Você está na página 1de 8

Artigo de Revisão

Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na


síndrome do intestino irritável: revisão sistemática

FODMAPs restricted diet as a treatment option in irritable bowel


syndrome: systematic review

Vera Lúcia Angelo Andrade1, Thalyta Nogueria Fonseca2, Cássia ALves Gouveia2, Thais Gonçalves Kobayashi 2, R aul
Guilherme Simões Leite2, Renata A zevedo Mattar2, Fernanda Aparecida Araújo Silva 2.

34
Resumo -se que a sintomatologia da SII é influenciada pela ação
34(1): 34-41

do sistema nervoso entérico por fatores psicológicos e


A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é considerada, a alimentares. Estudos observacionais expõem a restrição
partir do Consenso de ROMA III, um distúrbio gastrointes- de FODMEPs como uma abordagem inovadora para o
tinal funcional, caracterizado por dor, mudança no hábito alívio dos sintomas. Um obstáculo na redução de FOD-
intestinal, distensão abdominal e constipação e/ou diar- MEPs é a dificuldade de o paciente aderir à dieta pois
reia. Este distúrbio é classificado de acordo com o padrão esta é muito restritiva. No cenário brasileiro, essa abor-
de perturbações do trânsito intestinal e seu tratamento dagem para a SII ainda não foi explorada, o que é no-
depende da apresentação clínica. A terapia farmacológica tabilizado pela inexistência de estudos acerca do tema.
é bastante diversificada; contudo, a primeira opção para Conclui-se que a redução da ingesta de FODMEPs é uma
o manejo da SII são as medidas não farmacológicas. Uma alternativa na abordagem terapêutica da SII refratária. Os
modificação dietética que está se mostrando eficaz na gastroenterologistas não podem mais ignorar os efeitos
terapêutica da SII é a redução da ingesta de FODMEPs, benéficos desse tipo de dieta. Estudos que adaptam a
que é acrônimo de fermentável, oligossacarídeos, dissa- dieta FODMEPs aos hábitos alimentares dos brasileiros
carídeos, monossacarídeos e polióis. Este trabalho objeti- precisam ser realizados com urgência.
va analisar se esta dieta propicia benefícios no tratamento
da SII. Para tanto, realizou-se uma revisão sistemática da Unitermos: Síndrome do Intestino Irritável, FODMEPs.
literatura científica nas bases de dados eletrônicas Pub-
med, Medline, Trip, Science Direct, Scielo. Não foram en- S ummary
contrados artigos em língua portuguesa. A avaliação me-
todológica foi CASP. Um total de onze artigos primários Irritable Bowel Syndrome (IBS) is considered by ROME III
foi incluído na revisão. A maioria dos estudos não ape- Criteria a functional gastrointestinal disorder characteri-
nas correlaciona os FODMEPs aos sintomas da SII, mas zed by pain, change in bowel habits, abdominal distension
também considera a dieta com restrição FODMEPs como and constipation and/or diarrhea. This disorder is classi-
um tratamento não farmacológico imprescindível. Sabe- fied according to the standard of intestinal symptoms and

1. Gastroenterologista. Mestre e Doutora em Patologia da UFMG e Professora da Faculdade de Medicina da UNIFENAS-BH – MG. 2. Discentes
do Curso de Medicina da UNIFENAS-BH – MG. Endereço para correspondência: Rua Grão Pará, 85 - térreo - Bairro Santa Efigênia - CEP
30150-340- Belo Horizonte - MG/e-mail: vera_angelo@hotmail.com Recebido 02/10/2014 Aprovado: 02/01/2015

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


V. L. A. Andrade, T. N. Fonseca, C. A. Gouveia, T. G. Kobayashi, R. G. S. Leite, R. A. Mattar, F. A. A. Silva

its treatment relies on clinical presentation. The pharmacolo- mais das seguintes características: melhora com a defecação,
gic therapy is diverse, however, the first option for the mana- mudança na frequência de evacuações e mudança na con-
gement of IBS are non-pharmacological measures. A dietary sistência das fezes1,5,6.
modification that has been effective in the treatment of IBS
is reducing the intake of FODMAPs, which is an acronym of Esse distúrbio é classificado de acordo com o padrão de
fermentable, oligosaccharides, disaccharides, monosacchari- funcionamento do trânsito intestinal: diarreia predominante,
des and polyols. This work is a systematic review of scientific constipação predominante ou misto.7
literature published on electronic databases such as Pubmed,
Medline, Trip, Science Direct, Scielo and analyses whether A sua etiopatogenia ainda não está totalmente esclarecida,
this diet provides benefits to the treatment of IBS. There are mas há uma extensa variedade de mecanismos envolvidos.
not any articles in Portuguese on the subject and the metho- Seja na apresentação inicial, seja na exacerbação, os estres-
dological evaluation was conducted through CASP. Only ten sores psicológicos, que incluem os transtornos de humor e/
primary studies were found and they were all included in this ou físicos, podem preceder à sintomatologia.
work. Most of these studies not only correlate FODMAPs with
the symptoms of IBS, but also consider this restricted diet as É fato que as alterações da motilidade intestinal, a hiperssen-
an important non-pharmacological treatment. It is known that sibilidade visceral e o estilo de vida do paciente são fatores
the symptoms of IBS are influenced by the action of the en- desencadeadores relevantes nessa síndrome.6,7,8
teric nervous system, psychological and dietary factors. Ob-
servational studies show that restricting FODMAPs is an in- O tratamento da SII depende da apresentação clínica; porém,
novative approach for the relief of symptoms. One obstacle in em razão da heterogeneidade sintomatológica, as medidas
reducing FODMAPs is its restrictive nature that discourages devem ser individualizadas. O manejo terapêutico abrange as 35
patients to adhere to it. In the Brazilian context, this approach categorias farmacológicas e não farmacológicas.6

34(1): 34-41
to IBS has not been explored yet, which might be explained
by the lack of studies on the subject. It was concluded that A terapia farmacológica é bastante diversificada, ao abran-
reducing the intake of FODMEPs is an alternative therapeutic ger, por exemplo, laxativos, antiespasmódicos, bloqueado-
approach to refractory IBS and gastroenterologists can no res de canais de cálcio e psicotrópicos.
longer ignore the beneficial effects of this type of diet. Studies
considering FODMAPs eating habits in Brazil still need to be Contudo, a primeira opção para o manejo da SII são as
undertaken. medidas não farmacológicas. As mudanças no estilo de
vida, que incluem exercício físico e modificações dietéticas,
Keywords: Irritable Bowel Syndrome and FODMAPs. são sempre prescritas aos pacientes, além da própria tera-
pia cognitiva comportamental.5,6
I ntrodução
Uma modificação dietética que está se mostrando eficaz na
A Síndrome do Intestino Irritável (SII), segundo Consenso terapêutica da SII é a redução da ingesta de FODMEPs, que
de ROMA III, é um distúrbio gastrointestinal funcional, é acrônimo de fermentável, oligossacarídeos, dissacarídeos,
caracterizado por dor, mudança no hábito intestinal, disten- monossacarídeos e polióis.
são abdominal e constipação e/ou diarreia1,2. A maior preva-
lência é observada na faixa etária entre 30 e 50 anos, com Estudos recentes comprovam que três em cada quatro
idade média de 40 anos. pacientes com SII apresentam uma resposta sintomatológica
apreciável, após a restrição a essa classe de alimentos, os
Apesar de ser tradicionalmente relacionada ao sexo femini- quais se encontram amplamente distribuídos no cardápio
no, estudos recentes apontaram para aumento da incidência brasileiro.8,9,10,11,12
desta síndrome entre os homens3,4.
Os FODMEPs, por serem pequenas moléculas osmoticamen-
No Brasil, a SII afeta, aproximadamente, 10% a 15% da te ativas, apresentam má absorção intestinal e rápida fermen-
população, com redução dessa proporção após 60 anos. tação pela microbiota.11
A apresentação clínica mais prevalente é a constipação3,4.
Desta forma, a sua ingesta provoca distensão luminal, em
Clinicamente, essa afecção é caracterizada nos pacientes por virtude da maior produção de gases hidrogênio e metano,
dor recorrente ou desconforto abdominal, pelo menos três além de maior fornecimento de água para o cólon; conse-
dias por mês, nos últimos três meses, associada a duas ou quentemente, há o desencadeamento de sintomas gastroin-

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na síndrome
do intestino irritável: revisão sistemática

Figura 1: FODMEPs (fermentável, oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis) e suas repercussões no


trato gastrointestinal.

Fruto-oligossacarídeos (frutanos)

Trigo,
Galacto-oligossacarídeos (galactanos)
Centeio,
Cebola, Feijão, Estômago
Lactose
Alho, Lentilha,
Beterraba Repolho, Leite e
Grão de bico, Derivados,
Brócolis,
Bebidas de soja, Frutose Intestino
H2O
Pimentão, Delgado
Mel H2O
Repolho, Polióis (Sorbitol,
Ameixa seca
Amendoim, Xilitol, Manitol) H2O Intestino
Uva
Arroz Grosso
Caqui Maçã,
Kiwi Pêra, CO2 H2O
Suco de laranja Frutas secas, CH4 H2
Vinho Damasco, H2
Abacate, CO2
H2 CH4
Cogumelos,
Couve-flor,
Balas dietéticas
36 Distensão Abdominal / Flatulência /Diarreia
34(1): 34-41

testinais, como diarreia e flatulência (figura 1).10,13 Apesar de relacionavam a dieta pobre em FODMEPs e a SII. Destaca-se
serem recentes os estudos envolvendo os FODMEPs, já há que não há artigo em língua portuguesa sobre esse tema. Os
diversos indícios dos prováveis benefícios da restrição desse artigos de estudo primários foram classificados, por meio do
grupo de alimentos para o tratamento da SII. As possíveis check list do CASP, por três avaliadores.
consequências negativas não são completamente conheci-
das, mas decorrem da elevada restrição dietética, sendo um Figura 2: Fluxograma - processo de seleção de artigos
limitante para sua aplicação na prática médica.9,14,15 sobre FODMEPs.

Base de dados
Deste modo, este trabalho objetiva analisar se a dieta com Cielo: 0
Science Direct 79
baixa ingesta de FODMEPs realmente propicia benefícios no Medline: 25
Trip: 30
tratamento da SII. Pub Med: 39
Total: 173

Metodologia Seleção por títulos

Realizou-se uma revisão sistemática da literatura científica sobre Artigos selecionados: 44

a eficácia da dieta FODMEPs no tratamento da SII. Utilizou-se


as bases de dados eletrônicas Pubmed, Medline, Trip, Science Artigos selecionados: 21 Seleção pelo resumo
Direct, Scielo para a revisão bibliográfica, cruzando as seguin- Exclusão dos repetidos

tes palavras: “irritable bowel syndrome”, and “FODMAPs or low


- Ensaio
fermentable oligo-, di-, mono-saccharides and polyols diet” nos - Revisão da Critérios de inclusão:
clínico literatura - Data de publicações 200-2014
idiomas português, inglês e espanhol. O processo de seleção dos - Coorte (11) - Qualquer faixa etária
Todos tipos de estudo
artigos (figura 2) considerou, como critérios de inclusão, publica- Transversal Critérios de exclusão
ções no período de 2000-2014, pacientes em qualquer faixa etá- (10) - Outras dietas
- Uso de FODMEPs em outras
ria e todos os tipos de estudos, não sendo encontrado nenhum síndromes intestinais
relato de caso. Quanto aos critérios de exclusão, estes foram con-
Incluso 2 site:
siderados como os artigos que abordavam outras dietas e o uso Introdução e The Roma Foundation e World
Resultados
de FODMEPs em outras síndromes intestinais por não ser o foco discussão Gastroenterology
Organisacion
do presente estudo. Selecionaram-se artigos internacionais que

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


V. L. A. Andrade, T. N. Fonseca, C. A. Gouveia, T. G. Kobayashi, R. G. S. Leite, R. A. Mattar, F. A. A. Silva

Resultados segundo: título, revista publicada, referência dos artigos, ava-


liação pelo CASP, descrição da amostra, objetivo e limitações.

Foram selecionados dez artigos de estudos primários que


Todos os artigos selecionados foram publicados na última
condiziam com o objetivo do trabalho – avaliar a eficácia da década. Em relação ao local de origem, a Austrália foi o país
dieta com baixa de FODMEPs no tratamento da SII. O quadro de onde se obteve maior número de trabalhos, com um total
1 de extração de dados representa a distribuição dos artigos de cinco artigos.

Quadro 1: Extração de dados dos estudos primários selecionados sobre FODMEPs.

Título do artigo/ Autores/ País/ Avaliação Descrição


Objetivos Limitações
Revista Tipo de Estudo no CASP da amostra

A restrição alimentar
Halmos et al. Comparar dieta depende dos pacientes, do
2014 pobre em seu grau de compreensão,
A diet low in FODMAPs
30 pacientes FODMEPs com dieta da motivação para alterar
reduces symptoms of
Austrália com SII e 8 australiana típica, os hábitos alimentares, bem
irritable bowel syndrome 9/10
indivíduos avaliando como de nutricionistas para
Ensaio clínico saudáveis as inferências de ambas aconselhar sobre o nível
Gastroenterology
randomizado na sintomatologia e de restrição de alimentos
controlado no manejo da SII. o que repercute em viéses
analíticos.
37
Determinar se a
Dietary Triggers of eficácia da dieta baixa

34(1): 34-41
Shepherds et al. A frutose ou frutanos na
abdominal symptoms em FODMEPs é devido
2008 forma líquida pode ter
in patients with irritable à restrição de frutose e
formas diferentes nos
bowel syndrome: definir se o alívio
Austrália 25 pacientes alimentos. A ingestão de
randomized placebo- 8/10 dos sintomas
com SII líquidos com sólidos retarda
controlled evidence era específico
Ensaio clínico o esvaziamento gástrico,
para frutose livre ou
randomizado podendo interferir na
Gastroenterology para hidratos
controlado absorção.
and Hepatology de carbono de
cadeia curta.
Dietary poorly absorbed, Determinar o
short-chain carbohydrates Barrett et al. efeito da
increase delivery of water 2010 dieta de FODMAPs
12 pacientes
and fermentable substrates sobre o conteúdo Não exposto
9/11 com
tothe proximal colon Austrália de água e no artigo.
ilieoestomia
substratos
Aliment Pharmacology Coorte fermentáveis no
Therapeuthics efluente ilíaco.
Manipulation of dietary Ong DK et al.
short chain carbohydrates 2010 Comparar a eficácia Efeitos consistentes da
alters t he pattern of gas
15 pacientes da dieta baixa em metanogênese
production and genesis
Austrália com SII e 15 FODMEPs em relação não foram
of symptoms in irritable 8/10
indivíduos ao tratamento dietético observados
bowel syndrome
Ensaio clínico saudáveis da diretriz NICE no devido ao curto prazo
randomizado paciente com SII. da pesquisa.
Journal of Gastroenterology
controlado
and Hepatology
Comparison of symptom
response following 86 adultos em
advice for a diet low in tratamento
Staudacher et al.
fermentable carbohydrates dietético para Avaliar por meio Coleta de sintomas por
2011
(FODMAPs) versus SII, sendo 43 de ressonância meio do prontuário dietético
standard dietary advice 8/11 em uso de dieta magnética a relação e acompanhamento
Reino Unido
in patients with irritable com baixa de frutose x glicose na dos pacientes feitos por
bowel syndrome FODMEPs e sintomatologia da SII. nutricionistas diferentes.
Coort
39 em dieta
Journal of Human Nutrition regional
and Dietetics

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na síndrome
do intestino irritável: revisão sistemática

Differential effects of Determinar a


FODMAPs (fermentable prevalência da
oligo-, di-, mono- má absorção de
Murray et al.
saccharides and polyols) 17 indivíduos frutose sintomática A técnica de ressonância
2014
on small and large saudáveis, em pacientes com magnética usada para
intestinal contents 7/10 sendo 13 SII e avaliar se a mensurar o volume de gás
Reino Unido
in healthy subjects shown homens e 4 sintomatologia poderia intestinal ainda não foi
by MRI mulheres ser considerada como validada.
Ensaio clínico
preditores má
The American Journal absorção de frutose
of Gastroenterology sintomática.

Symptomatic fructose 90 indivíduos


Melchior et al.
malabsorption in irritable com
2014 Identificar os hábitos
bowel syndrome: diagnóstico O teste respiratório não foi
alimentares que agem
a prospective study 10/11 confirmado de conclusivo para todas as
França como fator de risco
SII, segundo amostras avaliadas.
para a SII.
United European o critério de
Coorte
Gastroenterology ROMA III

Três dias não


Food avoidance in são suficientes para
38 irritable bowel syndrome
Stevenson et al. 122 pacientes
se avaliar a ingestão
2014 de uma clínica Avaliar se a dieta
leads to a nutrition- nutricional. O uso de
privada de pobre em FODMEPs é
34(1): 34-41

deficient diet 11/13 suplementação para


África do Sul cuidados capaz de minimizar os
potenciais deficiências
secundários na sintomas da SII.
The South African nutricionais decorrentes da
Transversal África do Sul
Journal of Clinical restrição de FODMEPs não
foi padronizado.

192 pacientes
The low FODMAP diet com SII
improves gastrointestinal Roest et al. Maior proporção de
submetidos Avaliar se a dieta
symptoms in patients with 2013 mulheres no grupo de
aa testes pobre em
irritable bowel syndrome: respondeu à intervenção.
12/13 respiratórios, FODMEPs é
a prospective study Nova Zelândia Estudo não aleatório com
intervenção eficaz no manejo
potencial efeito placebo
The International Journal dietética e da SII.
Estudo Transversal atribuível à intervenção.
of Clinical Pratice questionário de
sintomas

Fructose malabsorption 62 pacientes


and symptons os irritable Shepherd e Gibson com má Avaliar
bowel syndrome: guideline 2006 absorção retrospectivamente a
for effective dietary de frutose eficácia das mudanças Metodologia: estudo não
11/11
management Austrália comprovada e dietéticas na SII e controlado e retrospectivo.
diagnóstico de na má absorção
The Journal of American Coorte SII pelo de frutose
Dietetic Association ROMA II

Fonte: Dados coletados pelos pesquisadores.

Dos dez artigos analisados, nove foram publicados em dife- res, a amostra avaliada se mostrou heterogênea com inclusão de
rentes revistas, sendo observado o menor fator de impacto pacientes de ambos os sexos, de indivíduos saudáveis e porta-
na S Afr J Clin Nutr (1,676) e o maior na Gastroenterology dores da SII, com base em critérios distintos (ROMA II, ROMA III
(13,926)2,10. Dos dez artigos analisados, quatro são ensaios clí- e NICE). Nos resultados, averiguou-se, de forma unânime, a
nicos, quatro coortes e dois transversais. A maioria dos trabalhos relação da dieta rica em FODMEPs com a exacerbação dos
objetivava correlacionar os FODMEPs às manifestações clínicas sintomas da SII; inclusive, em cinco trabalhos, demonstrou-se
SII. Entretanto, mesmo com objetivos ou tipos de estudos simila- maior satisfação para indivíduos que adotaram a restrição a

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


V. L. A. Andrade, T. N. Fonseca, C. A. Gouveia, T. G. Kobayashi, R. G. S. Leite, R. A. Mattar, F. A. A. Silva

essa classe de alimentos. Em relação às limitações dos es- absorção de frutose. Apesar dessa informação não ter sido a
tudos, com exceção de um estudo no qual estas não foram conclusão principal dos demais autores, esse fato foi obser-
expostas, observou-se que todos os demais apresentaram vado em todos os demais estudos primários encontrados.
limitantes bastante particulares.
D iscussão
O uso da dieta pobre em FODMEPs como instrumento de
manejo da SII é o objetivo dos estudos de Staudacher16 e Os distúrbios gastrointestinais funcionais, apesar de altamen-
Halmos17. Foi constatada uma melhor resposta terapêutica te prevalentes, ainda representam desafios para a medicina
em relação às medidas dietéticas tradicionais. moderna. Para a maioria dos pacientes, as terapias farma-
cológicas atuais propiciam somente um alívio dos sintomas,
Um terceiro trabalho é o estudo de Shepherds,18 que deu sendo exigido, para melhor resposta terapêutica, a sua asso-
enfoque à frutose e aos frutanos como gatilhos alimenta- ciação com mudanças nos hábitos alimentares.10,15,16
res para sintomas da SII na medida em que são lentamente
absorvidos no trato gastrointestinal. Essa afecção, por ser considerada um distúrbio multifato-
rial, é resultante, por exemplo, da hiperssensibilidade visceral,
A produção de gases decorrente da ingestão de alimentos das perturbações motoras do intestino, da disfunção do eixo
ricos em FODMEP’s foi exposta pela pesquisa de Ong12. cérebro-intestino e do aumento na permeabilidade intestinal.5,7
Neste estudo, foi averiguado que a produção prolongada de O papel da serotonina na fisiopatologia já foi postulado. Evi-
hidrogênio no trato gastrointestinal é superior após a inges- dências apontam para uma regulação anormal da serotonina,
tão desse grupo alimentar. Além disso, observou-se que a observando-se um defeito na sua sinalização5, 6. Além disso,
quantidade de gases produzidos era ainda mais elevada nos 39
outros fatores são descritos no desencadeamento da sintomato-
portadores da SII do que em voluntários saudáveis. ​​ logia, entre eles fatores psicológicos e alimentares.8,17,18

34(1): 34-41
Assim como Ong12, o estudo de Murray9 evidenciou que os A relação de certos alimentos com o desencadeamento ou
FODMEPs, por serem mal absorvidos no trato gastrointestinal agravamento dos sintomas ainda não é totalmente explicado,
e por sofrerem fermentação pela microbiota residente, são res- o que leva à necessidade de uma investigação mais profun-
ponsáveis pelo aumento do volume do intestino delgado e pela da sobre o papel da intolerância alimentar como contribuinte
distensão colônica. Concluiu-se que os FODMEPs são capazes para a SII.4,11,19,20,21
de desencadear sintomas gastrointestinais por distensão lumi-
nal, predominantemente, por meio de uma produção exacer- Nesse contexto, diversos estudos observacionais expõem,
bada de gases. como abordagem inovadora para o alívio de sintomas, a die-
ta com restrição de FODMEPs. O potencial benefício de se
Já o trabalho de Barrett21 evidenciou que a sintomatologia da restringir um espectro de FODMEPs na dieta foi exibido pela
SII é decorrente da distensão luminal secundária ao aumen- primeira vez em um estudo retrospectivo, no qual 74% dos
to da água no lúmen intestinal e da rápida fermentação dos pacientes selecionados com SII apresentaram boa resposta
FODMEPs no cólon proximal. Dessa forma, uma dieta pobre clínica.23
em FODMEPs provavelmente reduziria a sintomatologia.
A gênese da apresentação clínica da SII, após consumo dos
Para Melchior7, a frutose, que é um dos FODMEPs, está rela- alimentos ricos em FODMEPs, é atribuída a diversos fatores,
cionada à sintomatologia da SII em virtude da sua má absor- com destaque para a má absorção intestinal resultante da
ção intestinal. Além disso, constatou-se desencadeamento ausência de enzimas capazes de hidrolisar as ligações glico-
de manifestações clínicas mesmo em pacientes que compu- sídicas luminais dos hidratos de carbono, a baixa atividade
nham o grupo de pacientes saudáveis. de enzimas da borda em escova (por exemplo, lactase) ou
mesmo a capacidade reduzida dos transportadores epiteliais.
Stevenson et al.2 observaram que os ácidos orgânicos, a
microbiota intestinal e a dieta participam da etiopatologia da Simultaneamente, ocorre disbiose e alteração da microbiota,
SII; porém, neste trabalho, a relação ainda não foi bem estabe- promovendo rápida fermentação e gases, como dióxido de
lecida. Os autores deste estudo concluem que a dieta pobre carbono, hidrogênio e/ou gás metano, e, consequentemen-
em FODMEPs pode ser uma ferramenta útil no manejo da SII. te, a distensão luminal. Quanto à diarreia, a mesma é secun-
Roest1 e Shepherd e Gibson23 afirmam que a mesma dieta dária à presença de moléculas pequenas e osmoticamen-
propicia melhora dos sintomas em pacientes com SII e os te ativas que favorecem o carregamento de água para a luz
mais propensos a se beneficiarem são aqueles com má intestinal.11,18,21,22

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na síndrome
do intestino irritável: revisão sistemática

Estima-se que a melhora sintomática possa ser observada No cenário brasileiro, essa abordagem para a SII ainda não foi
entre uma a oito semanas, após a introdução da dieta com re- explorada, o que é notabilizado pela inexistência de estudos
duzida quantidade de FODMEPs17,18,19.20. Os estudos mostram acerca do tema.
que, após 24 a 48 horas do início da dieta, tanto portadores
da SII como pessoas saudáveis experimentam diminuição na Os FODMEPs da dieta brasileira ainda não foram definidos e,
atualmente, as tabelas alimentares disponíveis (quadro 2), por
produção de gases colônicos10,12,16. Um limitante na redução
serem oriundas de outras culturas, abrangem hábitos nutricio-
de FODMEPs se encontra na dificuldade de o paciente aderir
nais distintos daqueles da realidade brasileira. Tais dificuldades
à dieta, que é restritiva, podendo ocasionar deficiência nutri- podem ser superadas por meio de uma abordagem multidisci-
cional. Merece ser destacado que quase todos os produtos plinar que assegure apoio médico, nutricional e psicológico.3,4,20
de nutrição entérica no mercado possuem elevado teor de Diante do exposto, conclui-se que a dieta com redução da
FODMEPs em sua composição. Dessa forma, este conceito ingesta de FODMEPs é uma alternativa na abordagem tera-
proporciona novos desafios para a indústria alimentar.13,15,18 pêutica da SII refratária. Os gastroenterologistas não podem

Quadro 2: Alimentos com elevado e baixo teor de FODMEPs.

Alimentos de alto Alimentos alternativos de baixo


Categoria
FODMEP (evitar ou diminuir) FODMEP (bons para se comer)

Vegetais: aspargos, alcachofras, brócolis, Vegetais: alfafa, broto de feijão, broto de bambú,
cebola, alho-poró, alho, quiabo, ervilhas, feijão verde, couve chinesa, capsicum
beterraba, favas, couve-de-bruxelas, (pimenta de sino), cenoura, cebolinha, milho,
40 couve, erva-doce. ervas frescas, soma choy, pepino, alface, tomate,
abobrinha, berinjela, cenoura branca, abóbora,
Vegetais e
34(1): 34-41

Cereais: centeio e trigo quando consumidos acelga, cebolinha (só parte verde).
legumes
em grandes quantidades (por exemplo, biscoito,
pão, cuscuz, biscoito, macarrão). Substitutos de alho: óleo com
infusão de alho.
Legumes: cozido de feijão, grão de bico, lentilha,
feijão vermelho, aipo, milho doce, cogumelos. Cereais: pão e produtos sem glúten.
Frutas: maçãs, manga, pêra japonesa, Frutas: banana, laranja, tangerina,
melancia, nectarina, pêssegos, damasco, abacate, uvas, melão, mirtilo, carambola, uva,
cereja, lichia, ameixa, pinha, caqui, suco de fruta grapefruit, kiwi, limão, maracujá, mamão,
em conserva em sumo natural. framboesa, morango, poncã, tomate.
Frutas
Adoçantes: isomalte, maltitol, manitol, Sucedâneos do mel: xarope dourado,
sorbitol, xilitol, e outros adoçantes que terminam
em”ol”, frutose, xarope (mel) de milho, frutas Adoçantes: glicose, sacarose e outros
secas, suco de frutas. (adoçantes, que não terminem em “ol”).
Fruta: leite sem lactose, iogurtes sem lactose,
Leite: normal e de baixo teor de gordura queijo duro, leite de arroz.
de vaca, cabra, ovelha, queijo fresco,
Leite e creme, pudim, sorvete. Substitutos de Sorvete: gelato, sorbet.
laticínios
Iogurtes: regulares e de baixo Iogurtes: iogurtes sem lactose.
teor de gordura
Queijos: queijos duros.
Fontes de
Legumes / pulsos Carnes, peixe, frango, tofu, tempeh.
proteínas

Pães e Centeio, pães contendo trigo, cereais à base de Pão sem glúten, pão e pão soletrado, aveia,
cereais trigo com frutas secas, massas de trigo. macarrão sem glúten, arroz, quinoa.

Biscoitos sem glúten,


Biscoitos
Biscoitos de centeio, biscoitos à base de trigo. bolos de arroz,
(cookies) e lanches
flocos de milho.

Castanhas,
Castanha de caju, pistache. Amêndoas (<10 castanhas), sementes de abóbora.
nozes e sementes

Fonte: Quadro adaptado pelos pesquisadores11.

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41


V. L. A. Andrade, T. N. Fonseca, C. A. Gouveia, T. G. Kobayashi, R. G. S. Leite, R. A. Mattar, F. A. A. Silva

ignorar os efeitos benéficos desta dieta inovadora. Estudos Bowel Syndrome. Gastroenterol Hepatol. 2012; 8: 739–45.
que adaptem os FODMEPs aos hábitos alimentares dos bra- 11. Ong DK,  Mitchell SB,  Barrett JS,  Shepherd SJ,  Irving
PM, Biesiekierski JR , et al. Manipulation of dietary short chain
sileiros precisam ser realizados com urgência. carbohydrates alters the pattern of gas production and genesis of
symptoms in irritable bowel syndrome. J Gastroenterol Hepatol.
2010;25:1366-73.
12. Barrett JS; Gibson PR.  Fermentable oligosaccharides,
Referências disaccharides, monosaccharides and polyols (FODMAPs) and
nonallergic food intolerance: FODMAPs or food chemicals? Ther
1. D  iagnostic Criteria for Functional Gastrointestinal Disorders. Adv Gastroenterol. 2012; 5: 261–8.
The Rome Foundation; 2014. Disponível em: <http://www. 13. Hayes PA, Fraher MH, Quigley EMM. Irritable Bowel Syndrome:
romecriteria.org/edproducts/romeiii.cfm>. Acesso em 08 ago The Role of Food in Pathogenesis and Management. Gastroenterol
de 2014. de Roest RH, Dobbs BR, Chapman BA, Batman B, Hepatol. 2014; 10: 164-74.
O’Brien LA, Leeper JA et al. The low FODMAP diet improves 14. Staudacher H,  Irving PM,  Lomer MC,  Whelan K.  Mechanisms
gastrointestinal symptoms in patients with irritable bowel and efficacy of dietary FODMAP restriction in IBS.  Nat Rev
syndrome: a prospective study. Int J Clin Pract. 2013;67: 895–903. Gastroenterol Hepatol. 2014; 11: 256–66.
2. Stevenson C, Blaauw R, Fredericks E, Visser J. Food avoidance in 15. Staudacher HM1, Whelan K, Irving PM, Lomer MC. Comparison of
irritable bowel syndrome leads to a nutrition-deficient diet. S Afr J symptom response following advice for a diet low in fermentable
Clin Nutr. 2014; 27:25-30. carbohydrates (FODMAPs) versus standard dietary advice in
3. World Gastroenterology Organisation Global. Síndrome do patients with irritable bowel syndrome. Hum Nutr Diet. 2011; 24:
intestino irritável: uma perspectiva mundial; 2014. Disponível 487–95.
em: < h ttp://www.worldgastroenterology.org/assets/ 16. Halmos EP,  Power VA,  Shepherd SJ,  Gibson PR,  Muir JG. A
downloads/pt/pdf/guidelines/20_irritable_bowel_syndrome_ Diet Low in FODMAPs Reduces Symptoms of Irritable Bowel
pt.pdf >. Acesso em 08 ago de 2014. Syndrome. Gastroenterology. 2014; 146: 67–75.
4. Moraes-Filho, J.P. Síndrome do intestino irritável. Sociedade 17. Shepherd SJ, Parker FC, Muir JG, Gibson PR. Dietary Triggers of
de Gastroenterologia de São Paulo. Disponível em: < http:// Abdominal Symptoms in Patients With Irritable Bowel Syndrome:
www.fbg.org.br/Textos/197/S%C3%ADndrome-do-Intestino- Randomized Placebo-Controlled Evidence. Clin Gastroenterol
41
Irrit%C3%A1vel-(SII)->. Acesso em 08 ago de 2014. Hepatol. 2008; 6: 765–71.

34(1): 34-41
5. Saha L. Irritable bowel syndrome: Pathogenesis, diagnosis, 18. Pedersen N, Vegh Z, Burisch J, Jensen L, Ankersen DV, Felding
treatment, and evidence-based medicine. World J Gastroenterol. M, et al. Ehealth monitoring in irritable bowel syndrome patients
2014; 20:6759-73. treated with low fermentable oligo-, di-, mono-saccharides and
6. Melchior C, Gourcerol G, De´chelottw P, Leroi A, Ducrotte P. polyols diet. World J Gastroenterol. 2014; 20: 6680-4
Symptomatic fructose malabsorption in irritable bowel syndrome: 19. Stengel MG, Stengel A, Schmidtmann M, Voort IV, Kobelt P,
A prospective study.  United European Gastroenterol J. 2014; Monnikes H. Unclear Abdominal Discomfort: Pivotal Role of
2:131–7. Carbohydrate Malabsorption. J Neurogastroenterol Motil. 2014;
7. Gibson PR, Shepherd SJ. Food Choice as a Key Management 20: 228–35.
Strategy for Functional Gastrointestinal Symptoms. Am J 20. Barrett JS, Gibson PR. Development and validation of a
Gastroenterol. 2012; 107: 657–6. comprehensive semi-quantitative food frequency questionnaire
8. Murray K, Smith VW, Hoad C , Costigan C, Cox E , Lam C, et al. that includes FODMAP intake and glycemic index. J Am Diet
Differential Effects of FODMAPs (Fermentable Oligo-, Di-, Mono- Assoc. 2010; 110: 1469-76.
Saccharides and Polyols) on Small and Large Intestinal Contents 21. Barrett JS, Gearry RB, Muir JG, Irving PM, Rose R, Rosella O, et
in Healthy Subjects Shown by MRI. Am J Gastroenterol. 2014; al. Dietary poorly absorbed, short-chain carbohydrates increase
109: 110–9. delivery of water and fermentable substrates to the proximal
9. Gibson PR; Shepherd SJ. Evidence-based dietary management of colon. Aliment Pharmacol Ther. 2010; 31: 874–82.
functional gastrointestinal symptoms: The FODMAP approach. J 22. Shepherd SJ, Gibson PR. Fructose malabsorption and symptoms
Gastroenterol Hepatol. 2010; 25: 252-8. of irritable bowel syndrome: guidelines for effective dietary
10. Magge S, Lembo A. Low-FODMAP Diet for Treatment of Irritable management. J Am Diet Assoc. 2006; 106: 1631–9.

GED gastroenterol. endosc. dig. 2014: 34(1): 34-41