Você está na página 1de 328

Os Homens do

6 Reino - 2
Ilustrações por so-bin
Aviso Legal:
Obra foi traduzida e revisada de fã para fã. Não venda, ou ganhe dinheiro sobre o
trabalho de outrem.
Se puderem contribuir com a obra do autor, o faça!

Sobre:
Assim como o anime, a obra tem muitos termos em inglês para diversas armas, itens e
etc...
Tentei deixar isso, mas as vezes tem que generalizar, já que é maçante saber o que era
realmente para ser em inglês, ou não ser.
EX:
-O Ainz se refere a ele como “Magic Caster” e não “Mahou...” alguma coisa.
Porém, algumas ressalvas:
-Alguns sistemas de magias e artes marciais são escritos japonês, alguns eu mantive
romajizados, outros ficaram em português.
-Armas e armaduras têm nomes misturados, uns são em inglês, outros em japonês. Por
ser bem difícil de verificar um por um, deixei tudo em inglês;
-Algumas equipes de aventureiros têm nomes em inglês, outras em japonês, neste caso
depende. Umas eu deixei em inglês (pois foram escritas com essa intenção) e outras em
português.

Tentei remover o máximo possível de erros de português e concordância. Mas sou


apenas um e com certeza falhas podem acontecer. E claro, não sou especialista na
língua portuguesa para tal nível de proficiência linguística.
Se encontrarem algum erro, sintam-se à vontade para entrarem em contato :)

Créditos e Agradecimentos:
Créditos:
Semtempo98 - semtempo098.blogspot.com.br
NovelOverlord - noveloverlord.blogspot.com.br
Revisão 2.0:
ainzooalgown-br.blogspot.com
Base:
Inglês - skythewood.blogspot.com
Referência de nomes:
Wikia - overlordmaruyama.wikia.com

Atenção: Se baixou este arquivo de outro link que não o oficial do blog. Ou se tem
muito tempo que baixou e deixou guardado, que tal dar uma conferida no blog? Talvez
esta seja uma versão desatualizada :)
Este PDF será retraduzido nos próximos meses
Revisão: 3.1 | Versão: 5.7
Sumário
Capítulo 06: O Início do Distúrbio na Capital Real .................................................. 005
Parte 1 ...................................................................................................................................... 006
Parte 2 ...................................................................................................................................... 032
Parte 3 ...................................................................................................................................... 035
Capítulo 07: Preparações Antes do Ataque ................................................................ 040
Parte 1 ...................................................................................................................................... 041
Parte 2 ...................................................................................................................................... 047
Parte 3 ...................................................................................................................................... 066
Parte 4 ...................................................................................................................................... 073
Capítulo 08: Seis Braços ...................................................................................................... 079
Parte 1 ...................................................................................................................................... 080
Parte 2 ...................................................................................................................................... 087
Parte 3 ...................................................................................................................................... 097
Capítulo 09: Jaldabaoth ....................................................................................................... 119
Parte 1 ...................................................................................................................................... 120
Parte 2 ...................................................................................................................................... 128
Parte 3 ...................................................................................................................................... 151
Interlúdio ................................................................................................................................... 159
Capítulo 10: A Mais Forte, A Melhor Arma Oculta .................................................. 164
Parte 1 ...................................................................................................................................... 165
Parte 2 ...................................................................................................................................... 186
Capítulo 11: Confronto ........................................................................................................ 207
Parte 1 ...................................................................................................................................... 208
Parte 2 ...................................................................................................................................... 228
Epílogo ........................................................................................................................................ 278
Posfácio ....................................................................................................................................... 295
Ilustrações ................................................................................................................................. 299
-Volume 06-
Os Homens do Reino -Parte 2-

Autor:

Maruyama Kugane
Ilustrador:

so-bin
Capítulo 06: O Início do Distúrbio na Capital Real
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 3º Dia, 17:44

porta da sala da recepção se abriu lentamente. Embora as dobradiças

A tivessem sido recém-oleadas e deveriam abrir sem problemas, a porta se


abriu lentamente, como se houvesse uma diferença enorme entre a
pressão do interior e do exterior. Assim como o coração de Sebas. Se a
porta soubesse como ele se sentia, ela não abriria, mas mesmo assim
abriu e ele podia ver tudo o que o esperava lá dentro. Esperando dentro da sala
geralmente vazia estavam quatro figuras heteromórficas. Um deles era um guerreiro da
cor ciano. Ele tinha cancelado sua aura fria e se endureceu com uma alabarda na mão.
Outro deles era um demônio. Que tipo de emoção estaria se escondendo atrás de seu
rosto debochado? Nos braços do demônio havia um feto parecido com um anjo e asas
que pareciam ramos de árvores brotavam do lugar onde seria suas costas.

E o último—

"Eu não tenho nenhuma desculpa para chegar atrasado.”

Usando toda a sua força de vontade para suprimir o tremor em sua voz, Sebas ofereceu
uma profunda reverência ao ser supremo que era o único sentado. Para Sebas, que
serviu como administrador e mordomo, não era mais que um ser que deveria ceder ao
medo e respeito. Um dos 41 Seres Supremos.

—Ainz Ooal Gown.

O governante de Nazarick que possuía um poder esmagador. Em sua mão estava o


Cajado de Ainz Ooal Gown, emitindo uma aura sombria. Em suas órbitas vazias,
tremulavam fracas chamas vermelhas. Sebas podia sentir aqueles olhos varrendo
lentamente sua figura inclinada.

“...Não se preocupe com isso, Sebas. É minha culpa por chegar sem aviso prévio. Além
disso, não podemos ter uma conversa se você estiver curvando-se debaixo da porta."

"Sim.”

—Podia se ouvir seu coração batendo.


Sebas reagiu a voz pesada e ficou com a cabeça ainda abaixada. Quando ele se
aproximou, ele sentiu um frio na parte de trás. Eu podia sentir a hostilidade escondida e
intenção de matar. Seu olhar se moveu lentamente para os dois Guardiões. Eles não
pareciam como se estivessem prestando atenção nele, mas apenas uma pessoa normal
pensaria isso. Sebas não poderia lhe dizer algo. Nesta atmosfera tensa, não havia aura
agradável. Era exatamente o contrário, ele estava sendo tratado como um inimigo.
Sebas podia adivinhar o porquê eles tomariam tamanha hostilidade para ele e imaginou
se alguém—

"Será melhor para você se parar aí.”

A voz fria de Demiurge parou Sebas. Estava um pouco longe do mestre. Não estava
muito longe para manter uma conversa e estava em uma distância respeitosa,
considerando o quão grande a sala era.

No entanto, se fosse Ainz, teria dito para Sebas se aproximar. A falta de tais palavras
deu a Sebas um forte sentimento de isolamento.

Não só isso, mas a distância estava dentro do raio de ataque ideal de Cocytus.

Solution, que veio com Sebas, também estava de pé perto da porta.

"Então—"

Sebas não conseguia entender como, mas Ainz tinha feito um som oco com seus dedos
esqueléticos.

“Uma pergunta para você, Sebas. Eu tenho que explicar o porquê estou aqui?”

Havia apenas uma razão. A situação estava dizendo o suficiente.

“...Não, eu entendo.”

"Então eu quero ouvir de sua própria boca, Sebas. Eu ouvi o relatório, parece que você
pegou uma linda mascote?”

Como ele esperava.

Sebas sentiu um arrepio na espinha. Então ele se lembrou de que ele ainda não tinha
respondido ao seu mestre e rapidamente levantou a voz.

"—Sim!”

“Um tanto hesitante para uma resposta, Sebas. Vou perguntar de novo— É verdade
que pegou uma adorável mascote para criar?”
"Sim! Eu o fiz, estou criando uma mascote.”

"Melhor assim. Então eu vou ouvir isso de você em primeiro lugar. Por que não se
reportou a mim?”

Sebas olhou para baixo com os ombros tremendo, temendo de que a situação piore se
ele falar algo. Vendo como Sebas ainda não tinha respondido, Ainz se inclinou para um
lado da cadeira. O estalo ecoou bem alto pela sala.

"O que foi, Sebas? Parece estar suando. Quer um lenço emprestado?”

Ainz tirou um lenço branco com um movimento exagerado e casualmente jogou-o na


direção de Sebas. O lenço passou voando pela mesa e abriu antes de cair no chão.

"Eu permito que você o use.”

"Sim! Obrigado, meu Mestre.”

Sebas deu um passo para pegar o lenço, mas hesitou em usá-lo.

“...Não há nada como o sangue de seu animal de estimação sobre ele. Eu só não quero
ver você suar abundantemente.”

"Peço desculpas por mostrar meu lado inapropriado.”

Sebas abriu o lenço e limpou o suor. O lenço mudou de cor ao absorver,


inesperadamente, uma grande quantidade de umidade.

"Agora, Sebas. Quando eu o enviei para a capital, lhe pedi para registrar tudo e enviar
relatórios. Isso porque é difícil determinar que informação é útil ou não. Bem como, há
um monte de rumores que foram escritos nos relatórios, certo?”

"Sim, exatamente.”

"Então Demiurge, vou pedir a confirmação, você também já viu todos os relatórios
enviados por Sebas. Havia alguma menção da mascote no relatório?”

"Não, Ainz-sama. Eu verifiquei novamente várias vezes, mas não houve menção.”

“Então Sebas, me diga o porquê você fez isso. Por que não reportou? ...Eu quero saber o
porquê ignorou minha ordem. A palavra de Ainz Ooal Gown não é suficiente para forçá-
lo?”

Essa frase abalou a atmosfera. Sebas apressadamente respondeu.


"Certamente não. Eu apenas concluir que não havia necessidade de perturbá-lo com
algo tão insignificante, Ainz-sama.”

O silêncio desceu.

Quatro intenções assassinas perfuraram seu corpo: Cocytus, Demiurge, o anjo que
Demiurge sustentava nos braços e Solution. Com um único comando, não hesitariam em
atacá-lo.

Ele não tinha medo da morte. Morrer por Nazarick era uma grande honra, mas a idéia
da morte como traidor fez o corpo de Sebas tremer. Para uma criação dos 41 Seres
Supremos, morrer como um traidor era o maior castigo que ele poderia ter. Neste
momento o rosto de Sebas estava cheio de suor, novamente, Ainz falou.

“...Então, o que você está dizendo é, foi sua própria decisão tola? É isso que você quer
dizer?”

"Sim, Ainz-sama. Por favor, perdoe a minha indiscrição.”

“...Hmm, isso é... eu entendo.”

Depois de ouvir o pedido de desculpas sincero de Sebas, a voz neutra de Ainz voltou
mais uma vez. Como não havia ordens para eliminar Sebas, a atmosfera tinha voltado
ao normal. No entanto, Sebas não podia ficar quieto ainda mais quando a próxima
ordem de Ainz fez seu coração afundar.

"Solution. Traga a mascote de Sebas aqui.”

"Entendido.”

Após Solution sair, a porta se fechou silenciosamente. Sebas sentiu os passos afiados
de Solution além da porta, andando cada vez mais longe. Nesse lugar, havia quatro
seres heteromórficos: Ainz, Demiurge, Cocytus e o anjo estranho. A razão deles não se
preocuparem em esconder sua aparência, era porque não havia necessidade? Se alguém
de Nazarick quisesse silenciar alguém, matar era o melhor método. Ele deveria ter
agido mais cedo. Sebas negou dentro de sua cabeça, já era tarde demais para tais
pensamentos. Ele podia sentir duas pessoas se aproximando da porta.

—O que eu deveria fazer?

Sebas olhou para o teto vazio. Se ela está vindo aqui, então ele tinha que decidir. Houve
apenas uma opção. Ele olhou para Demiurge e Ainz que ainda estavam observando, seu
olhar abaixou mais uma vez. Elas bateram na porta e se abriu. Havia duas mulheres de
pé, como esperado.

"Eu a trouxe.”
Embora Sebas estivesse de costas para ela, ele podia ouvir a respiração ofegante de
Tsuare na porta. Talvez ela estivesse em pânico depois de ver um diabo como
Demiurge. Talvez ela estivesse com medo depois de ver o inseto gigante, Cocytus?
Talvez ela estivesse apavorada depois de ver um anjo que parecia um feto? Talvez
estivesse petrificada depois de ver a morte encarnada, Ainz? Ou talvez fosse tudo isso?

O descontentamento dos Guardiões se intensificou com Tsuare na frente deles. De


alguma forma, ela era a personificação dos erros e falhas de Sebas. Tsuare não
conseguia parar de tremer com toda essa hostilidade dirigida a ela. Neste mundo, os
Guardiões eram como entidades além da compreensão, e todos os fracos tremem de
medo com a simples visão deles. O fato de que Tsuare não chorou já era um feito
incrível. Sebas não olhou para trás, mas podia sentir o olhar fixo de Tsuare nele. Sua
coragem veio do fato de que Sebas estava na mesma sala.

"Cocytus, Demiurge, parem. Aprendam com o exemplo de Victim.”

Com a voz suave de Ainz, a atmosfera mudou. Não, para ser mais preciso, toda a
hostilidade em relação à Tsuare desapareceu. Ainz estendeu a mão esquerda para
Tsuare e fez um gesto para ela entrar.

"Entre, humana que é a mascote de Sebas, Tsuare.”

Como se ela estivesse sob uma magia, ela entrou na sala com passos vacilantes.

"Você não tentou escapar, você é muito corajosa. Ou você encontrou alguma solução?
Que de acordo com a sua forma atual, o destino de Sebas será decidido?”

Tsuare estava trêmula e não respondeu. Sebas sentiu o olhar direcionado para suas
costas ficar mais intenso. O dito olhar fez a vontade de Tsuare bem clara, mais do que
qualquer número de palavras poderia explicar.

Depois de entrar na sala, Tsuare caminhou até o lado de Sebas sem nenhuma
hesitação. Cocytus mudou de posição para ficar atrás de Tsuare, aguardando ordens.

Tsuare pegou o canto do casaco de Sebas. Sebas se lembrou de repente de como ela se
agarrou à roupa dele naquele beco. Ao mesmo tempo, ele estava cheio de
arrependimento. Se ele tivesse lidado com as coisas melhor, a situação não teria
chegado a isso.

Demiurge olhou Tsuare com frieza e, de repente—

"『Ajoelhe-se imedia...—”

—Um som de bater de um martelo de tribunal foi ouvido.


Demiurge, que estava prestes a falar, entendeu o que seu mestre queria, e engoliu as
palavras que ele queria dizer.

“—Tudo bem, Demiurge. Por ter a coragem de não fugir, eu, o governante de Nazarick
a perdoarei por sua falta de boas maneiras.”

“Minhas mais profundas desculpas.”

Ainz lentamente assentiu o pedido de desculpas de Demiurge.

"Ah, sim...”

A cadeira rangeu quando Ainz se moveu.

"Em primeiro lugar eu deveria me apresentar. Eu sou Ainz Ooal Gown, mestre de
Sebas.”

De fato.

Ainz Ooal Gown — um dos 41 Seres Supremos — foi a grande entidade que controlava
todos os aspectos da existência de Sebas, incluindo sua vida e morte.

Ser endereçado pelo mestre a quem ele devia lealdade absoluta era o seu maior
deleite. No entanto, por alguma razão, a alegria de Sebas era menor do que ele
imaginava. Apenas fez sua coluna se arrepiar. Não foi por causa de Tsuare, porque ao
ser abordado por seu mestre, Sebas quase se esquecera de que ela existira. Havia outro
motivo para isso

Quando Sebas estava ponderando sobre este assunto, ambos os lados ainda estavam
conversando.

"Ah... ...Eu sou...”

"Tudo bem, Tsuare. Eu só preciso saber que você existe. Não tenho nenhum interesse
além desse. Você só precisa estar aí. Você logo vai descobrir o motivo de eu te chamar."

"Então...”

A luz vermelha nas órbitas dos olhos vazios de Ainz se moveu.

“...Sebas, eu quero ouvir de você. Eu pedi para agir o mais discretamente possível."

"Sim.”

“E apesar de minhas instruções claras para você, você se meteu em confusão por causa
dessa mulher insignificante — estou errado?”
"Não. De forma alguma.”

Tsuare tremeu um pouco com a menção de "insignificante", mas Sebas permaneceu


imóvel.

“...Você não acha que foi um ato decidido a desobedecer a meu pedido?”

"Desculpo-me profundamente que meus pensamentos superficiais tenham lhe


perturbado. Eu vou tomar cuidado, então algo como isso nunca vai acontecer
novamente.”

“—Está bem.”

"Huh?”

"Eu disse que está bem.”

Ainz ajeitou a sua posição mais uma vez e a cadeira rangeu.

"Todos cometem erros. Sebas, sua transgressão está perdoada.”

"Obrigado Ainz-sama, por sua generosidade.”

"No entanto, os erros devem ser corrigidos— pela morte.”

A atmosfera da sala ficou tensa novamente e sentiu como se a temperatura tivesse


descido um par de graus. Não, não foi bem assim. O único que sentiu isso foi Sebas.

Todos os outros de Nazarick estavam impassíveis.

Sebas engoliu a saliva.

O que seu mestre quis dizer com “morte”? Não, isso foi sem dizer. Os pensamentos
“Como eu esperava” e “Eu espero que não” pesaram muito sobre Sebas, mas ainda assim,
ele perguntou:

"...O que você quer dizer..."

"Hmm... Eu quero que você elimine a raiz do seu erro, redimindo-se desta maneira. Se
qualquer vestígio de seu erro persistir, seria um mau exemplo para os outros. Você é o
mordomo de Nazarick. Aquele que está acima de muitos. Se alguém em uma posição tão
importante não faz nada para corrigir seus erros...”
Sebas soltou um suspiro profundo e respirou novamente. Ele, que se esquivou antes,
mesmo do mais forte dos adversários, se sentia como uma pequena presa encurralada
por um predador.

"Sebas, você é alguém que segue as decisões dos Quarente e Um Seres Supremos, ou é
alguém que segue suas próprias decisões?”

"Isso é—”

"—Não há necessidade de palavras. Responda-me através de suas ações.”

Ainz fechou os olhos e os abriu novamente.

Hesitando apenas por um segundo, não, nem por um segundo, foi um longo tempo
para hesitar. Foi o tempo suficiente para os servos fiéis como Cocytus, Demiurge e
Solution mostrarem hostilidade novamente. Naquele tempo, Sebas chegou a uma
conclusão.

♦♦♦

Sebas era o mordomo de Nazarick.

Ele não era nada mais do que isso.

Sua boba hesitação causou esta situação. Se ele tivesse pedido permissão antes, isso
não teria acontecido.

Foi tudo culpa dele.

♦♦♦

Os olhos de Sebas emitiram um olhar de aço. Dando a volta em Tsuare e a apertando


com as mãos. Elas flutuam na incerteza por um instante antes de caírem. Tsuare
conseguia entender a conclusão que veio de Sebas depois de ver seu rosto.

Ela sorriu e fechou os olhos. Não havia nenhum sinal de medo ou desespero. Tinha o
rosto de um mártir que estava disposto a aceitar seu destino. Os movimentos de Sebas
não deixaram qualquer dúvida. Sebas estava calmo. Sua ação era como um servo fiel de
Nazarick deve agir. Não havia nenhuma razão para desobedecer às ordens de seu
mestre.

Não havia nenhum arrependimento. Só podia haver lealdade.

Sebas cerrou seu punho firmemente para conceder a única caridade que poderia se
dar ao luxo, executar uma morte rápida. Seu punho voou em direção à cabeça de
Tsuare.
E então—

♦♦♦

—Algo duro interceptou o punho.

"—Por que você está interferindo?”

“—!”

“...”

O punho de Sebas, que supostamente estouraria a cabeça de Tsuare, havia sido


bloqueado.

Uma das mãos de Cocytus tinha interceptado seu punho.

Por que o impediu de realizar a sua ordem? Cocytus ousou trair seu Mestre? Mas o
espanto de Sebas apagou-se imediatamente.

"Retire-se, Sebas.”

Quando ele estava prestes a dizer uma segunda vez, Sebas obedeceu às palavras de
Ainz. Não houve repreensão da parte de Cocytus, apenas um pedido para Sebas se
retirar. Em uma palavra, a razão pela qual Cocytus parou Sebas, foi porque eles tinham
planejado assim.

Foi tudo um ato, desenhado para testar a lealdade e vontade de Sebas. Tsuare abriu os
olhos ligeiramente e confirmou que sua morte não aconteceria. Como a ameaça de
morte havia desaparecido, toda a tensão que Tsuare sentia se dissipou, seus olhos
umedeceram e seu corpo começou a tremer. Suas pernas pareciam que poderiam cair a
qualquer momento, mas Sebas não iria sustentá-la. Não, ele não podia sustentá-la. O
que eu poderia fazer? Ele era um homem que a tinha abandonado. Ignorando Tsuare,
que foi possuída pelo medo, Cocytus e Ainz começaram a falar um com o outro.

"Isso. Certamente. Seria. Morte."

"Então eu vou declarar que a lealdade de Sebas já não está em dúvida. Você fez bem,
Sebas.”

"Sim!”

Sebas se inclinou com uma expressão rígida.

“—Demiurge. Alguma objeção?”


"Nenhuma.”

“—Cocytus?”

"Absolutamente. Nenhuma.”

“—Victim?”

"Sodatroba sotef ed atief é oãn ispep.[Nenhuma.]”

"Então, vamos passar para a próxima pergunta.”

Ainz ficou com um estalar de dedos e deixou suas roupas agitarem com um aceno de
seu braço.

"Graças ao Sebas, que recolheu uma grande quantidade de informações. Não há razão
para ficar aqui mais tempo. Portanto, vamos voltar a Nazarick. Sebas, eu vou deixar esta
mulher aos seus cuidados. Posso dizer que, enquanto a sua lealdade não mudar, eu não
irei interferir, mas devemos examiná-la um pouco antes de deixá-la ir. Seria
problemático se ela decidir ir por aí contando histórias selvagens, não é, Demiurge?”

"Sim, é verdade. Enquanto existem inimigos desconhecidos, devemos evitar qualquer


vazamento de informações sobre nós, tanto quanto possível.”

“Então o que devemos fazer?”

“...Eu sugiro que a examinem primeiro?”

"Uma boa idéia... Sebas, vamos adiar a questão de como lidar com essa Tsuare por um
pouco mais de tempo. Não vamos matá-la, mas isso não é uma garantia absoluta.”

Sebas não conseguia esconder sua surpresa. Estas palavras significavam que o destino
de Tsuare ainda não estava claro, não, isto significa que mesmo o Grande Soberano de
Nazarick foi incapaz de tomar uma decisão imediata?

"Ainz-sama, é por causa dos meus erros que estão se retirando desta mansão — a
capital?”

“...É assim, mas não completamente. Como eu disse, temos obtido todas as informações
que precisamos. Enquanto não há nenhuma razão para ficar escondido aqui, eu julguei
que seria mais seguro apenas nos retirarmos. Demiurge, entregue-me Victim, vou levá-
lo de volta.”

Ainz recebeu o feto angelical e ativou a sua magia.


"「Greater Teleportation」!”

Ainz agitou seu manto de forma teatral enquanto ativou a magia. Sua figura parecia
como se tivesse sido sugado para um buraco negro e desapareceu. Por um momento,
Sebas olhou estupidamente para a saída exagerada (que ele nunca tinha visto antes),
mas de repente ele voltou a si.

"Demiurge, ela parece estar muito cansada, então eu quero deixá-la descansar um
pouco. Eu acho que não haverá nenhum problema se eu a levar agora?”

“...Eu acho que você está certo, Sebas.”

Demiurge sorriu diabolicamente e gesticulou suavemente em direção à porta, como se


estivesse apontando.

"Mas eu quero que você tenha em mente que vamos a chamar novamente, se
necessário. Isto pode ser desnecessário, mas eu não quero caçar uma raposa na capital.”

“...Por favor, siga-me.”

“...Sim.”

Tsuare respondeu com uma voz rachada e seguiu Sebas com as pernas mal se
movendo. Seus passos ecoavam no corredor. Eles caminharam em silêncio e logo
chegaram ao quarto de Tsuare. Não era muito, mas era como se tivessem caminhado
bastante. Só depois de chegar em frente da porta, Sebas falou como se ele finalmente
tivesse tomado uma decisão.

"Eu não vou pedir desculpas por isso.”

Ele podia sentir Tsuare vacilar atrás dele.

"Mas é minha culpa que havia uma ordem para eliminá-la. Se tivesse sido mais
cauteloso isto não teria acontecido.”

“...Sebas-sama.”

"Eu sou um servo fiel a Ainz-sama e aos Quarenta e Um Seres Supremos. Mesmo se
uma situação similar ocorrer eu vou seguir a sua ordem... Então, por favor, seja feliz
entre os seres humanos. Eu vou pedir-lhe para permitir que... Ainz-sama pode
manipular memórias, então eu vou perguntar se ele pode excluir todas as suas
memórias ruins e seja feliz.”

“...Incluindo as memórias sobre você, Sebas-sama?”

“...De mim também. Nada de bom vai acontecer se você se lembrar de mim.”
"E o que exatamente é bom para mim?”

A mulher diante de Sebas olhou desafiadoramente para ele, e embora seus olhos
estivessem cheios de lágrimas, eles tinham um olhar inabalável neles. Sebas sentiu seu
coração vacilar e pensou em como persuadi-la.

Era verdade que Nazarick era um lugar maravilhoso, e poderíamos dizer que era uma
terra abençoada pelos deuses. Mas os únicos que pensavam dessa maneira eram Sebas
e as outras pessoas que haviam sido criadas pelos 41 Seres Supremos, assim como os
vassalos da Grande Tumba de Nazarick.

Sebas não achava que os seres humanos, que não tinham talento e poder, pudessem
encontrar a felicidade naquela terra. Nem ele achava que esse domínio daria boas-
vindas a formas de vida de baixo valor, como seres humanos. De fato, ela não seria
capaz de viver ali sem a proteção de seu mestre supremo. Portanto, Sebas disse a ela:

“...Eu quero que encontre a felicidade no mundo humano.”

"Eu já encontrei a felicidade. É ao seu lado, Sebas-sama. Então, por favor, me leve com
você.”

Sebas sentiu que Tsuare era muito lamentável quando ouviu sua declaração férrea.

“...Você parece ter alegria, mesmo com as menores coisas, porque está apenas
pensando em todo o inferno que você passou.”

Porque ela tinha experimentado o pior, se sentia feliz, mesmo em uma condição
inferior. Sebas tinha julgado assim, mas Tsuare recusou com um sorriso.

“...Eu não acho que tenha sido um inferno. Eu poderia comer até que estivesse
satisfeita, consegui um trabalho apropriado... Eu nasci e cresci em uma cidade pequena,
a vida era difícil lá também.”

Por um momento, Tsuare parecia estar olhando distante antes de encarar Sebas
novamente.

"Nós trabalhamos nossa terra, mesmo quando estávamos com fome, mas o lorde local
levou a maioria dos nossos cultivos. Não foi o suficiente para nos alimentar. Além disso,
nós éramos apenas brinquedos para ele. Mesmo quando eu estava gritando, ele me
estuprava enquanto estava rindo. Enquanto estava rindo. Eu só estava—”

“—Eu entendo.”

Sebas abraçou Tsuare, que ria rigidamente, gentilmente passou os braços em volta de
seus ombros. Naquele momento, podia sentir as lágrimas que fluíam como se tivesse
aberto uma comporta. Não havia nenhuma maneira que ela tivesse experimentado e
visto tudo o que tinha no mundo. Mas para Tsuare, o mundo humano era assim.

Sebas estava pensando em sua mente. Qual seria a melhor alternativa? Houve apenas
uma resposta. No entanto, havia também uma alta probabilidade de despertar a ira de
seu Mestre e, em seguida, ele teria que matar Tsuare.

"Há uma chance de que você venha a morrer.”

"Se for pelas mãos de alguém que me salvou quando eu ia morrer lá, então...”

Sebas tomou uma decisão e preparou-se quando viu a expressão de Tsuare.

"Muito bem, Tsuare. Vou pedir a Ainz-sama para levá-la a Nazarick.”

“Obrigada.”

"É um pouco cedo para me agradecer. Se ele me ordenar a matar você...”

“—Estou preparada.”

"É isso... então.”

Sebas relaxou os braços e tentou se afastar, mas Tsuare não o deixou ir. Ela olhou para
ele enquanto ele estava firmemente em suas roupas. Naqueles olhos havia traços de
expectativa. Sebas tinha sua própria opinião, mas não pôde confirmar quais são essas
expectativas. Além disso, havia algo para confirmar.

"Quero esclarecer uma coisa. Não tem nada para lamentar do mundo humano? Se você
já quis voltar para lá?”

O fato de que ela vai para Nazarick não significa que ela nunca vai ver a sociedade
humana novamente. Não havia nenhuma razão especial para aprisioná-la, mas isso não
significa que há uma possibilidade de que ela sairia.

“...Eu... Eu queria ver a minha irmã mais nova novamente... Mas particularmente não
quero me lembrar do passado...”

"Eu entendo. Aguarde nesta sala. Vou encontrar com Ainz-sama.”

"Sim—”

Tsuare soltou Sebas e colocou os braços em volta do seu pescoço.

Ignorando Sebas, que estava confuso sobre o que ela estava fazendo, ela ficou nas
pontas dos dedos dos pés.
E então, por um momento, os lábios de Tsuare e Sebas se juntaram.

Foi apenas por um breve momento em que seus lábios macios se juntaram antes que
Tsuare se afastasse.

"Pinicou um pouco.”

Tsuare se afastava enquanto tocava os seus lábios com as suas mãos.

"Foi a minha primeira vez tendo um beijo feliz.”

Sebas não podia dizer nada, mas Tsuare sorriu feliz.

"Então eu vou esperar aqui. Por favor, tenha cuidado, Sebas-sama.”

"Ah, sim... Eu, eu vou cuidar disso rapidamente.”

♦♦♦

"Aconteceu alguma coisa? Seu rosto está vermelho.”

Foi a primeira coisa que Sebas ouviu quando ele voltou para a sala. A menção de que
seu rosto estava vermelho, o fez respirar fundo. Para não mostrar inconsistências em
suas emoções, o que seria adequado para alguém que estava prestes a entrar em uma
audiência com o Mestre. Sebas pressionou sua mão esquerda, que inconscientemente
tentou tocar seus lábios, Sebas pôs o rosto perfeito.

"Não é nada, Demiurge-sama.”

"Não há necessidade de usar-sama para mim. O mesmo vale para quando estamos de
frente para o Ser Supremo, Ainz-sama. E você, Cocytus?”

"Não. Me. Importo.”

Sebas mostrou que ele entendia os dois Guardiões.

Depois de cinco minutos, a sala foi distorcida. Quando a distorção acabou, alguém
estava lá. Era Ainz. Ele não estava usando o Cajado de Ainz Ooal Gown que tinha a um
momento atrás e Victim não estava. Sebas, Cocytus, Demiurge e Solution. Os quatro na
sala genuflectiram e se curvaram.

"Você fez bem em vir aqui.”

Ainz foi para a parte de trás da mesa e sentou-se.


"Levantem-se.”

Os quatro se levantaram para ver Ainz que parecia estar de bom humor.

"Agora, Demiurge. Será que este incidente mostrou que você é muito cuidadoso?
Jamais duvidei que Sebas não nos trairia por um segundo. Você é muito cauteloso. Por
acaso não confirmamos isso no Salão do Trono em primeiro lugar?”

"Peço desculpas pela preocupação. Para Ainz-sama, estar disposto a seguir minha
sugestão inútil, eu sou eternamente grato.”

"Tudo bem. Mesmo eu cometo erros. Se eu sei que o Demiurge está oferecendo uma
segunda opinião, posso estar tranquilo. Além disso, eu não sou uma pessoa intolerante
para repreender algumas palavras de conselho.”

Ainz partiu de Demiurge que estava curvando-se profundamente.

"Então nós precisamos falar sobre o que fazer com a mulher humana, Sebas.”

Sebas ficou tenso.

"Sim.”

Ele cuidadosamente examinou a expressão de Ainz ao expressar suas palavras.

"O que você vai fazer com a Tsuare?”

Um silêncio intermitente veio antes que a conversa continuasse.

"Vamos ver. Eu acho que eu mencionei que se você apenas deixasse-a ir, informações
sobre Nazarick podem se espalhar?”

Demiurge acenou antes de olhar para Ainz.

"Isso seria o caso, Ainz-sama. O que você pensa em fazer com ela?”

"Eu vou manipular sua memória. Então... dar-lhe algum dinheiro e deixá-la em algum
lugar apropriado.”

“Ainz-sama, eu acho que matá-la será a solução mais fácil.”

Solution se sentia como Demiurge. Diante do acordo com estas acusações, Ainz
afundou em pensamentos profundos, mais uma vez. Se duas pessoas concordaram...
Pode ser decidido dessa forma. Sebas foi surpreendido dentro de si. Se o Mestre tomar
uma decisão, seria difícil revogá-la. Mesmo que seja perdoado por isso, ele vai perder
todo o seu crédito diante de Demiurge, Cocytus e Solution. Se ele mostrar seu
desacordo descuidadamente arriscaria ganhar o desprazer de Ainz.

Mas agora era o momento de falar.

Sebas tentou oferecer uma opinião contrária à Demiurge, mas não teve chance. Foi
porque Ainz falou antes que ele pudesse...

“...Não há necessidade, Demiurge. Eu não gosto de matar alguém sem uma razão séria.
Mesmo que seja um homem fraco, não pode ser usado se eles estão mortos. Se eles
estão vivos, eles sempre têm algum tipo de uso.”

Sebas reprimiu um suspiro de alívio. O destino de Tsuare ainda não foi decidido.
Entretanto ainda havia uma chance.

"Eu entendo... eu deveria deixá-la trabalhar em minha fazenda?”

"Oh, onde você estava criando suas Chimeras? Falando nisso, elas são seguras para
comer? Temos que trabalhar na produção de alimentos para Nazarick.”

Os olhos de Demiurge saíram de Ainz, que estava murmurando "Bifes de Chimeras...


Não, Hamburger de Chimeras ..." e então retornou.

“...A qualidade de sua carne está imprópria para ser utilizada para o consumo na
gloriosa Nazarick...”

Demiurge sorriu, indicando que era imprópria.

"Claro, agora estamos cuidando de gado morto e alimentando outros animais. Uma vez
que seria difícil comer tudo, vamos moer primeiro.”

"Oh... canibalismo, certo? Afinal, animais continuam sendo animais.”

"É como você diz, Ainz-sama. Isso é o que os faz bonitos e engraçados. No entanto, eles
são onívoros e comem coisas como o trigo também. Se não for pedir demais, posso
pedir que me dê algum trigo que se adeque? Nosso estoque se esgotou.”

"Eles são a fonte preciosa para os pergaminhos. Não podemos deixá-los com fome.
Vamos ver... Sebas, antes de se retirar, compre um monte de trigo e envie para
Demiurge.”

“Como quiser. Se se trata de grandes quantidades, eu gostaria de pedir num armazém


e buscá-lo lá. O que eu farei para transferi-lo para Nazarick?”

"Vamos ver... Shalltear usará 「Gate」 para mover tudo para Nazarick. Está tudo bem
para você deixar todo o resto para mais tarde, Demiurge?”
"Sim. Nós vamos lidar com o transporte.”

"Muito bem. Ah, sim. Demiurgo, você é indiscutivelmente o mais trabalhador de


Nazarick, e sou muito grato a você por isso.”

“Muito obrigado pelas suas amáveis palavras, Ainz-sama! Elas servem de


encorajamento incomensurável ao seu humilde servo!”

“... Hm, ah, acalme-se. Portanto, eu tenho algo para lhe perguntar. Você não está se
atarefando muito com tantas coisas? Eu te chamarei sempre que houver problemas, e
você deve gerenciar a fazenda de criação para manter o estoque de pergaminho, e
então há os preparativos para criar o Rei Demônio... Eu temo que você esteja
descontente com as muitas tarefas pesadas que lhe foram dadas."

Demiurge sorriu. Era um rosto verdadeiramente feliz, Sebas nunca o tinha visto antes.

"É uma grande honra que se preocupe comigo. Mas está tudo bem, meu trabalho só me
traz alegria e não é muito. No entanto, se eu decidir que preciso de ajuda, eu a pedirei
imediatamente.”

"Que assim seja.”

Sebas pensou sobre a verdadeira identidade da “fazenda de criação” de Demiurge e


franziu a testa em sua mente. Como companheiro de Nazarick que servia aos Seres
Supremos, ele sabia muito bem a persona de Demiurge. Não havia nenhuma maneira de
operar uma simples fazenda de criação. Mesmo que fosse um monstro híbrido que
tenha sido criado recentemente—

—De repente, um lampejo veio a Sebas. Ele podia adivinhar o que Demiurge mantinha
na fazenda de criação.

Ele poderia enviar Tsuare para tal lugar? De fato, Demiurge provavelmente garantiria
a segurança de sua vida. No entanto, o mesmo não pode ser dito de seu estado mental.

Só então, houve uma pausa na conversa entre Ainz e Demiurge. Esta foi a única vez
para Sebas cortar. Depois de decidir sobre isso, Sebas se dirigiu ao seu mestre:

"—Ainz-sama.”

"Hum? Precisa de algo, Sebas?”

"Se está tudo bem para você—”

Ele respirou fundo. Esta foi uma aposta. Uma aposta muito perigosa. Mas ele tinha que
fazer.
"Eu estava pensando que Tsuare pudesse trabalhar na Grande Tumba de Nazarick."

O silêncio se espalhou por todo o ambiente e Ainz perguntou a Sebas.

"No passado, eu fiz uma pergunta semelhante à Cocytus. Sebas, o que ganharíamos
com isso?”

"Sim, em primeiro lugar, ela é capaz de fazer refeições. Atualmente, os únicos capazes
de cozinhar é o Chef e o Sous-Chef. Yuri é uma exceção. Seria benéfico para Nazarick ter
outros que são capazes de cozinhar. Além disso, estabelecer a prioridade de um
trabalho humano em Nazarick seria um benefício por si só. Se demonstrado que as
criaturas inferiores como os seres humanos podem trabalhar para Nazarick—”

“Eu entendo, Sebas.”

Ainz terminou o discurso de Sebas sobre o quanto Tsuare seria útil para Nazarick.

"Sebas, eu entendo o que você está tentando dizer. Também estou preocupado que
temos tão poucos com a capacidade de cozinhar.”

"Mas Ainz-sama, ela pode cozinhar algo digno de Nazarick?”

Sebas olhou para Demiurge com olhos em forma de faca. Demiurge simplesmente lhe
devolveu com um sorriso.

Desgraçado—

Sebas engoliu suas palavras.

Ainz o perdoou, mas Demiurge não. Isso é provavelmente o porquê de ele estar
interferindo com Sebas sobre a questão do que fazer com Tsuare.

"Isso tem os seus méritos também. O que você acha, Sebas?”

“...Tsuare cozinha principalmente refeições caseiras. Dizer se é adequado para


Nazarick... Eu não posso dar uma resposta concreta.”

"Refeições caseiras. Duvido que uma batata cozida é algo apropriado para Nazarick.”

"Eu acho que o Demiurge está cego neste momento. Talvez ela só possa cozinhar
refeições caseiras, neste momento, mas o chef pode ensinar. Temos de olhar para
investimentos de longo prazo.”

"Então por que não a ter para ajudar em minhas fazendas? Moer toda essa carne
também é uma tarefa difícil.”
"Eu—”

Ainz observava a cena barulhenta calmamente. Além deles, ele podia ver cenas do
passado se desenrolando. Os fantasmas de seus criadores, as ilusões do passado...

♦♦♦

"Então, onde é que vamos hoje?”


[Gigantes do Fog o ]
"Para os Fire Giant.”
[Dragões d a G e a d a ]
"Para os Frost Dragon.”

“...Ha... Ulbert-san, você não se lembra de que algumas pessoas precisam do drop raro do
chefe Fire Giant, o Surt?”
Obs.: Provavelmente referência a Surtur da mitologia nórdica.

"Parece-me que o Touch-san é o único que não se lembra de que há pessoas que têm de
matar o Frost Dragon para cumprir as suas exigências para upar minha profissão.”

“...Isso pode ser, mas Yamaiko-san precisa do drop raro para encantar um item.”

"Não, não particularmente...”


[ A C h a m a do C o m e ç o ] [ O Gelo d o
"Você quer dizer a "The Flame of the Beginning”? Então você precisaria do "The Ice of
C o m e ç o ]”
the Beginning" também. Vamos para o Frost Dragon.”

“...Obrigado a todos os itens de cash, tem uma alta taxa de drop agora. Em comparação
com os dragões, Surt tem uma taxa de drop menor, então vamos deixá-lo fora do caminho
em primeiro lugar.”

"Então eu vou comprar o item de cash agora.”

“...Mas, mas, mas...”

“...E se a gente for para alguns monstros eróticos como as Succubus?”

"Cale a boca, onii-chan.”


[ L o r d e s Demônios dos S e t e P e c a d o s
"Se se trata de monstros demoníacos, eu quero ir encontrar os Demon Lords of the Seven
Capitais]
Sins . É claro que precisaria de mais preparativos.”
“...Touch-san, pare de tentar jogar isso sozinho. Tendo em conta os membros que temos
agora, é mais eficiente buscar os Frost Dragons.”

“Não, não, isto não é sobre quem está jogando sozinho, Ulbert-san? Quando é que você
esteve preocupado com a eficiência?”

"Podem o Guerreiro e o Magic Caster pararem de briguinhas...”

"Eles são assim desde o início. Desde que os convidamos a se unir à Guilda.”

“Touch-san é valente para ter coragem de chamá-la de “Carne cor-de-rosa de aparência


estranha.”

“...Bukubukuchagama-san, Peroroncino-san, eu deveria usar a autoridade de Chefe de


Guilda para interromper vocês dois?”

"Será que alguma guilda colocou o guia para os “Seven Sins” antes de nós?”

"Eles derrotaram "Pride", acabam de postar.”

"Eles dizem que um item World-Class cairá depois de derrotar os sete, uma vez que são
ameaças World-Class.”

"Falando de itens World-Class, por que não usamos “Caloric Stone” para fazer um núcleo
de golem?”

"Nubo-san, não deveríamos nos concentrar nas armas?”

"Fazer armaduras também não é ruim.”

"Não devemos pensar um pouco mais sobre isso? Já que é apenas um elemento que
podemos pedir ao GM, devemos considerar um pouco mais.”

"Não é assim? Momonga-san?”

"Eu sei como obter mais “Caloric Stone”, mas ia gastar muitos minerais das “Seven
Hidden Mines”.”

"Para não ser capaz de, pelo menos, possuir dois de todos eles, é uma dor de cabeça.”

"Sim, desde que diferentes guildas possuem diferentes partes da mina, não podemos obtê-
lo de volta depois de usá-lo. Não é que eles vão apenas sentar enquanto nós levámos um
de cada vez... E sobre o vazamento desta informação em um lugar como Trinity? Alguns
são obrigados a fazê-lo com cobiça e vem correndo para ele. Podemos atacar quando eles
estiverem cansados de lutar uns contra os outros.”
"Você quer vender as informações para a Guilda, e, assim, fazê-los lutar entre si? Você
realmente é um estrategista, Punitto Moe-san.”

"Falando da Guilda, parece ter eclodido outro plano contra eles.”

"Que? Por quê?”

"Parece que roubaram um item World-Class de uma guilda e agora estão realmente
irritados com eles.”

"Ah cara, embora eu acredite que uma aliança entre as guildas como da última vez vai
ser difícil.”

"Então você pode decidir isso, Momonga-san?”

"Isso mesmo, Chefe de Guilda. O que você que fazer?”

“...Huh? Desculpe, eu não estava prestando atenção... O que estávamos falando? ...Nós
vamos com o voto como da última vez.”

"Sem objeção.”

“Eu também.”

"Então, uma moeda de ouro para votar em Ulbert-san. Moeda de ouro velho para votar
em Touch-san. Agora eles estão lançando os seus planos para vocês.”

♦♦♦

"Fiquem. Quietos. Vocês. Estão .Diante .De .Ainz-Sama."

Era como se Cocytus tivesse jogado água fria sobre eles. Eles olharam para Ainz e a cor
dos seus rostos mudou. Era impossível ler qualquer emoção da chama vermelha que
iluminava suas órbitas vazias, mas podia sentir algo forte vindo de seu olhar. Ambos
agiram antes que uma repreensão forte viesse.

"Eu cometi um erro grave na frente de Ainz-sama.”

"Eu não tenho nenhuma desculpa para este comportamento lamentável.”

A reação que receberam foi incompreensível.

“—Hahahahahaha!”
O riso brilhante ecoou por toda a sala. Um riso muito feliz e brilhante. Sebas, Solution,
Demiurge, Cocytus, ninguém conseguia se lembrar de Ainz rindo tão feliz e piscaram
surpresos.

"Claro, claro, vocês estão perdoados. É isso! Uma briga como essa! Hahaha!”

Sebas não tinha idéia do que tinha acontecido com Ainz naquele momento, mas deixou
escapar um suspiro de alívio.

"Hahaha!—”

—Supressão de emoção ativada.

Seu mestre voltou a um estado de espírito calmo como uma marionete cujas cordas
tinham sido cortadas. Mas todos compartilhavam a idéia de que Ainz estava de bom
humor. Ainz falou com Sebas com um tom brilhante.

"Sebas, eu entendo o que você está falando, mas para um ser humano estar em
Nazarick... Muito bem, eu vou vê-la antes de decidir. Traga-a.”

"Sim? Oh, sim. Como o Ainz-sama ordenar.”

Sebas ficou intrigado com as estranhas ordens de Ainz, mas trouxe Tsuare
imediatamente.

"Ainz-sama, eu a trouxe.”

"Bom trabalho.”

De repente, Ainz se inclinou para frente em sua cadeira. A maneira como ele estudou
Tsuare era peculiar. Perguntava-se se ele não gostava, Sebas olhou para Tsuare. Não
havia nada de diferente nela desde antes e não conseguia entender o porquê seu Mestre
de repente a tratava dessa forma.

“...Parece a mesma coisa.”

O pequeno murmúrio vazou, provavelmente não foi intencional.

“...Bem-vinda, Tsuare. Vou lembrá-la que não repito duas vezes. É porque eu respeito
as escolhas, mesmo que o resultado seja ruim. Agora, se você entendeu isso, eu vou
fazer a minha pergunta. Tudo isso acabará se você mentir e também acabará se não for
a resposta que eu estou procurando.”

Sebas ouviu Tsuare engolir a saliva. Com este tipo de ameaça, era impossível saber o
que ia acontecer a seguir.
"Então, qual é o seu verdadeiro nome?”

Sebas não conseguia entender a intenção da pergunta. Por que pedir uma coisa
dessas? Sebas podia ver seus olhos correndo de um lado para outro. Sua atitude contou
toda a história.

"Por favor, responda honestamente.”

Sebas orou em seu coração.

Se fosse algo que ela não contou sequer a ele, algo sobre o seu nome real. Mesmo
assim, mentir para o Mestre apenas iria agravar a situação. O silêncio continuou, e
depois de algum tempo, Tsuare respondeu suavemente, parecia um mosquito zumbido.

"T-Tsuare... Tsuareninya.”

"Sobrenome?”

"É Tsuareninya Veyron.”

"Entendo... Entendo... Então eu vou perguntar de novo, Tsuareninya. Você quer viver
na Grande Tumba de Nazarick, em um lugar onde eu mando em ti? ...A Grande Tumba
de Nazarick não é um lugar onde vivem humanos. Eu não quero dizer que seja
impossível para eles viverem lá, mas não há simplesmente nenhuma coisa como seres
humanos que vivem lá, então eu não sei se é um lugar apropriado para você. Se você
quiser, eu posso dar-lhe uma soma considerável de dinheiro e você poderia viver feliz
entre outros seres humanos.”

Era uma oferta quase desnecessariamente generosa, mas Tsuare não hesita por um
momento para responder.

"Eu, quero viver com... Sebas-sama.”

Ainz balançou a cabeça lentamente, e chama das suas orbitas foram enfraquecidas.

"Muito bem, então. Preste atenção em mim, meus servos fiéis.”

Todos baixaram a cabeça e Tsuare os seguiu.

"De agora em diante, protegerei Tsuare sob o nome de Ainz Ooal Gown. Eu também
posso te tratar como uma convidada da Grande Tumba de Nazarick se você quiser.”

“Obri-obrigada, mas eu gostaria de trabalhar com o Sebas-sama.”

“...Se é isso que você quer. Então você vai estar sob o comando direto de Sebas como
uma trabalhadora temporária. Sebas, lhe dê um trabalho apropriado. Além disso, para
as Plêiades, mudem o sistema de sistema Six Star para sistema Seven Sisters, e
consequentemente mudem o líder, não o entregaremos a ela e Yuri Alpha será a líder
temporária.”

Solution curvou-se profundamente.

"E que todos na Grande Tumba de Nazarick saiba que Tsuareninya é protegida sob o
nome de Ainz Ooal Gown, para não mencionar que ela será uma companheira também.”

Todos, menos Ainz e Tsuare, se curvaram.

"Existe alguma objeção, Demiurge?”

"Eu não tenho nenhuma. Sua palavra é lei na Grande Tumba de Nazarick. No entanto,
eu acho que haverá aqueles que não podem entender o porquê que um ser humano foi
permitido naquela terra abençoada. O que vou dizer a eles?”

“...Quando penso nisso, a irmã de Yamaiko-san, Akemi-san, era uma Elfa, mas nós
frequentemente a convidamos para Nazarick. Não há proibição de entrada de humanos
ou humanoides. Caso contrário—"

Ainz olhou para Solution, que estava esperando por ordens dentro da sala, e disse:

"—Teríamos que expulsar sua irmãzinha também."

"No entanto, resta saber se uma imortal ainda pode ser considerada humana."

“De fato, Solution. Então, Demiurge. Diga-lhes que decretei isso. Se alguém se se sentir
desconfortável com isso, diga-lhes que estão livres para me procurar. Eu explicarei
pessoalmente.”

“Seu servo entende. Não tenho mais perguntas."

“Então, vamos confirmar nosso curso de ação. Primeiro, desocuparemos


imediatamente essa propriedade. Todas as sentinelas postadas aqui retornarão a
Nazarick. Solution e o Sebas completarão sua tarefa final na Capital Real — que é
comprar grãos para o Demiurge — e depois transportá-lo para o armazém. Uma vez
que quantidades suficientes tenham sido acumuladas, Shalltear usará 「Gate」 para
transportar os grãos. Alguma dúvida?"

Todos se curvaram em silêncio e Tsuare fez o mesmo depois de observá-los.

"Então Sebas. O que você vai fazer com a Tsuare? Você vai voltar com ela, ou devo levá-
la comigo?”

"Eu acho que deixá-la ficar comigo iria provocar o mínimo de inconveniência.”
"Muito bem, Sebas. Solution reúna todas as sentinelas. Vou voltar com elas para
Nazarick.”

“Como desejar.”

Depois de ver os três saírem, Demiurge perguntou:

"Você sabia dela desde o início?”

Ainz levantou-se lentamente, sem responder. Ele se virou para a parede, como se
alguém estivesse lá e, finalmente, abriu a boca.

"Demiurge, acho que um favor deve ser pago com outro favor, e olho por olho e dente
por dente também se aplica às dívidas que devo a outros.”

Ainz puxou um livro a partir do ar. O livro tinha uma capa de couro e foi fechado com
um arame de metal. Ele foi muito mal feito para realmente ser chamado de um livro.

"Há algumas partes que o Bibliotecário Chefe traduziu, mas este é o original. Isto é um
diário que expressa a raiva de uma jovem... que teve uma irmã mais velha levada por
um nobre.”

“Havia boas irmãs em uma aldeia. Seus pais morreram quando elas eram jovens, mas
elas sobreviveram por confiarem uma na outra.”

“Mas a irmã mais velha foi levada por um nobre... Um nobre que não tinha nada além
de maus rumores sobre ele. Se a irmã mais velha tivesse sido capaz de viver feliz, a irmã
mais nova podia suportar a separação, mas a irmã mais nova podia adivinhar o que
aconteceria depois dos rumores que tinha ouvido. Sua irmã mais velha seria tratada
como um brinquedo e seria abandonada como lixo uma vez que se cansasse dela. Essa
era a verdade, e a irmã mais nova deixou a aldeia para encontrar uma maneira de salvar
sua irmã mais velha, porque ninguém na aldeia tinha tentado ajudá-la. Logo, a irmã
mais nova percebeu que ela tinha um talento para a magia e tentou ficar mais forte para
salvar sua irmã. No entanto, ela morreu antes que pudesse cumprir seu objetivo. A
página com uma frase curta foi a última página do diário. Trata-se de um novo
companheiro na missão de apanhar ervas, ele elogiou dois aventureiros chamados
Momon e Nabe.”

"Graças a este diário, eu aprendi muito sobre este mundo. Esta é a minha dívida. Eu
vou pagar minha dívida com ela, com sua irmã.”

Ainz guardou o diário cujas cores tinham começado a desaparecer devido à sua idade.

"Então eu tenho um pedido a fazer, Ainz-sama.”


"O que seria, Demiurge?”

“Encontrei uma informação estranha a partir dos relatórios de Sebas. Eu quero tempo
para investigar mais profundamente.”

"Há algum problema?”

"Eu tenho um lugar que eu quero conferir e espero que eu possa fazer antes de voltar,
mas a princípio não posso dizer com certeza que eu consigo encontrar o lugar... Eu sei
que é uma pena desperdiçar o seu tempo, mas, por favor, conceda-me uma pausa.”

Ainz tranquilizou Demiurge com uma expressão brilhante.

"Não importa, Demiurge. Certamente você está agindo em nome de Nazarick. Como
não poderíamos esperar um pouco em tais circunstâncias? Vá, Demiurge.”

“Eu sou eternamente grato.”

Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 15:01

O sol raiou e o dia agitado de Solution e Sebas começou novamente.

A razão de estarem tão ocupados era simples. Teria sido fácil para eles deixar o Reino
sem dizer uma palavra, mas, no entanto, todas as conexões e contatos que se
acumularam teriam ido para o lixo. Assim, eles agiram como se estivessem voltando
para o Império. Com Solution ao seu lado, Sebas trocou saudações com todos os
principais comerciantes e membros da Guilda com o qual eles estavam familiarizados.

Obviamente, a conversa não terminou em desejos de despedida. Era óbvio que as


pessoas queriam deixar uma boa impressão para futuros negócios, para não mencionar
ter a oportunidade de falar com uma beleza como Solution. Como resultado, cada
despedida levou mais de 30 minutos e o dia se estendeu.

"Levou muito tempo, mas o processo de mover todo o armazenamento de trigo está
completo. Parece que podemos voltar a Nazarick sem nenhum problema agora.”

Em suas palavras, Solution parecia um raio de felicidade. Sebas sentiu que ela estava
mais feliz por ter completado as ordens do mestre antes de voltar para a Grande
Tumba. Como Sebas foi encarregado de recolher informações no Reino, não havia
muitas oportunidades para a Solution sentir-se que estava desempenhando as suas
funções corretamente.
Pelo menos as despedidas eram trabalho de Solution e tinha que parecer que estava no
comando. Com seu forte sentimento de satisfação, quase parecia que estava
cantarolando de alegria.

Como consequência, de verdade, porque estava de tão bom humor ao falar com os
comerciantes, que Sebas foi capaz negociar vários acordos favoráveis, tais como a
extensão de cotas de armazenamento porque eles tinham comprado grandes
quantidades de trigo.

Há benefícios em ser tão linda.

Sebas pensou isso enquanto ele amarrava os cavalos nos estábulos e caminhava em
direção à porta da frente com a Solution.

Em pé na frente da porta, Sebas colocou a chave na fechadura. Ele girou a chave, como
fizera muitas vezes, mas não havia nenhum clique de desbloqueio. Sebas franziu a testa,
surpreso, olhou nos olhos de Solution.

A porta não está fechada?

Com um pequeno empurrão, a porta se abriu. A única outra pessoa na casa era Tsuare,
mas não havia nenhuma maneira que ela sair sozinha.

"Há vários arranhões ao redor do buraco da fechadura. Há uma grande possibilidade


de que alguém forçou a fechadura...”

Antes de Solution terminar a frase, Sebas golpeou a porta. Ele não acreditava que havia
alguma armadilha, e mesmo se tivesse, ele estaria quebrando-as agora.

A mansão estava vazia, já que tudo tinha sido limpo. Configurou suas capacidades de
detecção ao máximo, analisando o lugar procurando Tsuare, mas não sentiu nada.

"Tsuare! Tsuare! Onde está você?”

Ele gritou enquanto ele procurava pela mansão. Ele tinha procurado em cada canto,
mas não havia nenhum rastro. Era quase como se ela nunca tivesse existido.

Alguém definitivamente esteve aqui. Dado que não há cheiro de sangue, ela deve ter sido
sequestrada. Então, quais são as suas exigências...

Sebas cerrou o punho firmemente.

Estava zangado consigo mesmo, descuidadamente deixou Tsuare sozinha em casa. Por
uma questão óbvia, ele estava preocupado em deixar Tsuare sozinha. Após seu
encontro com a organização clandestina, ele sabia que haveria problemas mais tarde.
No entanto, ele ainda a deixou em casa por causa de seu trauma, medo do mundo de
estranhos. A única razão pela qual ela não agiu desse modo enquanto ela encarava os
Guardiões era porque nenhum parecia ser um ser humano. A reação de Tsuare na
época era muito normal, diferente de uma pessoa que se encontrava com um monstro.

Mesmo Tsuare poderia ter sido deixada na carruagem, mas Sebas queria evitar
possíveis complicações, assim deixou Tsuare em casa.

Porque o prostíbulo destruído precisaria de tempo para se restaurar e dado que


levaria algum tempo para planejar um ataque, Sebas tinha assumido que os donos do
bordel destruído precisariam de mais tempo para se reagrupar antes de tentarem se
vingar. Foi um erro de cálculo desastroso, mas já era tarde demais.

Enquanto ele caminhava rapidamente pelo corredor, ele ouviu o chamado de Solution
na sala de recepção. "Sebas-sama, aqui.”

"Encontrou algo, Solution?”

Não havia maneira de fazê-lo, mas Sebas queria verificar agora. No entanto, com
esperança, ele entrou no quarto para ver Solution segurando um pedaço de
pergaminho.

"Algo parece estar escrito aqui...”

"Por favor, permita-me.”

Mesmo antes de Solution terminar a sua frase, ele pegou o pergaminho. Usando um
objeto mágico para ler o conteúdo, ele amassou o pergaminho de raiva.

"Sequestrada. Vou segui-los e salvá-la.”

“Parece um curso racional de ação.”

Os olhos de Sebas se arregalaram e ele não esperava que Solution concordaria.

"No entanto, Ainz-sama nos mandou voltar para Nazarick. Não devemos dar
prioridade a isso?”

"Mas ele não disse sem a Tsuare.”

"Sebas-sama... Se você agir por sua própria conta novamente, será um incidente maior
desta vez. Além disso, como você vai encontrá-la?”

"Eles convenientemente deixaram a hora e o lugar para nos encontrarmos. Parece que
eles pertenciam ao mesmo grupo criminoso do dono do bordel que eu destruí.”
"Entendo. No entanto, eu ainda tenho que enviar um relatório para o Ainz-sama antes
que ele parta. Se não tivesse tocado no bordel em primeiro lugar, isso não teria
acontecido. Isso vai contra as ordens de Ainz-sama para não chamar atenção. Sebas-
sama, se você agir de forma imprudente novamente, isso significará que desobedeceu
novamente... Além disso, você esqueceu as palavras anteriores de Ainz-sama?”

Foi uma resposta comovente, especialmente considerando quem tinha garantido


proteger Tsuare.

"Por favor, diga ao Ainz-sama que ela foi sequestrada e estou à espera de instruções."

Parte 3

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 15:15

"Hmm hm hm~.”

Cantarolando com prazer, Albedo colocou a linha na agulha. Ela empurrou a agulha
passando e puxando. Depois de repetir isso uma centena de vezes, ela tinha feito um
pano preto sobre uma figura branca. Em seguida, ela encheu a figura branca e assumiu
uma forma mais esférica. Olhando para o boneco quase completo, Albedo sorriu
suavemente. Era o sorriso gentil de uma deusa cheia de misericórdia e amor.

"Ótimo! A cabeça de Ainz-sama está completa!”

Ela fechou o punho com satisfação e acariciou a cabeça de sua boneca artesanal. Tinha
a aparência de um crânio e pequenos pedaços de pano tinham sido preparados para se
tornarem seus olhos e boca, dando uma olhada geral. Se Ainz o ver, definitivamente, se
sentiria constrangido.

"Então, a seguir é o corpo...”

Gentilmente, ela colocou o crânio de pelúcia em um canto de sua mesa e se levantou


para pegar outro carretel de linha branca.

Este era o quarto de Albedo. Originalmente, seu quarto era o Salão do Trono, então não
havia nada como um quarto privado. No entanto, Ainz havia atribuído um quarto dos
41 Seres Supremos para que seu trabalho como Supervisora Guardiã não fosse afetado.

Assim como o quarto de Ainz, o quarto de Albedo era grande. Albedo não tinha muitos
pertences com ela, então originalmente o quarto parecia um pouco desolado e vazio. No
entanto, depois de passar dois meses nele o mesmo não podia ser dito.
Uma razão para isso era o armário que Albedo estava prestes explodir.

Era um quarto cheio de Ainz’es. Ela tinha feito tudo por si só. Os bonecos tinham à
forma de Ainz e tinham diferentes poses. Alguns eram dakimakuras de corpo inteiro e
alguns eram animais de pelúcia em miniatura.

Este era um dos quartos secretos de Albedo. Nem as empregadas que entravam para
limpar a sala eram permitidas aqui. Era um santuário inviolável, ou em outras palavras,
a Câmara do Harém.

"Kufufu-fu~”

Albedo saltou fazendo barulhos estranhos. Em seguida, ela bateu as asas de sua
cintura e voou em frente em uma até o travesseiro de Ainz. Era semelhante a um
equipamento de rugby.

Ainda abraçando o travesseiro. Albedo rolou no chão. Não doeu, já que havia outros
Ainz’es de baixo. Ela firmando-se no meio de três almofadas de Ainz, ela riu de maneira
estranha.

“Ku-fu-fu-fu-fu, o novo travesseiro feito a partir de lençóis de Ainz-sama... Em outras


palavras, eu estou dormindo com ele diretamente. Kufufufu~”

Albedo escondeu o rosto no dakimakura e cheirou furiosamente.

"Sem cheiro algum... huh.”

Era uma voz muito triste. Se alguém ouvisse, provavelmente ia se sentir muito mal por
ela. Já que Ainz era um undead, ele não precisava de sono e ossos não tinham um cheiro
particular. O corpo é lavado para remover a poeira ou sangue, mas seu corpo não está
excretando qualquer coisa que poderia ser um cheiro.

"Hm, hm? Isso... é... talvez... Ainz-sama!”

No entanto, para uma donzela apaixonada como Albedo, era possível sentir até mesmo
o menor aroma de Ainz. Apesar de ter sido discutível se era sua própria imaginação.

“Kuh! Kuhuhuhuhuhuhu!”

Pela maneira como ela enterrou o rosto no travesseiro e cheirava repetidamente deu a
impressão de ser uma pervertida e não a Supervisora Guardiã.

“Ahh~ eu estou tão feliz.”


Como a Supervisora Guardiã, Albedo tinha muitas tarefas para cuidar. Estas incluíam a
colocação dos soldados, a construção de uma rede de defesa, revisão de manutenção
dentro de Nazarick, e tudo que era relativo ao Salão do Trono.

Havia muito trabalho como que para quebrar as costas de um camelo.

Por isso, foi especialmente importante que ela venha aqui para recarregar e se sentir
feliz novamente.

"Oh, quero ver novamente meu Ainz-sama! Eu quero ver novamente meu Ainz-sama!
Oh, eu vê-lo novamente!”

Albedo descarregou seu ciúme de Narberal, que tinha saído em viajem com Ainz,
enquanto segurando firmemente o travesseiro. Nesse momento—

『—Albedo.』

Ela ficou de pé rigidamente. Ela conferiu ao redor, enquanto suava frio antes de
perceber que era uma voz que veio com magia.

"Ai-Ainz-sama—! Quais são suas ordens?”

『Eu só ouvi isso de Sebas, não, de uma「Message」de Solution. A menina que Sebas
pegou, Tsuare, foi raptada. Forme uma equipe adequada para prestar apoio a Sebas.』

Albedo lembrou de Tsuare quando Ainz a mencionou. Ele tinha assumido a identidade
de Momon e tinha deixado E-Rantel imediatamente, mas Demiurge, que tinha
permanecido, tinha dito vagamente os detalhes sobre o assunto.

"Por favor, perdoe a minha grosseria por questionar sua grande ordem, mas vale a
pena formar um grupo para salvar somente um ser insignificante como um ser
humano? Eu entenderia se eu tivesse a ver com aqueles que interferiram com Shalltear,
mas...”

『Não, eles provavelmente não estão relacionadas com a Shalltear. Desta vez parece
ser uma organização criminosa que espreita no Reino.』

"Então, mais uma razão...”

『Albedo. Eu jurei proteger essa Tsuare sob o de nome Ainz Ooal Gown. Você entende
o que isso significa?』

A atmosfera mudou completamente. Um sentimento de raiva ardente pôde ser sentido


por todo o quarto e Albedo só podia emitir um som abafado.
『Você entendeu?! Você entendeu?! Eu jurei protegê-la com o meu próprio nome! E ela
foi sequestrada, apesar disso! Isto é um insulto ao meu nome e todos os outros da
Guilda! Não há desculpa, mesmo que eles sejam ignorantes quanto a isso.』

De repente a raiva diminuiu no final da frase. Provavelmente suas emoções tinham


sido eliminadas, uma vez que tinha ultrapassado um certo limite.

『...Sinto muito. Essa escória de sequestradores me irrita profundamente. Perdoe-me,


Albedo.』

Devido ao tom de arrependimento de seu mestre, ela finalmente foi capaz de se


acalmar o suficiente para falar. A ira do Ser Supremo a tinha afetado, mesmo que não
fosse voltada diretamente para ela.

"N-não há nada pelo qual você, Ainz-sama, tenha que se desculpar.”

Albedo curvou-se, mesmo quando não havia ninguém em pé na frente dela.

『...Então eu te encarrego disto, Albedo. Resgate a Tsuareninya ilesa.』

"Eu farei como ordena! E quando eu o fizer, me certificarei de exterminar os vermes


que o incomodaram!“

『Muito bom. Eu vou deixar isso para você. Além disso, Demiurge ainda está em
Nazarick para lidar com o transporte de grãos? Deixe-o assumir a responsabilidade por
isso.』

"Irei eu mesma—”

『Não, Albedo. Você deve proteger Nazarick. Envie o Demiurge. Também se certifique
de que a sua identidade não seja revelada. Vou deixar este assunto do Reino para você e
Demiurge. Sejam cautelosos.』

"Entendido!”

A magia 「Message」 havia terminado e o silêncio retornou. Albedo levantou-se


devagar e começou a deixar de lado os travesseiros.

“...Ainda assim, eu realmente não entendo.”

Havia um brilho trêmulo nos olhos de Albedo enquanto ela murmurava para si mesma.
Ela se virou para olhar o quarto mais uma vez.
A razão de não deixar qualquer dama entra no quarto, era de que monopolizar os
bonecos de Ainz e para que ninguém pudesse tocá-los. Mas havia também uma outra
razão.

Foi devido à bandeira bordada com o emblema da Ainz Ooal Gown. A bandeira, que
deveria ser visível logo que alguém entrasse no quarto, estava amassada em um canto
do quarto. Não havia nenhum sinal de admiração e respeito por aquilo, só ódio e
hostilidade.

“Ainz Ooal Gown, huh... Que ridículo.”

Em vez da bandeira de Ainz Ooal Gown, Albedo tinha levantado uma bandeira
gigantesca diferente em seu lugar. Uma bandeira tão grande, que parecia ser uma
cortina de ópera.

"A Grande Tumba de Nazarick pertence a você e só a você. Eu, Albedo, unicamente
desejo servir a ti. Ahh... um dia, eu gostaria de clamar o seu maravilhoso nome
novamente—”
Capítulo 07: Preparações Antes do Ataque
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 3º Dia, 18:27

rain ficou nos arredores até que os guardas chamaram Climb para subir.

B
Quando ele começou a voltar para a casa de Gazef, o sol havia se posto e
seu estômago parecia com fome.

...Se o Stronoff estivesse com fome, eu me sentiria mal.

Ele abriu a porta como se fosse sua própria casa, mas foi só porque ele tinha permissão
de Gazef para fazê-lo.

Quando ele começou a caminhar em direção à sala de Gazef, algo chamou sua atenção,
Brain ouviu passos que iam em sua direção. Ele pensou que provavelmente era Gazef, e
o confirmou quando ele o ouviu descer as escadas.

"Você está atrasado, Unglaus. Onde você estava?”

Não havia nenhum indício de crítica na voz. Quando viu que Brain não respondeu e
caiu em uma profunda reflexão, os olhos de Gazef o olharam com curiosidade.

"Se você estiver bem com isso, quer me contar a respeito enquanto comemos?”

Foi um verdadeiro colírio para os olhos. Brain disse enquanto esfregava seu estômago.

"Isso soa como uma grande idéia. Então, onde?”

Com uma expressão um pouco surpresa, Gazef o levou à sala de jantar.

"Os empregados cozinham para você? Ou cozinha suas próprias refeições?”

Gazef sorriu amargamente com a pergunta vazia:

"Não, na verdade eu sou terrível na cozinha.”

Continuou depois de pensar um pouco.

"Talvez os funcionários estejam envelhecendo, e a comida sempre parece pouco


temperada. Depois de um dia de trabalho árduo, é melhor ter algo mais forte, mas os
funcionários não parecem ter muita compreensão.”

"O todo poderoso Capitão Guerreiro do Reino é forçado a comer comida pouco
temperada?"
Brain sorriu enquanto brincava com Gazef, mas Gazef respondeu tenso como sempre.

"Unglaus, eu gostaria de apresentá-lo ao gourmet pouco experiente de minha casa,


mas nós compramos comida fora.”

"Se for assim, sou grato que tenha consideração.”

Vendo o sorriso do Brain, Gazef soltou uma risadinha. No entanto, seu contra-ataque
começou.

"Mas e você? Consegue cozinhar pelo menos?”

A espada de Gazef revidou e se perdeu através do nada.

"Alguma coisa simples e não muito complexa. O grande problema é que você não pode
cozinhar durante as viagens de treino ou expedições.”

Balançando a cabeça lentamente, Gazef trouxe uma pequena cesta que estava
escondido em um canto da sala de jantar. A cesta era grande o suficiente para caber um
bebê e um cheiro, que estimulava o nariz e estômago, pairava no ar.

Os dois homens sentaram-se frente a frente.

Depois de tirar vários pratos da cesta, eles encheram os copos com vinho e
levantaram-se para brindar um ao outro. Não havia nenhuma razão especial para
compartilhar alegrias e beberam o vinho em silêncio. Brain tomou dois grandes goles
antes de abaixar o vidro.

Ele soltou um suspiro profundo e murmurou com o coração trêmulo.

“...faz um bom tempo desde a última vez que eu bebi.”

"É o mesmo comigo. Eu não tenho comido em minha casa recentemente.”

“...Os deveres do palácio devem ser difíceis.”

"Desde que me tornei o Capitão Guerreiro, parece que há sempre algo.”

"A defesa da família real também?”

"Isso também. Na verdade, esse é o principal dever.”

Depois de ouvir as histórias de Gazef, Brain podia sentir como ele estava. Ele podia dar
ao luxo de desviar-se de vez em quando, mas ele continuou indo direto com a conversa.
"Uma pessoa como essa deve ser odiada pelos nobres.”

As suposições de Brain estavam certas, as histórias de Gazef não continha nenhuma


menção dos nobres. Apesar de estar em uma posição elevada como Capitão Guerreiro, a
maioria das histórias eram sobre sua vida como um soldado ou da família real. Houve
histórias de louvor de suas façanhas.

As mudanças foram ocorrendo em países vizinhos, como o Império, mas no Reino, a


uma grande muralha de diferença de status entre a nobreza e os plebeus.

Para o Brain, toda essa situação lhe causava risadas.

Ele dedicou todo o seu tempo de treinamento para derrotar Gazef e da próxima vez
que se vissem, esperava-se uma luta até a morte. Agora, eles estavam sentados e
bebendo como amigos. Como se lesse seus pensamentos, Gazef sorriu.

Os copos tocaram novamente, sentindo-se um pouco bêbados, brindaram um pouco


forte e um pouco de vinho se derramou sobre a mesa.

"Tente não derramar sobre a comida.”

"Pode ter um sabor melhor com um pouco de vinho sobre ela.”

"Eu não sei muito sobre o gosto... Unglaus, talvez, você ainda é o mesmo?”

"Brain. Apenas me chame Brain.”

“Tudo bem, então me chame de Gazef.”

"Entendido, Gazef.”

Eles riram e soaram a taça mais uma vez.

As histórias de Gazef eram diferentes e havia um monte de coisas que Brain não
conhecia. Como a atmosfera esquentou, Gazef perguntou descaradamente.

"Então Brain, o que é que aconteceu a um homem do seu calibre?”

Como se fosse um tratamento de uma ferida aberta Gazef tratou a questão com
cuidado. Seu interesse pela reação de Brain não era para determinar se ele estava
dizendo a verdade, mas era real preocupação.

"Obrigado.”

Gazef se surpreendeu profundamente ao receber um agradecimento do nada, Brain


também se relaxou, levou um momento para lembrar a si mesmo antes de falar.
“...Eu me encontrei com um monstro.”

"Um monstro? Que tipo?”

"Provavelmente um vampiro... Chamado Shalltear Bloodfallen. O ataque que eu criei...


para te derrotar... foi desviado por ela, apenas com o seu dedo mindinho.”

Ele podia ver os olhos de Gazef aumentarem.

“...Compreendo.”

Gazef tomou um gole de vinho. Brain também tomou um gole, e assim narrou à
batalha, o massacre que ocorreu.

Claro, ele não mencionou nada sobre sua vida bandida. Gazef poderia ter adivinhado o
que é que Brain fazia para viver. No entanto, ele não tinha coragem de dizer a Gazef que
ele era o tipo de homem que deixou tudo para ter o nome de "o mais forte”.

Felizmente, não havia sinais de desconfiança nos olhos de Gazef.

"Você acredita em mim?”

“...O mundo é grande e amplo. Não seria estranho, mesmo que um monstro como esse
existisse. Olhando para trás na história, havia seres como demônios, deuses e senhores
dragões. Mas um monstro como esse... está acima da minha capacidade.”

"Sim. Eu não sei o quão forte você está agora, por isso não vou falar de forma
irresponsável, mas eu tenho que dizer que é impossível para você ganhar contra ela.
Um monstro como esse, está além do nosso alcance de capacidade. Mesmo se nos dois
lutarmos juntos, duraríamos apenas um ou dois segundos, no máximo.”

"Ei, por favor, não diga essas coisas.”

Gazef queixou-se em tom de brincadeira, mas Brain falou sério.

"Gazef, você é o Capitão Guerreiro que é responsável pela proteção da família real. Por
favor, não lute contra ela se você a encontrar. Sua vida é valiosa.”

"Agradeço-lhe por seu conselho, mas se esse monstro chamado Shalltear tentar atacar
o Rei, eu lutarei com ela para ganhar algum tempo, mesmo que custe minha vida.”

Mesmo ganhar tempo seria impossível a menos que este monstro decidisse tratar
Gazef como um brinquedo. No entanto, Gazef... Gazef sentia que poderia ser capaz de
fazê-lo. Mesmo que seja por alguns segundos.
"Shalltear. Shalltear Bloodfallen, isso é tudo.”

Gazef assentiu fortemente depois de pedir novamente sobre sua descrição.

"Bem, depois de nós dois estarmos sóbrios, você se importa de me contar sobre isso de
novo? Seria prudente recolher o máximo de informação possível sobre o assunto.”

"Mesmo se você coletar as informações, eu não tenho certeza se você pode fazer algo
sobre isso.”

"Se tem uma tempestade vindo, temos de nos preparar para isso. E quem sabe, talvez
as outras pessoas tenham boas idéias.”

"Isso seria o melhor dos casos.”

"Eu tenho vários aventureiros conhecidos classificados como Adamantite. Talvez eles
pudessem ter idéias... Então, Brain, o que você vai fazer agora?”

Brain franziu a testa para a pergunta. O que devo fazer de agora em diante? Seu olhar
lentamente vagou a sua Katana e a colocou ao lado de uma pequena mesa.

É um lamento persistente.

Tudo era um lamento persistente. Não importa o quanto ele tentasse a partir de agora,
ele nunca poderia derrotar esse monstro. O sonho de ser o mais forte tinha se
quebrado. Sua vida tinha sido um desperdício. Ele não podia viver com sua cabeça nas
nuvens nunca mais.

Era o sonho selvagem de uma criança...

“O que devo fazer... Talvez eu devesse voltar para a agricultura.”

Originalmente era um agricultor. Ele mal conseguia se lembrar, mas lembrava-se do


básico da agricultura a partir de um canto de sua cabeça. Todo o resto era esgrima. Para
colocar isso claramente, ele viveu a sua vida com um só objetivo.

"Isso... não soa tão ruim... mas, você consideraria servir o Reino comigo?”

Não era uma proposta ruim. Ele nunca poderia ganhar contra um monstro como
Shalltear, não, como um homem, ele se considerava um dos mais fortes. Porém...

“Eu realmente não estou acostumado a trabalhar em equipe. Eu não sou muito bom em
servir.”

“Você acha que eu só faço um monte de servidão?”


"Oh, desculpe. Eu não queria dar a entender o que você faz. É só que eu imagino que
todas as pessoas que trabalham no palácio são tão... Gazef, sua idéia não é tão ruim.
Lutar por alguém... Ah! Falando nisso, eu conheci um cara chamado Climb.”

“Climb? Se refere a um rapaz de voz rouca?”

Quando Brain disse que se tratava do mesmo rapaz Gazef subiu o tom em surpresa.

"Você conheceu o Climb? Ele é o guarda-costas da Princesa, não acho que ele iria ficar
tão longe do seu lado...”

"Eu o vi quando ele estava treinando na cidade.”

"O treinamento na cidade... ele não tem muito talento e seria impossível de ser mais
forte do que é agora. O que ele estava fazendo, seria para melhorar a sua força física?
Foi esse tipo de treinamento? Se não é assim, então você deve dar-lhe alguns
conselhos.”

“Hmmm, espada... ele não tem talento. Mas de alguma forma, é superior a mim."

Gazef fez uma expressão para Brain parar de brincadeira.

É claro, a diferença entre Brain e Climb era absoluta, e em aptidão não podiam ser
comparadas. No entanto, em comparação com o verdadeiramente forte, Brain se
colocou em comparação como os caracóis rápidos competirem entre si. Acima de tudo,
ter o coração para estar contra a intenção de matar de uma pessoa como Sebas, ele
deve ser muito elogiado.

Ele teria me destruído se eu tivesse fugido. Mas Climb, ele nunca teria fugido tendo em
mente a pessoa que deveria proteger. Alguém como ele... Poderia ser o suficiente para
cortar a unha do mindinho daquele monstro.

Gazef tinha uma expressão curiosa em seu rosto, mas Brain permaneceu em silêncio.
Em vez disso, ele contou a história da investida a um dos bordéis administrados pela
Oito Dedos.

"Entendo... com o Climb.”

“Se você acha que coisas desconfortáveis vão acontecer, seria bom simplesmente fugir.
Agora eu acho que seria um problema para você, se alguém que anda no submundo
entra e sai de sua casa.”

"Não, não há absolutamente nenhum problema. Na verdade, eu o recebo de todo o


coração. Eles são escória suja do Reino. Eu teria gostado de estar de pé ao seu lado no
momento em que você atacou aquele lugar, se tivesse sido possível.”
"A Oito Dedos é tão prejudicial para o Reino?”

"É muito desagradável. Eles controlam a maior parte do submundo do Reino. Com o
dinheiro que ganham, eles compram os nobres e exploram os plebeus. Mesmo se
tentarmos esmagá-los os nobres comprados sempre interferem. Se queremos atacar,
temos que ir para as instalações ocultas espontaneamente como você fez, Brain. Mesmo
assim, eles têm mais poder do que a maioria dos nobres, por isso, se falharmos, as
consequências serão enormes.”

“Entre a espada e a parede.”

"Sim. Seria bom para lidar com alguns socos, como você fez. Infelizmente, não é tão
fácil.”

"E quanto à invocação da autoridade real?”

"Seria impossível devido à oposição da Facção Nobre. O verdadeiro problema, porém,


é que eles compraram pessoas de ambos os lados.”

Uma atmosfera pesada rodeava os dois enquanto eles beberam e comeram em


silêncio.

Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 07:14

Os membros da Rosa Azul visitaram o castelo no início da manhã. Todos eles


carregavam um saco grande e cada vez que ele tocava no chão, sons metálicos ecoavam
de dentro. Era seu equipamento. Porque eles estavam entrando no castelo real, seria
problemático andar por aí com todas as suas armas a posto.

Liberadas do fardo de ter de levar tudo ao seu redor, todos esticaram os ombros e
braços. A líder Lakyus Alvein Dale Aindra observava Renner com olhares invejosos.

"Então... seu dever como uma Princesa começa agora?”

Renner não tinha muito poder político, mas ainda tinha trabalho de agir como uma
Princesa.

"Não se preocupe, eu posso colocá-los de lado por um momento.”

"Aha~”
Lakyus fez um sorriso travesso. Renner fez o mesmo, mas voltou à sua expressão mais
uma vez.

"Lakyus, assim que estiver preparada, eu quero que realize o que falamos.”

"Por quê? Pelo que eu ouvi não iríamos atacar um de cada vez em absoluto segredo?”

Evileye, a spellcaster mascarada perguntou.

Ela não tirou a máscara apesar de estar no palácio real. A única razão para permitir
esse equipamento suspeito era devido ao fato de ser uma aventureira adamantite,
acima dos melhores da humanidade. Além disso, o fato da líder do grupo, Lakyus, ser da
nobreza ajudou também.

"Na verdade, um problema imprevisto ocorreu na noite passada, por isso, em


consequência, temos de ajustar nossos planos. Evileye-san, ontem—”

Renner disse-lhes sobre o ataque ao prostíbulo que aconteceu na noite passada. Os


olhares de parabéns que as Rosa Azul deram a Climb o fizeram ficar rijo de vergonha.

Sinceramente, Climb não se sentia assim, mas as duas pessoas que estavam com ele,
eles que na verdade salvaram aquelas meninas que estavam sofrendo no bordel. Climb
não se sentia como se fizesse alguma coisa digna de louvor. Na verdade, ele estava feliz
que não foi repreendido e se sentiu um pouco aliviado que o plano não foi
completamente arruinado por suas ações.

"Você fez bem, garoto virgem.”

"Gagaran está certa. A captura de um membro da Oito Dedos... é uma grande


conquista.”

“...Rei Undead, Davernoch. Corte Espacial, Peshurian. Cimitarra Dançante, Edström. Mil
Mortes, Malmvist, Diabo das Ilusões, Succulent e o líder, Demônio de Batalha, Zero.”

Tia começou com nomes.

"Davernoch é um undead. Diz-se que Peshurian pode atacar os inimigos que estão
bastante distantes. Edström usa armas com magia especial e Malmvist é um lobo
solitário, que é especializado em trabalhar com um chicote. Nós já temos Succulent,
então vamos ignorá-lo. Por último, um lutador que é especialista em combate
desarmado, Zero. Todos eles são podem ser classificados como adamantite.”

"Sim. Ter um deles capturado é uma grande vantagem para nós.”

"Você fez bem, Climb. Mas ter conhecido e atuado com Brain Unglaus, você tem muita
sorte.”
Cilmb estava de acordo com esse ponto.

“O fato de que ele poderia eliminar Succulent em um golpe prova que Unglaus — o
homem que lutou contra o mais forte guerreiro do Reino (Gazef Stronoff) — é
realmente grande coisa. Dito isso, estou mais interessado no velho mordomo que nem
ele conseguiu vencer.”

"Eu não sei onde o Sebas-sama vive.”

“...Hmm, Climb, talvez ele não confiasse em você e por isso não te falou. Ou talvez você
não fosse rápido o suficiente e não lhe perguntou... Qual seria o caso?”

"Foi isso, Evileye-sama. Talvez se eu tivesse perguntado, ele poderia ter me dito, mas
na verdade, não queria que se envolvesse ainda mais.”

“...Hum — você é um rapaz honesto.”

"Sim.”

As irmãs gêmeas elogiaram Climb.

"Mas eu nunca ouvi falar de alguém assim antes, é incompreensível...”

Começando com Evileye, as suspeitas de todos subiram para Sebas. Climb tentou
desviar a situação fazendo uma refutação, mas Lakyus chamou a atenção de todos
aplaudindo.

"Bem, bem, vamos deixar isso para mais tarde. Se não fosse por ele, não teríamos
conhecido o local do bordel e tão pouco teríamos capturado o chefe da Divisão de
Tráficos de Escravos. Além disso, Climb está em dívida com ele também.”

"Você está certa, Lakyus. Então, Princesa. A mudança do plano diz que vamos mudar o
local de ataque certo?”

"Sim, Evileye-san. Vamos atacá-los todos esta noite, em um só golpe. Se nos atrasarmos
iriamos apenas dar a iniciativa a nossos inimigos.”

O silêncio preencheu a atmosfera.

A única participante do plano era a Rosa Azul. Ao carecer de força de tropas, o plano
era atacar um só lugar por vez.

"Hey, a Princesa-san, não quer dizer que não temos pessoas suficientes? Ou você vai
encontrar alguém à noite? Nós nem mesmo pudemos recrutar outros aventureiros.”
Desde a criação da Guilda dos Aventureiros, seu lema era defender a humanidade de
outras ameaças. Portanto, havia uma regra não oficial, onde as guildas não tomariam
parte nos conflitos entre seres humanos. Também significava que as guildas não
poderiam cooperar uns com os outros em diferentes países.

Poderia haver alguém disposto a fazer esse tipo de trabalho se você fosse perguntar
sobre isso na guilda, mas a guilda tinha sua própria maneira de aplicar pressão para
cumprir a regra não oficial. Os castigos variavam da emissão de uma simples
advertência até a entrar na lista negra de todas as solicitações e, no pior caso, a
expulsão da Guilda dos Aventureiros. Os aventureiros que foram expulsos da guilda e
passaram a tomar as solicitações ilegais foram chamados de "trabalhadores”. De acordo
com rumores, a Guilda dos Aventureiros tinha até contratado capangas para eliminar o
pior deles.

Embora a Rosa Azul estivesse quebrando a regra não oficial para combater uma
organização humana, Oito Dedos, estava sendo tolerada devido ao fato de que eles eram
aventureiros adamantite.

"Mesmo se nós trouxermos outras pessoas, usando os guardas, seria imprudente. Eles
têm as suas pessoas dentre os guardas. Talvez para estágios finais de limpeza, mas caso
contrário, seria arriscado.”

"O mesmo com qualquer guarda de um nobre. Quem sabe, talvez um deles seja um dos
seus cumplices?”

"Os únicos que podemos confiar é no Gazef Stronoff e seus guerreiros, não... Eu não
tenho certeza se podemos confiar mesmo em seus guerreiros.”

"É muito difícil chegar a um plano de contingência, já que não sabemos sua força real.
Mas, se isso continuar, todo o Reino vai apodrecer. Temos que fazer o melhor possível
dado as circunstâncias.”

Renner acenou para as reclamações de Lakyus.

As invasões do Império, uma luta interna pelo poder e agora corrupção também. Climb
quase podia ver a luz dourada do sol que irradiava a Princesa em seus esforços para
resolver estes problemas, não importa como tudo parecia sombrio. Ele realmente
pensava que seria para unir o Reino e trazer felicidade ao seu povo, e mais uma vez
reforçou a sua lealdade para com ela.

Todos pensavam que ela não era mais que uma decoração bonita, especialmente os
nobres, isso enfureceu Climb. Mas a voz angelical de Renner dissipou toda a sua raiva e
concentrou-se na conversa mais uma vez.

"É simples, como você disse. Vamos pedir emprestada a força de um nobre de
confiança.”
"Você conhece um, Princesa?”

"Sim, Evileye-san. Eu não sei muitos, mas há um nobre de confiança.”

"Uh? Quem é esse, Renner? Acho que você sabe, mas se eles não são dignos de
confiança, então não faz sentido. Nem há qualquer garantia de que ele irá enviar
soldados suficientes.”

"Eu o encobri. Tudo vai ficar bem. Também vamos contar com a ajuda do Capitão
Guerreiro.”

"Ah, o Capitão Guerreiro.”

"Se é o Capitão Guerreiro, podemos confiar nele. Se a Oito Dedos o corromperam,


então não há nada que possa salvar o Reino.”

"Em seguida Climb, chame o Marquês Raeven imediatamente. Tivemos uma discussão
antes, por isso ainda deve estar na capital.”

"O Marquês? Eu também vi com o Príncipe antes...”

O Marquês Raeven realmente reunia todos os critérios que ela havia estabelecido, com
exceção da honestidade.

Ele era um dos seis Grandes Nobres e sua riqueza não pode ser igualada por nenhum
dos outros nobres. Entretanto, não houve evidência de que a Oito Dedos tinha
conseguido falar com ele. Na verdade, a sua riqueza poderia ter sido atribuída por
trabalhar com eles. No entanto, Climb rapidamente abandonou esses pensamentos. Se
Renner, sua mestra mais respeitada e a mulher mais sábia, dissera-lhe, então ele iria
confiar no Marquês Raeven.

Mas, ao contrário de Climb, o resto da Rosa Azul franziu a testa ao ouvir o nome.

"Ei, Ei, Princesa. Tem certeza de que podemos confiar nele?”

"Os rumores dizem que Marquês Raeven é um traidor.”

"Um homem sem caráter está constantemente a mudar os lados da Facção Nobre a
Facção Real, que faria qualquer coisa por um benefício, embora fora da Oito Dedos.”

"Eu não quero que a informação vaze a partir daí, Princesa.”

Em meio a opiniões negativas, Lakyus aplaudiu com entusiasmo.


“...Vocês, parem. Ei Renner, Marquês Raeven não tem uma boa reputação. Podemos
confiar nele?”

"Não é uma garantia absoluta. Eu também acredito que ele tem vindo a receber certa
quantidade de suborno da Oito Dedos.”

"Huh?”

Todos tinham uma expressão confusa, mas aqueles que tinham sua própria suspeita
perguntaram.

"Desviar a atenção com informações falsas?”

"Se utiliza em assassinatos. Fornecer informações falsas para desviar a segurança para
outros lugares.”

Renner balançou a cabeça para as palavras das ex-assassinas.

"Tina-san, Tia-san, isso não é tudo. Mesmo que ele aceite dinheiro da Oito Dedos não
significa necessariamente que ele quer cooperar com eles. Marquês Raevan é um
homem melhor do que eu pensava... Climb vá buscar o Marquês Raevan. Ele vai se
encontrar com você imediatamente se você disser que você destruiu um dos bordéis e
capturaram o líder dos traficantes de escravos da Oito Dedos.”

Climb olhou para ver onde o sol estava. Enquanto ele ainda estava iluminado pela luz
da manhã era muito cedo para solicitar uma audiência. No entanto, os Grandes Nobres
não eram pessoas fáceis de ter uma audiência, por isso seria melhor começar cedo.

"Devemos falar até mesmo da cabeça do mestre de escravos? Eu acho que pode ser a
melhor maneira de mantê-lo em segredo...”

Uma vez que mesmo um grande nobre não recusaria um convite pessoal da Princesa,
Climb achou que seria melhor guardar isso como um ás na manga que Renner poderia
utilizar.

"Se queremos fazer dele nosso aliado devemos mostrar-lhe nossas cartas também. É o
melhor jeito de demonstrar ao Marquês que confiamos nele.”

Climb assentiu e se curvou respeitosamente.

"Vou trazer Marquês Raeven o mais rápido possível de acordo com as suas ordens.”

"Obrigada, Climb. Agora, como isso vai levar tempo, alguém quer um pouco de chá
vermelho?"

♦♦♦
Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 09:37

A Rosa Azul já sabia. Mesmo se o Marquês Raeven vier, seria depois do meio dia. Os
Grandes Nobres realizavam reuniões com outros nobres na parte da manhã. Seria uma
história diferente se o Rei o mandasse chamar, mas Renner não tinha poder para isso.

Obviamente, isso seria uma prioridade mais baixa para o Marquês. Então, quando
Climb voltou cedo, eles se perguntaram se ele tinha retornado por ter batido de cara
com a porta. No entanto, quando viram os dois homens que estão atrás de Climb, eles
não conseguiam esconder sua surpresa.

Um deles era o Marquês Raeven. Sua aparência pode ser descrita nada menos do que
impecável. Ele usava uma jaqueta feita de um animal, ou provavelmente um monstro,
couro de alta qualidade, tecida com fios de ouro. Em torno de botões e mangas,
intrincados padrões foram costurados para que dessa forma reflita a luz, havia muitas
joias do tamanho de uma ervilha escrutado lá. Roupa da classe mais alta usadas apenas
para ocasiões importantes, o que realmente lhe convinha como um dos seis Grandes
Nobres.

A próxima pessoa era um homem bastante gordinho.

Renner olhou para ele com surpresa.

"Onii-sama.”

"Olá, minha irmãzinha de outra mãe. Você parece tão saudável como sempre... Oh, se
esta é a filha da família Alvein, então é a famosa Rosa Azul? Vejam só, aventureiros
adamantite aqui...”

O homem que entrou sem bater era o segundo Príncipe, Zanac Valleon Igana Ryle
Vaiself.

Quanto Lakyus mostrou sinais de respeito pela realeza, ele falou de uma forma
descontraída.

"Eu vim porque parecia uma discussão interessante.”

“Aos seus serviços, Princesa Renner.”

"Obrigada por ter vindo, Marquês Raeven. Por favor, levante sua cabeça.”

Renner se levantou para cumprimentar seu irmão mais velho, que era o maior na linha
de sucessão por sinal. Quando o Marquês Raeven levantou a cabeça, tinha um leve
sorriso no rosto. Era um sorriso verdadeiramente assustador e isso fez com que os
outros se sentissem desconfortáveis, mas outros tipos de sorrisos não se encaixam
bem.

"Haveria problemas em enviar os outros para outro quarto?”

"Como você disse, onii-sama. Lakyus, Climb, se importariam de me esperar no outro


quarto?”

"Está bem.”

Lakyus aceitou sem reclamar e acenou para suas companheiras que estavam em outro
quarto.

Ali se preparariam sem demora. A equipe Rosa Azul e Climb inclinaram a cabeça e se
retiraram. Depois de vê-los ir, Renner levou os dois para a mesa.

"Por favor, sente-se.”

"É claro, Princesa Renner.”

"Claro, querida irmã.”

Uma pessoa sentou-se com classe e o outro simplesmente caiu. Renner serviu uma
xícara de chá vermelho e o entregou para o Marquês Raeven.

"É uma honra ter a Princesa servindo algo para mim.”

"Eu sinto que está apenas morno.”

"Hmmm, não há nenhum para mim?”

Zanac olhou para os dois com cara de decepção.

"Ah, mas você não gosta de chá, onii-sama?"

"Verdade, eu não gosto dessa água manchada. Ainda assim, ficar sem nada para beber
enquanto converso é um pouco incômodo.”

"Devo dizer às empregadas que lhe ofereçam algo mais? Você prefere suco de frutas?”

"Não me importo em ser chá vermelho. Não há necessidade de alertar as empregadas.”

"Se agirmos agora, as empregadas não terão a oportunidade de enviar informações


para suas famílias.”
"Não devemos ter cuidado? As línguas das mulheres são muito soltas. Especialmente
as empregadas que trabalham no palácio. São mais rápidas do que parecem.”

Com um sorriso, Renner serviu uma xícara de chá vermelho e a colocou na frente de
Zanac.

"Hmmm... já provou a rede de informação das empregadas, não o fez?.”

"Do que você está falando?”

"Bom não importa.”

Zanac respondeu secamente e tomou um gole de chá vermelho antes de puxar a língua
pelo gosto amargo.

"Mas, Princesa Renner, qual é o assunto a ser discutido? Claro, eu estou sempre pronto
para responder ao seu chamado.”

"Obrigada, Marquês Raeven. Não temos muito tempo, então eu vou ser franca. Eu
quero pedir emprestada a sua sabedoria.”

Com uma ligeira tosse, ela falou com seriedade. Os olhos do Marquês Raeven se
alargaram e tinham uma luz de surpresa neles. No entanto, os olhos voltaram ao normal
uma vez que ele se acalmou novamente.

"Minha sabedoria. Se este é um problema que a Princesa não consiga resolver... Eu não
tenho certeza se eu posso ser de alguma ajuda.”

"Eu não penso assim, Marquês Raeven. Afinal de contas, em relação aos assuntos do
palácio, ninguém é mais talentoso do que você.”

Marquês Raeven e o Príncipe se olharam.

Renner quase nunca se envolvia nas lutas de poder.

No entanto, o que quis dizer com "assuntos do palácio"?

Marquês Raeven riu. Quando há uma falta de informação, é melhor coletar mais, em
vez de adivinhar e chegar a uma conclusão errada.

"Então, como posso ajudá-la?”

"Eu queria que você, o líder oculto da Facção Real, não, o que controla a Facção Real
pelas sombras, me empreste às tropas de sua casa.”

“...O quê?”
Marquês Raeven fez uma expressão como se houvesse uma explosão mágica bem na
frente dele. Qualquer um teria ficado surpreso se ele estivesse lá. Afinal, Marquês
Raeven não era um homem que pode facilmente mudar sua expressão. No entanto, ele
só poderia reagir assim. Se fosse qualquer outro nobre, ele teria rido de volta. Mas esta
era uma verdade sempre oculta.

Marquês Raeven, desde muito tempo, tem sido considerado um rato que passava pelas
duas facções que melhor lhes convinha, mas na realidade ele liderou a Facção Real e
impediu a guerra civil de explodir. Se o homem chamado Marquês Raeven não tivesse
existido, o Reino provavelmente teria entrado em colapso. Ao lado dele, Zanac conteve
a respiração.

Ele já sabia que Renner era incrivelmente inteligente, um monstro em forma humana.
Já que ninguém agia como suas mãos e pernas, ela se via de alguma maneira
encarcerada no palácio. Como ela poderia chegar a essa conclusão? Em todo o Reino,
Zanac foi o único que chegou a esta dedução. As pessoas imediatamente pensariam que
ela poderia estar louca, mas abandonou a idéia imediatamente. Pelo tom de Renner,
ninguém poderia imaginar que ela estava mentindo. Ambos estavam constantemente a
lidar com as pessoas que estavam cheias de mentiras, e ainda mais não podia
determinar se ela estava mentindo ou não. Renner ignorou o Marquês espantado e
continuou seu relato pausado.

“...Talvez tenha que confirmar com os outros Grandes Nobres da Facção Real, mas se o
Marquês Volumlashu está vazando informações para o Império. Então...”

"O qu— o quê?”

"Espere um segundo!”

Antes mesmo da forte voz desafinada de Zanac, Marquês Raeven levantou a voz.

"Marquês Volumlashu...”

"Já sabia certo? É por isso que você estava fazendo o seu melhor para que os
Marqueses não tenham acesso a muita informação.”

Os dois homens olharam Renner, com a boca aberta.

Renner tinha sussurrado isso com uma expressão imutável, mostrando que ela não
estava errada.

"Você que...”

Esquecendo o título de princesa, o Marquês Raeven ficou em um estado de pânico.


O Marquês Volumlashu era um dos seis Grandes Nobres e só Raeven e Zanac sabiam
que ele era um informante. A única razão para que Marquês Raeven havia tolerado esse
traidor era para manter o equilíbrio de poder entre as facções.

Portanto, ele escondeu esse fato da Facção Nobre e se certificou de que não entregava
muita informação para o Império. Ele tinha feito isso em completo sigilo até agora.
Zanac só sabia disso porque o marquês tinha dito. Então como é que este pequeno
pássaro em uma gaiola conseguiu deduzir essa resposta. Apenas em pensar sobre a
idéia de como ela tinha descoberto isso provocava arrepios em Zanac.

"Como você entendeu tudo o que...”

"Isso é mencionado aqui e ali. As empregadas também falam sobre isso algumas
vezes.”

Quão confiáveis seriam as histórias das empregadas domésticas? Marquês Raeven


ainda não conseguia acreditar, se suas memórias do passado lhe serviam bem, ele podia
entender o que ela quis dizer deduzindo o que as empregadas estavam falando. De
certo modo, a mulher em frente dele havia peneirado através de pilhas de lixo para
reconstruir uma joia.

“—Um monstro.”

Uma comparação verdadeiramente indignante acerca de uma mulher como Renner


veio de seus lábios. Apesar de ouvir o comentário rude, Renner apenas sorriu. Marquês
Raeven abandonou todos os pensamentos que tinha anteriormente.

Ela era digna de ser tratado como igual. Seu pensamento anterior estava realmente
certo.

“...Bem, tudo que eu sei, eu vou compartilhar com você. Tudo bem para você,
Príncipe?”

Depois de confirmar que Zanac tinha aprovado Marquês Raeven levantou de seu
assento, encarando Renner de cima. Sua atitude era semelhante à de Gazef contra um
oponente.

"No entanto, gostaria de falar com a verdadeira Princesa Renner.”

"O que você quer dizer com “verdadeira”?”

Renner perguntou pela pergunta que era estranha.

"No passado, eu vi uma menina. Uma menina com poderes de observação que ele
sequer poderia esperar se igualar, uma menina que falava coisas tão complexas, que
não conseguia compreender. Claro que, quando ele finalmente descobriu o significado e
o valor daquelas palavras, já tinha se passado um longo tempo.”

O monólogo de Marquês Raeven permaneceu em silêncio.

“...Uma menina que falava algo incompreensível, isso era o que eu pensei. Embora
apenas ele pensasse nela dessa forma, me senti como se estivesse enfrentando uma
pessoa perigosa.”

"Uma pessoa perigosa?”

Renner perguntou em voz baixa.

"Sim. Por ela ter sido muito breve, simplesmente pensei que havia sido apenas minha
imaginação. Mas, na verdade eu tinha sentido algo. Olhos vazios que como se não
pensasse em nada, havendo apenas desprezo pelos outros seres humanos.”

Os ombros do Marquês Raeven tremeram em resposta à atmosfera fria que envolveu a


sala.

"No momento em que eu vi que a menina de novo, sua aura se igualou a de qualquer
outra garota da sua idade. Então eu pensei que estava errado naquela época... Eu
realmente quero lhe perguntar, Princesa. Eu gostaria de saber se minha suspeita de que
você tenha nos enganando até agora é verdade ou não.”

Dois pares de olhos colidiram um com o outro. Era como se duas serpentes entrassem
em uma luta até a morte. Então, de repente, o brilho nos olhos de Renner desapareceu.
Um sorriso nostálgico surgiu do Marquês Raeven, como se tivesse acabado de
testemunhar a paisagem de uma memória distante.

"Ah... e pensar que tinha se passado tanto tempo...”

O Marquês derramou suor frio diante da cena de que sua irmã se tornaria um monstro
horrível e perigoso que ainda tinha um sorriso no rosto. Não tinha nenhuma idéia de
que tipo de verdade horrível estava sob aquele rosto bonito. Sua suposição de que
queria capturar o poder e destruir o Reino tinha sido errado, mas ainda era um ser
canceroso em um nível completamente diferente.

"É claro, Princesa Renner. Esses são os mesmos olhos que tinha visto no passado. Você
tem feito um ato desde então.”

"Não completamente, Marquês Raeven. Não houve atuação, eu simplesmente estava


satisfeita.”

“...Seu guarda-costas pessoal, Climb... é dele que você está falando?”


"Sim, é tudo graças ao Climb.”

"Esse garoto tem algo nele para fazê-la mudar... Eu pensei que era apenas uma
criança... O que ele é exatamente para você, Princesa?”

"Se refere ao Climb...?”

O olhar de Renner vagava pelo ar. Quanto ele valia a pena? Que tipo de palavras você
usaria para expressar verdadeiramente o seu valor?

Renner Theiere Chardelon Ryle Vaiself.

Se sua existência pudesse ser resumida em uma palavra, seria "ouro”. A palavra refere-
se a sua beleza. No entanto, poucos sabiam que ela possuía uma habilidade que faria
sua beleza não ser nada em comparação. Sua inteligência, capacidade de observação,
compreensão, criatividade, liderança, e quaisquer outros aspectos que eram relativos
estavam superdesenvolvidos.

Se você descrevesse em uma palavra, seria "gênio”.

Só podia dizer que foi um presente de Deus. Seus pensamentos, que só podiam ser
descritos como inspiração divina, foram criados a partir de uma pentear através da
observação e inúmeras informações. Mesmo se você olhar em todo o continente,
ninguém poderia se aproximar de suas habilidades. Mesmo entre os seres que
transcendiam a humanidade, havia poucos que poderiam comparar-se a ela.

Mesmo em Nazarick, apenas Albedo, que supervisiona todos os servos e Guardiões, e


Demiurge, que tem sabedoria diabólica e experiência diabólica em todas as coisas
relacionadas ao governo, de fato poderiam se igualar. Os seres humanos sempre fazem
decisões sobre o seu próprio ponto de vista. Nesse sentido, poderia ser descrito como
estranho ou raro. No entanto, ela tinha uma falha. Ela nunca poderia entender o porquê
os outros não tinham conhecimento do que ela sabia. Se havia uma pessoa que estava
em condições de se igualar a ela, poderia ser reconhecido como o gênio que ele era. Se
tivesse sido assim, os resultados poderiam ter sido diferentes.

Mas isso não era o caso.

A avaliação que recebeu foi a de uma jovem que se preocupava com os outros, porque
ela só falava de coisas incompreensíveis. Apenas porque era uma menina bonita, não
houve muito ódio em direção a ela e recebeu muito amor, mas o fato de que ninguém
realmente entendia o que ela dizia, teve um enorme efeito sobre o seu desenvolvimento
mental e, gradualmente, retorceu a garota ao longo do tempo.

Pode-se dizer que ela estava sozinha porque ela era um gênio. Sem ninguém ao seu
lado que poderia entendê-la, o seu estresse aumentou a tal ponto que ela era incapaz de
comer qualquer coisa sem vomitar. Ninguém pensou que a Princesa, que estava ficando
cada vez mais fraca, sobreviveria. Ela poderia, de fato, mesmo sem ter um filhote de
cachorro, e embora ela sobrevivesse, um lorde demônio havia nascido em seu lugar. Um
lorde demônio que ficou a olhar para as coisas em termos de números, e feito alguns
sacrifícios impostos para o bem da maioria.

Realmente foi uma simples mudança. Enquanto ela estava dando um passeio com os
guardas em uma noite chuvosa, ele pegou um filhote de cachorro. O filhote, cuja vida foi
salva por seu mestre, mostrou algo em seus olhos para ela. Alguns pares de olhos
pesados. A garota sem dúvida os sentiu. Um olhar de admiração em toda a sua pureza.

Ela estava acostumada aos olhares de indiferença. Ela estava acostumada aos olhares
de desprezo. Ela estava acostumada com olhares de carinho. No entanto, ela não
conseguia entender esse olhar. Aquele olhar sincero era uma mistura de ódio, pânico,
alegria, sensações desconhecidas e — o olhar de um ser humano.

Igual a ela, ela viu um ser humano nele.

O cachorro acolhido se tornou uma criança, e depois um homem. Se for um filhote de


cachorro ou uma criança ou um homem, o mesmo olhar puro olhou fixamente. No
entanto, esse olhar não era mais doloroso. Devido a esse olhar, ela poderia conversar
com os outros com alguma aparência de uma pessoa normal. Ela poderia interagir com
os seres inferiores feios e sujos. E agora, o mundo de Renner se completou com Climb
estando ao seu lado.

"Climb... Sim, entendo. Se eu pudesse estar com o Climb... Hmm, talvez se o


acorrentasse ele não poderia ir a qualquer lugar, seria muito feliz.”

A atmosfera congelou. Foi um fato que Zanac não podia entender, mas Marquês
Raeven não conseguiu esconder sua consternação. Eles esperavam ouvir palavras doces
cheias de fantasia romântica própria de uma mulher jovem e bonita, mas este foi além
de sua imaginação. Se falasse de amor não cumprido devido à diferença de status, seria
compreensível. Mas essa declaração era ultrajante para dizer o mínimo.

"É... é assim. Este é o seu verdadeiro rosto. O que devo dizer... quando você era jovem,
sempre senti algo estranho sobre você, mas agora eu sei que você não é normal.”

"É mesmo, onii-sama? Eu pensei que não havia nada de estranho nisso.”

"Então por que não promovê-lo, Princesa? Eles não interfeririam... Não, isso seria
impossível sem um cúmplice.”

"Sim, seria muito difícil de fazer, colocá-lo na frente de uma Princesa... Além disso, não
serve de nada se feito pela força. Aqueles olhos, eu quero acorrentá-los completamente
e criá-lo como um cão.”
Há poucas pessoas que ficariam felizes em ouvir fetiches dos outros. Marquês Raeven
especialmente queria tomar vários passos para trás depois de ouvir os desejos de
Renner.

"Como um cachorro... Isso quer dizer que você realmente não o ama, Princesa?”

Renner olhou para o Marquês como se olhasse para um idiota.

"É claro que eu o amo. Eu simplesmente gosto muito daqueles olhos. Do modo que ele
olha para mim como um cachorrinho.”

"Desculpe, minha querida irmã mais nova, mas isso não é amor.”

"O amor vem em todas as formas e tamanhos.”

“...Desculpe-me, mas eu não consigo entender completamente.”

"Não tenho nenhum desejo particular de explicar, mas se você entender que eu
realmente o amo, isso é suficiente para mim.”

Ela é estranha.

Ele sabia que ela era diferente, mas isso era demais. Eles atualmente estavam falando
sobre algo que pode mudar o destino do Reino, no entanto, falar de uma princesa
amando um simples soldado raso. Essa foi à conversa mais incrível de muitas maneiras.

"Princesa, se essa é a sua preferência pessoal...”

"Não é uma preferência pessoal. É puro amor.”

Marquês Raeven não quis fazer uma refutação com um tom de repreensão a Renner.

"Sim, o amor... É claro. Mas para a Princesa querer casar com o Climb... Se ele for
promovido a -Kakka—”

"Impossível. Você acha que isso não terá consequências? Mesmo um sussurro deste e
mandariam uma mensagem para casar com alguém imediatamente. Provavelmente
alguém da Facção Nobre, considerando que eles têm o ódio pelo nosso irmão.”

Obs.: “kakka” é um adereçamento militar a pessoas envolvidas com governo.

"Claro, nosso irmão. Se o irmão mais velho herdar o trono, provavelmente seria a
primeira coisa que faria. Eu acho que todas as conversas sobre isto foram concluídas.
Há nobres que sempre olham para mim como se eu fosse sua.”

"Eu sabia que a Facção Nobre estava oferecendo o seu apoio em troca de casamento,
Princesa.”
"Mas você não acha que Climb está sendo empurrado longe demais? ...Mesmo se
receber o título de Barão, seria o máximo que poderia conseguir chegar. Mesmo se
receber um título avançado como um caso especial, o casamento ainda estaria fora de
questão.”

"Ou seja, onii-sama. Seria impossível com a situação atual do Reino.”

Zanac sorriu para si mesmo. Esta poderia ser uma boa oportunidade.

"Por que não fazemos um acordo, então? Se eu herdar o trono, eu vou casar você com
Climb.”

"Eu aceito.”

"É mesmo? Tem certeza?”

"Existe alguma razão para eu rejeitar? É uma aposta com a melhor chance de vencer.
Desde o momento que entrou no meu quarto com o Marquês Raeven, queria falar com
você sobre isso.”

“...Você quer dizer que você já tinha previsto tudo?”

Zanac sorriu amargamente, mas seus pensamentos e expressão não coincidiam. Ele
sabia que ela era mais inteligente do que ele, mas nunca imaginou que estava dançando
na palma da sua mão o tempo todo. Logicamente, Renner não precisa dizer-lhe sobre
seus planos e pensamentos. Mas se fosse ter uma proposição dela, era compreensível.

Zanac amaldiçoou sua irmã no fundo de seu coração:

Seu monstro.

"Além disso, onii-sama... não, Marquês Raeven. Eu tenho um pedido para você.”

"O que Vossa Alteza precisa?”

"Se não me engano, você tem um filho, não é mesmo, Marquês Raeven?”

"Sim, acabou de completar cinco anos. Mas por que a pergunta?”

A imagem do rosto de seu querido filho apareceu na mente de Raeven, e ele lutou
contra o desejo de apertar aquelas belas bochechas. Ele pensou no olhar de nojo de
Zanac — que estava sentado ao lado dele — e com força engoliu o desejo de cantar os
elogios de seu filho.

"Por favor, faça dele o meu prometido.”


"Nunca! Eu nunca vou entregar meu filho a alguém como você.”

Marquês Raeven gritou. No entanto, olhou para Zanac que estava estreitando os olhos
e a sempre sorridente Renner, ele ficou com o rosto avermelhado devido à explosão
emocional.

"Eu não tenho desculpas, Vossa Alteza! Fui pego de surpresa...”

Marquês tossiu uma vez antes de olhar novamente para Renner.

"Vossa Alteza, desculpe-me, mas você pode me dizer por quê?”

"Você já sabe.”

"Ei ei, irmã. Você é a responsável por trazer esse assunto—”

"Você poderia se casar com meu filho, e atualmente ter uma criança com o Climb. Meu
filho teria uma criança que possivelmente queria ter e essa criança poderia ser seu
herdeiro legítimo e você iria por aí fingindo ser a mãe. É isso que você está sugerindo?
Realmente não é uma má idéia. Vossa Alteza pode ter um filho com quem quiser, e
nossa casa seria ligada com a família real, mesmo que seja uma mentira.”

"Não tenho nenhum interesse em títulos ou linhagens de sangue. Se você me deixar


como herança uma quantidade razoável de riqueza para o meu filho. Não vou
reivindicar sua propriedade familiar.”

"Eu acredito em suas palavras, Vossa Alteza.”

“...Se é alguém como o Marquês Raeven propondo, nem mesmo o Pai não poderia pará-
lo. O Marquesado ganhará a linhagem real e você poderá estar com o homem que ama.
E eu vou ter você como colaborador. Ninguém perde, e qualquer traição significa que
todos nós caímos juntos ... ah, é um plano perfeito. Ainda assim, você não deveria estar
falando sobre esse tipo de coisa na minha frente...”

“Ara, eu apenas queria ter certeza de que você estava do meu lado, onii-sama. Além
disso, duvido que você queira saber depois do fato, estou errada?”

Zanac não podia responder, porque Renner estava certa. Mais tarde eles poderiam
tirar vantagem da fraqueza do outro, era uma proposta irrecusável. Mesmo que ela não
estivesse à altura, alguém com suas habilidades seria vital no poder do Reino.

"Então Vossa Alteza, eu acho que já é o suficiente falar sobre nós mesmos... Ouvi dizer
que você teve um encontro com a Oito Dedos? Até mesmo deteve o chefe do Tráfico de
Escravos.”
"Sim, é como Climb disse. É por isso que eu quero lançar um ataque antes que eles se
escondam. Eu consegui obter informações sobre os esconderijos da Oito Dedos em todo
o Reino, por isso vou dar o golpe hoje. Mas há um problema, não há tropas suficientes,
então eu estava esperando que você fosse capaz de emprestar a sua força.”

Marquês Raeven e Zanac trocaram olhares. O primeiro a falar foi Zanac.

"Então, onde é o lugar?”

Renner passou a mensagem traduzida que ela decifrou.

"Você verificou esta informação?”

"Claro, Marquês. Solicitei que Lakyus o investigasse. Acabo de receber um relatório


que é de fato um esconderijo da Oito Dedos. O problema é que são territórios
pertencentes a outros nobres.”

Ainda não era um problema de extraterritorialidade, mas atacar o domínio de um


nobre era essencialmente desafiar o nobre em questão.

"Mas eu não espero que haja algum problema com isso. Uma vez que encontramos a
prova que ele está ligado a Oito Dedos, podemos aplicar pressão sobre esse nobre.”

"Mesmo se encontrarmos evidências, podemos usar esta mensagem. Parece que tudo
está se alinhando.”

Três pessoas sorriram um para o outro, mas não havia calor em seu sorriso.

"Irmã, eu tenho um pequeno pedido também.”

Zanac olhou em volta. Foi a primeira vez que verificou se havia mais alguém na sala. O
que ele queria dizer era realmente uma informação importante e secreta.

"Na verdade, nosso irmão mais velho também tem recebido dinheiro da Oito Dedos. Eu
queria usar isso como uma vantagem contra ele, então eu fui em frente e investiguei se
ele tinha uma casa abrigada na capital. Parece que na verdade ele tem. Quero colocar
isso na lista de ataques.”

"Certo. Este é o momento para limpar tudo de uma vez por todas, se perdermos esta
oportunidade, quem sabe se ela aparecera de novo. Certamente, o Departamento é
operado pelo...?”

"O poder do tráfico de drogas.”

"Então essa área é um pouco perigosa. Há um par de dias Lakyus atacou uma das
pessoas que colhem a droga. Se não agirmos rapidamente, eles poderiam fugir.”
"O que...? Marquês Raeven, porque quer agir imediatamente?”

"Vai ser difícil. Eu tenho minha própria lista de nobres que poderiam não ser ligados a
Oito Dedos. Mesmo assim, os únicos nobres em que podemos confiar plenamente são
cerca de dois. Preciso de algum tempo para convencê-los. Há também outro problema.”

“O que, Marquês Raeven?”

"Pode não ser o suficiente apenas com minhas tropas.”

Às vezes, alguns aventureiros fortes podem tomar para si um exército. Houve várias
teorias sobre o porquê os aventureiros eram mais fortes do que os seres humanos
médios. A teoria mais provável era que, quando o corpo está em perigo, o cérebro
começa a acelerar, semelhante aos aumentos de cura e capacidade acelerada ocorrem.
Outras teorias incluem bênçãos dos deuses, absorvendo mana dos monstros, mas o
fator comum em todas as teorias era que há um forte aumento nas habilidades mentais,
físicas e mágicas. Este efeito é provável de ocorrer quando se enfrenta um adversário
forte, então os aventureiros que lutaram com todos os tipos de monstros,
provavelmente, seriam os mais fortes.

Contra oponentes assim soldados tão simples não teriam chance.

"Mas se trata de seus guardas pessoais, não seria suficiente?”

Marquês Raeven balançou a cabeça quando perguntado por Zanac.

"Na verdade, eles são todos os aventureiros aposentados que foram classificados como
sendo um pouco maior do que o mythril, mas o inimigo é ainda mais forte. "Seis Braços"
da Oito Dedos. Todos e cada um deles é capaz de enfrentar cara a cara com um
aventureiro adamantite. Se aparecerem, será muito perigoso. Apesar de que seria uma
história diferente se apenas um está presente, que podemos sobrecarregar essa pessoa
com nossos números.”

"A-Adamantite...”

A gagueira de Zanac era compreensível. O ápice dos aventureiros, um adamantite, era


forte o suficiente para enfrentar sozinho milhares de homens.

"Então, vamos pedir a Lakyus que cada membro da Rosa Azul tome um só lugar.
Duvido que mais de dois do Seis Braços estarão em cada lugar.”

“...A Rosa Azul não é um grupo de apenas cinco membros? O adversário tem um total
de seis membros, é realmente aconselhável dividir nossas forças dessa maneira? Não
há nenhuma garantia de que eles vão estar na capital.”
"Queremos acabar com todos de uma só vez, mas isso vai ser difícil.”

A mensagem interpretada por Renner menciona sete lugares diferentes. Incluindo o


local que o Marquês mencionou, o total chega a 8 lugares. No entanto, não havia tropas
suficientes para realizar tal delegação.

"É uma pena que tenhamos que deixar três lugares sem atacar... mas não há nenhuma
outra maneira.”

"E se nós enviarmos aqueles que terminaram o seu ataque imediatamente aos
próximos três lugares?”

"Essa parece ser a melhor opção, Vossa Alteza. No entanto, se movermos


deliberadamente os soldados na capital será um problema. Como podemos resolver
isso?”

"Vou tentar discutir o assunto com meu pai. Na pior das hipóteses, teremos que
desistir. Talvez eu esteja sendo muito gananciosa...”

Só então, houve uma batida na porta.

"Ele está aqui.”

Geralmente é o trabalho de uma empregada abrir a porta, mas como não havia
nenhuma, Marquês Raeven se colocou de pé para abri-la. No entanto, Renner fez um
sinal para ele parar e ela abriu a porta. Depois de confirmar quem estava lá, Renner
olhou sorridente para os dois homens.

"Ele é o único que vai nos ajudar com o sexto local.”

Apesar de ser desconfortável, o homem que entrou foi guiado por Renner era o
Capitão Guerreiro, Gazef Stronoff.

Parte 3

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 21:00

Climb tinha uma massa preta na mão. Ele moveu-se ligeiramente. A massa preta era
sólida, mas tomou a forma de um objeto extremamente suave que estava sendo puxado
pela gravidade. Climb quebrou a estranha bugiganga contra a sua armadura. A massa
eclodiu contra a armadura branca de Climb com um som líquido e salpicou manchas
negras em toda a armadura.
Alguns suspeitaram que houvesse tinta preta no interior da bugiganga. O efeito da
bugiganga não terminou aí. Os pontos pretos começaram a se mover e depois se
espalharam ao longo da sua armadura, cobrindo a superfície com uma substância
negra. Em poucos segundos a armadura branca brilhante de Climb virou
completamente negra.

A esfera que Climb acabara de espalhar sobre si mesmo era um item mágico conhecido
como “Magic Dye”. Aparentemente, os corantes de alta qualidade poderiam resistir ao
ácido, fogo, gelo e outros tipos de danos elementares, mas a única coisa que esse
corante específico poderia fazer era mudar de cor.

Lakyus havia reunido os líderes das várias equipes e Climb também estava diante dela.

No centro de todos os líderes estava uma guerreira vestida em uma brilhante


variedade de equipamentos de batalha.

Primeiro foi a espada mágica conhecida por todos — A Espada Amaldiçoada


Kilineiram. Era do tamanho de uma espada bastarda, mas ninguém podia ver sua
lâmina escura — que lembrava os espectadores do céu noturno — já que estava
embainhada. No entanto, apenas o cabo já mostrava sua habilidade requintada. De
particular interesse era a enorme safira azul-marinho no pomo, em cujas profundezas
brilhava um brilho flamejante.

A armadura cheia de placas que ela usava brilhava com o brilho que só platina e ouro
podiam produzir, e estava inscrita com inúmeras representações de unicórnios. Esta
armadura imaculada — pura como a neve recém caída — se chamava Virgin Snow.

Em comparação com a sua armadura ornamentada e chamativa, seu manto parecia ser
[Manto do
feito de simples materiais cinza, como couro de ratos. Este item se chamava “Cloak of
Rato V e l o z ]
Rat Speed” e aumentava a velocidade de movimento, a agilidade e a evasão. Era um
objeto mágico inimaginavelmente poderoso, considerando sua aparência.
[ E s p a d a s Flutuantes]
Embora não parecia ter ativado seu famoso objeto mágico “Floating Swords”. A razão
para que Lakyus ainda tinha esse equipamento chamativo era porque ela poderia
escondê-lo a qualquer momento com a sua própria magia.

Aqueles que estavam com ela, eram todos os rostos que já conhecia. Os membros da
Rosa Azul e Gazef Stronoff. De pé, lado a lado com eles, Climb só poderia pensar que ele
não se encaixava ali.

Lakyus explicou o plano para atacar os oito edifícios da Oito Dedos. No entanto, como
só havia sete grupos, o plano foi revisto de modo que logo que um grupo terminasse de
submeter um lugar, o líder desse grupo e os guardas pessoais do Marquês Raeven —
todos os antigos aventureiros que haviam sido classificados acima do mythril — se
apressariam para o último objetivo e os restos seriam limpos no lugar originalmente
atribuído. O objetivo era neutralizar e capturar todos os possíveis, mas matá-los se eles
resistirem também foi autorizado. Lakyus continuou e advertiu a todos.

"Nosso adversário é a força que controla o submundo. Pode haver armadilhas ou


adversários inesperadamente fortes. Nunca baixem a guarda.”

O corpo de Climb estremeceu. Não foi por medo, mas pelo papel crucial que tinha sido
atribuído. Comparado com os líderes dos outros grupos, a habilidade e destreza de
Climb eram muito escassas. A única razão pela qual ele tinha sido atribuído era porque
não era um soldado médio, e seu assistente pessoal iria apoiá-lo. Mesmo a única equipe
de ex-aventureiros orichalcum do Marquês Raeven tinha sido atribuído a ele. Nestas
circunstâncias, teria sido impossível para ele recusar.
Além disso, no momento em que percebeu o porquê ele tinha sido escolhido líder do
grupo, não podia simplesmente ficar sentado sem fazer nada. Rosa Azul, Marquês
Raeven, Gazef Stronoff, e se algo der errado, Príncipe Zanac também. Não havia
ninguém para representar Renner. Portanto, fazendo Climb um dos líderes do grupo,
ela queria mostrar que ela teve um papel importante no plano.

Parece que é trabalho do Príncipe Zanac e do Marquês Raeven, mas por que eles iriam
fazer isso?

A razão era um mistério para Climb. No entanto, a missão de difundir o conhecimento


de que a Princesa Renner estava trabalhando duro para o povo do Reino lhe deu força.

A pequena conversa terminou e todos se dispersaram. Quando ele voltou para seu
grupo, o homem que estava em pé na frente do grupo, falou com voz relaxada.

"Já está pronto?”

Aquele homem era Brain Unglaus, vice-líder do grupo de Climb e seu assistente
pessoal que tinha sido trazido por Gazef.

"Todos os membros estão prontos. Nas palavras do comandante, vamos avançar


imediatamente. Vamos tomar esta rota. Nosso amigo de lá nos ajudou a escolher.”

Brain entregou a Climb um mapa da Capital Real com uma linha vermelha desenhada,
enquanto Climb olhava na direção em que Brain havia indicado.

Ali estava um dos ex-aventureiros ranque orichalcum. Ele havia sido designado para a
equipe de Climb. O homem parecia ter notado que Climb olhava para ele e acenou em
resposta. Por sua vez, Climb assentiu para o homem. Talvez ele não devesse ter feito
isso, sendo o líder da equipe e tudo mais, mas foi um gesto natural para Climb, já que
sua força não estava nem perto o suficiente para se qualificar como líder de equipe.

Para Climb, ele não estava liderando tanto quanto contava com todo mundo para
ajudar a carregar seu fardo.

Enquanto conversavam, uma pessoa enorme se aproximou e gritou para Climb:

"Ei, garoto virgem.”

Ele tinha esperança que ela não iria chamá-lo assim. Enquanto Climb pensava
desesperadamente em sua cabeça, ele sentiu os olhos deslocando-se para ele. Ele não
estava satisfeito com o desprezo. Alguns deles tinham os olhos de adultos que viam
uma criança, e alguns outros foram de grande camaradagem.

"Precisa de algo, Gagaran-sama?”


Em comparação com antes, ela agora estava coberta com objetos mágicos de primeira
classe. Sua completamente vermelha armadura de placas estava cheia de picos e tinha
[Perdição do Olhar]
uma decoração em torno da área do peito. Era sua famosa armadura “Gaze Bane”. Suas
luvas eram um pouco diferentes e tinham enfeites de cobras enroladas ao arredor. Era
[ M a n o p l a s de K e r y k e i o n ]
uma antiga relíquia que acelerava a regeneração, Guantlets of Kerykerion. Em torno de
[Ferro V i l ]
sua cintura estava um martelo de guerra chamada de Fel Iron e a luxuosa capa
[ G u a r d i ã Carmesim]
vermelha digna da realeza era chamada Crimson Guardian. Dentro da armadura onde
[C o l et e d a R e s i s t ê n c i a ] [Amuleto Dente de Dragão] [Cinto
as pessoas não podiam ver estavam o Vest of Resistance, o Dragontooth Amulet, o Belt
do G r a n d e P o d e r ] [ A s a d o Impulso] [D i a d e m a Torcida]
of Greater Power, Wing Boost, o Twister Circlet e até mesmo os anéis estavam imbuídos
de magia.

Estas eram os equipamentos de uma das maiores guerreiras do Reino, Gagaran. Todos
e cada um deles eram caros o suficientemente para fazer os olhos saltar. A única razão
pela qual podia pagar esses equipamentos era porque ela era uma aventureira
adamantite. Evileye, Tina e Tia também carregavam equipamentos que poderiam ser
reconhecidos como os de mais altos níveis com apenas um olhar.

"Nada de mais, só que eu queria sentir o garoto virgem um pouco mais."

Ela provavelmente dava a entender que estava preocupada com Climb, mas ele
realmente desejava que parasse de chamá-lo assim. Ele podia desapegar desse apelido
se ele queria estar em uma dessas tendas, mas ele não queria. No fundo, Climb
derramava uma lágrima, Gagaran olhou Brain com olhos de falcão.

"Brain Unglaus. O homem que lutou lado a lado com o Capitão Guerreiro... Essas
histórias não eram uma mentira ou um exagero.”

"A guerreira da Rosa Azul, Gagaran. Claro que você é... forte. Verdadeiramente digna de
uma guerreira de um grupo adamantite. Então... eu passei?”

Climb olhou para Brain como se estivesse perguntando o que ele queria dizer com
“passar”. Brain encolheu os ombros e disse a Climb o porquê Gagaran realmente veio.

"Ela veio para ver se eu sou alguém suficientemente confiável para que seja confiado a
mim, Climb-kun.”

"É verdade?”

"O que você está falando... Por que eu ligaria para o que acontece com você? É só que
seria uma vergonha se o garoto virgem morresse então eu vim para ver se você queria
cuidar dele. Ainda assim, eu posso ver que não que foi uma coincidência que
capturaram o Diabo das Ilusões. Um forte espírito de batalha. Eu posso sentir isso,
mesmo sem lutar com você. Se foi você, deve ter sido fácil.”
"Oh, obrigado. Eu posso ver que os rumores sobre você são verdadeiros. Mas é melhor
estar em guarda. Neste mundo, existem monstros fortes o bastante para nos matar
instantaneamente.”

"Oh-oh, você é do tipo cuidadoso. Homens como você não são ruins. Pode ser que não
seja um garoto virgem, mas o que você acha?”

"Não, obrigado. Eu acho que explodiria pela pressão.”

Climb não tinha necessidade de perguntar o que explodiria.

"É uma pena. Bem, tenha cuidado, Climb.”

Gagaran se despediu e depois marchou. Ao vê-la longe, Brain murmurou.

"Ela é uma mulher gentil. Eu não teria imaginado, considerando apenas a aparência.”

"Gagaran-san... Não, todos os membros da Rosa Azul são assim. Evileye-san também
pode aparentar outra coisa, mas mesmo ela é uma boa pessoa.”

"A spellcaster com a máscara... Falando nisso, aquele homem, Ainz Ooal Gown, que o
Gazef mencionou, também usava uma máscara. Essa é a última tendência de moda
entre os magic casters? ...Hmmm? Parece que eles estão começando a sair.”

"Assim parece. Se coordenar o tempo com grupos que estão mais longe, devemos nos
mover agora.”

Os dois homens podiam ver um grupo que estava muito à frente. Climb olhou em volta
para ver se via certa mulher, mas é claro que eu não poderia encontrá-la. Ela estaria
com o Príncipe Zanac agora. Ele sabia o quanto trabalho Renner tinha que fazer, mas se
perguntou se aquele pequeno sentimento de tristeza era devido ao seu egoísmo.

"Então vamos lá, Climb-kun?”

“...Sim! Agora mesmo.”

Climb ordenou seu grupo que começasse a se mover. O líder do grupo Climb, o vice-
líder Brain Unglaus, 4 ex-aventureiros orichalcum, 20 soldados das tropas da casa do
Marquês Raeven, assim como vários clérigos de alto nível que Marquês Raeven
conhecia, e as pessoas da Guilda de Magia que prestaram a sua ajuda em segredo,
atingiu o total de 32 pessoas. Na escuridão da noite, eles ficaram em silêncio.
Parte 4

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 20:31

"Para que ele envie tais forças... realmente devo agradecer ao Ainz-sama
corretamente.”

Foram as primeiras palavras de Sebas, depois de olhar para todos aqueles reunidos na
mansão. Com Demiurge como seu líder, os Guardiões de Andar, Shalltear e Mare, assim
como as Pleiades, Solution e Entoma, estavam presentes. Também havia vários
subordinados de Demiurge, do mais alto nível, os Evil Lords. Era uma força
verdadeiramente poderosa. Pode-se até dizer que foi um exagero.

"Especialmente os Guardiões mais fortes que estão presentes...”

"De acordo com as ordens de Ainz-sama, eu, Demiurge, vou assumir o comando...
Existe alguma objeção, Sebas?”

"Claro que não.”

"Então eu devo tirar isso do caminho para que não haja mal-entendido entre nós. Ainz-
sama confiou a nós resgatar a Tsuare, mas a razão pela qual reunimos tal força é punir
os ignorantes da Oito Dedos, que cometeram um pecado grave contra o Ser Supremo.”

"Eu sei disso muito bem. O resgate de Tsuare é só um objetivo secundário.”

"Isso é certo. Eu duvido que esta Tsuare tenha resistência à magia do renascimento,
então a única razão pela qual eu vou tentar resgatá-la viva se deve a sua sugestão.”

Ele não disse em um tom agradável.

"Ainda assim, se ela está morta, haverá problemas em sua busca. Se eu fosse o inimigo,
eu gostaria de jogar sua cabeça cortada para os idiotas que vão andando por aí.”

"Eu pensei que você fosse mais propenso a mostrar uma cena sua torturando um
refém como exemplo, Demiurge.”

"Uma conclusão muito lógica. Amarrar os aspirantes a salvadores e torturar os reféns


diante de seus olhos... só de imaginar faz meu coração acelerar.”

"E o que exatamente faria seu coração acelerar?”

Sebas escondeu sua raiva sob o seu sorriso. Embora, se tratando de Demiurge, que vê
através do sorriso. Foi um ato em vão diante dele.
"Tudo Sebas. Tudo.”

As pupilas de Demiurge exalava um olhar frio.

"Claro que, se fosse eu, eu iria mais para o plano que o salvador escape com o refém, e
quando eles acreditarem ter escapado mudar as coisas ao redor. Quanto maior a
esperança, maior é seu desespero.”

"Isso soa divertido. Se tivermos oportunidade, eu gostaria de prová-lo.”

"M-mas se realmente escaparem, n-não seria perigoso?”

Demiurge e Shalltear riram.

"Mare, que coisas divertidas você diz. Claro que queremos garantir que na realidade
não possam escapar. Bem, se o fizerem, eles merecem ser elogiados.”

"Demiurge, já obteve as informações necessárias para destruir a Oito Dedos?”

"Claro, Sebas. Eu tenho todas as informações necessárias.”

Honestamente, Sebas estava surpreendido. O tempo que Demiurge tinha passado na


capital foi muito curto, mas ele reuniu toda a informação rapidamente... Sebas não
queria imaginar que tipos de métodos foram utilizados. A única coisa que tinha certeza
era que se Demiurge agiu sob as ordens do Mestre, ele não perderia tempo.

"Agora sobre os lugares, há um bom número, mas tudo o que resta é atacar. Se
possível, tentar capturar aqueles que parecem ter informações úteis, e não se assegure
de lembrar os delitos da Oito Dedos...”

Demiurge parou de repente, olhando para Sebas antes de continuar.

"Que se atreveram a sujar o nome tão elegante e magnifico de Ainz Ooal Gown. Se
queremos pagá-los proporcionalmente ao insulto que fizeram conosco, teremos que
extrair mais informações. Alguma objeção?”

"N-não!”

"Eles têm que pagar por sua grosseria ao Ainz-sama com a morte ~arinsu.”

"Claro, não há nada para se opor.”

Os dois Guardiões e o mordomo responderam. As Pleiades e os Evil Lords


simplesmente se inclinaram sem dizer uma palavra.
"Bem, então Sebas. Pode me dizer o local em que eles te chamaram? Eu preciso
confirmar se ele é um dos lugares que eu investiguei.”

Quando Sebas falou sobre o endereço, Demiurge sorriu.

"Você deveria estar feliz que isto se trata de uma parte ou estar triste que há menos
um lugar para atacar. É um dos lugares que já explorei. Vou deixar esse lugar para
você.”

"Obrigado. Mas há uma possibilidade de que ela possa estar ferida. Desejo trazer
alguém que possa usar magia de cura.”

"Salvá-la é o desejo de Ainz-sama logo... Solution, já que você tem capacidades


superiores de detecção eu queria deixar como reserva, mas pode apoiar Sebas?”

"As suas ordens, Demiurge-sama.”

"Mas Demiurge, sobre os seres humanos no interior do edifício que sequestraram a


Tsuare...”

"Se tiver qualquer um dessa escória que tentou pisotear nas palavras de Ainz-sama,
com vida, eu o matarei desta vez.”

"Não precisa se preocupar, Demiurge. Vou destruí-los.”

"Queria dizer isso há muito tempo... vocês dois poderiam serem mais gentis com os
outros?”

Sebas podia ver Demiurge fazer uma expressão ambígua com os cantos dos olhos. O
Imaginou, provavelmente, fazendo uma expressão similar. Quanto mais pensava sobre
o porquê ele não gostava tanto de Demiurge, mais desconhecido ficava em sua mente.
Estava perfeitamente bem com Shalltear, que compartilhava interesses semelhantes
com Demiurge, mas Demiurge o incomodava sempre que falavam entre eles. Ainda
assim, lutar com Demiurge antes da missão seria como cuspir na bondade dos Seres
Supremos. Sebas desculpou-se profundamente com seu Mestre em seu coração e se
curvou a Demiurge.

"Peço desculpas por mostrar tal grosseria apesar de que você veio para corrigir os
meus erros.”

“...Bem, não importa. Por agora... está bem para você evacuar Tsuare imediatamente
para Nazarick depois do resgate?”

"Claro. Todos os preparativos estão prontos para recebê-la?”

"Não há problema. A este respeito, temos preparado em consequência.”


Sebas assentiu com a cabeça para Entoma que falou docemente.

"Alguma outra pergunta? Não? Então vamos dividir os membros em sete grupos e
decidir onde cada grupo atacara. Claro, Sebas e Solution já estão atribuídos, mas
primeiro temos que ter cuidado com... Shalltear!”

O tom de Demiurge, de repente tornou-se forte, surpreendendo Shalltear.

"O quê? O que houve, Demiurge?”

"Por favor, aguarde na parte de trás como uma reserva, já que você vai perder todo o
controle quando você estiver em seu 〔Blood Frenzy〕. Se você sair descontrolada
matando moscas inúteis, vai ser um problema.”

"Es-está bem ~arin-su! Se eu usar Spuit Lance para sugá-los, as chances de que isso
aconteça seria muito pequena!”

"Ainda não é seguro. Temos que ter cuidado com isso e temos de evitar riscos, tanto
quanto possível. Também Sebas, eu vou pedir desculpas antecipadamente. O resgate de
Tsuare e a punição da Oito Dedos é apenas a primeira etapa do plano. No entanto, não
posso dizer nada sobre todo o plano ou a segunda fase, porque no momento em que
retornar a Nazarick depois de vencer a primeira etapa já não será mais parte do plano.
Para evitar qualquer vazamento de informações, temos de manter isso em sigilo
absoluto.”

"Eu entendo. Então eu vou me preparar imediatamente.”

Uma vez que Sebas saiu da sala, Demiurge continuou.

"Muito bem, primeiro, vou transmitir informações importantes. Concentrem-se e


certifiquem-se de que vocês não percam nada. Entoma, você pode fazer ilusões, certo?
Então, por favor, utilize-os como lhe ordenar.”

“Entendido.”

Depois de ouvir todos os detalhes de Demiurge, Entoma criou uma ilusão em um


espaço vazio. Demiurge estava totalmente satisfeito com a ilusão.

"Eu os proíbo de matar essa pessoa. No pior dos casos, você tem permissão para ferir,
se necessário, mas pensar nisso como um fundamento não é permitido. Especialmente
para você, Shalltear.”

"Não é necessário que fique me relembrando ~arinsu.”


Shalltear inchou suas bochechas por ter sido mencionada em várias ocasiões e Mare
sorriu amargamente.

"U-umm. E-está bem que não, eh, não o contarmos a Sebas?”

"Ele deve estar bem. Dada a sua personalidade, não é alguém que iria ferir as pessoas
ao acaso... mas apenas nesse caso, você vai se encarregar disto em caso de emergência,
Solution?”

"Sim, como ordenado.”

Demiurge acenou de forma satisfatória.

A última parte do plano estava ligada a alguém que traria enormes benefícios para
Nazarick. Se houver um erro, então há uma possibilidade de que o objetivo final de
dominar o mundo, que o Ser Supremo Ainz Ooal Gown disse em voz alta, possa ser
adiado. No momento em que o Mestre disse: "Confio tudo a você", os erros já não
podiam ser tolerados.

Apesar de ter recebido ordens diretas de Albedo; Shalltear, Cocytus e Sebas


cometeram erros um após o outro. Se isso continuar, as capacidades dos Guardiões e os
outros membros fortes criados por Seres Supremos seriam questionados. Claro, o
mestre não demonstrou insatisfação com seu fracasso, e o fracasso de Cocytus parecia
ter sido parte do plano, mas eles não podiam continuar confiando em sua boa vontade.

Temos de demonstrar a utilidade dos Guardiões para Ainz-sama tendo sucesso com este
plano.

Havia algum uso para subordinados ineptos que não podem cumprir o seu dever de
forma satisfatória? E se o último ser restante desaparecesse devido à decepção?

Só de pensar nisso fez Demiurge congelar de medo.

O fracasso não é uma opção. Devemos mostrar um resultado que limpe todos os
fracassos do passado.

Com certeza em seu coração, Demiurge olhou para todos à sua volta.

"E não se esqueçam, as pessoas que fizeram lavagem cerebral em Shalltear podem
estar esperando por uma oportunidade para atacar. Ninguém vai deixar seu posto sem
permissão. Se você considerar uma suspeita por conta própria ou de qualquer outro
Guardião, levantem os braços ou equivalente como prova de sua lealdade. Não aja de
forma suspeita. Se fizerem isso, é possível que os matemos de imediato para a
segurança do plano. Alguma pergunta?”

"Uh, eu fiz apenas uma pergunta, mas eu posso perguntar outra?”


Demiurge deu a Mare um leve sorriso e fez sinal para ir em frente.

"Ah, sim. S-Sebas não tem um item World-Class como nós. Será que vai ficar bem?”

“Como o Ainz-sama previu, ele é a isca. Se o inimigo prestar atenção nele, então seria
ótimo. Albedo está assistindo a partir do Salão do Trono, em caso do inimigo cair na
armadilha. Além disso, para aqueles que não podem usar 「Message」, não ajam de
forma independente. Vou ver ao longo de toda a operação, de modo que venha a mim
em vez disso. Em caso de uma emergência ou se por algum motivo você não pode
entrar em contato comigo, já disse ao Mare tudo sobre o plano e ele agirá como
segundo no comando.”

"O que... e quanto a mim...~arinsu?”

"Desculpe, Shalltear. Mas como eu disse, eu não posso confiar em você completamente,
assim você estará na reserva. Haaa... seu frenesi de sangue incontrolável pode ser um
problema.”

"Eu entendo, eu entendo, ~ari-n ~su!!!”

"Assim que a primeira fase for concluída, vamos entrar na segunda fase
imediatamente. Vou explicar agora. Este é o plano real, então prestem atenção... O que é
isso?”
[Demônio Sombra]
Um Shadow Demon saiu da sombra do Demiurge e sussurrou em seus ouvidos novas
informações.

"Entende? É definitivamente último minuto, mas não se pode evitar.”

Era uma pergunta realmente irritante, mas algo não poderia ser ignorado.

"Mare, esta é uma informação nova. Temos um novo esconderijo da Oito Dedos para
atacar. Sinto muito, mas eu preciso de você para ser um líder em meu lugar. Pode não
ter tropas suficientes, mas vou enviar a Entoma como suporte.”

"S-sim, eh, por favor, deixe comigo!”

"Boa resposta. Vamos falar sobre os detalhes mais tarde, por agora vamos explicar a
Operação Gehena enquanto todos estão aqui. Este é o plano mais importante que será
executado no Reino, então preste atenção.”
Obs.: Gehena é um vale em Jerusalém e, um análogo do Inferno ou Lago de Fogo na tradição judaica e cristã.
Capítulo 08: Seis Braços
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 21:51

o Reino, era normal dormir quando o sol se punha, porque manter as

N
lâmpadas acesas custaria dinheiro. No campo, onde a maioria era pobre,
esta prática era a norma. No entanto, as cidades eram o oposto do campo.
Especialmente no centro, onde todos os tipos de lojas, armazéns e
pessoas estavam ativos como animais noturnos. O lugar para onde Climb
se dirigia era um pouco diferente. Em vez de uma rua brilhante e animada, era um beco
engolido pela escuridão.

Climb caminhava pela rua em silêncio, sem lâmpadas. A razão pela qual podia navegar
[El mo da Visão no E s c u r o ]
na rua escura era graças à sua Helm Dark Vision. O alcance máximo era de 15 metros,
mas a vista além da ranhura do elmo era meio-dia. Por outro lado, ao contrário de
armaduras de placas de ferro, armaduras feitas de mythril não fazia muito barulho. A
menos que alguém com muito boa audição ou um mercenário muito inteligente
estivesse prestando atenção, ninguém poderia adivinhar que Climb estava andando
completamente blindado.

Os batedores estavam prontos.

Eles viram o seu objetivo quando eles deixaram o beco. Muros altos cercaram o
perímetro, como se a sua intenção fosse de separar o interior do exterior. Parecia uma
fortaleza ou uma prisão. Que tipo de atividades ilegais podia estar acontecendo? A luz
mágica colocada em ambos os lados da porta não poderia afastar a escuridão que
parecia escorrer para fora do prédio. Não se podia ver o prédio que foi descrito no
plano do lado de fora.

"É isso aí. Sem dúvida.”

Climb murmurou enquanto ele se abaixava para se esconder, e uma voz respondeu do
seu lado.

"Parece que sim, líder. A atmosfera se ajusta também. Eu irei explorar os arredores.”

Era a voz de um antigo aventureiro ranque orichalcum que tinha habilidades da


profissão de Ladino. Brain falou, em vez de Climb.

"Tenha cuidado. Há guerreiros que podem detectar invisibilidade.”

"Claro, eles são a Oito Dedos afinal. Meu plano é atuar como se houvesse um
spellcaster no meu nível. Bem, me desejem sorte.”
Com isso, a presença ao lado dele desapareceu. Não se podia ouvir nada, mas um
mercenário de calibre semelhante poderia ter ouvido os passos indo em direção à
mansão.

Os únicos que sobraram foram Climb e Brain.

A razão pela qual deixou todos os outros era porque eles não estavam acostumados a
agir com discrição. As armaduras corporais completas eram barulhentas e teriam
alertado sua localização. Já que uma batalha poderia ocorrer a qualquer momento, eles
não podiam remover a armadura ou se aproximar a qualquer hora.

Assim que os dois chegaram em seu lugar.

Ambos eram guerreiros, então eles não poderiam imitar um mercenário. No entanto,
para Climb, graças à magia imbuída em sua armadura e Brain que poderia usar artes
marciais, era possível agir no escuro. A partir daqui, era trabalho dos profissionais.
Havia uma razão para que os dois viessem apesar do perigo: se eles descobrissem o
mercenário infiltrado, teriam de decidir rapidamente se seu grupo iria atacar ou recuar.
Agora era o momento em que eles devem esperar e ver a situação. Ainda assim, eles
não tinham idéia do que estava acontecendo lá dentro. Com o passar do tempo, apenas
pensamentos negativos atormentaram suas mentes.

"Vai ficar tudo bem?”

Brain respondeu às preocupações de Climb.

"Eu não sei... mas só podemos confiar nele. Afinal, ele é um ex-aventureiro
orichalcum.”

"Eu acho que tenha experiência suficiente.”

Perderam na mente o tempo que eles haviam esperado. Então, de repente, Brain pegou
sua katana. Seguindo o exemplo do Brain, Climb pegou sua espada e imediatamente
escutou a voz em pânico de um homem ao seu lado.

"Espere, espere. Sou eu, estou de volta.”

Era o Ladino que foi para explorar a terra.

"Ah, é você. Você chegou perto, mas não fez nada... você está tentando testar se
realmente podia te sentir com minhas artes marciais ou não?”

"Sim, sinto muito por isso. Eu queria testar o famoso Brain Unglaus, isso é minha
culpa.”
"Está bem, se nossas situações forem revertidas eu poderia ter feito o mesmo de
qualquer maneira, pode nos dizer o que tem dentro?”

Climb podia sentir a corrente de ar e sentiu que alguém se sentou ao seu lado. Ele
olhou para o lado e não viu ninguém, mas ele podia sentir a estranha sensação de uma
fraca presença lá.

"Parece que este lugar foi criado como uma espécie de campo de treinamento. O pátio
se estabeleceu como um. Eu dei uma breve olhada através da construção e havia muitos
quartos. Acho que podemos dizer com certeza que é um edifício de propriedade do
ramo de segurança da Oito Dedos. Havia um par de áreas de segurança tão protegidas
que não podia arriscar uma abordagem. Também há algumas más notícias, líder.”

O tom de suas palavras mudou o clima para uma atmosfera muito tensa.

"Estes são os pontos importantes. Há celas de prisão no prédio e dentro delas tem
mulheres encarceradas. Além disso, há pessoas que correspondem à descrição do Seis
Braços.”

Mesmo se as mulheres fossem um tanto inesperadas, eles já haviam calculado a


presença do Seis Braços. Então, qual era o problema? A pergunta de Brain esclareceu a
curiosidade de Climb.

"Quantos? Uma vez que você disse “pessoas” deve ser mais do que um.”

"Cinco deles. Como já temos o Succulent provavelmente significa que todos estão lá
reunidos.”

Em outras palavras, era uma fortaleza impenetrável. A pior localização possível. Mas—

"Isso pode ser ruim para nós, mas é melhor para os outros. Se todos então reunidos
aqui, significa que os outros locais serão muito mais fáceis.”

"Então, o que vamos fazer líder?”

"Não há nada a fazer. Este lugar será impossível de atacar. Nós vamos recuar.”

"Tudo bem, Climb-kun?”

"Não, realmente não, mas não temos escolha? Se todos do Seis Braços então reunidos
aqui, então este deve ser um dos dois lugares importantes e nós sequer podemos
provar se é mesmo. Mas, considerando a diferença na força, é inevitável.”

"É verdade.”
"Então eu devo voltar para ver se eu posso pegar alguns documentos antes de nos
retirarmos?”

"Não, é muito perigoso. Seria melhor recuar quando ainda não sabem que estamos
aqui. O que você acha?”

"Sim, eu concordo. Então, o que vamos fazer agora? Ir para os outros locais e ajudar os
outros?”

"Isso seria a melhor opção. Pode informar os outros que estão esperando? Vamos
esperar aqui e ver se alguém está vindo para nós.”

"Eu acho que não há nenhum mal em ser cuidadoso. Pedirei então.”

O Ladino ainda invisível intencionalmente produziu um som de passos para


tranquilizar Climb que ia em direção a onde o resto do grupo estava esperando.

“...Ninguém parece estar perseguindo-o, Climb-kun.”

"Então, vamos nos juntar com o resto e passar para a próxima posição?”

"Sim — hein? Olha lá, Climb-kun.”

Quando ele se virou, ele viu a pessoa que tinha visto ontem se aproximando do edifício
que estavam inspecionando.

"Aquele é Sebas-sama? Por que ele está aqui...”

“...É difícil de acreditar que esta é uma coincidência... O que está acontecendo? Ele é um
deles?”

"Eu não acho que esse é o caso. Duvido de verdade.”

"É verdade. Talvez se ele fosse alguém realmente bom para atuação, mas duvido que
seja isso.”

"Devemos chamá-lo.”

Assim que ele disse isso, Sebas olhou diretamente para eles. Climb e Brain estavam
escondidos nas sombras, a alguma distância para inspecionar o edifício. Eles não eram
fáceis de detectar. Poderia ter sido uma coincidência que ele olhou em sua direção, mas
Climb não acreditava que era o caso.

Sebas se aproximou deles com uma caminhada rápida.


Foi uma velocidade incrível. Cada vez que piscaram, uma grande distância foi
encurtada como se estivesse teletransportando. Embora ele estivesse apenas andando
normalmente, se movimentou a uma velocidade que Brain se recusou a registrar. Então
ele foi para o beco. Para ser mais preciso, quase voou sobre as cabeças dos dois homens
escondidos na entrada beco.

"Que coincidência ver vocês dois aqui. Então, o que fazem aqui?”

"É bom vê-lo novamente Sebas-sama. Estávamos planejando lançar um ataque ao


edifício, que é de propriedade da Oito Dedos.”

“...Só vocês dois?”

"Não, há mais atrás de nós.”

Climb perguntou a Sebas quem estava murmurando.

"O que você está fazendo aqui, Sebas-sama? Você tem negócios nesse edifício...?”

"Sim, para ser honesto, a mulher que te falei ontem foi sequestrada e está sendo
mantida nesse edifício. Este é o ponto de encontro, por isso estou aqui.”

"É mesmo?! Falando nisso, o nosso colega que explorou o lugar disse que havia
mulheres presas lá.”

“...Onde está ele?”

"Ele deve estar de volta em breve... Ah, na hora certa.”

O velho aventureiro voltou com sua invisibilidade desgastada. Ele desconfiava do


homem velho com aura de cavalheiro que não se encaixa na situação.

"Este é Sebas-sama. Ele nos ajudou a capturar o Diabo das Ilusões ontem. Parece que
ele é conhecido de uma das mulheres que se encontram presas. É alguém que você pode
confiar, não se preocupe muito.”

O Ladino assentiu em entendimento e falou extensivamente sobre a informação que


ele tinha recolhido, começando com as mulheres. Sebas falou com uma voz grata depois
de ouvi-lo.

"Essa é a situação, eu entendo. Obrigado, será mais fácil agora.”

"Não se preocupe com isso, velho. Aliás, todos estão dispostos a recua...”

O Ladino olhou Sebas como se ele sentisse pena de ter que se retirar e deixá-lo sozinho
apesar de saber que um conhecido de Sebas estava sendo refém.
"Sebas-sama. Os mais fortes da Oito Dedos, chamados de Seis Braços estão reunidos
aqui... você pode cuidar de todos eles?”

O Ladino franziu a testa para a pergunta de Climb. O menino também entendeu o que
poderia estar pensando o Ladino. Seis Braços eram inimigos do nível de aventureiros
adamantite em força. Seria impossível para ganhar contra cinco deles. No entanto,
ignorando essas dúvidas, Sebas respondeu de ânimo leve.

"Se se tratam de cinco pessoas como o Succulent de ontem, não há problema.”

O Ladino piscou por um momento antes de tomar a Brain e Climb de lado e os


perguntou enquanto assistiu Sebas com os olhos melancólicos.

“...Líder, é que este homem está louco?”

Qualquer um que ouvisse as palavras de Sebas agora concordaria. Especialmente se


superam as habilidades de um aventureiro adamantite. Mas Climb, que tinha
testemunhado as habilidades de Sebas, sabia que não havia excesso de confiança nessa
declaração.

"Não, ele é muito forte.”

O Ladino olhou Climb como se ele estivesse olhando para um louco.

"Eu também acho o mesmo.”

"O quê?! Unglaus, você também?”

Brain sorriu amargamente enquanto ele assentia ao Ladino.

"Isso é certo. Mesmo se Gazef e nós lutarmos contra ele, ao mesmo tempo, não
seremos capazes de vencer.”

"Eu, é que... Não, se é verdade, isso é incrível...”

O Ladino olhou para Sebas em descrença, mas ele só poderia confiar no que eles
estavam dizendo.

"Se estamos solicitando a ajuda de Sebas-sama... pode ser inconveniente, mas pode
dizer-lhe sobre o Seis Braços?”

A única vez que Sebas quebrou sua aura cavalheiresca foi quando ele ouviu um dos
apelidos do membro do Seis Braços.

"Você disse “Rei Undead” Davernoch... É um apelido impróprio para uma criatura tola.”
Além desse murmúrio, a troca de informações terminou sem problemas. Climb
perguntou então.

"Então, Sebas-sama... É possível que nos ajude a entrar?”

"Claro. Eu vim para resgatar Tsuare de qualquer maneira. Eu vou cuidar do Seis
Braços.”

"Nesse caso, Sebas-sama poderia ir pela frente, enquanto nós secretamente nos
infiltramos em segredo a fim de resgatar Tsuare-san. Sinto muito ter que deixar toda a
luta com você, Sebas-sama...”

"Isso é bom. Seria favorável para mim também, já que seria capaz de salvá-la enquanto
eles estão distraídos e eles não serão capazes de levá-la através de uma rota de fuga
secreta.”

"Eu entendo. Vou resgatar Tsuare-san, não importa o quê. Então, quem deveria ir
junto? Eu não acho que é uma boa idéia ir com todos como planejado...”

"Hmm... Se nós precisamos nos infiltrar, seria melhor ser o mais silencioso possível.
Depois de resgatá-la, poderemos ter que lutar para sair. Se for esse o caso...”

O Ladino olhou para Climb e Brain.

"Se eu pudesse usar magia de invisibilidade infinitamente, poderia ser outra história...
mas eu acho que nós três seria o melhor.”

"Está tudo bem que eu vá com você?”

"É claro líder. Meus companheiros de equipe não são realmente adequados para a
infiltração porque eles são muito rígidos em sua armadura.”

"Eu entendo, então vamos com as pessoas aqui.”

"Seria bom se nosso spellcaster pudesse jogar a magia de cancelamento de ruído...


Enfim, se é para três pessoas, peço-lhe para lançar magia de invisibilidade.”

"Invisibilidade...”

Climb falou em tom preocupado.

"Mesmo que todos passem despercebido, meu capuz pode permitir a detecção de
invisibilidade, uma vez por dia... mas e sobre todos os outros? Se todos não puderem
ver uns aos outros e se perderem, será um problema.”
"Não se preocupe Climb, eu tenho um objeto mágico que pode detectar invisibilidade.
Embora seja um único uso, eu vou ficar bem.”

"Não há necessidade de se preocupar comigo. Não há nenhuma maneira que eu possa


me perder.”

"Então, vamos ser capazes de nos comunicarmos bem. Nós daremos ao Sebas-sama
algum tempo antes de se infiltrar.”

"Eu estarei em seus cuidados.”

Climb e Brain estavam nervosos ao ver Sebas, que baixou a cabeça. Eles não fizeram
nada para merecer uma reverencia de alguém como Sebas. Basicamente, eles o usaram
como eles fizeram no bordel ontem.

"Não, nós quem devemos agradecê-lo. Desde que chegamos a este lugar, estamos
muito gratos que seja responsável pelo Seis Braços.”

"Nesse caso, eu acho que estamos quites.”

Eles não conseguiram encontrar qualquer indício de negatividade em Sebas e seu


sorriso brilhante. Climb se levantou se sentindo aliviado.

"Então vamos recuar e voltar depois deles nos lançarem a magia."

Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 22:15

Sebas deu a si mesmo uma generosa quantidade de tempo para chegar, já que estava
vários minutos antes do horário indicado no pergaminho. Como ainda era cedo, ele
permaneceu esperando em frente da porta.

Era uma porta com estilo de cerca, para que você pudesse ver o interior, mas por causa
das árvores, sua linha de visão se escureceu.

"Hmph, você veio na hora certa.”

Com uma voz profunda, um homem apareceu estre as árvores. Claro, Sebas já sabia
que o homem tinha estado lá o tempo todo, porque ele tinha ativado uma capacidade de
detectar todas as formas de vida dentro de um determinado raio. Ele não podia vê-lo
fisicamente, e já que seria perigoso confiar apenas nessa habilidade, só a usa apenas em
circunstâncias especiais.
"Aqui. Siga-me.”

Seguindo a orientação do homem através da porta, Sebas entrou em um pequeno


caminho através do jardim. Para um jardim que é propriedade de uma organização
clandestina da Oito Dedos, não emitia sentimentos sombrios. As árvores foram cortadas
com cuidado e você poderia dizer que eles tinham um jardineiro com bastante talento.
Seguindo o caminho, havia um grande lugar como um campo de treinamento.
Numerosas tochas espalhadas no chão e chamas vermelhas dançavam em todos os
lugares. Havia cerca de 30 pessoas, a maioria homens e algumas mulheres, todos
estavam sorrindo. Era um sorriso dado por aqueles acostumados à violência e que
nunca poderiam imaginar se ver perdendo. Sebas olhou ao redor do campo. Ele não
podia encontrar alguém que poderia representar um desafio adequado, mas encontrou-
se com o Seis Braços, que ouviu falar sobre eles através do companheiro de Climb.

Um deles usava uma túnica com capuz. Estava de preto e a borda estava costurada
com linha vermelha, como se imitando uma chama. Ele não podia ver o interior do
capuz, mas sua aura não era um ser vivo. O apelido de "Rei Undead" não era apenas um
simples jogo de palavras, mas porque ele era um undead.

A única mulher do Seis Braços estava vestida levemente com seda fina. Ela tinha
inúmeras pulseiras de ouro em seus pulsos e tornozelos e fazia um barulho metálico
cada vez que ela se movia. Em sua cintura tinha seis cimitarras. O homem ao seu lado
era chamativo. Ele estava vestido como um matador e segurando uma espada cuja
lâmina parecia que surgia de uma rosa. Mesmo cheirava como tal.

Obs.: Cimitarra é uma espada de lâmina curva mais larga na extremidade livre, utilizada por certos povos orientais.

O último homem era coberto com uma notável armadura de prata, e manteve sua
espada na bainha. Um total de 4 pessoas, o seu líder, Zero, não estava à vista. Talvez ele
estivesse esperando a sua vez em outro lugar. Quando os quatro andaram para frente,
seus capangas se moveram cercando Sebas.

"Velho, eu ouvi que você é bastante forte. Derrotasse todos eles com um único golpe?”

"Temos que proteger o nosso lugar acima da Oito Dedos demonstrando nossas
habilidades. Se perdermos aqui, vai ser perigoso para nós. Succulent, Ele era um idiota
ao perder de frente ao líder do ramo de comercio de escravos, mesmo que o ramo já
estivesse se deteriorando.”

"Então... eu tenho uma pergunta para você. Succulent disse que perdeu para o Brain
Unglaus, mas será que realmente foi derrotado por você e só não quer admitir isso?”

"Bem, eu nunca briguei com ele diretamente. Só trocamos saudações na mansão e na


próxima vez que o vi, estava inconsciente.”
"Bem, eu acho que era natural que ele tivesse perdido. Se seu oponente era o
reconhecido Brain Unglaus, não havia nenhuma maneira que ele pudesse ter vencido.”

"Mesmo se voltasse mais forte desde o duelo e estivesse no mesmo nível que Gazef
Stronoff, a perda de Succulent era um fato.”

"Isso não é algo que possa ser perdoado. Nós vamos nos encarregar de Unglaus e
daquela Princesa de merda depois. Mas você velho, você que instigou todo este
problema, você vai morrer primeiro.”

"Vamos destruí-lo. Além disso, se não pudéssemos, isso nos colocaria em um mau
lugar.”

"Olha lá.”

Os membros do Seis Braços falaram um para o outro e sinalizaram o terceiro andar do


edifício.

"Ali há várias pessoas de alta hierarquia. Eles se reuniram para assistir você morrer de
uma maneira agradável e lenta.”

"Alguém chamado Zero está lá?”

"Bem, talvez.”

Os quatro riram como se estivessem vendo um fracote. Sebas se fixou no prédio e, em


seguida, abaixou suas mãos. Os Seis Braços se perguntaram o que ele estava fazendo.

"O que é isso? Está procurando uma luta?”

"Não se preocupe com isso. Então, onde ela está?”

"De quem você está falando?”

A resposta veio com um sorriso que foi claramente destinada a ele. Sebas respondeu
com firmeza.

"Ela, a mulher que sequestraram na mansão, Tsuare.”

"E se eu disser que a matamos?”

"Você realmente é tão generoso?”

"Hahaha! Resposta correta. Nós não somos tão generosos. Ela será um presente para
Cocco Doll. A enrolamos de uma maneira agradável e apertada.”
"Entendo...”

Sebas sentiu um dos quatro olhando de repente para um lugar específico no prédio.

Tudo o que importava era que este lugar não era onde tinha dito que Tsuare estava.
Ainda assim, ele só poderia confirmar mais tarde.

"Como todos estão reunidos aqui, venham todos de uma vez. Seria um desperdício de
tempo e aborrecimento se o Zero escapasse.”

“...Este velho não mede as palavras.”

"Tem certeza de que vai derrotar facilmente os nossos subordinados? Parece que você
nunca conheceu um rival muito forte.”

"Na verdade, essas são sábias palavras. Quero que se lembre dessas palavras... mas
posso perguntar uma coisa? Por que você acha que eu sou mais fraco do que Brain?”

"Que pergunta estúpida. Quando você está tão forte como nós, você será capaz de
sentir o quão forte é o seu adversário. E você, velho, você está longe de nós.”

Com a exceção de Davernoch, os outros três concordaram.

"Entendo...”

Sebas poderia aproximadamente estimar o poder do inimigo pelo seu Ki, mas era
difícil estimar a força de alguém que estava escondido por sua habilidade ou magia.

"Então, nós vamos dar-lhe uma oportunidade. Vamos lutar um de cada vez, então.”

"Sou forte.”

Sebas lhes deu um sinal para que venham a ele.

"Como eu disse antes, não façam algo irritante como lutar contra um de cada vez. Se
todos vocês vierem juntos, é possível durarem dez segundos.”

"Não nos subestime, humano.”

Os ombros de Davernoch balançaram.

"Subestimá-los? Não... são vocês que me subestimaram. Me chamo Sebas. Aquele que
me deu esse nome é o guerreiro mais forte. O mestre a quem eu sirvo é um Ser
Supremo governante da... bem, eu posso ver que é inútil falar tais coisas para criaturas
inferiores como vocês. Palavras não nos levarão a lugar algum. Vamos acabar com isso.”
Sebas um passo à frente, em direção à criatura com o apelido que mais o incomodava.

♦♦♦

Rei Undead Davernoch.

Sua verdadeira identidade era um de Elder Lich gerado naturalmente. Um undead


normalmente se gerava em locais onde muitas pessoas morreram e tendiam a manter
um profundo ódio para com os seres vivos e se focava em matá-los. No entanto, alguns
undeads com sensibilidade reprimiam esse ódio para com os seres vivos e formavam
relações com eles. Davernoch era um desses undeads. O objetivo de sua vida não
natural era dominar a magia que não podia dominar quando ele nasceu, e também
alcançar diferentes habilidades além de magia.

Se tivesse havido um undead semelhante a ele, talvez a história tivesse sido diferente.
Na verdade, havia sociedades secretas que apenas se constituía de spellcasters
undeads, mas, infelizmente, Davernoch nunca teve a oportunidade de conhecer algum.

E assim ele buscou riqueza, a fim de aprender mais magia.

No princípio, ele matava os viajantes na estrada e levava o dinheiro, mas depois de


perder para os aventureiros que foram enviados como uma força punitiva, ele percebeu
a loucura de suas ações e buscou novas maneiras de adquirir dinheiro. Assim, ele
escondeu sua verdadeira identidade para participar de uma empresa de mercenários,
mas depois eles perceberam que poderia lançar 「Fireball」 continuamente, a sua
identidade como um undead foi descoberta e teve que fugir.

Era Zero que se aproximou dele depois que acabou de perder uma maneira de ganhar
dinheiro.

Ele introduziu alguém que iria ensinar a Davernoch um pouco de magia e ofereceu
uma quantidade razoável de dinheiro em troca de trabalhar sob suas ordens. Era o tipo
de ajuda que Davernoch nunca esperava. Se ele continuasse a fortalecer seu poder
mágico, havia uma possibilidade de que um imortal como ele um dia possuiria a força
para destruir toda a vida. Zero estava patrocinando alguém que seria uma ameaça à
humanidade no futuro.

Porém—

♦♦♦

Sebas aproximou-se dele como um furacão fechou os dedos de sua mão e o golpeou.

Sem lhe dar tempo de se esquivar ou defender, Sebas destroçou a cabeça de


Davernoch em pedaços. Sua vida não natural foi extinta antes que ele pudesse
compreender que tipo de raiva o tinha matado. Sebas golpeou com esforço rancoroso,
que não era próprio dele.

"Há apenas um ser que pode usar esse título. Aquele que está acima de todos. Como se
atreve, um Undead inferior como você, a usá-lo.”

Enquanto Sebas sacudiu o punho direito, para tirar o pó das peças ósseas, o corpo de
Davernoch se desintegrou e os numerosos objetos mágicos que estava usando se
espalhou por toda parte. Entre a multidão congelada pelo pânico, apenas os membros
do Seis Braços se moveram. Se eles não tivessem experimentado um monte de
carnificina digna de reais veteranos, eles não teriam sido capazes de reagir. Isso era
algo digno de louvor, já que mostrava que a sua reputação de ser capaz de ficar cara a
cara com aventureiros adamantite, não era apenas um rumor sem fundamento.

O próximo adversário de Sebas era a mulher.

Cimitarra Dançante, Edström.

As cimitarras tinham a magia 「Dance」 imbuída nelas. Tal como o nome, as armas se
moviam como se estivessem dançando e atacando de forma automática, o que
aumentava o número de ataques em vários ângulos. Mas como a magia permitia apenas
para padrões simples, não era adequado utilizá-la como arma principal. Era apenas útil
para ataques de surpresa ou para apoio, e só perturbaria o oponente se ela estivesse
lutando com alguém de mesma habilidade. Porque as armas só poderiam ser imbuídas
com uma única magia, era de senso comum saber utilizar melhor a magia 「Dance」.
Por exemplo, Gagaran da Rosa Azul usa magia que aumenta o poder de ataque de suas
armas.

No entanto, para Edström, não havia magia mais apropriada que 「Dance」.

Normalmente, esta magia se ativa quando o proprietário da arma usa sua mente para
dar ordens, mas era impossível para ordenar uma arma flutuante que faça algo mais do
que movimentos simples, especialmente se a pessoa estava no meio de uma briga com
sua vida em risco.

Mas ela era diferente.

Era como se houvesse um guerreiro invisível ali, que pudesse controlar a arma com
movimentos naturais, igual a ela. A razão disso era a maneira estranha que seu cérebro
estava ligado, ela possuía duas habilidades ao invés de um talento.

Uma capacidade era a percepção espacial quase anormal, e a outra era o uso de suas
mãos independentemente umas das outras para executar ações diferentes ao mesmo
tempo. Algumas pessoas eram capazes de fazer isso, apesar de nunca terem aprendido
a fazê-lo, mas ela era muito melhor nisso e seu cérebro era muito mais flexível que
quase parecia ter dois. Se ela tivesse apenas uma dessas habilidades não seria capaz de
manejar as suas espadas tão livremente, de modo que o fato de ter ambos só pode ser
descrito como um milagre.

Entre os nove milhões de cidadãos dentro do Reino, provavelmente não havia outra
pessoa que possuía ambas as habilidades. A realização da sua vontade, espadas saíram
de suas bainhas e flutuava no ar. Ela só tinha que se preocupar em defender. As outras
cinco espadas seriam os atacantes. Esta era uma prisão de espadas; uma prisão onde à
morte era certa.

Mas—

Mesmo antes das cimitarras poderem atacar, Sebas fechou a distância e atacou com
um golpe de Karatê em uma velocidade incrível. A mão de Sebas melhorada com Ki era
mais afiada do que qualquer espada e a cabeça dela voou instantaneamente. O sangue
jorrou de seu pescoço e seu corpo caiu um momento depois. No entanto, as cinco
cimitarras ainda estavam flutuando no ar. O golpe de Sebas tinha sido tão preciso e
rápido, que ela não sentiu sua morte. Provavelmente ela não sentiu dor também.
Seguindo a sua vontade, as cinco cimitarras dançantes se dirigiram a Sebas. Ignorando
as espadas, Sebas endireitou-se e falou com a cabeça cortada em tom de louvor.

"Para lutar mesmo depois de perder a cabeça... Eu aplaudo seu espírito de luta.”

Seus lábios se abriram e fecharam.

O que ele está falando?

Ela não conseguia entender, mas como se sentisse algumas das suas palavras, seus
olhos olharam em volta e encontraram seu corpo sem cabeça.

É mentira. É uma ilusão. Não há nenhuma maneira de que eu possa perder. Eu não perdi.
A razão pela qual não posso me mover é provavelmente porque alguém usou magia
contra mim. Alguém está dizendo algo...

Quando aceitou a verdade, seu rosto contorceu em desespero. Sua boca se abria e
fechava e as espadas que estavam seguindo Sebas caíram no chão. Não mostraram
sinais de se moverem novamente.

"Vamos juntos. Nós dois podemos derrotá-lo!”

O grito veio do homem de armadura completa de prata, que mal podia conter seu
pânico. A armadura não podia protegê-lo do medo. Ele percebeu não só com seu corpo,
mas sentiu também com todo o seu coração, tudo o que Sebas tinha dito era verdade, e
que se tratava de alguém que nunca deveria ter se tornado seu inimigo.

"T-t-tome m-meu 「Dimensional Slash」!”


Ele internamente sabia que iria morrer. Sabia que nunca poderia ganhar contra Sebas.
A razão pela qual não tentou fugir foi porque ele sabia que estaria morto em poucos
passos. Se ele lutasse, ele iria morrer, e se ele corresse, também morreria. Uma vez que
ambos não era uma opção, sua atitude mostrou que ele era um guerreiro, entretanto.

Sebas estreitou seus olhos. Foi a primeira vez que pensou que teria de ser cuidadoso
com um adversário. O criador de Sebas, conquistador do título e profissão Campeão
Mundial, "Touch Me" tinha uma habilidade especial que poderia rasgar o espaço-tempo.
Não havia nenhuma maneira que seu oponente fosse capaz de usar esse tipo de ataque,
mas mesmo uma imitação simples seria capaz de prejudicar Sebas.

Corte Espacial, Peshurian.

Ele recebeu seu apelido pela capacidade mágica de desembainhar a espada com uma
lâmina de um metro de comprimento e ser capaz de bater em um adversário com até
três metros de distância, mas não era um ataque que realmente cortava através do
nada.

O segredo residia na espada.

Havia uma espécie de espada chamada Urumi. Era uma espada longa feita de um metal
macio que se dobrava e agitava facilmente. O que tinha essa espada era um fio para
[Executor A f i l a d o ]
uma espessura tão extrema, que era mais adequado chamá-la de "Thin Executioner”.
Talvez uma descrição mais precisa seria de um longo e fino chicote de metal. Ganhou-se
seu apelido pelos açoites da espada em alta velocidade e a morte do oponente com
apenas um flash de luz.
Obs.: Fio se refere ao quão afiada algo pode ser. Por exemplo, o fio de uma faca é o quão afiado ela é.

Em comparação com os outros do Seis Braços, sua habilidade estava muito mais para
ser uma trapaça do que uma habilidade, mas o fato de que podia manejar uma arma tão
difícil era a prova de que ele era um guerreiro muito hábil. Mesmo o chamado guerreiro
mais forte, Gazef Stronoff, não seria capaz de manejar essa arma tão eficientemente
como Peshurian. No entanto, a verdadeira força reside no fato de que não importa se o
adversário via através da espada. A coisa mais assustadora sobre o chicote era a sua
velocidade extremamente rápida. Era difícil, ou melhor, impossível, evitá-lo
simplesmente olhando. Um ataque executado com uma velocidade altíssima. Para um
ser humano que não tinha resposta para isso, teria julgado que era um corte através do
vazio.

Mas—

O fio da espada, o ataque a uma super velocidade foi detido entre os seus dois dedos.
Ele fez isso com um movimento tão natural, era como se ele estivesse pegando algo que
tinha deixado cair. Sebas olhou o objeto de metal entre os dedos e levantou uma
sobrancelha.
"O que é isso... Você estava falando sobre o corte através das dimensões...?”

"Shawk!”

Com um estranho grito, como um pássaro, um ataque voou para Sebas.

Mil Mortes, Malmvist.


[Espinho d a R o s a ]
Sua arma principal, "Rose Thorn" tinha dois encantamentos terríveis imbuídos nela. O
primeiro era 「Grinding Flesh」. O momento em que o ataque entra em contato com a
pele podia rasgar toda a carne ao seu redor. Se a espada perfura a pele, deixaria uma
ferida ainda mais massiva com a carne rasgada sobre ela. O segundo era「Master
Assassin」. Uma magia que transformava até mesmo um pequeno arranhão em um
ferimento grave.

Apenas essas habilidades eram bastante destrutivas, mas havia mais um segredo.
Desta vez, não era magia, mas veneno. A ponta da "Rose Thorn" foi revestida com um
veneno especial muito potente, uma mistura de vários venenos mortais. Malmvist era
originalmente mais um assassino do que um guerreiro, então ele lutava como um
também. Era o tipo de lógica que se estava lutando para matar, o melhor era acabar
com o adversário com rapidez e eficiência, independentemente do método. O resultado
foi uma arma que pode matar um adversário com até mesmo um arranhão.

Se alguém não se preparasse contra ele, poderia facilmente ser morto, mesmo se
fossem Gazef Stronoff ou Brain Unglaus.

Mas isso também era sua fraqueza.

Devido à sua maneira de pensar que ganharia se pudesse fazer um arranhão sobre o
seu adversário, a habilidade de Malmvist com a espada era muito pobre. No entanto,
suas habilidades de investida eram incríveis, se fosse julgado apenas por essa
habilidade, seria mais forte do que o ataque de Gazef Stronoff. Em outras palavras, a
investida mais forte do Reino. Além disso, suas numerosas artes marciais poderiam até
mesmo coincidir com a ex-membro da Escritura Preta, Clementine.

Mas—

Sebas não se esquivou. Ele não precisa se esquivar.

"...!”

Malmvist, que tinha acabado de se lançar, com toda a sua força estava sem palavras.
Ele viu a ponta de sua arma, que poderia matar qualquer pessoa com apenas um
arranhão, sendo detida por um dedo de Sebas. Estava certo. Sebas havia bloqueado a
ponta da espada com o dedo.
“...Co-como que você fez?”

Piscando profusamente, Malmvist só podia lamentar após a confirmação de que não


era um sonho ou uma ilusão. Isso era tudo o que ele podia fazer. O senso comum lhe
dizia que era impossível. Não havia nenhuma maneira de que Sebas poderia bloquear,
dessa maneira, uma investida que era poderosa o suficiente para perfurar o aço. Sua
experiência gritou que era impossível, mas a realidade contava uma história diferente.
Mesmo com toda sua força, Malmvist não poderia empurrar o dedo do velho em tudo.

A "Rose Thorn" se dobrava. Ele tratou de se afastar para que pudesse atacar em um
lugar diferente, mas Sebas manteve firmemente a espada entre o polegar e o indicador.
Ele não podia mover a sua espada em tudo. Era como se houvesse uma montanha
imóvel ali. Quando Malmvist olhou para o companheiro, ele também estava puxando a
espada com toda a sua força. No meio de tudo, uma voz de aço soou.

"Então, aqui vou eu.”

Um momento depois, a cabeça de Peshurian quebrou em pedaços.

Foi um raro ataque de ver em Sebas. Até agora, ele atacava delicadamente, mas esse
golpe foi um ataque impensado que nascia de raiva.

Ele olhou para a mão direita, que facilmente perfurou através da cabeça, fazendo-a
explodir em pedaços.

Sua luva branca estava manchada de sangue e tinha um cheiro férrico.

"Isto é desagradável para mim...”

Sebas tirou os dedos segurando a outra espada e removeu a luva encharcada de


sangue. No momento em que caía no chão, Malmvist impulsionou rapidamente para a
luva com uma investida.

Malmvist poderia ter seu orgulho em sua velocidade de ataque, mas para Sebas, era
ridiculamente lento. Havia várias maneiras para ele tomar a luva para trás, incluindo
quebrando a investida e voando na cabeça de Malmvist, mas incapaz de entender o que
seu adversário estava fazendo, Sebas perguntou com curiosidade genuína.

"Exatamente... o que você está fazendo?”

"É este!!! Este é o elemento mágico que te faz mais forte, certo?”

Era uma luva normal de linho branco.


Uma voz quebrada, espuma nos cantos da boca e olhos vermelhos. Malmvist tinha
caído no meio do caminho para a loucura. Ele estava tentando racionalizar as incríveis
cenas que estava presenciando.

"Você apenas tem que admitir que eu sou mais forte do que você. Você realmente é
uma pessoa irritante... Se você quiser, pode seguir pensando dessa maneira.”

Sebas brandiu seu punho para o homem que ria como um louco. Depois da cabeça de
Malmvist voar e seu corpo entrar em colapso, o silêncio desceu. Sebas rapidamente
sacudiu o punho como se ele tivesse uma partícula de poeira. Não havia sequer um
arranhão em seus dedos onde havia usado 「Iron Skin」.

"Se eu não tivesse tido o cuidado com um falso ataque como "Corte Espacial", teriam
durado mais de cinco segundos, mas para durar vinte segundos contra mim, eu os
aplaudo.”

Sebas se fixou no edifício onde as pessoas estavam observando a cena macabra e deu
uma ordem para a predadora escondida.

"Solution, eles poderiam ter informações importantes por isso, por favor, capture-os
vivos. Então...”

Ele olhou os capangas em pânico que o rodeavam com olhos frios.

"Dez segundos para todos vocês."

Parte 3

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 22:13

Climb caminhava rapidamente ao longo do corredor vazio. Embora eles tivessem


colocado a magia de invisibilidade, graças ao seu elmo, ele podia ver duas pessoas com
ele. Até mesmo pensou por um momento que eles não tinham se fundido com a magia
de invisibilidade. No entanto, se olhasse com atenção, o fato de ver as cores borradas
confirmou que este não era o caso. Apesar de que eles deveriam ter cuidado para não
fazer barulho, não podiam dar ao luxo de reduzir a velocidade.

Tinham que resgatar a garota, enquanto Sebas estava distraindo os outros. Mesmo se
Sebas fosse mais forte que Gazef Stronoff e Brain Unglaus juntos, os inimigos eram os
membros do Seis Braços, inimigos que poderiam vir cara a cara com um aventureiro
adamantite. Se ele decidirem simplesmente oprimir Sebas, as coisas podem ficar feias. É
por isso que eles precisavam resgatar a garota rapidamente e escapar com Sebas.
Depois de virar em várias esquinas e descer um andar, o Ladino que estava na frente
parou.

"Desculpe por parar tão subitamente, Líder. Já estamos aqui. Cruzando essa esquina é
a prisão e há uma mulher presa dentro.”

Era provavelmente uma coincidência, mas no momento em que o Ladino falou, a magia
que lhes deu a invisibilidade passou de seu limite de tempo e os corpos dos três ficaram
mais claros. Com um sinal do Ladino, Climb se espreitou pela esquina e viu um corredor
escuro, quartos com grandes barras estavam um do lado do outro.

“...Não há ninguém aqui, é o mesmo resultado do meu reconhecimento prévio.”

Não havia outros prisioneiros ou guardas. Era muito suspeito como se dissesse que era
apenas "um descuido”. Parece que era uma isca. Mas agora que pensava sobre isso,
quem se atreveria a se infiltrar em um edifício, enquanto que os mais fortes da Oito
Dedos, Seis Braços, estavam reunidos ali. Se Sebas não estivesse distraindo todos, Climb
não haveria vindo. Os Seis Braços poderiam ter pensado o mesmo. Este fator ajudou o
grupo de Climb, mesmo assim tinham que estar em guarda.

"Vamos terminar isso rapidamente.”

Sentindo um tipo de companheirismo, depois de terem atravessado os perigos juntos,


Brain perguntou com familiaridade ao Ladino.

"Posso te perguntar uma coisa? O que é essa porta dupla ali?”

Quando o Ladino voltou seu olhar para a parte do fundo, havia uma grande porta como
Brain disse.

"Ah — Da minha perspectiva, este é mais como uma sala de espera do que uma prisão.
Atrás dessa porta... deve haver uma espécie de ringue de luta.”

"Falando nisso, eu posso sentir o cheiro de animais provenientes dessas celas. Ouvi
dizer que no Império, fazem os monstros lutar uns contra os outros em um ringue de
luta...”

Climb cheirou o ar seguindo o exemplo de Brain. Cheirava a bestialidade, carnívoros,


para ser mais preciso.

Brain murmurou para si mesmo.

"Mas, os estarão usando para fins de treinamento, ou exibições públicas? Se houvesse


mais usos prefiro não pensar sobre isso. Talvez seja para um espetáculo. Ah, eu estou
falando bobagem. Devemos ir?”
Climb concordou com a sugestão do Brain e o Ladino também. Com o Ladino na frente,
Climb e Brain o seguiam. Depois de chegar uma das celas internas da prisão, o Ladino
verificou a porta. Climb sacou de sua bolsa um dos seus sinos, o sino sonoro, e com o
poder da magia, um barulho foi ouvido de algo desbloqueando. O Ladino estava
desapontado, já que não tinham muito tempo para explicar como Climb o tinha feito.

"Tsuare-san, você está aí?”

Climb perguntou a mulher que estava dentro. A mulher que estava deitada no chão se
colocou de pé. Usava roupas de empregada, e sua aparência combinava com a descrição
de Sebas. Considerando que ela não poderia ter tido tempo para se trocar desde seu
sequestro, eles concluíram que era ela. Climb se sentiu um pouco aliviado. Seu primeiro
objetivo estava completo. Agora era o momento para o próximo objetivo; fugir com ela.

"Sebas-sama nos disse para salvá-la. Por favor, venha.”

Tsuare assentiu para Climb. Ela fez uma expressão de surpresa quando viu Brain e o
Ladino depois de deixar sua cela. Especialmente se pegou olhando um longo tempo
para Brain.

"Aquela porta, está na mesma direção que o ringue de luta, não há nenhum barulho
atrás dela, ainda assim, passar por um lugar onde nunca estivemos antes pode ser
muito perigoso. É melhor voltar pelo caminho que viemos.”

Climb e Brain concordaram. Considerando que são guerreiros, eles acharam melhor
deixar essa decisão para um especialista. Climb olhou em direção aos pés de Tsuare e
confirmou que ela usava sapatos. Correr não seria um problema.

"Então vamos, antes que o inimigo nos cerque.”

"Entendido. Vou assumir a dianteira novamente, desta vez não teremos a magia de
invisibilidade, portanto, mais cuidado. Não percam os meus sinais.”

"Eu entendi... o que foi Brain?”

"Hmm? ...Nada, não foi nada, Climb-kun.”

Brain franziu a testa, ele não disse nada mais. Ele olhou para Tsuare, mas Climb não
encontrou nada de errado com ela, parecia uma empregada comum que tinha sido
sequestrada.

"Prontos? Vamos sair daqui.”

O Ladino tomou a liderança, seguido de Climb, Brain e Tsuare, que era a última.
Correndo através das portas das celas, o Ladino desacelerou perto da esquina, a fim de
explorar o caminho a seguir, mas alguém apareceu perto dessa esquina, como se
estivesse dando tranquilamente um passeio e bloqueou o caminho do Ladino. Eles
esperavam qualquer tipo de oposição, mas era difícil reagir a algo tão repentino como
isso. Climb congelou com a súbita mudança de eventos, mas o Ladino mostrou uma
reação digna de um ex-aventureiro orichalcum. Ele sacou sua adaga e correu para
frente com a intenção de matar.

*Crash!*

Com um barulho alto, o Ladino voou para trás. Era como se tivesse sido atingido por
um touro. Talvez tivesse sido uma coincidência, mas Climb atrapalhou sua queda. Se o
Ladino tivesse caído no chão sem algo para suavizar sua aterrissagem, ele teria tido
enormes danos, mas, por sorte, Climb e o Ladino bateram no chão juntos quando foram
empurrados para trás. A mente do Brain imediatamente se dirigiu para o Ladino que
estava gemendo de dor, mas tinha que colocar a sua atenção no homem que apareceu
de repente. Aquele homem estava destinado a ser seu inimigo. Climb reconheceu o
homem em um instante e gritou seu nome com espanto.

"Zero!”

Esse homem fazia parte do Seis Braços, o chefe da seção de Segurança e o homem mais
poderoso da Oito Dedos.

“...É isso mesmo, rapaz. Você e a porra da escrava. Hmph, para que as formigas tenham
se arrastado todo o caminho até aqui. Se deixar mel como isca, eles virão rastejando em
qualquer lugar. Verdadeiramente desagradável.”

Zero apenas olhou Climb e o Ladino que estavam deitados no chão, mas o seu objetivo
real era Brain. Ele o estava estudando, o examinando de cima a baixo para comprovar
quão forte guerreiro Brain realmente era. Brain agradeceu o fato de que o homem
verdadeiramente poderoso não prestava atenção e verificou o estado do Ladino.

"Você está bem? Você tem um método de cura?”

Climb falou baixinho para que Zero não notasse, mas não houve resposta, apenas
gemidos cheios de dor. Surpreendentemente, havia uma lacuna em formato de punho
em sua armadura ao redor do peito. Isso mostrou o quão forte foi o ataque de Zero. O
Ladino recuperou a consciência depois de várias batidas e Climb apalpou sua cintura, a
pedido do Ladino.

"Lembro-me de seu rosto. Brain Unglaus, alguém que lutou cara a cara com Gazef
Stronoff. Não há aberturas em sua postura. Parece que você teve algum treinamento
após o torneio? Agora eu entendo. A razão pela qual o Succulent perdeu foi
provavelmente porque você lutou a sério. O adversário era muito forte. Eu acho que eu
vou ter que perdoá-lo por ter perdido. Normalmente, eu mataria qualquer um que me
fizesse perder a paciência, mas eu sou benevolente. Vou fazer uma exceção para alguém
com tamanha habilidade com a espada. Ajoelhe-se diante de mim e eu juro que você
será meu subordinado. Se você fizer isso, eu vou ajudá-lo a conseguir o que deseja.”

"Qual é o pagamento?”

"Oh... Interessado...?”

"Bem, não há nada de errado em pensar nisso. Já que derrotei o Succulent, esperava
um bom negócio.”

"Hahaha! É ganancioso. Falando sobre dinheiro antes de implorar por sua vida. Não
pode pegar o dinheiro quando você vai para uma tumba.”

"Então o que você está dizendo? Não pode me pagar uma boa quantidade de dinheiro?
Parece que você é mais pobre do que parece. Ou você embolsa tudo para si mesmo?”

"O quê?”

Os estalos vinham do punho de Zero.

"Parece que sua boca é a única coisa que funciona bem, Unglaus. Há um monte de
espadachins que são melhores em falar em vez de lutar, você é um deles? Ou você tem
muita confiança depois de derrotar Succulent? Então peço desculpas pelo fato de que
você se sente tão satisfeito depois de derrotar o mais fraco do Seis Braços.”

Brain encolheu os ombros, como se para se mostrar. Ele provavelmente estava


ganhando tempo para Climb e o Ladino que estava ferido. Então, por que Zero estava
brincando com ele? Era por causa da sua confiança de que ele poderia vencer mesmo
contra os três? Ou era algo mais?

...Hein?

Quando Climb prestou atenção ao seu redor, viu Tsuare rastejando lentamente em
direção a Brain. Se ela queria estar segura teria sido melhor ficar trás de Climb e do
Ladino. Não havia nenhuma razão de ser corajosa e se colocar em perigo estando atrás
de alguém que estava enfrentando Zero. Brain olhou para trás uma vez. Foi um
movimento sutil, sua vista se dirigiu a Tsuare e não era um olhar amigável. Não, era
mais como se ele enfrentasse um inimigo.

Huh? Por quê? Porque a olhava dessa maneira? Não, isso não era tudo.

Algo estava acontecendo. Climb se levantou sentindo-se desconfortável.

"Mmm, parece que a formiga finalmente se levantou. Descansou tempo o suficiente?


Então, vamos ouvir o que você tem a dizer. Não, não há necessidade de palavras.
Ajoelhe-se ou não, há apenas uma opção. Agora Unglaus, tome a sua decisão.”
Brain zombou de Zero.

Isso era tudo.

"Então morra!”

Zero colocou a mão esquerda para frente e para trás sua mão direita, para formar um
punho. Baixou seu centro de gravidade, e se firmou. A forma como os seus músculos se
expandiam era tremenda, poderia esperar ouvir o som de carne rasgando. Se alguém
tivesse que descrever a Zero neste momento com uma descrição simples, seria como
uma rocha, não, como um touro enraivecido. Brain também reduziu a sua postura. Foi
semelhante à de Zero, mas completamente diferente. Se Zero era como uma corrente
rápida, então Brain era semelhante ao calmo e limpo fluxo de água. Se Zero era o
ataque, então Brain era a defesa.

"Eu disse a eles para não matarem o velho, mas eles são muito inquietos. Eles podem
exagerar e o matar. Isso me coloca em uma situação difícil, porque eu tenho que matar
aquele velho como um exemplo do que poderia acontecer com as pessoas que se
atrevem a se opor a nós."

O rosto de Zero se amassou de raiva. Era como se seu rosto fosse a prova da raiva que
poderia chegar a ter uma pessoa feia.

“Unglaus, farei de você o alicerce da minha reputação como o guerreiro mais forte.
Usarei sua lápide para mostrar a todos o destino de alguém estúpido o suficiente para
desafiar o Seis Braços! Quanto ao escravo daquela puta dourada, colocarei sua cabeça
em uma caixa e enviarei de presente.”

Uma onda de sede de sangue tomou conta deles. No entanto, não foi nada comparado
ao que eles tinham experimentado de Sebas naquela época. Os olhos de Climb ficaram
afiados e ele o encarou com seriedade, deixando Zero um pouco desapontado.

"É mesmo? Certo. Zero, eu vou lidar com você. Climb-kun cuide do que está atrás de
mim!”

Climb não entendeu o que ele disse por um momento. Mas foi apenas Climb quem não
entendeu. O Ladino lançou uma faca de arremesso em Tsuare.

A lâmina afiada que o ex-aventureiro orichalcum jogou foi veloz como vento.

No entanto, Tsuare, de alguma forma, foi capaz de desviar da lâmina quase sem
esforço. Pela descrição de Sebas, Tsuare era uma mera empregada. Seu movimento foi
rápido demais para que isso seja uma coincidência.

"Então, eles viram através?”


A aparência era de Tsuare, mas a voz era a do Diabo das Ilusões, Succulent.

"Então você não perguntou nada aos seus salvadores porque achou que eles
reconheceriam sua voz? Ainda assim, circulando pelas minhas costas era muito
suspeito. Bem, eu estava adivinhando que você era a pessoa real sob controle mental,
ou alguém transformado em sua forma.”

Brain não olhou para trás — ainda encarando Zero — enquanto desvendava o
mistério.

“Depois disso, eu desconfiei da maneira como você correu, mas eu não podia ter
certeza até o final... felizmente, realmente era você. Não é como se eu pudesse dizer a
ele para arremessar com cuidado para fazer um arranhão.”

O rosto do Ladino endureceu por um momento. Então, ele parecia estar dirigindo uma
expressão de gratidão a Succulent.

Zero estalou a língua.

"Hmph... Succulent, parece que viram através de seus pequenos truques. Nesse caso, o
tempo de truques terminou. Agora é o momento em que tudo será decidido pela
força! ...Succulent, cuide daqueles dois. Você pode fazer isso, certo?”

"É-é claro, chefe.”

A figura de Tsuare derreteu e Succulent apareceu. Ainda assim, ele está vestindo
roupas de empregada. Succulent entendeu muito bem o que Zero disse e olhou para
Climb.

"Nós nos encontramos de novo, garoto.”

Sua voz era estranhamente tensa, considerando o fato de que ele tinha ganhado contra
Climb ontem. A Oito Dedos não era uma organização que perdoava, e mais fracassos
não seriam tolerados. As costas de Succulent estavam contra a parede e não podia se
dar ao luxo de dar uma chance.

"A Oito Dedos foi capaz de libertar alguém preso diretamente sob ordens da
Princesa??”

Climb sentiu a extensão da influência da Oito Dedos quando ele sacou sua espada.

“...Eu não posso perder desta vez.”

Ontem, Brain o derrotou com um único golpe, mas uma vez que ambos Zero e
Succulent estavam presentes, seria difícil para Brain enfrentar dois do Seis Braços de
uma vez. Climb não podia confiar na vitória de Brain contra Zero e se concentrar
apenas em ganhar tempo. Sabia que Succulent era melhor que ele. Com um pouco de
meia força de vontade, ele iria acabar perdendo novamente como ontem.

Desta vez eu vou ganhar.

Climb animou-se a não recuar e deu um passo para Succulent.

"Não se preocupe, não se preocupe. Eu vou ajudar.”

O Ladino falou atrás dele em um tom de esperança, provavelmente tinha a intenção de


impedir que Climb fique muito tenso. Climb estava grato pelo apoio, mas o Ladino tinha
recebido um ataque de Zero e ainda não tinha se recuperado totalmente depois de usar
uma poção. Ele também não tinha certeza do quão bem o Ladino seria capaz de apoiar
alguém que nunca tinha lutado ao seu lado antes.

O Ladino sorriu como se estivesse lendo os pensamentos de Climb.

"Não se preocupe, normalmente eu faço o papel de apoio. Vou mostrar-lhe uma forma
de combate não que seja batendo espadas.”

"Obrigado.”

O Ladino tinha vasta experiência. Climb não precisa se acomodar a luta, o Ladino iria
apoiá-lo no lugar que faça falta. Climb só precisava lutar contra Succulent com todas as
suas forças. Quando ele se encheu de determinação e virou, Succulent já estava fazendo
seus clones como da última vez. Havia vários Succulent e Climb não poderia dizer qual
era o verdadeiro. Um gosto amargo se espalhou pela sua boca. No momento, dois deles
se enfileiraram lentamente na frente dos outros, um saco aberto voou por trás de Climb
em direção Succulent.

"É assim que os ladinos lutam!”

O saco explodiu sob os pés de Succulent e espalhou um pó por toda parte. Succulent
tampou sua boca para se proteger contra o veneno, mas isso não era veneno, era um
objeto mágico.

"Era o “Powder of Will O' Wisp”.”

O efeito foi imediato. Dos cinco Succulent’s, apenas um tinha algo leitoso, uma luz
branca sobre ele.

Succulent percebeu isso e seus olhos se arregalaram.

O “Power of Will O' Wisp” foi destinado para uso contra inimigos furtivos como
ladrões ou alguém usando magia de invisibilidade. Só reagia aos seres vivos.
Desde que sua 「Multiple Vision」, copiava o corpo principal, mesmo se jogar tinta
sobre ele imediatamente seria copiado entre os clones. A menos que alguém fosse
realmente bom em diferenciação seria muito difícil de discernir o verdadeiro corpo. No
entanto, os efeitos de itens mágicos não são copiados pelos clones. Se se tratasse de
uma magia de classe alta, ele seria capaz de enganar até mesmo os itens mágicos, mas
alguém como Succulent, que treinou para ser um ilusionista e um espadachim, ao
mesmo tempo, não podia impedir esse tipo de magia.

A espada de Climb foi para o verdadeiro corpo de Succulent.

"Droga.”

Succulent saltou a distância, evitando o ataque. Era uma esquiva esplêndida, no


entanto, sua roupa de empregada se rasgou como resultado.

Eles trocaram mais dez golpes.

O único na ofensiva era Climb. Este não é um truque intencional de Succulent, mas a
pura diferença em suas habilidades. Não havia nenhuma maneira que uma pessoa de
repente se tornar extremamente forte no passar de um dia, nada deveria telo feito
mudar desde ontem. No entanto, sempre houve exceções. Simplesmente, Climb tornou-
se mais forte e Succulent tornou-se mais fraco.

Em primeiro lugar, ao contrário de ontem, Climb tinha sua armadura, escudo, espada e
outros acessórios nele neste momento. Sua resistência e defesa tinham aumentado e
poderia usar seu estilo de luta habitual. Por outro lado, todos os itens mágicos de
Succulent tinham sido tomados quando foi preso, e também usava agora a
desconfortável roupa de empregada.

Devido a seu equipamento alterado, a diferença entre eles tornou-se menor, mas isso
não era tudo.

Uma razão era que Climb sabia como Succulent lutava. Outra era que o Ladino estava
ajudando. Graças aos itens que o Ladino estava usando a ilusão mágica de Succulent se
tornou inútil. Era como se tivessem feito preparações para enfrentá-lo.

Na verdade, o Ladino havia coletado informações sobre o Seis Braços e estava


preparado para enfrentar cada um deles. O fato dele está preparado para dominar
Succulent era incrível. Só alguém com uma verdadeira personalidade meticulosa
poderia estar preparado para isso.

"Droga!”

Mesmo antes da luta começar de verdade, Succulent deixou escapar um grito de


frustração.
O que estava em seu objetivo era o Ladino, mas Climb sempre se movia para bloquear
o caminho de Succulent em direção a ele. Não podia permitir que Succulent o atacasse,
e sendo protegido por Climb, o Ladino começou a zombar dele.

"Ei, Ei. Não ponha essa cara de medo. Eu suponho que você seja um membro do Seis
Braços, alguém que pode ficar cara a cara com um aventureiro adamantite. Esse tipo de
luta deve ser fácil para você.”

O rosto de Succulent franziu de raiva. Os ataques trocados anteriormente o fizeram


sangrar, fazendo seu rosto ficar ainda mais feio.

"Desgraçado!”

Ele xingou em voz alta, Succulent planejava lançar sua magia. Normalmente, um
guerreiro como Climb poderia ir em cima contra ele para parar o seu lançamento, mas
desta vez isso não aconteceu. Na troca de mais de dez ataques contra Succulent, Climb
começou a confiar no Ladino para que faça a coisa certa no momento certo.

Outra garrafa voou por trás de Climb e quebrou aos pés de Succulent. Ele podia ver
uma fumaça colorida se espalhando por toda parte.

"Guh! Grhun, cofgg!”

Succulent tossiu pela dor.

O Ladino tinha interrompido o lançamento com um item alquímico, os efeitos foram


evidentes imediatamente.

Se Succulent tivesse se especializado como um magic caster, este tipo de perturbação


não teria sido um problema, mas ele treinou para ser um guerreiro e um magic caster,
mesmo uma pequena interrupção quebrava sua concentração, fazendo-o perder a sua
mana.

Climb correu para o distraído Succulent com toda a sua força. Era a continuação da
luta até agora. Era o tipo de avanço que foi preenchido com a determinação de não dar
um único passo para trás. Dependendo do observador, alguns diriam que foi um
movimento prematuro em uma aposta por uma vitória rápida. Mas os instintos de
guerreiros de Climb gritavam.

Este era o momento de determinar o fim do duelo.

Climb e o Ladino tinham estado na ofensiva até agora, mas não havia garantia de que
eles poderiam manter essa vantagem. Os itens que o Ladino lançava eventualmente se
acabariam com o tempo, de modo que Climb tinha que terminar isso enquanto tiver a
chance.
Climb ativou uma arte marcial original, que ele aprendeu ontem.

Esta habilidade não tinha nome, mas se tivesse que dar um agora, chamaria de
《Romper Limite - Mente》. O efeito era eliminar todos os limites impostos sobre o
corpo pelo cérebro, e como resultado, todas as suas habilidades aumentariam em nível,
incluindo as suas capacidades físicas.

A desvantagem era que, se utilizada por um período prolongado de tempo, pode


causar fadiga física e lesão muscular, mas se ele não tratasse de terminar a luta logo,
mesmo se ele usasse essa habilidade, não seria capaz de ganhar contra Succulent.

À medida que a arte marcial se ativava, Climb poderia sentir alguma coisa em sua
mente fazendo clique e começou a mudar.

Climb gritou para obter todas as emoções que rodam dentro dele, e o pânico se
espalhou no rosto de Succulent, como se ele tivesse percebido o que estava
acontecendo, talvez sentisse medo e espanto, mas em qualquer caso, esse não era um
rosto que alguém, podendo ficar cara a cara com um aventureiro adamantite, mostraria
a outro que estava abaixo do seu nível.

Climb brandiu sua espada, mas foi bloqueado. Para bloquear uma espada longa com
apenas um punhal, sem qualquer ajuda de magia era realmente incrível. No entanto,
para forçar um perito magic caster, Succulent, que se especializou em esquivar-se para
bloquear. Então, de fato o ataque de Climb também foi incrível.

No entanto, o ataque não terminou aqui. Climb continuou com um pontapé.

Quando Succulent tentou proteger seu estômago, seu rosto amassou no momento do
impacto.

"Arrrrggghhhh!”

O rosto de Succulent empalideceu e cambaleou para trás quando ele recuou de sua
cintura.

O Ladino deixou a sombra de Climb.

Ele chutou Succulent na virilha com a bota de ferro, embora Climb vestisse uma
almofada de proteção, podia sentir uma dor imaginária viajar por seus pés.

Depois disso, Climb deu-lhe o golpe final!

O sangue se espalhou e Succulent caiu. Climb não baixou a guarda e ficou alerta. Ele
prestava atenção especial a qualquer coisa perto do Ladino e confirmou que não era
uma ilusão.
Foi uma grande vitória. Mesmo que fosse dois contra um, esta vitória significou muito.
Climb olhou para Brain. Ele se perguntou se ele poderia ajudar, mas rapidamente
abandonou a idéia.

Essa luta estava em um nível completamente diferente.

O som também era diferente. Embora tenha sido uma katana se chocando com um
punho, sons metálicos ressoaram. Sua luta não mostrava sinais de acabar. A katana e
punhos se chocando uns contra os outros, sem ter tempo para respirar.

O que chamou especialmente sua atenção foi Zero. Seus ataques estavam cavando a
parede e deixando marcas, como se fosse feita de argila mole.

"Droga... Eu ouvi que os monges de alto nível têm punhos de aço, mas esse desgraçado
está muito além disso. Seus punhos são pelo menos mythril, não, orichalcum.”

O Ladino, que estava ao lado de Climb murmurou. Durante alguns minutos de troca de
ataques em uma luta onde Climb teria sido morto imediatamente, e não se via um único
arranhão. Zero mostrava sinais de grande respeito em seu rosto.

"Unglaus... você é melhor do que eu pensava. Você é a primeira pessoa que bloqueia os
meus ataques.”

Brain também tinha sinais de respeito em seu rosto.

"Você também... Esta é a segunda vez que eu vejo um monge deste calibre.”

"Oh?”

Zero fez uma cara curiosa.

"E pensar que há outro monge do meu nível. Eu nunca ouvi falar dele. Como se chama?
Porque eu não vou ser capaz de ouvir quando você estiver morto.”

"Ele provavelmente está vindo para cá enquanto nós falamos. Depois de derrotar os
outros do Seis Braços.”

Zero franziu a testa antes de sorrir.

"Heh, você quer dizer aquele velho? Infelizmente, meus quatro subordinados de
confiança estão lhe dando boas-vindas. Podem não ser tão fortes como eu, mas eles são
muito mais fortes que Succulent. Não há nenhuma maneira que ele possa vir aqui.”

"É mesmo? Eu posso vê-lo chegando por essa esquina a qualquer momento.”
"Oooh, eu estou com muito medo. Eu acho que, nesse caso, devo lutar mais a sério.”

Os olhos de Climb se arregalaram com essas palavras. Se Zero estava se segurando


durante a troca de ataques com esses tipos de golpes, como seria sua verdadeira força?
Também ele ficou surpreso que o Brain não mostrou sinais de surpresa.

Ambos não estavam lutando com toda a sua força? Esta é realmente uma batalha entre
os homens que podem competir com o melhor da humanidade, os aventureiros
adamantite!

"Seria melhor, Zero. Aqueles dois ali já terminaram, por isso não há necessidade de
estender isto. Você vai perder aqui, Zero.”

Brain embainhou sua katana e lentamente baixou sua postura. Foi a mesma posição de
ontem, onde derrotou Succulent com um golpe. Antes que Climb pudesse perguntar se
Brain poderia derrotar Zero com um único golpe, Zero saltou para trás. Ele havia
saltado facilmente a uma distância que foi muito além dos limites de resistência de um
ser humano comum.

"Edström pode fazer uma barreira com suas espadas, mas parece que você tem uma
barreira de tipo diferente. Se não tivesse tido cuidado, seria cortado pela metade.”

Zero não podia compreender plenamente as artes marciais originais de Brain, para
que ele pudesse adivinhar o que esse tipo de habilidade demonstrava que a capacidade
de Zero como um guerreiro era verdadeiramente superior.

"Mas... é uma habilidade que não pode ser usado sem ter primeiro uma postura.”

Zero enfiou o punho no ar. Pode ter parecido um movimento sem sentido, mas o corpo
de Brain recuou com a onda de choque feita pelo punho.

"Posso ganhar só o atacando a esta distância. Ou você tem uma maneira de cortar
alguém que está longe?”

"Não, eu não tenho.”

Brain respondeu honestamente.

"Se você lutar assim, então tudo que preciso fazer é não tomar essa postura.”

Zero perguntou a Brain calmamente em um ambiente que não estava de acordo com
ele, com um estado profundo e calmo.

"Brain Unglaus, este é o seu trunfo?”

"Claro. É o meu trunfo que só foi derrotado... uma vez.”


"Que chato. Se ele já foi derrotado, então esta será a segunda vez.”

Zero lentamente sacudiu o punho para trás e tomou uma postura.

“Eu vou socar direto de você pela frente. Eu vou quebrar esse movimento que você
está tão orgulhoso e alcançar a vitória. Primeiro eu vou derrotar você, Brain Unglaus, e
algum dia eu vou ter Gazef Stronoff ajoelhado aos meus pés. Dessa forma, eu serei o
homem mais forte do Reino.”

“Parece mais que sua ambição vai vacilar no primeiro passo que der em minha direção.
Zero, você realmente gosta de imaginar coisas, não é?”

"Você é um falastrão... não, você até pode valer uma briga, eu não posso dizer que falar
é tudo o que você sabe. Dito isso, ainda sou melhor que você. Vá para o inferno sabendo
disso, e lamente o fato de que você ousou ficar contra o Todo-Poderoso Zero-sama.
aqui vou eu!"

A parte superior do corpo de Zero tinha tatuagens de vários animais, que emitiam uma
luz fraca. Ainda assim, Brain não se mexeu. Ele só esperou como uma estátua. Climb
podia sentir que ele estava prestes a sentir uma tremenda quantidade de energia
liberada pelas duas pessoas.

Um lugar onde ninguém poderia interromper e poderiam colidir com a força bruta
com força bruta.
De repente, uma voz que estava fora do lugar pôde ser ouvida:

"Portanto, este é o lugar onde todos se reuniram.”

Todos se surpreenderam e viraram para olhar para o intruso. Mesmo Zero e Brain, que
não podiam dar ao luxo de tirar os olhos de cima, o fizeram. Um velho estava lá, era
Sebas. Zero nunca tinha esperado que ele aparecesse.

"O quê? O que aconteceu? O Seis Braços deveria ter sido encarregado de você... você já
passou por eles?”

Sebas sacudiu a cabeça.

"Não. Todos seus companheiros foram derrotados.”

“...Não fale bobagens. Eles podem ser mais fracos do que eu, mas ainda são do Seis
Braços. Não há nenhuma maneira de você chegar aqui ileso após lutar contra eles.”

“Como diz o ditado, a verdade é mais estranha que a ficção.”

"Sebas-sama! A Tsuare-san daqui era falsa! Succulent, ele se disfarçou como uma
ilusão. Nós temos que resgatá-la agora!”

"Ah, obrigado por se preocupar com isso, Climb-kun, mas não há necessidade disso. Já
a resgatei. Eu a encontrei em uma parte diferente do edifício.”

Sebas olhou sobre seu ombro e Climb seguiu seu olhar para encontrar uma mulher
coberta com um cobertor perto da entrada.

"Ah!”

Climb rapidamente olhou para Succulent. Sua roupa de empregada estava rasgada e
encharcada de sangue. Não havia nenhuma maneira de pegá-la de novo, nem mesmo se
ela quisesse recebê-lo.

"Não há necessidade de se preocupar com isso, Climb-kun. É apenas um vestido de


limpeza normal, por isso é descartável.”

Climb ficou aliviado e Sebas sorriu amargamente.

"Ei ei ei. Para simplesmente conversar enquanto me ignora... Você com certeza é
valente.”

Zero, que não podia mover-se sem cuidado, pois Brain estava à frente dele, apenas
mudou de lugar para olhar Sebas com uma expressão de ódio absoluto.
"Velho, não me faça perguntar novamente. O que aconteceu com meus subordinados?”

“—Matei todos eles.”

Ele disse casualmente, como se estivesse colhendo uma flor selvagem na estrada, mas
as palavras tinham uma frieza imensurável.

"De nenhuma maneira!!! Você acha que eu vou acreditar em você?”

Sebas sorriu para o grito de Zero. O sorriso de Sebas, sem um pingo de hostilidade, só
se sentiu verdadeiro.

“...Brain Unglaus. Vamos adiar a nossa batalha. Eu preciso mostrar para esse velho o
poder do Seis Braços.”

"Certo. Apenas tente não ser destruído tão rapidamente. Bem, não quero a minha vez
de qualquer maneira.”

"Cale a boca! ...Velho, você vai pagar por suas mentiras, com sua vida!!!”

Sebas sorriu amargamente, mas o homem que se proclamou como o mais forte não
podia suportar aquele sorriso, as tatuagens de Zero exalavam um brilho fraco.

O chefe da Divisão de Segurança e o líder do Seis Braços, "Demônio de Batalha" Zero.

Se homens como Gazef Stronoff e Brain Unglaus lutassem contra ele, sem armas,
morrem em um instante. Mesmo se eles estivessem armados, o resultado da batalha
seria incerto.

Uma das profissões que tinha alcançado era Adepto Xamânico. Essa vocação tinha uma
habilidade que permitia que alguém fosse possuído por espíritos animais, através dos
quais ele poderia obter os excelentes atributos físicos desses animais. Só poderia ser
usado um número limitado de vezes em um dia, mas uma vez usado, permitiria a um
humano aumentar suas habilidades físicas no reino de feras selvagens.

Zero ativou sua habilidade. Normalmente, ele só a ativava para conservar sua força,
mas percebeu que Sebas era um adversário forte.

Embora que na realidade não acreditou que Sebas havia derrotado quatro dos
membros do Seis Braços sozinho, considerando que ele tinha passado através da frente
do edifício, não poderia ter outra pessoa igual a ele. O mais provável seria a Rosa Azul.
Poderia coletar informações mais detalhadas, tudo o que ele podia fazer era destruir
Sebas com toda a sua força e adiar seu duelo com Brain Unglaus.
Tinha que mostrar sua força esmagadora aos telespectadores antes de se retirar. Ele
determinou que fosse o melhor curso de ação e, portanto, preparou a sua habilidade
mais forte.

Uma pantera nas pernas, um falcão na parte de trás, um rinoceronte em seus braços,
um búfalo em seu peito, um leão em sua cabeça; todos ativos. Ele sentiu um poder
explosivo surgindo através dele. Ele estava preocupado de que seu corpo inchasse e
explodisse.

"YEEEEEEEEAAAAARRRTT!!!”

Gritou tomando o enorme poder nele, ele deu um passo adiante.

O ataque do mais forte dentre os seis do Seis Braços, Zero. Era um golpe direto. Sem
falhas, sem truques, apenas um puro soco direto. A força por trás dele era imensa. Não
só suas habilidades de profissões como Adepto Xamânico, mas também suas outras
habilidades da profissão Monge, seus itens mágicos, melhoravam a força e a destruição
de seu punho.

Era tão rápido que mesmo Zero teve dificuldade para controlá-lo. O fato de que era um
golpe direto com toda a sua força o tornava uma habilidade executável. Ele não hesitou
em mostrar o seu último ataque. Sua habilidade era simples, mas invencível.

Ele estava confiante de que nenhuma fraude pudesse impedi-lo. Zero se sentia
superior por cima de todos e rapidamente deu um passo adiante com uma sensação de
destruição.

"Cuidado—”

Alguém gritou.

Mas já era tarde demais.

Zero chegou a Sebas em um piscar de olhos. O poder dentro dele se movia


perfeitamente, totalmente acumulado e focado, e ele lançou um forte soco direto com o
punho direito.

Zero viu Sebas congelado no lugar — provavelmente porque ele tinha sido muito
rápido para o velho homem — e sorriu. Era como se dissesse: Vá e lamente fazer de mim
um inimigo, o mais forte guerreiro do Seis Braços.

"—Huuu!"

O punho se conectou com a barriga vulnerável de Sebas. Foi um golpe perfeito e


imaculado.
O poder explosivo agitou-se como um vendaval violento, e Sebas voou levemente pelo
ar como um boneco de pano, ao longe. Seu cadáver bateu no chão, mas mesmo isso não
conseguiu dissipar o poder do ataque e o corpo continuou rolando violentamente pelo
chão.

Ele não se mexeu. Ele morreu no local.

Todos os seus órgãos internos agora se tornaram líquido. O exterior era tudo o que
manteve a sua aparência de um ser humano. Esta era a habilidade mais forte de Zero.
Uma habilidade demoníaca que era a verdadeira personificação da frase, "Golpe Fatal”.

—Ou pelo menos isso é o que deveria ter acontecido.

No entanto. Sebas se manteve firme e não se moveu nem um milímetro.

Ele tinha recebido o punho de Zero, com toda a força, apenas com os músculos de seu
abdômen. Foi um espetáculo incrível para qualquer um; uma cena que desafiava o
senso comum.

A diferença de força entre as suas aparências era absoluta, mas o resultado foi o
oposto.

O único que não podia acreditar nisso não era ninguém mais do que Zero. Não havia
criatura que pudesse receber seu último ataque e sobreviver. Esse tinha sido o caso até
agora. No entanto, com um resultado como este, ele não percebeu que algo negro havia
passado bem na frente de seus olhos.

Sebas levantou a perna para cima. O pé passou pela ponta do nariz de Zero — como o
vulto de uma andorinha

E como um raio, caiu.

Um chute machado.

Mas a velocidade e a força por trás do chute eram anormais.

“...Quem... é.. voc—”

Zero murmurou e os lábios de Sebas se fecharam.

Terríveis rangidos e rachaduras soaram. A cabeça de Zero foi esmagada, o pescoço e


coluna vertebral foram quebrados como se tivessem sido esmagados por um objeto que
pesava várias centenas de quilos, e seu corpo se ajoelhou.

O salão estava cercado em silêncio.


A atmosfera só poderia ser descrita como "pasma”. Sebas moveu seus pés como se
evitasse o sangue da cabeça esmagada de Zero e sacudiu o lugar onde ele tinha o
atingido.

"Ufa, isso foi perigoso. Estaria morto se não fosse o seu aviso.”

Ele estava mentindo! Que aviso?

Os três homens, e talvez Tsuare, não falaram em voz alta, mas gritaram em suas
mentes.

"Eu sobrevivi graças a você, Climb-kun.”

“—O-uh... Ah, sim...”

Climb, que só conseguia mover a boca para as últimas palavras de "cuidado", recebeu
agradecimentos de Sebas rigidamente. Não sabia o que dizer, por causa do choque
mental.

"Parece que fui apenas um pouco mais forte.”

Sebas mostrou um pequeno espaço entre seus dois dedos. Provavelmente ele queria
dizer que a distância entre os dedos era a diferença entre ele e Zero, mas não havia
ninguém que concordaria com isso.

"Só um pouco” —Que mentira descabida.

Como antes, todos pensavam isso por dentro.

"De qualquer forma, já que a resgatamos o melhor seria nos retirarmos.”

"Uh, espera, sobre o Seis Braços... você realmente fez?”

"Sim, eu os matei. Havia muitos e fortes adversários. Lamento não ter lhes dado
nenhuma oportunidade.”

"Isso, entendo. Era inevitável, por favor, não exagere muito com ele.”

Os três imediatamente transferiram seu olhar para o cadáver de Zero. Eles não
poderiam sequer sugerir se era uma mentira.

"E-então devemos chamar os soldados para procurar o restante do edifício.”

Os soldados estavam originalmente lá para procurar o edifício. O fato de que eles


poderiam limpar a fortaleza com Sebas foi um golpe de sorte incrível. Se as declarações
de Sebas fossem verdade, ele provavelmente estava certo, além disso, seria uma
vantagem adicional ter destruído a mais poderosa força de combate da Oito Dedos.

O único inconveniente foi que eles foram incapazes de capturar Zero vivo, mas já
perceberam que não teriam sido capazes de detê-lo em primeiro lugar, por isso não
houve perdas. Qualquer outro argumento sobre o resultado seria uma besteira.

Climb falou com uma voz animada e Brain balançou a cabeça como se fosse a decisão
certa, mas houve alguém que estava de pé com uma expressão rígida.

"O que houve, Sebas-sama?”

"N-não. Não é nada. Há algo que eu não me sinto bem... além disso, parece que o ar
aqui não é bom. Gostaria de sair comigo?”

"Sim, claro.”

Olhando para o corpo de Zero e para Tsuare, todos concordaram com Sebas. Sebas se
aproximou de Tsuare, que estava perto da porta de uma cela, e a levou como se leva
uma princesa. Seus pés e brancos, que não tinham uma boa quantidade de carne entre
os ossos e pele, eles chutaram um pouco no ar e eles viram os braços finos de Tsuare
abraçando Sebas.

Eles podiam sentir que a relação entre eles não era apenas um mordomo e uma
empregada.

Deve parar de se intrometer em sua vida pessoal. Não é digno de você, Climb. Não
importa qual é sua relação.

"Então vamos.”

Climb falou e saiu primeiro.

Os outros três o seguiram. Eles poderiam começar a investigação depois que Sebas
fosse embora, não havia qualquer chance de que alguém saltasse e atacasse Sebas, que
tinha ambas as mãos ocupadas. Ele estava tenso por um momento, mas não havia
necessidade de estar.

O edifício, que tinha sido um foco de atividade quando eles se infiltraram pela primeira
vez, não mostrou sinais de que alguém estava lá. Falando logicamente, ninguém teria
coragem de desafiar Sebas, que havia derrotado o Seis Braços. Era provável que a
maioria deles tinha fugido, se esse fosse o caso, esperava que grupo de fora capturasse
qualquer um que tentasse escapar.

O ombro de Climb abaixou com uma sensação de alívio.


No entanto, alguém tocou seu ombro. Foi o Ladino. Ele estava olhando para uma
direção completamente diferente e sua expressão era semelhante à de Sebas quando
ele derrotou Zero com um único golpe. Seguindo seu olhar, os olhos de Climb se
arregalaram quando viu...

"Uma parede de chamas?”

Climb assentiu ao sussurro de Brain. Se uma casa estivesse queimando, as chamas


teriam sido um fenômeno natural, se fossem chamas regulares, Climb não teria ficado
tão surpreso. No entanto, uma enorme parede de fogo de mais de 30 metros de altura
tinha aparecido e rodeava parte da capital. Longitudinalmente, seria uma parede de
fogo de vários quilómetros de comprimento.

"O que você acha que pode ser?”

Três pessoas perderam o foco quando ouviram a curiosidade de Sebas, que perguntou
com voz relaxada.

"O que devemos fazer líder? Isso parece ser o distrito do armazém. O grupo seria
responsável por esse lugar?”

"A líder da Rosa Azul, Alvein-sama... vamos considerar isso uma emergência, cancele
todos os planos e retirem-se para o castelo real. Vamos seguir as ordens do alto
comando até então.”

"Isso parece ser o melhor curso de ação... Oh, por Sebas-sama...”

"Vou deixar Tsuare em um lugar seguro, de modo que nada como isso aconteça
novamente.”

"Eu entendo, Sebas-sama. Obrigada por ontem e por hoje também.”

"Não há necessidade de se preocupar com isso. Os nossos objetivos coincidiram... um


dia eu vou pagar a dívida por ajudar a resgatar Tsuare. Agora, por favor, me perdoe.”
Capítulo 09: Jaldabaoth
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 21:10

or causa de sua sede, a mulher acordou e abriu os olhos.

P Ela se moveu lentamente em uma cama particularmente grande e pegou


o jarro de água colocado ao lado da cama, mas falhou ao não tocar nada.

Então se lembrou de que nenhum jarro de água tinha sido colocado ao lado da cama
hoje, e involuntariamente estalou a língua.

"Oooh.”

Ela bocejou. Como um alguém mais velho, estava acostumada a dormir e acordar cedo,
portanto, depois de ter dormido por apenas uma hora desde que não era descanso o
suficiente.

Engolindo, ela colocou a mão em sua garganta, e só saiu da cama quando sentiu a
saliva através de sua garganta. Pegando uma espessa toalha de banho, colocada em um
lado do cobertor, enrolou em torno de seu corpo nu, colocou um par de chinelos e saiu.

Esta mansão era a base principal na capital e era propriedade de Hilma, chefe dos
traficantes de drogas. Falando logicamente, as dezenas de pessoas situadas dentro
desta mansão deveriam estar bastante ocupadas, mas estava estranhamente silenciosa,
como se não houvesse ninguém por perto.

Hilma se surpreendeu enquanto ela caminhava pelo corredor. Todos os nobres tinham
ido embora mais cedo ou mais tarde e esta mansão ficaria tranquila. Ainda assim, não
estava um pouco silencioso demais?

Nesta mansão, chamando os nobres certamente obteria uma resposta.

Falando dos nobres, mesmo que fosse o filho mais velho e queria separar-se da família,
isso geralmente aconteceria bastante tarde na sua vida, quando tinham cerca de 30
anos de idade.

Antes disso, eles receberam subsídios para gastar à vontade, por seus pais que
estavam na frente de suas famílias. Porque eles já eram adultos casados e com filhos,
que foram convidados para esta mansão para se divertir.

Vinho, mulheres, drogas. Cumprimentos lisonjeiros eram pronunciados em seus


ouvidos. Conversando com outros nobres na mesma situação resultava na construção
de relações mais estreitas entre si. Ao fazer isso, eles se divertiam e estabeleciam
conexões ao mesmo tempo.

Uma vez que o nobre tomava a frente da família, que era tempo para a colheita. Se o
nobre tentava levantar-se contra eles, seria dado a vara. Por outro lado, se o nobre
estava disposto a apoiá-los, seria dada a cenoura. Então, gradualmente, eles se
infiltraram nos círculos da nobreza.

Ela caminhou pelo silencioso corredor para encontrar um pouco de água para beber.

Na verdade, ela não desprezava o silêncio, ela inclusive gosta mais do que o barulho.
Sua personalidade divertida quando os nobres estavam gritando formando amizades
era apenas uma fachada. No entanto, a atmosfera neste momento era muito pouco
natural. Este silêncio deu uma sensação de calafrios, o que a fazia se sentir como se ela
fosse a única pessoa na mansão.

“...O que aconteceu?”

Os guardas não podiam ter deixado este lugar sem dizer uma palavra. Se realmente
tinha uma situação anormal acontecendo, gritaria imediatamente de sua posição, o que
seria um mau rumo dos acontecimentos. Hipoteticamente, se fosse para voltar para seu
quarto e se esconder debaixo dos lençóis, então o quê? Ao fazê-lo, seria muito passiva.

Era necessário tomar medidas quando a situação exigia, caso contrário, poderia ser
devorada como uma presa. Esta era sua crença e ela tinha sido capaz de subir todo o
caminho de ser uma prostituta de alta classe para sua a posição atual, porque ela tinha
firmemente aderido a esta maneira de pensar.

Olhando ao redor do corredor pode ver que, aparentemente, não havia ninguém
presente, e rapidamente correu para sair deste lugar.

Ela confiava em seu próprio sexto sentido, e o lugar que ela correu foi um quarto
escondido que só ela conhecia. Aquele quarto continha muitos objetos mágicos, pedras
preciosas e passagens para escapar. Embora este lugar fosse a sede na capital, ainda
havia muitas outras bases distribuídas por toda a cidade. Parecia que era hora de fugir
para uma delas.

Prosseguindo em frente enquanto tentava o melhor para ficar em silêncio, de repente,


ela percebeu que algo estava errado.

"O que, o que é isso?”

Involuntariamente soltou um suave gemido quando viu um estranho fenômeno fora da


janela.
O vidro fino estava coberto por trepadeiras, bloqueando completamente a luz do sol
do lado de fora. Não importa o quanto tentasse, era impossível abrir a janela, nem
mesmo fazer uma pequena rachadura.

Ela freneticamente olhou para as outras janelas ao longo do corredor. Todas elas
estavam cobertas com uma hera espessa.

"Q-Qual? Q-quem...”

Antes que ela dormisse, a cena era definitivamente diferente. No curto espaço de
apenas uma hora, isso tinha sido feito. Tinha que ser o resultado da magia de alguém.

Mas quem exatamente? Qual era o seu objetivo? Ela não tinha idéia, mas sabia que a
situação era extremamente perigosa neste momento.

"Maldição!”

Amaldiçoando enquanto corria, nem mesmo se importava se seu roupão de banho


tinha caído distante. Não importa o que, era essencial chegar ao pequeno quarto
secreto.

Ao chegar às escadas, ela olhou para baixo. Havia um silêncio mortal.

Cautelosamente desceu as escadas, usando os raios de luz que filtravam de pequenos


espaços entre a hera. Graças aos tapetes espessos nas escadas, ela foi capaz de descer
sem um som. Estava imensamente grata por isso.

“—”

Só quando ela desceu as escadas que ficou atordoada com a surpresa.

Havia uma figura de pé no corredor, olhando-a fixamente. A figura em si parecia se


fundir na escuridão, mas não era como a forma que os ladrões se escondiam nas
sombras. Era porque a própria pele da figura tinha um tom escuro, sendo um Elfo
Negro com os olhos heterocromáticos que brilhavam no escuro.

O Elfo Negro saiu da escuridão. Ele usava as roupas de uma menina. Em sua mão
segurava um cajado escuro, e seus olhos estavam olhando diretamente para Hilma.

Por trás dessa misteriosa jovem estava o quarto escondido.

Ela lembrou o design da mansão e tomou sua decisão e se aproximou enquanto tremia
de medo.

Alguns nobres devem ter a trazido como uma “coisa para jogar”, nesse caso, aconteça o
que acontecer não importa.
No entanto descartou imediatamente esta ilusão.

Parecia que Cocco Doll já havia sido capturado. A fim de evitar as consequências
desfavoráveis de futuras lutas de poder, há muito tempo ela tinha rotas de fuga
preparadas para casas seguras. Como tal, os subordinados nesta mansão não trariam
pessoas irrelevantes sem qualquer tipo de relatório.

"Ei, garotinha...”

Quando emitiu um som em resposta, Hilma franziu as sobrancelhas em surpresa.

Como uma prostituta de alta classe, ela tinha cruzado com todos os tipos de pessoas. A
experiência lhe disse que o que ela viu diante dela não era uma menina, mas sim um
menino.

As roupas eram luxuosas, do tipo que a maioria das pessoas não poderiam ter em suas
mãos. Eram produtos de alta classe, mesmo Hilma não poderia obter.

Os Elfo Negros sempre tinham vivido na floresta, mas agora tinha aparecido um dentro
do Reino, usando roupas femininas extraordinariamente luxuosas.

Se a atmosfera em volta não tivesse sido tão anormal, teria assumido que ela estava
olhando para o escravo de algum nobre, usado para satisfazer desejos degenerados da
luxúria.

“...Hey menino, o que você está fazendo aqui?”

Ela se aproximou devagar e com cuidado, tentando não despertar sua suspeita.

"O-oba-san, você é a pessoa mais importante nesta mansão?”

Mesmo sendo chamada de oba-san, ela não estava infeliz. Foi algo que veio de um
jovem Elfo, como tal, dado a perspectiva passagem de tempo, certamente deve estar
certo ser apropriadamente chamada de oba-san.
Obs.: oba-san é tipo quando você vê uma pessoa mais velha e chama ela de tia.

"Não me—”

Ela cortou suas palavras, pois teve um mal pressentimento.

Ela tinha uma enorme confiança em sua intuição. Comparado com o senso comum, ela
confiava em sua intuição ainda mais, então ela tinha sido capaz de sobreviver a este
ponto. O senso comum podia traí-la, mas sua intuição nunca o faria.

"Sim. Se é assim. Eu sou a pessoa mais importante nesta mansão.”


"M-mesmo? Isso é ótimo.”

O menino sorriu. O coração de Hilma se iluminou com um desejo ardente, como se


tivesse a necessidade de profanar um objeto bonito. Era esse tipo de sorriso puro.

"U-uhh, isso não é o que eu ouvi de pessoas aqui.”

Como se em resposta às palavras do menino, a janela mais próxima se abriu. Ali estava
uma jovem garota em um traje de empregada, o corpo flutuando com o cheiro de
sangue em vez de perfume.

Hilma cobriu a boca com as mãos, contendo um grito de desespero.

A empregada estava segurando o braço de um homem em suas mãos. Os músculos do


braço pareciam como se tivessem sido arrancados desde o ombro.

"O que, o que ela..."

“Er, hum, ah, parece que alguém queria atacar esta mansão, então decidimos terminar
algumas coisas antes que essas pessoas viessem. Portanto, er, pedi a ela para ir junto.”

“Por favor, não me dê atenção. Faz tanto tempo que não me satisfazia, estou muito
satisfeita.”

Ela foi capaz de se dirigir a Hilma sem mexer a boca. Isso foi muito estranho, mas havia
perguntas mais urgentes do que isso. O que fez Hilma estremecer foi a questão do que
exatamente ela havia comido para se encher. Ela podia adivinhar, mas ela não queria
acreditar. Com aqueles pensamentos em seu coração, ela perguntou a eles:

"E-então, e-eu vou também? Também quer me comer?”

"Ah? Ah, não é isso. Oba-san é diferente.”

Não era tranquilizador. Sua intuição falou que um destino pior a aguardava.

"Então, jovem, gostaria de vir aqui para um pouco de prazer?”

O pano que a cobria lentamente deslizou, expondo seus ombros.

Este era o corpo do qual ela estava orgulhosa. Como uma prostituta de alta classe,
todos a quem atendia eram nobres da classe alta. Então, ela tinha dedicado todos os
seus esforços para eliminar o excesso de gordura, mantendo o seu encanto. Não
importa o quão honesto a pessoa era, seriam incapazes de tirar os olhos de cima dela.
Ela tinha uma enorme confiança a este respeito, e sabia que poderia despertar luxuria
mesmo nesta criança.
No entanto, ela não podia ver qualquer emoção nos olhos do jovem.

Isso também significava que o meu apelo não é tão grande como a empregada que
estava ao lado! Mesmo que eu tenha mudado de negócios, eu ainda sou uma
profissional. Mesmo que seja uma pessoa sem emoções, ainda é possível induzir um
forte desejo! Eu posso fazer isso!

Movendo-se sinuosamente como uma serpente, ela mostrou seu corpo gracioso
enquanto caminhava lentamente se aproximando de uma forma inocente.

No entanto, ela não conseguiu detectar a luxúria do menino.

Por isso, era necessário utilizar outros meios. Sua mão se moveu lentamente,
movendo-se para além do pescoço do menino — e logo ativou um objeto mágico —
Viper’s Tatoo.

A tatuagem de cobra desenhada em ambas as mãos, de repente se materializaram, com


a cobra levantando suas presas como uma foice para morder o corpo da criança.
Qualquer um que fosse mordido por esta poderosa cobra neurotóxica iria sofrer
espasmos imediatamente antes de deixar este mundo. Para Hilma que faltava
capacidades de combate, este era o seu movimento assassino.

No entanto agilmente o menino agarrou a cobra venenosa incrivelmente rápida com


uma mão e a esmagou sem hesitação.

A tatuagem de cobra lentamente retornou para o pulso de Hilma. Porque a entidade


materializada foi morta, levaria cerca de um dia para se recuperar. Durante este
período, era impossível usá-la de novo.

Tendo tomado ação e ainda foi incapaz de alcançar o resultado que havia previsto,
Hilma foi travada na pior situação possível e não podia deixar de voltar lentamente. O
que a aterrorizava mais foi o fato de que, apesar da cadeia de eventos que ocorreram, a
expressão do rapaz não tinha mudado sequer uma vez. Mesmo quando ele foi atacado,
nenhuma ansiedade, nenhuma hostilidade podia ser vista.

"Ah, ah, então vamos... se movendo.”

Para onde?

Quando Hilma levantou esta dúvida, uma onda de dor insuportável veio de seu joelho.
Foi tão grave que ele não conseguia nem ficar de pé, e sem poder fazer nada caiu no
chão.

"Aaaaaahhhhhhh!!”
Ela deu um grito de dor; a dor foi suficiente para fazê-la suar excessivamente. Ela
olhou relutantemente seu joelho e imediatamente se arrependeu de fazê-lo.

“Minha, minha, minha pernaaaaaa!”

A rótula da perna esquerda estava torcida na outra direção, e o osso se projetava assim
como o sangue vermelho — de sua carne.

Seu pé esquerdo estava torcido na direção oposta, o osso estava visivelmente exposto,
já que tinha perfurado sua carne.

Hilma ao exclamar pensou em usar a mão para pressionar sobre a área dolorida, mas o
medo a fez hesitar.

O menino agarrou os cabelos de Hilma e arrastou-a para fora.

Se alguém observar esta cena, não seria capaz de dizer que ela estava sendo arrastada
por uma força poderosa. Sua força era imensa, fazendo com que muitos fios de cabelos
fossem arrancados, no entanto, ele não prestou atenção a isso.

"Não! Não! Por favor, pare!”

O menino olhou para Hilma lamentando, mas não parou o ritmo por um segundo.

"Rápido! Vamos estar em apuros se não nos apressarmos!”


Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 22:20

Depois de ter invadido a mansão, Entoma Vasilissa Zeta saiu pela porta da frente. Ela
pegou um pedaço de papel que estava perto de seus pés, amassou em uma bola e jogou-
o para a mansão.

O plano original era para deixar a mansão limpa de seres humanos, em seguida,
recuperar livros importantes e objetos de valor antes de se retirar. Como pássaros
fugindo, não tinham que deixar vestígios de ter estado ali, e como o tempo era curto, só
levaram o que podiam. No entanto, no final, a casa estava completamente vazia, como
se tivesse sido limpa por ladrões.

Isto era completamente aceitável, porque Demiurge, que enviou Entoma e Mare para à
mansão, disse que era uma possibilidade. Mas ainda assim, o tempo que passaram lá
excedeu de longe as suas estimativas.

Junto com os outros demônios, Mare e Entoma deveriam ter voltado muito mais cedo.

Mare pegou a pessoa mais importante da mansão e seguiu para o ponto de encontro.

Porque ainda havia tempo suficiente, os demônios de classe baixa trouxeram uma
montanha de bens roubados e se preparavam para que todos evacuassem.

Isso deveria ter sido o caso, mas durante sua retirada, eles descobriram um armazém
subterrâneo que estava completamente cheio de bens roubados e drogas ilegais.

Como resultado, o trabalho de extração se tornou mais demorado.

Primeiro, a área subterrânea estava dividida em várias salas, com objetos de valor e
muitos produtos baratos empilhados juntos, por isso era muito difícil de olhar através
deles.

Basicamente, era como buscar uma árvore específica no meio da floresta. Mesmo se
fossem Entoma e os demônios, não podiam mover todos os elementos, como tal, era
necessário localizar a árvore desejada dentro da floresta.

Se a mulher levada por Mare ainda estivesse lá, o problema teria sido resolvido desde
o início, mas já era tarde demais.

Entoma e os demônios descartaram os itens considerados lixo em um lado da sala. Até


mesmo para os demônios que eram muito mais fortes do que os seres humanos, este
trabalho era bastante desconfortável. Mas, graças a este método e seus esforços, eles
foram capazes de se apossar de todos os itens que tinham valor.

A pessoa responsável, Entoma, permaneceu até o final, tinha uma nova expressão, de
alguém que tinha completado sua missão. Ela olhou para o céu à noite, usando a mão
para enxugar o suor. Embora ela não tenha derramado uma única gota de suor, era isso
o que sentia.

"Hey. Se apressem e movam os objetos para fora, pessoal...”

Obedecendo as ordens de Entoma, enormes insetos do tamanho de um homem


levavam grandes quantidades de carga em suas costas e voavam para o céu noturno.
Estes besouros gigantes foram invocados pela sua capacidade de entomomante.

Obs.: Entomomante é basicamente a mesma coisa que Necromante, porém com insetos. “Entomo” se refere a ἔντομα = Inseto em
grego antigo.

Suas asas fizeram um som de vibração pesado e baixo, logo os insetos voaram para o
seu destino formado em uma linha reta.

Depois de enviar pessoalmente os insetos que transportavam mercadorias pesadas,


Entoma refletia enquanto olhava para o objeto em sua mão.

"Ah, eu devo resistir à comida. Eu devo, eu devo...”

Com o som de um "bop" ela gentilmente bateu em sua própria cabeça, e tomou a mão
decepada de um homem na área sob o queixo. Em seguida, a mão de homem
desapareceu com um som de "chomp chomp chomp", enquanto a garganta de Entoma
se movia continuamente. Sua expressão era muito linda, mas o cheiro de sangue se
espalhou lentamente.

"A gordura das mulheres é macia e sua carne tem um gosto delicioso. A gordura das
crianças é fina, mas a carne também tem um gosto muito bom. Mas, ah, o melhor é,
naturalmente, a textura da carne de homens.”

Ela evitava agilmente os ossos enquanto comia, e depois jogou os restos da mão na
mansão.

"Obrigado pela comida!”

Ela se inclinou para a mansão, e para não se atrasar, começou a ir para o seu destino,
de acordo com as suas ordens. No entanto, não tinha dado muitos passos quando um
som próximo à fez parar.

"Yo, esta é uma noite muito agradável."

"...Isso é? Eu não acho que é bom para você, é?”


Entoma teve dificuldade em dizer se o humano que estava surgindo lentamente era
homem ou mulher. Parecia mulher, mas a julgar pela sua estrutura muscular, também
parecia um homem.

"O que você está fazendo em um lugar como este?"

"Passeando.”

“...O que você comeu tão ansiosamente naquele momento?”

"Carne.”

“...Carne humana?”

“Sim. Carne humana.”

A voz do homem-mulher era fria como gelo, mas Entoma não abalou em tudo. Ela não
se importava que tipo de emoções humanas abrigasse contra ela. Se se atrevesse a
interferir, seria esmagado; Se não o fizesse, seria ignorado. Se estivesse com fome,
seriam pegos para ser comida. Para Entoma, tudo isso totalizava a sua existência.

"Entendo. Então um monstro apareceu. Eu não esperava que a Oito Dedos criasse tais
monstros. Mas pelo que parece, eles não treinaram você adequadamente.”

Lentamente, o homem-mulher levantou sua aparência bélica. Depois de ver esta ação,
Entoma falou pela primeira vez com uma voz preocupada.

"Diga... Poderíamos apenas fingir que não nos vimos?”

Uma estranha expressão apareceu no rosto do homem-mulher. Provavelmente não


esperava que a criatura do outro lado dissesse algo assim.

“Veja bem, eu vim aqui para trabalhar também, e lidar com você seria muito chato. O
mais importante é que, neste momento, meu estomago está muito cheio.”

“...Por favor, me perdoe. Eu sou uma das aventureiras de primeira classe do Reino. Ao
me encontrar com um monstro devorador de homens, não posso deixá-lo escapar. A
sua existência no mundo humano é um problema.”

"Ah, que problemático. Mas você é forte. Nesse caso, te farei de conservas.”

Pela primeira vez, Entoma olhou diretamente para o homem-mulher.

Não podia deixar de pensar que era um poderoso guerreiro.


Mm, sim, definitivamente muito forte.

Entoma não era um guerreiro puro, pelo qual não tinha meios para avaliar a força de
seu oponente. Ainda assim, não considerou o outro caso, que esse guerreiro poderia ser
mais forte do que ela.

"Oriyaaa!”

O homem-mulher se jogou em cima, fazendo com que sua aparência bélica colidisse
para baixo.

Entoma graciosamente evitou aquele golpe. No entanto, seu oponente se recusou a


desistir e de repente mudou a direção de seu golpe, trazendo o martelo de guerra para
ela em um golpe assassino. Esse não foi um movimento gracioso que utiliza força
centrífuga, mas usando força muscular bruta para alterar com força a direção do golpe.

Mais uma vez, Entoma esquivou, saindo do caminho, e ativou sua capacidade especial.

"Oh? Você só sabe correr?”

A guerreira começou a girar, criando um enorme turbilhão de vento que circulava


sobre sua cabeça, enraizando-se no cabelo.

"Mm — você gosta de girar coisas e fazer sons de woosh woosh?”

O homem-mulher estalou a língua em resposta a essas provocações. Enquanto Entoma


ativava sua habilidade novamente, o martelo girou para o chão desde cima. Com alguma
dificuldade, Entoma conseguiu evitá-lo e a guerreira se enterrou no fundo da terra,
depois de perder seu objetivo.

Entoma provocou o guerreiro usando o mesmo movimento. Sua expressão não mudou,
o provocante explicou as diferenças em suas forças.

Enquanto Entoma se descuidava, o homem-mulher a encurralou com sua força


esmagadora.

"Te esmagarei!”

Tomando a se mesmo como um epicentro, o terreno circundante começou a entrar em


colapso, ou melhor, as rochas foram espalhadas. Era como se tivesse ocorrido um
terremoto. Pela primeira vez, Entoma foi incapaz de manter sua postura calma, mas o
efeito do objeto mágico de seu oponente não terminou completamente.

Entoma observou quando seu oponente ergueu o martelo de guerra mais uma vez, a
cabeça manchada de sujeira e detritos.
Eu subestimei meu oponente.

Entoma se repreendeu.

Evitar o ataque anterior teria sido incrivelmente fácil. Para os seres humanos seria
muito difícil escapar dessas ondas de choque transcendentais porque ao colapsar o
terreno em volta iria fazê-los perder o equilíbrio. No entanto, Entoma era uma
Empregada de Batalha e todos os objetos mágicos que possuía eram de alto nível. Este
grau de destruição era insignificante para ela.

No entanto, não foi um problema.

Evitando os escombros que se espalhavam suas roupas de serva se sujaram.

Esse assunto poderia ser perdoado? Esta era uma roupa de alto nível dada a Entoma
pelos Seres Supremos.

Então, tudo acabaria em—

A hostilidade oculta sob a máscara do rosto de Entoma emergiu.

Chega de brincadeiras.

—Morte.

Entoma se virou para encarar o martelo de guerra e ergueu o braço esquerdo. Ela não
se sentia mais como um ser humano afastando um inseto, mas algo com o desejo real de
matar. Talvez fosse diferente se ela fosse uma Guardiã de Andar, mas para alguém do
nível de Entoma, seria muito difícil sobreviver ileso se ela bloqueasse o ataque com o
braço esquerdo indefeso.

Em seguida, ocorreu o momento de contato, o som não era de metal contra a carne,
mas era o som de metal contra um objeto duro.

Um escudo foi anexado a mão esquerda de Entoma. Esta não era uma metáfora
exagerada. Um inseto de oito patas tinha aderido à figura de Entoma.

"O-O que é isso?!”

"Como pode ver, eu sou uma entomomante. Então eu posso invocar e usar isso à minha
vontade.”

Ela estendeu a mão direita e um inseto voou para fora da escuridão. Um longo inseto
parecido com uma espada tinha anexado à parte posterior da mão direita de Entoma.
"Estes é o Inseto Espada e o Inseto Blindado. No começo, não tinha a intenção de te
matar, mas isso não pode ser perdoado!”

Entoma deu um passo à frente e estendeu sua espada.

A armadura do Homem-mulher quebrou e saiu um pouco de sangue, mas isso estava


longe de ser uma ferida fatal. Ela foi completamente incapaz de evitar o golpe de
Entoma, mas sofreu apenas uma pequena lesão.

Ela tinha declarado a si mesma como uma guerreira da classe mais alta do Reino, e não
era exagero. Ao seu nível, já não tinha nenhum adversário.

Embora Entoma não fosse puramente uma guerreira como Yuri Alpha, ainda era uma
Empregada de Batalha e possuía uma força que no momento estava fora do alcance dos
seres humanos.

Entoma lançou seu ataque, mais uma vez, fazendo com que o sangue brotasse e
manchasse suas bochechas.

Desta vez, o ataque causou uma ferida muito maior do que a anterior, e já não era uma
pequena lesão.

"Seus movimentos mudaram! Essa é a sua verdadeira forma?!”

O homem-mulher rugiu de novo, movendo sua aparência bélica fortemente para baixo.
No entanto, o Besouro blindado de Entoma repeliu o martelo. O forte impacto viajou
por todo o corpo do homem-mulher, ela não poderia dar um único passo, mesmo com
sua enorme força. Enquanto lutava para se mover, o seu orgulho acendeu uma raiva
feroz no seu interior.

O homem-mulher reuniu a ira ardente de seu interior, lançando facilmente uma


combinação de ataques. Seus ataques rugiram como um tornado violento. O aspecto
assustador deste ataque foi criado através da aplicação das "artes marciais" únicas
neste mundo. No entanto, Entoma colocou o seu Inseto blindado e seu inseto Espada
com uma igualdade extrema, e saiu completamente ilesa após um combo de quinze
ataques.

Entoma não sabia que o ataque anterior era um movimento assassino da Rosa Azul,
Gagaran, que usava vários tipos de artes marciais ao mesmo tempo, um Super Combo.

Cada golpe lançado tinha o peso de sua força. Era capaz de quebrar a arte marcial
《Fortaleza》, e só um pequeno número de gênios poderiam usar a habilidade
defensiva 《Fortaleza Impenetrável》, que poderia resistir a esse ataque. No entanto,
Entoma só tinha contado com o crescimento natural de seus músculos para bloquear tal
ataque.
Isto era devido à diferença de nível entre os dois indivíduos, e também a
absolutamente esmagadora diferença entre as capacidades físicas das duas raças.

O desespero surgiu nos olhos de seu oponente, mas Entoma não sentiu nada. Ela só
queria matar seu oponente.

“—Fuuuu~”

A Gagaran não tinha ar, era como se estivesse submersa em água e ao mesmo tempo
detivesse a sua onda de ataques. O Inseto Espada na mão direita de Entoma recuou
como um arco e voou para o peito como uma flecha.

O objetivo era o peito de Gagaran. A seletiva guerreira subiu no ar, mas era tão lenta
quanto uma tartaruga. O ataque de Entoma atravessou o peito de Gagaran antes que ela
pudesse responder.

Ou pelo menos era para isso acontecer.

A espada cortou o ar. O Inseto Espada errou seu alvo, que desapareceu na noite.

Fazendo um som de *Fuu* Entoma voltou seu olhar para olhar para o intruso que
causou a interrupção.

Ao longe, havia uma menina vestida de preto. Atrás dela estava Gagaran, respirando
pesadamente.

"Desculpe, Tia. Pensei que já tinha terminado.”

"Surpreendentemente, parece que o sangue que circula através de Gagaran realmente


é vermelho~”

"Canalha! Já me viu machucada muitas vezes antes!”

"Eu pensei que você iria começar a sangrar azul agora. Para aumentar seu poder.”

"Isso não é um aumento de poder, isso já seria mudar de raça!"

"Uma mudança de profissão, então."

Ao ouvir a conversa descontraída, Entoma não podia deixar de sentir-se ansiosa. Como
um poderoso adversário, era necessário demonstrar claramente a diferença na força
em um relance, e ao mesmo tempo definir rapidamente em que posição estava.

"Bem, é hora de acabar com isso. Você já se despediu?”


Pela primeira vez, Entoma assumiu uma posição de combate. O homem-mulher,
Gagaran, não era um adversário formidável. O problema era a recém-chegada, Tia. Se as
suas roupas não eram de um assassino, então deve ser uma ninja. Essa era uma
profissão que exigia um nível mínimo de 60 para um personagem para ser usado.

Se ela realmente era um ninja, então, até mesmo Entoma não seria capaz de obter uma
vitória fácil. Agora não era o momento para estar dizendo "terminar essa luta sem usar
toda a minha força!”

"「Spider Talisman」!”

Os movimentos de Entoma foram ainda mais rápidos do que seu oponente, e ativou os
quatro pedaços do talismã que estavam em sua mão direita.

No momento em que o talismã de Entoma caiu no chão, tornou-se uma enorme aranha.

O nível dessa magia era equivalente a um 「Summon 3th Monster」, embora a


criatura invocada não fosse um monstro poderoso, seria útil para testar a real força do
oponente. Além disso, iria ganhar algum tempo para se preparar para a batalha.
Apesar das armas feitas de insetos serem poderosas, eles tinham muitos pontos fracos.
Uma delas era que invocar a arma consumia muito tempo.

"〈Jutsu: Kage Bunshin〉.”

Ao mesmo tempo, Tia ativou uma técnica de ninjutsu, sua imagem brilhou e outra
“Tia” apareceu no lugar original.

Em todo esse tempo Entoma tinha sido cuidadosa com Tia. Os clones saídos das
sombras da habilidade 〈Jutsu: Kage Bunshin〉 tinham cerca de ¼ do poder de
batalha do corpo original, mas a capacidade de esquiva das sombras era determinada
pela quantidade de poder mágico que tinha o corpo principal. Aquela sombra poderia
ser um forte rival para a aranha talismã, mas para Entoma, era moleza.

No entanto, o verdadeiro problema é o quão bem o corpo original era capaz de lutar.
Entoma invocou suas armas assassinas-insetos projeteis de aço. Ao mesmo tempo,
juntou um talismã a ela e começou a reforçar a sua habilidade.

Os insetos projeteis de aço saíram voando de um lugar desconhecido e densamente


cobriram o pulso esquerdo de Entoma.

Eram insetos de 3cm de comprimento, que tinham um brilho metálico com um corpo
em forma de triângulo e uma faca com uma ponta afiada. A sua aparência era muito
semelhante à de uma bala. Quanto à utilização deste inseto, é claro, que era óbvia
devido à sua forma.
A fim de evitar ataques da aranha talismã, o clone de sombra teve que usar toda a sua
força, e o corpo principal teve de se juntar à batalha com o clone. Depois de um longo
tempo de luta, só conseguiram matar uma aranha talismã, assim parecia que o seu nível
não era maior do que Entoma. Se fosse esse o caso, embora a batalha contra Gagaran
retornasse, a vitória permaneceria sendo incerta.

Parece que tudo isso estava previsto.

Impiedosamente. Usou sua força esmagadora para alcançar uma vitória rápida.

O peso em sua mão esquerda trouxe satisfação para Entoma e sinalizou diretamente a
Tia.

O pulso esquerdo de Entoma estava muito mais espesso do que o normal por causa
dos bichos que o cobriam. Seguindo seus movimentos, todos os insetos começaram a se
mover em uníssono com seu pulso, voando para o céu. Reunindo-se em grupos, as asas
dos insetos emitiram um som semelhante ao de uma arma automática. Mesmo os
aliados Talismã aranha estava no raio de tiro e seriam brutalmente mortos a tiros, em
um instante, um total de 150 insetos se dirigiram para Tia.

Um único inseto era o suficiente para perfurar o aço, e esses 150 insetos podem
perfurar até mesmo através de uma árvore gigante. Em vista deste bombardeio mortal
de balas, Tia ativou seu ninjutsu.

"〈Jutsu: Fudou Kongou Tate〉!”

Um grande escudo radiante com várias cores apareceu diante de Tia. Esse esplendor
foi suficiente para partir o grande escudo hexagonal escuro, criando uma colisão com o
enxame de insetos. Em um instante, o escudo quebrou com um som claro, mas também,
naquele tempo, a tempestade de insetos bala parou e Tia, que estava atrás de pé, saiu
ilesa.

Entoma não pôde resistir, metaforicamente estalou a língua, apesar de que na verdade
não possuía uma. Forçando o adversário a revelar os seus trunfos escondidos, um por
um, eventualmente, poderia iluminar o caminho para a vitória. Embora os ataques de
Entoma estivessem sendo rejeitados por agora, o momento em que um ataque penetre
através dela, a arrasaria como a inundação de uma represa quebrada.

Entoma usou o Inseto Espada para desviar da kunai e o Inseto Blindado para se
defender contra o golpe de Gagaran que vinha de cima. Foi um golpe excepcionalmente
poderoso que desceu do alto, causando danos significativos ao Inseto Blindado que
gritou de dor.

Seus olhos deveriam ter sido cegados pelo brilho que desalojou o escudo de
adamantite, por isso teria sido impossível se defender contra o ataque surpresa de
Gagaran. No entanto, os olhos Entoma não foram afetados por algo deste nível. Seu
campo de visão era mais amplo do que os seres humanos, e foi capaz de cobrir a direção
do ataque.

No momento em que Entoma determinou que o ataque perseguidor era incrivelmente


perigoso, o corpo se deixou escorregar, como se estivesse em cima de um lago —
aparentemente sem sequer mover seus pés, seu corpo já tinha recuado a uma distância
considerável de Gagaran, embora Gagaran tinha um grande corpo, seus movimentos
eram ágeis e tinha se recuperado quase completamente de suas feridas.

Ela estava com Tia, esmagando as rajadas de insetos balas de aço que faziam sons de
estalos, enquanto falava com uma voz fria:

"Isso não é bom. Não tenho certeza de que podemos ganhar contra ela. O que
aconteceu agora? Esse não era o nosso momento perfeito? Ela era obviamente incapaz
de ver nessa direção, mas foi capaz de bloquear o meu ataque...”

"Um amplo campo de visão, talvez?”

"Em vez disso, há provavelmente outros motivos, apesar de tudo. Ela tem a capacidade
de insetos, com certeza ela usou algum tipo de magia sensorial especial... Falando nisso,
tem uma vantagem esmagadora. Por que não nos atacam enquanto estamos falando?”

"Um grande predador se lançaria para matar apenas depois de determinar a


verdadeira força de sua presa.”

"Então é isso. Ela está esperando para ver o verdadeiro nível da nossa força, é muito
diferente da nossa Baixinha-chan. Este inimigo cauteloso é realmente irritante.”

"Expor-me a tal ponto por meros seres humanos, é realmente desagradável. Bem, deve
haver outras razões, por isso... agora, saiam. Nesse caso, esses insetos não me serão
necessários.”

Os insetos ligados ao pulso direito de Entoma caíram no chão, um após o outro,


desaparecendo na escuridão com um rangido.

"Em vez disso... Vamos voltar.”

Um inseto, parecido com uma centopeia, se envolveu lentamente em volta do seu


pulso. Seu comprimento de corpo era mais de dez metros de comprimento, na parte da
frente tinha dentes anormalmente afiados e seus olhos ainda estavam fechados.

Este era o inseto mais forte que ela, uma entomomante, poderia invocar — o Inseto de
Mil Chicotes.

Entoma colocou sua força em ambas as pernas. Ela já tinha percebido a velocidade de
ataque, a capacidade ofensiva, capacidade defensiva, a capacidade evasiva e velocidade
do movimento dos dois seres humanos à sua frente. Embora ela não estivesse tão
segura sobre a capacidade de Tia de se adaptar a novas situações, não era uma dúvida
suficiente para assustá-la.

"Ah.”

Entoma usou a mão para tocar seu queixo, que estava coberto com um pegajoso
líquido transparente.

"Antes, meu estômago, certamente, estava cheio. Mas depois de um pouco de exercício,
está começando a soar pela fome.”

O que estava em sua mão era sua saliva. Este foi o sinal mais claro que ela ansiava por
aquelas duas como sua presa.

Os seres humanos eram seu alimento favorito. Até agora, só tinha sido capaz de ter um
banquete de frituras de vegetais com o fim de satisfazer seus desejos, é claro, ela não
veio a odiar o Ser Supremo por causa disso. Além disso, ela recebeu permissão para
comer uma das mãos humanas que tinham sido cortadas durante as experiências de
cura, tiradas de um homem que tinha sido capturado em uma aldeia ao acaso. Pensou
nisso como um sinal pessoal da grande bondade de seu senhor, Ainz.

Para Entoma, que estava se contendo todo esse tempo, os seres humanos da elite em
frente a ela foram os alimentos da mais alta qualidade. Não podia simplesmente deixá-
las sem ter uma única mordida!

As duas pessoas que se banhavam no olhar voraz de Entoma não conseguiam parar de
tremer. Esta não era uma pequena reação ao enfrentar as intenções assassinas de um
poderoso inimigo, ao invés, era a aversão psicológica natural de ser visto como o alvo
predatório de um animal. E isso as fez tremer involuntariamente.

"Aaaaaaaaaahhhh!”

Seu grito estridente foi mais rápido que o som do estalo de uma placa de polietileno.
Esta era a primeira vez que Entoma começou um ataque desde o início da batalha.
Como um predador no ato de capturar sua presa, se lançou diretamente em uma
velocidade incrivelmente rápida.

Entoma usou o Inseto Blindado para bloquear as seis kunais jogadas


consecutivamente, e aproximou-se dos seus objetivos.

Quando viu Gagaran balançar sua arma e dar um passo à frente para estar na
vanguarda, já tinha decidido qual rival a privaria de sua capacidade de combate.

Na mão direita brandia um chicote. Tratava-se de um longo chicote, a velocidade da


ponta deveria ser relativamente lenta. Isso era de se esperar, mesmo se ele fosse usado
por Entoma, que possuía uma força sobre-humana. Essa era a única lógica, se o que
estava brandindo era um chicote comum.

A única coisa que se movia em torno era o inseto mais poderoso que a entomomante,
Entoma, poderia invocar.

Normalmente, se supõe que é um chicote na forma aproximada de um arco, mas


resultou em disparar em um ângulo inimaginável. Aquele chicote era como uma
extensão da mão de Entoma. Inclinou-se em forma de S antes de ter sido lançado contra
Gagaran na velocidade de um raio.

Era uma criatura viva, e, ao mesmo tempo, uma arma, ainda assim golpeava de uma
maneira não natural para ser uma arma. Muitos aventureiros experientes nunca tinham
ouvido falar disso, muito menos tiveram de enfrentar. Vendo pela primeira vez, não
saber o que fazer era uma reação natural.

Mas o fato de que elas poderiam evitá-lo, provou que elas eram aventureiras
adamantite.

O Inseto de Mil Chicotes estava prestes a golpear um lado do corpo de Gagaran, no


entanto, ela tropeçou para evitar o ataque.

"Tenha cuidado!”

Tia tinha gritado em voz alta, Gagaran voou. Esta era uma habilidade ninjutsu de Tia —
〈Jutsu: Bakuenjin〉. A aparente auto-implosão da explosão e as chamas cercaram as
duas, e o Inseto de Mil Chicotes, que fez uma mudança 180° na direção de trás de
Gagaran, só conseguiu atacar no lugar onde tinha estado sua cabeça.

Se não fosse por este movimento quase suicida, certamente a cabeça de Gagaran teria
sido perfurada pelo Inseto de Mil Chicotes. Foi uma grande esquiva. No entanto, o
ataque de Entoma não terminou aí. Como se estivesse sendo manipulado por cordas, o
Inseto de Mil Chicotes atacou a partir de ângulos que eram difíceis de defender,
mudando constantemente à medida que tomava golpes fracos de Gagaran.

Ao mesmo tempo, Entoma lançou um talismã para Tia — 「Talisman: Lightning Bird
Swarm」

Enquanto no ar, o talismã tornou-se um pequeno pássaro elétrico de cor branco


azulado, e saltou para Tia.

Havia dois adversários, e um deles estava sendo atacado por um inseto. Esse era o
momento para mostrar a força dos entomomantes.
Houve uma explosão de raios e o clarão branco azulado se espalhou em todas as
direções. A primeira a aparecer foi Tia, que estava suportando grande dor, então
Gagaran, que estava lutando para se defender contra o Inseto de Mil Chicotes.

"Droga! Este inseto é realmente irritante!”

A cabeça de Gagaran foi empurrada contra a sua figura esbelta, e seu corpo foi cercado
por um longo inseto de dez metros, de uma forma que a fez incapaz de se mover.

Tia avançou e tentou esfaquear Entoma com sua adaga mágica. O ataque atingiu seu
Inseto Blindado fazendo um som metálico forte.

“「Talisman: Lightning Bird Swarm」”

Entoma levou vários talismãs na mão esquerda e jogou-os para fora. Os talismãs
tornaram-se vários pássaros menores do que o anterior. Os pássaros voaram para Tia,
que passou a se esconder. Eles não conseguindo encontrar seu alvo, pequenos pássaros
voaram na direção por trás dela.

Tia de repente apareceu atrás de Entoma de uma sombra fora de sua linha de visão.
Essa era uma habilidade em que ele usava sombras para viajar distâncias curtas. No
entanto, Entoma já tinha notado seu movimento, porque algumas antenas de insetos
podiam sentir o fluxo de ar ao redor. Esta era a habilidade detecção de longo alcance
que Entoma possuía.

Então, Entoma jogou os poucos restos de insetos balas aço para Tia, que emergia da
sombra.

"Ku...!”

Um doloroso gemido veio das sombras e o cheiro de sangue fresco pairava no ar.
Confrontados com Tia, que estava sangrando, mas ainda disposta a lutar, Entoma
começou seu ataque perseguidor.

"「Explosive Talisman」!”

Explosões mais poderosas do que as anteriores apareceram diante de Tia, iluminando


a noite escura. Contra Tia, que havia sido arrasada e deitada no chão, Entoma, mais uma
vez lançou um talismã de corte afiado e um talismã vento forte. Tia estava coberta de
sangue e nem sequer teve tempo para se levantar antes de ser cortada, arrastada e
jogada ao chão novamente.

"Tia! ...Sua— inseto desgraçado!”

A voz veio de Gagaran, que estava gravemente ferida, sua forma parecia a de uma bola
devido ao Inseto de Mil Chicotes.
O plano original era que enquanto Gagaran usava sua força bruta para parar o Inseto
de Mil Chicotes, Tia poderia aproveitar a oportunidade para lançar um ataque surpresa
no corpo de Entoma.

Entoma ridicularizou a tentativa sob sua máscara.

Que seres tolos.

Como uma Empregada de Batalha da Grande Tumba de Nazarick, triunfando sobre os


seres humanos desse nível, era de se esperar. A melhor opção para elas teria sido a de
ignorar o fato de que ela estava comendo carne humana e correr com todas suas forças.
Só porque tomaram a decisão errada, este cenário tinha sido implantado.

“...Esta ordem é diferente do que era previsto, por isso, não pode fazer mais nada. Bem,
então, qual delas devo comer primeiro? Esses músculos desenvolvidos devem ser
extremamente deliciosos né.”

Entoma novamente invocou um inseto, mas não o tipo de inseto com uma feroz
capacidade de combate. A agulha da longa seringa em seu corpo continha sedativos.

Entoma pegou o inseto e rapidamente foi para Tia.

Parece que eu posso trazer para casa algumas especialidades locais como uma
lembrança. Existem muitos na Grande Tumba de Nazarick que iria desfrutar da captura
de seres humanos para o alimento.

Eles, certamente, queriam muito esse presente.

"Huh? O quê?”

A intuição superior de Entoma a advertiu de um longo objeto frio voando em sua


direção a partir de acima de sua cabeça, e rapidamente saltou a uma distância. Ao
mesmo tempo, a arma longa cravada no ponto que Entoma tinha acabado de ocupar.

Era como uma lança de cristal usada pelos cavaleiros, mas não era um item comum.
Não se podia ver até mesmo a menor rachadura na lança de cristal que tinha
conseguido esmagar as rochas.

"Isso é... magia?”

O sistema espiritual de lançamentos mágicos de Entoma sentiu algo mágico sobre essa
lança.

"Você está certa. Esta é uma magia de quarto nível 「Cristal Lance」!”
A única que respondeu à pergunta de Entoma foi a pessoa que desceu lentamente
sobre as rochas despedaçadas pela lança. Era uma garota jovem, com uma voz de
criança, seu corpo era pequeno, usando uma máscara e um vestido.

Outro inimigo, Entoma não poderia deixar de murmurar. Outro intruso tinha
interrompido no meio da captura de sua deliciosa presa. Era muito cruel que ela ainda
tinha que suportar as tentações da comida deliciosa.

"Vamos acabar com ela aqui?”

“...Quem é? Eu posso te perdoar se você deixar este lugar imediatamente. As crianças


são muito suaves, eu gosto, mas não tem carne suficiente neles. Eu vou brincar com
você na próxima vez, depois de comer essas duas.”

"Então é isso que você é. Um devorador de pessoas, certo? Mesmo vestindo uma roupa
de empregada, que tipo de piada está tentando fazer? Quem iria querer estar com um
monstro que tem cheiro de sangue?”

"O QUE VOCÊ ESTÁ DIZENDO?! PUTA!”

Sem parar para pensar, Entoma deixou escapar sua voz real, então imediatamente
tomou medidas drásticas em sua garganta.

O insulto foi o suficiente para fazê-la perder a compostura e nunca perdoaria essas
palavras que disse a jovem garota. Não foi por causa de seus primitivos instintos de
predador, era porque estava de muito mau humor no momento, queria destroçar a
mulher em sua frente em pedaços.

O que essa mulher disse?! Para mim, uma Empregada de Batalha, que é uma existência
de alto nível dentro da Grande Tumba de Nazarick?

A ira se libertou do fundo do seu coração.

"EU VOU MATAR VOCÊ!”

Não podia deixar de gritar com sua voz real, restringindo-se a si mesma de perder a
compostura.

"Evileye!”

Tia gritou o nome da garota mascarada. Entoma falou ao inimigo que já estavam
destinados a serem exterminados com o seu poder:

"Eu me pergunto o que é que você será para... mim, mim... Fazendo sua primeira
aparição, eh? Parece que estais avaliando a diferença de sua força com a de seu
adversário. Você deve estar pensando que é mais forte do que aquelas duas... mas você
é ainda mais fraca do que eu, certo?”

Ao ouvir a provocação de Entoma, Evileye não se conteve e gritou:

"Então, meus companheiros estavam realmente sob o seu "cuidado"? Você monstro.
Venha, deixe-me dar-lhe um gosto de ser uma vítima de abuso.”

Entoma não tinha idéia de que uma raiva feroz queimava sob a máscara do seu
adversário.

Entoma, que estava severamente provocada com a intenção de matar, correu para
frente. Em sua mente só dominou o ódio, as outras duas pessoas haviam se tornado
perturbações, no mesmo nível das pedras do lado de uma estrada.

Ela chegou a dizer que ninguém iria desfrutar de minha companhia?

As mesmas palavras foram repetidas uma e outra vez em sua mente.

Ao mesmo tempo, o Inseto de Mil Chicotes começou a se mover. Entoma deixou cerca
de um metro, e com o resto formou em uma grande esfera. Enquanto Gagaran estava na
parte central dessa forma.

"Morra junta com suas companheiras, que mulher desagradável!”

Ela girou o Inseto de Mil Chicotes para baixo como um martelo.

"Hmph. Que ataque chato.”

Evileye permaneceu relaxada.

"「Reverse Gravity」.”

Entoma resistiu a magia, mas o Inseto de Mil Chicotes perdeu seu peso gravitacional e
flutuou para cima.

Se o usuário equipado resistisse ao ataque com êxito, seu equipamento seria


igualmente resistente. No entanto, no caso de armas de insetos, não era o usuário
equipado, era mais como os próprios insetos que tinha que fazer a resistência.

Já que era assim, mesmo se Entoma não fosse afetada, isso não influencia sobre as
armas de insetos. Esta era uma das suas deficiências, embora os insetos pudessem
atacar de forma autónoma.

Mesmo que fosse Entoma necessitaria descartar seu plano original ao enfrentar um
tipo de magia assim.
Sentindo a intenção de Entoma, o Inseto de Mil Chicotes, de forma graciosa, retirou-se
de Gagaran. Com a velocidade de uma fita métrica retrátil, se formou em longo inseto
chicote de dez metros de comprimento. Enquanto isso acontecia, Evileye deu instruções
a Gagaran, que estava deitado no chão.

"Gagaran! Saia do caminho! Vá e rapidamente cuide das feridas de Tia! Se você já usou
o poder de suas luvas, então, use uma poção de recuperação!”

As duas pessoas feridas vão se recuperar. Se apenas fosse assim, então não haveria
nenhum problema. O fato de que essas duas pessoas eram inimigas de Entoma não
tinha mudado, mas considerando o magic caster na frente dela, a situação era diferente.

Evileye e Entoma estavam no mesmo nível. Se eles viessem ajudar a magic caster, a
situação se tornaria desfavorável.

Desta vez, Entoma decidiu usar o trunfo final já que ela estava relutante.

Ela já tinha usado antes para eliminar todos os inimigos dentro da mansão com um
único sopro, deixando mais dois usos para quando necessário.

Esse era um sopro que desprendia moscas carnívoras, um sopro voador.

Esse sopro não era emitido para digerir melhor a carne, em vez disso, as moscas
colocariam seus descendentes vermes dentro da carne. Os vermes continuamente
infligiriam danos de dentro do corpo da vítima. O passo seguinte era ainda mais
assustador, um grande enxame de moscas emergiria do cadáver, e, em seguida,
indiscriminadamente, atacariam outros seres que estavam dentro da área de efeito,
exceto o usuário da habilidade.

Entoma estendeu sua garganta. A boca com que ela falava era na verdade sua
mandíbula inferior. Para outros, isso era um espetáculo assustador, era como se sua
mandíbula tivesse um deslizamento separado. E então — ela cuspiu um enxame de
moscas.

"Você! Esse poder pode estar associado com os Deuses Demônios! Nesse caso!”

Evileye, que revidou, lançou uma névoa branca.

Embora o uso de um gás frio para combater o ataque fosse uma jogada muito
inteligente, seria muito difícil de anular completamente os seus efeitos. A magia mais
adequada a se usar teria sido um explosivo para assar o enxame inteiro de moscas.

Seu oponente tinha cometido um erro.


A mente de Entoma já tinha visualizado o cenário, onde Evileye séria devorada pelos
vermes, mas a contra-magia usada por ela foi muito além de suas expectativas.

Todas as moscas, cobertas de névoa branca, mergulharam no ar, em seguida, o


nevoeiro envolveu Entoma. Naquele momento, Entoma sentiu uma dor intensa
excruciante.

"Uwaaaaaaahhhh!”

O rosto da empregada entomomante evaporava como se um ácido tivesse sido


espirrado sobre ela.

No início, o objetivo era anular o gás que o inimigo lançou, mas não esperava que o
nevoeiro revelasse a verdadeira face do inimigo...

"Hey, hey, essa pode ser nossa chance?”

Gagaran, que havia assumido uma posição de combate com a sua grande figura bélica,
encontrou uma oportunidade de acabar com essa luta. Se ela realmente tinha estimado
a força de seu oponente, era preciso acabar com essa luta com um único ataque.

Gagaran não continuou seu ataque por conta do inseto chicote gigante de dez metros
de comprimento, que começou a se mover de forma violenta, de modo que ela não
conseguia chegar mais perto. No entanto, este foi apenas o espasmo de uma criatura
derrotada.

"Isso... que tipo de magia é?”

Evileye respondeu à pergunta de Entoma.

"Magia Inseticida 「Vermin Bane」. Duzentos anos atrás, houve um Deus Demônio
inseto, e essa magia foi desenvolvida a fim de repelir insetos usados por esse demônio.
Bem, é uma magia original que me ocorreu.”

"Ei! Essa magia deve ser inofensiva para nós, certo?”

"Na verdade, é inofensivo. É especialmente eficaz em insetos, mas não causa o menor
dano para outros organismos.”

“...Seu rosto derreteu.”

"Tia, esse é o seu verdadeiro rosto... Huh! Não, isso não é um rosto humano!”

Quando Evileye gritou, todo o rosto da empregada entrou em colapso, como uma cena
em que uma pele do rosto tinha sido abandonada e foi deixada cair no chão. No entanto,
houve uma diferença, a pele do seu rosto, que tinha caído no chão, tinha muitas patas
de insetos na parte de trás.

"Isso não pode ser... é um inseto com uma máscara...”

"KAHoooOOoH!”

A garganta de empregada foi exposta. Uma rachadura apareceu em sua garganta


aparentemente dura, e uma grande parte líquida da matéria caiu. Parecia vômito, mas a
maior diferença disso era o fato de que este objeto se arrastava pelo chão.

"Mas que...”

Isto era realmente surpreendente, mesmo para Evileye, que ficou chocada com a
surpresa. Era a primeira vez que ele tinha visto tal espetáculo em sua longa existência.

"Um Inseto Boca.”

Tia disse à criatura-sanguessuga coberta de muco, que tinha caído na estrada


pavimentada.

"Um inseto que consome cordas vocais humanas e imita a voz de suas vítimas.”

A extremidade dianteira da sanguessuga cor de carne tinha uma parte que se parecia
com os lábios de um ser humano. Com um "ah, ah", se livrou da linda voz de empregada.

Entoma tinha a atenção de todos, as mãos da empregada, que cobriam o seu rosto,
caíram lentamente, revelando um aspecto que era exatamente ao de um inseto.

A aparência assustadora fez os membros de Rosa Azul involuntariamente darem um


passo para trás. Embora já tivessem experimentado o terror quando viram cair a
máscara de insetos ao receber a magia inseticida, esse espetáculo reacendeu seus
medos.

Um monstro além deste mundo o tinha invadido. Eles não podiam deixar de se sentir
como uma sombra que espreitava seu mundo.

"REAlmENte, rEAlmenTE vOCê sE atREvE...”

Obs.: Uma maneira de representar por texto o tom estranho da voz de Entoma.

A voz rígida era difícil de ouvir.

"Sua voz não era mais linda? Pessoalmente, eu prefiro essa voz.”
A hostilidade de Gagaran estava à beira da erupção. Ela era o membro mais humano da
Rosa Azul. Estava cheia de emoções enquanto rezava pela alma da garota que foi
sacrificado para dar voz ao Inseto Boca, e puxou sua arma com mais força.

"COmO SE ATReVEM, UNS SImpLES SEReS HUMaNoS, AAAAAAHHHHHHHH!”

Nas batalhas anteriores, Entoma tinha lutado contra o inimigo com facilidade. No
entanto, nesse momento, não tinha o seu habitual espírito calmo.

Bem, já não havia necessidade de segurar. Era hora de começar seu ataque feroz.

"A verdadeira batalha começa agora! Nenhuma de vocês devem relaxar! Preparem-se
para lançar seus ataques mais fortes do que antes!”

Evileye avisou as outras duas, mas elas já tinham previsto isso antes dela falar.
Preparando sua determinação para uma luta até a morte!

As costas da empregada inseto explodiram de repente, e quatro pernas de aranha se


estenderam debaixo de suas roupas. Essa posição parecia como se tivessem brotado
novas pernas em suas costas.

Com esses pés recém-saídos, Entoma saltou muito alto. Para aqueles que a olharam,
teriam concluído que ela estaria sob o efeito da magia do voo.

De cima, o monstro cuspiu moscas carnívoras para o povo.

Ao estalar sua língua, Evileye lançou novo 「Vermin Bane」.


"sÓ pARa vOcês, meNiNas! LhEs mOstrAreI o siGnifIcadO do vErdADeiro teRRor! ApóS
matÁ-las, TodAs vOcês SeRão bOnECas cAdávEreS!”

Assim que chegaram ao chão, as moscas carnívoras foram completamente destruídas.


A empregada inseto usou seus olhos arregalados para olhar para o rosto de Evileye. De
fato, apenas Evileye era capaz de se comparar em força com esse monstro. Se Evileye
perdesse, então é desnecessário dizer que a vitória seria impossível e ambas, Gagaran e
Tia, seriam massacradas. No entanto, seria insensato se concentrar apenas em uma
coisa.

A seletiva figura bélica de Gagaran veio de seu lado.

Mesmo se Evileye tivesse uma vantagem, elas não podiam se dar ao luxo de
desperdiçar chances contra um adversário tão poderoso.

Ela sabia que seria muito provável sofrer lesões graves se fosse interceptada. Por isso
optou por lutar ao lado de seus companheiros. Evileye sorriu sob sua máscara. Se ela
fosse desmascarada elas definitivamente tirariam sarro de seu sorriso.

O monstro que estava prestes a escapar do ataque de Gagaran de repente parou


de se mover. Isso foi devido à habilidade ninjutsu de Tia, 〈Jutsu: Fudou
Kanashibari〉. O monstro tinha um alto nível de resistência, era mais como uma
habilidade de invalidação, porque seria impossível selar completamente os seus
movimentos. No entanto, a criação de uma abertura, mesmo que por um breve
momento, seria apoio suficiente para Gagaran.

O monstro cuspiu de sua boca uma teia branca melhorada com 「Powerful Strike」.
Tinha teia suficiente para tingir de branco a parte superior do corpo de Gagaran.

Gagaran encontrou dificuldade em romper ela mesma a teia de aranha dura e


pegajosa. Seu ataque foi interrompido, e tropeçou enquanto se retirava. Em seguida, o
monstro se aproximou dela.

"「Cristal Lance」!”

Apesar da lança ter se cravado nas profundezas de Entoma, ela não parece ter muita
dor. Tranquilamente invocou insetos que apareceram da escuridão e se reuniram
densamente em seu pulso formando uma massa volumosa.

"「Vermin Bane」!”

O gás branco soprou sobre os insetos, e caíram um por um. O monstro


involuntariamente soltou um grito terrível de dor.
Ao mesmo tempo, a boca, que estava em um lugar equivalente ao de uma mandíbula
inferior humana, cuspindo um tipo de teia de aranha para Evileye, como fez antes com
Gagaran.

Se usasse magia para bloquear isto, seria simplesmente um desperdício de poder


mágico. Desde que pode anular qualquer magia de restrição, é provável que possa
tomar esse golpe, espere, isso não é...

Em pânico, Evileye ativou sua magia. O material feito de seda foi cuspido, mas em
comparação com aqueles que foram jogados em Gagaran, esses fios emanavam um
brilho rígido.

"「Crystal Wall」!”

A barreira de cristal diante dela se quebrou como se tivesse sido cortada em dois por
uma espada afiada, e quebrou do nada.

"É uma teia de aranha cortante!?”

"Um presente para você!”

A malha de fios pretos que Tia lançou se expandiu no ar, mas não pôde envolver todo o
monstro. Entoma simplesmente passou através da malha como um fantasma.

"Na verdade, ela é imune a qualquer técnica de obstrução!”

"Gah! Tempo de formação de combate!”

A fim de manter distância da Empregada de Batalha, que se aproximava dela, Gagaran


chutou com a intenção de afastar o seu adversário.

Sua bota se chocou com a empregada, criando terrível som metálico.

Gagaran se retirou enquanto se concentrava em manter a distância, em seguida,


reuniu-se com os outros membros da Rosa Azul. Todas se reuniram, prestando especial
atenção a qualquer ataque com área de efeito.

"ChIkU ChIKU, eStES atAquES... SãO tãO chAtoS!!”

Enquanto observavam a boca-mandíbula da empregada murmurar sem parar, Gagaran


sussurrou para Evileye:

"Você ouviu aquele som agora? Seu traje de empregada é tão duro quanto a minha
armadura. É realmente incrível.”
"Deve ter sido tecido com cabos de metal resistentes. Dada a sua forma elegante, a
dureza deve ser bem acima disso.”

"Adamantite... parece que também está bem acima disso.”

"Oh, por isso que não está no mesmo nível? Seu equipamento é de uma qualidade
inimaginavelmente alta, por isso a minha magia elementalista de terra não será de
muita utilidade. É provável que também tenha um equipamento que reduz o dano
mágico. Os ataques especializados não irão afetá-la muito...”

"O que isso significa?”

A dúvida de Tia fez com que Evileye sorrisse sob a sua máscara.

"Vamos acabar com isso de frente com poder de fogo esmagador.”

"É mais fácil falar do que fazer, certo? Como é que vamos conseguir? Estaremos
destruídas se não agirmos logo. Além disso, ela também usa talismãs para se
fortalecer.”

"Pessoal, usem suas técnicas mais poderosas! Vou usar a magia inseticida.”

“...Isso é fácil de entender. Bem, vamos para o nosso ataque final.”

Embora elas dissessem que iriam atacar com um esmagador poder de fogo em um só
golpe, na realidade não era tão simples.

Evileye geralmente usa 「Sand Field: One」 ou 「Region Petrification」 para impedir
o inimigo e apoiar os seus guerreiros, mas esses métodos não iriam funcionar contra a
empregada.

Se quisessem infligir dano, seria melhor deixar nas mãos de guerreiros como Gagaran,
que fazem danos físicos. Evileye só precisava chegar a um plano de contingência em
caso de que esta estratégia não funcionasse. Sempre tinha acreditado que se concentrar
exclusivamente em ataques mágicos não era ruim, mas a situação exigia uma medida
desesperada.

Os magic casters baseiam-se exclusivamente em ataques mágicos de segunda


categoria. Isso é o que pensou pessoalmente, mas desta vez terá que fazer concessões.

Evileye começou a ajustar a si mesma para a magia que estava prestes a usar.

Embora 「Shard Buck Shots」 fosse o método mais eficaz de ataque, suas
companheiras de equipe seriam presas na área de efeito. O consumo de mana da sua
magia original, 「Vermin Bane」, era muito grande e seria melhor reservá-lo para
quando o adversário invocasse mais insetos. Isto significava que o tipo mais adequado
de habilidade para usar era agora sua odiada magia de tipo de ácido.

As três trocaram um breve olhar, o que confirmava que os preparativos estavam


completos, e atacaram juntas.

Evileye usando 「Acid Splash」 como seu principal ataque. Enquanto Tia, que tinha
um fraco poder de fogo, se baseou principalmente em artigos de apoio. Gagaran
continuamente ativava suas artes marciais, executando uma enxurrada interminável de
ataques.

Depois de um tempo, a rumo da batalha começou a mudar.

O adversário que era incrivelmente forte. O lançamento de muitos tipos de teias de


aranha, ataques mágicos baseados em talismãs e insetos invocados eram seu ataque
ofensivo. Para não mencionar os seus objetos mágicos que eram mais poderosos do que
os dos membros da Rosa Azul.

Embora o número de consumíveis, como poções de recuperação, estavam começando


a acabar, a empregada inseto começou a recuar de forma constante.

Se alguém perguntar o que tinha causado a mudança do rumo da batalha em seu favor,
Evileye incharia seu peito e responderia “Companheiros!”.

Não havia dúvida de que Gagaran, Tia e Evileye eram de uma classe mais baixa em
comparação com esse monstro, mas ainda assim criaram oportunidades. Ser capaz de
atacar e se recuperar ao mesmo tempo criou uma situação favorável.

Em particular, tendo os meios para se recuperar e apoio de recuperação através de


suas companheiras de equipe, fazia uma enorme vantagem. Aos poucos, a situação
tornou-se uma certeza.

"Desde que não o estraguemos, podemos derrotá-la com isso!”

Parte 3

Mês, Baixo Fogo (9º mês),4º Dia, 22:27

O resultado da batalha.

Finalmente, a empregada inseto se chocou contra o chão como uma marionete cujas
cordas tinham sido cortadas.
O consumo de mana de Evileye tinha sido muito severo, e seus consumíveis estavam
quase esgotados. Do ponto de vista económico, ela estava com uma quantidade muito
seria de dívida.

"Ganhamos!”

Gagaran que estava coberta com feridas declarou sua vitória com uma respiração
pesada. Ela não deixou uma única poção de recuperação, e tinha ferimentos externos,
mas sua resistência física a sustentava.

"Corte a garganta daquilo.”

"Certo.”

Evileye aprovou a sugestão de Tia. A empregada inseto estava nas últimas, mas ainda
não estava morta. O fato de ela ainda estar fazendo barulhos de chilrear era a melhor
prova disso.

Agora que ela não tinha a capacidade de lutar, seria melhor tirar a vida dela sem
hesitar.

Tia deu um passo à frente, empunhando sua lâmina, e então seu corpo congelou no
lugar. Evileye sabia o motivo disso sem ter que perguntar o porquê.

"Eu acredito que será tudo por agora."

Inacreditavelmente, um homem de repente apareceu na frente da empregada inseto


para impedi-la.

Ele estava vestido com roupas estranhas que nunca tinham visto antes nesta região.
Pelo que Evileye sabia, esse era um tipo de roupa usada no sul, conhecido como “terno”.
O homem usava uma máscara e eles não podiam ver seu rosto.

No entanto, ele definitivamente não era humano. Isso porque uma cauda saia de sua
cintura.

"Ei, você é amigo da Evileye?"

Idiota!

Evileye hesitou. Sua presença dominante atingiu-a como se todo o seu corpo tivesse
sido atingido por um raio. Se ela olhasse para sua mão direita, ela descobria que estava
coberta de suor.

"—Você está bem? Deixe o resto para mim. Volte primeiro e se recupere.”
Ele ignorou os membros armados da Rosa Azul de pé na frente dele e falou em um tom
amigável com a empregada inseto. Embora fosse o inimigo, ele deu aos outros uma boa
impressão de si mesmo. No entanto, Evileye sabia que este não era o caso.

A sensação de formigamento de medo chegou à ponta de seus próprios pés, e este


sentimento era muito real.

Com seu instinto de sobrevivência gritando, ela prendeu a respiração e, em seguida,


falou com uma firme determinação para Gagaran e Tia que estavam paradas de lado.

“...Fujam! ...Idiotas, ignorem o fato de que eu estou aqui e ouçam. Isso... é uma
existência muito poderosa. Um monstro entre os monstros. Não importa o que
acontecer atrás de vocês, usem todas as suas forças para escapar.”

“...Então, o que vai ser de você?”

Gagaran perguntou com a voz amarga.

"Não se preocupe com isso. Eu vou arrastar isso até que possam escapar, em seguida,
usarei imediatamente 「Teleportation」 para sair daqui.”

Sem saber o que tinha feito à empregada inseto ferida que não achava que seria capaz
de se mover, com passos inseguros se colocou de pé. Ela não foi vista usando alguma
magia de cura, e parecia que tinha consumido algum item.

Do nada apareceu um inseto conectado as costas da empregada inseto. Deixando para


trás alguns sons "Yeeh", ela se foi voando à noite.

Assistindo impotente a sua fuga, Evileye foi incapaz de tomar qualquer ação por causa
deste homem de pé diante dela. As outras duas eram o mesmo, com a testa encharcada
de suor e seus corpos petrificados, incapaz de se mover.

Depois de ver a empregada sair. O homem virou-se para Evileye.

Depois de viver por mais de duzentos e cinquenta anos, tinha chegado a cruzar com
seres poderosos de todos os tipos. Ainda assim, a aura que emanava dele era
excepcional. Não, se tratava de uma maldade repugnante e revoltante que, em
comparação com os outros, se encontrava em um nível impossível.

Como um ser poderoso, que deveria estar no mesmo nível que o Platinum Dragonlord
certo? Porque ele é muito poderoso, já está claro quem é mais forte.

"Já esperei tempo suficiente. Agora, uma vez que o tempo é curto, devemos começar
imediatamente?”

"RÁPIDO!! FUJAM!!!”
Evileye gritou.

As duas se viraram e fugiram como cães selvagens. Não havia nenhuma maneira de
que elas não se sintam culpadas por deixarem uma companheira para trás. Foi
precisamente por causa desta culpa que elas só tinham escolhido fugir depois que
Evileye terminou de falar. Elas confiaram em sua companheira. “Se é Evileye, nada
poderia ser feito. Se é Evileye, a fuga deve ser possível!”

No entanto, esse pensamento foi anulado imediatamente.

"Em primeiro lugar, não saiam durante as apresentações. Não é tão doloroso, deixe-me
bloquear o seu movimento, 「Dimensional Lock」dar uma saudação antes de sair é a
etiqueta apropriada, e mais charmosa.”

Esta era uma habilidade que só podia ser usada pelos demônios mais fortes ou anjos, e
tinha o efeito de área de impedir que ninguém ao redor utilize magia de transferência.
Evileye e a estratégia de fuga da sua equipe tornaram-se inúteis.

No entanto, este não era o principal problema. Eles sabiam desde o início que a melhor
estratégia seria deixar alguém para trás como retaguarda, e que era impossível para
essa pessoa voltar com vida.

"A morte é natural. Os jovens sobrevivem, enquanto as pessoas mais velhas morrem.
Esse é o caminho certo da natureza.”

Com uma experiência de vida de mais de 200 anos, a menina disse adeus, como ela
provocou o adversário na frente dela não teria nenhuma chance contra ele.

"Agora, primeiro as damas. Mas se não vão fizer nada, deixe-me fazer o meu ataque.”

Uma quantidade assustadora de intenções assassinas foi vomitada entre as suas


palavras. Evileye recuperando-se mentalmente, empurrando o sentimento de terror
dentro dela.

Sou Evileye. Uma mulher das lendas. Não importa quão forte o inimigo seja— eu o
enfrentarei!

"Tais intenções amáveis, então, eu vou agir preventivamente. Com isto 「Maximize
Magic: Shard Buck Shots」!”

Ela usou a magia que estava tão orgulhosa desde o início. Muitos cristais menores que
o tamanho de um punho dispararam em um padrão disperso.
Estes eram fragmentos de cristais com extremidades dianteiras afiadas. Originalmente
iriam ser usados no combate corpo a corpo para infligir danos enormes, mas não estava
claro como abordar esse arquidemônio em frente a elas.

Embora tenha reafirmado sua decisão, ela ainda se continha um pouco. Evileye
zombou de si mesma. A força do inimigo era desconhecida, por isso lutar
cautelosamente era natural.

O demônio mascarado abriu os braços em um gesto de boas-vindas. A chuva de balas


de cristal o atingiu de frente — e a magia desapareceu. A magia desapareceu tão rápido
que era como se nunca tivesse existido.

"Isso é um talento racial, a invalidação de magia? Ou é porque a diferença de força é


realmente tão grande?”

Se havia uma lacuna significativa na força, magia facilmente ficaria sem efeitos.

Evileye ignorando que tinha cometido um erro em sua primeira jogada, o homem
elegantemente esticou os braços para os lados em uma posição semelhante a um
comandante e agiu:

"「Hellfire Wall」.”

A onda de calor correu em direção às suas costas. Evileye incrédula freneticamente


olhou para traz.

Com um som assobiante, a noite ardia e chamas negras que não tinham nenhuma
possibilidade de existir, estavam queimando.

Cercaram a fuga de Gagaran e Tia que lutaram momentaneamente antes de cair


lentamente no chão como lixo. As chamas desapareceram como se tivessem sido uma
ilusão desde o início, as duas já tinham parado de se mover e respirar. Ela suprimiu
fortemente o seu próprio desejo de correr imediatamente para verificar suas condições.
Evileye entendeu profundamente o significado da frase "não me atrevo a acreditar, mas
é impossível negar a realidade.”

Esse foi um ferimento fatal. Com um só golpe, suas companheiras, com quem tinha ido
à capa e a espada, tinham sido sacrificadas.

Ela cerrou os dentes, sem deixar fazer sons tristes.

“—Eu apenas tentei detê-las com toda a minha força, mas foram mais fracas do que
tinha imaginado e morreram com chamas desse nível. Por favor, aceite minhas
desculpas.”
Como se ele se desculpasse do fundo do seu coração, o homem se curvou
profundamente. Esta atitude fez Evileye incapaz de suprimir as suas próprias emoções.

Qual poderia ser a razão para não ter levado em conta Evileye, que era o adversário na
frente dele que lançou um ataque, e, em vez disso, atacou as duas pessoas atrás dela? A
fuga era na verdade uma das razões, mas, além disso, não havia outra.

Ele sabia claramente o quão grande era a diferença de força entre nós e sabia que eu
não era uma ameaça para ele. Mas realmente... Ele nem sequer considerou a pessoa em
frente a ele como "o inimigo.”

Uma vez que fugiram diante dele, os matou primeiro. O pensamento era tão simples.

“...Tão difícil. Morrendo com um ataque desse grau, eu não posso usá-la como um
ponto de referência... Por que se juntar com aquelas que são mais fracas? Se você não
fizer isso, você não seria capaz de desafiar áreas de mais alto nível?“

"VOCÊ! VOCÊ! VOCÊ! VOCÊ NÃO TEM PERMISSÃO DE DIZER ISSO!! WAAAAAAHHH!”

Este não foi um grito de dor, mas um uivo de raiva. Cheia de ódio e gritando, Evileye
correu para frente. Seria mais correto dizer que ela usou o poder mágico para deslizar
através do ar. Injetando magia em seu punho, ela combinou as magias 「Invalidation」
e 「Greater Resistance」 para o combate corpo-a-corpo.

O demônio levantou a mão para receber o golpe.

"「Aspect of the Devil: Archdemon’s Wrist」.”

O punho do demônio tinha expandido várias vezes o braço, esticando até alcançar o
chão. Esse rangido não era porque foi inflado com ar, mas porque ele havia se tornado
uma arma extremamente dura e letal.

Com a arma letal bloqueando a frente, o avanço de Evileye foi parado. Seu coração
hesitou por um momento, mas logo endureceu sua determinação de aproveitar esta
oportunidade!

O enorme punho se aproximou de Evileye. Com uma velocidade além da imaginação,


era como uma enorme parede que se estendia infinitamente. Como era inevitável,
Evileye tomou uma decisão imediata e ativou a sua magia defensiva.

"「Translocation Damage」!”

As trevas cobriam seus olhos, enquanto saiu voando por um forte impacto,
desorientado e sem saber onde estava. Seu corpo foi jogado no chão pavimentado e
saltou como uma bola antes de ser enviado voando por outro impacto.
Mas estava lá — sem nenhum dano.

Evileye ativou a magia voo e voou em uma posição desconfortável e pouco natural.

Ela não tinha sido ferida, mas se não tivesse usado uma magia que transformou dano
físico em perda de mana, já estaria morta.

"「Maximize Magic: Crystal Dagger」!”

Uma adaga de cristal maior do que o anterior apareceu no ar e se disparou! Esta adaga
tinha dano puramente físico e não poderia ser resistido. Além disso, através da
aplicação de habilidades mágicas especiais, era capaz de facilmente romper as defesas.

Sem desviar, o demônio tomou o ataque de frente. Apesar de ter recebido a magia com
a maior produção de danos, nem mesmo o menor efeito pôde ser visto no demônio.

“...Não houve ferimentos, mesmo quando foi aplicado magia que rompia a defesa? ...É
um demônio superior, maior do que a imaginação... Não, até maior do que o rei dos
demônios! Deve ser o Deus Rei Demônio certo?”

Apesar de um rei não ser necessariamente mais forte do que todos os outros, era o
senso comum neste mundo que ter isso como parte do nome significava que era o mais
forte da raça. Os seres humanos eram basicamente os únicos em que o fraco pode
proclamar-se como Rei.

“「Aspect of the Devil: Razor Sharp Claw」.”

As garras alongadas do demônio se esticaram além de 80cm. Evileye não podia deixar
de sentir que estas garras eram imparáveis e poderia quebrar tudo no mundo em
pedaços.

Não posso recuperar os dois corpos e fugir. Mesmo que os outros chegassem, eles não
seriam suficientes para enfrentar essa pessoa. Pelo menos eu posso me afastar do
campo de batalha e tornar mais fácil para os outros a descobrir seus corpos...

Os cantos da boca de Evileye se curvaram para cima.

O pior cenário seria permitir que Lakyus, que era capaz de usar a magia do
renascimento, encontrar esse demônio. Isso nunca tem que acontecer.

"Lá vou eu!”

Assim que Evileye estava se preparando para uma investida — um forte som como se
algo caísse no meio dos dois foi ouvido.
Incapaz de suportar o peso, rachaduras apareceram nas estradas pavimentadas de
pedra e a poeira agitava sobre ele.

Lá, com seu corpo curvado pelo impacto da aterrisagem, havia um único guerreiro.

À luz da lua serena se refletia na armadura escura, fazendo que flashes com um brilho
deslumbrante. Uma capa, tão vermelha como uma chama ardente se levantava no ar da
noite. Ambas as mãos estavam segurando separadas greatswords que brilhavam com
uma luz brilhante incrível.

Lentamente, o guerreiro escuro se levantou. Sua estrutura corporal era alta,


aproximadamente a mesma altura que o demônio. No entanto esse resplendor divino
fez que o demônio retraísse seu corpo, e Evileye podia ver o poderoso demônio ficar
com medo no momento em que apareceu o guerreiro escuro. Essa expressão era como
se tivesse visto algo além de sua imaginação.

No silêncio, Evileye ouviu o som de saliva sendo engolida. Este som era do demônio. O
demônio que tinha ultrapassado a imaginação de Evileye prendeu a respiração contra o
guerreiro corpulento.

Uma voz fria e penetrante cortou a escuridão.

"Vejamos... Quem é o meu inimigo?”


Interlúdio
ma sala que combinava com a descrição de extravagante. O tapete

U
tratado.
vermelho que cobria todo o lugar era tão suave que você poderia sentir
seus pés afundando nele. Duas cadeiras colocadas dentro do quarto,
feitas de madeira de alta qualidade esculpidas com um estilo rococó
francês, as cadeiras pretas brilharam de uma forma única pelo couro

O homem na cadeira esticou as pernas e relaxou em seu assento.

Um rosto bonito. Se alguém desenhar sua aparência perfeitamente, isso seria o que os
outros pensam dele.

Seu cabelo loiro refletia a iluminação mágica, como o brilho das estrelas. Seus claros
olhos roxos eram como ametistas, seduzindo as pessoas que o olhavam.

No entanto, aqueles que realmente o viram pessoalmente teriam uma impressão


diferente, além de um rosto bonito. Submergiam-se em sua aura de líder natural que
não tinha nada a ver com o seu rosto, ninguém teria uma impressão diferente. E essa,
era a de um “governante”.”

Ele era Jircniv Rune Farlord El-Nix.

O imperador reinante com a idade de 22, temido pelos aristocratas e respeitado pelos
cidadãos, o mais talentoso imperador de todos os tempos. Também foi quem purgou os
nobres dentro do Império, um homem temido pelo país vizinho como o “Imperador
Sangrento”.

Havia quatro outros homens, além de Jircniv no lugar, mas eles eram tão imóveis
quantas estátuas.

Jircniiv moveu os olhos do papel que estava lendo e olhou para longe. Como se
houvesse um quadro-negro na frente dele, ele começou a escrever seus pensamentos
sobre ele.

Jircniv suspirou com seu nariz um pouco depois. Isso foi bom ou uma brincadeira ou
um barulho engraçado.

A informação recebida do Reino era algo que o fez mostrar essa atitude.

Nesse momento—

Sem nenhum toque, a porta se abriu.

Esta ação imprudente fez os servos reduzir a sua postura e olhar para a porta com
hostilidade. Mas, depois de confirmar a identidade de quem entrava, baixaram a
guarda.
Aquele que entrou era um homem velho de estatura mediana, com uma longa barba
branca. Mesmo o cabelo era branco como a neve.

Sua idade se mostrou em seu rosto como rugas, e as luzes da sabedoria podiam ser
vistas em seus olhos. Em seu pescoço havia um colar feito de inúmeras bolas de cristal.

Em seus dedos secos havia vários anéis mágicos. A túnica branca solta foi feita de um
material muito macio.

Esta era a imagem de um magic caster para aqueles que eram ignorantes.

“—Seria difícil de ignorar.”

O velho caminhando lentamente na sala disse isso com uma vivacidade que não
combinava com sua aparência. Jircniv simplesmente virou seu olhar curioso.

"Qual é o problema, Velhote?”

"Eu pesquisei e descobri que isso é impossível.”

"O que você quer dizer?”

“...Vossa Majestade Imperial, a magia tem de seguir as leis deste mundo também.
Investigar no conhecimento—”

"Ahh, eu entendo, eu entendo."

Jircniv acenou com as mãos desinteressadamente.

"Sua explicação é um tanto grande, velhote. Em vez disso, você pode ir direto ao
ponto?”

“... Se esta pessoa, Ainz Ooal Gown, realmente existe, então ele deve certamente
possuir algum item mágico muito poderoso ou algum poder pessoal que impeça as
pessoas de espioná-lo. Na minha opinião, ele pode ser capaz de usar magia de um nível
semelhante ou superior a mim.

Todos na sala ficaram tensos, com exceção do imperador e do velho.

O velho estava dizendo que essa pessoa estava no mesmo patamar com o mais alto
magic caster da história do Império, o Mago da Corte Imperial, o grande sábio
conhecido como o "Tríade", Fluder Paradyne. Todos os outros duvidaram de seus
ouvidos.

"Agora eu entendi, é por isso que você está tão feliz, Velhote?”
"Claro. Tem sido mais de duzentos anos desde a última vez que eu vi uma magic caster
arcana que era igual, ou mais poderoso do que eu...”

"Você conheceu uma há duzentos anos atrás?”

As palavras impulsionadas pela curiosidade do imperador jogaram os pensamentos do


magic caster da corte a um passado distante.

"Assim é. Uma dos Treze Heróis das lendas, a necromante Rigrit Bers Caurau, uma
grande figura. Ela foi provavelmente a melhor dos Treze Heróis.”

"Mas agora, você mais poderoso do que ela como um magic caster arcano, Velhote?”

Os olhos de Fluder pareciam perdidos enquanto ele olhava distante.

"Bem... eu já atingi um nível mais elevado do que ela... Embora eu não tenha provas
concretas. Não há respostas certas na lei da magia.”

Em contraste com o seu movimento acariciando a barba enquanto ele falava, suas
palavras eram cheias de confiança. Então, ele levantou uma sobrancelha.

"Você espera que esse tal Ainz Ooal Gown tenha esse tipo de valor?”

Jircniv sorriu e escolheu um pedaço de papel a partir de poucos espalhados no sofá, e o


estendeu sobre sua mão.

Ele estava confuso, mas Fluder ainda prendeu e visualizou o documento.

"Oh.”

Esse era todo o comentário de Fluder. Mas sua aparência como um sábio mudou
drasticamente. Um fogo ardia em seus olhos, como um animal faminto.

"Entendo, então é isso que este Ainz Ooal Gown, a quem Vossa Majestade Imperial está
procurando, tem feito? Isto é realmente intrigante. Eles foram capazes de manter a sua
posição contra a unidade especial da Teocracia com apenas dois deles... Hmm. Eu quero
conhecê-lo e discutir magia com ele.”

No documento detalhava o que Gazef Stronoff disse diante do Rei, no que mesmo se
observavam os minutos da conversa.

"Vossa Majestade Imperial, quem enviou essas pessoas?”

"Eu não fui tão longe. É muito óbvio enviar mais pessoas.”
“...Envie meu discípulo... Não, se este relatório é verdade, devemos tentar construir um
relacionamento cordial, se possível.”

"Essa é a idéia, Velhote. Se ele é um homem que podemos colocar sob nosso controle,
lhe daria boas vindas no império.”

"Isso seria o melhor. Para vislumbrar o abismo da magia, são necessários todos os
tipos de conhecimento. Se possível, eu gostaria de conhecer a um pioneiro.”

Sua voz estava cheia de desejo.

Jircniv sabia muito bem o que Fluder queria.

Fluder queria olhar para o abismo da magia. Para fazer isso, ele queria encontrar um
mestre que estivesse mais avançado do que ele.

Como para aqueles que estavam por trás, eles poderiam pegar a estrada — que na
maioria dos casos foi pavimentada por Fluder — e viajar através dela.

Ao tomar o caminho que mais lhe convier, de forma mais eficiente, poderiam
desenvolver seu próprio talento sem qualquer desperdício.

No entanto, isso não foi permitido a Fluder que andava sozinho na frente. Como tinha
que andar no escuro, ele desperdiçava muito esforço desnecessário em seus estudos. Se
pudesse desenvolver o seu talento sem qualquer desperdício, Fluder seria um magic
caster ainda mais poderoso.

Para fazer isso, Fluder precisava de alguém que podia guiá-lo. Havia um limite para os
talentos de alguém, ele não queria desperdiçar mais seus esforços.

Fluder alimentou seus discípulos com a esperança de encontrar alguém que pudesse
superá-lo, e logo tirá-lo da frente. Infelizmente, isso ainda tinha que acontecer.

Este era o único desejo que Jircniv nunca poderia conceder a Fluder, então ele mudou
de assunto.

"Eu também quero coletar informações sobre os aventureiros adamantite que


apareceram em E-Rantel. Você poderia me ajudar?”

"Claro, Vossa Majestade Imperial.”


Capítulo 10: A Mais Forte, A Melhor Arma Oculta
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 22:31

em acima da Capital Real, um grupo de pessoas voavam como estrelas

B
cadentes no céu noturno. Dois deles eram magic casters que se
sustentavam em uma magia de voo, e os outros dois eram seus
passageiros.

Um dos passageiros era um homem em uma armadura completa de cor negra


azeviche, carregando duas espadas enormes nas costas, enquanto o outro era uma
beleza com um rabo de cavalo. Não é necessário dizer que eles eram Ainz e Narberal.

Obs.: Azeviche é um minério de cor preta brilhante.

Naquela manhã, os dois tinham aceitado uma missão da Guilda de Aventureiros em E-


Rantel por uma quantidade de dinheiro sem precedentes. O cliente era o Marquês
Raeven. No início, parecia que o marquês queria contratar aventureiros para aumentar
a segurança de suas riquezas após os recentes distúrbios, cujas causas eram
desconhecidas.

Ainz sabia que esse não era a coisa toda, e que ele saberia mais durante o progresso da
missão.

A verdadeira razão era que eles queriam suprimir o grupo conhecido como a Oito
Dedos, e esperavam que Momon lutasse ao lado deles contra os membros mais fortes
do inimigo, o Seis Braços.

Ainz não poderia encontrar nenhuma razão para rejeitar esta missão.

Normalmente, os aventureiros têm uma política implícita de ficar fora dos assuntos
nacionais. A fim de não expulsar Ainz — ou melhor, Momon, o Guerreiro Negro — eles
se preocupam em preparar uma missão adequada para servir como cobertura, e atrair
o seu alvo com uma recompensa verdadeiramente luxuosa.

Depois de pensar, Ainz aceitou a missão sob um pretexto de relutância, para não olhar
como um negociador rude. O objetivo era que eles tinham que fazer o seu caminho para
a capital com a devida pressa.

Em YGGDRASIL, havia pontos de referência que poderiam ser usados para


teletransportar de uma cidade para outra, mas neste novo mundo, não havia tais coisas.
A magia de teletransporte era uma magia de quinto nível, que Momon e Nabe não
devem ser capazes de usar, e viajar por terra a cavalo levaria um dia inteiro.
O que iriam fazer, então? A resposta era simples, pedir magic casters ao Marquês
Raeven.

Eles usaram magias de vôo acelerados em combinação com a magia 「Floating


Board」, e juntos levaram Ainz e Nabe com eles para a capital em grandes velocidades.
Como eles fizeram isso? A resposta foi muito simples. Ainz e Nabe sentaram-se no disco
flutuante, o que reduziu seu peso efetivo, de modo que carregar os dois não os atrasaria
sensivelmente. Desta forma, eles correram direto para a capital durante todo o dia até
agora. No entanto, o tempo ainda estava muito apertado, mesmo com o uso desse
truque, e eles já haviam ficado atrasados. Por causa disso, Ainz estava um pouco
preocupado. Se ele chegasse e soubesse que ele não era mais necessário, que
recompensa, se fosse o caso, ele poderia cobrar?

Embora Ainz tenha sido tentado pela recompensa sem precedentes, era duvidoso que
o requerente estava disposto a pagar alguém que não tinha feito nada.

Ainz suspirou baixinho. Soou como se estivesse rezando, como um funcionário com
uma má avaliação de seu desempenho, mas ainda na esperança de obter algum tipo de
bônus.

Não importa o que, ele tinha que ganhar essa recompensa. Ele já havia decidido em
que ele iria gastá-la.

À medida que estes pensamentos passaram por sua mente, Ainz viu pela primeira vez
a capital sob o céu noturno. Ele lamentou que ele não pudesse ter tempo para apreciar a
vista. A capital estava escura e não parecia uma cidade completamente movimentada.
Ainda assim, era uma experiência fascinante para Ainz, cujos olhos podiam ver
claramente no escuro.

Observando silenciosamente de cima, os olhos de Ainz viram uma visão interessante;


uma luz distante.

Embora muitas luzes passaram desde o início do seu percurso, quando viu as
crescentes chamas negras, ele percebeu que era uma situação de emergência.

"Espere! Veja! Há um brilho de conjuração mágica, ali!”

"Na verdade... parece que... algum tipo de magia...”

O magic caster, que tinha seguido a direção que apontava o dedo de Ainz, parecia não
ter complicações. Uma pessoa normal teria tido problemas para evitar o brilho através
da escuridão e nessa distância, muito menos analisá-la.

"O que é isso? Esse tipo de coisa é comum na capital? Ou são fogos de artifício para me
receber?”
O magic caster não riu da piada. Na verdade, a expressão em seu rosto era muito séria.

"Esse é um dos oito lugares que estavam indo para atacar—”

"Entendo. Eu pensei que nós tínhamos chegado tarde demais, parece que teremos um
pouco de trabalho, depois de tudo.”

"Eu entendo, vamos para aquele lugar.”

"Um momento. Parece haver um magic caster de um nível muito alto lá. Se você se
envolver nisso, não acha que você pode perder a sua vida?”

Então, o que devemos fazer? Ainz desviou o olhar da expressão preocupada do magic
caster e virou-se para Narberal.

"Nabe, use 「Fly」 e me levar para aquele lugar, tão perto quanto possível. Quando
indicar, você me deixe cair um pouco acima daqueles que estão lá.”

"Entendido.”

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 4º Dia, 22:33

Para Evileye, que estava à beira da vida e da morte, a pergunta do guerreiro negro
parecia completamente ridícula. No entanto, imediatamente mudou de idéia. Quando
pensava nisso, eles pareciam muito suspeitos. Afinal, era um confronto entre duas
figuras mascaradas e não era impensável que pudesse ser visto como conspiradores
que lutavam entre si.

Então, com a esperança de que tinha deduzido corretamente a identidade do guerreiro


negro, Evileye gritou.

"Guerreiro Negro, eu sou Evileye da Rosa Azul, eu apelo a você como um companheiro
aventureiro adamantite! Por favor, me ajude!”

No momento em que fez a sua suplica, Evileye percebeu que tinha cometido um erro.

Essa era a diferença na intensidade do combate entre ele e o inimigo. Mesmo com a
ajuda de Momon o guerreiro negro, um companheiro aventureiro adamantite, o que
poderiam fazer? O demônio em frente a Evileye era um que ela não poderia esperar a
derrota, mesmo com a ajuda de Momon. Seria como rasgar um pedaço de papel em
dois, de qualquer forma, ambos estariam envolvidos na tempestade diante deles.
Se Momon aceitasse o pedido de Evileye, ela seria diretamente responsável por sua
morte. O que deveria ter dito era para correr e, se possível, que leve os corpos de suas
companheiras com ele.

Mas—

"Entendo.”

O homem se colocou diante do demônio, escondendo Evileye atrás das suas costas.

Evileye prendeu a respiração.

No momento em que Momon se colocou de frente a Evileye, ela o confundiu com um


enorme muro, robusto, aqueles que defendem uma cidade. A sensação de segurança e
alívio preenchia as profundezas do seu coração.

O demônio que os enfrentou realmente inclinou a cabeça, como se fosse um plebeu


mostrando o devido respeito a um nobre. Não poderia haver respeito, o demônio deve
estar zombando dele. Talvez estivesse apenas brincando?

"Ora, ora, é uma honra que você tenha nos interrompido nesta noite. Posso perguntar-
lhe sobre o seu nobre nome? Eu me chamo Jaldabaoth.”

Jaldabaoth? Evileye ouviu a voz surpreendida do homem sob a armadura de cor preta
azeviche. Ela pensou que era estranho. Na verdade, Evileye não tinha idéia do que
pensar. Ela sabia bastante sobre os demônios e outros seres infernais, mas quase nada
sobre esse nome.

"Jaldabaoth, certo? Eu entendo. Meu nome é Momon e, como ela disse, eu sou um
aventureiro adamantite.”

Embora estivesse envolvido na presença desmoralizante de Jaldabaoth, o guerreiro


negro Momon, continuou como se não o afetasse.

Então é isso que ele está fazendo.

Evileye pensou com aprovação. A fim de colocar o seu adversário para fora e aprender
sobre ele, Momon exerceu a sua disciplina de ferro e manteve suas emoções
controladas. Ficou claro o porquê o homem chamado Momon foi reconhecido como um
aventureiro de primeira classe.

Evileye, que estava envergonhada da facilidade com que suas emoções haviam tomado
o controle sobre ela, mudou-se para a sombra da capa vermelha de Momon de modo a
não distrair os dois na sua troca de palavras.
Embora Momon parecesse bastante disposto a ajudar, ela teve a sensação de que
estava ficando no caminho.

Momon e Jaldabaoth não se incomodaram a notar a presença de Evileye. No momento


em que Evileye se moveu, eles começaram um duelo de inteligência, procurando
segredos uns dos outros.

"Ah, entendo. Então eu posso perguntar o porquê nos honrou com a sua presença esta
noite?”

"É para uma missão. Certo nobre me contratou para defender sua propriedade... mas
quando eu passei por aqui e vi esta batalha, eu pensei que era uma emergência, e
naturalmente, intervi.”

Tal nobre era o Marquês Raeven, que havia solicitado a presença do aventureiro
adamantite na capital, sem se importar com o risco de conflito com a política dos
aventureiros, de que não devem se envolver em assuntos políticos. Você poderia dizer
que estava desesperadamente precisando de pessoas para lidar com a Oito Dedos.

"E qual é o seu objetivo?”

"Um poderoso objeto capaz de controlar demônios, parece que veio parar nesta
cidade. Estamos aqui, a fim de recuperá-lo, é claro.”

"E se nós o dermos? Será que isso não resolveria o problema?”

"Infelizmente, isso seria impossível. A única coisa que pode haver é apenas hostilidade
entre nós.”

"Que tipo de conclusão é essa? Demiur— Jaldabaoth, precisamos ser inimigos?”

"É precisamente isso.”

Evileye abaixou a cabeça com a visão surreal diante dela. Em vez de uma batalha de
inteligência, eles estavam apenas compartilhando informações. Como é que isso faz
sentido?

"Bem, é compreensível. Nesse caso... você percebe que vou derrotá-lo aqui e agora?”

Momon estendeu as duas mãos, e as grandes espadas, que eram como uma extensão
de seus braços, pareciam brilhar.

"Isso... seria um inconveniente. Deixe-me colocar um pouco de resistência.”

"Então, aqui vou eu.”


Ele deu um passo... não, isso não é certo. Momon, que estava parado na frente de
Evileye, tinha desaparecido. Ele estava envolvido em combate intenso com Jaldabaoth.

Tinha se tornado uma luta que Evileye não poderia descrever em palavras.

As persistentes imagens de incontáveis espadas, evitando e combatendo as garras


estendidas de Jaldabaoth.

"Incrível...”

Havia muitas maneiras de lhe dar elogios, mas agora, Evileye, que estava fascinada
pelo manuseio da espada diante dela, só podia oferecer apenas essa palavra. Isto
superava os golpes de todos os espadachins em sua memória. Parecia que eles estavam
indo para cortar a noite e o mal em um único ataque.

Ela se sentia como uma princesa nas canções de um bardo. E o guerreiro negro à sua
frente seria o cavaleiro que veio em seu socorro.

Uma corrente elétrica correu por sua espinha entre suas pernas, e o pequeno corpo de
Evileye estremeceu.

Seu coração que tinha sido parado por mais de 150 anos parecia bater rapidamente
mais uma vez.

Colocando as mãos sobre o peito, ela se encontrou com, é claro, não havia qualquer
movimento lá. Ainda assim, se sentia muito real para ela.

“...Por favor, ganhe, Momon-sama.”

Evileye juntou as mãos em oração fervorosa, com a esperança que seu cavaleiro
triunfasse sobre o demônio temível diante dela.

Whoosh! Jaldabaoth foi empurrado uma boa distância, com um som que não poderia
ter vindo de um corpo feito de carne e sangue. Embora Momon ainda estivesse de pé,
no entanto estava patinando sobre o chão de pedra em um ritmo que rapidamente
desgastaria as solas dos seus sapatos. Depois de várias dezenas de metros, finalmente
parou, e sacudiu a poeira.

"Verdadeiramente espetacular. Um cruzamento de golpes com um gênio guerreiro


como você pode ter sido um erro da minha parte.”

Com um grande movimento, Momon enterrou sua espada profundamente na rocha


debaixo dele, e usou sua mão livre para puxar um pedaço de pedra em sua cabeça, antes
de responder com clareza.

"Chega de piadas. Você também está escondendo o seu poder, certo?”


Parecia quase inacreditável que nenhum dos dois lados ainda não se retirou, apesar da
extensão de sua batalha.

"Poderia ser um semideus?”

A descendência de seres conhecidos como "Jogadores" eram pessoas que poderiam


despertar incrível poder dentro de si. A Teocracia Slane chamou essas pessoas de
semideuses. Ou, mais precisamente, eles eram os únicos que levavam a linhagem de
sangue dos Seis Deuses em suas veias. Se tiverem o sangue de outros, eles eram
chamados de formas diferentes.

Parecia muito provável que esse tal Momon era da linhagem de um "Jogador”. Ou
melhor, ao invés, nenhum ser humano poderia possuir tal poder.

"Oh não, parece que eu não pude esconder de você. Como era de se esperar desse
aventureiro chamado Momon.”

"De fato, Jaldabaoth, meu nome é Momon.”

"Tudo bem, então aqui vou eu 「Aspect of the Devil: Tentacle Wings」.”

Várias asas saltaram nas costas de Jaldabaoth, mas as penas que a cobriam eram
anormalmente longas, e sugeriram a aparência de tentáculos. O demônio falou de
maneira uniforme a Momon, que estava em guarda.

"Você é forte. Não há dúvida de que sua força ultrapassa a minha. Embora não seja
exatamente o meu gosto, deixe-me usar este método. Se vê que sua defesa própria é
formidável, você pode dizer o mesmo sobre a menina atrás de você? Como você vai
lidar com isso, então? Talvez você deva se concentrar apenas em defendê-la, certo?”

Com isso, o demônio lançou uma chuva de penas. Suas pontas eram muito afiadas,
capaz de cortar de forma limpa através dos músculos e ossos.

Evileye estava indefesa contra tal ataque. Já não tinha mais mana para lançar 「Crystal
Wall」. Tudo o que podia fazer era esperar e rezar por um milagre.

Mas, vendo o que aconteceu depois, Evileye havia subestimado o guerreiro negro.

A medida que o som de metal ressoava, Evileye levantou os olhos e viu um grosso
escudo em pé na frente dela.

Os restos mutilados das penas foram espalhados por toda parte. Embora elas fossem
capazes de destruir um ser humano em pedaços, era uma vista belíssima.

"É bom que você esteja bem.”


A voz tranquila deste homem. Seu braço brandindo a espada em uma velocidade
incrível. Sua respiração se controlava e seu tom de voz era calmo, enquanto que
furiosamente desviava das penas vindo na direção deles.

"Ah... ah... Ah! O seu ombro! Você está bem?”

O ombro de Momon tinha uma pena cravada nele. Ela tinha sido dividida na metade
em pleno voo, e perdeu seu poder de penetração. Parecia uma decoração da sua
armadura.

"Isso não é nada. Ataques deste nível não são sequer dignos de se considerar. Pelo
contrário, estou feliz que esteja bem.”

Ele sorriu.

Evileye sentiu seu coração ser atingido por uma forte excitação. Sua face sob a máscara
estava quente, se sentia como se isso a fosse escaldar.

"Maravilhoso! Por sua defesa sem deixá-lo ter sequer um arranhão, eu, Jaldabaoth, lhe
ofereço meus mais sinceros parabéns. Na verdade, foi uma exibição maravilhosa.”

"Como eu disse, já chega com as piadas. Diga-me, Jaldabaoth, por que você está indo
embora?”

Com isso, Momon pegou Evileye com um braço e puxou-a para ele.

"!”

O coração imóvel de Evileye parecia que iria sair pela sua boca. Em sua mente, as
histórias estúpidas dos bardos estúpidos seguiam batendo através de seu cérebro, uma
e outra vez. Especialmente aquelas histórias em que o cavaleiro levava a princesa
enquanto se ocupava com a batalha. Qualquer pessoa sensata iria perceber que
transportar uma carga, enquanto luta contra um inimigo poderoso, não passava de uma
loucura.

Mas—

O coração de Evileye caiu. Se imaginava que era uma princesa que está sendo levada
no altar, mas a verdade era...

"Isto é...”

Ela estava sendo carregada como um saco de batatas de baixo do braço de Momon.
Mas, realmente, essa era a melhor maneira de fazê-lo. Em comparação com uma mulher
adulta e madura, Evileye era pequena e leve. A fim de manter seu centro de gravidade,
faz todo o sentido para Momon levá-la assim como estava.

Evileye sabia que não tinha razão para reclamar, e seu coração ainda estava
queimando de raiva quando viu seus companheiros assassinados. Ela sabia que este
não era o momento para tal absurdo. Ainda assim, não havia nenhuma maneira de
sufocar completamente a infelicidade em seu coração.

Talvez se ela tivesse o abraçado por conta própria, poderia ter feito as coisas mais
fáceis para ele. Mas ela não tinha certeza se poderia segurá-lo por conta própria, se ele
escolhesse lutar a essas velocidades alucinantes novamente, então permaneceu em
silêncio.

Evileye mais uma vez viu se desenvolver a batalha entre Momon e Jaldabaoth. A
distância entre os dois tinha aumentado ainda mais do que antes, mas para o guerreiro
de primeira classe e o demônio de superclasse, parecia pouco mais do que um passo
extra para eles.

"Então, vamos continuar?”

"Não, creio que é tudo por agora. Como eu disse antes, meu objetivo não é te derrotar.
Agora, vamos transformar essa parte da capital num purgatório. Uma vez que nós
estabelecemos tal violação, você pode ter certeza que certamente te enviarei para o
submundo no topo de uma pira de fogo do inferno.”

Com isso, Jaldabaoth virou-se e desapareceu. Seus movimentos não pareciam


apressados, mas em um momento, a distância entre eles havia aumentado e
desapareceu na noite.

"Não, não, isso não é bom, Momon-sama, se o perseguirmos."

Quando Jaldabaoth desapareceu de sua vista, Evileye estava começando a entrar em


pânico, mas Momon sacudiu a cabeça.

"Não posso fazer isso. Ele se retirou, a fim de realizar seu plano. Se eu o perseguir, ele
iria lutar com toda a sua força. E se o fizer...”

Momon não tinha que terminar a frase para Evileye entender.

Se ele fica sério, ficaria presa em seus ataques e morreria. Algo nesse sentido. Mas
mesmo se eles ficassem onde estão, aquele demônio desprezível, certamente usaria
seus ataques para golpear Evileye de qualquer maneira.

O fato de que Momon defendeu Evileye mostrou que ela tinha valor como refém.
Ela odiava a si mesma, já que ela não podia ajudar Momon, que estava protegendo-a, e
o fato de que não era nada, além um fardo para ele. E pensar que tinha dito coisas tão
extravagantes para Climb.

"Então Nabe. O que você acha que devemos fazer?”

Em resposta ao que ele disse, uma mulher desceu lentamente do céu. A equipe do
guerreiro negro Momon incluía uma magic casters conhecida como a Bela Princesa.
Nesse momento, Evileye teria rido da vaidade desse apelido, mas agora, com a pessoa
real na frente dela, ela estava segurando a respiração.

Muito bonita. Uma estrangeira... Com um olhar assim, ela deve ter vindo do sul.

Evileye permaneceu admirando-a, incapaz de tirá-la de vista.

" Momon-sa—n. Por que não nos dirigimos para a residência do nobre que nos
contratou, como originalmente planejado?”

"Devemos ignorar o Jaldabaoth? Deter os planos de seus companheiros não era a razão
pela qual estou aqui?”

"Talvez, mas teria que obter a permissão do cliente. Isso parece à coisa mais
importante.”

“—É verdade.”

"Em vista disso, sugiro jogar de lado esse grande mosquito.”

"Hm? Oh, desculpe-me, estava preocupado que poderia ter sido atingida pelo ataque
de um momento atrás.”

Momon lentamente abaixou Evileye para o solo.

"Não, por favor, eu não me importo. Eu entendi suas intenções.”

Evileye curvou-se profundamente para Momon.

"Obrigada por toda sua ajuda. Deixe-me me reapresentar. Eu sou Evileye, uma
aventureira adamantite da equipe Rosa Azul.”

"Não há necessidade de ser tão formal, eu sou Momon, um aventureiro adamantite


como você. A magic caster aqui é minha parceira, Nabe. Então, o que você vai fazer
depois disso? Aquelas duas são as suas companheiras? Se você precisa de alguém para
levá-las para você, não haveria problemas.”

Momon sinalizou para Gagaran e Tia.


"Estou profundamente grata por sua oferta, mas não há necessidade para isso. As
minhas colegas devem chegar em breve. Talvez elas possam lançar magia de
ressurreição sobre elas aqui.”

“Magia de ressurreição... elas podem usar?”

"Ah... ah, sim. Nossa líder de equipe Lakyus pode trazer os mortos à vida.”

"É mesmo? Então... se posso perguntar, desde que distância pode lançar uma magia de
ressurreição?”

"O que quer dizer?”

"Em outras palavras, digamos que você queira ressuscitar os dois. Assumindo que
lance sua magia, no Império, onde serão ressuscitados? No Império, ou onde seus
corpos estão agora?"

Por quê? Por que ele está tão interessado na magia ressurreição? Curiosidade? Talvez.

Pessoas que podem usar a magia divina de quinto nível são muito raras, por isso não é
incomum estar interessado nesse tópico. Ou talvez alguém importante para ele esteja
morto. Nesse caso, a resposta de Evileye seria cruel para ele. Ela só podia rezar para
que este não seja o caso.

"Eu não tenho certeza sobre os detalhes, mas ouvi dizer que Lakyus precisa estar
muito perto para lançar magia de ressurreição. Assim, no que diz respeito à pergunta
de Momon-sama, seria impossível lançar magia do Império.”

"Mmm, em seguida, outra questão; Depois da ressurreição, as duas serão capazes de


lutar imediatamente?”

"Seria impossível."

Respondeu Evileye.

A magia que Lakyus usa é de 5º nível 「Raise Dead」. A ressurreição drena enormes
quantidades de força vital. Sem exceção, os aventureiros classificados como ferro se
reduziriam a cinzas se essa magia fosse lançada sobre eles. Os aventureiros adamantite
poderiam ser revividos sem qualquer problema, mas a ressurreição drena tanta energia
vital que não seriam capazes de se mover e a recuperação dessa energia vital levaria
muito tempo.

Jaldabaoth estava certo, não só ainda estavam em perigo, mas também ficariam
privados de uma grande quantidade de força de combate.
...Não, nessas condições, ninguém pode lutar com o Jaldabaoth, além do grande homem
na minha frente. Ressuscitar Gagaran e Tia não faria nada para alterar as circunstâncias.
Seria mais sensato se concentrar na recuperação depois de sua ressurreição.

"Entendo... Eu acho que tenho uma idéia geral agora. Se possível, eu gostaria de
conhecer a senhorita Lakyus. Seria possível que poderia esperá-la aqui com você?”

"QUE!!!! Po-po-po-por que você quer ver a Lakyus?!”

Antes que ela pudesse recuperar a compostura, as palavras de Evileye saíram de sua
boca. Ela não entendia a própria razão. No momento em que ouviu Momon dizer que
queria ver Lakyus, seu coração estava cheio de ressentimento. Ela surpreendeu a si
mesma, e sua explosão alarmou Momon também.

Dentro de sua máscara, seu rosto começou a ficar vermelho de vergonha, e se alegrou
que o manto cobria a ponta de suas orelhas que também estavam vermelhas.

"Eu... Eu estava esperando para perguntar sobre a magia de ressurreição, e também


para conhecer a líder da Rosa Azul, afinal elas são companheiras aventureiras
classificadas a par comigo, além disso, ela está nesse ramo a mais tempo do que eu. E
Jaldabaoth pode ter desaparecido, mas não há nenhuma garantia de que ele não vai
voltar. Será que você se aborreceu?”

"N-não, não é isso... ah, desculpe, eu gritei com você.”

O ressentimento em seu peito desapareceu quando ouviu o nome de Jaldabaoth. Ela


sabia que tinha que estar em guarda para caso ele apareça.

Pensando cuidadosamente sobre o que ele já disse... deveria ter visto ele chegando.
Enquanto isso, ele estava olhava ao redor para ver se Jaldabaoth retornava... Isso significa
que ele quer me proteger? Fufu...

"Então, enquanto esperamos, você se importaria se eu perguntar o que aconteceu


antes?”

"Antes disso, eu tenho que cuidar dos corpos dos meus companheiros. Eu não posso
deixá-los aqui. Não há nenhum problema em movê-los, certo?”

É claro que não havia nenhum problema. Com isso, Evileye se aproximou dos corpos.

Evileye pensou que elas tinham sido queimadas até que ela já não podia reconhecê-las,
mas parece que as chamas do demônio apenas queimaram suas almas em vez da carne.
Os corpos estavam impecáveis. Depois de fechar os olhos e cruzar os braços sobre o
[Sudário do S o n o ]
peito, Evileye puxou um item de sua mochila, era o Shroud of Sleep, e começou a
envolver Tia com isso.
"O que é isso?”

"Este é um objeto mágico que para a decomposição e o rigor mortis de um corpo


quando ele está envolvido nele. É muito útil para aqueles que usam magia de
ressurreição.”

Obs.: Rigor Mortis é a rigidez do corpo que ocorre cerca de 7 horas após a morte.

Enquanto fazia isso, Momon se deu conta durante a resposta de Evileye, ela estava
tendo problemas para terminar de envolver o grande corpo de Gagaran, então ele
decidiu dar-lhe uma mão levantando o corpo com a força de seus incríveis braços.
Quando os corpos foram embrulhados, Evileye solenemente juntou as palmas de suas
mãos e começou a rezar pelas almas dos mortos e por Lakyus para que as reviva.

"Obrigada por sua ajuda.”

"Não é nada. Sobre o que eu perguntei antes, poderia me dizer o que exatamente
aconteceu aqui?”

Evileye assentiu e começou a relatar os eventos que aconteceram. O que ela sabia que
seus companheiros tinham planejado fazer, a história de seu encontro com a
empregada inseto e a batalha onde Jaldabaoth tinha feito a sua entrada.

Enquanto falava de como ela tinha quase terminado com a empregada inseto, uma
mudança veio para Momon e Nabe, que estavam em silêncio ouvindo a história até
agora.

"Então você a matou?”

Suas palavras eram neutras, mas a raiva por trás delas era inconfundível.

Evileye se alarmou. Por que eles iriam ficar chateados com a morte da empregada de
Jaldabaoth? Mas ela decidiu terminar de contar a história.

"Não, não a matei. Jaldabaoth apareceu antes que pudéssemos fazer isso.”

“...Então foi assim? Entendo, entendo.”

A raiva desapareceu e Evileye se perguntava se ele tinha ficado com raiva no início.
Mas o silêncio e os olhos duros de Nabe ainda estavam cheios de raiva fervendo em
fogo baixo. Era difícil dizer se ela desprezava todos neste lugar.

Momon tossiu, e perguntou:

"Então... se você não tivesse tentado matar a empregada inseto, você acha que
Jaldabaoth teria atacado?”
Evileye instantaneamente percebeu o porquê Momon estava com raiva. A empregada
inseto tinha sido neutra, e tudo o que ela sabia, o ataque de Gagaran e Tia poderiam ter
sido o gatilho para os eventos atuais.

Era natural para aventureiros evitar batalhas desnecessárias. Se um grupo de


aventureiros de alto nível não soubesse disso, desonraria o nome dos aventureiros
adamantite, mesmo Momon desonraria a si mesmo. Essa deve ser a razão pela qual ele
estava chateado. Ainda assim, Evileye não poderia concordar plenamente com essa
linha de raciocínio.

"Jaldabaoth disse que iria transformar a capital em um inferno. Uma empregada que
segue alguém assim não pode ser uma pessoa normal. Acho que a decisão que os meus
colegas fizeram de lutar foi o caminho certo a seguir.”

Essa era a única coisa que ela poderia se comprometer. Essa empregada era mais forte
do que Gagaran e Tia. Sabendo disso, elas lutaram contra a empregada, porque tinha
que haver uma razão para fazer isso. Tinha que acreditar que suas companheiras
tinham uma boa razão para o que fizeram.

A defensiva Evileye e o silencioso Momon se olharam, como se estivessem olhando


através da máscara e do elmo. Embora não pudessem ver seus rostos, Evileye tinha
certeza que ela estava olhando nos olhos de Momon.

No final, Momon foi o primeiro a ceder.

"Mmm. Ah. Entendo. Você estava certa. Peço desculpas.”

Ele abaixou a cabeça para ela. Isso emocionou Evileye. Embora a crença em seus
camaradas fosse firme, ela não poderia fazer seu salvador se humilhar assim.

"Ah! Por favor, levante sua cabeça! Uma pessoa maravilhosa como você não deve...
Ueeeeeeé?!!”

Quando se deu conta do que tinha acabado de dizer, Evileye deixou escapar um grito
patético.

Embora seja verdade que Momon era uma pessoa excepcional, quando pensava nele, o
uso da palavra "maravilhoso" para descrevê-lo seria como...

Evileye gritou em seu coração.

Aaaaah! Eu não posso evitar, ele é muito legal! É errado que eu me sinta como uma
garotinha de novo, apenas uma vez em centenas de anos? Afinal, ele é um poderoso
guerreiro que é mais forte do que eu...
Dada à forma como Evileye estava olhando Momon, como uma colegial apaixonada, se
ele se sentisse constrangido com o que ela tinha dito, significava que ela ainda tinha
uma chance. Se não fosse assim, suas chances seriam minúsculas.

O corpo de Evileye parou de se desenvolver com a idade de doze anos. Como tal, não
possuía nenhuma das partes que os homens gostariam de ver. Se se tratasse de induzir
o fogo da luxúria nos outros, ou satisfazer seus desejos, teria sido muito difícil para ela.
É claro, que certo grupo de homens teriam sido muito atraído por seu corpo, mas era
uma minoria. Com uma beleza como Nabe perto, suas chances pareciam ainda menores.

Quando Evileye reuniu coragem para encarar a realidade, ela encontrou Momon e
Nabe olhando para o céu noturno.

Ela não sabia bem o que estavam fazendo no início, mas quando se lembrou de como
tinha gritado um momento atrás, poderia ser por culpa dela. Os dois tinham tomado seu
grito como um aviso.

Não, não pode ser isso~

Com nada a dizer, o sentimento a levou às bordas das lágrimas.

“...Talvez você se equivocou? Não há nada lá."

Momon falou enquanto examinava o céu circundante.

"E-erro, foi um erro. Eu realmente sinto muito.”

"Ah, não é nada. É melhor errar em vez de ser emboscado.”

Nabe retomou a espada nas costas, e Momon tinha respondido a Evileye com uma
espada na mão.

A gentileza de Momon deixou Evileye sem palavras. Naquele momento, a borda de sua
visão se iluminou. A cor não era o branco puro de magia, mas sim um vermelho
malévolo, a cor de um incêndio feroz.

"Momon-san, olhe lá.”

Quando Nabe disse isto, os dois viraram para olhar para o brilho vermelho. Os olhos de
Evileye alargaram-se, porque sabia quem tinha causado o incêndio.

"O quê? Isso é...”

Uma língua carmesim de fogo cuspindo chamas para o céu, como se pretendesse atear
fogo nos céus. Ela tinha facilmente mais de trinta metros de altura, e Evileye podia
imaginar o quão grande era, várias centenas de metros, talvez mais.
A parede de fogo balançava como um véu, e cercou a cidade como um cinto.

Evileye, que estava inconscientemente surpreendida por esse ponto de vista, ouviu
uma voz masculina suave em seu ouvido.

“As chamas de Gehena?”

Como se seu pescoço tivesse uma mola, Evileye abruptamente virou a cabeça para o
lado para encarar Momon.

"Isso, isso, que, o que é isso? Momon, você sabe que é essa enorme parede de chamas?”

Os ombros de Momon tremeram um pouco quando ele respondeu com uma falta
característica de confiança.

"Huh? Oh... não, não, eu não tenho certeza sobre isso. Posso responder depois de
confirmar os detalhes?”

"Isso... sim, tudo bem...”

"Eu tenho que falar sobre algo com Nabe, por favor, perdoe-nos.”

"Eh, eu não posso ir também?”

"Ah, não, é uma questão pessoal. Por favor, perdoe-nos.”

Foi tão básico, tão óbvio, que Evileye se sentiu envergonhada pelo que tinha pedido
um momento atrás. Seus olhos vagantes repousaram na mulher conhecida como a Bela
Princesa.

O rosto de Nabe tinha um sorriso triunfante.

Evileye poderia ter errado, mas ao vê-la novamente, não, ela não podia. Era natural
que uma mulher se sinta superior a todas as outras mulheres, quando um grande
homem prestava especial atenção a ela.

Evileye foi incapaz de reprimir essa estranha sensação de borbulhar no seu interior.
Era a raiva que a desagradava. As chamas do ciúme.

Ele não é apenas forte, ele também sabe coisas que eu ainda não... Nunca conhecerei
novamente um homem como ele.

As mulheres humanas eram naturalmente atraídas para os fortes. Quando se sentiam


ameaçadas por uma força poderosa, se desencadeava o seu instinto natural para unir-
se a um homem forte e dar à luz a seus filhos, receber proteção para ela e sua
descendência. Claro, nem todas as mulheres escolhiam um homem dessa maneira.
Personalidade, aparência, muitos fatores podem levar ao amor. Ainda assim, havia uma
forte inclinação para buscar força em seu parceiro.

Evileye desprezava mulheres assim.

É bobagem querer ser protegida apenas por ser fraca. Em vez disso, tudo o que precisa
fazer é tornar-se forte e não precisar de ninguém para proteger-te. Esse deve ser o
caminho.

Mas se ela deixar um homem como Momon ir, ela conheceria alguma vez alguém que
pudesse satisfaze-la de tal forma tão completa quanto ele tinha feito?

Evileye não envelheceria, mas Momon sim poderia envelhecer e morrer antes dela.
Não importa o quanto tentasse, Evileye nunca será capaz de conceber os filhos de
Momon.

Décadas mais tarde, ela estaria sozinha novamente. Ainda assim, pensava que poderia
ser bom viver como uma mulher pela primeira vez na sua vida.

Outra mulher pode ter um filho. A coisa mais importante é o amor. Claro, não vou invejar
se ele tiver uma amante ou duas.

"Então, por favor, espere aqui por um tempo. Eu peço desculpas por... Evileye?”

"Hm? Ahh, eu sinto muito. Eu estava pensando em algo, coisas a discutir com a minha
equipe. Então, vou esperar aqui.”

Na verdade, ela não queria se separar de Momon. Mas tão pouco queria se pendurar
em torno dessa mulher a quem tinha admitido, sem reservas, sua derrota.

Claro, não podia dizer uma coisa dessas.

Ninguém queria uma mulher que é muito pegajosa. Os homens eram criaturas que
queriam fugir daquelas que tentam amarrá-los.

Evileye lembrou essa conversa fiada na taberna. Naquela época, ela riu, porque achava
que não tinha nada a ver com isso.

Que desperdício. Mesmo curiosidades como essas têm seus usos. Eu deveria ter escutado
atentamente... Mas seria tarde demais para começar agora? Terei tempo para aprender
como ser uma mulher?

Enquanto observava os corpos das duas aventureiras afastadas, a cabeça de Evileye


começou a se encher com pensamentos selvagens.
Ela sabia que não era o momento para fantasias inúteis, mas sabia muito pouco sobre
o que estava acontecendo, muito menos sobre como proceder, por isso não fez nada.
Ainda assim, Evileye estaria em uma batalha em que poderia morrer. Nesse caso, podia
muito bem suspirar e considerar seriamente algo que evitaria que esses pensamentos
habitem nela.

...É um fato.

Ela não sabia no que seu corpo seria bom, se ela não podia ter filhos, mas era um
caminho no qual ainda valia a pena pensar.

...Haaa. Derrotar o Jaldabaoth e fazer um futuro...

O fogo no coração de Evileye gritou, como se estivesse desafiando Jaldabaoth dentro


da parede de fogo.

O único que pode vencê-lo é o Momon-sama. Então eu vou cuidar do lixo ao seu redor.
Desta vez, se a serva se mostrar por si mesma eu vou matá-la. Uma vez fui o ser maldito
conhecido como Landfall. Não me subestime, Jaldabaoth!

♦♦♦

"Eu não acho que ela seja capaz de nos ouvir daqui.”

"Seria muito difícil que nos ouça de tão longe.”

"Ainda assim, temos de estar preparados.”

Ainz ativou um item de Cash. Ele tinha o poder de evitar a espionagem, mas é sentida
como uma perda, porque era um produto de uso único. No entanto, ele não tinha
escolha.

"Então, Nabe, eu creio que vi através do plano de Demiurge em sua maior parte. No
entanto, quanto mais complexa a máquina, mais facilmente se desmontará. O mesmo se
aplica aos planos. Devemos evitar agir como se tivéssemos ganhado e não confirmar os
fatos só porque temos controlado o assunto. Você entende?”

"Entendo... como era de se esperar do nosso Senhor e Mestre, uma existência sem
igual.”

O louvor de Narberal veio do fundo de seu coração, e Ainz o reconheceu com um fino
gesto de sua cabeça. Era como se dissesse que tudo estava indo de acordo com o plano.

Esse não era o caso.


Ainz sentia como se se afogasse em um lago recém-formado de seu inexistente suor
frio.

Não podia sequer entender o significado por trás do plano de Demiurge. Ainz
simplesmente tinha ido para a batalha com a noção tola de mostrar suas habilidades de
luta em um local elegante da capital.

O choque ao saber que seu adversário era Demiurge, tinha quebrado a sua compostura
completamente. Apenas a anulação do controle emocional que possuem os undeads o
mantivera calmo.

Ainz pensou que ele estava simplesmente lutando contra a Oito Dedos, seguindo as
ordens que foram confiadas a ele, mas logo soube que ele estava em uma batalha com
os aventureiros adamantite. Então, como não sabia o que estava acontecendo em tudo,
Ainz tinha quase desistido de pensar sobre essas coisas.

Falando sem pensar nessas condições soaria totalmente antinatural. Ainz sabia que
era extremamente perigoso pretender compreender as coisas quando você realmente
não sabe de nada. Poderia ter sido mais sensato revelar a sua falta de conhecimento,
mas dadas as circunstâncias, era um mau movimento. Um Ser Supremo digno de
lealdade teria que demonstrar um comportamento consistente com a sua presença.

Se um superior — especialmente um do nível de um CEO — demonstrava ser um tanto


quanto incompetente, seus subordinados perderiam a confiança nele.

Portanto, Momon tinha acumulado freneticamente as suas células cerebrais não


existentes para criar uma frase apropriada, e usá-la.

Talvez Narberal fosse muito honesta, ou as palavras que Ainz disse foram
inesperadamente significativas. Os olhos de Narberal estavam cheios de respeito. Como
tal, Ainz fez um pedido sob o pretexto de uma ordem.

"Mmm. Então, a fim de garantir o sucesso da operação de Demiurge, vou fazer contato
com ele. Não vou fazê-lo pessoalmente, porque essa mulher ainda poderia estar
olhando. E agora, eu não posso usar magia. Hu... Evileye não baixou a sua guarda nem
por um momento. Eu não tenho provas, mas tenho certeza de que já está suspeitando
de mim.”

"Como pode ser isso? Não há tal coisa. Talvez haja outra razão pela qual ela esteja
observando tão de perto.”

Ainz olhou para Narberal tentando não tornar óbvio que ele estava a olhando
fixamente.
"Essa deve ser a razão. Mais ou menos entendo como essa mulher pensa. Eu acho que,
tendo revelado a minha raiva quando discutimos sobre Entoma foi um erro fatal. Talvez
um deva tê-la matado, então?”

Não houve resposta para dar.

Quando ouviu que Entoma quase tinha morrido, a raiva de Ainz explodiu. Apesar de
ter sido suprimida em um instante como todas as emoções intensas, naquele momento,
ele foi preenchido com uma fúria assassina. Foi um milagre que não tenha cortado
rapidamente a cabeça de Evileye com sua espada.

Ainz tinha suprimido a sua intenção de matar e não agiu com raiva, porque antes,
chegou à conclusão de que matar Evileye teria sido contraproducente. Por fim, ele
encontrou uma maneira de encontrar alguém que pode usar magia de ressurreição e
estava em condições de se beneficiar com ela. Arruinar essa oportunidade seria muita
perda.

Talvez eu tenha crescido e aprendido a me controlar.

Se não fosse pela lavagem cerebral de Shalltear, é possível que ele houvesse ignorado
os ganhos potenciais para Nazarick e matado Evileye. A Grande Tumba de Nazarick e os
NPCs criados por seus antigos amigos eram os tesouros que Ainz queria proteger. Ele
não perdoaria qualquer um que tentasse machucá-los, mas também tinha que
considerar o que era mais importante e que escolhas tem que fazer para alcançá-lo.
Essa era a maturidade.

Ainz refletiu essa capacidade aumentada para que coincida com a sua experiência e a
ilusão de seu rosto sob o elmo e sorriu.

A este ritmo, não há dúvida de que Ainz seria capaz de se tornar um verdadeiro
governante da Grande Tumba de Nazarick. Ou melhor, ter a esperança de chegar a esse
estágio.

Antes disso, tenho que evitar decepcionar as pessoas ou que sofram grandes
contratempos... isso seria muito difícil para mim...

"Ela é assim? Como esperado de Ainz-sama, que viu completamente por aquela
mulher. Essa visão só pode pertencer a alguém destinado ao trono.”

"Chega de piadas, Narberal. Para ser mais exato, foi o meu erro que a levou a
suspeitar.”

Ainz se virou para fora de Narberal com um gesto que cobria sua vergonha. Então, com
voz de aço, ele emitiu o seu comando.
"Vamos, Narberal. Vá e descubra todos os detalhes deste plano, e então me diga sobre
eles. Também diga a Albedo que, se isso continuar, teremos que nos juntarmos para
limpar a bagunça de Jaldabaoth.”

Narberal curvou-se e lançou uma magia.

Dentro de seu coração, Ainz se animava. Ele não havia mentido para Narberal. O
estado atual de Ainz como um guerreiro perfeito significava que ele não poderia usar
magia. Portanto, o uso de Narberal para retransmitir mensagens para Demiurge era
lógico. Mas havia outra razão, uma que não podia dizer em voz alta.

A fim de fingir que tinha visto através dos planos de Demiurge, e não deixar que
Albedo e Demiurge suspeitassem, tinha para minimizar o contato com eles.

Se atribuir Narberal para transmitir mensagens, seria como jogar um jogo de telefone,
e algumas das informações poderiam acabar distorcidas. No entanto, Ainz preferiu
tomar essa aposta, em vez de arriscar a danificar sua imagem como o governante
supremo da Grande Tumba Subterrânea de Nazarick.

Ainz lentamente se dirigiu de novo para Evileye.

Enquanto Narberal estava falando com Demiurge, ele chamaria a atenção de Evileye.

"Nossa... seria bom se pudéssemos sair dessa de alguma forma. Falando nisso, eu me
pergunto como será o rosto da menina sob aquela máscara, ela é bem forte.”

Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 00:47

Apesar de que estava no meio da noite, um canto da cidade real estava iluminado por
tochas, como se fosse plena luz do dia. Um quarto um pouco apertado estava cheio de
homens e mulheres. Eles estavam vestidos com equipamentos de batalha, mas não
havia tema comum entre eles.

Eram todos os aventureiros na capital que tinham respondido à convocação apressada


do palácio. Aventureiros orichalcum e mythril, mesmo o posto mais humilde de
aventureiros de ferro e cobre, estiveram presentes para isso.

Os aventureiros superiores já haviam notado, que a razão que pessoas de fora como
eles, tinham sido autorizados no palácio, era, a fim de cuidar dos problemas que
afetavam a capital. Alguns desses aventureiros já tinham começado a supor quem era o
seu empregador ao ver o jovem na armadura branca que estava em posição firme no
canto. Mesmo alguns desses aventureiros tinham alguma idéia de qual era a verdadeira
identidade do homem portador de uma katana em pé ao lado da jovem.

A grande porta da câmara se abriu de repente, e o que apareceu foi um grupo de


mulheres, causando um grande rebuliço.

Cada uma delas era conhecida por aventureiros dentro do Reino.

Na frente delas estava a líder das aventureiras adamantite Rosa Azul, Lakyus Alvein
Dale Aindra, a Rosa Azul.

Atrás dela estava Renner, a Princesa Dourada, juntamente com o líder da Guilda dos
Aventureiros da capital. Também estava Evileye da Rosa Azul e uma das gêmeas. E na
parte de traz estava o guerreiro mais forte do Reino, Gazef Stronoff.

À medida que o grupo se reunira em frente aos aventureiros reunidos, o jovem em


armadura branca desenrolou o pergaminho em suas mãos, e o pregou na parede atrás
dele.

Era um mapa detalhado da Capital Real.

O primeiro a falar era uma mulher de uns quarenta anos, uma ex-membro de uma
equipe mythril cujos olhos ainda estavam cheios de vitalidade.

"Senhoras e senhores, para começar, gostaria de lhes agradecerem por poderem estar
presentes nesta reunião de emergência.”

Após o quarto ter se acalmado, ela continuou se dirigindo aos aventureiros com uma
expressão séria no rosto.

"Normalmente, a Guilda dos Aventureiros não iria interferir nos assuntos nacionais.”

Todos os olhos se voltaram para os membros da Rosa Azul, mas permaneceram em


silêncio. Afinal, os olhos não poderiam falar como a boca podia.

"No entanto, este é um caso excepcional. A Guilda dos Aventureiros decidiu cooperar
plenamente com o Reino, a fim de resolver rapidamente os problemas que
enfrentamos. A Princesa nos contará os detalhes, assim peço-lhes para ficarem quietos
e ouvirem.”

A Princesa caminhou lentamente, rodeada por membros da Rosa Azul e Gazef Stronoff.

"Eu sou Renner Theiere Chardelon Ryle Vaiself, e eu estou profundamente agradecida
que todos aqui foram capazes de responder ao apelo extraordinário emitido esta noite.”
Ela timidamente curvou-se a eles, e vários suspiros de afeto floresceram dos
aventureiros ao ver a figura delicada diante deles.

"Normalmente, lhe mostraria devidamente o meu respeito por todos, mas como o
tempo é essencial, vamos direto ao ponto. Hoje à noite, uma parte da capital—”

Aqui a Princesa levou um dedo a uma parte do mapa — canto nordeste — e desenhou
um círculo em torno dele.

“—Uma Parte da capital foi cercada por um muro de fogo. As chamas são mais de
trinta metros de altura, e tenho certeza que todos vocês já viram.”

A maioria dos aventureiros assentiu, enquanto alguns foram para as janelas do palácio
olhar para fora. Os altos muros que cercam o palácio fizeram com que não pudessem
ver a parede de fogo diretamente, mas a luz refletida pelas chamas manchava o céu de
vermelho, e puderam ver.

"Estas chamas devem ser uma ilusão de algum tipo, porque tocá-las não causa danos.
De acordo com aqueles que tiveram contato com ela, o fogo não tem calor ou impede o
movimento. Atravessar a parede de fogo não deve ser um problema.”

Diante disso, os aventureiros juniores soltaram um suspiro de alívio.

"O autor deste incidente é conhecido como Jaldabaoth, um poderoso demônio. Rosa
Azul já confirmou que existem demônios de baixo nível do outro lado da parede de
fogo. Eles parecem estar agindo inteiramente sob as ordens de seus superiores.”

Lakyus assentiu a Renner enquanto dizia isso.

“...Atingido na cabeça e o corpo vai morrer... isso significa que tudo o que nós temos
que fazer é derrotar esse Jaldabaoth?”

Renner virou-se para reconhecer quem falou, um aventureiro com uma placa de
mythril em seu pescoço.

"Isso pode ser uma simplificação exagerada, mas basicamente é isso. No entanto, eu
quero pedir a todos vocês que derrotem o enredo deste demônio. Temos informações
que sugerem que ele está aqui para se apoderar de um determinado objeto mágico que
está em seu caminho para a capital.”

A notícia provocou um tumulto entre os aventureiros. Eles finalmente perceberam que


a região cercada pelo muro de fogo incluía armazéns e casas comerciais que eram o
centro econômico da capital.

“...Como conseguiram esta informação?”


"Foi dito pelo o mesmo, Jaldabaoth.”

"Então você não acha que há uma alta probabilidade de que esta informação pode ser
falsa?”

"Certamente, não está fora de questão. No entanto, creio que deva ser exata. O inimigo
não fez nenhum movimento desde que ergueu uma parede de fogo. Mais importante, se
o que Jaldabaoth diz é verdade, implica que tudo o que nós podemos fazer é olhar
enquanto o pior dos cenários se desdobra diante de nossos olhos. Portanto, devemos
tomar a iniciativa.”

"Quão forte é esse Jaldabaoth? Não me lembro de ouvir ou ler sobre ele. Seria bom se
pudéssemos dizer seu nível de dificuldade.”

Lakyus deu um passo à frente com uma expressão séria no rosto.

"Minha colega Evileye é a que está mais familiarizado com a força de Jaldabaoth, mas
não sei os detalhes ainda. Faremos um relatório mais tarde.”

O nível de dificuldade era como os aventureiros classificavam os monstros que se


encontravam. Quanto maior o número, maior seria o adversário. No entanto, era uma
regra implícita não escrita de que não se deve confiar nessas classificações, porque isso
levaria a surpresas desagradáveis. A força dos monstros variava até mesmo dentro de
sua própria espécie e no melhor caso, a dificuldade era um palpite. Por isso, não era um
valor a ser utilizado com frequência. No entanto, era uma maneira simples de explicar
as coisas para um grupo como este.

"Eu vou falar sobre o que eu sei como representante do meu grupo. Minhas
companheiras se encontraram com uma empregada-inseto. Achamos que era um dos
seguidores de Jaldabaoth e a derrotamos, apenas para que Jaldabaoth apareça e nos
comprometa na batalha...”

A ausência de Gagaran, a guerreira, e Tia já havia sido notada pelos aventureiros


presentes. Lakyus olhou para os aventureiros dentro do quarto.

"Elas foram mortas por Jaldabaoth.”

"Com um só golpe.”

O caos se instaurou com a declaração de Evileye. Aventureiros Adamantite, o auge da


humanidade, as lendas vivas. Era impensável que eles poderiam ser mortos, muito
menos com um único golpe.

"NÃO TEMAM!”

Evileye gritou como se pudesse dissipar o medo no ar com a sua voz.


"Certamente Jaldabaoth é poderoso. Posso garantir isso, tê-lo enfrentado sem nada
para mostrar para ele, mas derrotada. É um monstro que nenhum ser humano normal
pode derrotar. Mesmo se todas as pessoas reunidas aqui lutassem contra ele, seríamos
simplesmente derrotados. Mas não precisam se preocupar. Há um homem que pode ter
uma batalha de igual a igual com Jaldabaoth!”

Em meio ao tumulto, alguns dos aventureiros mais brilhantes olharam para um lugar
— há um certo aventureiro.

"Senhoras e senhores, creio que conhecem esse homem. A terceira equipe de


aventureiros adamantite do Reino que foi fundada recentemente em E-Rantel — na
verdade, é ele.”

Evileye apontou para o par de aventureiros, e os olhos de toda a sala foram com ela.

"O líder da Escuridão, O Herói Negro, Momon-dono!”

Um deles estava coberto por uma armadura de placas negras como a noite e usava um
elmo que se recusava a remover mesmo no interior, enquanto a outra era uma beleza
de Classe Mundial. Ambos instantaneamente se tornaram o centro das atenções.
Exclamações de admiração e reverência encheram a sala quando perceberam as
celebridades que estavam entre eles.

Momon tirou sua placa de adamantite de dentro das dobras de seu manto vermelho,
onde todos pudessem vê-lo.

"Rápido, Momon-san, por favor, venha para frente da sala.”

Em contraste com o entusiasmo de Evileye, Momon simplesmente levantou a mão em


resposta, e sussurrou algumas palavras no ouvido de Narberal.

"Momon-san diz que não há necessidade de uma longa introdução. Temos de começar
a sessão de informação rapidamente.”

"Bem, é uma pena. Então, vamos nos apressar como o Momon-sama sugere. Evileye,
posso continuar com a sessão de informação?”

"Ghrum! Uh, desculpe, Princesa Renner, por favor, continue.”

Embora sua máscara escondesse o rosto, se podia dizer que Evileye estava
desapontada pelo tom de sua voz.

"Como a Evileye disse, temos um guerreiro que pode se manter contra Jaldabaoth.
Todos podem ter certeza que nós não escolhemos uma luta que não podemos vencer.
Então, vou explicar os detalhes da operação.”
Renner desenhou uma linha no mapa.

"Para começar, eu gostaria que atuem como nosso arco.”

"Um arco?"

Veio de uma voz duvidosa—

"Não um escudo?”

"Um escudo não vai nos ajudar a vencer. Para começar, quero formar os aventureiros
em uma fila de batalha, seguido de perto por uma fila de guardas. Atrás deles irá a linha
de apoio de sacerdotes e magic casters. Desta forma, avançaremos para a fortaleza
inimiga. Neste ponto, se o inimigo não nos comprometer, então podemos avançar
aventureiros para a sede do inimigo e conter a área. Se formos atacados, vamos
primeiro determinar se podemos repelir o ataque. Se possível, vamos seguir em frente.
Se não, então eu devo pedir aos aventureiros que se retirem enquanto repelem o
inimigo. Enquanto isso, devo pedir aos guardas para manter o inimigo à distância o
maior tempo possível. Se os aventureiros devem se retirar então eles devem ir aqui.”

Sinalizou a linha de apoio dos magic casters.

"Se curem aqui, e a partir daí decidiram sobre montar um novo ataque.”

"Espere! Isso significa... os guardas vão lutar em nosso favor?”

Os guardas tinham uma força de combate muito baixo. Parecia impossível para
qualquer número deles substituir um aventureiro em combate.

Como Renner estava prestes a responder, outro aventureiro falou.

"Outra coisa, há uma falha fatal neste plano. Enquanto nos retiramos, nossa formação
será estendida, e o nosso poder defensivo irá enfraquecer como resultado. E se os
demônios atacarem a capital nesse meio tempo? Mesmo um demônio de baixo nível é
muito mais poderoso do que um ser humano médio. Não há um monte de sacrifícios
desnecessários? Em vez disso, por que não usar a magia de voo para penetrar na
formação inimiga em um só movimento?”

"Eu considerei este método também, mas não é verdade que os demônios contam com
muitos voadores entre os seus números?”

Os aventureiros reunidos recordaram contos de demônios voadores e assentiram para


Renner. Até mesmo os demônios de baixa patente tinham asas, e muitos poderiam voar.
"A aplicação inconsequente de magias de voo, só serviria para atrair os olhos do
inimigo em relação a nós. Eu tinha considerado a partir de uma grande altura, e de
repente descer para o chão e fazer uso de edifícios da cidade para bloquear a visão do
inimigo enquanto pulávamos da cobertura... mas há outro assunto para discutir antes
disso. Você mencionou anteriormente que, na retirada, as linhas de batalha se
estenderiam e as defesas seriam enfraquecidas. O mesmo se aplica ao nosso inimigo.
Assim que, para esta batalha, nós não somos um escudo, mas um arco.”

Gritos de aprovação vieram dos aventureiros.

"Senhoras e senhores, vocês são o Arco do nosso Reino, esticado e desatado, para
perfurar o nosso inimigo diretamente através do coração. Assim como aventureiros se
separariam, será o mesmo com o inimigo, que nos seguirão. Isto também significa que a
defesa do inimigo será enfraquecida. Entre uma formação relaxada e uma formação
fechada, eu tenho certeza que é mais fácil romper através de uma formação relaxada. O
objetivo de formá-los em uma linha como esta, é para atrair o inimigo e se enfraquecer.
E, finalmente, como a flecha, Momon-sama agirá aqui. Quando você ver que as linhas
inimigas se abriram, faça um ataque voando a uma altitude media para romper através
deles.”

“...Que tal a Gota Vermelha? Mesmo se forem aventureiros adamantite, eu não vejo
como duas pessoas podem atravessar por si mesmas. Para ter certeza, nós não
precisamos de alguém que os cubra antes que eles atinjam Jaldabaoth?”

"Neste momento, eles estão realizando uma tarefa dentro da República. Nós já usamos
「Message」 para informá-los sobre a situação, mas o retorno levaria metade de um
dia. Para esse momento seria tarde demais. Então, desta vez passaram, não estamos
contando com suas forças em nossos planos.”

"Então, e sobre a Rosa Azul? Estão indo com o Momon-san?”

“...Nossa força de batalha foi em grande parte esgotada com a perda de dois de nossos
membros. Tina e eu vamos nos unir à linha de batalha e lutar. Evileye vai fazer outra
coisa.”

“...Eu acompanharei o Momon-sama... para que o Momon-san faça a sua entrada, então
eu estou me concentrado na minha recuperação de mana até agora.”

"Então me deixe perguntar outra coisa. Gostaria de pedir ao guerreiro capitão algo. E
sobre as tropas e guerreiros das casas dos nobres? A Rosa Azul já perdeu dois
membros. Você deve tomar o seu lugar no campo de batalha. Você não poderia levar
essas tropas para a batalha, e deixar a Rosa Azul lidar com a tarefa de limpar o caminho
para o Momon-san?”

"Responda-nos!”
"As tropas da casa são responsáveis por proteger os bens de seus senhores, e os
soldados velam pela defesa da capital. E os guerreiros que comando são responsáveis
pela defesa da família real.”

"Então você está dizendo que o grande Gazef Stronoff não se atreve a pôr o pé no
campo de batalha?”

"De fato, é isso. Meu dever é ficar na capital e proteger os membros da família real.”

O ar tinha mudado. Estava cheio de hostilidade e frustração. As palavras de Gazef


estavam corretas, mas mesmo eles entendendo a nível lógico, ainda era inaceitável em
um nível emocional. Os que ganhavam seu pagamento com sangue eram os
aventureiros, e eles estavam dispostos a vender suas vidas na próxima batalha. Os
nobres e a realeza deveriam ter sido da mesma maneira. Depois de tomar o dinheiro
das massas, eles devem correr em seu socorro em vez de ficarem seguros em seus
castelos. Especialmente desde que tinham o homem mais forte do Reino como seu
guarda-costas.

Que droga é essa?

A hostilidade contra os nobres e a realeza encheu o ar. Gazef recuou. Ele entendeu que,
neste momento, tudo o que ele dissesse soaria apenas como uma desculpa.

Portanto, a que falou por ele foi Lakyus.

"Pessoal, eu entendo que vocês não estão satisfeitos com o seu acordo. Mas antes
disso, eu lhes aconselho a manter uma coisa em mente. A que paga para reunir todos
aqui não é da família real, mas a Princesa Renner por ela mesma, suas finanças
privadas. O que trouxe o Momon-san foi o Marquês Raeven. Ele não está aqui esta noite
porque ele está em guarda contra qualquer demônio que se dispersar na capital. Na
verdade, estou tão infeliz com os nobres e a realeza quanto vocês, mas eu gostaria de
considerar que nem todos eles são farinha do mesmo saco.”

A atmosfera se acalmou um pouco quando Lakyus terminou sua parte. Todos estavam
tentando controlar a raiva que não queriam mostrar para Renner.

“...E há mais uma coisa. Antes de disparar a flecha, temos que executar uma tarefa a
mais. Climb!”

"Sim, Princesa!”

Sua voz forte chamou a atenção de todos para o menino na armadura branca.

"Embora seja uma tarefa muito perigosa, mesmo assim irei confiá-la a você. Quando
entrarmos na fortaleza inimiga, pode haver sobreviventes. Por favor, resgate-os.”
Sussurros saíram dos aventureiros. "Impossível", "É demais", esse tipo de coisa.
Entrando no coração da formação inimiga e buscar por sobreviventes era muito mais
perigoso, francamente, era suicida. E escoltar civis indefesos através de uma zona de
guerra era praticamente impossível.

Ainda assim, Climb respondeu imediatamente.

"Sim, Vossa Majestade! Vou arriscar minha vida para realizar qualquer tarefa que você
me peça!”

Todos olharam para Climb como se ele fosse louco.

“...Princesa, Climb é apenas um homem, e poderia haver algum risco. Me permitiria ir


com ele?”

"Tudo bem com isso, Brain Unglaus-sama?”

Esse nome levantou outro choque nos aventureiros. O nome de Brain Unglaus era um
que qualquer um que valorizava a força nunca se esqueceria.

"Ah, isso não é problema para mim.”

"Então eu vou contar com você. Eu agora peço aos diferentes líderes de equipes para
avançar?”

Enquanto observava os aventureiros na frente da sala, Ainz estava fazendo um pouco


de trabalho de sua parte.

Ou seja, ele estava fazendo apresentações.

As pessoas que pareciam que estavam em segundo no comando de seus grupos de


aventureiros, chegaram perto de Ainz em pares e trios para falar com ele.

Eles seguiram linhas semelhantes para anunciar os nomes de suas equipes, admirando
a sua equipe, na esperança de encontrá-lo novamente e compartilhar histórias de suas
aventuras. Era semelhante à forma em que eles poderiam trocar cartões de visita no
trabalho, mas enquanto as cartas tinham formas físicas, apresentações verbais foram
apenas como lembranças.

Uma boa memória era uma habilidade importante para um líder. Ainz deixou sua
mente vagar com cada pessoa que ele conheceu em sua memória.

O importante era lembrar o nome da equipe e qual classificação tinham. E, claro, ele só
prestava atenção para aventureiros bem classificados. Aventureiros classificados como
ferro e cobre foram saudá-lo também, mas eles viviam em mundos diferentes então
esquecer não era um problema. Como um chefe de departamento não se preocuparia
lembrando dos funcionários de uma pequena empresa que ele visitou.

No entanto Momon não fez óbvio que estava tomando ânimo leve. Ele apertou a mão
de todos os interessados, deu tapinhas tranquilizadoras no ombro, riu de suas piadas
estúpidas, e devolveu o elogio que recebeu.

Mesmo alguém havia retirado as luvas para apertar as mãos com ele, com ele em luvas
e tudo.

Deve ser uma questão de quão bem classificado.

Momon pensou enquanto olhava para a parte de trás da pessoa que acabou de saudá-
lo.

Que loucura de cor...

Seu cabelo era de um rosa-impactante.

Não era incomum que os aventureiros pintassem seu equipamento com cores
berrante, mas esta foi a primeira vez que vi alguém que tingiu o cabelo em um tom tão
assustador.

Os aventureiros da capital eram realmente uma coisa totalmente diferente. Só porque


havia tantas pessoas na capital, isso não significava que você tinha que ir tão longe só
para se destacar.

Bem, não parecia como se houvesse tabus ou estigmas associados a tingir o cabelo...

Durante a vida de Ainz como um empregado, cabelo rosa teria sido considerado
estranho, mas neste mundo, até mesmo as crianças podem tingir o cabelo.

Ele se forçou a deixar o assunto de cabelo e, em vez disso, olhar para a linha de
aventureiros na frente dele. Ele lembrou o instinto de entrar na fila para os japoneses.
Então ele voltou sua atenção para Narberal que estava atrás dele.

Ainz nenhuma vez havia registrado um nome de equipe, mas a equipe chamada
Escuridão tinha um membro a mais, a beleza esbelta que agora estava atrás dele.

Os aventureiros que se reuniram não se atreviam a falar com ela por causa da enorme
hostilidade que ela exalava como formigas na pele. Isso e que tinha vindo a conhecer e
cumprimentar Ainz, o que foi mais benéfico para eles.

No final, se aventurar na sociedade era como a vida profissional...


Depois de tudo, todas eram construções sociais da humanidade. Só fez sentido que
havia semelhanças entre eles.

Houve um tempo onde a mão de Ainz teria terminado dolorida pela agitação se fosse
um ser humano, o fluxo de aventureiros que se aproximava começou a diminuir.
Percebendo uma oportunidade, Evileye se aproximou, cortando na frente da pessoa que
estava indo para agitar as mãos com Ainz. Não podiam reclamar, no entanto. Os
aventureiros tinham feito suas apresentações em ordem de suas classificações, do
maior para o menor. Ao estarem na parte de trás da linha, os restantes eram novatos, e
certamente não poderiam dizer nada contra Evileye, uma adamantite.

"As apresentações são bastante longas, você poderia vir aqui por um tempo?”

Ainz a olhou pelo buraco em seu elmo fechado, e logo olhou Gazef pelo canto de sua
visão. Se ele ainda estava lá, só podia significar uma coisa.

"Nabe, tome o meu lugar e se reúna com ela. Eu vou depois que eu terminar aqui.”

Os olhos dos ouvintes se arregalaram.

"Sinto muito, mas aqueles que estão na fila vem primeiro.”

Ainz empurrou Evileye e continuou falando com os aventureiros que vieram para vê-
lo.

Se Ainz estivesse falando com o chefe de uma pequena empresa e fosse chamado pelo
chefe de uma corporação internacional, naturalmente que iria com o último. Não foi
favoritismo ou discriminação, mas sentido comum. Se ele continuasse na tarefa e
ignorasse a chamada, ele seria visto como um líder egoísta, que não podia ver a situação
completa. Como empregado, às vezes tinha que pôr de lado o seu próprio pensamento e
agir para o melhor benefício da empresa.

Isso era o que significava ser uma engrenagem de uma máquina.

No entanto, desta vez foi diferente.

Eu não deveria falar com o Gazef? Mesmo que seja só por um momento, e embora tenha
sido há dois meses pelo qual não deve se lembrar... se fizer isso, vou estar preso. Mas não
há como fugir disto. Mesmo que me sinta desconfortável, provavelmente devo deixar a
Nabe cuidar primeiro, e depois baixar a minha voz um pouco antes de falar com ele... Eu
tenho falado por algum tempo, por isso, se ele não me ouviu falar neste momento
provavelmente nunca o fará. Ainda assim, é melhor tomar cuidado.

"Rápido, Nabe. Vá com eles.”

"Entendido.”
Tirando os olhos de Nabe, que caminhava em direção à Princesa, Ainz tirou o elmo
também. Ele sentiu os olhos de toda a sala se focando nele. Ele torceu o pescoço e, em
seguida, colocou seu elmo novamente. Originalmente, ele tinha planejado para
apimentar o ato enxugando o suor, mas o rosto de Ainz era uma ilusão, e se não for feito
corretamente, a mão acabaria passando por ela. Então, ele decidiu acabar com seu som
torção do pescoço em vez disso.

Esse era o plano, para satisfazer a curiosidade de Gazef fazendo-o ver o rosto de
Momon.

Espero que depois de que a Narberal vá, eles vão e se esqueçam de vir falar comigo...

Ainz orou de seu coração quando se virou para os aventureiros que o procuravam.

"Que surpresa, você já está acostumado a isso?”

Era a voz de Evileye. Ela seguia dando voltas ao redor. Por que ela não poderia ter sido
uma boa menina e ter ido com Narberal? Claro, ele não revelou sua irritação. Na
verdade, para evitar suspeitas, ele respondeu com uma voz suave.

"Oh, não era nada de especial.”

Isso não era nada para quem havia trabalhado em uma empresa antes.

"Dificilmente. Creio que é a melhor atitude a ter para liderar uma equipe.”

Que chatice. Pare de interferir quando eu estou fazendo apresentações.

As palavras queimavam no coração de Ainz, mas teve que as engolir. Se ele fosse
contra ela agora, o esforço que colocou em não matá-la teria sido em vão. Ele dividiu
sua atenção como se estivesse realizando uma tarefa simples, e fez as apresentações
apropriadas para alguém que tinha vindo vê-lo. A outra equipe também sabia que
Momon estava sendo chamado à distância, por isso eles desenrolaram os seus assuntos
em duas ou três frases.

Depois que a fila de aventureiros havia se dispersado, um olhar rápido revelou que
Gazef tinha ido embora. Ele lutou contra o desejo de começar a dançar, e em vez disso
falou calmamente com Evileye.

"O lendário Capitão Guerreiro parece ter nos deixado... Meu Deus. Eu acho que passei
muito tempo com os outros. As minhas desculpas.”

"Mmm? Como você sabe, ele se foi. Ele é uma pessoa muito ocupada, faz sentido que
não possa ficar. Embora, parece bastante desagradável que nem mesmo disse uma
palavra de agradecimento ao nosso Às, Momon-sama, que vai proteger a capital. Que
grosseiro. Deixe-me trazê-lo para você.”

"Espere, espere!”

Ele tinha levantado acidentalmente sua voz. Ainz continuou em um tom mais
uniforme.

"Não, isso não será um problema. Realmente não se preocupe com isso. Só estou aqui
porque o Marquês Raeven me contratou de qualquer maneira. A proteção da capital
não é mais do que apenas um negócio. Nada para que o Capitão Guerreiro deva me
elogiar.”

"É assim que... eu tenho a sensação de que o Momon-sama é um homem muito


generoso.”

Ainz pensou que ela estava tirando sarro dele, e olhou atentamente para Evileye. Mas
ele não podia ler seu rosto, pois estava coberto pela máscara.

Eu não posso confiar em ninguém usando uma máscara depois de tudo... que chatice.
Ainda assim, por que usa a máscara? Deve ser algum tipo de objeto mágico...

Foi nesse momento que Ainz percebeu seu erro e correu para examinar seus
arredores. O clima na sala não tinha mudado, e ninguém tinha reagido com medo e
hostilidade em relação ao aventureiro adamantite Momon.

As Ilusões em YGGDRASIL eram apenas uma maneira trivial para alterar a aparência
de um item, mas neste mundo, a magia da ilusão era real. Nesse caso, não seria
incomum que itens que atravessem ilusões existissem... E-Rantel, ninguém viu através
de mim, e depois de ouvir que o líder da Guilda de Magia necessitava de experiência
para de ver através delas, fiquei descuidado... Há também um número de aventureiros
orichalcum aqui, mas que descuido...

Ainz inspecionou o quarto novamente.

Ninguém estava em guarda, acho que o meu segredo ainda está a salvo... de agora em
diante, eu não vou tirar meu elmo na capital a menos que seja necessário. Alguém pode
ter um talento para ver através de ilusões.

“...Evileye-san,”

"Por favor, me chame de Evileye. Momon-sama é meu salvador, não precisa ser tão
formal comigo.”

Ainz estava apenas sendo simpático. Mas se isso era o que ela queria, não tinha
nenhuma razão para recusar.
"Então Evileye, vamos lá...”

"Claro!”

Foi uma resposta extremamente feliz. Sem saber o que ele tinha feito para agradar
assim, Ainz foi levado por Evileye para a Princesa.

Os aventureiros começaram a conversar novamente ao ver o grupo em direção a outro


quarto — Renner e seus subordinados, em conjunto com os dois aventureiros
adamantite.

Naturalmente, o foco era Momon, o aventureiro no topo.

"Eu ouvi rumores de E-Rantel, mas na realidade está além das minhas expectativas.”

"Não só ele, certo? Eu vi a Gota Vermelha também, e me deram a mesma sensação que
eles. Ele parece perfeito em quase todos os sentidos. Eu acho que ser um adamantite
não se trata apenas de força.”

Aquele em frente aos dois aventureiros mythril era um com uma placa de platina em
sua corrente.

"Ele é assim? Ainda assim, ele foi convocado pela Princesa e ainda deu seu tempo para
cumprimentar os aventureiros novatos. Não pode haver alguém assim, certo?”

"Certamente me surpreendeu.”

Murmúrios de aprovação vieram dos aventureiros em torno deles.

Durante uma missão como está em que as partes tinham que trabalhar juntas, era
sensato fazer apresentações a fim de garantir a assistência e apoio mútuo. Um
certamente preferiria ajudar alguém que conhecia a ajudar um estranho. No entanto, os
únicos que poderiam ajudar um aventureiro adamantite eram apenas aqueles que
fossem mythril ou superiores. Como tal, cumprimentar um aventureiro iniciante, sem
dúvida, era uma perda de tempo. O que significava que Momon não estava pensando
sobre o benefício para si mesmo e só queria aprofundar a sua amizade com os outros.

"Normalmente, seria de esperar que ele vá para a Princesa, enquanto o seu parceiro
iria cumprimentar os novatos, certo?”

"Ah, sim, isso é o que a maioria das pessoas normalmente faria. É o que eu faria. Vocês
também, né?”

"Eu digo o mesmo... isto pode parecer um pouco ruim, mas talvez não entende esse
tipo de coisa. Você vai ter suas prioridades em ordem?”
Essas palavras certamente poderiam ser vistas como um insulto, mas o homem que as
dizia não tinha um único pingo de malícia em seu rosto.

"Talvez não. Talvez as suas prioridades sejam diferentes.”

Como se esperando por isso, o homem que tinha falado anteriormente respondeu
rapidamente.

"Então não há ninguém melhor do que ele. Quero dizer, olhe para ele, é uma
adamantite e ainda trata os mais novos com placas de cobre, como se fossem seus
companheiros de batalha. Olhe para seus rostos.”

"Eles o adoram totalmente agora.”

Isso era verdade, aventureiros novatos tinha uma expressão em seus rostos, como
uma criança que acaba de conhecer seu ídolo.

"Eh, sim, se ele me tratasse bem, seria seu. Até mesmo daria a minha bunda.”

"Ficou louco, quem diabos iria querer sua bunda suja? Ele tem uma maravilha em sua
equipe."

"Sim, ele tem. Você acha que eles fizeram?”

"Claro que sim, caso contrário, por que eles formariam uma equipe para si?”

“Eu já ouvi isso não é...”

O quarto homem que interrompeu tinha uma placa orichalcum no pescoço.

"Vocês parecem estar muito bem informados, com rumores de E-Rantel. A força dos
dois é irreal. Talvez seja porque ninguém mais possa manter-se com eles?”

“...Você estava espiando esse tempo todo?”

"Hahaha! Não diga isso, não se importava com quem estava ouvindo, certo?”

"Heh, bem, eu acho", disse o primeiro aventureiro.

O mestre da guilda bateu palmas para chamar a atenção.

"A operação começa em uma hora, por isso vamos estar nos movendo em breve.
Porque nós não temos muito tempo, por favor, retransmitam a mensagem a qualquer
um dos membros de suas equipes que não estão aqui. Em qualquer caso, uma vez que
deixarmos o palácio, só permanecerão comigo."
♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 01:12

Estavam reunidos na outra sala para fazer os preparativos finais da operação. Eles
consideraram quando atravessar, o que fazer quando o inimigo aparece com sua força,
e como lidar com as possíveis complicações que podem surgir. Mas no final,
simplesmente eles tinham pouquíssima informação para fazer planos concretos e a
conclusão final foi que eles tiveram que ir com o fluxo.

O jovem na armadura branca, que tinha estado escutando silenciosamente, até agora,
de repente quebrou o silêncio.

"Perdoe-me, Princesa.”

"O que é?”

"Eu sei de outra pessoa que poderia se tornar uma flecha para esta formação. Ele é um
homem com uma força de combate esmagadora. Estaria tudo bem pedir sua ajuda?
Uma flecha é boa, mas duas seria melhor, e se ajudassem uns aos outros tenho certeza
que ele poderia derrotar qualquer demônio que aparecesse, não importa o quão
poderoso ele é.”

"O que é isso, Climb? Você está dizendo que o Momon-sama a quem eu recomendei
não será o suficiente?”

As palavras de Evileye tiveram uma borda afiada entre eles. Os olhos de Climb
tremiam de medo.

"Não, não, claro que não. Isso nunca foi minha intenção—”

"Momon-sama é o guerreiro mais forte que existe. Ouso dizer que, em vez de ajudá-lo,
o homem que tem recomendado seria nada mais do que uma desvantagem.”

O guerreiro carregando uma katana, Brain, interveio para defender Climb.

"Penso que não seja assim. Eu também tenho visto a pessoa que Climb fala. Sua força é
extraordinária. Ele derrubou Zero, o mais forte do Seis Braços, de uma só vez.”

"Você é Brain Unglaus? Aquele que serve Sua Alteza sob a recomendação de Gazef
Stronoff e Climb?”

"Eu sirvo ao Gazef, mas antes disso estou com um juramento oficial, de ficar ao lado da
Princesa.”
"Você é muito mais forte do que Climb eu sei disso, mas mesmo isso não é uma
garantia da força desse homem. E, além disso, você não perdeu contra aquela velha
bruxa?”

“...Ara, você não perdeu também? As minhas desculpas, Unglaus-sama.”

"Uuuu...”

Evileye gemeu quando Lakyus a repreendeu.

"Não foi só ela, todos vocês também estavam lá.”

"Depois que você perdeu, você disse que perdeu para a Rigrit, não ao resto de nós.”

"Você ainda se lembra disso, Tina?”

Entre Tina rindo e Evileye chorando, o clima na sala tinha aliviado consideravelmente.

Neste ponto, Ainz fez uma pergunta.

"Parece muito interessante. Que tipo de pessoa ele é?”

Climb declarou orgulhosamente o seu nome.

"O nome dele é Sebas.”

“...Hein? Sebas?"

O nome soava familiar para Ainz. Era simplesmente uma coincidência?

“...Como é a personalidade dele?”

Depois da explicação de Climb, Ainz assentiu.

Não é o próprio Sebas!?

Como tinha contatado Climb? Que tipo de relação que eles tinham? Climb era um dos
contatos de Sebas? Ainz apenas havia resumido os relatórios apresentados por Sebas, e
não se preocupou em lembrar-se de qualquer uma das pessoas mencionadas.

Não poderia evitar, estava muito ocupado...

A ansiedade de Ainz cresceu enquanto ele disse desculpas para si mesmo.

Em qualquer caso, esse cara era um contato valioso que Sebas tinha feito. Se fosse
eliminado cedo demais, seria um desperdício de todo o trabalho que Sebas teve. E jogar
sem cuidado com o trabalho de um de seus subordinados era algo que um superior
deve evitar a todo o custo.

É melhor ajudar esse garoto aqui, e indiretamente elogiar Sebas.

"Eu não estive em batalha com este Sebas antes, então eu não posso dizer qual dos
dois seria mais forte.”

"Claro que o Momon-san é mais forte do que ele!"

Narberal disse com uma voz cheia de confiança. Evileye assentiu em silêncio.

Ainz não pôde evitar de acariciar Narberal na cabeça.

"Bem, se meu companheiro diz, então deve haver alguma verdade nas observações de
ambas as partes. Creio que deveria ser capaz de ficar em igualdade comigo.”

"Essa foi uma resposta surpreendentemente madura. Ao contrário de minha


companheira... que não só carece de altura, mas também é deficiente em sua capacidade
de se adaptar.”

"Tá, tá, não vamos envergonhar a nós mesmos em público. É uma ordem do líder da
equipe.”

“Se não há mais nada para discutir, por que não vamos fazer uma visita a Tia e
Gagaran?”

"Parece um bom plano.”

Ambas haviam morrido e revivido. Embora não tivesse visto a própria ressurreição, já
havia ouvido tudo sobre isso com os outros.

"Falando nisso, você pode usar o poder da escuridão para atacar os demônios e assim
por diante?”

“...O poder da escuridão?”

A pergunta incerta de Evileye provocou uma reação chocada em Lakyus. Ela pareceu
achar o conceito impensável.

"Ah, eu ouvi falar de Gagaran, se liberasse todo o poder da Espada Amaldiçoada


Kilineiram, poderia ser poderoso o suficiente para destruir todo o país.”

Os olhos de Lakyus se arregalaram.

"I-isso pode esperar até mais tarde! Há mais alguma coisa para discutir, né?”
Uma espada amaldiçoada? Espere, creio que eu já ouvi falar desta arma antes... não em
YGGDRASIL, mas neste mundo... Sim! A Espada Amaldiçoada Kilineiram, dizem que é
capaz de irradiar o poder da escuridão. Embora... a destruição de todo um país? Parece
exagero, mas poderia ter um poder que seja o suficiente.

Ainz concluiu que o seu rosto vermelho foi causado pela raiva e pânico de que seu
próprio trunfo tinha sido revelado tão cedo.

Quando a atenção de todos se voltara para Lakyus, houve uma batida na porta, e dois
homens entraram pouco depois.

"Onii-sama, e Marquês Raeven.”

Com as palavras de Renner, todos abaixaram a cabeça em respeito.

Esta era a segunda vez que Ainz conheceu estes dois homens. A primeira vez não foi há
muito tempo, quando eles tinham entrado na capital. Havia mudado os termos da
missão para a qual ele tinha sido contratado. Em vez da Oito Dedos, ele estaria lutando
contra Jaldabaoth, e iria trabalhar com os aventureiros que se reuniram na capital.

Após o cumprimento simples, Ainz e os outros estavam prestes a sair, porque a


Princesa queria discutir com os dois homens. A maioria dos detalhes do plano de
batalha já havia sido decidido. A pesquisa de Sebas tinha sido abandonada devido à
falta de tempo e mão de obra. Tudo o que restava era esperar ordens no lugar.

"Então, pessoal, peço a todos os deuses para que permitam que todos voltem vivos e
vitoriosos... todas as nossas esperanças repousam sobre vocês, ou melhor, em Momon-
san. Que a sorte o favoreça.”

Depois de ouvir Renner rezando com a cabeça curvada, Ainz e outros deixaram a sala
em silêncio. Os únicos que sobraram foram Raeven e o segundo Príncipe — Zanac
Valleon Igana Ryle Vaiself — e Renner.

No momento em que Climb saiu da sala, a expressão de Renner mudou, seus olhos
verdes congelaram como um lago no inverno. Zanac estremeceu enquanto observava a
mudança nela.

"Eu ouvi os detalhes no quarto secreto...”

Esse quarto foi projetado para espionagem, e ambos tinham estado a ouvir a partir
dali.

"Há uma pergunta que não foi respondida. Por que formar os guardas em uma linha de
batalha, são sacrifícios?”
Os guardas estavam muito fracos. Até mesmo o mais humilde dos aventureiros era
mais do que um rato para eles. Se eles fossem atacados a única resposta razoável para
eles era ser massacrados.

"Isca.”

Essa palavra era o que eles esperavam.

"Os aventureiros disseram o mesmo. O exército de demônios mais fracos de Jaldabaoth


não pode permitir-lhes correr livremente na capital. Então, se eles se saciarem com os
guardas posicionados como iscas para eles, não há dúvida que, eventualmente, matá-los
os manteria ocupados no massacre, certo?"

Renner sorriu.

Era quase impossível para consertar as coisas com palavras bonitas e ideais elevados
neste mundo. Tudo tinha um preço. Ninguém entende mais claramente do que aqueles
que estavam no poder, cuja responsabilidade era limitar os sacrifícios necessários,
tanto quanto possível.

A partir desse ponto de vista, Renner era a burocrata ideal.

No entanto, os seres humanos eram criaturas com emoções e a emoção que sentiram
quando ouviram este plano foi repulsa.

"Certamente deve haver uma maneira melhor? Alguma forma que não envolva
sacrificar todos os guardas?”

"Se tivesse certamente o Príncipe Zanac teria mencionado agora, certo?”

Zanac ficou em silêncio.

Era verdade, ele não tem um plano melhor que Renner. Ele certamente tinha idéias,
mas elas eram ou impraticáveis ou impossíveis com os recursos disponíveis. No
momento, tudo o que ele podia fazer era reconhecer que o plano de Renner foi o
melhor, de muito pior.

Raeven desviou o olhar do Príncipe quando ele se acalmou, ele expressou suas
objeções.

"Então me deixe pedir esclarecimentos. Por que dar uma tarefa tão perigosa ao
Climb?”

"Pela mesma razão que os homens de Onii-sama e Marquês Raeven estão patrulhando
a cidade.”
Zanac vinha fazendo suas rondas na Capital, fazendo uma atuação de Príncipe que se
preocupa com o seu povo. Depois disso, ele também tinha começado a espalhar boatos
de que o príncipe herdeiro havia se escondido na segurança do castelo real. Isso seria
bom e iria diminuir seu irmão, que era seu rival.

Será que isso significa que Renner estava fazendo era a mesma coisa: enviou o seu
subordinado em uma perigosa missão de misericórdia, a fim de ser uma boa aparência?

Mas então, quando pensava sobre como Renner tinha revelado sua obsessão por Climb
ontem, algo estava definitivamente errado aqui.

Sentindo sua dúvida, Renner continuou:

"Claro, Climb tem uma chance de morrer. Nesse caso, Lakyus usaria uma magia de
ressurreição sobre ele. Não vai ser barato, é claro, mas um gasto como este não será um
problema. E depois que fosse ressuscitado, Climb seria enfraquecido pela perda de
energia vital. Durante esse tempo, eu vou cuidar dele. Tenho certeza de que ninguém
vai se opor a mim por cuidar de uma pessoa que morreu e ressuscitou por seguir as
minhas ordens.”

"Entendo. Isso é certamente razoável. Você pretende aprofundar o seu carinho por
você.”

“—Há uma chance de que Lakyus possa morrer também?”

"Essa é uma preocupação válida."

Disse Renner para Raeven, cuja cabeça se inclinou e completou:

"Mas aquele isso tem sido planejado. Durante o período perigoso da saída, haverá mais
pessoas no local para protegê-la. O chefe da guilda não quer uma pessoa que pode
ressuscitar os mortos seja morta, então ela aceitou sem hesitação.”

"Parece que tudo está dentro de seus cálculos, irmã.”

“Sim—”

Sua irmã sorriu radiantemente. Zanac sentiu um arrepio na espinha.

Ao lado dele, Raeven também lutou para reprimir o arrepio que corria pelas costas.
Capítulo 11: Confronto
Parte 1

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 02:30

s chamas ondulantes da barreira não tinham nenhum calor, fazendo

A parecer uma ilusão. Os aventureiros de pé na parte da frente se olharam


com seus grupos, em seguida, reuniram coragem e se lançaram
bravamente através da parede de fogo.

Os sacerdotes de apoio dos templos já haviam lançado magias de proteção contra o


fogo nos aventureiros, mesmo assim, eles prenderam a respiração, temendo que seus
pulmões se queimassem.

...Apesar de que já havia lhes dito que as chamas não causam qualquer dano físico.

Esse pensamento passou pela mente de Lakyus, enquanto observava a parede de fogo
da parte de trás da formação.

No entanto, ainda era muito cedo para estar aliviado pelo fato de que as chamas eram
inofensivas. Se esse muro de fogo não tinha a intenção de causar danos, então deve
haver outra razão para Jaldabaoth invocá-lo. Isso era o que Lakyus tinha que decifrar.

Se eu não posso decifrá-lo, então não faz sentido desperdiçar energia nisso. Quem foi
aquela que disse que eu deveria usar meu cérebro para coisas melhores... Evileye ou Tia?

A barreira de chamas mágicas era como uma ilusão, já que não tinha resistência e não
tinha calor, e só por isso, Lakyus passou através dela.

Ela olhava para os rostos preocupados dos aventureiros que estavam passando
através da barreira.

O plano era fazer uma formação de linha defensiva, mas formar uma linha de batalha
ordenada no meio de uma cidade era muito difícil. Por isso, foram utilizadas quatro
equipes de aventureiros com orichalcum como eixos de formação, atribuindo-lhes um
aventureiro principal para cada equipe. Se alguém no céu olhasse para baixo, veria algo
como uma fera com suas quatro pernas abertas.

Como são os núcleos da formação, era natural que aventureiros orichalcum iriam se
tornar líderes. Mas naquela época, eles estavam cheios de ansiedade e tensão. Lakyus
esperava que eles pudessem esconder seu medo e inspirar coragem as outras pessoas
que estavam ao seu redor.

Devo tomar a liderança depois de tudo?


Certamente, se um aventureiro adamantite, como ela, fosse colocado na parte da
frente, a moral certamente aumentaria. Mas nesse momento, Lakyus não tinha aliados
confiáveis a seu lado. Mesmo ela sendo uma adamantite, apenas uma da Rosa Azul
solitária era menos eficaz do que uma equipe orichalcum. Como tal, Lakyus teve que
deixar o comando da vanguarda para eles.

Mesmo que eles confiem em mim, correr e fazer um barulho só os encheria de


preocupação. Mas... Ah, deveria ir em frente e ver o que acontece.

Com isso, Lakyus atravessou a parede de fogo.

Um mundo recém-silenciado se espalhou diante deles. As ruas eram as mesmas que as


de qualquer outra na capital, se negligenciasse o fato de que não havia presença de
vidas humanas e muitas casas foram destruídas.

"O que aconteceu com os residentes? Eles estão se escondendo? Não há cheiro de
sangue.”

"Impossível. Olhem, as portas estão quebradas. Tenho medo de que as pessoas possam
ter sido sequestradas em algum lugar.”

"Nós temos que ter cuidado com os demônios à espreita dentro das casas, fazemos
uma busca em cada lugar? Isso vai levar um longo tempo.”

"Seria mais seguro contatar a Lakyus-san e aguardar novas instruções, certo?”

"Então vamos nos apressar e...”

"Não há necessidade disso.”

Endireitando por reflexo ao som dessa voz, os aventureiros que haviam falado
viraram-se para olhar para trás. Estavam com seus olhos arregalados
surpreendentemente era Lakyus, que tinha acabado de chegar.

"Aventureiros classificados como ferro e cobre, ficaram para trás para procurar nas
casas. Uma equipe mythril ficará para trás para supervisionar. O pessoal de trás se
espalhará para fora da formação e então avançar. Alguma objeção?”

As cabeças sacudiram dizendo que não havia nenhum.

"Então, avante.”

Lakyus caminhava em linha reta com os aventureiros orichalcum. Um silêncio


desconfortável se estabeleceu em torno deles. Era difícil de acreditar que havia vida
aqui até esta tarde.
“...Falando nisso, Momon-san vai ficar bem, não é?”

Lakyus entendia o desconforto deles, por fixar todas as suas esperanças em Momon.

"Momon vai ficar bem. Mesmo Evileye admitiu que ele é mais forte do que ela. O
verdadeiro problema que é a sua batalha acabou em um impasse, o líder inimigo,
Jaldabaoth. Quão forte é, de qualquer maneira...”

Os aventureiros que estavam nas proximidades, ouviram isto, seus rostos se


desfizeram em desespero.

"Ah, desculpe, não se preocupem com isso. Nós apenas temos que fazer o que nos foi
atribuído, isso é tudo.”

"Sim, isso é verdade. Isso me enche de inveja e eu odeio admitir isso, mas acho que
cada um de nós foi contratado para fazer algo que somos mais adequados. Nesse caso,
todos vão em frente!”

Estando de pé na frente do grupo, juntamente com aventureiros orichalcum, Lakyus


deu um passo adiante.

Sua mão agarrava a espada amaldiçoada Kilineiram. Sua superfície era como uma
parte do céu noturno, repleto de estrelas brilhantes.

Eles não tinham andado muito, antes do som de uma explosão distante se espalhasse
suavemente a partir de uma distância. Os aventureiros de classificação mais baixa
estavam tremendo. Aqueles que se prepararam para a batalha eram aventureiros
intermediários. Aqueles que examinavam os arredores eram os aventureiros de
classificações altas. E aqueles que olharam para frente eram os aventureiros das
classificações ainda mais altas. Em meio a esse mar de reações, Lakyus olhou para fora
na distância, com um olhar penetrante.

"A equipe nesse lugar entrou em combate.”

Provavelmente não era o grupo de Tina.

"Se eles têm se movido na mesma proporção que nós, deveríamos estar encontrando
resistência inimiga.”

“...O que é o lugar acima?”

"Nós temos olheiros lá, e nenhum deles relatou qualquer coisa até agora.”

"Isso é bom. Os demônios têm uma grande quantidade de criaturas do tipo voo entre
seus números. Se eles se implantassem na capital, seria muito ruim. Então, temos que
chamar a atenção para o chão, onde estamos agora.”
"O que significa que o plano é essencialmente inalterado.”

"Isso é... hm, o que é isso, ouviu alguma coisa?”

"Sim, eu ouvi. Cães latindo. Ei, o que é isso?”

O magic caster arcano respondeu à pergunta.

"Eu ainda não confirmei isso com meus próprios olhos, mas eu acho que é um
[Cão do Inferno]
Hellhound. Sua habilidade especial é a respiração de fogo. Eu acho que tem uma
dificuldade quinze, mais ou menos.”

"Dificuldade... sim, por falar nisso, qual terá Jaldabaoth e a empregada inseto?”

Lakyus se perdeu a respeito de como deveria responder. Se fosse honesta, o mais


provável era que a determinação deles iria quebrar, mas se eles estavam indo para a
batalha com uma falsa impressão do inimigo só porque ela mentiu para eles, seria
igualmente desastroso. Lakyus agonizou sobre isso por um tempo antes de decidir
contar a verdade.

“...Cento e cinquenta.”

"O quê??”

Todos que ouviram a voz de Lakyus tiveram a mesma reação.

"O nível de dificuldade da empregada inseto é de cento e cinquenta, pelo menos. O de


Jaldabaoth se estimaria em duzentos ou mais.”

"Ah????!!!!!”

Todos, além de Lakyus, ficaram sem palavras. Isso era de se esperar. Mesmo
aventureiros orichalcum do mais alto nível estariam classificados em torno de 80.
Embora ainda pudessem triunfar sobre um inimigo que tinha cerca de 15 pontos acima
do aventureiro, tentar fazer o mesmo com um inimigo que tinha quase o dobro de
pontos sobre o mesmo aventureiro, era nada menos do que ridículo. E então...

"Espere um minuto! Você está dizendo que o Momon-san vai lutar sozinho contra um
monstro com uma de dificuldade duzentos?”

"Exatamente. Por isso disse que estaríamos apenas ficando em seu caminho.”

"Mas isso não é o mesmo... você disse duzentos? Você está brincando? Todos os
aventureiros adamantite são tão fortes assim?”
"Só ele. Mesmo nós nos classificamos em torno de noventa, na melhor das hipóteses.”

"Então... então, como diabos é que vamos ganhar?!”

Os aventureiros olharam ao seu redor, prendendo a respiração.

Ela não tinha mentido, mas não contou toda a verdade. Embora Lakyus estivesse
classificada em 90, Evileye tinha uma classificação em torno de mais de 150, foi como
ela chegou à conclusão da batalha sobre a empregada inseto e Jaldabaoth. E essa era a
razão pela qual Evileye não fazia parte da linha defensiva.

A fim de recuperar rapidamente a sua mana gasta, Evileye escolheu meditar e


descansar. Depois disso, escolheu seguir Momon para onde estava Jaldabaoth, a fim de
fornecer suporte para que ele possa lutar contra o demônio, mano a mano. Seus
temores eram de que eles podem encontrar com a empregada inseto novamente.

Enquanto Lakyus estava perdida em seus pensamentos, sentiu ao seu redor o estado
depressivo perfurar sua pele. A moral de todos tinha desmoronado, e houve murmúrios
sobre largar tudo e fugir da capital.

Como ela havia previsto todos se sentiram desmoralizados. Lakyus sabia disso porque
na primeira vez que ouviu Evileye falar sobre sua batalha, havia se sentido da mesma
maneira.

"já ouviram de Evileye, certo? Momon-san é o tipo de homem que pode lutar
igualmente contra Jaldabaoth. Por isso, estamos confiando tudo ao Momon-san, e em
vez disso, vamos fazer o que pudermos.”

"M-mas se Jaldabaoth está lutando contra o Momon-san, então o que vai acontecer se a
empregada inseto aparece aqui?”

"Deixe isso para nós, as Rosa Azul. Evileye tem um item especial que lhe permite se
teletransportar para nós. Ela tem uma maneira de lidar com a empregada inseto, para
que possa superar esta lacuna difícil e derrotá-la.”

Isso provocou uma onda de aplausos dos aventureiros. Parecia que o seu espírito de
luta foi restaurado.

Só no último momento... Os rugidos das feras vieram da frente da estrada, junto com o
som de passos.

"Eles já estão vindo. Nós vamos construir nossa linha de defesa aqui. As pessoas nos
principais discos voadores acima aterrissem nas ruas laterais. Me deixe com a estrada
principal!”
Os animais estavam na estrada principal. Embora parecessem cães grandes, seus olhos
estavam cheios de uma inteligência infernal, e em vez de babar, chamas vazaram de sua
boca.

Havia quinze destes Hellhounds. A que estava diante deles era Lakyus, que sacou sua
espada amaldiçoada Kilineiram com ambas as mãos.

"Seus demônios insignificantes, não se atrevam a me subestimar.”

Com uma oração de seus lábios para o deus da água, Lakyus perfurou o Hellhound ao
meio com um único ataque. As espadas flutuando ao redor dela agiram como escudos,
bloqueando os ataques dos Hellhounds em seus flancos. Ela chutou para longe outro
que estava mordendo os tornozelos.

Lakyus estava enfrentando seis Hellhounds sozinha, enquanto o resto dos cães passou
a atacar outros aventureiros. Os mais fracos foram responsáveis por um de cada vez,
enquanto os mais fortes foram responsáveis por vários Hellhounds. Desta forma, eles
reduziram os números que os enfrentavam. No momento, Lakyus tinha matado seis
deles. Os outros também fizeram bem.

"Atendam aos feridos!”

"Não tem problema, Lakyus-san!”

Claro, eles não conseguiram ser intocáveis, mas seus ferimentos não eram graves.

Considerando que eles tinham que conservar sua mana, foi um início muito favorável.

"As pessoas nos lados, eu vou dizer outra vez! Antecipam 50 metros se encarreguem
deles!”

O grito para avançar ecoou em ambos os lados. Segurando a espada, Lakyus foi para o
inimigo dessa maneira.

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 02:41

Três homens correram pelas vielas escuras e estreitas. Ninguém mais estava lá com
eles.

Esses três homens eram Climb, Brain, e o ex-Ladino classificado como orichalcum, que
os tinha acompanhado durante seu ataque à base de Zero.

Os três aventureiros que trabalhavam para o Marquês Raeven estavam patrulhando as


ruas da capital, a fim de perseguir os demônios que passaram através da linha de
contenção. Climb logo obteve os serviços do Ladino só porque, de acordo com o
Marquês Raeven, o mesmo Ladino tinha lhe pedido para sair para ajudar. Ele fez isso
para retribuir a bondade que Climb mostrou-lhe ao bloquear o ataque que Zero havia
feito, e também por tê-lo curado. Além disso, Raeven queria retribuir o favor que devia
a Renner.

Graças à escolha do Ladino em rotas, não encontraram um único demônio até agora.
Mesmo os dois não teriam chegado tão longe sem ele.

Embora tivessem alguma confiança para enfrentar os demônios que se baseiam


unicamente na força e velocidade, eles tinham se preparado se um demônio que pode
usar habilidades especiais estivesse aparecido. Tendo em conta que a sua equipe estava
formada, em grande parte, por pessoas que viviam e morriam por seus ideais, teriam
dificuldades para se defender de ataques que não fossem baseados apenas na natureza
física.

Sua amizade tinha sido breve, mas por causa disso, o Ladino entendia que Climb e
Brain eram muito deficientes nesse campo, e por isso, tinham se unido a esse par de
homens claramente suicidas.

Brain agradeceu-lhe em silêncio enquanto corria agachado para reduzir o tamanho de


sua silhueta. Aos poucos, o estilo dos edifícios ao redor começou a mudar. A quantidade
de edifícios não residenciais começou a aumentar. Parecia que eles estavam perto de
seu objetivo.

"Eu tenho que perguntar, por que ir até o armazém?”

Climb respondeu ao Ladino, que estava inspecionando seu entorno.

"Renner-sama mencionou que se eles estivessem acorrentando as pessoas e as


levando presas, os demônios precisariam de um grande espaço para controlar e
prender todos eles. Com isso em mente, seria mais fácil separar as famílias e trancá-los
em vários lugares como grandes armazéns.”

"Entendo. Se as famílias forem divididas, as pessoas vão pensar que todos estão sendo
mantidos como reféns e estariam menos propensos a fugir. Se for esse o caso,
precisamos nos apressar... bom. Mesmo se recuarmos para trás em nossa rota original,
ainda precisamos escolher um caminho seguro.”

"Obrigado. Nós estamos contando com você.”

Não havia mais nada a fazer após o resgate. Enquanto o Ladino pensava em como eles
poderiam fazer lá fora, uma coisa se destacou como uma questão absolutamente
importante, um caminho seguro para se retirar. A escolha da rota era crucial,
especialmente porque iriam mover muita gente.
Mas por quanto tempo vai durar essa maré de sorte? Brain se perguntou.

Esta missão essencialmente ordenava Climb a morrer.

Do outro lado, estavam encurralando civis, isso significava que eles tinham um plano
para eles. Ao mesmo tempo, isso significava que eles estariam observando de perto. E
de acordo com o que tinha ouvido do líder inimigo, Jaldabaoth, é aquele que pode matar
um aventureiro adamantite em segundos. Qualquer sentinela que ele tenha colocado
seria formidável.

A atenção de Brain voltou a Climb, que estava ao seu lado.

Ele usava sua armadura branca para que as pessoas saibam que é cavalheiro de
Renner. Nesse momento, ele estava acariciando sua luva... Ou melhor, o anel no dedo
anelar debaixo da luva.

O próprio Gazef tinha lhe dado esse anel.

Era algo que Gazef obteve de uma antiga anciã que costumava fazer parte da Rosa
Azul. Segundo a lenda, era um elemento muito raro nascido da magia antiga, o que
poderia aumentar os poderes de um guerreiro além de seus limites.

Você deve voltar vivo. Brain se lembrou do rosto de Gazef quando ele disse isso a
Climb.

Gazef não tinha mostrado nenhuma emoção particular naquele momento. Sem raiva,
tristeza ou desespero. Gazef entendeu que como um guerreiro a serviço de seu senhor,
finalmente chegaria o momento em que o seria ordenado a estar em uma batalha que
resultaria em sua morte. No entanto, a fim de ajudar Climb, sem estar presente
fisicamente, ele lhe emprestou o anel.

Brain estava seguindo os sinais da mão do Ladino, quando de repente ele sentiu uma
presença. Olhando para cima, sua linha de visão seguia um edifício, naquele momento,
Brain sentiu um impacto que pareceu derreter seu coração.

Na borda do telhado de um armazém próximo tinha, a julgar pela sua altura e tipo de
corpo, uma menina com cabelos longos e loiros. Ela usava um vestido de um branco
puro que havia sido bordado cuidadosamente e sob a borda, podia ver que vestia um
par de saltos altos e brilhantes como diamantes. Combinado com a sua grande
variedade extravagante de anéis, colares e outras joias, o fazia pensar que ela era a filha
de um nobre ou uma rica herdeira de algum tipo.

Sua bela figura, iluminada pela parede de fogo, em contraste com sua máscara de rosto
branco, no entanto, seu misticismo não diminuiu, no mínimo. E em contraste com a
aparência impressionante, a sua presença era muito fraca, como um fantasma em um
mundo cheio.
Suas roupas e a cor do cabelo eram completamente diferentes a partir de então.
Naquele momento, ela poderia ter dito que havia nascido durante a noite, mas desta
vez, parecia ter descido da lua. Ainda assim, não havia dúvida de que era a mesma
pessoa. A imagem que Brain tinha cauterizado em sua alma e em cada parte do seu ser,
o estava olhando agora.

Ele tinha certeza disso. Sob a máscara da jovem mulher acima dele, estava a cara
daquele monstro, Shalltear Bloodfallen. Parecia que ela ainda não tinha percebido ele,
mas se era realmente o mesmo monstro que está em pé na frente dele, então não
importa o quão longe eles estivessem, eles seriam mortos em um instante se ela os
descobrisse. Havia uma maneira que eles pudessem escapar sem serem detectados?

Não havia nenhuma.

Quando Brain percebeu isso, se sentiu como se estivesse colocando o pé no gelo


picado. De repente, ele estava ciente do suor desagradável escorrendo de seus poros.

Brain fez um sinal para Climb e o Ladino, indicando que ele tinha algo a dizer. Sentindo
que Brain tinha descoberto alguma coisa, os dois pararam e prenderam a respiração.

Agora o quê? O que posso fazer para sair dessa? Se lutarmos contra ela, na verdade,
seriamos mortos. Mesmo que tentássemos correr, seríamos perseguidos e mortos de
qualquer maneira.

Naquela época, eu utilizei um túnel de fuga, mas aqui não há nenhum. Por que ela está
aqui? Está me buscando?

Brain sorriu amargamente com este último pensamento.

Se fosse esse o caso, então, só havia uma solução para este problema.

"Climb-kun, eu vou ganhar-lhes algum tempo. Use-o para fugir.”

Depois disso, Brain olhou para o Ladino, e inclinou a cabeça.

"Eu gostaria de pedir a você.”

Sem perder tempo pensando sobre isso, Brain imediatamente pulou para dentro do
prédio onde estava Shalltear, içando-se com um único movimento. Embora ele não
tenha as habilidades de um Ladino para escalar, o prédio tinha apenas dois andares, e a
força do braço de um guerreiro pode facilmente escalá-lo. No telhado, Shalltear estava
no lugar onde Brain a viu pela primeira vez.
O coração de Brain batia forte. Ele estava com medo, aterrorizado além da capacidade
do pensamento racional. As memórias de sua fuga desesperada reapareceram em sua
mente. No entanto, ele foi capaz de reunir a coragem para enfrentá-la.

“...Você está bem?"

A voz gelada da mulher o tinha chamado, soou um pouco abafada pela máscara que
usava.

Não me reconhece? O que é isso, algum tipo de jogo?

O melhor curso de ação deve ser fingir não saber de nada dela e observar as suas
respostas. Com isso em mente, Brain levantou a voz e respondeu.

"Eu estou aqui porque eu vi uma mulher estranha em um telhado. O que está fazendo
na capital?”

"Por que eu tenho que responder? Talvez possa-me dizer o que um ser humano está
fazendo nesta área. Você é o único que se infiltrou aqui?”

O batimento de seu coração acelerou e aumento a intensidade. Embora ele não tivesse
idéia de onde Climb estava, sabia que não poderia deixar seus olhos se voltarem para
longe dela. A fim de confundir, ele levantou a voz e continuou a falar.

"Você está à procura de alguém? Não é de mim?”

"Por que eu iria procurar você em particular?”

"Esta é a segunda vez que nossos caminhos se cruzam. Desde o início, eu fui incapaz de
esquecer o seu rosto bonito.”

Shalltear estendeu a mão e acariciou delicadamente a máscara.

“...Talvez você tenha errado de pessoa?”

Brain estava perdido em suas palavras. Ele queria perguntar se ele tinha perseguido a
pessoa certa, mas logo abandonou a idéia. Era ela. Não poderia haver nenhuma outra.

...Então o que ela está dizendo, não consegue nem se preocupar em lembrar de uma
formiga insignificante?

Se ela não o estava provocando, nesse caso, Shalltear realmente não se lembrava,
então, isso significa que ela não tem o menor interesse nele. Para um ser
esmagadoramente poderoso como Shalltear, isso não era arrogância ou superestimar
suas habilidades.
"Não... eu peço desculpas. Talvez... talvez. Sim, esta é a primeira vez que nos
encontramos.”

"Sério? Bem, mesmo se você entender agora, isso não faz diferença. Pode ser mais
seguro se eu te matar ~arinsu. Você quer viver? Ou morrer? Se você se ajoelhar diante
de mim e lamber os meus sapatos, poderia me agradar o suficiente para que mude de
idéia ~arinsu.”

"Desculpe, mas eu creio que vou passar essa.”

Brain agarrou a sua espada, fazendo uma postura que retardou sua respiração. A
técnica utilizada era, é claro, 《Campo》. Não havia necessidade de dizer, no entanto,
Brain sabia que era inútil contra Shalltear.

"Haaaa...”

A atordoada Shalltear negava delicadamente com a cabeça.

"Parece que você não entende a diferença de força entre nós, não é? Que chato...”

Na verdade, entendo.

Brain pensou enquanto observava.

Shalltear o assustava tanto que ele queria vomitar. Tudo isso ele entendia. Mas
sabendo isso, porque ele não tinha fugido ainda?

O canto de sua boca se moveu ao pensar sobre essa pergunta.

Se seu coração fosse como um lago, então estaria perfeitamente calmo e tranquilo.
Mesmo estando em frente de um ser que o fez querer fugir a todo custo, ele conseguiu
manter a compostura. Essa serenidade era bastante desconcertante.

Shalltear o observou novamente de frente. Era como uma repetição da última vez, e
com certeza o resultado seria a derrota total de Brain. A soma total do trabalho de sua
vida, seu esforço, sua dedicação e seus sonhos, seriam destroçados com facilidade
insolente de uma criança que quebra um brinquedo.

Está certo. É assim que deve ser.

Ele estava apavorado.

Até agora, ele tinha passado por inúmeras batalhas, apostando sua vida com o fio da
sua espada. De repente, admitir seu medo da morte já seria muito embaraçoso. Nesta
batalha se sentia como se estivesse atirando-se de um penhasco. Mesmo se pudesse
reunir a determinação de morrer na batalha, não poderia se preparar para cometer
suicídio.

A questão era que o sentimento de desprezível terror que estava carregando com ele,
desde o esconderijo dos bandidos por todo o caminho para a capital, estava
misteriosamente ausente.

Brain recordou as costas daquele jovem.

Esse era um jovem que era muito, muito mais fraco do que ele. Mas ele manteve-se
firme mesmo no meio de uma estrondosa avalanche de intenção assassina, embora seu
corpo tremesse como geleia.

E, em seguida, Brain sorriu.

O velho tinha dito que, às vezes, os seres humanos podem mostrar um poder
inesperado, mas Brain sabia que era impossível para ele.

Ele não era como aquele jovem, que daria tudo o que ele tem para a Princesa a qual ele
serve, nem era como Gazef, que podia oferecer seu corpo e sua vida pelo rei e seu país.
Os dois poderiam fazê-lo, mas ele não. Brain era um homem egoísta, que só poderia
pensar em fazer o que queria.

Mesmo se esse fosse o caso... ha. Talvez seja assim que eu faço as coisas que eles fazem,
dando-lhes tempo para fugir.

Dando um passo de cada vez, Shalltear levantou o dedo mindinho esquerdo, movendo-
se a um ritmo anormalmente lento.

Era porque suas percepções intensificadas faziam parecer como se o tempo tivesse
diminuído para todos, mas não para ele, ou era porque Shalltear realmente se movia
muito lentamente, para prolongar o seu medo? Era como se os dois fossem o caso,
Brain sorriu tristemente.

Bem, isso é apenas como ela é.

Embora só houvesse se encontrado apenas por alguns minutos, Brain sentia como se
ele a entendesse mais do que qualquer outra mulher que ele tinha conhecido.

Mais dois passos, ah... Dois passos antes que ela entre no raio de minha espada...

Ele queria correr, mas mais do que isso, não queria deixar de lado a arma em suas
mãos. Toda sua vida havia passado segurando uma espada. Talvez fosse conveniente
terminar da mesma maneira.
Brain encontrou sua resposta. Com isso em mente, ele seguiu a silhueta de Shalltear
com os olhos.

"Viver pela espada... Morrer pela espada.”

Naquele momento, a mente de Brain se apagou. O inimigo era uma existência distante,
e os seus pensamentos se enraizaram no fio da sua espada.

Brain usaria 《Lampejo Instantâneo》. Era uma arte marcial que nenhum oponente
humano podia detectar e muito menos defender.

Ainda assim, ele não podia tocar o monstro à sua frente, mesmo se as técnicas
《Lampejo Instantâneo》 e 《Campo》 se unissem.

Nesse nível, o seu adversário poderia até mesmo parar o seu ataque por entre os
dedos. Portanto, Brain acrescentou uma técnica a mais ao seu conjunto de ataques.

O rosto de Gazef Stronoff subiu diante de seus olhos.

Se não fosse por ele, nunca teria terminado aqui.

Brain tinha pensado dessa maneira no início, mas depois de seus diversos encontros
na capital, mudou de opinião.

Brain agora não sentia nada mais do que camaradagem para seu maior inimigo, não,
seu rival. Ele aceitou que iria morrer aqui e agora.

Talvez seja tarde demais... Mas obrigado, meu maior inimigo... E meu amigo mais
querido.

Com isso, seu coração voltou à calma. Sem confusão, se permitiu a ir em frente. Mesmo
a vergonha de seu passado havia desaparecido.

“—Aaaaaaaaaaaaaa!”

Brain gritou como uma espécie de pássaro estranho. O grito veio das profundezas de
sua alma, a realização de todo o poder no seu ser.

Brain executou 《Lampejo Instantâneo》 a uma incrível alta velocidade, apontado


com base em informações obtidas pelo uso de seu 《Campo》. Mas não parou por aí,
desde seu 《Lampejo Instantâneo》, continuou com outro movimento.

Esse movimento era quatro golpes simultâneos de sua espada.

Essa era a técnica de Gazef Stronoff, o mesmo que tinha derrotado Brain Unglaus no
torneio de artes marciais onde eles lutaram pela primeira vez. Era um movimento que
Brain tinha admirado mesmo se dissesse a si mesmo que ele estava aprendendo e
imitando apenas com o fim de compreender plenamente o seu adversário. Era uma
técnica que ele havia selado longe de seu ódio e ressentimento.

Mas agora, neste momento, livre de toda duvida de si mesmo e de restrições, Brain o
usou sem hesitação.

"《Corte de Luz Quadruplo》!”

Na verdade, o 《Corte de Luz Quadruplo》 tinha uma enorme fraqueza.

A execução de quatro ataques simultâneos colocaria um fardo enorme sobre o corpo, e


que os ataques seriam espalhados em diferentes direções. Devido à baixa precisão
desta técnica, mesmo seu criador, Gazef, só a usava quando estava rodeado por vários
adversários.

Embora o 《Corte de Luz Quadruplo》 não fazia tantos ataques como o 《Corte de Luz
Sêxtuplo》, era mais fácil para dirigir todos os ataques para o mesmo adversário. Ainda
assim, conseguir que todos eles acertassem era muito improvável.

Esse ataque selvagem não deve ser capaz de acertar Shalltear Bloodfallen. Brain tinha
isso muito claro.

Mas Brain tinha uma arte marcial que Gazef não tinha. Era uma técnica de apoio que
proporciona uma incrível ativação dentro de seu 《Campo》.

As quatro grandes oscilações se corrigiram no ar pela precisão sobre-humana do


《Campo》, seguindo o caminho que Brain tinha imaginado para eles. Os quatro
ataques atingiram seu alvo com total precisão a uma velocidade inacreditável.

Mesmo um herói, que tinha ultrapassado todos os outros seres humanos, teria tido
problemas para bloquear esse ataque. Os mortais, forjados de fracos músculos e ossos,
mesmo não seriam capazes de reunir a força para se defender contra esse tipo de
ataque. Este era um ataque que tinha transcendido o domínio da capacidade mortal.

Mas Shalltear Bloodfallen estava muito acima da própria humanidade, de pé em uma


classificação própria dela em que ninguém podia ter esperanças de superar. Para
alguém como Shalltear, esses quatro ataques simultâneos eram pouco mais que um
caracol dando um passeio no sol.

"Hmph.”

Shalltear zombavam dele, enquanto sua mão esquerda se moveu mais rápido do que a
visão de um olho. Um som de impacto de metal ressoou através do ar da noite. O que
aconteceu foi que os impedimentos simultâneos dos quatro ataques tinham se
mesclado em um único som.
Os quatro golpes foram repelidos, deixando-a intacta.

Shalltear deu de ombros, rindo sob sua máscara. Essa risada não estava direcionada
para o guerreiro tolo diante de seus olhos, mas sim para si mesma, por ter jogado com
ele até agora.

Mas então, no momento seguinte, os olhos de Shalltear se desviaram.

Agora mesmo, se alguém converter suas habilidades em dados e compará-los, sem


dúvida estaria encorajado por Brain. Foi um milagre, como o sol nascendo a partir do
Oeste, um espetáculo que iria encher as pessoas com admiração e respeito.

“...Eh?”

Diante de seus olhos, a unha de seu dedo mindinho esquerdo tinha sido cortada. Era
uma pequena fissura de, pelo menos, um centímetro de comprimento.

Shalltear considerou a situação atual. O local que tinha sido cortado era o mesmo que
tinha sido utilizado para repelir todos os ataques de Brain.

Agora que penso nisso, esses quatro ataques foram executados em dois pares, um par
em cima e outro embaixo. Os dois pares de ataques haviam se cruzado no lugar onde
Shalltear os tinha interceptado.

“...Estava preparando seus ataques apenas para isso ~arinsu?”

"Kuh, Ahahahaha!”

De repente, o homem na frente dela começou a rir.

Está louco?

Shalltear se perguntou.

Mas ele não se sinta dessa forma. O mais provável é que ele estava rindo de todo
coração, pelo fato de ter conseguido forças para cortar a ponta de sua unha, mas, ainda
assim, ela não entendeu.

O que ele ganharia fazendo fazer isso?

As unhas e os dentes de Shalltear são armas naturais, portanto, usando técnicas


especializadas com armas de destruição para cortá-los, é tecnicamente possível. No
entanto, eles simplesmente vão crescer com a aplicação de uma magia de cura, e em
comparação com as armas feitas de um material semelhante, são muito mais
resistentes a danos. Não estão no mesmo nível que as armas mágicas Divine-Class como
a Spuit Lance.

Como tal, Shalltear não conseguia entender o motivo do riso desse homem.

Cortar um pedaço de sua unha não mudaria nada. Shalltear olhou para os outros
quatro dedos de sua mão esquerda. Mesmo se a unha do dedo mindinho fosse cortada
um pouco, ela ainda seria suficiente para quebrar um corpo humano em pedaços.

“...Então, cortar minha unha significa que você passou, não?”

Os olhos do homem se viraram, e sua alegria foi intensificada.

"Eu sou muito grato por tal elogio. Minha espada... minha vida não vai acabar em vão
depois de tudo. No final, eu consegui fazer algum progresso em direção ao topo!”

No entanto, isso não era um elogio. Shalltear estava zombando dele.

Ainda assim, Shalltear percebeu que os sentimentos do homem eram sinceros. Em


outras palavras, ele estava realmente regozijando-se por ser capaz de lhe cortar uma
unha.

Você tem alguns parafusos soltos? Agora que pensou, ele tinha cuspido um monte de
lixo quando tiveram seu primeiro encontro. No final, isso a fez se sentir incomodada,
então a melhor coisa para ela era matá-lo rapidamente. Com isso em mente, Shalltear
avançou e—

—E o chamado de Demiurge para a batalha a alcançou.

Shalltear sabia o que isso significava. Se distraindo, ela desviou o olhar, mas não
conseguia sentir nenhuma presença.

"Será que é o efeito do anel do meu Mestre ~arinsu?”

Um dos anéis que Ainz usava poderia ocultá-lo completamente de todos os tipos de
adivinhações mágica. Normalmente se emitia a todos os Guardiões, mas também pode
esconder a presença do governador da Grande Tumba de Nazarick.

Com um sentimento de pesar, por não ser capaz de sentir seu mestre, Shalltear virou a
cabeça para trás, e descobriu que o ser humano com um parafuso solto em sua cabeça
tinha desaparecido.

Ah! Eu esqueci completamente daquele homem estranho!


Depois de uma rápida olhada ao redor, Shalltear descobriu que o homem tinha lhe
dado às costas e estava ocupado pulando em um beco. Ele deve ter feito seu
movimento, enquanto ela estava distraída.

Não há nenhuma maneira de que um mero mortal possa escapar de mim ileso.

Se ela usasse a magia para parar o fluxo do tempo, poderia pegá-lo antes que ele pise
no chão. Sem hesitar, Shalltear lançou sua magia.

"「Time Accelerator」!”

O ar ficou espesso e viscoso, assim que Shalltear se moveu através dele a uma
velocidade incrível, indo em direção ao lugar onde Brain iria pousar. Enquanto descia,
observava a postura de Brain, que estava saltando para baixo com uma lerdeza gelada.
Embora Shalltear não pudesse prejudicá-lo diretamente, enquanto a magia ainda estava
ativa, ela ainda poderia definir uma emboscada e fazer outras preparações.

Bem. Eu vou abrir os braços para recebê-lo enquanto cai. Certamente um ser humano
como ele se alegrara de ser abraçado por uma beleza como eu.

O canto da boca de Shalltear arqueou para cima com o pensamento da expressão que
ela podia ver na cara dele. Quando Shalltear caiu no chão pouco antes do final da magia,
sentiu uma presença que se aproximava.

O que é isso?

Era um jovem em uma armadura de prata cor branca pura com um Ladino que estava
à procura de um parceiro.

♦♦♦

Brain desembarcou no beco e olhou para trás, Shalltear não está mais lá.

Ela não está me perseguindo? Não, algo está errado, e se ela querer que eu a leve para os
outros, como fez da última vez?

Brain não tinha planejado fugir no início. Ele pensou que seria mais fácil ganhar tempo
para que Climb e o Ladino pudessem escapar a parte inferior do terreno.

Cada ação de Brain foi feita para permitir que Climb escape. Foi por isso que ele fez
todo esse espetáculo, para que eles fiquem longe.

Enquanto Brain corria, ele descobriu algo que não deveria ter acontecido. Esse algo era
Climb e o Ladino, que se aproximaram dele.

Como puderam...?
A mente de Brain se encheu de intensa raiva e frustração.

Seu rosto distorcido pela raiva, Brain criticou os dois, ele os agarrou pelo pescoço e
correu. Fazendo isso, obviamente, era mais lento em vez de simplesmente correr por si
mesmo, mas Brain não se acalmou o suficiente ao ter considerado isso.

Depois de percorrer alguma distância, e repetidamente olhar para trás para ter certeza
de que Shalltear não os havia alcançado, ele bateu Climb contra uma parede mais
próxima. Por Brain não ter controlado sua força, Climb praticamente quicou no
impacto.

"Por quê? Por que você não foi embora?!”

Embora suas emoções estivessem prestes a transbordar, Brain ainda tinha presença
de espírito suficiente para não gritar em voz alta.

"Isso... isso foi...”

Brain agarrou Climb novamente.

"Isso foi o quê?! Esteve preocupado comigo?! Eu disse claramente aos dois para
escapar!”

"Espere, espere, espere, espere, não sei o que está acontecendo, mas naquele
momento, você só disse algumas coisas e saiu correndo. A culpa não é só do Climb-
kun!”

Depois de ouvir as palavras do Ladino, Brain começou a se acalmar. Era verdade que
ele não havia lhes explicado nada. Obrigou-se a respirar profundamente.

“...Desculpe-me, Climb-kun. Parece que eu fiquei um pouco louco.”

"Oh, não, você também deve me perdoar, por não prestar atenção às suas palavras.”

"Não, eu sou o único culpado, e eu realmente sinto muito. As coisas simplesmente...


aconteceram.”

"Ei, Unglaus-san, o que aconteceu? Sei que não nos conhecemos um ao outro, mas há
um momento, você parecia uma pessoa completamente diferente, como um novato que
tinha acabado de pegar uma espada pela primeira vez.”

"Parar aqui é muito perigoso. Eu vou te dizer uma vez que nos movamos. Vamos dizer
que eu me encontrei com um monstro que pode dar a Sebas-san uma boa luta.”
Os três se moveram cautelosamente. Poderia ter sido pura sorte que eles não tinham
encontrado os subordinados de Jaldabaoth enquanto fugiam, mas contar com a sorte
para seguir, só pode acabar mal.

"Então... você está ileso, por isso deve ter sido uma completa vitória, certo? Ou... não,
resolveu a batalha apenas com palavras?”

"Não é assim. Foi com a espada... eu cortei a unha dela.”

Brain ficou muito feliz quando ele disse isso. Não havia nenhum erro sobre isso, Brain
Unglaus, cortou a unha do monstro Shalltear Bloodfallen.

"Eu cortei sua unha" repetiu Brain. Ele estava fazendo todo o possível para controlar a
alegria transbordante que fluiu a partir do fundo do seu coração, por isso mesmo,
estava praticamente tremendo de emoção.

"Eu... Entendo. Cortar a unha de seu dedo... Suponho que fazer isso com uma espada é
bastante impressionante...”

O Ladino negou com a cabeça e sacudia ligeiramente.

“...Essa unha pertencia a alguém que possa rivalizar com o Sebas-sama. Você não acha
que ela deve ser muito forte?”

"É mesmo? Como esperado de Brain Unglaus...”

Brain lutava para conter seu entusiasmo juvenil ao receber essa chuva de elogios. Ele
balançou a cabeça para tirar essas tolas idéias dele.

"Climb-kun, não, Climb. Depois de ver o Sebas-sama, você deve saber certo? Há
pessoas mais fortes do que eu em todos os lugares. Mesmo alguém como o Momon, o
guerreiro negro, provavelmente, também atingiu o nível de Sebas-sama. Assim, tendo
isso em mente, quando eu dizer-lhe para correr, corra. Mesmo se você tentar ajudar,
apenas acabará ficando no caminho. Por favor, me prometa que, da próxima vez, não
questionaras o que eu digo a você e apenas fará.”

"Eu... eu entendo.”

"Está bem. Você está a serviço da Princesa, certo? Por isso você pôde suportar a
intenção assassina de Sebas-sama, certo? Então, certifique-se de manter suas
prioridades em ordem.”

Brain palmeou Climb no ombro, e olhou para a direção de onde havia fugido.

Por quê? Por que nem mesmo me perseguiu? Existe algum outro motivo? Afinal, não
esperava que ela aparecesse aqui. Poderia ser, a razão é o distrito do armazém?
Brain se lembrou das palavras de Renner.

Poderia ser que ela está buscando o mesmo item que o Jaldabaoth? Se for esse o caso,
seria um dos agentes de Jaldabaoth?

Desde que apareceu um monstro como Shalltear, a única coisa sensata seria a de
abandonar a missão e fugir imediatamente, mas Climb será capaz de fazer isso? Desde
que ele ouviu as palavras de Brain provavelmente vai fazê-lo e fugir.

Isso é realmente uma coisa boa?

Obviamente, é bom estar preocupado com a segurança de Climb, mas às vezes as


pessoas optam por colocar em risco suas vidas por causa de outra coisa, e ao ser
ordenado por Renner para estar nesta missão suicida era tal ocasião.

Brain não sabia que tipo de vida que Climb tinha antes dele ganhar o seu nome ou
como ele serviu a Princesa Dourada depois disso. Ainda assim, Brain não pensou que
seria prudente não interferir desnecessariamente com a determinação de Climb para
executar as ordens de Renner.

Brain empurrou o Ladino para fora, e falou com ele depois de garantir que Climb não
podia vê-los ou ouvi-los.

"Ei, você acha que foi uma boa idéia trazer o Climb aqui? Não seria melhor ter certeza
de que vai chegar à sua casa com segurança, em vez de completar a missão?”

“...Você é uma grande marica idoso, certo?”

"Basta com esse absurdo. E tendo em conta que foi você quem se ofereceu para ser o
apoio de emergência para esta missão suicida, eu acho que você é uma marica ainda
maior.”

O Ladino sorriu nervosamente, e então olhou para o jovem confuso que estava na
frente deles.

"Como eu posso colocá-lo... ver um garoto como ele lutar tanto, me fez lembrar dos
dias quando ainda era jovem, mesmo que por apenas um momento. Eu acho que
também entendo como você se sente sobre isso. Ainda assim...”

Os olhos do Ladino brilharam com uma convicção nítida e brilhante.

"É o caminho que ele escolheu. Não temos o direito de forçá-lo a virar a partir dele.”

Brain suspirou.
"Estou interessado nesse pirralho também. Tenho certeza de como ele se sente sobre a
princesa, a julgar pelo olhar em seus olhos e a maneira como ele reage quando colocado
em perigo. Ele tem um gênio e tanto, não é? Ele tem um desejo irrefletido e louco em
seu coração. Por causa disso... ele é como um ladrão que está de olho no tesouro mais
valioso do Reino.”

"Isso é certo. Ele ainda podia morrer, mas pelo menos terá que escolhê-lo.”

Com isso, Brain se decidiu.

"Então vamos começar um movimento melhor. Não sei quando aquela Shalltear se
encontrará conosco.”

Parte 2

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:38

Os aventureiros do palácio recuaram para além da barricada na parte de trás. Os


guardas que passaram através dela haviam recebido ordens para manter a linha até
que as feridas dos aventureiros pudessem ser curadas.

Uma vez que os aventureiros passavam através da abertura a barricada era


imediatamente tapada de novo com tabuas e outros resíduos.

Ninguém mais ficou na frente da barricada. Isto significava que era a primeira linha.

Olhando para trás, os guardas podiam ver os aventureiros feridos mancando em


direção à parte traseira. Marcas de garras frescas e de queimaduras adornavam suas
armaduras, igual ao cheiro de sangue fresco.

Mais atrás da parede de fogo queimando no fundo. Eles haviam cruzado cerca de 150
metros em território inimigo. Na verdade, julgando o medo de que uma vez conhecia a
capital que os tinha inspirado, se sentiram como se pressentissem um mundo entranho.
Que era de fato o território inimigo.

Os aventureiros haviam passado algum tempo saqueando as casas vizinhas e


arrancando partes delas para formar uma barricada. Os guardas tinham pensado que
seria um obstáculo útil, mas agora parecia fraco e insignificante. Era como se fosse
entrar em colapso ao primeiro sinal de resistência.

"Certo. Os demônios não estão seguindo os aventureiros. O inimigo escolheu atacar,


eles estão apenas fazendo uma defesa forte. Não tem problema. Eles não vão atacar.”
Outra pessoa estava repetindo essas palavras novamente. Eles queriam mascarar a sua
ansiedade e incorporaram o seu desejo de voltar para casa vivos. Eles repetiram suas
orações ao seu deus.

Havia quarenta e cinco homens mantendo a barricada. Eles carregavam lanças e


armaduras de couro. Entre eles havia um homem com um elmo, Bona Ingray, era um
dos muitos capitães de guarda mobilizados esta noite.

Embora tivesse o título de capitão, na realidade, não era diferente dos outros guardas.
Seu físico não era nada de especial, nem a sua mente particularmente aguda. Os
guardas mais jovens eram mais fortes e mais rápidos do que ele. Havia chegado nesta
posição, simplesmente porque ele tinha servido como guarda até que cumpriu quarenta
anos, e porque não havia mais ninguém para ocupar o cargo.

Seu rosto ficou pálido, e suas mãos agarraram sua lança com tanta força que as bordas
dos dedos estavam ficando brancas. Olhando de perto, se podia ver que suas pernas
tremiam. Seu olhar estava fixo para frente só porque não queria ver algo horrível. Sua
postura totalmente não confiável só aumentou mais a preocupação dos guardas.

Por outra parte, era de se esperar, considerando que era a primeira vez em todas as
suas vidas que eles estavam realmente na linha de batalha.

O Reino lutava com o Império cada ano, enviando tropas para as Planícies Katze. Mas
os guardas se encarregavam da proteção da cidade, e, portanto, não eram enviados para
a linha de frente. Devido a isso, a posição de guarda da cidade era cobiçada por aqueles
cidadãos que não queriam lutar contra o Império. Mas agora—

Eles tinham uma ampla experiência em lidar com disputas entre camponeses bêbados,
mas nunca houve um caso em que eles tinham que lutar até a morte. Devido a isso, seu
medo cresceu ainda mais. A única razão pela qual não se “quebraram” e fugiram era
porque sabiam que fugir seria um pecado imperdoável.

Mesmo se fossem absolvidos de alguma forma, ainda seriam culpados de não proteger
a cidade adequadamente. Essa foi a única razão pela qual não havia sido enviado para a
linha de frente. Se falhassem em fazer isso, então era certo que os forçariam a ir para as
linhas de frente na próxima guerra contra o império.

"Eu vou sair do meu emprego como guarda, se conseguir sair dessa inteiro.”

Bona resmungou baixinho para si mesmo, e muitas das pessoas ao seu redor estiveram
de acordo.

"Você ainda se lembra do que os aventureiros disseram?”

"Você está falando sobre o que fazer se nos encontrarmos com Hellhounds, muitos
Hellhounds, diabretes e enxames de demônios?”
"Sim é isso. Alguém sabe alguma coisa sobre lutar contra demônios? Especialmente os
seus pontos fracos, o que os afeta, e esse tipo de coisa.”

Ninguém respondeu. Eles estavam muito ocupados olhando um para o outro.

A expressão de Bona transmitia o quão inútil ele pensou que eles eram sem ter que
dizer uma palavra. Quando ele viu a insatisfação de alguns rostos dos outros, ele
desviou o olhar e bateu a coronha da sua lança no chão.

"Malditos sejam! Esses aventureiros não poderiam ter explicado melhor?”

Os aventureiros que haviam compartilhado seus conhecimentos com os guardas


tinham sido gravemente feridos e foram caindo tão rápido quanto podiam. Apenas
dizer o nome do inimigo era tudo o que podiam fazer, e muito menos dizer qual era a
sua aparência, ou como combatê-los.

No entanto, seria muito duro culpar apenas os aventureiros por esta situação. Não
havia uma comunicação adequada entre os guardas e os aventureiros, e como
resultado, a quantidade de informação que se compartilhava era baixa. Na verdade, a
formação de guardas de defesa que não sabiam nada poderia ser culpa dos guardas de
alto nível também. Além disso, nem todos os guardas estavam mal informados sobre os
demônios. Em outras circunstâncias, alguns deles podiam ter aprendido algo sobre o
inimigo.

Um desses pelotões de guardas tinha enviado alguns de seus membros para ajudar os
aventureiros que se retiravam à frente deles, e tinham aprendido muito no processo.

Este grupo, no entanto, não tinha feito porque seu líder estava congelado pelo medo e
nem tinha, sequer, se virado para olhar para os aventureiros que se retiravam, e
certamente não queriam reduzir o número de soldados guardando a barricada para
ajudar os aventureiros.

"Se os pagam mais do que a nós para fazer o mesmo trabalho! Eles devem lutar mais!
Até morrer!”

Vários homens assentiram com a cabeça quando Bona gritou.

"Nossas vidas estão em risco também! Esses caras não deveriam estar fugindo e
deixando tudo para nós!”

Bona gritou aos guardas nas proximidades. Os mais distantes o olharam friamente,
enquanto que aqueles que estavam perto dele gritaram seu descontentamento com os
aventureiros também.

"Estão aqui!”
Ao som das vozes dos observadores, Bona se via como se estivesse se afogando.

Os olhos de todos se encheram com as formas dos demônios a caminho em direção a


eles a partir da rua escura.

Diante deles havia um demônio que parecia um cruzamento entre um homem e uma
rã. Sua pele era de uma cor amarelo amargo, brilhando com uma camada pegajosa e
reluzente. Estava coberto com enormes caroços que pareciam rostos humanos
pressionados contra a pele a partir do interior.

Uma boca aberta que poderia engolir um homem em uma só bocada e uma língua
anormalmente longa começou a saborear o ar.

Em torno dele, os cães do inferno o seguiram como se estivesse esperando a sua presa.

Depois de reunir demônios que pareciam um ser humano que tinha sido esfolado e
seus músculos expostos pintado com algum tipo de líquido preto de alcatrão.
[Demônio
Havia 50 Hellhound, um demônio com um corpo inchado coberto de rostos, e 6 Gazer
Contemplador]
D e v i l.

"Há muitos!"

Bona gritou como o som de um sino.

"Nós não podemos pará-los! Corram!”

"Maldito seja!"

"Cala a boca!”

Ignorando os gritos de desespero de Bona, os guardas olharam para seus


companheiros, a tensão estava amarrada em seus rostos.

"Ouçam! Tudo que precisam fazer é bater-lhes com a extremidade pontiaguda! Nosso
trabalho não é para matá-los! É ganhar tempo! Não é difícil! Todos vamos fazê-lo!”

Vamos fazê-lo. Algumas pessoas repetiram, e, em seguida, se repetiu nos outros.

"Claro que sim! Vamos!”

Mesmo os guardas com rostos assustados agarraram suas lanças e se colocaram em


suas fileiras.

"Você, venha conosco também!”


Alguém agarrou Bona e o arrastou a seu lugar. Não havia tempo para ficar jogando.

As feras demoníacas uivaram e começaram a derrubar a barricada a uma velocidade


incrível. As lanças dos guardas foram apunhaladas entre as lacunas cada vez maiores na
barricada.

Os gemidos de dor dos cães do inferno foram ouvidos ao redor. Aquelas feras
demoníacas que haviam sido esfaqueadas apressadamente fugiram da barricada.
Uivavam melancolicamente enquanto caminhavam ao redor da barricada, como se
avaliassem a situação.

Alguns dos guardas mais concentrados empurraram suas lanças através das lacunas
nos Hellhounds mais próximos, forçando-os a se afastarem.

Gradualmente, os rostos dos guardas começaram a se animar.

Os rostos dos demônios na parte de trás eram repugnantes e os guardas ficaram


inquietos porque não sabiam o que os demônios fariam. No entanto, deixar o tempo
passar desta forma era bom. Afinal, seu trabalho não era derrotar os demônios.

"M-mas o quê?"

Um guarda solitário gritou quando viu o que estava acontecendo na frente dele.

O inimigo havia formado uma linha ordenada, além do alcance das lanças empurradas.

Este era completamente diferente do ataque selvagem de um momento atrás. Os


guardas começaram a se inquietar. Se soubessem o que estavam fazendo, talvez eles
pudessem ter mudado sua formação ou feito algo sobre os Hellhounds. Como estavam
as coisas, tudo o que podiam fazer era empurrar suas lanças através das rachaduras.

Mas justo quando eles pensaram que era tudo o que teriam que fazer, as feras
demoníacas abriram a boca, tanto que pareciam que foram deslocadas. O vermelho de
dentro de suas gargantas não era carne, mas fogo.

Jatos de fogo carmesim se disparam em uníssono na barricada, envolvendo tudo em


chamas. Os olhos dos guardas não podiam ver nada além de fogo.

Embora o fogo fosse intenso, ainda não poderia queimar a barricada em segundos. Isto
não fazia muita diferença para os guardas do outro lado, no entanto.

Gritos ecoaram ao redor. Alguns tinham os olhos queimados, outros tinham suas
gargantas e pulmões queimados devido à inalação das chamas. No final, todos eles
caíram como moscas.
Os únicos guardas que sobreviveram foram aqueles dos lados, porque aqueles que
estavam no meio já não conseguiam respirar depois de serem consumidos pelas
chamas.

"E-estamos condenados!”

As palavras que ninguém queria dizer escaparam da boca de Bona. Seus movimentos,
posteriormente, foram rápidos, já que ele soltou sua lança e jogou fora seu elmo, tudo
para deixá-lo escapar mais rápido.

Os guardas restantes ficaram atordoados. Eles tinham considerado a retirada, é claro,


mas nenhum deles tinha adotado a idéia tão completamente quanto ele.

Bona escapou com uma velocidade que era difícil para os seres humanos descrever. Os
guardas sobreviventes assistiram de boca aberta enquanto as costas de Bona foram
desaparecendo na distância.

No entanto, a sua fuga foi abruptamente interrompida por um demônio que caiu do
céu.

O demônio de corpo inchado voou sem asas, e caiu em cheio nas costas de Bona,
fazendo um barulho de *Croak* quando o fez. Bona gritou de dor. Embora ele pudesse
facilmente tê-lo matado, o demônio não o fez. No entanto, à luz do que ele fez depois,
definitivamente não era misericordioso.

O demônio abriu a boca e engoliu Bona completamente. Sua barriga distendida


praticamente não mudou, mesmo enquanto o comia, — não, houve um novo caroço,
com um rosto humano sobre ele.

Embora fosse difícil dizer, parecia que pertencia a Bona.

Embora o som da barricada sendo contraída chegasse aos seus ouvidos, os guardas
não se moveram. Tanto por ser um obstáculo, contra os demônios, como pouco mais
que um monte de fósforos.

Os demônios que romperam a barricada cercaram os guardas. Um grito veio deles,


porque eles sabiam que iam morrer aqui sem dúvida.

Foi respondido pelo riso dos demônios, zombando da loucura dos guardas.

Um dos guardas olhou para o céu, orando para que Deus o salvasse.

O que o respondeu foi completamente diferente.


Viu um grupo de pessoas de aspecto estranho voando pelo ar. Dois deles estavam
apoiando uma terceira, que levava uma armadura de cor preta azeviche. Ele estava
envolto em uma capa escarlate e carregando uma espada gigante em cada mão.

"Jogue-me.”

Embora parecesse muito longe, a voz veio claramente na distância.

Os dois “suportes voadores” lançaram sua carga. O guerreiro negro acelerou, como se
tivesse sido impulsionado por uma força por trás, traçando uma trajetória descendente
que terminou no meio do campo. Ele deslizou pelo chão, como se não houvesse nenhum
atrito, manejando-as para frear apenas cortando a cabeça de um Hellhound.

Ambos os lados pararam para ver esta entrada exageradamente dramática. O silêncio
era ensurdecedor.

"Eu sou o aventureiro Momon. Retornem. Eu cuidarei disso.”

A princípio, os soldados eram incapazes de entender o que o Guerreiro Negro tinha


acabado de dizer. Em seguida, os uivos de vários Hellhounds os trouxeram de volta à
realidade. Ele era o salvador que precisavam.

"Hellhounds... esses são todos eles? Mesmo o dobro desse número não seria
suficiente!”

Os Hellhounds saltaram para o guerreiro negro Momon de todos os lados. Em


segundos eles tinham o enrolado para formar um cordão que não havia escapatória.

Mesmo que fosse detê-los com uma espada, ele seria dilacerado pelos Hellhounds dos
arredores. Mesmo que ele tentasse matar diretamente os atacantes, ele ainda seria
mutilado até a morte pelo resto dos animais. Ser golpeado pelo peso de um cão
saltando quebraria o seu equilíbrio e o deixaria incapaz de se defender contra os
ataques que se seguiriam.

Esta era uma estratégia brutal que aproveitava a superioridade numérica para ganhar.

A angústia nos rostos dos guardas era natural, mas nenhum deles sabia qual era o seu
verdadeiro poder.

As greatswords cortaram e mataram, deslocando o ar em seu caminho.

Todos os que estavam presentes ficaram mudos.

Esse foi um único ataque. Uma pessoa normal apenas teria sido capaz de derrubar um
Hellhound no máximo. No entanto, como o portador da arma não era um mero humano,
esse golpe não era algo que um mero humano poderia fazer. Apenas esse golpe
destroçou quatro dos Hellhounds supostamente invencíveis que os guardas não tinham
nenhuma esperança de derrotar. Momon virou com o impulso de seu giro, mas perdeu
um pouco de equilíbrio, já que ele tinha usado toda a sua força. Ainda havia outros
Hellhounds à esquerda e agora parecia impossível para ele evitar seus ataques.

Apesar de usar uma armadura de placas robusta, os Hellhounds têm dentes afiados e
garras que poderiam rasgar o aço. E não haveria maneira de sobreviver ileso depois de
ser atacado por tantos Hellhounds.

Aos olhos dos guardas, imaginavam seu salvador recebendo inúmeras feridas diante
deles.

No entanto, isso era muito presunçoso.

Momon não tentou forçar-se a recuperar o equilíbrio, mas girou com o impulso. O
manto vermelho vibrou, como um ciclone de fogo. Com passos graciosos que quase
pareciam dançar, Momon deu alguns passos levemente no chão, enquanto suas espadas
giravam em uma varredura horizontal da esquerda para a direita, rugindo a seu passo.

Os Hellhounds restantes foram cortados em pedaços, seus corpos foram jogados longe
pelo poder de suas oscilações. Qualquer Hellhound que ainda podia se mover se foi.

"Apenas... apenas dois golpes?”

O murmúrio de um guarda representava as palavras em seus corações. Ou melhor,


depois de ver a Sua Majestade desta cena, eles não tinham mais nada a dizer.
[Devorador]
"Os seguintes... Overeating e Gazer Devils, huh. Que chato.”

Após resmungar para si mesmo, Momon aproximou-se dos demônios. Não havia
nenhuma precaução em seus passos, como se estivesse caminhando por um parque.
Normalmente, os guardas teriam falado para ele parar, mas depois de ver a sua
destreza, ninguém poderia sequer pensar em fazer isso.

A única coisa que meros mortais podiam fazer era olhar para as costas de um grande
guerreiro como ele fazendo o seu trabalho.

Incapaz de suportar a pressão invasiva vindo do homem que se aproximou dele com
tanta indiferença, o demônio de olhos vermelhos rugiu e saltou em cima dele.

Um flash.

As partes desmembradas do cadáver voaram em todas as direções.


Momon não tinha parado seu passo nem por um segundo. Ele seguiu em frente, como
se o demônio de olhos vermelhos nunca tivesse existido, com uma facilidade como se
estivesse sozinho no deserto.

“...Inacreditável...”

Como se a reagisse às palavras dos guardas, o Overeating abriu a sua boca. Era como
as mandíbulas das cobras que poderiam abrir e engolir sua presa inteira. Em suas
profundezas, podiam-se ver os flashes de fogo no interior. As expressões atormentadas
se intensificaram nos rostos pressionados de dentro de seu corpo, eram os gritos das
almas condenadas a um destino pior que a morte.

O Overeating podia consumir as almas de suas vítimas para produzir um gemido que
poderia aterrorizar e matar qualquer criatura viva.

No entanto, antes disso, Bona e a cabeça do Overeating, ambos foram cortados.

A espada lançada cortou a cabeça e se fincou profundamente na terra.

"Não há problema se você matá-lo antes que possa gemer.”

Com isso, Momon se aproximou e puxou a espada do cadáver.

Em pouco mais de dez segundos, ele havia exterminado os demônios que os guardas
achavam que eram impossíveis de superar.

Os guardas gritaram. Era o som eufórico de homens que tiveram concedido uma
prorrogação milagrosa da morte.

Embora banhado em louvor, Momon não se deu conta disso, em vez disso falou em voz
baixa para os guardas.

“...Depois disso, eu vou estar me movendo para conduzir os aventureiros ao contra-


ataque. Só precisam manter a linha por um pouco mais de tempo. Bem, eu acho que
como eu já me encarreguei destes, a próxima onda irá demorar a vir. Nabe, Evileye,
podem vir me buscar agora.”

As duas lançadoras de magia desceram do céu para pegar Momon. À medida que ele
subiu no ar, Momon voltou a dizer uma última coisa aos guardas.

"Eu vou derrotar o líder inimigo. Até então, por favor, protejam os civis atrás de vocês.
Eu estou contando com vocês.”

Enquanto observavam Momon voar para longe, os guardas suspiraram.


Se um herói como ele colocou sua confiança neles, então não haveria nenhuma
reclamação sobre defender esta área com suas vidas.

"Ei! Levantem a barricada! Temos de nos preparar para parar o avanço inimigo!
Preocupem-se com o que acontece quando vocês caírem mais tarde!”

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:44

Lakyus estava liderando a equipe de ataque que se formou de aventureiros


classificados como mythril e orichalcum. Tina estava ao seu lado também e, juntos, eles
avançaram.

Antes de sair, Lakyus tinha considerado muito a posição. Qualquer um que pudesse
usar magia de ressurreição não deveria estar na linha de frente. No entanto, a ausência
de Lakyus poderia lhes causar uma grande baixa de poder de batalha. Desde que a
prioridade era conseguir que Momon chegasse a salvo em Jaldabaoth, era lógico que
Lakyus não deve permanecer na parte traseira.

Eles evitaram a rota que Momon tinha tomado, em vez disso escolheram tomar uma
que os levou a um lugar que tinha uma barricada vigiada por guardas. Tudo o que viram
no caminho eram ruas pintadas de sangue, com pedaços de carne desmembrados
espalhados por toda parte. Claro, a barricada tinha sido tão destruída que não havia
nenhum sinal de que alguma vez tenha existido.

A fim de não fazer muito barulho, aventureiros formaram um grupo e deslizaram para
frente. No entanto, depois de se mover apenas cerca de trinta metros, eles viraram a
esquina e foram atacados por demônios.

No início da batalha, os aventureiros, com sua alta capacidade de luta, desfrutaram de


uma vantagem esmagadora no combate, mas gradualmente, o equilíbrio de poder
começou a mudar. Isso aconteceu porque os seus adversários tinham uma vantagem
numérica que oprimiu as habilidades dos aventureiros no combate. Seus números eram
tão grandes que parecia como se todos os demônios da área convergiram sobre eles.

"Segurem-se! Continuem lutando!”

Lakyus gritou enquanto ativava sua magia de apoio. Claro, nenhum dos aventureiros
se retiraria. Eles sabiam o quanto eram importantes nesta batalha.

Em contraste com a tarefa de Evileye, que era eliminar os lixos que tentassem ficar no
caminho de Momon, sua tarefa era pressionar os demônios e evitar a sua propagação.
Nesse sentido, lutar com muitos demônios de frente era de certa forma, o melhor
apoio para Momon. Quanto mais tempo lutarem aqui, maiores as chances de vitória de
Momon.

Gritos de guerra e o choque de aço se misturaram entre si, e ao som de magias que se
protegiam e habilidades especiais que se utilizavam — como a respiração de fogo
queimando corpos humanos — misturados juntos em uma mistura caótica.

Após Lakyus confirmar a situação, com o rosto contorcido. As palavras de um certo


aventureiro se fixaram em sua mente.

"Os demônios que eles têm voltam mais fortes.”

Poderia ser que eles tinham aberto a porta para o mundo dos demônios e convocado
até demônios mais poderosos? A parede de fogo era a fronteira entre este mundo e o
próximo? O que aconteceria se deixassem as coisas continuarem como estão? Mesmo se
vencerem Jaldabaoth, poderiam restabelecer a paz na capital? Tudo isso seria em vão?

"Não faz sentido pensar isso!”

Quando gritou isso, as inúmeras preocupações de Lakyus se dispersaram.

Se ela não fizesse nada, ela nunca entenderia. Por essa razão, Lakyus desembainhou
sua espada.

"Disparar!”

Uma das Floating Swords voando sobre os seus ombros se levantou e disparou a sua
ordem. Com uma velocidade que dividiu o ar, perfurou um Hellhound através da boca,
destruindo-o e deixando muito menos que um cadáver atrás.

Olhando em volta, Lakyus percebeu que havia sido rodeada. O progresso, que tinha
apenas começado tinha parado, e uma vez que tinha sido cercada por várias camadas
de inimigos, não havia nenhuma chance de relaxar. Não havia nada a fazer, apenas
lutar.

A vanguarda tinha posto de lado suas armas quebradas e usado suas peças
sobressalentes. Os magic casters que tinham acabado sua mana usaram pergaminhos
ou varinhas para lançar suas magias no lugar. Corriam na fumaça.

O anel exterior de aventureiros eram os classificados como orichalcum, enquanto


classificados como mythril defendiam os feridos no meio e os magic casters que
estavam sem mana.

Isso é ruim... Se isso continuar, vamos ser desgastados e derrotados. Seremos mais uma
vez incapazes de derrotar Jaldabaoth?
Um grito ecoou, e quando Lakyus virou a cabeça, viu um guerreiro que tinha sido
abatido por um demônio.

"《Corte》!”

Antes que Lakyus pudesse se mover, Tina estava se encarregando do demônio,


preenchendo a lacuna que havia formado.

O guerreiro caído foi conduzido por outros aventureiros. Era bom que ele ainda
estivesse vivo, mas a situação continua muito ruim. O fato de que ninguém estava
lançando magias de cura era um sinal claro de que a mana dos sacerdotes que usam
magia divina estava completamente esgotada.

Temos que recuar.

Se as linhas fossem quebradas, eles seriam derrotados em um instante. Lakyus não


podia deixá-los morrer assim. Considerando o que poderia acontecer a Momon se eles
forem derrotados, e percebeu que teria que ter muito cuidado com isso.

Retirar-se enquanto estavam completamente esgotados seria extremamente difícil.


Seria melhor se retirar enquanto ainda tinham força para fazê-lo.

"Retir—”

Então quando Lakyus estava prestes a dar a ordem de retirada, ela abriu a boca
enquanto um novo demônio desceu do céu.

Era cerca de três metros de altura, e seu corpo musculoso estava coberto de escamas
que pareciam insetos rastejantes. Tinha uma cauda que parecia uma cobra.

Sua cabeça era um crânio em chamas, e seus olhos eram faróis queimando de fogo
branco em suas órbitas negras e vazias.

Em seus poderosos braços, levava uma enorme marreta.

Ele abriu as asas de morcego em suas costas. Com um bater de suas asas, ele enviou
uma onda de ar gelado para frente e uma onda de terror que rompia a alma a
acompanhou. Embora tivessem magias de resistência a efeitos negativos como medo e,
portanto, não sentiram pânico, esta era uma clara demonstração do poder desse
demônio, que era mais forte do que qualquer outro que tinham encontrado até agora.

O suor corria como um rio.

“—Isso é problema.”
Com ampla mana e os grupos de aventureiros com força total, provavelmente teriam
sido capazes de vencer. Se apenas pudessem aprender mais sobre o seu adversário e
lutar depois, definitivamente, eles teriam triunfado, mas, neste momento, nenhuma
dessas condições estavam presentes. Evileye, que possuía muito conhecimento e podia
usar magias poderosas, não estava aqui. Gagaran, que poderia se defender dos golpes
de seus oponentes e imediatamente pressionar a vantagem para contra-atacar, não
estava aqui. Tia, quem habilmente poderia evitar os ataques inimigos e atacá-los com
seu ninjutsu, não estava aqui também. As únicas aqui eram duas pessoas cansadas.

Ela olhou para Tina, que acenou para mostrar que estava disposta a morrer aqui.
Lakyus fechou ambas as mãos em torno do cabo de Kilineiram e começou a caminhar
em direção ao demônio. Neste momento, um aventureiro orichalcum nas proximidades
agarrou seu ombro e gritou.

"Vamos atrasá-lo! Você deve escapar!”

Vendo o olhar de surpresa no rosto de Lakyus ele continuou.

"Se você está viva, você pode usar a magia de ressurreição. Portanto, não podemos lhe
permitir lutar, mesmo porque o resto de nós está contando com você para nos reviver!”

Um sorriso cheio de encanto masculino apareceu no rosto do aventureiro. Era um


sorriso adequado para um aventureiro orichalcum como ele. Os aventureiros em torno
dele assentiram em uníssono.

Quando pensou com calma sobre isso, eles estavam certos. Em vez de se preparar para
morrer, ela deve se preparar para viver, para que ele pudesse estender a corda da
salvação para aqueles que caírem na batalha.

"Os componentes materiais de uma magia de ressurreição são muito caros. É melhor
que vendam suas vidas muito caro!”

"Ei, você disse que queria ser o orgulho da Princesa ou algo assim?”

"Deixem que os malditos nobres paguem por isso! Eles certamente têm as moedas!”

E assim, como se estivessem em um piquenique, vários aventureiros saíram do


amontoado grupo. Não houve discussão, nem mesmo um olhar em seus olhos —
simplesmente saíram em perfeita sincronização para estar diante do demônio.

Vendo a maneira despreocupada em que foram para suas mortes, Lakyus mordeu os
lábios e se afastou.

"Escape com toda sua força! Enquanto você poder ir embora, no final, tudo vai ficar
bem!”
Com isso, Lakyus fez sua investida para as hordas demoníacas, levantando sua espada,
Kilineiram, em suas mãos. Ela confiou sua defesa inteiramente à sua armadura e magia.
Quase abandonando a linha defensiva, se preparava para criar um caminho através dos
demônios.

Sentia-se como se estivesse sendo rasgada em pedaços, sua carne perfurada por
punhais, forçando Lakyus a cerrar os dentes para suportar a dor que a agrediu. De um
ponto de vista individual, ela sabia que seu corpo estava atingindo os seus limites,
então lançou uma magia de cura em silêncio. Embora Lakyus absolutamente tivesse
que sobreviver a este encontro, não poderia fazê-lo sem exercer o seu máximo.

"Haaaaaaa!”

Lakyus canalizou a maior parte da sua mana restante em Kilineiram. As estrelas em


seu corpo começaram a brilhar com um brilho sobrenatural, e o corpo da lâmina se
inchou também.

"Super Habilidade! 「Dark Blade Mega Impact」!”

Com um movimento horizontal, o poder negro fluiu em uma vasta onda, uma onda
cortante. Os demônios mais fracos foram reduzidos a átomos invisíveis pelo golpe
explosivo de energia não Elemental.

Estritamente falando, gritar o ataque não era necessário, mas se funcionou, funcionou.
Porém—

"Ainda assim... não é... o suficiente?!”

Os olhos cansados de Lakyus só podiam ver uma verdadeira parede de demônios de


baixo nível. Apesar de que tivesse acabado de estourar a cabeça de tantos deles com um
único golpe, a brecha que fez foi preenchida imediatamente.

Poderia passar? O mal-estar de Lakyus começou a crescer novamente. Kilineiram


havia retornado para suas dimensões originais.

Neste momento, Lakyus viu atrás dos demônios — um flash de metal, o rugido da voz
de um homem.

“—《Corte de Luz Sêxtuplo》!”

Os seis cortes simultâneos destroçaram as hordas de demônios.

"《Corte de Luz Sêxtuplo》! 《Passo do Vento》! Hooooh!”


Mais uma vez, sete demônios foram cortados como uma faca quente atravessando a
manteiga. Essa intensidade a fez pensar na Razor’s Edge, a espada que poderia cortar
através de qualquer coisa, e assustou os demônios.

"Matem todos!”

Na hora com seu grito irado uma cobertura de lanças se mostrou por trás de Gazef.

Não havia dúvida no reflexo desse metal. Inumeráveis lanças empunhadas detrás de
Gazef. Esses eram os cavaleiros da guarda do palácio e suas tropas. Umas forças de
centenas de soldados pareciam que iam inundar o beco.

Vendo que eles estavam em menor número para mais de dois para um, os círculos da
horda de demônios começaram a vacilar.

Gritos de alegria ecoaram e os aventureiros feridos começaram a recuar, coberto por


soldados.

"O que — que está fazendo aqui Stronoff-sama?”

Não era suposto ficar para trás para proteger o palácio e a família real? Como se em
resposta às palavras de Lakyus, seu rosto se voltou para outra direção.

A linha de visão de Lakyus o seguiu, e seus olhos se arregalaram. Havia quatro


sacerdotes e quatro magic caster arcanos que protegiam um homem velho. Em sua
cabeça levava a coroa que era permitido apenas uma pessoa no Reino portar. Seu corpo
estava vestido com uma armadura robusta.

Rei Ranpossa III.

Este foi um movimento extremamente perigoso.

Embora seu corpo estivesse protegido por uma armadura de placas, alguns ataques de
demônios poderiam perfurar facilmente o aço. Além disso, mesmo que estivesse
protegido, as magias com área de efeito poderiam sobrecarregar seus protetores e
poderia ferir o Rei. E o Rei sendo um humano comum, então provavelmente morreria
se ele fosse atingido por um pouco de magia. Mesmo que as magias de ressurreição
pudessem ser usadas nele, o Rei certamente seria incapaz de suportar o esgotamento
de força vital que causaria.

"Sua Majestade declarou — “Vocês protegem este castelo, ou a mim?” Não só pode
haver uma resposta para isso. Proteger o corpo do Rei é meu dever. Assim são as coisas,
este é um campo de batalha onde devemos lutar! Avancem!”

Os soldados deixaram escapar um grito trêmulo e avançaram.


Força se chocou contra força, mas apenas quando todos pensavam que a maré tinha
mudado o corpo de um aventureiro orichalcum voou pelo ar, batendo numa parede
próxima e deixando uma brilhante marca de respingos vermelhos.

"OOOOOOHHHHHH!”

Como se dissesse "Venha se acha que consegue", o corpo do demônio gigante parou os
soldados no seu caminho.

Havia monstros que não podiam ser superados apenas por números.

"Stronoff-sama! Dê-me uma mão!”

"Claro.”

A voz que seguiu a resposta de Gazef fez os olhos de Lakyus se arregalarem.

"Espere. Você não precisa de uma incrível lutadora na sua retaguarda?”

"E uma excelente Ninja também.”

Não havia dúvida dessas vozes. Ainda assim, Lakyus gritou em choque, ainda incapaz
de acreditar o que ela ouviu.

"Gagaran! Tia!”

Ambas lentamente deram alguns passos na frente dela. Estavam completamente


armadas e prontas para a batalha.

"Hey. Eu me irritei de tudo isso de estar dormindo ao meu redor, então eu pedi a
Stronoff-san para me trazer.”

"Pronta para lutar.”

Não deveria ser assim. Ela já lhes disse que estavam proibidas de lutar mesmo depois
de serem ressuscitadas. Normalmente, um teria que ter um repouso completo e mesmo
assim ainda se sentiria drenado. Ainda assim, elas sabiam o quanto era importante essa
batalha, e foi por isso que se juntaram à luta.

Tendo-as juntas novamente era o maior impulso que poderia receber.

Lakyus orou com todo o seu coração.

Ela rezou para que Momon derrotasse Jaldabaoth e que pudessem se livrar dos
demônios na capital.
♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:46

"Entendo.”

Olhando para frente, se podia ver o demônio mascarado em pé no meio da praça, sem
fazer nenhuma tentativa de esconder-se. Embora não pudesse ver outras formas de
demônios, Evileye não era tão tola para pensar que eles não estavam lá.

Tendo notado que se aproximavam, Jaldabaoth virou e curvou-se com elegância. Só


poderia haver um significado por trás disso.

"Uma armadilha... e agora, Momon-sama?”

"Não importa o que nos espera. Nós apenas temos que esmagá-lo.”

"Só isso.”

O tom de Momon já não tinha sua seriedade e a formalidade original, provavelmente


era porque a sua jornada juntos os tinha feito mais familiarizados uns com os outros.
Com isto em mente, Evileye começou a mudar para uma forma mais informal de falar.
Se ela continuasse escondendo o seu verdadeiro eu, quando eles começassem a
namorar sério, provavelmente, eles terminariam imediatamente. Assim, embora
revelar o seu verdadeiro eu poderia ter sido muito cedo, tomar um tom mais informal
provavelmente seria uma boa idéia, isso é o que Evileye pensava.

"Parece que está começando bem a tempo.”

De trás, o som de tambores e gritos de guerra soaram. A fim de garantir que Momon
pudesse lutar contra Jaldabaoth mano a mano, as tropas começaram seu ataque. Esta
era à única chance que teriam. Como tal, não havia outra maneira de salvar a capital a
não ser derrotando Jaldabaoth.

"Ahh, esse parece ser o caso. Parece que é hora da batalha final. Momon-sama... deixe
os outros inimigos para mim e Nabe. Momon-sama, você deve concentrar toda a sua
atenção na luta contra o Jaldabaoth.”

"Entendido. Nesse caso, uma vez que você veio aqui comigo, quando eu derrotar
Jaldabaoth e retornar triunfante, posso esperar que você esteja parada ao meu lado?
Por favor, trabalhe com a Nabe nisso, porque espero que nós três possamos a voltar a
ficar juntos.”

"Entendido, Momon-san.”
Os três aterrissaram em frente à Jaldabaoth. Evileye olhou ao seu redor, e uma casa ao
lado da praça, uma serva apareceu.

Ela usava uma máscara como a última vez que a viu, com uma expressão fixa. Mas
Evileye podia sentir o ódio dirigido contra ela.

Provavelmente há mais de um deles.

Jaldabaoth já sabia quem era mais forte entre ela e a empregada inseto. Agora que a
seu lado também tinha Nabe, uma magic caster que poderia rivalizar com ela no poder,
não havia nenhuma maneira que iria se juntar a batalha sozinha. Estava planejando
encurralá-los com os demônios? Ou tinha outro subordinado de um nível comparável à
espera? Ambas as possibilidades tinham feito Evileye explodir em um suor frio.

Após a empregada, mais pessoas mascaradas similares apareceram.

Eram todas com diferentes tipos de uniformes de empregada.

E seu número era...

“...Quatro delas!”

Havia um total de 5 pessoas com um poder de luta comparável a si mesma. Dois contra
cinco seria uma diferença muito grande no poder. A batalha parecia impossível de
ganhar desde o início.

"Droga! Eu subestimei as forças de Jaldabaoth!”

Se isso continuar, seriam vencidas por números, e, em seguida, as empregadas iriam


interferir com o duelo de Momon e Jaldabaoth.

Em uma batalha igualada, ainda que seja um pouco de apoio pode ser a diferença entre
a vitória e a derrota, como a batalha com a empregada inseto.

"Então eu vou deixar aquelas cinco para vocês.”

Dito isto, Momon pegou suas espadas em suas mãos, caminhando naturalmente para
Jaldabaoth. Enquanto suas poderosas costas se distanciavam dela, o coração de Evileye
se encheu de tristeza. Se apenas pudesse se perder no fluxo de sua capa vermelha,
poderia clarear todo o seu desconforto e frustração.

Evileye repreendeu a parte dela que queria lhe estender a mão.

Ela tinha originalmente vindo aqui com a determinação de morrer. Mesmo se seus
oponentes fossem mais fortes do que o esperado, ela não podia fazer nada tão
vergonhoso como implorar por ajuda. E as palavras anteriores de Momon eram
claramente um sinal do quanto ele confiava nela. Um homem como ele nunca seria tão
insensível ou cruel.

Agora que penso nisso, definitivamente, ele disse algo por trás de suas costas. Algo
como Evileye e Nabe eram certamente capazes de manter o inimigo até que ele ganhe,
ou algo parecido.

Um fogo ardia de dentro das profundezas do coração de Evileye.

"Então aqui vou eu, Demi— Demônio!”

Momon rugiu, e se aproximou de Jaldabaoth. Uma feroz batalha começou. A fim de


manter as outras duas enganadas, Momon pressionou Jaldabaoth, gradualmente o
obrigou a se afastar.
"Então, eu vou levar três e você dois, que tal assim?”

"Tem certeza? Eu estou bem com três pessoas também.”

"Hmph..."

Nabe sorriu.

"Você fique duas, eu vou cuido das outras três.”

Evileye sentia que tinha uma melhor compreensão da personalidade de Nabe, e sorriu.

Para ser mais preciso, a impressão de Evileye de Nabe como rival foi melhorando,
como um companheiro mago, que poderia estar ao lado de Momon.

Realmente, se eram apenas Momon e Nabe, só poderia apenas tirar o anel e revelar
minha verdadeira forma... Bem, primeiro eu tenho que voltar para a vida.

"Você é tão teimosa. Está tudo bem, eu entendo. Eu vou cuidar dessas duas
rapidamente, e então eu vou ajudá-la. Lute como se você quisesse viv— o quê?”

Evileye tinha a sensação de que todos os presentes — as cinco empregadas e Nabe —


estavam a observando. Como se tivessem planejado tudo com antecedência, algo que
parecia fora do lugar.

"Não, não é nada.”

Depois dessa resposta fria, Nabe deu o primeiro passo para um lado.

"Então, apesar de que disse que iria lidar com três deles, os nossos rivais serão aqueles
que decidem quem vão enviar para nós.”

As que saíram primeiro foram a empregada inseto, a empregada de tranças duplas e a


empregada de cabelos encaracolados. As que ficaram com Evileye foram à empregada
de cabelo com um coque e a empregada de cabelos longos.

"Meu nome é Alpha. Ela é Delta. Seremos suas adversárias.”

“Já estão prontas? Tudo isso é bastante formal. Meu nome é Evileye e vou derrotar as
duas!”

Evileye não tinha a intenção de prolongar a luta com a conversa. Havia pensado dessa
forma, suas oponentes poderiam tê-la surpreendido e a matado instantaneamente.
Tinha que ser paciente.

"É mesmo? Que medo.”


O primeiro movimento de Evileye foi ativar o seu às na manga. Era uma habilidade
especial que faria a energia negativa fluindo através de seu corpo se sobrecarregar, e
infundir cada ataque que fizesse com efeitos de status negativos.

"Aqui vou eu!”

Com um grito, Evileye começou sua magia.

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:59

"Não me menospreze.”

Os cristais infundidos com a energia negativa rodearam a empregada correndo, Alpha.


Este foi um ataque físico esmagador e penetrante, e a energia negativa drenava sua
força de vital.

Pelo menos deveria ser assim. No entanto, Alpha continuou correndo, e não havia
nenhuma indicação de que tinha sido golpeada.

"Kuh!”

Evileye subiu para o céu. O combate de perto era uma idéia muito ruim para uma
magic caster arcana. Colocar mais distância entre elas aumentaria suas chances de
vitória.

Enquanto flutuando no céu, algo saltou diante de seus olhos. Deve ter sido um ataque
desviado por seu 「Crystal Wall」, mas, ao mesmo tempo, a luz brilhante envolvendo
seu corpo começou a escurecer rapidamente.

Embora possa neutralizar ataques muito poderosos, seria sorte se as únicas coisas
lançadas para ela o 「Crystal Wall」 poderia negá-los por si só. O 「Crystal Wall」 só
funcionaria contra os ataques abaixo de um certo nível, e era completamente inútil para
qualquer outra coisa.

"De novo?!”

Quem estava usando armas a distância era a empregada na parte de trás, Delta. Ela
tinha disparado contra Evileye durante o voo mais cedo.

"Ah!”

Alpha entrou numa postura, e se lançou sobre Evileye. Ela estalou a língua.
Normalmente, Evileye não levaria a sério alguém que venha para ela com os punhos
vazios, mas isso era apenas a arrogância que sentia em relação aos seres insignificantes
que sempre estiveram abaixo dela. Pouco depois de lutar com o Alpha, ela estava muito
consciente disso. Alpha era realmente um rival temível. Toda vez que tentava abrir um
espaço entre elas, o seu adversário iria abordá-la agilmente, várias vezes mais rápido
do que ela. Se recebesse um impacto direto sem a proteção de suas barreiras, seria
destruída.

Se, no entanto, se ainda estivesse com Gagaran e Tia, não teria sido tão cuidadosa.
Agora, Evileye sentia como se estivesse andando sobre uma corda bamba.

A coisa mais irritante era a sua coordenação impecável. O trabalho em equipe poderia
aumentar consideravelmente o poder de combate dos aventureiros. Neste momento,
ambas estavam lhe dando uma lição sobre a cooperação.

"Como podem os demônios trabalhar juntos tão bem... que droga é essa?!”

Não tenho o direito de dizer isso—

Pensou Evileye. Os outros em sua equipe eram humanos, mas ela era um dos undeads.

Um som se escutou, e a proteção 「Crystal Wall」 tornou-se cada vez mais fina. Mais
um golpe e seria ultrapassado.

Evileye xingou, tentando ficar longe de Alpha, que tinha a intenção de persegui-la por
baixo e golpeá-la por cima. Embora o corpo do Evileye fosse superior a um ser humano
normal em virtude de ser uma vampira, o corpo de Alpha era ainda mais que ser
humano. A única razão pela qual Alpha não a tinha pegado era totalmente por causa de
sua magia de voo.

Usar magia necessitava de concentração, durante a qual o corpo não podia se mover.
Como resultado, ter que estar constantemente se distanciando era muito difícil. O
movimento interromperia o próprio sentido de equilíbrio e faria que a concentração
fosse difícil. Esta era a razão pela qual os magic casters se mantinham quietos para
lançar magias. Devido a isso, Evileye tinha escolhido usar 「Fly」 para manter uma
distância, sem atrapalhar a sua concentração e, assim, lutar uma batalha móvel. Isso
não era nada de especial por si só, qualquer lançador que poderia usar 「Fly」 havia
dominado esta técnica. Quão bem eles faziam era uma questão de talento, mas como
uma vampira, Evileye tinha a habilidade natural de voar e 250 anos de experiência para
dominá-lo.

Ainda assim, levou esforço para escapar de Alpha. E embora ela pudesse manter um
adversário em círculos na grande praça, havia dois adversários.

Outro som foi ouvido, e a barreira que a protegia foi completamente destruída.
Era difícil acreditar que algo poderia quebrar o 「Crystal Wall」 em três golpes, mas
não havia nada a fazer sobre isso.

"「Sand Field: All」!”

Partículas de areia se espalharam por todos os arredores. Embora Delta estivesse


muito longe de alcançar, Alpha foi completamente presa na área. Devido a que os
companheiros também seriam afetados, essa magia era inútil em uma luta de grupo.
Qualquer adversário dentro de sua área se imobilizava, além de ser cegado, atordoado e
silenciado. Além disso, devido à carta na manga de Evileye, a areia foi infundida com
energia negativa drenando a força vital.

Esta magia de 5º nível era sua própria criação. Era uma das cartas mais fortes que
Evileye tinham na manga.

No entanto, Alpha não parou, e nem parecia como se tivesse sido ferida...

"Mas como?!”

Ela era imune à imobilização e energia negativa?

"Você merece elogios por isso! Que esplêndido conjunto de resistências!”

A presença de Alpha desapareceu. Como se ela tivesse feito um teletransporte de curto


alcance, ela se materializou em frente à Evileye e lhe deu um cruzado de direita na cara.

Sua máscara quebrou com um som enquanto Evileye foi jogada longe. Ela rebateu no
chão quicando duas vezes antes que pudesse se recuperar atordoada balançando a
cabeça.

"「Crystal Wall」!”

O punho de Alpha se chocou na parede de cristal que havia se materializado-


produzindo um estrondo. As rachaduras se estenderam onde Alpha tenha atingido
como se tivesse sido atingido por uma bola de demolição.

“...Hmph!”

Um som como "Dang" ecoou, e quando os pés de Alpha bateram no chão, transmitiu a
sua força interior nas rachaduras na barreira de Evileye, e caiu diante de seus olhos.

"Isto é 「Release Charged Energy」?!”

Neste momento, ao tratar de ficar a certa distância, Evileye sentiu um grande tremor
através da terra. Não sabia de onde vinha, mas seu instinto lhe disse que eram as
sequelas da batalha desses dois.
"Ainda estão lutando? ...Não, o mais provável é que sua luta atingiu o seu clímax. Isso
significa que... Eu tenho que ganhar mais tempo!”

Enquanto dizia isso, Evileye se aproximou da atacante Alpha.

Só precisava de um pouco mais de tempo. Ela tinha que se manter nesta luta. Com isto
em mente, Evileye estava totalmente pronta para a morte, e realizou seu ataque
kamikaze.

As mãos de Alpha se moviam em círculos, em preparação para receber Evileye. Ela


permaneceu de pé, como uma Fortaleza Impenetrável, mas, mesmo vendo isso, Evileye
não parou—

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:53

Enquanto Ainz e Jaldabaoth lutavam entre si, eles se chocaram contra uma casa. A
porta se quebrou quando Ainz levou Jaldabaoth em direção a ela, espalhando estilhaços
por toda parte. O interior estava escuro e estreito, inadequado para que Ainz pudesse
girar sua espada.

Ignorando Jaldabaoth, Ainz se levantou e caminhou. Jaldabaoth levantou-se e o seguiu.


Eles entraram em outro quarto, com uma pequena mesa, duas cadeiras e Mare.

Mare puxou uma cadeira para que Ainz se sente. Em seguida, com a permissão de Ainz,
Jaldabaoth tirou a máscara, revelando o rosto de Demiurge.

"Em primeiro lugar, este quarto é seguro?" Ainz perguntou.

"Não há nenhum problema. As palavras faladas aqui são apenas para os nossos
ouvidos.”

"É assim... Bem, então. Primeiro, eu tenho um favor a pedir-lhe. Não machuque os
guardas que passei no meu caminho até aqui. Enquanto este lugar é bastante distante
de E-Rantel, ajudar as pessoas em perigo é boa publicidade.”

"Entendido. É aceitável transmitir as ordens por telepatia?”

"Adiante. Enquanto isso, diga-me sobre o seu plano.”

Embora Demiurge tivesse explicado o plano para Narberal via 「Message」, ela não
tinha dito nada sobre isso ainda. Ele foi forçado a permanecer em silêncio e não
expressar o seu descontentamento, a fim de garantir que o plano não fosse arruinado,
mas seu coração estava preocupado com isso.
"Certo. Esta operação tem quatro objetivos principais.”

"Ho... Eu tinha contado apenas três. Quatro você diz?”

Demiurge sorriu. Era um sorriso de satisfação presunçosa.

"Eu sinto como se tivesse obtido o melhor de Ainz-sama, por uma vez.”

Ainz fez um gesto magnânimo com a mão. Claro, ele não sabia nem o que os primeiros
três eram, mas as palavras de Demiurge ainda o inquietavam por todas as partes.

“Sempre um passo à frente. Eu tenho um longo caminho a percorrer.”

"O que você está dizendo, meu senhor? Na verdade, és muito humilde.”

"Não, realmente — Esqueça. Então me diga sobre estes objetivos.”

"De fato. Em primeiro lugar, o objetivo de atacar o distrito de armazéns era garantir
riqueza e bens dentro e transportá-los para Nazarick. Para facilitar isso, tive a Shalltear
para abrir 「Gate」 na frente dos armazéns, e deixei para o Pandora’s Actor a questão
do transporte.”

Este era um objetivo muito rentável de fato. Ainz silenciosamente elogiou Demiurge do
fundo do seu coração.

A perda de tanta riqueza tornaria a vida na capital mais difícil no futuro, mas neste
momento no tempo, Ainz não tinha nenhuma maneira de saber isso. Agora, tudo o que
sentiu foi um grande alívio porque o problema dos fundos foi resolvido por agora.

"A segunda é para esconder o nosso envolvimento nos ataques contra os esconderijos
da Oito Dedos na área. Como você, sem dúvida, supôs um ataque direto sobre os
esconderijos da Oito Dedos despertaria suspeitas. Se não tivermos sorte, poderia até
mesmo levar a exposição de Sebas e seus contatos. Como tal, nós expandimos a área de
operações, a fim de fazer com que os outros pensem que os nossos objetivos reais estão
em outro lugar.”

Ou seja, era como jogar ramos arrancados na floresta para escondê-los.

"Mas você pode fazer isso? O que você vai usar para despistá-los do rastro?”

"Por favor, dê uma olhada nisso, meu senhor.”

Demiurge fez um gesto e Mare trouxe um saco, que abriu. Dentro havia uma estátua de
um demônio. Cada um dos seis braços do demônio segurava um tipo de joia. Uma
estranha luz pulsante irradiava de dentro.
"Estas joias estão imbuídas com uma magia conhecido como「Armageddon Evil」.”

A magia de 10º nível 「Armageddon Evil」 era um que chamava um exército de


demônios. Apesar de que você poderia chamar de um grande número de tropas, não
eram muito poderosos. E se os anjos eram difíceis de controlar, os demônios eram
ainda piores, com a tendência a perder a paciência nos piores momentos possíveis,
tornando-se uma magia difícil de usar. O uso normal capitalizou o fato de que os
demônios invocados não eram aliados de forma padronizada, pelo qual podiam servir
como sacrifício vivo a certos rituais e outras habilidades especiais.

Assim como à forma que Shalltear utilizou sua Spuit Lance para matar seus próprios
lacaios convocados, essa magia existia para um propósito similar.

"Embora este artigo tenha sido criado por Ulbert-sama, creio que seria melhor usá-lo
aqui.”

Do ponto de vista deste mundo, fazia sentido que um artigo como este atraísse a
atenção de Jaldabaoth.

Ainz recordou o passado.

Era um amigo chamado Ulbert, de volta quando o poder da Guilda estava no seu auge.

Originalmente, havia um item World-Class, que poderia chamar um número ilimitado


de demônios que, eventualmente, consumiriam todo o mundo. Embora isso pudesse
causar uma enorme perturbação, Ulbert tinha ficado feliz quando soube disso e se
esforçou para criar um item para imitá-lo. Mas quando descobriu que o item não
poderia emitir seis magias ao mesmo tempo, ele perdeu o interesse nele e o largou.

Era fácil ver que Demiurge estava relutante em abrir mão de um item como este. Isso
era porque era uma relíquia de seu criador.

Ainz levantou a mão em uma dimensão de bolso, e tomou um determinado item.

"Demiurge, não há necessidade de usar isto. Leve isso como um substituto.”

O dispositivo que Ainz retirou parecia semelhante à estátua do demônio que Demiurge
havia preparado. No entanto, suas mãos seguravam apenas três gemas, e parecia mais
tosco em geral.

"Este também foi um dispositivo feito por Ulbert-san. Porque era um protótipo, ele
queria se livrar, mas eu achava que era muito desperdício e o mantive. O que você acha
de utilizá-lo em vez disso?”
"Como —, como eu poderia gastar os tesouros de Ainz-sama para os meus próprios
planos?”

"É assim que você vê? Certo, então. Demiurge isto é seu. Use-o como quiser. Mas você
não acha que Ulbert-san poderia se sentir envergonhado de que seu experimento falho
ainda esteja por aqui?”

"Isso é... como posso expressar minha gratidão a você por me dar um objeto mágico
tão maravilhoso?”

Demiurge se levantou da cadeira e genuflectiu. Mare fez o mesmo ao ver Demiurge.

"É o suficiente, Demiurge. Você não tem outra coisa para fazer? Pense nisso como um
sinal da minha gratidão por sua lealdade.”

"Os Guardiões foram criados pelos Seres Supremos. Portanto, até o momento de nossa
extinção, seremos totalmente leais a eles. No entanto, Ainz-sama não só nos concedeu
sua misericórdia e preocupação conosco em abundância, até mesmo deixou um tesouro
tão valioso em meu cuidado... enquanto este Demiurge, ainda que ele tenha jurado sua
lealdade completa e eterna ao Ainz-sama, deixe-me mais uma vez oferecer meus
serviços leais a você!”

"Ah... erm, bem, então, eu vou esperar por seu leal serviço. Agora, de pé. Demiurge.
Você tinha algo mais a dizer, certo?”

"Ah, de fato eu tenho! Minhas sinceras desculpas!”

Demiurge sentou-se novamente, e Mare retornou à sua posição.

"Então, como eu disse antes, Jaldabaoth abordou os esconderijos da Oito Dedos, e logo
passou a assumir o controle do distrito financeiro do Reino. Aproveitar os recursos dos
depósitos também era um objetivo. Naturalmente, este dispositivo criado por Ulbert-
sama se encontrava em um dos cofres dos esconderijos.”

"Isso está claro agora. E o terceiro objetivo?”

"Sim. Eu transportei cerca de metade dos seres humanos dentro desta parede de fogo
para Nazarick. Há muitos usos que podemos dar-lhes, e toda a culpa vai cair para o
demônio Jaldabaoth.”

Então era isso que ele estava fazendo...

Pensou Ainz, mas ainda tinha algumas perguntas. Havia algum benefício em deixar
crescer a vilania de Jaldabaoth? Pelo contrário, em vez de inventar o caráter de
Jaldabaoth, não teria sido melhor deixar que algum outro demônio o faça?
“...Então a sua intenção era a de construir uma infâmia?”

"Está correto. A intenção é colocar Jaldabaoth no trono do Rei Demônio.”

"Agora eu entendo. Então cumprir meu pedido era parte de seu plano, então?”

Ainz olhou para Demiurge, que estava fazendo uma profunda reverencia para
reconhecer que esse era o caso. Ele lembrou a ordem que ele tinha dado. Por outro lado,
ele tinha dado várias outras ordens e esta foi provavelmente para dar lugar ao Rei
Demônio.

"Isso nos leva ao quarto objetivo, que será este incidente como um teste para ações
futuras no Reino Sacro.”

Nesse momento, Ainz compreendeu. Ele fez uma pergunta que estava pesando em sua
mente.

"Agora que penso nisso, esses são demônios invocados a partir de Nazarick?”

“Como poderia? Eu não sonharia em fazê-lo sem a permissão de Ainz-sama!”

"Hm? Dado que confiei a tarefa a você, e você recebeu permissão de Albedo, pensei que
você teria usado as forças de Nazarick...”

"Não, meu senhor. Esses são apenas invocações de meu Evil Lord. Depois de um dia
passado, você pode chamá-los de novo. As forças de Nazarick permanecem intactas.”

"É assim... eu entendo o porquê há tantos demônios desconhecidos em Nazarick. Não


importa, eu entendo. Então, outra pergunta, você disse que enviou todos os seres
humanos daqui para Nazarick. Isso foi, independentemente se eles eram homens,
mulheres, jovens ou velhos, certo?”

Ainz estava vagamente irritado com a forma como Demiurge poderia responder de
maneira fácil e casual em uma afirmativa.

Os seres humanos eram irrelevantes. Talvez Ainz tivesse sido uma vez um ser humano,
mas este corpo que tinha agora não tinha nenhuma simpatia ou proximidade com eles.
Era como se se tratasse de outra espécie que pudesse ser chutado casualmente para
fora do caminho com um pé. Ele seria capaz de sacrificar qualquer número de seres
humanos para o benefício da Grande Tumba de Nazarick. Mesmo assim, matar crianças
ainda o chateava. Este era um vestígio do homem que uma vez tinha sido Satoru Suzuki.

Ainz respirou fundo, apesar de não ter pulmões.

"Demiurge. Quem não ofender a mim ou a Grande Tumba de Nazarick, deve ser morto
de forma rápida e sem sofrimento.”
Demiurge se curvou profundamente, sem dizer uma palavra.

A prioridade de Ainz Ooal Gown era garantir a estabilidade e lealdade de seus


subordinados.

Se eles tivessem trazido as crianças de volta com eles, liberando-os com segurança
significaria que detalhes de Nazarick escapariam com eles. Embora possa ser possível
torná-los em fanáticos que fossem cegamente leais a Nazarick, havia pouquíssimos
benefícios desse plano para agora. Como tal, esta era a maior misericórdia que poderia
dar-lhes.

"Então, terminamos aqui?”

"Há duas questões a serem consideradas. Primeiro, Mare deu-nos uma excelente
oportunidade.”

Ainz voltou a olhar para Mare, o menino inquieto e apreensivo.

"E isso seria?”

"No momento, ainda estamos na fase de treinamento, de modo que o grau exato do
sucesso é discutível. Vou detalhar mais quando voltarmos para Nazarick. Em segundo
lugar, a partir de minhas observações sobre a situação até agora, eu posso concluir com
segurança que aqueles que fizeram a lavagem cerebral em Shalltear não têm ligação
com o Reino.”

"Eu entendo. Então, espero receber a sua ajuda mais em breve.”

"Com prazer. Durante nossa batalha, em seguida, sinta-se livre para me derrotar. Eu
faria qualquer coisa para o Ainz-sama.”

"Entendo. Então, antes de voltar para fora, poderia prejudicar a minha armadura?
Seria mais convincente se eu tiver os sinais de uma batalha dura.”

"Em outras palavras, vai tirá-la, e então eu vou danificá-la? É impensável para alguém
como eu que me atreva a levantar a mão contra o Ainz-sama.”

"E o que acontece se eu tirá-la e ficar tão danificada que não possa usá-la novamente?
Durante o incidente com Shalltear, teve um ferreiro que criou falhas na armadura antes
de usá-la. Se eu tirá-la aqui e houver golpes fora de forma, provavelmente não seria
capaz de usá-la novamente.”

Ainz riu suavemente. Os Guardiões diante dele, sem entender o porquê, tiveram uma
expressão de perplexidade.
"En-então, Ainz-sama? E-essa armadura não e-é feita por m-magia?”

"Isso não está certo. Esta armadura não foi criada por magia. Eu posso ver como você
poderia pensar dessa forma porque eu, como um magic caster, a estou usando tão
naturalmente. Mas a verdade é que me lancei uma magia de transformação em
guerreiro e a coloquei. Durante o intervalo antes de viajar para a capital, enviei uma
「Message」 para a Albedo para a necessidade de situações futuras. Parece que foi a
decisão certa.”

Sustentando a magia de transformação e outra magia faria ambas as taxas de mana e


recuperação de mana inferior a zero. Embora a transformação pudesse se dissipar se
houvesse uma emergência e usasse magia, estaria partindo de um estado muito pobre.
No entanto, neste caso, teria sido a coisa certa a fazer. Sem ela, a primeira batalha com
Demiurge poderia ter sido muito mais problemática.

Os estreitos olhos de Demiurge se estreitaram ainda mais ao ouvir a resposta de Ainz.


"Como esperado de Ainz-sama, todos dançam na palma da sua mão. E pensar que me
atreveria a igualar em inteligência com tal grande pessoa... Eu não deveria ter esperado
nada menos de você.”

Enquanto Demiurge riu para si mesmo, Ainz limpou novamente seu suor inexistente.

"Então, vamos começar? Demiurge, eu vou deixar o dano da batalha com você.”

"Certamente. Mare envie o sinal. Será um terremoto, como da última vez."

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:56

"Tome meu raio!”

A magia 「Lightning」atacou, atingindo uma das empregadas.

"Guwaaaa ~su.”

A empregada fazendo o grito incrivelmente falso de dor foi lançada como se, até que
desapareceu na distância.

"Eiiiii~”

A dama de cabelos encaracolados lançou suas facas. Elas viajaram em um arco lento e
acertaram o corpo de Nabe.

"Kyaa—”
Como Nabe soltou um grito sem expressão de dor, continuou atrás da empregada que
tinha voado a distância. Entoma a perseguia silenciosamente.

Aterrissaram no beco, formando uma linha reta. Na frente de Narberal a emprega das
duas tranças. Atrás estava Entoma e a empregada de cabelo encaracolado. Este era um
clássico ataque em pinça, mas absolutamente não havia nenhuma tensão. Além disso,
como poderia haver? Antes disso, tinha sido o pretexto de uma luta, mas agora até isso
tinha evaporado completamente, e o clima era como um grupo de colegas conversando
em um café.

"De qualquer forma, este lugar está protegido contra a espionagem pela Nigredo-san.
Deve estar bem agora ~su.”

"É mesmo? Então... Quanto tempo hein, Lupu.”

A empregada de duas tranças — Lupusregina Beta — riu sob sua máscara.

"Realmente faz um tempo ~su. Esta é a primeira vez que nos vemos desde que Nar-
chan começou a andar por aí com o Ainz-sama ~su.”

"Eu volto a Nazarick de vez em quando, mas, você estava na cidade.”

"Oh, bom, sabe como é, essas coisas acontecem. Agora que penso nisso, eu não te vi a
muito tempo, Solu-chan ~su.”

"O mesmo. No entanto, a maneira como você fala...”

"Oya? Solu-chan e Yuri-nee-san estavam preocupadas, mas está tudo bem, tenha
cuidado. En-chan, o mesmo para você ~su.”

"Isso é bom... Falando nisso, por que a Entoma está tão calada?”

"Ah... Ento-chan não parece querer falar agora ~su.”

"AqueLA fEdElHa TiROu A MiNHA VOz!”

"Entendo.”

Narberal assentiu com ela. Entoma odiava sua voz original, então tentava usar o
mínimo possível.

"Eu QuErO tIrAr A vOz DelA cOmO vInGaNçA!”

Embora seu verdadeiro rosto estivesse coberto por uma máscara de insetos, a sua
intenção assassina e raiva estavam transbordando em sua direção.
"Você sabe que isso é impossível. Já que ela viaja com o Ainz-sama, vai arruinar a sua
reputação se ela não voltar viva com ele.”

Entoma não estava feliz com o que Narberal disse, mas permaneceu em silêncio. Era
óbvio que escolher entre o bem do nome de seu mestre e seus próprios desejos. Cada
Empregada de Batalha sabia isto.

"Aquela mocinha é bastante forte ~su. Qual o nome dela ~su?”

"Não tenho nenhum interesse nos nomes de grandes mosquitos. Embora, eu acho que
seu nome era Evil—alguma coisa.”

"Que cruel, vocês não vieram juntos como companheiros?”

Narberal franziu a testa para as palavras de sua companheira, então Solution


respondeu por ela.

“...Essa provavelmente é Evileye da Rosa Azul. Sebas-sama escreveu sobre isso em um


de seus relatórios.”

"Ah, isso soa bem.”

Narberal tinha certeza de que Solution disse o nome certo.

"Nar-chan, você está fingindo ser retardada? Você está bem ~su?”

"Na verdade, podem se lembrar de nomes humanos?”

"Isso não é um problema para mim. Eu poderia acabar precisando conhecê-los no


curso das minhas funções. Cuidei de confiar alguns nomes importantes na memória.”

"Não tivemos problemas aqui ~su. Na verdade, você poderia dizer que eu me dou
muito bem com os seres humanos, ~yanno?”

"SeM prOBlemAS AQui.”

Narberal foi ligeiramente surpreendida quando descobriu que estava sozinha entre
suas companheiras empregadas. Justo quando estava considerando a possibilidade de
prestar mais atenção aos nomes, o som de uma explosão soou sucessivamente. Por
conta dos edifícios que bloqueavam a visibilidade fora da esquina, não poderiam dizer o
que causou isso.

"Ah, devem estar ficando sérios por lá.”

"Bem, são a Yuri-nee-san e a Shizu, elas sempre levam as coisas a sério. Mas se a luta
ainda não acabou, significa que elas não usaram sua força real.”
"SE FOsSe POr MiM eU ADoraRiA lUTar CoM elA aTÉ a MorTE!”

"Essa Evileye é bastante forte. Por níveis apenas, poderia não ser um adversário que a
Yuri-nee-san ou a Shizu possam vencer.”

Uma sombra passou sobre a face das Empregadas de Batalha pela primeira vez.
Apenas Narberal estava indeferente.

"Está tudo bem.”

Como a atenção de todos se voltou para ela, continuou,

"Evileye e eu somos elementalistas. Somos magic casters arcanas, que se especializam


no uso de um elemento em particular. Embora isso signifique que o nosso poder de
ataque aumente consideravelmente, isto também significa que, fora da nossa área de
especialização, somos muito fracas.”

"Tipo Terra, então... também deve ser ácido, veneno ou gravidade, certo? Por que os
cristais ~su?”

"Deve ser uma especialização adicional dentro do elementalismo tipo terra. Sua magia
de cristal deve ser muito forte.”

"Esmagadora e penetrante magia de ataque físico... eu não entendo...”

Se fosse comigo, como eu poderia matar Evileye? Enquanto as quatro estavam refletindo
sobre essa questão, a terra tremeu. Houve uma ligeira diferença entre isso e o tremor
de terra causado por um impacto.

"EsTE TeRRemoTO deVE tER SIdo CAusaDO pElO MaRE-saMA. EntÃO, vaMOS pASsar
PAra a pRÓxiMa ETaPA?”

"Isso era um sinal?”

"É isso mesmo, Narberal. Então, tudo bem se te ferirmos um pouco? Não vai ficar bem,
a menos que nós deixemos um pouco áspero.”

"Eu vou tentar não bater muito forte, então me perdoe ~su.”

"Não há nada a fazer sobre isso. Afinal, é meu trabalho.”


♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 03:57

"Acalme-se! Por favor, acalme-se!”


Climb tentou não levantar muito a voz enquanto chamava as pessoas. No entanto, o
armazém estava preenchido com um monte de pessoas agitadas, portanto, seu volume
atual era totalmente insuficiente para conseguira acalmá-los.

"Meu filho—”

"Minha esposa foi levada—”

"Mamãe, papai—”

Homem, mulher, vozes jovens e velhas todas misturadas, soando sobre Climb como
uma onda. Ele não conseguia entender o que eles estavam dizendo mais.

Climb tinha encontrado as três centenas de pessoas aqui com grande risco para si
mesmo, e foram os únicos moradores que conseguiram encontrar. As pessoas presas
neste pequeno armazém não tinham idéia do que estava acontecendo lá fora, e a única
coisa que eles poderiam fazer era lamentar sobre como seus parentes tinham sido
tomados em outro lugar.

Era uma resposta muito natural nas circunstâncias atuais, mas também muito
perigoso.

Embora não tivesse encontrado qualquer demônio em seu caminho até aqui, isso não
significa que não havia demônios presentes. Na verdade, eles já tinham visto as
silhuetas de demônios várias vezes nas ruas por onde passaram a caminho daqui. Se
eles ouvissem os gritos deste armazém, a chegada de demônios seria apenas uma
questão de tempo.

"Vocês são os únicos que temos encontrado até agora—”

"Onde está minha mulher? Vai encontrá-la!”

"Isso—”

Talvez se ele aumentasse a sua voz poderia ser capaz de silenciá-los. Climb, como um
guerreiro, era muito mais forte do que qualquer simples guarda da cidade. Se ele
gritasse ao homem, ele poderia facilmente tomar os corações de todos os presentes.
Mas Climb não fez isso.

Climb era o embaixador da Princesa. Estava aqui porque Renner tinha visto apto a
colocar a sua confiança nele. Se usasse métodos que aterrorizassem os cidadãos e se
revoltassem com ele, poderia facilmente ser estendido a Renner também. Com isto em
mente, Climb descobriu que era impossível utilizar métodos duros com eles.

"Ei, responda-nos—”
"Meu filho ainda é jovem—”

"Papai mamãe!”

"Calem a boca, todos vocês!”

Parecia que o ar no armazém tinha voado de repente com todas as vozes distantes. O
grito irreprimível de Brain — a ira de um guerreiro de primeira classe — tinha
devorado os corações de todos os fracos presentes.

"Um monte de vocês que estão tagarelando como galinhas só porque se mantiveram
em silêncio. Estamos no território desses caras, e não há nenhuma maneira de garantir
a sua segurança. Se não se moverem em silêncio, os demônios viram e vão matar cada
um de vocês. Se vocês entendem isso, fechem a boca!”

Brain inspecionou o, agora, silencioso armazém, depois olhou diretamente para Climb.
Os cidadãos nas proximidades cochicharam sob seu olhar vulcânico e recuaram.

"Agora, Climb. Tempo para que você possa tomar uma decisão.”

Climb estava em grande parte seguro da decisão que tinha que fazer. No entanto, não
tinha a certeza de que era uma decisão sábia.

"É difícil de dizer, então? Não importa, eu faço. O primeiro é o primeiro, melhor entrar
em suas cabeças, que a próxima vez que alguém falar quando eu o falo, eu vou matá-lo
no ato, nem sequer estou seguro que todos vocês são seres humanos.”

Brain exibiu um pouco de sua katana, e a luz refletida parecia quase cegar.

"Tenho certeza que muitos estão se perguntando do que eu estou falando, mas deem
uma olhada na pessoa ao seu lado. Certeza que todas as pessoas aqui são seres
humanos?”

Os cativos se olharam em estado de choque.

"Ouçam. Vimos um monte de demônios no caminho até aqui. Alguns com asas, alguns
com caudas. Alguns até pareciam pessoas sem pele. Havia um monte deles. Aqueles que
estão rugindo lá fora poderiam ser esses caras... e eles devem tê-los visto na estrada,
certo?”

Todos estavam focando Brain e acenaram com a cabeça, com os rostos pálidos.

"Então, quem pode garantir que não há demônios entre vocês? Não há demônios sem
pele vestindo a pele de outra pessoa?”
Eles não foram autorizados a falar, mas ainda havia um choque. Eles olharam um para
o outro com olhos desconfiados, e então começaram a ajustar suas posições. O
armazém era pequeno, mas não o suficiente para que todos possam se apertar. Havia
espaço suficiente para que todos possam evitar o contato com os outros.

"Relaxe. Se alguns demônios estão aqui, vamos matá-los. Contanto que vocês
entendam onde estamos indo, vai ficar tudo bem.”

À medida que o clima perecia se acalmar, Brain continuou:

"Mas se os demônios estiverem vindo como uma avalanche, então não posso dar essa
garantia. Vocês não acham que, se um demônio se infiltrou aqui, iria querer gritar bem
alto que tenha intrusos? Veja, o que quero dizer com matar qualquer um que faz
barulho? Oh, é claro, alguns de vocês pensaram, "mas eu sou humano, por que você me
matará?”, mas o resto de nós não sabemos disso. Então, por uma questão de proteção
de todos aqui, qualquer um que fizer um barulho para atrair os demônios vão morrer.”

Mais uma vez, banhou a todos com uma intenção assassina brilhando em seus olhos.

"Parece que entendem. Em primeiro lugar, temos procurado em alguns armazéns


antes desse. No entanto, não só não encontramos ninguém, mas também todos esses
armazéns estavam vazios. Tomando a área cercada pelo muro de fogo, mesmo que seja
um bairro com muitos armazéns, não deve haver mais de dez mil pessoas aqui. Já que
tem apenas trezentos aqui, isso significa que deve haver, pelo menos, trinta e três
armazéns como este, certo?”

Brain respirou fundo.

"Então esse é o problema. Por que não encontramos mais ninguém além de vocês?
Talvez seja apenas má sorte. Afinal, estávamos evitando áreas onde os demônios
estavam em alerta. Mas... Você acha que alguém iria aceitar isso? O mais provável é que
eles foram transportados da área dos armazéns para outro lugar. Não entre em pânico!
Não temos idéia de onde eles foram levados. Mas onde quer que os demônios os levem
não pode ser bom.”

Aqueles que entenderam olharam para cima, e também fizeram sons de choro.

"E vocês foram designados para serem levados pelos demônios. Isso significa que, por
agora, evitaram um destino desagradável. Mas lembre-se, ainda estamos no meio do
território dos demônios. Se não tomarem cuidado e não se moverem de forma rápida e
silenciosa, serão assassinados enquanto fogem. Ei, você, você olha como se tivesse
alguma dúvida. Vou deixá-lo falar.”

O homem que tinha a katana apontando para a pergunta de uma pequena voz
assustada.
"E se a gente ficar aqui?”

"Então serão levados. Por esses caras, que vocês conhecem muito bem são demônios,
vão para qualquer inferno de onde esses demônios vieram.”

"Eu—”

Brain a encarou e a mulher que tinha levantado à voz se interrompeu imediatamente.

"Eu lhe permito falar.”

“...O meu filho tem apenas três anos de idade. Se eu ficar aqui, e for para o mesmo lugar
que ele...”

"Vamos com isso logo. Eu não tenho nenhum interesse em ajudar qualquer pessoa que
não queira fugir. Mas esse tipo é diferente. Só para você saber, se o seu filho foi levado
para outro armazém, existe a possibilidade de que ele será resgatado por outra equipe.
Se você quer ignorar isso e ficar, então eu não vou pará-la. Uma criança sem uma mãe
pode viver por si mesmo, mas eu não vi ninguém cuidando de seu filho nesta medida.”

Brain falou friamente aos civis desanimados.

"Então eu vou dizer de novo. Se você ficar aqui, será levada por demônios. Se você
aceitar isso e quiser ficar, não vou pará-la. Afinal, quando você sair deste armazém, há
uma possibilidade de que possa morrer em um ataque demoníaco enquanto fogem.”

Climb teve que interromper agora. Já que Brain já tinha falado muito, era necessário.

"Mas vamos defender qualquer pessoa que quiser fugir.”

"Eu não gosto de coisas irritantes, mas estou fazendo esta gentileza por Renner. Então
os protegerei. Nós vamos sair em poucos minutos. Ficar ou sair é a sua escolha. Se
desejam discutir sobre sua liberdade em voz baixa, é sua escolha também. Façam o que
quiser.”

Não houve discussão. Isso se devia ao fato de que seus vizinhos poderiam ser
demônios e também porque muitos deles esperavam que seus parentes fossem
resgatados por outra equipe e eles se encontrariam.

Não deveria haver nenhuma outra equipe. Verificamos muitos armazéns, e apenas dois
não estavam vazios.

Brain decidiu não pensar sobre o assunto, ao invés disso ele pegou sua espada e olhou
ferozmente para os presos, certificando-se que nenhum deles faça muito barulho. Climb
se aproximou de Brain e falou baixinho.
"Obrigado, Brain-san. Você fez o que eu não poderia fazer sozinho.”

"Não se preocupe com isso, toda essa porcaria era uma coisa que alguém como você,
que serve a Renner, não poderia dizer. Mas para um mercenário como eu, não deveria
causar problemas no futuro. Basta pensar em mim como um chicote.”

"Ainda assim, eu ainda sou grato.”

"Vai ser problemático se ficarmos presos em um loop infinito. Eu entendo, vou aceitar
o seu agradecimento. Hm? Aquele cara de novo.”

O Ladino entrou no campo de visão de Brain. Ele deveria ter se mantido vigiando o
lado de fora e se manter em alerta. Desde que ele não estava voltando com pressa,
significava que não era uma situação perigosa.

"O que aconteceu?”

"Ah, não, Unglaus-san. Os demônios não parecem que estão vindo ainda. Mas, como
você disse, é apenas uma questão de tempo.”

"Isso é certo. Quem sabe, este poderia ser o seu objetivo final. Queria dar uma olhada?
O que foi esse terremoto agora a pouco?”

"Eu não tenho idéia. Talvez o chão cedeu e os demônios se arrastaram para fora da
terra?”

"Não diga essas coisas, isso é o pior dos casos...”

"Desculpe, desculpe, Climb-kun.”

"Então, preparem-se para se mover.”

Da mesma forma que Brain estava prestes a ordenar aos cidadãos em torno, houve um
som de algo pousando fora do armazém.

O armazém se calou imediatamente. O Ladino se aproximou das portas


cuidadosamente verificando o exterior. Sua mão começou a se mover fazendo sinais.
Elas formaram as formas que os três tinham decidido que significava "demônio”.
Depois disso, ele sinalizou "muito forte”.

Climb e Brain trocaram olhares. Depois em silencio moveram-se para onde estava o
Ladino.

Eles viram um demônio. Era completamente diferente daqueles que tinham


encontrado antes. Liberava a sensação de tremendo poder.
Seu corpo era de quase três metros de altura, e tinha asas de morcego em suas costas.
Sua cabeça era um crânio de uma cabra, e em suas mãos ele segurava um grande
martelo.

O demônio voltou seu olhar para o armazém, e a equipe oculta de Climb sentiu sua
visão sobre eles. Ele tinha usado magia para senti-los? Estava definitivamente
esperando para aparecer.

"Esse cara parece muito forte...”

"Não há dúvida disso.”

Brain murmurou, e o Ladino respondeu. Climb balançou a cabeça em concordância.

Climb silenciosamente olhou para Brain. Ele o havia irritado durante esse encontro
com Shalltear. Como tal, se Brain dissesse para Climb fugir, ele estava completamente
obrigado a obedecer.

“...Climb lute ao meu lado.”

"Sim!”

Climb respondeu com voz suave, mas séria.

"Vai ficar bem?”

"Ah, basta olhar para esse cara. Ele deve ter fugido de uma luta. Ele está coberto de
feridas. Se estivesse ileso, eu não acho que todos nós juntos poderíamos vencê-lo. Mas
agora, se o atacarmos simultaneamente, pode ser capaz de ganhar com um único
golpe.”

"Conto com você."

Brain disse enquanto dava um tapinha no ombro de Climb.

Climb assentiu vigorosamente com a cabeça, e ativou o poder de seu anel. Este anel,
feito pelos Dragonlords usando magia selvagem, continha uma magia que poderia
aumentar temporariamente a força de um guerreiro. Se o homem mais forte do Reino,
Gazef Stronoff, o usasse, ele poderia entrar no Reino dos heróis, mas Climb não tinha
atingido esse nível ainda. Mesmo em combinação com a sua arte marcial 《Romper
Limite - Mente》, não podia sequer tocar as solas de Brain. No entanto, ainda daria a
Climb o poder de um guerreiro mythril.

"Tudo bem, vamos lá.”

Brain, que estava à frente, foi detido pelo Ladino.


"Unglaus-san—”

"Você não deveria me chamar de Brain? Você é mais velho que eu, usar honoríficos
como “san” me deixa desconfortável.”

“...Então, Brain. O que devo fazer?”

"Fique aqui, Lockmeier. Esse cara pode pensar que somos apenas uma isca.”

“...Vou ajudar se estiverem em perigo.”

"Então conto contigo. Vamos, Climb-kun. Embora provavelmente você já saiba há


horas... não fique arrogante.”

"Sim, senhor!”

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 5º Dia, 04:03

"Kuh!”

Evileye grunhiu enquanto recebia um golpe na barriga. Apesar de ter sido, em grande
parte, insensível à dor, o seu sentido de toque de seus dias como um ser humano não
tinha ainda completamente desaparecido. Se ela era atacada, definitivamente sentiria
isso.

Na breve janela quando sua concentração estava quebrada, Evileye recebeu outro
golpe de Alpha.

A força explosiva do golpe tirou o fôlego de Evileye, e a enviou voando.

O objetivo de Evileye era estender a batalha. Como tal, não podia utilizar a estratégia
de converter danos físicos em danos de mana. Sem mana, Evileye seria incapaz de lutar.
Isso significava que teria que gastar o seu HP e mana uniformemente.

Seu corpo manchado de barro foi arrastado de novo no ar pela magia de voo.

Neste momento, Evileye viu Nabe, que tinha sido golpeada, voando por seus próprios
adversários.

Parecia que tinha sido golpeada muito mal também. Evileye voou em sua direção. O
inimigo não a seguiu.

—Estavam à espera de unirmos para nos matar juntas?


"Oh, é você.”

Evileye vinha planejando ajudar Nabe que tinha caído, mas ela imediatamente se
levantou e falou friamente.

Embora seu corpo estivesse coberto de feridas parecendo que tinha estado em uma
luta por sua vida, algo parecia errado com ela. Não havia medo da morte, ou melhor, ela
acreditava que Momon poderia derrotar Jaldabaoth antes que morra.

Venha para mim também.

pensou Evileye.

"Você ainda consegue lutar?”

"É claro que não há problema.”

Aquela era uma pergunta estúpida.

Falando disso... Essa mulher já superou a humanidade também. Você poderia ser uma
“Parente de Deus” também?

Ela sofreu várias lesões e suas roupas estavam manchadas de sangue, mas nenhumas
das feridas eram fatais. Por tudo o que sabia, Evileye poderia ter sido mais gravemente
ferida.

Em comparação com Evileye que tinha apenas dois adversários, poderia ficar bem
contra três adversários... Mesmo que Evileye estivesse relutante em admitir isso, ela
tinha que admitir que Nabe era melhor do que ela.

"Você parece uma bagunça.”

"Não exatamente.”

Evileye riu da resposta, que fazia sentido com a persona de Nabe.

Embora a máscara cobrisse a expressão de Evileye, Nabe ainda podia sentir que o ar
tinha mudado, e a surpresa se mostrou em seu rosto.

"Não, eu estava pensando que esta resposta combina muito com você.”

“...Era isso. Então, o que vamos fazer agora?”

"O que podemos fazer? Como podemos continuar com esta batalha?”
Evileye virou um olhar afiado em cinco inimigos. Além da empregada inseto cuja
intenção assassina a esfaqueou como uma lança, as outras não irradiavam
absolutamente nenhuma hostilidade, mas, a partir de suas atitudes, pareciam bastante
seguras sobre matar ambas facilmente.

"Os seus inimigos também estão lá.”

"Parece que estamos fora das opções. Se os números seguirem assim poderíamos ter
uma chance de ganhar. Mas se eles estão no mesmo nível que nós e há mais deles, então
vamos perder, com certeza.”

"E quanto a correr? Se você virar e fugir, talvez não te persigam.”

"Se quiser fazer isso, eu te cubro por trás.”

A insatisfação se torceu na cara delicada de Nabe. Mesmo com ela fazendo uma
expressão estranha não diminuiu sua beleza, Evileye pensou que era uma sensação um
pouco fora de lugar de apreço para uma rival.

De repente, uma pessoa voou pelos ares quando um prédio desabou. Saltou várias
vezes no chão, caindo de cabeça sobre os tornozelos antes de parar.

Evileye não precisava respirar, mas ainda prendeu a respiração.

Por um momento, pensou que poderia ser Momon que foi enviado voando, mas esse
não era o caso. Era Jaldabaoth.

Vendo Jaldabaoth instável sobre seus pés, Evileye se entusiasmou. Era evidente quem
o havia ferido tão mal e o tinha lançado tão distante.

A visão de Evileye viu o guerreiro em pé no lugar onde o corpo tinha vindo voando.

A armadura de cor negra azeviche tinha sido severamente danificada, deixando claro o
quão intenso foi seu duelo. Ainda assim, o homem que estava lá não vacilou nem um
pouco, mostrando a clara superioridade de Momon em comparação com Jaldabaoth,
que estava prestes a cair aos seus pés.

O corpo de Evileye estava cheio de alegria, e apertou os seus punhos com força.

Momon baixou lentamente as suas espadas, e falou com Jaldabaoth que se preparava.

"Bem, isso foi divertido. Como posso dizer... sentia-me real. Pude sentir que realmente
estava lutando contigo. Então, isso é o que se sente ao ser a vanguarda... no passado,
costumava dominar todos os meus oponentes em combate corpo a corpo, para que não
sentisse nada, mas agora eu me sinto como um berserker. Então, tirar o seu verdadeiro
poder não será um problema para você, certo?”
Dizer a um adversário para usar toda a sua força era um insulto grave. Pensando nisso,
Evileye sacudiu a cabeça. Talvez este fosse o verdadeiro desejo de Momon.

Um homem forte como Momon raramente teve a chance de ir sem se segurar. Na


maioria das vezes os seus adversários seriam mortos antes que pudessem levar a sério.
Um homem como ele ficaria muito feliz se tivesse a oportunidade de enfrentar um
adversário que exigia toda a sua força.

"Então, por favor, deixe-me fazer isso.”

Jaldabaoth provavelmente tinha entendido como um insulto e, portanto, respondeu


com uma exagerada cortesia sarcástica.

Enquanto o olhava, Evileye se encheu com orgulho de saber que ela compreendeu
Momon melhor que Jaldabaoth.

"Então eu vou sério a você.”

"Venha a mim, Jaldabaoth.”

Com essas palavras como um sinal, os dois se enfrentaram no meio da praça.

Sua troca de golpes foi como uma repetição da vez que Evileye tinha conhecido
Momon. Sua alta velocidade, ataques consecutivos foram desviados pelas garras
estendidas. Já que podiam parar suas grandes espadas, a dureza dessas garras deve
estar além da compreensão humana.

Momon saltou para trás em um belo arco elevado. Sua força de salto a fez pensar que
poderia ter usado magia voo. No momento a visão de Momon foi bloqueada por suas
espadas giratórias, ela o viu produzir uma lança do nada, a partir do canto de seu olho.

Era uma lança carmesim cujo a ponta era como um ciclone de fogo. Momon
arremessou em Jaldabaoth. Tão rápido voou que tudo o que fora visto foi seu rastro
carmesim cauterizado em sua visão enquanto se dirigia para Jaldabaoth.

" —「Aspect of the Devil: Hellfire Mantle」.”

Quando a lança o atingiu, uma chama poderosa queimava desde o chão e uma onda de
choque massiva veio de Jaldabaoth.

"Kuh!”

A fim de não voar para longe pelo titânico deslocamento de ar, Evileye se abaixou e
tentou resistir à tempestade. Felizmente, porque usava a máscara, ela foi capaz de
manter os olhos abertos durante a tempestade.
Olhando para frente, viu Momon levantando suas espadas, que se mantiveram
inabaláveis diante do vento que soprava descontroladamente. Então, como se partisse o
ar em dois. Ele foi em direção a Jaldabaoth novamente.

Jaldabaoth estava pronto para receber o ataque, seu corpo envolto em chamas, e a
lança de antes estava no chão perto de seus pés.

Enquanto Momon girava sobre ele, Jaldabaoth pegou a espada com ambas as mãos. A
fumaça subiu das palmas de suas mãos, e o metal entre os dedos começou a derreter.

"Então, você é capaz de derreter uma arma como esta... sua habilidade ficou mais
forte.”

Como era uma lâmina que apoiava Momon, um aventureiro do nível mais alto, deveria
ter sido de fato feita de um material incrível.

Mas isso não era importante. O que importava era que Jaldabaoth poderia expelir
chamas que poderiam derreter o aço, e que Momon ainda podia falar casualmente com
ele, apesar de estar tão perto das chamas mortais.

“—Aqueles dois são incríveis.”

Evileye estava apavorada. Ela já sabia o quão forte os dois eram, mas seu corpo tremia
incontrolavelmente.

"É como você imaginou. Os danos de tipo fogo são reforçados por uma habilidade
especial.”

Em uma observação mais atenta, as chamas que coroavam Jaldabaoth tinha um tom
escuro com elas.

"Chamas infernais, não é?”

"Certo. Mesmo um ser protegido com imunidade ao fogo não escaparia ileso, você não
acha?”

Pela primeira vez em sua batalha, Momon deu um passo atrás recuando, mas
Jaldabaoth não o permitiria.

Desta vez foi à vez de Jaldabaoth fechar o espaço, lançando uma onda de golpes em
Momon. Esse ataque poderia ter matado um ser humano em um instante, mas Momon
tinha parado todos eles com sua espada gigante.

No exercício de combate corpo a corpo que foi derretendo lentamente sua armadura,
Momon alcançou novamente no nada e sacou uma arma estranha.
"Frost Pain Modificada — 「Icy Burst」!”

Uma onda de ar frio correu para frente a partir da arma, deixando cair à temperatura
em torno dela instantaneamente. Embora parecesse que o frio poderia até mesmo
congelar o fogo, o fogo do inferno de Jaldabaoth ardia mais quente do que o fogo
normal. No entanto, por um momento, o calor foi suprimido.

Uma exclamação de surpresa de Jaldabaoth chegou aos ouvidos de Evileye.

"O que foi isso? Foi como a lança um momento atrás.”

"Já que não posso usar magia, o compensei com armas elementais. Embora se trate de
uma cópia da Frost Pain feita como uma experiência... bom, me considero afortunado
que resultou em uma mais forte que a original. É Claro, é uma ferramenta que me
permite usar uma magia de alto nível três vezes por dia, mas sem as habilidades
especiais para aumentar o seu poder, não deve ser nada para você.”

O diálogo entre os dois arruinou sua fé.

Supõe-se que estariam comprometidos em uma intensa luta por sua vida, mas o clima
parecia que eles estavam limitados a confirmar a força um do outro de uma maneira
fácil e descontraída.

Evileye se lembrou de algo que Gagaran tinha dito uma vez. Quando os guerreiros
colocam suas vidas em jogo, por vezes, eram capazes de compreender plenamente os
pensamentos de seu oponente, e criar um sentimento como se fossem amigos próximos
que se conheciam há muito tempo.

Naquela época, tinha se perguntado o que ela estava falando. Mas agora—

"Talvez ela estivesse certa, afinal.”

Evileye estava começando a ficar com ciúmes da proximidade entre eles.

O homem de armadura de cor preta azeviche, que tinha perdido o seu brilho graças à
sua superfície derretida, e o demônio cujo smoking tinha sido destroçado por inúmeros
golpes de espada.

Os dois que tinham duelado entre si em um Reino além do alcance da humanidade


pareciam como velhos amigos para Evileye.

"Sua influência é incomparável.”

"De fato, a sua também, Jaldabaoth.”


"Nesse caso, eu posso fazer uma proposta?”

Momon levantou o queixo para Jaldabaoth, como se dissesse para continuar.

"Se eu conceder esta batalha e a vitória para você, talvez nós dois possamos recomeçar
desde o início? Ou melhor, para ser mais preciso, me retirarei deste incidente, e eu
espero que você deixe sua busca por mim.”

"Que brincadeira é essa?!”

O grito de Evileye foi impulsionado por uma intensa emoção. Para alguém que tinha
enchido a capital com tanto caos e morte, um pedido de misericórdia e perdão era nada
menos do que atrevimento.

No entanto, uma voz calma aceitou a proposta de Jaldabaoth.

"Está tudo bem.”

Sob sua máscara, Evileye olhou nos olhos de Momon. Ela não conseguia entender o
porquê Momon, que estava em uma posição superior, estava aceitando os termos de
Jaldabaoth.

Sentindo a confusão de Evileye, Demiurge deu de ombros. Mesmo que odiasse admitir
isso, ele parecia muito elegante enquanto o fazia.

"Isso me deixa perplexo, porque o Momon-san traria uma mulher descerebrada como
você. Um momento de consideração da sua parte deve revelar o porquê o Momon-san
aceitou minha proposta."

Voltando a Evileye, Jaldabaoth continuou falando:

"A fim de trazer o Momon-san aqui, e para evitar que outros interfiram em nossa
batalha, você comprometeu um monte de amigos e aliados na luta, não é? Você
realmente acha que seriam o suficiente para impedir os demônios de se intrometer
nesse conflito?”

Evileye sentia como se tivesse sido empalada através da coluna vertebral com um
sincelo.

Obs.: Pedaço de gelo fino, longo e pontudo que se forma quando se congela a água de um lugar alto. Tipo uma estalactite de gelo.

"O exército de demônios sempre está esperando a oportunidade para atacar a capital.”

Era o pior dos casos.

Ainda que o Marquês Raeven estivesse patrulhando dentro da capital com suas tropas,
que honestamente, não podia acreditar que poderiam lidar com todos os demônios que
Jaldabaoth tinham a espera. Uma conclusão similar esperava se os demônios
começassem a tomar reféns de toda a cidade.

Mas, se derrotassem Jaldabaoth aqui—

"Mesmo se você me matar você acha que eles vão desaparecer? Só tenho que dar um
único comando mental e minhas hordas infernais imediatamente começarão a varrer a
cidade. É claro, os seus números poderiam ser um pouco diminuídos... mas quantas
vítimas? Você acha que tem o tempo necessário para acabar com eles?”

"Mas então, como é que saberemos que você realmente vai cumprir sua promessa?”

Se Jaldabaoth continuasse a lutar com Momon, não tinha nenhuma garantia de que
realmente ganharia. Assim sendo, por que não retirar todas as suas tropas e pedir para
desistir de sua perseguição? Se não — bem, então se ele morresse, ele ia levar todos
com ele. Ou algo assim.

No entanto, com a população da capital como refém, as suas circunstâncias eram


verdadeiras.

Era uma oferta verdadeiramente manipuladora e astuta.

Entendo...

Evileye pensou, sua opinião de Momon havia subido ainda mais. Ele relutantemente
aceitou a proposta de Jaldabaoth porque tinha previsto este desfecho. De fato, não tinha
outra opção.

"Então, uma vez que este estranho aceitou isso muito bem, eu vou começar a minha
retirada, embora seja uma pena que eu não pude recuperar o meu objetivo. Oro para
que nunca voltemos a nos encontrar.”

"Eu digo o mesmo, Jaldabaoth.”

Jaldabaoth sorriu sob sua máscara, e, em seguida, as empregadas se reuniram em


torno dele antes de desaparecerem através do 「Greater Teleportation」.

"Se foram...”

Evileye flutuava no céu, com olhos voltados para onde tinha estado à parede de fogo.
Nada foi deixado; apenas uma mancha ligeiramente viva no horizonte da noite.

As cortinas tinham executado nesta perturbação. Mas isso nasceu do sacrifício de hoje?
O fato era que existia Jaldabaoth, um demônio que superava o Deus Demônio com
diferença. E contra ele estava Momon, o guerreiro melhor classificado. O que seria do
mundo sobre esses dois, se a notícia se espalhasse, e como seria o mundo depois disto?

Evileye sacudiu a cabeça para dissipar os pensamentos que foram misturados em uma
grande pilha no seu interior. Ela consideraria essas coisas pouco a pouco, no futuro.

Havia algo muito mais importante do que isso. Evileye aterrissou no chão e abriu os
braços.

"Uwaaaaaaaaaaaah!”

Com um grito de alegria, Evileye correu. Embora a duração da sua magia voo ainda não
tinha terminado, era uma situação que chamava para correr.

Evileye correu para Momon. Talvez pela surpresa, Momon tomou uma posição pronta
com suas espadas. Ignorando isso, Evileye saltou pelo ar em direção a ele. Já que estava
correndo a toda velocidade, se sentiu como se tivesse atingido uma parede. Mas por
causa de sua fisiologia vampírica e resistência, nenhum dano havia sido feito.

E assim Evileye agarrou — abraçou — Momon.

"Você conseguiu! Você ganhou! Você ganhou! Como esperado de Momon-sama!”

"Eu... uh... você se importaria, eu gostaria de um pouco de espaço aqui.”

Momon falou calmamente a Evileye, que o abraçou como um coala. Talvez ele estivesse
envergonhado.

Ele será meu se eu continuar abraçando-o.

Evileye confiava em uma parte de um rumor que tinha ouvido no passado. Alguns
homens usavam os membros do sexo oposto para purgar a tensão depois de uma
batalha. Ela esperava que Momon fosse um homem, e ele iria buscá-la para esse dever.

Evileye olhou para Nabe, que estava a encarando.

A primeira mulher ganha.

Embora Evileye estivesse apertando seu corpo macio contra Momon, sua armadura
significava que provavelmente não sentia nada, e se tocasse numa ferida, doeria.

"Ah... desculpe-me, Nabe, segure a minha espada.”

Percebendo que estava apenas gastando suas forças, Evileye soltou, caindo uma
grande altura devido a estatura de Momon.
Bem, é verdade. Devo manter o olho aberto para uma boa oportunidade na próxima
vez. Agora que Jaldabaoth viu o poder de Momon-sama, não há nenhuma maneira de
que ele vá romper sua parte do trato. Mas ainda assim, eles ainda estão lutando, e as
pessoas que deixamos... Ah, perseguir meus próprios desejos está errado em muitas
maneiras.

A batalha pela a capital tinha terminado.

Mas sua batalha como uma mulher tinha começado.

Evileye, que estava pensando em seu próximo passo, se virou ao ouvir um som de aço.

Atrás dela havia um grupo de pessoas. Eram aventureiros, soldados e—

"É esse o Capitão Guerreiro? Com todos os outros?”

Junto a Gazef Stronoff estavam Lakyus e Tina. Gagaran e Tia estavam lá também. Todos
estavam cobertos de sujeira, um testemunho das batalhas ferozes que tinham lutado
para chegar até aqui. Eles olharam em volta na raiz da batalha intensa que tinha lugar
aqui, e, em seguida, suspirando, todos olharam para Momon.

Sentindo o significado deste gesto, Evileye sussurrou.

"Momon-sama, nos lidere em um grito de vitória.”

Mas Momon não o fez. Como Evileye estava começando a suspeitar, ouviu uma voz
baixa.

"Me sinto um pouco tímido no momento.”

A reação surpreendentemente humana do guerreiro sobre-humano fez Evileye rir em


voz alta.

“...Mas essa honra não pertence à pessoa que mais fez por nós? Não perca esta
oportunidade.”

Momon agarrou sua espada com força e a empurrou para o céu.

"UOOOOOOOOOOOOHH!”

No momento seguinte, todos na praça levantaram seus punhos para o céu, gritando em
comemoração à sua vitória. Na boca de todos estava o nome de Momon, o herói que
salvou a nação.
Epílogo
Mês, Baixo Fogo (9º mês), 6º Dia, 08:45

s empregadas se formaram em linhas ordenadas de frente a Sebas. Havia

A 41 empregadas no total, e todas elas eram homúnculos. A frente se


encontrava a chefe das empregadas, que tinha uma cabeça de cão,
Pestonya S. Wanko. Assim, o pessoal de limpeza doméstica de Nazarick
era estabelecido.

"Atenção a todos, ela é a nova empregada de Nazarick.”

"Meu nome é Tsuareninya, prazer em conhecê-las.”

A chefe das empregadas saudou Tsuare, que tinha a cabeça baixa, como a
representante de todas as outras.

Depois de conversar com as empregadas, Tsuare não demonstrou nenhum sinal de


medo.

Além da costura que corria pelo meio de seu rosto, Pestonya tinha olhos amigáveis e
uma expressão amável. Além disso, as empregadas atrás dela eram todas humanas, sem
características faciais assustadoras.

Ainda assim, a julgar pelo estado de Tsuare, parecia que seu medo dos Guardiões
nunca desapareceria completamente. Embora parecesse se dar bem com as outras,
Tsuare sabia exatamente em que tipo de situação se encontrava, e estava tentando se
distrair por ter sido forçada a trabalhar com afinco.

Se não a observar cuidadosamente, ela poderia quebrar por fadiga.

Enquanto Sebas meditava estas perguntas, a sessão de "se conhecer e saudar"


terminou, e uma das empregadas a levou para fora. Ao longo do caminho, Tsuare virou
para olhar para Sebas. Sebas acenou para ela, e ela fez o mesmo em resposta, antes de
se afastar e sair.

"Sebas-sama, quanto treinamento será necessário para esta humana ~wan?”

"Treine-a até que se qualifique para ser uma serva de Nazarick. No entanto, ela é um
mero ser humano, por isso, quando você a treinar, por favor, não a force além de seus
limites.”

"Entendido ~wan.”

A face canina de Pestonya se inclinou, mostrando suas presas. Embora sua expressão a
fez olhar como um animal cuja presa tinha escapado, seus olhos ainda estavam cheios
de calor.
"Eu acho que para ela, ser uma empregada é apenas o primeiro passo.”

"O que quer dizer?”

Pestonya respondeu Sebas, que não tinha compreendido o significado do que ela disse
e se perguntava sobre o que ela está falando.

“...Wan. Quero dizer, me refiro que ela provavelmente será retirada de serviço depois
do casamento ~wan.”

"O quê?!”

Quando o rosto de Sebas congelou, a risada suave de Pestonya ecoou por todo o 9º
Andar da Grande Tumba de Nazarick.

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 7º Dia, 16:51

Depois de garantir que não havia pessoas presentes, e era o momento adequado, Climb
abriu as portas do quarto de Renner.

A Princesa estava sentada em seu lugar de costume, seu quarto estava tingido de
vermelho pelos raios do sol nascente. Eles o iluminaram como se fosse um foco.

"Bem-vindo, Climb.”

Essa beleza suave acalmou o coração palpitante de Climb, e se sentiu como se tivesse
sido curado. Climb se inclinou, seu rosto relaxou, e ficou ao lado de Renner.

"Venha, sente-se, Climb.”

"Não é necessário, Renner-sama. Em um momento, tenho que ir para ajudar a apanhar


os restos mortais do ataque dos demônios.”

Os olhos de Renner brilhavam. Originalmente, ela tinha dado aquela ordem, de modo
que responder dessa maneira parecia que seria correto.

A próxima tarefa de Climb era cuidar, responsavelmente, dos detalhes sobre a


segurança para proteger a Guilda de Magia.

Todo esse passo para esse item particular.

Apesar de todo o plano da invasão dos demônios ainda não ter sido totalmente
revelado, um objeto mágico muito preocupante foi encontrado em um armazém. A
Guilda de Magia seguia analisando e investigando o item, mas considerando o fato de
que ele tinha sido banhado com uma magia excepcionalmente poderosa, e as
informações que Jaldabaoth deixou escapar, parece provável que este é o item que
Jaldabaoth estivesse procurando.

Como resultado, a Guilda de Magia reuniu fortes veteranos. Até que eles decidam como
descartar corretamente o item, eles tinham que ter equipes de aventureiros para
protegê-los em todos os momentos. Naturalmente, Climb foi uma das pessoas
selecionadas para esta tarefa.

É tão irritante, não podemos punir os membros da Oito Dedos, que trouxeram esse item
para a capital...

Embora estivesse diante de Renner, Climb não pôde suprimir completamente a


irritação em seu coração.

O objeto mágico que levou à tragédia na capital foi encontrado em um armazém, que
estava positivamente ligado à divisão de trafico da Oito Dedos. Sendo esse o caso, eles
tiveram que movê-lo para ser destruído. No entanto, houve uma razão fundamental
pela qual eles não podiam fazê-lo, e apenas poucas pessoas sabiam.

Eles haviam começado a busca do item, porque Jaldabaoth vazou informações sobre
ele. Essa era a opinião de Renner. No entanto, Jaldabaoth poderia ter contado com ajuda
dos seres humanos para encontrar o objeto que suas tropas não podiam, por isso a
informação foi vazada em primeiro lugar.

Já que todos entenderam as implicações desse vazamento de informação, suprimiram


todas as informações sobre o item, e como tal já não podiam usá-lo como uma razão
para atacar a Oito Dedos.

"Você deve estar trabalhando com o Capitão Guerreiro, não é? Entendo, então tudo
deve estar bem. E sobre as pessoas que o ajudaram? Você deve ter ficado muito
ocupado protegendo o palácio, para que saiu por um momento, certo?”

O coração de Climb balançou quando Renner desencadeou essa bomba sobre ele.

"S-sim. Todos desejam expressar sua gratidão a Renner-sama.”

"Que maravilhoso. Então eu tenho que ir ao seu encontro.”

"Não pode!”

Assim que o grito saiu de sua boca, Climb imediatamente percebeu que tinha errado
muito mal. Ele abaixou a cabeça e começou a falar rapidamente, como se estivesse
tentando cobrir todas as suas palavras anteriores.
"Todos ainda estão ocupados e eu acho que a presença de Renner-sama os distrairia
de seu árduo trabalho, e apesar de que degrada a generosidade de Renner-sama, eu
espero que você entenda o que quero dizer.”

Ao levantar a cabeça, Climb se perguntou se o belo rosto de sua Princesa mudaria pela
infelicidade, ou veria um desagrado infantil que não se adequa a sua idade. No entanto,
a expressão que Climb olhou não era nenhuma das duas.

Ela sorriu.

Não era uma simples inclinação dos cantos de sua boca, mas sim um verdadeiro
sorriso em seu rosto.

Climb tinha visto Renner sorrir muitas vezes. Se ele voltasse sua mente no momento
em que foi mais feliz, estaria vendo aquele sorriso em seu rosto, depois que ela o tinha
apanhado. Mas agora seu sorriso era um pouco diferente para aquele sorriso então.

Antes que ele pudesse perceber a resposta, expressão de Renner voltou para o ligeiro
sorriso que ela sempre usava.

“...Não há nada a fazer sobre isso, então.”

Climb reprimiu um suspiro de alívio quando Renner aceitou a sua explicação.

Na verdade, era que ele tinha acabado de dizer a sua Princesa um bando de mentiras.
Climb não tinha ouvido uma palavra sequer de agradecimento das pessoas que tinha
conhecido. Pelo contrário, eles tiveram a sua culpa e desprezo empilhados sobre ele. Só
porque os tinha salvado, só por isso?

Eles levaram sua raiva, pela perda de suas famílias, pela perda de sua riqueza, e
derramaram a taça de seu ódio sobre Climb.

Climb tinha tomado esse ressentimento porque essas pessoas não tinham mais
ninguém para culpar, e pelo sentimento de culpa por não cumprir com as ordens de
Renner perfeitamente.

Ainda assim, doía ouvir essas palavras, especialmente, depois de ter lutado contra o
poderoso demônio, a fim de salvá-los.

O demônio que havia encontrado no armazém estava em um nível completamente


diferente de que qualquer um dos outros. Ele poderia ter batido em Brain Unglaus
apenas com a sobra de sua força, e foi só por causa de suas muitas feridas, que tinham
sido vitoriosos. Se o demônio aparecesse diante deles em um estado sem danos
recentes, eles certamente teriam sido derrotados. Depois de ouvir o quão poderoso foi
esse demônio por parte de Lakyus, estava silenciosamente agradecendo que eles
organizaram para o triunfo sobre ele.
Depois disso, os únicos agradecimentos que tinha recebido foram as queixas
mencionadas. Embora ele dissesse a si mesmo que ele tinha se acostumado com elas, as
palavras ainda o cortavam profundamente.

Na verdade, teria sido bom se Climb tivesse golpeado aquelas pessoas com más
intenções. Ninguém diria nada se Climb devolvesse os insultos que ele recebeu em sua
posição como cavaleiro da Princesa, mas se fizesse isso, então a posição de Renner
estaria em perigo. Se o ódio deles se voltasse para a Princesa e levá-los a caluniá-la, ele
seria incapaz de desembainhar a espada contra eles.

"Agora, Climb. Eu tenho... notícias desagradáveis. Ouça com atenção.”

Climb fechou os olhos por alguns segundos, em seguida, os abriu.

"As mulheres que você e Sebas-san trabalharam juntos para salvar do bordel... foram
assassinadas.”

Incapaz de entender o que Renner havia dito, sua boca abria e fechava enquanto ele
ofegava alguns sons que poderiam ter sido confundidos com palavras.

"Como... mas como... Como isso pode ter acontecido...”

Agora que pensei, as mulheres deveriam ter sido escondidas em uma sala de espera, e
depois serem enviadas para as propriedades de Renner.

"Isso foi um erro de cálculo da minha parte. Eu queria contratar aventureiros como
guardas, mas por causa da perturbação, todos tinham sido utilizados por outras
pessoas. Então, eu tive que usar mercenários no lugar...”

Renner balançou a cabeça, como se dizendo que era tudo culpa dela.

"I-isso não é verdade! Definitivamente não é sua culpa, Renner-sama! É de quem as


atacaram, eles são os culpados!”

"Não! Se eu tivesse sido mais cuidadosa, se tivesse considerado as coisas mais de


perto... que a perturbação enfraqueceu a segurança na capital, se eu os tivesse deixado
ir quando eu senti o perigo, não teria acontecido isso! Se você estivesse lá, talvez não
tivesse terminado assim. Mesmo os aventureiros que recomendaram esses mercenários
foram surpreendidos...”

Lágrimas começaram a encher os cantos dos olhos de Renner.

Em Climb o seu peito doía, como se seu coração tivesse sido esmagado. Talvez possa
ter sido um erro da parte de Renner, mas ela fez o melhor que podia em uma situação
ruim. Então de quem foi à culpa?
"Renner-sama, você não fez nada de errado!”

Ao ouvir a declaração contundente de Climb, Renner, que estava profundamente


comovida com Climb, levantou-se e o abraçou com força.

Para acalmá-la, Climb colocou a mão atrás de suas costas. Um movimento perigoso se
outros vissem.

"Mas como a informação vazou...?”

"Eu não tenho idéia. A segurança da capital foi mais fraca durante a perturbação.
Talvez tenha vazado durante esse tempo. Elas deveriam ter sido transportadas
imediatamente...”

Ele não podia descartar essa possibilidade. Poderia ter sido que os atacantes tinham
seguido os lugares e as pessoas protegidas por Climb, até que encontraram o caminho
para o esconderijo.

"Onde os corpos foram encontrados?”

"Nas favelas da capital, mas nem eu sei os detalhes.”

"O que aconteceu com os corpos?”

"Eles foram enterrados. Por quê?”

"Eu queria examinar as feridas, ver que tipo de pistas que poderia encontrar.”

“...Climb, é o suficiente. Elas foram violadas o suficiente. Pelo menos, deixe que
descansem em paz.”

“...Eu entendo.”

A bondade de Renner tocou Climb nas profundezas do seu coração. Na verdade, suas
palavras tiveram mérito. Ele estava envergonhado por não ser atencioso com os seus
sentimentos, e o desejo de descobrir a verdade cresceu dentro dele.

"Por favor, não leve isso tão a sério. Isto definitivamente não é... Ah, vejo que temos
trocado as posições.”

Renner sorriu. Embora seus olhos estivessem vermelhos, não havia lágrimas neles.

"Sim, aparentemente.”

Sua expressão sereva desapareceu, e ele sorriu.


"Perdoe-me por prendê-lo. Então, Climb, você terá que trabalhar arduamente a partir
de agora.”

Embora ele sentisse uma pontada de nostalgia pelo calor que havia deixado seu peito,
imediatamente ele interrompeu seu desejo.

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 10º Dia, 09:08

Hoje era um dia conveniente para viagens, sem nuvens visíveis no céu azul.

O manto vermelho soprava livremente no vento, atrás do homem com armadura preta
azeviche. Evileye fez uma pergunta a ele.

"Você vai voltar?”

Era uma pergunta rara, mas Evileye teve uma sensação estranha. Diz-se que os
aventureiros não têm raízes, mas alguns fizeram suas bases em algumas cidades, como
as Rosa Azul. Para Momon, sua base seria E-Rantel.

“Eu, eu quero dizer, há uma abundância de pessoas que querem ir com...”

Evileye não podia acreditar que ela estava dizendo tal absurdo, e fez sorrisos bobos.
Ela pensava que era apenas uma colegial apaixonada com a lua sobre seu amado, mas
apenas a palavra "amor", jogava sua cabeça em confusão.

“...Não se preocupe com isso.”

Essa foi sua resposta.

Foi muito fria.

Pensou Evileye.

Com nenhuma idéia sobre o que dizer, o vento soprava forte entre os dois.

O homem que tinha estado à espera desse silêncio falou.

Evileye considerou que este não era o caminho certo para uma despedida entre um
homem e uma mulher, mas eles não estavam sozinhos. Detrás de Momon estava Nabe, e
atrás de Evileye, os membros da Rosa Azul. E logo os magic casters que iriam enviar
Momon de volta para E-Rantel.

"Você nos fez um grande favor.”


Momon assentiu em resposta ao agradecimento de Raeven.

"Sua Majestade desejava transmitir a sua gratidão em pessoa, mas...”

Durante os distúrbios na capital, Momon tornou-se um nome familiar em toda a


capital. Afinal, ele era o herói negro que tinha desafiado o arquidemônio Jaldabaoth
para um combate, e o derrotou completamente. Era natural que o Rei quisesse
expressar sua gratidão em pessoa. Se tudo corresse bem, poderia até receber uma
mansão. No entanto, Momon havia rejeitado a última oferta e se recusou a conhecer o
Rei.

Essa atitude não era certa.

Os nobres, que valorizavam a sua reputação, consideraram que isso não era nada mais
do que a arrogância desse camponês sem nome por se comportar dessa forma diante
do Rei, cuja posição era superior à sua.

Os sussurros começaram a circular, que Momon estava menosprezando o Rei.

Havia aqueles que ficaram indignados como um simples aventureiro poderia ser tão
desrespeitoso.

Uma parte dos nobres continuaram dizendo que Momon tinha cometido um erro ao
não dar o golpe final em Jaldabaoth e o deixado fugir ao invés disso, mas já que Momon
teve o apoio de Raeven, mantiveram a boca fechada.

"Momon-san está a meu serviço, por isso, se desafiá-lo, também estão me desafiando",
disse Raeven aos nobres, em um tom ameaçador.

E o próprio Momon tinha acrescentado:

"Eu simplesmente aceitei o pedido como um aventureiro, e o completei. Isso não é


nada digno da atenção pessoal de um Rei, e para ser honesto, cada aventureiro que
participou nesta batalha também deve receber elogios."

Isso havia apaziguado os nobres, e acalmado os sussurros.

Mas as chamas não estavam apagadas ainda. Alguns levantaram suas vozes para
criticar Momon, pelos nobres que se sentiram insultados.

Evileye se lembrou do que Lakyus, uma mesma nobre, lhes tinha dito.

Sem Momon, a agitação na capital não teria sido resolvida, e não seria difícil imaginar a
extensão dos danos que teria causado. No entanto, os únicos que tinham vindo ver
Momon se despedir foram os membros da Rosa Azul e Marquês Raeven, pois Momon
estava em uma posição difícil.

Durante esse incidente, aqueles que tinham recebido muitos elogios foram os
aventureiros, o Rei, o segundo Príncipe, e Marquês Raeven. Enquanto isso, a opinião
pública dos nobres foi menos positiva.

Naturalmente, os nobres não estiveram de acordo. A Capital estava sob a jurisdição


direta do Rei, e como proprietários de terras, enquanto teria feito sentido enviar as
tropas para ajudar a capital, eles não tinham nenhuma obrigação de fazê-lo. Na
verdade, tendo em conta que suas próprias explorações poderiam ter sido atacadas por
demônios, era muito mais sensato para eles proteger sua propriedade em vez disso.

Durante esse incidente, a Facção Nobre, que favoreceu sua própria defesa, disse que o
anúncio do Rei sobre a presença de Momon foi um erro e que deu origem à arrogância.
Enquanto isso, a Facção Real afirmou firmemente que o Rei deveria ter sido escondido
em um lugar seguro e não ter ido para a linha de frente. Assim, a luta pelo poder entre
os dois lados se intensificou.

E os moradores da Capital Real, que não participaram dessa luta, não estavam felizes.
"Por que esses nobres barulhentos só se preocupam em se proteger e não a nós?”

Como tal, o respeito para aqueles que tinham realmente lutado por eles cresceu, e as
críticas continuaram se acumulando pelo desagrado aos nobres. Isto se tornou um
círculo vicioso, e, finalmente, os nobres acabaram culpando aventureiros por eles.

"No final, eles só contrataram alguns maníacos por batalhas para lutar até a morte", e
assim por diante.

Nesse incidente, Momon, considerado altamente o maior dos aventureiros adamantite


do Reino, tornou-se um alvo. Como resultado, era óbvio que nenhum dos nobres viria
se despedir. Mesmo que alguns deles fossem gentis com ele, estariam em uma situação
difícil por causa da luta pelo poder.

A razão pela qual Raeven era capaz de estar aqui era porque ele ia e voltava entre as
facções, como um morcego.

"Esta é uma carta de agradecimento do Rei, o segundo Príncipe, e a terceira Princesa. E


este é um emblema honorifico que o liberta de todos os impostos sobre a terra do
Reino. E também, o punhal concedido pelo Rei. Por favor, os aceite.”

Como uma nobre, Lakyus não poderia deixar de suspirar, e Evileye sabia exatamente o
porquê.

Sendo premiado com um punhal pelo Rei tinha o mesmo significado de ser premiado
com uma medalha de cavalheiro ou ganhar um prêmio de batalha como um nobre. Na
intensa luta pelo poder, a dádiva do punhal poderia causar muitos problemas se os
nobres soubessem disso. Ainda assim, tudo o que Lakyus poderia dizer é que o presente
de um punhal pelo o Rei foi uma jogada brilhante.

E eu que pensava que o Rei era um lamentável “Zé Ninguém”, que não se atrevia a fazer
alguma coisa. Minha opinião sobre ele cresceu um pouco.

Momon aceitou o punhal de forma indiferente e a entregou para Nabe, que estava
atrás dele.

"Não, dá-lo como um louvor de guerra seria suficiente, mas os nobres não teriam algo
a dizer sobre isso?"

Evileye disse em voz baixa.

Do ponto de vista dos nobres, alguém com carisma e poder se tornando um nobre não
seria motivo de riso. Seria especialmente problemático se um poderoso guerreiro como
Gazef Stronoff se juntasse à Facção Real. Como tal, se o Rei decidisse recompensar
Momon com um título, os nobres usariam o gesto do punhal como uma desculpa para
criticá-lo. Embora o Rei fosse alguém premiado com o punhal, era um gesto muito
grande até mesmo para ser um louvor de guerra.

“Os nobres não deixariam esse assunto de lado.”

Evileye pensou em voz alta, mas foi negada pela pessoa ao seu lado.

“...Você é muito ingênua, Evileye.”

"Sim, ingênua. A Facção Real está um passo à frente neste momento.”

"Por quê?”

“...Porque o punhal é algo concedido a nobres e cavaleiros.”

"Assim, no futuro, quando chegar à necessidade de promover o Momon-san, eles vão


usar o punhal para calar as bocas dos nobres. O punhal nunca seria premiado aos
plebeus, você sabe certo? Um título já foi reservado para o Momon, ou pelo menos é o
que eles estão insinuando.”

"Entendo... E pensar que você colocou muito interesse nesse assunto.”

"Claro.”

"Não subestime as assassi... Não subestime as ninjas.”

"Então temos de ir, Marquês Raeven, obrigado por tudo.”


"Você é bem-vindo aqui. Espero que possamos continuar o nosso relacionamento
cordial no futuro.”

"Eu também me sinto da mesma maneira. E todas da Rosa Azul, minhas companheiras
aventureiras adamantite, espero que sejamos capazes de ficar em contato próximo.
Estarei contando com vocês, se algo acontecer.”

"Nós que deveríamos estar dizendo isso, Momon-san. Depois de ver o poder que tem,
estamos quase envergonhadas de nos chamar de aventureiras adamantite, como o
Momon-san, mas vamos fazer o nosso melhor para estar no seu nível. Estaremos
ansiosas para trabalhar em conjunto de novo.”

Momon e Lakyus acenaram um para o outro.

E então, Evileye sentiu o olhar de Momon voltando-se para ela. Isso não era um erro. A
prova era que Momon parecia prestes a dizer algo, em seguida, parou no meio do
caminho antes de começar de novo e parar novamente.

Evileye sentia seu coração desesperado batendo em seu peito.

Se Momon lhe pedisse para se tornar sua parceira, Evileye definitivamente aceitaria.
Seria uma traição com as suas companheiras com quem viajou contra o vento e a maré,
mas ainda assim, Evileye queria ser fiel ao seu próprio coração.

Como se estivesse confuso, Momon continuou começando e parando várias vezes


antes de finalmente expirar e se virar. O manto vermelho rodou com seu movimento.

Ao ver suas costas retrocederem lentamente, Gagaran brincou com Evileye.

"Você foi abatida.”

"Não, não é isso. Ele é apenas esse tipo de homem.”

Momon subiu no 「Floating Board」 criado pelo magic caster de Raeven e subiu
lentamente, Evileye não tirava seus olhos de cima dele por um único momento.

"Eu me pergunto quando é que voltaremos a nos ver?”

"Seria bom se se tratasse de um momento simples e descontraído, ao invés de uma


grande perturbação como essa.”

"Isso pode ser difícil.”

"Exatamente.”
Os membros da Rosa Azul concordaram com isso.

Se os aventureiros adamantite se reunissem para um trabalho, certamente seria algo


grande.

"Então uma reunião normal deve estar bem, certo? Evileye sabe magia de
teletransporte. Ir para E-Rantel não deve ser tão ruim. Falando nisso, ir com Momon
não seria matar dois pássaros com uma cajadada só? Ser protegida por ele também
significa que você não precisa se preocupar com o perigo quando tiver que se mover.”

Evileye ficou chocada e sem fala, olhando para Gagaran. Embora ela usasse a máscara,
sua expressão cómica brilhava através de sua atitude.

"Ei, você não vê? As relações de longa distância não acabam bem... ou vocês dois não
saíram ainda?”

Gagaran olhou para cima, e o olhar de Evileye voltou para o céu também. À distância,
ela viu a figura de Momon indo.

"Uwaaaaaaaaaaa!”

O uivo desesperado de Evileye era como um grito de raiva, e as Rosa Azul riam ao seu
redor.

♦♦♦

Mês, Baixo Fogo (9º mês), 10º Dia, 18:45

A reunião de emergência da Oito Dedos foi incomum desde o início. Para começar, nem
todos estavam aqui. Uma das pessoas desaparecidas era Cocco Doll, mas todos sabiam
que ele havia sido preso, por isso não fazia parte da reunião. O problema era que a
outra pessoa desaparecida era Zero.

Todos sabiam que Zero não era um traidor. Isso piorava as coisas.

A partir da informação que havia adquirido, a morte de Zero foi confirmada. No


mesmo dia, os subordinados que foram enviados para a missão de "matar qualquer um
e todos que ousaram nos insultar" também tinham sido massacrados.

As perdas eram grandes demais. Embora os subordinados que ele comandava


pudessem ser substituídos, a morte de Zero, o homem mais forte da Oito Dedos e o
chefe da segurança, não era uma questão que pudessem simplesmente ignorar.

Todas as divisões que se encontravam aqui competiam uns com os outros, mas ainda
pertenciam à mesma organização. Essa perda teria repercussões para todos.
O debate surgiu entre eles.

O que eles deveriam fazer sobre a vaga deixada pela morte de Zero? O que aconteceria
com Cocco Doll?

Em circunstâncias normais, simplesmente teriam recomendado um de seus


companheiros para essa posição, mas havia uma razão pela qual eles não podiam fazer
isso.

Isso era por causa da invasão demoníaca da capital. As consequências deste incidente
não era uma visão agradável. Enquanto seus esconderijos foram atacados naquele
mesmo dia, a derrota de Zero levantou a cabeça e ombros acima de todos os outros. Foi
um pesadelo particular para o chefe da divisão de tráfico ilícito.

Muitos de seus armazéns foram saqueados, e quando eles foram verificar os armazéns
restantes que não tinham sido invadidos, mais da metade do seu contrabando tinha
desaparecido.

"Em qualquer caso, até conseguimos nos recuperar, temos que trabalhar juntos.”

"Não temos feito isso até agora?”

"Basta com esses absurdos. Desta vez, nós realmente precisamos cooperar. Acho que
devemos mudar as nossas atividades fora da capital. O que dizem?”

"Não. Pelo contrário, acho que agora é quando deveríamos estar trabalhando na
capital. Agora é o momento para obter o novo capitão da guarda no bolso. Se fugirmos
aqui, isso significaria que estamos renunciando a capitais e os lucros que ela tem.”

"Mmm. Isso é certamente uma possibilidade. No entanto, a nossa divisão de


segurança... Com a nossa força de combate em farrapos, não seria perigoso nos
movermos na capital?”

Os cinco chefes das divisões estavam desconcertados diante desse problema, e então
se dirigiram para o único chefe que não tinha dito nada até agora.

"Hilma, o que você acha?”

O corpo da mulher estremeceu.

Esta era uma reação que ela nunca tinha mostrado em reuniões anteriores.

Os círculos pretos sob seus olhos eram impossíveis de se esconder com maquiagem, e
tinha o ar de mortos caminhantes sobre ela.
"O quê? Eu ouvi que a sua mansão, também foi atacada... Mas você conseguiu escapar
em seu túnel de fuga escondido, certo? Você viu algo que te assustou?”

Todos os outros chefes de divisão tinham seus guardas de pé atrás deles, mas Hilma
não tinha nenhum.

"...”

"Bem, o que há de errado?”

Ao abrir a boca de Hilma, a porta da sala de reuniões também abriu.

"Tudo bem! Isso é suficiente para agora!”

A voz alegre veio de um Elfo Negro, que entrou na sala, logo, foi seguido por uma Elfa
Negra de aspecto apreensivo.

Todos os presentes ficaram pasmos.

Se tivessem sido adultos, talvez eles pudessem ter tido uma reação diferente, mas na
frente de seus olhos, estavam um casal de crianças que estavam totalmente fora de
lugar em uma sala como esta. Os líderes seguiram freneticamente tentando descobrir se
eles eram inimigos.

"Então, a partir de agora todos vocês se converteram em servos do nosso grande


Mestre.”

Todos ficaram em silêncio, é provável que não entenderam nada do que ele estava
dizendo, então o rapaz repetiu.

"Meu estimado colega concluiu que, em vez de tomar o controle da liderança do país,
seria mais eficaz simplesmente assumir o controle de todos vocês. Então, vamos
perdoar seus vários pecados e lhes permitir que se tornem nossos servos... hm,
escravos? Marionetes? Ah, bem, quem se importa? Em qualquer caso, parabéns!”

O Elfo Negro começou a bater palmas, seguido logo depois por sua irmã nervosa, que
colocou seu bastão debaixo do braço para aplaudir também.

"Pa-parabé—”

“—Que palhaçada é essa?!”

Os líderes ainda estavam tentando descobrir se eles eram inimigos ou aliados. Era
muito cedo para concluir que eles eram inimigos, mas a vida no submundo havia o
ensinado a parar de pensar tanto, olhar para sua própria segurança, e se preocupar em
matar seus inimigos mais tarde.
Eles não entendiam as verdadeiras intenções dos Elfos Negros, mas desde que eles
interromperam tão descaradamente sua reunião, provavelmente significava que eles
poderiam suprimir todos aqui. Se fosse esse o caso, mesmo os melhores guarda-costas
que cada chefe de divisão poderiam contratar, provavelmente seriam incapazes de
vencê-los. Uma vez que nenhum inimigo seria estúpido o suficiente para interrompê-
los, se houvesse a menor possibilidade de que eles pudessem perder, parecia que
escapar com segurança seria a maior prioridade neste caso.

Cada chefe de divisão iria usar seus próprios guardas como escudos sem hesitação.
Todos tiveram a mesma idéia, e começaram a mover-se para executar esse plano.

No entanto, já era tarde demais.

A primeira coisa que os líderes perceberam, já que tentavam levantar, era que não
podiam se mover.

"Ah? Oghhaaah? Ahhhhhhh!”

Seus corpos estavam completamente imóveis, até mesmo as suas línguas eram
incapazes de se mover. Saliva escorria pelos lados de suas bocas.

O menino, que tinha acabado de expirar, riu.

"Então, vamos levar a todos ao divertido lugar feliz.”

"S-sim. P-por favor, venham.”

O corpo de Hilma começou a tremer violentamente.

"E-espere! Eu não, certo? Eu os ajudei, certo?!”

Quando eles perceberam que ela havia os traídos, todos os homens voltaram seus
olhos para a única mulher presente.

"Por favor! Eu imploro! Eu não aguento! Eu não aguento mais!”

"Hmmm. Do que você está falando?”

"Eu, eu acho que ela se refere a ser levada ao quarto de Kyouhukou, onde seus órgãos
estavam sendo constantemente devorados por dentro.”

O rosto do Elfo Negro se contorceu em um “eca” ou alguma expressão similar.

Hilma deve ter se lembrado de alguma coisa. Ela se abraçou firmemente, suas mãos
estavam fincadas em si mesma, seu corpo tremia violentamente. Uma mão cobriu sua
boca enquanto as lágrimas corriam livremente de seus olhos. A partir da tonalidade
esverdeada de seu rosto, parecia que ela estava prestes a vomitar.

"E-e.”

"Para. Já curamos todas as suas feridas com magia. Isso é natural, uma vez que ela é
uma boa menina. Embora seja raro que não tivemos a oportunidade de matá-la...”

"Mm, mm. Há um monte de cadáveres, e ainda precisamos dela para encontrar a


organização.”

"Entendo. Bem, então, Oba-san, boa sorte. Se nos trair de novo, vamos trancá-la por
mais tempo na Cápsula Preta.”

"Eeeeeeeeeee!”

Hilma assentiu vigorosamente, enquanto ainda tinha o rosto verde. Isso era
claramente o aspecto de alguém cuja vontade de resistir tinha se quebrado por
completo, e obedecia às ordens dadas sem hesitação.

"De todas as formas, antes de sabermos o que estes farão e o que eles dirão você pode
tomar o seu tempo com eles. Certo?”

"Eu-eu posso! Deixe comigo! Nós podemos definitivamente fazer algo de útil com
eles!”

Quando eles viram o desespero de Hilma, com seus gestos patéticos de obediência, os
homens perceberam que eles também iriam experimentar os tormentos que
transtornaram ela, e ficaram pálidos.

"Então, eu trouxe alguns dos meus meninos para baixo para que te ajudem. Faça um
bom uso deles. Há um pouco mais, mas não tente matá-los ou combatê-los, eu vou
explicar mais tarde.”

O Elfo Negro estava todo sorrisos.

"Agora, nós fizemos metade do trabalho de tomar este país. Mas... o que o Demiurge
estava dizendo sobre plantar as sementes de um Reino? ...Ah, quem se importa? Vamos
ao próximo passo, para outro lugar!”
Posfácio
Bem, então... Estão todos felizes com o Volume 06, que ficou intenso em todos os tipos
de formas?

Se todos pensam "como se espera do Overlord de Maruyama", isso seria ótimo. Esta é a
coleção de coisas dos personagens principais da novel, que nunca fiz, afinal.

Escondi as histórias de vários volumes anteriores, "Eu estive esperando por isso",
estou seguro que surpreendeu a todos.

Talvez algumas pessoas possam ver através de tudo isso... É a dura verdade.

A trama oculta mais profunda seria o diário (o diário Nynia). Considerando os eventos
no volume dois, você não deve ser capaz de ligá-los até agora, considerando os motivos
do assassino no volume dois (refere-se à Clementine).

Por outro lado, ela ele fez algo muito grande, por isso não deveria ser estranho
esconder algumas histórias sobre ela para não perturbar os leitores.

Por outra parte, isto não era tanto como uma brincadeira, e a decepção para quem
esperava algo... Apenas ajam inteligentemente.

Se você ler isso, tentar voltar a ler todo o volume, você pode descobrir algo inesperado.

O seguinte seriam os personagens, ainda que o MVP do volume cinco e seis fosse
Evileye, eu pessoalmente prefiro o Ladino que foi nomeado no final.

É bom ser jovem, aqueles que normalmente falam para si mesmos, podem entender
como me sinto.
Obs.: MVP: Personagem Mais Valioso.

De qualquer forma, eu sou grato aos leitores por terem lido os dois volumes em ambos
os arcos. Estou interessado em saber como todos se sentem sobre isso.

Seria difícil reembolsar os seus leitores o custo dos postais, mas ficaria feliz se os
leitores me enviassem cartas.

A seguir, expressarei minha gratidão.

A So-bin-sama pelas ilustrações dos livros, Chord Design Studio, que é responsável
pelo trabalho de design.

Osako-sama, quem é responsável pela revisão e edição. F-Tan-sama, a editora e as


várias pessoas que ajudaram em trabalhos de produção.

Obrigado a todos.
Também a Honey, muito obrigado por sua ajuda.

E aos leitores que compraram este livro, muito obrigado!


Ilustrações
O Seis Braços, o esquadrão de batalha de primeira classe da organização
criminosa subterrânea Oito Dedos, começa a se mover dentro do Reino. O
grupo de aventureiras adamantites, "Rosa Azul", lutará contra eles. Durante
a batalha, o misterioso grande demônio, Jaldabaoth, começa a agir e as
chamas sobem na Capital Real Re-Estize, uma intensa batalha se inicia.

ISNB: 978-4047293571