Você está na página 1de 10

segunda-feira, 9 de abril de 2018

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: UM BOM LIVRO

OBJETIVOS

 Desenvolver habilidades de leitura e de escrita.


 Localizar informações no texto.
 Produzir histórias.
 Identificar os tipos de livro.
 Reconhecer diferentes gêneros textuais.
 Analisar informações com base em dados obtidos individualmente ou pelos grupos.
 Desenvolver habilidades de ouvir, falar, interpretar e expressar opiniões pessoais.
 Desenvolver atitudes de interação, colaboração e troca de experiências em grupos.

CONTEÚDO:

 Alfabetização.
 Língua escrita: usos e formas.
 Concepção de texto.
 Língua oral: usos e formas.
 Processos de leitura.
 Gêneros de texto.
 Língua escrita: prática de produção de textos.
 Papel da interação entre alunos.
 Língua oral: valores, normas e atitudes.
 Língua escrita: prática de leitura.
 Evolução da escrita alfabética.

DURAÇÃO: 5 (CINCO) aulas.

DESENVOLVIMENTO:

1ª. etapa

1. Inicie a atividade com a exibição do vídeo "Um bom livro", disponível em:

https://www.youtube.com/watch?time_continue=84&v=-ikZ9QBmPMU

2. Após, formar uma roda de conversa e questionar as crianças:


- Vocês gostam de livros?
- Quem tem livros em casa?
- Quais livros vocês gostam?
- Pra você o que é um bom livro?

3. Explique às crianças que existem vários tipos de livro e que eles são classificados, de acordo com o seu conteúdo,
em duas categorias fundamentais: sequenciais e obras de referências. Cite alguns exemplos de cada um deles para que
a turma seja capaz de distinguir as ideias, conforme sugestão abaixo:
Livros sequenciais: ensaio, memórias, romance, novela, poesia, teatro, biografia, história em quadrinhos.

Obras de referências: anuário, bibliografia, dicionário, manual, enciclopédia, guia turístico, livro didático, relatório.

4. Em seguida, proponha aos alunos que leiam a poesia "A caixa Mágica de Surpresa", de Elias José

Lembre-os de que a poesia faz parte da categoria de leitura sequencial e peça para que observem a estrutura do
gênero, composto de rimas, versos e estrofes.

5. Em seguida, peça que respondam às seguintes questões no caderno:


Qual livro você leu neste último mês?
O que você entende do verso do poema: “um livro tem as asas longas e leves”?
Por que o autor diz que o livro é uma caixa mágica?

2ª etapa

6. Proponha uma visita à biblioteca e possibilite que os alunos escolham um livro para ler. Após a leitura, solicite que
escrevam sobre o que mais gostaram na história lida e ilustrem o texto. Em seguida, peça que apresentem seus trabalhos
para o grupo.
7. Ao voltar à sala de aula, comente o processo pelo qual passa a produção de um livro: escrita, ilustração, revisão,
diagramação gráfica, impressão, venda e consumo.

3ª etapa

8. Acomode os alunos em roda e exiba o vídeo da história "A Menina Que Odiava Livros".

https://www.youtube.com/watch?v=geQl2cZxR7Q .

9. Em seguida, promova uma discussão sobre a importância da leitura. Questione, primeiro, os tipos de texto que as
crianças gostam de ler. Sobre o filme visto, pergunte qual a parte da história de que mais gostaram e peça que desenhem
a cena no caderno.

10. Organize a turma em pequenos grupos e proponha aos alunos que montem um teatrinho sobre a história do vídeo.
Peça que as equipes se organizem, distribuam os personagens e ensaiem as apresentações. Depois que as encenações
estiverem prontas, coordene a mostra na sala de aula.

11. Caso seja viável, combine com a gestão da escola um momento para que os alunos apresentem as produções a
colegas das outras turmas com o intuito de promover interação e socializar a obra.

4ª etapa

12. Convide os alunos para produzir histórias em duplas. Para isso, eles devem se concentrar nas seguintes questões:

 Quando acontece a história?


 Quem faz o papel de narrador? Alguém que participa da história ou alguém que apenas a observa?
 Quem são os personagens? Se preferirem, descrevam algumas de suas características.
 Onde se passa a história?
 O que acontece de importante?
 Por que isso aconteceu?
 O que os personagens fizeram para resolver o conflito?
 Como acaba a história?

13. Depois que a história estiver pronta, peça que deem um título interessante a ela, copiem-na em uma folha de papel
A 4 e façam uma bonita ilustração.

14. Assim que o trabalho for concluído, faça uma escala de contadores de história para a semana.

5ª etapa

15. Distribua cópias do texto "O Grande Livro".


16. Solicite uma leitura coletiva, pedindo para cada aluno ler um parágrafo. Promova, então, uma discussão:

 Por que Luquinha não entrava no escritório do avô?


 O avô de Luquinha escrevia livros. Que tipo de livro ele escrevia?
 O título do texto é O Grande Livro. A qual obra o título faz referência?
 Em sua opinião, o dicionário é um livro importante? Por quê?

17. Aproveite esse momento para explicar o que é um dicionário, caso ainda não tenha trabalhado com esse tema. Conte
aos alunos que existem vários tipos: os que explicam os significados das palavras da nossa língua; os que apresentam
as palavras de outra língua com tradução para a língua portuguesa; os que agrupam palavras que rimam, sinônimos ou
antônimos; e os que trazem o significado de palavras de algumas regiões, palavras coloquiais.

18. Em seguida, proponha que a turma construa um livrinho para uma exposição que será realizada para a comunidade
escolar. Organize as crianças em duplas, entregue folhas de papel e peça que elas imaginem um personagem e um fato
desencadeador da narrativa. Sugira que criem textos variados: poesia, história em quadrinhos, aventura ou fábula, entre
outros. Oriente-os caso tenham dúvidas sobre o gênero textual escolhido. Lembre-os de colocar o nome do autor, do
ilustrador e o título na capa do livro.
19. Depois que os textos forem revisados e que as versões finais estiverem concluídas, promova uma exposição dos
livros na escola e convide os pais para esse momento.

AVALIAÇÃO

Avalie se os alunos conseguiram construir conhecimentos sobre a origem dos livros, produzir histórias, identificar
diferentes tipos de livros e compreender a importância da leitura para o desenvolvimento intelectual. Para isso, observe
sempre as hipóteses das crianças, verifique se os resultados das atividades expressam avanços ou dificuldades e utilize
os registros para planejar novas aulas que contribuam ainda mais com as aprendizagens
Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

31 de Julho de 2017 Imprimir


54321

Cinco brincadeiras para voltar às aulas na alfabetização

Mara Mansani compartilha o que preparou para o retorno de seus pequenos à rotina

Compartilhar
Salvar
Por: Mara Mansani

A volta às aulas é uma


oportunidade de investir em brincadeiras na alfabetização e retomar a rotina aos poucos. Foto: Mara Mansani

Já estamos na volta às aulas! Vai começar tudo de novo! Nas escolas, a gritaria da criançada pelos pátios; nas salas de
aula, muitas atividades de leitura e escrita para alfabetizar os alunos, abraços de reencontro e todo mundo querendo
falar ao mesmo tempo.

Não é fácil volta a essa rotina do trabalho na escola para ninguém: nem para nós professores nem para os alunos.
Estamos em marcha lenta, depois do período de férias.

Na primeira semana de readaptação, vamos nos ajustando devagar à rotina, e logo tudo voltará à normalidade. Para
esse período, preparei uma programação especial com atividades que envolvem brincadeiras, leituras e escritas para
desenvolver com meus alunos, uma por dia. Essas brincadeiras contribuem para um bom entrosamento da turma e
rendem muita aprendizagem.

Compartilho com você minha programação:

Brincadeira do Morto-vivo

Local: Espaço aberto da escola

Material: Nenhum

Como brincar: Nessa brincadeira tradicional, todos participam juntos. Ao comando, as crianças devem se abaixar
quando ouvem a palavra “morto” e se levantar quando ouvem a palavra “vivo”. Quem erra sai e espera a próxima
vez de participar. As crianças adoram.

Atividade de alfabetização: Escrita da ficha da brincadeira, em duplas.


Desenvolvimento da atividade: Depois de brincar várias vezes, propor aos alunos que preencham a ficha técnica da
brincadeira para compartilhar com alunos da escola.

Na ficha: Peça que eles escrevam o nome da brincadeira, idade indicada, número de participantes, materiais
necessários, local e como brincar. Vá acompanhando as duplas de alunos, fazendo as intervenções que os levem a
refletir sobre a suas escritas, visando a escrita alfabética. Para finalizar, as escritas devem ser compartilhadas entre os
alunos. Então, uma das fichas deverá ser escolhida para ser revisada por todos, para compartilhamento com outros
alunos da escola.

OBS: É possível substituir a brincadeira do morto-vivo pela do telefone sem fio, na proposta de atividade, de acordo
com o que a sua turma gostar mais.

Brincadeira de pular corda – suco gelado

Local: Espaço aberto da escola

Material: Cordas

Como brincar: Dividir os alunos em grupos. Dois batem as cordas enquanto os outros pulam cantando os versos de
“Suco gelado”. Quem erra o salto, troca de posição com quem está batendo a corda. A cantiga explora o alfabeto. O
aluno deve falar um nome próprio que se inicie com a letra em que parou a brincadeira ao errar o salto.

Atividade de alfabetização: Escrita individual dos versos do texto de memória (Suco gelado)

Desenvolvimento da atividade: Ofereça aos alunos uma folha avulsa para que escrevam de próprio punho o texto:
"Suco, gelado, cabelo arrepiado, qual é a letra do seu namorado? A, B, C, D…". As crianças devem escrever os
versos sozinhas, sem intervenções, pois essa atividade será utilizada como uma avaliação diagnóstica das escritas dos
alunos, nessa volta as aulas.

OBS: De acordo com o conhecimento das crianças, é possível substituir os versos de "suco gelado" pelos versos de
"um homem bateu em minha porta".

Dobradura em formato de camisa

Local: Sala de aula, cada aluno em sua carteira.

Material: Papéis para dobradura de cores variadas do tamanho de uma folha A4, papéis sulfite brancos, cola e lápis
para colorir.

Como brincar: Os alunos devem dobrar o papel seguindo o passo a passo, de orientação da professora, para formar
uma pequena camisa. A camisa deve ser colada no papel sulfite de forma que os alunos construam a imagem de um
personagem da sua escolha, utilizando a dobradura e desenhos para a composição de partes do corpo.

Neste link, você encontrará o passo a passo para a elaboração da dobradura. Recomendo que você treine antes, para
evitar confusões. Se achar melhor, no Youtube há vários vídeos que ensinam como fazer a dobradura.

Atividade de alfabetização: Escrita de descrição de um personagem.

Desenvolvimento da atividade: Finalizada a construção do personagem, é hora da descrição. Para isso os alunos
devem escolher uma letra do alfabeto de sua preferência e escrever toda a descrição utilizando somente palavras
iniciadas com a letra escolhida. Por exemplo, letra J: Juliana, jovem jornalista Japonesa. Essa atividade, além de ser
muito divertida, estimular a criatividade, cria oportunidade de muita reflexão na composição de um texto que tenha
sentido. As crianças adoram o resultado final!

Stop

Local: Sala de aula, nas próprias carteiras, em duplas de alunos.


Material: Tabela para a brincadeira (em uma folha sulfite), na forma horizontal, dividida em colunas com os
seguintes campos: Nome próprio, Cidade, Material escolar, Animal, Vegetal, Sobremesa e Brinquedo ou brincadeira.
(Os campos podem ser modificados, de acordo com os temas que mais interessarem à turma).

Como brincar: Sorteada uma letra do alfabeto, as duplas de alunos devem completar as colunas da tabela escrevendo
nomes que se iniciem com a letra sorteada. Por exemplo, letra P: Paulo, Piedade, pasta, peru… A dupla que terminar
primeiro de completar as colunas deve gritar Stop (pare) e as demais não podem mais escrever na tabela. É feita a
conferência das escritas entre todos, e para cada escrita correta se atribuem pontos (escritas repetidas 5 pontos, e as
demais 10). Vence quem, ao final de uma rodada previamente combinada, marcar mais pontos. Essa brincadeira é
muito conhecida pelas crianças, por todo os cantos do Brasil. Todos gostam muito e não querem parar de brincar.
Muitos alunos utilizam até dicionários na busca das palavras.

Atividade de alfabetização: A atividade já é a própria brincadeira de escrita de nomes próprios e comuns.

Desenvolvimento da atividade: Acompanhe as duplas de alunos, auxiliando-os em suas escritas, fazendo


questionamentos sobre suas escritas, citando fontes de referências e de apoio, para que escrevam alfabeticamente e
obedecendo as regras ortográficas. Essa atividade é indicada para alunos das hipóteses silábica alfabética e alfabética,
mas com adaptações de acordo com o nível da turma, pode ser realizada com alunos de diferentes hipóteses. Uma boa
variação é a tabela escrita na lousa, para que os alunos possam completá-la juntos, com as devidas intervenções
pedagógicas do professor.

Cantoria com gestos – Fui à China

Local: Sala de aula, cada aluno em sua carteira.

Material: Texto impresso com o texto.

Como brincar: As crianças cantam a cantiga “Fui à China”, fazendo gestos em cada parte cantada. Atividade
individual.

Fui à China-na (puxam o canto dos olhos para parecer chinês)


Saber o que era China-na
Todos eram China-na
Ligue, ligue, China-na
Fui ao Halley (jogam um braço para trás)
Saber o que era Halley
Todos eram Halley
Ligue, ligue, Halley
Fui ao clips (fazem uma espécie de flor com as duas mãos abertas e os punhos juntos)
Saber o que era clips
Todos eram clips
Ligue, ligue, clips
Fui à dança-ça (rebolam com as mãos nos quadris)
Saber o que era dança-ça
Todos eram dança-ça
Ligue, ligue, dança-ça
Fui à China-na
Saber o que era Halley
Todos eram clips
Ligue, ligue, dança-ça"

Atividade de alfabetização: leitura de texto (cantiga)

Desenvolvimento da atividade: Depois de brincarem várias vezes, cantando e fazendo gestos, os alunos devem
localizar e circular no texto as palavras que o professor ditar. Antes de distribuir o texto que está aqui em cima,
lembre-se de retirar as partes que orientam os gestos, deixando somente os versos.
Essas brincadeiras, além de contribuírem para uma boa transição nesse período de readaptação, oferecem ótimas
práticas educativas, que contribuem significativamente para o processo de alfabetização. Espero que gostem da
programação, e fiquem a vontade para usá-la em sua sala de aula, com as adaptações que acharem necessárias. Podem
voltar aqui e contar nos comentários o que funcionou e o que não deu certo.

É preciso alfabetizar a todos, mas não esqueça que o brincar é muito, muito importante para o desenvolvimento
global dos nossos pequenos. Consulte o site do Território do Brincar, é inspirador!

Também compartilhe conosco aqui nos comentários o que você programou para essa volta as aulas!

Um grande abraço e até a próxima segunda-feira!

Você também pode gostar