Você está na página 1de 43

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS


REGIONAL CATALÃO

OBRAS DE TERRA
Tópico:

Introdução ao Estudo das Obras de Terra


Revisão Básica de Mec. dos Solos

Profª Paola Mundim


pmundim_souza@hotmail.com
Conteúdo da Aula

● Apresentação da Disciplina
O (ementa, programa)
● Obras de Terra
O Conceito e suas formas
O Ilustração de Exemplos
● Revisão básica dos conceitos de Mecânica dos Solos
O Tensões Totais e Efetivas em maciços de solo

Obras de Terra 2
HORÁRIO DAS AULAS
SEXTAS-FEIRA: 08:00 às 11:40

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
SEGUNDA-FEIRA: 14:00 às 17:30 e QUARTA-FEIRA: 08:00 às11:00

AVALIAÇÕES

o Prova 1 – peso de 35% - data: 03/05/2018


o Prova 2 – peso de 35% - data: 05/07/2018
o Atividades avaliativas – peso de 30%

Obras de Terra 3
CONTEÚDO DA DISCIPLINA

o Movimentação de massas;
o Estabilidade de Taludes;
o Barragens de terra: características gerais;
o Percolação de água em maciços de terra;
o Empuxo de terra;
o Estruturas de contenção.

Obras de Terra 4
OBJETIVOS DA DISCIPLINA
o Elucidar a modelagem do comportamento das obras de terra e
como estas interagem com o meio ambiente.

o Apresentar os principais métodos de dimensionamento,


equipamentos e técnicas de construção de obras de terra.

o O embasamento teórico necessário para estudo da percolação,


determinação de parâmetros geotécnicos, análise tensão-
deformação, cálculo de estabilidade.

Obras de Terra 5
REFERÊNCIAS

MASSAD, F. Obras de terra: curso básico


de geotecnia. 1ª Edição, São Paulo: Oficina
de Textos, 2010.

Obras de Terra 6
REFERÊNCIAS

GUIDICINE, G.; NIEBLE, C.M.


Estabilidade de taludes naturais e de
escavação. 2ª Edição, São Paulo: Edgard
Blucher, 2011.

Obras de Terra 7
REFERÊNCIAS

PIO FIORI, A.; CARMIGNANI, L.


Fundamentos de mecânica dos solos e
das rochas: aplicações na estabilidade de
taludes, UFPR, 2013.

Obras de Terra 8
Obras de Engenharia Civil

Todas as obras de engenharia civil, de uma forma ou de outra,


apoiam-se sobre o solo, e muitas delas, além disso, utilizam o
próprio solo como elemento de construção, como por exemplo as
barragens e os aterros de estradas.

Obras de Terra 9
O que são OBRAS DE TERRA?

São obras de engenharia civil, que utilizam o solo como


elemento de construção e apoiam -se sobre ele, como por
exemplo as barragens e os aterros de estradas.

Obras de Terra 10
Obras de Terra
● Conceito
O Toda e qualquer estrutura civil que utiliza o solo como elemento
construtivo e funcional;
O Solo pode ser natural ou alterado artificialmente

● Tipos de Obras de Terra


O Barragens de Terra e de Enrocamentos
O Taludes: Urbanos, Rodoviários e Encostas Naturais
O Contenções;
O Muros de Arrimo;
O Aterros e Cortes;

Obras de Terra 11
ATERROS

Obras de Terra 12
BARRAGENS

Obras de Terra 13
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
REGIONAL CATALÃO

Exemplo de Obras de Terra


● Barragens de Terra
× Exemplo Itaipu – Binacional

1
4
Exemplo Barragem Itaipu

Barragem
Barragem de Terra a
de Terra a Esquerda
Direita

Obras de Terra 15
Exemplo de Obras de Terra

● Barragem de Enrocamento – Seção Típica

Seção típica de barragem de enrocamento com núcleo de argila vertical (Assis, 2002)

Obras de Terra 16
● Contenções

Cortinas Atirantadas e Estacas


Justapostas

Obras de Terra 17
Contenções em Estacas Cravadas

Obras de Terra 18
● Muros de Arrimo

Exemplo Contrafortes
Muros de Arrimo em Contrafortes
(Molieterno, 1980)

Obras de Terra 19
Terra Armada

Obras de Terra 20
Solo Reforçado com Geossintéticos

13
Obras de Terra 21
Pavimentação – Relação com Obras de Terra

Obras de Terra 22
Definição de Solo

● Pontos de Vista Diferentes para:


O Engenharia Civil
× Massa constituída departículas sólidas, gases e líquido
O Geologia
× Material originado pelo intemperismo (deterioração como
tempo) das rochas, por ações mecânicas e químicas,
O Agronomia
× O Solo é um conjunto de materiais minerais, contemmatéria
orgânica, água e ar normalmente localizados a superfície da terra
devido à atividade biológica e a capacidade de suportar a vida das
plantas.

Obras de Terra 23
ROCHAS

• Rochas são produtos consolidados, resultante da união


natural de minerais.

• Minerais que formam a fase sólida do solo são produtos de


origem rochosa.

• Muitas propriedades dos solos são condicionadas pelo


tamanho, forma e composição química dos grãos.

Obras de Terra 24
ORIGEM E NATUREZA DOS SOLOS

O solo tem origem na desintegração e


decomposição das rochas pela ação de agentes
intempéricos.

Para a engenharia, solo é um material granular


composto de rocha decomposta, água, ar (ou outro
fluido) e eventualmente matéria orgânica, passível
de ser escavado apenas com pás e picaretas ou
escavadeiras, sem o auxílio de explosivos.

25
ORIGEM E NATUREZA DOS SOLOS

INTEMPERISMO

Intemperismo é o conjunto de processos físicos,


químicos e biológicos pelos quais a rocha se decompõe
para formar o solo.

 FÍSICO OU MECÂNICO - decomposição da rocha sem a


alteração química dos seus componentes, mantém a composição
mineralógica da rocha matriz.
 QUÍMICO - decomposição da rocha com a alteração química dos
seus componentes
 BIOLÓGICO - é uma categoria do intemperismo químico em que
as reações químicas que ocorrem nas rochas são propiciadas por
seres vivos.

26
ORIGEM E NATUREZA DOS SOLOS

■ Solos Transportados
● Solos Residuais
- Glaciais: transporte e
Colúvio deposição de geleiras;
- Aluviais: transportados por
Solo residual maduro água corrente e depositados
- Coluviais: movimento de solo
por gravidade, deslizamento.
Solo residual jovem - Eólicos: transportados e
depositados pelo vento.
+

+
Saprólito (saibro)
27
Obras de Terra
● Escala granulométrica

■ Comportamento

ATRITO

Obras de Terra 28
Resumo Índices Físicos do Solo

Vv = volume de vazios
Va = volume de ar
Vw = volume de água
Vs = volume das partículas
sólidas
V = Volume total da amostra
Ma = massa de ar
Mw = massa da água
Ms = massa das partículas de
solo
M = massa total da amostra

Obras de Terra 29
Granulometria dos Solos

PENEIRAMENTO

100
90 c
80
70

% que passa
B
60
50 A
40
30
20
10
0
0,0001 0,001 0,01 0,1 1 10 100
Diâmetro dos grãos (mm)
Obras de Terra 32
30
● Sedimentação Densímetro
- Densidade da suspensão
- Profundidade

Obras de Terra 31
Forma da curva:
A – Contínua
B – Uniforme
C – Descontínua

Desuniforme /Bem graduada Uniforme / Mau graduado Descontínua (aberta)


Obras de Terra 32
Tensões no Solo
● Tensões Geostáticas

O Tensão Total - 
O Poro-pressão – u
O Tensão Efetiva – ´

33
Obras de Terra
Tensões no Solo
● O comportamento do solo quando submetido a carregamento pode ser
melhor visualizado, quando se imagina o solo composto por 3 fases físicas:
-sólidos
-líquido
-gasoso

●Altas tensões nos contatos;


●Tensões resultantes de duas parcelas T
e N.
●A impossibilidade de se determinar N N F N
F F
áreas e forças leva T T
T
a uma simplificação: tensões em um meio
contínuo.
Obras de Terra 34
Tensões no Solo

● O somatório das componentes normais ao plano, dividida pela


área total que abrange as partículas que estão em contato, é
definida como tensão normal, dada por:
  N
área
● A somatória das forças tangenciais, dividida pela área, é
denominada tensão cisalhante, dada por:
  T
área

Obras de Terra 35
Tensões no solo
Tensões na massa de solo
→ Tensões devido ao peso próprio;
→ Tensões devido a propagação de cargas externas aplicadas ao terreno.

Tensões devido ao peso próprio do solo


Quando a superfície do terreno é horizontal, aceita-se, que a tensão atuante
num plano horizontal a uma certa profundidade seja normal ao plano. Não há
tensão cisalhante nesse plano.

 v   n .h

Obras de Terra 36
Tensões no solo
Exemplo 1 – Calcular as tensões no perfil de solo abaixo:

Obras de Terra 37
Tensões Efetivas
O Terzarghi identificou que a tensão normal total num plano
qualquer deve ser considerada como a soma de duas parcelas:

● Tensão transmitida pelos contatos entre partículas, chamada tensão efetiva


(σ´ ou  )
Pressão da água denominada pressão neutra ou poropressão.

o A partir dessa constatação Terzarghi enunciou o Princípio dasTensões
Efetivas
 ' u
Poropressão
Tensão total
OBS.:
Todos os efeitos resultantes de variações de tensões no solo (compressão, distorção e
resistência ao cisalhamento) são devidos às variações de tensão efetiva.

Obras de Terra 38
Tensões Efetivas
Terzaghi estabeleceu o Princípio das Tensões Efetivas:

“Se a tensão total num plano aumentar, sem que a pressão da água aumente, as
forças transmitidas pelas partículas nos seus contatos se alteram, as
posições relativas dos grãos mudam”
O aumento de tensão foi efetivo!

Nos solos as deformações


correspondem a variações de
forma ou de volume do
conjunto, resultantes do
deslocamento relativo de
partículas.

Obras de Terra 39
Exemplo 2

Obras de Terra 40
Exemplo 3 - Considere o perfil abaixo. Calcule os valores de σ, u e
σ’, a 0m ; 4m ; 7m e 15m.

NA
Diagrama de tensões
0m
argila orgânica mole preta
 = 15 kN/m3
-4 m Tensão Efetiva
areia fina argilosa medianamente compacta
 = 19 kN/m3
-7 m
Tensão Total

argila siltosa mole cinza escuro


 = 17 kN/m3 Poropressão

-15 m
solo de alteração de rocha 0 50 100 150 200 250 300

kPa

Obras de Terra 41
Ação da água capilar no solo
● A água apresenta comportamento diferenciado em função da superfície na
qual ela está em contato.
● Tensão Superficial – diferença de pressão na interface água-ar, que causa
diferença de tensões que é equilibrada pela resultante da tensão superficial
● Fenômeno da ascensão em tubos capilares

Obras de Terra 42
● Da mesma forma que nos tubos capilares, a água nos vazios do solo, na faixa
acima do nível d’água, mas com ele comunicando, está sob uma pressão
abaixo da pressão atmosférica.
● A altura de ascensão capilar depende do tamanho dos vazios do solo e
pode chegar a até 10m em argilas.

Aproximação de Hazen (1930) da altura de ascenção capilar:

INTERVALO DE ASCENSÃO
CAPILAR

Tipo de solo m
Areia grossa 0,1-0,2
Areia fina 0,3-1,2
Silte 0,75-7,5
Argila 7,5-23

Obras de Terra 43