Você está na página 1de 26

ElecTel

UAN - UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO


Faculdade de Ciências / Departamento de Física
MESTRADO EM ELECTRÓNICA E TELECOMUNICAÇÕES

RADIOCOMUNICAÇÃO E TV

TRABALHO DE CASA

Nome: Maitsudá Matos e Pedro Mampuya

PERGUNTA Nº 01
Sobre os processos de Modulação
a) De acordo com a definição da palavra “Modulação”, explique analiticamente a
essência do processo e os componentes que nele intervém.
R: Modulação é a realização de um processo pelo qual as características do sinal
de Banda Básica são modificadas, com a finalidade principal de melhor adaptá-
lo ao canal disponível para transmissão (Ribeiro, J.B, 2012).A modulação
também é definida como sendo o transporte de informação sobre uma onda
portadora, cuja frequência é bem maior que a frequência contida no sinal
original. Os componentes que intervém no processo de modulação são:
 Sinal modulante;
 Sinal senoidal (portadora);
 Sinal modulado.
O processo pode ser visto como sendo um sistema que recebe dois sinais de
entrada e produz um sinal de saída. Uma destas entradas é o sinal de informação
que é gerado por exemplo pelo microfone (sinal de frequência de áudio), a esta
entrada dá-se o nome de sinal modulante, a outra entrada é um sinal apropriado
para se fazer a transmissão pelo canal de comunicação (ar), entrada essa que tem
como função transportar a informação a ser transmitida, sendo por isso
conhecida como sinal de portadora. Ao sinal de saída é dá-se o nome de sinal
modulado (sinal de rádio frequência).

Figura 1-Processo de Modulação

1
ElecTel

b) Descreve as técnicas de Modulação Analógica


R: As técnicas de Modulação Analógica são:
Modulação em Amplitudes-AM;
Modulação em Fase-PM;
Modulação em frequência-FM.
 Modulação em Amplitudes-AM
A modulação em Amplitude consiste em modificar a amplitude da portadora conforme
as variações de amplitude do sinal modulante. A modulação em Amplitude subdivide-se
em quatro categorias que são:
AM – DSB (Amplitude Modulation – Double Side Band) Modulação em
Amplitude com Banda Lateral Dupla.
AM – DSB/SC (Amplitude Modulation – Double Side Band/Supressed Carrier)
- Modulação em Amplitude com Banda Lateral Dupla e Portadora Suprimida.
AM – SSB (Amplitude Modulation – Single Side Band) - Modulação em
Amplitude – Banda Lateral Simples.
AM – VSB (Amplitude Modulation – Vestigial Side Band) - Modulação em
Amplitude – Banda Lateral em Vestígio.

Como a portadora senoidal tem três parâmetros : Amplitude, Frequência e Fase, existem
três formas básicas de modulação : Modulação em Amplitude AM, Modulação em
Freqüência FM e Modulação em fase PM.

Por Definição de AM temos:

 Portadora:
 Sinal modulante:

 Taxa ou índice de modulação: (M também pode ser expresso em )

 Onda Modulada em AM:


Portanto:

Efetuando o produto de senos temos:

Portadora raia lateral inferior raia lateral superior

2
ElecTel

A figura 2 seguinte mostra a forma de onda e o espectro para diversas taxas e


frequências de modulação. A curva em vermelho é uma curva imaginária
chamada envoltório, que representa o valor de pico atingido pela onda AM em função
do tempo e cuja forma é exatamente a do sinal modulante.

FIGURA 2

Todo o raciocínio acima foi feito usando como sinal modulante uma senoide, que
espectralmente é uma raia e por isso cria duas raias laterais, imagens dela. Na prática, o
sinal modulante é quase sempre um sinal complexo, como voz por exemplo. Como todo
sinal complexo é composto de uma serie de senoides (teorema de Fourier) ou seja, uma
serie de raias que ocupam uma banda, basta aplicar o mesmo raciocínio para cada uma
das raias individualmente. O sinal resultante AM será o somatório das partes, ou seja, o
espectro do sinal AM é a imagem duplicada do espectro do sinal modulante, com
duas bandas idênticas e simétricas em relação a portadora.
A banda lateral superior (USB Upper Side Band) é a imagem exata do espectro do
sinal modulante, enquanto que a banda lateral inferior (LSB Lower Side Band) é a
imagem invertida do mesmo sinal, pois é o resultado de uma subtração entre a
frequência da portadora e as frequências do sinal modulante.

A modulação AM portanto permite fazer uma transposição espectral da informação,


mudando o seu espectro de baixas frequências para frequências maiores, em torno da

3
ElecTel

frequência da portadora. A demodulação consiste em fazer a transposição inversa,


recolocando a informação na posição original no espectro:

Conclusão sobre Modulação AM:

 Uma onda AM difere da portadora pura pelo fato de conter além da portadora
duas raias laterais de mesmo nível , e com freqüências simétricas em
relação a freqüência da portadora fp, tendo a raia lateral superior freqüência de
e a raia lateral inferior .

 Quando pretendemos modular a amplitude de uma onda chamada portadora, na


verdade a amplitude desta onda portadora permanece constante e aparecem duas
novas ondas, as raias ou bandas laterais, que somadas a portadora resultam numa
onda composta e com amplitude proporcional ao valor instantâneo do sinal
modulante, ou seja, modulada em amplitude. Portanto, não é a portadora que
está modulada em amplitude, mas a onda composta resultante da soma da
portadora pura mais as bandas laterais. (veja conclusão semelhante em FM e
PM).

Nota: Ao pesquisarmos sobre modulação AM notamos que é importante não


confundir MODULAÇÃO AM com SUPERPOSIÇÃO (OU SOMA)

 Modulação em frequência-FM.

- Consiste em desviar a frequência da portadora conforme as variações de amplitude do


sinal modulante.
- A informação está contida nos desvios de frequências provocados na portadora.
- O desvio de frequência é dado pela diferença entre a máxima e a mínima frequência
da portadora modulada. Portanto, uma onda FM sofre diretamente desvios de
frequência, e que são:

4
ElecTel

 O desvio de frequência de pico da onda FM é proporcional (pela constante


) ao valor de pico (ou amplitude) do sinal modulante:

 O desvio de frequência instantâneo da onda FM é proporcional (pela


constante ) ao valor instantâneo do sinal modulante:

Portanto, a onda FM é:

Ou ainda:

Uma onda modulada em frequência, difere de uma onda pura, no fato de que a sua fase
sofre uma variação proporcional a integral do sinal modulante. A figura 3 seguinte
mostra a relação entre portadora pura, sinal modulante e a onda FM . Observamos que
quando o valor instantâneo do sinal modulante é máximo positivo, a frequência da onda
FM também é máxima. Quando o valor instantâneo do sinal modulante é máximo
negativo, a frequência da onda FM é mínima. A diferença entre a maior e menor
frequência da onda é o valor pico a pico do desvio de frequência, e é igual ao dobro do
desvio de pico

FIGURA 3

 Modulação em Fase-PM ;
Consiste em inverter a fase de portadora de RF conforme as mudanças de
amplitude do sinal modulante. Uma onda modulada em fase (PM) tem fase
instantânea linearmente proporcional ao valor instantâneo do sinal
modulante. Portanto, a onda PM sofre diretamente desvios de fase, que são:

5
ElecTel

 O desvio de fase de pico de uma onda PM é proporcional (pela


constante kp ) ao valor de pico (ou amplitude) do sinal modulante:

 O desvio de fase instantâneo de uma onda PM é proporcional (pela


constante kp ) ao valor instantâneo do sinal modulante:

Portanto, a onda PM é:

A frequência instantânea da onda modulada em fase é proporcional a derivada do sinal


modulante:

Portanto, uma onda modulada em fase, PM, (que tem por definição fase instantânea
linearmente proporcional ao valor instantâneo do sinal modulante) sofre
também variações de frequência proporcionais a derivada do sinal modulante , como se
vê na seguinte figura

A derivada do sinal modulante é máxima positiva na passagem por zero, indo de


negativo para positivo, e é nesse instante que a frequência da onda PM também é
máxima. Quando o sinal modulante passa por zero, indo de + para -, a sua derivada é
máxima negativa e a onda PM tem frequência mínima. Nos instantes de passagem por
zero do sinal modulante, o desvio de fase também é zero. O desvio de fase é
máximo positivo quando o sinal modulante tem valor instantâneo máximo positivo. O
desvio de fase é máximo negativo quando o sinal modulante tem valor instantâneo

6
ElecTel

máximo negativo. O desvio de fase não pode ser visto facilmente na forma de onda,
pois corresponde ao angulo que o vetor da onda modulada se adianta ou atrasa em
relação ao vetor da portadora pura.

Teoricamente, uma onda FM ou PM é composta de uma infinidade de ondas senoidais


de frequências fixas (raias), simétricas em relação a frequência da
portadora , equidistantes, separadas pelo valor de , a frequência do sinal
modulante.
Na prática, felizmente, as raias acima de uma certa ordem podem ser desprezadas por
serem muito pequenas. Desprezando as raias com menos de 10% de amplitude (em
tensão, o que equivale a 1% em potência) em relação a portadora pura, a banda ocupada
em FM ou PM é dada pela formula de Carson:

onde é o desvio de frequência de pico da onda FM, max é a máxima


frequência do sinal modulante, e n o índice de modulação.

Um parâmetro importante em FM ou PM é o índice de modulação n, definido a


seguir:

Porque n define o nível das raias ou sinais senoidais que compõem a onda FM ou PM.
As funções de Bessel permitem obter o valor de cada raia em função de índice de
modulação n.

c) Descreve as técnicas de Modulação Digital

R: As técnicas de Modulação digital são:


 Amplitude: ASK(Amplitude Shift Keying)
A técnica ASK é o parente digital da modulação de amplitude (AM). Num sinal
ASK é a amplitude de uma portadora que varia no tempo de acordo com os bits
a transmitir. Na Figura … mostra-se um exemplo de um sinal ASK.
 Frequência: FSK (Frequency Shift Keying)
A técnica FSK é o parente digital da modulação de frequência (FM). Num sinal
FSK é a frequência de uma portadora que varia no tempo de acordo com os bits
a transmitir. Na Figura … mostra-se um exemplo de um sinal FSK.

7
ElecTel

Figura 4-Sinal ASK Figura 5-Sinal FSK

 Fase: PSK (Phase Shift Keying)


Na técnica PSK o sinal transmitido transporta os dados digitais através da
variação temporal da fase de uma portadora de acordo com os bits a transmitir.
Na Figura … mostra-se um exemplo de um sinal PSK.

Figura 6-Sinal PSK

 Amplitude e fase: QAM (Quadratute Amplitude Modulation)


A modulação QAM é caracterizada pela superposição de duas portadoras em
quadratura moduladas em amplitude. Esta modulação é utilizada em modens
analógicos e rádios digitais de alta velocidade. A principal característica é
permitir a modulação com maior número de símbolos em sua constelação,
aumentando a velocidade de modulação.Na modulação QAM a fase e a
portadora são modificadas

Figura 7- Constelação do sinal com modulação 4QAM e 8QAM

8
ElecTel

d) Estabelece a comparação entre ambas as técnicas descritas nas alíneas b e


c).
Resposta: Na tabela abaixo apresentam-se as principais comparações entre as
técnicas de modulação analógica e digital.

Técnicas de Modulação Analógica Técnicas de Modulação digital


Nos sistemas de comunicação dividem-se O que caracteriza uma modulação digital é
em dois grandes grupos: que o sinal modulante ser sempre do tipo
 Um que usa portadora senoidal; digital.
 Outro que utiliza como portadora  Para a portadora digital a
um trem-de-pulsos. informação pode ser analógica ou
Para os grupos que utilizam portadora digital.
senoidal duas são as características  Usa portadora analógica senoidal.
alteráveis: Para os grupos que utilizam portadora
 A amplitude e a frequência, senoidal quatro são as características
gerando a Modulação em alteráveis:
Amplitude- AM (Amplitude  A amplitude,a frequência,a fase e a
Modulation) e a Modulação em amplitude e fase,gerando ASK
Fase – PM (Phase Modulation) ou (Amplitude Shift Keying), FSK
em Frequência- FM (Frequency (Frequency Shift Keying), PSK
Modulation). (Phase Shift Keying) e QAM
(Quadratute Amplitude
Para os grupos que utilizam portadora Modulation)
trem-de-pulsos, além da amplitude,
podemos:
 Variar a largura e a posição
relativa dos pulsos;
 Admitem codificação digital.

Menor capacidade de transmissão e baixa Maior capacidade de transmissão e alta


fiabilidade. fiabilidade.
Quanto ao parâmetro alterado na portadora temos:
Amplitude| :AM (Amplitude Modulation) ASK (Amplitude Shift Keying)

9
ElecTel

Frequência| :FM (Frequency Modulation) FSK (Frequency Shift Keying)


Fase| PM (Phase Modulation) PSK (Phase Shift Keying)
Amplitude e fase| --- QAM(Quadratute Amplitude Modulation)

e) Um dos problemas críticos das transmissões digitais é a necessidade de se


utilizar uma faixa de transmissão mais bem larga do que a correspondente
a sistema analógico de mesma capacidade, qual a solução? Fundamente a
sua resposta.
Resposta: Os sistemas modernos de telecomunicações devem acomodar um
número cada vez maior de canais, com larguras de faixas que crescem com a
velocidade e quantidade de informações transmitidas, Além de serem Imunes a
interferências e ruídos, Operando com baixas potências. Para conseguir que tais
sistemas sejam eficientes técnicas de modulação e multiplexação de sinais
avançadas são usadas com recurso a Modulação digital.

PERGUNTA Nº 02

Com base na figura simplificada de um sistema de Televisão inter-oceânico utilizando


um Satélite na Banda C como repetidor.

Considere que o Satélite é geoestacionário e está aproximadamente a 36.000 Km de


distância da terra. A frequência de Uplink (enlace de subida) é de 6 GHz e a de
DownLink (enlace de descida) é 4 GHz. Sabendo que a perda (atenuação) no espaço
livre em dB é dada pela
expressão:

E que os ganhos das antenas transmissoras e receptoras estão dados na figura

10
ElecTel

a) Calcule a potência do sinal recebido no receptor do Satélite (considere também o


ganho de 20 dB do receptor), dado que a potência de transmissão na Itália foi de
3.162 KW.
Dados:

Solução:
Sabendo que a perda (atenuação) no espaço livre em dB é dada pela expressão:

Então a perda (atenuação) no espaço livre em dB A frequência de Uplink


(enlace de subida) é de 6 GHz será:

A perda (atenuação) no espaço livre em dB A frequência de Downlink


(enlace de descida) é 4 GHz será:

 A potência recebida pelo satélite será:

 A potência na saída do receptor será:

Nota: O satélite tem um amplificador repetidor que produz uma potencia de


saída típica de Pes(dBW) = 18dBW, então:

11
ElecTel

b) Qual deverá ser a amplificação do sinal no Satélite para que este sinal chegue ao
ponto A no Brasil com potência mínima igual ao limiar aceitável.
Solução
O ganho de amplificação será:

PERGUNTA Nº 03

Deseja-se estabelecer um sistema de rádio enlace STL entre os estúdios e o centro de


difusão da estação radiofónica LAC – Luanda Antena Comercial, em 3 GHz, cobrindo
uma distância de 5 Km. As antenas, transmissora e receptora empregues são iguais,
possuem um ganho de 13 dB e estão casadas. A potência mínima do sinal na entrada do
receptor é de 10 nW, e as perdas devido a polarização e outros descasamentos
equivalem a 3 dB, sob condições de propagação no espaço livre, qual será a potência
mínima, em Watts, do transmissor. Lembrete:

Dados:
Solução:

Em primeiro lugar vamos converter 10nW em dBm, emtão:

Agora estamos em condições para calcular a Atenuação no espaço livre em dB, onde:

12
ElecTel

PROBLEMA Nº 04

No âmbito das autarquias em 2020, imagine que o Mestrando é indicado como


responsável pelo projecto de uma rádio comunitária, a qual é em FM, e
inicialmente na sua avaliação do trabalho de campo, percebes que vai ter – 40
dBm a 5 Km de distância radial do transmissor, usando um analisador de
espectro com uma antena de 0 dBi de ganho neste caso e sem LNA na recepção,
tendo também uma antena para transmissão que tem 2 dBi de ganho conforme
indicado na figura abaixo, usando cabos com perda de 2 dB/100 m em uma torre
de 10 m, na frequência de 100 MHz. Sabendo disto, determine o valor da
potência do sinal do modulador; lembre que neste caso temos amplificador de
potência e devendo levar em conta apenas a perda no cabo e o ganho da antena
pelo lado do transmissor e lembre-te também que a perda no espaço livre é dada
pela expressão:

13
ElecTel

Dados:

 dBi -- Esta unidade nos informa quantos dB’s o ganho de uma antena qualquer é
maior ou menor que o ganho de uma antena isotrópica. A antena isotrópica é
aquela que irradia a mesma densidade de potência em todas as direcções, ou
seja, no plano cartesiano, seu diagrama de irradiação é uma circunferência.

De acordo analise a figura pode-se perceber que Nível de Sinal que se pretende receber
será:

É ainda fácil observar da figura que:

Fazendo analise linear tem-se:

Pm(dBm) (Potência de Transmissão AP)=?

14
ElecTel

+ 2dBi (Ganho da antena AP )

-0,2 dB (Perdas no cabo)

0dBi (Ganho da antena Receptor)

46,34 (Ganho total)

-86,34 dB (Perda no espaço livre a 5Km)

- 40dBm (Nivel de Sinal que se pretende receber)

PROBLEMA Nº 05

Num exercício experimental de laboratório um sinal de áudio de 5 KHz é utilizado para


modular uma portadora de 50 MHz, provocando um desvio de frequência de 20 KHz.
Determine

a) O índice de modulação

b) A Largura de banda do sinal do sinal FM utilizando a Regra de Carson,

c) A largura de banda do sinal de FM utilizando a curva universal

d) Compare e explique o porque da diferença nos resultados obtidos nas alíneas b) e c)

Solução:

a) Sinal modulante:

Desvio de frequência:

b) Largura de Banda usando a regra de Carson:

15
ElecTel

c) R: Largura de Banda usando a curva Universal:

Usando a curva universal, nos encontramos para , temos:

PROBLEMA Nº 06

Numa outra experiência de laboratório, pretende-se determinar a frequência do sinal de


modulação que produz um sinal FM com uma largura de banda de 50 KHz quando o
desvio de frequência do sinal FM é 10 KHz

Dados:

Solução: Usando a regra de Carlson temos:

A frequência do sinal de modulação é 15kHz,

16
ElecTel

PROBLEMA Nº 07

Uma nova Rádio no mercado surge com uma portadora de 103.0 MHz e para o efeito de
teste de validação do INACOM é modulada em frequência por um tom fixo de uma
onda senoidal de 10 KHz. Sendo a largura de banda do sinal modulado igual à 60 KHz.
Determine o índice de modulação do sinal FM.

Dados:

Nota: Nos exercícios 5,6 e 7 utilizou-se a regra de Carsom para a resolução dos
exercícios. A fim de acrescentar valor ao nosso trabalho apresentamos a seguir um
exercício semelhante e bastante interessante.

 Nos estados unidos, o máximo valor do desvio de frequência é 75kHz para FM


comercial. Se a largura em banda base é de 15kHz, que é tipicamente a máxima
frequência de áudio de interesse, qual é a largura de faixa requerida.
Solução: O índice de modulação é dado pela razão entre o desvio máximo de
frequência e a máxima frequência do sinal de modulação, ou seja:

De acordo com o critério da regra de Carsom:

De acordo com o critério de 1%, analisando-se o gráfico dado anteriormente,


tem-se que:

 Na prática é alocada para cada radio FM uma largura de faixa de 200kHz

17
ElecTel

PROBLEMA Nº 08

Pretende-se num teste de laboratório medir a potência de saída de um transmissor. Com


essa finalidade emprega-se um medidor de potência calibrado que suporta, no máximo,
10 mW. Como a potência de saída do transmissor é 20 mW, emprega-se um atenuador
casado à linha de transmissão ideal, conforme a figura.

Determine

a) O menor valor X do atenuador, que permite a utilização do medidor


R:
Como a potência de saída do transmissor é 20 mW, temos o seu equivalente em
dBm:

O medidor de potência calibrado que suporta, no máximo, 10mW, temos seu


equivalente em dBm:

Agora vamos Determinar o valor de X que encontramos em mW

18
ElecTel

b) Supondo que o atenuador seja fixado em 3 dB, calcule os valores reais da


potência de transmissão. Em mW, para os 4 valores medidos e apresentados na
tabela a seguir
Os valores medidos em dBm são:

Os valores reais serão:

Escala Valor lido no medidor (mW) Valores reais (mW)


Posição 1 2 4
Posição 2 4 8
Posição 3 6 13
Posição 4 8 16

19
ElecTel

PROBLEMA Nº 09

O Mestrando é chamado a dimensionar um sistema de transmissão digital para um sinal


de vídeo cujos dados;

Banda ocupada: 6 MHz

Rool off: IBS/IDR = 40%

Modulação QPSK

FEC: ¾

Reed Solomon: 188/204

Com efeito, torna-se evidente calcular os parâmetros fundamentais, nomeadamente a


Taxa de Transmissão (DR) e a Taxa de Símbolo (SR).

Solução

 A Taxa de Transmissão (DR)

Onde:

Temos que:

Sabemos tambem que:

 A Taxa de Símbolo (SR).

20
ElecTel

PROBLEMA Nº 10

Após concluir a sua recém formação, o Mestrando é convidado e aceitou trabalhar na


área de radiodifusão em AM. Uma das medidas realizadas mostrou um sinal de
Volts modulado por um sinal Volts. Determine o
espectro de frequência deste sinal e a distribuição de potência (% na portadora e raias
laterais)

R:Soubemos que para o sinal AM temos:

Então:

 A profundidade de modulação será:

A envolvente do sinal é

 A frequência das bandas laterais será:

 A distribuição de potência (% na portadora e raias laterais)

Como a amplitude de cada banda lateral vale:

21
ElecTel

Onde:

PROBLEMA Nº 11

Sabe-se que num Sistema de comunicação digital, a taxa de transmissão de dados é


limitada pela largura de banda, sendo que

Largura de banda disponível no canal ruidoso: W = 4000 Hz.

S/No = 53 dB-Hz (no receptor)

Deseja-se transmitir a uma taxa de R = 9600 bits/s e que a probabilidade de bit errado
não possa ser superior a . Com isso, pretende-se determinar o esquema de
modulação que satisfaz estas exigências. Qual é o valor de Pb conseguido?

R:

Sabe-se que a relação entre e é a seguinte:

Como:

R > W o canal é limitado em largura de banda ⇒ escolhemos MPSK. Então o menor


valor de M tal que a largura de banda mínima de MPSK não exceda a largura de banda
disponível de 4000 Hz será:

Da tabela se vê que com M = 8 satisfazemos essa exigência e, se

Pb =10-5, também satisfazemos Eb /N0.

O valor efectivo de Pb é:
22
ElecTel

: Corresponde a energia de cada símbolo.

Então:

PROBLEMA Nº 12

Para um Sistema de comunicação digital, o canal é limitado em potência.

Dados

A Largura de banda disponível no canal ruidoso: W = 45 kHz

S/No = 48 dB-Hz (no receptor)

Deseja-se transmitir à mesma taxa de R = 9600 bits/s

A probabilidade de bit errado não pode ser superior a

Pretende-se determinar o esquema de modulação que satisfaz estas exigências. Qual é o


valor de Pb conseguido?

Solução

Dispomos de uma largura de banda abundante mas uma relação Eb /N0 relativamente
baixa para a probabilidade de erro exigida. O canal é limitado em potência e como tal

23
ElecTel

escolheremos M-FSK. Para não desperdiçarmos potência, vamos procurar o maior M


possível tal que a largura de banda mínima não ultrapasse o valor máximo de 45 kHz.

Da tabela vemos que M = 16, para o qual, se Pb =10-5, se obtém Eb/N0 =8,1dB , isto é,
inferior ao valor disponível, o que é favorável.

Então determinemos o verdadeiro valor da probabilidade de bit errado:

Para MFSK com detecção não coerente a probabilidade de símbolo errado é limitada
pelo majorante:

Sabe-se que:

Então:

Com sinalização ortogonal a probabilidade de bit errado está relacionada com a


probabilidade de símbolo errado através de:

Uma vez que estão avaliadas todas as exigências, concluímos que trata-se de um
Sistema limitado pela potência!

24
ElecTel

NOTA: Para a resolução dos problemas nº 11 e 12, considere o quadro (largura de


banda e eficiência) e a tabela (Eficiência espectral nominal para alguns valores de M)
abaixo

25
ElecTel

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Haykin, S., Communications Systems, 4a. ed., New York: Wiley, 2001.
2. Haykin, S., Adaptive Filter Theory, 4a. ed., Upper Saddle River, NJ: Prentice-
Hall, 2002.
3. Artigo de Bernard Sklar “Defining, designing and evaluating digital
communication systems”, IEEE Communications Magazine, Nov. 1993.
4. Apostila de Estudo sobre escalas logarítmicas, Prof. Leonardo Luciano de
Almeida Maia Departamento de Telecomunicações – DTE

26