Você está na página 1de 3

MEDIUNIDADE NA UMBANDA

Desenvolvido e Ministrado por Rodrigo Queiroz

Aula Digitada 06 Parte 02


Obs.: este documento é a transcrição fiel do discurso das vídeo-aulas, portanto poderá conter erros
gramaticais mantendo a originalidade da origem.

Muito bem. Então, nós falamos sobre inspiração e agora como prometido vamos nos apegar
nos tipos de mediunidade de prática, você vem com ela, você nasce com ela para exercer algo.
Então, volto a reforçar para não ficar dúvida ninguém pode considerar intuição, inspiração como
mediunidade prática. “Ah eu preciso desenvolver minha intuição para servir a espiritualidade”,
não. Não é essa a necessidade. No entanto, é importante frisar que você só desenvolve o que
você tem e nem sempre você tem só um tipo de mediunidade, obviamente, às vezes você tem
três, quatro ou mais, Chico Xavier tinha várias faculdades mediúnicas em altíssimo nível de
perfeição e se envolvia bem com elas. Principalmente a de desdobramento do corpo, sair do
corpo; a de psicografia que foi a clássica dele, óbvio e a clarividência, só que clarividência dele
vinha embutida a clariaudiência. O que é clarividência? É a capacidade de ver o plano espiritual,
ver os espíritos. Clariaudiência de ouvir os espíritos. Bom, Chico Xavier não é exemplo pra
ninguém como ele não existiu antes, não tem precedente e não temos notícia de ninguém
parecido ainda, então, é um fenômeno, é um indivíduo diferenciado. A mediunidade de Chico
Xavier é algo atípico ou único mesmo. Então, o que eu quero por aqui é que você entenda que
você não desenvolve o que você não tem. Mas, como eu disse você pode ter alguns tipos de
mediunidade, você pode ter a mediunidade de incorporação e clarividência, você pode ter a
mediunidade de psicografia e clariaudiência ou incorporação e psicografia. Agora, nem sempre
elas, todas as suas faculdades mediúnicas afloram junta, então, você pode – como aconteceu
comigo – você desenvolve a incorporação, está lá maduro, já está trabalhando há alguns anos e
de repente abre uma outra faculdade mediúnica. Então, na hora que você se vê você está
psicografando ou você está ouvindo os espíritos, você está enxergando. É muito comum na
Umbanda outro caminho, a pessoa é clarividente e descobre também que tem que desenvolver a
incorporação e unifica as duas e faz um belo de um trabalho. Agora, tem gente que é só
clarividente e nesse campo da visão, a clarividência, a vidência e a premonição são confundidas,
são colocadas como as mesmas coisas. A clarividência como dito é a capacidade de ver os
espíritos, a vidência é a capacidade de ver fora do momento presente, ou seja, a clarividência
não é visão de um outro lugar “Nossa, eu estou vendo alguém lá em tal lugar acontecendo isso”,
isso é vidência. Clarividência é esse momento, está aqui, se a pessoa é um clarividente e está
dentro do estúdio enxerga que espírito que está aqui comigo ou não está nada, vê o que está
acontecendo na realidade, é online, ao vivo. Então, o vidente é aquele que tem uma visão que
pode ser atemporal, normalmente de passado ou que está acontecendo, mas em outro lugar,
essa é a vidência. O que expande a sua percepção do que é este momento aqui local e vê uma
configuração maior do indivíduo. E tem o premonitivo, esse que tem a mediunidade de
premonição ela é perigosíssima que é quando o indivíduo ele prevê fatos, ele prevê situações,
muitos premonitivos reclamam que sempre veem desgraça, ele não entende que de repente a
premonição dele é a capacidade que ele tem de influir na, para evitar algo. De repente, você
está ali no grupo de pessoas, conversando, interagindo, confraternizando e vem aquela
premonição “Fulano, vai capotar o carro”, se você ficar com aquela angústia só pra você e de
repente você pode ter a oportunidade de chegar na pessoa e falar: “Olha, muda o horário, muda
o trajeto hoje, muda o horário do seu trajeto. Olha, evita então, você ingerindo bebida para
agora ou vou te levar em casa”. Então, a orientação da espiritualidade de que quando vem este
tipo de premonição pontual, você pode ter a possibilidade de influenciar de forma a evitar,
melhorar a situação, auxiliar.
A premonição do passado lembra, não é premonição porque premonição é prever, é futuro
não é passado, já entra no campo da vidência. A premonição você tem que tomar cuidado
porque a premonição ela também foi confundida com oráculo, as cartas, os tarôs, os cristais e às
vezes há pessoas que trabalha com oráculo pra canalizar a sua premonição, sua capacidade
premonitiva. E há – volta aqui só um pouco historicamente – a faculdade mediúnica premonitiva
é uma das mais antigas do mundo, do mundo, ela é tão antiga e tão importante que ela é citada
na bíblia, os gregos, os romanos antes de Cristo, já, os egípcios já tinham estrutura, templos
dedicados às pitonisas, ou seja, àquelas mulheres que eram médiuns premonitivas, era o
oráculo. Então, se você estudar um pouco de Socrátes, por exemplo, o grande dilema da vida
dos Socrátes foi esse que ele foi consular o oráculo que ele queira saber quem era o homem mais
sábio da Grécia e o oráculo era uma pessoa no transe de repente e falou: “O homem mais sábio
de toda Grécia é você Sócrates”, aí ele entrou num surto, ele entrou num dilema pessoal “Não,
não pode ser. Eu estou em busca da sabedoria, então, eu quero encontrar quem é mais sábio que
eu, eu vou em busca disso”, aí ele começa aquele processo dele que Platão registra de consultar
os grandes da época, entrar em confronto intelectual e o fato é que no final das contas ele
dobrava todo mundo, ele derrubava todo mundo, sua visão era muito mais ampla mesmo. E, mas
o que eu quero dizer? O oráculo, uma pitonisa, um pessoa de mediunidade premonitiva colocou
isso para ele que exista na Grécia. Os generais desses povos consultavam as pitonisas sobre o que
poderia ser numa guerra, o que deveria fazer, o que estava acontecendo, então, era
periodicamente consultado esses indivíduos para trazer notícias premonitivas do mundo, do seu
redor, daquele mundo naquele momento para aquele povo, aquele grupo, aquele território.
Então, não tem nada de novidade é que nos dias atuais premonição virou um jogo de carta e aí
virou um comércio, virou uma coisa estúpida, e que saiu do sagrado saiu da estrutura templária,
aquela coisa fechada e sacra e tomou uma nova perspectiva. Mas, então, o que eu quero aqui
colocar é que na premonição que é importante ainda frisar, o indivíduo pode não ter controle
sobre isso, simplesmente acontece espontaneamente. Quando ele consegue controlar isso ele vai
normalmente trazer isso para o oráculo, mas a premonição não pode ser um fato inevitável,
muitas vezes acontece assim, mas, ele deve ser interpretado e avaliado para ver que modo você
pode influenciar naquela premonição para auxiliar. E há alguns filmes que retratam isso que está
citados aí no seu material de apoio, então, vale a pena colocar isso: Dejavú ou Dejaví – cada um
fala de uma forma – tem o filme Premonição, então, tudo são ficções obviamente, mas que
ilustra esse tema e eu aconselho que você pegue o seu final de semana aí e assista um ou outro
filme desse indicado pra refletir de uma forma ilustrada sobre o tema. No entanto, cabe aqui
colocar também que a premonição, como ela acontece tecnicamente? Porque se você pensa que
algo vai acontecer e não tem como mudar, então, você está falando de destino, nós não cremos
em destino, a espiritualidade diz que destino não existe, existe sim algumas coisas que poderão
acontecer na sua “time line” na sua linha do tempo aqui prevista, mas tudo pode mudar. Então,
quando você crê em destino você tem que desacreditar em livre arbítrio que destino é um
negócio traçado, se está traçado você não tem escolha, então, você não tem livre arbítrio, tome
muito cuidado com isso. E qual é a serventia de saber coisas antecipadamente se nada poderá
ser feito? Quando você está falando ainda de desgraça, então, parece uma fofoca do além,
“Vamos fazer uma fofoquinha aqui vai acontecer isso aqui, olha só que vai acontecer com
fulano”, então, qual é a graça? Não tem sentido nenhum isso daí, então, sejamos, eu vim aqui
chamando você o tempo todo com senso crítico, principalmente nessa realidade que se criou
fantasiosa em nosso meio. Então, a serventia da premonição é de tentar antecipar algumas
coisas, mas como ela acontece? O que acontece com aquele médium que ele consegue prever
algo antecipadamente? Porque nós estamos numa atmosfera, numa egrégora, numa realidade
cheia, uma grande teia nós nos desenvolvemos, são cordões que nos ligam as pessoas que nos
relacionamos com maior frequência, nós temos um padrão de comportamento, isso tudo está
configurado no seu campo energético. E esse indivíduo o premonitivo o que ele tem? A
capacidade de fazer uma leitura das probabilidades, então, não é o fato a ocorrer de verdade,
mas, de repente ele entra nessa conexão no campo energético da pessoa e vê um conjunto de
possibilidade, isso vem uma imagem para ele e ele pode narrar isso, deu pra entender? Então, a
pessoa – parece tosto o exemplo que eu vou usar – a pessoa tem o hábito de sair, fazer o “happy
hour”, beber lá suas cervejinhas, suas bebidinhas e conduzi seu automóvel sempre embriagado,
levemente embriago, mas uma hora ou outra perde a mão. Quais são as probabilidades? Qual é a
probabilidade desse indivíduo de sofrer um acidente perto da minha que não tenho esse hábito,
não é? Ele tem um padrão de comportamento, ele rotineiramente vai num “happy hour” bebe
sua cervejinha e vai pra casa. Então, as chances dele prováveis – isso também não precisa ser
gênio pra fazer uma leitura dessa – mas, a gente está falando de alguém que não conhece o
indivíduo, Não é? Então, ao ter o contato consegue fazer uma leitura dessas probabilidades, na
configuração no padrão de comportamento de uma rotina que ele tem e que isso tudo está
configurado no seu campo energético, deu pra entender? Então, às vezes a pessoa não sabe, mas
está marcado uma viagem, olha um exemplo, está marcado uma viagem – é famosa aquela
informação de que o Fábio Júnior muitos anos atrás ele foi fazer uma viagem, um show, ele
pouco minutos antes de embarcar ele sentiu muito mal, ele sentiu que não devia ir de jeito
nenhum. Parece que aquele avião teve problema, uma história assim, ele se salvou – Então, o
que acontece? Ali foi uma inspiração mesmo que bloqueou ele, mas poderia alguém premonitivo
ter contato com ele e falado: “Fábio, não vá porque vai acontecer uma tragédia”, por quê? O
que é a probabilidade da teia? Ele está vinculado em um compromisso em um avião que naquele
avião já não foi feita a revisão certa, isto tudo está no plano etério, essa informação é sabida,
entende? A gente que está aqui limitado que não sabe. Então, aquele avião que não foi feito a
revisão correta dele, está com grande chances de trazer problemas e isso envolvendo de repente
o piloto que não está bom naquele dia, blá blá blá, você cria uma corrente de probabilidades. O
premonitivo o que é? Aquele que capta isso tudo e transforma isso numa imagem, deu pra
entender? Então, não é nada espetaculoso, não é nada assim “Nossa, de outro mundo o
premonitivo”. E é incômodo na realidade, tem que saber muito lidar com isso. Então, a
premonição falamos bastante, está bem claro, é a capacidade de captar probabilidades do
campo, da atmosfera energética do indivíduo e colocar isso numa imagem. A clarividência é a
capacidade de enxergar o plano espiritual ao vivo. E a vidência é a capacidade de ver coisas
acontecendo em outro lugar, não é local ou também ter percepções de passado e dificilmente
de futuro – já entra no premonitivo também – porque o amanhã não está escrito, o amanhã é
probabilidade, amanhã é as possibilidades do que você está fazendo hoje, então, não tem. Esse
negócio de ir consultar oráculo para o futuro, o futuro ali posto é probabilidade dentro do que
você está trazendo agora, mas se agora você mudar radicalmente sua vida, toda aquela
probabilidade posta no oráculo já não tem mais serventia nenhuma, que muito dificilmente a
gente muda radicalmente uma coisa em nós. Então, vamos continuar esse assunto no próximo
bloco. Vamos lá.
DIGITAÇÃO – Equipe Umbanda EAD