Você está na página 1de 232

Universidade do Sul de Santa Catarina

Contabilidade I

Disciplina na modalidade a distância

Palhoça

UnisulVirtual

2011

Créditos

Universidade do Sul de Santa Catarina Campus UnisulVirtual – Educação Superior a Distância

Avenida dos Lagos, 41 – Cidade Universitária Pedra Branca | Palhoça – SC | 88137-900 | Fone/fax: (48) 3279-1242 e 3279-1271 | E-mail: cursovirtual@unisul.br | Site: www.unisul.br/unisulvirtual

Reitor Unisul Ailton Nazareno Soares

Vice-Reitor Sebastião Salésio Heerdt

Chefe de Gabinete da Reitoria Willian Máximo

Pró-Reitora Acadêmica Miriam de Fátima Bora Rosa

Pró-Reitor de Administração Fabian Martins de Castro

Pró-Reitor de Ensino Mauri Luiz Heerdt

Campus Universitário de Tubarão Diretora Milene Pacheco Kindermann

Campus Universitário da Grande Florianópolis Diretor Hércules Nunes de Araújo

Campus Universitário

UnisulVirtual

Diretora

Jucimara Roesler

Equipe UnisulVirtual

Diretora Adjunta

Patrícia Alberton

Secretaria Executiva e Cerimonial Jackson Schuelter Wiggers (Coord.) Bruno Lucion Roso Marcelo Fraiberg Machado Tenille Catarina

Assessoria de Assuntos Internacionais Murilo Matos Mendonça

Assessoria DAD - Disciplinas a Distância Patrícia da Silva Meneghel (Coord.) Carlos Alberto Areias Franciele Arruda Rampelotti Luiz Fernando Meneghel

Assessoria de Inovação e Qualidade da EaD Dênia Falcão de Bittencourt (Coord.) Rafael Bavaresco Bongiolo

Assessoria de Relação com Poder Público e Forças Armadas Adenir Siqueira Viana

Assessoria de Tecnologia Osmar de Oliveira Braz Júnior (Coord.) Felipe Jacson de Freitas Jefferson Amorin Oliveira José Olímpio Schmidt Marcelo Neri da Silva

Phelipe Luiz Winter da Silva Priscila da Silva Rodrigo Battistotti Pimpão

Coordenação dos Cursos

Auxiliares das coordenações Fabiana Lange Patricio Maria de Fátima Martins Tânia Regina Goularte Waltemann

Coordenadores Graduação Adriana Santos Rammê Adriano Sérgio da Cunha Aloísio José Rodrigues Ana Luisa Mülbert Ana Paula R. Pacheco Bernardino José da Silva Carmen Maria C. Pandini Catia Melissa S. Rodrigues Charles Cesconetto Diva Marília Flemming Eduardo Aquino Hübler Eliza B. D. Locks Fabiano Ceretta Horácio Dutra Mello Itamar Pedro Bevilaqua Jairo Afonso Henkes Janaína Baeta Neves Jardel Mendes Vieira Joel Irineu Lohn Jorge Alexandre N. Cardoso José Carlos N. Oliveira José Gabriel da Silva José Humberto D. Toledo Joseane Borges de Miranda Luciana Manfroi Marciel Evangelista Catâneo Maria Cristina Veit Maria da Graça Poyer Mauro Faccioni Filho Moacir Fogaça Myriam Riguetto Nélio Herzmann Onei Tadeu Dutra Raulino Jacó Brüning Rogério Santos da Costa Rosa Beatriz M. Pinheiro Tatiana Lee Marques Thiago Coelho Soares Valnei Campos Denardin Roberto Iunskovski Rose Clér Beche Rodrigo Nunes Lunardelli

Coordenadores Pós-Graduação Aloisio Rodrigues Anelise Leal Vieira Cubas Bernardino José da Silva Carmen Maria Cipriani Pandini Daniela Ernani Monteiro Will Giovani de Paula Karla Leonora Nunes Luiz Otávio Botelho Lento Thiago Coelho Soares Vera Regina N. Schuhmacher

Gerência Administração Acadêmica Angelita Marçal Flores (Gerente) Fernanda Farias

Financeiro Acadêmico Marlene Schauffer Rafael Back Vilmar Isaurino Vidal

Gestão Documental Lamuniê Souza (Coord.) Clair Maria Cardoso Janaina Stuart da Costa Josiane Leal Marília Locks Fernandes Ricardo Mello Platt

Secretaria de Ensino a Distância Karine Augusta Zanoni

(Secretária de Ensino)

Giane dos Passos

(Secretária Acadêmica)

Alessandro Alves da Silva Andréa Luci Mandira Cristina Mara Shauffert Djeime Sammer Bortolotti Douglas Silveira Fabiano Silva Michels Felipe Wronski Henrique Janaina Conceição Jean Martins Luana Borges da Silva Luana Tarsila Hellmann Maria José Rossetti Miguel Rodrigues da Silveira Junior Monique Tayse da Silva Patricia A. Pereira de Carvalho Patricia Nunes Martins Paulo Lisboa Cordeiro Rafaela Fusieger Rosângela Mara Siegel Silvana Henrique Silva Vanilda Liordina Heerdt

Gerência Administrativa e Financeira

Renato André Luz (Gerente) Naiara Jeremias da Rocha Valmir Venício Inácio

Gerência de Ensino, Pesquisa e Extensão

Moacir Heerdt (Gerente) Aracelli Araldi

Elaboração de Projeto e Reconhecimento de Curso Diane Dal Mago Vanderlei Brasil

Extensão Maria Cristina Veit (Coord.)

Pesquisa Daniela E. M. Will

(Coord. PUIP, PUIC, PIBIC)

Mauro Faccioni Filho

(Coord. Nuvem)

Pós-Graduação Clarissa Carneiro Mussi (Coord.)

Biblioteca Soraya Arruda Waltrick (Coord.) Paula Sanhudo da Silva Renan Felipe Cascaes Rodrigo Martins da Silva

Capacitação e Assessoria ao Docente Enzo de Oliveira Moreira (Coord.) Adriana Silveira Alexandre Wagner da Rocha Cláudia Behr Valente Elaine Cristiane Surian Juliana Cardoso Esmeraldino Simone Perroni da Silva Zigunovas

Monitoria e Suporte Enzo de Oliveira Moreira (Coord.) Anderson da Silveira Angélica Cristina Gollo Bruno Augusto Zunino Claudia Noemi Nascimento Débora Cristina Silveira Ednéia Araujo Alberto Francine Cardoso da Silva Karla F. Wisniewski Desengrini Maria Eugênia Ferreira Celeghin

Maria Lina Moratelli Prado Mayara de Oliveira Bastos Patrícia de Souza Amorim Poliana Morgana Simão Priscila Machado

Gerência de Desenho e Desenvolvimento de Materiais Didáticos

Márcia Loch (Gerente)

Acessibilidade Vanessa de Andrade Manoel (Coord.) Bruna de Souza Rachadel Letícia Regiane Da Silva Tobal

Avaliação da aprendizagem Lis Airê Fogolari (coord.) Gabriella Araújo Souza Esteves

Desenho Educacional Carmen Maria Cipriani Pandini

(Coord. Pós)

Carolina Hoeller da S. Boeing

(Coord. Ext/DAD)

Silvana Souza da Cruz (Coord. Grad.) Ana Cláudia Taú Carmelita Schulze Cristina Klipp de Oliveira Eloisa Machado Seemann Flávia Lumi Matuzawa Geovania Japiassu Martins Jaqueline Cardozo Polla Lygia Pereira Luiz Henrique Milani Queriquelli Marina Cabeda Egger Moellwald Marina Melhado Gomes da Silva Melina de la Barrera Ayres Michele Antunes Correa Nágila Cristina Hinckel Pâmella Rocha Flores da Silva Rafael Araújo Saldanha Roberta de Fátima Martins Sabrina Paula Soares Scaranto Viviane Bastos

Gerência de Logística

Jeferson Cassiano A. da Costa

(Gerente)

Andrei Rodrigues

Logística de Encontros Presenciais Graciele Marinês Lindenmayr (Coord.) Ana Paula de Andrade Cristilaine Santana Medeiros Daiana Cristina Bortolotti Edesio Medeiros Martins Filho Fabiana Pereira Fernando Oliveira Santos Fernando Steimbach Marcelo Jair Ramos

Logística de Materiais Carlos Eduardo D. da Silva (Coord.) Abraão do Nascimento Germano Fylippy Margino dos Santos Guilherme Lentz Pablo Farela da Silveira Rubens Amorim

Gerência de Marketing

Fabiano Ceretta (Gerente) Alex Fabiano Wehrle Márcia Luz de Oliveira Sheyla Fabiana Batista Guerrer Victor Henrique M. Ferreira (África)

Relacionamento com o Mercado Eliza Bianchini Dallanhol Locks Walter Félix Cardoso Júnior

Gerência de Produção

Arthur Emmanuel F. Silveira (Gerente) Francini Ferreira Dias

Design Visual Pedro Paulo Alves Teixeira (Coord.) Adriana Ferreira dos Santos Alex Sandro Xavier Alice Demaria Silva Anne Cristyne Pereira Diogo Rafael da Silva Edison Rodrigo Valim Frederico Trilha Higor Ghisi Luciano Jordana Paula Schulka Nelson Rosa Patrícia Fragnani de Morais

Multimídia Sérgio Giron (Coord.) Cristiano Neri Gonçalves Ribeiro Dandara Lemos Reynaldo Fernando Gustav Soares Lima Sérgio Freitas Flores

Portal Rafael Pessi (Coord.) Luiz Felipe Buchmann Figueiredo

Comunicação Marcelo Barcelos Andreia Drewes Carla Fabiana Feltrin Raimundo

Produção Industrial Francisco Asp (Coord.) Ana Paula Pereira Marcelo Bittencourt

Gerência Serviço de Atenção Integral ao Acadêmico

James Marcel Silva Ribeiro (Gerente)

Atendimento Maria Isabel Aragon (Coord.) Andiara Clara Ferreira André Luiz Portes Bruno Ataide Martins Holdrin Milet Brandao Jenniffer Camargo Maurício dos Santos Augusto Maycon de Sousa Candido Sabrina Mari Kawano Gonçalves Vanessa Trindade Orivaldo Carli da Silva Junior

Estágio Jonatas Collaço de Souza (Coord.) Juliana Cardoso da Silva Micheli Maria Lino de Medeiros Priscilla Geovana Pagani

Prouni Tatiane Crestani Trentin (Coord.) Gisele Terezinha Cardoso Ferreira Scheila Cristina Martins Taize Muller

José Marcos Tesch

Contabilidade I

Livro didático

Design instrucional

Karla Leonora Dahse Nunes Leandro Kingeski Pacheco

9ª edição

Palhoça

UnisulVirtual

2011

Copyright © UnisulVirtual 2011 Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida por qualquer meio sem a prévia autorização desta instituição.

Edição – Livro Didático

Professor Conteudista José Marcos Tesch

Design Instrucional Karla Leonora Dahse Nunes Leandro Kingeski Pacheco Silvana Souza da Cruz Clasen (6ª ed. rev. e atual.)

Assistente Acadêmico Michele Antunes Corrêa (8ª ed. rev. e atual.) Aline Cassol Daga (9ª edição)

Projeto Gráfico e Capa Equipe UnisulVirtual

Diagramação Adriana Ferreira dos Santos Higor Ghisi (9ª edição)

Revisão Ortográfica

B2B

657

T32

Tesch, José Marcos Contabilidade I : livro didático / José Marcos Tesch ; design instrucional Karla Leonora Dahse Nunes, Leandro Kingeski Pacheco, Silvana Souza da Cruz Clasen ; [assistente acadêmico Michele Antunes Corrêa, Aline Cassol Daga]. – 9. ed. – Palhoça : UnisulVirtual, 2011. 229 p. : il. ; 28 cm.

Inclui bibliografia.

1. Contabilidade. I. Nunes, Karla Leonora Dahse. II. Pacheco, Leandro Kingeski. III. Clasen, Silvana Souza da Cruz. IV. Corrêa, Michele Antunes. V. Daga, Aline Cassol. VI. Título.

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Universitária da Unisul

Sumário

Apresentação .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

07

Palavras do professor

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

09

Plano de estudo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

11

UNIDADE 1 – História e desenvolvimento do pensamento contábil

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

17

UNIDADE 2 – Fundamentos básicos da Contabilidade UNIDADE 3 – Atos Administrativos e Fatos Contábeis

.

.

.

.

.

38

55

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

83

UNIDADE 4 – Escrituração Contábil UNIDADE 5 – Registros Contábeis

. UNIDADE 6 – Livros obrigatórios e facultativos

. UNIDADE 7 – Introdução às demonstrações contábeis

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

121

173

189

Para concluir o estudo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

201

. Sobre o professor conteudista

Referências

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

203

205

Respostas e comentários das atividades de autoavaliação

 

207

Biblioteca Virtual

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

229

Apresentação

Este livro didático corresponde à disciplina Contabilidade I.

O material foi elaborado visando a uma aprendizagem autônoma. Ele aborda conteúdos especialmente selecionados e adota lin- guagem que facilita seu estudo a distância.

Por falar em distância, isso não significa que você estará sozinho/a. Não se esqueça de que sua caminhada nesta disciplina também será acompanhada constantemente pelo Sistema Tuto- rial da UnisulVirtual. Entre em contato, sempre que sentir neces- sidade, seja por correio postal, fax, telefone, e-mail ou Ambiente Virtual de Aprendizagem. Nossa equipe terá o maior prazer em atendê-lo/a, pois sua aprendizagem é o nosso principal objetivo.

Bom estudo e sucesso!

Equipe UnisulVirtual.

Palavras do professor

Palavras do professor Você está iniciando o estudo da disciplina Contabilidade I . O objetivo é,

Você está iniciando o estudo da disciplina Contabilidade I.

O objetivo é, sobretudo, oferecer-lhe elementos necessários e

motivadores nesta etapa.

Por meio desta disciplina, você formará uma base sólida e essencial ao entendimento da Contabilidade.

Para que obtenha um bom aprendizado do Curso de Graduação em Ciências Contábeis e dos diversos mecanismos que a Contabilidade possui, é fundamental conhecer a história e o desenvolvimento do pensamento contábil.

Por meio desta disciplina, você também irá conhecer, entre

outros, os dados básicos e essenciais relativos ao patrimônio e seus elementos, o método das partidas dobradas, e formará o raciocínio sobre o mecanismo do débito e do crédito, através

de balanços sucessivos.

Este livro didático adota linguagem clara e objetiva, e os assuntos são apresentados em ordem sequencial e cronológica, objetivando assegurar-lhe aprendizado eficiente.

De sua parte, para que obtenha o máximo de aproveitamento, você deverá participar de todas as atividades propostas no Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem (EVA) e realizar todas as atividades e desafios previstos.

Adotando estes procedimentos, você compreenderá o processo contábil, mesmo que nunca tenha estudado Contabilidade.

Sucesso!

Professor José Marcos Tesch

Plano de estudo

Plano de estudo O plano de estudos visa a orientá-lo/a no desenvolvimento da disciplina. Nele, você

O plano de estudos visa a orientá-lo/a no desenvolvimento da

disciplina. Nele, você encontrará elementos que esclarecerão o contexto da disciplina e sugerirão formas de organizar o seu tempo de estudo.

O processo de ensino e aprendizagem na UnisulVirtual leva

em conta instrumentos que se articulam e se complementam.

Assim, a construção de competências se dá sobre a articulação

de metodologias e por meio das diversas formas de ação/

mediação.

São elementos desse processo:

„ livro didático;

o

„ Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem - EVA;

o

„ as atividades de avaliação (complementares, a distância

e presenciais).

Ementa

História do pensamento contábil. Conceito, objetivo, finalidade, técnica e campo de aplicação. Informações sobre entidades: noções básicas. Patrimônio: ativo, passivo e patrimônio líquido. Registros contábeis através de balanços sucessivos. Contas: teoria das contas e os procedimentos contábeis básicos, segundo o método das partidas dobradas. Fatos contábeis. Escrituração contábil: métodos, processo e

livros obrigatórios e facultativos. Balancetes, demonstrativos

de resultado e balanço patrimonial.

Universidade do Sul de Santa Catarina

Objetivos

Geral

Desenvolver uma base sólida de conhecimentos nos temas pertinentes à disciplina, ensejando o domínio dos conceitos relevantes e das práticas contábeis, com vistas ao desenvolvimento das competências e habilidades profissionais requeridas pelo mercado.

Específicos

„ Desenvolver habilidades, competências e atitudes profissionais.

„ Enfatizar a importância do conhecimento teórico para a prática contábil segura.

„ Evidenciar os aspectos econômicos e sociais do resultado (lucro).

Carga horária

A carga horária toal da disciplina é 60 horas - 4 créditos

Contabilidade I

Conteúdo programático/objetivos

Os objetivos de cada unidade definem o conjunto de conhecimentos que você deverá deter para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à sua formação. Neste sentido, veja a seguir as unidades que compõem o livro didático desta disciplina, bem como os seus respectivos objetivos.

Unidade de estudo: 7

Unidade 1: História e desenvolvimento do pensamento contábil

Nesta unidade, você vai estudar a origem, história e evolução da Contabilidade, as perspectivas da Contabilidade e da profissão, campo de aplicação e seus usuários, o papel da Contabilidade e as técnicas contábeis.

Unidade 2: Fundamentos básicos da Contabilidade

Aqui, você estudará o conceito de Contabilidade; a formação dos patrimônios: ativo, passivo e patrimônio líquido; e a composição patrimonial. Também estudará a representação gráfica do patrimônio. Por fim, o conceito de patrimônio líquido e equação do equilíbrio patrimonial.

Unidade 3: Atos administrativos e fatos contábeis

Nesta unidade, você estudará quais são os atos administrativos, fatos contábeis e suas classificações.

Unidade 4: Escrituração contábil

Nesta etapa, você fará estudos voltados à escrituração contábil a partir do Método das Partidas Dobradas, Teoria das Contas, natureza das contas, mecanismo do débito e do crédito.

Universidade do Sul de Santa Catarina

Unidade 5: Registros contábeis

Aqui, você começará a fazer escrituração através de balanços sucessivos e terá um entendimento introdutório para a formação do Plano de Contas.

Unidade 6: Livros obrigatórios e facultativos

Nesta unidade, você vai estudar Sistemas Contábeis (ou Sistemas de Escrituração) e, ainda, conhecerá quais são os livros obrigatórios e facultativos para a Contabilidade, de acordo com a legislação e seus órgãos de registro.

Unidade 7: Introdução às demonstrações contábeis

Você vai aprender, nesta etapa, como é a estrutura do Balancete, Balanço Patrimonial e Demonstrativos de Resultados.

Contabilidade I

Contabilidade I Agenda de atividades/Cronograma „ Verifique com atenção o EVA, organize-se para acessar periodicamente

Agenda de atividades/Cronograma

„ Verifique com atenção o EVA, organize-se para acessar periodicamente o espaço da disciplina. O sucesso nos seus estudos depende da priorização do tempo para a leitura; da realização de análises e sínteses do conteúdo e da interação com os seus colegas e professor.

„ Não perca os prazos das atividades. Registre no espaço a seguir as datas, com base no cronograma da disciplina disponibilizado no EVA.

„ Use o quadro para agendar e programar as atividades relativas ao desenvolvimento da disciplina.

Atividades obrigatórias Demais atividades (registro pessoal)
Atividades obrigatórias
Demais atividades (registro pessoal)

UNIDADE 1

História e desenvolvimento do pensamento contábil

Objetivos de aprendizagem

„ Aprender sobre a história e a origem do pensamento contábil.

„ Saber como aconteceu a evolução da Contabilidade.

„ Compreender os conceitos e as abordagens básicas da Contabilidade.

„ Identificar o campo de atuação da Contabilidade e quem são seus usuários.

Seções de estudo

1

Seção 1

História e origem da Contabilidade

Seção 2

O desenvolvimento do pensamento contábil

Seção 3

Conceitos e abordagens básicas da

Seção 4

Contabilidade O campo de aplicação da Contabilidade e

Seção 5

seus usuários A função da Contabilidade e do contador

Seção 6

As técnicas contábeis

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Nesta primeira unidade, você deverá conhecer

Para início de estudo

Nesta primeira unidade, você deverá conhecer a origem do pensamento contábil e compreender como se desenvolveu até

chegar à estrutura atual. Isto é fundamental para a sua formação,

já que lhe permitirá formar uma base conceitual sólida sobre a

Contabilidade, bem como estabelecer a devida relação desta com

as demais disciplinas ao longo do curso.

Seção 1 – História e origem da Contabilidade

A sociedade atual é resultado de um conjunto de conhecimentos

adquiridos, aprimorados e ressignificados ao longo de anos, e que chegaram até nós por meio das tradições e/ou fontes documentais de diversas naturezas, ‘relatando’ fatos ocorridos no passado da humanidade.

A análise de tais documentos faz pensar que o conhecimento

acerca da Contabilidade é tão antigo quanto a própria origem do homem.

Deste modo, durante o que se convencionou chamar de ‘Pré-história’, o homem já controlava suas posses de alguma forma e representava o tamanho de sua riqueza por meio de desenhos.

Qual a origem da Contabilidade?

A Contabilidade surgiu com as civilizações, para mensurar e

controlar as posses materiais dos seres humanos.

O livro de Jó é considerado o mais antigo da Bíblia. Marion

(2003, p.30 e 31) apresenta-nos uma análise daquilo que podemos considerar como um exemplo de registro contábil dos mais antigos:

Contabilidade I

Se abrirmos a Bíblia em seu primeiro Livro, Gênesis, entre outras passagens que sugerem a Contabilidade, observamos uma “competição” no crescimento da riqueza (rebanho de ovelhas) entre Jacó e seu sogro Labão (+- 4.000 a.C.). Se a riqueza de Jacó crescia mais do que a de Labão, para conhecer esse fato, era necessário um controle quantitativo, por mais rudimentar que fosse.

Como a Contabilidade se desenvolveu através dos tempos?

Ao observarmos a cronologia da história universal a partir de nossos conhecimentos, podemos tentar imaginar como foi esta evolução dos tempos em relação à Contabilidade.

A Pré-História vai até, aproximadamente, 3.500 a.C., e a ‘Idade Antiga’ segue avançando até 476 d.C., remontando um período de, aproximadamente, 4000 anos. Período este de muitas guerras, descobrimentos, inventos e conquistas. Com relação à Contabilidade, especificamente, este período e, apresentou uma evolução muito lenta até o aparecimento da moeda:

Na época de troca pura e simples de mercadorias, os negociantes anotavam as obrigações, os direitos e os bens perante terceiros, porém, obviamente, tratava-se de mero elenco de inventário físico, sem avaliação monetária. (IUDÍCIBUS, 1997, p. 30).

Em 476 de nossa era, inicia o que se convencionou chamar de ‘Idade Média’, a qual perdurou até 1453 d.C., aproximadamente. Então, ocorreu intensa migração dos diversos povos, causada, entre outros fatores, pelas guerras. Estas, podemos pensar, expressam a preocupação em acumular propriedades e riquezas, o que é uma constante, tanto para o homem da Antiguidade quanto para o homem contemporâneo.

Unidade 1

19

Universidade do Sul de Santa Catarina

Uma das consequências das Cruzadas (séc. XII – XIII) foi o

As Cruzadas são tradicionalmente definidas como expedições de caráter “militar”, organizadas pela Igreja Católica para combaterem os supostos inimigos do cristianismo e libertarem a Terra Santa (Jerusalém) das mãos daqueles que consideravam ‘infiéis’. O movimento estendeu-se desde os fins do século XI até meados do século XIII. Os que partiam em tais expedições, para serem identificados, usavam como símbolo, uma cruz bordada em suas vestes.

efetivo impulso nas atividades de comércio. Em decorrência, ocorreu o aumento gradual da população e o aumento do poder aquisitivo dessa população. Nesse contexto de desenvolvimento, e à medida que cresciam as posses, aumentava a complexidade das ações. Dessa forma, os homens tiveram que aperfeiçoar seu instrumento de avaliação da situação patrimonial, e isto contribuiu muito para o aprimoramento das técnicas da Contabilidade.

Segundo Silva (1991, p.32), na Itália, no final do séc. XIV, já havia registros de profissionais que operavam como contadores, então chamados de cadernitas.

Com o irromper da Idade Moderna, que costuma ser datada a partir de 1453 d.C, a Contabilidade tomou corpo, impulsionada pelos controles advindos das atividades de comércio e simples controles de alguns comerciantes. Tal impulso se constata com a publicação do livro Summa de Arithmetica, Geométrica, Proportioni Et Proportionalitá, publicado pelo frade franciscano Luca Pacioli, em Veneza (Itália), no ano de 1494, apenas dois anos após a chegada de Colombo à América.

Nesta obra, frei Luca Pacioli escreveu sobre o Método das Partidas Dobradas, que consiste no raciocínio em que se baseiam os lançamentos contábeis numa equação constante entre débito e crédito, ou seja, para cada débito deve haver, como contrapartida, um crédito, ou mais de igual valor, e vice-versa. Usados há um pouco mais de 500 anos, seus comentários sobre a Contabilidade são tão relevantes quanto atuais.

sobre a Contabilidade são tão relevantes quanto atuais. FREI LUCA PACIOLI Escreveu Tratactus de Computis et

FREI LUCA PACIOLI

Escreveu Tratactus de Computis et Scripturis (Contabilidade por Partidas Dobradas), publicado em 1494, enfatizando que a teoria contábil do débito e do crédito corresponde à teoria dos números positivos e negativos.

Contabilidade I

Seção 2 – O desenvolvimento do pensamento contábil

O trabalho elaborado pelo frei Luca Pacioli é um tratado sobre

Contabilidade que permanece, ainda hoje, como de grande utilidade no meio contábil. Marcou o nascimento da Escola Italiana de Contabilidade que, por sua vez, dominou o cenário mundial até o início do século XX.

Outro fator de fundamental importância para o desenvolvimento do pensamento contábil foi a Revolução Industrial, à qual não

se pode atribuir com precisão uma data de início, mas é possível relacioná-la a um período anterior ao final da Idade Moderna, talvez 1789. Segundo Hendriksen e Breda (1999, p.46), referindo-se ao desenvolvimento do pensamento contábil:

] [

tempo na Inglaterra, que permitiu a ocorrência de uma série de boas colheitas, fazendo com que os preços dos alimentos caíssem, e com isso a sociedade desfrutasse de melhor nutrição e saúde. Ao mesmo tempo, o reconhecimento dos fundamentos de higiene pessoal fez com que declinasse a incidência da peste, após quatro séculos de morte. Com isso, elevaram-se a população e a demanda de alimentos. A manufatura desenvolveu-se para atender a demanda e invenções começam a transformar o local de trabalho.

Sua origem talvez tenha sido um período de bom

Efeitos sobre a Contabilidade

Iniciando a Idade Contemporânea em 1789, e juntamente com a Revolução Industrial, surgem, a partir do advento do sistema fabril e da produção em massa, conceitos de ativos fixos e depreciação (conceitos muito importantes para a Contabilidade nos dias atuais) à medida que aumentava a necessidade de informações gerenciais sobre os custos de produção e os custos a serem atribuídos à avaliação dos estoques.

Ainda de acordo com Hendriksen e Breda (1999, p.47):

Unidade 1

21

Universidade do Sul de Santa Catarina

] [

a separação entre investidor e administrador, significou que um dos principais objetivos da Contabilidade passou a ser a elaboração de relatórios a proprietários ausentes. [ ]

A exigência de grandes volumes de capital, demandando

Escola Italiana X Escola Americana

No quadro a seguir, estão resumidas algumas razões para mudança de enfoque da Escola Italiana para a Escola Americana:

ALGUmAS RAzõES DA QUEDA DA ESCOLA EUROPEIA (especificamente a Italiana)

 

ALGUmAS RAzõES DA ASCEnSãO DA ESCOLA nORtE-AmERICAnA

1.

Excessivo culto à personalidade:

1.

Ênfase ao usuário da informação

grandes mestres e pensadores da Contabilidade ganharam tanta notoriedade, que passaram a ser vistos como “oráculos” da verdade contábil.

contábil: a Contabilidade é apresentada como algo útil para

tomada de decisões. Evita-se endeusar demasiadamente a

a

Contabilidade. Atender os usuários

 

é

o grande objetivo.

2.

Ênfase à Contabilidade Teórica:

2.

Ênfase à Contabilidade Aplicada:

as mentes privilegiadas produziam trabalhos excessivamente teóri- cos, apenas pelo gosto da teoria, difundindo-se idéias com pouca aplicação prática.

principalmente a Contabilidade Gerencial. Ao contrário dos eu- ropeus, não havia uma preocupa- ção com a teoria das contas, ou em provar que a Contabilidade é uma ciência.

Quadro 1.1 – Razões da queda da escola europeia e ascensão da escola norte-americana

Tais razões e ênfases de cada escola ocasionaram a queda da Escola Europeia (em especial a Italiana) e proporcionaram a ascensão da Escola Norte-Americana, com repercussão sobre algumas empresas de auditoria que acompanhavam as multinacionais anglo- americanas.

Essas empresas de auditoria, agora influenciadas pela Escola Norte-Americana, difundiram suas práticas através de atividades em vários países do mundo, inclusive no Brasil. Por meio de

Contabilidade I

manuais de procedimentos e treinamentos, formaram profissionais que prepararam as normas contábeis em nível governamental, influenciando, assim, as empresas menores, incluindo legisladores e outros (CARVALHO, 2005. p. 16).

Influência das Escolas Italiana e norte-Americana no Brasil

No Brasil, a primeira escola a ensinar oficialmente a Contabilidade foi a Escola de Comércio Álvares Penteado, em São Paulo (1902), com influência da Escola Italiana de Contabilidade. Os profissionais que se dedicavam à Contabilidade passaram a se chamar, evolutivamente, de guarda-livros, conforme Código Comercial de 1850; de contador, em 1931; e de Bacharel em Ciências Contábeis, após a criação dos cursos superiores de Contabilidade.

Na Lei 2627/40 (Lei das Sociedades por Ações), é possível observar, nitidamente, a influência exercida pela Escola Contábil Européia (Italiana).

Novas escolas de comércio foram sendo instaladas, após a Álvares Penteado, ensinando como registrar as operações econômicas e como analisar balanços.

Outro marco importante foi a criação da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA/USP), onde se instalou o Curso de Ciências Contábeis e Atuariais. Nela, alguns egressos da Escola Álvares Penteado se fizeram presentes.

As empresas multinacionais de origem norte-americana tiveram grande influência na formação e desenvolvimento das práticas contábeis. Tal influência ficou comprovada já a partir da adoção do método didático norte-americano na elaboração do livro contábil introdutório, lançado no início da década de 70 (Equipe de professores da FAE/USP). Da mesma forma, com a consolidação da aprovação da nova Lei das Sociedades por Ações – Lei 6.404/76, que teve sua parte contábil inspirada na doutrina norte-americana.

Na próxima seção, você vai aprender alguns conceitos pertinentes à Contabilidade.

Unidade 1

23

Universidade do Sul de Santa Catarina

Seção 3 – Conceitos e abordagens básicas da Contabilidade

Um conceito aprovado no 1º Congresso Brasileiro de Contabilidade, em setembro de 1924, no Rio de Janeiro, diz que:

Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, controle e registro relativo aos atos e fatos da administração econômica.em setembro de 1924, no Rio de Janeiro, diz que: Ao longo dos tempos, a Contabilidade

Ao longo dos tempos, a Contabilidade como ciência formou, por meio de experimentos de vários escritores e, ainda, da prática, diversos conceitos voltados para um mesmo objetivo – seu principal objetivo, dizendo melhor –, que é o estudo e controle do Patrimônio. Desta forma, Ferrari (2003, p. 02) assinala que:

Contabilidade é, objetivamente, um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análises de natureza econômica, financeira, física e de produtividade, com relação à entidade objeto de contabilização (Pronunciamento do IBRACON aprovado pela CVM).

O IBRACOn (Instituto dos

auditores independentes do Brasil) é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, cujos principais objetivos são os de fixar princípios de contabilidade e elaborar normas e procedimentos relacionados com auditoria interna e externa.

A CVm (Comissão de

Valores Mobiliários) é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Fazenda, cujo objetivo é o de fi scalizar o mercado de capitais no Brasil.

Assim:

Contabilidade é a ciência que tem por objeto o patrimônio das entidades e por objetivo o controle desse patrimônio, com a finalidade de fornecer informações a seus usuários.

Você sabe o que é uma Pessoa Física e uma Pessoa Jurídica? Sabe definir em que momento elas nascem? Pessoa Física e uma Pessoa Jurídica? Sabe definir em que momento elas nascem?

Pessoa Física (ou Pessoa Natural) – É qualquer ser humano considerado individualmente, sujeito a direitos e obrigações. O nascimento da Pessoa Física dá-se:

„ de fato: por meio do parto com vida;

Contabilidade I

„ de direito: por meio de registro no Cartório Civil de Pessoas Físicas.

Pessoa Jurídica – É toda entidade resultante de uma organização humana, com vida e patrimônio próprios, a qual, de forma semelhante às pessoas físicas, está sujeita a direitos e obrigações. O nascimento da Pessoa Jurídica dá-se:

„ de fato: por meio dos atos praticados;

„ de direito: no caso das empresas comerciais ou industriais, por meio do registro na Junta Comercial do Estado. No caso de empresas prestadoras de serviços (empresas civis), por meio do registro no Cartório Civil de Pessoas Jurídicas.

Seção 4 – O campo de aplicação da Contabilidade e seus usuários

Como você pôde observar até aqui, a Contabilidade é uma ciência tão antiga quanto a humanidade e surgiu diante da necessidade de se controlar o patrimônio que os homens passavam a acumular. As características da Contabilidade, como, por exemplo, ferramenta de contar, inventariar e demonstrar por meio de aspectos quantitativos estão presentes em, praticamente, todos os tipos de atividades privadas existentes: no comércio, na indústria e na prestação de serviços. Também no meio público, em suas diversas esferas de governos: Municipal, Estadual e Federal.

Unidade 1

25

Universidade do Sul de Santa Catarina

O campo de aplicação da Contabilidade

Diante das informações sobre o campo de aplicação da Contabilidade, Ferrari (2003, p. 03) nos diz que:

O campo de aplicação da Contabilidade se estende a

todas as entidades que possuam patrimônio, sejam físicas

ou jurídicas, de fins lucrativos, ou não. Tais entidades

são unidades econômico-administrativas, cujos objetivos

podem ser sociais e/ou econômicos.

Uma entidade econômico-administrativa também pode ser chamada de AZIENDA, palavra de origem italiana que, em português, é equivalente a “FAZENDA”, mas tem o sentido etimológico de “coisa a fazer”. Daí, por exemplo, é que o termo “azienda pública” é equivalente ao termo “fazenda pública”.

Também se deve destacar que a Contabilidade aplica-se às Pessoas Jurídicas, ou seja, entidades jurídicas com ou sem fins lucrativos, e às Pessoas Físicas.

Os usuários da Contabilidade

Os usuários da Contabilidade são todas as Pessoas Jurídicas ou Físicas interessadas na informação patrimonial e econômica da entidade, como também na avaliação da capacidade produtiva da entidade. Padoveze (2004, p. 72) define:

Por ser um sistema de informação, a Contabilidade tende a ter inúmeros usuários das informações geradas pelo sistema. O primeiro usuário sempre será o dono ou os donos da empresa, ou seja, os indivíduos que detêm a posse de seu Capital Social. Logo a seguir podemos dizer que há o governo, já que as entidades jurídicas existem por sua libertação; é, portanto, o outro grande usuário do sistema de informação contábil. Os empregados, os

fornecedores, os clientes, os bancos, a comunidade social onde a empresa está inserida etc. são outros exemplos de usuários de informação contábil, através de seus relatórios principais, o Balanço Patrimonial e a Demonstração

de Resultados. Para atender à demanda variada de seus

diversos usuários, o contador provavelmente terá de

Contabilidade I

elaborar outros relatórios contábeis a partir de seu sistema de informação, montado através do registro dos fatos administrativos. Um bom plano de contas dará condições totais para isso.

Um bom plano de contas dará condições totais para isso. Você sabe qual é o símbolo

Você sabe qual é o símbolo da profissão contábil e qual o seu significado?

o símbolo da profissão contábil e qual o seu significado? Caduceu Mercúrio era um deus da

Caduceu

Mercúrio era um deus da mitologia romana, que

tinha sobre seu protetorado várias coisas, dentre elas,

o comércio. Era filho do deus Júpiter (o maior), e o

mensageiro de todos os deuses, em razão de sua grande agilidade (simbolizada pelas duas asas que ladeiam seu capacete) e por dispor da confiança da máxima divindade.

O caduceu era um bastão de ouro que Mercúrio recebera

em troca de instrumentos musicais que inventara (a lira e a flauta) e que haviam maravilhado a Apolo (que detinha poderes e conhecimentos mágicos e era o titular do caduceu). Não só Mercúrio trocou os objetos como exigiu de Apolo que lhe repassasse segredos de magia, notadamente, da adivinhação.

O caduceu passou a ser símbolo dos atributos de

Mercúrio, e este, de tal forma aprofundou-se na adivinhação, que passou a conhecer a sorte de outros seres pelo jogo de pedras (semelhante ao de búzios). Mais tarde, usando o capacete de Hades, Mercúrio

tornava-se invisível, e, assim, prestou grandes serviços a outros deuses, entre outras coisas, derrotando e matando

o temível gigante Hipólito. Tais vitórias transformaram

Unidade 1

27

Universidade do Sul de Santa Catarina

o habilidoso Mercúrio no principal intérprete da vontade divina. Por esta razão ele era, também, o mais ocupado

de todos os deuses da mitologia.

Muitas outras atribuições e protetorados a mitologia confere a Mercúrio. Ao tomar o caduceu como seu símbolo, ele também se tornou o símbolo de tudo o que protegia, inclusive o comércio. Como a Contabilidade Comercial foi a ciência mais importante durante milênios, é justificável a adoção de Mercúrio como patrono da Contabilidade. A própria literatura contábil atesta essa predominância - a primeira obra impressa de

Contabilidade industrial surgiu no início do século XVII

- e os locais onde se ensinava a Contabilidade eram denominados “Escolas de Comércio”.

Mercúrio era tido como o deus inventor da Escrita Contábil. Tal é a plenitude de nossa ação, pois o caduceu que estilizamos absorve não só o bastão de ouro, mas, também, o capacete e as asas, ou seja, tudo o que Mercúrio utilizava para proteger os empreendimentos.

O caduceu nos sugere a responsabilidade de ampla

proteção ao patrimônio dos empreendimentos, de modo

a ensejar a eficácia das células sociais, e, pela soma delas,

a felicidade das sociedades humanas.

Essa condição, somada ao respeito às leis, completa a simbologia das laterais de nosso anel profissional, de alta relevância e características do dever profissional.

Fonte: Extraído do site: http://www.donew.com.br/Origem%20do%20caduceu.htm

Contabilidade I

Seção 5 – A função da Contabilidade e do Contador

Nesta seção, você irá estudar a função da Contabilidade e do Contador. Acompanhe.

A função da Contabilidade

A Contabilidade tem a função administrativa de controlar o

patrimônio da entidade, conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade, Pessoa Jurídica ou Pessoa Física, tanto sob o aspecto estático quanto o dinâmico. E a função econômica de apurar o resultado (rédito), isto é, apurar o lucro ou o prejuízo de

uma entidade, de Pessoa Jurídica ou de Pessoa Física.

Rédito é o lucro, o ganho,os resultados, as sobras.

Em termos práticos controlar o patrimônio sob o aspecto estático significa controlar sua posição em dado momento (fazer o balanço). Controlar sob o aspecto dinâmico significa controlar suas mutações qualitativas e quantitativas. (FERRARI, 2003, p. 04).

A função do Contador

A função do contador, de acordo com Marion (2003, p. 25) é:

] [

produzir informações úteis aos usuários da

Contabilidade para a tomada de decisões. Ressaltemos, entretanto, que, em nosso país, em alguns segmentos de nossa economia, principalmente na pequena empresa, a função do contador foi distorcida (infelizmente), estando voltada exclusivamente para satisfazer às exigências do fisco.

Unidade 1

29

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Figura 1.1 Áreas de atuação do contador Fonte : Marion

Figura 1.1 Áreas de atuação do contador Fonte: Marion (2003, p. 25).

Seção 6 – As técnicas contábeis

Técnicas Contábeis são o conjunto de procedimentos utilizados pela Contabilidade para registrar, levantar os fatos contábeis, apresentar e verificar as informações.

As principais técnicas contábeis são: escrituração, demonstrações contábeis ou financeiras, análise das demonstrações contábeis ou financeiras e auditoria.

„ Escrituração – É a técnica contábil utilizada para registro de todos os fatos administrativos (contábeis) ocorridos na entidade, ou seja, fatos que afetam o patrimônio da entidade. O registro de cada fato administrativo chama-se lançamento. Os lançamentos são efetuados em forma de registros em livros próprios tais como Livro Diário, Livro Razão etc. Assim, escrituração pode ser definida como um conjunto de lançamentos.

Contabilidade I

„ Demonstrações Contábeis ou Financeiras (ou Demonstrações Financeiras) – Constituem quadros técnicos que evidenciam a situação patrimonial, financeira ou econômica da entidade.

patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo
patrimonial, financeira ou econômica da entidade. Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo

Figura 1.2 – Técnicas contábeis Fonte: elaborado pelo autor.

De acordo com o artigo 176, da Lei 11.638/07, ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras:

- Balanço Patrimonial (BP);

- Demonstração do Resultado do Exercício (DRE);

Unidade 1

31

Universidade do Sul de Santa Catarina

- Demonstração dos Lucros e Prejuízos Acumulados (DLPA);

- Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC);

- Demonstração do Valor Adicionado (DVA).

Além destas demonstrações, as companhias abertas (sociedades anônimas cujas ações são negociadas na bolsa de valores) são obrigadas a elaborar a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL), a qual dispensará a elaboração isolada da DLPA, devido ao fato de que as informações da DLPA estão incluídas na DMPL.

Juntamente com as demonstrações, as companhias devem complementá-las com NOTAS EXPLICATIVAS, as quais têm por objeto esclarecer alguns detalhes não explicados nas demonstrações (FERRARI, 2003, p. 05).

„ Análise das Demonstrações Contábeis ou Financeiras

A Análise das Demonstrações Contábeis ou Financeiras

inicia onde a Contabilidade termina, visa ao estudo da situação econômica e financeira da entidade, bem como do seu desempenho operacional, por meio da decomposição e comparação das demonstrações contábeis. Objetiva a interpretação individual e conjunta de índices e quocientes calculados a partir de itens extraídos dessas demonstrações.

„ Auditoria – Visa à verificação da fidelidade das

informações contábeis, detectando erros ou fraudes

e, por fim, emitindo um parecer ou relatório sobre as

informações fornecidas pelo sistema contábil e controles internos da entidade auditada.

Todo Contador precisa saber desenvolver as Técnicas Contábeis apresentadas nesta seção e desenvolvê-las muito bem, pois é por meio delas que a Contabilidade demonstra suas aplicações, cumpre seus objetivos e finalidade. Durante o curso, no correr das disciplinas, você observará o detalhamento progressivo de cada técnica contábil apresentada.

Contabilidade I

Contabilidade I Dica importante! Para que uma informação seja útil, deve ser precisa, atual, causar efeito

Dica importante!

Para que uma informação seja útil, deve ser precisa, atual, causar efeito e ser apresentada de forma clara!

atual, causar efeito e ser apresentada de forma clara! É o que esperamos da Contabilidade Síntese

É o que esperamos da Contabilidade

Síntese

Nesta unidade, apresentada em 6 seções, você estudou a origem e evolução do pensamento contábil, conceitos e abordagens básicas da Contabilidade, seu campo de aplicação e seus usuários, a função da Contabilidade e a função do Contador, bem como as técnicas de Contabilidade.

Assim, você obteve conhecimentos básicos sobre Contabilidade, o que será fundamental para o entendimento das outras unidades desta disciplina.

É indicado que você resolva as atividades de autoavaliação, as

atividades de avaliação a distância e participe do fórum, para

que fixe os assuntos ora estudados e possa observar como eles têm efetiva importância no desenvolvimento da disciplina Contabilidade I.

Unidade 1

33

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Atividades de auto-avaliação Você terá, ao final de cada unidade,

Atividades de auto-avaliação

Você terá, ao final de cada unidade, atividades de autoavaliação, cujo objetivo é ajudá-lo a desenvolver o seu aprendizado. Primeiro realize leitura com bastante atenção e crie o hábito de ler também as unidades online no ambiente virtual de aprendizagem, participe das atividades e dinâmicas sugeridas pelo professor e, só após realizar suas atividades relacionadas, verifique as respostas e comentários do professor, presentes ao final deste livro.

Acompanhe com atenção os enunciados e responda:

1) Sabemos que a Contabilidade é muito antiga e tem acompanhado o desenvolvimento da humanidade. Descreva quais foram os períodos da história e em especial o período em que a Contabilidade tomou corpo.

2) Destaque os elementos que caracterizam a obra que versa sobre o Método das Partidas Dobradas, do Frei Luca Pacioli, e discorra sobre a importância destes para a Contabilidade.

Contabilidade I

3) Diante do desenvolvimento do pensamento contábil, a Revolução Industrial trouxe relevantes contribuições para a Contabilidade, descreva quais foram.

4) Foi apresentado, nesta unidade, um conceito definidor da Contabilidade aprovado no 1º Congresso Brasileiro de Contabilidade, em setembro de 1924, no Rio de Janeiro. Elabore, com suas palavras, um conceito que defina ‘Contabilidade’, sintetizando seu entendimento a respeito.

Unidade 1

35

Universidade do Sul de Santa Catarina

5. Qual é o campo de aplicação da Contabilidade?

6. Quem são os usuários da Contabilidade?

7. Qual a função da Contabilidade?

Contabilidade I

Contabilidade I 8. Qual a função do Contador? 9. Assinale a alternativa correta quanto às técnicas

8. Qual a função do Contador?

9. Assinale a alternativa correta quanto às técnicas de Contabilidade:

a. (

Contábeis, Audição Contábil.

b. (

Contábeis, Aritmética.

c. (

Contábeis, Auditoria.

) Escrituração, Demonstrações Contábeis, Análise das Demonstrações

) Escrituração, Demonstrações Contábeis, Análise das Demonstrações

) Escrituração, Demonstrações Contábeis, Análise das Demonstrações

Saiba mais

Você poderá aprofundar seus conhecimentos consultando os seguintes livros sobre Contabilidade introdutória ou básica:

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Curso básico de contabilidade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

CREPALDI, Silvio Aparecido. Curso básico de contabilidade. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

IUDÍCIBUS, Sérgio de et al. Contabilidade introdutória. 9. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

Unidade 1

37

UNIDADE 2

Fundamentos básicos da Contabilidade

UNIDADE 2 Fundamentos básicos da Contabilidade Objetivos de aprendizagem „ Aprender conceitos e abordagens básicas da

Objetivos de aprendizagem

„ Aprender conceitos e abordagens básicas da Contabilidade.

„ Saber como é a formação do patrimônio.

„ Compreender representação gráfica do patrimônio.

„ Aprender a fazer a equação do equilíbrio patrimonial.

Seções de estudo

Seção 1

Conceitos, objetivos, objeto e finalidade da

Seção 2

Contabilidade Formação do patrimônio ativo, passivo e

Seção 3

patrimônio líquido Composição patrimonial

Seção 4

Representação gráfica do patrimônio

Seção 5

O que é patrimônio líquido

Seção 6

Equação do equilíbrio patrimonial

2

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Nesta unidade de estudo, você deverá

Para início de estudo

Nesta unidade de estudo, você deverá aprender os conceitos, objetivos, objeto e finalidade da Contabilidade. Você irá compreender como é a formação do patrimônio e saber qual o significado de ativo, passivo e patrimônio líquido.

Assim, a partir desta unidade e destes conceitos, você irá compreender a Equação do Equilíbrio Patrimonial e aprender como funciona o mecanismo do Método das Partidas Dobradas.

Bons estudos!

Seção 1 – Conceitos, objetivos, objeto e finalidade da Contabilidade

Conforme você estudou na Unidade 1, a Contabilidade teve origem na necessidade que o homem experimentou de controlar seu patrimônio e mensurar suas riquezas materiais. Referindo-se a essas necessidades, pode-se definir a Contabilidade como uma ciência social cujo objeto de estudo específico é a riqueza das sociedades humanas. De acordo com Marion (2003, p. 26):

A Contabilidade é uma ciência social, pois estuda o comportamento das riquezas que se integram no patrimônio, em face das ações humanas (portanto, a Contabilidade ocupa-se de fatos humanos).

Ainda que a Contabilidade se utilize de métodos quantitativos, não podemos confundi-la com as ciências matemáticas (ou exatas), que têm por objetivo as quantidades consideradas abstratas que independem das ações humanas. Na Contabilidade, as quantidades são simples medidas dos fatos que ocorrem em razão da ação do homem.

Contabilidade I

O

objetivo da Contabilidade

O objetivo da Contabilidade é o controle de um Patrimônio. O controle é feito por meio de coleta, armazenamento e processamento das informações oriundas dos fatos que alteram essa massa patrimonial. (PADOVEZE, 2004, p. 29).

O

objeto da Contabilidade

O objeto da Contabilidade é o patrimônio da entidade, a matéria.

A finalidade da Contabilidade

A finalidade da Contabilidade é fornecer informações aos seus

usuários internos e externos.

informações aos seus usuários internos e externos. Figura 2.1 - Contabilidade: objetivo, objeto e finalidade.
informações aos seus usuários internos e externos. Figura 2.1 - Contabilidade: objetivo, objeto e finalidade.
informações aos seus usuários internos e externos. Figura 2.1 - Contabilidade: objetivo, objeto e finalidade.
informações aos seus usuários internos e externos. Figura 2.1 - Contabilidade: objetivo, objeto e finalidade.

Figura 2.1 - Contabilidade: objetivo, objeto e finalidade. Fonte: Ferrari (2003, p.02), Contabilidade Geral.

Fonte: Ferrari (2003, p.02), Contabilidade Geral. Nota: “ FINALIDADE ” é o mesmo que “ OBJETIVO
Fonte: Ferrari (2003, p.02), Contabilidade Geral. Nota: “ FINALIDADE ” é o mesmo que “ OBJETIVO

Nota: “FINALIDADE” é o mesmo que “OBJETIVO FINAL” (ou OBJETIVO PRINCIPAL)

Veja os detalhamentos a seguir.

Unidade 2

41

Universidade do Sul de Santa Catarina

Seção 2 – Formação do patrimônio, ativo, passivo e patrimônio líquido

O patrimônio é formado pelos bens, direitos e obrigações de uma

entidade. Mais detalhadamente:

O Que é Patrimônio?

Patrimônio é o conjunto de bens, direitos e obrigações vinculados a uma pessoa física ou jurídica.

Os bens e direitos constituem sua parte positiva. Trata-se do ATIVO. As obrigações (dívidas com terceiros) são a parte a qual se

chama PASSIVO.

Bens

Como Bens, entende-se tudo o que pode ser avaliado economicamente ou quantificado monetariamente e que satisfaça

as necessidades humanas.

monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),
monetariamente e que satisfaça as necessidades humanas. Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36),

Figura 2.2 - Patrimônio. Fonte: Ferrari (2003, p. 36), Contabilidade Geral.

Contabilidade I

Os Bens podem ser classificados em:

„ bens numerários;

„ bens de venda;

„ bens de uso;

„ bens de renda.

 

- Caixa

 

Bens Numerários (ou Disponibilidades)

„

- Bancos Conta Movimento

- Aplicações de Liquidez Imediata

 

- Numerários em Trânsito

 

- Mercadorias

Empresa comercial

- Matérias-Prima

 

Bens de Venda (Estoques)

„

- Produtos em Fabricação

- Produtos Prontos

Empresa industrial

 

- Imóveis

 

- Terrenos

- Móveis e Utensílios

- Veículos

Bens Tangíveis

- Máquinas e equipamentos

(Bens Materiais)

Bens de Uso (Ativo Imobilizado)

„

- Computadores e terminais

- Instalações

 

- Marcas e Patentes

Bens Intangíveis

- Fundo de Comércio

(Bens Imateriais)

- Luvas - Concessões Obtidas

 

- Etc.

Bens de Renda (Ativos Investimentos)

„

- Imóveis para Aluguel

Terrenos (não utilizados pela empresa)

-

 

-

Obras de Arte etc.

Quadro 2.1 – Classificação dos bens. Fonte: elaborado pelo autor.

– Classificação dos bens. Fonte: elaborado pelo autor. Para a Contabilidade, os valores a receber são

Para a Contabilidade, os valores a receber são denominados direitos a receber ou, simplesmente, direitos.

Unidade 2

43

Universidade do Sul de Santa Catarina

Direitos

São todos os valores a serem recebidos ou o mesmo que créditos (haveres) de terceiros, por venda a prazo ou valores de nossa propriedade que se encontram em posse de terceiros.

Direitos (Créditos ou haveres de terceiros)

de terceiros. Direitos (Créditos ou haveres de terceiros) Obrigações São todas as dívidas ou débitos

Obrigações

São todas as dívidas ou débitos (compromisso de qualquer espécie ou natureza assumida) perante terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em nossa posse (uso).

Obrigações (débitos ou compromissos)

nossa posse ( uso ). Obrigações (débitos ou compromissos) Fonte: Ferrari (2003, p. 36 - 43),

Fonte: Ferrari (2003, p. 36 - 43), Contabilidade Geral.

Contabilidade I

Seção 3 – Composição patrimonial

O Patrimônio é dividido em três partes: o Ativo (A), o Passivo

(P) e o Patrimônio Líquido (PL).

„ PARTE – Ativo (A) é a parte positiva, composta de bens e direitos, também denominada de Patrimônio Bruto.

Você estudará o que é patrimônio líquido ainda nesta unidade, na seção 5.

„ PARTE – Passivo (P) é a parte negativa, composta das obrigações com terceiros, também denominada de Passivo Exigível (PE).

„ PARTE – Patrimônio Líquido (PL) é a parte diferencial (diferença) entre o Ativo e o Passivo. De acordo com Neves e Viceconti (2004, p. 6), Patrimônio Líquido representa as obrigações da entidade para com os sócios ou acionistas (proprietários) e indica a diferença entre o valor dos bens e direitos (Ativo) e o valor das obrigações com terceiros (Passivo exigível).

Seção 4 – Representação gráfica do patrimônio

O patrimônio é representado, segundo Ribeiro (2002, p.40), por

um gráfico em forma de T.

O lado esquerdo é

O lado direito é

denominado de Ativo, que são os bens e os direitos (elementos positivos).

denominado de Passivo, que são as obrigações (elementos negativos).

Outras nomenclaturas utilizadas são: conta T ou Razonetes.

Segundo Carvalho (2005, p. 58), “o gráfico em T também é

utilizado para representar a situação patrimonial de uma empresa

e, nesta situação, é denominado de Balanço patrimonial ”.

Unidade 2

45

Universidade do Sul de Santa Catarina

Balanço lembra balança de dois pratos.

Para refletir uma situação normal, os dois pratos da balança precisam estar em equilíbrio. Como ocorre com a balança, o balanço também precisa estar em equilíbrio.

Para que o balanço patrimonial reflita adequadamente a situação financeira da entidade, o total do lado do Ativo deverá ser igual ao total do lado do Passivo.

Na Prática, entretanto, nem sempre a soma de Bens e Direitos é igual à soma das Obrigações . Bens e Direitos é igual à soma das Obrigações.

Assim, a diferença entre o Ativo (bens e direitos) e o Passivo (obrigações), que se denomina situação líquida, será colocada no gráfico sempre no lado do Passivo, como se fosse um peso no prato da balança, para manter o equilíbrio entre os dois lados, denominado Patrimônio Líquido.

Desta forma, de acordo com Ribeiro (1996, p. 47), “o patrimônio da empresa é representado pelo balanço patrimonial em um gráfico de dois lados”.

Ambos os lados possuem o mesmo total, porém o valor do patrimônio não é igual à soma dos dois lados encontrados do balanço patrimonial.

Representação gráfica do patrimônio à soma dos dois lados encontrados do balanço patrimonial. Tabela 2.1 - Balanço Patrimonial (BP) ATIVO

Tabela 2.1 - Balanço Patrimonial (BP)

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Estoque de mercadorias Móveis Veículos Direitos Duplicatas a receber

 

Exigível

500,00

Fornecedores

350,00

200,00

 

100,00

300,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

50,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital

800,00

Total

1.150,00

Total

1.150,00

Contabilidade I

OBS.: O Exigível são as obrigações com terceiros e o Patrimônio Líquido são as diferenças entre o Ativo e o Passivo e também são obrigações, mas obrigações próprias com os proprietários, sócios ou acionistas.

Seção 5 – O que é patrimônio líquido?

O Patrimônio Líquido é o resultado da diferença do Ativo (+), representado pelos bens e direitos (elementos patrimoniais positivos), diminuída do Passivo (-), representado pelas obrigações (elementos patrimoniais negativos). Assim, afirma Padoveze (2004, p. 31):

Numa etapa seguinte, resolveu-se atribuir sinais aritméticos aos itens patrimoniais. Aos itens positivos o sinal (+) e aos itens negativos o sinal (-). Com isso, foi possível criar uma equação de igualdade, ao mesmo tempo em que se criou um quarto elemento contábil, obtido por diferença, que é o Patrimônio Líquido (

) (

valor, dos elementos patrimoniais. Daí seus diversos nomes, com Sobra Patrimonial, Patrimônio Residual, Riqueza Líquida, Capital Próprio, Sobra Efetiva, Riqueza Efetiva, etc.

Patrimônio Líquido significa a sobra, o resíduo, em

Com a criação da figura do Patrimônio Líquido, ao lado da colocação dos sinais aritméticos nos elementos patrimoniais, pudemos criar a seguinte equação, que é chamada de equação fundamental da Contabilidade.

PL = B + D – O Patrimônio Líquido = Bens + Direitos – Obrigações

Tudo na Contabilidade gira em torno dessa equação, que deu origem ao moderno conceito de Contabilidade e das partidas dobradas, que você verá na sequência.

Unidade 2

47

Universidade do Sul de Santa Catarina

Elementos que compõem o patrimônio líquido

„ Capital – na fase de constituição de uma empresa, o capital representa a soma dos valores que os proprietários investiram, tornando-se assim a principal fonte do grupo do Patrimônio Líquido.

„ Lucros ou prejuízos acumulados – no final de cada exercício, a empresa poderá ter lucro ou prejuízo. O lucro tem vários destinos: Impostos de Renda, distribuições aos sócios, formação de reservas, etc. A parte do lucro que não é distribuída fica retida para futuras aplicações, chamando-se assim de lucros acumulados. Quando ocorre o prejuízo, este é dividido entre os sócios ou “permanece no patrimônio, com o título de prejuízos acumulados”;

„ Reservas – é a parte dos lucros retida para determinados fins, como, por exemplo, a Reserva Legal, que pode ser utilizada para aumentar o capital da empresa.

Desta forma, de acordo com Marion (1998, p.35),

Patrimônio Líquido é parte do patrimônio que efetivamente sobra para seu proprietário após somar bens e direitos e subtrair do total as obrigações. Situação Líquida; Riqueza Líquida; Medida de Riqueza da Empresa.

Seção 6 – Equação do equilíbrio patrimonial

Depois de encontrada a equação fundamental da Contabilidade (PL = B + D – O), transformaram-na, colocando em cada lado da equação de igualdade os valores positivos, sem misturá-los com os valores negativos. Assim, passou-se o PL para o lado direito, montando o que foi denominado equação de equilíbrio patrimonial. Ficou assim:

Contabilidade I

B + D = O + PL Bens + Direitos = Obrigações + Patrimônio Líquido

O + PL Bens + Direitos = Obrigações + Patrimônio Líquido Dado Importante! Para se poder

Dado Importante!

Para se poder definir o ganho ou prejuízo de uma empresa, precisa-se ter controles e, a partir dos registros, fazer a equação do equilíbrio contábil! Desta forma, se poderá definir o Lucro ou Prejuízo.

Desta forma, se poderá definir o Lucro ou Prejuízo. Síntese A unidade 2 foi elaborada em

Síntese

A unidade 2 foi elaborada em 6 seções em que foram apresentados os objetivos, objeto e finalidade da Contabilidade, a formação do patrimônio, bens, direitos e obrigações. Você estudou como é a composição do Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido, além da equação do equilíbrio contábil.

Ainda: é de suma importância que você resolva as atividades de autoavaliação e participe do fórum, para que fixe os assuntos ora estudados e possa confirmar como eles são indispensáveis à disciplina de Contabilidade I.

Unidade 2

49

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Atividades de auto-avaliação Acompanhe com atenção os enunciados e responda:

Atividades de auto-avaliação

Acompanhe com atenção os enunciados e responda:

1) Assinale a alternativa correta. Qual o objeto da Contabilidade:

a. ) O BP – Balanço Patrimonial.

b. ) A escrituração contábil das organizações.

c. ) A gestão estratégica das organizações.

d. ) O patrimônio.

(

(

(

(

2) Qual é o objetivo da Contabilidade?

3) O que é Patrimônio?

Contabilidade I

3.1) Defina o que são bens e como podem ser classificados.

3.2) Defina o que são direitos.

3.3) Defina o que são obrigações.

Unidade 2

51

Universidade do Sul de Santa Catarina

4) Quantas e quais são as partes que compõem o Patrimônio?

5) Com relação à representação gráfica do Patrimônio, relacione a 1ª coluna com a 2ª coluna:

1ª Coluna

(

1 ) Lado Direito

(

2 ) Lado Esquerdo

2ª Coluna

(

) Elementos positivos, Ativo, e são os bens mais os direitos.

(

) Elementos negativos, Passivo, e são as obrigações.

6) Sabendo que nossos bens somam R$ 300,00, nossos direitos R$ 450,00 e que nossas obrigações totalizam R$ 350,00, calcule o valor do Patrimônio Líquido e preencha o Balanço Patrimonial abaixo:

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens

Exigível

Fornecedores

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Direitos

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital

Total

Total

Contabilidade I

7) Defina o que é Patrimônio Líquido.

8) Quais são os elementos que compõem o Patrimônio Líquido?

9) A partir da equação fundamental de Contabilidade que é o PL = B + D – O (onde PL é Patrimônio Líquido, B é Bens, D são Direitos e O são as obrigações), elabore a equação do equilíbrio contábil.

Unidade 2

53

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Saiba mais Você poderá estudar mais e aprofundar seus conhecimentos

Saiba mais

Você poderá estudar mais e aprofundar seus conhecimentos sobre os fundamentos básicos de Contabilidade.

Habitue-se a consultar os livros constantes da bibliografia relacionada ao final deste livro. Quase todos tratam destes conceitos e fundamentos básicos sobre Contabilidade, necessários para qualquer estudante da disciplina.

ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Curso básico de contabilidade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

CREPALDI, Silvio Aparecido. Curso básico de contabilidade. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

IUDÍCIBUS, Sérgio de et al. Contabilidade introdutória. 9. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

UNIDADE 3

Atos Administrativos e Fatos Contábeis

UNIDADE 3 Atos Administrativos e Fatos Contábeis Objetivos de aprendizagem „ Conhecer o que são atos

Objetivos de aprendizagem

„ Conhecer o que são atos administrativos e fatos contábeis.

„ Conhecer o conceito básico de fatos contábeis.

„ Identificar como são classificados os fatos contábeis.

Seções de estudo

Seção 1

Atos administrativos

Seção 2

Fatos contábeis

Seção 3

Classificação dos fatos contábeis

3

Universidade do Sul de Santa Catarina

Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Nesta unidade, você vai continuar avançando

Para início de estudo

Nesta unidade, você vai continuar avançando em seus estudos acerca do pensamento contábil. Antes, você irá estudar o conceito dos fatos contábeis e como estes se classificam.

Caso se apresente alguma dúvida, não deixe de pontuar e de esclarecê-la com o professor da disciplina. Inicie agora a leitura e bons estudos!

Seção 1 – Atos administrativos

Atos administrativos são acontecimentos que não provocam alterações nos elementos do Patrimônio ou do Resultado. Assim, percebemos que estes acontecimentos não afetam a Contabilidade, pelo menos, na hora em que são realizados.

a Contabilidade, pelo menos, na hora em que são realizados. Fique por dentro! Atos administrativos são

Fique por dentro!

Atos administrativos são as ações necessárias à atividade da empresa e que não afetam as contas do Patrimônio ou as Contas de Resultado.

Segundo Ferrari (2003, p. 214):

Os acontecimentos numa empresa podem ou não alterar o seu patrimônio. Aos acontecimentos que não alteram o patrimônio, chamamos de ATOS ADMINISTRATIVOS.

Pode-se também afirmar que são os atos praticados pelos administradores ou donos das empresas de seus atos administrativos.

Contabilidade I

Contabilidade I

Contabilidade I Contabilidade I  Digitar ou datilografar cartas e orçamentos.  Atender a telefonemas. 

Digitar ou datilografar cartas e orçamentos.

Atender a telefonemas.

Enviar duplicatas a receber ao banco para cobrança simples.

Demitir funcionários.

Para você poder compreender melhor o conceito referente aos Atos Administrativos, é preciso antecipar os conceitos de Contas Patrimoniais e Contas de Resultado.

os conceitos de Contas Patrimoniais e Contas de Resultado. Fique por dentro  Contas Patrimoniais –

Fique por dentro

Contas Patrimoniais – Representam a situação estática, ou seja, o patrimônio: bens, direitos, obrigações com terceiros (Passivo Exigível – PE) e o Patrimônio Líquido (PL);

Contas de Resultado – Representam a situação dinâmica, ou seja, as contas que alteram o Patrimônio Líquido (PL): receitas e despesas.

Seção 2 – Fatos contábeis

Os fatos contábeis também podem ser chamados de fatos administrativos, pois são aqueles que provocam alterações qualitativas e/ou quantitativas nos elementos do Patrimônio ou do Resultado das empresas, portanto, interessam à Contabilidade.

Unidade 3

57

Universidade do Sul de Santa Catarina

Segundo Palhares e Rodrigues (1992, p. 35) “são todas as ações que uma empresa realiza e que interferem no seu patrimônio”.

Ribeiro (2002, p. 77) assim define os fatos administrativos e contábeis:

Os fatos administrativos ou fatos contábeis provocam modificações no patrimônio, sendo objeto de contabilização através das contas de resultado ou das contas patrimoniais. Eles podem ou não alterar o Patrimônio Líquido (Situação Líquida):

não alterar o Patrimônio Líquido (Situação Líquida):  pagamento de salários a funcionários e prestação

pagamento de salários a funcionários e prestação serviços de terceiros;

pagamento de seguro contra incêndio;

ocorrência de incêndios;

venda ou compra de equipamento ou máquina da empresa;

recebimento de duplicatas através de cobrança bancária simples.

Portanto, todos os eventos que modificam o patrimônio, com a autorização ou não da gerência ou dos donos da empresa, são chamados de fatos contábeis ou fatos administrativos, e são objeto de registro pela Contabilidade em razão do objeto da Contabilidade ser o patrimônio.

em razão do objeto da Contabilidade ser o patrimônio. Muito importante Qual a diferença entre ato

Muito importante

Qual a diferença entre ato e fato administrativo?

Atender a um telefone ou receber uma visita na empresa, ligar um computador, enviar um e-mail ou uma carta pelo correio são exemplos de atos administrativos. Comprar mercadorias ou equipamentos para a empresa, efetuar depósito no banco na conta corrente da empresa, pagar ou receber contas ou alugueis são exemplos de fatos contábeis ou fatos administrativos.

Contabilidade I

Na gestão, por meio da administração do patrimônio de uma empresa, ocorrem atos e fatos administrativos. Assim, percebemos que a diferença do ato para o fato administrativo é que o ato administrativo não altera a substância, forma e valor do patrimônio (como admitir empregados, assinar

documentos etc.); já os fatos administrativos alteram

a substância, forma e valor do patrimônio.

Fique atento e não confunda fato contábil ou administrativo com atos administrativos, que são procedimentos da empresa os quais não provocam qualquer variação patrimonial.

os quais não provocam qualquer variação patrimonial. „ Uma empresa compra um veículo no valor de

„ Uma empresa compra um veículo no valor de R$ 45.000,00 e paga à vista.

Trata-se de um fato contábil, porque o veículo é um bem que passa a fazer parte do patrimônio e, para pagá-lo, utilizou-se o dinheiro que se possuía no caixa.

Ocorrem, portanto, duas variações no patrimônio:

entrou um bem (veículo) no valor de R$ 45.000,00 e saiu um bem (dinheiro) no valor de R$ 45.000,00.

„ Correr para um compromisso ou reunião, fazer orçamento, enviar correspondências, pedidos de mercadorias.

Todas estas ações não caracterizam um fato contábil, mesmo que sejam efetuadas com a intenção de comprar, como no caso de um pedido de mercadorias.

Deste modo, você pôde perceber que os fatos contábeis ou fatos administrativos provocam variações no Patrimônio de uma empresa.

provocam variações no Patrimônio de uma empresa. A Contabilidade considera apenas as operações que são

A Contabilidade considera apenas as operações que

são concretizadas e interferem no Patrimônio.

Unidade 3

59

Universidade do Sul de Santa Catarina

O registro desses fatos em contas permite que eles cumpram sua

principal finalidade: evidenciar o Patrimônio e as alterações que

este sofre.

Os fatos contábeis provocam variações no Patrimônio das

empresas e, para você compreender melhor esta dinâmica, é importante conhecer como são classificados e quais são os tipos

de fatos contábeis que existem. Acompanhe a seguir a seção 3.

Seção 3 – Classificação dos fatos contábeis

Os fatos contábeis ou fatos administrativos classificam-se em três tipos:

1. fatos permutativos ou compensativos;

2. fatos modificativos: aumentativos e diminutivos;

3. fatos mistos ou compostos: aumentativo e diminutivo.

3. fatos mistos ou compostos: aumentativo e diminutivo. Figura 3.1 - Classificação dos fatos contábeis. Fonte:

Figura 3.1 - Classificação dos fatos contábeis. Fonte: Ferrari (2003, p. 214).

Fatos Permutativos (ou Compensativos)

São aqueles que não alteram o valor do Patrimônio Líquido, pois representam apenas permutações (trocas) entre os elementos do ativo, passivo ou entre ambos simultaneamente, sem provocar variações no Patrimônio Líquido.

Contabilidade I

Ribeiro (1996, p. 73) destaca alguns fatos permutativos possíveis:

„ permutação entre elementos ativos;

„ permutação entre elementos passivos;

„ permutação entre elementos do ativo e do passivo.

Existem cinco modalidades de fatos permutativos. Acompanhe a seguir em detalhes cada um dos fatos.

Permutação entre elementos do ativo

Há permutação entre os elementos do ativo, porém não ocorre alteração no Patrimônio Líquido (variação qualitativa).

+ Ativo (+A)

- Ativo (-A)

(variação qualitativa). + Ativo (+A) - Ativo (-A) Tabela 3.1 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas

Tabela 3.1 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 1).

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Imóveis Direitos Duplicatas a receber

1.500,00

Exigível Contas a Pagar Salários a Pagar

9.000,00

10.100,00

1.000,00

10.000,00

 

20.000,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

5.000,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital Reservas de Capital

33.000,00

 

3.600,00

Total

46.600,00

Total

46.600,00

Partindo da situação patrimonial apresentada, suponha que a Cia. Permutas & Trocas S/A resolva comprar um Computador à vista (em dinheiro do Banco), no valor de R$ 3.800,00.Capital Reservas de Capital 33.000,00   3.600,00 Total 46.600,00 Total 46.600,00 Unidade 3 61

Unidade 3

61

Universidade do Sul de Santa Catarina

Esse fato diminuirá o saldo da conta Banco no valor de R$ 3.800,00 pela saída de dinheiro, provocando, ao mesmo tempo, aumento dos bens na conta Computador no valor de R$ 3.800,00. Não há alteração do Patrimônio Líquido.

O novo Balanço Patrimonial, após este acontecimento, ficou da seguinte forma:

ATIVO (+)

Tabela 3.2 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 2).

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Computadores Imóveis Direitos Duplicatas a receber

1.500,00

Exigível Contas a Pagar Salários a Pagar

9.000,00

6.300,00

1.000,00

10.000,00

 

3.800,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

20.000,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital Reservas de Capital

 

33.000,00

5.000,00

3.600,00

Total

46.600,00

Total

46.600,00

3.600,00 Total 46.600,00 Total 46.600,00 Imagine outro exemplo de fato permutativo entre elementos do

Imagine outro exemplo de fato permutativo entre elementos do ativo. Suponha que a Cia. Permutas & Trocas S/A tenha recebido R$ 1.600,00 em dinheiro, na empresa, de Duplicatas a receber de um cliente. Esse fato aumentará o caixa em R$ 1.600,00 pela entrada do dinheiro, e diminuirá a conta de Duplicatas a receber, novamente provocando um aumento e uma diminuição entre os elementos do ativo.

Contabilidade I

O novo Balanço Patrimonial, após este acontecimento, ficou da

seguinte forma:

Tabela 3.3 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 3).

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Computadores Imóveis Direitos Duplicatas a receber

3.100,00

Exigível Contas a Pagar Salários a Pagar

9.000,00

6.300,00

1.000,00

10.000,00

 

3.800,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

20.000,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital Reservas de Capital

 

33.000,00

3.400,00

3.600,00

Total

46.600,00

Total

46.600,00

Permutação entre elementos do ativo e do passivo

Há permutação entre o ativo e, ao mesmo tempo, o passivo. E pode-se observar matematicamente que o Patrimônio Líquido não se altera através da equação patrimonial PL = A – P, daí um fato permutativo.

+ Ativo (+A)

+ Passivo (+P)

P, daí um fato permutativo. + Ativo (+A) + Passivo (+P) A Cia. Permutas & Trocas

A

Cia. Permutas & Trocas S/A resolve comprar Móveis

a

prazo de um fornecedor que concedeu prazo de 30

e

60 dias para pagamento, com o valor de R$ 4.700,00.

Esse fato aumentará o ativo (compra de Móveis), que

é compensado por aumento do passivo (Compra a

Prazo) em valor igual a R$ 4.700,00 deixando inalterado

o Patrimônio Líquido.

O novo Balanço Patrimonial, após este acontecimento, ficou da

seguinte forma:

Unidade 3

63

Universidade do Sul de Santa Catarina

Tabela 3.4 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 4).

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Computadores Imóveis Direitos Duplicatas a receber

3.100,00

Exigível Contas a Pagar Fornecedores Salários a Pagar

9.000,00

6.300,00

4.700,00

14.700,00

1.000,00

3.800,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

20.000,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital Reservas de Capital

 

33.000,00

3.400,00

3.600,00

Total

51.300,00

Total

51.300,00

Quando acarreta aumento, verifique que o ativo aumentou, passando de R$ 46.600,00 para R$ 51.300,00 com o aumento da conta Móveis, tendo em vista a compra efetuada; e o passivo também aumentou para R$ 51.300,00 com a inclusão da conta Fornecedores, devido à obrigação contraída.

Permutação entre elementos do ativo e do passivo

Há permutação entre o passivo, se sai determinado valor, e, ao mesmo tempo, sai do ativo. E podemos observar matematicamente que o Patrimônio Líquido não se altera através da equação patrimonial PL = A – P, daí um fato permutativo; e não altera o Patrimônio Líquido.

- Passivo (-P)

- Ativo (-A)

o Patrimônio Líquido. - Passivo (-P) - Ativo (-A) A Cia. Permutas & Trocas S/A efetuou

A Cia. Permutas & Trocas S/A efetuou pagamento em dinheiro de uma Conta a Pagar no valor de R$ 1.850,00 que irá diminuir o ativo pela saída de dinheiro na conta Caixa e o passivo pela liquidação no mesmo valor.

Contabilidade I

O novo Balanço Patrimonial, após este acontecimento, ficou da seguinte forma:

Tabela 3.5 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 5).

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Computadores Imóveis Direitos Duplicatas a receber

1.250,00

Exigível Contas a Pagar Fornecedores Salários a Pagar

7.150,00

6.300,00

4.700,00

14.700,00

1.000,00

3.800,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

20.000,00

Diferença entre o Ativo – Passivo Capital Reservas de Capital

 

33.000,00

3.400,00

3.600,00

Total

49.450,00

Total

49.450,00

Quando acarreta diminuição, verifique que o ativo diminuiu, passando de R$ 51.300,00 para R$ 49.450,00 com a saída de dinheiro na conta Caixa; e o passivo, pela liquidação no mesmo valor.

Permutação entre elementos do passivo

Há permutação entre os elementos do passivo, quando sai do passivo o mesmo valor que entra, não há variação quantitativa do mesmo e, consequentemente, não há variação no valor do Patrimônio Líquido.

- Passivo (-P)

+ Passivo (+P)

do Patrimônio Líquido. - Passivo (-P) + Passivo (+P) A Cia. Permutas & Trocas S/A verificou

A Cia. Permutas & Trocas S/A verificou que o valor

líquido sobre salários a pagar, no valor de R$ 1.000,00 que a empresa tem a pagar seus funcionários, existia

a importância de R$ 110,00, referente a Imposto de

Renda retido na fonte de seus funcionários, assim esse

valor deveria ter sido retido dos empregados por meio da folha de pagamento, mas não foi.

Unidade 3

65

Universidade do Sul de Santa Catarina

Para regularizar, retire da conta de Salários a Pagar e transfira para a conta própria de Imposto de Renda a Recolher. Para a Cia. Permutas & Trocas S/A, tanto em uma conta como na outra conta, a referida importância representa obrigação.

Verifique como ficou o Balanço Patrimonial após este novo fato:

Tabela 3.6 - Balanço Patrimonial da Cia. Permutas & Trocas S/A. (exemplo 6).

ATIVO (+)

PASSIVO (-)

Bens Caixa Banco Móveis Computadores Imóveis Direitos Duplicatas a receber

1.250,00

Exigível Contas a Pagar Fornecedores Salários a Pagar Imposto de Renda a Recolher

7.150,00

6.300,00

4.700,00

14.700,00

890,00

3.800,00

110,00

20.000,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

3.400,00