Você está na página 1de 19

HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

1. Educação antiga
1.1. A educação espartana e a educação
ateniense.
1.2. O pensamento pedagógico dos
sofistas.
1.3. Os pensamentos filosófico-
pedagógicos de Sócrates, Platão e
Aristóteles: sua contextualização
histórica e filosófica. Alguns aspectos
da actualidade do seu pensamento.
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

2. Educação medieval
2.1. Caracterização da educação na Idade
Média
2.2. A educação monástica e catedral
2.3. A pedagogia medieval
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

3.Educação moderna
3.1. O movimento humanista no Renascimento
3.2. A educação humanista na Renascença
3.3. O problema do método científico, filosófico do séc.
XVII e sua influência na pedagogia
3.4. O pensamento pedagógico de Coménio:
pressupostos e características
3.4.1. Coménio e a Didáctica Magna: aspectos da
actualidade do seu pensamento
3.5. A progressiva tendência naturalista na educação
do ponto de vista filosófico, político e pedagógico
3.5.1. Rousseau e o Iluminismo versus naturalismo
3.5.2. A pedagogia naturalista de Rousseau:
pressupostos, características e perspectiva crítica
do seu pensamento
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

4.Educação contemporânea
4.1. A educação tradicional e a educação nova: pressupostos e
características
4.2. O pensamento pedagógico de Pestalozzi: conceito de educação e
método
4.3. O pensamento pedagógico de Herbart: natureza e fins da
educação. O método dos passos formais
4.4. O pensamento pedagógico de E. Claparède: as leis de
funcionamento do comportamento humano
4.5. O pensamento pedagógico de J. Dewey
4.5.1. Influências do pragmatismo americano no pensamento
pedagógico de J. Dewey
4.5.2. Críticas à escola existente
4.5.3. A escola do futuro
4.6. O pensamento pedagógico de C. Rogers: pressupostos e
perspectiva crítica do seu pensamento
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

5. A educação na actualidade
5.1. O pensamento pedagógico de C. Freinet: a
inovação do método Freinet e a actualidade do seu
pensamento
5.2. O pensamento pedagógico de A. Neill, I. Illich e P.
Freire: caracterização e crítica das propostas das
pedagogias libertárias
5.3. A educação no futuro: os pensamentos
pedagógicos de E. Faure e de J. Delors
5.4. Ética e educação
5.5. Educação e valores, ética e moral: manipulação ou
liberdade?
5.6. É possível ensinar valores?
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Temas Referências bibliográficas Data

1. A educação Abbagnano, N. & Visalberghi, A. 1981.


espartana e a História da Pedagogia I. Horizonte
educação Pedagógico. Lisboa.
ateniense: os Luzuriaga, L. 1977. História da Educação e
sofistas e Sócrates da Pedagogia. Comp. Edit. Nacional. S.
Paulo.
Marrou, H.-I. 1948. Histoire de l’èducation
dans l’Antiquité. Ed. Seuil. Paris.

2.A educação na A.A.V.V. (1990). Filosofia de la educaion


Grécia antiga: hoy. Dykinson. Madrid.
Platão e Jaeger, W. (1989). Paideia – a formação do
Aristóteles homem grego. Martins Fontes Ed. S.
Paulo.
Platão (1980). A República. Fund. Cal.
Gulbenkian. Lisboa.
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Temas Referências bibliográficas Data

3.Raízes do Abbagnano, N. & Visalberghi, A. (s/d).


pensamento História da Pedagogia. II. Liv. Horizonte.
pedagógico actual: Lisboa.
o contributo de Chateau, J. (1969). Jean-Jacques
Rousseau Rousseau. Sa philosophie de l’éducation..
Vrin. Paris.
Rousseau, J. (1964). Emile ou de
l’éducation. Garnier. Paris.
4. A actualidade do Coménio, J.A. (1976). Didáctica Magna.
pensamento Fund. Cal. Gulbenkian. Lisboa.
pedagógico de Gomes, J. F. (1977). Dez estudos
pedagógicos. Liv. Almedina. Coimbra.
Coménio
Chateau, J. (s/d). Os grandes pedagogos.
Liv. Almedina. Coimbra.
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO

Temas Referências bibliográficas Data

5. Importância e
significado da A.A.V.V. (1990). Filosofia de la
pedagogia da educaion hoy. Dykinson. Madrid.
liberdade em Freire, Paulo. (1972). Uma educação
C.Rogers e Freire:
análise dos seus para a liberdade. Porto: Escorpião.
principais Rogers, C. (1975). Liberdade para
contributos para a aprender. Interlivros. Belo Horizonte.
construção do
pensamento
pedagógico de
hoje
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Normas de apresentação
Trabalho de Grupo
Indice
• O índice geral deve anteceder o início do
trabalho

Introdução
Esta deve apresentar o tema principal sobre o
qual o trabalho versa em todas as vertentes
analisadas; quais os problemas/limites encontrados

Corpo do trabalho
• O corpo do trabalho deve ser dividido em
capítulos e subcapítulos numerados
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Normas de apresentação
Trabalho de Grupo

Reflexão crítica e pessoal/grupo


• de acordo com as leituras realizadas e
experiência

Conclusão
• Não deverá constituir um resumo do
anteriormente dito, mas sim, a abertura a
novas pistas de reflexão/estudo posteriores
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Normas de apresentação
Trabalho de Grupo

• Tipo de letra
Times roman 12
• Espaço entre linhas
1,5 linha
• Parágrafos
Reentrância de 1cm

• Notas de rodapé
Times roman 9
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Normas de apresentação
Trabalho de Grupo

• Notas introduzidas no corpo do trabalho


Deve ser colocada entre parentesis o último nome do
autor, seguida do ano da publicação da obra referida
e, por último, a indicação da pág. Ex: (Pedro,
1997:258)

• Citações
Deverão procurar ser adequadas, não muito extensas
e destacadas do texto principal a itálico
HISTÓRIA E TEORIA DA EDUCAÇÃO
Normas de apresentação
Trabalho de Grupo

• Anexos
Deverão ser numerados e seguidos de uma
justificação sintética sobre a sua escolha e
adequação relativamente ao trabalho

• Bibliografia final
Seguir o modelo de indicação bibliográfica do
Programa da disciplina ou outra classificação
conhecida. Todavia, a sua utilização deve ser
coerente ao longo do trabalho
Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

APA (American Psychological Association)

• a) Nome do autor, seguido do ano entre parêntesis.


Exemplo: “Como Moreira (1995) assinalou...”

• b) No caso de se tratar de dois autores, ambos os


nomes devem ser referidos.

• Exemplo: “Como referem Martins e Ferreira (1994)...”;


Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

c) No caso de se tratar de três ou mais autores,


devem ser todos referidos a primeira vez que
são mencionados e, posteriormente, bastará
referir o nome do primeiro autor seguido de
“e colaboradores”, em caso de menção no
texto, ou seguido de “et al.”, em caso de
menção entre parêntesis.

• Exemplos: “Um estudo de Campos e


colaboradores (1995) concluiu que...”;
“Segundo alguns autores (Galvão et al.,
1995)…”.
Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

• d) No caso de se tratar de referências a dois


ou mais artigos ou textos do mesmo autor e
no mesmo ano, as letras a, b, c, etc. devem
seguir imediatamente o ano da publicação.

• Exemplo: “Como refere Shulman (1994 a,


b)...”.
Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

• As referências bibliográficas, a incluir no final do artigo, devem


obedecer aos seguintes critérios:

• a) Escrever as referências em minúsculas (excepto iniciais de


nomes e sobrenomes dos autores ou iniciais de títulos e nomes de
publicações);

• b) Ordenar alfabeticamente as referências pelo nome do autor (e


por ordem cronológica crescente do mesmo autor);

• c) No caso de uma obra ou livro, colocar em itálico o respectivo


título (em caso de capítulo de livro, deve ser assinalado em itálico o
título do livro e não o título do capítulo);
Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

• d) No caso de um artigo publicado numa


Revista, colocar em itálico o nome e volume da
Revista;

• e) No caso de uma comunicação ou


apresentação em reunião científica, colocar em
itálico o título da comunicação.

• f) Se for referida mais do que uma publicação


(livro, artigo) do mesmo autor e do mesmo ano,
as letras a, b, c, etc. devem seguir o ano.
Aspectos formais de citação e
apresentação bibliográfica

• Exemplos de referências a um livro, capítulo de um livro, artigo de


revista e comunicação em reunião científica:

Nelkin, D. (1995). Selling science: How the press covers science
and technology. New York: W. H. Freeman and Company.
Monk, M., & Dillon, J. (2000). The nature of scientific knowledge. In
R. Millar, J. Leach & J. Osborn (Eds.), Good practice in science
teaching: What research has to say (pp. 72-87). Buckingham: Open
University Press.

• Reis, P., & Galvão, C. (2004). The impact of socio-scientific


controversies in portuguese natural science teachers’ conceptions
and practices. Research in Science Education, 34(2), 153-171.
Ellis, A. (1991, Julho). The revised ABC’s of Rational-Emotive
Therapy (RETI). Conferência apresentada no “International
Congress on Stress, Anxiety and Emotional Disorders”.
Universidade do Minho, Braga, Portugal.