Você está na página 1de 232

COROLLA

Manual do Proprietário
COROLLA

Manual do Proprietário

Código: 01999-98401-RP
Destino: Brasil
Novembro/2002
A TOYOTA RECOMENDA O USO DE
Serviço de Atendimento LUBRIFICANTES GENUÍNOS
ao Cliente Toyota
CAIXA DE DIREÇÃO
MOTOR TRANSMISSÃO DIFERENCIAL FREIO
TRANSFERÊNCIA HIDRÁULICA

MANUAL
Toyota Manual
Transmission Gear
Oil 80W-90
Gasolina
Toyota Toyota Automatic
Toyota Motor Oil Esso Brake Fluid
10W30 Differential Gear Differential Gear Transmission
HD 400
Oil 80W-90 Oil 80W-90 Fluid D-III

AUTOMÁTICA
ATF T-IV

Tel.: 0800-7030206
www.toyota.com.br
Pontos a graxa: utilizar Ronex MP Líquido do sistema de arrefecimento:
Esso Coolant Fluid

USE CINTO DE SEGURANÇA


Este veículo está em conformidade com o PROCONVE
Prefácio

Bem-vindo ao crescente grupo de pessoas que dirigem os veículos Toyota. Estamos orgu-
lhosos quanto à engenharia avançada e à qualidade de cada veículo que construímos.
Este Manual do Proprietário explica o funcionamento de seu novo Toyota. Leia-o
atentamente e peça a todos os passageiros que sigam as instruções cuidadosa-
mente. Agindo assim, você irá desfrutar durante muitos anos da segurança e do
funcionamento perfeito do seu veículo. Leia atentamente as páginas a seguir para
maiores informações sobre este manual e sobre seu Toyota.
Quando levá-lo para manutenção, lembre-se que a sua concessionária Toyota conhece
perfeitamente o seu veículo e almeja a sua completa satisfação. Ela lhe fornecerá serviços
de qualidade, e qualquer assistência que você precisar.
Por favor, deixe este Manual do Proprietário junto ao veículo quando for revendê-lo.
O próximo proprietário precisará destas informações também.
Todas as informações e especificações deste manual estão atualizadas à época da im-
pressão. No entanto, devido às contínuas melhorias nos produtos Toyota, nos reservamos
ao direito de efetuar modificações a qualquer tempo, sem aviso prévio.
Observe que este manual se aplica a todos os modelos e fornece explicações sobre
todos os equipamentos, incluindo opcionais. Desta forma, você poderá encontrar
informações sobre equipamentos não disponíveis em seu veículo.

TOYOTA DO BRASIL LTDA.

 2002 TOYOTA MOTOR CORPORATION


Todos os direitos reservados. Este manual não pode ser reproduzido ou copiado, total ou
em partes, sem a permissão por escrito da Toyota do Brasil Ltda.

i
Acessórios, peças de reposição Instalação de sistemas
e modificações em seu Toyota de rádio comunicação
Uma grande quantidade de peças de reposição e acessórios A instalação de sistemas móveis de comunicação no seu veícu-
não originais para os veículos Toyota estão disponíveis no mer- lo pode afetar os sistemas eletrônicos tais como o de injeção do
cado. Utilizando estas peças de reposição e acessórios não ori- tipo multiport seqüencial, SRS airbag e pré-tensionador dos cin-
ginais, você poderá afetar a segurança do seu veículo, mesmo tos de segurança. Certifique-se com a sua concessionária Toyota
que estes componentes sejam aprovados pelas leis vigentes. A quanto às medidas preventivas ou informações especiais a se-
Toyota não se responsabiliza e nem garante peças de reposi- rem observadas na instalação.
ção e acessórios que não sejam originais Toyota, tão pouco a
substituição ou a instalação desses componentes.
O veículo não deve ser modificado com produtos não originais.
Modificações com produtos não originais Toyota podem afetar o
desempenho, segurança ou durabilidade, e ainda violar regula- No caso de sucateamento do seu Toyota
mentações governamentais. Ainda mais, danos ou problemas
de desempenho resultantes das modificações não serão cober- Os dispositivos SRS airbag e pré-tensionadores dos cintos de
tos pela garantia. segurança do seu Toyota possuem explosivos químicos. Caso o
veículo seja sucateado com os airbags e pré-tensionadores
intactos, poderá causar acidentes, tais como incêndio. Os dis-
positivos do SRS airbag e dos pré-tensionadores dos cintos de
segurança devem ser removidos por uma concessionária Toyota
antes de sucatear o veículo.

ii
Seção
Índice 1 OPERAÇÃO DOS INSTRUMENTOS E CONTROLES
Capítulo ................................................................................................................... Página
1-1 Visão Geral dos Instrumentos e Controles ........................................................ 1-1-1
1-2 Chaves e Portas ................................................................................................. 1-2-1
1-3 Bancos, Cintos de Segurança, Volante e Espelhos .......................................... 1-3-1
1-4 Luzes, Limpadores do Pára-brisa e Desembaçador ......................................... 1-4-1
1-5 Medidores, Instrumentos e Indicadores de Serviço .......................................... 1-5-1
1-6 Chave de Ignição, Transmissão e Freio de Estacionamento ............................ 1-6-1
1-7 Sistema de Áudio ............................................................................................... 1-7-1
1-8 Ar Condicionado ................................................................................................ 1-8-1
1-9 Outros Equipamentos ........................................................................................ 1-9-1
2 INFORMAÇÕES ANTES DE DIRIGIR O SEU TOYOTA .............................................. 2-1
3 PARTIDA E FUNCIONAMENTO .................................................................................. 3-1
4 EM CASO DE EMERGÊNCIA ...................................................................................... 4-1
5 PREVENÇÃO CONTRA CORROSÃO E CUIDADOS COM A APARÊNCIA ............. 5-1
6 REQUISITOS PARA MANUTENÇÃO .......................................................................... 6-1
7 MANUTENÇÕES QUE VOCÊ MESMO PODE FAZER
Capítulo
7-1 Introdução .......................................................................................................... 7-1-1
7-2 Motor e Chassi ................................................................................................... 7-2-1
7-3 Componentes Elétricos ...................................................................................... 7-3-1
8 ESPECIFICAÇÕES ...................................................................................................... 8-1
9 ÍNDICE ALFABÉTICO .................................................................................................. 9-1

iii
Informações importantes sobre este manual

Avisos sobre segurança e danos no veículo Símbolo de segurança


Neste manual, você encontrará avisos como ATENÇÃO e NOTA. Eles
são utilizados da seguinte forma:

ATENÇÃO

Este é um aviso sobre algo que poderá causar riscos às pes-


soas, caso seja ignorado. Você está sendo informado sobre o
que deve ou não fazer para reduzir os riscos para si mesmo e
para outras pessoas.

NOTA
Este é um aviso sobre algo que pode danificar o veículo ou
seus equipamentos caso seja ignorado. Você está sendo in- Neste manual, você também verá um círculo
formado sobre o que deve ou não fazer para reduzir os riscos cortado com uma barra. Significa “Não”, “Não
para o seu veículo e equipamentos. faça isto”, ou “Não deixe isto acontecer”.

iv
Código do modelo
Verifique o código do modelo para identificar qual é o seu veículo

Código básico Tipo de transmissão Especificação do motor


ZZE121:Modelos com motor 3ZZ-FE M: 5 - marchas, manual K: DOHC e EFI
ZZE122:Modelos com motor 1ZZ-FE P: 4 - marchas, automático

Z Z E 1 2 1 0 - 0 E M D K 0
Tipo da carroçaria Modelo
E: 4-portas, sedan D: XLi
N: XEi
E: SE-G

O código do modelo aparece na etiqueta de identificação, localizada no compartimento do motor (painel dash).
Veja “Identificação do seu Toyota” na Seção 2, quanto à localização da plaqueta do fabricante.

v
vi
Seção 1
OPERAÇÃO DOS
INSTRUMENTOS
E CONTROLES
Capítulo 1-1
Visão Geral dos Instrumentos
e Controles

• Visão geral dos instrumentos e controles


• Visão geral dos instrumentos do painel
• Símbolos do painel de instrumentos

1-1-1
Visão geral dos instrumentos e controles —
1. Difusores do pára-brisa
2. Difusores laterais
3. Painel de instrumentos
4. Difusores centrais
5. Luz de leitura
6. Interruptores dos vidros elétricos
7. Porta-luvas
8. Porta copos
9. Console
10. Cinzeiro traseiro
11. Alavanca do freio de estacionamento
12. Alavanca seletora da transmissão
automática ou alavanca de troca de
marchas
13. Porta Objetos
14. Alavanca para abertura do capô
15. Interruptor de travamento dos vidros
16. Interruptor de travamento elétrico das
portas

1-1-2
— modelos XLi e XEi
1. Interruptores dos faróis e sinalizadores
de direção
2. Interruptores dos limpadores do pára-
brisa e do lavador
3. Sistema de áudio
4. Relógio
5. Interruptor do pisca-alerta
6. Interruptor do desembaçador do vidro
traseiro
7. Controles do ar condicionado
8. Porta Objetos
9. Cinzeiro
10. Acendedor de cigarros
11. Botão A/C
12. Chave de ignição
13. Alavanca para travamento da regulagem
da altura do volante
14. Luz indicadora do sistema imobilizador
do motor
15. Interruptor da regulagem elétrica dos
espelhos retrovisores

1-1-3
— modelo SE-G
1. Interruptores dos faróis e sinalizadores
de direção, farol e lanterna de neblina
2. Interruptores dos limpadores do pára-
brisa e do lavador
3. Sistema de áudio
4. Relógio
5. Interruptor do pisca-alerta
6. Controles do ar condicionado
7. Porta Objetos
8. Cinzeiro
9. Acendedor de cigarros
10. Interruptor do desembaçador do vidro
traseiro
11. Chave de ignição
12. Alavanca para travamento da regulagem
da altura do volante
13. Interruptor do controle da velocidade de
cruzeiro (modelos com transmissão
automática)
14. Luz indicadora do sistema imobilizador
do motor / Sistema de segurança Toyota
15. Interruptor da regulagem elétrica dos
espelhos retrovisores

1-1-4
Visão geral dos instrumentos do painel —
— Tipo A

1. Tacômetro 4. Luzes indicadoras da transmissão 7. Botão do hodômetro / hodômetro parcial /


2. Indicadores de serviço ou luzes automática controle da iluminação do painel
indicadoras 5. Indicador da temperatura do fluido de 8. Hodômetro / hodômetro parcial / controle
3. Velocímetro arrefecimento da iluminação do painel
6. Indicador da quantidade de combustível

1-1-5
— Tipo B

1. Tacômetro 4. Luzes indicadoras da transmissão 7. Botão do hodômetro / hodômetro parcial /


2. Indicadores de serviço ou luzes automática controle da iluminação do painel
indicadoras 5. Indicador da temperatura do fluido de 8. Hodômetro / hodômetro parcial / controle
3. Velocímetro arrefecimento da iluminação do painel
6. Indicador da quantidade de combustível

1-1-6
Símbolos do painel de instrumentos

(a) Luz de advertência do sistema de freios* (h) Luz de advertência do SRS airbag*

(b) Luz de advertência da carga da bateria* (i) Luz indicadora dos faróis ligados

(c) Luz de advertência de baixa pressão do óleo* (j) Luzes indicadoras dos sinalizadores de direção

(d) Luz de advertência de mau funcionamento* (k) Luz indicadora de farol alto

(e) Luz de advertência do nível de combustível* (l) Luz indicadora da lanterna de neblina

Luz de advertência do sistema ABS* Luz indicadora de sobremarcha desligada


(f) (m)
(modelo SE-G) (transmissão automática)

(g) Luz de advertência das portas abertas* (n) Luzes indicadoras da transmissão automática

Os indicadores com * são advertência para providências ou reparos.


Para detalhes, veja “Indicadores de serviço” no Capítulo 1-5.

1-1-7
1-1-8
Chaves
O seu veículo é fornecido com dois tipos
Seção 1 de chaves
1. Chave principal (preta) – Esta chave ope-
OPERAÇÃO DOS ra em qualquer fechadura. Ela será neces-
INSTRUMENTOS sária para que sua concessionária Toyota
possa fazer uma nova contendo o chip
E CONTROLES transponder.
2. Chave secundária (cinza) – Esta chave não
opera o porta-malas.
Capítulo 1-2 Tanto a chave principal como a chave secun-
dária têm um transmissor eletrônico em suas
Chaves e Portas cabeças que é muito importante para o funci-
onamento do sistema imobilizador. Portanto,
tome cuidado para não perder estas chaves.
• Chaves Se você fizer, por conta própria, uma duplica-
• Sistema imobilizador do motor ta da chave, não conseguirá cancelar o siste-
ma ou ligar o motor com ela.
• Portas laterais
Para proteger objetos guardados no porta-ma-
• Vidros elétricos las, ao deixar o veículo em um estacionamento
• Tampa do porta-malas deixe a chave secundária com o manobrista.
Como as portas e o porta-malas podem ser
• Capô
travados sem a utilização da chave, você deve
• Sistema de segurança Toyota sempre levar uma chave principal consigo, no
• Tampa do reservatório do combustível caso de acidentalmente, esquecer suas cha-
ves dentro do veículo.
Para mais informações sobre o uso do con-
trole remoto, veja “Portas laterais”, neste ca-
pítulo.

1-2-1
NOTA ◆ Quando ligar o motor, não coloque a ◆ Não dobre a cabeça da chave.
Quando usar uma chave contendo um chave em contato com uma outra ◆ Não cubra a cabeça da chave com
chave que possua um chip nenhum material que bloqueie as
chip transponder, observe as seguintes
precauções: transponder (incluindo chaves de ondas eletromagnéticas.
outros veículos) e não pressione
◆ Quando ligar o motor, não use a cha- ◆ Não bata a chave em outros objetos.
qualquer placa metálica contra a ca-
ve com a argola do chaveiro sobre ou beça da chave. Se você fizer isto ◆ Não exponha a chave a altas tempe-
pressionando a cabeça da chave. Se pode ser que o motor não ligue ou raturas por um período longo. Não a
você fizer isto pode ser que o motor pare logo depois da partida. Se isto deixe, por exemplo, no painel ou no
não ligue ou pare logo depois da par- acontecer, remova e reintroduza a capô sob a luz direta do sol.
tida. chave, após remover da argola as ou- ◆ Não ponha a chave na água nem a ex-
tras chaves transponder (inclusive ponha a qualquer campo eletromag-
as chaves de outros veículos), ou nético.
segure as chaves com a mão duran- ◆ Não use a chave com materiais ele-
te a partida do motor, para que não tromagnéticos.
toque na chave do veículo.

1-2-2
Sistema imobilizador do motor

PLAQUETA COM O NÚMERO DA CHAVE O sistema imobilizador do motor é um sis- O sistema é automaticamente ajustado quan-
O número da sua chave está gravado na tema de prevenção anti-furto. Quando você do a chave é retirada da ignição. A luz indicadora
plaqueta. Mantenha a plaqueta em um lo- insere a chave na ignição, o chip começará a piscar informando que o sistema
cal seguro, como a sua carteira, não no transponder na cabeça da chave transmite está funcionando.
veículo. um código eletrônico para o veículo. O Se alguma das condições abaixo ocorrer, en-
motor só ligará quando o código eletrôni- tre em contato com sua concessionária Toyota.
Se você perder as suas chaves ou precisar de
co no chip corresponder ao código de iden-
chaves adicionais, a concessionária Toyota • A luz indicadora permanece acesa.
tificação registrado no veículo.
pode fazer duplicatas usando o número da • A luz indicadora não começa a piscar
chave. quando a chave é retirada da ignição.
Recomendamos que anote o número das cha- • A luz indicadora pisca irregularmente.
ves e o mantenha em lugar seguro.

1-2-3
Portas laterais —
Ao introduzir a chave registrada na ignição, o
sistema será automaticamente cancelado,
possibilitando assim a partida do motor. A luz
indicadora irá apagar.
Para que sua concessionária Toyota possa fa-
zer uma chave nova com chip transponder
embutido, ela precisará do número da chave
e da chave principal do veículo. No entanto,
há um limite no número de chaves adicionais
que a concessionária Toyota pode fazer.
Se você fizer, por conta própria, uma du-
plicata da chave, ela não conseguirá can-
celar o sistema ou ligar o motor.
TRAVANDO E DESTRAVANDO COM A TRAVANDO E DESTRAVANDO COM O
NOTA CHAVE BOTÃO INTERNO
Coloque a chave na fechadura e gire-a. Movimente o botão de travamento interno.
Não altere, remova ou desmonte o siste-
ma do imobilizador do motor. Após alte- Para travar: Gira a chave para frente. Para travar: Aperte o botão para frente.
rações ou modificações não autorizadas, Para destravar: Gire a chave para trás. Para destravar: Puxe o botão para trás.
o funcionamento apropriado do sistema Todas as portas laterais travam e destravam A porta do motorista poderá ser aberta pelo
não poderá ser garantido. simultaneamente com a porta do motorista. lado interno, mesmo se o botão de travamento
estiver acionado.
Caso você queira travar as portas ao sair do
veículo, aperte o botão antes de fechar a por-
ta. A maçaneta externa deve ser mantida pu-
xada enquanto você fecha a por ta.
Certifique-se de não travar as portas com as
chaves dentro do veículo.

1-2-4
TRAVANDO E DESTRAVANDO AS
PORTAS AUTOMATICAMENTE (modelos
com sistema de segurança Toyota)
Todas as portas são automaticamente trava-
das quando o veículo atinge uma velocidade
igual ou superior a 20 km/h.
Girando a chave de ignição de “ON” para “ACC”
ou “LOCK” todas as portas são destravadas
automaticamente.
Esse sistema pode ser cancelado.
Para maiores detalhes, veja “Funções dispo-
níveis no sistema de segurança Toyota” pági-
na 1-2-18, nesta seção.
TRAVANDO E DESTRAVANDO COM O PROTEÇÃO PARA CRIANÇAS NAS POR-
INTERRUPTOR DE TRAVAMENTO DA TAS TRASEIRAS
PORTA Posicione o botão de travamento na posição
Aperte o interruptor. “TRAVA”, conforme indicado na etiqueta.
Com vidros elétricos Este dispositivo permite você travar uma por-
Para travar: Aperte o interruptor para frente ta traseira, de forma que só possa ser aberta
Para destravar: Aperte o interruptor para trás. pelo lado externo, e não pelo lado interno. Re-
comendamos utilizar este dispositivo sempre
Todas as portas laterais travam ou destravam
que crianças estejam no veículo.
simultaneamente.

1-2-5
— Controle-remoto
Seu veículo está equipado com um siste-
ATENÇÃO ma de controle-remoto que trava e destra-
va todas as portas a partir de uma distância
Antes de dirigir o veículo, certifique-se de aproximadamente 1 metro do veículo.
de que as portas estão fechadas e tra-
vadas, especialmente quando existirem
TRAVAMENTO E DESTRAVAMENTO DAS
crianças no veículo. Junto com a utili-
PORTAS
zação adequada dos cintos de seguran-
ça, o travamento das portas contribui Para travar e destravar todas as portas,
para que os passageiros e o motorista pressione o interruptor vagarosa e firme-
não sejam arremessados para fora do mente. Neste momento, a luz indicadora do
veículo no caso de um acidente. Também controle remoto irá piscar uma vez.
ajuda prevenir que as portas sejam aber- O travamento das portas com o controle
tas inadvertidamente. remoto aciona o sistema de segurança
Operação de travamento Toyota, e o destravamento cancela o siste-
ma. Para informações adicionais, veja “Sis-
tema de segurança Toyota”, página 1-2-15
nesta seção.
Para travar: Pressione o interruptor “LOCK”.
Todas as portas serão travadas simultanea-
mente. Neste momento, as luzes dos
sinalizadores de direção irão piscar uma vez
e será ouvido um “bip”.
Certifique-se de que todas as portas estejam
corretamente travadas.
Se uma das portas não estiver totalmente fe-
chada ou, se a chave de ignição estiver no
contato, o travamento não será possível com
o interruptor “LOCK”.
Operação de destravamento

1-2-6
ATIVAÇÃO E DESATIVAÇÃO DO BIP
NOTA
O “bip” poderá ser desativado para travar ou
Certifique-se de retirar as chaves de destravar as portas.
dentro do veículo antes de travá-lo. Para desativar: Pressione juntos os interrup-
tores “LOCK” e “PANIC” uma vez. Para ati-
Para destravar : Pressione o interruptor
var: Pressione juntos os interr uptores
“UNLOCK”. Todas as portas serão destrava-
“UNLOCK” e “PANIC” duas vezes no período
das simultaneamente. Neste momento, as lu-
de 3 segundos.
zes dos sinalizadores de direção irão piscar
duas vezes e serão ouvidos dois “bips”.
FUNÇÃO DE PROCURA
Quando todas as portas forem destravadas
simultaneamente com o controle remoto, a luz O veículo poderá ser encontrado facilmente
interior irá acender durante 30 segundos e a na escuridão à noite ou no estacionamento,
seguir apagar, mesmo que a porta não seja através de indicação sonora e visual.
INTERRUPTOR “PANIC”
aberta. Para informações adicionais, veja “Luz Com as portas travadas, pressione uma vez o
interior”, na página 1-4-4, Seção 1-4). interruptor “LOCK” do controle remoto. Isto fará Pressionar o interruptor “PANIC” durante
piscar as luzes indicadoras durante 15 segun- 1,5 segundos ou mais fará soar o alarme
Você terá 30 segundos para abrir uma porta
dos e um “bip” longo será ouvido. Entretanto intermitentemente e piscar as luzes dos
após acionar o controle remoto. Se a porta não
se o “bip” estiver desabilitado, o alarme não sinalizadores de direção.
for aberta neste período, todas as portas se-
rão automaticamente travadas outra vez. Se o será ouvido. O interruptor “PANIC” é usado para impedir que
interruptor “LOCK” ou “UNLOCK” for mantido o veículo seja roubado quando você notar al-
pressionado, as operações de travamento e guém tentando arrombar ou danificar o veículo.
de destravamento não serão repetidas. Solte O alarme irá soar durante 30 segundos. Para
o interruptor e pressione-o novamente. interromper a ativação do alarme, pressione
uma vez o interruptor “UNLOCK” ou pressio-
ne novamente o interruptor “PANIC”.

1-2-7
TRANSMISSOR DE CONTROLE-REMOTO • A bateria pode estar descarregada. Inspeci-
O transmissor de controle-remoto é um com- one a bateria existente no transmissor e efe- ◆ Substitua a bateria somente usan-
tue a substituição, seguindo as instruções do o mesmo tipo recomendado ou
ponente eletrônico. Observe as instruções a
seguir, a fim de evitar danos ao transmissor. fornecidas em “Substituição da Bateria”. similar.
• Não deixe o transmissor em locais onde haja Se você perder o controle remoto, contate a
a possibilidade de aumento de temperatura, concessionária Toyota assim que possível para Para o descar te das baterias, veja
como por exemplo o painel dianteiro. evitar a possibilidade de roubo ou acidente. “Reciclagem obrigatória da bateria”, pági-
• Não desmonte-o. (Veja, “Se você perder o controle remoto”, pá- na 7-3-3, Seção 7-3.
• Evite batê-lo em outros objetos ou deixá- gina 4-15, Seção 4). Substitua as baterias do controle remoto con-
lo cair. forme os procedimentos a seguir:
• Evite deixá-lo cair na água. SUBSTITUIÇÃO DAS BATERIAS DO CON-
Você pode utilizar até 4 controles-remoto TROLE REMOTO
para o mesmo veículo. Consulte sua conces- Para substituir, use duas baterias CR2016 de
sionária Toyota quanto a informações mais lítio ou equivalente.
detalhadas.
Caso transmissor de controle-remoto não es-
ATENÇÃO
teja acionando as portas, ou caso não este-
ja funcionando a partir de uma distância
Esteja sempre atento para evitar que cri-
normal, ou caso a luz indicadora existente
anças pequenas não ponham na boca,
no transmissor esteja pouco visível ou ainda
baterias ou componentes removidos.
se a mesma não acender:
• Verifique quanto à proximidade de algum
transmissor de rádio, como por exemplo NOTA
estações de rádio ou um aeroporto, que
poderão interferir no funcionamento nor- ◆ Ao substituir as baterias do contro-
mal do transmissor. le remoto, esteja atento para não
perder os componentes.

1-2-8
1. Usando chave de fenda, abra a carcaça 2. Remova as baterias descarregadas. 3. Instale as baterias novas, mantendo vol-
do controle remoto. tado para cima o lado positivo (+).
Feche seguramente a carcaça do controle re-
NOTA
moto.
Não dobre os terminais.
NOTA
◆ Verifique se os lados positivo e ne-
gativo da bateria estão voltados para
os lados corretos.
◆ Não substitua as baterias com as
mãos úmidas. A umidade poderá
causar ferrugem.
◆ Não toque ou desloque os compo-
nentes internos do controle remoto,
uma vez que isto poderá interferir no
funcionamento correto.

1-2-9
Vidros elétricos

◆ Não dobre o eletrodo da bateria do


controle remoto, nem permita o con-
tato de sujeira ou graxa na carcaça
do controle remoto.
◆ Feche seguramente a carcaça do
controle remoto.

Após substituir as baterias, verifique se o con-


trole remoto funciona corretamente, caso con-
trário, procure uma concessionária Toyota.

Os vidros elétricos podem ser operados Operação automática: Aperte o interruptor to-
com os interruptores localizados nas late- talmente para baixo ou puxe-o totalmente para
rais das portas. cima e solte-o. O vidro se abrirá ou fechará
A chave da ignição deve estar na posição “ON”. completamente. Para pará-lo durante seu cur-
so, acione levemente o interruptor para o lado
OPERANDO O VIDRO DO MOTORISTA
oposto e solte-o.
Utilize o interruptor localizado na porta do
Função de proteção anti-esmagamento: Du-
motorista.
rante a operação automática de fechamento, o
Operação normal: O vidro se movimenta en- vidro para e abre-se parcialmente caso algo es-
quanto você aciona o interruptor. teja preso entre o vidro e a estrutura da porta.
Para abrir: Aperte levemente o interruptor. Caso ocorra um impacto no vidro, esta função
Para fechar: Puxe levemente o interruptor. deve operar sem nenhuma obstrução.

1-2-10
ATENÇÃO
Botão de travamento
• Nunca tente travar o vidro com algu- dos vidros dos
ma parte do seu corpo para forçar o passageiros
funcionamento intencional do sistema
de proteção anti-esmagamento.
• A função de proteção anti-esmagamen-
to não deve operar quando algo esti-
ver preso após o fechamento total do
vidro.

OPERANDO OS VIDROS DOS


PASSAGEIROS
Utilize o interruptor localizado em cada por-
ta dos passageiros ou os interruptores na
porta do motorista que controlam os vidros
dos passageiros.
Os vidros se movimentam enquanto você acio-
na os interruptores.
Para abrir: Aperte o interruptor.
Para fechar: Puxe o interruptor.
Caso você aperte o botão de travamento dos
vidros dos passageiros na porta do motorista,
os vidros dos passageiros não poderão ser
acionados.

1-2-11
Tampa do porta-malas —

ATENÇÃO ATENÇÃO

Para evitar danos físicos, observe o se- Mantenha a tampa do porta-malas fecha-
guinte: da enquanto dirige. Isto previne que a
• Sempre certifique-se que a cabeça, bagagem caia do veículo, como também
mãos e outras partes do corpo dos evita a entrada de gases do escapa-
ocupantes estão totalmente dentro do mento.
veículo antes de fechar os vidros. Caso
o pescoço, cabeça ou mãos fiquem
presos durante o fechamento dos vi-
dros, poderão ocorrer ferimentos séri-
os. Quando alguém fechar os vidros,
certifique-se de que a pessoa esteja
operando adequadamente. Para abrir a tampa do porta-malas pelo lado
de fora, coloque a chave principal na fecha-
• Quando crianças estiverem no veícu-
dura e gire-a no sentido horário.
lo, nunca deixe-os operar os interrup-
tores dos vidros elétricos sem o seu Veja “Precauções ao acomodar as bagagens”
acompanhamento. Utilize o botão de na Seção 2 quanto às precauções a serem
travamento dos vidros dos passagei- observadas ao acomodar a bagagem.
ros para evitar que utilizem inadequa- Para fechar a tampa do porta-malas, abaixe-a
damente os interruptores. e pressione-a para baixo. Após fechá-la, tente
• Nunca deixe crianças pequenas sozi- levantá-la para certificar-se de que esteja fe-
nhas no veículo, especialmente com a chada seguramente.
chave na ignição. Eles poderão acionar
os interruptores e prenderem-se nos vi-
dros. Crianças sozinhas no veículo po-
dem se envolver em sérios acidentes.

1-2-12
— Cancelamento do sistema
— Alavanca de abertura de abertura Capô

Para abrir a tampa do porta-malas de den- Após fechar a tampa do porta-malas, colo- Para abrir o capô:
tro do veículo, puxe a alavanca de abertura que a chave principal na fechadura e gire-a 1. Puxe a alavanca de abertura do capô. O
sob o banco do motorista. no sentido anti-horário, para desativar o capô se levantará levemente.
sistema de abertura pela alavanca.
Após fechar a tampa do porta-malas, tente ATENÇÃO
levantá-la, para certificar-se de que está fe-
chada seguramente. Antes de dirigir o veículo, certifique-se
que o capô está fechado seguramente.
Caso contrário, ele poderá se abrir ines-
peradamente e ocasionar um acidente.

1-2-13
NOTA
Encaixe a haste na presilha antes de fe-
char o capô do motor. O fechamento com
a haste levantada poderá causar
empenamento do capô do motor.

2. Em frente ao veículo, levante a alavan- 3. Mantenha o capô aberto, inserindo da


ca auxiliar e abra o capô. haste no alojamento.
Antes de fechar o capô, verifique se você não
esqueceu nenhuma ferramenta, pano, etc. e
posicione a haste no suporte. Isto evita ruí-
dos. A seguir, abaixe o capô e certifique-se de
que está devidamente travado. Caso neces-
sário, aperte-o suavemente pela borda dian-
teira para travá-lo.

ATENÇÃO

Após colocar a haste no alojamento, cer-


tifique-se que a haste apoia o capô se-
guramente, evitando que caia em sua
cabeça ou corpo.

1-2-14
Sistema de segurança Toyota
O controle remoto é usado para habilitar e can-
celar o sistema e para interromper a ativação
do alarme. As instruções sobre o controle re-
moto estão descritas na página 1-2-6 desta se-
ção.
Quando o sistema de segurança Toyota esti-
ver habilitado, destravar e abrir uma porta ou
o porta-malas sem o controle remoto fará soar
o alarme.

O Sistema de segurança Toyota foi projeta- HABILITANDO O SISTEMA


do para impedir o roubo do veículo. Este Para habilitar o sistema de segurança Toyota,
sistema dispara um alarme ao detectar as pressione uma vez o interruptor “LOCK” do
condições abaixo: controle remoto. Neste momento, as luzes dos
• Qualquer porta, porta-malas ou capô do sinalizadores de direção irão piscar uma vez
motor aberto. e um “bip” será ouvido. Todas as portas serão
• Chave de ignição posicionada em “ON”. travadas.
• Desconexão ou reconexão da bateria ou
do conjunto de controle do sistema de se-
gurança Toyota.
• Vibração ou impacto anormal.
O sistema fará piscar as luzes dos
sinalizadores de direção e soar o alarme se
houver tentativa de danos ou arrombamento
do veículo.

1-2-15
Função de habilitação automática • O sistema foi ativado – As luzes indicadoras
Esta função pode ser selecionada e sua de direção piscam três vezes e três “bips”
condição inicial é desligada. Para usar esta soam. Posicione a chave de ignição em
função você precisa alterar o modo de função. “ON”, a luz indicadora irá apagar.
Veja, “Funções disponíveis no sistema de se- O sistema é ativado quando uma das con-
gurança Toyota”, página 1-2-18, nesta seção. dições abaixo ocorrer.
Se não houver qualquer ação do controle re- • Qualquer porta, porta-malas ou capô do
moto no período de 30 segundos após a re- motor aberto.
moção da chave, e fechamento das portas, • Chave de ignição posicionada em “ON”.
capô do motor e porta-malas, o sistema será • Desconexão ou reconexão da bateria ou
habilitado automaticamente sem o travamento do conjunto de controle do sistema de se-
de portas. gurança Toyota.
Após a habilitação do sistema, o alarme irá soar • Vibração ou impacto anormal.
O sistema é habilitado após 3 segundos. quando qualquer porta for aberta. O ajuste au- Verifique se há alguma anormalidade no veí-
O sistema não será habilitado nas condições tomático permite que você defina o período de culo.
abaixo: retardo de disparo do alarme após uma porta Se você desabilitar o “bip”, as luzes dos
ser aberta. Veja, “Funções disponíveis no sis-
• Quando uma porta estiver aberta sinalizadores de direção indicarão a condição,
tema de segurança Toyota”, página 1-2-18, nes- mas o alarme não irá soar. (Veja, “HABILITAN-
O “bip” soa durante 1 segundo. Feche a ta seção.
porta e habilite o sistema novamente. DO E CANCELANDO O ALARME SONORO”.)
• Quando o porta-malas ou o capô do mo- Quando o sistema estiver cancelado, a luz in-
tor estiver aberto. CANCELAMENTO DO SISTEMA terior irá acender durante aproximadamente
A luz indicadora do sistema permanece Pressione o interruptor “UNLOCK” do contro- 30 segundos e a seguir apagar, mesmo que a
acesa. Feche o porta-malas ou o capô do le remoto. Todas as portas são destravadas e porta não seja aberta. (Para informações adi-
motor totalmente. o sistema é cancelado. cionais, veja “Luz interior”, página 1-4-4 , Se-
Nesta condição o sistema do alarme não O sistema indicará a condição do veículo, con- ção 1-4).
será habilitado, entretando as portas se- forme segue: Esta função pode ser alterada. Para detalhes,
rão travadas. • O sistema não foi ativado – As luzes dos veja – “Funções disponíveis no sistema de se-
sinalizadores de direção piscam duas ve- gurança Toyota”, página 1-2-18, nesta seção.
zes e dois “bips” soam.
1-2-16
A chave poderá ser usada para cancelar o sis- • Chave de ignição posicionada em “ON”. O alarme irá soar e as luzes dos sinalizadores
tema, se as baterias do controle remoto esti- • Desconexão e reconexão da bateria ou do de direção irão piscar durante 30 segundos e
verem descarregadas . Para cancelar o conjunto de controle do sistema de segu- a seguir parar durante 15 segundos. Este ci-
sistema e interromper o alarme, gire a chave rança Toyota. clo continuará três vezes. Este ciclo poderá
de ignição nas posições “ON” e “OFF”dez ve- • Impacto ou vibração anormal no veículo. ser alterado. Para detalhes, veja “Funções dis-
zes no período de 15 segundos após destra- poníveis no sistema de segurança Toyota”, pá-
var as portas. Função de sensoreamento duplo gina 1-2-18, nesta seção.
Se alguma porta lateral não for aberta no pe- Esta função é ativada por duplo
Zerando o sistema
ríodo de 30 segundos, todas as portas serão sensoreamento, conforme segue:
travadas automaticamente e o sistema será Se o sistema não estiver em qualquer das con-
• Quando o sistema estiver acionado, um
habilitado. “bip” irá soar como advertência se o veícu- dições acima, o alarme irá parar automatica-
mente e será habilitado novamente após 5
lo detectar impacto leve.
HABILITANDO E CANCELANDO O ALAR- segundos.
Se o veículo detectar impacto leve três ve-
ME SONORO zes no período de 15 segundos, o alarme Interrompendo o alarme
O “bip” pode ser desativado quando o sistema irá soar e as luzes dos sinalizadores de di-
Pressionando o interruptor “LOCK”: Interrom-
for habilitado ou cancelado. reção irão piscar durante 30 segundos.
pe o alarme mas o sistema continua habilitado.
Para desativar: Pressione os interruptores • Quando o sistema estiver acionado, o alar-
“UNLOCK” e “PANIC” juntos uma vez. Pressionando o interruptor “UNLOCK”: Inter-
me irá soar e as luzes dos sinalizadores
rompe o alarme e o sistema é cancelado.
Para ativar: Pressione os interruptores de direção irão piscar durante 30 segun-
“UNLOCK” e “PANIC” juntos duas vezes no dos, se o veículo detectar impacto severo.
período de 3 segundos. A sensitividade do sistema poderá ser ajus- TESTANDO O SISTEMA DE SEGURANÇA
tada. Consulte a concessionária Toyota. TOYOTA
ATIVAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA 1. Habilite o sistema.
Reativando o alarme
TOYOTA 2. Com a chave, destrave a porta do motorista.
Ao detectar uma das anormalidades abaixo, o sis- Após o desligamento, o sistema fará soar o
alarme se houver as condições abaixo conti- 3. Abra a porta, o alarme irá soar.
tema fará piscar as luzes dos sinalizadores de dire-
nuamente: 4. Pressionando o interruptor “LOCK” ou
ção e soar o alarme durante 30 segundos.
• Qualquer porta, capô do motor ou porta- “UNLOCK”, interrompa o alarme.
• Qualquer porta, porta-malas ou capô do
motor aberto. malas aberto. 5. Repita esta operação para as demais por-
• Chave de ignição posicionada em “ON”. tas, porta-malas e capô do motor.
1-2-17
— Funções disponíveis no sistema de segurança Toyota
Se o sistema não funcionar corretamente, pro- Para ativar ou desativar uma função descrita abaixo, entre em contato com uma concessionária
videncie a inspeção na concessionária Toyota. Toyota.

Função Condição inicial

Travamento e destravamento automático de portas Ligado


Habilitação automática Desligado

Sistema de iluminação de acesso Ligado

Ativação do alarme durante 3 ciclos Ligado

Ativação do alarme durante 6 ciclos Desligado

Ativação do alarme durante 9 ciclos Desligado


Período de retardo de acesso 15 segundos (com habilitação automática) Desligado

Período de retardo de acesso 30 segundos (com habilitação automática) Desligado

Fechamento automático dos vidros elétricos Desligado

Alarme indicador de falha (porta-malas ou capô aberto) Desligado

1-2-18
Tampa do reservatório do
combustível
O símbolo indica a porta do bocal de abas-
tecimento de combustível no lado esquer-
do do seu veículo.

Tipo A 1. Para abrir a porta do bocal de alimenta-


ção, puxe a alavanca.
Quando estiver abastecendo, desligue
o veículo.

ATENÇÃO

• Não fume, ou provoque faíscas ao


abastecer seu veículo. Os vapores são
inflamáveis.
• Ao abrir a tampa, não remova-a rapi-
damente. Em climas quentes, o com-
bustível sob pressão poderá causar
danos, sendo pulverizado para fora do
bocal de alimentação caso a tampa seja
Tipo B removida rapidamente.

1-2-19
Se a tampa não estiver apertada firmemente,
a luz indicadora de falha acenderá. Verifique
se a tampa está devidamente travada.

ATENÇÃO

• Certifique-se que a tampa esteja aper-


tada seguramente para evitar vazamen-
tos em caso de acidentes.
• Utilize apenas uma tampa original
Toyota em caso de reposição. Ela pos-
sui uma válvula interna para reduzir o
vácuo do tanque de combustível.
2. Para remover a tampa de abastecimen-
to, gire-a suavemente no sentido anti-
horário, e faça uma pausa antes de
removê-la. Após remover a tampa,
apoie-a no suporte.
Não é incomum ouvir-se um leve ruído quan-
do a tampa é aberta. Ao fechá-la, gire-a no
sentido horário até ouvir um “click”.

1-2-20
Bancos dianteiros —
Bancos — Precauções para o ajuste
Enquanto o veículo estiver em movimento, to- Ajuste o banco do motorista de forma que os
Seção 1 dos os ocupantes devem manter os encostos pedais, volante e controles do painel de ins-
dos bancos elevados, sentar-se corretamen- trumentos estejam facilmente ao seu alcance.
OPERAÇÃO DOS te, utilizando adequadamente os cintos de
segurança. ATENÇÃO
INSTRUMENTOS E
ATENÇÃO • Os ajustes não devem ser feitos enquan-
CONTROLES to o veículo estiver em movimento, pois
Capítulo 1-3 • Não dirija o veículo enquanto todos os o banco poderá mover-se ines-
ocupantes não estiverem sentados ade- peradamente e fazer com que o motoris-
Bancos, Cintos de Segurança, quadamente. Não permita que se sentem ta perca o controle do veículo.

Volante e Espelhos no compartimento de bagagem. Pesso- • Ao ajustar o banco, certifique-se de não ba-
as sentadas inadequadamente e que ter em um passageiro ou bagagem.
• Bancos não estejam utilizando os cintos de • Após ajustar a posição do banco, tente
• Bancos dianteiros segurança poderão sofrer graves feri- deslocá-lo para frente e para trás, para
mentos no caso de uma frenagem de certificar-se que está travado na posição.
• Banco traseiro emergência ou uma colisão. • Após ajustar o encosto, exerça pressão
• Apoios de cabeça • Durante a condução, não permita que com o corpo para certificar-se que está
os passageiros fiquem de pé ou tro- travado na posição.
• Descanso de braço
quem de assentos. Ferimentos graves • Não coloque objetos sob os bancos pois
• Cintos de segurança poderão ocorrer, no caso de uma frena- poderão interferir com o mecanismo de
gem de emergência ou uma colisão. trava dos mesmos, ou acionar inespera-
• SRS airbags
damente a alavanca de ajustes; o banco
• Segurança para crianças poderá se movimentar repentinamente,
causando a perda de controle do veículo.
• Volante com altura regulável
• Quando ajustar o banco, não coloque
• Espelhos retrovisores externos suas mãos ou dedos sob o assento ou
• Espelho retrovisor interno próximas às partes móveis. Você poderá
ferí-las.
anti-ofuscante
• Espelho do pára-sol
1-3-1
— Ajustando os bancos dianteiros
1. ALAVANCA DE AJUSTE DO BANCO
ATENÇÃO
Puxe a alavanca para cima. Deslize o ban-
co para a posição desejada com uma pres- Para reduzir o risco de escorregamento
são leve do corpo e solte a alavanca. sob os cintos de segurança, no caso de
2. BOTÃO DE AJUSTE DA ALTURA DO uma colisão, evite reclinar os encostos
ASSENTO (somente no lado do moto- dos bancos mais do que o necessário.
rista) Os cintos de segurança proporcionam
Movimente o botão para qualquer lado. máxima proteção no caso de colisões
frontais ou traseiras quando o motoris-
3. ALAVANCA DE AJUSTE DO ÂNGULO
ta e o passageiro estão sentados com
DO ENCOSTO
as costas em posição vertical e bem
Desencoste do banco e puxe a alavanca apoiados nos encostos. Caso estejam
para cima. Coloque o encosto na posição reclinados, o cinto poderá escorregar
desejada e solte a alavanca. por sua cintura e aplicar forças direta-
mente no abdome. Desta forma, no caso
de uma colisão frontal, o risco de danos
físicos aumentam à medida que os en-
costos estão mais reclinados.

1-3-2
Banco traseiro —
— Rebatendo o banco traseiro

ATENÇÃO

Ao retornar o encosto do banco à posi-


ção vertical, observe as precauções
abaixo para evitar ferimentos em caso
de colisão ou frenagem brusca.
• Verifique se o encosto está devidamen-
te travado: empurre a extremidade su-
perior do encosto para frente e para
trás e verifique se a identificação ver-
melha do botão no alto do encosto não
está visível. A negligência quanto a
esta observação impedirá que o cinto
(A) REBATENDO O BANCO TRASEIRO Se não for possível puxar o cinto de seguran- funcione corretamente.
Destrave o encosto do banco, puxando o bo- ça central após retornar o encosto à posição • Verifique se os cintos de segurança
tão no alto do encosto e abaixe o encosto. vertical, puxe firmemente o cinto para frente e não estão torcidos ou presos no en-
sole-o. Isto permitirá puxar o cinto para fora costo do banco e se estão devidamen-
Isto aumentará espaço do porta-malas até o
do retrator lentamente. te dispostos na posição correta e
encosto dos bancos dianteiros. Veja “Precau-
ções ao acomodar as bagagens”, página 2-9, prontos para serem usados.
Seção 2. NOTA
Se desejado cada encosto poderá ser rebati- Verifique se a bagagem disposta no por-
do separadamente. ta-malas aumentado não irá danificar o
cinto de segurança central quando o en-
costo no lado esquerdo estiver rebatido.

1-3-3
ATENÇÃO

• Esteja atento quanto à correspondên-


cia da lingueta e do alojamento. Não
introduza a lingueta 1 em outro aloja-
mento. (Veja “Cintos de segurança”,
página 1-3-6 desta seção quanto à cor-
respondência correta entre os aloja-
mentos e as linguetas).
• Após introduzir a lingueta, verifique
se a lingueta e o alojamento estão tra-
vados.
• Não use moedas, clips, etc no aloja-
(B) EVITANDO DANOS AO CINTO DE SEGU- Antes de retomar a posição vertical do en- mento, uma que vez irão prejudicar o
RANÇA CENTRAL DO BANCO TRASEIRO costo do banco, conecte corretamente o encaixe correto entre a lingueta e o
Se notar que a bagagem disposta no por- cinto central do banco traseiro deixando-o alojamento.
ta-malas aumentado irá danificar o cinto de pronto para ser usado.
• Verifique se o cinto não está torcido
segurança central do banco traseiro, solte Introduza a lingueta 1 no alojamento (cinza ou preso no encosto do banco e se
o cinto. claro). Você ouvirá um “click” quando a lingueta está disposto em posição correta
Introduza a chave no furo do alojamento e travar no alojamento. pronto para ser usado.
solte a lingueta 1, deixando o cinto retrair. • Se o cinto de segurança não funcionar
normalmente, procure a concessioná-
ATENÇÃO ria Toyota imediatamente.

Desconecte o cinto de segurança cen-


tral traseiro somente no caso descrito
acima.

1-3-4
Apoios de cabeça Descanso de braço
Para sua segurança e conforto, ajuste o
apoio de cabeça antes de dirigir.
Para levantá-lo: Puxe-o para cima.
Para abaixá-lo: Empurre-o para baixo enquan-
to pressiona o botão de liberação da trava.
Apoio de cabeça traseiro central – Quando um
ocupante estiver sentado no banco traseiro
central mantenha elevado e travado o apoio
de cabeça central.
O apoio de cabeça é mais eficiente quando
está próximo da sua cabeça. Desta forma, o
uso de almofadas no encosto do banco não é
recomendado.
Dianteiros Para usar o descanso de braço, puxe-o con-
forme indicado acima.
ATENÇÃO

• Ajuste a extremidade superior do en-


costo de cabeça de forma que fique o
mais próxima possível da região su-
perior das suas orelhas.
• Após ajustar o apoio de cabeça, certi-
fique-se de que esteja travado na po-
sição.
• Não dirija sem o apoio de cabeça.

Traseiros

1-3-5
Cintos de segurança —
— Precauções com os cintos
de segurança
A Toyota insiste para que o motorista e os pas- Não permita que a criança fique de pé ou de
sageiros estejam adequadamente e segura- joelhos nos bancos dianteiro ou traseiro. Uma grande se o veículo for submetido a
mente protegidos todo o tempo com os cintos criança solta poderá sofrer sérios ferimentos frenagem brusca ou colisão.
de segurança. Negligência na utilização dos durante uma frenagem de emergência ou uma
Ao utilizar os cintos de segurança, ob-
mesmos aumenta a probabilidade de colisão. Também não permita que se sente no
serve o seguinte:
ferimentos e/ou a severidade dos mesmos em seu colo. Isto não proporciona segurança su-
acidentes. ficiente. • Utilize o cinto de segurança em somen-
te uma pessoa de cada vez. Não use
Crianças: Utilize um sistema de segurança Se a cinta transversal deslocar-se pelo pes-
um cinto de segurança para duas ou
adequado para crianças até que se torne de- coço da criança ou seu rosto, coloque a crian-
mais pessoas – mesmo crianças.
senvolvida o suficiente para usar os cintos de ça sentada levemente deslocada para perto
segurança do veículo. Veja “Segurança para do lado central do assento, de forma que o • Lembre-se de que transportar crianças no
crianças”, para detalhes. cinto desça pelo ombro. banco dianteiro é proibido por lei.
Caso uma criança já seja crescida para utili- Mulheres grávidas: Utilize sempre o cinto de Somente quando for inevitável, use o sis-
zar o sistema, ela deverá sentar-se no banco segurança. Pergunte ao seu médico sobre re- tema de segurança para crianças no ban-
traseiro e utilizar o cinto de segurança do veí- comendações específicas. O cinto deve ser uti- co dianteiro (em um veículo transportando
culo: lizado corretamente e o mais baixo possível, 4 crianças a maior poderá ocupar o banco
Coloque a criança no banco traseiro e utilize sobre a cintura e não sobre a barriga. dianteiro). Sempre mova o assento o má-
o cinto de segurança. De acordo com ximo possível para trás, porque a força com
Pessoas com ferimentos: Utilize sempre o
estatísticas sobre acidentes, a criança está que o airbag infla pode matar ou causar
cinto de segurança. Dependendo do ferimento,
mais segura sentada no banco traseiro e ferimentos sérios à criança.
verifique com o seu médico sobre recomen-
utilizando o cinto de segurança, do que no dações específicas. Para instruções relativas à instalação do
banco dianteiro. sitema de segurança para crianças, veja
ATENÇÃO “Segurança para crianças” neste capítulo.
• Evite reclinar os encostos excessiva-
• Os ocupantes deverão sentar-se ade- mente. Os cintos de segurança propor-
quadamente e utilizar os cintos de se- cionam máxima proteção quando os
gurança sempre que o veículo estiver encostos estão na posição mais verti-
em movimento, caso contrário a pro- cal possível. (Veja as instruções para
babilidade de ferimentos ou morte será ajustes dos bancos).

1-3-6
— Cinto de 3 pontos
Caso o cinto de segurança não possa ser pu-
• Certifique-se de não danificar os cin-
xado para fora do retrator, puxe firmemente o
tos de segurança. Verifique se não es-
cinto e solte-o. Você poderá então suavemen-
tão presos nos bancos ou nas portas.
te puxar o cinto para fora do retrator.
• Inspecione o sistema dos cintos de se-
Quando o cinto traseiro for totalmente distendido
gurança periodicamente. Verifique
e retraído, mesmo levemente, ele será travado
quanto a cortes, desfiamentos e peças
na posição e não poderá distender. Este dispo-
soltas. Partes danificadas devem ser
sitivo é usado para fixação firme da cadeira de
substituídas. Não desmonte ou modi-
proteção para crianças (Para detalhes, veja “Se-
fique o sistema.
gurança para crianças”, neste capítulo. Para sol-
• Mantenha-os limpos e secos. Caso ne- tar novamente o cinto, retraia totalmente e a
cessitem de limpeza, utilize uma solu- seguir puxe-o.
ção de sabão neutro ou água morna.
Nunca use alvejantes, tinturas, ou
limpadores abrasivos – eles poderão en- Ajuste os bancos conforme necessário (so- ATENÇÃO
fraquecer os cintos (Veja “Limpando o mente os bancos dianteiros) e sente-se cor-
interior” na Seção 5). retamente, apoiando-se bem no encosto. Para • Após inserir a lingueta, certifique-se
ajustar o seu cinto, puxe-o para fora do retrator que esteja travada no alojamento e que
• Substitua o conjunto do cinto (incluin- o cinto não esteja torcido.
e insira a lingueta no alojamento.
do os parafusos) caso tenham sofrido
um impacto severo. O conjunto com- Você ouvirá um “click” quando a lingueta tra- • Não insira moedas, clips, etc. no aloja-
pleto deverá ser substituído, mesmo var no alojamento. mento pois isso poderá impedir que a
que os danos não estejam aparentes. lingueta trave.
O comprimento se ajustará automaticamente
ao seu tamanho, e posição do banco. • Caso o cinto de segurança não opere
normalmente, contacte imediatamente
O retrator travará o cinto durante uma parada
a sua concessionária Toyota. Não utili-
repentina ou um impacto. Ele também travará
ze o banco até que o cinto esteja repa-
se você se movimentar rapidamente para fren-
rado. Ele não poderá proteger um
te. Um movimento lento, suave permitirá ao
adulto ou criança contra ferimentos.
cinto distender e você poderá movimentar-se
livremente.

1-3-7
ATENÇÃO
Eliminar
Certifique-se sempre que o cinto trans- afrouxamento
versal esteja posicionado no centro do
ombro. Mantenha o cinto longe do seu
Muito alto
pescoço, mas não caindo pelo seu om-
bro. Esse cuidado pode reduzir falhas
de proteção no caso de um acidente, evi-
tando ferimentos graves em caso de
colisão.
Manter o mais baixo possível
sobre o osso da bacia

Cintos de segurança com altura regulável Ajuste as posições abdominal e do ombro,


Ajuste a altura de ancoragem do cinto à sua do cinto de segurança
estatura. Posicione o cinto abdominal o mais baixo pos-
Para levantar: Deslize a ancoragem para cima. sível sobre o osso da bacia – não sobre a cin-
Para abaixar: Aperte o botão da trava e desli- tura, depois ajuste-o corretamente, puxando
ze a ancoragem para baixo. para cima o parte do ombro através do aloja-
mento.
Após ajustar, certifique-se que a ancoragem
esteja travada.

1-3-8
ATENÇÃO

• Os cintos de segurança muito altos e


frouxos podem causar sérias lesões,
uma vez que podem escorregar abai-
xo do abdomem, por ocasião de uma
colisão. Mantenha o cinto de abdomem
o mais baixo possível.
• Para sua segurança, não coloque o cin-
to de ombro sob o braço.

Para soltar o cinto, aperte o botão no alo- CINTO DE SEGURANÇA CENTRAL PARA O
jamento e permita que o cinto se retraia. BANCO TRASEIRO
Se o cinto não retrair suavemente, puxe-o e O cinto de segurança central do banco traseiro
verifique se há dobras. Então certifique-se de é do tipo 3 pontos com 2 linguetas. Ambos os
que não permanece torcido enquanto retrai. alojamentos do cinto de segurança devem es-
tar corretamente posicionados e firmemente fi-
xados para que funcionem adequadamente.
Certifique-se de que o alojamento 1 esteja fir-
memente fixado para uso imediato do cinto de
segurança central.

1-3-9
O alojamento 1 deverá ser separado somente
quando o encosto do banco traseiro esquerdo ATENÇÃO
estiver rebatido, quando a bagagem disposta
na extensão do porta-malas danificar o cinto Certifique-se de que ambas as linguetas
de segurança traseiro central. (Veja “Rebaten- estejam corretamente posicionadas e fir-
do o banco traseiro”, página 1-3-3 nesta se- memente encaixadas. Caso isto não
ção para instruções sobre a fixação correta ocorra, poderão ocorrer ferimentos gra-
do cinto de segurança.) ves em caso de acidente ou colisão.

Dois alojamentos e linguetas para o cinto


de segurança central traseiro
Os dois alojamentos para o cinto de seguran-
ça central traseiro são reconhecidas pela cor
do botão de liberação. As 2 linguetas também
apresentam formatos diferentes na extremida-
de, a fim de que o cinto não seja encaixado no
local incorreto.
Alojamento 1 – Encaixe adequado para a
lingueta de extremidade côncava.
Alojamento 2 – Encaixe adequado para a
lingueta de extremidade arredondada.

1-3-10
— Cinto de 2 pontos

Alonga ATENÇÃO

• Após inserir a lingueta, certifique-se


que esteja travada no alojamento e que
o cinto não esteja torcido.
• Não insira moedas, clips, etc. no aloja-
mento pois isso poderá impedir que a
lingueta trave.
• Caso o cinto de segurança não opere
normalmente, contacte imediatamente
a sua concessionária Toyota. Não utili-
ze o banco até que o cinto esteja repa-
rado. Ele não poderá proteger um
Sente-se corretamente, apoiando-se bem no adulto ou criança contra ferimentos.
ATENÇÃO encosto. Para ajustar o seu cinto de segu-
rança, introduza a lingueta no alojamento.
Não utilize o cinto de segurança central
traseiro com qualquer uma das linguetas Você ouvirá um “click” quando a lingueta tra-
liberadas. Utilizar somente o cinto de var no alojamento.
ombro ou abdominal poderá ocasionar Se o tamanho do cinto de segurança não for
graves ferimentos pessoais em caso de suficiente para você, segure a lingueta em ân-
frenagem brusca ou colisão. gulo reto em relação ao cinto a puxe-a.

1-3-11
Muito alto ATENÇÃO

Cinto de segurança posicionado muito


alto aumenta a possibilidade de
ferimentos devido ao deslizamento do
Ajuste para
corpo sob o cinto durante um acidente.
seu conforto

Mantenha-o o mais baixo


possível sobre o quadril.

Elimine o comprimento em excesso do cin- Para soltar o cinto, aperte o botão de libe-
to e ajuste sua posição. ração.
Para encurtar o cinto, puxe-o pela sua extre-
midade livre.
Posicione o cinto abdominal o mais baixo
possível sobre o quadril, não sobre a cintura,
e ajuste-o para seu conforto.

1-3-12
— Pré-tensionadores dos cintos de
segurança dianteiros

Os bancos do motorista e passageiro dian- Este indicador acende quando a chave de O sistema do pré-tensionador consiste princi-
teiro são equipados com pré-tensionadores, ignição for colocada na posição “ON”. Ele palmente dos seguintes componentes, e suas
desenvolvidos para serem ativados em con- apaga após aproximadamente 6 segundos. localizações são mostradas na ilustração.
junto com o airbag, em conseqüência de um Isto significa que os pré-tensionadores es- 1. Sensores dos airbags dianteiros.
impacto frontal severo. tão operando adequadamente.
2. Conjunto do pré-tensionador do cinto de
Quando o sensor do airbag detecta o impacto Este sistema de luz de advertência monitora segurança.
de um choque frontal severo, os cintos de se- o conjunto do sistema airbag, pré-tensiona-
3. Conjunto do sensor do airbag.
gurança dianteiros são retraídos rapidamente dores, luz de emergência, cabos de interco-
pelo retrator, de forma que os cintos retenham nexão e alimentação. (Para detalhes, veja 4. Luz de advertência do SRS airbag.
os ocupantes dos bancos dianteiros. “Indicadores de serviço” no Capítulo 1-5). O pré-tensionador é controlado pelo conjunto
Os pré-tensionadores são ativados mesmo do sensor do airbag. O conjunto do sensor do
sem um passageiro no banco dianteiro. airbag consiste de um sensor de segurança e
do sensor do airbag.
Os pré-tensionadores do cinto de segurança
e os airbags poderão não ser acionados si-
multaneamente durante colisões que ocorram
sob determinadas velocidades e ângulos.

1-3-13
Quando o pré-tensionador é ativado, um ruí-
do é ouvido e uma pequena quantidade de fu- NOTA
maça é liberada. Esta fumaça não é perigosa Não faça nenhuma destas alterações
e não indica que há incêndio. sem consultar a sua concessionária
Desde que o pré-tensionador tenha sido ati- Toyota. Estas alterações podem interfe-
vado, o retrator permanece travado. rir na operação adequada dos pré-
tensionadores dos cintos de segurança
ATENÇÃO em alguns casos.

Não modifique, remova, ou abra o pré- ◆ Instalação de itens eletrônicos como


tensionador dos cintos de segurança
rádios de comunicação, toca-fitas ou
dos bancos dianteiros, sensor do airbag
CD player.
ou áreas compreendidas, ou a fiação. A ◆ Reparos nos conjuntos dos retra-
execução de qualquer uma das opera- tores dos bancos dianteiros ou pró-
ções citadas, pode causar a operação re- ximos a ele. O sistema do pré-tensionador dos cintos de se-
pentina dos pré-tensionadores dos ◆ Modificações no sistema da sus- gurança dos bancos dianteiros possui um indi-
bancos dianteiros ou desabilitar o sis- pensão. cador de serviço para informar o motorista
tema, o que poderá resultar em sérios sobre problemas operacionais. Caso alguma
◆ Modificações na estrutura dianteira. das condições a seguir ocorra, isto indica o mau
danos.
◆ Fixação de quebra-mato, guinchos funcionamento do airbag ou pré-tensionadores.
Não seguir estas instruções pode acar- ou outros equipamentos na diantei- Contacte a sua concessionária Toyota o mais
retar sérios danos.
ra do veículo. rápido possível, para reparar o veículo.
◆ Reparos na estrutura dianteira do • A luz não se acende quando a chave da
veículo. ignição é colocada na posição “ON”, ou
permanece acesa.
• A luz permanece acesa ou pisca, enquanto
você dirige.
• Caso os cintos de segurança dianteiros
não se retraiam ou não possam ser puxa-
dos devido a um mau funcionamento, ou
ativação do pré-tensionador.
1-3-14
SRS airbags
(para motorista e passageiro dianteiro)
(modelos XEi e SE-G)

ATENÇÃO

O motorista ou passageiro da frente que


esteja muito próximo do volante da di-
reção ou painel durante o acionamento
do airbag, estará sujeito a ferimentos
graves ou até mesmo à morte . A Toyota
recomenda enfaticamente que:
• O motorista sente-se o mais distante
possível do volante da direção, de ma-
neira que mantenha o controle do veí-
culo.
• O passageiro da frente sente-se o mais
• A região frontal do veículo (sombreada na O SRS (Sistema Suplementar de Seguran- distante possível do painel.
ilustração acima) foi envolvida em um aci- ça) airbags são desenvolvidos para forne-
• Todos os ocupantes do veículo este-
dente, mesmo que não tenham sido acio- cer proteção suplementar para o motorista
jam devidamente protegidos com os
nados os pré-tensionadores. e passageiro dianteiro quando adicionado
cintos de segurança.
• O alojamento do pré-tensionador está trin- à proteção primária, fornecida pelos cintos
cado, rachado ou danificado de outra forma. de segurança.
Como conseqüência de um impacto frontal se-
vero, o SRS airbag juntamente com os cintos
de segurança ajuda a prevenir ou reduzir
ferimentos, inflando de forma a reduzir o im-
pacto nas cabeças do motorista e passageiro
dianteiro, contra o volante ou painel de instru-
mentos. O airbag do passageiro é ativado,
mesmo que não haja ninguém no banco dian-
teiro.
Utilize sempre o cinto de segurança.

1-3-15
No entanto, a velocidade limiar será conside-
ravelmente maior se o veículo chocar-se com
um objeto, tal como um veículo estacionado
ou um poste, que pode mover-se ou deformar-
se durante o impacto. Ou no caso de um cho-
que onde a frente do veículo abaixa (como um
choque contra a traseira de um caminhão, pas-
sando sob o pára-choques do outro veículo).
É possível que um choque com uma severi-
dade próxima ao limiar de detonação do sensor
do airbag, ative somente um, dos dois airbags
disponíveis no veículo.
Para segurança de todos os ocupantes, certi-
Este indicador acende-se quando a chave O sistema SRS airbag é projetado para ser fique-se que todos sempre utilizem os cintos
da ignição está na posição “ON”. Ele se ativado quando um impacto frontal severo de segurança.
apaga após aproximadamente 6 segundos. dentro da área sombreada, entre as setas,
Isto significa que os SRS airbags estão ocorrer.
operando adequadamente. O SRS airbag detonará caso a severidade do
O sistema da luz de advertência do SRS air- impacto ultrapassar o limiar projetado, com-
bag monitora o conjunto do sensor do airbag, parado aproximadamente a uma colisão a 30
infladores, luz de advertência, cabos de inter- Km/h contra uma barreira fixa que não se move
conexão e fontes de alimentação (para deta- ou deforma.
lhes, veja “Indicadores de ser viço” no Caso a severidade do impacto esteja abaixo
Capítulo1-5). do limiar, o SRS airbag pode não detonar.

1-3-16
Batendo contra a guia, Caindo ou passando
borda da pista ou por uma valeta.
material rígido.
Colisão pela traseira

Colisão lateral

Capotamento Em movimento brusco ou caindo.

Os SRS airbags não são projetados para in- Os airbags poderão disparar se a extremi- O sistema SRS airbag consiste principalmen-
flar se o veículo for submetido a um choque dade inferior do veículo for sujeita a impac- te dos seguintes componentes. Suas localiza-
lateral ou traseiro, se capotar ou se envolver to forte . A ilustração mostra alguns ções são mostradas na figura.
em uma colisão frontal em baixa velocidade. exemplos. 1. Sensores dos airbags dianteiros.
2. Luz de advertência do SRS airbag.
3. Módulo do airbag do passageiro (airbag e
inflador).
4. Conjunto do sensor airbag.
5. Módulo do airbag do motorista (airbag e
inflador).
O sensor airbag é constituído de um sensor
de segurança e do sensor airbag.

1-3-17
No caso de um impacto frontal severo, os
sensores detectam a desaceleração e o siste- ATENÇÃO
ma aciona os infladores dos airbags. Então,
• O sistema SRS airbag é projetado somen-
uma reação química nos infladores instanta-
te como um suplemento à proteção pri-
neamente enche os airbags com gás não tó-
mária dos cintos de segurança dos
xico para restringir o movimento dos
bancos do motorista e passageiro dian-
ocupantes.
teiro. Os ocupantes dos bancos diantei-
Quando os airbags inflam, produzem um ruí- ros são particularmente suscetíveis à
do, fumaça e resíduos, junto com o gás não- morte ou ferimentos sérios caso não uti-
tóxico. Isto não é perigoso, nem indica incêndio. lizem os cintos de segurança; quando
Este gás é inofensivo. Certifique-se de lavar e ocorrer uma frenagem severa ou uma
retirar qualquer resíduo tão logo possível, para colisão, eles poderão ser arremessados
evitar irritações na pele. para frente, contra os airbags. Para obter
A detonação dos airbags acontece em uma máxima proteção em um acidente, o mo-
fração de segundos; então o enchimento dos torista e todos os passageiros do veícu- • Nunca coloque um sistema de seguran-
airbags ocorre com considerável força. Ao lo devem sempre usar os cintos de ça com a criança virada para trás, no
mesmo tempo que o sistema é projetado para segurança durante a condução do veícu- banco dianteiro, pois as forças de de-
reduzir ferimentos sérios, ele poderá causar lo, pois ferimentos sérios podem ocorrer tonação do airbag do passageiro podem
danos pequenos como queimaduras, a ocupantes não protegidos. Para instru- causar sérios ferimentos à criança. Veí-
abrasões. ções e precauções quanto ao sistema dos culos com airbag para o passageiro
Os componentes do módulo do airbag (cubo cintos de segurança, veja “Cintos de se- possuem uma etiqueta de aviso no pai-
do volante, painel) podem ficar quentes por gurança” neste capítulo. nel, do lado do passageiro, como mos-
alguns minutos, mas os airbags não se aque- • Um bebê ou uma criança que seja mui- trado acima, para lembrá-lo de nunca
cerão. Os airbags são projetados para inflar to pequena para utilizar os cintos de se- colocar uma criança com o sistema de
somente uma vez. gurança devem ser adequadamente segurança virado para trás, no banco
protegidas no banco traseiro, utilizan- dianteiro.
Um impacto severo o suficiente para inflar os
airbags, deve quebrar o pára-brisa. Em veícu- do um sistema de segurança próprio.
los com o airbag para o passageiro, o pára-
brisa também pode ser danificado pela
absorção das forças que inflam o airbag.
1-3-18
• Lembre-se de que transportar crianças no
banco dianteiro é proibido por lei.
Somente quando for inevitável, use o sis-
tema de segurança para crianças no ban-
co dianteiro (em um veículo transportando
4 crianças a maior poderá ocupar o banco
dianteiro). Sempre mova o assento o má-
ximo possível para trás, porque a força com
que o airbag infla pode matar ou causar
ferimentos sérios à criança.
Para instruções relativas à instalação do
Mova o banco totalmente para trás sitema de segurança para crianças, veja
“Segurança para crianças” neste capítulo.
• Um sistema de segurança, com a crian- • Não sente-se na extremidade do assen-
ça virada para frente deve ser coloca- to ou apoie-se no painel enquanto o ve-
do no banco dianteiro somente quando ículo estiver em movimento. Os airbags
inevitável (em um veículo transportando inflam com velocidade e força consi-
4 crianças a maior poderá ocupar o banco deráveis; você pode ser seriamente fe-
dianteiro). Sempre recue o máximo pos- rido. Sente-se corretamente e
sível o banco, pois as forças envolvi- encostado no banco, e utilize sempre
das na detonação do airbag podem o cinto de segurança.
causar sérios ferimentos à criança.

1-3-19
airbag. Fazendo isso, você poderá cau-
sar a detonação repentina dos SRS
airbags ou desabilitar o sistema, o que
poderá resultar em sérios danos.
O não cumprimento destas instruções
pode resultar em sérios danos.

NOTA
Não faça quaisquer das alterações a se-
guir, sem consultar a sua concessioná-
ria Toyota. Estas alterações poderão
interferir na operação adequada do sis-
• Não permita que uma criança fique em • Não coloque objetos sobre ou em tema SRS airbag em alguns casos.
pé, ou de joelhos, no banco do passa- frente ao painel, ou na almofada do ◆ Instalação de itens eletrônicos como
geiro dianteiro. O airbag infla com velo- volante de direção, que alojam o sis- sistema de comunicação, toca-fitas
cidade e força consideráveis; a criança tema do airbag. Eles poderão restrin- ou CD player.
pode ser seriamente ferida. gir o enchimento ou causar sérios
ferimentos se forem projetados para ◆ Modificações no sistema da sus-
• Não segure uma criança em seu colo
trás, pela força da detonação dos
pensão.
ou braços. Utilize um sistema de se-
gurança no banco traseiro. Para instru- airbags. O motorista e passageiro di- ◆ Modificação da estrutura dianteira.
ções quanto à instalação de um anteiro não deverão carregar qualquer ◆ Fixação de quebra-mato, guinchos
sistema de segurança para crianças, coisa sobre o colo ou nos braços. ou outros equipamentos na diantei-
veja “Segurança para crianças” neste • Não modifique ou remova qualquer fia- ra do veículo.
capítulo. ção. Não modifique, remova, ou abra ◆ Reparos na ou próximos à estrutura
quaisquer componentes como a cober- dianteira, console, coluna ou volan-
tura do volante de direção, airbag do te da direção ou painel próximo ao
passageiro dianteiro, conjunto do sensor airbag do passageiro dianteiro.

1-3-20
Segurança para crianças —
— Precauções para a segurança
das crianças
Utilize sempre um sistema de segurança
para crianças, quando estas não forem gran-
des o suficiente para utilizar seguramente
os cintos de segurança.
Caso uma criança seja muito desenvolvida
para utilizar o sistema de segurança, deve
sentar-se no banco traseiro e ser protegida
pelo cinto de segurança do veículo. Veja “Cin-
tos de segurança” para detalhes.

ATENÇÃO

• Para uma proteção efetiva em acidentes


automobilísticos, e paradas repentinas,
Este sistema SRS airbag possui um indicador Para os casos abaixo, contacte a sua conces-
as crianças devem ser adequadamente
de advertência para informar ao motorista pro- sionária Toyota logo que possível.
protegidas por um sistema de seguran-
blemas operacionais. Caso ocorra alguma das • Os SRS airbags inflaram. ça ou pelos cintos de segurança, depen-
condições abaixo, isso indica um mau funcio- dendo da idade e estatura da criança.
• A região frontal do seu veículo (sombreada
namento dos airbags. Contacte a sua conces- Segurar uma criança em seus braços
na figura) foi envolvida em um acidente, sem
sionária Toyota logo que possível para reparar não substitui o sistema de segurança.
severidade para acionar os airbags.
o veículo. No caso de um acidente, a criança po-
• A seção da almofada do volante ou a co- derá ser arremessada contra o pára-bri-
• A luz não se acende quando a chave da
bertura do airbag do passageiro dianteiro sa, ou entre você e o interior do veículo.
ignição é colocada na posição “ON”, ou
(sombreadas na ilustração) foram dani- • Utilize sempre um sistema de seguran-
permanece acesa.
ficadas, quebradas ou apresenta trincas. ça que seja adequado à estatura da cri-
• A luz acende quando o veículo está em
ança e que esteja colocado no banco
movimento. traseiro. De acordo com estatísticas so-
NOTA
bre acidentes, a criança está mais se-
Não desconecte os cabos da bateria sem gura quando adequadamente protegida
antes entrar em contato com sua con- no banco traseiro, do que no dianteiro.
cessionária Toyota.

1-3-21
— Sistema de segurança para
crianças
Um sistema de segurança para crianças pe-
• Nunca coloque um sistema de segu- Um sistema de segurança virado para
quenas ou bebês, deve ser seguramente
rança para crianças, virado para trás, frente poderá ser colocado no banco di-
ancorado ao banco traseiro com os cintos
no banco dianteiro. No caso de um aci- anteiro somente quando inevitável.
de segurança. Você deve consultar cuida-
dente, as forças de detonação do Sempre recue o banco o máximo pos-
dosamente as instruções que acompanham
airbag poderão causar ferimentos sé- sível, pois as forças da detonação do
o sistema de segurança.
rios. airbag poderão causar ferimentos à
Para prover uma segurança adequada, utilize criança.
A não ser que seja inevitável, não co- um sistema de segurança adequado à idade
loque uma criança no banco dianteiro. • Lembre-se de que transportar crianças no
e estatura da criança, seguindo as instruções
banco dianteiro é proibido por lei.
• Lembre-se de que transportar crianças no do fabricante.
banco dianteiro é proibido por lei. Somente quando for inevitável, use o sis-
Instale o sistema de segurança corretamente,
tema de segurança para crianças no ban-
Somente quando for inevitável, use o sis- seguindo as instruções fornecidas pelo fabri-
co dianteiro (em um veículo transportando
tema de segurança para crianças no ban- cante. Instruções gerais são fornecidas nas
4 crianças a maior poderá ocupar o banco
co dianteiro (em um veículo transportando ilustrações mostradas a seguir.
dianteiro). Sempre mova o assento o má-
4 crianças a maior poderá ocupar o banco O sistema de segurança deve ser instalado ximo possível para trás, porque a força com
dianteiro). Sempre mova o assento o má- no banco traseiro. De acordo com estatísticas que o airbag infla pode matar ou causar
ximo possível para trás, porque a força com sobre acidentes, a criança está mais segura ferimentos sérios à criança.
que o airbag infla pode matar ou causar no banco traseiro do que no dianteiro.
ferimentos sérios à criança. • Após instalar o sistema de segurança
para crianças, certifique-se de que es-
• Certifique-se de que você executou to-
ATENÇÃO teja adequadamente ancorado, seguin-
das as instruções fornecidas pelo fa-
do as instruções do fabricante. Caso
bricante do sistema de segurança para
• Nunca coloque um sistema de seguran- não esteja adequadamente ancorado,
crianças, e que o sistema está adequa-
ça para crianças virado para trás, no o sistema poderá provocar sérios feri-
damente seguro.
banco dianteiro. No caso de um aciden- mentos à criança no caso de uma pa-
te, as forças de detonação do airbag po- rada repentina ou acidente.
derão causar sérios ferimentos.
A não ser que seja inevitável, não co-
loque um sistema de segurança no
banco dianteiro.

1-3-22
— Tipos de sistemas de segurança
para crianças
Quando não estiver utilizando o sistema de se- Os sistemas de segurança para crianças dis- (A) Bebê
gurança para crianças, sempre mantenha-o poníveis no Brasil são classificados em dois
preso com os cintos de segurança. Isto previ- tipos, dependendo da idade e estatura da cri-
ne que machuque os passageiros no caso de ança.
uma parada repentina ou acidente. (A) Bebê
Cintos de segurança do tipo 3-pontos (B) Criança (pequena)
Há dois tipos de cintos de segurança de 3- (C) Criança (maior)
pontos. Verifique o tipo antes de instalar um
Instale o sistema de segurança para crianças
sistema de segurança para crianças.
seguindo as instruções fornecidas pelo fabri-
Cintos ALR/ELR (Retrator Automático de cante.
Travamento /Retrator de Travamento de Emer-
gência) —
Quando as cintas transversais estão comple-
tamente distendidas e são retraídas levemen-
te, o retrator trava o cinto naquela posição e o
cinto não pode ser distendido. Ao instalar um (B) Criança (pequena)
sistema de segurança para crianças, distenda
completamente o cinto para colocá-lo no modo
travado.
Os cintos ALR/ ELR estão disponíveis no ban-
co traseiro.
Cinto ELR (Retrator de Travamento de Emer-
gência) —
Mesmo que a cinta transversal seja completa-
mente distendida e então retraída levemente,
o retrator não trava o cinto. Ao instalar um sis-
tema de segurança, você necessitará de um
“grampo” de travamento.

1-3-23
— Instalação do cinto de segurança
do tipo 2-pontos
(C) Criança (maior)

(A) INSTALAÇÃO DO ASSENTO PARA


BEBÊ ATENÇÃO
Um assento para bebê é utilizado somente • Não coloque um sistema de seguran-
virado para trás. ça para crianças, virado para trás, no
banco traseiro, caso interfira com o sis-
tema de travamento do encosto do ban-
co dianteiro. Isto poderá causar sérios
ferimentos à criança e ao passageiro
do banco dianteiro, no caso de uma
frenagem ou uma colisão.
• Se a posição do banco do motorista
não permitir a instalação segura do sis-
tema de segurança para crianças, ins-
tale-o no lado direito.

1-3-24
ATENÇÃO

• Após inserir a lingueta, certifique-se de


que esteja bem travada, e que o cinto
não esteja torcido.
• Não insira moedas, clips, etc. no aloja-
mento, pois isto poderá impedir o
travamento da lingueta no alojamento.
• Caso o cinto não opere normalmente,
não poderá proteger a criança de
ferimentos. Contacte a sua concessio-
nária Toyota imediatamente. Não utilize
o assento enquanto o cinto não for re-
1. Deslize o cinto de segurança sobre ou em parado. 2. Enquanto pressiona o assento da criança
volta do assento, seguindo as instruções firmemente contra o assento e o encosto
do fabricante, e insira a lingueta no aloja- do banco do veículo, puxe a extremidade
mento, certificando-se de que o cinto não livre do cinto o tanto quanto possível para
esteja torcido. Mantenha a regulagem do obter um ajuste seguro.
cinto bem apertada.

1-3-25
3. Para remover o assento da criança pressio- (B) INSTALAÇÃO DO ASSENTO PARA CRI-
ATENÇÃO ne o botão de liberação. ANÇAS
Movimente o assento para todos os la- Um assento para crianças é utilizado vira-
dos, para certificar-se de que está segu- do para frente ou para trás, dependendo da
ro. Siga todas as instruções fornecidas idade e estatura da criança. Ao instalá-lo,
pelo fabricante. siga as instruções do fabricante, quanto à
aplicação, dependendo da idade e estatura
da criança, bem como quanto às instruções
de instalação.

1-3-26
ATENÇÃO

• Após inserir a lingueta, certifique-se de


que esteja travada e que o cinto não
esteja torcido.
• Não insira moedas, “clips”, etc. no alo-
jamento, pois poderão evitar o
travamento da lingueta no alojamento.
• Caso o cinto não opere corretamente,
não poderá proteger a criança de
ferimentos. Contacte a sua concessio-
nária Toyota imediatamente. Não utilize
o assento enquanto o cinto não for re-
1. Deslize o cinto sobre ou em volta do as- parado.
ATENÇÃO sento da criança, seguindo as instruções
fornecidas pelo fabricante, e insira a
• Não coloque um sistema de seguran- lingueta no alojamento, certificando-se de
ça para crianças virado para trás, no não torcer o cinto.
banco traseiro, caso interfira com o sis-
tema de travamento do banco diantei-
ro. Isto poderá causar danos físicos à
criança e ao passageiro do banco di-
anteiro, no caso de uma frenagem re-
pentina ou uma colisão.
• Se a posição do banco do motorista
não permitir a instalação segura do sis-
tema de segurança para crianças, ins-
tale-o no lado direito.

1-3-27
2. Enquanto pressiona o assento da criança 3. Para remover o assento da criança, pres-
firmemente contra o assento e encosto do ATENÇÃO sione o botão de liberação.
banco do veículo, puxe a extremidade li-
vre do cinto o tanto quanto possível, para Movimente o sistema de segurança para
obter um ajuste seguro. crianças para todos os lados para certifi-
car-se de que está seguro. Siga todas as
instruções fornecidas pelo fabricante.

1-3-28
— Instalação com cinto de seguran-
ça do tipo 3-pontos (cintos ALR/ELR)

(A) INSTALAÇÃO DO ASSENTO PARA 1. Deslize ao cinto de segurança sobre ou


BEBÊ ATENÇÃO em volta do assento, seguindo as instru-
Um assento para bebê é utilizado somente ções do fabricante, e insira a lingueta no
• Não coloque um sistema de seguran-
virado para trás. alojamento, certificando-se de que o cinto
ça para crianças, virado para trás, no
não esteja torcido. Mantenha a regulagem
banco traseiro, caso interfira com o sis-
do cinto bem apertada.
tema de travamento do encosto do ban-
co dianteiro. Isto poderá causar sérios 2. Distenda totalmente a cinta transversal,
ferimentos à criança e ao passageiro para colocá-la no modo travado. Quando o
do banco dianteiro, no caso de uma cinto for retraído, mesmo vagarosamente,
frenagem ou uma colisão. não poderá ser distendido.
Para prender o assento da criança com se-
• Se a posição do banco do motorista
gurança, certifique-se que o cinto está no
não permitir a instalação segura do sis-
modo travado, antes de permitir a retração
tema de segurança para crianças, ins-
do cinto.
tale-o no lado direito.

1-3-29
3. Enquanto pressiona o assento da criança
firmemente contra o assento e encosto do
banco do veículo, deixe a cinta transver-
sal retrair-se o tanto quanto possível, para
obter um ajuste seguro.

ATENÇÃO

• Após inserir a lingueta, certifique-se de


que esteja bem travada, e que o cinto
não esteja torcido.
• Não insira moedas, “clips”, etc. no alo-
jamento, pois isto poderá impedir o
travamento da lingueta no alojamento. 4. Para remover o assento da criança, pressi-
ATENÇÃO one o botão de liberação e deixe o cinto
• Caso o cinto não opere normalmente,
não poderá proteger a criança de feri- retrair-se completamente. O cinto se mo-
Movimente o assento para todos os la- verá livremente novamente, e estará pron-
mentos. Contacte a sua concessio- dos, para certificar-se de que está segu-
nária Toyota imediatamente . Não to para ser utilizado por um adulto, ou outra
ro. Siga todas as instruções fornecidas criança maior.
utilize o assento enquanto o cinto não pelo fabricante.
for reparado.
• Quando estiver instalando um sistema
de segurança para crianças, certifique-
se que o cinto esteja no modo travado
antes de permitir que ele se retraia.
Caso o cinto não esteja travado, pode-
rá causar sérios ferimentos à criança.

1-3-30
(B) INSTALAÇÃO DO ASSENTO PARA 1. Deslize o cinto sobre ou em volta do as-
CRIANÇAS ATENÇÃO sento da criança, seguindo as instruções
Um assento para crianças é utilizado vira- fornecidas pelo fabricante, e insira a lingueta
• Não coloque um sistema de seguran-
do para frente ou para trás, dependendo da no alojamento, certificando-se de não tor-
ça para crianças virado para trás, no
idade e estatura da criança. Ao instalá-lo, cer o cinto. Mantenha o cinto apertado.
banco traseiro, caso interfira com o sis-
siga as instruções do fabricante, quanto à tema de travamento do banco diantei-
aplicação, dependendo da idade e estatu- ro. Isto poderá causar danos físicos à
ra da criança, bem como quanto às instru- criança e ao passageiro do banco di-
ções de instalação. anteiro, no caso de uma frenagem re-
pentina ou uma colisão.
• Se a posição do banco do motorista
não permitir a instalação segura do sis-
tema de segurança para crianças, ins-
tale-o no lado direito.

1-3-31
ATENÇÃO

• Após inserir a lingueta, certifique-se de


que esteja travada e que o cinto não
esteja torcido.
• Não insira moedas, “clips”, etc. no alo-
jamento, pois poderão evitar o trava-
mento da lingueta no alojamento.
• Caso o cinto não opere corretamente,
não poderá proteger a criança de feri-
mentos. Contacte a sua concessionária
Toyota imediatamente. Não utilize o
assento enquanto o cinto não for re-
parado. 2. Distenda totalmente o cinto para colocá-lo 3. Enquanto pressiona o assento da criança
no modo travado. Quando o cinto for retraí- firmemente contra o assento e encosto do
do, mesmo levemente, não poderá ser banco do veículo, deixe o cinto retrair-se o
distendido. tanto quanto possível, para obter um ajus-
Para segurar o assento de crianças firmemen- te seguro.
te, certifique-se de que o cinto está no modo
travado, antes de permitir a retração do cinto.

ATENÇÃO

Quando estiver instalando um sistema


de segurança para crianças, certifique-
se que o cinto esteja no modo travado
antes de permitir que ele se retraia. Caso
o cinto não esteja travado, poderá cau-
sar sérios ferimentos à criança.

1-3-32
4. Para remover o assento da criança, pres- (C) INSTALAÇÃO DO ASSENTO PARA CRI-
ATENÇÃO sione o botão de liberação e permita que ANÇAS MAIORES
o cinto se retraia completamente. O cinto Este tipo de assento é utilizado apenas na
Movimente o sistema de segurança para
se moverá livremente novamente e estará posição voltada para frente.
crianças para todos os lados para certifi- pronto para uso por um adulto ou outra
car-se de que está seguro. Siga todas as
criança maior.
instruções fornecidas pelo fabricante.

1-3-33
ATENÇÃO • Não introduza moedas, “clips”, etc. no
alojamento pois isto poderá impedir o
• Certifique-se sempre de que a cinta que travamento da lingueta no alojamento.
envolve o ombro esteja posicionada
• Caso o cinto não opere normalmente,
sobre a parte central do ombro da cri- não poderá proteger a criança de feri-
ança. O cinto deve permanecer distan-
mentos. Contacte a sua concessio-
te do pescoço, mas não deve ficar solto nária Toyota imediatamente. Não
sobre o ombro da criança. Caso estas
utilize o assento enquanto o cinto não
instruções não sejam observadas, a for reparado.
proteção oferecida pelo cinto de segu-
rança poderá ser reduzida em caso de • Quando estiver instalando um sistema
acidente, levando a ferimentos graves. de segurança para crianças, certifique-
se que o cinto esteja no modo travado
• Cintos mal posicionados – muito altos antes de permitir que ele se retraia.
1. Coloque a criança sentada no sistema de ou muito folgados – podem provocar
Caso o cinto não esteja travado, pode-
segurança. Passe o cinto de segurança de graves ferimentos em virtude do rá causar sérios ferimentos à criança.
três pontos, envolvendo a criança e a ca- deslizamento da criança sob o cinto de
deira, de acordo com as instr uções segurança ou ainda outros resultados
fornecidas pelo fabricante e a seguir trave não esperados. Mantenha o cinto de
o cinto de segurança, certificando-se de segurança posicionado o mais baixo
que ele não esteja torcido. possível sobre o quadril da criança.
Certifique-se de que a cinta transversal esteja • Visando a segurança da criança, não
corretamente posicionada sobre o ombro da coloque a cinta transversal sob o bra-
criança e a abdominal esteja posicionada o ço da criança.
mais para baixo possível sobre o quadril da • Após inserir a lingueta no alojamento,
criança. Veja “Cintos de Segurança” para mai- certifique-se de que o cinto esteja re-
ores detalhes. almente travado e não esteja torcido.

1-3-34
— Instalação com cinto do tipo
3-pontos (cinto ELR)

2. Para remover o assento de criança, pres- Ao instalar um sistema de segurança para


ATENÇÃO
sione o botão de liberação e deixe o cinto crianças, siga as instruções fornecidas pelo
retrair-se completamente. fabricante.
• Nunca coloque um sistema de segu-
Dependendo do tipo de sistema, você neces- rança para crianças virado para trás
sitará de um “clip” de trava para instalá-lo ade- no banco dianteiro, pois as forças da
quadamente. detonação do airbag do passageiro
podem causar graves ferimentos na
criança. Veículos com airbag para
passageiro dispõem de uma etiqueta
de advertência no painel, conforme
mostrado acima, para lembrá-lo de
não colocar um sistema de seguran-
ça para crianças virado para trás, no
banco dianteiro.

1-3-35
• Lembre-se de que transportar crianças no
banco dianteiro é proibido por lei.
Somente quando for inevitável, use o sis-
tema de segurança para crianças no ban-
co dianteiro (em um veículo transportando
4 crianças a maior poderá ocupar o banco
dianteiro). Sempre mova o assento o má-
ximo possível para trás, porque a força com
que o airbag infla pode matar ou causar
ferimentos sérios à criança.

Desloque o banco totalmente para trás

• Um sistema de segurança para crian- • Após inserir a lingueta, certifique-se de


ças pode ser colocado virado para fren- que esteja travada no alojamento e que
te no banco dianteiro somente quando o cinto não esteja torcido.
inevitável (em um veículo transportando • Não insira moedas, “clips”, etc. no alo-
4 crianças a maior poderá ocupar o banco jamento pois poderão impedir o trava-
dianteiro). Sempre desloque o banco o mento.
máximo possível para trás, pois as for-
• Caso o cinto de segurança não opere
ças da detonação do airbag podem
corretamente, não poderá proteger a
causar sérios ferimentos à criança.
criança de ferimentos. Contacte a sua
concessionária Toyota imediatamente.
Não utilize o assento enquanto o cinto
não for reparado.

1-3-36
Volante com altura regulável Espelhos retrovisores externos —
• Movimente o sistema de segurança
para crianças para todos os lados, para
certificar-se de que está seguro. Siga
todas as instruções de instalação for-
necidas pelo fabricante.

Para alterar o ângulo do volante, abaixe a Ajuste os espelhos retrovisores de forma


alavanca de travamento, incline o volante que você possa ver a lateral do seu veícu-
para a posição desejada e retorne a alavan- lo pelo espelho.
ca à posição original. Cuidado ao julgar o tamanho e a distância de
qualquer objeto visto nos espelhos retrovisores
ATENÇÃO externos. Eles são espelhos convexos com
superfície curva. Qualquer objeto visto em um
• Não ajuste o volante enquanto o veí- espelho convexo parece menor e mais distan-
culo estiver em movimento. Isto pode- te, do que quando visto através de um espe-
rá fazer com que o motorista perca o lho de face plana.
controle do veículo, causando danos
físicos ou morte.
• Após ajustar o volante, tente movimen-
tá-lo para cima e para baixo, para cer-
tificar-se de que está travado.

1-3-37
— Espelho retrovisor com controle
elétrico — Espelhos retrovisores dobráveis

ATENÇÃO

• Não ajuste os espelhos enquanto o ve-


ículo estiver em movimento. Isto pode-
rá fazer com que o motorista perca o
controle do veículo, causando danos
físicos ou morte.
• Este veículo apresenta espelho conve-
xo para os retrovisores externos direi-
to e esquerdo.

Para ajustar o espelho, utilize os interrup- Para dobrar o espelho retrovisor, puxe-o
tores. para trás.
1. Interruptor principal – Para selecionar o es- Os espelhos retrovisores podem ser dobrados
pelho a ser ajustado. para estacionar em áreas estreitas.
Coloque o interruptor nas posições “L” (es-
querda) ou “R” (direita).
2. Interruptor de controle – Para movimentar
o espelho
Empurre o interruptor para a posição de-
sejada.
Caso o motor não esteja ligado, a chave deve-
rá estar na posição “ACC” ou “ON”.

1-3-38
Espelho retrovisor interno
anti-ofuscante

ATENÇÃO ATENÇÃO

Não dirija com os espelhos retrovisores Não ajuste o espelho enquanto o veícu-
dobrados. Os espelhos retrovisores do lo estiver em movimento. O motorista
lado do motorista e do passageiro de- poderá perder o controle do veículo o
vem estar na posição correta de uso e que poderá resultar em acidentes e
adequadamente ajustados, antes de di- ferimentos.
rigir.

Ajuste o espelho de maneira que você pos-


sa ter a melhor visão possível à partir do
vidro traseiro.
Puxe a alavanca para reduzir o ofusca-
mento dos faróis do veículo atrás de você,
durante a condução noturna.
Condução diurna – Alavanca na posição 1.
A reflexão no espelho tem maior claridade nes-
ta posição.
Condução noturna – Alavanca na posição 2.
Lembre-se que reduzindo o ofuscamento, você
também reduz a claridade.

1-3-39
Espelho do pára-sol

Para usá-lo, abaixe o pára-sol e abra a


tampa.

1-3-40
Faróis e sinalizadores de direção

Seção 1 NOTA
Para evitar que a bateria seja descarre-
OPERAÇÃO DOS gada, não deixe as luzes ligadas por um
período longo, quando o motor não es-
INSTRUMENTOS E tiver em funcionamento.
CONTROLES
Capítulo 1-4
Luzes, Limpadores do
Pára-brisa e Desembaçador
• Faróis e sinalizadores de direção
FARÓIS
• Pisca-alerta
Para acender as seguintes luzes: Gire o bo-
• Faróis de neblina dianteiros e tão dos faróis/alavanca do sinalizador de di-
lanterna traseira de neblina reção.
• Faróis de neblina dianteiros Posição 1 – Luzes de freio, traseiras, placa da
licença e painel dos instrumentos.
• Lanterna traseira de neblina
Quando as lanternas estiverem acesas, a luz
• Luz interior indicadora (verde) acenderá no painel.
• Luz de leitura Posição 2 – Faróis e todas acima.
• Limpadores e lavador do pára-brisa
Alarme de advertência de luz acesa
• Desembaçador do vidro traseiro Se a chave for removida da ignição com os
faróis acesos, um alarme de advertência irá
lembrá-lo de apagar as luzes quando a porta
do motorista for aberta.

1-4-1
Pisca-alerta

Faróis alto e baixo. Para acionar os faróis al- SINALIZADORES DE DIREÇÃO Para ligar o pisca-alerta, aperte o inter-
tos, acenda os faróis e empurre a alavanca Para sinalizar uma conversão, empurre a ala- ruptor.
para frente (posição 1). Puxe a alavanca em vanca dos faróis/sinalizadores de direção Todas as luzes de sinalização piscarão. O in-
sua direção (posição 2) para os faróis baixos. para cima ou para baixo, na posição 1. dicador do interruptor também piscará. Para
A luz indicadora de faróis altos (azul) no pai- A chave de ignição deverá estar na posição desligá-las, aperte o interruptor novamente.
nel de instrumentos indica que os faróis altos “ON”. Ligue-o para sinalizar a outros motoristas que
estão ligados. A alavanca retorna automaticamente após ter- o seu veículo está parado em local não ade-
Piscando os faróis altos (posição 3). Puxe a minar a conversão, mas você deverá retorná- quado, com risco.
alavanca totalmente para trás. Os faróis altos la manualmente ao mudar de faixa de trânsito.
Sempre coloque o seu veículo em um local o
se apagarão quando você soltar a alavanca. Para sinalizar uma mudança de faixa de trânsi- mais afastado possível da pista.
to, movimente a alavanca para cima ou para
Você poderá piscar os faróis altos mesmo com O interruptor das luzes de sinalização não fun-
baixo, até o ponto de pressão (posição 2) e
o botão em “OFF”. segure-a. cionarão enquanto o pisca-alerta estiver em
Caso as luzes dos indicadores de direção (ver- operação.
des) no painel de instrumentos pisquem mais
rápido que o normal, indica que uma lâmpada
dianteira ou traseira está queimada.
1-4-2
Faróis de neblina dianteiros e
lanterna traseira de neblina Faróis de neblina dianteiros
NOTA
Para evitar que a bateria seja descarre-
gada, não deixe o interruptor ligado por
um tempo maior que o necessário, en-
quanto o motor estiver parado.

Para acender as luzes de neblina, mova o Para acender os faróis de neblina, mova o
anel existente na alavanca do interruptor anel existente na alavanca do interruptor
do farol e sinalizador de direção. As luzes do farol e sinalizador de direção. Os faróis
de neblina irão se acender quando as lan- de neblina irão se acender quando as lan-
ternas estiverem acesas. ternas estiverem acesas.
Posição 1 – Faróis de neblina dianteiros
A luz indicadora no painel de instrumentos
acenderá para sinalizar a utilização do farol
de neblina dianteiro.
Posição 2 – Faróis de neblina dianteiros e lan-
terna traseira de neblina
A lanterna traseira de neblina será automati-
camente apagada ao ser desligado o farol. A
lanterna não será novamente acesa, mesmo
que o farol seja novamente ligado.

1-4-3
Lanterna traseira de neblina Luz interior
SISTEMA DE ILUMINAÇÃO DE ACESSO
(em alguns modelos)
Com o interruptor na posição “DOOR”, a luz
acenderá quando qualquer porta for aberta.
Após o fechamento de todas as portas a luz
permanecerá acesa durante aproximadamente
30 segundos e a seguir apagará.
Entretanto, nos casos abaixo, a luz apagará
automaticamente.
• Todas as portas fechadas com a chave de
ignição posicionada em “ON”.
Quando todas as portas forem destravadas si-
multaneamente com a chave ou controle re-
Para acender as lanternas traseiras de ne- Para acender a luz interior, deslize o inter- moto, a luz inter ior acenderá durante
blina, mova o anel existente na alavanca do ruptor. aproximadamente 30 segundos, apagando em
interruptor do farol e sinalizador de direção. O interruptor da luz interior possui as seguin- seguida, mesmo que a porta não seja aberta.
As lanternas de neblina irão se acender quan- tes posições: O período de ativação desta luz pode ser alte-
do as lanternas traseiras estiverem acesas. rado. Consulte uma concessionária Toyota,
“ON” – A luz permanece acesa sempre.
A luz indicadora no painel de instrumentos irá para mais detalhes.
acender quando a lanterna traseira de neblina “OFF” – Desliga a luz.
for ligada. “DOOR” – A luz acende-se quando uma das
A lanterna traseira de neblina será automati- portas laterais ou traseiras é aberta.
camente apagada ao ser desligado o farol. A A luz apaga-se quando todas as portas estão
lanterna não será novamente acesa, mesmo fechadas.
que o farol seja novamente ligado.
Para acender novamente a lanterna traseira de
neblina, gire o anel na alavanca do interruptor
do farol.

1-4-4
Luz de leitura Limpadores e lavador do pára-brisa
Para ligar os limpadores do pára-brisa, mo-
vimente a alavanca para a posição desejada.
A chave da ignição deve estar na posição “ON”.

(Modelo XLi)
Posição da alavanca Ajuste da velocidade
Posição 1 Lenta
Posição 2 Rápida

Para um único movimento do limpador do pára-


brisa, pressione a alavanca para cima e solte-a.
(Modelos XEi e SE-G)
Posição da alavanca Ajuste da velocidade
Para ligar a luz de leitura, pressione o bo- (Modelo XLi)
Posição 1 Intermitente
tão. Para desligá-la pressione novamente o
botão. Posição 2 Lenta
Posição 3 Rápida

Para um único movimento do limpador do pára-


brisa, pressione a alavanca para cima e solte-a.
O anel “INT TIME” permite que seja ajustado
o intervalo de movimentação do limpador do
pára-brisa quando a alavanca do limpador
estiver na posição intermitente (posição 1).
Mova o anel para cima para aumentar o inter-
valo entre os movimentos, e para baixo para
diminuí-lo.

(Modelos XEi e SE-G)

1-4-5
Desembaçador do vidro traseiro
Para esguichar a solução de limpeza, puxe Para desembaçar o vidro traseiro, pressio-
a alavanca na sua direção, e solte-a. ne o botão.
Em alguns modelos — A chave de ignição deverá estar na posição
Se o limpador do pára-brisa estiver desligado, “ON”.
ele irá funcionar durante alguns ciclos, caso Os fios finos internos ao vidro rapidamente
seja acionado o lavador de pára-brisa. aquecerão a superfície do vidro desembaçan-
Para instruções quanto à adição do líquido do-a. Uma luz indicadora no painel dos instru-
para limpeza, veja “Adicionando fluido do mentos se acenderá para indicar que o
lavador” no Capítulo 7-3. desembaçador está ligado.
Durante dias excessivamente frios, aqueça o Pressione novamente o botão para desligá-lo.
pára-brisa com o desembaçador antes de uti- Para os modelos com ar condicionado auto-
lizar o lavador do pára-brisa. Isto irá ajudar a mático, o sistema se desligará automaticamen-
evitar o congelamento do fluido do lavador so- Modelo com ar condicionado manual te após aproximadamente 15 minutos.
bre o pára-brisa o que poderá prejudicar a vi- Certifique-se de desligar o desembaçador
sibilidade. quando o vidro estiver limpo. Deixar o desem-
baçador ligado por um longo tempo ocasiona
NOTA a descarga da bateria, especialmente em trá-
fego lento. O desembaçador não foi projetado
Não opere os limpadores caso o pára-
para secar o vidro ou derreter gelo.
brisa esteja seco. O vidro poderá ser ris-
cado.
NOTA
◆ Para evitar que a bateria seja
descarregada, ligue o desembaçador
apenas com o motor em funciona-
mento.
◆ Ao limpar o interior do vidro trasei-
ro, cuidado para não interromper ou
Modelo com ar condicionado automático danificar os fios aquecedores.

1-4-6
Medidor do nível de combustível
O medidor opera quando a chave da igni-
Seção 1 ção está ligada e indica a quantidade apro-
ximada de combustível remanescente no
OPERAÇÃO DOS tanque.
INSTRUMENTOS E Aproximadamente cheio – Ponteiro em “F”.
Aproximadamente vazio – Ponteiro em “E”.
CONTROLES É um hábito recomendável manter o nível do
tanque de combustível acima de 1/4.
Capítulo 1-5
O ponteiro do medidor é do tipo não retornável,
Medidores, Instrumentos e que permanece na última posição quando a
Indicadores de Serviço chave da ignição for desligada.
Caso o nível do combustível se aproxime de “E”,
• Medidor do nível do combustível ou a luz de advertência do nível do combustível
Tipo A
• Medidor da temperatura do fluido de se acenda, abasteça assim que possível.
arrefecimento Em inclinações ou curvas, devido ao movimento
• Tacômetro do combustível dentro do tanque, o ponteiro
pode flutuar ou a luz indicadora do nível do com-
• Hodômetro e hodômetro parcial bustível pode acender-se, antes do habitual.
• Hodômetro, hodômetro parcial e Caso o tanque de combustível esteja comple-
controle da iluminação do painel de tamente vazio, a luz indicadora de falha irá
instrumentos acender. Abasteça imediatamente.
A luz indicadora de falha apagará após algum
• Indicadores de serviço tempo de condução. Caso a luz indicadora não
apague, entre em contato com sua Concessio-
nária Toyota o mais rápido possível.

Tipo B

1-5-1
Medidor da temperatura do fluido
de arrefecimento
O medidor indica a temperatura do fluido de
arrefecimento quando a chave da ignição
NOTA
está ligada. A temperatura de operação do ◆ Não remova o termostato do siste-
motor varia com as mudanças climáticas e a ma de arrefecimento, pois isso po-
carga imposta ao motor. derá ocasionar o superaquecimento
Caso o ponteiro se movimente para a região do motor. O termostato é projetado
vermelha, o motor está muito quente. Caso o para controlar o fluxo do fluido de
veículo superaqueça, pare-o e deixe-o esfriar. arrefecimento, para manter a tempe-
ratura do motor dentro dos limites
O veículo poderá superaquecer durante con-
especificados.
dições severas de uso, como:
◆ Não continue a dirigir com o motor
• Subidas longas em dias quentes.
superaquecido. Veja “O seu veículo
• Reduzindo a velocidade ou parando após está superaquecido” na Seção 4.
condução em alta velocidade.
Tipo A
• Mantido em marcha-lenta por um longo pe-
ríodo com o ar condicionado ligado, em trá-
fego lento.
• Rebocando um trailer.

Tipo B

1-5-2
Tacômetro Hodômetro e hodômetro parcial
O tacômetro indica a rotação do motor em
milhares de rotações por minutos (rpm).
Utilize-o para selecionar corretamente as
marchas e para prevenir o excesso de ro-
tações, e travamento do motor.
Dirigir com o motor em rotação muito elevada
causa desgaste excessivo e alto consumo de
combustível.

NOTA
Não deixe o ponteiro entrar na região
vermelha. Isto pode causar sérios danos
ao motor.
Tipo A Estes indicadores mostram a distância per-
corrida.
1. Hodômetro – Indica a distância total já per-
corrida pelo veículo.
2. Hodômetro parcial – Indica a distância per-
corrida desde a última vez que foi zerado.
Você pode utilizar um dos hodômetros para
calcular o consumo de combustível e o ou-
tro para medir a distância de cada percur-
so. Todos os dados do hodômetro parcial
serão cancelados caso haja alguma inter-
rupção na fonte de energia.

Tipo B

1-5-3
Hodômetro, hodômetro parcial e
controle da iluminação do painel de
instrumentos
3. Botão de ajuste do hodômetro parcial - ele As informações abaixo são apresentadas
pode zerar os dois hodômetros parciais, bem neste mostrador.
como alterar o mostrador do hodômetro. 1. Hodômetro – Mostra a distância total per-
Para mudar o mostrador do hodômetro par- corrida pelo veículo.
cial, pressione e solte rapidamente o bo- 2. Dois hodômetros parciais – Indicam duas
tão. O mostrador do hodômetro muda distâncias percorridas independentemen-
respectivamente de hodômetro parcial A te desde o último ajuste do hodômetro.
para B e a seguir para hodômetro, sempre
Um hodômetro poderá ser usado para cal-
que for pressionado.
cular a economia de combustível e o outro
Para zerar o hodômetro parcial A, deixe que para medir a distância percorrida em cada
seja exibida a leitura do hodômetro A, a se- percurso.
guir pressione o botão até que o hodômetro
3. Mostrador de controle da iluminação do
seja zerado então solte-o. O mesmo pro-
painel de instrumentos (quando o interrup-
cesso pode ser aplicado ao zerar o
tor do farol estiver ligado) – Apresenta a
hodômetro parcial B.
intensidade das luzes do painel de instru-
mentos. Quando mais a barra avançar,
maior será a intensidade das luzes do pa-
inel.
4. Botão de ajuste do hodômetro parcial/bo-
tão de controle da iluminação do painel de
instrumentos – Zera os dois hodômetros
parciais, altera a indicação no mostrador
e ajusta a intensidade das luzes do painel
de instrumentos.

1-5-4
Indicadores de serviço
Para alterar a indicação do mostrador,
Caso o indicador acenda... Faça isto Caso o indicador acenda... Faça isto
pressione rapidamente e solte o botão.
Sempre que o botão for pressionado, a in- (a) Caso freio de estacionamento (j) Alarme de Apague as luzes.
dicação passará de hodômetro para o esteja solto, pare advertência de
imediatamente e contate uma luz acesa
hodômetro parcial A, hodômetro parcial B concessionária Toyota.
e controle da iluminação do painel de ins-
(b) Pare e verifique. (a) Luz de Advertência dos Freios
trumentos, nesta seqüência, retornando a
seguir ao hodômetro. Esta luz acende nos casos a seguir, estando
a chave de ignição na posição “ON”.
Para zerar o hodômetro parcial A, acesse (c) Pare e verifique.
a indicação do hodômetro parcial A, pres- • Quando o freio de estacionamento es-
sione e mantenha pressionado o botão até tiver aplicado ...
zerar a indicação. Use o mesmo procedi- (d) Leve o veículo a uma
concessionária Toyota.
Esta luz acende durante alguns segundos
mento para zerar o hodômetro parcial B. quando a chave de ignição é girada para a
Para ajustar a intensidade das luzes do posição “ON” mesmo após o freio de estacio-
(e) Abasteça.
painel de instrumentos, acesse a indica- namento ser liberado.
ção do controle da iluminação do painel, • Quando o nível do fluido de freio esti-
pressione e mantenha pressionado o bo- (f) Caso a luz indicadora do ver baixo...
tão até atingir a intensidade desejada. sistema de freio esteja ainda
acesa, pare imediatamente e
entre em contato com sua ATENÇÃO
concessionária Toyota.

É perigoso continuar dirigindo normal-


(g) Feche todas as portas.
mente quando o nível do fluido de freio
estiver baixo.

(h) Leve o veículo a uma Leve seu veículo a uma Concessionária


concessionária Toyota Toyota para que seja inspecionado, nos se-
imediatamente.
guintes casos:
(i) Alarme de Remova a chave. • A luz não acende mesmo quando o freio
advertência de estacionamento está aplicado, com a
da chave
chave de ignição na posição “ON”.
1-5-5
Veículos equipados com sistema de freio anti- (b) Luz Indicadora da Descarga da Bateria A luz poderá acender-se quando o nível do óleo
blocante – Esta luz adverte que a bateria está sendo está extremamente baixo. Ela não foi projeta-
• A luz não acende com a chave de ignição descarregada. da para indicar o nível do óleo baixo, e este
na posição “ON”, mesmo quando o freio deverá ser verificado pela vareta do nível do
Caso se acenda enquanto você dirige, há al-
de estacionamento está liberado. óleo.
gum problema no sistema de carga.
Caso a luz de advertência acenda-se rapidamente O sistema da ignição operará, entretanto, até NOTA
durante o funcionamento isto não indica falha. a descarga total da bateria. Desligue o ar con-
Não dirija o veículo com a luz de adver-
dicionado, ventilador, rádio, etc. e conduza o
tência acesa – nem mesmo por um quar-
ATENÇÃO veículo diretamente à concessionária Toyota
teirão. Poderá danificar o motor.
mais próxima.
Caso alguma das condições a seguir
ocorra, pare imediatamente seu veículo (d) Luz Indicadora de Mau Funcionamento
NOTA
em um local seguro e entre em contato Esta lâmpada acende-se, nos seguintes casos:
com uma Concessionária Toyota. Não dirija caso a correia do motor tenha
a. O tanque de combustível está completa-
• A luz não apaga mesmo após o freio quebrado ou se soltado.
mente vazio. (Veja “Medidor do nível de
de estacionamento ser liberado, com combustível”, neste Capítulo, quanto a ins-
o motor em funcionamento. (c) Luz de Advertência da Baixa Pressão do truções.)
Neste caso, o freio pode não estar fun- Óleo b. A tampa do reservatório do combustível
cionando adequadamente e sua distân-
Esta luz adverte que a pressão do óleo do mo- não está corretamente fechada (Veja “Tam-
cia de frenagem poderá tornar-se maior.
tor está muito baixa. pa do reservatório do combustível”, na
Pressione o pedal de freio firmemente
Caso pisque ou permaneça acesa enquanto página 1-2-20, quanto a instruções).
e pare o veículo imediatamente.
você dirige, saia do tráfego para um local se- c. Existe alguma falha em algum ponto do
• A luz de advertência do sistema de
guro, e pare o motor imediatamente. Chame motor ou do sistema elétrico da transmis-
freio permanece acesa juntamente com
uma concessionária Toyota para reparos. são automática.
a luz de advertência do ABS.
Neste caso, não apenas o sistema de A luz pode piscar ocasionalmente quando o mo- Caso a luz acenda enquanto você estiver diri-
freio anti-blocante irá falhar mas tam- tor está em marcha-lenta ou após uma parada gindo, e o veículo não estiver com o tanque
bém o veículo tornar-se-á extremamen- brusca. Isto não é motivo de falha, caso se apa- de combustível vazio, leve seu veículo para
te instável durante a frenagem. gue após acelerar lentamente o motor. que seja inspecionado/reparado em uma con-
cessionária Toyota, o mais rápido possível.
1-5-6
(e) Luz de Advertência do Nível Baixo de Caso ocorra uma condições a seguir, isto (g) Luz de Advertência de Porta Aberta
Combustível é indício de alguma falha nas peças Esta luz permanece acesa enquanto todas as
Esta luz acende quando o nível do combustí- monitoradas pelo sistema da luz de adver- portas não estiverem fechadas.
vel no tanque está próximo de vazio. Abaste- tência. Entre em contato com sua conces-
sionária Toyota, o mais rápido possível. (h) Luz de Advertência do SRS Airbag
ça o mais rapidamente possível.
• Caso a luz não acenda quando a chave Esta luz acende-se quando a chave da ig-
Em inclinações ou curvas, devido ao movimen- nição está na posição “ON”. Após aproxi-
to do combustível no tanque, a luz indicadora de ignição estiver na posição ON (ligada)
madamente 6 segundos, a luz se apaga. Isto
de nível baixo de combustível poderá acen- ou então permaneça acesa.
significa que os sistemas do airbag e do
der-se antes do esperado. • Caso a luz acenda com o veículo em mo- pré-tensionador dos cintos de segurança
(f) Luz de Advertência do ABS vimento. dos bancos dianteiros estão operando ade-
O acendimento rápido da luz de advertência quadamente.
Esta luz acende quando a chave de ignição
estiver na posição ON (ligada). Se o sistema representa uma condição normal. O sistema da luz de advertência monitora o
de freio anti-blocante estiver funcionando ade- conjunto do sensor do airbag, conjunto dos
quadamente, a luz irá apagar após alguns se- pré-tensionadores, infladores, luz de advertên-
ATENÇÃO
cia, cabos de interconexão e alimentações.
gundos. Entretanto, caso exista alguma falha
no sistema, a luz irá acender novamente. Caso a luz de advertência do ABS per- Caso alguma das seguintes condições ocor-
maneça acesa juntamente com a luz de ra, indica um mau funcionamento em algum
Quando a luz de advertência do ABS estiver ace- componente monitorado pelo sistema da luz
sa (e a luz de advertência do sistema de freio advertência do sistema de freio, pare
de advertência. Contacte a sua concessioná-
estiver apagada), o sistema de freio anti-blocante imediatamente o veículo em um local se-
ria Toyota o mais breve possível para reparar
não irá funcionar, contudo o sistema de freio con- guro e entre em contato com uma Con-
o veículo.
vencional continuará funcionando normalmen- cessionária Toyota.
• A luz não se acende quando a chave da
te. Neste caso as rodas poderão travar durante Neste caso, não apenas o sistema de ignição está na posição “ON”, ou perma-
uma frenagem súbita ou sobre pista escorre- freio anti-blocante irá falhar mas também nece acesa.
gadia. o veículo tornar-se-á extremamente ins-
• A luz se acende ou pisca enquanto você
tável durante a frenagem.
dirige.

1-5-7
(i) Alarme de Advertência da Chave VERIFICAÇÃO DOS INDICADORES DE
Este alarme sonoro dispara para lembrá-lo que SERVIÇO (exceto a luz de advertência do
a porta do motorista foi aberta com a chave nível do combustível)
de ignição na posição “ACC” ou “LOCK”. 1. Acione o freio de estacionamento.
(j) Alarme de Advertência de Luz Acesa 2. Abra uma das portas.
Este alarme irá soar se o interruptor do farol A luz de advertência de porta aberta deve
for deixado ligado e a porta do motorista for acender-se.
aberta com a chave de ignição fora do contato.
3. Feche a porta.
A luz de advertência de porta aberta deve
apagar-se.
4. Gire a chave de ignição para a posição ON
(ligada), mas não acione o motor.
Todos os indicadores de serviço, exceto a
luz de advertência de portas abertas deve
acender. A luz de advertência do ABS apa-
gará após alguns segundos. A luz de ad-
vertência do airbag será apagada após 6
segundos.
Caso algum dos indicadores de serviço não fun-
cione conforme descrito acima, leve o veículo
à concessionária Toyota para verificações, as-
sim que possível.

1-5-8
Chave da ignição com trava do
volante
Para veículos equipados com transmissão au-
Seção 1 tomática, a alavanca seletora de marchas de-
verá ser posicionada em “P” antes de girar a
OPERAÇÃO DOS chave.
INSTRUMENTOS E Ao ser removida a chave, o sistema do
imobilizador do motor é automaticamente ati-
CONTROLES vado. (Veja “Sistema Imobilizador do Motor” na
Seção 1-2.)
Capítulo 1-6 Ao acionar o motor, a chave pode parecer tra-
vada na posição “LOCK”. Para liberá-la, primeiro
Chave de Ignição, certifique-se que está totalmente inserida, em
Transmissão e Freio de seguida, movimente levemente o volante en-
Estacionamento quanto gira cuidadosamente a chave.
“START” – Motor de partida ligado. A cha-
• Chave da ignição com trava do volante ATENÇÃO
ve retorna à posição “ON” quando é solta.
• Transmissão automática Para informações sobre a partida, veja seção 3. Nunca remova a chave quando o veícu-
• Transmissão manual “ON” – Motor funcionando e todos os aces- lo estiver em movimento, pois isso tra-
• Freio de estacionamento sórios habilitados. vará o volante, resultando em perda do
Esta é a posição normal para dirigir. controle do veículo.
• Controle da velocidade de cruzeiro
“ACC” – Acessórios como o rádio operam,
mas o motor está parado. NOTA
Deixando a chave na posição “ACC” ou “LOCK” Não deixe a chave da ignição na posição
e abrindo a porta do motorista, o alarme soará “ON” se o motor não estiver em funcio-
para lembrá-lo de remover a chave de ignição. namento. A bateria descarregará e o sis-
“LOCK” – O motor está parado e o volante tema da ignição poderá ser danificado.
está travado. A chave pode ser retirada so-
mente nesta posição.

1-6-1
Transmissão automática
A transmissão automática de seu veículo pos-
Alavanca seletora de marchas sui um sistema de bloqueio de marchas para
Interruptor da
Botão de liberação reduzir a possibilidade de funcionamento ina-
sobremarcha
Para prevenir engate indesejado
dequado. Isto significa que você somente pode
retirar a alavanca da posição “P” quando o pe-
dal de freio estiver pressionado (com a chave
de ignição na posição “ON” e com o botão de
liberação da transmissão pressionado).
(a) Alavanca seletora de marchas
A posição da marcha é exibida no painel de
instrumentos.
P: Estacionamento e partida do motor
R: Marcha à ré
N: Neutro
D: Condução normal (com a sobremarcha aci-
Com o pedal de freio pressionado, selecione onada)
enquanto pressiona o botão de liberação. 2: Freio motor mais forte
(A chave de ignição deverá estar na posição
“ON”). L: Freio motor máximo

Selecione enquanto pressiona o botão


de liberação.

Selecione normalmente.

Selecione enquanto pressiona o botão


de liberação.

1-6-2
(c) Condução normal (d) Usando o freio motor
1. Funcione o motor conforme instruções em Para usar o freio motor, você pode reduzir a mar-
“Como funcionar o motor” na Seção 3. A cha da transmissão conforme indicado abaixo:
alavanca seletora deve estar em “P” ou em • Desligue o interruptor da sobremarcha. A
“N”. luz indicadora “O/D OFF” acende-se e a
2. Com o seu pé acionando o pedal de freio, transmissão é reduzida para a terceira
coloque a alavanca seletora em “D”. marcha.
Na posição “D”, a transmissão automática se- • Selecione a posição “2”. A transmissão
lecionará a marcha mais adequada para as será reduzida para a 2ª marcha quando a
condições de tráfego. Como tráfego normal, velocidade do veículo atingir ou for menor
subida de serra, veículo carregado, etc. que a velocidade especificada abaixo, sen-
Sempre mantenha o interruptor da sobremarcha do obtida maior frenagem do motor.
na posição ligado, para maior economia de com- Motor 3ZZ-FE 96 km/h
(b) Interruptor da sobremarcha bustível e menor nível de ruídos. Caso a tempe- Motor 1ZZ-FE 101 km/h
Pode-se selecionar tanto a 3ª marcha (com a ratura do fluido de arrefecimento esteja baixa, a • Selecione a posição “L”. A transmissão será
sobremarcha desativada) como a 4ª marcha transmissão não seleciona a sobremarcha, mes- reduzida para a 1ª marcha quando a velo-
(com a sobremarcha ativada), pressionando- mo com o interruptor ligado. cidade do veículo atingir ou for menor que
se este interruptor. a velocidade especificada abaixo, sendo
Para desativar a sobremarcha, pressione o in- aplicada frenagem máxima do motor.
terruptor. A luz indicadora O/D OFF ATENÇÃO
Motor 3ZZ-FE 45 km/h
(sobremarcha desativada) irá acender. Para ati- Motor 1ZZ-FE 48 km/h
Nunca acelere enquanto aciona a alavan-
var novamente a sobremarcha, pressione no-
ca seletora.
vamente o interruptor. A luz indicadora O/D OFF
(sobremarcha desativada) irá apagar. ATENÇÃO
Dirija sempre seu veículo com a sobremarcha 3. Solte o freio de estacionamento e o pedal
ativada para maior economia de combustível e de freio. Pressione o pedal do acelerador va- Cuidado ao reduzir as marchas sobre su-
uma condução mais silenciosa. garosamente para que o veículo ande sua- perfícies escorregadias. Uma redução
A sobremarcha será ativada automaticamente vemente. repentina poderá fazer com que o veí-
sempre que for dada a partida, mesmo que o culo patine ou derrape.
veículo tenha sido desligado com a
sobremarcha desativada.
1-6-3
(e) Utilizando as posições “2” e “L” (f) Conduzindo em marcha-à-ré
NOTA
As posições “2” e “L” são utilizadas para freio 1. Pare completamente o veículo.
motor conforme já descrito anteriormente. ◆ Cuidado para não ultrapassar o limi- 2. Com o pedal do freio acionado, coloque a
Com a alavanca seletora na posição “2” ou “L”, te de rotações do motor. Observe o alavanca seletora na posição “R”.
você poderá movimentar o veículo da mesma tacômetro para evitar que a rotação
forma que na posição “D”. do motor entre na faixa vermelha. As
velocidades máximas aproximadas NOTA
Com a alavanca seletora em “2”, o veículo par- para cada posição, são dadas abai-
tirá em primeira marcha e trocará automatica- Nunca selecione a marcha-à-ré enquan-
xo, para sua referência. to o veículo estiver em movimento.
mente para a segunda marcha.
Motor 3ZZ-FE:
Com a alavanca seletora na posição “L”, a trans- “2” ................. 113 km/h
missão está posicionada na primeira marcha. (g) Estacionando
“L” ................. 62 km/h 1. Pare completamente o veículo.
Motor 1ZZ-FE: 2. Puxe a alavanca do freio de estacionamen-
“2” ................. 118 km/h to completamente para acioná-la segura-
“L” ................. 65 km/h mente.
◆ Não permaneça, em um aclive longo 3. Com o pedal do freio pressionado, colo-
ou rebocando um trailer por muito que a alavanca seletora na posição “P”.
tempo nas posições “2” ou “L”. Isto
poderá causar sérios danos à trans- ATENÇÃO
missão automática, por superaque-
cimento. Para evitar esses danos, a Enquanto o veículo estiver em movimen-
posição “D” deve ser utilizada para to, nunca tente colocar a alavanca seletora
subidas de serra ou quando estiver na posição “P”, sob nenhuma condição.
rebocando. Danos mecânicos sérios e perda de con-
trole do veículo poderão ocorrer.

1-6-4
Transmissão manual
(h) Práticas para uma boa condução (i) Desatolando o seu veículo
• Caso a transmissão alterne repetidamente
entre a terceira marcha e a sobremarcha, ATENÇÃO
durante um aclive, o interruptor da sobre-
marcha deve ser desligado. Certifique-se de Para desatolar o seu veículo da lama,
ligá-lo novamente. areia, etc., primeiro certifique-se que não
• Ao rebocar um trailer, para manter a efici- há objetos ou pessoas próximas ao veí-
ência do freio motor, não utilize a sobre- culo. Durante a operação, o veículo po-
marcha. derá mover-se repentinamente para
frente e para trás, ao desatolar, causan-
do ferimentos às pessoas ou danos aos
ATENÇÃO
objetos próximos.
Sempre mantenha o pedal de freio acio-
nado a fim de parar o veículo quando o A posição de mudança das marchas é con-
NOTA
motor estiver funcionando. Isto evita que vencional, conforme mostrado na figura.
o veículo se movimente. Ao desatolar seu veículo, observe as se- Pressione o pedal da embreagem totalmente
guintes precauções para evitar danos à ao trocar de marcha, e solte-o lentamente. Não
transmissão e outras partes. apoie o seu pé no pedal da embreagem en-
NOTA ◆ Não acelere enquanto muda a posi- quanto dirige, pois poderá causar problemas
Não segure o veículo parado, com o pe- ção da alavanca seletora, ou antes à embreagem. Não utilize a embreagem para
dal do acelerador, em um aclive. Isto po- que a marcha esteja totalmente en- segurar o veículo parado em aclives. Utilize o
derá ocasionar o superaquecimento da gatada, para frente ou para trás. freio de estacionamento.
transmissão. Sempre utilize o pedal do ◆ Não acelere demasiadamente o mo- Mudanças ascendentes em baixas rotações
freio ou o freio de estacionamento. tor ou permita que as rodas patinem. ou descendentes em altas rotações poderão
◆ Se o veículo continuar atolado após causar perda de torque ou tranco. Repetidas
várias tentativas, considere outros e constantes acelerações até máxima rotação
meios para retirá-lo, como rebocá-lo. do motor resultarão em desgaste excessivo do
motor e elevado consumo de combustível.

1-6-5
Freio de estacionamento
Velocidades máximas permitidas Práticas para uma boa condução
Para trafegar em rodovias ou para ultrapassa- • Caso haja dificuldade para engatar a mar-
gens, a máxima aceleração poderá ser neces- cha-à-ré, coloque a transmissão em neutro,
sária. Certifique-se de observar as seguintes solte o pedal da embreagem momenta-
velocidades máximas em cada marcha: neamente, e tente novamente.
Motor 3ZZ-FE (modelo XLi) • Ao rebocar um trailer, de forma a manter a
marcha km/h eficiência dos freios, não utilize a quinta
marcha.
1ª 46
2ª 86 ATENÇÃO
3ª 125
Cuidado ao reduzir a marcha sobre uma
4ª 169
superfície escorregadia. Uma troca de
Motor 1ZZ-FE (modelos XEi e SE-G) marcha repentina poderá fazer com que
Ao estacionar, aplique firmemente o freio de
marcha km/h o veículo patine ou derrape.
estacionamento para evitar que o veículo se
1ª 51 movimente.
2ª 86 NOTA Para acionar: Puxe a alavanca para cima. Para
3ª 125 máxima força de aplicação, primeiro acione o
Certifique-se de que o veículo está total- pedal do freio e mantenha-o pressionado en-
4ª 169 mente parado antes de engatar a marcha- quanto puxa a alavanca.
à-ré.
Para soltá-lo: Puxe a alavanca para cima leve-
NOTA
mente (1), pressione o botão com seu polegar
Não reduza, se você estiver mais veloz (2), e abaixe-o (3).
que o máximo permitido para a marcha Para lembrá-lo que o freio de estacionamento
imediatamente inferior. está acionado, a luz de advertência, no painel
de instrumentos permanece acesa.

1-6-6
Controle de velocidade de cruzeiro
(modelo SE-G automático)
O controle de velocidade de cruzeiro (cruise
ATENÇÃO control) permite manter a velocidade do veícu-
lo na faixa desejada, a partir de 40 Km/h sem
Antes de dirigir, certifique-se que o freio ter que pressionar o pedal do acelerador.
de estacionamento está totalmente sol-
to, e que a luz de advertência do freio de A velocidade de cruzeiro pode ser mantida numa
estacionamento no painel está apagada. faixa alta ou baixa, dentro dos limites de desem-
penho do motor, embora, uma pequena varia-
ção de velocidade possa ocorrer ao dirigir em
subidas ou descidas. Numa subida íngreme ocor-
rerá uma mudança de velocidade maior. Dessa
forma, será melhor dirigir com o sistema de con-
trole de velocidade de cruzeiro, desligado.

ATENÇÃO ATIVANDO O SISTEMA


Para operar o controle de velocidade de cru-
• Para manter o máximo controle do seu
zeiro, pressione o interruptor “ON-OFF”. Isso
veículo não utilize o controle de velo-
ligará o sistema. A luz indicadora “CRUISE”,
cidade de cruzeiro quando estiver diri-
na alavanca, acenderá mostrando que você
gindo no tráfego pesado ou que muda
poderá ajustar a velocidade desejada. Aper-
constantemente, sobre uma superfície
tando novamente o interruptor, o sistema des-
escorregadia (com gelo, lama, pista
ligará totalmente.
molhada) ou numa estrada sinuosa.

• Evite o aumento da velocidade do veí- ATENÇÃO


culo ao dirigir em descidas. Se a velo-
cidade do veículo for muito maior que Para evitar a ativação acidental do sis-
a ajustada pelo controle de velocidade tema de controle de velocidade de cru-
de cruzeiro, cancele-o e reduza a mar- zeiro, mantenha o interruptor “ON-OFF”
cha para usar o freio motor e reduzir a desligado quando não estiver utilizan-
velocidade na descida. do o sistema.

1-6-7
Caso necessite acelerar, como numa ultrapas- outro procedimento ajustará mais rapidamente
sagem, pressione o pedal do acelerador o su- a velocidade: pressione o pedal do acelerador
ficiente para que o veículo supere a velocidade até atingir a velocidade desejada e então pres-
ajustada. Ao soltar o pé do acelerador o veí- sione o botão “SET/COAST”.
culo retornará à velocidade pré-ajustada.
REAJUSTANDO PARA UMA VELOCIDADE
CANCELANDO A VELOCIDADE PRÉ- MENOR
AJUSTADA Pressione e mantenha pressionado o botão
Você pode cancelar a velocidade pré-ajusta- “SET/COAST”, até atingir a velocidade deseja-
da pressionando o pedal do freio. da e então solte-o.Enquanto o botão for manti-
Se os botões “RES/ACC” e “SET/COAST” fo- do pressionado a velocidade diminuirá
rem pressionados simultaneamente, a veloci- gradualmente. Contudo, outro procedimento
dade pré-ajustada poderá ser cancelada. ajustará mais rapidamente a velocidade: pres-
sione o pedal do freio até que o veículo atinja
Se a velocidade do veículo baixar para menos
AJUSTANDO A VELOCIDADE DESEJADA a velocidade desejada e então pressione o
de 40 Km/h, a velocidade pré-ajustada será
A alavanca seletora deve ser colocada na po- botão “SET/COAST”.
automaticamente cancelada.
sição “D” antes de ajustar o controle de velo- Caso você desligue o interruptor da
Se a velocidade do veículo cair 16 Km/h abai-
cidade de cruzeiro. Leve o veículo até a sobremarcha com o controle de velocidade de
xo da velocidade pré-ajustada ela será auto-
velocidade desejada e então pressione o bo- cruzeiro ligado, o freio motor não será aplicado
maticamente cancelada.
tão “SET/COAST” e solte-o. pois o controle de velocidade de cruzeiro não
Se a velocidade do veículo for automaticamen- foi cancelado. Para diminuir a velocidade do ve-
Isso ajustará o controle do veículo nessa ve-
te cancelada por outros motivos além dos men- ículo reajuste para uma velocidade menor atra-
locidade. Caso essa velocidade não esteja
cionados acima, leve seu veículo à sua vés da alavanca do controle ou pressionando
satisfatória, dê um toque no botão “RES/ACC”
concessionária Toyota assim que possível. o pedal do freio. Se você utilizar o pedal do freio
para aumentar a velocidade ou um toque no
botão “SET/COAST” para diminui-Ia. A cada o controle de velocidade será cancelado.
REAJUSTANDO PARA UMA VELOCIDADE
toque a velocidade é ajustada em 1,6 Km/h. MAIOR
Agora você pode tirar o pé do acelerador.
Pressione e mantenha pressionado o botão
“RES/ACC”até atingir a velocidade desejada. En-
quanto o botão estiver sendo pressionado, a ve-
locidade irá aumentar gradualmente. Contudo,
1-6-8
RETOMANDO A VELOCIDADE PRÉ-AJUS-
TADA
Caso a velocidade pré-ajustada tenha sido
cancelada pressionando-se o pedal do freio,
pressione o botão “RES/ACC”. O veículo atin-
girá a velocidade pré-ajustada antes do can-
celamento, a menos que, o veículo esteja com
velocidade menor que 40 Km/h, a velocidade
pré-ajustada não poderá ser retomada.

ADVERTÊNCIA DE FALHA NO CONTROLE


DE VELOCIDADE DE CRUZEIRO
Se a luz indicadora “CRUISE”, na alavanca,
piscar quando o controle de velocidade de cru-
zeiro estiver acionado com o veículo em mo-
vimento, o sistema desligará após a luz de
advertência piscar por 5 vezes.
Se alguma das seguintes condições então
acontecer, há um problema no sistema de con-
trole de velocidade de cruzeiro.
• A luz indicadora não acende.
• A luz indicadora continua piscando
• A luz indicadora apaga após ter acendido.
Nesse caso, contate sua concessionária Toyota
para que seja feita uma inspeção no veículo.

1-6-9
1-6-10
Como utilizar seu sistema de áudio —
Referência — Informações básicas
Esta seção descreve algumas características
Seção 1 básicas dos sistemas de áudio Toyota. Algu-
mas informações descritas poderão não ope-
OPERAÇÃO DOS rar no sistema de áudio instalado no seu
veículo.
INSTRUMENTOS E Seu sistema de áudio funciona quando a cha-
CONTROLES ve de ignição está posicionada em “ACC” ou
“ON”.
Capítulo 1-7 LIGANDO E DESLIGANDO O SISTEMA DE
ÁUDIO
Sistema de Áudio
Tipo A –
• Referência
Pressione “PWR / VOL” para ligar ou desligar
• Como utilizar seu sistema de áudio: o sistema de áudio.
Tipo A
• informações básicas Pressione “AM”, “FM 1-2” ou “AUX” para
acessar a função desejada sem pressionar
• controles e características “PWR / VOL”.
• Sistema anti-furto Tipo B –
• Recomendações operacionais para o Pressione “POWER” para ligar o sistema de
sistema de áudio do veículo áudio. E mantenha o botão “POWER” pres-
sionada por pelo menos 3 segundos para
desligá-lo.
Pressione qualquer botão, exceto “EJECT ”
para acessar a função sem pressionar
“POWER”.
Você poderá ligar o CD Player inserindo um
disco.

Tipo B

1-7-1
Você poderá desligar o CD Player ejetando o TONALIDADE E BALANÇO A ANTENA DE SEU RÁDIO
disco. Se o sistema de áudio estava desliga- Para detalhes sobre os controles de tonalida- Para remover gire-a no sentido anti-horário e
do, quando você inseriu o disco, o sistema de e balanço, consulte nas páginas a seguir a para instalar gire-a no sentido horário.
completo será desligado quando você ejetar descrição dessas funções para o tipo de áudio
o disco. Se a outra função estava ligada, esta instalado em seu veículo.
voltará a funcionar. NOTA
Tonalidade
COMUTAÇÃO ENTRE FUNÇÕES ◆ Para evitar danos à antena, antes de
A excelência da qualidade de sons de um pro-
Tipo A – grama é determinada pela mixagem dos ní- usar o lavador automático para ve-
Pressione veis de tonalidades de agudos e graves. Na ículos, certifique-se de remover a
verdade, os diversos tipos de música ou trans- antena.
“AM”, “FM1” , “FM2” ou “AUX” se o sistema já
estiver ligado e você deseja passar de uma missões vocais geralmente soam melhor con-
função para outra. forme as diversas mixagens entre tonalidades
de agudos ou graves.
Tipo B –
Balanço
Pressione “SOURCE” se o sistema já estiver
ligado e você deseja passar de uma função Também é muito importante um bom equilí-
para outra rádio ou CD. brio entre os alto-falantes direito e esquerdo,
dianteiro e traseiro.
Caso você esteja ouvindo uma gravação ou
transmissão vocal, a alteração do equilíbrio
direito/esquerdo aumentará o volume em um
grupo de sons e reduzirá o volume de outro.

1-7-2
SEU CD PLAYER SEU CD CHANGER
Para inserir um disco empurre-o suavemente Para inserir um disco, pressione “LOAD” e in-
pela abertura, certificando-se introduzi-lo na sira o disco empurrando-o suavemente pela
posição correta, com a etiqueta voltada para abertura, certificando-se introduzi-lo na posi-
cima. O CD Player iniciará a reprodução da ção correta, com a etiqueta voltada para cima.
primeira faixa do disco e ao atingir a última Caso o disco seja inserido na posição inversa
faixa retornará à primeira. o sistema irá ejetá-lo automaticamente. O CD
Em modelos equipados com CD Changer após Player iniciará a reprodução da primeira faixa
atingir a última faixa, o sistema iniciará a re- do disco e ao atingir a última faixa, o sistema
produção da primeira faixa do próximo disco. iniciará a reprodução da primeira faixa do pró-
ximo disco.
NOTA
Nunca tente desmontar qualquer parte
do sistema de áudio e não introduza na NOTA
abertura, objeto algum além dos discos
de 12 cm, caso contrário o equipamento ◆ Não introduza dois discos simulta-
poderá ser danificado. neamente no sistema, isto poderá
causar danos ao CD Changer. Intro-
duza um disco por vez.
◆ Nunca tente desmontar qualquer par-
te do sistema de áudio e não introdu-
za na abertura, objeto algum além dos
discos de 12 cm, caso contrário o
equipamento poderá ser danificado.

1-7-3
— Controles e características
Tipo A —

1-7-4
OPERANDO O RÁDIO 2. Pressione o botão “SCAN” por aproxima- OPERANDO O CD
(a) Sintonia manual damente 2 segundos até ouvir um “bip”, (a) Inserindo um disco
para realizar uma busca em todas as es-
1. Pressione o botão “AM” ou “FM 1-2” para 1. Pressione o botão “LOAD”. Os indicado-
tações. Cada estação memorizada será
selecionar uma frequência. res da abertura e do disco irão piscar du-
ouvida por 5 segundos e após esse perío-
2. Gire o botão “TUNE” para a direita ou para rante 15 segundos.
do o sistema passará a busca para a pró-
a esquerda aumentando ou diminuindo a xima estação memorizada. 2. Insira o disco. Certifique-se de introduzi-lo
frequência, até que a frequência desejada Para selecionar a estação desejada, pressio- na posição correta, com a etiqueta volta-
apareça no visor. ne novamente o botão “SCAN”. da para cima.
O indicador “ST” aparecerá no visor quando O indicador “ST” aparecerá no visor quando Se o disco não for inserido dentro do intervalo
uma emissora estéreo estiver sintonizada. uma emissora estéreo estiver sintonizada. de 15 segundos, a abertura fechará e será ne-
(b) Sintonia automática cessário repetir o passo 1 para inserir o disco.
(d) Memorizando uma emissora
1. Pressione o botão “AM” ou “FM 1-2” para 1. Selecione a banda desejada “AM”, “FM1” Para inserir outros discos, repita os passos
selecionar uma frequência. ou “FM2”. 1 e 2.
2. Pressione o botão “SEEK ∧ “ ou “SEEK∨” 2. Selecione a frequência desejada, veja item O indicador permanecerá aceso enquanto o
até que a frequência desejada apareça no (a) ou (b). disco permanecer no CD Player.
visor. 3. Pressione e mantenha pressionado qual- (b) Inserindo todos os discos
O indicador “ST” aparecerá no visor quando quer um dos botões de 1 a 6 até que soe 1. Pressione o botão “LOAD” por aproxima-
uma emissora estéreo estiver sintonizada. um “bip”. O número de memorização apa- damente 2 segundos até ouvir um “bip”.
(c) Sintonia de busca recerá no visor. Os indicadores da abertura e do disco irão
Este sistema memoriza uma estação AM e piscar durante 15 segundos.
1. Pressione o botão “SCAN” para realizar
duas FM para cada botão. 2. Insira o disco. Certifique-se de introduzi-lo
uma busca em todas as estações. Cada
estação será ouvida por 5 segundos e após (e) Sintonizando uma estação memorizada na posição correta, com a etiqueta volta-
esse período o sistema passará a busca 1. Selecione a banda desejada “AM”, “FM1” da para cima.
para a próxima estação. ou “FM2”. 3. Quando um disco for inserido, os indica-
2. Pressione os botões de 1 a 6 para sintoni- dor do próximo disco e os indicadores da
zar a estação previamente memorizada. O abertura irão piscar durante 15 segundos.
visor mostrará o número da memória e a
estação memorizada).
1-7-5
4. Insira o próximo disco. Certifique-se de in- (e) Selecionando uma faixa (i) Função de Reprodução Aleatória
troduzi-lo na posição correta, com a eti- 1. Pressione o botão “TRACK ∧” ou “TRACK ∨” 1. Pressione o botão “RAND” para executar
queta voltada para cima. para selecionar as faixas do disco que está aleatoriamente as faixas do disco.
Se o disco não for inserido dentro do intervalo sendo reproduzido. 2. Pressione o botão “RAND” por aproxima-
de 15 segundos, a abertura fechará e será ne- (f) Selecionando um disco damente 2 segundos até ouvir um “bip”,
cessário repetir o passo 1 para inserir o disco. para executar aleatoriamente todas as fai-
1. Pressione o botão “DISC ∧” ou “DISC ∨”
Para cancelar a sequência de inserção dos para selecionar o disco que será reprodu- xas de todos os discos. “ RAND” apare-
discos, pressione o botão “LOAD” por aproxi- zido. O indicador do disco selecionado cerá no visor.
madamente 2 segundos. aparecerá no visor. 3. Pressione novamente o botão “RAND” para
(c) Removendo um disco (g) Função Avanço e Retrocesso cancelar a função.
1. Pressione o botão “EJECT ” e retire o disco. 1. Pressione o botão para avançar ou o (j) Função de busca
Para remover o disco quando a chave de ig- botão para retroceder rapidamente e 1. Pressione o botão “SCAN” para realizar
nição estiver em OFF, pressione o botão encontrar o ponto desejado na música. uma busca em todas as faixas do disco.
“EJECT ” (h) Função de Repetição Cada faixa do disco será ouvida por 10
(d) Removendo todos os discos segundos e após esse período o sistema
1. Pressione o botão “RPT” para executar re-
passará a reproduzir a próxima faixa.
1. Pressione o botão “EJECT ” por aproxi- petidamente uma faixa do disco.
madamente 2 segundos até ouvir um “bip”. 2. Pressione o botão “SCAN” por aproxima-
2. Pressione o botão “RPT” por aproximada-
O primeiro disco será ejetado e os outros damente 2 segundos até ouvir um “bip”,
mente 2 segundos até ouvir um “bip”, para
sairão na sequência. para realizar uma busca em todas as fai-
executar repetidamente todas as faixas do
xas de todos os discos. Cada faixa será
Se o disco não for removido dentro do inter- disco. “ RPT” aparecerá no visor.
ouvida por 10 segundos e após esse perí-
valo de 15 segundos, a sequência será can- 3. Pressione novamente o botão “RPT” para odo o sistema passará a reproduzir a pró-
celada. cancelar a função. xima faixa. Quando a última faixa de um
Para reiniciar a sequência de remoção dos disco for atingida o sistema continuará a
discos será necessário repetir o passo 1. busca na primeira faixa do próximo disco.
O indicador permanecerá aceso enquanto o Para selecionar a faixa desejada, pressione
disco permanecer no CD Player. novamente o botão “SCAN”.
Para remover o disco quando a chave de ignição
estiver em OFF, pressione o botão “EJECT ”.
1-7-6
AJUSTANDO O SISTEMA DE ÁUDIO (e) Função Volume
(a) Função Grave (BASS) 1. Gire o botão “PWR / VOL” para a direita ou
1. Pressione o botão “AUDIO CTRL” 1 vez esquerda para ajustar o volume.
para que a mensagem “BAS” apareça no CÓDIGOS DE FALHA
visor. Err 1 – Aparece no visor quando o disco está sujo,
2. Gire o botão para a direita ou para a es- danificado ou foi inserido com a etiqueta voltada
querda ajustando os tons graves. para baixo. Pressione o botão “EJECT ” para
(b) Função Agudo (TREBLE) retirar o disco.
1. Pressione o botão “AUDIO CTRL” 2 vezes Err 3 – Aparece no visor quando há um proble-
até que a mensagem “TRE” apareça no ma no CD Player. Pressione o botão “EJECT ”
visor. ou pare o veículo em um local seguro, desligue
a ignição e ligue-a novamente.
2. Gire o botão para a direita ou para a es-
querda ajustando os tons agudos. Err 4 – Aparece no visor quando há oscila-
ção no sinal de alimentação. Pressione o bo-
(c) Função Equilíbrio (FADER)
tão “EJECT ” e todos os discos serão
1. Pressione o botão “AUDIO CTRL” 3 vezes removidos.
até que a mensagem “FAD” apareça no
WAIT – Aparece no visor devido à alta tempe-
visor.
ratura no interior do veículo. Aguarde até que
2. Gire o botão para a direita ou para a es- a parte interna do veículo seja resfriada.
querda ajustando o equilíbrio do som en-
tre os auto falantes dianteiros e traseiros.
(d) Função Balanço (BALANCE)
1. Pressione o botão “AUDIO CTRL” 4 vezes
até que a mensagem “BAL” apareça no
visor.
2. Gire o botão para a direita ou para a es-
querda ajustando o balanço do som entre
os auto falantes direitos e esquerdos.

1-7-7
Tipo B —

1-7-8
OPERAÇÕES BÁSICAS (b) Fixando o painel frontal (c) Inicializando o sistema
(a) Removendo o painel frontal 1. Primeiro, insira o lado direito do painel fron- Imediatamente após a instalação e alimenta-
1. Pressione o Botão “POWER” por mais de tal na cavidade conforme figura, alinhan- ção, a unidade pode ser inicializada. Para isso,
3 segundos para desligar o aparelho. do os dois pequenos orifícios do painel primeiro remova o painel frontal. Do lado di-
frontal com as duas saliências da unidade reito do conector da unidade principal há um
2. Pressione o Botão “ ” de liberação, no
principal. pequeno orifício.
canto esquerdo inferior, até que saia o
painel frontal. 2. Pressione o lado esquerdo do painel fron- Usando um lápis ou outro objeto pontiagudo,
tal até que trave firmemente na unidade pressione o botão vermelho de “RESET”, den-
3. Segure a parte esquerda do painel frontal
principal. tro deste orifício para completar o procedimen-
e o retire totalmente.
Antes de fixar o painel frontal, verifique se não to de inicialização.
O painel frontal poderá aquecer-se com o uso
há qualquer sujeira ou pó nos terminais do
normal (especialmente nos terminais do
conector, nem objetos estranhos entre o pai-
conector). Isto não é uma falha.
nel frontal e a unidade principal.
Para a proteção do painel frontal, guarde-o no
estojo que acompanha o aparelho.

1-7-9
OPERANDO O RÁDIO 4. Com o modo “DX SEEK” selecionado, pres- (d) Memorizando uma emissora na banda
(a) Sintonia manual sione o botão “ DN” ou “ UP” até de acesso direto
que a frequência desejada apareça no 1. Pressione e mantenha pressionado o bo-
1. Pressione o botão “SOURCE” para seleci-
visor. tão “D.A.P.” por mais de 2 segundos até
onar uma frequência.
O indicador ((STEREO)) aparecerá no visor que o indicador D.A.P. apareça.
2. Pressione o botão “BAND” repetidamente
quando uma emissora estéreo estiver sintoni- 2. Pressione o botão “BAND” para selecio-
para selecionar a banda desejada FM1 /
zada. nar a banda FM ou AM. A faixa se leciona-
FM2 / AM.
(c) Memorizando uma emissora da será visualizada. Para selecionar as
3. Pressione o botão “ DN” ou “ UP”
1. Pressione o botão “BAND” repetidamente emissoras, veja o passo (a) ou (b).
até que a frequência desejada apareça no
visor. para selecionar a banda desejada FM1 / Uma combinação de emissoras de rádio de
FM2 / AM. qualquer banda AM ou FM (até 6 emissoras)
O indicador ((STEREO)) aparecerá no visor
2. Selecione a frequência desejada, veja item podem ser memorizadas, manualmente na
quando uma emissora estéreo estiver sintoni-
(a) ou (b) . faixa do D.A.P.
zada.
3. Pressione e mantenha pressionado qual- Esta função poderá ser usada juntamente com
(b) Sintonia automática
quer um dos botões de 1 a 6 por pelo me- a memorização automática.
1. Pressione o botão “SOURCE” para seleci-
nos 2 segundos até que a frequência Para cancelar o modo D.A.P. pressione e man-
onar uma frequência.
selecionada pisque no visor. tenha pressionado o botão D.A.P. por pelo
2. Pressione o botão “BAND” repetidamente menos 2 segundos. O indicador D.A.P. irá se
4. Pressione o botão de memorização em que
para selecionar a banda desejada FM1 / desligar.
você deseja armazenar a estação. O núme-
FM2 / AM.
ro de memorização com um triângulo ( )
3. Pressione o botão “TUNE” até que a men- aparecerá no visor.
sagem “DX SEEK” ou “SEEK” apareça no
Este sistema memoriza uma estação AM e
visor. Com o modo “DX SEEK” ativado as
duas FM para cada botão.
emissoras de sinal forte e fraco serão sin-
tonizadas, com o modo “SEEK” somente
as emissoras de sinal local serão sintoni-
zadas.

1-7-10
OPERANDO O CD (e) Selecionando uma faixa (g) Função de Repetição
(a) Inserindo um disco 1. Pressione o botão “ DN” para retornar 1. Pressione o botão “REPEAT” para execu-
1. Insira o disco até a metade na abertura do ao início da música que está sendo tar repetidamente uma faixa do disco. O
CD Player. Certifique-se de introduzi-lo na reproduzida ou pressione-o quantas vezes indicador RPT aparecerá no visor.
posição correta, com a etiqueta voltada forem necessárias para retroceder as faixas, 2. Pressione novamente o botão “REPEAT”
para cima. O CD Player carregará auto- até que a faixa desejada seja selecionada. para cancelar a função.
maticamente o disco. 2. Pressione o botão “ UP” quantas ve- (h) Função de Reprodução Aleatória
O indicador “DISC IN” aparecerá para indicar zes forem necessárias para avançar as fai-
1. Pressione o botão “M.I.X.” para executar
que o disco está carregado. xas, até que a faixa desejada seja
aleatoriamente as faixas do disco.
selecionada.
(b) Removendo um disco 2. Pressione novamente o botão “M.I.X.” para
(f) Função Avanço e Retrocesso
1. Pressione o botão “EJECT ” e retire o disco. cancelar a função.
Caso o disco não seja removido após alguns 1. Pressione e mantenha pressionado o botão
(i) Função de busca
segundos, o sistema irá reinseri-lo automati- “ UP” para avançar ou o botão “ DN”
para retroceder rapidamente e encontrar o 1. Pressione o botão “SCAN” para realizar
camente.
ponto desejado na música. uma busca em todas as faixas do disco.
(c) Reproduzindo um disco Cada faixa do disco será ouvida por 10 se-
1. Insira o disco na abertura. O CD Player gundos e após esse período o sistema
iniciará a reprodução à partir da primeira passará a reproduzir a próxima faixa.
faixa do disco. Para selecionar a faixa desejada, pressione
2. Pressione o botão “DISP” para alternar en- novamente o botão “SCAN”.
tre o número da trilha e o tempo de repro- AJUSTANDO O SISTEMA DE ÁUDIO
dução, no visor.
(a) Função Grave (BASS)
Quando a última faixa for reproduzida, o siste-
1. Pressione o botão “MODE” 1 vez para que
ma retornará à reprodução da primeira faixa.
a mensagem “BAS” apareça no visor.
(d) Função Pausa
2. Pressione o botão “∧” ou “∨” para ajustar
1. Pressione o botão “ ” para interromper o balanço do som entre os auto falantes
momentaneamente a reprodução do dis- direitos e esquerdos.
co. Para voltar a reprodução, pressione no-
vamente o botão.
1-7-11
Caso o botão “∧” ou “∨” não seja pressionado (d) Função Equilíbrio (FADER) (g) Função MUTE
num intervalo de 5 segundos, a função volu- 1. Pressione o botão “MODE” 4 vezes até que 1. Pressione o botão “MUTE” para selecio-
me será selecionada automaticamente. a mensagem “FAD” apareça no visor. nar a função. O nível de áudio diminuirá
O sistema efetua os ajustes de graves para 2. Pressione o botão “∧” ou “∨” para ajustar para cerca de 20 dB.
cada banda independentemente. o balanço do som entre os auto falantes Pressione novamente o botão “MUTE” para
(b) Função Agudo (TREBLE) direitos e esquerdos. que o volume do som voltar ao nível anterior.
1. Pressione o botão “MODE” 2 vezes até que Caso o botão “∧” ou “∨” não seja pressionado (h) Ligando e desligando o Subwoofer
a mensagem “TRE” apareça no visor. num intervalo de 5 segundos, a função volu- 1. Pressione e mantenha pressionado o bo-
2. Pressione o botão “∧” ou “∨” para ajustar me será selecionada automaticamente. tão “EJECT ” por pelo menos 3 segun-
o balanço do som entre os auto falantes (e) Função Volume (VOL) dos para ativar ou desativar o subwoofer.
direitos e esquerdos. 1. Pressione o botão “∧” ou “∨” para ajustar 2. Pressione o botão “MODE” e em seguida
Caso o botão “∧” ou “∨” não seja pressionado o volume. o botão “∧” ou “∨” para ajustar o
num intervalo de 5 segundos, a função volu- (f) Função Loudness (LOUD) subwoofer.
me será selecionada automaticamente. O modo inicial do subwoofer é desligado.
1. Pressione e mantenha pressionado o bo-
O sistema efetua os ajustes de agudos para tão “LOUD” por pelo menos 2 segundos (i) Ajustando a frequência do grave
cada banda independentemente. para ativar ou desativar o efeito sonoro 1. Pressione e mantenha pressionado o bo-
(c) Função Balanço (BALANCE) “loudness”. Quando a função “loudness” for tão “BASS.C” por pelo menos 3 segundos
1. Pressione o botão “MODE” 3 vezes até que ativada, “LOUD” aparecerá no visor. para ativar ou desativar o controle de ajuste
a mensagem “BAL” apareça no visor. A função “LOUDNESS” permite uma acentua- de graves.
2. Pressione o botão “∧” ou “∨” para ajustar ção especial nas baixas e altas frequências a 2. Pressione o botão “ DN” ou “ UP”
o balanço do som entre os auto falantes níveis baixos de volume para compensar a para selecionar a frequência central do
direitos e esquerdos. redução da sensibilidade do ouvido humano grave desejada.
ao sons de graves e agudos.
Caso o botão “∧” ou “∨” não seja pressionado Cada vez que um dos botões é pressionado a
num intervalo de 5 segundos, a função volu- frequência muda para 60Hz, 80Hz, 100Hz e
me será selecionada automaticamente. 200Hz.
Se nenhum botão for pressionado em um in-
tervalo de 5 segundos, o controle de ajuste de
graves será automaticamente desligado.
1-7-12
Sistema Anti-Furto (Tipo A)
CÓDIGOS DE FALHA O sistema de áudio de seu veículo permite a (a) Inserindo um novo código
Erro Mecânico – Aparece no visor quando há inserção de um código anti-furto. Caso o rádio Coloque a chave de ignição na posição “ACC”
um problema no sistema. Pressione o botão seja removido do veículo ou a bater ia ou “ON” e desligue o rádio.
“EJECT ”. desconectada por um período superior a 30
Escolha um código de três números e execu-
segundos, o sistema de áudio entrará no modo
---H - Aparece no visor devido à alta tempera- te o procedimento a seguir:
de segurança e não irá operar até que o códi-
tura no interior do veículo. Aguarde até que a 1. Mantenha pressionados os botões 1 e 6
go correto seja inserido.
parte interna do veículo seja resfriada enquanto aperta o botão PWR (liga) por
Ao inserir o código de segurança pela primei-
---E - Aparece no visor quando há um problema 0,5 seg.
ra vez, lembre-se de anotá-lo guardando-o em
no CD Player. Pressione o botão “EJECT ”. 2. A mensagem “SEC” aparecerá no visor.
um local seguro. Nunca deixe o código anota-
Caso a mensagem de erro permaneça no visor,
do dentro do veículo. Caso seu veículo neces- 3. Mantenha pressionado o botão “SEEK ∧ ”
pressione novamente o botão “EJECT ”. Caso
site de algum reparo e para isso seja e aperte o botão “1”.
o disco não possa ser ejetado, pressione e
necessário desconectar a bateria, você deve- 4. “ _ _ _” aparecerá no visor.
mantenha pressionado o botão “EJECT ”,
rá ter o código de segurança em mãos para
pressione “RESET” e pressione “EJECT ” 5. Pressione o botão “1” tantas vezes quanto
que o sistema de áudio volte a operar normal-
novamente. necessário, para que o primeiro número
mente.
EEE - Aparece no visor quando há uma cone- do código escolhido apareça no visor.
Caso o código de segurança não seja inseri-
xão incorreta no sistema. 6. Pressione o botão “2” tantas vezes quanto
do, o seu sistema de áudio não estará prote-
T--- - Aparece no visor quando o disco não gido e irá operar normalmente em outro necessário, para que o segundo número
está na unidade. veículo, no caso de furto. do código escolhido apareça no visor.
O sistema anti-furto permite a troca do código 7. Pressione o botão “3” tantas vezes quanto
de segurança necessário, para que o terceiro número do
código escolhido apareça no visor.
8. Mantenha o botão “SCAN” pressionado. O
código inserido será gravado.
9. Caso o código inserido tenha menos de 3
dígitos, a mensagem “Err” aparecerá no
visor por 2 segundos e você deverá
retornar ao passo 3.

1-7-13
(b) Apagando o código antigo 11. Caso o código inserido esteja incorreto, a 9. Se o código estiver correto, o código será
Coloque a chave de ignição na posição “ACC” mensagem “Err” aparecerá no visor. O có- apagado.
ou “ON” e desligue o rádio. digo deverá ser reinserido. Se o código correto não for inserido em até 10
1. Mantenha pressionados os botões 1 e 6 Se o código correto não for inserido em até 10 tentativas, o rádio travará e deverá ser levado à
enquanto aperta o botão PWR (liga) por tentativas, o rádio travará e deverá ser levado à sua concessionária Toyota para ser destravado.
0,5 seg. sua concessionária Toyota para ser destravado.
2. A mensagem “SEC” aparecerá no visor. (c) Reinserindo o código anti-furto
3. Mantenha pressionado o botão “SEEK ∧ ” Este procedimento deverá ser utilizado caso
e aperte o botão “1”. o rádio tenha sido removido do veículo ou a
bateria desconectada por um período superi-
4. “ _ _ _” aparecerá no visor.
or a 15 segundos e o sistema de áudio tenha
5. Pressione o botão “1” tantas vezes quanto entrado no modo de segurança.
necessário, para que o primeiro número
Coloque a chave de ignição na posição ACC
do seu código apareça no visor.
ou ON e desligue o rádio.
6. Pressione o botão “2” tantas vezes quanto
1. A mensagem “SEC” aparece no visor.
necessário, para que o segundo número
do seu código apareça no visor. 2. Mantenha pressionado o botão “SEEK ∧”
e aperte o botão “1”.
7. Pressione o botão “3” tantas vezes quanto
necessário, para que o terceiro número do 3. “ _ _ _” aparecerá no visor.
seu código apareça no visor. 4. Pressione o botão “1” até que o primeiro
8. Mantenha o botão “SCAN” pressionado por número do seu código apareça no visor.
1 segundo. 5. Pressione o botão “2” até que o segundo
9. Se o código estiver correto, “ _ _ _” apa- número do seu código apareça no visor.
recerá no visor por 10 segundos. 6. Pressione o botão “3” até que o terceiro
10. Mantenha pressionado o botão “SEEK ∧” número do seu código apareça no visor.
e aperte o botão “1” para ir ao passo A-1, 7. “ ” aparecerá no visor.
a fim de inserir o novo código. 8. Mantenha o botão “SCAN” pressionado por
1 segundo.

1-7-14
Recomendações operacionais para o
sistema de áudio do veículo
• Se entrar umidade no seu CD Player, pode
NOTA ser que você não ouça nenhum som em-
Para garantir o funcionamento correto bora o CD Player pareça estar tocando. Re-
do sistema de áudio: tire o disco do CD Player e espere até que
ele seque.
◆ Não deixe respingar bebidas sobre o
sistema de áudio.
◆ Não coloque na abertura, qualquer
outro objeto além da fita cassete.

RECEPÇÃO DO RÁDIO
As transmissões FM atuam em uma faixa de
aproximadamente 40 km. Ao dirigir distanci-
ando-se de uma estação, poderá ser neces- CUIDADOS COM O CD PLAYER E
sário sintonizar seu rádio e aumentar o volume OS DISCOS
à medida em que o sinal enfraquecer.
• Use somente discos identificados confor-
Uma vez que as transmissões FM utilizam si- me indicado na ilustração acima. CD-R (CD-
nal na “linha de visão”, prédios altos ou coli- Recordable), CD-RW (CD-Re-writable) e
nas algumas vezes poderão bloquear a CD-ROMs para computador poderão não
recepção. Todas estas características são nor- ser executados em seu CD Player.
mais na recepção FM e não significam pro-
• Seu CD Player foi projetado somente para
blema no rádio.
uso com discos de 12 cm.
• Temperaturas muito altas podem impedir que
o seu CD Player funcione. Em dias quentes,
use o ar condicionado para resfriar o interior
do veículo antes de ouvir um CD.
• Ruas esburacadas ou outras vibrações po-
dem fazer com que o seu CD Player pule.

1-7-15
• Seu CD Player não poderá executar dis-
cos de formatos especiais ou de baixa qua-
lidade, tais como os da ilustração ao lado.
Não use estes discos uma vez que o equi-
pamento poderá ser danificado.
• Manuseie os discos com cuidado, especi-
almente quando for inseri-los no equipa-
mento. Segure-os pela borda e não os
entorte. Evite deixar marcas de dedos ne-
les, principalmente no lado brilhante.
• Poeira, arranhões, deformações, pequenos
furos ou outros danos no disco podem fa-
zer com que o CD Player pule ou repita
um pedaço da faixa. (Para ver um peque-
no furo, segure o disco contra a luz). Para limpar um disco: Limpe-o com um pano
úmido. Use um pano macio e que não solte
• Remova os discos do CD Player quando
fiapos. Limpe o disco começando do centro e
estes não estiverem sendo reproduzidos.
indo para a borda em linha reta e não em cír-
Guarde-os em local adequado, longe das
culo. Não use limpador de disco convencional
altas temperaturas, umidade e da luz dire-
ou dispositivo anti-estático.
ta do sol.

ATENÇÃO

Os CD Players usam raios laser invisí-


veis, que podem causar danos se esta
radiação for exposta para fora do equi-
pamento. Use o CD Player corretamen-
te, seguindo sempre as instruções.

1-7-16
Seção 1
OPERAÇÃO DOS INSTRUMENTOS E
CONTROLES
Capítulo 1-8
Sistema de Ar Condicionado
• Sistema de ar condicionado manual
• Controles
• Ajustes do seletor do fluxo de ar
• Sugestões para operação
• Sistema de ar condicionado automático
• Controles
• Ajustes do seletor do fluxo de ar
• Sugestões para operação
• Difusores

1-8-1
Sistema de ar condicionado manual —
— Controles
1. Botão A/C
2. Seletor da entrada do ar
3. Seletor da temperatura
4. Seletor da velocidade do ventilador
5. Seletor do fluxo do ar

1-8-2
Seletor da velocidade do ventilador Para detalhes sobre os ajustes do seletor do
Gire o botão para ajustar a velocidade do ven- fluxo do ar, veja a ilustração na página 1-8-5.
tilador – para a direita aumenta, para a es-
querda diminui.
Seletor da temperatura
Gire o botão para ajustar a temperatura – para
a direita aquece, para a esquerda esfria.

Seletor do fluxo do ar
Gire o botão para selecionar os difusores para
o fluxo do ar.
1. Painel – O ar flui pelos difusores do painel
2. Dois níveis – O ar flui pelos difusores do
assoalho e pelos difusores do painel.
3. Assoalho – O ar flui principalmente pelos
difusores do assoalho.
4. Assoalho/Pára-brisa – O ar flui principal-
mente pelos difusores do assoalho e pelos
difusores do pára-brisa.
5. Pára-brisa – O ar flui principalmente pelos
difusores do pára-brisa.

1-8-3
Botão “A/C”
Para ligar o ar condicionado, pressione o bo-
tão “A/C”. O indicador do botão “A/C” irá acen-
der. Para desligar o ar condicionado, pressione
o botão novamente.
Em alguns modelos, caso o indicador do bo-
tão “A/C” pisque, há um problema no sistema
de ar condicionado, e o ar condicionado desli-
ga-se automaticamente. Caso isso ocorra, leve
o seu veículo a uma concessionária Toyota
para reparos.

Seletor da entrada do ar
Movimente a alavanca para selecionar a fonte
do ar.
1. Recirculação – Recircula o ar dentro do
veículo.
2. Externo – Admite o ar do exterior do veículo.

1-8-4
— Ajustes do seletor do fluxo do ar — Sugestões para operação
• Para resfriar o seu Toyota após ter perma-
necido estacionado sob o sol, dirija-o com
as janelas abertas por alguns minutos. Isto
ventila o ar quente para fora, permitindo
que o ar condicionado refrigere o interior
mais rapidamente.
• Certifique-se de que a grade de admissão
do ar, à frente do pára-brisa está desobs-
truída (por folhas, por exemplo).
• Em dias úmidos, não sopre ar frio no pára-
brisa. O pára-brisa poderá embaçar por
causa da diferença das temperaturas in-
terna e externa.
• Mantenha a área sob os assentos diantei-
ros livre, para permitir que o ar circule por
todo o interior do veículo.
• Em dias frios, selecione a velocidade má-
xima do ventilador por um minuto, para au-
xiliar a limpeza de poeira ou umidade nos
dutos inter nos. Isto pode reduzir o
embaçamento nos vidros.

1-8-5
• Ao dirigir em estradas poeirentas, feche to- Aquecendo Ar condicionado
dos os vidros. Caso tenha entrado poeira Para melhores resultados, ajuste os controles Para melhores resultados, ajuste os controles
no interior do veículo antes dos vidros te- conforme descrito abaixo: conforme descrito abaixo:
rem sido fechados, recomendamos ajus-
Velocidade do ventilador – Qualquer Velocidade do ventilador – Qualquer,
tar o seletor de entrada de ar em “Externo”
velocidade exceto “0”. exceto “0”.
e o ventilador em qualquer velocidade,
exceto “0” (desligado). Temperatura – Na direção “Quente” Temperatura – Na direção de “Fria” (re-
(região vermelha). gião azul).
• Caso haja algum outro veículo a sua fren-
te em uma estrada poeirenta, ou caso es- Entrada de ar – EXTERNO. Entrada de ar – EXTERNO.
teja dirigindo sob vento forte e muita poeira, Fluxo do ar – ASSOALHO. Fluxo do ar – PAINEL.
recomendamos que o seletor de admissão Ar condicionado – ligado.
Ar condicionado – desligado.
do ar seja temporariamente posicionado
em “Recirculação”, o que irá fechar todos • Para rápido aquecimento, selecione recir- • Para resfriamento rápido, deixe o seletor
os difusores de entrada de ar externo, evi- culação do ar por alguns minutos. Para em recirculação por alguns minutos.
tando assim que o ar e a poeira externos manter os vidros desembaçados, selecio-
passem para o interior do veículo. ne admissão de ar fresco, após o interior
do veículo estar aquecido.
• Pressione o botão “A/C” para um aqueci-
mento desumidificado.
• Selecione o fluxo de ar para assoalho/pára-
brisa a fim de aquecer o interior do veícu-
lo enquanto desembaça o pára-brisa.

1-8-6
Ventilando Desembaçando Descongelando
Para melhores resultados, ajuste os controles O interior do pára-brisa. O exterior do pára-brisa.
conforme descrito abaixo: Para melhores resultados, ajuste os controles Para melhores resultados, ajuste os controles
Velocidade do ventilador – Qualquer conforme descrito abaixo: conforme descrito abaixo:
exceto “0”. Velocidade do ventilador – Qualquer Velocidade do ventilador – Qualquer
Temperatura – Na direção “Fria” (região ajuste exceto “0”. ajuste exceto “0”.
azul). Temperatura – Na direção de “Quente” Temperatura – Na direção de “Quente”
Entrada de ar – EXTERNO. (região vermelha), para aquecer; “Fria” (região vermelha).
Fluxo do ar – PAINEL. (região azul) para resfriar. Entrada de ar – EXTERNO.
Ar condicionado – desligado. Entrada de ar – EXTERNO. Fluxo do ar – PÁRA-BRISA.
Fluxo do ar – PÁRA-BRISA. Ar condicionado – desligado.
Ar condicionado – ligado.
• Para aquecer o interior do veículo, ou en-
quanto descongela o pára-brisa, selecio-
ne o fluxo do ar para assoalho/pára-brisa.

1-8-7
Sistema de ar condicionado automático —
— Controles
1. Seletor de velocidade do ventilador
2. Botão “OUTSIDE TEMP” (temperatura ex-
terna)
3. Botão “TEMP” (seletor de temperatura)
4. Botão “AUTO”
5. Botão “OFF”
6. Seletor da entrada do ar
7. Botão “MODE” (seletor do fluxo do ar)
8. Botão do fluxo de ar do pára-brisa
9. Botão A/C

1-8-8
4. Piso/Pára-brisa – O ar flui principalmente pe- Botão “A/C”
los difusores do assoalho e do pára-brisa. Para ligar o ar condicionado, pressione o bo-
Botão de fluxo de ar do pára-brisa tão “A/C”. O indicador do botão “A/C” irá acen-
Ao ser pressionado este botão, o ar fluirá prin- der. Para desligar o ar condicionado, pressione
cipalmente pelos difusores do pára-brisa. o botão novamente.
Ao ser novamente pressionado, o modo de flu- Caso o indicador do botão “A/C” pisque, há
xo de ar irá retornar ao selecionado anterior- um problema no sistema de ar condicionado,
mente. e o ar condicionado desliga-se automatica-
mente. Caso isso ocorra, leve o seu veículo a
Ao ser pressionado esse botão, será acio-
uma concessionária Toyota para reparos.
nado o desembaçador/ar condicionado do
pára-brisa. Neste caso, o indicador do botão
de A/C irá acender, não importando se o
botão “A/C” foi ou não pressionado. Este
modo serve para desembaçar rapidamente Seletor da entrada de ar
o pára-brisa. Pressione o botão para selecionar a entrada
Para desligar o ar condicionado, pressione no- do ar.
vamente o botão “A/C”. 1. Recirculação - Recircula o ar dentro do
Quando o botão “A/C” não estiver pressiona- veículo.
do, ao ser pressionado o botão de fluxo de ar, 2. Externo - Admite o ar do exterior do veículo.
o ar condicionado será desligado.
Quanto a detalhes sobre os ajustes do
seletor de fluxo de ar, veja a ilustração na
página 1-8-11.

1-8-10
— Ajustes do seletor do fluxo do ar — Sugestões para operação
• Para resfriar o seu Toyota após ter perma-
necido estacionado sob o sol, dirija-o com
as janelas abertas por alguns minutos. Isto
ventila o ar quente para fora, permitindo
que o ar condicionado refrigere o interior
mais rapidamente.
• Certifique-se de que a grade de admissão
do ar, à frente do pára-brisa está
desobstruída (por folhas, por exemplo).
• Em dias úmidos, não sopre ar frio no pára-
brisa. O pára-brisa poderá embaçar por
causa da diferença das temperaturas in-
terna e externa.
• Mantenha a área sob os assentos diantei-
ros livre, para permitir que o ar circule por
todo o interior do veículo.
• Em dias frios, selecione a velocidade má-
xima do ventilador por um minuto, para au-
xiliar a limpeza de poeira ou umidade nos
dutos inter nos. Isto pode reduzir o
embaçamento nos vidros.
• Ao conduzir em estradas poeirentas, fe-
che todos os vidros. Caso tenha entrado
poeira no interior do veículo antes de os
vidros terem sido fechados, recomenda-
mos ajustar o seletor da entrada de ar para
“Externo” e o ventilador em qualquer velo-
cidade.

1-8-11
• Caso haja algum outro veículo a sua fren- Aquecendo Ar condicionado
te em uma estrada poeirenta, ou caso es- Para melhores resultados, ajuste os controles: Para melhores resultados, ajuste os controles:
teja dirigindo sob vento forte e muita poeira,
Para funcionamento automático – Para funcionamento automático –
recomendamos que o seletor de entrada
de ar seja temporariamente posicionado
Pressione o botão “AUTO”. Pressione o botão “AUTO”.
em “Recirculação”, o que irá fechar todas
as entradas de ar externo, evitando assim Temperatura - Para a temperatura desejada Temperatura - Para a temperatura desejada
que o ar e a poeira externos passem para Ar condicionado - desligado Entrada de ar - EXTERNO
o interior do veículo. Ar condicionado - ligado
Para funcionamento manual –
Para funcionamento manual –
Velocidade do ventilador - Para a
velocidade desejada Velocidade do ventilador - Para a veloci-
Temperatura - “Quente” dade desejada
Entrada de ar - EXTERNO Temperatura - “Fria”
Fluxo do ar - ASSOALHO Entrada de ar - EXTERNO
Ar condicionado - desligado Fluxo do ar - PAINEL
Ar condicionado - ligado
• Para rápido aquecimento, selecione
recirculação do ar por alguns minutos. Para
• Para resfriamento rápido, deixe o seletor
manter os vidros desembaçados, selecio-
em recirculação por alguns minutos.
ne admissão de ar externo, após o interior
do veículo estar aquecido.
• Pressione o botão “A/C” para um aqueci-
mento desumidificado.
• Selecione o fluxo de ar para assoalho/pára-
brisa a fim de aquecer o interior do veícu-
lo enquanto desembaça o pára-brisa.

1-8-12
Ventilando Desembaçando Pressionando o botão de fluxo de ar do pára-
Para melhores resultados, ajuste os controles: – Parte interna do pára-brisa brisa, o “modo desembaçador” do ar condicio-
nado é ligado. Neste momento, o botão A/C é
Para funcionamento automático – Para melhores resultados, ajuste os controles:
ligado automaticamente, fazendo com que o
Para funcionamento automático – pára-brisa desembace rapidamente.
Pressione o botão “AUTO”.
Para desligar somente o ar condicionado, pres-
Temperatura - “Fria” Temperatura - “Quente” para aquecer;
sione novamente o botão A/C.
Ar condicionado - desligado “Fria” para resfriar
Quando o botão A/C não estiver pressionado,
Entrada de ar - EXTERNO
ao ser pressionado o botão de fluxo de ar, o
Para funcionamento manual – Fluxo do ar - PÁRA-BRISA ar condicionado será desligado.
Ar condicionado - LIGADO
Velocidade do ventilador - Para a
velocidade desejada
Para funcionamento manual –
Temperatura - “Fria”
Entrada de ar - EXTERNO Velocidade do ventilador - Para a
Fluxo do ar - PAINEL velocidade desejada
Ar condicionado - desligado Temperatura - “Quente” para aquecer;
“Fria” para resfriar
Entrada de ar - EXTERNO
Fluxo do ar - PÁRA-BRISA
Ar condicionado - LIGADO

1-8-13
Difusores laterais
• Em dias úmidos, não deixe que ar resfria- Pressionando o botão de fluxo de ar do pára-
do seja enviado ao pára-brisa - a diferen- brisa, o “modo desembaçador” do ar condicio-
ça de temperatura entre o ar externo e nado é ligado. Neste momento, o botão A/C é
interno, poderá prejudicar ainda mais o ligado automaticamente, fazendo com que o
embaçamento. pára-brisa desembace rapidamente.
– Parte externa do pára-brisa Para desligar somente o ar condicionado, pres-
Para melhores resultados, ajuste os controles: sione novamente o botão A/C.
Para funcionamento automático – Quando o botão “A/C” não estiver pressiona-
do, ao ser pressionado o botão de fluxo de ar,
Temperatura - “Quente” o ar condicionado será desligado.

Entrada de ar - EXTERNO • Para aquecer o interior do veículo e ao mes-


mo tempo desembaçar o pára-brisa, sele-
Fluxo de ar - PÁRA-BRISA cione o fluxo de ar assoalho/pára-brisa.
Ar condicionado - DESLIGADO Caso o controle do fluxo do ar não esteja
satisfatório, verifique os difusores laterais. Os
Para funcionamento manual – difusores laterais podem ser fechados ou aber-
tos, conforme mostrado.
Velocidade do ventilador - Para a
velocidade desejada
Temperatura - “Quente”
Entrada de ar - EXTERNO
Fluxo de ar - PÁRA-BRISA
Ar condicionado - DESLIGADO

1-8-14
Relógio
O relógio digital indica as horas
Seção 1 A chave da ignição deve estar na posição
“ACC” ou “ON”.
OPERAÇÃO DOS
Tipo A –
INSTRUMENTOS E Para zerar a hora: Pressione o botão “H”.

CONTROLES Para zerar os minutos: Pressione o botão “M”.


Se a alimentação do relógio for interrompida,
Capítulo 1-9 o visor indicará automaticamente 1:00.
Outros Equipamentos Tipo B –
Para zerar a hora: Pressione o botão “H”.
• Relógio
Para zerar os minutos: Pressione o botão “M”.
• Mostrador da temperatura externa Tipo A Caso você queira um ajuste rápido para uma
• Acendedor de cigarros e cinzeiro hora cheia, pressione o botão: “00”.
• Porta-luvas Por exemplo, caso o botão “:00” seja pressio-
nado quando o relógio indica um horário entre
• Porta-objetos 1:01 – 1:29, o relógio mudará para 1:00. Caso
• Console traseiro o relógio indique um horário entre 1:30 – 1:59,
o visor indicará 2:00.
• Porta-copos
Se a alimentação do relógio for interrompida,
• Tapetes o visor indicará automaticamente 1:00.

Tipo B

1-9-1
Mostrador da temperatura externa Acendedor de cigarros e cinzeiro
ACENDEDOR DE CIGARROS
Para utilizar o acendedor de cigarros, pres-
sione-o. Quando estiver quente, pulará au-
tomaticamente, pronto para o uso.
Caso o motor não esteja funcionando, a cha-
ve da ignição deverá estar na posição “ACC”.
Não segure o acendedor de cigarros pressio-
nado.
Use um acendedor de cigarros original Toyota
ou um equivalente, em caso de reposição.

CINZEIRO
O mostrador indica a temperatura em graus Dianteiro
Para utilizar o cinzeiro, puxe-o.
Celsius do ar externo, ao ser pressionado Ao terminar de fumar, apague cuidadosamente
o botão “OUTSIDE TEMP”. o cigarro no cinzeiro para evitar que outros ci-
A ignição deve estar ligada. garros dentro do cinzeiro acendam-se. Após
Ao ser pressionado o botão novamente, o visor utilizar o cinzeiro, empurre-o completamente.
será apagado. Para remover o cinzeiro, pressione a placa –
Quando o ar condicionado estiver ligado, ao mola para baixo e puxe-o para fora.
ser pressionado o botão “OUTSIDE TEMP”
uma vez será exibida a temperatura externa;
ATENÇÃO
ao ser pressionado outra vez o botão
“OUTSIDE TEMP” ou o botão “TEMP”, o visor Para reduzir as probabilidades de feri-
irá exibir novamente a temperatura do ar con- mentos no caso de um acidente, ou uma
dicionado. parada repentina, sempre empurre o cin-
zeiro totalmente após o uso.
Traseiro

1-9-2
Porta-luvas Porta-objetos
Para utilizar o porta-objetos, puxe-o pela
borda.

ATENÇÃO

Para reduzir a probabilidade de ferimen-


tos no caso de um acidente, ou parada
repentina, sempre mantenha o porta-ob-
jetos fechado, enquanto dirige.

Para abrir o porta-luvas, puxe a alavanca. Tipo A

ATENÇÃO

Para reduzir a probabilidade de ferimentos


no caso de um acidente, ou parada repen-
tina, sempre mantenha a porta do porta-
luvas fechada, enquanto dirige.

Tipo B

1-9-3
Console traseiro
BANDEJA SUPERIOR
Para ter acesso à bandeja superior, levante
a tampa do console, sem pressionar a ala-
vanca de liberação.

COMPARTIMENTO DO CONSOLE
Para ter acesso ao compartimento do con-
sole, puxe para cima a alavanca de libera-
ção, enquanto levanta a tampa do
compartimento do console traseiro.

1-9-4
Porta-copos
O porta-copos é projetado para apoiar co-
pos ou latas, seguramente , nos alo-
jamentos.
Tipo A: Para utilizar o porta-copos, abra a
tampa.
Tipo B: Para utilizar o porta-copos, abaixe o
descanso de braço.

Tipo A Tipo A (somente)


É possível utilizar o porta-copos dianteiro
como um porta-objetos movendo as divisó-
rias, conforme mostrado na ilustração.
Ao utilizar o porta-copos certifique-se que as
divisórias estão bem encaixadas nas ranhuras.

ATENÇÃO

• Não coloque nada mais no porta-copos


além de latas, pois poderá ser arremes-
sado no compartimento de passagei-
ros e causar ferimentos no caso de
uma frenagem repentina ou acidente.
• Mantenha o porta-copos fechado en-
Tipo B quanto não estiver em uso.

1-9-5
Tapetes

ATENÇÃO

Certifique-se que o tapete está coloca-


do adequadamente sobre o assoalho.
Caso o tapete escorregue, poderá inter-
ferir com os movimentos dos pedais, du-
rante a condução do veículo, o que
poderá causar um acidente.

1-9-6
Período de amaciamento Combustível
Dirija calmamente e evite altas velocidades Selecionar o combustível adequado é es-
Seção 2 O seu veículo não necessita de um amacia- sencial para um desempenho satisfatório
mento. Mas, seguindo algumas dicas simples, do motor.
INFORMAÇÕES durante os primeiros 2000 km, você poderá Danos no motor, causados pela utilização de
ANTES DE DIRIGIR O obter, no futuro, economia e vida longa para o combustíveis impróprios, não são cobertos
seu veículo: pela garantia do seu Toyota novo.
SEU TOYOTA • Não dirija acima de 120 km/h. TIPO DO COMBUSTÍVEL
• Período de amaciamento • Opere o motor em rotações moderadas Utilize somente gasolina sem chumbo.
entre 2.000 e 4.000 rpm.
• Combustível • Evite partidas com o acelerador totalmen-
• Sistema de corte de combustível te pressionado.
• Operação em outros países • Tente evitar freadas bruscas durante os pri-
meiros 300 km.
• Conversor catalítico de três vias
• Não dirija vagarosamente com a transmis-
• Precauções com o sistema de são manual em marchas altas.
escapamento do motor • Não dirija por um longo tempo em uma
• Informações sobre consumo de óleo única velocidade, seja alta ou baixa.
• Sistema do freio • Não reboque um trailer ou carreta durante
os primeiros 800 km.
• Indicadores de desgaste das pastilhas
dos freios
• Precauções ao acomodar as
bagagens
• Identificação do seu Toyota
• Suspensão e chassi

2-1
Sistema de corte de combustível
(veículos equipados com Airbag) Operação em outros países
Se o motor do seu veículo estiver batendo... O sistema de corte da bomba de combustível Caso você planeje dirigir o seu Toyota em
Se você detectar fortes batidas mesmo usan- interrompe o fornecimento de combustível para outros países...
do o combustível recomendado, ou se continu- o motor para reduzir o risco de vazamentos Primeiramente, adeque o veículo às leis lo-
ar ouvindo batidas enquanto está à velocidade de combustível quando o motor morrer ou cais.
constante no plano, consulte sua concessioná- quando o airbag inflar em uma colisão. Para
Em seguida, verifique a disponibilidade do
ria Toyota. nova partida do motor após a ativação do sis-
combustível adequado.
tema de corte de combustível, posicione a
Contudo, algumas vezes, você pode notar le-
chave de ignição em “ACC” ou “LOCK” e ligue
ves batidas por um pequeno tempo ao acele-
o motor.
rar ou em subidas. Isto não é motivo para
preocupação.
ATENÇÃO
CAPACIDADE DO TANQUE DO
COMBUSTÍVEL
Verifique a pista sob o veículo, antes de
55 l. ligar o motor. Se houver vazamento de
líquido na pista, o sistema de combustí-
vel terá sido danificado e exige reparos.
Neste caso não dê partida ao motor.

2-2
Conversor catalítico de três vias

NOTA ◆ Mantenha o motor em boas condi-


ções de operação. Problemas no sis-
Uma grande quantidade de gases não tema elétrico do motor, sistema da
queimados fluindo pelo conversor cata- injeção eletrônica ou no sistema do
lítico, pode causar o superaquecimento combustível podem causar tempera-
deste, criando uma condição perigosa. turas extremamente altas no
Para evitar isso e outros danos, obser- conversor catalítico.
ve as seguintes precauções: ◆ Caso o motor esteja difícil de funci-
◆ Utilize somente gasolina sem chumbo. onar ou “morra” freqüentemente,
◆ Não dirija com o nível do combustí- leve o seu veículo para uma verifica-
vel extremamente baixo; falhas na ção assim que possível. Lembre-se
alimentação poderão causar uma so- que a sua concessionária Toyota co-
brecarga no conversor catalítico de nhece perfeitamente o seu veículo,
O conversor catalítico de três vias, é dis- três vias. e o sistema do conversor catalítico.
positivo para controle das emissões insta- ◆ Não permita que o motor opere em ◆ Para assegurar que todos os siste-
lado no sistema da escapamento. marcha-lenta na fase de aquecimen- mas operem convenientemente, o
O seu objetivo é reduzir os poluentes dos ga- to do motor por mais de 10 minutos, conversor catalítico de três vias e o
ses emitidos. ou em marcha-lenta com o motor sistema de controle das emissões
aquecido por mais de 20 minutos. devem receber as inspeções perió-
ATENÇÃO dicas recomendadas no Plano de Ma-
◆ Evite ultrapassar o limite de rotações.
nutenção Toyota.
• Mantenha pessoas e materiais inflamá- ◆ Não empurre seu veículo para fazê-
veis longe da saída dos gases, enquan-
lo pegar.
to o motor estiver funcionando. Os ◆ Não desligue a ignição enquanto o
gases emitidos estão muito quentes. veículo estiver em movimento.
• Não dirija ou estacione o seu veículo
sobre algo que possa queimar facilmen-
te como graxa, folhas, papéis ou panos.

2-3
Precauções com o sistema de
escapamento do motor Informações sobre consumo de óleo
FUNÇÕES DO ÓLEO LUBRIFICANTE DO
ATENÇÃO • Mantenha a tampa do porta-malas fe- MOTOR
chada enquanto dirige. A tampa do por-
O óleo do motor tem a função primária de lu-
• Evite inalar os gases da exaustão do ta-malas aberta, permite a entrada dos
brificar e resfriar o interior do motor, e é o prin-
motor. Eles contêm monóxido de car- gases de escapamento dentro do veí- cipal componente para manter o motor em
bono, que é um gás incolor e inodoro. culo. Caso necessite trafegar com a condições adequadas de trabalho.
Poderá causar perda da consciência ou tampa do porta-malas aberta, transpor-
CONSUMO DO ÓLEO LUBRIFICANTE DO
mesmo a morte. tando um objeto grande, feche os vi-
MOTOR
• Certifique-se que o sistema de escapa- dros, abra todos os difusores do painel
dos instrumentos, e mantenha o siste- É normal que um motor consuma óleo lu-
mento não possui vazamentos ou co- brificante durante uma operação normal. As
nexões soltas. O sistema deve ser ma de aquecimento ou resfriamento li-
causas do consumo em um motor normal
verificado freqüentemente. Caso você gado, em velocidade alta, admitindo ar
são as seguintes:
perceba alguma anormalidade ou mu- externo.
• O óleo é utilizado para lubrificar os pistões,
dança no som do escapamento, verifi- • Para permitir uma operação adequada anéis do pistão e cilindros. Um fino filme de
que o sistema imediatamente. do sistema de ventilação do seu veí- óleo é deixado nas paredes dos cilindros
• Não acelere o veículo dentro de gara- culo, mantenha as grades de admissão quando os pistões descem nos cilindros. A
gem ou locais fechados, exceto pelo do ar externo, próxima ao pára-brisa alta pressão negativa, dentro dos cilindros,
tempo necessário para entrar ou sair. desobstruídas de folhas ou outros ele- gerada durante desacelerações do veícu-
Os gases de escapamento não podem mentos. lo, puxa parte desse óleo para a câmara de
combustão. Este óleo, bem como parte do
sair, causando uma situação particu- • Caso você sinta odor dos gases de es-
filme de óleo das paredes dos cilindros é
larmente perigosa. capamento, dentro do veículo, condu- queimado pelos gases da combustão, que
• Não permaneça dentro de um veículo za-o com as janelas abertas, e a tampa estão em alta temperatura, durante o pro-
estacionado, com o motor funcionan- do porta-malas fechadas. Localize e cesso da combustão.
do, por um tempo excessivo. Caso seja corrija imediatamente a causa.
• O óleo também é utilizado para lubrificar as
inevitável, faça-o somente em áreas guias das válvulas de admissão. Parte des-
abertas, e ajuste o sistema de aqueci- se óleo é levado às câmaras de combustão
mento ou resfriamento do ar forçando junto com o ar admitido e é queimado junto
a entrada de ar externo. com o combustível. Os gases de escapa-
mento, em alta temperatura, também quei-
mam o óleo utilizado para lubrificar as guias
das válvulas de escapamento.
2-4
Sistema do freio
A quantidade de óleo consumido, depen- IMPORTÂNCIA DA VERIFICAÇÃO DO NÍVEL SISTEMA DO FREIO COM CILINDRO MES-
de da viscosidade, qualidade do óleo e DO ÓLEO TRE EM “TANDEM”
das condições sob as quais o veículo é Um dos pontos mais importantes na manuten- O sistema do freio com cilindro mestre em “tan-
conduzido. ção adequada de um veículo, é manter o nível dem” é um sistema hidráulico com dois sub-
Uma quantidade maior de óleo é consumida do óleo lubrificante conforme indicado, de for- sistemas independentes. Caso um dos
quando o veículo é submetido a altas veloci- ma que o funcionamento do motor não seja sub-sistemas falhe, o outro continua em ope-
dades e freqüentes acelerações e desace- comprometido. Desta forma é essencial que o ração. No entanto, o pedal ficará mais duro, e
lerações. nível do óleo lubrificante seja verificado regu- as distâncias para frenagem do veículo são
Um motor novo consome mais óleo, pois os larmente. A Toyota recomenda que o nível do maiores. Também, a luz de advertência do sis-
pistões, anéis dos pistões e a parede dos cilin- óleo lubrificante seja verificado a cada abas- tema dos freios se acenderá.
dros ainda não estão ajustadas. tecimento de combustível.
Ao julgar a quantidade de óleo consumida, ATENÇÃO
NOTA
considere que o óleo poderá estar diluído e
Falhas na verificação regular do óleo lu- Não dirija o veículo somente com um sis-
torna-se difícil encontrar o nível precisa-
brificante, podem causar sérios proble- tema de freio. Repare os freios imedia-
mente.
mas, se houver óleo insuficiente. tamente.
Como exemplo: caso o veículo seja utilizado
em repetidos trajetos curtos, e aparentemen- Para informações detalhadas, sobre a verifi- SERVO-FREIO
te esteja consumindo uma quantidade normal cação do nível do óleo, veja “Verificando o ní-
de óleo, a vareta indicadora do nível poderá O servo-freio utiliza o vácuo formado no motor
vel do óleo” no Capítulo 7-2.
indicar que não houve nenhuma perda , mes- para auxiliar os freios. Caso o motor “morra”
mo após 1000 km ou mais. Isto é devido à di- enquanto você dirige, você poderá pará-lo com
luição gradual do óleo pelo combustível ou por uma pressão normal do pedal do freio. Há re-
umidade, aparentando que o nível do óleo não serva suficiente de vácuo para um ou dois
se alterou. acionamentos do freio – mas não mais que isso!
Os componentes da diluição evaporam quando
o veículo é conduzido, então, em altas velocida-
des, em uma rodovia, tem-se a impressão que
uma quantidade excessiva de óleo foi consumida
após dirigir em altas velocidades.

2-5
SISTEMA DE FREIO ANTI-BLOCANTE Você poderá ouvir um ruído no compartimen-
ATENÇÃO (com luz de advertência do ABS) to do motor por alguns segundos durante a
O sistema de freio anti-blocante foi projetado partida ou logo após a partida. Isto não signi-
• Não bombeie o pedal do freio caso o fica falha, indica que o sistema de freio anti-
motor “morra”. Cada pressão exercida para, automaticamente, ajudar a impedir o
travamento das rodas durante uma frenagem blocante está no modo autodiagnóstico.
no pedal do freio consome vácuo da
reserva. súbita ou frenagem sobre pistas escorregadi- A pulsação do pedal de freio causada pelo
as. Isto ajuda a melhorar a estabilidade da di- sistema de freio anti-blocante poderá indicar
• Mesmo que toda a reserva de vácuo seja reção e o desempenho do veículo nestas condições de risco na pista. Embora o siste-
consumida, os freios operarão. Mas você ma de freio anti-blocante ajude a melhorar o
circunstâncias.
terá que exercer uma pressão maior, mui- controle do veículo, é importante dirigir cui-
to maior que o normal, no pedal do freio. O procedimento correto para pressionar o
pedal do freio quando o sistema de freio dadosamente, uma vez que o sistema ABS
As distâncias para parar o veículo se- não é capaz de superar as leis da física que
rão maiores. anti-blocante estiver ativado: você poderá
sentir pulsação do pedal e ouvir um ruído. atuam sobre o veículo.
Nesta condição, para que o sistema de freio • A capacidade de frenagem depende do
funcione, basta pressionar mais firmemen- atrito entre os pneus e a pista.
te o pedal de freio. Não bombeie o freio. • Embora o sistema de freio anti-blocante es-
Isto reduzirá o desempenho na frenagem. teja funcionando, o motorista não poderá
O sistema de freio anti-blocante passará a manter o controle total do veículo em algu-
funcionar com o veículo à velocidade acima mas condições de pista escorregadia, nas
de aproximadamente 10 km/h. O sistema dei- curvas em altas velocidades ou em mano-
xará de funcionar quando o veículo for bras bruscas.
desacelerado à velocidade abaixo de apro- • Evite velocidades altas em pistas molhadas.
ximadamente 5km/h. O sistema de freio anti-blocante não é ca-
Pressionar o pedal de freio ao passar por su- paz de eliminar o risco da aquaplanagem e
perfícies escorregadias tais como tampas de da perda de atrito dos pneus.
caixas de esgoto, chapas de aço de constru-
ções, emendas em pontes, etc. em dias chu-
vosos poderá acionar o sistema de freio
anti-blocante.

2-6
Mantenha sempre uma distância segura do ve-
ículo à frente. Comparado aos veículos não ATENÇÃO • Condução em estradas irregulares,
equipados com sistema de freio anti-blocante, com pedregulhos ou neve.
nos casos abaixo seu veículo poderá exigir Não superestime o sistema de freio anti- • Condução em lombadas ou sobre irre-
blocante: embora esse sistema ajude a
maior distância de frenagem: gularidades na pista.
controlar o veículo, ainda é importante
• Dirigir em pistas irregulares, com casca- dirigir tomando todo o cuidado possí- • Condução em estradas cuja superfície
lhos ou cobertas de lama. vel e mantendo uma velocidade mode- esteja esburacada ou apresente super-
• Dirigir em pistas com pequenos buracos rada e uma distância segura do veículo fície desnivelada.
ou outras diferenças de altura. que está a sua frente, pois existem limi- Instale todos os 4 pneus de acordo com
Quando o sistema de freio anti-blocante es- tes para a estabilidade do veículo e para o tamanho especificado e calibre-os de
tiver ativado, as seguintes condições po- o funcionamento efetivo do volante mes- acordo com a pressão adequada. O sis-
derão ocorrer. Isto não é indício de falha mo com o sistema de freio anti-blocante tema de freio anti-blocante detecta a
no sistema: acionado. velocidade do veículo utilizando
Se a capacidade de aderência dos pneus sensores de velocidade nas respectivas
• Você poderá ouvir o sistema de freio anti-
for excedida ou caso ocorra rodas. A utilização de pneus não espe-
blocante funcionar e sentir uma pulsação
aquaplanagem durante altas velocida- cificados poderá fazer com que o sensor
do pedal de freio, vibrações da carroçaria
des sob condições de chuva, o sistema não detecte precisamente a velocidade
e do volante. Poderá também ser ouvido o
de freio anti-blocante não conseguirá da roda, resultando em uma distância de
ruído do motor em seu compartimento
controlar o veículo. frenagem mais longa.
mesmo após parar o veículo.
• Ao ativar o sistema de freio anti-blocante, O sistema de freio anti-blocante não foi
o pedal de freio poderá mover-se um pou- projetado para reduzir a distância de
co para frente. frenagem: dirija sempre à uma velocida-
de moderada, mantendo uma distância
segura do veículo que está à sua frente.
Comparado com veículos sem o siste-
ma de freio anti-blocante, seu veículo
poderá exigir uma distância de frenagem
maior nos seguintes casos:

2-7
A ocorrência de alguma das condições
abaixo significa falha em algum ponto dos ATENÇÃO
componentes monitorados pelo sistema da
Caso a luz de advertência do ABS per-
luz de advertência. Procure a sua conces-
maneça acesa juntamente com a luz de
sionária Toyota assim que possível para re-
advertência do sistema de freio, pare
visão do veículo.
imediatamente o veículo em um local se-
• A luz não acende quando a chave de igni- guro e entre em contato com uma Con-
ção é posicionada em “ON”, ou permane- cessionária Toyota.
ce acesa.
Neste caso, não apenas o sistema de
• A luz acende durante a condução do veí- freio anti-blocante irá falhar mas também
culo. o veículo tornar-se-á extremamente ins-
O acendimento rápido da luz de advertência tável durante a frenagem.
representa uma condição normal.
Luz de advertência do “ABS” Mesmo que o sistema de freio anti-blocante
SISTEMA DE FREIO DE ESTACIONAMEN-
Esta luz acenderá quando a chave de ignição falhe, o sistema de freio convencional conti-
TO “PRÓPRIO”
é posicionada em “ON”. Após alguns segun- nuará funcionando.
dos a luz apagará. Seu veículo está equipado com um sistema
de freio de estacionamento “próprio”, que con-
Caso haja mau funcionamento no sistema, a
siste no conjunto do freio de estacionamento
luz acenderá novamente.
montado na parte central do freio a disco tra-
Quando a luz de advertência do ABS estiver seiro. Este tipo de sistema de freio necessita
acesa (e a luz de advertência do sistema de de inspeção periódica das sapatas de freio ou
freio estiver apagada), o sistema de freio anti- inspeção sempre que as sapatas e/ou tambo-
blocante não irá funcionar, contudo o sistema res do freio de estacionamento forem substi-
de freio convencional continuará funcionando tuídos.
normalmente. Neste caso as rodas poderão
Dirija-se a uma Concessionária Toyota para
travar durante uma frenagem súbita ou ao so-
que seja efetuada a inspeção.
bre pista escorregadia.

2-8
Indicadores de desgaste das Precauções ao acomodar as
pastilhas dos freios bagagens
Ao acomodar bagagens ou cargas no veículo,
observe o seguinte: • Não disponha objetos no bolso atrás do
encosto do banco traseiro. Em caso de
• Coloque a bagagem ou a carga no porta-
frenagem súbita ou acidente, os itens
malas sempre que possível. Certifique-se
aí colocados poderão ser arremessados
de que todos os itens estão seguramente
e ferir os ocupantes do veículo.
posicionados.
• Não dirija com objetos sobre o painel
• Certifique-se de que o veículo está balance-
de instrumentos. Estes objetos pode-
ado. Coloque os pesos o mais à frente pos-
rão obstruir a visão do motorista, além
sível, pois ajuda a manter o balanceamento.
de moverem-se durante a aceleração
• Para melhor economia do combustível, evi- brusca ou nas curvas, prejudicando o
te carregar pesos desnecessários. controle do veículo. Além disso, em
caso de acidente poderão causar
ATENÇÃO ferimentos aos passageiros.
Os indicadores de desgaste das pastilhas
dos freios à disco produzem um ruído de • Para evitar o deslocamento da bagagem
advertência quando estão gastas quando ou de volumes para frente durante as
a substituição for necessária. frenagens, não empilhe objetos quan-
Caso você ouça um ruído agudo ou de algo do o banco traseiro estiver rebatido e o
raspando, enquanto dirige, verifique as pasti- porta-malas aumentado. Mantenha a ba-
lhas dos freios e substitua-as imediatamente gagem ou os volumes próximos do
na concessionária Toyota mais próxima. assoalho tanto quanto possível.
Evite dirigir com o ruído de advertência. • Jamais permita que passageiros ocu-
pem a extensão do porta-malas. Esta
Continuar a dirigir sem substituir as pastilhas,
causará desgaste excessivo aos discos de área não foi projetada para passagei-
ros, que neste caso poderão ser feridos
freio e aumentará o esforço necessário apli-
cado ao pedal do freio para as mesmas dis- em caso de frenagem súbita ou colisão.
tâncias de parada.

2-9
Identificação do seu Toyota —
— Número de identificação do veículo — Etiquetas destrutíveis

O número de identificação do veículo (nú- Localizada sob o banco dianteiro do lado do Localizada na coluna da porta dianteira, no
mero do chassi) é a identificação legal do passageiro, numa abertura do carpete, próxi- lado do passageiro.
seu veículo. Este número (1) está gravado ma ao extintor de incêndio.
no compartimento do motor, conforme
mostrado.
Este é o número da identificação primária do
seu Toyota. É utilizado para o registro do pro-
prietário do veículo.
O número de identificação do veículo (núme-
ro do chassi) também aparece na placa do
fabricante (2).

2-10
— Gravação nos vidros — Número do motor

Localizada no compartimento do motor, próxi- Todos os vidros possuem o número do chassi O número do motor está gravado no bloco
mo à torre da suspensão dianteira do lado do gravado próximo à identificação do fabricante. do motor, conforme mostrado.
passageiro.

2-11
Suspensão e chassi

ATENÇÃO

Não modifique a suspensão/chassi


com acessórios para levantá-lo, como
espaçadores, molas, etc. Poderão cau-
sar alterações perigosas na dirigibili-
dade, resultando em perda do controle
do veículo.

2-12
Como funcionar o motor
Antes de funcionar o motor (a) Antes de dar a partida
1. Verifique a região ao redor do veículo an- 1. Aplique o freio de estacionamento firme-
Seção 3 tes de entrar. mente.
2. Ajuste a posição do assento, inclinação do 2. Desligue luzes desnecessárias e acessó-
PARTIDA E encosto, altura do apoio de cabeça e altu- rios.
FUNCIONAMENTO ra do volante. 3. Transmissão manual: Pressione o pedal
3. Ajuste os espelhos retrovisores interno e da embreagem até o final do curso e colo-
externos. que a transmissão em neutro. Mantenha o
• Antes de funcionar o motor 4. Feche todas as portas. pedal da embreagem pressionado enquan-
to o motor de partida é acionado.
• Como funcionar o motor 5. Coloque o cinto de segurança.
Transmissão automática: Coloque a ala-
• Verificação de segurança antes de vanca seletora na posição “P”. Caso você
dirigir precise acionar o motor de partida quan-
• Dicas para dirigir em várias condições do o veículo estiver se movimentando, co-
loque a alavanca seletora na posição “N”.
• Dicas para dirigir no inverno Um dispositivo de segurança para a parti-
• Rebocando um trailer da evitará que o motor de partida seja aci-
onado caso a alavanca seletora esteja em
• Como economizar combustível e quaisquer das posições utilizadas para
fazer o seu veículo durar mais condução.
4. Somente transmissão automática: Pres-
sione o pedal do freio e segure-o até partir.

3-1
Verificação de segurança antes de
(b) Funcionando o motor dirigir
Antes de funcionar o motor, certifique-se de É um bom hábito executar uma verificação de
seguir as instruções em “(a)”. NOTA segurança antes de conduzir o seu veículo. Al-
Procedimentos para partidas normais ◆ Não acione o motor de partida por guns poucos minutos para as verificações, auxi-
mais do que 30 segundos. Isto po- liam a segurança e o prazer de dirigir. Somente
O sistema de injeção multiport seqüêncial do
derá superaquecer o motor da parti- é necessário uma familiarização básica com o
seu motor, automaticamente controla a mistura
da e os cabos elétricos. seu veículo e atenção na verificação! Ou, caso
ar – combustível adequada para o funcionamen-
você prefira, a sua concessionária Toyota terá
to do motor. Você pode acionar a partida com o ◆ Não acelere demasiadamente um prazer em executá-la, a um custo simbólico.
motor quente ou frio, conforme abaixo: motor frio.
1. Com o pé fora do acelerador, acione a par- ◆ Caso o motor esteja difícil de funci- ATENÇÃO
tida girando a chave da ignição para a po- onar, ou “morra” freqüentemente,
sição “START”. Solte-a assim que o motor leve o veículo para verificações ime- Caso você faça essa verificação em um
funcionar. diatamente. local fechado, certifique-se que há ven-
2. Após o motor funcionar por aproximada- tilação adequada. Os gases de escapa-
mente 10 segundos, você já pode condu- mento são venenosos.
zir o veículo.
Caso a temperatura esteja muito baixa, aguar- ANTES DE FUNCIONAR O MOTOR
de o motor aquecer por alguns minutos antes
Por fora do veículo —
de dirigir.
Pneus. Verifique a pressão dos pneus utilizan-
Caso o motor “morra”... do um indicador de pressão, e observe aten-
Simplesmente acione novamente a partida, tamente quanto a cortes, danos, ou desgaste
excessivo.
seguindo os procedimentos dados acima.
Porcas das rodas. Certifique-se de que não
Caso o motor não funcione estão faltando porcas e que estão bem aper-
Veja “O seu veículo não funciona” na Seção 4. tadas.
Vazamentos de fluidos. Após algum tempo
do veículo ter sido estacionado, verifique-o por
baixo quanto a vazamentos de combustível,
óleo, água, ou fluidos. (Pingos de água prove-
nientes do sistema do ar condicionado, após
o uso, são normais).

3-2
Dicas para dirigir em várias
condições
Luzes. Certifique-se de que os faróis, luzes Cabos elétricos. Verifique quanto a danos, • Sempre reduza a velocidade quando sen-
do freio, luzes traseiras, sinalizadores de dire- folgas, ou conexões soltas. tir ventos laterais. Isto permitirá um me-
ção e outras luzes estão funcionando. Verifi- lhor controle do veículo.
que a regulagem dos faróis. Linhas do combustível. Verifique as linhas
de condução do combustível quanto a vaza- • Dirija vagarosamente em lombadas, se
Dentro do veículo —
mentos ou conexões soltas. possível, evite entrar na lombada com o
Estepe, macaco e chave de rodas. veículo em diagonal. Evite dirigir sobre ob-
Verifique a pressão do pneu e certifique-se APÓS FUNCIONAR O MOTOR
jetos altos, cortantes ou outras pistas pe-
de que o macaco e chave de rodas estão no Sistema de escapamento. Verifique quanto
veículo. rigosas. Isto poderá causar danos severos
a ruídos de vazamentos. Repare quaisquer va-
aos pneus, provocando furos.
Cintos de segurança. Verifique se as travas zamentos imediatamente. (Veja “Precauções
operam seguramente. Certifique-se de que os com o sistema de escapamento do motor” na • Dirija lentamente sobre obstáculos ou em
cintos não estejam gastos ou desfiados. Seção 2.) pistas irregulares, caso contrário o impac-
Instrumentos e controles. Verifique especial- to poderá causar danos severos aos pneus
Nível do óleo lubrificante do motor. Desli-
mente se os indicadores de advertência, as ou às rodas.
gue o motor e verifique a vareta do nível do
luzes dos instrumentos e o desembaçador es- • Ao estacionar em um aclive, esterce as ro-
tão funcionando. óleo com o veículo estacionado em um local
plano. (Veja Capítulo 7-2 para instruções). das dianteiras de forma que encostem no
Freios. Certifique-se de que o pedal do freio meio-fio, de forma que o veículo não se des-
possui folga adequada. ENQUANTO DIRIGE
loque. Aplique o freio de estacionamento, e
No compartimento do motor — Instrumentos. Certifique-se de que o velocí- coloque a transmissão em “P” (automática),
Fusíveis de reserva. Certifique-se de que metro e medidores estão operando. em primeira marcha ou em ré (manual). Caso
você possui fusíveis de reserva. Eles devem Freios. Em um local seguro, certifique-se de necessário, bloqueie as rodas.
compreender todas as amperagens determi- que os freios não puxam.
nadas na caixa de fusíveis.
Alguma coisa fora do normal? Procure por
Nível do fluido de arrefecimento. Certifique-
se de que o nível do fluido de arrefecimento peças soltas, vazamentos e por ruídos anor-
está correto. (Veja Capítulo 7-2 para instruções). mais.
Bateria e cabos elétricos. Todas as células Se tudo aparenta estar normal, relaxe e apre-
da bateria devem estar no nível, preenchidas cie o seu passeio!
com água destilada. Procure por terminais cor-
roídos os soltos, e trincas na carcaça. Verifi-
que os cabos elétricos quanto às condições e
conexões.
3-3
Dicas para dirigir no inverno
• Lavar o veículo ou trafegar em locais ala- Verifique as condições da bateria e cabos
gados, pode molhar os freios. Para verifi- • Em um declive longo, reduza a veloci- elétricos
car quando estão molhados, certifique-se dade e a transmissão. Lembre-se de
Temperaturas baixas reduzem a capacidade
de que não haja tráfego perto de você e que se você forçar excessivamente os
de qualquer bateria; ela deverá estar em ex-
então pressione o pedal do freio levemen- freios, eles poderão superaquecer e
celentes condições para fornecer partidas no
te. Se você não perceber uma força normal não operar adequadamente. inverno. O Capítulo 7-3 orienta-o como inspe-
de frenagem, os freios possivelmente es- • Cuidado ao acelerar, trocar de marcha e cionar visualmente a bateria. A sua concessio-
tão molhados. Para secá-los, dirija cautelo- reduzir em superfícies escorregadias. nária Toyota tera prazer de verificar o nível ou
samente enquanto pressiona levemente o Acelerações repentinas ou reduções po- a carga da bateria de seu veículo.
pedal do freio, com o freio de estacio- dem causar perda do controle do veículo.
namento levemente puxado. Caso ainda não • Não dirija normalmente quando os frei-
operem satisfatoriamente, encoste o veícu- os estiverem molhados. Se estiverem
lo e chame uma concessionária Toyota para molhados, seu veículo necessitará uma
assistência. distância maior para parar, e poderá pu-
xar para um lado ao aplicar os freios. O
ATENÇÃO freio de estacionamento também não
segurará o veículo satisfatoriamente.
• Antes de partir, certifique-se de que o
freio de estacionamento está totalmen-
te solto e que a luz de advertência está NOTA
apagada.
• Não deixe seu veículo sozinho enquan- Ao dirigir em pistas molhadas, evite tra-
to o motor está ligado. fegar em locais empoçados. Uma gran-
de quantidade de água entrando no
• Não descanse o seu pé no pedal do freio
compartimento do motor pode causar
enquanto dirige. Isto poderá causar da-
danos ao motor e/ou componentes elé-
nos por superaquecimento, desgastes
tricos.
desnecessários, e alto consumo de
combustível.

3-4
Rebocando um trailer
O seu veículo foi projetado como um veículo poderá danificar o sistema elétrico do seu
para transporte de passageiros. Rebocar um ATENÇÃO veículo e causar um mau funcionamento
trailer ou carreta terá um efeito adverso na di- das luzes.
Os conjuntos de engate para trailer e car-
rigibilidade, desempenho, frenagem, durabili- PERÍODO DE AMACIAMENTO
reta são fabricados em capacidades di-
dade consumo de combustível, etc. A sua • A Toyota recomenda que você não rebo-
ferentes de peso, conforme a
segurança e satisfação dependem da utiliza- que um trailer ou carreta com um veículo
especificação dos fabricantes dos enga-
ção adequada dos equipamentos e hábitos cui- novo ou com um veículo com algum com-
tes. Embora o veículo possa ser capaz
dadosos ao dirigir. Para sua segurança e dos ponente de tração novo (motor, transmis-
de rebocar mais peso, você deverá ob-
outros ocupantes, você não deve sobre carre- são, diferencial, rolamentos das rodas,
servar a especificação máxima para
gar o seu veículo ou o reboque. A garantia etc.) durante os primeiros 800 km.
cada conjunto fornecida pelo fabricante
Toyota não cobre danos ou mau funcionamen- MANUTENÇÃO
e jamais exceder essa capacidade. Ex-
to causados por rebocamento de trailer ou car-
ceder a capacidade nominal máxima • Caso você reboque um trailer ou carreta, o seu
reta para uso comercial. Informe-se na sua
para o engate poderá resultar em aciden- veículo necessitará de uma manutenção mais
concessionária Toyota para maiores detalhes freqüente, devido à carga adicional.
tes com ferimentos graves.
antes de rebocar, pois há alguns aspectos le-
gais a serem observados. • Reaperte todos os parafusos de fixação
ENGATES do engate e braçadeiras após, aproxima-
LIMITES DE CARGA damente, cada 1000 km de condução.
A Toyota somente recomenda a utilização de
Antes de rebocar, confirme a capacidade de engates projetados e aprovados para o seu VERIFICAÇÕES DE SEGURANÇA ANTES
carga de seu veículo com a sua concessioná- veículo. DE TRACIONAR
ria Toyota para certificar-se de que o seu re- PNEUS
boque está dentro da capacidade de tração. • Certifique-se de não ultrapassar a carga
• Certifique-se de que os pneus do seu veí- máxima do engate. Lembre-se de que a
A capacidade de tração foi estabelecida ao ní- culo estão adequadamente calibrados. Veja carga aplicada ao engate aumenta a car-
vel do mar. Caso você tenha que ir a uma re- Capítulo 7-2, para instruções. ga sobre o veículo. A capacidade máxima
gião alta, tenha em mente que a capacidade • Os pneus do reboque devem estar calibra- de carga aceitável para o eixo traseiro não
de tração, e a força diminuirão. dos à pressão recomendada pelo fabricante deve ser excedida.
do reboque, adequados à sua carga total.
• Certifique-se de que a carga no reboque
ILUMINAÇÃO DO REBOQUE está seguramente presa e que não balança.
• Verifique a correta operação das luzes • Caso o tráfego atrás do reboque não possa
sinalizadoras de direção e luzes do freio a
ser visto adequadamente, com os espelhos
cada vez que acoplá-lo. A conexão direta
3-5
originais, serão necessários espelhos adici- Isto é especialmente recomendado em su- ma, para compensar esse efeito, manobre
onais. Ambos os espelhos laterais devem ser perfícies escorregadias. o seu veículo sempre com um raio maior
montados em braços auxiliares e ajustados • Evite arrancadas fortes ou acelerações re- do que o normal.
para proporcionar boa visão, sempre. pentinas. Se o seu veículo for equipado com • Ventos laterais e estradas acidentadas afe-
DICAS PARA REBOCAR UM TRAILER OU transmissão manual, evite escorregamento tam adversamente a dirigibilidade do veí-
CARRETA excessivo da embreagem, mantendo o mo- culo e do reboque. Preste atenção à
Ao rebocar um trailer ou carreta, o seu veí- tor em regime baixo de rotações e não ace- traseira freqüentemente, para preparar-se
culo terá uma dirigibilidade diferente. As três lere demasiadamente o motor. Sempre para ser ultrapassado por caminhões ou
principais causas de acidentes com rebo- parta em primeira marcha. ônibus, que poderão fazer o veículo e o
ques são erros do motorista, velocidade ex- • Evite esterçar o volante rapidamente e reboque oscilarem. Caso haja oscilação,
cessiva e carregamento inadequado do também fazer curvas fechadas. O rebo- segure firmemente o volante e reduza a
reboque. que poderá chocar-se com o veículo em velocidade imediatamente, mas gradual-
uma curva muito fechada. Reduza a velo- mente. Nunca aumente a velocidade. Caso
Quando for rebocar um trailer, observe as
cidade antes de executar uma manobra, seja necessário reduzir a velocidade, freie
instruções a seguir:
para evitar o uso repentino dos freios. cuidadosamente. Mantenha o veículo em
• Antes de partir, verifique a operação das linha reta. Se você não fizer correções
luzes e todas as conexões com o reboque. • Manobrar o reboque em marcha-à-ré é di-
bruscas com o volante ou freios, o veículo
Após conduzí-lo por uma distância peque- fícil e requer prática. Segure o volante no
e o reboque perderão a estabilidade.
na, pare e reavalie a iluminação e as cone- lado inferior, e movimente sua mão para a
esquerda para manobrar o reboque para • Seja cuidadoso ao ultrapassar outros veí-
xões. Antes de conduzir o reboque, pratique
a esquerda. Movimente sua mão para a culos. Ultrapassagens necessitam uma dis-
manobras em local afastado do tráfego,
direita para manobrar o reboque para a di- tância considerável. Após ultrapassar um
para aprender a dominá-lo.
reita. (Este procedimento é geralmente o veículo, não se esqueça do comprimento
• Como as distâncias de frenagem são maio- do reboque, e certifique-se de que você tem
contrário ao manobrar sem o reboque).
res, as distâncias entre os veículos também espaço suficiente para mudar de pista.
Gire o volante um pouco de cada vez, evi-
devem ser maiores. Para cada 10 km/h da
tando curvas fechadas ou longas. Tenha • Como forma de manter a eficiência dos
velocidade, deixe pelo menos o comprimen-
sempre alguém o auxiliando, para reduzir freios, não utilize a quinta marcha (trans-
to equivalente a um veículo e o reboque, en-
as probabilidades de um acidente. missão manual) ou sobremarcha (trans-
tre você e o veículo à sua frente. Evite frear
• Lembre-se que ao efetuar uma curva, as missão automática).
repentinamente, pois você poderá derrapar,
resultando em perda do controle do veículo. rodas do reboque descreverão um raio me-
nor do que as rodas do veículo. Desta for-
3-6
• Devido à carga adicional do reboque, o mo- 5. Engate a primeira ou ré (manual) ou “P”
tor do seu veículo poderá superaquecer em (automática) e desligue o motor. ATENÇÃO
dias quentes (temperaturas acima de Ao ligar novamente, após ter estacionado em • Observe o limite legal de velocidade
30°C) quando subir um aclive, com o re- uma ladeira. para rebocar um trailer ou carreta.
boque. Caso o indicador da temperatura
1. Com a transmissão na posição “P” (auto- • Reduza a velocidade e a marcha antes de
do fluido de arrefecimento do motor indi-
mática) ou o pedal da embreagem pressio- grandes declives ou descidas de serra.
que superaquecimento, desligue imediata-
nado (manual), funcione o motor. (Para Não reduza de marcha repentinamente.
mente o ar condicionado (caso esteja em
transmissão automática, certifique-se de
uso), saia da pista e pare em local seguro. • Evite segurar o pedal do freio por mui-
manter o pedal do freio pressionado.)
Veja “O seu veículo está superaquecido” to tempo ou muito freqüentemente.
na Seção 4 deste manual. 2. Engate a marcha. Isto poderá causar superaquecimen-
• Sempre coloque calços nas rodas do veí- 3. Solte o freio de estacionamento (também to dos freios, resultando em perda de
culo e do reboque, ao estacionar. Acione o pedal do freio para transmissão automá- eficiência.
o freio de estacionamento firmemente. tica) e lentamente afaste-se dos calços.
Coloque a transmissão em “P” (automáti- Pare e acione os freios.
ca) ou em primeira ou ré (manual). Evite 4. Peça para alguém recolher os calços.
estacionar em uma ladeira com o reboque
mas, caso seja inevitável, só faça após
executar o seguinte procedimento:
1. Aplique os freios e mantenha o pedal pres-
sionado.
2. Peça para alguém colocar calços nas ro-
das do veículo e do reboque.
3. Quando os calços estiverem colocados,
solte os freios vagarosamente, até que os
calços absorvam a carga.
4. Acione o freio de estacionamento firme-
mente.

3-7
Como economizar combustível e
fazer o seu veículo durar mais
Obter uma maior relação quilômetro por litro • Evite ficar muito tempo em marcha-len- • Mantenha as rodas dianteiras alinhadas
de combustível é fácil e também auxiliará a ta. Caso você tenha uma longa espera e corretamente. O alinhamento incorreto
aumentar a vida útil do veículo. Aqui estão al- não estiver no tráfego, é melhor desligar o não só ocasiona desgaste mais rápido dos
gumas dicas para economizar combustível e motor e ligá-lo novamente depois. pneus, mas também acrescenta uma car-
com a manutenção do seu Toyota: • Evite baixas e altas rotações do motor. ga extra no motor, causando desperdício
• Mantenha os pneus calibrados com a Utilize uma marcha adequada para o trá- de combustível nas curvas.
pressão correta. Pneus com calibragem fego em que você se encontra. • Mantenha a região inferior do veículo li-
abaixo da recomendada desgastam-se e • Evite contínuas acelerações e reduções. vre de barro, etc. Isto não só alivia o peso,
desperdiçam combustível. Veja o Capítulo Dirigir em um congestionamento desper- mas também ajuda a prevenir a corrosão.
7-2 para instruções. diça combustível. • Mantenha o seu veículo regulado e em
• Não carregue peso desnecessário no • Evite desacelerações e paradas desneces- ordem. Filtro de ar sujo, folga das válvu-
veículo. Excesso de peso coloca uma car- sárias. Mantenha velocidades estáveis. Ten- las inadequada, velas da ignição sujas,
ga maior no motor, causando maior con- te considerar o tempo dos semáforos, de óleo sujo, freios não ajustados, etc. redu-
sumo de combustível. zem o desempenho do motor e contribu-
forma que você pare o mínimo possível ou
• Evite aquecer o motor em marcha lenta alterne para ruas com tráfego mais leve. Man- em para o aumento do consumo. Para a
por períodos prolongados. Uma vez que tenha uma distância adequada dos outros vida longa destes itens e custos mais bai-
o motor esteja funcionando suavemente, ini- veículos para evitar frenagens repentinas. Isto xos de manutenção, execute o plano de
cie a condução, mas suavemente. Lembre- também reduzirá o desgaste dos freios. manutenção e caso você dirija sob condi-
se que em dias frios no inverno, isto deverá ções severas, observe que o seu veículo
• Evite tráfego pesado sempre que pos-
ser mais demorado. necessita de verificações mais freqüentes
sível.
• Mantenha a sobremarcha da transmis- (veja Seção 6).
• Não descanse o seu pé nos pedais da
são automática ativada quando não for
embreagem ou do freio. Isto causa des- ATENÇÃO
necessário o freio motor. Dirigir com a
gaste desnecessário, superaquecimento e
sobremarcha desativada irá aumentar o
baixa economia de combustível. Nunca desligue o motor nas descidas de ser-
consumo de combustível. (Quanto a deta-
lhes, veja “Transmissão automática”, na • Mantenha uma velocidade moderada ra. O sistema da direção hidráulica e o ser-
Seção 1-6.) em auto-estradas. Quanto mais alta a ve- vo-freio não funcionarão sem o auxílio do
locidade, maior será o consumo de com- motor. Também o sistema de controle das
• Acelere vagarosa e suavemente. Evite
bustível. Ao reduzir a velocidade, também emissões opera adequadamente somente
saídas bruscas. Coloque em marchas mais
será reduzido o consumo de combustível. com o motor em funcionamento.
altas assim que possível.
3-8
O seu veículo não funciona —
(a) Verificações simples
Antes de fazer estas verificações, certifique- Caso a luz esteja funcionando corretamente,
Seção 4 se de que você seguiu os procedimentos cor- mas o motor não funcione, ele necessita de
retos, conforme descrito em “Como funcionar reparos ou ajustes. Entre em contato com uma
EM CASO DE o motor” na Seção 3 e que há combustível su- concessionária Toyota.
ficiente. Verifique também se as demais cha-
EMERGÊNCIA ves acionam o motor. Em caso positivo, sua
NOTA
chave pode estar quebrada. Leve a chave a
uma concessionária Toyota para que seja ins-
• O seu veículo não funciona Não empurre o veículo para funcionar
pecionada. Caso nenhuma chave esteja fun-
(“pegar no tranco”). Poderá danificar o
• O motor “morre” enquanto você dirige cionando, provavelmente o sistema do
veículo ou provocar um acidente quan-
imobilizador do motor está com defeito.
• O seu veículo está superaquecido do o motor funcionar. O conversor
Contate sua concessionária Toyota. (Veja “Cha-
catalítico de três vias poderá superaque-
• Um pneu furou ves”, na Seção 1-2.)
cer e causar um incêndio.
Se o motor não gira ou gira muito devagar:
• O seu veículo precisa ser rebocado
1. Verifique se os terminais da bateria estão Se o motor gira à rotação normal, mas não
• Alavanca da transmissão automática bem conectados, e limpos.
não pode ser movida funciona
2. Caso os terminais da bateria estejam cor- Veículos não equipados com airbags —
• Você perdeu as chaves do veículo retos, acenda a luz interna.
1. Caso os conectores estejam corretos, o
• Você perdeu o controle-remoto 3. Se a luz não acende, tem pouca intensida- motor pode estar “afogado” devido às in-
de, ou se apaga ao acionar o motor de par- sistentes partidas. Veja “(b) Funcionando um
• Extintor de incêndio tida, a bateria está descarregada. Você pode motor “afogado” ”, para maiores informa-
• Triângulo de segurança tentar utilizar cabos auxiliares de emergên- ções.
cia. Um veículo equipado com transmissão
automática e/ou conversor catalítico de três 2. Caso o motor ainda não dê partida, isto
vias não pode ser empurrado para funcio- significa que ele necessita de regulagem
nar. Veja “(c) Utilizando cabos auxiliares de ou reparação. Contate sua concessioná-
emergência” para maiores instruções. ria Toyota.

4-1
(c) Utilizando cabos auxiliares de
(b) Funcionando um motor “afogado” emergência
Veículos equipados com airbags — Caso o motor não funcione, ele poderá es- A fim de evitar sérios ferimentos pessoais
1. Gire a chave de ignição para “ACC” ou tar “afogado”, por causa de insistentes par- e danos ao seu veículo tais como: explo-
“LOCK” e tente dar partida novamente ao tidas. são da bateria, queimaduras por ácido,
motor. Caso isso aconteça, coloque a chave da igni- curtos-circuitos, ou danos a componentes
ção na posição “START” com o pedal do ace- eletrônicos, estas instruções devem ser
2. O motor pode estar “afogado” devido às in-
lerador totalmente pressionado. Mantenha a precisamente seguidas.
sistentes partidas. Veja “(b) Funcionando um
motor “afogado” ”, para maiores informações. chave e o pedal nesta condição por 15 segun- Se você estiver inseguro quanto ao procedi-
dos e solte-os. Então tente funcionar o motor, mento, recomendamos que você procure um
3. Caso ainda assim o motor não arranque,
com o pé fora do pedal do acelerador. técnico competente ou serviço de guincho.
isto significa que o mesmo necessita de
ajustes ou reparos. Entre em contato com Caso o motor não funcione após 15 segundos
uma Concessionária Toyota. acionando o motor da partida, solte a chave ATENÇÃO
da ignição, aguarde alguns minutos e tente
novamente. • As baterias contêm ácido sulfúrico,
que é venenoso e corrosivo. Use ócu-
Caso o veículo ainda não funcione, necessita
de ajustes ou reparos. Chame uma concessi- los de proteção, e evite derramá-lo em
suas mãos, roupas ou no veículo.
onária Toyota para assistência.
• Caso acidentalmente você derrube áci-
do, remova as roupas contaminadas e
NOTA
lave a área com água, imediatamente.
Procure auxílio médico. Se possível,
Não acione o motor da partida por mais
continue lavando com água e com o au-
de 30 segundos de uma única vez. Isto
xílio de uma esponja ou pano a cami-
poderá superaquecer o motor da parti-
nho do médico.
da e os cabos elétricos.
• O gás, normalmente produzido pela ba-
teria, explodirá caso uma chama ou
faísca esteja próxima. Utilize somente
cabos aprovados pelas normas brasi-
leiras e não fume ou acenda chamas
durante a operação.

4-2
NOTA Cabo auxiliar
de emergência
Bateria descarregada
A bateria auxiliar deve ser de 12 V. Não
acople a bateria sem certificar-se de que
é a correta.
Bateria auxiliar
PROCEDIMENTO PARA UTILIZAR O CABO
AUXILIAR DE EMERGÊNCIA
Pólo positivo
1. Caso a bateria auxiliar esteja instalada em (marca “+”) Bateria descarregada
outro veículo, certifique-se de que o outro
Cabo auxiliar Bateria auxiliar
veículo não seja tocado. Desligue todos os de emergência Terminal positivo Terminal negativo
acessórios e luzes. (marca “+”) (marca “–”)

2. Caso necessário, remova as tampas de


4. Faça as conexões na ordem a, b, c, d. c. Conecte o terminal negativo do cabo (pre-
abastecimento de ambas as baterias. Co-
a. Conecte o terminal positivo do cabo to) ao pólo negativo (–) da bateria auxiliar.
loque um pano sobre as baterias. (Isto aju-
da e reduzir o risco de explosão, ferimentos (vermelho), ao pólo positivo (+) da ba- d. Conecte o terminal, no outro lado do cabo
e queimaduras). teria descarregada. (preto) a um ponto fixo, sem pintura, e me-
b. Conecte o terminal, no outro lado do tálico do veículo com a bateria descarre-
3. Caso o veículo com a bateria auxiliar não
cabo (vermelho), ao pólo positivo (+) gada.
esteja funcionando, acione-o e deixe-o
funcionar por alguns minutos. Durante o da bateria auxiliar. Os pontos de conexão recomendados são
procedimento, funcione o motor a aproxi- mostrados nas ilustrações seguintes:
madamente 2000 rpm com o pedal do
acelerador parcialmente pressionado.

4-3
O motor “morre” enquanto você
dirige
5. Dê partida ao motor normalmente. Após a Se o motor “morre” enquanto você dirige...
partida, deixe-o a aproximadamente 2000 1. Reduza a velocidade gradativamente,
rpm por alguns minutos com o pedal do mantendo o veículo em linha reta. Dirija-
acelerador parcialmente pressionado. se cautelosamente para fora da pista, para
6. Desconecte cuidadosamente os cabos, na um local seguro.
ordem inversa: os terminais negativos pri- 2. Ligue o pisca-alerta.
meiramente e então os positivos.
3. Veículos não equipados com airbags —
7. Descarte cuidadosamente os panos que
Tente ligar o motor novamente.
estavam sobre as baterias. Eles poderão
estar contaminados com ácido sulfúrico. Veículos equipados com airbags —
8. Caso tenham sido removidas, recoloque Coloque a chave na posição “ACC” ou
as tampas das células das baterias. “LOCK” e tente ligar o motor novamente.
Se a causa pela qual a bateria se descarre- Caso o motor não funcione, veja “Se o seu
Ponto de conexão gou não for aparente (por exemplo, luzes es- veículo não funciona”.
quecidas acesas), você deverá verificá-la.
Não conecte o cabo próximo, ou em algum
ATENÇÃO
componente que se movimente quando o mo-
tor for acionado.
Caso o motor não esteja funcionando, a
assistência para os freios e para a dire-
ATENÇÃO ção hidráulica não funcionarão; então,
o volante e os freios estarão mais “pe-
Ao fazer as conexões, para evitar aciden- sados” que o normal.
tes, não se apoie sobre a bateria ou dei-
xe os cabos ou terminais tocarem em
nenhum outro ponto que não seja o pólo
da bateria ou o terra.

4-4
O seu veículo está superaquecido
Caso o indicador da temperatura do fluido 3. Verifique visualmente quanto a vazamen-
ATENÇÃO
de arrefecimento do motor indique supe- tos no radiador, mangueiras e sob o veícu-
raquecimento, se você perceber queda de lo. Lembre-se que o vazamento da água
Não tente retirar a tampa do radiador en-
potência, ou ouvir ruído de detonação (“ba- do ar condicionado, caso esteja ligado, é
quanto o motor e o radiador estiverem
tida de pinos”), o motor terá provavelmen- normal.
quentes. Sérios ferimentos podem resul-
te superaquecido. Você deverá seguir este
tar se houver contato com o fluido de
procedimento... ATENÇÃO
arrefecimento quente, sob pressão.
1. Saia da pista, pare o veículo e ligue o pis-
ca-alerta. Coloque a transmissão em “P” Quando o motor estiver em funciona-
mento, mantenha as mãos e roupas lon- 6. Após a temperatura do fluido de arrefeci-
(automática) ou em ponto morto (manual)
ge de partes móveis e das correias do mento ter chegado ao normal, verifique no-
e aplique o freio de estacionamento. Des-
motor. vamente o nível do fluido de arrefecimento
ligue o ar condicionado, caso esteja ope-
no reservatório. Caso necessário, ajuste o
rando.
nível. Grandes perdas do fluido de arrefe-
2. Caso o fluido de arrefecimento esteja em 4. Caso haja vazamentos do fluido de arre- cimento indicam um vazamento no siste-
ebulição ou vapor esteja saindo do radia- fecimento, pare o motor imediatamente. ma. Você deve verificá-lo o mais breve
dor ou do reservatório, desligue o motor. Chame uma concessionária Toyota para possível em sua concessionária Toyota.
Aguarde enquanto ainda sair vapor antes assistência.
de abrir o capô. Caso o fluido não esteja
5. Caso não haja vazamentos, verifique o re-
em ebulição e não haja vapor, deixe o mo-
servatório do fluido de arrefecimento. Caso
tor funcionando e certifique-se de que a
esteja vazio, adicione o fluido de arre-
ventoinha está funcionando. Caso não es-
fecimento enquanto o motor estiver em fun-
teja, desligue a chave de ignição.
cionamento. Encha-o até a metade.

ATENÇÃO

Para evitar ferimentos pessoais, mantenha


o capô fechado enquanto houver vapor.
Vazamento de vapor ou fluido de arrefeci-
mento é sinal de pressão muito alta.

4-5
Um pneu furou —
1. Reduza a velocidade gradualmente, manten-
do o veículo em linha reta. Saia cautelosa- ATENÇÃO • Ao elevar o veículo, não coloque ne-
mente da pista, para um local seguro, longe nhum objeto sobre ou sob o macaco.
Ao elevar o veículo, certifique-se de ob- • Eleve o veículo somente o suficiente
do tráfego. Evite parar no acostamento cen-
servar o seguinte procedimento, para para remover e colocar o pneu.
tral da pista. Estacione em um local plano,
evitar a possibilidade de ferimentos:
com solo firme.
• Siga as instruções para uso do macaco.
2. Desligue o motor e ligue o pisca-alerta.
• Jamais coloque qualquer parte de seu
3. Aplique firmemente o freio de estaciona- NOTA
corpo sob um veículo que esteja apoi-
mento e coloque a transmissão em “P” (au- ado pelo macaco. Poderão ocorrer gra-
tomática) ou ré (manual). Não continue a dirigir com um pneu va-
ves acidentes.
zio. Dirigir, mesmo por uma distância
4. Retire os passageiros do veículo pelo lado • Não funcione o motor enquanto o veí- pequena, pode danificar irremediavel-
oposto ao do tráfego. culo estiver sobre o macaco. mente o pneu.
5. Leia as seguintes instruções. • Pare o veículo em local plano e firme,
aplique seguramente o freio de estacio-
namento e coloque a transmissão em
“P” (automática) ou ré (manual). Calce
a roda diagonalmente oposta àquela
que será trocada.
• Certifique-se de que o macaco está po-
sicionado adequadamente, no local de
apoio. Levantar o veículo com o maca-
co em posição incorreta danificará o
veículo ou poderá ocasionar a queda
do veículo, causando ferimentos.
• Nunca fique sob o veículo, quando es-
tiver suportado somente pelo macaco.
• Use o macaco somente para elevar o
veículo para troca de pneus.
• Não eleve o veículo com ocupantes.

4-6
— Ferramentas necessárias e estepe

1. Pegue as ferramentas necessárias e o Gire a conexão do macaco com as mãos. Para remover o estepe, solte o parafuso e re-
estepe. Para removê-lo do porta-malas: Gire a cone- mova-o. Retire o estepe do veículo.
1 Macaco xão na direção 1 até que o macaco esteja livre. Ao guardar o estepe, coloque-o no local com
2 Estepe Para guardá-lo no porta-malas: Gire a cone- o lado externo da roda para cima. Prenda-o
xão na direção 2 até que o macaco esteja se- seguramente na ordem inversa à remoção,
3 Triângulo de segurança para evitar que se solte durante uma colisão
guramente preso para evitar que se solte no
4 Chave de roda e alavanca do macaco ou frenagem repentina.
caso de uma colisão ou frenagem repentina.
Para se preparar para uma emergência, você
deve estar familiarizado com o uso do maca-
co, com cada uma das ferramentas e sua lo-
calização.

4-7
— Calçando a roda — Remoção da calota — Soltando as porcas da roda

2. Calce a roda diagonalmente oposta 3. Remova a calota 4. Solte todas as porcas da roda.
àquela que será removida, para evitar Puxe a calota, usando o alojamento para apoiar Sempre afrouxe as porcas antes de elevar o
que o veículo se movimente enquanto a ferramenta, conforme mostrado. veículo.
estiver suspenso.
As porcas devem ser giradas no sentido anti-
Ao calçar a roda, coloque um calço de rodas ATENÇÃO horário para serem soltas. Para obter melhor
pela frente para as rodas dianteiras e por trás, empunhadura, coloque a chave de rodas de
para as rodas traseiras. Não tente puxar a calota com as mãos. forma que a haste fique do lado direito, como
Tenha atenção ao manipular a calota mostrado acima. Segure a chave de rodas pela
para evitar ferimentos. extremidade e levante-a. Certifique-se de que
não escape da porca.
Não remova as porcas ainda, apenas solte-as
aproximadamente meia volta.

4-8
— Posicionando o macaco — Elevando o seu veículo — Trocando as rodas

5. Posicione o macaco no local correto, 6. Após certificar-se de que não há nin- 7. Remova as porcas da roda e troque-a
conforme mostrado. guém no veículo, eleve-o o suficiente Levante ligeiramente a roda na direção verti-
Certifique-se de que o macaco está posicio- para que o estepe seja instalado. cal e puxe-a.
nado em solo plano e sólido. Lembre-se de que você precisa de uma dis- Posicione o estepe e alinhe os orifícios da roda
tância maior quando for colocar o estepe, do com os parafusos. A seguir, levante a roda e
que quando retirar o pneu furado. deixe pelo menos o parafuso superior
Para elevar o veículo, insira a alavanca no ma- posicionado no orifício. Movimente o pneu e
caco e gire-a no sentido horário. Após tocar no pressione-o para trás contra os demais para-
veículo e começar a erguê-lo, verifique nova- fusos.
mente se está adequadamente posicionado.

ATENÇÃO

Nunca fique sob o veículo quando esti-


ver erguido somente pelo macaco.

4-9
— Reinstalando as porcas das rodas — Abaixando o seu veículo

Antes de colocar a roda, remova qualquer cor- 8. Reinstale todas as porcas das rodas 9. Abaixe o veículo completamente e aper-
rosão da face de montagem usando uma es- com as mãos. te as porcas da roda.
cova ou algo similar. A instalação da roda sem Reinstale as porcas das rodas (parte cônica Para abaixar o veículo, gire a alavanca do
um bom contato metal – metal pode causar o para dentro) e aperte-as o quanto puder com macaco no sentido anti-horário.
afrouxamento das porcas e eventual perda da as mãos. Empurre a roda e tente apertá-las Use somente a chave de roda para apertar as
roda. Desta forma, após os primeiros 1600 km, mais. porcas. Não use outra ferramenta ou alavan-
verifique se as porcas das rodas estão aper-
ca para auxiliar, como martelo, canos ou o seu
tadas.
pé. Certifique-se de que a chave de roda está
seguramente posicionada na porca.
Aperte cada porca um pouco de cada vez, na
ordem indicada. Repita a operação até que
todas estejam apertadas.

4-10
— Reinstalando as calotas — Após trocar a roda
11. Verifique a calibragem do pneu substi-
ATENÇÃO tuído.
Ao abaixar o veículo, certifique-se de Ajuste a pressão conforme a especificação na
que todas as partes do seu corpo e de Seção 8. Caso a pressão esteja abaixo da re-
outras pessoas próximas ao veículo não comendada, dirija lentamente ao posto de ga-
serão feridas. solina mais próximo e corrija a pressão.
Não se esqueça de colocar a tampa da válvu-
la de enchimento, pois sujeira e umidade po-
dem penetrar na válvula e ocasionar
vazamentos. Caso tenha perdido a tampa, co-
loque uma nova assim que possível.
12. Guarde todas as ferramentas, macaco
e pneu furado seguramente.
10. Reinstale a calota. Assim que possível repare o pneu furado.
1. Coloque a calota na posição.
Alinhe o rebaixo da calota com a vál- ATENÇÃO
vula de enchimento do pneu, confor-
me mostrado. Antes de dirigir, certifique-se de que to-
2. Pressione-a firmemente para dentro da das as ferramentas, macaco e pneu fu-
roda. rado estão seguramente guardados em
seus locais para reduzir a possibilidade
ATENÇÃO de ferimentos em caso de colisão ou fre-
nagem repentina.
Tenha cuidado ao manusear a calota
para evitar ferimentos.

4-11
O seu veículo precisa ser rebocado —
Caso seja necessário rebocar o seu veículo, (a) Rebocando com caminhão guincho tipo
(a) Rebocando com caminhão guincho do tipo roda suspensa recomendamos que seja feito por uma con- roda suspensa
cessionária Toyota, ou um serviço de guin- Pela frente — Solte o freio de estacionamento.
— Pela frente cho especializado. Reboque o seu veículo
conforme (a) ou (b).
NOTA
Somente quando não for possível rebocá-lo
por uma concessionária Toyota ou serviço Ao levantar as rodas, certifique-se de que
de guincho especializado, reboque-o de tenha uma distância livre do solo adequa-
acordo com as instruções dadas em “— Re- da, no lado oposto ao elevado. Caso con-
bocando em uma emergência” nesta seção. trário o pára-choques e/ou o lado inferior
— Pela traseira O equipamento adequado assegurará que o do veículo poderão ser danificados.
seu veículo não seja danificado enquanto é
rebocado. Pela traseira —
O seu veículo poderá ser danificado caso seja • Transmissão manual:
rebocado incorretamente. Mesmo que o ser- Recomendamos a utilização de uma pla-
viço de guincho conheça o procedimento cor- taforma sob as rodas dianteiras. Caso não
reto para o reboque, poderão ocorrer dúvidas. utilize uma plataforma, coloque a chave da
Para evitar danos ao seu veículo, certifique- ignição na posição “ACC” e coloque-a em
(b) Utilizando uma plataforma se de seguir algumas precauções. Caso ne- ponto morto.
cessário, mostre esta informação ao motorista
que for efetuar o serviço. NOTA
PRECAUÇÕES PARA REBOCAR:
Utilize um sistema de segurança de corrente, Não reboque com a chave da ignição re-
sempre. As rodas e eixo no solo devem estar movida ou na posição “LOCK”, ao re-
em boas condições. Caso estejam danificadas, bocar pela traseira sem uma plataforma.
utilize uma plataforma. O mecanismo da trava do volante não é
tão forte para que mantenha as rodas
em linha reta.

4-12
— Rebocando em uma emergência
• Transmissão automática: (c ) Rebocando com barra de elevação
Utilize uma plataforma sob as rodas dian-
teiras.

NOTA

Nunca reboque um veículo com trans-


missão automática pela traseira, com as
rodas dianteiras no solo, pois poderá
ocasionar sérios danos à transmissão.

(b) Utilizando uma plataforma

(c ) Rebocando com barra de elevação Dianteira

NOTA

Não reboque com um sistema do tipo de


barra de elevação, seja pela frente ou
pela traseira. Isto poderá causar danos
à carroçaria.

Traseira

4-13
Alavanca da transmissão automática
não pode ser movida
Caso o reboque seja necessário, recomen-
damos que seja feito por uma concessio- ATENÇÃO
nária Toyota ou serviço de guincho.
Tenha extrema atenção ao rebocar veí-
Caso um serviço de guincho não esteja dis- culos. Evite partidas repentinas ou ma-
ponível, em caso de emergência, o seu ve- nobras incorretas que podem imprimir
ículo poderá ser temporariamente puxado esforço excessivo ao cabo ou corrente.
por um cabo ou corrente, pelos olhais dis- Os olhais e o cabo ou corrente podem
poníveis na frente e traseira do veículo. Te- quebrar e causar ferimentos ou danos.
nha muita atenção ao puxar o veículo.

NOTA
NOTA
Utilize somente um cabo ou corrente es-
Utilize apenas olhal de reboque especi- pecificamente destinados a puxar veícu-
ficado, pois de outra forma seu veículo los. Prenda seguramente o cabo ou Caso a alavanca não saia da posição “P”
poderá ser danificado. corrente nos olhais disponíveis. mesmo que o pedal de freio esteja pressi-
onado, utilize o botão de bloqueio da trans-
Antes de rebocar, solte o freio de estaciona- missão automática, conforme indicado
Um motorista deve estar dentro do veículo re-
mento e coloque a transmissão em ponto mor- abaixo:
bocado para manobrá-lo, e operar os freios.
to (manual) ou “N” (automática). A chave da 1. Gire a chave de ignição para a posição
Rebocar desta maneira só poderá ser feito em ignição deve estar na posição “ACC” (motor “LOCK”, Certifique-se de que o freio de
superfícies firmes por uma distância peque- desligado) ou “ON” (motor funcionando). estacionamento esteja aplicado.
na, e a baixas velocidades. Também os eixos,
rodas, transmissão, volante e freios devem es- 2. Retire a tampa do botão de bloqueio,
ATENÇÃO utilizando uma chave de fenda.
tar em boas condições.
Caso o motor não esteja funcionando, a
assistência para os freios e volante não
operarão, e o esforço necessário será
muito maior que o normal.

4-14
Você perdeu as chaves do veículo Você perdeu o controle remoto
Muitas concessionárias Toyota podem fazer Procure a concessionária Toyota mais pró-
uma chave nova desde que você forneça o xima e adquira um controle remoto novo.
número. Já que seu veículo é equipado com Para evitar a possibilidade de furto ou de aci-
o sistema imobilizador do motor, a conces- dente, assim que possível procure a conces-
sionária também precisará da chave mestra. sionária Toyota e providencie o cancelamento
Mesmo que você perca apenas uma chave, dos códigos de identificação do controle re-
entre em contato com sua concessionária moto registrados para seu veículo. Ao mesmo
Toyota para que seja feita uma nova. tempo, os demais controles remotos também
deverão ser configurados novamente.
NOTA

Caso sejam perdidas todas as chaves-


mestras, não será possível fazer novas
3. Coloque seu dedo no orifício e pressi- chaves; todo o sistema do imobilizador
one o botão de bloqueio da transmis-
do motor deverá ser substituído.
são automática. Você apenas
conseguirá mover a alavanca de “P” Veja as sugestões dadas no Capítulo 1-2.
para outras posições, quando o botão Se suas chaves forem trancadas dentro do ve-
estiver pressionado. ículo e você não puder pegar uma duplicata,
4. Posicione a alavanca em “N”. muitas concessionárias Toyota podem abrir a
porta usando ferramentas especiais. Se ainda
5. Instale novamente a tampa do botão de
você precisar quebrar um vidro para entrar, nós
bloqueio.
sugerimos a quebra do vidro lateral menor, por-
6. Dê partida ao motor. Para sua segu- que será mais barato par trocar. Seja extrema-
rança, mantenha o pedal de freio pres- mente cuidadoso para evitar se cortar com o
sionado. vidro.
Entre em contato com uma concessionária
Toyota o mais rápido possível para que o sis-
tema possa ser inspecionado.

4-15
Extintor de incêndio

1. O extintor está localizado na parte frontal 3. Puxe a trava para romper o lacre. 5. Pressione o gatilho até o fim espalhando
do banco do passageiro dianteiro. Sua re- 4. Direcione o bico para a base do fogo. o pó.
moção se dá abrindo a capa protetora e Após utilizar o extintor, fixe-o seguramente
soltando a presilha de fixação. no lugar e substitua por um novo assim que
2. Acione o extintor conforme instruções do possível.
fabricante impressas no próprio extintor.

ATENÇÃO

Inspecione o extintor nos intervalos es-


pecificados pelo fabricante e conforme
as instruções impressas no extintor.

4-16
Triângulo de segurança

1. Triângulo de segurança

4-17
4-18
Protegendo o seu Toyota da
corrosão
A Toyota, através de pesquisas, projeto e utili- • Umidade em algumas partes do seu veí-
Seção 5 zação de tecnologia avançada, fez a sua par- culo por um período prolongado de tempo
te para prevenir a corrosão e oferecer-lhe um pode causar a corrosão, mesmo que ou-
PREVENÇÃO CONTRA veículo com a mais alta qualidade de fabrica- tras áreas estejam secas.
CORROSÃO E ção. Agora, é a sua vez. O cuidado adequado • Altas temperaturas poderão causar corro-
com o seu Toyota garantirá proteção contra são em componentes que não podem se-
CUIDADOS COM A corrosão a longo prazo. car devido à falta de ventilação adequada.
As causas mais comuns de corrosão em Isto significa que é necessário manter o seu
APARÊNCIA seu veículo são: veículo sempre limpo, especialmente na região
• Protegendo o seu Toyota da corrosão • Acúmulo de sal, sujeira e umidade em áre- inferior e reparar qualquer dano na pintura ou
as de difícil acesso, sob o veículo. proteção, o mais breve possível.
• Lavando e encerando o seu Toyota
• Riscos na pintura ou na proteção inferior, Para ajudar a prevenir a corrosão, siga as
• Limpando o interior causados por pequenos acidentes ou por instruções abaixo:
pedras. Lave o seu veículo freqüentemente. Isto é
O cuidado é essencialmente importante se necessário para manter o seu veículo limpo,
você mora em áreas que apresentam maior porém para prevenir a corrosão, os itens abai-
risco de corrosão ao veículo ou opera o seu xo devem ser observados:
veículo sob certas condições climáticas: • Caso você dirija em pistas com sal, duran-
• Pista com sal ou produtos químicos ace- te o inverno, ou more em regiões próximas
lerarão a corrosão, da mesma forma que ao mar, deve lavar as partes inferiores do
o sal na atmosfera próxima às áreas mari- veículo pelo menos uma vez por mês para
nhas ou em regiões de poluição industrial. minimizar a corrosão.
• Alta umidade acelera a corrosão especial-
mente quando a temperatura está próxi-
ma de zero graus centígrados.

5-1
Lavando e encerando o seu Toyota
• Água à alta pressão ou vapor podem ser Verifique o interior do seu veículo. Água e Lavando o seu Toyota
utilizados de maneira eficiente para limpar sujeira podem acumular-se sob o carpete e Mantenha o seu veículo limpo, com lavagens
as partes inferiores ou as caixas de roda. causar corrosão. Verifique ocasionalmente sob regulares.
Em especial aquelas áreas de difícil aces- o carpete para certificar-se de que a área está
Os seguintes pontos podem causar danos à
so, quanto ao acúmulo de barro e sujeira. seca. Um cuidado especial deve ser tomado
pintura ou corrosão. Lave o seu veículo tão
Será pior só molhar o barro sem retirá-lo. ao transportar produtos químicos, limpadores,
breve quanto possível.
As partes inferiores das portas, painéis e fertilizantes, sal, etc.; devem ser transporta-
conjuntos do chassi, possuem furos de dre- dos em recipientes adequados. Caso ocorra • Ao dirigir em regiões costeiras.
no que não devem estar entupidos com su- derramamento ou vazamento, limpe e seque • Quando houver piche, seiva de árvores,
jeira ou barro, pois a retenção de água imediatamente a área. dejetos de pássaros e restos de insetos.
nestas áreas pode causar corrosão. Mantenha o seu veículo em uma garagem • Ao dirigir em regiões saturadas de fuma-
Veja “Lavando e encerando o seu Toyota” para bem ventilada ou local coberto. Não esta- ça, fuligem, poeira, pó metálico e substân-
mais dicas. cione o seu veículo em local abafado, sem cias químicas.
Verifique as condições da pintura do seu ventilação. Se você lavar o seu veículo den- • Quando o veículo encontra-se com pó e
veículo. Caso você encontre algum risco ou tro de uma garagem, ou estacioná-lo molha- lama.
dano na pintura, retoque-o imediatamente para do, a sua garagem estará tão úmida que
causará corrosão. Mesmo que a sua garagem Lavando manualmente o seu Toyota
prevenir o início da corrosão. Caso já tenha
atingido o metal, leve-o a uma concessionária seja aquecida, um veículo molhado pode so- Faça-o na sombra e após a carroçaria estar
Toyota para reparos. frer corrosão se a ventilação for inadequada. fria ao toque.

ATENÇÃO

Ao limpar sob o assoalho ou o chassi,


certifique-se de não ferir suas mãos.

5-2
1. Esguiche com a mangueira sobre a sujei- Encerando o seu Toyota
ra solta. Remova lama ou areia deposita-
NOTA
O polimento e a aplicação de cera são re-
do sob o veículo ou nas rodas. Não utilize gasolina ou solventes fortes, comendados para manter a beleza original
2. Lave-o com sabão neutro para veículos, di- que são tóxicos os causam danos. do acabamento do seu Toyota.
luído conforme as instruções do fabricante.
Uma vez por mês, ou quando a pintura não
Use um pano macio, e mantenha-o sem- 3. Enxágüe abundantemente, o sabão pode mais repelir a água, aplique cera.
pre molhado, mergulhando-o na solução de causar manchas. Em clima quente, você
sabão. Não esfregue excessivamente. Dei- 1. Sempre lave e seque o veículo antes de
poderá ter que enxaguar cada seção logo
xe o sabão e a água removerem a sujeira. encerá-lo, mesmo que você esteja utilizan-
após lavá-la.
do um produto combinado do tipo limpador
As calotas da roda podem ser facilmente 4. Para evitar manchas dos pingos d’água, e cera.
danificadas por substâncias orgânicas. Caso seque o veículo usando uma toalha macia
sejam atingidas por tais substâncias, lave o 2. Utilize polidor e cera de boa qualidade. Se o
de algodão. Não esfregue ou pressione em
local com bastante água e verifique se a calo- acabamento ficar extremamente desbotado,
excesso pois poderá danificar a pintura.
ta não foi danificada. use um polidor para limpeza de carros e
Lavagem automática depois encere separadamente. Siga cuida-
ATENÇÃO O seu veículo pode ser lavado em lavagens dosamente as instruções e precauções do
automáticas mas lembre-se que a pintura pode fabricante. Certifique-se de polir e encerar
Não instale novamente calotas que es- ser danificada por alguns tipos de escovas, os frisos cromados, tanto quanto a pintura.
tejam seriamente danificadas, pois as água contaminada, ou pelo processo em si. 3. Encere-o novamente quando a água não
mesmas poderão soltar-se da roda e pro- As escovas reduzem a durabilidade da pintu- formar mais gotículas, mas permanecer na
vocar acidentes com o veículo em mo- ra e o brilho, especialmente em cores escu- superfície em grandes áreas.
vimento. ras. Pergunte ao encarregado se o processo
é seguro para a pintura do seu veículo.
Rodas de alumínio: utilize somente sabão neu-
tro ou detergente neutro. NOTA
Pára-choques plásticos: lave-os cuidadosa- Para evitar danos à antena do rádio, cer-
mente. Não esfregue com limpadores abra- tifique-se de estar recolhida antes de
sivos. A superfície dos pára-choques é flexível. lavá-lo.
Piche: Remova com o uso de aguarrás ou lim-
padores adequados a superfícies pintadas.
5-3
Limpando o interior

NOTA ATENÇÃO NOTA


Sempre retire os pára-choques plásticos Não lave o assoalho do veículo com
Nunca use solventes, tiner, gasolina ou
caso o seu veículo venha a ser retoca- água, nem permita que entre água ao
limpadores de vidros para limpar as par-
do ou pintado, e colocado em uma estu- limpar o interior ou exterior do veículo.
tes de vinil.
fa. As altas temperaturas podem A água poderá infiltrar-se nos compo-
danificar os pára-choques. Carpete
nentes de áudio ou outros componen-
tes elétricos próximos ao carpete (ou Use um shampoo de boa qualidade para
tapete), e causar mau funcionamento. limpar o carpete.
Poderá causar corrosão. Inicie aspirando para remover o máximo de
sujeira possível. Vários tipos de limpadores que
Interior em vinil formam espuma estão disponíveis; alguns em
O acabamento em vinil poderá ser facilmen- embalagem tipo pulverizador, outros em pó ou
te limpo com uma solução de sabão neu- líquido que devem ser misturados à água para
tro e água. produzir espuma. Para limpar o carpete, utili-
ze uma esponja ou escova para aplicar a es-
Inicialmente aspire a superfície para remover
puma. Esfregue em círculos.
a sujeira solta. A seguir, usando uma esponja
ou pano macio, aplique a solução ao vinil. Após Não aplique água. Os melhores resultados são
deixar agir por alguns minutos, para amolecer obtidos mantendo-se o carpete o mais seco
a sujeira, remova-a e seque com um pano possível. Leia as instruções do fabricante e
absorvente macio. Caso toda a sujeira não te- siga-as cuidadosamente.
nha sido removida, repita a operação. Limpa- Cintos de segurança
dores de vinil em forma de espuma estão Os cintos de segurança devem ser limpos
disponíveis no comércio e são eficientes. Siga com sabão neutro ou água morna.
as instruções do fabricante.
Utilize um pano ou esponja. À medida que você
limpa os cintos, verifique-os quanto a desgas-
tes, desfiamentos ou cortes.

5-4
1. Limpe-o com um pano macio umedecido
NOTA NOTA com uma solução a 5% de detergente neu-
◆ Não utilize alvejantes ou tinturas nos ◆ Não utilize substâncias orgânicas tro para lã.
cintos, isto poderá enfraquecê-los. (solventes, querosene, álcool, gaso- 2. Com um pano umedecido em água tire to-
◆ Não utilize os cintos de segurança lina, etc.), soluções ácidas ou alcali- dos os traços de detergente.
enquanto estiverem úmidos. nas. Estes produtos podem 3. Passe um pano macio e seco por toda a
descolorir, manchar ou descascar a superfície do couro e deixe-o secar em lo-
Vidros superfície. cal ventilado e livre do sol. O excesso de
Os vidros poderão ser limpos com qualquer ◆ Caso você utilize os limpadores ou umidade pode causar o endurecimento ou
limpador de vidros doméstico. polidores, certifique-se de que não o encolhimento do couro.
possuem as substâncias menciona-
das acima.
NOTA NOTA
◆ Se você utilizar um purificador de ar,
Ao limpar os vidros pelo interior, certi- não espirre o líquido nas superfícies ◆ Se uma mancha não sair depois de
fique-se de não danificar os filetes do internas do veículo. Ele poderá con- usar detergente neutro, aplique um
desembaçador do vidro traseiro. ter as substâncias acima menciona- produto que não contenha solvente
das. Limpe imediatamente as orgânico.
Painéis de controle do ar condicionado, do superfícies caso o produto tenha en- ◆ Nunca usar substâncias orgânicas,
rádio, dos instrumentos, console e inter- trado em contato, conforme as ins- tais como benzina, álcool ou gasoli-
ruptores. truções anteriores. na, ou soluções alcalinas ou ácidas
Utilize um pano macio para a limpeza. para limpar o couro, pois podem
Umedeça um pano macio em água, ou água Interior em couro causar descoloração.
morna, e limpe levemente a sujeira. O estofamento de couro poderá ser limpo, ◆ Usar uma escova de nylon ou tecido de
utilizando-se um detergente para lã. fibra sintética, etc. poderá causar arra-
nhões na superfície fina de couro.
Para manter a boa aparência, recomendamos
a limpeza periódica, duas vezes ao ano. ◆ Os tapetes de couro podem se deteri-
orar. Seja extremamente cuidadoso
Remova a sujeira do couro da seguinte ma-
para evitar manchas de óleo. Tente
neira:
manter os tapetes sempre limpos.

5-5
◆ Exposição longa ou direta ao sol
pode causar endurecimento e enco-
lhimento na superfície de couro.
Mantenha seu veículo à sombra, es-
pecialmente no verão.
◆ O interior do seu veículo pode es-
quentar-se em dias quentes de ve-
rão, então evite colocar nos tapetes
itens feitos de vinil, plástico ou con-
tendo cera, pois estes tendem a ade-
rir ao couro quando aquecidos.
◆ Limpadores inapropriados para cou-
ro podem causar manchas e desco-
loração.

Caso você tenha alguma dúvida quanto a


limpeza do seu Toyota, a sua concessioná-
ria terá prazer em orientá-lo.

5-6
Fatos relacionados com a
manutenção
O seu Toyota foi projetado para condução e
Seção 6 manutenção econômicas. Para certificar-se de
que o seu veículo opera com toda a eficiên-
REQUISITOS PARA cia, siga o plano de manutenção.
MANUTENÇÃO Aonde ir para reparos?
É recomendado que o seu veículo seja levado
• Fatos relacionados com a a uma concessionária Toyota para reparos.
manutenção Os técnicos da Toyota são especialistas treina-
• O seu veículo necessita de reparos? dos. Recebem as informações técnicas mais
atualizadas, através dos boletins de serviço, di-
• Plano de manutenção Toyota cas de reparos, e programas de treinamento.
Os técnicos aprendem a trabalhar nos veículos
Toyota antes de repararem o seu veículo. Não
A manutenção regular é essencial. é o melhor caminho?
Desejamos que você proteja o seu novo veí- A sua concessionária Toyota investiu altos va-
culo Toyota, reparando-o de acordo com o pla- lores em ferramental e equipamentos para re-
no de manutenções fornecido nas páginas paração, que auxiliam na qualidade do serviço
seguintes. A manutenção regular ajudará em: a um custo menor.
• Baixo consumo de combustível O departamento de assistência técnica da
• Vida longa para o veículo concessionária executará plano de manuten-
ção no seu veículo de maneira responsável e
• Prazer ao dirigir econômica.
• Segurança
• Confiança
• Cobertura da garantia
• Conformidade com as leis regulamentares

6-1
O seu veículo necessita de reparos?
Qual manutenção você mesmo pode fazer? Esteja atento a alterações de desempenho, ruí- Caso você perceba alguma dessas alterações,
Alguns dos itens de manutenção são fáceis de dos e alterações no visual que indiquem repa- leve o seu veículo a uma concessionária Toyota
executar, caso você possua uma pequena ha- rações. Algumas indicações importantes, são: o mais rápido possível. Provavelmente ele ne-
bilidade com mecânica e algumas ferramentas • Falhas, engasgos, batidas no motor. cessita de ajustes ou reparos.
básicas. Instruções simples são fornecidas no • Perda considerável de potência.
Capítulo 7. ATENÇÃO
• Ruídos estranhos no motor.
Note, entretanto, que alguns itens necessitam
• Vazamentos sob o veículo (considere que Não continue a dirigir o veículo sem
de ferramentas especiais e habilidade. São exe-
pingos d’água do ar condicionado, são verificá-lo. Isto poderá acarretar resul-
cutados de forma melhor por técnicos especia-
normais). tar sérios danos ao veículo e ferimentos
lizados. Mesmo que você seja um técnico
experiente, recomendamos que os reparos e • Alterações no ruído do sistema de esca- pessoais.
manutenções sejam executadas pela sua con- pamento (pode indicar um perigoso vaza-
cessionária Toyota, que registrará a manuten- mento de monóxido de carbono. Dirija com
ção do seu Toyota. Este registro será útil caso os vidros abertos e verifique o sistema de
você necessite de Serviços em Garantia. escapamento imediatamente).
• Pneus aparentando baixa pressão, exces-
sivo ruído ao manobrar em curvas ou des-
gaste irregular.
• O veículo puxa para um lado em pista pla-
na, quando dirigindo em linha reta.
• Ruídos estranhos relacionados com o mo-
vimento da suspensão.
• Perda da eficiência dos freios, os pedais
do freio ou embreagem aparentam “espon-
josos”, o pedal encosta no assoalho, ou o
veículo puxa para um lado ao ser freado.
• A temperatura do fluido de arrefecimento
do motor está constantemente acima do
normal.

6-2
Plano de manutenção Toyota —
O Plano de manutenção Toyota foi elabora-
da para assegurar uma condução suave, se-
gura e econômica.
O intervalo para as manutenções é deter-
minado pela leitura do hodômetro ou pelo
tempo transcorrido, o que ocorrer primei-
ro, conforme indicado na tabela.
Os reparos executados após o último perí-
odo, devem ser executados mantendo-se os
mesmos intervalos.
O intervalo para cada item pode ser obtido no
plano de manutenções.
Mangueiras de borracha (para os sistemas
de arrefecimento e aquecedor, sistema do
freio e sistema do combustível) devem ser
inspecionadas por um técnico qualificado
de acordo com o plano de manutenções.
Há itens particularmente importantes para ma-
nutenção. Substitua qualquer mangueira da-
nificada imediatamente. Note que as mangueiras
de borracha deterioram com o tempo, resultan-
do em vazamentos, trincas ou ruptura.

6-3
— Plano de manutenção
Operações de manutenção: S = Substitua, troque ou lubrifique I = Inspecione e corrija, ou substitua conforme necessário
A = Aperte no torque especificado

INTERVALO DO REPARO LEITURA DO HODÔMETRO MESES


(Leitura do hodômetro ou meses, o x 1.000 km 1 10 20 30 40 50 60 70 80
que ocorrer primeiro).

COMPONENTES BÁSICOS DO MOTOR


1 Folga das válvulas “Veja nota 1” ........................... . . . . . . . . I 96
2 Correias acionadoras ............................................ . . I . I . I . I 24
3 Óleo lubrificante do motor
“Veja nota 2” .......................................................... Substituir a cada 5.000 km ou 6 meses
4 Filtro do óleo do motor .......................................... . S S S S S S S S 12

NOTA:
1. Inspecione o ruído das válvulas e a vibração do motor e ajuste se necessário.
2. Utilize óleo para motor genuíno Toyota, Toyota Motor Oil ou melhor (SAE 10W-30, API-SJ).

6-4
Operações de manutenção: S = Substitua, troque ou lubrifique I = Inspecione e corrija, ou substitua conforme necessário
A = Aperte no torque especificado

INTERVALO DO REPARO LEITURA DO HODÔMETRO MESES


(Leitura do hodômetro ou meses, o x 1.000 km 1 10 20 30 40 50 60 70 80
que ocorrer primeiro).

5 Mangueiras e conexões do sistema de


arrefecimento e aquecimento “Veja notas 3 e 4” . . . . I . . . I 24
6 Fluido de arrefecimento do motor ....................... . . . . S . . . S 24
7 Sistema de escapamento e coxins ..................... . . I . I . I . I 12
SISTEMA DA IGNIÇÃO
8 Velas de ignição .................................................. . . . . S . . . S 48
9 Bateria “Veja nota 5” ............................................ . I I I I I I I I 12

NOTA:
3. Após 80.000 km ou 48 meses, inspecione a cada 20.000 km ou 12 meses.
4. Verifique se o radiador ou o condensador estão bloqueados por folhas, sujeira ou insetos e limpe a conexão da mangueira.
5. Verifique os terminais quanto a fixação e corrosão, verifique também a condição de carga da bateria.

6-5
Operações de manutenção: S = Substitua, troque ou lubrifique I = Inspecione e corrija, ou substitua conforme necessário
A = Aperte no torque especificado

INTERVALO DO REPARO LEITURA DO HODÔMETRO MESES


(Leitura do hodômetro ou meses, o x 1.000 km 1 10 20 30 40 50 60 70 80
que ocorrer primeiro).

SISTEMAS DO COMBUSTÍVEL E DO CONTROLE


DAS EMISSÕES
10 Filtro de combustível
(incluindo o filtro do tanque de combustível) ....... . . . . . . S . . 72
11 Filtro de ar “Veja nota 6” ...................................... . . I . S . I . S I:24
S:48
12 Tampa do bocal de abastecimento, linhas do
combustível, válvula de controle da evaporação
de combustível e conexões “Veja nota 7” ............. . . . . I . . . I 24
13 Cânister de carvão ................................................ . . . . I . . . I 24

NOTA:
6. Inspecione o elemento do filtro de ar a cada 5.000 km ou 6 meses quando dirigir em estradas poeirentas.
7. Após 80.000 km ou 48 meses, inspecione a cada 20.000 km ou 12 meses.

6-6
Operações de manutenção: S = Substitua, troque ou lubrifique I = Inspecione e corrija, ou substitua conforme necessário
A = Aperte no torque especificado

INTERVALO DO REPARO LEITURA DO HODÔMETRO MESES


(Leitura do hodômetro ou meses, o x 1.000 km 1 10 20 30 40 50 60 70 80
que ocorrer primeiro).

CHASSI E CARROÇARIA
14 Pedal da embreagem ............................................ I . . . . . . . . —
15 Pedal do freio e freio de estacionamento ............. I I I I I I I I I 6
16 Discos e pastilhas do freio .................................... . I I I I I I I I 6
17 Fluido do freio ....................................................... I I I I S I I I S I:6
S:24
18 Fluido do sistema da embreagem ........................ I I I I I I I I I 6
19 Mangueiras e tubos do sistema de freio .............. I I I I I I I I I 6
20 Fluido do sistema da direção hidráulica
“Veja nota 8” ........................................................ . I I I I I I I I 6

NOTA:
8. Utilize fluido para transmissão automática (também para direção hidráulica) genuíno Toyota, Automatic Transmission Fluid D-III ou melhor.

6-7
Operações de manutenção: S = Substitua, troque ou lubrifique I = Inspecione e corrija, ou substitua conforme necessário
A = Aperte no torque especificado

INTERVALO DO REPARO LEITURA DO HODÔMETRO MESES


(Leitura do hodômetro ou meses, o x 1.000 km 1 10 20 30 40 50 60 70 80
que ocorrer primeiro).
21 Volante, coluna e óleo da caixa de direção ......... . . I . I . I . I 12
22 Coifas dos semi eixos .......................................... . I I I I I I I I 12
23 Juntas esféricas e coifas ...................................... . I I I I I I I I 6
24 Óleo da transmissão manual “Veja nota 9” .......... . . . . S . . . S 48
25 Fluido da transmissão automática
“Veja nota 10” ........................................................ . . . . I . . . S I:24
S:48
26 Suspensões dianteira e traseira .......................... . I I I I I I I I 6
27 Aperto dos parafusos e porcas do chassi
e carroçaria ........................................................... . A A A A A A A A 12
28 Pneus e pressão de calibragem .......................... . I I I I I I I I 6
29 Todas as lâmpadas, buzinas, limpadores do
pára-brisa e lavador .............................................. . I I I I I I I I 6
AR CONDICIONADO/REFRIGERANTE ................... I . I . I . I . I 12

NOTA:
9. Utilize óleo para transmissão manual genuíno Toyota, Toyota Manual Transmission Gear Oil ou melhor.
10. Utilize fluido genuíno Toyota, ATF T-IV ou melhor.

6-8
Seção 7
MANUTENÇÕES QUE
VOCÊ MESMO PODE
FAZER
Capítulo 7-1
Introdução

• Compartimento do motor
• Localização dos fusíveis
• Manutenções preventivas que você
mesmo pode fazer
• Posicionamento do macaco

7-1-1
Compartimento do motor
1. Caixa dos fusíveis
2. Vareta indicadora do nível do óleo
3. Reservatório do fluido de arrefecimento
do motor
4. Tampa de abastecimento do óleo
5. Bateria
6. Radiador
7. Ventoinhas elétricas
8. Condensador
9. Reservatório dos lavadores do pára-brisa
e vidro traseiro

7-1-2
Manutenções preventivas que você
Localização dos fusíveis mesmo pode fazer
Caso você mesmo execute as manuten-
ções, certifique-se de seguir os procedi-
mentos corretos dados nesta seção.
Fusíveis reserva
Atenção com reparos inadequados ou incom-
pletos, pois poderão resultar em problemas
operacionais.
Esta seção instrui somente quanto àqueles
itens que são relativamente fáceis para o pro-
prietário executar. Conforme explicado na Se-
ção 6, há vários itens que devem ser verificados
por profissionais qualificados, com ferramentas
especiais.
O máximo cuidado deve ser tomado ao traba-
lhar em seu veículo, para evitar ferimentos
acidentais. Apresentamos algumas precau-
ções que devem ser observadas cuidadosa-
mente:

ATENÇÃO

• Quando o motor estiver funcionando,


mantenha as mãos, roupas e ferramen-
tas longe da ventoinha e correias do
motor. (A remoção de anéis, relógios e
gravata, é aconselhável).

7-1-3
• Logo após dirigir, o compartimento do • Utilize um óculos de proteção sempre NOTA
motor, o motor, radiador, coletor do es- que trabalhar no seu veículo, pois você
capamento, reservatório do fluido da poderá estar exposto a materiais sol- ◆ Lembre-se de que os cabos da bate-
direção hidráulica e cabos das velas de tos, líquidos, etc.
ria e do sistema da ignição condu-
ignição, etc., estarão quentes. Seja cui- zem altas amperagens ou tensões.
• O óleo lubrificante usado do motor Certifique-se de não causar um cur-
dadoso ao tocá-los. Óleo, fluidos e ve- contém contaminantes que podem
las da ignição também estarão quentes. to-circuito.
causar irritações na pele, como infla-
• Caso o motor esteja quente, não remo- mações, ou câncer de pele. Deve ser ◆ Adicione somente água desminera-
va a tampa do radiador ou solte o dre- evitado o contato prolongado e repeti- lizada ou destilada ao radiador. Caso
no para evitar queimaduras. do com o produto. Para remover o óleo
derrame fluido de arrefecimento, cer-
da sua pele, lave a área afetada com tifique-se de lavar o veículo com água
• Não fume, provoque faíscas ou chamas para evitar danos à pintura.
próximo ao combustível ou à bateria. água e sabão.
Os vapores são inflamáveis. • Não deixe o óleo usado ao alcance de ◆ Não deixe cair sujeira ou objetos nos
crianças.
alojamentos das velas da ignição.
• Seja extremamente cauteloso quando
trabalhar com a bateria. Ela contém áci- • Disponha o óleo usado e o filtro so- ◆ Não force o eletrodo externo da vela
do sulfúrico, venenoso e corrosivo. mente em local apropriado. Não dispo- da ignição contra o eletrodo central.
• Não entre embaixo do veículo somen- nha o óleo usado em calçadas, jardins ◆ Utilize somente velas da ignição do
te apoiado no macaco. Sempre utilize ou no chão. Pergunte à sua concessi- tipo especificado. Utilizar outro tipo
tripés ou apoios sólidos. onária ou posto de serviço como dis- causa danos ao motor, perda de de-
por o óleo para reciclagem. sempenho ou ruídos no rádio.
• Certifique-se de que a ignição está des-
ligada caso trabalhe próximo às ven- • Cuidado ao completar o nível dos flui- ◆ Não encha demais os reservatórios
toinhas elétricas ou grade do radiador. dos do freio e embreagem, pois o flui- da transmissão automática e da di-
Com a chave da ignição ligada, as ven- do poderá ferir os seus olhos e danificar reção hidráulica. Poderá danificá-las.
toinhas elétricas se ligarão automati- as superfícies pintadas. Caso caia flui- ◆ Caso derrame fluido do freio, certifi-
camente, caso a temperatura do fluido do em seus olhos, lave-os com água que-se de lavar o veículo para evitar
de arrefecimento esteja alta e/ou ar corrente. que danifique a partes pintadas.
condicionado estiver ligado.

7-1-4
Posicionamento do macaco
Ao levantar o veículo com o macaco,
◆ Não dirija sem o filtro do ar, pois cau-
posicione-o corretamente conforme indica-
sa desgaste excessivo no motor. O
do nas figuras.
retorno da explosão dentro do mo-
tor poderá causar fogo no comparti-
mento do motor. ATENÇÃO
◆ Certifique se de não esfregar os vi-
dros com material áspero. Ao levantar o veículo com o macaco, cer-
tifique-se de seguir as instruções abai-
◆ Ao fechar o compartimento do mo- xo, a fim de reduzir a possibilidade de
tor, verifique se não esqueceu ferra- ferimentos pessoais:
mentas, panos, etc.
• Siga as instruções para levantamento
do veículo com o macaco.
• Jamais coloque qualquer parte de seu
Dianteira
corpo sob um veículo que esteja apoi-
ado pelo macaco. Poderão ocorrer gra-
ves acidentes.
• Não dê partida ou acione o motor en-
quanto o veículo estiver apoiado so-
bre o macaco.
• Estacione o veículo em uma superfí-
cie plana e firme, aplique o freio de es-
tacionamento corretamente e coloque
a alavanca seletora de marchas em “P”
(transmissão automática) ou marcha à
ré (transmissão manual). Caso neces-
sário, calce as rodas no lado oposto
àquele onde está o macaco.

Traseira

7-1-5
• Certifique-se de posicionar o macaco
adequadamente no ponto indicado.
Caso o veículo seja levantado com o
macaco posicionado incorretamente, o
mesmo poderá ser danificado ou po-
derá cair provocando sérios ferimentos
pessoais.
• Jamais fique sob um veículo que este-
ja apoiado apenas sobre o macaco; uti-
lize cavaletes.
• Não permita que pessoas permaneçam
dentro do veículo ao levantá-lo com o
macaco.
• Ao levantar o veículo não coloque ob-
jetos (sobre ou sob) o macaco.

NOTA
Certifique-se de posicionar o macaco
corretamente, pois em caso contrário
seu veículo poderá ser danificado.

7-1-6
Verificando o nível do óleo
Com o motor à temperatura de operação,
Seção 7 porém desligado, verifique o nível do óleo
na vareta.
MANUTENÇÕES QUE 1. Para obter uma leitura correta, o veículo
deve estar em local plano. Após desligar o
VOCÊ MESMO PODE motor, aguarde alguns minutos para que o
óleo retorne ao cárter.
FAZER 2. Puxe a vareta e limpe-a com um pano.
3. Coloque-a novamente, empurre-a o máximo
Capítulo 7-2 que se deslocar, ou a leitura não será correta.

Motor e Chassi

1- Vareta indicadora do nível de óleo


• Verificando o nível do óleo 2- Tampa de abastecimento do óleo
• Verificando o nível do fluido de
arrefecimento
• Verificando o radiador e o
condensador
• Verificando a calibragem dos pneus
• Verificando e substituindo os pneus
• Rodízio dos pneus
• Substituindo as rodas
• Precauções com rodas de alumínio

7-2-1
Utilizando um pano, remova a tampa de abaste-
cimento do óleo e adicione o óleo em pequenas
quantidades de cada vez, verificando a vareta.
Nível mínimo Nível máximo
A quantidade aproximada de óleo necessária
Vareta de
nível de óleo
para encher entre o nível mínimo e máximo
Motores está indicada abaixo, para referência.
3ZZ-FE e 1ZZ-FE
Motores 1ZZ-FE e 3ZZ-FE 1,3 l
Quando o nível estiver correto, instale a tam-
Adicione óleo Correto Muito cheio
pa, apertando-a com as mãos.

NOTA
◆ Cuidado para não derramar o óleo do
4. Puxe a vareta para fora e observe o nível motor nos componentes do veículo. Para assegurar o melhor desempenho e a
do óleo na extremidade. ◆ Evite ultrapassar o nível máximo pois maior vida útil do motor, utilize o óleo corres-
o motor poderá ser danificado. pondente da linha de lubrificantes genuínos
NOTA Toyota.
◆ Verifique novamente o nível do óleo
na vareta antes de adicionar mais Os lubrificantes genuínos Toyota foram desen-
Cuidado para não derramar o óleo do volvidos especialmente para atender às carac-
óleo.
motor nos componentes do veículo. terísticas de seu veículo e estão disponíveis
◆ Lembre-se de fixar seguramente a
nas concessionárias Toyota.
vareta e a tampa de abastecimento
Caso o nível do óleo esteja abaixo ou ligei- em seus respectivos lugares após a
ramente acima da indicação mínima, adicio- verificação. Seleção do óleo lubrificante
ne óleo do mesmo tipo daquele em uso no ◆ Siga rigorosamente o plano de ma- Óleo recomendado:
motor. nutenção descrito na Seção 6 deste Óleo para Motor Genuíno Toyota
manual.
Toyota Motor Oil
◆ Utilize sempre peças e lubrificantes
genuínos Toyota. SAE 10W-30, API - SJ

7-2-2
Verificando o nível do fluido de
arrefecimento
Observe pelo visor do reservatório do flui- Seleção do fluido de arrefecimento
NOTA
do de arrefecimento quando o motor esti- O uso de fluidos de arrefecimento não ade-
◆ Siga rigorosamente o plano de ma- ver frio. O nível está correto quando está quados poderá danificar o sistema de
nutenção descrito na Seção 6 deste entre as linhas “FULL” (cheio) e “LOW” (bai- arrefecimento do motor. O fluido de
manual e consulte o livrete de garan- xo). Caso o nível esteja abaixo, adicione o arrefecimento deverá incluir um composto do
tia para informações adicionais. fluido de arrefecimento especificado na tipo etileno glicol para assegurar a proteção
◆ Utilize sempre peças e lubrificantes página 8-3. anti-corrosiva apropriada para o motor que
genuínos Toyota. Evite ultrapassar o O nível do fluido de arrefecimento no reserva- contém componentes de alumínio.
nível pois o motor poderá ser danifi- tório varia em função da temperatura do mo- A capacidade total do sistema de arrefecimento
cado. tor. No entanto, caso o nível esteja perto da é fornecida na página 8-3.
indicação “LOW”, adicione fluido. Leve-o à in-
dicação “FULL”.
NOTA
Sempre utilize o mesmo tipo de fluido já exis-
tente no sistema. Não utilize fluido de arrefecimento à
Caso o nível do fluido de arrefecimento descer base de álcool ou água pura.
logo após completá-lo, pode haver um vaza-
mento no sistema. Inspecione visualmente o
radiador, mangueiras, tampa do radiador, dre-
no e bomba d’água.
Caso você não ache vazamentos, leve o veícu-
lo a uma concessionária Toyota para verifica-
ções no sistema de arrefecimento.

ATENÇÃO

Para evitar queimaduras, não remova a


tampa do radiador enquanto o motor es-
tiver quente.

7-2-3
Verificando o radiador e o
condensador Verificando a calibragem dos pneus
Procure uma concessionária Toyota em caso Mantenha a calibragem correta. As seguintes instruções devem ser segui-
de dúvida sobre a condição do radiador ou As pressões de calibragem à frio estão na das para verificar a calibragem dos pneus:
condensador, ou ainda se algum desses com- Seção 8. • A pressão deve ser verificada somente
ponentes estiver excessivamente sujo. quando os pneus estão frios. Se o veí-
Você deve verificar a pressão dos pneus a
cada duas semanas, ou pelo menos uma vez culo estiver parado por pelo menos 3 ho-
ATENÇÃO por mês. Não se esqueça do estepe! ras e não foi conduzido por mais do que
1,5 km, para que você tenha uma leitura
Para evitar queimaduras, não toque no Pressão incorreta dos pneus diminui a vida
correta da pressão.
radiador ou no condensador enquanto útil e a segurança do veículo.
• Sempre utilize um medidor de pressão.
o motor estiver quente. Pressão baixa nos pneus causa excessivo
A aparência de um pneu pode enganar.
desgaste, dirigibilidade inadequada, aumenta
Pneus com pequena diferença em relação
o consumo do combustível e a possibilidade
à pressão correta comprometem a
NOTA de danos por aquecimento dos pneus. Tam-
dirigibilidade.
bém causa vedação deficiente nos aros das
Para evitar danos ao radiador ou ao • Não esvazie ou reduza a pressão dos
rodas. Caso a pressão esteja excessivamente
condensador, não faça você mesmo os pneus após conduzir o veículo. É nor-
baixa, haverá a possibilidade de deformações
reparos. mal que a pressão esteja acima da cali-
nos aros das rodas e/ou desmontagem dos
pneus. brada após dirigir o veículo.
Pressão alta produz uma condução difícil, pro- • Certifique-se de reinstalar as tampas
blemas de dirigibilidade, desgaste excessivo das válvulas após calibrá-los. Sem as
no centro da banda de rodagem do pneu e tampas, sujeira ou umidade podem atingir
grande possibilidade de danos devido às irre- as válvulas e causarem vazamentos. Caso
gularidades do solo. as tampas tenham sido perdidas, obtenha
novas e recoloque-as assim que possível.
Caso um pneu necessite freqüentemente ser
calibrado, leve-o à sua concessionária Toyota
para verificações.

7-2-4
Verificando e substituindo os pneus
Verifique regularmente os pneus quanto a
Indicador de desgaste danos como cortes ou trincas. Caso algum ATENÇÃO
dano seja encontrado, consulte um técni-
co e repare ou substitua o pneu. • Não combine pneus radiais com dia-
gonais no seu veículo. Poderá causar
Mesmo que o dano não aparente ser sério,
características perigosas de dirigibili-
um técnico qualificado deve examinar o pneu.
dade, resultando em perda de controle
Objetos que penetraram no pneu podem ter
do veículo.
ocasionado danos internos.
• Não utilize pneus ou aros de rodas com
Qualquer pneu que já tenha sido usado por
medidas diferentes daqueles recomen-
mais do que seis anos deve ser verificado
dados pelo fabricante.
por um técnico qualificado, mesmo que não
aparente estar defeituoso.
Nunca utilize pneus usados em seu Toyota.
Os pneus deterioram-se com o tempo, mes-
VERIFICANDO OS PNEUS mo que tenham sido adequadamente usados. Utilizar pneus cuja história não é conhecida é
um risco.
Verifique o indicador de desgaste. Caso in- Isto se aplica no estepe ou em pneus que te-
dique limite de desgaste, substitua os nham sido guardados para utilização futura. A Toyota recomenda que os quatro pneus
pneus. ou pelo menos os dois dianteiros sejam
SUBSTITUINDO OS PNEUS
substituídos como um conjunto.
Os pneus do seu Toyota foram construídos Ao substituir um pneu, utilize somente ou-
com indicadores de desgaste para auxiliá-lo a Veja “Um pneu furou” na Seção 4 quanto ao
tro com as mesmas medidas, forma de
determinar quando os pneus necessitam de procedimento de troca.
construção dos originais e com a mesma
substituição. Quando a profundidade dos sul- capacidade de carga, ou superior. Quando um pneu é substituído, o conjunto
cos for 1,6 mm, ou menos, os indicadores apa- deve ser balanceado.
Utilizar outra medida ou tipo de pneu afeta a
recem. Caso você veja os indicadores em dois Uma roda desbalanceada pode afetar a diri-
dirigibilidade, a calibragem do velocímetro e
ou mais sulcos adjacentes, o pneu deve ser gibilidade do veículo e a vida do pneu. As ro-
do hodômetro, distância livre do solo e distân-
substituído. Quanto menor a profundidade do das podem perder o balanceamento com o uso
cia à carroçaria.
sulco, maior o risco do veículo patinar. regular e devem ser balanceadas ocasional-
mente.
Ao substituir um pneu sem câmara, a vál-
vula do ar deve ser substituída também.
7-2-5
Rodízio dos pneus Substituindo as rodas Precauções com rodas de alumínio
QUANDO SUBSTITUIR AS RODAS • Após dirigir o veículo pelos primeiros 1.600
Caso seu veículo tenha rodas danificadas, km, verifique se as porcas das rodas estão
amassadas, com trincas ou corrosão gra- apertadas.
ve, deverão ser substituídas. • Se você efetuou o rodízio, reparos ou tro-
Se você não substituí-las, os pneus poderão cou os pneus, verifique o aperto das por-
escapar do aro ou causar perda do controle cas das rodas após 1.600 km.
do veículo. • Utilize apenas porcas de rodas Toyota e
SELEÇÃO DAS RODAS chave de rodas adequada para rodas de
alumínio.
Ao substituir as rodas, certifique-se de que
as novas tenham as mesmas medidas (diâ- • Quando balancear as rodas, utilize somen-
metro), e capacidade de carga. te pesos para balanceamento Toyota ou
equivalentes e um martelo plástico ou de
Rodas de reposição corretas estão disponí-
borracha.
veis na sua concessionária Toyota.
Para equilibrar o desgaste e ajudar a aumen- • Como com qualquer roda, verifique perio-
tar a vida dos pneus, a Toyota recomenda Uma roda de medidas diferentes ou de outro
dicamente quanto a danos. Caso danifi-
que você faça o rodízio dos pneus a aproxi- tipo podem afetar a dirigibilidade, a vida da roda
cada, substitua imediatamente.
madamente cada 10.000 km. No entanto o e do rolamento, a refrigeração dos freios, a
momento adequado para o rodízio pode va- calibração do velocímetro e do hodômetro, ca-
riar, de acordo com os seus hábitos de diri- pacidade de frenagem, altura do facho dos fa-
gir, e condições das superfície do solo. róis, altura dos pára-choques, distância livre do
solo e distância entre o chassi e a carroçaria.
Veja “Um pneu furou” na Seção 4 quanto ao
procedimento de troca. Substituir as rodas antigas por rodas usadas
não é recomendado pois podem ter sido sub-
Ao executar o rodízio, verifique quanto a des-
metidas a maus tratos ou a altas quilometra-
gastes irregulares e danos. Desgaste anormal
gem e poderão falhar repentinamente. Rodas
é geralmente causado por pressão incorreta
que foram desamassadas também podem ter
dos pneus, alinhamento incorreto das rodas, ro-
danos estruturais e não devem ser utilizadas.
das desbalanceadas, ou frenagens severas.
Nunca utilize uma câmara de ar em uma roda
com vazamento, que foi projetada para uso com
pneus sem câmara.
7-2-6
Verificando a condição da bateria —
— Precauções

Seção 7 ATENÇÃO • Caso caia eletrólito em sua pele, lave


abundantemente a área afetada. Caso
MANUTENÇÕES QUE PRECAUÇÕES COM A BATERIA sinta dor ou sensação de queimadura,
A bateria produz gases inflamáveis e ex- consiga atendimento médico imediata-
VOCÊ MESMO PODE plosivos. mente.
• Não produza faíscas na bateria, com • Caso caia eletrólito em suas roupas, há
FAZER ferramentas. a possibilidade de atingir a sua pele;
imediatamente retire a roupa contami-
• Não fume ou acenda fósforos perto da
nada e siga as instruções acima, caso
Capítulo 7-3 bateria.
necessário.
O eletrólito possui ácido sulfúrico, ve-
Componentes elétricos • Caso ocorra a inalação de vapores do
nenoso e corrosivo.
eletrólito, beba uma grande quantida-
• Evite contato com os olhos, pele ou de de água ou leite. Siga tratando com
roupas. leite de magnésia, clara de ovos batida
• Verificando a condição da bateria
• Nunca ingira o eletrólito. ou óleo vegetal. Vá imediatamente bus-
• Precauções para recarga da bateria car atendimento de emergência.
• Utilize óculos de proteção ao trabalhar
• Reciclagem obrigatória da bateria próximo à bateria.
• Verificando e substituindo os fusíveis • Mantenha as crianças afastadas da ba-
teria.
• Adicionando fluido lavador
MEDIDAS DE EMERGÊNCIA
• Substituindo as lâmpadas
• Caso caia eletrólito em seus olhos,
lave-os com água limpa imediatamen-
te e procure auxílio médico. Se possí-
vel, continue a aplicar água com uma
esponja ou pano enquanto se dirige ao
consultório médico.

7-3-1
— Verificando o exterior da bateria — Verificando a carga da bateria

Terminais NOTA
Indicador
◆ Certifique-se de que o motor e todos
os acessórios estão desligados an-
tes de executar a manutenção.
◆ Quando verificar a bateria, remova
o cabo terra do pólo negativo (mar-
Cabo terra
ca “–”) primeiramente e instale-o
Grampo por último.
de fixação
◆ Certifique-se de não causar um cur-
to-circuito com as ferramentas.
◆ Certifique-se de que não entre ne-
nhum líquido na bateria ao limpá-la.
Verifique os terminais da bateria quanto a Verifique a condição de carga através da cor
corrosão e fixação, trincas, ou grampo de do indicador.
fixação solto.
a. Caso haja corrosão nos terminais da ba-
teria, lave-os com uma solução de água Cor do indicador Condição
quente com bicarbonato. Aperte os termi-
nais e proteja-os com graxa para evitar Verde Em boas condições
uma corrosão futura.
Preta Necessita de carga
b. Caso os terminais estejam soltos, aperte-
os, mas não excessivamente. Transparente Sem condição de carga
c. Aperte o grampo de fixação somente o ne-
cessário para manter a bateria firme no
local. Apertar excessivamente poderá da-
nificar a carcaça da bateria.

7-3-2
Precauções para recarga da bateria Reciclagem obrigatória da bateria —
Durante a recarga, a bateria produz gás hi-
drogênio. ATENÇÃO

Assim, antes de recarregar a bateria: Riscos de contato com a solução ácida


1. Remova as tampas das células. e com o chumbo:
2. Caso recarregue-a sem retirá-la do veículo, • Composição básica: chumbo, ácido
certifique-se de desconectar o cabo terra. sulfúrico diluído e plástico.
3. Certifique-se que o interruptor do carre- • A solução ácida e o chumbo contidos
gador esteja desligado ao conectar os na bateria, se descartados na nature-
cabos do carregador à bateria e ao des- za de forma incorreta, poderão conta-
conectá-lo. minar o solo, o sub-solo e as águas,
bem como causar riscos à saúde do
ATENÇÃO ser humano.
• No caso de contato acidental com os
Devolva a bateria usada ao revendedor no
• Sempre carregue a bateria em uma área olhos ou com a pele, lavar imediata-
ato da troca (Resolução Conama 257/99 de
não confinada. Não carregue a bateria mente com água corrente e procurar
30/06/99).
em uma garagem ou local fechado orientação médica.
onde a ventilação não seja adequada. • Todo consumidor/usuário final é obrigado
a devolver sua bateria usada a um ponto
• Certifique-se de remover as tampas
de venda. Não descarte-a no lixo.
das células antes de recarregá-la.
• Os pontos de venda são obrigados a acei-
tar a devoluçào de sua bateria usada e a
NOTA devolvê-la ao fabricante para reciclagem.
Nunca recarregue a bateria enquanto o
motor estiver funcionando. Também, cer-
tifique-se de que todos os acessórios
estão desligados.

7-3-3
— Símbolos de advertência

RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES

Corrosivo: Ácido sulfúrico. Pode causar cegueira e queimaduras graves.


¤ Evite contato com as roupas. Não virar.

¤ Mantenha fora do alcance de crianças.

Contato com os olhos ou pele. Lave imediatamente em água corrente.


¤ Se ingerido, beba muita água e procure socorro médico urgente.

¤ Produto reciclável.

¤ Evite: faíscas, chamas, fumar próximo ou virar. Pode causar explosão.

¤ Leia as instruções no Certificado de Garantia.

¤ Proteja os olhos: Gases explosivos podem causar cegueira ou ferimentos.

¤ Chumbo Pb

7-3-4
Verificando e substituindo fusíveis

Bom Queimado

Bom Queimado

Tipo A Tipo C Caso os faróis ou outro equipamento elé-


trico não funcione, verifique os fusíveis.
Caso algum esteja queimado, deve ser
substituído.
Veja “Localização dos fusíveis” no Capítulo 7-1.
Desligue a chave da ignição e o interruptor
do equipamento. Com o auxílio da pinça
(indicada na ilustração), puxe o fusível sus-
peito fora da caixa e verifique-o.
Determine qual fusível pode estar causando o
problema. A tampa da caixa dos fusíveis indi-
Bom Queimado ca o nome do circuito de cada fusível. Veja a
Seção 8 deste manual quanto às funções con-
troladas por cada fusível.
Os fusíveis do tipo A podem ser retirados
Tipo B
com a pinça.
7-3-5
Adicionando fluido lavador
Caso você não esteja seguro se o fusível está
ATENÇÃO
queimado, tente substituí-lo por um que esteja
em bom estado.
Nunca utilize um fusível com maior ca-
Caso o fusível esteja queimado, coloque um pacidade, ou qualquer outro objeto, no
outro no alojamento. lugar de um fusível. Isto poderá causar
Somente instale fusíveis com a mesma danos extensos, e possibilidade de in-
amperagem informada na tampa da caixa dos cêndio.
A
fusíveis.
Se você não tiver um fusível de reposição, em
uma emergência você poderá utilizar o fusí-
vel “A/C”, dispensável à condução do veícu-
lo. Utilize-o se a capacidade em ampères for
a mesma.
Caso não possa utilizar um fusível de mesma Caso o lavador não funcione, o reservató-
amperagem, utilize um de capacidade menor, rio do fluido pode estar vazio. Verifique o
o mais próximo possível do recomendado. Caso nível do fluido na vareta medidora. Caso o
a amperagem seja menor que a especificada, fluido esteja abaixo da marca “A”, mostra-
o fusível deve queimar novamente, mas isso da na figura, adicione fluido lavador.
não indica algo irregular. Certifique-se de obter Você pode usar água pura como fluido lavador.
o fusível correto assim que possível, e substi-
tuí-lo no alojamento original.
NOTA
É uma recomendação útil a de comprar um con-
junto reserva e mantê-lo em seu veículo para Não utilize qualquer substância ácida ou
emergências. corrosiva. Isto poderá causar danos à
pintura.
Caso o novo fusível se queime imediatamente,
há um problema no sistema elétrico. Leve o
veículo a uma concessionária Toyota assim que
possível.

7-3-6
Substituindo as lâmpadas —
As ilustrações a seguir mostram como acessar As luzes externas, por exemplo os faróis, po-
Lâmpada W Tipo
as lâmpadas. Ao substituir uma lâmpada, certi- derão ter a parte interna de suas lentes em-
fique-se de que a chave da ignição e o inter- baçadas quando as mesmas forem molhadas Farol (alto) 60 A
ruptor do circuito estejam desligados. Utilize (chuva, lavagem). Isto não representa um pro-
lâmpadas com a mesma potência, conforme a blema, pois este embaçamento é resultado da Farol (baixo) 51 B
tabela. diferença de temperatura entre a parte inter- Farol de neblina 55 C
na e externa das lentes (a mesma situação
ocorre com o pára-brisa em dias de chuva). Lanternas 5 G
ATENÇÃO
Contudo, caso haja uma grande quantidade Sinalizadores de
de água na parte interna das lentes, ou caso 21 E
• Para prevenir queimaduras, não subs- direção dianteiros
titua as lâmpadas enquanto estiverem seja notada água empoçada dentro da lâm-
pada, entre em contato com sua concessio- Sinalizadores de
quentes. 5 F
nária Toyota. direção laterais
• Lâmpadas do tipo halogênio possuem
gás sob pressão internamente e neces- Sinalizadores de
21 D
sitam de manipulação especial. Elas direção traseiros
podem ser danificadas se sofrerem ris- Luzes do freio/
cos ou quedas. Segure o bulbo somen- 21/5 D
traseiras
te com o plástico de proteção ou pelo
Luz de ré 16 G
soquete metálico. Não toque o bulbo
de vidro com suas mãos. Luz de freio 16 G
elevada (brake-light)
Lanterna de neblina 21 G
NOTA
Luz da placa de
Utilize somente lâmpadas do tipos rela- 5 G
licença
cionados.
Luz interna 8 H
Luzes individuais 8 D
Luz do porta-malas 3,8 F

7-3-7
— Faróis
A: Lâmpadas halogênicas HB3
B: Lâmpadas halogênicas HB4
C: Lâmpadas halogênicas H3
D: Lâmpadas com soquete simples
(transparentes)
E: Lâmpadas com soquete simples (âmbar)
F: Lâmpadas com soquete cônico (âmbar)
G: Lâmpadas com soquete cônico
(transparente)
H: Lâmpadas com soquete duplo

1. FAROL ESQUERDO: Remova a presilha Removendo a presilha


e retire o duto do filtro do ar.
Remova e instale a presilha conforme indica-
do nas ilustrações.

Instalando a presilha

7-3-8
2. Pressione a trava e solte o conector. 3. Gire a lâmpada no sentido anti-horário 4. Instale uma lâmpada nova na abertura
Balance o conector se estiver preso. e remova-a. de fixação, girando–a no sentido horá-
rio e fixe o conector na lâmpada nova.
Após substituir a lâmpada não será necessá-
rio regular o alcance dos faróis. Para esta
regulagem, procure a concessionária Toyota.

7-3-9
— Faróis de neblina

1. Usando uma chave Philips, remova o Removendo a presilha 2. Pressione a trava e solte o conector.
parafuso e a presilha. Balance o conector se estiver preso.
Remova e instale a presilha, conforme indica-
do nas ilustrações.

Instalando a presilha

7-3-10
3. Gire a capa no sentido anti-horário e re- 4. Desconecte os cabos. 5. Solte a mola de retenção da lâmpada.
mova-a.

7-3-11
— Lanternas — Sinalizadores de direção dianteiros

6. Instale uma lâmpada nova.


Para instalar a lâmpada alinhe o entalhe cir-
cular da lâmpada.

7-3-12
— Sinalizador de direção traseiro,
— Sinalizadores de direção laterais lanterna traseira e luz de freio

Extremidade dianteira
do veículo

7-3-13
— Luz de ré ou lanterna de neblina

a: Luz de freio/lanterna traseira Use uma chave de fenda.


b: Sinalizador de direção traseiro

7-3-14
— Luz do freio elevada (Brake light) — Luzes da placa de licença

7-3-15
7-3-16
Seção 8
ESPECIFICAÇÕES
• Dimensões
• Motor
• Combustível
• Especificações para reparos
• Pneus
• Porta-malas
• Fusíveis

8-1
Dimensões Motor Especificações para reparos
Modelo: 3ZZ-FE e 1ZZ-FE MOTOR
Sedan
Tipo: Motores 3ZZ-FE e 1ZZ-FE
Comprimento total mm 4530 4 cilindros em linha, 4 tempos, a gasolina. Folga das válvulas [mm] com o motor frio:
Diâmetro x Curso do pistão [mm]: Admissão 0,15 – 0,25
Largura total mm 1705 Motor 3ZZ-FE 79,0x81,5 Escapamento 0,25 – 0,35
Motor 1ZZ-FE 79,0x91,5 Tipo das velas da ignição:
Altura total mm 1500
Cilindrada [cm3]: DENSO K16R-U11
Distância entre eixos mm 2600 Motor 3ZZ-FE 1598 NGK BKR5EYA11
Motor 1ZZ-FE 1794 Distância entre os eletrodos [mm]:
Bitola dianteira mm 1480 Potência máx.: 1,1
Motor 3ZZ-FE 81 Kw / 6000 rpm
Bitola traseira mm 1460 110 cv / 6000 rpm
Motor 1ZZ-FE 100 Kw / 6000 rpm
Peso bruto total kg 1580
136 cv / 6000 rpm
Torque máx.:
Motor 3ZZ-FE 146 N.m / 4400 rpm
15 kgf.m / 4400 rpm
Motor 1ZZ-FE 171 N.m / 4200 rpm
17,5 kgf.m / 4200 rpm

Combustível
Capacidade do tanque do combustível, [l]:
55

8-2
LUBRIFICAÇÃO DO MOTOR SISTEMA DE ARREFECIMENTO EMBREAGEM
Motores 3ZZ-FE e 1ZZ-FE Capacidade total [l]: Curso livre do pedal [mm]:
Capacidade de óleo (para drenar e reabaste- Transmissão manual 5,4 5 – 15
cer) [l]: Transmissão automática 5,3 Tipo do fluido:
Com a troca do filtro do óleo 3,7 SAE J 1703 ou FMVSS N°116 DOT 3
Sem a troca do filtro do óleo 3,5 Tipo de fluido de arrefecimento:
Tipo do óleo: Com anticorrosivo TRANSMISSÃO MANUAL
Óleo para motor genuíno Toyota Capacidade de óleo, [l]:
Toyota Motor Oil BATERIA 1,9
SAE 10W-30, API-SJ ou melhor Peso específico a 20°C: Tipo do óleo:
1,250 — 1,290 Totalmente carregada Óleo para transmissão manual genuíno
1,160 — 1,200 Com meia carga Toyota
1,060 — 1,100 Descarregada Toyota Manual Transmission Gear Oil
SAE 80W-90, ou melhor
Tensão: 12 V

Corrente de carga:
Carga rápida 15 A máx.
Carga lenta 5 A máx.

8-3
TRASMISSÃO AUTOMÁTICA FREIOS DIREÇÃO
Capacidade de fluido (drenar e reabastecer) Distância mínima do pedal quando pressiona- Folga:
[l]: do com uma força de 490 N (50 kgf, 110 lbf) Menos que 30 mm
Até 3,0 com o motor funcionando, [mm]:
Tipo de fluido para a direção hidráulica:
Tipo do fluido: 60
Fluido para transmissão automática genuí-
Fluido genuíno Toyota Curso livre do pedal, [mm]: no Toyota (também para direção hidráulica)
ATF T-IV 1–6 Automatic Transmission Fluid D-III ou melhor
Ajuste do freio de estacionamento quando
puxado com uma força de 196 N (20 kgf, 44 NOTA
NOTA lbf):
A Toyota não recomenda o uso de fluido 6 - 9 “clicks”
O Automatic Transmission Fluid é um
para transmissão automática diferente óleo que foi desenvolvido especialmen-
Tipo de fluido: te para transmissões automáticas e sis-
daquele especificado pela Toyota (Flui-
do genuíno Toyota ATF T-IV), pois pode- SAE J1703 ou FMVSS N°116 DOT 3 temas de direção que requeiram fluidos
rão ocorrer problemas na qualidade das do tipo D-III e D-II. É um produto com
mudanças de marcha, bloqueio da trans- toda a tecnologia Toyota.
missão e vibrações causando danos à
transmissão automática.

8-4
Pneus Porta Malas
Medidas dos pneus e pressões para calibragem Capacidade [l]
428

Medidas dos pneus Na condição vazio Na condição carregado

185/70R14
30 lbf.pol2 (2,1 kgf/cm2) 30 lbf.pol2 (2,1 kgf/cm2)
195/60R15

8-5
Fusíveis
Fusíveis (tipo A)
1. SPARE 15A: Fusível de reposição.
2. SPARE 10A: Fusível de reposição.
3. SPARE 5A: Fusível de reposição.
4. HTR SUB 30A: Sistema do ar condiciona-
do.
5. AM2 30A: Sistema da partida, fusíveis
“IG2” e “ST”.
6. DOME 15A: Sistema de áudio, luz interior,
luzes individuais, luz do porta-malas, indi-
cadores e medidores, relógio.
7. EFI 15A: Sistema da injeção multiport
seqüencial do combustível. Painel de Instrumentos
8. EDU 15A: Sistema de controle de emis- 19. WASH 15A: Lavador do pára-brisa.
sões. 20. ECU-IG 10A: Sistema SRS airbag, vento-
9. ALT-S 5A: Sistema de carga. inha de arrefecimento, sistema de freio
10. HAZARD 10A: Luzes sinalizadoras de di- anti-blocante, sistema de controle de blo-
reção, pisca-alerta. queio de mudanças.
11. HORN 10A: Buzina. 21. GAUGE 10A: Indicadores e medidores,
sistema do ar condicionado, desem-
12. HEAD LH 15A: Farol esquerdo. baçador do vidro traseiro, luzes de ré, vi-
13. HEAD RH 15A: Farol direito. dro elétrico, sistema de trava elétrica das
14. HI LH 10A: Farol esquerdo. portas.
15. HI RH 10A: Farol direito. 22. DOOR DL/S-HTR 15A: Não utilizado.
16. LO LH 10A: Farol esquerdo. 23. P/POINT 15A: Não utilizado.
17. LO RH 10A: Farol direito. 24. FUEL HTR 25A: Não utilizado.
Compartimento do motor 25. WIPER 25A: Limpadores do pára-brisa.
18. VSC 7,5A: Não utilizado.
8-6
26. TAIL 15A: Lanternas e luz da placa de li- Fusíveis (tipo B) Fusíveis (tipo C)
cença. 39. AM1 50A: Fusíveis “POWER”, “ECU-B”, 53. ALT 100A: Sistema de carga, fusíveis
27. STOP 15A: Luzes de freio, luz de freio ele- “AM1”, “STOP”, “TAIL”, “P/W”, “DOOR”, “GAUGE”, “ECU-IG”, “WIPER”, “WASH”,
vada (“brake light”), lanternas, luz da pla- “FOG” e “OBD”. “HEATER” e “DEFOG”.
ca de licença. 40. ABS Nº 2 40A: Sistema de freio anti- 54. GLOW 80A: Sistema da injeção multiport
28. DOOR 25A: Sistema de trava elétrica das blocante. seqüencial do combustível.
portas. 41. ABS Nº 1 30A: Sistema de freio anti- 55. ALT 140A: Fusíveis “GAUGE”, “ECU-IG”,
29. P/W 30A: Vidros elétricos. blocante. “WIPER” e “WASH”.
30. OBD 7,5A: Sistema de diagnóstico. 42. ABS 50A: Sistema de freio anti-blocante.
31. AM1 25A: Fusível “CIG”. 43. RDI FAN 30A: Ventoinha de arrefecimento.
32. ECU-B 10A: Sistema do ar condicionado, 44. H-LP CLN 30A: Não utilizado.
lanterna de neblina. 45. CDS FAN 30A: Ventoinha de arrefecimento.
33. FOG 15A: Faróis de neblina. 46. HEAD MAIN 40A: Faróis.
34. ST 7,5A: Indicadores e medidores. 47. EMPS 50A: Não utilizado.
35. A/C 10A: Sistema do ar condicionado. 48. POWER 30A: Vidros elétricos.
36. IG2 15A: Sistema de partida, sistema SRS 49. DEFOG 30A: Desembaçador do vidro tra-
airbag. seiro, fusível “DEF I/UP”.
37. DEF I/UP 10A: Desembaçador do vidro 50. HEATER 40A: Sistema do ar condiciona-
traseiro. do, fusível “A/C”.
38. CIG 15A: Acendedor de cigarros. 51. HTR2 50A: Sistema do ar condicionado.
52. HTR1 50A: Sistema do ar condicionado.

8-7
8-8
A Áudio ...................................................... 1-7-1
Seção 9 Controles e características ................ 1-7-4
ABS, freios ................................................ 2-6 Informações básicas .......................... 1-7-1
ÍNDICE ALFABÉTICO Luz de advertência ............................ 1-5-7 Recomendações operacionais para o
Acendedor de cigarros .......................... 1-9-2 sistema de áudio do veículo ............ 1-7-15
Airbags ................................................. 1-3-15 Referência .......................................... 1-7-1
Luz de advertência ............................ 1-5-7 Sistema anti-furto ............................ 1-7-13
Alarme de advertência da chave .......... 1-5-8
Alarme de advertência da luz acesa .... 1-5-8
Alarme (sistema de segurança B
Toyota) .............................................. 1-2-15
Alavanca da transmissão automática Bancos ................................................... 1-3-1
não pode ser movida .............................. 4-14 Ajustando os bancos dianteiros ........ 1-3-2
Amaciamento do motor ............................ 2-1 Apoios de cabeça .............................. 1-3-5
Antena ................................................... 1-7-2 Descanso de braço ............................ 1-3-5
Apoios de cabeça .................................. 1-3-5 Precauções para o ajuste .................. 1-3-1
Ar condicionado manual Rebatendo o banco traseiro .............. 1-3-3
Ajustes do seletor do fluxo de ar ....... 1-8-5 Traseiro .............................................. 1-3-3
Controles ............................................ 1-8-2 Bateria
Difusores laterais ............................. 1-8-14 Especificações ...................................... 8-3
Sugestões para operação ................. 1-8-5 Luz indicadora de descarga .............. 1-5-6
Ar condicionado automático Precauções para recarga .................. 7-3-3
Ajustes do seletor do fluxo de ar ..... 1-8-11 Reciclagem obrigatória ...................... 7-3-3
Controles ............................................ 1-8-8 Símbolos de advertência ................... 7-3-4
Difusores laterais ............................. 1-8-14 Utilizando cabos auxiliares de
Sugestões para operação ............... 1-8-11 emergência ........................................... 4-2
Arrefecimento, sistema (especificações) .... 8-3 Verificando a carga ............................ 7-3-2
Verificando a condição ....................... 7-3-1
Verificando o exterior ......................... 7-3-2

9-1
C Corrosão F
Protegendo o seu Toyota ...................... 5-1
Capô .................................................... 1-2-13 Crianças, sistema de segurança ......... 1-3-21 Falha, luz indicadora ............................. 1-5-6
Catalisador (conversor catalítico) ............ 2-3 Cuidados para fazer seu veículo Faróis ..................................................... 1-4-1
Chassi ..................................................... 2-12 durar mais ................................................. 3-8 Alarme de advertência ....................... 1-5-8
Chassi, número ...................................... 2-10 Substituição das lâmpadas ................ 7-3-7
Chaves ................................................... 1-2-1 Faróis de neblina dianteiros .................. 1-4-3
Posições da chave de ignição ........... 1-6-1 D Faróis de neblina dianteiros e
Você perdeu as chaves do veículo ..... 4-15 lanterna traseira de neblina ................... 1-4-3
Cintos de segurança Descanso de braço ................................ 1-3-5 Ferramentas necessárias ......................... 4-7
Cinto de 2 pontos ............................. 1-3-11 Desembaçador do vidro traseiro ........... 1-4-6
Fluidos
Cinto de 3 pontos ............................... 1-3-7 Dicas para dirigir em várias condições .... 3-3
Adicionando fluido lavador ................. 7-3-6
Precauções ........................................ 1-3-6 Dicas para dirigir no inverno .................... 3-4
Difusores laterais ................................. 1-8-14 Medidor de temperatura do fluido de
Pré-tensionadores dos cintos arrefecimento ..................................... 1-5-2
dianteiros .......................................... 1-3-13 Dimensões do veículo .............................. 8-2
Direção Verificando o nível do fluido de
Cinzeiro .................................................. 1-9-2 arrefecimento ..................................... 7-2-3
Especificações ...................................... 8-4
Combustível .............................................. 2-1 Freios ........................................................ 2-5
Como economizar ................................. 3-8 ABS ....................................................... 2-6
Especificações ...................................... 8-2 Especificações ...................................... 8-4
Luz de advertência do nível .............. 1-5-7 E
Indicadores de desgaste das
Medidor do nível ................................ 1-5-1 Embreagem (especificações) ................... 8-3 pastilhas ................................................ 2-9
Sistema de corte de combustível ......... 2-2 Encerando o seu Toyota ........................... 5-2 Luz de advertência ............................ 1-5-5
Tampa do reservatório ..................... 1-2-19 Escapamento ............................................ 2-4 Servo-freio ............................................ 2-5
Compartimento do motor ...................... 7-1-2 Espelho do pára-sol ............................ 1-3-40 Freio de estacionamento ....................... 1-6-6
Condensador ......................................... 7-2-4 Espelho retrovisor interno Fusíveis
Console traseiro .................................... 1-9-4 anti-ofuscante ...................................... 1-3-39 Especificações ...................................... 8-6
Controle da velocidade de cruzeiro ...... 1-6-7 Espelhos retrovisores externos ........... 1-3-37 Localização ........................................ 7-1-3
Controle-remoto ..................................... 1-2-6 Controle elétrico ............................... 1-3-38 Verificando e substituindo .................. 7-3-5
Você perdeu o controle-remoto .......... 4-15 Dobráveis ......................................... 1-3-38
Estepe ....................................................... 4-7
Extintor de incêndio ................................ 4-16
9-2
H Luzes M
Luz de leitura ..................................... 1-4-5
Hodômetro e hodômetro parcial ........... 1-5-3 Luz interior ......................................... 1-4-4 Macaco ..................................................... 4-9
Hodômetro, dois hodômetros parciais Símbolos do painel de Posicionamento .................................. 7-1-5
e mostrador de controle da iluminação instrumentos ...................................... 1-1-7 Manutenção .............................................. 6-1
no painel de instrumentos ..................... 1-5-4 Sistema de iluminação de acesso ..... 1-4-4 Plano de manutenção ........................... 6-3
Luzes indicadoras de reparos e alarmes Preventiva que você mesmo pode
de advertência fazer ................................................... 7-1-3
I Alarme de advertência da chave ....... 1-5-8 Mau funcionamento, luz indicadora ...... 1-5-6
Alarme de advertência de Medidores
Identificação do seu Toyota luz acesa ............................................ 1-5-8 Nível de combustível .......................... 1-5-1
Etiquetas destrutíveis ......................... 2-10 Luz de advertência da baixa pressão
Temperatura do fluido de
Gravação nos vidros ........................... 2-11 do óleo ............................................... 1-5-6
arrefecimento ..................................... 1-5-2
Número de identificação do veículo ... 2-10 Luz de advertência de porta aberta .... 1-5-7
Luz de advertência do ABS ........ 1-5-7, 2-8 Mostrador da temperatura externa ....... 1-9-2
Número do motor ................................ 2-11 Motor
Luz de advertência do nível baixo de
Imobilizador do motor, sistema ............. 1-2-3 Afogado ................................................. 4-2
combustível ........................................ 1-5-7
Indicadores de serviço .......................... 1-5-5 Luz de advertência dos freios ............ 1-5-5 Amaciamento ........................................ 2-1
Luz de advertência do SRS airbag ..... 1-5-7 Antes de funcionar o motor .................. 3-1
Luz indicadora de descarga da Como funcionar o motor ....................... 3-1
L bateria ................................................ 1-5-6 Especificações ...................................... 8-2
Luz indicadora de mau Especificações para reparos ................ 8-2
Lanterna traseira de neblina ................. 1-4-4 funcionamento ................................... 1-5-6 Localização dos componentes do
Lâmpadas
compartimento do motor ................... 7-1-2
Substituindo ....................................... 7-3-7
Lubrificação do motor
Lavando o seu Toyota ............................... 5-2
(especificações) .................................... 8-3
Limpadores e lavador do pára-brisa ..... 1-4-5
O motor “morre” enquanto você dirige .. 4-4
Limpeza e proteção de seu veículo
O seu veículo não funciona .................. 4-1
Lavando e encerando ........................... 5-2
O veículo está superaquecido .............. 4-5
Limpando o interior ............................... 5-4
Sistema imobilizador .......................... 1-2-3
Proteção contra corrosão ..................... 5-1

9-3
N Pára-sol, espelho ................................. 1-3-40 R
Partida do motor
Neblina, faróis ........................................ 1-4-3 O seu veículo não funciona .................. 4-1 Radiador ................................................ 7-2-4
Neblina, lanternas ...................... 1-4-3, 1-4-4 Pastilhas, indicador de desgaste ............. 2-9 Reboque
Número de identificação do veículo Pisca-alerta ............................................ 1-4-2 de emergência .................................... 4-13
(chassi) ................................................... 2-10 Plano de manutenção .............................. 6-3 O seu veículo precisa ser rebocado .... 4-12
Número do motor ................................... 2-11 Pneus Rebocando um trailer ............................ 3-5
Calibragem ......................................... 7-2-4 Reciclagem da bateria .......................... 7-3-3
Especificações ...................................... 8-5 Relógio ................................................... 1-9-1
O Reparos em seu veículo ........................... 6-2
Rodízio ............................................... 7-2-6
Retrovisores externos .......................... 1-3-37
Óleo do motor Um pneu furou ...................................... 4-6
Controle elétrico ............................... 1-3-38
Informações sobre o consumo ............. 2-4 Verificando e substituindo os
Dobráveis ......................................... 1-3-38
Luz indicadora de baixa pressão ....... 1-5-6 pneus .................................................. 7-2-5
Retrovisor interno anti-ofuscante ......... 1-3-39
Verificação do nível ............................ 7-2-1 Porta-copos ........................................... 1-9-5
Rodas
Operações em outros países ................... 2-2 Porta-luvas ............................................. 1-9-3
Precauções com rodas de alumínio ... 7-2-6
Porta-malas
Substituindo ....................................... 7-2-6
Alavanca de abertura da tampa ...... 1-2-13
P Cancelamento do sistema de abertura
da tampa .......................................... 1-2-13
Painel de instrumentos Capacidade ........................................... 8-5 S
Controle da iluminação ...................... 1-5-4 Precauções ao acomodar bagagens ..... 2-9 Segurança para crianças
Símbolos do painel de Tampa ............................................... 1-2-12 Instalação com cintos de segurança
instrumentos ...................................... 1-1-7 Porta-objetos ......................................... 1-9-3 do tipo 2-pontos ................................ 1-3-24
Visão geral dos instrumentos e Portas Instalação com cintos de segurança
controles ............................................. 1-1-2 Controle-remoto ................................. 1-2-6 do tipo 3-pontos (cintos ALR/ELR) .... 1-3-29
Visão geral dos instrumentos do Laterais ............................................... 1-2-4 Instalação com cintos de segurança
painel .................................................. 1-1-5 Luz de advertência ............................ 1-5-7 do tipo 3-pontos (cinto ELR) ............. 1-3-35
Pára-brisa Pré-tensionadores dos cintos ............. 1-3-13 Precauções ...................................... 1-3-21
Adicionando fluido lavador ................. 7-3-6 Sistema de segurança ..................... 1-3-22
Limpadores e lavador ........................ 1-4-5 Tipos de sistemas de segurança ..... 1-3-23

9-4
Sinalizadores de direção (setas) ........... 1-4-1 V
Sistema de arrefecimento
(especificações) ........................................ 8-3 Velocidade de Cruzeiro ......................... 1-6-7
Sistema de escapamento do motor ......... 2-3 Verificação de segurança antes de
Sistema de segurança Toyota ............. 1-2-15 dirigir ......................................................... 3-2
Funções disponíveis ........................ 1-2-18 Vidros
Substituindo lâmpadas .......................... 7-3-7 Desembaçador do vidro traseiro ....... 1-4-6
Suspensão .............................................. 2-12 Elétricos ........................................... 1-2-10
Limpadores e lavador do
pára-brisa ........................................... 1-4-5
Volante
T
Regulagem da altura ....................... 1-3-37
Tacômetro .............................................. 1-5-3
Tampa do reservatório de
combustível .......................................... 1-2-19
Tapetes .................................................. 1-9-6
Temperatura
O seu veículo está superaquecido ....... 4-5
Temperatura externa, mostrador ........... 1-9-2
Transmissão automática ........................ 1-6-2
Alavanca não pode ser movida .......... 4-14
Especificações ...................................... 8-4
Transmissão manual .............................. 1-6-5
Especificações ...................................... 8-3
Triângulo de segurança .......................... 4-17

9-5
9-6
Este veículo está em conformidade com a legislação vigente de controle da poluição sonora para veículos automotores, atendendo
as Resoluções do CONAMA de 01/93 e 08/95 (Norma: NBR 9714) – Conselho Nacional do Meio Ambiente.

LIMITES MÁXIMOS DE RUÍDO NA CONDIÇÃO PARADO PARA FISCALIZAÇÃO (com o veículo parado)

VELOCIDADE ANGULAR DO LIMITE DE RUÍDO PARA


MODELO MOTOR
MOTOR PARA TESTE (rpm) FISCALIZAÇÃO [dB(A)]

T/M - 86,0
XLi 3ZZ-FE 4.500
T/A - 85,6
T/M - 88,6
XEi e SE-G 1ZZ-FE 4.500
T/A - 90,1

O nível de ruído manter-se-à dentro do limite estabelecido, desde que o programa de manutenção preventiva do veículo recomendado pelo
fabricante, seja cumprido integralmente. Exige-se nesse caso, especial atenção na manutenção do sistema de escapamento usando somente
peças originais TOYOTA.

Para atender aos requisitos das resoluções do CONAMA concernentes às emissões dos gases de escapamento do veículo, os seguintes ajustes
do motor deverão ser observados:

MOTORES 3ZZ-FE E 1ZZ-FE


Faça todos os ajustes (exceto folga das válvulas) com o motor na temperatura normal de operação, filtro de ar instalado, todos os
acessórios desligados, ventilador do radiador desligado e transmissão em posição neutra.

Especificações de ajuste do motor


Rotação em marcha lenta (RPM) Nenhum ajuste é necessário
Ponto de ignição (°APMS) 10° com o conector de leitura curto circuitado em marcha lenta
Folga das válvulas Admissão 0,20 ± 0,05 mm
(com o motor frio) Exaustão 0,30 ± 0,05 mm
Inspecione o elemento do filtro de ar a cada 5.000 km ou 6 meses, quando dirigir em
Manutenção do filtro de ar
estradas poeirentas.
COROLLA
Manual do Proprietário
COROLLA

Manual do Proprietário

Código: 01999-98401-RP
Destino: Brasil
Novembro/2002