Você está na página 1de 2
Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Ponta Grossa

PLANO DE ENSINO

CURSO

Engenharia Química

MATRIZ

104

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

Lei nº 9.394 de 20/12/1996. Portaria Ministerial nº 381, publicada no D.O.U. de 09/02/2011. Resolução nº 094/09-COEPP de 11/09/2009. Resolução 084/11 - COGEP de 09/12/2011. Resolução 053/13 - COGEP de 04/09/2013. Resolução 088/13 - COGEP de 16/12/2013.

DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR

CÓDIGO

PERÍODO

CARGA HORÁRIA (Aulas)

Total

Total

     

AT

AP

APS

AD

APCC

Aulas

Horas

Indústrias de :Processos Químicos 3

QM38A

68

00

04

--

--

72

60

AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância, APCC: Atividades Práticas como Componente Curricular.

 

PRÉ-REQUISITO

QM37A - Indústrias de: Processos Químicos 2

EQUIVALÊNCIA

EQ38A - Indústrias de: Processos Químicos 3

OBJETIVOS Conhecer e compreender o desenvolvimento e aplicação de processos de transformação físico-química de matérias-primas em produtos.

EMENTA Indústrias do açúcar e do amido. Farinhas e féculas. Arroz polido e arroz parboilizado. Couros. Gelatinas. Óleos vegetais. Óleos essenciais. Margarinas. Maioneses. Leites. Derivados de leite. Carnes. Produtos cárneos. Ovoderivados. Me. Hidromel. Cervejas; Aguardentes. Vinhos. Licores. Outros fermentados e destilados. Sucos. Néctares. Doces e geléias. Álcoois. Aromas. Espessantes.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 

ITEM

EMENTA

CONTEÚDO

1

Indústria do açúcar e álcool

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

2

Indústria de farinhas, amido e féculas

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

3

Indústria de óleos vegetais e derivados

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

4

Indústria de leite e derivados

Obtenção higiênica do leite; matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

5

Indústria carne e produtos

Abate humanitário; matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

6

Indústria de couro e gelatina

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

7

Indústria de beneficiamento do mel

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

8

Indústria de derivado de ovos

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

9

Indústria de fermentados e destilados

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

10

Indústria de sucos e néctares

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

11

Indústria de doces e geléias

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

12

Indústria de óleos essenciais e aromas

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

13

Indústria de espessantes

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

14

Indústria de beneficiamento de arroz

Matérias-primas, operações unitárias envolvidas, produtos, resíduos e subprodutos.

PROCEDIMENTOS DE ENSINO

AULAS TEÓRICAS

Aulas expositivas e dialogadas nas quais poderão ser utilizados como recursos didáticos: multimídia, computador, ambiente virtual de aprendizagem ( moodle ), entre outros que se fizerem necessários.

AULAS PRÁTICAS

Não estão previstas aulas práticas para esta disciplina.

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

Atividades acadêmicas desenvolvidas sob orientação, supervisão e avaliação de docentes e realizadas pelos discentes em horários diferentes daqueles destinados às atividades presenciais (aulas teóricas e aulas práticas). Estas atividades poderão incluir, entre outras: estudo dirigido, trabalhos individuais, trabalhos em grupo, desenvolvimento de projetos, atividades em laboratório, atividades de campo, oficinas, pesquisas, estudos de casos, seminários e desenvolvimento de trabalhos acadêmicos.

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO

A aprovação na disciplina dar-se-á por nota final, proveniente de avaliações realizadas ao longo do semestre letivo e por freqüência. Considerar-se-á aprovado na disciplina o aluno que tiver freqüência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) e nota final igual ou superior a 6,0(seis), consideradas todas as avaliações previstas no Plano de Aulas. Ao longo ou ao final do semestre será oportunizada recuperação, de forma que possibilite ao aluno melhorar o desempenho registrado abaixo da média.

REFERÊNCIAS:

 

Referências básicas:

 

1.

VENTURINI FILHO, Waldemar Gastoni (Coord.). Tecnologia de bebidas: matéria prima, processamento,

BPF/APPCC, legislação e mercado. São Paulo, SP: E. Blücher, 2005. 550 p.

2. PRÄNDL, Oskar et al. Tecnología e higiene de la carne. Zaragoza: Acribia, 1994. 854p.

3. SPREER, Edgar. Lactología industrial: leche, preparación y elaboración, máquinas, instalaciones y

aparatos, productos lácteos. 2. ed. Zaragoza: Acribia, 1991. 617p.

Referências complementares:

1.

KENT, N. L

Tecnologia de los cereales: introducción para estudiantes de ciencia de los alimentos y

agricultura. Zaragoza: Acribia, 1987. 221p.

2.

LOVATEL, Jaime Luiz; COSTANZI, Arno Roberto; CAPELLI, Ricardo. Processamento de frutas e

hortaliças. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2004. 189 p.

3.

SHREVE, R. Norris; BRINK JR., Joseph A. Indústrias de processos químicos. 4. ed. Rio de Janeiro, RJ:

Guanabara Koogan, c1997. 717 p.

4. RANKEN, M. D

Manual de industrias de los alimentos. 2. ed. Zaragoza: Acribia, 1993. 672 p.

5. OCKERMAN, Herbert W.; HANSEN, Conly L. Industrialización de subproductos de origen animal.

Zaragoza: Acribia, 1994. 387p.

Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso