Você está na página 1de 1

Biodiesel a partir de microalgas,

uma ideia que deu certo.


Marcelo José Cardozo Caldeira - Técnico em Petróleo e Gás Natural

O que são Microalgas?


Microalgas são algas unicelulares com grande capacidade de
fotossíntese e de crescimento rápido devido a sua estrutura simples.

Com o aumento do preço do petróleo, cresce em todo o mundo o inte-


resse pelos biocombustíveis. No que se refere ao biodiesel, há também
grandes expectativas, já que pode ser obtido de fontes renováveis e
pode reduzir em cerca de 80% as emissões de gás carbônico e em 90%
as emissões de fumaça, além de praticamente eliminar as emissões de
enxofre.

Microalga Principais ácidos graxos


Dunaliella salina C14:0/ C14:1/ C16:0/ C16:3/ C16:4/ C18:2/ A microalgas vêm sendo alvo de uma série de
C18:3
pesquisas realizadas por instituições e em presas do
Isochrysis sp. C14:0/ C14:1/ C16:0/ C16:1/ C18:1/ C18:3/
C18:4/ C22:6
setor de energia em vista de seu elevado potencial
como matéria-prima para a produção de biodiesel.
Nannochloris sp.
C14:0/ C14:1/ C16:0/ C16:1/ C16:3/ C20:5 Em testes de laboratório, a produtividade das
Nitzchia sp. C14:0/ C14:1/ C16:0/ C16:1/ C16:3/ C20:6 microalgas supera, em certos casos, em até dez vezes
a produtividade dos grãos de oleaginosas como o
Tabela 1. Composição química do óleo de algumas microalgas. dendê, a mamona e a soja.

Microalga % em lipídios
A cultura de microalgas conta ainda com outros aspectos positivos: Scenedesmus obliquus 12-14
 presenta elevada absorção de gás carbônico, contribuindo para a redução Euglena gracilis 14-20
desse gás de efeito estufa na atmosfera e consequentemente rendendo Scenedesmus dimorphus 16-40
dividendos no mercado de créditos de carbono; Prymnesium parvum 22-38
 não depende de solo fértil, podendo ser realizada sobre áreas secas; Chlamydomonas rheinhardii 21
 requer menos água para a manutenção, quando comparada à irrigação de Porphyridium cruentum 09-14
lavouras; Chlorella vulgaris 14-22
 não ocupa terras que poderiam ser utilizadas para a agricultura de Spirulina platensis 04-09
alimentos, evitando assim a polêmica envolvendo as oleaginosas, cuja Spirogyra sp. 11-21
ocupação de extensas áreas para cultivo supostamente contribuiria para Synechoccus sp. 11
reduzir a produção mundial de alimentos. Dunaliella tertiolecta 64-71
Percentual de lipídios em algumas microalgas em relação à massa seca.

O seu cultivo pode ser feito em:

 (1) sistema aberto – “piscinas” de pouca profundidade.

 (2) sistema fechado – fotobiorreatores: máquinas que


permitem a produção continua de algas num sistema de
tubagens transparentes ou em “mangas”.

(1) A alimentação das algas é um fator importante, ela consiste


(2) em CO2, mais um nutriente consoante a espécie, água
(salgada ou doce), calor e luz.
Outro fator relevante é a colheita das algas “maduras”, existindo vários
métodos por centrífugas, filtragem ou floculação.
Sistema de cultivo:
Uma vez que as algas são colhidas, os lipídios, ou óleos, são extraídos das
paredes das células das algas, existindo três procedimentos: prensagem
(até 75% do óleo pode ser extraído); método com solvente hexano
(até 95% do óleo pode ser extraído) método de fluidos supercríticos (extrai
até 100% do óleo). Sendo que o primeiro é mais simples e popular e o
último mais caro e, portanto, menos popular.

Uma vez extraído o óleo, este é transformado em biodiesel através da pro-


cesso designado por transesterificação: