Você está na página 1de 5

7 coisas que podem levar garotos e

garotas adolescentes ao caminho


errado

Adolescentes podem cair em comportamentos prejudiciais ou viciantes devido


a várias pressões, maus exemplos, falta de amor ...

Facebook

Twitter

Google+

Linkedin

Whatsapp

Email

PJG / ReL
26 de maio de 2019
TAGS:
 Família
 Educação
BJ Foster é um pai com experiência em trabalhar com adolescentes que
escreve em AllProDad.com, um site especializado em paternidade,
especificamente na de pais do sexo masculino. De tempos em tempos, a
web convida os pais a pararem por um momento e rever o que estão
fazendo bem, o que podem melhorar e que perigos estão à espreita de
seus filhos.
Os meninos que talvez não tivessem dado problemas na infância,
podem entrar na adolescência em
comportamentos estáveis prejudiciais .

BJ Foster adverte: "Se você vê que seus filhos começam a se comportar


mal de uma forma estável, estas podem ser as razões, as 7 coisas que
levam as crianças ao erro".

1. Eles não se sentem amados por seus pais

"Não há nada que faça um menino se sentir mais solitário e perdido do


que não saber que ele é amado incondicionalmente por seus
pais. Deixe uma dor profunda e tente fazer alguma coisa para aliviá-
la . Eles podem tentar entorpecê-lo com drogas, álcool ou violência. Em
qualquer caso, essa emoção continuará a prejudicar e se não cicatrizar
de alguma forma, continuará a bater forte ".

2. Eles não recebem atenção positiva

Os garotos pedem atenção e farão qualquer coisa para obtê-lo, e se


não receberem boa atenção, pelo menos, procurarão atenção ruim
(fazendo coisas ruins que escandalizam ou indignam os idosos) porque
não há nada pior do que não receber atenção dos outros. Sem atenção,
eles sentem que a vida não tem significado ou valor.

3. Eles sentem que não se encaixam


Adolescentes muitas vezes se sentem diferentes, estranhos e
isolados. Isso pode criar ansiedade, raiva e baixa auto-estima. As
crianças nessa situação podem tender a se isolar ainda mais, levando à
depressão e ao risco de autoflagelação. Eles podem agir de forma
exagerada de uma maneira semelhante a quando sentem que seus pais
não os querem. E eles poderiam ser integrados em um grupo de amigos
que são uma má influência para eles.

4. Seu grupo de amigos é um modelo ruim

As pessoas ao nosso redor nos moldam, e isso, o que é verdade para


todos, é mais para crianças e adolescentes. Se eles continuarem
namorando com amigos que são uma má influência, eles logo farão as
coisas ruins que eles vêem fazendo a eles .

5. Seus pais dão um mau exemplo

Mais influentes do que amigos são pais. Um jovem é afetado pelo que
os amigos dizem, mas ele é mais afetado pelo que vê (não dizendo)
de seus pais . Além disso, se os pais estiverem envolvidos em
comportamento irresponsável, as crianças sentirão que vivem em um
ambiente instável. Sem fundamentos firmes e sem estrutura, eles se
sentirão como penas carregadas pelo vento. Como ninguém coloca
fronteiras reais sobre eles, eles entrarão em territórios perigosos.
6. Os pais são inconsistentes em suas regras ou são extremamente
rigorosos

Os adolescentes precisam de limites, mas devem ser claros e ter


consequências práticas . Se eles infringirem uma regra e não forem
penalizados de forma alguma, eles pensarão que as regras não são
importantes, não são reais e sentirão novamente essa instabilidade.

O outro extremo é o dos pais que não demonstram qualquer


compreensão pelo garoto e tudo o que eles reduzem a regras, normas e
penalidades. O filho pensa que toda vez que eles falam com ele, é
para repreender ou pregar, e que ele nunca é ouvido . Isso produz
nele acritud e rebelião.

7. Os meninos não sabem administrar a pressão

Estudos podem colocar muita pressão sobre as crianças, assim como


relacionamentos, pressões em atividades como esportes, expectativas
de pais, outros adultos ... e há várias maneiras insalubres de se tentar
adormecer essa pressão. Podem ser drogas, álcool, distúrbios
alimentares (anorexia, bulimia), relações sexuais e pornografia ou
autoagressão por corte ou queimadura.

Um pai deve estar alerta para possíveis sinais de que isso está
acontecendo.

"Dê a ela um ambiente seguro e ouça muito " , diz BJ Foster. "Eles
precisam do seu guia gentil. Aja em breve e com frequência. E certifique-
se de que seu filho saiba que suas ações são motivadas por seu
amor por ele ".