Você está na página 1de 2

ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

- EMERJ -
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO PARA A
CARREIRA DA MAGISTRATURA
PROVA REGULAR DE TEORIA GERAL DO DIREITO E DA POLITICA
CPIV A 2 2011
PROVA: 16/11/2011

1ª QUESTÃO: (Valor - 4 pontos)

Segundo Norberto Bobbio, o que diferencia o Direito em relação a outras formas de


ordenamentos normativos é que aquele "recorre, em última instância, à força física para
obter o respeito das normas, para tornar eficaz... ordenamento em seu conjunto". Isso indica
uma forte conexão entre o Direito e Política e, consequentemente, entre a teoria política e a
teoria jurídica (Dicionário de Política, p.349).
Tendo em vista a perspectiva acima, explique as principais fontes da legitimidade do
poder e do dever de obediência ao Direito discutidas nas teorias política e jurídica.

2ª QUESTÃO: (Valor - 3 pontos)

Segundo o professor Brian Tamanaha, "três obras majestosas, acima de todas as


outras em estatura e influência, fundamentaram o lugar integral do estado de direito nos
sistemas liberais: o Segundo Tratado do Governo, de Locke; o Espírito das Leis, de
Montesquieu; e os artigos Federalistas de Madison, Hamilton e Jay." Segundo o autor, essas
obras "... definitivamente configuraram o moderno estado de direito nas democracias liberais
do ocidente" (On the Rule of Law, p 47).
A partir da perspectiva acima, explique em que sentido a tradição liberal pode ter
contribuído para a configuração do Estado de Direito.

3ª QUESTÃO: (Valor - 3 pontos)

Segundo Luís Roberto Barroso, "O Estado constitucional de direito se consolida, na


Europa continental, a partir do final da II Guerra Mundial. Até então, vigorava um modelo
identificado, por vezes, como Estado legislativo de direito. Nele, a Constituição era
compreendida, essencialmente, como um documento político, cujas normas não eram
aplicáveis diretamente, ficando na dependência de desenvolvimento pelo legislador ou pelo
administrador. Tampouco existia o controle de constitucionalidade das leis pelo Judiciário -
ou, onde existia, era tímido e pouco relevante. Nesse ambiente, vigorava a centralidade da
lei e a supremacia do parlamento. No Estado constitucional de direito, a Constituição passa a
valer como norma jurídica. A partir daí, ela não apenas disciplina o modo de produção das
leis e atos normativos, como estabelece determinados limites para o seu conteúdo, além de
impor deveres de atuação ao Estado. Nesse novo modelo, vigora a centralidade da
Constituição e a supremacia judicial, como tal entendida a primazia de um tribunal
constitucional ou suprema corte na interpretação final e vinculante das normas
constitucionais." (Constituição, Democracia e Supremacia Judicial: direito e política no Brasil
Contemporâneo, pp.4 e 5)

Tendo em vista essa perspectiva, explique como os conceitos de "judicialização"


e "ativismo judicial" têm sido empregado na teoria política e jurídica para explicar a atuação
do poder judiciário como um ator relevante no processo decisório nas democracias
contemporâneas.
- EMERJ -
ATENÇÃO: Responda uma única questão em cada folha.

- EMERJ -