Você está na página 1de 40

Rede de Informação em Ciências da Saúde

na América Latina e no Caribe: as
Metodologias da BVS e o controle
bibliográfico

Maria Anália da Conceição
Fontes de Informação Referenciais/Unidade LILACS – FIR
BIREME/OPS/OMS

II Encontro de Estudos e Pesquisas em Catalogação
Escola de Ciência da Informação da UFMG
Belo Horizonte, 19 e 20 de agosto de 2010
Criada em 1967 como Biblioteca Regional de Medicina, através de
convênio com OPAS/OMS, em colaboração com Ministério de
Saúde, Ministério da Educação, Secretaria da Saúde do Estado de
São Paulo e UNIFESP.
Principais fundamentos

• Acesso à informação científica e técnica em saúde;

• Desenvolver cooperação técnica;

• Fortalecer as capacidades de infra-estrutura dos países da
Região;

• Aumentar visibilidade, acessibilidade, disseminação, uso e
impacto da informação científica;
Iniciativas de disseminação das publicações
científicas da área médica.

1972
Catálogo de Periódicos Biomédicos
do Acervo Bibliográfico da BIREME
2615 periódicos

1975
Periódicos Latino-Americanos de Medicina e
Ciências Afins Existentes na Biblioteca Regional de
Medicina e Ciências da Saúde
721 títulos
1ª Iniciativa de cooperação técnica ...
Cerca de 200
revistas, 76 títulos
brasileiros

1978 - 1991
IMLA - Index Medicus Latino-Americano

Após 1991 o IMLA passou para
forma impressa da LILACS,
publicado por 2 anos e depois
em CD-ROM e Web
•Artigos de Periódicos
Evolução do IMLA... •Livros
•Teses
Controle bibliográfico e da •Documentos
produção científica e governamentais
técnica em Ciências da •Relatório técnico
Saúde, produzida e •Trabalhos de
publicada nos países da
América Latina e Caribe
congresso
•Manuais

1985
LILACS - Literatura Latino Americana
em Ciências da Saúde

Mais de 520 mil registros e cerca
de 800 periódicos indexados
Rede LILACS
Estrutura a nível de país

• um Centro Coordenador Nacional (CCN) da Rede Nacional, para o
Brasil a BIREME tem também esta função;

• um Grupo Técnico, composto por representantes dos Centros
Cooperantes da Rede Nacional (CC);

• um Comitê Assessor, integrado por autoridades de Saúde;

• Centro de Documentação da Oficina Sanitária da OPAS/OMS no
país.
Rede LILACS
Estrutura a nível regional:

•Um Centro Coordenador Regional (BIREME);

•Um Grupo Técnico, composto por representantes dos Centros
Coordenadores Nacionais (CCN);

•Centros Regionais das Sub-redes especializadas em temas
específicos;

•Centros Regionais Especializados da Oficina Sanitária da OPAS; e
Biblioteca da Sede da OPAS em Washington.
Recursos da LILACS

• Metodologia LILACS - é um componente da BVS,
constituído de normas, manuais, guias e aplicativos que são
utilizados para a entrada dos documentos na base;
• DeCS - Descritores em Ciências da Saúde - é o vocabulário
controlado para uso na indexação e pesquisa;
• IAH - Interface para Acesso de Informação em Saúde
(Interface for Access on Health Information) - é um aplicativo
desenvolvido para facilitar a pesquisa;
• SCAD - Serviço Cooperativo de Acesso a Documentos - é um
serviço especializado de fornecimento de documentos;
• SciELO - Scientific Electronic Library Online - é uma base
que possibilita acesso ao texto completo;
• SeCS - Seriados em Ciências da Saúde - é um sistema que
permite o registro e a manutenção das coleções dos
periódicos.
A Metodologia LILACS é um componente da BVS em contínuo
desenvolvimento, constituído de normas, manuais, guias e
aplicativos, destinados à coleta, seleção, descrição,
indexação de documentos e geração de bases de dados.

Desenvolvida a partir de 1982, e surgiu diante da necessidade
de uma metodologia comum para o tratamento
descentralizado da literatura científica-técnica em saúde
produzida na América Latina e Caribe.

Em 2006 houve adaptação para entrada de outros tipos de
documentos como: partituras, mapas vídeos e registros
sonoros e outros.
Metodologia LILACS: aplicativos
• DBAC: Descrição Bibliográfica Assistida por Computador -
formato UNISIST/UNESCO, operação em MICROISIS;

• DCAC: Descrição de Conteúdo Assistida por Computador.
Com o DeCS (MeSH);

• LILDBI: LILACS Descrição Bibliográfica e Indexação;

• LILDBI-Web – Em operação desde 2000. O sistema está
escrito em IsisScript para ser executado com o WWWISIS XML
IsisSript Server – WXIS;

• Em 2006 o LILDBI-Web passou por adaptação com base em
alguns campos do MARC 21 Lite - Machine-Readable
Cataloguing - para contemplar a entrada de outros
documentos conforme Nota Técnica disponível em:
http://metodologia.lilacs.bvsalud.org/php/index.php.
LILDBI-Web - Características
• Possui 3 perfis: Administrador, Editor e documentalista;
• Multiusuário - Pré-armazena os dados em bases
• temporárias;
• Alimentação da base de dados a partir das bases temporárias
(documentalista);
• Ingresso amigável de campos com subcampos;
• Consistência dos dados (controle de qualidade);
• Permite criação de campos não usados na LILACS;
• Inclui os módulos de indexação com o DeCS Server e a interface de
pesquisa iAH para disponibilização de bases de dados em Internet ou
Intranet;
• Exportação de registros ao formato MARC 21 (tabela de conversão,
ver Manual de Descrição Bibliográfica no final dessa apresentação).
LILDBI-Web - Características

Permite variadas formas de Cooperação Técnica, por
exemplo:

• Envio de registros para o Centro Coordenador Regional (no caso da
LILACS= BIREME);
• Nacional (país);
• Temático (instituição);
• Importação de registros de outras bases que usam a Metodologia
LILACS;
• Exportação para bases que adotam o Formato MARC 21 Lite;
• LILACS Express.
LILDBI-Web – conceitos básicos

A entrada perfil documentalista conforme regras do Manual de
Descrição Bibliográfica para orientar o preenchimento dos
campos e subcampos.

A padronização segue normas do AACR2 (Código de
Catalogação Anglo-Americano 2ª ed.), padrões da ISO
(International Standard Organization) e outros.
LILDBI-Web – Características dos campos
Quanto ao preenchimento:
• Um campo ter preenchimento obrigatório, essencial ou
facultativo;
• Os campos essenciais, deverão ser preenchidos sempre que
uma condição exigir ou quando a informação puder ser obtida a
partir do documento;
• Os campos de característica facultativa deverão ser preenchidos
a critério do documentalista a cargo da descrição;
Quanto ao tamanho:
• Um campo de dados pode ser de tamanho fixo ou variável.
Quanto à repetitividade:
• É repetitivo quando permite o registro de vários elementos
de dados.
LILDBI – entrada de um documento

A descrição é feita a partir do menu acima selecionando o tipo desejado.
Para definições dos tipos de documentos, pode-se consultar o Manual de
Descrição Bibliográfica (http://metodologia.lilacs.bvs.br).
Descrição de monográfico
Descrição de monográfico
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório

Obrigatórios
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório

Obrigatórios

Título e sub-campo obrigatório.
Permite títulos vários idiomas
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório

Obrigatórios

Título e sub-campo obrigatório.
Obrigatórios Permite títulos vários idiomas
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório

Obrigatórios

Título e sub-campo obrigatório.
Obrigatórios Permite títulos vários idiomas

Preenchimento obrigatório e essencial
Descrição de monográfico
Campo obrigatório
Preenchimento automático

Meio Eletrônico ou Número de páginas obrigatório

Obrigatórios

Título e sub-campo obrigatório.
Obrigatórios Permite títulos vários idiomas

Preenchimento obrigatório e essencial

Obrigatório
Registro de Monográfico na LILACS
Descrição de Tese

Repetitivos
Descrição de Tese

Repetitivos

Preenche-se os subcampos de
informação específica
(tabelas para seleção)
Descrição de Tese

Repetitivos

Preenche-se os subcampos de
informação específica
(tabelas para seleção)

Existe uma tabela para
seleção
Descrição de Tese (Cont.)

Se houver também, resumo em inglês e/ou espanhol, registra-
se todos preenchendo o subcampo ^i com o código do idioma.
Registro de tese na LILACS

Localização do documento
Não convencional (DVD)
Não convencional (DVD)
Não convencional (DVD)
Série Periódica
Série Periódica na LILACS
Considerações finais

A BIREME, seguindo o modelo de cooperação técnica,vem expandindo
suas atividades no controle bibliográfico na América Latina e Caribe.

Desde a publicação do IMLA, a BIREME iniciou seu destacado papel de
dar visibilidade regional e internacional à produção científica e técnica.

A LILACS foi fortalecida com a implantação da BVS que possibilitou o
acesso ao texto completo, ao catálogo de revistas e outros links dando
maior visibilidade as publicações. É considerada a mais importante
fonte de informação científica em saúde da região.

Assim, a BIREME completa seus 43 cumprindo seu papel e sempre
voltada à novos desafios.
Fontes consultadas:

BIREME/OPAS/OMS. Catálogo de periódicos biomédicos correntes do acervo bibliográfico da BIREME. São
Paulo: BIREME/OPAS/OMS, 1972 (original datilografado).

BIREME/OPAS/OMS. Index Medicus Latino-Americano. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS, jan./jun. 1979. v. 1, n. 1.

BIREME/OPAS/OMS. Manual de Descrição Bibliográfica. São Paulo, 2008. Disponível em:
<http://metodologia.lilacs.bvs.br/download/P/LILACS-2-ManualDescricao-pt.pdf>. Acesso em: 16 ago. 2010.

BIREME/OPAS/OMS. Metodologia LILACS. Disponível em: http://bvsmodelo.bvsalud.org/site/lilacs/P/componentes.htm;
Acesso em: 16 ago. 2010.

BIREME/OPAS/OMS. Periódicos latino-americanos de medicina e ciências afins existentes na
Biblioteca Regional de Medicina e ciências da saúde. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS, fev. 1975. (original
datilografado).
BIREME/OPAS/OMS. Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da
Saúde. Disponível em: <http://regional.bvsalud.org/bvs/P/psystem.htm>. Acesso em: 16 ago. 2010.

CHIQUETTO, Maria Regina, et al. Non-text Materials: adapting LILACS Methodology for descriptive and thematic
representation. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso). Disponível
em:http://www.icml.org/program/poster1/activity.php?lang=pt&id=13. Acesso em: 18 ago. 2010.

PIEGAS, Maria Helena A; NOWINSKI, Aron. Index Medicus Latino-Americano: exemplo de cooperação técnica entre
´países em desenvolvimento. R. Bibliotecon. Brasília, Brasília, v. 9, n.2, jul./ dez. 1981. Disponível em:
http://www.tempusactas.unb.br/index.php/RBB/article/viewFile/273/256. Acesso em:16 ago. 2010

SILVA, Márcia Regina Barros da; FERLA, Luis; GALLIAN, Dante Marcello Claramonte. Uma 'biblioteca sem paredes':
história da criação da Bireme. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, mar. 2006 . Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702006000100006&lng=pt&nrm=isso. Acessos em 17
ago. 2010.
BIREME/OPAS/OMS
Unidade LILACS
lilacsdb@bireme.org