeftacou
Sèctbia,lçgo
fem que
huma osbrigai
inimigos o per-
dofcl»
ibrcito, para ir atacar o poíto de QuiHello, onde os Fr ma-
zes le tinham atrincheirado; porém eftc ataque era fó li
fingimento para artiiftar os inimigos por aqueUa parte, cedr
tempoaa que o íado
tempo iado efquerdo pafraflcorio.
paflafleorio, como fefez
fe
romner ifo
romper do dia,
ni.i com
Mm Mm tam bom
tu—, fuceíTo, que ■•• •
.... os Aliados. queo
íjam efperavam, nam fizeram alli rcfiítenda alguma , e fere
tiraram cm dçforjtoO, defemparando o feu campo com taitfi
preciPitaçara, que o Marechal «ié» Broglio, que era o Coo-
mandantenaqucllc diíVriclo, teve grandiffimo trabalho, tu»
fc falvar de humeazaram, que eftava bem defronte da parti,
por onde as noflas Tropas raflaram, ficando prizioneiraz ha
smarda, que conftava de hncocnta homens, com huma ban-
deira, e todas as equipagens, c as de muitos Officiaes. As Tro-
nas Que eiravam cm nniftdtn f* a..C i.t .. •.

. — «v , iu retiraram prv«
pitadamcntc, excepto feis Companhia», que ficáram prizio-
neiras dc guerra. Nam foy confideravcl o numero dos morte*,
que houve de parte a parte, pela Brandi/Gina prtíTa, com q*
os Aliados fc quizerain pôr em laivo. Ficáram nrizioneíi*
perto dc mil, e entre clles quatro Officiaes de diflinçara.
que entrava o Conde dc Car amargue, fobrinho do Marcctt
f ir°S';° • <Tl- c/a Brigadeiro, e Coronel do Regimento *
Bary. Nam perdemos neftaacçam mais que fincocnta )£
mens entre mortos, c feridos, entrando no numero «los ff
jpcifos o General Conde dç f aldaí O tortíto dv> Afi**?
depoí
JíO
que c^ava cm QuiikUo, fc fechara ill aSportas dcl&tCidada*,
le puzeram vários corpos do guarda nas uftradas, one rara 4
lo^encaminham. No dia ieguinte lb re forçou a ciiarnicam a
Ciaadcila , cujo Commanaante pediu ao Governo cem bora
quinhentos barris de vinho, e quantidade de outros man tim^'
tos. As cartas de Roma nos dizem, que havendo o Pap* -n w.
dado fazer o leu''Maulotóo na Igreja de SJoam de Literário,c
íaindo pequena a lua EUatua de mármore, que fobre elleledfr
via pór, le refolvera a mandar fazer outra de bronze,e colo3
a regeit^da no Campidoglio, acompanhada das Efhtuas da
lttg&c i rudcncia, como atributos das duas grandes virtudes*
bua Santidade; c que o Gram Duque de Tofcana, querendo &
zongchr o magnifico genio do Pontífice, e deleja fazer c*
dia mais lumptuola a Cidade de Roma .mandou ordem para fc
comprarem varias propriedades de cafas, que ficam defrost;
da Igreja de S.Joam dos Florentinos* para as fazer demolir,e
tomar affim huma praça, onde le polia ver bera o grande ano
íauo do írontelpicío da rncúna Igreja.

t Mantua -24. de Setembro.


A Jotiaa.quc demos a femnna paliada por huma carta viu*
jl1». dado Exercito Imperial lenam confirma; o que temos pof
certo lie, queoFcld Marechal Conde de Konígfeck depo&fo
duas grandes ventagens/uuc teve nos dias 1 c/e 16. do corren-
te, havendo marchado para Tuteara, fez a 18. as dilpoiico®!
neoeilarias para atacar rio dia feguinte o Exercito dos Aliados
que ic tinha engroflado com os Corpos de Gavallaria , que fe-
mr dos quartéis em que feachaVain, e dcíhcou ao General
Zuiigcnterg com dous Regimentos de Cavallaria, c quatío
companhias de Granadeiros, que foram ocupar hum porto
quali a vifta dos inimigos. Todo o Exercito le avançou a 19-
pela manhan huma boa milha fobre o dique do rio Pd, mir-
c liando a Cavallaria por baixo pela planície, levando a ttaf
direita lobre o rio f que antes que 1c chegue a Ct/aSíalIs,1(!
iiparta quifi huma milha do feu dique, c le chega àquclla <"
dnde ,• Firmando aílim hum .verdadeiro triangulo, que tart®
ao longo do rio, como do dique elti rodeado de huma p*'
te com hum bofque, cda outra com hum mato curto,
do ih» meyo bum bello prado de terreno n:uy lizo. Ncfle
angulo aiEiti fortificado pela natureza, e cfcólhido pela òfflj
le tinham acampado os Francczcs, e Saboyanos ^jnctcc^ '
Í5i ftiria pára a hartc do dique em o boíque, de maneira, que
icm putli.i conncccr o leu numero, fe nam pelo grande lb-
p. ,;ue daquclla parre fe fazia; e a lua Cavalfaria, que nam
«Oflrava ler mais de aU. homens, formada no meyo da pla-
i .-ic. O Coronel Siudesbeim, o o Tenente Coronel de luinoí
rircháram na fronte de doze Companhias de Granadeiros pa-
ra dczcmbolcar os inimigos da parte, donde podiam fazemos
nu} or fogo , que era o que ficava vjfinhit do dique. Dcfhcoo
v Conde de Koniefeck ao Tenente Genera! Valpnraifo, c ao
Ijer.er..1 de batalha If.irhrtudoiuk para fullentarem os ditos
liunadeifos; porém nan» obllantc as fuas diligencias os nam
federam romper, por cllarem continuamente reforçados com
i iup.is novas. Viu-fe o Conde de Konigfieck obrigado a mau-
iit o Príncipe AcSaxonra coin dozafete Com-
panhias de Granadeiros , efeis batalhoens às ordens do Ge-
ne iv.l St/btti, a quem feguiram tambcin osGeneraes Nieuperg,
e (.olmencro coip fete batalhoens; deforte que toda a no/Ta
imantaria le achou empenhada em hum combate formal. Pu?
voram-fc nas cortas da Infantaria alguns efquadroens para a
• iUntar, em quanto fe fizeram avançar mais lincoenta para
jr que ataedram também pela' fuá parte a Cavallaria
,7 inimi«os. Houvéramos alcançado huma vitoria completa,
v nouveljemos podido obrigar os inimigos a retroceder até o
J"eito uo triangulo, onde nam poderiam rcvolverfe; mas
naa qUC a nolla CavaHaria, e Infantaria le avançaram ani-
«wamente ,e ao principio com ventagem , c que a Cavallaria
lurou
. corn 'i tios inimigos, nam toy poflivcl nunca rom-
i|l mCcni° '0 defejàva, por caufa da clpcffiira do bofque, c
n • muitos cazaroen.s ,e profundas valas ,em aue eftavam for-
1
os muy ventajofamente, e donde fizeram num tam gran-
kT:'i^0.' 1Me os Generaes Valparaifo, c H'/icbtcudonck foram
cii..." j S;» "O principio da peleja, c da mefma forte os Olfí-
. «lapnmeira plana das fuas brigadas , e nam ficou mais
Cll
f ,'j!)tc Coronel dc Ublevfeli para mandar os fete ba-
1 vc ,os
hir - ÍT , ! " também a difgraça de perder o valerozo
njj-,, . u irttcmhcrg no meyo da acçam, quando
io 31 11
hot,. P " conduzir a Infantaria. No fim docom-
t,1 ,hcm
tmiuf- t " nfotto o General Golmcnero, c todas cilas
a
'et ir \JS yCn}m rcfolvcr ao Marechal Ccnde de Konigtcck
luj. ,ui,m ''oníbatcÃe feis horas, em one nam
,. perdido nada do terreno. Cortou o ataque. Rotina»-
. <10
■Lj, ALEMANHA. . ,, .•
Vicuna 2f. àe Setembro.
0Coronel Cqmmandantc do Regimento de If'clfeck che-
gou aqui Jipntem de Italia com a coníirpiaçani, e indivi-
iuqoens da grande vcmagcm.que as Tropas lmpcrir.es dcaiw
^auti n 15.deftc ntez das armas aliadas,cuja noticia tinhu trj-
xido a 2 o. pelo mcyo dia o Coronel Conde Carlos de 1'a/Ji, pre-
cedido^ de leis Poíiilhocns, tocando os feus irtftrumentos; e
aílim le fabe com certeza, que o Kxcrcitd Imperial ralTou »»
Ara bia ror tres partes na noite de 14. Tem que os inhniéo»o
Ncfcntillcm ; c que ao romper do dia os atacou com tom bom
luceffo, que depois de huma leve reliílencia , foram cOnfl rau-
gidos a desamparar o leu campo, deixando nolle muitas rctas
ik arteiharia, quantidade de mantimentos, c mmiicocivs,"caixa,
c iccretaria militar, e quafi todas as equipagens dos Oriiciacy,
n/.cndo juntamente hum grande numero de privioneiro* (>
iiovemador da Província de Croada deu partei Corte, deque'
podaria,partir brevemente hum novo reforço de ;U. Croa-
ts para Italia. 1 amhcm fe diz que o Poncirc Kugcnto antíft
de lajr do Exercito do Rheno , fhrà hum defiacumento de
«UJhomens para10 melmo paiz. As queixas que o F.leytor de
-ÍS., jC fe^r!-c C')11,,1^em' c"> q"c a linha oue iií ftaa
. L.°r ' ' c c^eni'ia fo^Te o território de Baviera
r, U J, n mais d 4CO
Wn
g«u1 '?° ;
mandoule r relponder ®rvores *
^ ao" Elcytor, hâ bot
'W WzinhoJ
que fc mandariam fic-
Eft®® neceflanas.fobre efte particular; c õ achaa-
ÍSffiS0^ f d C S A K fC n a,,djrÍJ
r - - í 4"^** tO-
c c tílto no
pftfifl ? ?r í ir* rerTÍlo»o^e allim le lhe
Sr ^uizefle.retardar por cíh caula a partida das Tro-
£ inlnn ÍV?,f 3r para °. xVrc,to do Eiroerador. A Regência
hví. f X ™ormou ulteriormente a Corte, quo dermis de
femSÍÍrKÍa' fe,achaV?' ^^nltafurmadaClt:
ra> S do rcrn,ono
de o-v íí , ? Inipctiat;-que he verda-
hjni corta
Hv, C\ I^'' do alguns troncos de w votes no paiz tki
de ZíImrfJÍ rq" c "4 £ol,ia dc rfuca O fiaram
l, enen,
'-doíw ' ?£« u de 1 eld-MarechafcdosExerci-
ii-j, , nP«-r.u:or. O General Larãffa, que ulbà pjiv.o cni AV/r-
,l
"-' Manif T MSmor,nI' Pedindo a permi%j dáiuílificar ror
o^ocedunento-HvRevHo de Nápoles 0s

Franç-
OCCIDENTAL

de S. Mageltade

Quinta Feira de Novembro de 1737.

TUR Q.U I A.
CoiiJlãHtutopia 50. de Jii/bo.

F.NHUMA cfpcranqr, tcin cila Corte


de concluir a Paz no CongreíTo dc iV/c-
wirovj -, porque as Potencias Chrillans
querem íicar poliu:ndo tudo , o que as
fuás armas tem ganhado ; é fc tem por
mayor acerto ver o que produzem as
intelligcncias , que le coníervam na
Tianlilvania, e na Hungria, e as pre-
•w- m.íTjs, que faz Tourn as Koitli Kbati da
flift;n:ia; cfperando, que tocadas cilas teclas le dclcon-
^tem todas as idéas do Emperador dos Romanos , e as da
m chegou aqui hum Embaixador da Pcrfia , manda .'.o
£•»» mcfmo Tbtúnas com magníficos prcícntes para o Sultan ,
\y 1"* entra hum Elefante de extraordimria grandeza Fftc
• "nillro foy recebido com muita diílinçam ,e teve huma audi-
_ c,a particular de S. A. antes que par ti fie para Adrar.opcli,
i al lhe entregou a catra credencial, que trazia do feuS< -
Zz bcrar.o.
i:»Cifi de Auftria ; aílim na Italia, como cm Alemanha , aos
,d <-jes i'c concederá huma amniltia geral. Elpera-fe brcvcmcrv
iej teo Cavalleiro Joatn Mocenigo, Embaixador da Republica dc
laj Veneza , que vem reconhecer a Sua Mag. c iá aqui fe acham
> onitos criados (cus, e as fuas equipagens. DRcynero Gri-
ie .'Jdi, Enviado extraordinário da Republica de Génova, faz
0 iranJcs preparações para a fua entrada publica. O Regimento
Ic Lenteriek, de que ElRey Catholico fez prefente a S. Mag.
- ctwou iá dc Porto Ferrajo a Capua, onde ha dc ticar deguar-
1 sàçam; e fe lhe dá agora o nome de Regimento dclRcy. Avi-
• li-lc dc Pefcdra, que a fua guarniqam fe acha extraordinaria-
■ rrenre diminuída pelas dncnqas , que tem levado quantidade
i cc Soldados, mas particularmente pela dczerqam, que he muy
• J grande, c em efpecial nos Regimentos Italianos.
i
Fala-íc muito em haver Sua M3g. refolvido inflituir hu-
• ma Ordem Militar â honra dc S. Januario, Protedlor dclle
• I Reino, e que fe trabalha cm Cruzes, c colares magníficos,em
■! que haverá alguns, que valerám doze até 13U. ducados; e
" I que determina criar o numero de 6c. Cavallciros, em que en-
traram os dous Infantes dc Hefpanha, irmaõs de Sua Mag.
' , Publicou-fe hum Decreto, pelo qual ElRey manda reduzir to-
1 dos os juros públicos 34. por ico. c outro , em que ordena
) huma nova Junta para tomar conhecimento dos defeaminhos,
commetidos pelas pelToas, que fe empregam no ferviqo dos
Pobres; ou (am encarregadas da adminillraqam das rendas
binadas para os (ocorrer. Erta Junta he a mefma, por quem
Mag. mandou tomar conhecimento das culpas dos Oifi-
«oes, que ferviam no Hofpital dos incuráveis, acufados de
r
atar muitos dos enfermos. Tcm-fe inftruido o feu procedo,
c Jado vinte e quatro horas dc tempo 30s criminoíos, para
dizerem de fua jufliqa , antes que fe pronuncie a lentenqa con-
'n ellcs. O Prior da Cartuxa foy convencido dc contribuir
rara o contrabando do tabaco; ccondenivtdo em xsU. du-
cados.
Reccbeu-fe hum Correyo de Roma, íobre cujos deipa-
^os o Marquez dc Montalegre, Secretario dc Eliado , teve
larga conferencia com os Miniftros da Camera Rc3l dc
fwa Ciara; e a(Tegur3-íe , que tem por aflumpto inflancias,
'citai peia Corte de~Woma , para perfuadir a ElRey , que nam
jj'Kcute o proiefto , que tem formado dc diminuir o numero
Caj
Conventos neíle Reino, e no de Sicilia; e reunir aoThe-
fouro
convir em algumas dilieuldades, tanto pelo que toca à renin-
cia dos bens al odiacs , como pelo que rclpciia à penlam st-
nua! , que Ic lhe deve Ar; e que le entende ferd de ;<L\ cí-
riUlCK Av llllimnr J« X.' 1* _J
_ S4S
ff"
(Vhofico , mie aqui rcfide, mandou ao Principe de Craon,
> .i. r i .K> n'íi'íi/ri> nnc rnn-

" aeicnininia imciiiú


- de todos os bens allodiaes da Cafa de Medíeis , para depois
• da morte de S. A. Sereniífima te devolverem de direito à
- Rainha tua cfpofa , e aos Infantes feus lilhos . conforme o
teor do teftamento do Gram Duque defunto Colme ill. c
" por outras razões, que fe alegaram, e faram valer, no tem-
■' po , c lugar conveniente. ,
Sabe le por Leorne , que as galés do Papa , que andam
dando caca aos Corfarios de Barbaria , fc apoderaram nova-
mente de huma galeota de Tunes, e he o terceiro Cor fano ,
que tem tomado de oito dias a cfta parte ; porque ja tinham
conduzido a Porto Ferrajo duas galcotas de Argel, que leva-
vam abordo $o. Turcos, e íeis eícravos Chriltaos , que h*á-
lamieftituidos à fua liberdade.
Génova z8. de Setembro.
COm a chegada de hum Corrcyo, que o Senado recebeu
de Pariz, fc comeqou a divulgar, que fe acha tudo• ami-
údo , para fe mandar hum Corpo de 1 ropas Francezas à Ilha
deCorfcga ; c que efte confiftirá cm cinco ™
mandados pelo Marquez de Mail/ebois, c pelo Conde dc /^K-
trec-, equea Republica pagára huma certa quantia à Corte
de Franca em fórma de donativo gratuito. Rntcnde-le^que a»
novas, qnc fe publicaram de haver voltado àquella Ilha o 1ta-
ram de Neubof, nam foram verdadeiras ; J"'®*
veria a fazello depois de taher, que a Corte de 1 rança unha
refolvido focorrcr a Republica contra os rebeldes. Huma galé
Gcnovcza , que voltou dc andar cruzando nas coitas de Cotjc-
gat nos trouxe a noticia, de que as Praças , onde ainda ha
Hurniçam Genoveza , eftam faltas de mantimentos , cr de u
do ornais, que lhes pôde fer neccflano raiai a lua detenta.
Neila vieram embarcados quantidade dc Soldados cn^rmos
i" metmas guarnições, c hum Religiofo do partido d»,s dc -
contentes , que as nolTas Tropas fizeram prifioneiro Moni.
*ig*ole , q2e a Republica manda por íeu tnv.ado e,traord
nario a França, vay difpondo as tuas coufas, a :hm Repartir
«o principio do mez dc Outubro para aquella Corte, rem te
°'denado, que todos os navios , e mais cmbarc.!qotns, que
chegarem de Smirna, c do Lrvoutc iejam obngados a fa/er
5 4^
quarentena completa; por fc haver recebido a noticia pelo
Capitam de hum navio Inglez, que entrou a 18. no porto def-
ta Cidade, que reina naquellas partes com grande força hunu
doença contagiofa.
Veneza z. de Outubro.
Í/V a navegaçam das embarcações Venezianas começa a
fentir no Mar Adriático o prejuízo , que Ic havia previflo
lhe devia caufar a guerra entre o Empcrador, e os Turco*
Huma das fahhs da Republica chamada a Fahir, do Getter.;!
Veneziano , havendo-fe chegado à cofla da Dalmacia Ottone-
na para lazer aguada junto a Antivart, foy infultada ptitt
Turcos daquellc deflrito , que lem nenhum rcfpeito à bjneci*
ra , que lhe viam , concorreram cm grande numero , e atira-
ram .i equipagem , de que feriram muitas pelloas. O Coro-
mandante mandou fazer queixa ao Governador de Antixsn
de intuito tam violento , e contrario à paz, que íubfifteentre
o Sultam , e a Republica ; c elle o mandou defculpar; au-
gurando , qne o Povo íc enganara ; entendendo, que era ht>
ma das embarcações dc Tritfic, ou Finnic , que íe disfarç.m
com a bandeira Veneziana, para andarem a corfo no Mst
Adriático ; e fazerem eferavos os Turcos, que encontrarem;
porém ainda que fe lhe nam deu outra latisfaçam, Ic lhe permi-
tiu,que pudelie fazer agua.com advertência, de que em quanto
duratíc a guerra entre os Impcriaes , e os Turcos, ferta boro
nam chegarem ás coitas de Turquia , para fe nam expoicm a
femelhantea infulros. Em confequencia defle avifo ic daram
novas inltmcçõcs a todos os Capitaens, c Mcflres das embar-
cações Venezianas, que navegam no golfo Adriático. Tam-
bém o Provedor dc Gaitar o em Dalmacia dclpachou hum Fx-
preilo ao Senado com avilo, dc que o Correyo publico do Bo-
i:o da Republica. reiidente em Conítantinopla , fora atacado
no c.-.minho por Turcos dcfconhecidos, que depois de lhe ha-
verem tomada todas as cartas, que trazia para o governo, c
para particulares deita Cidade, o mataram ; e feiiram dt'*5
pelToas , que vinham com elle. Sufpeita-fe que a melma O »-
te mandou commctcr efle inluito parafaber, o queaqucllc
jMiniilro communicava à Republica, íc nas cartas havia a'*
gum indicio dc querer ella entrar na prefente guerra ; ou !c
relias fe lhe davam as noticias do mau citado, cm que fe o*
cbam os negocies do Império Ottomano. Depois defle fucctto
ie rclolycu, que cs Corrtjosda Republica .T.udaflem de <»*
miriiu»
5" 47
l njn^o c o façam dc Conlhntinopla a Tbefalouica. Tanto|quc
(cloubc, que os Impcriaes tinham tomado a rcfoluçam de
rjrcharem com a mavor parte das fuas Tropas para a Loj u ta,
çr.tron a Republica a rcceyar as fuas confequer.cias, c a cut-
.ijr que nam poderá deixar de ter parte na perturbacam da
irofcnte guerra. Também chegáram noticias dc Dai macia,
cue nam caufam menos cuidado ; porque os 1 urcos de Dul-
litno c Dttrazzo (cacham trabalhando cm grandesapreitos
por n-ar, e terra, para impedirem (fegundo elles dizem) que
í-nam levem pelo mar Adriático nenhuns mantimentos, nem
munições de guerra das Províncias dc Alemanha paio o Exor-
cito imperial ; e o Governo rcccya, que queiram também im-
pedir o commercio, c navegaçam dos fubditrs deite Fitado.
A 16. do mez paiTado chegou aqui de Madrid o Marquez
dc Cimplc florido , Embaixador delRcy Cathohco a cita Rc-
piblica, c aos mais fcltados de Italia ; acompanhado da Pun-
em lua e'pofa; e com huma parte da fua comitiva, que con-
fute em 6o. peflbas: cípcrando dentro dc iy. dias o rciio ,
que he quali tam numerolo; e vem acompanhando hum »-
lho, c huma filha do mefmo Miniftro, e as fuas equipagens.
O Cavallciro loam Moceaigo , que foy já Lmbaixador da Re-
publica nas Cortes de França , c Roma ; e vay agora com o
mefmo carôíter à das duas Sicilias, tomou Inunda leira pal-
iada polle da dignidade de Procurador dc S. Marcos.
H E L V E C I A.
Scbafbaufcn í. dc Outubro.
AS alterações de Genebra , que duram ha muitos mezes,
pelas diferenças, que houve entre os Cidadçós, e o
mugi (trado, contineam ainda; porque os delcontcntcs pcriii-
icm nas pertenções que formdram; e os Munllros; que hcá-
'ni na Cidade, c reprefentani oConíclho , num querem ouvir
anhuma das fuas propoltas, fe nam depois que deixarem cn-
"ur os Minirtros do mefmo Magiilrado, que ie retuáram ao
tupodo primeiro tumulto, e chegam ao numero de 70. po-
'"1 as coufas citavam tam pouco dilpoítas para a concórdia ,
sue chegou a dizer na prefença do Confclho hum relogieuo,
que fc nam fe confcntia nas propoltas dos moradores, Ic nam
tiueixafi'e das perigofas confequcncias, que cite negocio poma
Prodjzir: dificultando-fe cada vez mais o rettabelecimenio da
lillidade. Como cita cfpecie dc ameaça nioltsou , que os
""credores íó cuidavam em fe arrogar hum poder qu-n tem
timi-
Hits dava ainda doas dias, para fc determinarem a ncciiar pu-
ra, c limplczmcntc a mediaçam. As 17* Companhias 1c ajun-
titjm no dia i$, c delias a aecitdrain dez.e íete a regeiráran^
joiém no dia feguincc íeis, das lore a aceitaram lambem, No;
n.ais forte impullo das perturbais deram o» Deputados dos
Untócs a'/ylo em íua caía ao primeiro Sindico para lhe lalva-
ren» a vidae outrqs MogiliraCQS le rçlugiáram ein.cai'a do Rc-
idente de Françi, onde também rccolhéram os leus móveis
mais preçiolps.
ALEM A N H A.
Vhma 5. de Outubro.
RFcebeu-fc da fronteira o Diário leguintc do Exercito
Imperial, commandado pelo Conde de Scekcndorlt em
(.ZiUZdlk. , . ,
A ij.de Setembro partiu o Feld Marechal Conde ce Se-,
ámdorfúo Campo de '7erjleuilz para Csmrcrcfc , onde che-
gou no dia feguinte , e fuv logo reconhecer o caminho , que
vay para Pojjêga , e para ílfuui, e o Exercito veyo acampar
nomelmocia \>Qirazijct> ,
A 14. foy o mcímo Feid-Marecha) prenoitar a Pojfcg.i;
ca ry, íoube que hia cm marcha para Ujitza hum Corpo de
-iU. Turcos. Com eite avifo mandou logo ordem ao Coronel
Pcnluhu , para que immediatamente folie ocupar com o leu.
cclbcamento os polios mais importantes, que ha naqueilc,
delirito , c prevenir os Infiéis. X 16. veyo o Exercito acampar
aCz/tez,u l\ . '
A 17. fedeíiacou o Param de P.ngerskofftn para ir recc-
nheccr.oí caminhos , quc vanvdaquclle litlo para o rio Savo ,
vo, focr repajrar, o dcflacáram-fe. ao meímo jempo 150.
HuiTares, para cobrirem os pailanos, que andam .tralaiharsdo
r
»«caminhos, que vam para C?//arr. r-i cL ft '■
j A 48. íe recebeu aviío de Sabaiícb de fc haver alh con-
luzido hum Turco prilioneiroi o qual referirá , qúc junto a
P-wmick havia hum Corpo dc 8U. homens, que devia ler rc-
fl
!"Çado prontamente por hum grande, çgmero deTiot>as, quo-
eihiu cm marcha, de varias panes: .qye.. o Ráchá
J/a também eíperado naquclb haçj.i que os .Turcostraba-
ha muito tempo com grande cuidado cin repairar, e au-
mentar as Tuas fortificações ; e que eliá abundantemente pro-
t,!
*, allim de mantimentos denoda a forte , como dc niuni-
Vj.'» dp guerra. ; .
dou partir logo o Gram Prepofte do Exercito.com ordem de fa-
zer enforcar todos, os que achaíle defgarrados dos íeus Corno»
A 20. vcyo hum ExprcíTò do Principe de Saxonia-Hili.m
tf .t x• » »èu
gbaufen com av.lo, dc que a fua Infanteria havia checado
£>.broa, onde a lua Cavallaria devia também chegar no
Icguinte : que o Bachá da Bo/aia fe tinha porto cm mar-
cha de BagnaJueka com hum Corpo confideravel de Tropas
c tomava o caminho do Ttbijco; dando a entender , que in-
tentava entrar na Eíclavonia; mas que elle tinha fufpeita, de
que havia meditado outro dcíignio. No mefmo dia fe recebeu
r~
- ;j •
r,> fUlippi, que tem ordem de fe avançar primeiro para Ufitza ,
.. fcpoz nefte dia cm marcha para ir acampar cm Lttlkau , tres
oa quatro lego as diftante de PoJ/ega. A Cavallaria , c Infante-
* ri, que íc elperava do Danúbio , chegou no mcímo dia a efte
Cisnpo , onde
A 13. chegou de Nizza o Coronel Santo André, c deu a
noticia t de que havendo hum Corpo de 5U. Turcos atacado
i upofto de Piros na Bulgaria , onde fó havia huma guamiçam
-•40. homens , o Commandante , depois de le haver defen-
1 diJo algumas horas fora obrigado a capitular, e render a Pra-
qi ao. Infiéis com as condições, de que a guarniqam fahiria
livremente, c feria conduzida com toda a feguranqa à primei-
ra Cidade ocupada pelos Imperiacs. Também Oinefmo Te-
nente Coronel deu infoimaqam ao Feld-Marechal Conde de
1 I StckenJor/f do citado, cm que fe acha a Cidade de Nizza; e
di necelTidadc, que tinha de moitas coufas; c oFeld-Mare-
I chal mandou logo partir para Ratona dous Regimentos de
Dragões à ordem do Coronel Coininandante do Regimento
de Baviera , para peder tranfportar com mais commodidade •
iwse* os viveres , e provimentos,de que eltava falta. Kfcre-
I veu-le ao Marechal Conde de KevenbutUr, que mandaffe hu-
Dia parte da fua Cavallaria para a banda de Baíygua. Rcfol-
Uu fe cfpcrar avifos certos do citado das forqas dos inimigos,
c penetrar os fcos defignios, ante-; de emprender o fitio pro-
utlido dc Ujitza; c para eite efeito fe eferoveu ao Conde
Pbilippi, que ficaite em iMtktiu até nova ordem. No mefmo
óu fe recebeu carta do Coronel lentultts com avifo de haver
'-conhecido [//írsa ; e achara que o feu Cjftello hemuy ven-
'Jtofamente fituado , ainda que com hum grande Padraíio em
huma altura vifinhj; que a Villa he compoila de perto de
'joo. cafas; e que os Turcos , affim como ellc chegara, fe
'«iraram para o Caitello. Também fc recebéram cai tas dc
watfcb, que confirmam a noticia , deque os Turcos ajun-
tam grandes forqas na Bofnia para focorrcrcm Ufitza.
Huma carta eferita do Campo de Czaczack no dia 24 de
setembro diz, que o Exercito continuaria a if. a marchar pa-
Ufitza, que lhe ficava fó diftante o eipaço de tres mar-
J us, qUC fe havia mandado ordem 30 Coronel I.ctitu/tij , que
Rachava nUquella vilinbanqa com milCavallos .outros tantos
p'wtcs, cieispeqas de aaelharia, para mandar intimar ao
^mandante daquciia Praça que ateodcllc, mas com a»ri-
fo.
Na Olilc. dc Antonio Conca dc Lemos. Cem
f GAZETA

OCCIDENTAT

Com Privilegio de S. Mageílade

Quinta feira 28. de Novembro de 17J7-

ITALIA.
Nápoles 1. de Outubro.

□ CABOU-SE com geral fatisfaqam dcflc


Povo o oitavario fcllivo do gloriofo S.
Januário, Proteftor do Reino , vendo
continuar o milagre ordinário da liqui-
daram do leu preciofo fanguc ; ainda
que le acham divididos os pareceres dos
cfpcculativos, íobre ler faulla, ou in-
faulía a circunstancia , que fe oblervou
no fegundo dia da feita , de haver ficado
íempre
ore chcn
chea a ambula
amhula ,. em
eni aue o mefmo faneuc., fe conferva.
clRcy inltituiu com efeito liuma Ordem Militar debaixo do
e, e patrocínio deite Santo ; e dizem eftá com a rcfoli>-
u de mandar hum colar, c infignia delia ao Emperador.
;'Lndou Sua Mag. communicar aos Prelidcntcs de vários 1 n-
-"-nacs do Reino" os artigos de huma nova Pragmática, que 1c
Pwtende cltabclcccr para os examinarem, e darem lobre clles
05
feuspareceres por eferito. Ajunta, quefefez^ara inítruir
t Bòb O
dou-íe partir daqui huma Tartana carregada depoJvorà ,cb-
las, c mais munições dc guerra ; e dizem fer deftinada pan

a<% y,nc,Çc (Ic Melfi, d a família Doria, fez prelcntc


JVf
algumas pêflbas empregadas nas armaria® do Gallello
"íS-Joam Bautilta, Tem chegado alguns rorricis das
Tropas do nolTo novo Soberano a preparar quarrels , para as
:';í fe efpcram brevemente; dizem, que eíte Principe virá
jmí muito cedo a tomar polfe do Gram Ducado com a Senho-
:: Archiduqucza fua efpofa. Os Legado® de Bolonha , e Per-
na deram parte ao Cardeal Pirrau , Secretario dc Pitado do
:;a .delta viagem : perguntando-lhe o modo, com que fe
hm de haver no recebimento deites Príncipes, no tocante ao
ceremonial; c ie ailegura, que a 14. do mez paliado houve
j cm Roma huma Congregaram fobre ella materia , de que
íc lhes mandou a refulta. As cartas de Vienna nos dizem, que
S A. Real tem dado ordem para acrcccntar a Companhia dos
rrinta Huflares, que lhe ferviu de guarda do corpo neita Cam-
inha , até o numero de cem , e que depois de completa , a
mandará para Totcana. Tem-ic reparado muito cm haver o
ley das duas Sicilias mandado publicar hum decreto , pelo
]aal ordenou , que toda a Corte fe veílifle de luto , por tem-
po dc leis (emanas, pela morte do Gram Duque defunto, to-
mando o titulo de Parente chegado, c herdeiro daquHIc Prin-
cipe ; o que junto ao proteilo , que e Miniftro dos Reys Ca-
tólicos tez ao Principe de Craon , nos fazem receyar ainda
ijuma pcrturbaç3m neftc Paiz. Com a ocaiiam de ler dia dc
S Francifco, fe feilejou hontem o nome do noflo Serenillimo
Gram Duque , e toda a Nobreza , c pelToas de diltinçam con-
Wrréram a cumprimentar ao Principe de Craon leu Plenipo-
tenciário. O Governo militar fez pedir aos Judeos eílabeleci-
toomLcorne hum empreltimo dc 10U. zequinos adiantados
íobre as luas contribuições ; c fazendo elles ao principio al-
8®a dificuldade, vieram agora a confentir; porém com a
coodiçam dc que fe lhes receberam por conta delia quantia
facos de trigo, e cevada , o que em fim fe lhes aceitou.
H: . Geneva 5. de Outubro.
OS rebeldes de Corfega, depois que tiveram a noticia, òe
que ElRey ChrUlianiflimo eflá determinado a rcítabclc-
f a tranquillidade naquelia Ilha , tem commettido menos
wfordcnsj porém ainda tem bloqueado eftreitamence as Pra-
V5. que a Republica conferva. As ultimas cartas de BaHia
- Wm, que alli fe entende, que o principal Cabo dos rebeldes
3:q
ou a fair da Ilha. Monf. Pelous, Commiflario dos manti-
mentos cm franca, chegou aqui a z6. do raez paliado, e fe
are-
Vropas voltáran» Pam o imo onde «eh a «'' ^ ef,
„!ha anttt Jo com)Nate, e affllj\fQr i ad,rolla.

cftissassaf - v ■&. ** ^fam cora


-
a
^ AS\«dcT8?^9 ^Su com icccgo; mas no

fei5a»ssSsE
defignio era virnos atacar nowmente . c an

numero tinha crec.do muito , e it acw a^ , »;arn(js a


roflas forcas, vtcflbm obppar osd®>,IV™ , ' ,n ucljs n„.

■pS5®Sp%?8g
c into a niarcha ; mas lem nenhuma ^roa. Ahvuw»
Pcit. 6 combates chegaria a peita dc* • . que
«hum Official. A dos inimigos deve fer ton ^
.c .,;,:nde pelo grande numem dcsjojon^ ^

, K...Tropas, W diftinguir.™ muy


Nam te (abe dc certo o numero de tente ,dcqiK_^.^ ^
1
inimigo íc compunha i mas ha muitas ei "
cnterdor, quisicia deíf. nte «60. homens l^TróiS
iofooérolas tuas bandeiras, parccc que havia algunus 1 roP.o
^^'^^&peradalracomplnhado do
e de muitos Senhores da lua Corte, íoy ante homem aoHga ^
f7*
deiro, onde via montar 36. ca vai Ids novos, que mandou vir*®
das íuas coudelarias. O Conde de Tarouca, MiniftroPlenipo.fi
tenciario de Portugal, teve os aias paliados audiência de dcf. L1
pedida do Emperador, que lhe fez prefente do feu retrato |
guarnecido dc diamantes, avaliados cm 20U. florins. O Gene- ' I
ral Conde Iraucifco deWaUis morreu em Tranfilvania, pou- ;
cos dias depois que adoeceu. Entcnde-le que o Conde Olnà- !
ros de Wallis, ícu irmam, lhe fucedeiú no governo daquella li
Província, que entretanto ficou governando o General Furf. I
renburch. As quatro naus de guerra, que fe fabricaram aqui a { 1
Primavera paliada, ficam invernando cm Belgrado, onde aâu- H
aimente aseftam dclarmando. Tem-fe ji aefpedido os Offi- I
ciaes , c os marinheiros, excepto cem. que fe confcrvam pan I
os alimpar, e entreter. O Principe herdeiro de Modena, que
toy o único voluntário de diftinçam, que ficou no Exercito,
n grangeou ainda mayor no ataque de ÚJitztt, onde hum3 bali
de canham lhe levou a manga cíqucrda da cazaca, c onde lhe
matáram hum granadeiro ao leu lado; adquirindo rambem
pelo feu valor eipccial cortezia, e generofidade, o afecto, c
a eftimaçam dc todos os Officiacs, e Soldados.
Ratisbonua 17. dc Outubro.
TFm-fe communicado à Diíhtura publica hum Decreto
dc Commiftam Imperial, pelo qual o Emperador reque-
re aos Eftados do Império , reconheçam por Principe dellc
com todas as honras, e prerogatives afedtas a cfte titulo, o
Principe Car lot Auguilo dc Na/fhu IVcilburgo, conforme a
patente, que foy concedida a cftaCafa no anno dc 1 ?66.con-
rirmada depois no anno de 1680. Aqui le tem vifto num Bre-
ve do Pan3 , mandado aos Cardcacs Colonitz, Siuizeuilorff', c
Scbrotcubacb, e aos Bifpos , c Prelados do Império, para os
exortar a contribuir tudo, quanto puderem, por meyos efiica-
zes para as dcfpezns , que o Emperador lie obrigado a fazer
para fuftcntar a guerra contra os Infiéis. A Nobreza immedia-
ta do Império tem confcntido em fornecer a Sua Mag. Iny-
dous toneis de ouro em fórma de fubfidio. Monf. dc Breit~
lobti, Miniftro de Baviera , partiu para Munick, onde dizeni
que vay receber novas inftrucçõcs d3 fua Corte fobre os fub-
lidios extraordinários ,quc o Emperador pede , com o moti-
vo da prefente guerra. Aftegura-íe haver Sua Mag Imp. rcfol-
vido tomar a loldo para a Campanha próxima 30U. homens
de diferentes I'rincipcs do Império. O Principe Lubouiirsv
5/-»
tiveram ocafiam dc roubar, e deftruir a-» bagagens.
K R. A N C, A.
A _ Pariz 2 6. de Outubro.
a ruare,idcnciacm
2S?''"í
onde LlRey concedeu alvará de DuquePontaintblear
ao Conde dr
tioiijjy O Conde de fíclleisle chegou aqui dcMetz a 14 cora
aCondefla fuaclpofa; e loco no dia feguinte partiu para ím-

ÍJZ f"' °undC ° ba'?m de ^bmcrlSig, Miniílto do Em£


íiVrl f^íL
Henry ,1"3 c°dçfpachos
fobre alguns
n cre cia
í " ,Particular
que recebeucom o Cardeal
da fua Corte •&
c
v-oino depois fc expediu hum Exprcflb ao Marquez dc Vill>
nova, hmba.xador delRcy Chrillianiflimo em cSnrtantinopí?
en
MníeUJ ,®J.refuI,a » d0 que nella fe conveyo. '
OTd ,0
Twííí! JÍ"" "f' que loy Kmhaixador de)Rey da Gram
ín .o fnv a7
1 ?rIC í,UrCa ' ch,CK°u aqui de Conflantinopla , e
JPS° £}Z «nrainebJeau, onde reve a honra dc fer apiefenra-
pc,
r° f°nd? Embaixndordaméf-
UladC dCZ dozc dias
n7p\7
ver os n
Palacios Reaes. "r ' °"
JVaz comligo feis - P3ri
fermofos cavallos
Turcos para bua Mac. Bntanmca. O Conde Mauricio dcSa-

toy também a p
fovnmfe" lC L* IOX
ontainebleau. O dMarquez
?,fte mczidecAntin,
no oia Xice-Al-
feguinte
mirante de França, entrou a 1S. do corrente no porto de Tou-
S""? a ''-'quadra, com que andou nas coitas de Barbaria,c
A aJ
ÍJSfZTl d3ra, ""n.lA,aqam das rendas geraes do Reino di-
aos roefmos rendeiros , que agora as tem . c que
daram quatro milhões dc aumento, entrando nellas as do ts-
oaco ; e o contrato conicqará no primeiro de Outubro de

Jí ifr!cm a.Conclufam defte negocio ticou diferida para o


35- Dezembro proximo. As rendas de Lorena nam tcram
J!!? muda"<«a' McHieurs de Coffin i, pay, e filho, qoe foram
Z,n", °oS pay
jufto firáosdc Hanç.,
a Handrcs, o cfilho
conhecer a proporqam
aos Pirincos, maisiaaoa
volráram
tariz, e deram conta na Corte das fuas obfervacões; o que
taram mais individualmente na Academia Real das Sciencias.
V . on c de Maiirepas foy .1 Cojve ver a refundicam dos ca-
nhões e ancoras, que alli fe faz para a marinha, c fc tuáo
naquclla funaiqam le acha em bom elhdò.
Os Directores da Companhia da India Oriental reccW-
ram aviro, que ar quatro naus, que fc mandaram ac gol'0
ieríico, para ooniturdar a Cidade de Mocca, pertencente
575"
':Siinio do Imaum de Mafcate , em fatisfaçam das avarias ,
t vexações, que os habitapte» daquclla Cidade tinham feito
cavarias ocafiões aos Franceses > chegando ao ícu porto a
:f.dc Janeiro, tempo próprio para a execuçam .de que hiam
entregados, a ordem do Capitam Monl. de /aCeirde Ltya-
:k eftivcram quinze dias na bahia , fem efeituar nutra coulà
- lis, que Can hoar , e lançar algumas bombas, que ló ir.timi-
irán as mulheres, c algum povo miúdo ; porque os Árabes
jonreípòndéram das fuas baterias de modo , que moftravain
fr necelTario mais do que balas para os reduzir à razam ; c
coa efeito ficariam melhor do que os Francezcs , íe o dito
Capitam nam tivefie o acordo de defembarcar na Ilha do Sul,
efe apoderar do Forte, que nclla havia. Os Árabes le opuze-
'•m, quanto lhes foy polfivcl, ao defembarque ; mas nam o
podéram confeguir, fem haver mais perda da parte dos Fran-
ceses , que quatro Soldados mortos, e doze feridos ; c hou-
veram perdido mais gente , fc os Árabes tivefiem mais dertre-
cm atirar. Perderam eftes Íeirent3 , ou oitenta homens nef-
u Jcçam, o que os atemorizou de maneira, que vieram a con-
v
'cm fazer hum Tratado muy rentaiofo ao nofio commcr-
C">, c de grande honra para a Naçam. As cor.diçcens foram
r
ire outras, que a Companhia Franceza nam pagará daqui
(■''diantemais, que os direitos da Tarifa antiga ; c que os
fc cobriram individamente , lhes feram rcllituiJos: que
0
Governador da Cidade, (que era opoito aos Franccze*) íc-
'•« depoffò do governo, c expulfo da Cidade , ícm >á mais po-
'cr rclUbclecido ncíle pofto, nem cllc, r.em os feus def-
•"r lentes. As minas , que fe defcobriram na baixa Bretanha
«u Poullaoueti, produzem maravilhofamente. Todos os dias
1
'undem fornalhaschcas, eochúmbo, que fe tira , lie dc
"'tna qualidade tam pura, que conté n partes de praia , que
c
ajuntan» para a refinaçam. As cartas da Nova Orleans di-
fm, que le fazem grandes preparações para fazer guerra aos
d'os Cbiçacbat, que perfeguem continuamente as nofTas Co-
r;ra n que íc tem |.i fabricado cincocnra barcos gran-
. e feito hum conliJcravel almazom de mantimentos , e
f^n'Y",cs de guerra : que as Tropas daquelle pai?, leriam re-
TJ':^ com hum Corpo de 700. homens, que ali» fe cfpc-
. ' França; e que a expediçam fe fará no mez de Dezcm-
c
'° P'oximo.
Eictcvc-fe de Cacia. que a 6. dcHc mez choveu cm Ftr-
nin-
noiiville, c nas íuas vifinhanças tanta quantidade de agua, que
muitas caías foram levadas coro as toirentes.
P O R FUtí A L.
Lisboa :3. de Novembro.
A Rainha noíTa Senhora com os Príncipes . e o Senhor In-
fante D. Pedro , foram fegunda feira da femana paliada
a outra banda do Tejo , c fc divertiram com a pcfca na colla
da Trafaria. Na terqa feira íe divertiram r.o pafleyo em hurai
das Calas Rcacs de Campo do filio de Bellem. Na quarta feira
toy a Rainha nofia Senhora com a Senhora Princcza ao Con-
vento das Religiofas de Campolide, onde fc celebrava a felh
do gloriofo S Felix de Valois , fundador da fua Ordem. No
Sábado foram à Igreja de NoíTa Senhora da Ajuda no fitiode
Bellem, or.de cílava oLaufperenne •, e no Domingo vi fit irar.
:i Igreia Paroquial de Santa Catharina de Monte Sinay , por
íer vcfpcra da fefta dcíla glorioía Santa , e íe achar aúi tam-
bém o l.aufpcrenne.
Scffa feira deu à luz huma filha a Senhora Condcfla do
Vimiozo.
Na femana paliada entráram no porto deíia Cidade JÚ
navios Inglczcs, 6. Francczcç, 2. Suecos, 1. Hollandez , c 1
Dinamarquez, todos de commcrcio; vinte e cinco com tri-
go , c Icte com centeyo, e cevada. Entrou também huma raJ
dc guerra Hollandeza chamada A fendei ft, que andava cru-
zando na coita de Sale, e depois huma nau de guerra Inglc;'1
chamada Gray bound, que veyo de Gibraltar com íeis dia» dc
viagem. Àcham-fe anualmente no porto defia Cidade 96. na-
vios Inglczcs, 14. Francezes, 14. Hollandczes, 4.Suecos, '•
Maltezes, c 1. Dinamarquez.

Sabin a luz //narro tomo do F/os Sanc/orum Augn/lima*''


compojh pelo Me/ire Fr. Manoel de Figueiredo, Cbronift <
fua Religiam. pende-fe no Collegio de Santo Agolliubo dtp* \
Corte , onde ft achar fm os mais tomos. -I
lambem fc imprimiu o terceiro tomo do Comment o da yv
Iccla, //tu trata das orações dc Cicero, efeu tratado da .
tia. Pende fc emeafa de ft u Autor o P. Mat bias I'iegas
Silva junto à Igreja de No/f i Senhora das Mercês,c <
nova nalogea de Antonio de Soufa livreiro , e na de
da Conceiçam na rua direita do Loreto.

Na Òl**c dc Anionic Co.rca tic! eme? Com as lie cu ç as


SUPLEMENTO

Numero 50.

Quinta feira iz de Dezembro de 1745.

S L" E C 1 A.
Stockholm itl dt Outubro

O. P.R I N CI P E luccllor dcAe Reino dor-


£ mio na noite de az para 13 em humn Villa
B pequena , chamada Sudàr-Telge, tres le-
f guas e nieya diAnntedcAa Cidade. Pnrtió
110 ília feguinte pelas nove horas da manha,
l
" ^goti huma hora depois domey© dia ao Palacio de
Oii' falm , aonde o citavam cfpcrando o Gram Mare-
J"'' v o Marechal da Corte, que da parto dc Sua Mng.
c
deram o parabém da fua vinda , e o convidaram a ir
,JíJ
' a Cala Real dc C >ampo dc Gir/sberg, pau alli dol-
•!"i-Tr do trabalho da fua viagem até o dia, que elege Ac,
^/cr aqui a fua entrada publica. Depois de jantar
(• 1 fahio peias cinco horas da tarde. ncompn-
dos dous MarecJlaès, c fe embarcou para Carlt*
"o ) ojiiic* lo havia mandado para a fua guarda hum Te-
Ddd 11C0LÇ
*bV 995
mentado pelos Senadores, que ainda o nam tinham feito,
! pelo Barani de UngernSteinberg, Marechal da Dieta , e
idos Dep itados dos Eftados do Reino. Ceou também
ot publico com EIRey, e antes da cén foi com Sua Mag.
cu hum coche ver as principaes rúas da Cidade , chevns.
Jc iluminações de diferentes fórmas, e as luminárias, que
foram geraes em toda cila grande povoaçam. No dia fe-
C'inte fez Sua Alteza Real nas maõs delRcv o juramen-
lo, que os El fados haviam convindo , que Hzcflc deol»-
icrvar a prefente Conftituiçam ; e depois tomou no Sc-
rmto.olugar, que convinha a pellba de hum fuccllbr do
Reino. De tarde recebeu os cumprimentos de todos os
Minillros dos Tribunacs, de todos os Genera es1, e Olí-
o-.'j lias Guardas, e da Corte. O Embaixador dc 1'rançu
•lel'tcjou também a entrada de Sua Alteza Real com hum
fogo de anilicio, que íe rcprelentou defronte do leu Pa-
I lacio.
O General Keith, Commandante cm chefe das Tro-
pas auxiliares da llnjia, chegou aqui a 24 com o Tenen-
te General Soltikovt. EIRey lhe mandou dar huina guar-
da dc Granadeiros. Hontem fc recebeu aviío. que a Ef-
quadra Rufliana, comporta de 28 galés, 21 gaieotas, c
outras dezafeis embarcações armadas em. guerra , v'eyo
bnçar ferro a 23 na bahia de Furujihtde trazia a bor-
do dez para ial! homens com mantimentos para crcs
tnczc.s. Alandoufb-lhcs ordem dc proleguir a fua viagem
para Dableroa, c fc avançar mais para a parte, do Sul.
j-lhs Tropas ham de defembnrcar, c tomar quartéis de
h'tvernonolle Reino, onile ferám entretidas pela Empc-
1
'triz da Rttffia. Os Regimentos Piulandezes também
Ic 1
, " chegado, e fc efpera brevemente o rcito das Tropas
* toa Naçam.
B O II E M I A.
Praga 6 de Novembro.
Orno da guarniçam Eranccza, que cftcve cm F.gra,
c tem dezertado mais de cem Soldados, foi precito
Ddd ii ufar
997
a'fcu"premio, ficandd ambos facisfçitos. Temos junta-
mente avifo de Paris , que o Abade de Santo Huberto
,lcu á Corte de Vcrfalbas hum novo Memorial lobrc os
negócios da lua Abadia , no qual fe queixa de haver a
Rainha de Hungria nomeado outro novo Abade no leu
lunar, c prometido hum premio de iqpU horins pela lua
cabeça , pedindo a prorecçam de Sua Mag. Chnihamjíi-
nij. Sabe-fe por certa inteligência , que osFrancez.es in-
tentam continuar a guerra no Raiz de blandest, c que
pendente o Inverno , o ("onde de Dawwy ira com num
Corpo de Tropas deftruhir as eelufas, c mais obras , que
l«ur ordem do governo de BruxeUas le tem feito ultima-
mente em Çburlcroy , c ò'. Guilbem, para lua melhor dc-

F1 O L L A N' O A.
Hay a 15 tie Novembro.
AS Tropas Hullandczas, uue fizeram a Campanha
no liheno, tem mudado de derrota , c feguirám a
que os Inglezcs tomam, para virem tomar quartéis no
Paiz Baixo Aujlriaco, e fe ha:n dc repartir nelta forma.
doze Kfquadrdes ,c cinco Batalhões em Morts: ooiís fcl-
quadroes, c dous Batalhões em sltb; quatro hfquadroes,
e hum Batalham cm OilcuartL/; dous Eiquadroes, c num
Baralham em Cortray \ dousUfqMadrfies , e.hum l ata-
lham em Cbartcroy \ hum Batalham em S. (,/tillev: , c
três cm Soignies, Pinche, c Lesina, 1 em-lc leito r.eitc
Paiz rcHexOcs muv férias fobre 3 rápida corrente , com
que a Companhia Firancezada Índia Oriental levou com-
igo todo o negocio, que naquella parte &ziji ancila,
cngrandcccndo-fe de maneira, que d.'hra, triplica xt
' multiplica, o principal das leus intcrellados , e o leu cre-
dito; abatendo, e dpflruhindo anofla de maneira , que
fc prevê evidentemente o feu proximo precipício, e por
confequencia a perda, c a reina de toda a IU publica.
Tem aqui aparecido hum papel inrprello , no qual lc re-
prefenta com grande cníaíe cite importante ponto- lte
ICOO
negocio muito, c fc dilataria'jiiiiTs, fcSua Mageft. nam"
mandniíc ajuntar as funs Tropgs com as do 1 íclpàffha na
Saboya, porém o Conde de Alriurepas, por quem cor-
reu cfta diligencia, fc foutje aproveitar do empenho da
Corte de Heípanha , c conçSiinia hum Tratado com Et
Rey Car.holico ; no qual'fc pernjitio, qug cftd nova
Companhia de S. Maio 'potfértí meter na América oito
milhões de mercadorias no termo dedous annus. Km
confcqucncia da tal otorga, tem cfta nova Companhia
mandado groflas comnijllocs a Paris , a Leant, a Tours,
a Troya de Champanha, a Lavai, a Santo Quintino, e
a muitas outras Cidades, onde ha manuia.iluras, para ha-
ver toda a fórte de mercadorias , que pofla levar a lua
íróta : e fupolto, que ilto nam pareça mais que hum en-
fayo dc commercio , fe'efle conrefpdndcr á cíperanca do
negociantes , a Corte de França defcobrirí meyos de po-
der prolongar por mais annos efee commercio. A noticia
deita Companhia tem dado cuidado'aos negociantes In-
glczes; os quaes formaram aqui outra, que já alcançou
permillain da Regência para armar dez naus, e as man-
dar carregadas de mercadorias ás mefmas cóftas do Alar
ilo Sul ; c cfpcramos, que cita faça dcfvanecer a dc S.
Maio , que nam terá os mofinos jneyos para fc refazer dc
alguma perda Kites fam os dez navios, em que fc fala-
va ategora, que fc aparelhavam para liuma expediçam fc?
creta , c eítam prontos para (e fazer á véln ; porque van
reccbcgUo a bopdo os mantimentos , dc que vain provi-
dos para dezoito mezes; c para melhor nniinar os nwtir
rhei-os. fe lhes tem declarado, que no cafo que algunu
nau delta Efquadra venha a perecer, nunca perderam o
leu íoldo.
Sabio a luz bjim livrinho , intitulado 1'rdtiea de 0'3{
Alentai, e variar or a fits , que contém o modo mais fácil Jefc,
%<r craçam qualquer peffoa. F}<-[e em cafa de Luiz J*:' ■
tie Carvalho , livreira no largo dè")V- 1'qt/lo , t também emW
fjo slut/r, que be o Ihèftwrtrq da. dita Iprtja
Isa Gtàc. de Luiz Jozé Jorrca Lemos Come Sc. ntcrj»
SUPLEMENTO

Numero

Quinta feira 19 de Dezembro de

I T A L I A.
Fano a de Novcmòrt

O D U Q.U E de Modcna, e-p General D.


Joam Boaventura de Gages, chegaram a
ella Cidade a aó tio mez paliado com dez
Batalhões de Tronas Hefpanholas , haven-
do feito alto em Pcfaro o refto do Exerci-
ar on
to ».P ? de partio a 20 cftc fegundo General c 110
dia feguinte fez levantar huma bateria de alguns canhões
c
°m num Corpo de 3U homens, que logo comcçiram a
«itrinclíeirar-íe. A 30 fc tornaram a pôr em marcha pa-
^ a quel ln parte as Tropas, que aqui haviam chegado a
publicando , que hinm atacar os Aultriacos , quefe
'«•orçavam cada dia mais no litio de Catbolica;
Catbo/ica; poròm
3
grande chuva, que fez toda a noite, obrigou ao Gene-
ni Gaga a fazellos voltar a efta Cidade. As que ficaram
Clu
P<farot fam ccumiandadas pelo Conde Mariani, Ma-
rechai
io:4
«cclul dc Campo. Os hofpitacs eftan» em Recanati , c
cm Semeai ia. Conforme o que fè pôde inferir dasdif-
pofiçôes dos Gcneraes Ilefpa.ihoes, efpcraram eftcs em
lano no Principe de J.ollow/ts, no calo , que cllc íe re-
folva a avcnrurar-fc a huina Batalha.
Bolonha 5 dc Novembro.
H Ontem chegou aqui hum Expreflo aos Oficiacs
Auftriacus, com ordem dc partir logo a cncorpò-
rar-fe nos feus Regimentos. Soubo-le ao mefmo tempo
que todas os Piquetes , que citavam feparados cm dife-
rentes Poftos, fora in mandados retmir-leao Exercito \ o
que nos faz prefumir, que o Principe dc Lobkowi/z de-
termina marchar a bufear os Hefpanhoes. Eftcs a 30 do
mez paliado vieram de lano ajuntar-fc com os que cita-
vam etn Pejaro, e na noite feguinte fizeram hum grofiò
deftacamento , para irem dar Ibbre hunt Corpo de Auf-
triucos, que cila em (datbolica; mas depois de algumas
horas de marcha cahio fobre cllc huma chuva tam grolfa,
3ue o General, que o commandava, julgou conveniente
efiftir da empreza , c recolhcr-fc. Dizem alguns , que
eípcrarãm aos Auliriacos a pé firme ; outros luftemain,
que fe retiraram a I'uligno, e talvez mais longe : o tem-
po raoftrará n verdade. O que ha de certo he,* que as ba-
gagens do Duque dc Modcna citam empaquetadas, e car-
icgadas, c que o Exerci tp Hcfpanhol feeflá desfazendo
á vifta ilosolhas pelo grande numero de Soldados, quC
dezertam. O Conde dc Caunitz palfou por efta Cidad-
quarta feira , voltando a Turin a continuar as fuas fim*
coes de Embaixador da Rainha de Hungria. O General
(jagci fez prender ha mezes cm Ancona ( fejn embargo
de fer huma Cidade do Pontífice) o Conde Perrom,
que alli exercitava o emprego de Conful da Rainlu u®
Hungria ; porém o Principe de l.obkovàtz, paliando
pen- Imola o Conde dc SafTareUi, que fem íervir ivis/I ro-
pas de Hefpanlia , he indirectamente afeéto áquella C<r
roa , o fez prender, e o mandou levar a Ma nina . <>r"c
r
io>5
ficará , ate que feja porto na fua liberdade o Conde Per-

pT As cartas de Nápoles dizem, que havendo chegado


i Corte humCorreyo do Exercito do Duque de Mode-
rn, Tcfizéra logo luim grande Concelho ; mas que te
nam penetrara nada , nem do que a!!i Ic palfou , nem das
novas, que fe rc-Cberam; porem tein-le notado, que
defile entam fe nam moltra o Miniltcrio iam guerreiro ,
como na Icmana paliada \ c que fe entra cm mais defixm-
tiançn do zélo dos Napolitanos, porque fe tem prezo , c
levada ú cadèa publica muitos aculhdos dc inconfidência.
Também dizem, que fe continiíam a exercitar 110 mane-
jo das armas as Tropas, que citam na Cidade de Nápoles,
c que todas tem ordem dc citarem prontas a marca...:
que o General Maboni, que citava commar.dando a gen-
te, que forma o cordam de Calabrin , c em quetn fe tem
hunr grande confiança, foi chamado d Corte, e tem íf-
do muitas conferencias com El Rey, e com os feus Mi-
niflros.
Florença z ile Novembro.
AS cartas, que temos dc Sicilia de zz do me/ palia-
do , dizem, que no La/areto de Mejpua nam lia-
x ia já mais que 73 doentes, em nenhum dos quaes fe
achava n íymptòmas de contagio, antes t«dos os dias c<>-
meçavain á melhorar ; porém que cm Monie Forte Ic ti-
nha defeuberto c c ovo , e eltava com mais força nas po-
voações vifinhas. Na Calabria nam haviam falecido em
Reggio, e nos feus arrabaldes, mais que 69 pelloas dclde
z até 6 de Outubro ; e que na ponta dei Spezzo, onde
> infecçatn ( depois dc cl lar íufpcnfa hum mez) le tor-
nou a inanifeltar, nam inorréra defde 26 de Setembro
até 2 de Outubro nenhuma pellba conhecida, e fe efpc-
wva, que toda a Província lograria brevemente laude
perfeita. Neíta confideraçam lc publicou aqui a 29 de
Dutubro hum Edi&o, para fe continuar ocommercio ,
que Ic havia mandado fufpendcr com o Eítado Eclefiaf-
lice ii tico
ioid
Jico por canfa do mal contagiofo, que reinava cm AleJJi-
rta, c em Calabria. Conduziram-íe 1'um dcfrcs dias a
Arezzo algumas peças de ar telha rio grolfa cont quanti-
dade de munições de guerra para provimento das arma-
zéns. De Napo/ix le efcrevc, fazerem-fc alli diligencias
exaflas para reconhecer as pcIToas, que nam iam afeiçoa-
das á Corte , c fc diz ferem em grande numero; c que fe
tem prezo muitas, por entrcterein correlpondencias illi-
citas cm prejuízo do Governo.
• Turin 2 de Novembro.
COnfidcrando El Re v nam fer nccelTaria a fua pre-
fença no,Exercito, dcilacou a 12 algumas Tropas
cm feguimchto dos inimigos, efez asdifpoliçócs ncccf-
farias para o acantonamento dc muitos UataJltocs nas par-
tes , donde fe podiam tornar a ajuntar brevemente , fen-
do nccelfario. Determinou partir a ij.doCaftcllo Del*
fin y c a 14 chegou a cite Cidade com perfeita faude, fero
embargo de haver padecido nos dias precedentes a n:oléf«
tia dclium grande defluxo cm huma face. A 16 fe rece-
beram cartas de Calléllo Delfin com data de 14. pelas
quaes fc íoubc , que as nollâs partidas fe tinham avança-
do pelas montanhas em feguimento dos inimigos , v feito
alguns prizionciros , entre os quaes havia dous Oflciaes »
c que lhes haviam .tomado perto de 500. machos, carre-
gados de toda a fòrrc dc equipagens, fem haverem per-
dido hum fó homem ; porque 3 gente , que as guardava,
nam qtii/.*cfpcrar o combate. À 17 chegou hum Oficial
de Cafiêllo Delfin, defpachado pelo Marquez de Aix,
com a noticia, dc que havendo continuado as niefmas
partidas em íeguir os inimigos, íè tinham apoderado no
alto da garganta do Agnelo de doze peças dc artclharia:
que houvera nefta ocafiam alguns tiros dc parte a parte»
porque os inimigos moAravam refoluçam de as defender;
nus que havendo chegado os no/fos Granadeiros cm fio*
corro das Vaudezes, toram os Miqniletes obrigados *
abahdonai a fua artclharia, havendo primeiro procurado
encra-
ft
,c 7
'
cncravala , c prccipitala nas montanhas. Houve nefta
ocafiam alguns prizionciros, c entre outros hum Capi-
tam , e hum Tenente, ficando também alguns mortos no
Campo da peleja.
Cantou-fc a 20 na Igreja Metropolitana delta Cida-
de o Tc Dcum em acçam de graças por cilas gloriolas
ventagens, fazendo ires Calvas coma fua mofqueteria a
guarniçam delta Cidade, que nam conliília ainda mais ,
que cm hum Batalham de Milícias, que tinha chegado a
i3 de Salnzzo, e cilava formado na praça grande da
Igreja. Também lizdram as luas defeargns toda a nrrelha-
iitoosmollàs muralhas , ca da Cidadella. BlRcy cometi
ea» publico com a família Real, c de noite houve lumi-
nárias geraes cm toda a Cidade. A 24 chegaram aqui as
doze peças, que fe tomaram aos inimigos na fua retirada,
iodas com as armas de Trança. Peza cada hurtia 120
quintaes, e as menores lançain b.ilas de leis libras. Todas
citavam encravadas , mas com priígos ordinários *, dc for-
te , que ia eftam em eílado de fervi#. Os inimigos, reco-
nhecendo logo no principio da fua retirada, que lhes nam
leria poilivcl falvar elta artelharia , a efeonderam de fór-
te, que as noifas Tropas a nam poderiam acharr fe os
dczci rores , e prizionciros, lhes nam houvcllem moltra-
dt> a parte, onde citava. Os noll'os Vtitnlezes, que M fe-
guirnm ate o Dcljinailo, acharam nos caminhos mais de
fico- Soldados, Hejpctnbc/cs, e Franceses , huns morros
outros moribundos , por caufa do frio , c.da fome/ Nam
fetem por encarecimento chegar o numero da gente 4
que os inimigos pcrdC-ram delde o principio da lua cm-
Prcza ate 15 de Outubro,a perto de 10U homens, con*
lj
ndo mortos, feridos, prisioneiros, e desertores; por-
que fó defies últimos paliaram em menos de oito dias
mais de- 2U por cita Cidade. A nolhi perda fe reduzia
toda no dia 14 a 203 homens entre mortos, e feridos, e
3
'rinia dezer tores. A ptcza, que os r.cíios Soldados tem
'uito, fe eítúna cm 100U dobróes. O General Marquez
•ici8 A
dc la Alina pede outra tanta íonia á Saboya , a papar noT
termo de tres Inezes; mas duvida-íe , que aquella Pro-
víncia cíleja em cllado de a dar; por»|ue a ('avaliaria
Hefpanhola terá grande trabalho cm poder IubfiAir nclla,
eallim fc entende, que apoderam mandar para o Con-
dado de Avinham.
As carias recebidas de Niza dizem, haver chegado
a Au libes hum Regimento Francez de tres Batalhões,
que fe achavam reduzidos a 800 ; e gue le efpcrava em
Provença a niavor parte das Tropas Francczas, que Icr-
VÍram no Exercito do Infante. Fm Niza , e na Irontci-
ra , fe continuam todas as difpo/içoes para fazer 'pppfiçam
as emprezas, que os inimigos poderá 111 intentar por
aquella parte. A cortadura , que o Commandantc tini j
mandado fizer na Ilha do Varo, cílava na lua ultimi
perfeiçam , fem os Franceses fe oporem da lua parte a i
cita obra. As fortificações dos Cafléllos de Niza , Mon-
te-Albano , o Villa-Franca, crcceni. ao olho ; de lórtc,
que na Primavera proxiina citará tudo mais em eflndo de
rcfillir aos inimigos, do que atégora.
As noticias, que chegam de Madrid, dizem, qúeo
mau fuccifo dos Alpes nam fará ddfvanccer os preji-a s
da Corte : que fe tem cuidado em novos me vos para o>
pòr em execuçanvna Primavera próxima, o que 1cnam
havia feito no Filio paliado, por haver fufpendido tila
diligencia a politica do nolfo Rey : que cm Barcelona k
mandam embarcar 145 pecasdc canham, 20U efpingnr-
das, e outras tantas bayonetas, com humí grande quanti-
dade de bábs , bombas , e munições de guerra, que le-
ram conduzidas á Italia: que fe mandara reforçar o • *-
ercito do Infante com deznfeis Batalhões , e dous Ffqiw*
drões, que ellain actualmente cm Catalunha, e ít-r.:rn
ítibllituhidos pelas Tropas, que citam nos Reinos de
lença, Ar a gam , e Cajíé/la a velha, cujos lugares ocup3*
rniii, as que fe levantam dc novo naquclle continent*
Também corre a voz, que a Corte de trança mandar*
IOZO
outras muitas couías, diz , „ que fc mm pôde pcrtçndçF
„ que a Rainha icconJjcça huma e)eicam,que Ic fez com
» 3 excluíam do voto de Bohemia; c que por outras fn-
„ tas ciraimftancias he nulla, ate que le dô a Sua Mae. a
„ devida latisfaçam, ceítóa rertabelecida no exercício
„ de dar os feus votos noÇcflcgio Eleitoral, e nodes
>'» f •' <lllc ,c 3 Rainha nam pôde reconhecer a
„ cleiçam , .menos faberi reconhecer os /eus efeitos, c
„ por eonfequencia, nem a Aífembléa cie Franc fori por
„ numa Dieta legitima; pois a trasladaçam cie Ratis-
|1
OB LISBOA OCCIDENTAL

Com Privilegio deS.Mageltade

uinta fcira },' dc Setembro dc 1734


Sr
blica em todo» 01 feui direito», e privilégios, cflava refoluta a"n«
deixar efle louvável defignio; e íenam defeuidari dc tudo o quepg]
der contribuir para a fegutaoça do Trono delRey Augulio, paraj
renovaçam do direito da Republica, e para odelltolío da» fcrçaiáct
feoi inimigo». Agora íe acaba de receber avizo , de haver chegiía
a C'onfl* a Armada Ruífiana . e que trai a bordo a» Tropa» France,
za». que Te renderam na Fortaleza dc IVtichfilmunJs ; atquaei u
conformidade de Capitulaçam , que lhe» concedeu o Feld.MatecM
Conde de Munick, fera» conduzida» brevemente a Copenhague.
PRUSSIA.
DtMlxjfk l J. dl Julho.
"P LRey AuguRo III. chegou com prefeita difpoziçara pelas dez
E. hora» da noite de 19. do corrente aoMolieirode Oliva, qoe
fica huma legoa diftante defla Cidade , onde foy recebido pelo Alu-
de , com todo» 01 íeu» Religiozo* , eccnduzido ao quario\ que le
lhe tinha prepaiadoje depoi» de defeançar perto de huma hora.vfjo
o meímo Prelado com a fua Communidade a bofcallo para o cc*
duzirá Igreja, onde foy comprimcntado com hum difeurfo b.'
eloquente pelo Abade Ztlxcimb , vellido Pontificalmente; edípo»
que Sua Migeftade paffou para ã fua tribuna , fe cantou o Ti Dt**
a quatro córoi. Acabado efle ado voltou EIRey , para o íeu alc-a-
mento, onde foy novamente comprimentado , c deu a mim a beija»
a hum grande numero de peffoa». OConvcnto elleve ilhamioado
toda a noite, alfim interior como exteriormente. A 10. houve h:o
grande confelho na prefença de Sua MageOade a que alliíliu o FeM
Marechal Conde de Munick, e fe tratou da ámmjhé, geral, que-
deve^conceder ao» Cavalheiros Poloneze», e á» mai» pefíoi». V*
fegoiam o partidoconttatio. A n. foy SuaMagellade comciSe-
nhore» da fua cometiva , e o» Generae» da» Tropa» aliada» ver a Fc»-
taleza de ^lithjtlmmidj, onde foy recebido com variai falvaȒ:;''
telharia , e voltou depoi» p3ta o Mcfteiro. A zt. foy vcrocaoF0
do Exercito aliado , onde o receberam cem grande» henra». Fel»
revifla de todo o Exercito, para o que efte, defde o dia anteceda*
te tinha ordem de eftar prompto. Viu fazer exercício d»Trop»»'e
nelíe» movimento» fe ouviram também varia» defeargn de arielh»*
ria. Jantou no campo , onde fez grandiozo» prefente» a todo» c» Ge-
nerae» Ruffiino»: e o do Conde de Munick confiRia em hum eff£
dim com as guatntqoen» de ouro, todo cravado de diamante» ^
tanto valor, que foy eflimado cm $oU. patacas. Voltou SuaM1'
Seftade ao Mofteiro , onde na grande fala do feu quarto tinha
ado armar hum docel. fobre hum Treno de vario» degrau» >c \
fcccbeu hoje 4 lubmiflam dc quatorze Senhorca Polacos» dcl
4& 9
Utjâilbtrili. dijulht.
0 Exercito Imperial. cmmandado pelo Principe Eugénio .
marchou a z i. do campo de W,f„ubal para o de Bmtbfâl, como
a havemos dito. Tanto que o Marechal dc Aiftld teve efla noticia,
fel vario» dedaesmentes para lhe cbfervarem a marcha; e por Tc
lafrèiur. que ofeu deCgnio feria paliar c. Rheno ru Cidade dc
Warns. mandou (air hum grande corpo de Tropas das luas linhas ,
co id ordem dele irem incorporar com as que ellavam da outra pai te
to tio . e fe apoderarem de f/ormi, para lhe impedir efla paUagcm ;
e com effeito a fizeram render, e apoderaram delia , por que lera
robaigo de fer huma grande povoaram,nam tem nenhuma defença.
O delineamento, que foyleguindoo Exercito Imperial. cc nlLva dc
dote batalheens . c neve efquadroens , cera cora mandado pelo
Principe ácTiwpi , epelo Duque de Dur.iz. Eftei Generaes le
cheeàram tanio i retaguarda dos Alemaens, que o Principe Eugé-
nio os fezatacar por hum grcflbdo (eu Exercito . c carregiram tara
rigorozamente de fogo acs inimigci, que tomiram o partido dc le
tctiiatem. menos contentes do que o tinham íeguide, deixando no
empo duzentos mrctci. e quattccentos feiidos. ElRey dc 1'tulfia,
«o Principe de Orange feachiram nafta acçam. e Sua MígeRade
Proffiana exortou asfuas Tropa» ao auque Puem ha csrtas do
campo de Biuchfal, que nam fizem memcira defte fuccelTo, c 16
ditem , que confiderando o Princrpe Eugénio , que cs Pranceze» .
queíe achavam tam vizinhos , pediam picarlhe a tctaguaida , fizera
todas as difpoziçccns pcfiiveis para a legurar centra qualquer inlul-
io: que para cftc efíeito puzera na retaguarda todas as Cc mpanhias
de Granadeiro» da Infantaria , todas as do» Caravineiros . e as dos
Cr.mdeiros de cavallo. com cito batalhr.ens, trinta e'quadtccns.
«quatro Regimentos de HulTirc». comas Tr.-pas .que ellavam nes
"er redutos, que fc tinham levantado contra as ttinchciras dos i ran-
ítzes, dando o Commandamento ao General da artelhaiia Conde
b Sttk?n<Urf, com os Tenentes Generaes de Infantaria» o Príncipe
Mdximi!,**, dt coCor.de de Fmftiabtr», o Principe de
HAuaMltrn,Tenente General de Cavallaria , quatro Generaes de
hrtilha de Infantaria , e dous de Cavallariaj que a marcha íc fez em
eito colunas, cccmmuy boa erdem , lemos Francezes featcevc-
*«m afiíerlhcs algum infulto ; e que no meíroo dia frra o Exercito
Imperial reforçado cora nes batalhcens do Regimento dc Príncipe
~'Ji* dc Wirttenbcrg » c chegira ao campo o Peincioe Cni-
llvln» d, Btvtrcn , lobrinho do Duque de Beveren. \ tt.aparecí-
eisi algumas partida» doa inimigos no campo de Wilenth-I. Ot
^aiUiçi doUíjcIqucídoaucáiam huaa , mashavendoa (eguido
dema-
4io
demaziadamente.cahiram em huma embfcada, de qae fe livráriib*
felizmente. Oi Hutfarei do lado direito f„ram mai* b;m fucedidoi,
p. rque dcfizciatn huma pallida do» inimigo», matjndo trinta, e
fazendo dezanove prizioneirci. A jo. levantou o Exercito Impe-
rial o cimç>náe\Br*cbfjl, e marchou para cila Cidade, onde dizem
q ic q jer paliar o tio Ntckar, com o defignio de paliar a Moguncii
para jlli atrayeflar o Rheno; e que tem S. A. dellacado oito bata-
lhoeni para fe irem meter em Brifac, ccmFrsbur/a, que íc entende
feram aiqueoi inimigo» atacaram primeira O General Petraichíe
adiantou com zU. cavallo», e dou» batalhoen» do Regimento de
Wuimbrand, para irem para a parte de Moguncia. Também temo»
a noticia , que o Marechal de AtftU repallou o Rheno com yj-bs-
ttlhoen» para (e ir incorporar com a» Tropa», que citam na» vlzi-
nhança» dc Worm».
Catania JO dtjtilba.
O Principe Eugénio mandou public»» no (eu arrayal na tarde de
z8. deite mez, que todo o Exercito fe puzefle prompto a nw-
char, e logo le mandou partir a mayor parte da» bagaje» grotTa» para
Heilbron. A 19. pela manban íe fez a revilta geral do Exercito . ni
prefença do Principe Eugénio, queeltava acompanhado do Principe
de Orange. A voz que íc elpalhou , de que huma parte da» Tropa»
Imperiae» devia ir tomar quartei» de inverno no Paiz bayxo Auí-
niaco, nam tem fundamento. O Marquez de Bantanat, Commiflario
delRey Chtillianiffimo na Corte do Eleitor Palatino! convevo coa
oiNliniRroi dcS. A. Eleytoral. que EIRey íeu amo pagará hua
milham de efeudo», para reflarcir o danno quo a» Tropa» France»»
tem feito no* Paize»deS.A. Eleitoral.
Campo de Warms \Q.dtJnlba.
TT Avendo-íe communicado ocampo do fitio de Philipiburgo
1 1 com o que eltiva da outra parte do Rheno , fem embaigo **
altura a que tinham chegado a» agoa*deite Rio. pela» ponte» que
O Marechal de A»feld mandou fazer defronte de Pbihpibarg» . e e«
Bbinbanftse . marchou o Excrciro de França na manhan de rS. e«
du»«c, lunar. A primeira paffou o Rheno pela ponte fronteira a Pb'-
lipibuTf*, c fry acampar cm Wahheim febre 3 ellrada que vera -«
Sp"d para Warms. A fegunda o paliou pela ponte de Rkinh**f" •c
t min o o caminho de Spira íc ajuntou com a primeira , e march»0*
dormbcí a 19. faiam acampar junto a Frankendat. que hehu"»
Villa do Palatmado inferior, e a *o. vieram acampar junto a W""''
Cidade do mefmo Palatinado Epifcopal. logeita no efpiiituil. e ie°»*
ptral ao feuBifpo, decuji dignidade goza hoje por elcyÇ'?0
Seicnilfimo Ptincipe Francifco Luis dc Ncuborgo, Conde PaU"*'
W • . .4"
co Rheno, que juntamente he Rlcytor de Moguncia, Prior de El-
wipgen, cGram MeRre da Ordem Theutemca. O Marechal de
Arfeld.ellando ainda no Campo de Philipsburgo. mandou hum def-
ucamcnto a rendella, queoconleguiu na noite de z}. delle mez, e
logo no dia feguinte veyo ocupar efle Campo o Ccnde dc BellilU,
ecm 6. batalhões de Infantcria, i8. Efquadrceni de Cavalla'ia. e
6. Regimentoj de Dragoeni. O Marechal de Noutbts ficou no ter-
riterio de Spir*ccm zy. batalhceni.e zi. efqoadroeni, que repartiu
cm muitca corpo* entre LauJan, Spira, e Plnlipriiurp. Neila ulti-
ma praça (e acharam 7y. peçai de artelharia , grande quantidade de
bala», de pclvota.e outra* uauniçoeoi de guerra, e ficou por Cover-
Older delia o General de batalha Monf. de lijavriicre, O Tenente
Coronel de Cavallaria, que mandava o corpo de gente que efccltou
agoaioiçam dc Philipiburgo a Moguncia , acaba de chegar a efte
Campo, e refere, que na jornada dezettiram perto dc izoc. homem
dameíma guarniçam.
F R A N C. A. Pjric 7. it ApJJ*.
ESta Corte recebeu com grande fentimento a noticia de que a*
Tropa* Francezai, que daqui fe mandúram para a defenfa de
Lhntzick , f.flem levada* à Ruífia , contraotheor da eapitulaçam.
Tirrbrm faz grande ruido nella Corte oquefeuzou c< m o Mar-
quez de Menti, Rmbayxador de Sua MageRade cm Pclonia. Tem
tlRey ir.andado vir a Corte o Principe de 7mgrj , e Mjiori Put. J*•
»" , filho do Marechal de Berwick defunto , que íe aehim arobo*
lervindo no Rheno. Também o Duque de Lyria determina paliar
fira efla Corte a herdar a grande Caza de feu Day , mas dizem que
Ȉ primeiro ide Madrid, para (e defpedir de Suai Mag Caihclicas.
Por o.'dsm dtlRey do primeiro do corrente, cada hum dr*
rioeo Regimento* de Infantaria Alemaa, que feacham emprrga-
^Mnofeu real ferviço, (eram aogmentado» com hum batalham
c
"fflpoflode leii Coraoanhia*. cada h uma dc cem horr.cn*. entran-
do nefle numero o* Oificiae*; e íe prgarí dcfde agora a cada S: lua-
<0 defle* c'meo Regimento* quatorze librai, e dez fcldci per mez.ctn
ugrrdai treze,diípcftai pela ordenança de ?c.de Novembro paOado.
Segundo ai cartai do Exercito dc Italia de zy. doditorrez,
•' noffai Tropa», e a* dcIRey de Sardenha ccníervam ainra ofeu
«•ífflpo dc BtndamlU. O Marechal de Gripy íe av. nçcu mail para a
' e»a do Surf/id , c fez o leu quartel n • cazacam. que fica bem dc-
r e
(." * ». que he horn lug*r (ituado na cabeça de huma
*| quatro ponte», que temo» fob'e o Secchia . e oeupdo por hum
cpICll?cn,o dai no Uai Tropa*. O Ccrde dc Kemifttk le acha com
Afeito Imperial da cutia parte do mcfmo lio» corn o lado direito
em

Interesses relacionados