Você está na página 1de 20

FUVEST 2019

1ª Fase − Conhecimentos Gerais (28/04/2019)

MEDICINA

ASSINATURA DO CANDIDATO

PROVA DE INSTRUÇÕES
CONHECIMENTOS
GERAIS 1. Só abra este caderno 5. Preencha a folha 7. Durante a prova, são
quando o fiscal autorizar. óp�ca de respostas com vedadas a comunicação
28.04.2019 cuidado, pois, em caso entre candidatos e a
2. Verifique, na capa deste de rasura, ela não poderá u�lização de qualquer
caderno, se seu nome ser subs�tuída e o uso material de consulta,
está correto e se sua de corre�vo não será eletrônico ou impresso,
folha óp�ca de respostas permi�do. e de aparelhos de
pertence ao grupo V. telecomunicação.
6. Duração da prova:
3. Este caderno compõe-se cinco horas. Não haverá 8. O candidato poderá
de 90 questões obje�vas. tempo adicional para re�rar-se do prédio
Em cada questão, há 5 transcrição de gabarito após 1 hora do
alterna�vas, sendo correta para a folha óp�ca de início da prova.
apenas uma. respostas.
9. Ao final da prova, é
4. Assinale a alterna�va obrigatória a devolução
que você considera deste caderno de
correta, preenchendo o questões e da folha óp�ca
círculo correspondente na de respostas. Poderá ser
folha óp�ca de respostas, levado somente o gabarito
u�lizando necessariamente provisório de respostas.
caneta esferográfica de
�nta azul ou preta.
01 05
Brenda e Carol são amigas e possuem juntas 78 anéis de ouro. A imagem abaixo representa a maquete de um projeto realizado
Brenda, que possuía mais anéis, deu a Carol o dobro do número por alunos de um curso de edificações, como proposta de refor-
de anéis que Carol possuía. Nesse momento, Carol ficou com mais ma de uma praça.
anéis que a amiga e deu a Brenda 10 anéis. No final dessas duas Nesta imagem, o quadrado ABCD__ está inscrito na circunferência
transações, Brenda ficou com dois anéis a mais do que Carol. de centro O e raio de medida 2​​√ 2  ​cm.

Desse modo a quantidade de anéis que Brenda e Carol, respec-


tivamente, possuíam no início era:
(A) 62 e 16
(B) 60 e 18
(C) 50 e 28
(D) 18 e 60
(E) 16 e 62

02
Um instituto de pesquisa ao entrevistar 100 jovens, verificou que:
§§ dos que usam telefone celular, 12 usam tablet.
§§ a metade dos que usam telefone celular não usa tablet.
§§ 70% dos que usam tablet não usam telefone celular.

Com base nessas informações, pode-se afirmar que o número Os vértices E e F do quadrado EFGH pertencem ao lado ​​CD​​ e os
de jovens que não usam telefone celular e nem tablet é igual a: vértices G e H pertencem à circunferência. Assim, pode-se afir-
(A) 35 mar que medida do lado do quadrado EFGH, em cm, é igual a:
(B) 48 (A) 0,8.
(C) 50 (B) 0,75.
(D) 78 (C) 1,0.
(E) 83 (D) 0,73.
(E) 1,2.

03
Um grupo de 4 trabalhadores rurais, trabalhando 8 horas por 06
dia, consegue carpir uma fazenda em 60 dias. Se forem usados Carlos, em seu caderno de geometria, desenha o triângulo OYZ,
6 trabalhadores rurais, trabalhando 5 horas diárias e mantendo cujo ângulo interno em O é igual a 90 graus, além disso, em seu
o mesmo ritmo, o número de dias para carpir a mesma fazenda desenho, o ponto H no lado YZ é o pé da altura traçada do vérti-
será igual a: ce O e M é o ponto médio do lado YZ.
(A) 32 ​^​ ​^​
Nessa figura, sabe-se que Y​​ ​-  2​​Z ​​ = 10 graus. Desse modo a medi-
(B) 57 da do ângulo HÔM vale:
(C) 60
(D) 64  170
(A) ​​____
    ​​graus.
3
(E) 100 (B) 143 graus.
 110
(C) ​​____
    ​​graus.
3
04
Um iogurte tem, em sua composição, 30% de leite tipo A e 70% (D) 50 graus.
de leite tipo B. Numa dada época, o custo do litro de leite tipo (E) 80 graus.
B era o dobro do litro do leite tipo A. Sabendo-se que os preços
do leite tipo A e do leite tipo B sofreram reajustes de 10% e 40% 07
respectivamente, esses aumentos fizeram com que o custo do Um fabricante de pneus verifica que seus clientes não têm com-
iogurte tivesse um aumento de: prado mais de 50 unidades de seus produtos por compras. Para
(A) 33,8% incentivar as compras em maior quantidade, ele estabelece um
(B) 34,7% preço unitário p por pneu dado pela função p(x) = 400- x, onde x
(C) 35,3% é a quantidade de pneus comprados, considerando uma compra
(D) 36,7% de, no máximo, 300 pneus.
(E) 37,1%
Sendo assim, a receita máxima que essa empresa pode ter quan-
do fechar uma venda com um determinado cliente, em reais, é de:
(A) R$ 300,00.
(B) R$ 400,00.
(C) R$ 15.000,00.
(D) R$ 40.000,00.
(E) R$ 100.000,00.

3
08 12
Uma editora lança livros de matemática que trazem na capa um A partir de uma folha de cartolina corta-se um paralelogramo tal
desafio aos seus leitores. O livro destinado a funções traz o se- que a diagonal menor divide um de seus ângulos internos em
guinte desafio: dois outros, um deles de medida b e o outro de medida 2 b. A
razão entre o maior e o menor lado do paralelogramo é
Seja f(x) uma função tal que para todo número real x temos que
xf(x − 1) = (x − 3)f(x) + 3. Então, f(1) vale? (A) 2
(B) sen 2 b
Desse modo a resposta correta ao desafio é
sen 2 b
(A) 0. (C) ​​_______
    
​​ 
(B) 1. sen b
(C) −1. (D) cos 2 b
(D) −2. (E) 3 tg b
(E) 8.
13
09
Uma empresa de logística estampa seu logotipo na camisa de Considere as afirmações abaixo a respeito da relação entre pola-
seus funcionários conforme a figura abaixo, onde CÂD = 30°, ridade, geometria molecular e forças intermoleculares de algu-
  mas substâncias.
​​AC​ ​= 2 cm e ​​BC​ ​= 4 cm.
I. A molécula de dióxido de carbono, CO2, apresenta geometria
linear e ligações covalentes apolares entre os átomos de oxi-
gênio e carbono.
II. As substâncias H2S e H2O apresentam geometria angular e
a temperatura de ebulição da água maior que a do ácido
sulfídrico.
 III. O tetracloreto de carbono, CCl4, apresenta geometria tetraé-
Sabe-se ainda que AC ⊥ CB e AD ⊥ DB. Portanto a medida BD​
​​ ​, 
drica, ligações covalentes polares e é uma molecular apolar
em cm, é__igual a
pois o momento de dipolo é igual a zero.
(A) 6 +__​​√ 3  ​
IV. Os gases CH4, NH3 e H2S estão em ordem crescente de tem-
(B) 6​​√__
3  ​– 3
peraturas de ebulição, conforme indicado:
(C) 2​​√__
3  ​– 1
(D) 4​​√ 3  ​– 1 CH4 < H2S < NH3
(E) 6
Quais afirmativas estão corretas?
10 (A) I, II, III e IV
Um supermercado lança uma promoção entre seus clientes (B) II, III e IV
onde aquele que acertar um problema matemático ganha um (C) I, II e III
carro 0 km. Tal problema é enunciado abaixo: (D) I, III e IV
Em uma divisão, a soma do resto r, divisor d e dividendo D é 178. (E) III e IV
Se o quociente é 7 e o resto é o maior valor possível, qual o valor
da soma do dividendo com o resto? 14
De acordo com o enunciado acima a solução correta para o pro- Um aluno de um cursinho, ao ter passado em primeiro lugar no
blema é: vestibular, ganhou, como premiação, uma bicicleta de ouro, com
(A) 160 8 kg de massa. Desconfiado de haver prata em sua composição,
(B) 156 usou seus conhecimentos de química e física, adquiridos em
(C) 143 toda a sua preparação para o vestibular. Ele resolveu mergulhar
(D) 122 sua bicicleta em um recipiente contendo água e verificou que o
(E) 90 deslocamento da água correspondeu a um volume de 560 cm3.

11 Sabendo que a massa específica do ouro e prata são, respectiva-


Em um dia de forte chuva, vários alunos da escola progresso fal- mente, 20 g ⋅ cm-3 e 10 g ⋅ cm-3, o aluno pode concluir que existe,
taram. A razão R entre o número de alunos e o número de alunas na barra, uma massa em prata equivalente, em gramas, igual a:
que foram a escola nesse dia é dado pela expressão: (A) 320 g
(B) 1200 g
(C) 240 g
(D) 32 g
(E) 3200 g
. Sabendo que m + n = -2 e a/b = 2, pode-se
afirmar que R vale:
(A) 1/2
(B) 1/4
(C) 1/6
(D) 1/8
(E) 1/10

4
15 18
O metanal é o mais simples dos aldeídos, sendo um gás incolor A partir dos seus conhecimentos sobre misturas, considere o se-
em condições ambientes e de cheiro característico e irritante. guinte sistema, constituído por duas pedras de gelo, 100 mL de
Quando exposto ao ar, oxida conforme a equação balanceada: água, 100 mL de hexano (C6H14) e 45 g de NaCl

CH2O + 1/2O2 → CH2O2 Sistema: gelo, água líquida, hexano (C6H14) e cloreto de sódio (NaCl)
Um estudante de química deseja separar e purificar o hexano
Uma amostra de 400 g de metanal foi exposta ao ar por aproxi-
para utilizá-lo posteriormente como solvente em uma síntese
madamente 1 mês e depois pesada novamente com o auxílio de
orgânica. Assinale a alternativa que descreve corretamente o
uma balança analítica, sendo que houve um acréscimo de massa
sistema supracitado e o método de separação mais adequado
em 128 g. A porcentagem desse composto que foi oxidada no
para a obtenção do hexano.
período foi de (A) O sistema é trifásico e contêm quatro substâncias químicas
(A) 40% diferentes. O método de separação mais adequado é uma
(B) 50% filtração simples seguida de destilação fracionada.
(C) 60% (B) O sistema é trifásico e contêm quatro substâncias químicas
(D) 80% diferentes. O método de separação mais adequado é uma
(E) 90% sifonação seguida de destilação simples.
(C) O sistema é tetrafásico e contêm apenas três substâncias
Note e adote: químicas diferentes. O método de separação mais adequado
Massas molares (g/mol): é uma decantação seguida de destilação fracionada.
CH2O = 30; O2 = 32 (D) O sistema é tetrafásico e contêm apenas três substâncias
Considere que não houve perda de metanal ou do produto de químicas diferentes. O método de separação mais adequado
oxidação por evaporação. é uma filtração simples seguida de um funil de decantação.
(E) O sistema é tetrafásico e contêm quatro substâncias quími-
16 cas diferentes. O método de separação mais adequado é
Um hidrocarboneto gasoso de fórmula geral CnH2n+2 sofreu uma uma cristalização fracionada seguida de destilação simples.
reação de combustão completa, liberando gás carbono e água.
Sabe-se que a densidade desse hidrocarboneto gasoso é 1,96 g ⋅ L-1 Note e adote:
e que a reação ocorreu sob condições normais de temperatura Considere a densidade da água e o coeficiente de solubilidade
e pressão (CNTP). do NaCl a 25°C
Calcule o volume, em litros, liberado de CO2 pela reação de com- dágua = 1,00 g⋅cm-3
bustão de 4,4 g desse hidrocarboneto Coeficiente de solubilidade NaCl = (36 g de NaCl / 100 g de H2O)
(A) 67,2L
(B) 22,4L
(C) 112L 19
(D) 89,6L Leia o trecho de uma reportagem do jornal O Esta-
(E) 6,72L dão, de fevereiro de 2012, e responda à pergunta.
Note e adote: Remédios para tratar intoxicação por radiação devem ser apro-
Massas molares (g/mol): vados nos próximos anos. Por enquanto, o único tratamento dis-
C = 12; H = 1 ponível são as cápsulas de iodo que impedem a fixação de iodo
Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP): radioativo no organismo. Mas não há qualquer terapia para os
P = 1 atm; T = 273K; Vmolar = 22,4L efeitos fisiológicos da radiação. Cinco drogas já apresentam re-
Constante Universal dos gases (R): R = 0,082 atm⋅L⋅mol-1⋅K-1 sultados promissores.
Disponível em: <https://www.estadao.com.br/noticias/
geral,pela-1-vez-drogas-contra-intoxicacao-radioativa-alcancam-
17 bons-resultados-imp-,835089> Acesso em 18 abr. 2019
Para o estudo de substâncias radioativas utiliza-se o parâmetro
de meia-vida, que indica o tempo necessário para que a massa O iodo é armazenado na tireoide, se o iodeto de potássio for
de uma certa quantidade de radioisótopos se reduza à metade administrado em comprimidos de altas doses, a glândula ficará
de seu valor. O ítrio-90, um emissor beta, apresenta meia vida sobrecarregada e não conseguirá mais absorver iodo – nem o
de 6 dias, sendo empregado principalmente no tratamento de inofensivo e nem o radioativo. Em caso de acidentes é recomen-
inflamações nas articulações. Considere que o ítrio-90 permane- dado a ingestão de 4 comprimidos de 83 mg de iodeto de potás-
ceu 18 dias no corpo do paciente após a sua aplicação. Assim, o sio cada, para um adulto, logo após o contato com a radiação.
produto de seu decaimento radioativo e o percentual de ítrio-90
Seguindo as recomendações, quantos mililitros de uma solução
que permaneceu no organismo são, respectivamente:
2% de iodeto de potássio devem ser ingeridos por um adulto
(A) 89
39
Y e 12,5% exposto à radiação?
(B) 40Sr e 12,5%
89
(A) 3,2 mL
(C) 90
40
Zr e 12,5% (B) 166 mL
(D) 40Sr e 25%
89 (C) 16,6 mL
(D) 33,2 mL
(E) 91 Zr e 25%
39 (E) 332 mL
Note e adote: Note e adote:
Ítrio = 90
39
Y O iodo é administrado na forma de iodeto de potássio (KI)

5
20 I. Os elementos químicos A e C formam um composto iônico,
Na série “La casa de papel”, da Netflix, um dos protagonistas da cuja fórmula molecular é AC.
história tem a intenção de envenenar uma senhora utilizando II. O elemento químico C é um líquido nas condições ambien-
dioxina, que não corresponde a apenas uma substância, mas a tais de temperatura e pressão (25 °C e 1 atm).
um grupo de compostos orgânicos perigosos. A molécula mais III. O raio atômico do elemento químico A é maior que o raio
simples é a 1,4-dioxina, e sua formula é C4H4O2. Sua estrutura atômico dos elementos químicos B e C.
molecular está representada abaixo: IV. O elemento químico B é mais eletronegativo que o elemento
químico C.
Assinale a alternativa que apresenta somente afirmação(ões)
verdadeira(s).
(A) I, II e III
Sobre a 1,4-dioxina e tendo como base seus conhecimentos so- (B) I e II
bre forças intermoleculares, pode-se afirmar que: (C) I, II e IV
(A) é uma molécula apolar e, portanto, as interações intermole- (D) II, III e IV
culares que prevalecem são as de repulsão de London. (E) I e III
(B) é uma molécula polar por conta dos grupos oxigenados; logo,
o tipo de interação realizada será dipolo permanente-dipolo 23
permanente. Considere o seguinte hidrocarboneto abaixo:
(C) é uma molécula lipossolúvel, pois é capaz de realizar ligações
de hidrogênio com outras moléculas.
(D) é uma molécula hidrossolúvel, pois contém oxigênio em sua
estrutura, possibilitando, majoritariamente, a formação de
ligação de hidrogênio.
(E) é uma molécula polar, pois, por conter oxigênio em sua estru-
tura, permite a formação de diversas ligações de hidrogênio.
I. O nome oficial IUPAC desse hidrocarboneto é 3,4-dietil-
21 -5-metil-oct-2,5-dieno.
É muito importante dar atenção à pressão dos pneus. Além de II. O nome oficial IUPAC desse hidrocarboneto é 5,6-dietil-
ser fundamental para a segurança do veículo, uma calibragem -4-metil-oct-3,6-dieno.
adequada aumenta consideravelmente o desempenho. A pres- III. A fórmula molecular desse hidrocarboneto é C13H24 e, por-
são abaixo da recomendada diminui a vida útil dos pneus e com- tanto, é classificado como um alcadieno.
promete a dirigibilidade do carro, podendo ocasionar acidentes IV. O hidrocarboneto apresenta cinco carbonos primários, qua-
graves. Em geral, considera-se uma pressão de 30 psi como ideal tro carbonos secundários e quatro carbonos terciários.
para os pneus. Pressões abaixo ou iguais a 25 psi são, normal- V. A cadeia carbônica desse hidrocarboneto é classificada como
mente, consideradas prejudiciais ao desempenho do pneu. aberta, ramificada, insaturada e homogênea.
Em um dia ensolarado de 27 °C, um rapaz foi calibrar os pneus Assinale a alternativa que apresenta somente afirmação(ões)
de seu carro em um posto de gasolina. Ao conectar um dos verdadeira(s).
pneus ao calibrador, percebeu que ele estava com pressão de
20 psi. Então, o pneu foi calibrado até a pressão ideal. Considere (A) I, II e III.
que a temperatura do ar dentro do pneu estava em equilíbrio (B) II, IV e V.
térmico com a atmosfera no início da calibragem, que não houve (C) I, III e V.
variação de volume do pneu durante o processo de calibração e (D) I, III e IV.
que o ar dentro do pneu seja um gás ideal. A temperatura final (E) III, IV e V.
do ar dentro do pneu é de:
(A) 177 °C. 24
(B) 115 °C. Analise as seguintes afirmativas a respeito dos tipos de transfor-
(C) 87 °C. mações termodinâmicas de um gás.
(D) 65 °C. I. Em uma transformação isocórica o volume do gás permane-
(E) 55 °C. ce constante.
II. Em uma transformação isobárica a pressão do gás permane-
22 ce constante.
Os elementos químicos A, B e C apresentam as seguintes distri- III. Em uma transformação isotérmica a temperatura do gás per-
buições eletrônicas em suas camadas de valência: manece constante.
IV. Em uma transformação adiabática variam o volume, a pres-
A: 1s22s22p63s1
são e a temperatura.
B: 1s22s22p63s23p1
C: 1s22s22p63s23p64s23d104p5 Em relação as quatro afirmativas acima, podemos dizer que:

A partir das distribuições eletrônicas analise as seguintes afir- (A) só I e III são verdadeiras.
mativas: (B) só II e III são verdadeiras.
(C) I, II, III e IV são verdadeiras.
(D) todas são falsas.
(E) só I é verdadeira.

6
25 A

A respeito da primeira lei da Termodinâmica, marque a alterna-


tiva incorreta:
(A) A primeira lei da Termodinâmica trata da conservação da
energia. D
(B) Em uma transformação isotérmica, a variação da energia in-
terna é nula.
(C) Em uma transformação isocórica, não haverá realização de
trabalho. B
(D) Em uma transformação adiabática, o trabalho será realizado 2D
Q
sobre gás quando a variação da energia interna é positiva.
(E) A primeira lei da Termodinâmica diz que o calor fornecido a (A) 6,3 × 102 J
um gás é igual a diferença entre o trabalho realizado pelo gás (B) 6,3 × 10-6 J
e a sua variação da energia interna. (C) 6,3 ×10-1 J.
(D) 6,3 × 10-2 J.
26 (E) 6,3 × 10-3 J.
Em uma impressora a jato de tinta, gotas são ejetadas de um pul-
verizador em movimento, passam por uma unidade eletrostática Note e adote: k = 9 × 109 N m2/C2.
onde perdem alguns elétrons, adquirindo uma carga q, e, a seguir,
se deslocam no espaço entre placas planas paralelas eletricamen- 28
te carregadas, pouco antes da impressão (figura abaixo). Um certo modelo meteorológico fornece a probabilidade de
ocorrerem chuvas em cidades da Baixada Santista. A equação
E
obtida pelo modelo é dada abaixo:

​​T  ​K . v2 2,7
p (%) = 100  __
- uc/T
v T0
0,30 mm Onde T é a temperatura ambiente, no momento do cálculo,
T0 = 35 °C, v é a velocidade do vento, u é a umidade relativa do
ar, K e c são constantes. Determine a unidade da constante K no
sistema internacional de medidas.

2,0 cm
(A) s2/m².
(B) h2/km2.
Desconsiderando-se a força da gravidade, a aceleração da gota (C) °C s2/m2.
na vertical é dada por (D) °C.
qE (E) K.
a = ___
​​   ​ ​
M
Onde E é o módulo do campo elétrico uniforme vertical e M é 29
a massa da gota. Considere gotas lançadas com velocidade de Um veículo A percorre um trecho retilíneo de um trajetória a
módulo v = 20 m/s entre placas de comprimento igual a 2,0 cm, velocidade constante de 54 km/h. Ao mesmo tempo, um outro
no interior das quais existe um campo elétrico vertical uniforme, veículo B em movimento uniforme, percorre o mesma trajetória,
cujo módulo é E = 8,0 × 104 N/C. Sabendo-se que uma gota de porém, a 2 km à frente do veículo A e com velocidade vB = 36 km/h.
massa M = 2 × 10-8 kg sofre um desvio de 0,30 mm ao atingir o Sabe-se que T = 10 min depois do primeiro encontro entre os
final do percurso, determine o módulo da carga elétrica q. automóveis, o veículo A realiza uma trajetória circular de raio
(A) 3,0 × 10-10 C. R = 500 m, mantendo e mesma velocidade anteiro e, em segui-
(B) 1,5 × 10-10 C. da, retorna ao percurso descrito inicialmente, mas, em sentido
(C) 0,75 × 10-10 C. contrário. Sendo assim, a alternativa que melhor representa a
(D) 1,5 × 10-9 C. razão entre o tempo decorrido do primeiro encontro T1 e o se-
(E) 1,5 × 10-11 C. gundo encontro T2 bem como o seu conjunto numérico é?
T 21
(A) ​​__
  1 ​​= ​​ ___  ​​ ∈R.
27 T2 10
Uma carga elétrica de intensidade Q = 7 µC gera um campo elé- T 10
trico nos pontos A e B, conforme a figura abaixo. Sendo D = 1 m, (B) ​​ __1 ​​= ​​ ___ ​​ ∈N.
T2 42
determine o módulo do trabalho realizado pela força elétrica T 10
para levar uma carga q = 2 µC do ponto A ao ponto B. (C) ​​ __1 ​​= ​​ ___ ​∈N.
T2 21
T 42
(D) ​​ __1 ​​= ​​ ___ ​∈Q.
T2 10
T 10
(E) ​​__
  1 ​​= ​​ ___  ​∈Q.
T2 21

Note e adote: Desconsidere as dimensões dos veículos.


π≈3

7
30 realiza o procedimento com a partícula negativa e, após um tem-
Um estudante de física, analisando o comportamento entre dois po Te, nota que o detector A capta a presença desta mesma.
tipos de gases, um monoatômico e outro diatômico, chegou aos Logo em seguida, realiza a experiência com a partícula positi-
seguintes resultados dados pela tabela abaixo: va, e após um tempo Tp, o detector B emite um sinal devido a
detecção desta carga. Sabendo que a diferença de potencia en-
Varia- Variação Massa Massa do Experi- tre as placas é U = 3200 V qual das alternativas abaixo expressa

(  )
ção de de tempe- do gás gás diatô- mento Tp 2
energia ratura(°C) monoatô- mico(g) corretamente ​​__
​   ​ ​​ ?
Te
interna(J) mico(g) (A) 4/15 ⋅ 104
8300 50 80 16 1 (B) 3/16 ⋅ 104
8300 50 400 284 2 (C) 5/16 ⋅ 103
(D) 7/16 ⋅ 103
Com base na tabela, os gases utilizados no experimento 1 e no (E) 3/15 ⋅ 104
experimento 2 foram, respectivamente:
(A) He e Kr; Ne e Cl2.
(B) He e H2; Ne e Cl2.
33
Com o objetivo de analisar a influência do campo elétrico de três
(C) H2 e Cl2; Ne e Kr.
cargas puntiformes fixas e colineares sobre um ponto P, um pro-
(D) Ar e Cl2; H2 e Ne.
fessor de física realizou os seguintes procedimentos:
(E) Ne e H2; Ar e Cl2.
I. Sobre uma reta r colocou um carga -Q a uma distância d do
Note e adote: ponto P de tal forma que d seja a menor distância entre a
Considere o sistema adiabático e com volume constante. reta e o respectivo ponto;
Os gases são ideais. II. Posteriormente, dispôs duas cargas Q, ambas equidistantes
Constante universal dos gases: R = 8,3 J/(mol⋅K) de –Q a um valor de d​​ XX
3  ​​d; também sobre a reta r;
Massas molares: III. Após tais realizações, o professor calculou o campo elétrico
He = 4 g/mol. Kr = 84 g/mol. Ar = 40 g/mol. resultante sobre o ponto P, encontrando um valor E.
H2 = 2 g/mol. Ne = 20 g/mol. Cl2 = 35,5 g/mol.
Capacidade molar de um gás diatômico a volume constante = 5R/2. Com nas informações acima, o valor E obtido pelo docente em
função de k, Q e d, corresponde a qual das alternativas:
Q
3 ​​k ⋅  ​​__
31 (A) E = ​​ __   ​​
4 d2
“O Sol e as estrelas mais próximas encontram-se a aproxima-
​ XXX19  ​ Q
(B) E = ____
​​      ​​k ⋅  ​​__2  ​​
d
damente 30 000 anos-luz do centro desse sistema solar do qual 4 d
fazemos parte. Este sistema é a nossa Galáxia, usualmente de-
​ XX
___
d 3 ​  __ Q
nominada Via Láctea, e que contém em torno de 100 bilhões de (C) E = ​​    ​​k ⋅  ​​ 2  ​​
16 d
estrelas. A distribuição das estrelas na nossa Galáxia é princi- Q
​ XXX
____
d 19  ​ __
palmente sob a forma de um disco que possui um movimento (D) E = ​​   ​​ k ⋅  ​​ 2  ​​
16 d
de rotação em torno do seu centro. A velocidade do Sol e das
3 ​  Q
​ XX
(E) E = ___
​​    ​​k ⋅  ​​__2  ​​
d
estrelas da sua vizinhança em torno desse centro é de 250 km/s.”
12 d
ASTRONOMIA: Uma visão Geral do Universo Org:
Amâncio C. S. Friaça; PINO,Elisabete Dal; Vera Jatenco 34
S. Pereira; SODRÉ Jr, Laerte;EDUSP 2ªED. Ao analisar a expansão sofrida por uma gás ideal segundo o gráfico
Suponha que o Sol esteja contido nesse disco e realize um mo- abaixo, uma jovem com grandes conhecimentos em física decidiu cal-
vimento circular e uniforme com um raio igual ao descrito no cular a massa de um êmbolo móvel que mantinha o sistema fechado
texto. Além disso, sabe-se que o Sol tem cerca de 5 bilhões de no final do processo. Assim, realizou o seguinte procedimento:
anos. Com base nessas informações, o número de voltas realiza-
§§ Para isso, mediu a altura final do êmbolo em relação a base do
das pela nossa principal estrela durante seu período de existên-
cia será mais próximo de: cilindro que formava o sistema, obtendo um valor de h = 20 cm.
(A) 20 voltas. pressão x volume
(B) 15 voltas. 10
Pressão (105 Pa)

(C) 22 voltas. 9
(D) 32 voltas.
8
(E) 52 voltas.
7

32 6
Com o objetivo de analisar a trajetória de partículas eletrizadas 5
em um campo elétrico uniforme, um cientista monta a seguinte
aparelhagem ilustrada abaixo: 4

0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
volume (106 m3 )
Durante a experiência, o pesquisador observou as trajetórias fei-
tas por um elétron e um próton, ambos adentrando na região de
campo elétrico uniforme, equidistantes às placas eletrizadas e
com velocidades iguais, na horizontal. Num primeiro momento,
8
Com base no gráfico e no procedimento descrito, a massa do 37
êmbolo encontrada pela jovem foi igual a: Durante um ano, houve a contagem do número de indivíduos de
(A) 240 g. duas espécies de peixes em um rio no interior de São Paulo. A
(B) 340 g. variação nas populações é representada no gráfico abaixo:
(C) 180 g.

número de indivíduos
(D) 480 g.
(E) 280 g.
espécie 1
Note e adote: Volume do cilindro: V = ABASE ⋅ h espécie 2
g = 10 m/s2

35 tempo (meses)
A curva da figura abaixo é a representação gráfica da função
A partir da interpretação destes dados, pode-se dizer que a rela-
horária de um movimento retilíneo. Ela é constituída por um ção ecológica entre as duas espécies é de:
trecho de uma parábola cujo vértice está localizado no eixo s. (A) Comensalismo.
Neste movimento, pode-se afirmar que: (B) Parasitismo.
s(m) (C) Competição interespecífica.
(D) Predação.
55 (E) Inquilinismo.

38
Muitos organismos, apesar de pertencerem a grupos filogenéti-
49 cos distintos , apresentam características que parecem idênticas.
Um exemplo consiste nos morcegos, mamíferos com adaptações
ao voo, semelhantes morfologicamente às assas presentes nos
insetos. O mecanismo que explica a existência dessas similarida-
0 1 2 t(s) des entre estas espécies é chamado de:
(A) Irradiação evolutiva.
(A) a aceleração escalar é de -20 m/s2. (B) Convergência adaptativa.
(B) o espaço inicial é 47 m, a velocidade escalar inicial é nula e a (C) Evolução divergente.
aceleração é de 4 m/s2. (D) Adaptação direcional.
(C) a velocidade escalar inicial é de 49 m/s e a aceleração escalar (E) Homologia.
é nula.
(D) a velocidade média no intervalo de zero a 1 s é de 5 m/s. 39
(E) a aceleração escalar é de -2 m/s2. Sobre os eventos que compõem a sucessão ecológica:
(A) A taxa de respiração da comunidade aumenta de maneira
36 proporcional à sua biomassa.
Um mol de gás hélio é submetido a influência da temperatura (B) A teia alimentar tende a se tornar cada vez mais complexa,
sobre a velocidade média de suas moléculas. Para isto, um cien- enquanto a biodiversidade e a biomassa, mais reduzidas.
tista, após alguns dados coletados, montou o seguinte gráfico de (C) As sucessões secundárias demoram mais tempo para atingir
velocidade média x temperatura: o clímax do que as primárias, já que partem de um ambiente
totalmente devastado.
60
(D) Na comunidade clímax, quando comparada à pioneira, a bio-
velocidade média (m/s)

55
diversidade e a biomassa são maiores, enquanto a produtivi-
50 dade primária líquida é menor.
45 (E) As espécies pioneiras são normalmente plantas de médio e
40 grande porte.
35

30 40
25 Em várias regiões litorâneas do mundo, como na costa do Peru,
20 Califórnia e Rio de Janeiro, acontece o fenômeno da ressurgência.
15
Nela, há a ascendência de correntes marítimas trazendo, do fundo
do mar, grande quantidade de sais minerais. Quando isso ocorre,
10
a região torna-se altamente favorável à pesca, devido à(o):
5

0
(A) Aumento do número de consumidores, graças à baixa no
0 50 100 150 200 250 300 350 400 450 500
T(K) pH da água.
(B) Aumento do número de consumidores, que utilizam os sais
Sabendo que a curva representada obedece a seguinte função: minerais em seus processos fisiológicos.
vm = α​​dXX
T ​​,  sendo α uma constante, qual o valor obtido pelo cien- (C) Diminuição na competição entre consumidores, já que só so-
tista quando a temperatura do gás atingir 127 °C? brevivem aqueles mais bem adaptados a um ambiente rico
(A) 25 m/s em sais minerais.
(B) 32 m/s (D) Melhora nas condições da água, que se torna menos poluída
(C) 47 m/s pela grande quantidade de sais minerais na água.
(D) 50 m/s (E) Aumento do número de produtores, e consequente aumen-
(E) 65 m/s to do número de consumidores.

9
41 46
Assinale a alternativa que contém doenças causadas por nema- A autofagia é um mecanismo utilizado pelas células para digerir
telmintos. componentes citoplasmáticos, como organelas que já cumpri-
(A) Tricomoníase, filariose, ascaridíase e amarelão. ram sua vida média ou estruturas a serem degradadas durante
(B) Oxiurose, filariose, bicho-geográfico e teníase. os processos de diferenciação e de desenvolvimento embrioná-
(C) Amarelão, bicho-geográfico, filariose e cisticercose. rio. Diversos artigos recentes descrevem este processo como
(D) Amarelão, bicho-geográfico, ascaridíase e filariose. uma das defesas do organismo contra a formação de tumores.
(E) Ancilostomose, esquistossomose, filariose e ascaridíase. A autofagia é um processo atribuído à(o):
(A) Membrana plasmática.
42 (B) Complexo de Golgi.
Uma criança foi levada ao pronto-socorro com suspeita de uma (C) Centríolo.
doença causada por um protozoário, mostrando calafrios, dor (D) Peroxissomo.
de cabeça, sudorese e episódios de febre com intervalos bem (E) Lisossomo.
definidos (de três em três dias). A doença contraída por essa
criança tem como principal medida profilática: 47
Durante um estudo sobre a análise da atividade da membrana
(A) Vacinação.
plasmática de células animais, pesquisadores adicionaram eri-
(B) Combate ao vetor, com a aplicação de inseticidas e cuidados
trócitos humanos (glóbulos vermelhos) a uma solução hipotôni-
com a conservação de casas, em especial as de pau-a-pique.
ca em relação ao meio intracelular. O gráfico abaixo representa o
(C) Saneamento básico.
comportamento de quatro variáveis medidas durante o estudo
(D) Combate ao vetor, como telas e mosquiteiros nas janelas das
(T0 corresponde ao momento em que as células foram adiciona-
casas e o uso de repelentes.
das ao meio).
(E) Uso de antibióticos.
I

Variação
43
Pesquisadores cultivaram bactérias em um meio nutritivo con- II
tendo timina marcada radioativamente por algumas gerações.
Então, 100 bactérias foram retiradas deste meio e transferidas
para um novo, com bases nitrogenadas sem marcação, e manti-
das nele por três gerações, formando 800 bactérias. O número III
de bactérias que mostravam DNA marcado com a timina radioa-
tiva ao final deste experimento é:
(A) 100
(B) 200 IV
(C) 400
(D) 800 T0
(E) Nenhuma. Tempo

O volume celular e a concentração citoplasmática são indicados


44 respectivamente pelas curvas:
O filo dos Moluscos está entre os mais diversos em número de (A) II e IV.
espécies no mundo, com animais que chamam a atenção, como (B) II e III.
os polvos e as ostras. O corpo mole de todos os integrantes é a (C) I e IV.
característica que dá nome ao filo. Em relação a esses animais, é (D) IV e II.
correto afirmar que todos possuem: (E) III e II.
(A) Mobilidade e não são capazes de deixar estruturas fossilizadas.
(B) Cabeça, massa visceral e sistema circulatório fechado. 48
(C) Simetria bilateral, triblastia e celoma verdadeiro. A DOR QUE DÓI MAIS
(D) Rádula para raspar o alimento e glândulas digestivas no es-
tômago. Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói.
(E) Sistema digestório completo e sistema circulatório aberto. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói
45 cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Uma célula 2n = 2 está para entrar em divisão celular mitótica. Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma ca-
Contudo, na duplicação de seu material genético, ocorre mu- choeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se
tação em uma cromátide de um dos cromossomos. Após duas encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um
mitoses consecutivas, a porcentagem de células resultantes que amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade.
apresentam essa mutação será de: Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e me-
nos cabelos brancos. Doem essas saudades todas.
(A) 100%.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Sau-
(B) 75%.
dade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até
(C) 50%.
da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto,
(D) 25%.
sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto
(E) 0%.
e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o
10
dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas 51
quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que Luís de Camões
ninguém sabe como deter. Transforma-se o amador na cousa amada,
Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando por virtude do muito imaginar;
no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. não tenho logo mais que desejar,
Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se pois em mim tenho a parte desejada.
ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não
saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido Se nela está minha alma transformada,
às aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela que mais deseja o corpo de alcançar?
aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fuman- Em si somente pode descansar,
do Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sor- pois consigo tal alma está liada.
rindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se Mas esta linda e pura semidéia,
ela continua lhe amando. que, como o acidente em seu sujeito,
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que fica- assim co’a alma minha se conforma,
ram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe está no pensamento como idéia;
cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante [E] o vivo e puro amor de que sou feito,
de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que como matéria simples busca a forma.
nada preenche. (Cereja, William Roberto Português:linguagem:literatura e
Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com redação: 2ºgrau/William Roberto Cereja . Thereza Analia Cochar
outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais Magalhães – 2.ed.rev.e ampl. –São Paulo: Atual, 1994.)
bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e
ainda assim, doer. Todas as alternativas apresentam características do Classicismo
MARTHA MEDEIROS https://www.paralerepensar. e do texto acima, EXCETO:
com.br/a_dor_que_doi.htm (A) A lírica camoniana explora o tema amoroso sob dois enfo-
ques: o do amor sensual e o do amor platônico;
O texto aborda um sentimento nostálgico. A definição da sau- (B) O paganismo da cultura Greco-latina inspirou o amor sensual,
dade relacionada à exemplificação de situações que trazem as que advém da onda de sensualidade trazida pela Renascença.
sensações. (C) O amor platônico, que tem amplo predomínio sobre o amor
Dentro do aspecto semântico da nostalgia associada ao confor- sensual, tanto na obra de Camões quanto na de outros po-
mismo, podemos exemplificar, EXCETO: etas renascentistas, originam-se, de um lado, da lírica trova-
(A) Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. doresca e palaciana;
(B) Saudade da presença, e até da ausência consentida. (D) Entre os séculos IV e III a. C viveu o filósofo grego Platão.
(C) Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas Baseado em suas ideias, foi criado o chamado amor neopla-
sabiam-se amanhã. tônico, citado pelos humanistas e renascentistas.
(D) Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que (E) Está presente no soneto um nível linguístico sofisticado, com
ficaram mais compridos. construções sintáticas elaboradas, repletas de antíteses e pa-
(E) Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda radoxos, típicos do Classicismo.
assim, doer.
52
49 Leias as informações a seguir.
"Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e me- Desculpe, titi... Estava no teatro com o Dr. Margaride, estivemos
nos cabelos brancos." ambos a tomar chá, a conversar da titi... E vai de repente, ao
A ideia exposta pelo fragmento acima condiz com um recurso voltar para casa, ali na Rua Nova da palma, começo a pensar
de construção muito usado tanto em linguagem poética como que havia de morrer, e na salvação da minha alma, e em tudo
em narrativas. Tal recurso expõe uma definição conceitual mui- que Nosso Senhor padeceu por nós, e dá-me uma vontade de
to mais ampla. A partir dessa análise, notamos como recurso a chorar... Enfim, a titi faz favor, deixa-me aqui um bocadinho só,
no oratório, para aliviar... Muda impressionada, ela acendeu re-
presença de:
verentemente, uma a uma, todas as velas do altar. [...] Depois
(A) metáfora. em silencio desapareceu, cerrando o reposteiro com recato. Eu
(B) paradoxo. ali fiquei sentado na almofada da titi, coçando os joelhos, suspi-
(C) eufemismo. rando alto - e pensando na viscondessa de Souto
(D) metonímia. [...]. (QUEIRÓS, 1887, p.40).
(E) hipérbole.
Nessas “circunstâncias” da relação com sua Tia e nos “traços lin-
guísticos” que existem se consegue ter uma ideia de um com-
50 portamento e que sentia Teodorico em perder sua qualidade de
Todas as orações estão corretas quanto à forma verbal empre- vida além da contrariedade de seus atos, quando mesmo distan-
gada, EXCETO: te da presença de Titi, em suas noites em Coimbra de festas, be-
(A) A diretora interveio na briga dos alunos, evitando mais pro- bidas e mulheres, ainda preocupava-se com os desejos de Dona
blemas; Patrocínio. Tal comportamento é definido como:
(B) Se você vir uma estrela cadente, é melhor fazer um pedido. (A) medo.
(C) Compararei a casa dos meus sonhos quando eu reouver o (B) angústia.
dinheiro da herança. (C) altruísta.
(D) Ficará deslumbrado quando vier a São Paulo. (D) submissão.
(E) Ele não será absolvido se a testemunha não depor favoravel- (E) agressividade.
mente.
11
53 55
“Ora senhores, já que somos cristãos, já que sabemos que have- Dias de Luta
mos de morrer e que somos imortais, saibamos usar da morte e (Edgar Scandurra)
da imortalidade. Tratemos desta vida como mortais, e da outra
como imortais. Pode haver loucura mais rematada, pode haver Só depois de muito tempo
cegueira mais cega do que empregar-me todo na vida que há Fui entender aquele homem
de acabar, e não tratar da vida que há de durar para sempre? Eu queria ouvir muito
Cansar-me, afligir-me, matar-me pelo que forçosamente hei de
Mas ele me disse pouco...
deixar, e do que hei de lograr ou perder para sempre, não fa-
zer nenhum caso? Tantas diligências para esta vida, nenhuma Quando se sabe ouvir
diligência para a outra vida? Tanto medo, tanto receio da morte Não precisam muitas palavras
temporal, e da eterna nenhum temor? Mortos, mortos, desenga- Muito tempo eu levei
nai estes vivos. Dizei-nos que pensamentos e que sentimentos fo- Pra entender que nada sei
ram os vossos, quando entrastes e saístes pelas portas da morte. Que nada sei!...
A morte tem duas portas. Uma porta de vidro por onde se sai da
vida; outra porta de diamante, por onde se entra à eternidade. Só depois de muito tempo
(Sermões, Padre Antônio Vieira, Erechim: Edelbra, 1998) Comecei a entender
Com base no excerto, considere as afirmações dadas sobre Pa- Como será meu futuro
dre Antônio Vieira: Como será o seu...
I. É possível afirmar que o vocabulário usado é bem diversificado; Se meu filho nem nasceu
II. Usava somente o latim, o que limitava a compreensão dos Eu ainda sou o filho
ouvintes. Se hoje canto essa canção
III. Seu ponto de vista era a parte central de seu discurso, impe- O que cantarei depois?
dindo, assim, que houvesse questionamentos por parte de Cantar depois!...
seus ouvintes;
IV. Tem-se uma vertente literária do estilo barroco – o conceptismo; Se sou eu ainda jovem
V. Sua linguagem era ininteligível, e ao expor suas ideias, não o Passando por cima de tudo
fazia de forma gradativa e sequencial. Se hoje canto essa canção
O que cantarei depois?...
As afirmações incorretas são:
(A) I e II; Só depois de muito tempo
(B) II e III; Comecei a refletir
(C) I, II e V; Nos meus dias de paz
(D) II, III e V; Nos meus dias de luta...
(E) Todas. Se sou eu ainda jovem
Passando por cima de tudo
54 Se hoje canto essa canção
Cada lugarzinho tem um canto escondido. O que cantarei depois?
Um ao meio-dia, um às três da tarde.
Cada passarinho tem um canto exclusivo. Cantar depois!...
Às vezes passa um carro, mas só às vezes.
E as ondas do mar não param de passar. A ideia exposta ao longo da canção Dias de Luta nos remete à
Quem tem medo de cobra põe sapato. ampla reflexão sobre alguns valores existenciais. A intencionali-
Quem não tem, a mãe obriga a pôr. dade principal do conjunto de versos nos remete a ideia de
O mormaço apazigua a cor. (A) luta.
Às vezes chove, mas só às vezes. (B) insegurança.
Estende a esteira pra ver as estrelas. (C) incerteza.
Sobre a areia deita-se também. (D) medo.
Tudo é cinema. (E) aprendizagem.
Ninguém precisa de problema.
(Arnaldo Antunes)
56
Assinale a opção que explicita a atitude comunicativa do eu lírico Leia o trecho e responda:
no texto.
(A) Os versos comunicam uma percepção do tempo linguistica- “... Ao fim daquele medonho inverno, Jacinto anuncia a José Fer-
mente centrada em verbos que estão no presente do indicativo. nandes que vai a Tormes porque recebera uma carta do procu-
(B) Os versos comunicam uma percepção do tempo linguistica- rador, dizendo que a capela que guardava o ossos da família está
mente centrada em verbos que estão no presente do indica- por inaugurar. Fala dos escrúpulos que tinha pelo avô Galeão e
tivo, com valor de pretérito perfeito. que para lá há de partir por causa disso....”
(C) Os versos comunicam uma percepção do tempo linguistica- (QUEIRÓS Eça de. A cidade e as serras – Cap. VIII)
mente centrada em verbos que estão no pretérito perfeito,
Qual das alternativas apresenta apenas substantivos?
para expressar fato encerrado.
(A) inverno, Jacinto, carta, procurador, guardava, inaugurar;
(D) Os versos comunicam uma percepção do tempo linguistica-
(B) medonho, inverno, José, disso, capela, avô;
mente centrada em verbos que estão no futuro do pretérito.
(C) Galeão, para, Tormes, carta, procurador, ossos;
(E) Os versos comunicam uma percepção do tempo linguistica-
(D) inverno, procurador, capela, família, escrúpulos, avô;
mente centrada em verbos que estão no presente do indica-
(E) anuncia, inverno, Fernandes, porque, carta, uma.
tivo, com valor de futuro do pretérito.
12
57 Assinale a alternativa incorreta:
Observe: “...Promulgada em 13 de maio de 1888, a Lei Áurea pôs (A) Pelo conteúdo dos dois textos é possível perceber que o gê-
fim à escravatura sem no entanto, garantir condições de sobrevi- nero em que estão escritos é o mesmo. São narrados em pri-
vência aos ex-escravos. Não obstante, ao deixar de indenizar os meira pessoa e apresentam data;
grandes proprietários rurais pelos prejuízos que a abolição lhes (B) No primeiro texto, Helena afirma ter adotado um diário por-
causara, o império perdia seus últimos aliados: um levante políti- que o pai impôs e ela não vê necessidade de anotar algo
co militar derrubou a monarquia, instituindo, em 15 e novembro constantemente porque pode confiar na própria memória;
de 1889, a república...” (C) No segundo texto, percebe-se o compromisso de Anne Frank
(MORLEY, Helena. Minha vida de menina) em manter-se fiel ao diário e sua expectativa em relação ao
novo hábito que estava pretendendo começar;
Analise: (D) A leitura de ambos textos confirma o fato de que o hábito
I. Se mudarmos a ordem do trecho “... Promulgada em 13 de de escrever diários era praticado não apenas para manter
maio de 1888, a Lei Áurea pôs fim à escravatura...” para: “... registro de acontecimentos diários, mas também como um
A Lei Áurea pôs fim à escravatura, promulgada em 13 de instrumento de terapia e de autocontrole;
maio de 1888...” – Ela fica tão correta quanto a original; (E) Anne Frank refere-se ao diário em segunda pessoa, o que
II. Em “... ao deixar de indenizar os grandes proprietários ru- mostra grande intimidade e carinho da menina pra com seu
rais pelos prejuízos que a abolição lhes causara, o império caderno de anotações.
perdia seus últimos aliados...” – Se substituirmos AO DEI-
XAR por DEIXANDO – não haveria alteração no sentido do 59
trecho, e estaria também de acordo com a norma culta da Na obra O cortiço, Aluísio Azevedo faz com que o narrador se
Língua Portuguesa;
posicione em terceira pessoa, onisciente e onipresente, com a
III. No trecho “... ao deixar de indenizar os grandes proprietá-
preocupação de oferecer uma visão crítico-analítica dos fatos. A
rios rurais pelos prejuízos que a abolição lhes causara, o
império perdia seus últimos aliados...” – o pronome LHES sugestão de que o narrador é testemunha pessoal e muito próxi-
refere-se ao termo PREJUÍZOS. ma dos fatos narrados aparece explicitamente no trecho:
IV. Em: “... ao deixar de indenizar os grandes proprietários ru- (A) Ia atirar-se cá para fora, quando se ouviu estalar o madeira-
rais pelos prejuízos que a abolição lhes causara, o império mento da casa incendiada [...];
perdia seus últimos aliados...” – o termo SEUS refere-se aos (B) Fechou-se um entra-e-sai de marimbondos defronte daque-
GRANDES PROPRIETÁRIOS RURAIS. las cem casinhas ameaçadas pelo fogo;
(C) Da casa do Barão saíam clamores apopléticos [...];
Está incorreto o que consta em: (D) A Bruxa surgiu à janela da sua asa, como à boca de uma for-
(A) I e II; nalha acesa;
(B) II e III; (E) Ninguém sabia dizê-lo; mas viam-se baldes e baldes que se
(C) I e IV; despejavam sobre as chamas.
(D) I, II e III;
(E) I, III e IV. 60
Ainda assim, eu me levanto
58 Este poema, um dos mais famosos de Maya Angelou,
Texto A aborda a questão do preconceito racial.

Você pode me riscar da História


Segunda-feira, 24 de julho Com mentiras lançadas ao ar.
Pode me jogar contra o chão de terra,
Cada dia acho mais razão no conselho de meu pai de escrever no
Mas ainda assim, como a poeira, eu vou me levantar. [...]
meu caderno o que penso ou vejo acontecer. Ele me disse: “Es-
Pode me atirar palavras afiadas,
creva o que se passar com você, sem precisar contar às suas ami-
Dilacerar-me com seu olhar,
gas e guarde neste caderno para o futuro as suas recordações”. Você pode me matar em nome do ódio,
Se eu não tivesse esse caderno poderia guardar na memória o Mas ainda assim, como o ar, eu vou me levantar. [...]
caso tão engraçado que vi ontem?
Da favela, da humilhação imposta pela cor
(MORLEY, Helen. Minha vida de menina. São
Eu me levanto
Paulo: Companhia de bolso, 1988)
De um passado enraizado na dor
Texto B Eu me levanto
Sou um oceano negro, profundo na fé
12 de junho de 1942 Crescendo e expandindo-se como a maré.
Espero poder contar tudo a você, como nunca pude contar a Deixando para trás noites de terror e atrocidade
ninguém, e espero que você seja uma grande fonte de conforto Eu me levanto
Em direção a um novo dia de intensa claridade
e ajuda.
Eu me levanto
Comentário acrescentado por Anne em 28 de setembro de 1942 Trazendo comigo o dom de meus antepassados,
Eu carrego o sonho e a esperança do homem escravizado.
Até agora você tem sido um grande apoio para mim, como tam- E assim, eu me levanto
bém tem sido Kitty, para quem tenho escrito com regularidade. Eu me levanto
Esse modo de manter um diário é bem melhor; e agora mal pos- Eu me levanto.
so esperar os momentos de escrever em você. Ah estou tão feliz (ANGELOU, Maya. Still I rise. Tradução de Mauro
por ter você comigo! Catopodis. (Fragmento). Disponível em: http://www.
FRANK, Anne. O diário de Anne Frank: edição integral. Ivanir palavrarte.com/Poesia_Mundo_Trad/poepelomun_
Alves Calado (Trad.). Rio de Janeiro: Bestbolso, 2014. eua_maya_poemas.htm. Acesso em: 22 set.2009.)
13
Observe: 62
I. “Da favela, da humilhação imposta pela cor”; Todas as palavras estão corretamente grafadas na frase:
II. “Sou um oceano negro, profundo na fé.”;
(A) Orçados os custos gerais da campanha, impuzeram-se ríjidas
III. “Trazendo comigo o dom de meus antepassados”;
restrições às despesas atinentes à publicidade.
IV. “Eu carrego o sonho e a esperança do homem escravizado.”;
(B) A obtenção de recursos extras constitui a meta prioritária, no
V. “Em direção a um novo dia de intensa claridade.”
momento; não há outro jeito de implementar este plano.
Em quais versos o tema do poema está explícito? (C) Seu modo de agir lembra-me os tregeitos dos ilusionistas: os
movimentos dispersivos discimulam o gesto essencial.
(A) Apenas em I e II; (D) O Ivo, sempre incalto, serviu à causa do adversário; faltou-lhe
(B) Apenas em II, III e IV; a acessoria de um correlegionário mais experiente.
(C) Apenas em I, II, III, IV; (E) As pessoas impúdicas vêem como natural a exposição das
(D) Apenas em I, III e V crianças às torpesas dos famigerados “programas populares”.
(E) Apenas em I, II e IV.

63
61 O vocábulo abaixo que não traz em seu prefixo a ideia de nega-
ção é:
A um poeta
O fazer poético é o tema deste soneto de Olavo Bilac. (A) “...ou pelo descaso com que são conceituados...”
(B) “...a contraposição entre esse tipo de atitude...”
Longe do estéril turbilhão da rua, (C) “...ele abnegou-se da herança...”
Beneditino escreve! No aconchego (D) “...opiniões as mais díspares...”
Do claustro, na paciência e no sossego, (E) “...eles são incompetentes demais para tal cargo...”
Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!

Mas que na forma se disfarce o emprego 64


Do esforço; e a trama viva se construa As florestas tropicais, a despeito das leis ambientais e da criação
De tal modo, que a imagem fique nua, de parques e reservas, continuam sendo reduzidas em suas áre-
Rica mas sóbria, como um templo grego. as, por conta da devastação de seus recursos naturais.
Não se mostre na fábrica o suplício Confira as características abaixo que se relacionam com as flo-
Do mestre. E natural, o efeito agrade, restas tropicais do globo:
Sem lembrar os andaimes do edifício:
I ombrófilas V espécies latifolias
Porque a Beleza, gêmea da Verdade,
elevada biodi-
Arte pura, inimiga do artifício, II VI caducifólias
versidade
É a força e a graça na simplicidade.
homogeneida- baixo índice de eva-
(BILAC, Olavo. Poesias. São Paulo: Martins Fontes, III VII
1996. P. 336. (Coleção Poetas do Brasil)) de de espécies potranspiração
IV elevada pluviosidade VIII apresenta vários estratos
Qual a alternativa correta em relação à obra?
(A) O trabalho do poeta, segundo Bilac, é simples em sua forma Assinale a alternativa que contém as características das florestas
tropicais.
de tentar ser o que não é;
(B) O esforço para atingir a “perfeição” do verso não deve trans- (A) I – II – IV – V – VIII
parecer no poema. Por isso, o trabalho do poeta é intelectu- (B) II – IV – VI – VII – VIII
alizado e distanciado da realidade que o cerca; (C) I – III – V – VI
(D) III – IV – V – VII
(C) Para conseguir a perfeição do poema, o poeta deve realizar
(E) II – III – IV – VII – VIII
um trabalho que privilegie as ações irracionais;
(D) O poeta deve ficar próximo daqueles que têm uma vida com
rotina, sem muitos atributos a mais do que já está acostumado;
(E) O poeta não precisa se isolar do mundo que o cerca para
conseguir alcançar, no poema, a perfeição da forma.

14
65 67
Observe os mapas. O Domínio dos mares de morros florestados, mata Atlântica,
tem em sua definição características explicitamente condizentes
com a estrutura física.
Sobre os mares de morros, podemos determinar diversas carac-
terísticas, exceto:
(A) apresentam morros arredondados ou mamelonares.
(B) é resultante da formação do dobramento da Era Pré-cambriana.
(C) é notória a ausência de planícies e tabuleiros litorâneos.
(D) há predomínio de planaltos e serras do Atlântico leste-sudeste.
(E) os solos dessa área possuem elevada profundidade pelo lon-
ga exposição aos processos intempéricos.

68
Conforme proposta do geógrafo Aziz Ab’Saber, existem, no Bra-
sil, seis domínios morfoclimáticos.
Assinale a alternativa correta sobre o Domínio Morfoclimático
das Araucárias.
(A) O manejo sustentável permitiu a expansão de parreirais em
associação com a mata de araucária remanescente, na faixa
litorânea.
(B) A urbanização e a exploração madeireira pelas indústrias da
construção civil e do setor moveleiro tiveram papel central
na redução de sua vegetação original.
(C) As araucárias recobriam as planícies da Campanha Gaúcha
no sul do país, tendo sido dizimadas para dar lugar à avicul-
tura e à ovinocultura.
(D) A prática da silvicultura possibilitou a expansão desse domí-
nio morfoclimático para a porção oeste do Planalto Ocidental
Paulista.
(E) A expansão do processo de arenização no sul do país provo-
cou a devastação da cobertura original de araucária.

69
O mapa a seguir representa um dos possíveis trajetos da chama-
da Ferrovia Transoceânica, planejada para atender, entre outros
Os períodos do ano que oferecem as melhores condições para interesses, ao transporte de produtos agrícolas e de minérios,
a produção de energia hidrelétrica no Sudeste e energia eólica tornando as exportações possíveis tanto pelo Oceano Atlântico
no Nordeste são aqueles em que predominam, nessas regiões, quanto pelo Oceano Pacífico.
respectivamente,
(A) primavera e verão.
(B) verão e outono
(C) outono e inverno
(D) verão e inverno.
(E) inverno e primavera.

66
“Nesse domínio predominam os planaltos antigos, intensamen-
te desgastados e aplainados por processos erosivos, que o carac-
terizam como um dos domínios brasileiros de formação mais an-
FERROVIA TRANSOCÊANICA Revista Agro
tiga, tanto do ponto de vista geomorfológico quanto biológico.
DBO. São Paulo, junho de 2015.
Nele predominam os solos bem desenvolvidos com grau elevado
de acidez, que exigem a adoção de métodos corretivos como a Considerando-se o trajeto indicado no mapa e levando em conta
calagem para viabilizar a produção agrícola […]”. uma sobreposição aos principais Domínios Morfoclimáticos da
(Adaptado de: JOIA, A. L., GOETTEMS, A A. Geografia: leituras América do Sul e as faixas de transição entre eles, definidos pelo
e interação. Volume 01. 1º ed. São Paulo: Leya, 2013. p.223). geógrafo Aziz Ab’Sáber, pode-se identificar a seguinte sequência
O domínio morfoclimático brasileiro descrito pelo trecho acima é o: de Domínios, do Brasil ao Peru:
(A) Chapadões Florestados, Cerrados, Caatingas, Pantanal, An-
(A) Cerrado des Equatoriais.
(B) Amazônico (B) Mares de Morros, Pantanal, Chaco Central, Andes Equatoriais.
(C) Pradarias (C) Chapadões Florestados, Chaco Central, Cerrados, Punas.
(D) Caatinga (D) Mares de Morros, Cerrados, Amazônico, Andes Equatoriais.
(E) Faixas de transição do meio norte (E) Mares de Morros, Cerrados, Caatingas, Amazônico, Punas.
15
70 O segmento de cerâmica vermelha brasileiro integra o ramo de
As macroestruturas geológicas são o conjunto de rochas e mi- produtos de minerais não metálicos da Indústria de Transforma-
nerais de uma região, bem como os processos geológicos as- ção. As argilas para cerâmica vermelha englobam uma grande
sociados, que dão as características de um terreno. Analise as variedade de substâncias minerais de natureza argilosa. Com-
afirmações abaixo: preendem, basicamente, sedimentos pelíticos consolidados e
inconsolidados, como argilas aluvionares quaternárias, argilitos,
I. Os escudos cristalinos, também chamados de crátons, são siltitos, folhelhos e ritmitos.
estruturas que datam do pré-cambriano, formados por ro-
chas cristalinas (magmáticas e metamórficas) muito resisten- Assinale a alternativa que demonstre o tipo de relevo que esse
tes à erosão. Nelas ocorrem os minerais metálicos, principal- mineral não metálico é extraído.
mente os que se formaram no Cenozoico. (A) Depressões periféricas.
II. As bacias sedimentares começaram a se constituir efetivamen- (B) Planaltos dendríticos.
te na era Paleozoica. Quando o fenômeno da epirogênese pro- (C) Escudos cristalinos.
vocou o levantamento do continente superior ao mar, ficaram (D) Bacias Sedimentares.
emersas e unidas em território contínuo, bem como passaram a (E) Planícies continentais.
ser preenchidas com material continental (estratificação).
III. Os escudos cristalinos, também chamados de planaltos, se
constituíram na era Cenozoica, formados por rochas ígneas, 72
resistentes ao intemperismo, onde ocorrem afloramentos Intemperismo é o nome que se dá ao conjunto de processos que
rochosos de pedras preciosas, formadas na era Paleozoica. modificam as rochas, fragmentando-as (intemperismo físico) ou
IV. Os escudos cristalinos são estruturas geomorfológicas que alterando-as (intemperismo químico). O predomínio de um tipo
podem ser descritas como formas acidentadas de relevo, em relação a outro, nas diversas regiões da Terra, vai depender
que apresentam picos elevados, vales profundos e altitudes das temperaturas, combinadas ao volume das precipitações e do
variadas, formam as primeiras rochas que afloraram na cros- estado físico da água
ta terrestre, onde se encontram minerais metálicos e predo-
minantemente rochas metamórficas. A
V. As bacias sedimentares começaram a se constituir efetivamen-
te na era Proterozoico, constituída de rochas sedimentares e
metamórficas. Quando o fenômeno de orogênese provocou o
levantamento do continente superior ao mar, ficaram emer- B

sas e unidas em território contínuo, bem como passaram a ser C
preenchidas com material continental (estratificação).
As corretas são:
3900 km
(A) I apenas.
(B) I II e III apenas.
(C) II e IV apenas. Observando o mapa, é CORRETO afirmar que nas regiões A, B e
(D) II III e V apenas. C, há predomínio, respectivamente, do intemperismo
(E) III e IV apenas. (A) físico – físico – químico.
(B) químico – físico – químico.
(C) físico – químico – químico.
71 (D) químico – químico – físico.
Em consequência da composição do substrato geológico brasi-
(E) químico – físico – físico.
leiro, que apresenta extensas coberturas sedimentares – bacias
fanerozóicas e depósitos cenozóicos –, aliado à evolução geo-
morfológica, que propiciou a formação de expressivas cobertu- 73
ras residuais intempéricas O conceito de erosão apresenta definições mais amplas ou mais
POLOS CERAMICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO restritas. A mais abrangente envolve os processos de denudação
da superfície terrestre de forma geral, incluindo desde os proces-
sos de intemperismo de todos os tipos até os de transporte e de-
posição de material. Outro conceito, mais restrito, envolve apenas
o deslocamento do material intemperizado, seja solo ou rocha,
por agentes de transporte como a água corrente, o vento, o gelo
ou a gravidade, produzindo formas erosivas características.
R. Fairbridge. The Encyclopedia of
Geomorphology, 1968. Adaptado.

Exemplo de processo ao qual se aplica o conceito mais restrito


de erosão é
(A) a formação de rochas.
(B) a oxidação de rochas.
(C) a formação de sulcos no solo.
(D) a formação de concreções no solo.
(E) o vulcanismo da crosta.

16
74 (A) É uma exclusividade das elites de Atenas independente de
Na origem da pólis, porém, encontram-se outros fatores. A par- sua origem ou da origem de sua fortuna, que elaboram leis
tir do século VIII a.C., o renascimento do comércio – que ganha de conduta que sempre as beneficiam diante das classes me-
impulso ainda maior com a invenção da moeda cunhada – acaba nos favorecidas, sobretudo os escravos.
com o isolamento das aldeias. Isso leva: (B) É um privilégios restrito, reservados aos grandes filósofos,
que podem frequentar a ágora para debaterem sobre os
(A) A uma união que dissolve antigas linhagens tribais, tornando mais variados temas, e têm em suas mãos, o poder de deci-
a sociedade mais complexa, deixando de ser um aglomerado são sobre todos os rumos que tomará a sociedade ateniense.
de agricultores e artesãos. (C) É resultado de lutas entre comerciantes ricos, sem acesso ao
(B) A guerras por conquista de territórios e força de trabalho escra- poder, contra a aristocracia hereditária que o monopolizava,
va, com o objetivo de manter a nova ordem social alcançada. e posteriormente dessas duas camadas que já o compartilha-
(C) A constituição da propriedade privada e a busca de mão de vam, contra a classe mais pobre.
obra escrava, que juntas formarão a base da nova economia. (D) É uma utopia para os excluídos da vida pública e das decisões
(D) A divisão internacional do trabalho pelo aumento da produ- sociais como mulheres, escravos e estrangeiros, que muito
tividade e a necessidade de mão de obra especializada. distantes de serem donos de seus destinos, aspiravam parti-
(E) O desenvolvimento da filosofia como área do conhecimento cipação na vivência democrática.
precursora das demais ciências que se desenvolverão ao lon- (E) É uma prerrogativa dos grandes proprietários de terras e co-
go do século. merciantes, que tinham uma participação maior e com mais
validade, que os demais cidadãos do sexo masculino, livres,
gregos e maiores de 21 anos.
75
(...) o centro da cidade sofre uma mudança radical. Passa a ser 77
a ágora, a praça pública, onde acontecem as transações comer- A grande obra do pensamento romano é o direito. (...) Antes do
ciais e as discussões sobre a vida da cidade, a começar por sua período republicano, a lei confundia-se com preceitos religiosos
defesa. O acesso a ágora torna-se cada vez maior, estendendo- e baseava-se nos costumes. No início da República não foi dife-
-se, com a instituição da democracia, a todos que têm direito à rente, mas as contínuas revoltas dos plebeus por mais direitos
cidadania, ou seja, habitantes do sexo masculino, adultos e que tornaram necessário o estabelecimento por escrito de leis bási-
não sejam estrangeiros ou escravos. cas. O resultado foi:
Coleção Os pensadores. História da Filosofia. Coleção Os pensadores. História da Filosofia.
São Paulo: Abril Cultural, 1999. p. 17. São Paulo: Abril Cultural, 1999. p. 85.

A pólis, nova forma de organização social e política, apresenta (A) A Lei das Doze Tábuas, que abrangia o direito civil, o privado,
como características: o penal e os aspectos do direito público, que de modo geral
distinguia juridicamente os plebeus dos patrícios.
(A) O poderio bélico, fundamental para manutenção da seguran- (B) O Código de Hamurabi, inspirado na primeira dinastia babilô-
ça da pólis e para a prevenção e proteção contra a invasão de nica, baseado na lei de talião “olho por olho dente por den-
povos inimigos. te”, que aplicava punições pelo não cumprimento das regras
(B) A supremacia do discurso, uma vez que as decisões depen- estabelecidas.
dem da força da palavra dos oradores, cuja condição econô- (C) O Corpus Juris Civilis, uma obra fundamental da jurisprudên-
mica não é mais levada em consideração. cia, que anos mais tarde foi aplicada pelo imperador Justinia-
(C) A estratificação social que atua como maior ofensor da as- no, com todos os códigos do direito romano devidamente
censão econômica, social e política dos habitantes perten- revisados.
centes as mais baixas esferas. (D) A Lei das Doze Tábuas, que abrangia o direito civil, o privado,
(D) A existência de três estados, sendo o primeiro e segundo, o penal e os aspectos do direito público, que de modo geral
formado por nobres e religiosos a desfrutar de vida luxuosa equiparava juridicamente os plebeus dos patrícios.
com ostentações. (E) A Lei das Doze Tábuas, o primeiro conjunto de leis escritas,
(E) O uso da mão de obra escrava como base da economia da que passaram a impedir os patrícios de realizarem uma inter-
pólis, a fim de assegurar os privilégios e participação política pretação particular e tendenciosa das leis orais, a partir de
por parte das elites. então, obsoletas.

78
76 1054 foi um ano marcado pelo "Cisma do Oriente". Depois de
Na Grécia, entre os séculos VIII e V a.C, empreende-se a busca inúmeros conflitos, ocorreu a ruptura entre o papado romano e
pela construção de uma sociedade justa e de um pensamento o patriarca de Constantinopla, ocasionando:
racional, livre de preconceitos. Dessa procura origina-se, de um
(A) a criação da igreja Cristã Ortodoxa Grega.
lado, a democracia e, de outro a filosofia.
(B) a transferência da sede do papado para a cidade de Avignon.
Coleção Os pensadores. História da Filosofia.
(C) o conflito denominado Querela das Investiduras.
São Paulo: Abril Cultural, 1999. p. 21.
(D) a fundação da Igreja Cristã Protestante.
A democracia grega, sobretudo a ateniense: (E) a divisão do Clero em secular ortodoxo e regular monástico.

17
79 82
(...) O “sentido da colonização” era fornecer açúcar, tabaco, al- (...) Não há melhor indício que as jazidas de metal, embora po-
guns outros gêneros e depois, ouro, diamantes, algodão e em bres, eram aqui uma realidade, e capaz de impor-se à atenção
seguida café para o comércio europeu. Nesse direcionamento, dos Agentes da Coroa.
voltada para fora do Brasil, a produção para atender a demanda HOLANDA, Sergio Buarque. A Mineração: Antecedentes
interna era negligenciada ou, via de regra proibida (...)com base Luso-brasileiros. In: História da Civilização Brasileira.
nesse projeto de colonização que foram organizadas a sociedade V 2. Rio de Janeiro. Bertrand. 1989. p. 248.
e a economia brasileira.
Muitas vezes os frutos das minas exploradas eram insuficientes
PRADO JUNIOR, Caio - Formação do Brasil Contemporâneo.
São Paulo: Brasiliense, 1979. Pags. 31-32
para São Paulo, e até mesmo aquém dos investimentos despen-
didos na empreitada do bandeirismo, entretanto:
Nesse sentido, segundo as considerações do excerto, a Metrópole:
(A) Ainda que os rendimentos fossem insuficientes, os paulis-
(A) Promovia seu próprio desenvolvimento e acumulação de tas compensavam os poucos metais extraídos com a nume-
metais preciosos. rosa quantidade de gentios aprisionados que serviriam de
(B) Dispunha tanto da estrutura quanto das atividades da colônia. mão de obra.
(C) Proporcionava à colônia o seu auto-desenvolvimento. (B) Os investimentos despendidos na empreitada bandeirante
(D) Instigava mesmo sem querer, as primeiras revoltas nativistas. eram recuperados na conquista da mão de obra indígena
(E) Organizava a sociedade e a economia brasileiras com seu projeto. para o trabalho na lavoura da capitania que tinha ótimos
rendimentos.
80 (C) Apesar de o investimento ter sido maior que o retorno
A Economia Colonial estava atrelada às economias européias, das minas, os bandeirantes conquistaram, além de mão
portanto, dependente delas, por isso: de obra indígena, as terras das tribos dominadas como es-
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. Companhia pólio.
Editora Nacional. São Paulo, 1974. Pags. 55-56 (D) Embora não tenham tido o lucro na mesma proporção do
investimento, os bandeirantes paulistas se projetaram e
(A) A Economia Colonial era por criação e definição, totalmente ganharam notoriedade por terem sido os pioneiros no
mantenedora da Metrópole. processo.
(B) A Metrópole de certa forma, também guardava dependência (E) Mesmo insuficientes, as jazidas eram um avanço no pro-
das estruturas coloniais. cesso de colonização, especialmente no caso de São Paulo
(C) Não constituía um sistema autônomo, sendo simples prolon- que cada vez mais se aproximava da órbita dos interesses
gamento de outros maiores. da Coroa.
(D) A Economia Colonial tinha seus ritmos próprios e em torno
deles se organizava a Metrópole.
(E) Metrópole e colônia coexistiam em uma relação de depen- 83
dência mútua dentro do pacto colonial. Havia de tudo entre os indígenas da América: astrônomos e cani-
bais, engenheiros e selvagens da Idade da Pedra. Mas nenhuma
das culturas nativas conhecia o ferro nem o arado, nem o vidro
81 e a pólvora, nem empregava a roda, a não ser em pequenos car-
Tendo sido, em todas as Américas, idênticos os métodos e análo- rinhos. A civilização que se abateu sobre estas terras, vinda do
gos os processos de devassar, apossar a terra, foram em S. Paulo além-mar, vivia a explosão criadora do Renascimento: a América
que se organizaram as maiores e as mais numerosas bandeiras, e, aparecia como uma invenção a mais, incorporada, junto com a
por isso, bandeira tornou-se nome local e bandeirante ficou sinô- pólvora, imprensa, papel e bússola, ao efervescente nascimento
nimo de homem paulista. Mas nelas tomaram parte homens de da Idade Moderna.
outras vilas da capitania, das outras capitanias e da metrópole.
GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América
LUÍS, Washington. Na Capitania de São Vicente. Belo Latina. Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1979. p.13
Horizonte-São Paulo: Itatiaia-Edusp. 1980. Págs. 186-187

Embora as Bandeiras tenham sido praticadas em diversas loca- A partir do excerto, é possível afirmar:
lidades:
(A) A diferença de desenvolvimento entre ambos os mundos,
(A) Os paulistas se tornaram sinônimo de bandeirantes porque eram
elucida a relativa facilidade com que foram submetidas às
mais eficazes no processo da busca pelas duas riquezas mais de-
civilizações nativas.
sejadas na época, que eram a mão de obra indígena e o ouro.
(B) O fato dos nativos desconhecerem o ferro e o arado foi de-
(B) A Guerra dos Emboabas, travada entre os paulistas e a Coroa
cisivo para a vitória dos europeus que conquistaram a Amé-
Espanhola na disputa pelo ouro, deu maior destaque ao povo
rica Espanhola.
de São Paulo que teve a iniciativa de gerar o conflito.
(C) Ter vivenciado o Renascimento com todas as suas desco-
(C) Os paulistas tinham mais recursos financeiros e por isso fizeram
bertas, foi um agente facilitador aos espanhóis no domínio
os maiores investimentos no projeto do Bandeirismo, sendo as-
dos ameríndios.
sim, a maioria dos bandeirantes eram oriundos de São Paulo.
(D) Consolidou-se uma imagem histórica de São Paulo colonial e (D) Por serem oriundos de um continente mais antigo, portanto
dos paulistas, como os mais preparados, produtivos e atuan- mais desenvolvido, os conquistadores não tiveram dificul-
tes na empreitada do Bandeirismo, e esta imagem perdura dades ao chegarem à América.
até os dias atuais. (E) A existência de astrônomos e engenheiros entre os indíge-
(E) Todos bandeirantes eram oriundos da região São Paulo, dian- nas, não garantiu ao grupo a defesa de seu território.
te disso, Bandeira tornou-se nome local e bandeirante tor-
nou-se sinônimo de homem paulista.
18
84 86
O processo de descoberta do continente americano representou In the twentieth century, architects in large cities designed struc-
para os europeus o contato com um mosaico de culturas bastan- tures in a way that reduced noise and yet made living as comfor-
te peculiar. table as possible. They used such techniques as making walls
hollow and filling this wall space with materials that absorb noise
Em termos gerais percebemos que:
[...] –
(A) O continente americano representava para os europeus o (Jolene Gear&Robert Gear)
avesso de ideal de organização de sociedade, tanto no que
diz respeito as suas organizações sociais, políticas e religio- Na linha 2 o pronome “they” refere-se a:
sas; quanto nos aspectos culturais, muito distintos do ideal
eurocêntrico, de sua visão de homem e visão de mundo. (A) Architects;
(B) O continente americano contava com uma ampla diversidade (B) Cities;
de culturas que se desenvolveram de forma própria, contra- (C) Structures;
riando o ideal eurocêntrico do Velho Mundo, as populações (D) Techniques;
pré-colombianas estabeleceram relações sociais complexas, (E) Materials.
criaram suas próprias instituições políticas e engendraram os
seus saberes. 87
(C) Cada aldeia presente no vasto continente americano era in-
Traveling
tegrada por diversas famílias, com hábitos e costumes pecu-
liares, crenças distintas e com liberdade para exercer suas To some extent, traveling entails fantasizing. We dream of fin-
características individuais apesar de viverem em uma organi- ding someone interesting away from vigilant neighbors, from
zação social complexa com estruturas hierarquizadas. family control, from our own self –criticism. There´s nothing ne-
(D) As diversas culturas presentes no vasto continente america- cessarily wrong with that fantasy nor with its realization. Now
no se chocaram com a cultura europeia dos colonizadores, traveling is more rewarding, much more complex than that.[...]
oriundos e habituados a um modo de vida mais unificado, (Adapted from “Traveling, sex and fanasies” by Maria
principalmente porque populações pré-colombianas estabe- de Melo Azevedo, Ícaro n. 189, May 2000, p.20.)
leceram relações sociais complexas e criaram suas próprias
instituições políticas. No trecho “...Now traveling is more rewarding, much more com-
(E) As diversas culturas presentes no vasto continente ameri- plex than that...” – o termo “Now” pode ser substituído por qual
cano representaram uma ameaça aos colonizadores, princi- das palavras abaixo, sem alteração de sentido?
palmente no aspecto religioso, tendo em vista que na Pe- (A) First;
nínsula Ibérica o catolicismo era a única religião existente e (B) But;
era oposta as crenças politeístas encontradas no mosaico da (C) Then;
etnia ameríndia. (D) Thus;
(E) And.
85 Texto para as questões 88 e 89.
Considere as seguintes afirmações sobre a civilização muçul-
mana:
I. A civilização desenvolvida na Idade Média, assimilando o pa-
trimônio cultural dos povos do Oriente Médio e do Extremo
Oriente.
II. Formaram uma formidável força militar e expansionista,
contribuíram para o declínio do império Bizantino e também
tomaram territórios da Europa feudal.
III. O Islamismo surgiu no século VII com Maomé, que difundiu o Christoph Oswald has no problem approaching women. As he
monoteísmo com culto a Alá, dando início a unidade religio- makes his way through the crowd at his favorite Frankfurt club,
sa e política. his cell phone scans a 10-meter radius for “his type”: tall, slim,
IV. Antes de surgir o Islamismo, a Arábia era uma região frag- sporty, in her 30s and, most important, looking for him, a hand-
mentada, com uma forte descentralização política, dividia some 36-year-old software consultant who loves ski holidays.
em tribos. Before he reaches the bar, his phone starts vibrating and an at-
tractive blonde appears on its screen. “Hi, I’m Susan,” she says.
Estão corretas: “Come find me!” Christoph picks her out of the crowd, and soon
they’re laughing over a drink.
(A) I, II e III
Both Christoph and Susan have phones equipped with Sym-
(B) I, III e IV
bian Dater, a program that promises to turn the cell phone into a
(C) II, III e IV
matchmaker. By downloading Symbian, they installed a 20-cha-
(D) I, II e IV
racter encrypted code that includes details of who they are and
(E) I, II, III e IV
what they’re looking for in a mate. Whenever they go out, their
matchmaking phones sniff out other Symbian Daters over the
unlicensed, and therefore free, Bluetooth radio frequency. If
profiles match up, the phones beep wildly and send out short
video messages.
(NEWSWEEK, JUNE 7 / JUNE 14, 2004)
19
88
É possível depreender de acordo com o texto que: Em seu clube
favorito de Frankfurt, Christoph Oswald:
(A) Liga para sua namorada e a convida para acompanha-lo para
tomar alguma coisa;
(B) Conhece uma mulher que havia deixado para ele uma men-
sagem no dia anterior;
(C) Tem um pouco de dificuldade em conhecer mulheres atraen-
tes na multidão;
(D) Recebe uma mensagem em vídeo de uma mulher que ele
nunca havia conhecido;
(E) Recebe várias chamadas telefônicas de uma mulher em seu
telefone celular.

89
Observe:

I. Christoph tem um aparelho telefônico com um programa


para encontros;
II. O programa detalha quem a pessoa é, e o que ela está procu-
rando em um parceiro;
III. Pelo programa que há no celular é possível enviar mensa-
gens em vídeo;
IV. Christoph tem problemas em se aproximar de mulheres.

A alternativa que apresenta apenas afirmações verdadeiras so-


bre o texto é:

(A) Apenas I e II;


(B) Apenas I e III;
(C) Apenas I, II e III;
(D) Apenas I, II e IV;
(E) Todas.

90
LOS ANGELES - Come summer 2006, Warner Brothers Pictures
hopes to usher “Superman” into thousands of theaters after a
19-year absence. But given the tortured history surrounding
that studio’s attempts to revive “Superman,” the forerunner of
Hollywood’s now-ubiquitous comic-book blockbusters, the Man
of Steel’s arrival would be nothing short of a miracle. Since War-
ner began developing a remake of the successful comic-book
franchise in 1993, it has spent nearly $10 million in development,
employed no fewer than 10 writers, hired four directors and met
with scores of Clark Kent hopefuls without settling on one. The la-
test director - Bryan Singer, who directed “X-Men” and its sequel,
was named on July 18 to replace Joseph McGinty Nichol, known
as McG, who left the project after refusing to board a plane to
Australia, where the studio was determined to make the film.
(THE NEW YORK TIMES, JULY 22, 2004)

O texto sugere que, para seu filme, a Warner Brothers Pictures


ainda precisa:

(A) Contratar um escritor mais talentoso;


(B) Encontrar um ator para o papel de Clark Kent;
(C) Demitir o diretor recém-contratado;
(D) Escolher um local mais apropriado para as gravações;
(E) Levantar mais fundos para o desenvolvimento do filme.

20