Você está na página 1de 4

PADRÕES DE GENEALOGIA GENÉTICA

Este documento destina-se a fornecer padrões e melhores práticas para a comunidade


genealógica a seguir ao comprar, recomendar, compartilhar ou escrever sobre os
resultados do teste de DNA para a ancestralidade.

Esses padrões são direcionados intencionalmente para genealogistas, e não para


empresas de testes de genealogia genética. Conforme usado nos Padrões, o termo
"genealogista" inclui qualquer pessoa que faça um teste de genealogia genética, bem
como qualquer pessoa que aconselhe um cliente, membro da família ou outro
indivíduo em relação a testes de genealogia genética. No entanto, é, em última
instância, a responsabilidade daqueles que tomam um teste de genealogia genética
("testador") para entender e considerar estes padrões antes de encomendar ou
concordar em fazer qualquer teste de genealogia genética.

PADRÕES PARA OBTER, USAR E COMPARTILHAR OS RESULTADOS DO


TESTE DE GENEALOGIA GENÉTICA.

1. Ofertas da empresa. Os genealogistas analisam e compreendem os diferentes


produtos e ferramentas de teste de DNA oferecidos pelas empresas de teste
disponíveis e, antes de testar, determinam qual empresa ou empresas são capazes de
atingir os objetivos do genealogista.

2. Teste com consentimento. Os genealogistas só obtêm DNA para testar após


receber o consentimento, escrito ou oral, do testador. No caso de um indivíduo
falecido, o consentimento pode ser obtido de um representante legal. No caso de um
menor, o consentimento pode ser dado por um pai ou tutor legal do menor. No
entanto, os genealogistas não obtêm DNA de alguém que se recusa a submeter-se a
testes1.

3. Dados brutos. Os genealogistas acreditam que os testadores têm um direito


inalienável para seus próprios resultados de teste de DNA e dados brutos, mesmo que
alguém além do testador tenha comprado o teste de DNA.

4. Armazenamento de DNA. Os genealogistas estão conscientes das opções de


armazenamento de DNA oferecidas pelas empresas de teste e consideram as
implicações de armazenar versus não armazenar amostras de DNA para testes
futuros. As vantagens de armazenar amostras de DNA incluem redução de custos
associados a testes futuros e / ou preservação de DNA que não podem ser obtidos de
um indivíduo. No entanto, os genealogistas estão conscientes de que nenhuma
empresa pode garantir que o DNA armazenado seja de quantidade ou qualidade
suficiente para realizar testes adicionais. Os genealogistas também entendem que
uma empresa de testes pode mudar sua política de armazenamento sem aviso prévio
ao testador.

5. Termos de Serviço. Os genealogistas analisam e entendem os termos e condições


a que o testador aceita ao comprar um teste de DNA.

6. Privacidade. Os genealogistas apenas testam com as empresas que respeitam e


protegem a privacidade dos testadores. No entanto, os genealogistas entendem que o
anonimato completo dos resultados dos testes de DNA nunca pode ser garantido.

1
Exceto nas situações em que o teste de DNA é especificamente exigido por lei ou ordem
judicial. Este tipo de teste de DNA mandatado pode afetar outros Padrões, incluindo Padrões #
3 (Dados Brutos), # 6 (Privacidade) e # 8 (Compartilhar Resultados).
7. Acesso por terceiros. Os genealogistas entendem que, uma vez que os resultados
do teste de DNA são disponibilizados publicamente, eles podem ser acessados,
copiados e analisados gratuitamente por terceiros sem autorização. Por exemplo, os
resultados do teste de DNA publicados em um site do projeto de DNA estão
disponíveis publicamente.

8. Compartilhando resultados. Os genealogistas respeitam todas as limitações na


revisão e compartilhamento de resultados de teste de DNA impostas a pedido do
testador. Por exemplo, os genealogistas não compartilham nem revelam resultados de
teste de DNA (além das ferramentas oferecidas pela empresa de testes) ou outras
informações pessoais (nome, endereço ou e-mail) sem o consentimento escrito ou oral
do testador.

9. Bolsa de estudos. Ao palestrar ou escrever sobre genealogia genética, os


genealogistas respeitam a privacidade dos outros. Os genealogistas privatizam ou
redigem os nomes dosmatches genéticos vivos das apresentações, a menos que as
partidas genéticas tenham dado permissão prévia ou tenham divulgado seus
resultados publicamente. Os genealogistas compartilham os resultados do teste de
DNA de indivíduos vivos em um trabalho de bolsa apenas se o testador tiver dado
permissão ou já disponibilizou esses resultados publicamente. Os genealogistas
podem compartilhar confidencialmente os resultados de um teste de DNA de um
indivíduo com um editor e / ou um analista de um trabalho de bolsa de estudos. Os
genealogistas também divulgam qualquer relação profissional que têm com uma
empresa ou serviço de teste de DNA com fins lucrativos ao ler ou escrever sobre
genealogia genética.

10. Informações sobre saúde. Os genealogistas entendem que os testes de DNA


podem ter implicações médicas.

11. Designando um Beneficiário. Os genealogistas designam um beneficiário para


gerir resultados de testes e / ou DNA armazenado em caso de morte ou incapacidade.

NORMAS PARA INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DO TESTE DE


GENEALOGIA GENÉTICA

12. Resultados inesperados. Os genealogistas entendem que os resultados do teste


de DNA, como os registros genealógicos tradicionais, podem revelar informações
inesperadas sobre o testador e sua família, antepassados e / ou descendentes
imediatos. Por exemplo, tanto os resultados dos exames de DNA como os registros
genealógicos tradicionais podem revelar o parentesco, a adoção, a informação de
saúde, os membros da família anteriormente desconhecidos e os erros nas árvores
geneticamente pesquisadas, entre outros resultados inesperados.

13. Diferentes tipos de testes. Os genealogistas entendem que existem diferentes


tipos de testes de DNA, incluindo o DNA do cromossomo Y ("Y-DNA"), DNA
mitocondrial ("mtDNA"), cromossomo X("X-DNA") e teste de DNA autossômico
("atDNA"). Cada teste possui vantagens e limitações e podem ser usado de diferentes
maneiras para pesquisa genealógica. Muitas vezes, vários tipos de testes podem ser
ou devem ser usados para testar uma hipótese. Antes do teste, os genealogistas
determinam qual(is) tipo(s) de teste de DNA é capaz de atingir o(s) objetivo(s) do
genealogista.
14. Testes de Y-DNA e mtDNA. Os genealogistas entendem os padrões mínimos
recomendados de teste de Y-DNA e mtDNA recomendados, as diretrizes para as
quais estão atualmente sendo elaboradas e serão encontradas em
www.GeneticGenealogyStandards.com quando concluídas. Os genealogistas estão
conscientes de que, mesmo após um teste de mtDNA ou Y-DNA inicial, testes
adicionais (por exemplo, marcadores adicionais e / ou sequenciamento) podem ser
necessários para alcançar o (s) objetivo (s) do genealogista.

15. Limitações do Teste de Y-DNA. Os genealogistas entendem que os resultados


do teste Y-DNA revelam relações entre os testadores através de suas linhas paternas
diretas. No entanto, a identificação do relacionamento exato ou do antepassado
comum mais recente ("MRCA") não pode ser determinada apenas pelos resultados do
teste Y-DNA.

16. Limitações do teste mtDNA. Os genealogistas entendem que os resultados do


teste de mtDNA revelam relações entre os testadores através de suas linhas maternas
diretas. No entanto, a identificação do relacionamento exato ou MRCA não pode ser
determinada apenas pelos resultados do teste mtDNA.

17. Limitações do Teste do DNA autossômico. Os genealogistas entendem que os


resultados do teste de DNA autossômico, por si só, podem ser usados para confirmar
ou negar relacionamentos de primeiro grau com certeza (pai/filho ou irmãos
completos). Os genealogistas entendem que a análise de relacionamentos
genealógicos além do primeiro grau requer a combinação de resultados de testes de
DNA e registros genealógicos tradicionais.

18. Limitações da análise étnica. Os genealogistas entendem que a análise étnica é


limitada pelo banco de dados e algoritmo da população de referência proprietária
utilizada pela empresa de testes e, portanto, entende que as estimativas podem variar.
Os genealogistas compreendem ainda que, porque os indivíduos não possuem
DNA de todos os antepassados, uma estimativa étnica não pode ser predita nem
avaliada com base apenas em uma árvore genealógica familiar.
19. Interpretação dos resultados dos testes de DNA. Os genealogistas entendem
que há frequentemente mais de uma possível interpretação dos resultados do teste de
DNA. Às vezes, mas nem sempre, essas explicações possíveis podem ser reduzidas
por testes adicionais e / ou pesquisa documental genealógica. Os geneticistas
entendem ainda que qualquer análise dos resultados do teste de DNA depende
necessariamente de outras informações, incluindo informações do testador, e que a
análise é tão confiável quanto à informação sobre a qual se baseia.

20. DNA como parte da prova genealógica. Os genealogistas entendem que


nenhuma evidência única, incluindo evidências obtidas a partir de testes de DNA, por
si só constitui uma prova genealógica. Estabelecer a prova genealógica requer uma
pesquisa aprofundada em registros relevantes e confiáveis, documentação completa e
precisa e citação, análise e correlação de fontes de todas as evidências, resolução de
conflitos causados por informações contraditórias e uma conclusão escrita
profundamente fundamentada. Para obter mais informações, consulte o Padrão de
Prova Genealógica (www.bcgcertification.org).

21. Citando os Resultados dos Testes de DNA. Os genealogistas entendem e usam


os padrões mínimos recomendados atualmente para citar resultados de testes de DNA
em relatórios a clientes ou em trabalhos de bolsa de estudos. Atualmente, as diretrizes
estão sendo elaboradas e serão encontradas em
www.GeneticGenealogyStandards.com quando completado.
O COMITÊ DE PADRÕES DE GENEALOGIA GENÉTICA

CeCe Moore
Blaine Bettinger
David Bachinsky
Traci Barela
Katherine Borges
Angie Bush
Melinde Lutz Byrne
Shannon S Christmas
George T. Cicila
Michael Hait
Tim Janzen
James M Owston
Ana Oquendo Pabón
Ugo Perego
Steven C. Perkins
Ann Turner
Debbie Parker Wayne
Jennifer Zinck

REFERÊNCIAS

1.International Society of Genetic Genealogy (ISOGG) : https://isogg.org/


2.Genetic Genealogy Standards Committee: http://www.geneticgenealogystandards.com/