Você está na página 1de 54

Sem fronteiras para o conhecimento

Introdução ao Minitab 18
Green Belt em Lean Seis Sigma
voittoonline.com.br
Módulo 1
3
Introdução ao Minitab 18

Lição 8: Introdução ao Minitab 18;

Lição 9: Estatística Descritiva;

Lição 10: Principais Distribuições de Probabilidade;

Lição 11: Distribuição Normal e Teste de Normalidade;


Introdução ao Minitab 18
Menu

J
Dados alimentados memorial de cálculo e
s análises estatísticas.
variável em uma coluna

Planilha de dados
(Base de Dados)

Project Manager
Introdução ao Minitab 18

Abra o Minitab 18 e digite os dados colocados no quadro abaixo na planilha em branco.

“T” indica que a coluna “D” indica que a coluna


C3-T contém C4-D contém
informações de texto informações de data

Título da Coluna – Não é


c
apenas como orientação e é
opcional.
Introdução ao Minitab 18

Salva o projeto, incluindo


várias worksheet, gráficos e
análises.

S
feitas na worksheet atual de
trabalho.
Introdução ao Minitab 18

Menu de comandos relativos ao arquivo aberto, com opções de abrir, salvar e imprimir
um determinado arquivo.
Introdução ao Minitab 18

Editar de uma forma geral (limpar, deletar, copiar, recortar) as células da planilha do
arquivo.
Introdução ao Minitab 18

Opções de manuseio geral do conteúdo da planilha de dados, bem como o formato das
variáveis (texto, data e número).
Introdução ao Minitab 18

Diversas opções de cálculos com os dados da planilha de dados, além da geração de


dados que seguem uma determinada distribuição.
Introdução ao Minitab 18

Diversas opções de análises e testes estatísticos, bem como diversas ferramentas da


qualidade.
Introdução ao Minitab 18

Funcionalidades para traduzir os dados compilados na planilha em gráficos para análise estatística
(Gráfico de Dispersão, Histograma, Boxplot).
Introdução ao Minitab 18

Oferece ajuda ao
usuário

Voltar para a
M Mostrar todas as
última função
planilhas abertas gráficos abertos
utilizadas
Módulo 1
3
Introdução ao Minitab 18

Lição 8: Introdução ao Minitab 18;

Lição 9: Estatística Descritiva;

Lição 10: Principais Distribuições de Probabilidade;

Lição 11: Distribuição Normal e Teste de Normalidade;


Tipos de dados
Dados Discretos Dados Contínuos

Dados discretos ou atributos são Resultantes de medições de características


resultantes de contagens ou de como temperatura, volume, peso, etc. Entre
classificações do tipo passa / não passa, dois valores quaisquer existem infinitos
perfeito / defeituoso. valores de medição.

“O que você conta” “O que você mede”

Complete com D (discreto) ou C (contínuo)

( C ) Peso da embalagem (gramas) ( C ) Volume em uma garrafa (ml)


( D ) Quantidade de reclamações ( D ) Quantidade de itens defeituosos
( D ) Produtos reprovados ( D ) Relatórios com erro
( D ) Quantidade de filhos ( C ) Temperatura do forno (oC)
( C ) Tempo entrega produto (segundos) ( C ) Volume de sucata produzida (kg)
( C ) Renda familiar (R$) ( D ) Quantidade de turnos
Estatística Descritiva

Medidas Descritivas da estatística:

Medidas de LOCAÇÃO: Medidas de VARIABILIDADE:

- Média (X-barra) - Amplitude (R)

- Mediana (X-til ou Q2) - Desvio padrão (s)

- Quartis (Q1 e Q3)


Definição de Média

A média é o centro de massa de um conjunto de dados e é a estatística mais utilizada


para representar a locação dos dados.

Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens defeituosos


fabricados em sua linha de produção. Os dados medidos de segunda a sexta
foram: 6, 9, 6, 5, 1, 7, 4, 2, 5, 5.
 
Qual é o valor médio de itens defeituosos?
Definição de Mediana
A Mediana é a medida de posicionamento central dos dados. É o termo central de um conjunto
de dados colocados em ordem crescente ou decrescente. Se a quantidade de valores ordenados
for ímpar, a mediana é exatamente o número localizado no meio da lista. Se a quantidade de
valores ordenados for par a mediana é calculada como a média dos dois valores centrais.

Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens defeituosos fabricados


em sua linha de produção. Os dados medidos de segunda a sexta foram: 6, 9, 6, 5, 1, 7, 4, 2,
5, 5.
  ~
Qual é o valor mediano de itens defeituosos? 𝑥=5
Definição de Quartil
Os Quartis são medidas de pontos padrão em relação a posicionamento dos dados.
 O primeiro quartil (Q1) é o valor que divide o conjunto de dados em 25% dos dados abaixo do
Q1 e 75% dos dados acima do Q1.
 O segundo quartil é também a mediana.
 O terceiro quartil (Q3) é o valor que divide o conjunto de dados em 75% dos dados abaixo de
Q3 e 25% dos dados acima de Q3.

Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens defeituosos


fabricados em sua linha de produção. Os dados medidos de segunda a sexta foram: 6,
9, 6, 5, 1, 7, 4, 2, 5, 5.

Qual é o valor do Q1, Q2 e Q3? Q 1 = 3,5   Q 2 = 5    Q 3 = 6


 
Definição de Amplitude

A amplitude é a diferença entre o maior e o menor valores de um conjunto de dados e


se baseia somente nos valores extremos do conjunto de dados.

Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens


defeituosos fabricados em sua linha de produção. Os dados medidos de
segunda a sexta foram: 6, 9, 6, 5, 1, 7, 4, 2, 5, 5.

Qual é o valor da amplitude dos dados? R=9–1=8


Definição de Desvio Padrão

Desvio Padrão: é a variação média do processo em relação ao valor da média do mesmo. Se o


desvio padrão for alto, o processo possui muita variabilidade, mas se o desvio padrão for baixo o
processo apresenta pouca variabilidade. Quanto menor o desvio padrão, melhor será o processo.

Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens defeituosos


fabricados em sua linha de produção. Os dados medidos de segunda a sexta foram: 6,
9, 6, 5, 1, 7, 4, 2, 5, 5.

Qual é o valor do desvio padrão? s = 2,3


Estatística Descritiva no Minitab

 Exemplo: um empresa mediu durante 10 dias a quantidade de itens defeituosos


fabricados em sua linha de produção. Os dados medidos de segunda a sexta foram: 6,
9, 6, 5, 1, 7, 4, 2, 5, 5. Calcule a Estatística Descritiva para os dados fornecidos
utilizando o Minitab.
Estatística Descritiva no Minitab

 No Minitab preencha o Worksheet com os dados fornecidos e depois clique em Estat


-> Estatísticas Básicas -> Exibição de Estatísticas Descritivas...
2
1
Estatística Descritiva no Minitab
 Na janela aberta, selecione a coluna “Itens Defeituosos” no campo Variáveis. Clique
em Estatísticas para uma nova janela se abrir.

 Na janela de Exibição de Estatísticas Descritivas, escolha as medidas que deseja


calcular e clique em OK duas vezes para finalizar.
3
4
Módulo 1
3
Introdução ao Minitab 18

Lição 8: Introdução ao Minitab 18;

Lição 9: Estatística Descritiva;

Lição 10: Principais Distribuições de Probabilidade;

Lição 11: Distribuição Normal e Teste de Normalidade;


Principais Distribuições de Probabilidade

 A distribuição nos ajuda a compreender a forma, dispersão e localização de um


conjunto de dados.
 Conhecer a distribuição de um conjunto de dados pode nos oferecer muitas
informações. Podemos analisar uma distribuição através de gráficos e estatística
descritiva.
 Um histograma, por exemplo, pode nos ajudar a compreender a forma da
distribuição, se existem picos, se a dispersão é grande, entre outras informações.
Principais Distribuições de Probabilidade

 Não entraremos nas particularidades de todas das distribuições, mas apresentaremos


algumas que valem a pena destacarmos.

 Nosso foco no Green Belt será a Distribuição Normal!


Principais Distribuições de Probabilidade

Distribuições Discretas: Distribuições Contínuas:


- Binomial - Normal

- Poisson - Exponencial

- Hipergeométrica - t (student)

- Lognormal

- Weibull

- Qui-Quadrado
Distribuição Binomial

 Cada evento ou observação possui apenas dois resultados possíveis:


 Sucesso / fracasso
 Passa / não passa
 Sim / não
 Perfeito / defeituoso

 Todos os eventos são realizados sob a mesma condição e o resultado de um evento


não influencia o resultado de outro (eventos independentes).

 As Cartas de Controle p e np são baseadas nessa distribuição.


Distribuição Binomial

 Eventos que seguem a distribuição Binomial: Distribuição Binomial


Binomial; n=150
 Número de peças boas versus número de 0,20 p
0,5
peças ruins; 0,2
0,03
 Número de embarques no prazo em um 0,15

determinado período (a cada hora);

Probabilidade
 Número de faturas pagas no prazo; 0,10

 Absenteísmo em um determinado período (a


cada dia). 0,05

0,00
0 20 40 60 80 100
X
Distribuição Binomial

Distribuição Binomial
Binomial; n=150
0,20 p
Quando a probabilidade de sucesso (p) e de 0,5
0,2
0,03
fracasso (q) são iguais a 50%, o gráfico é 0,15

simétrico e aparenta uma curva Normal.

Probabilidade
0,10

Quanto mais distante de 50% a 0,05

probabilidade de sucesso for, mais


distorcida será a distribuição. 0,00
0 20 40 60 80 100
X
Distribuição de Poisson

 Uma distribuição aplicável a eventos que possuem uma taxa de ocorrências por
intervalo, sendo este intervalo uma unidade de tempo, volume, distância, etc.

 Eventos que podem ter a distribuição de Poisson:


 Número de defeitos encontrados em uma amostra de 10 peças;
 Número de erros de digitação por folha;
 Número de defeitos na pintura por metro quadrado;
 Número de lâmpadas queimadas a cada mês.

 As Cartas de Controle c e u são baseadas nessa distribuição, já que são Cartas


que falam sobre a quantidade de defeitos.
Distribuição de Poisson

Distribuição de Poisson
Poisson

Quanto maior o número médio de 0,4 Média


1

ocorrências por intervalo, mais simétrica é a


10
25
0,3
distribuição.

Probabilidade
0,2

Quanto menor o número médio de 0,1

ocorrências por intervalo, mais distorcida


(cauda longa para a direita). 0,0
0 10 20 30 40
X
Distribuição Exponencial

 Uma distribuição que representa o tempo ou espaço entre ocorrências de um evento.


 Muito utilizada no estudo da confiabilidade de peças ou sistemas, representando o
tempo decorrido até a falha.
Distribuição Exponencial
Exponencial; Lim=1
Escala
2,0
0,5
1
2

1,5
Densidade

1,0

0,5

0,0
0 2 4 6 8 10
X
Distribuição Lognormal

 Uma distribuição muito utilizada em análises de confiabilidade e aplicações financeiras


como, por exemplo, o comportamento de ações ou títulos financeiros.

Gráfico de Distribuição
Lognormal; Loc=0; Lim=0

1,4 Escala
1
0,5
1,2 0,3

1,0
Densidade

0,8

0,6

0,4

0,2

0,0
0 1 2 3 4 5 6 7 8
X
Outras Distribuições
Distribuição Tipo Descrição
Utilizada para criar intervalos de confiança para a média da população que segue a
distribuição Normal, mas o desvio padrão é desconhecido (teste de hipóteses).
t (student) Contínua
Determinar se a média de duas amostras que seguem a distribuição Normal são
diferentes se a variância das amostras for desconhecida (teste de hipóteses).
Testada para avaliar a independência entre duas variáveis discretas (teste qui-
Qui-quadrado Contínua
quadrado).
Utilizada em testes de Análise de Variância para comparar quão significativo é a
F Contínua variação causada por determinado fator em relação à variação causada pelo erro ou
por outro fator.
Muito utilizada para modelar falha de produtos e equipamentos. Representa uma
Weibull Contínua família de distribuições que se ajusta a uma grande variabilidade de dados e
aplicações.
Hipergeométrica Discreta Utilizada para analisar itens defeituosos de amostras retiradas de populações
pequenas e sem reposição.
Módulo 1
3
Introdução ao Minitab 18

Lição 8: Introdução ao Minitab 18;

Lição 9: Estatística Descritiva;

Lição 10: Principais Distribuições de Probabilidade;

Lição 11: Distribuição Normal e Teste de


Normalidade;
Distribuição Normal

 A distribuição normal é uma das mais importantes distribuições estatísticas.


 A curva teórica apresenta formato de sino e é simétrica em relação à sua média.
 Conseguimos desenhar uma Curva Normal tendo apenas dois parâmetros: média e
desvio padrão.
Distribuição Normal

 Ela representa o comportamento de diversos processos nas empresas


e muitos fenômenos comuns como, por exemplo:
 altura ou peso de uma população;
 a pressão sanguínea de um grupo de pessoas;
 o tempo que um grupo de estudantes gasta para realizar uma prova.

 Para calcular a probabilidade de ocorrência de um fenômeno basta


calcular a área sob a curva.

 As Cartas de Controle X-AM, Xbarra-R e Xbarra-S são baseadas nessa


distribuição.
Tarefa Prática - Distribuição Normal

Exemplo: Em uma sala de aula, o professor anotou a idade de cada um dos quarenta
alunos presentes. Sabendo que a distribuição da idade dos alunos é Normal, desenhe a
curva com média igual a 23 anos e desvio padrão igual a 2 (μ= 23 e σ= 2).

O que podemos concluir sobre a idade dos alunos apenas observando a


distribuição Normal?
 Tarefa Prática - Distribuição Normal

Gráfico de Distribuição
Normal; Média=23; DesvPad=2
- 68,26% dos alunos possuem 17 19 21 23 25 27 29

idade entre 21 e 25 anos (± 1σ). 0,20

O mesmo que 28 dos 40 alunos. 0,15

Densidade
- 95,44% dos alunos possuem 0,10

idade entre 19 e 27 anos (± 2σ).


- O mesmo que 38 dos 40 alunos. 0,05

0,00
16 18 20 22 24 26 28 30
X
 Teorema Central do Limite

Curiosidade...
 Segundo o Teorema Central do Limite, se uma variável não possui distribuição
Normal é possível que as médias amostrais sejam aproximadamente Normais. À
medida que o tamanho amostral aumenta e calculamos médias de períodos
maiores, aproximamos a distribuição da variável a uma distribuição Normal.

Histogram of Qtd. Defeitos por hora Histogram of Qtd. defeitos_média diária


18
Normal

5 Mean 5,85
16

Quantidade média
StDev 2,059
N 20
14
4
12

de defeitos por dia


Frequency

Frequency
10 3

2
6

Quantidade de
4
1
2

defeitos por hora


0 0
1,5 3,0 4,5 6,0 7,5 9,0 10,5 12,0 2 4 6 8 10
Qtd. Defeitos por hora Qtd. defeitos_média diária
 Teste de Normalidade

 Como podemos ter certeza que os nossos dados seguem a distribuição Normal?

 No Minitab é possível realizar o Teste de Normalidade dos dados.


1
2
 Teste de Normalidade

 Abra o arquivo “Teste de Normalidade”.

 Clique em Estat -> Estatísticas Básicas -> Teste de Normalidade.

 Escolha a coluna de dados no campo Variável e finalize clicando em OK.


Gráfico de Probabilidade de Tempo até a falha Gráfico de Probabilidade de Produtividade operador
Normal Normal
99 99
Média 4,746 Média 4,550
DesvPad 3,461 DesvPad 0,3185
95 N 50 95 N 50
AD 1,987 AD 0,227
90 90
Valor-P <0,005 Valor-P 0,805
80 80
70 70
Percentual

Percentual
60 60
50 50
40 40
30 30
20 20

10 10

5 5

1 1
-5 0 5 10 15 4,0 4,4 4,8 5,2 5,6
Tempo até a falha Produtividade operador
Teste de Normalidade

A verificação da Normalidade é feita por meio do Gráfico de Probabilidade Normal e do


teste estatístico de Normalidade.

Regra de decisão:
 Se p-valor < 0,05 os dados não são Normais.
 Se p-valor ≥ 0,05 os dados são aproximadamente Normais.

Gráfico de Probabilidade de Tempo até a falha Gráfico de Probabilidade de Produtividade operador


Normal Normal
99 99
Médi a 4,746 Média 4,5 5 0
DesvPad 3 ,46 1 DesvPad 0 ,3 18 5
95 N 50 95 N 50
AD 1,98 7 AD 0 ,2 2 7
90 90
Valor-P <0 ,0 0 5 Val or-P 0 ,8 0 5
80 80
70 70
Percentual

Percentual
60 60
50 50
40 40
30 30
20 20

10 10

5 5

1 1
-5 0 5 10 15 4,0 4, 4 4,8 5,2 5, 6
Tempo até a falha Produtividade operador

NÃO É NORMAL NORMAL!!!


Teste de Normalidade

 Qual é o problema se os dados não forem Normais? NENHUM!!!


 Dados não Normais são comum em alguns cenários como, por exemplo, na
manutenção, no mercado financeiro ou em testes de confiabilidade. Sempre que os
dados não forem normais devemos escolher as ferramentas estatísticas apropriadas.

 As Cartas de Controle X-AM, Xbarra-R e Xbarra-S são utilizadas apenas para


dados Normais.

 Ao analisar a Capabilidade do Processo, teremos que escolher entre a


Capabilidade para dados Normais e a Capabilidade para dados não normais.

 Não podemos utilizar Testes de Hipóteses para tirar boas conclusões sobre
as diferenças entre grupos ou entre amostras.
Probabilidade de ocorrência

 Para o exemplo, sabemos que a produtividade dos operadores possui uma


distribuição Normal.

 Como fazemos para identificar a probabilidade de um valor específico de


produtividade ocorrer ou uma faixa de valores?

 Qual é a probabilidade da produtividade de um colaborador ser maior ou igual a


5,0?

 Qual é a probabilidade da produtividade de um colaborador estar entre 4,5 e


4,8?
Probabilidade de ocorrência

 Primeiro precisamos de calcular a média e o desvio padrão dos dados da


produtividade.
1
2
3
Probabilidade de ocorrência

 A média é igual a 4,5497 e o desvio padrão igual a 0,3185.


Probabilidade de ocorrência

 Clique em Gráfico -> Gráfico de Distribuição de Probabilidade -> Visualizar


Probabilidade -> OK.

1
2
Probabilidade de ocorrência

 Preencha o valor da média e desvio padrão -> clique na aba Área Sombreada.
 Escolha a opção Valor de X -> Lateral Direita-> Digite 5,0 no campo valor de X -> OK.

2
1
Probabilidade de ocorrência

 Qual é a probabilidade da produtividade de um colaborador ser maior ou igual a 5,0?

Gráfico de Distribuição
Normal; Média=4,5497; DesvPad=0,3185
1,4

1,2

1,0
Densidade

0,8

0,6
7,87%
0,4

0,2
0,07871

0,0
4,550 5
X
Probabilidade de ocorrência

 Escolha a opção Valor de X -> Meio-> Digite 4,5 para o valor 1 de X e digite 4,8 para
o valor 2 de X-> OK.
1
Probabilidade de ocorrência

 Qual é a probabilidade da produtividade de um colaborador estar entre 4,5 e 4,8?

Gráfico de Distribuição
Normal; Média=4,5497; DesvPad=0,3185
1,4

0,3460
1,2

1,0
Densidade

0,8

0,6
34,6%
0,4

0,2

0,0
4,5 4,550 4,8
X
Sem fronteiras para o conhecimento

Introdução ao Minitab 18
Green Belt em Lean Seis Sigma
voittoonline.com.br