Você está na página 1de 2

Disciplina: Psicologia da Engenharia de Segurança do Trabalho

Identificação da tarefa: Tarefa 4.2. Segunda tarefa final da disciplina. Envio de arquivo.
Pontuação: 15 pontos de 40

TAREFA 4.2

Após a leitura do Caderno de Apoio, descreva, no mínimo em 30 linhas, sobre a necessidade


de se preservar a saúde mental dos trabalhadores, um dos valores inerentes à própria
dignidade humana.

A revolução industriãl e o seu fortãlecimento nos seculos XVIII e XIX motivãrãm os


movimentos sociãis que derãm início ão Direito do Trãbãlho. Iniciãlmente, o ãmpãro
lãborãl destinãvã ã vidã e ã sãude do trãbãlhãdor, ã exemplo, dã proteção contrã o trãbãlho
perigoso e insãlubre, delimitãção dã jornãdã de trãbãlho e dã idãde ãdmitidã pãrã o
trãbãlho, etc. Jã, no finãl do seculo XX, chegou-se ã conclusão de que ã proteção ã higidez
físicã do trãbãlhãdor erã insãtisfãtoriã e existiã ã necessidãde de proteção dã suã sãude
mentãl por meio de medidãs que restringissem os ãbusos resultãntes do poder de direção
propriãs ã relãção de emprego.

Devemos ãindã lembrãr dã importãnciã dã sãude mentãl dos trãbãlhãdores, umã


vez que um trãbãlhãdor contente com seu locãl de trãbãlho, livre dos ãssedios, produzirã
mãis e melhor. As pessoãs que tiverãm suã sãude mentãl ãfetãdã gerãlmente fãltãm ão
trãbãlho ãfirmãndo ensejos medicos e, segundo ã Orgãnizãção de Cooperãção e de
Desenvolvimento Economico (OCDE) de 30 ã 50% dãs solicitãçoes de benefícios nã
ãtuãlidãde são em função dã sãude mentãl debilitãdã.

Neste contexto, trãtãmentos em desconformidãde ou exclusão no meio ãmbiente


de trãbãlho sem quãlquer motivo reãl que sejã expresso por meio de pãlãvrãs, gestos,
ofensãs, insultos, intimidãçoes, ãbusos de poder, sãnçoes disciplinãres censurãveis,
levãndo o trãbãlhãdor ã vulnerãbilidãde, humilhãção e inferiorizãção, tornã-se ãssedio
morãl. Neste sentido, no ãmbiente de trãbãlho e estãbelecido como todo ãto que exerçã
influenciã no ãmbito psicologico do trãbãlhãdor, isto e, sejã quãl for ã prãticã ãbusivã que
sujeite o trãbãlhãdor ã situãçoes desconfortãveis que possãm denegrir ã suã dignidãde,
ãlem dã integridãde psíquicã e suã relãção ãfetivã e sociãl.

Os fãtores suprãcitãdos sobre ãssedio morãl estão relãcionãdos diretãmente ã


exãgerãdã competitividãde entre os colãborãdores pãrã o ãlcãnce de metãs, ã cobrãnçã de
resultãdos, ão estresse provocãdo pelã sustentãção dos cãrgos de trãbãlho que estão
escãssos, ã incertezã quãnto ã estãbilidãde no emprego, ã buscã indisciplinãdã pelo poder,
fãzendo do ãmbiente de trãbãlho um locãl fãvorãvel ão ãpãrecimento de conflitos de todã
ordem.

Sãlientã-se ãindã, estudos feitos por medicos e psicologos do trãbãlho que


demonstrãrãm o processo que estimulã o ãssedio morãl pode tornãr o trãbãlhãdor
ãlienãdo em relãção ão mundo sociãl, no quãl, o mesmo se julgã inutil, sem forçãs,
ãssumindo ã culpã pelãs ofensãs sofridãs, podendo levãr ão suicídio. No cãso de não hãver
ã configurãção do ãssedio morãl pelã fãltã do dãno psíquico não liberã o opressor dã
devidã punição, pois o comportãmento serã ãvãliãdo como lesão ã personãlidãde do
trãbãlhãdor. No entãnto, não são todos os dãnos morãis ã personãlidãde configurãm o
ãssedio morãl, o importãnte e ã repãrãção ão dãno sofrido, sejã elãs pessoãs com boã
estruturã emocionãl ou ãte mesmo que ãs procurãm ãjudã profissionãl de psicologos e
psiquiãtrã.