Você está na página 1de 2

IGREJA PRESBITERIANA DE MARANGUAPE I Nessa passagem, Deus deu sua resposta final

PEQUENO GRUPO - ENCONTRO: 17/05/2019 à razão por que não desistiria de seu povo: seu
próprio nome.
TEMA: A NOVA ALIANÇA
“O EXÍLIO E A PROMESSA DE RESTAURAÇÃO”
(Adaptado Do Livro “Multiplique” – Francis Chan) Enquanto Israel estava no exílio, Deus fez
promessas ao povo em Ezequiel 36 e em outras
EXALTAÇÃO passagens. Ele garantiu que lhe traria de volta à
terra prometida. Seria novamente o seu Deus, e
DIGNO É O SENHOR (ALINE BARROS) ele seria o seu povo. Em muitos aspectos, Deus
estava reafirmando as alianças feitas com Abraão,
Graças eu te dou Pai Moisés e Davi. Sem dúvida, o exílio de Israel não
Pelo preço que pagou duraria para sempre. Tanto é que os livros de
Sacrifício de amor Esdras e Neemias registram a maravilhosa
Que me comprou ungido do Senhor provisão de Deus em trazer Israel de volta a
Jerusalém para reconstruir o muro e o templo, que
Pelos cravos em tuas mãos haviam sido destruídos.
Graças eu te dou ó meu Senhor Ainda assim, algo estava faltando. Só um
Lavou minha mente e coração número relativamente pequeno de israelitas
Me deu perdão, restaurou-me a comunhão retornou a Jerusalém dessa vez, o templo
reconstruído não podia competir com a grandeza
Digno é o Senhor, sobre o trono está do templo construído por Salomão, a glória de
Soberano, Criador, vou sempre te adorar Deus não retornou ao templo, e o reino de Deus
Elevo minhas mãos, ao Cristo que venceu não foi restaurado a Israel. O povo de Deus sabia
Cordeiro de Deus morreu por mim que tinha de haver mais. E havia. Deus fez
Vou sempre te adorar grandes promessas a Israel em Ezequiel 36.25-27
e restaurou a esperança a uma nação
Elevo minhas mãos, ao Cristo que venceu desesperançada. Israel havia se contaminado com
Cordeiro de Deus morreu por mim sua idolatria, mas Deus prometeu purificá-lo. Israel
Mas ressuscitou, Digno é o Senhor tinha um coração de pedra incapaz de amar a
Deus, mas Deus prometeu remover o coração de
ISRAEL NO EXÍLIO pedra e dar-lhe um coração vivo feito de carne.
Israel havia provado que era incapaz de
Com o exílio, o futuro de Israel parecia incerto. obedecer aos mandamentos de Deus, mas Deus
Mas Deus ainda estava agindo. Ele ainda falava prometeu colocar seu Espírito dentro dele e
aos exilados por intermédio dos profetas. Mesmo capacitá-lo a seguir seus mandamentos. Essas
depois de remover Israel de sua terra, Deus ainda promessas mostram que o plano de Deus para seu
o chamava ao arrependimento e lhe prometia um povo envolvia muito mais que apenas trazê-lo de
futuro. Seu povo não o amava e provou isso ao volta do exílio. Deus recriaria seu povo. Seria
longo de constante rebeldia. Havia muito tempo mudado de dentro para fora. Lembre-se de que na
desde que ele se afastara de Deus para confiar em lição anterior Deus fez a promessa a Davi de que
si mesmo. Seguiu reis estrangeiros e adorou falsos sua linhagem real teria continuidade. Ainda que os
deuses. Mereceu a ira e o juízo divinos. Mas ainda reis que governaram depois de Davi não tenham
assim não foi totalmente destruído. Por que não? conseguido ser bons administradores da
O Antigo Testamento está cheio de histórias de autoridade real divina, os profetas criam e
Deus destruindo nações inteiras por sua ensinavam que um rei viria e estabeleceria o reino
impiedade. Por que Deus não fez o mesmo com perfeito de Deus sobre seu povo. Esse rei seria um
Israel? Seus propósitos de redenção estavam dos descendentes de Davi, e ele era por vezes
emaranhados na nação israelita. Ela era seu povo chamado simplesmente pelo nome Davi. Logo
— Ele a havia criado, chamado para si, e estava após a promessa de restaurar e recriar Israel,
executando seu plano de restaurar o mundo por Deus disse a Ezequiel que seu rei vindouro
meio daquele grupo singular de pessoas. estabeleceria uma nova aliança eterna com seu
Quando foi conquistado e levado para o exílio, povo: em Ezequiel 37.24-28
as outras nações presumiram que isso aconteceu Apesar das centenas de vezes que os
porque seu Deus não era forte o suficiente para lhe profetas de Deus chamaram o povo ao
dar vitória militar. Veja como Deus explicou essa arrependimento, ele permaneceu em rebeldia. Mas
situação: “E, chegando aos gentios para onde isso tudo mudaria. Veja como Jeremias descreveu
foram, profanaram o meu santo nome, porquanto a nova aliança: em Jeremias 31.31-34
se dizia deles: Estes são o povo do Senhor, e Sob a antiga aliança, o povo entrava em
saíram da sua terra. Mas eu os poupei por amor do contato com Deus pela mediação de homens
meu santo nome...” Ezequiel 36.20 E 21a falhos (os sacerdotes). Esses homens falhos
ofereciam sacrifícios contínuos, e Deus
pacientemente omitia seu pecado. Mas, sob a nova Seu ministério mostrava que ele era o
aliança, o povo de Deus o encontraria diretamente verdadeiro Rei de Israel. E, antes de ser
pela mediação de um homem sem falhas — Jesus crucificado, Jesus reuniu seus discípulos, e juntos
Cristo. E esse homem sem falhas ofereceu a si celebraram a Páscoa. Não se esqueça de que a
mesmo como sacrifício definitivo. O sacrifício de Páscoa relembrava o ato de redenção divina ao
Jesus não omitia o pecado; mas sim pagava o seu libertar o povo da escravidão e que, imediatamente
preço. É fácil ler o Antigo Testamento e perder a depois desse êxodo, Deus estabelecera sua
paciência com Israel. Nós nos cansamos de sua aliança com Moisés e Israel. Quando celebrou a
rebeldia e queremos gritar: “Por que vocês não Páscoa com seus discípulos, Jesus partiu o pão,
entendem? Parem de adorar ídolos! Voltem-se distribuiu o vinho e disse a seus discípulos que
para Deus!”. E, de certa forma, o Antigo esses elementos agora representariam seu corpo
Testamento está ali para nos mostrar quão crucificado e seu sangue derramado.
imprudente e destrutivo nosso pecado pode ser. Com grande significado, Jesus tomou o
Mas precisamos ter cuidado para não ser vinho e disse: “Este cálice é a nova aliança no meu
rígidos demais em relação aos israelitas. Na sangue, derramado em favor de vocês” (Lc 22.20).
realidade, o problema deles é o nosso problema. Com Jesus, a nova aliança havia chegado. E
Precisamos ter cuidado para não ficar tão continuaremos a discutir a beleza disso conforme
admirados da rebeldia obstinada deles a ponto de estudamos o Novo Testamento.
negligenciar a nossa. Tanto é que Jeremias
descreveu o pecado de Israel em termos PERGUNTAS PRA MEDITARMOS!!!
universais: “O coração é mais enganoso que
qualquer outra coisa e sua doença é incurável. 1. Leia Ezequiel 36.16-38. Por que Deus estava
Quem é capaz de compreendê-lo?” Jeremias 17.9 prometendo restaurar Israel? Por que isso é
Todos nós enfrentamos o mesmo problema. significativo?
O pecado não é um fator externo com que
deparamos vez ou outra. Ele impregna cada 2. Leia Ezequiel 36.25-27 e Jeremias 31.31-34. O
coração humano. O pecado de Israel é o nosso que torna a nova aliança tão singular e importante?
pecado — somos todos, por natureza, quebradores
da aliança e incapazes de obedecer. E, uma vez 3. À medida que o Antigo Testamento chega ao
que enfrentamos o mesmo problema que Israel, a fim, vemos que Deus prometeu enviar um Rei da
nova aliança também é boa notícia para nós. linhagem de Davi e fazer uma nova aliança com
Podemos agora desfrutar dos benefícios de seu povo. De que modo essas promessas afetam
ser recriados por Deus, transformados de dentro nossa vida hoje?
para fora. A nova aliança inclui os principais
elementos das antigas alianças que Deus havia MOMENTO DE ORAÇÃO
feito com Abraão, Moisés e Davi. Ainda é centrada
em Deus e seu povo — perceba esta importante
frase: “Eu serei o seu Deus, e eles serão o meu
povo” — e ele ainda promete restauração para
Israel. Porém, a nova aliança também inclui
esperança e cura para todas as nações da terra (Is
42.6; 49.6; 55.3-5; 56.4-8; 66.18-24).
O plano divino de redenção consiste em
redimir toda a sua criação, mas Israel havia
perdido de vista esse chamado. A nova aliança
uniria judeus e gentios. Quando Adão e Eva se
rebelaram contra Deus, o mundo inteiro sucumbiu
ao poder destrutivo do pecado. Mas agora, com a
nova aliança, toda a criação experimentaria o
poder divino de redimir e restaurar.

A NOVA ALIANÇA NO SANGUE DE JESUS

Conforme o Antigo Testamento se aproxima


do final, vemos que o futuro de Israel ainda
permanece incerto. Mas ficamos com duas
promessas muito importantes: 1) Deus enviaria seu
Messias, um Rei da linhagem de Davi; e 2) Deus
faria uma nova aliança com seu povo, a qual o
recriaria e o capacitaria a seguir seu governo.
Desde seu nascimento, Jesus demonstrou ser o
Messias de Deus.

Você também pode gostar