Você está na página 1de 48

SAUDAÇÕES APRENDIZ DA

“ERVEIRANÇA”!
Parabéns, você foi uma das pessoas que não per-
deram tempo e foi logo garantindo sua vaga nesta
extraordinária vivência com Pai Adriano Camargo
pelo encantador e fascinante universo do Reino
Vegetal, e como tem poder quem age com inteli-
gência e consistência, você garantiu assim o seu
KIT MAGIA COM ERVAS, em suas mãos você tem
a caixa com os elementos necessários para realiza-
ção destes 4 rituais poderosos que não tem qual-
quer restrição ou pré-requisito, manda ver e reali-
ze para sentir estes benefícios.

Neste ebook você tem um guia para seus ri-


tuais e textos complementares para aprofundar
ainda mais suas reflexões.

Mais uma vez receba minhas felicitações e


meu desejo sincero de uma experiência transfor-
madora junto com o Erveiro da Jurema!

Grande abraço,

Rodrigo Queiroz
Diretor Umbanda EAD
Salve sagrado irmãozinho e irmãzinha em Mamãe Natu-
reza. Salve leitor amigo e dedicado observador da natu-
reza em tudo.

Antes de falarmos sobre as ervas nesse mês, quero falar


um pouco sobre a natureza e como a religião se envolve com
ela.

Quando lemos nos tratados literários sobre a reli-
gião de Umbanda, invariavelmente encontramos essa
afirmação, de que somos a religião da natureza. E os di-
versos cultos, afro descendentes afirmam também que o
são. E as fantásticas religiões que usam os elementos na-
turais em sua liturgia também afirmam que são elas. En-
fim, todas estão, ou qual estaria fazendo a afirmação mais
correta sobre si mesma?

Ao falar sobre a natureza, devemos lembrar qual a na-


tureza, certo. A Umbanda é a religião da natureza de ele-
mentos, ou seja, do uso dos elementos naturais em sua
liturgia, a Terra, a Água, o Fogo e o Ar, como a maioria das
religiões tradicionais e ditas naturais, e após a chegada de
uma teologia coerente, forte no sentido do entendimento
das Coisas Divinas, os elementos complementares a esse
sistema quádruplo já estabelecido que formam a coroa
sétupla, o Cristal, o Mineral e o Vegetal. Assim fechando o
Setenário Sagrado.

Após esse entendimento, exteriorizado de forma que
nosso mental humano possa compreende-lo, através de nos-
sos amados Pais e Mães Orixás portadores dos sentidos, irra-
diações e emanações divinas dos elementos, cada um par
A r e l i g i ã o d a n a t u r e z a

Salve sagrado irmãozi- é a religião da natureza de


nho e irmãzinha em Mamãe elementos, ou seja, do uso
Natureza. Salve leitor amigo dos elementos naturais em
e dedicado observador da sua liturgia, a Terra, a Água,
natureza em tudo. o Fogo e o Ar, como a maio-
ria das religiões tradicio-
Antes de falarmos so- nais e ditas naturais, e após
bre as ervas nesse mês, que- a chegada de uma teologia
ro falar um pouco sobre a coerente, forte no sentido
natureza e como a religião se do entendimento das Coisas
envolve com ela. Divinas, os elementos com-
plementares a esse sistema
Quando lemos nos quádruplo já estabelecido
tratados literários sobre a que formam a coroa sétu-
religião de Umbanda, in- pla, o Cristal, o Mineral e o
variavelmente encontra- Vegetal. Assim fechando o
mos essa afirmação, de que Setenário Sagrado.
somos a religião da natu-
reza. E os diversos cultos, Após esse entendimen-
afro descendentes afirmam to, exteriorizado de forma
também que o são. E as fan- que nosso mental humano
tásticas religiões que usam possa compreende-lo, atra-
os elementos naturais em vés de nossos amados Pais
sua liturgia também afimam e Mães Orixás portadores
que são elas. Enfim, todas dos sentidos, irradiações e
estão, ou qual estaria fazen- emanações divinas dos ele-
do a afirmação mais correta mentos, cada um participan-
sobre si mesma? do integralmente da criação,
manifestando o seu sentido
Ao falar sobre a nature- unigênito e seu elemento
za, devemos lembrar qual a primordial, vemos a Umban-
natureza, certo. A Umbanda da como a religião da ligação

4
A r e l i g i ã o d a n a t u r e z a

do ser humano com sua ori- com a natureza magnéti-


gem Elemental. ca, energética de cada um.
Somos a linha de choque
Na Umbanda nosso com os sentidos negativos
entendimento acerca dos HUMANOS.
Orixás é energético, mag-
nético, natural e elemental, Ao apreciar uma pai-
mas não recorremos a len- sagem agradável, o homem
das humanas e à humaniza- sente-se bem. Uma flores-
ção de seus sentidos para ta harmônica em seu dese-
comprende-los de forma in- nho, relevo, cores e cheiros;
tegral, apenas parcial ou fa- uma cachoeira que ao cair
toral. Na Umbanda as linhas de águas, reflete a luz do sol;
de trabalho lidam cada uma, a lua cheia num céu infinita-
com uma ou mais partes des- mente estrelado; o pôr do
se sistema arquetípico que sol de outono e o nascer do
traz a principal natureza de sol no inverno com seus tons
suas obras: A NATUREZA avermelhados.
HUMANA.
Tudo isso, ao ser ob-
Isso mesmo, além de servado pela ótica humana,
manipular os elementos da remete a um sentimento de
natureza, a Umbanda lida paz, tranqüilidade, prazer
com a natureza humana em espiritual. Então podemos
todos os sentidos, gêneros dizer por analogia que a na-
e fatores. tureza do homem é tudo
isso: a paz a tranqüilidade a
Não esperamos que harmonia, ou O BEM, retra-
os consulentes venham já tados nesse fantástico livro
prontos, limpos e cheiro- da vida que é a Natureza
sinhos para os trabalhos Viva de Elementos.
espirituais, pois lidamos

5
A r e l i g i ã o d a n a t u r e z a

Da mesma forma, ao no momento que estamos


observarmos a fome, a mi- vivenciando, é a manifesta-
séria, a morte na guerra ou ção de várias personalida-
na violência urbana, somos des Divinas personificadas
remetidos a um sentimento nas linhas de trabalho. A
confuso de impotência, asco, alegria e desenvoltura dos
nojo mesmo. Então nos resta Baianos; a austeridade dos
afirmar que Deus, na sua in- Caboclos; a pureza e felici-
finita bondade, coloca a na- dade das Crianças;, a sim-
tureza à nossa volta para que plicidade dos Pretos Velhos;
nos, seres humanos conhe- a firmeza dos Boiadeiros; a
çamos nossa natureza mais coragem, determinação e
intima, se relacionando com imposição de força de Exu
aquilo que mais nos agrada. e Pomba Gira, são essas for-
mas na Umbanda.
Eu falo isso por mim,
mas poderia estar falando Tudo muda, a tecnolo-
por milhares de pessoas vi- gia impõe um ritmo acelera-
ventes em todo o mundo. do na evolução, mas os tipos
Um número (ainda bem) pe- humanos continuam os mes-
queno de pessoas tem um mos, e a natureza humana do
gosto diferente. Poucos sen- bem é a mesma.
tem prazer no mal, na violên-
cia e na guerra. A Umbanda ensina
como filosofia de vida,
Concluímos que, ou o a busca do bem comum.
ser humano está no bem, ou A convivência pacífica, a
ainda não compreendeu o felicidade dos sentidos,
sentido da vida. a abundância, a alegria,
anfim, precisaríamos de
A forma da Umbanda muitas páginas para des-
lidar com cada um de nós, crever as bênçãos que

6
A r e l i g i ã o d a n a t u r e z a

estão dentro da filosofia compreendidos pela nossa


umbandista. estrutura energo-magnética.

As ervas trazem como Associar ervas aos sen-
baterias carregadas de po- timentos positivos, assim
der realizador, energia, assimilando-os e comparan-
verbos atuantes e fatores do-os aos Orixás, é a forma
divinos, a possibilidade de mais correta de encontrar-
aliarmos a permanência do mos o “Orixá da Erva” ou a
Poder Divino em nós e em Erva do Orixá.
nosso meio.
Não apenas o formato
O elemento mais pare- da folha, seu perfume mais
cido com nosso organismo ou manos doce, ou a cor da
humano são as ervas, o ele- erva são os pontos deter-
mento vegetal, pois nasce, minantes para essa asso-
cresce, se multiplica e retorna ciação.
à terra, ou a seu elemento de
origem sustentadora. Use a cabeça, discuta,
quebre os padrões, experi-
Um cristal em qualquer mente banhos e defumações
estado que se encontre, ain- diferentes do padrão, sem-
da é um cristal. A água pode pre seguindo as regras de
alterar seu estado (sólido, amor e bom senso.
liquido, gasoso) e não deixa
de ser água, e assim todos os Muitos não entendem
elementos exceto o vegetal. isso, mas evoluir é estudar e
aprender sobre o ambiente
Sua estrutura orgânica e a natureza em que esta-
se assemelha à nossa, huma- mos vivendo e aplicar o que
na, por isso, os fatores conti- aprendemos imediatamente.
dos nas ervas são facilmente

7
A r e l i g i ã o d a n a t u r e z a

Seja seu próprio guru, Nada menos interes-


mestre de si mesmo, encon- sa! Nós acreditamos no ser
trando a divindade em si, na humano, mesmo quando
sua natureza do bem. As re- cai no orgulho e na vaidade
ligiões são ferramentas, e acreditando ser ele o único
seus religiosos também es- bem divino.
tão evoluindo.
Eu vim para aprender e
Através do conheci- ensinar, e você?
mento teremos cada vez
mais uma Umbanda forte, A natureza é, verdadei-
coesa e pronta para cres- ramente o único livro escrito
cer. Sempre teremos críticos por Deus. Nas páginas de sua
e pessoas que verão a reli- criação, os elementos natu-
gião como fonte de renda e rais convergem à natureza
status, mas isso faz parte do humana de forma graciosa,
crescimento. simples e sutil.

Queira uma religião Aquele que compre-
que lhe bata, torça o pesco- ender isso, certamente terá
ço, coloque no eixo, aperte lido o livro da vida.
seu calo, mas que lhe dê tam-
bém conforto, respeito e de- Adriano Camargo Erveiro
dicação e que respeite quem
demonstre conhecimento,
assertividade, vontade de
aprender e ensinar. Queira
orientação, direção e com-
petência. Mas participe de
tudo isso!

8
MAGIA COM ERVAS PARA
DESCARREGO DE AMBIENTES
MATERIAIS:

01 - Disco Carvão Instantâneo


01 - Vela verde palito
01- Resina
01 - Mix Ervas O ERVEIRO - Limpeza Energética

Em seu altar ou qualquer local a seu desejo,


acenda a vela verde e ofereça para Pai Oxóssi e
o povo da floresta. Acenda o carvão e coloque a
resina.

Passe com a fumaça por todos ambientes
fazendo sua oração de preferência pedindo para
as sagradas forças da floresta e Pai Oxóssi lim-
par e purificar o ambiente. Numa bacia ou balde,
coloque as ervas do Mix e preencha com 01 litro
de água fervente.

Faça a Oração de Ativação das Ervas (vide pá-
gina 23). Depois de 10 minutos coloque água em
temperatura ambiente até que fique agradável e
duas colheres de sopa de álcool. Com um pano lim-
po, preferencialmente novo e sem uso, molhe nesta
água de ervas e vá passando no chão por todos o
ambiente e/ou cômodos da casa.

11 Prática 1 | Magia com Ervas para descarrego de ambientes


Sempre em Oração e positividade, focan-
do a limpeza e descarrego energético das forças
densas ou desequilibradas.

As ervas resíduo pós trabalho poder ser


queimas ou depositadas em um jardim.

Jurema!

12 Prática 1 | Magia com Ervas para descarrego de ambientes


O p r e p a r o d o b a n h o d e e r v a s

Salve sagrado leitor, ir- nosso corpo humano é for-


mãozinhos e irmãzinhas em mado por pelo menos 75%
Mãe Natureza! de água.

O conhecimento so- Através de um banho


bre as ervas não pode ser de ervas, nosso fator aquá-
restrito a uma religião, tico humano, em contato
ou a um meio acadêmico. com o fator aquático car-
Está na natureza, como regado de energia vegetal,
parte integrante da cria- se funde, formando assim,
ção Divina e é o elemento energeticamente falando,
que mais se aproxima da um elemento mais leve e
natureza material humana. fácil de ser absorvido pelo
nosso organismo espiritu-
Carrega a força dos al. É o veiculo que o espíri-
quatro elementos primor- to vegetal encontra para se
diais, terra – água – fogo e unir a nós.
ar. E devidamente ativado,
transfere para o ambiente Sempre me perguntam
ou o organismo humano, a se devemos tomar banho
energia contida em si. Erva é de ervas na cabeça. Na ver-
poder, erva é força, é poder dade, esse assunto é o mais
realizador, erva é cura. polêmico de todos, porque
envolve conceitos religiosos
A água é concentrado- tradicionais, e sobre eles, eu
ra da energia do elemento não opino. O que digo é, se
vegetal. A energia aquáti- você não está ligado a algu-
ca carrega a força vegetal, ma doutrina que lhe impõe
fazendo com que ela seja isso, não se preocupe.
absorvida mais facilmente
pelo nosso organismo es- Existem ervas, como
piritual. Não esqueça que veremos mais adiante, que

14
O p r e p a r o d o b a n h o d e e r v a s

devemos realmente evi- Preparar os banhos


tar colocar na cabeça, em não requer muita prática.
nosso centro de forças, ou Requer muito amor e bom
chacra coronário. Mas por senso.
outros motivos energéti-
cos, que devem se estuda- O banho pode ser pre-
dos caso a caso. parado quente ou frio, de-
pende do tipo de erva a ser
É comum ouvir que fi- utilizada.
lhos de determinados Orixás
não podem usar ervas de ou- Se for usar apenas er-
tro Orixá na cabeça, até com vas ou flores frescas, pode
risco de morte. Os especialis- colocá-las, depois de lava-
tas em Orixá que digam isso das em água corrente, em
em suas publicações e sejam uma bacia ou panela com
ouvidos por quem está liga- água fria e deixar por umas
do a essa energia. Mesmo em duas horas. Esse processo
minhas práticas religiosas, te- chama-se maceração. Você
nho visto muitas pessoas usar pode também, nesse pro-
todo tipo de erva na cabe- cesso, amassar as ervas com
ça e continuar com seu juízo as mãos, dentro da bacia
perfeito, sem risco nenhum. com água e depois deixa-las
Muitos dos acúmulos ener- descansar por uma hora, co-
géticos negativos, que são o berta com um pano branco.
motivo da limpeza espiritual É muito positivo também,
com ervas, localizam-se exa- nesse caso, acender uma
tamente no chacra coronal, vela branca ao lado do pre-
na coroa mediúnica, no alto paro, e na reza evocatória
da cabeça. Porque então não pedir que ilumine e envolva
deveríamos colocar ervas lá, o preparo com as energias
no foco da atuação? do fogo vivo.

15
O p r e p a r o d o b a n h o d e e r v a s

Essa prática é mui- esse preparo e as ervas


to positiva, pois enquan- frescas.
to você amassa as ervas
com as mãos, pode fazer a Depois disso, dei-
reza ativadora, e ali, pode xe o preparo descansar e
ter certeza, o banho já co- coe antes de usar. Pode-
meçará agir no seu campo mos coar o banho porque
astral. Mentalize a aura já concentramos na água
vegetal envolvendo suas aquilo que precisamos da
mãos, absorvendo a par- erva, seu organismo espiri-
tir da palma delas, todo tual energético.
o negativismo, as formas
pensamento, os miasmas Os banhos são admi-
astrais do seu espírito. nistrados após o banho
normal. Coloque o preparo
Se as ervas forem se- pronto em uma panela, ba-
cas, mesmo que sejam fo- cia, balde, etc e complete
lhas, flores, raízes ou cas- com água quente do pró-
cas, simplesmente coloque prio chuveiro. Não é neces-
água para ferver em uma sário tomar o banho frio, ex-
panela e quando atingir ceto em alguns casos muito
a fervura, coloque as er- específicos, a partir de soli-
vas já separadas dentro da citação e acompanhamento
água, deixe ferver por um religioso.
minuto e desligue. Tampe e
deixe amornar. Ao terminar seu banho
higiênico, levante a panela
Você pode unir os acima de sua cabeça e faça
dois processos, fazendo a essa oração:
fervura com as ervas se-
cas e depois de amornar, Senhor Deus, meu amado Pai
fazer a maceração com Criador, Amada Mãe Terra,

16
O p r e p a r o d o b a n h o d e e r v a s

Amada Mãe Água, Sagradas a energia viva envolvendo


Forças Vegetais, peço de cora- seu corpo físico e espiritual
ção que abençoem esse banho. e penetrando nos corpos in-
Que ele seja verdadeira força ternos e nos órgãos, muitas
viva em minha vida, em meu vezes doentes e debilitados.
campo energético, proporcio-
nando saúde espiritual e física, Preferencialmente
limpeza astral, e que todas as tome os banhos antes de
formas de vida atuando nega- dormir, exceto os energé-
tivamente em minha vida se- ticos e estimulantes, que
jam alcançadas por ele e assim devem, preferencialmente,
tenham também em sua vida ser tomados pela manhã.
os efeitos positivos dessas er-
vas. Assim seja e assim será. Em relação à quanti-
dade, a proporção é sempre
Ao terminar de jogar um bom punhado para cada
esse preparo sobre o cor- meio litro de água. Não usa-
po, respire profundamente mos medida exata, primei-
umas três vezes e mentalize ramente por não se tratar
círculos coloridos à sua vol- de preparo fitoterapêutico,
ta, descendo pelo seu corpo e também porque a melhor
em espirais nas seguintes medida para seu uso é sua
cores: verde, azul, violeta, própria mão em concha.
branco e rosa.
Os banhos não são
Deixe alguns instantes apenas para nosso corpo,
assim, com o banho em seu nosso organismo espiritual
corpo, sem enxaguar e sem humano. Podem e devem
enxugar também. ser usados também para
nossas casas, locais de tra-
Deixe seu espírito vi- balho e casas de trabalho
brar junto com a erva. Sinta espiritual.

17
O p r e p a r o d o b a n h o d e e r v a s

Preparamos o banho natureza. Ou à terra do jar-


para casa da mesma forma dim ou a um rio. Como parte
descrita e passamos no chão e continuidade da magia, essa
com um pano branco, de pre- prática deve acompanhar a
ferência novo ou destinado intenção de o elemento na-
apenas para esse fim. É inte- tural, água ou terra, receber
ressante também passar esse e diluir todo e qualquer resí-
preparo em paredes que pos- duo negativo em que a práti-
sam receber liquido (cuidado ca de magia esteja envolvida.
para não manchar a pintura),
e principalmente nos baten- Pode devolvê-la ao jar-
tes das portas e janelas. dim de sua própria casa, ou
um vaso, por exemplo, ou
O uso das essências mesmo numa praça, ao pé de
prontas – à base de água ou uma árvore. Se jogada num
álcool - no banho não têm rio, tomar o cuidado para não
contra indicação, porém não jogar saco plástico ou outro
devem ser as únicas fontes material sintético, mas so-
de energia vegetal no banho, mente os resíduos vegetais;
o único elemento. As essên- regra que também se aplica a
cias têm grande valor aroma- resíduo de velas, porque nada
terápico, causando pelo seu mais são do que parafina, ele-
odor agradável, verdadeira mento petroquímico. Não
fusão dos elementos vivos precisamos poluir ainda mais
das ervas. Vemos o uso práti- a natureza.
co das essências nos banhos
de cheiro, principalmente É isso, muitíssimo obri-
para casa. gado! Sucesso, saúde e muito
poder natural a todos!
O resíduo de ervas usa-
do para o preparo dos ba-
nhos, deve ser devolvido à Adriano Camargo Erveiro

18
POÇÃO BANHO PARA
FORTALECIMENTO ESPIRITUAL
MATERIAIS:

01 - Mix de ervas “O ERVEIRO” 07 Ervas;


01 - Vela Verde Florescente;
01 - Incenso
01 - Pemba Verde

Risque o ponto abaixo (no chão mesmo em


ambiente externo)

21 Prática 2 | Poção banho para fortalecimento espiritual


Em um recipiente coloca as ervas do mix e
despeje 500ml de água mineral fervente. Deixe
em cima do ponto riscado e cubra com um pano
branco ou verde.

Acenda o incenso junto e a vela no meio do
ponto riscado. Faça a oração de ativação (vide
página 23) e deixe este preparo tomando o se-
reno da noite.

No dia seguinte, logo quando acordar, tem-


pere o preparo com água morna até que fique na
temperatura desejada e pode tomar o banho.

Deixar secar por 7 a 10 minutos natural-


mente e depois pode se enxugar normalmente.

Tenha um poderoso dia!

COMO FAZ QUEM MORA EM APARTAMENTO?

Fazer o ritual na sacada ou área de serviço


próximo a janela.

Caso possa use uma lajota e deixe o mes-


mo encima de um suporte ou mesa.

22 Prática 2 | Poção banho para fortalecimento espiritual


23 Prática 2 | Poção banho para fortalecimento espiritual
E r v a s d o s O r i x á s

Salve turminha das sar mês a mês nesse espa-


ervas! Já diziam os filóso- ço, e em outros cedidos por
fos que os semelhantes se irmãos de caminhada, bem
atraem, e aprendemos isso como nos vários cursos e
dia a dia dentro da religião palestras que ministro em
de Umbanda. várias cidades, a simplici-
dade do conhecimento so-
Cada um capta não só bre as ervas.
o conhecimento, mas toda a
renovação, a alegria da mu- Insisto em dizer: simpli-
dança, a novidade do renas- cidade não é simplismo, é en-
cer, de uma forma, de acordo tendermos que as coisas de
com sua capacidade de assi- Deus são simples.
milação e acima de tudo, de
acordo com sua vontade de Nosso Amado Pai Cria-
aprender, de sair do quadra- dor se manifesta no simples,
dinho em que se encontra e nós, seres humanos ainda na
alçar vôos mais altos. busca da perfeição, que gos-
tamos de complicar, valori-
Um desconhecido ini- zar, dar efeito àquilo que já é
ciado disse uma vez: “A sa- divino por si só.
bedoria é como uma flor da
qual a abelha fabrica o mel Vejo o uso das ervas ser
e a aranha, o veneno, cada definido em torno de dogmas
um de acordo com sua na- e preceitos religiosos. Vejo e
tureza.” sinto os ataques dos pseudo
conhecedores desse univer-
Pois é, baseado nisso, so natural, dizendo que o que
temos usado essas bênçãos fazemos é heresia.
do conhecimento para pas-

25
E r v a s d o s O r i x á s

No entanto estamos concentram suas energias


aqui, firmes e fortes, levando individuais ou sentidos: a
essa bandeira adiante.Quem Fé, o Amor, o Conhecimen-
estiver preparado para isso, to, a Justiça (ou Razão), a
junte-se à nós, venham para Lei (ou Ordem), a Evolução
nossos cursos, venham (ou Sabedoria), a Geração
sentir em seus espíritos a (ou Vida). Respectivamente
Essência Divina da erva. nos seus elementos: Cris-
Permitam à suas almas, o tal, Mineral, Vegetal, Fogo,
despertar para esse co- Ar, Terra, Água.
nhecimento simples e que
é de todos nós, pois senão, Ao Elemento Vegetal
a erva cresceria apenas no é atribuído o sentido Divi-
quintal do iniciado, em não no do Conhecimento, e é
em todos os lugares. simples entendermos isso
vendo pelo próprio ângulo
Para não perder o cos- da ciência.
tume, vamos falar um pouco
sobre as ervas e os Orixás. Os vegetais habitam o
planeta a cerca de quatro-
É fato e verdadeiro centos milhões de anos, ou
que cada Orixá tenha sua seja, estavam aqui muito
erva, mas é fato também antes do surgimento do ho-
que cada erva pertença mem (ser humano), como é
aos seus Orixás. conhecido hoje.

Aprendemos muito ob- A estrutura orgânica


servando. Deus se manifes- espiritual das ervas, permi-
ta de formas variadíssimas tem que seja animadas por
na criação. Seus elementos um espírito próprio, não

26
E r v a s d o s O r i x á s

como o humano, mas uma ancestrais. E se cada Orixá


Imanência Divina com capa- tem sua erva, cada uma de-
cidade de ação e reação, um las conhece e guarda em si,
pouco diferente dos outros a parte correspondente ao
elementos. Orixá, relativa a sua mani-
(Recomendo aqui o livro: A festação Divina desde que
Vida Secreta da Plantas). o mundo é mundo.

Esse organismo espiri- Resumindo, uma erva é


tual, participou passivamen- atribuída a Oxalá, por exem-
te de todas as mudanças e plo, por reunir em sua ener-
transformações que ocor- gia individual, elementos
reram no planeta. Acompa- manifestadores, através do
nhou a evolução do homem vegetal, das energias desse
nesses milhares e milhares Orixá.
de anos. Viu tudo, aprendeu
com tudo e guardou em seus Uma erva de Oxalá é,
registros ancestrais, ou seja, acima de qualquer outra
o vegetal sabe, conhece o ação, cristalizadora e ativa-
homem, o planeta e sua his- dora da Fé; construtora e
tória melhor que ele mesmo. formadora de outras ener-
gias, assentadora de forças
Ao Orixá Oxóssi é atri- e de outros fatores Divinos,
buído o Sentido do Conhe- assim como Oxalá.
cimento, é o Sagrado Guar-
dião dos Vegetais e do Saber Como qualquer ener-
Divino. Se Oxóssi é esse Pai, gia, tem seu aspecto po-
manifestador do Saber Di- sitivo e negativo. É só
vino, com certeza é o guar- lembrarmos quem são os
dião de nossas histórias manipuladores naturais

27
E r v a s d o s O r i x á s

dos aspectos negativos de Pai Benedito de Aruan-


das energias que enten- da, entre outros mestres do
deremos porque algumas astral, que através da psico-
ervas são atribuídas a Exu grafia de Rubens Saraceni –
ou Pomba-Gira. que sem dúvida nenhuma é
o grande percussor e incen-
É isso turma, recomen- tivador do nosso trabalho
do que aprendam e se dedi- e de muito outros irmãos
quem ao estudo da Teologia - pôde nos abençoar com
de Umbanda, das Ervas, da esse conhecimento, e servir
Magia, enfim, estudem, bus- de base para tudo isso.
quem e verão como esse
fantástico universo se abre Adriano Camargo Erveiro
diante de seus olhos. Leiam
e releiam essas colocações
acima e entenderão algu-
mas definições que já foram
dadas às Ervas e aos Orixás.

As definições de ervas
quentes, mornas e frias tem
origem em nosso trabalho e
estão disponíveis em outras
matérias, site e livros publi-
cados. Vale lembrar que as
definições de Orixás, Tro-
nos, fatores, verbos atuan-
tes, enfim, a Teogonia usada
para esse trabalho, tem ori-
gem no fantástico trabalho

28
MAGIA PARA HARMONIA NO
RELACIONAMENTO AFETIVO
(Este ritual precisa obrigatoriamente ser realizado
pelo casal)

Material:

02 - Velas Rosa
01 - Mix de ervas “O ERVEIRO” - 07 Flores
01 - Incenso de Rosas
01 - Canela em Pó

O casal, juntos, escolhem quem vai riscar o


ponto abaixo (no chão mesmo em ambiente ex-
terno).

31 Prática 3 | Magia para harmonia no relacionamento afetivo


Em um recipiente coloca as ervas do mix e
despeje 500ml de água mineral fervente, colo-
que uma pitada da canela em pó no banho. Deixe
em cima do ponto riscado e cubra com um pano
branco ou rosa.

Acenda o incenso junto e a vela no local indi-
cado no gráfico abaixo (ponto riscado). Circunde o
ponto com a canela em pó.

Faça a oração (vide página 33) e deixe este


preparo tomando o sereno da noite.

No dia seguinte, logo quando acordar, tem-
pere o preparo com água morna até que fique na
temperatura desejada e tomem o banho juntos,
um despeja o conteúdo no outro.

Aguarde de 07 e 10 minutos antes de se-


car o corpo. Aproveitem este momento para
conversar sobre o objetivo que estão traçando
juntos neste ritual, digam um ao outro o que um
significa ao outro.

32 Prática 3 | Magia para harmonia no relacionamento afetivo


33 Prática 3 | Magia para harmonia no relacionamento afetivo
O O r i x á d a s f o l h a s

Salve sagrado leitor. crita e sim verbal, e tonal até,


Bênçãos de Mamãe Natu- ou seja é necessário certa
reza em nossas vidas. destreza para “cantar” seus
fonemas, para corretamen-
É com muito respeito te descrever todos os cantos
que traço aqui um compa- das ervas e de seu Orixá sus-
rativo de formas de uso das tentador, Ossain.
ervas dentro das várias re-
ligiões de matriz africana. Na Umbanda, há um
conjunto de regras muito
Como praticante da menos exigente para essa
religião de Umbanda, viven- prática. Uma maleabilida-
cio a influencia dos cultos de que permite que não so-
de nação em nossa religião, mente os iniciados sejam
e não obstante, deparamo- aptos a manipular a erva.
-nos com tentativas de inter-
pretar e reinterpretar mitos, E tudo isso, essa dife-
lendas e adstringi-las dentro rença, é maravilhosa! Isso
de um contexto religiosos di- mesmo, nos unimos pela di-
ferente do original. ferença e aprendemos mui-
to com isso.
Falo diferente por-
que Umbanda, mesmo com Na Umbanda, não se
toda essa influência, não é cultua diretamente o Ori-
Candomblé. xá Ossain. No máximo, é
dedicado um assentamen-
Tem características to, simples e objetivo, ou
próprias e conceitos pró- um canto de reverência na
prios para o uso das ervas. abertura dos trabalhos, e
Seria necessário uma versa- assim mesmo, as casas de
tilidade na língua ioruba, isso Umbanda cujo dirigente
porque não é uma língua es- tem ascendência do cul-

35
O O r i x á d a s f o l h a s

to de nação. Os dirigentes Na Umbanda, não


mais jovens sequer fazem há culto direto a Ossayn.
essa reverência. Há culto direto a Oxóssi,
o caçador que reúne em
Já nos Candomb- seu contexto mitológico,
lés, a máxima “Kosi Ewe, as características do “gre-
Kosi Orixá” é imperativa. en man”, ou o homem da
Sem Folha não há Orixá. medicina da mata. A gran-
O respeito é fundamen- de corrente dos caboclos e
tal. Conhecer os preceitos dos juremeiros, é a influên-
e fundamentos do Orixá, é cia viva de Ossayn no culto
prática de sobrevivência, umbandista.
e diria resistência cultural.
Assim como a língua requer A presença do cabo-
destreza, a prática vegetal clo reúne em si as carac-
requer o conhecimento da terísticas do índio, que en-
língua, sua aplicação e cer- quanto caçador (Oxóssi) é
to conhecimento botânico hábil, forte e vigoroso, re-
sobre o elemento, sem o presenta a maturidade, a
qual não se consegue a ati- meia idade, reúne a força
vação da magia. da sobrevivência e o poder
do guerreiro. Ao mesmo
Só se ativa um elemen- tempo, reúne a sabedoria
to ao conhecer seu nome e das folhas, (Ossayn),das
sua aplicação. matas, remédios e receitas
naturais, banhos, fumaça-
Resumidamente e das e defumações, garra-
bem a grosso modo, é o fadas e chás que compõem
que podemos dizer como seu conjunto de trabalho
aforismo sobre o uso das nessa farmácia natural.
folhas nas casas de santo.

36
O O r i x á d a s f o l h a s

Já nas casas de santo, o sempre a vida do iniciado. E


dia de trabalho do babalos- as ervas estão presentes em
sanyn começa antes do sol todos os processos de magia
nascer. É ele o responsável dentro dos cultos de matriz
pela colheita, preparo e ma- africana.
nutenção dos aparatos ve-
getais. Sem folha não há Ori- Seja na Umbanda, seja
xá, e sem seu manipulador no Candomblé, a presença
natural não há o culto. viva das ervas é uma rea-
lidade. Seja em nome de
O cuidado e conheci- Ossayn, ou, na Umbanda e
mento com as ervas é fator Catimbó, em nome da Ju-
importantíssimo. Há uma rema, a erva desempenha
regra que diz que ninguém seu papel sustentador das
pode controlar aquilo que magias.
não conhece, por isso essa
importância. Por isso deve-se Vejamos algumas len-
conhecer o nome correto de das africanas de Ossain,
cada erva, e o verbo atuan- para que assim, nós pos-
te que irá desencadear seu samos pelo menos tentar
processo de magia, ou seja, o compreender a magnitude
processo transformador. desse maravilhoso Pai:

Ninguém usa magia LENDA 1


para ficar como está. Magia Ossain recusa-se a cortar
é força transformadora, e as ervas miraculosas.
usamos dessa força quando
queremos mudar o estado Ossain era o nome de um
de alguma coisa. Pensando escravo que foi vendido a
por esse ângulo, uma inicia- Orunmilá. Um dia ele foi à
ção é um processo de ma- floresta a lá conheceu Aro-
gia, pois transformará para ni, que sabia tudo sobre as

37
O O r i x á d a s f o l h a s

plantas. Aroni, o gnomo de Orunmilá a receitar a aca-


uma perna só, ficou amigo bou sendo conhecido como o
de Ossain e ensinou-lhe todo grande médico que é.
o segredo das ervas.
LENDA 2
Um dia, Orunmilá, de- Ossain dá uma folha para
sejoso de fazer uma grande cada Orixá.
plantação, ordenou a Ossain
que roçasse o mato de suas Ossain, filho de Nanã e irmão de
terras. Diante de uma planta Oxumarê, Euá e Obaluayê, era
que curava dores, Ossain ex- o senhor das folhas, da ciência e
clamava: “Esta não pode ser das ervas, o orixá que conhece o
cortada, é a erva as dores”. segredo da cura e o mistério da
Diante de uma planta que vida. Todos os orixás recorriam
curava hemorragias, dizia: a Ossain para curar qualquer
“Esta estanca o sangue, não moléstia, qualquer mal do cor-
deve ser cortada”. Em fren- po. Todos dependiam de Ossain
te de uma planta que curava na luta contra a doença. Todos
a febre, dizia: “Esta também iam à casa de Ossain oferecer
não, porque refresca o corpo”. seus sacrifícios. Em troca Os-
E assim por diante. sain lhes dava preparados má-
gicos: banhos, chás, infusões,
Orunmilá, que era um pomadas, abô, beberagens, etc.
babalawo muito procurado
por doentes, interessou-se Curava as dores, as feri-
então pelo poder curativo das, os sangramentos; as di-
das plantas e ordenou que senterias, os inchaços e fratu-
Ossain ficasse junto dele nos ras; curava as pestes, febres,
momentos de consulta, que o orgãos corrompidos; limpava
ajudasse a curar os enfermos a pele purulenta e o sangue
com o uso das ervas miracu- pisado; livrava o corpo de to-
losas. E assim Ossain ajudava dos os males.

38
O O r i x á d a s f o l h a s

Um dia Xangô, que era o as folhas retornaram para Os-


deus da justiça, julgou que to- sain. As que já estavam em po-
dos os Orixás deveriam com- der de Xangô perderam o Axé,
partilhar o poder de Ossain, perderam o poder da cura.
conhecendo o segredo das
ervas e o dom da cura. Xangô O Orixá Rei, que era um
sentenciou que Ossain dividis- orixá justo, admitiu a vitória
se suas folhas com os outros de Ossain. Entendeu que o
Orixás. Mas Ossain negou-se a poder das folhas devia ser ex-
dividir suas folhas com os ou- clusivo de Ossain e que assim
tros Orixás. Xangô então orde- devia permanecer através
nou que Iansã soltasse o vento dos séculos. Ossain, contudo,
e trouxesse ao seu palácio to- deu uma folha para cada Ori-
das as folhas das matas de Os- xá, deu uma euê (ewé) para
sain para que fossem distribuí- cada um deles.
das aos Orixás. Iansã fez o que
Xangô determinara. Gerou um Cada folha com seus
furacão que derrubou as folhas axés e seus efós, que são as
das plantas e as arrastou pelo cantigas de encantamento,
ar em direção ao palácio de sem as quais as folhas não
Xangô. Ossain percebeu o que funcionam. Ossain distribuiu
estava acontecendo e gritou: as folhas aos orixás para que
“Euê Uassá!”. eles não mais o invejassem.
Eles também podiam realizar
proezas com as ervas, mas
“As folhas funcionam!” os segredos mais profundos
ele guardou para si. Ossain
não conta seus segredos para
Ossain ordenou às folhas ninguém, Ossain nem mesmo
que voltassem às suas matas fala. Fala por ele seu criado
e as folhas obedeceram às or- Aroni.
dens de Ossain. Quase todas

39
O O r i x á d a s f o l h a s

Os Orixás ficaram gra- Amor e Bom Senso, souber


tos a Ossain e sempre o re- se dirigir a elas e clamar por
verenciam quando usam as cura (de nossos conceitos),
folhas. conhecimento (de como fa-
zer) e sabedoria (de como
(do Livro Mitologia dos Orixás usar o conhecimento).
de Reginaldo Prandi ) [ Lenda 71
do Livro Mitologia dos Orixás de Sucesso e muita saúde
Reginaldo Prandi ] a todos. Bênçãos das folhas
em nossas vidas!
MORAL DA HISTÓRIA:
Salve Ossain, Salve
Na lenda 1, entendemos e Oxóssi, Salve Mãe Terra, Sal-
aprendemos que por mais ve Mãe Natureza, e Salve as
poderoso que seja o baba- Forças de Jurema!
laô, é vital que tenha junto
consigo a força das ervas. E
na lenda 2, entendemos que
na Divina Criação, todas as
forças se completam, ou
seja, é vital que cada Orixá
tenha seu axé no reino ve-
getal também.

Aqui temos um compa-


rativo bem superficial desse
universo maravilhoso que
é o reino vegetal. Há muito
para aprender e as folhas são
verdadeiras enciclopédias,
dispostas a ensinar quem,
com coração aberto, muito

40
MAGIA COM ERVAS PARA
POTENCIALIZAÇÃO DA ENERGIA
MASCULINA OU FEMININA
PARA ENERGIA FEMININA

Material:

01 - Mix Especial de ervas - Artemísia, Malva


e Hortelã.
(dividido em dois pacotes no kit #Banho e #Defumação)
01 - Vela Vermelha
01 - Carvão Disco - Instantâneo

Em seu altar ou qualquer local a seu dese-


jo, acenda a vela vermelha e ofereça para Força
Feminina Divina, Pombagira. Acenda o carvão e
coloque as ervas #Defumação.
Passe com a fumaça por todos ambientes
fazendo sua oração de preferência pedindo
para a sagrada força vegetal feminina purificar,
imantar e energizar o ambiente.
Numa bacia ou balde, coloque as ervas do
#Banho e preencha com 01 litro de água fer-
vente. Faça a Oração de Ativação das Ervas
(vide página 45).

Depois de 10 minutos coloque água em


temperatura ambiente até que fique agradável
e uma colher de mel.

43 Prática 4 | Magia com ervas para potencialização da energia


PARA ENERGIA MASCULINA

Material:

01 - Mix Especial de ervas - Levante, Jurema


Preta e Cravo da Íncia.
(dividido em dois pacotes no kit #Banho e #Defumação)
01 - Vela Preta.
01 - Carvão Disco - Instantâneo

Em seu altar ou qualquer local a seu de-


sejo, acenda a vela preta e ofereça para Força
Masculina Divina, Exu. Acenda o carvão e colo-
que as ervas #Defumação.
Passe com a fumaça por todos ambientes
fazendo sua oração de preferência pedindo
para a sagrada força vegetal masculina purifi-
car, imantar e energizar o ambiente.
Numa bacia ou balde, coloque as ervas do
#Banho e preencha com 01 litro de água fer-
vente. Faça a Oração de Ativação das Ervas
(vide página 45).

Depois de 10 minutos coloque água em


temperatura ambiente até que fique agradável
e uma colher de cachaça.

44 Prática 4 | Magia com ervas para potencialização da energia


45 Prática 4 | Magia com ervas para potencialização da energia
Esse eBook possui direitos autorais. Estão
expressamente proibidas quaisquer ou-
tras formas de utilização ou reprodução
tais como: editar, adicionar, reduzir e prati-
car qualquer ato de comercialização.

A violação de quaisquer desses direitos


exclusivos do titular, acarretará a sanções
previstas na Lei 5988 de 14/12/1973 ar-
tigos 184 e 186 do Código Penal e Lei de
Direitos Autorais (Lei 9610/1998).
acesse agora
#EUSOUUMBANDA