Você está na página 1de 4

Metodologia da Pesquisa Cientí ca

Cada questão precisa estar relacionada aos


objetivos do estudo. Elas devem ser enunciadas de
forma clara e objetiva, sem induzir ou confundir. Uma
dica importante é veri car na literatura se já existe
um questionário padronizado e validado sobre o
tema que se está estudando. O pesquisador poderá
também adaptar, utilizando algumas perguntas de
outro questionário validado e algumas elaboradas
pelo próprio pesquisador seguindo o objetivo de seu
estudo. É sempre recomendado realizar um pré-
“Psst, Bertha! Vou-lhe contar meu grande esquema para analisar
teste no questionário antes de iniciar a pesquisa variáveis.”
propriamente dita.
O termo estatística assusta muitas pessoas. Caso
O questionário deve conter: você esteja intimidado, não precisa. A estatística é
• Solicitação de cooperação: falar da entidade uma ferramenta para ajudar o pesquisado a tomar
que está promovendo a pesquisa, do decisões. É simplesmente um meio objetivo de
objetivo e das vantagens que esta poderá interpretar um conjunto de observações. Estatística
trazer para a sociedade e em particular para pode ser de nida como um processo que permite
o respondente, se for o caso. análise e interpretação de dados provenientes
• Identi cação do sujeito de pesquisa. de uma ou mais amostras, com objetivo de inferir
• Informações: é efetivamente o que se características de populações. Em conceito mais
pretende pesquisar. geral, pode ser considerada como a disciplina que
se preocupa com a coleta, organização, descrição,
Para elaboração de um questionário, deve-se análise e interpretação de dados. Três conceitos
estabelecer ligação com: iniciais devem car claros: população, amostra e
• O problema e os objetivos da pesquisa. tipos de variáveis.
• As hipóteses.
• A população a ser pesquisada.
• Métodos de análise dos dados.
População e amostra
Para elaboração de um questionário, deve-se
População refere-se ao conjunto de interesse
tomas decisões sobre:
nal para a pesquisa. É o conjunto do qual as
• Conteúdo das pesquisas.
amostras são retiradas. A população é um conjunto
• Formato das respostas.
de indivíduos ou objetos que apresentam em
• Formulação e sequência das perguntas.
comum determinadas características de nidas para
• Apresentação e layout.
o estudo. Ela pode ser in nita (quando o número de
• Pré-teste.
observações for in nito) ou nita (quando apresenta
um número limitado de indivíduos).

Estatística básica Exemplo de população in nita: aquela constituída


de todos os resultados (cara e coroa) em sucessivos
lances de uma moeda.

10
Metodologia da Pesquisa Cientí ca

Exemplo de população nita: todos os copos de A premissa é de que cada componente da


papel produzidos em uma indústria em um dia; todos população estudada tem a mesma chance de ser
os moradores de um estado; todos os matriculados escolhido para compor a amostra, e a técnica que
em escolas públicas de um município. garante essa igual probabilidade é a seleção aleatória
de indivíduos. Por exemplo, por meio de sorteio para
Amostra é qualquer subconjunto representativo escolha de 10 alunos em uma turma de 40.
da população (ou universo) de interesse. Dessa • Amostragem aleatória estrati cada
forma, analisando-se uma boa amostra, chega-se a
resultados que podem ser imputados (extrapolados) Na amostragem estrati cada, a população é
para a população. É importante lembrar que a dividida em estratos, e em seguida é selecionada uma
amostra é sempre nita e que quanto maior for, mais amostra aleatória de cada estrato. Essa estratégia
signi cativo será o estudo. A de nição de uma amos- geralmente é aplicada quando o evento estudado
tra envolve premissas que dizem respeito às caracte- em uma população tem características distintas para
rísticas do evento estudado, dos fatores que exerçam diferentes categorias dela.
in uência sobre esse evento e da análise que se pre- • Amostragem aleatória por
tenda fazer. Portanto, antes de de nir o tamanho da conglomerados
amostra, o pesquisador deverá ocupar-se das de ni-
ções de um planejamento amostral, cujas caracterís- A população é dividida em subpopulações distintas
ticas serão particulares para cada estudo. (conglomerados). Alguns dos conglomerados são
selecionados segundo a amostragem aleatória
simples, e são observadas todas as unidades destes.
Planejamento amostral • Amostragem por estágios múltiplos

Um planejamento amostral deve, em primeiro Essa estratégia de amostragem pode ser vista
lugar, reconhecer o universo a que se refere o estudo, como uma combinação de dois ou mais planos
a população que será estudada e a unidade amostral amostrais. Considere, por exemplo, uma população
(o objeto sobre o qual se fará medidas do evento de estrati cada em que o número de estratos é muito
interesse no estudo). Caberá ao pesquisador decidir grande. Ao invés de sortear uma amostra de cada um,
se a amostra deve ser aleatória ou intencional. Será o que poderia ser inviável, o pesquisador pode optar
intencional quando o investigador puder arbitrar por sortear alguns estratos e em seguida selecionar
quais unidades da população estudada devem ser uma amostra de cada um deles. Nesse caso, teríamos
tomadas para observação, o que acontece apenas uma amostragem em dois estágios usando, nas duas
em situações particulares que oferecem informações vezes, a amostragem aleatória simples, sendo que,
igualmente particulares. A escolha do método no primeiro, as unidades amostrais são os estratos e,
intencional (não probabilístico), em geral, sempre no segundo, são os componentes da população.
encontrará desvantagem frente ao probabilístico • Amostragem sistemática
(aleatório). Na maioria dos estudos, o pesquisador
Deve obedecer ao mesmo princípio da amostragem
busca aleatoriedade para evitar o erro sistemático ou
aleatória simples, de iguais probabilidades de
um vício de amostragem que torne inconclusivos os
pertencer à amostra para todos os componentes da
resultados de seu estudo.
população estudada. No entanto, prevê a coleta de
Pode-se reconhecer pelo menos cinco estratégias dados ao longo de um período de tempo e arbitra
de amostragem aleatória: um ritmo para tomada de unidades para compor a
• Amostragem aleatória simples amostra. Por exemplo, em uma listagem de indivíduos

11
Metodologia da Pesquisa Cientí ca

da população, sorteamos um nome entre os dez Qualitativas (ou categóricas): designam as


primeiros da lista. A partir desse, selecionamos um categorias de um atributo, medem (separam) classes
a cada dez indivíduos (o décimo, vigésimo e assim de coisas. São as características que não possuem
por diante). A amostragem sistemática é utilizada valores quantitativos, mas, ao contrário, são de nidas
quando se quer planejar um tempo para execução por várias categorias, ou seja, representam uma
da coleta de dados ou quando se deseja cobrir um classi cação dos indivíduos. Podem ser nominais ou
determinado período com a amostra estudada. O ordinais.
número de observações pode ser calculado como • Nominais: as designações das categorias
na amostragem aleatória simples, e o intervalo não têm relação uma com a outra, são
sistemático pode ser arbitrado a partir da frequência apenas nomes. Exemplo: sexo, cor dos
esperada do evento estudado. olhos, fumante/não fumante, doente/sadio.
• Ordinais: cada designação tem uma relação
Vídeo sobre amostragem e seus tipos: http:// de ordem com outra – maior/menor, melhor/
www.youtube.com/watch?v=V0IS19ZJURA. pior, bonito/feio. Exemplo: escolaridade,
classe social, estágio da doença (inicial,
intermediário, terminal).
Tipos de variáveis
Quantitativas: designam a intensidade de
Variável é a característica de interesse que é um atributo, medem grandeza das coisas. São as
medida em cada elemento da amostra ou população. características que podem ser medidas em uma
Como o nome diz, seus valores variam de elemento escala quantitativa, ou seja, apresentam valores
para elemento (ou entre indivíduos). Elas podem ter numéricos que fazem sentido. Podem ser discretas
valores numéricos ou não numéricos. ou contínuas.
• Discretas: medidas que assumem um
As variáveis podem ser classi cadas nos seguintes número nito de valores (do maior ao menor
tipos: em intervalos de nidos), variam aos pulos.

Exemplo: número de lhos, número de bactérias por litro de leite, número de maços de cigarros
fumados por dia.
• Contínuas: medidas que assumem número in nito de valores (do maior ao menor em intervalos
que podem sempre ser reduzidos), variam suavemente. Exemplo: peso (balança), tempo (relógio),
pressão arterial, idade.

Para reconhecer os tipos de variáveis, pode-se utilizar o seguinte diagrama:

12
Metodologia da Pesquisa Cientí ca

Estatística descritiva

Usada para descrever dados, sua distribuição, frequência, média, mediana etc. É um ramo da estatística
que aplica várias técnicas para descrever e sumariar um conjunto de dados. A estatística descritiva, cujo
objetivo básico é o de sintetizar uma série de valores de mesma natureza, permitindo dessa forma que se
tenha uma visão global da variação desses valores, organiza e descreve os dados de três maneiras: por meio
de tabelas, de grá cos e de medidas descritivas. As principais medidas descritivas são:
• Média aritmética: é a soma das observações dividida pelo número total de observações.

Ex.: média aritmética de 2, 3, 7, 8 e 10:


2 + 3 + 7 + 8 + 10 30
Média = = = = 6
5 5
• Mediana: valor que ocupa a posição central dos dados ordenados; é o valor que deixa metade dos
dados abaixo e metade acima dele. Se o número de observações for par, a mediana será a média
aritmética dos dois valores centrais.

Ex.: mediana de:

a) 2, 3, 7, 8 e 10 = Md = 7

b) 3, 4, 7, 8, 8 e 9:
7+8 15
Md = = = 7,5
2 2
• Moda: é o valor mais frequente no conjunto de dados.

Ex.: moda de 2, 3, 7, 8, 8 e 10 = Mo = 8
• Variância: é uma medida que expressa um desvio quadrático médio do conjunto de dados, e sua
unidade é o quadrado da unidade dos dados.

13