Você está na página 1de 6

Estudo Dirigido OEE - Overall Equipment Effectiveness

Overall Equipment Effectiveness (OEE) é uma ferramenta utilizada para medir as melhorias
implementadas pela metodologia TPM. A utilização do indicador OEE, conforme proposto
pela metodologia TPM, permite que as empresas analisem as reais condições da utilização
de seus ativos.
Estas análises das condições ocorrem a partir da identificação das perdas existentes em
ambiente fabril, envolvendo índices de Disponibilidade de equipamentos, Eficiência
(Performance) e Qualidade.
A medição da eficácia global dos equipamentos pode ser aplicada de diferentes formas e
objetivos.
O OEE permite indicar áreas onde devem ser desenvolvidas melhorias bem como pode ser
utilizado como benchmark, permitindo quantificar as melhorias desenvolvidas nos
equipamentos, células ou linhas de produção ao longo do tempo. A análise do OEE e output
de um grupo de máquinas de uma linha de produção ou de uma célula de manufatura
permite identificar o recurso com menor eficiência, possibilitando, desta forma, focalizar
esforços nesses recursos.
A importância de se aperfeiçoar os equipamentos e atuar nas maiores perdas (obtidas
através do OEE) se concretiza quanto há aumento de produção: a melhoria da eficácia
descarta a necessidade de novos investimentos.
O OEE é uma medição que procura revelar os custos escondidos na empresa, antes do
advento desse indicador, somente a disponibilidade era considerada na utilização dos
equipamentos, o que resultava no super-dimensionamento de capacidade.
O OEE é mensurado a partir da estratificação das seis grandes perdas e calculado através
do produto dos índices de Disponibilidade, Performace (Eficiência) e Qualidade. Um
OEE de 85% deve ser buscado como meta ideal para os equipamentos. Empresas que
obtiveram OEE superior a 85% ganharam o prêmio TPM Award.
Para efeito de exemplo , uma empresa para obter esse valor de OEE é necessário que seus
índices sejam de: 90% para disponibilidade * 95% eficiência * 99% qualidade.
A figura 1 ilustra o indicador OEE, bem como seus índices e as perdas relacionadas a cada
um.
Eficácia Global do Equipamento (OEE): O indicador OEE, como já foi citado anteriormente, é
composto dos três índices anteriores, seu objetivo é analisar unicamente a eficácia dos
equipamentos e não dos operadores.
Sendo assim, ele é utilizado para verificar se a máquina continua trabalhando na
velocidade e qualidade especificadas no seu projeto e também para apontar as perdas
originadas do sistema produtivo como um todo. Este índice pode ser obtido através da
equação:

OEE(%) = Indice de Disponibilidade x Índice de Eficiência x Índice Qualidade

Por esse motivo, a identificação das perdas é a atividade mais importante no


processo de cálculo do OEE. A limitação da empresa em identificar suas perdas impede
que se atue no restabelecimento das condições originais dos equipamentos, garantindo
alcançar a eficácia global, conforme estabelecido quando o equipamento foi adquirido ou
reformado.

Exercicio

Calcular o overall equipment effectiveness OEE de uma impressora flexigráfica, no mês de


novembro sabendo-se que a empresa trabalha em um único turno de 8 horas/dia e que o
mês dispunha de 20 dias úteis.
A empresa concede a seus colaboradores dois intervalos de 15 minutos cada, para o
café. Estava prevista para o mês de novembro uma manutenção preventiva que, quando
realizada, durou 6 horas. O processo de impressão exige preparações e ajustes constantes,
já que a variação dos produtos é muito grande. Um levantamento dos registros de
novembro mostrou que, para a impressora em referência, foram gastos 425 minutos a
título de preparação/ajustes.

O OEE (de overall equipment effectiveness) é calculado pela formula:

OEE = (indice de Disponibilidade) x (indice de Eficiência) x (indice de Qualidade)

Vamos calcular o índice de disponibilidade de uma impressora flexográfica, no mês de


novembro,

Calculo de ID indice de Disponibilidade


Formulas:
ID = TO / TTD

IE = TO - (perda por parada + perda tempo ocioso + perda queda de velocidade)


TO
IQ = quantidade de itens conformes - ( quantidade de itens não conformes)
quantidade de itens conformes
onde:
ID = índice de disponibilidade
IE = índice de eficiência
IQ= índice da qualidade
TO = tempo de operação real
TTD é o tempo total disponível
TTD = (disponibilidade total possível ) – ( total de paradas programadas)

TO = TTD – (paradas por quebras e por ajustes)

Disponibilidade total possível = 8 horas x 20 dias = 160h em vinte dias


ou Disponibilidade total possível = 9.600min

Agora é com você , calcule TTD


TTD = (disponibilidade total possível ) – ( total de paradas programadas)

TTD =

Agora calcule o valor de TO = tempo de operação real

TO = tempo de operação real = _____ - _______ =

ID = TO / TTD =

Se você fez tudo certo deve ter encontrado o valor 95,08%

Vamos calcular IE índice de eficiência


Perda 3 - Pequenas paradas/tempo ocioso. É a quantidade de itens que deixa de ser
produzida em decorrência de pequenas paradas no processo para pequenos ajustes, ou por
ociosidades várias, como, por exemplo, bate-papo do operador.

Perda 4 - Baixa velocidade. É a quantidade de itens que deixa de ser produzida em


decorrência do equipamento estar operando a uma velocidade mais baixa do que a
velocidade nominal especifica da pelo fabricante ou processo.

As perdas 3 e 4 definem a eficiência - ou índice de eficiência - do equipamento. Assim:

Além das perdas já citadas a impressora flexográfica, no mês de novembro, houve as


seguintes perdas :

 Perdas do tipo 3 = Pequenas perdas ( ociosidade, atrasos, etc) Considere que


houve ram 120 minutos de perdas do tipo 3.

Logo o Tempo real de operação = TO – perdas do tipo 3, ou seja:

Tempo real de operação= 8.215 -120 = ______ minutos

 Perdas do tipo 4 : Considere que a velocidade nominal de produção é de 100


etiquetas por minuto. Já calculamos que a máquina operou 8.215 - 120 = 8.095
minutos em novembro. Mas devido a fatores diversos a maquina trabalhou mais
vagarosamente que o normal resultando uma velocidade média de 80 etiquetas por
minuto. Sabendo que a velocidade normal é de 100 etiquetas por minuto, deixaram
de ser produzidas 20 etiquetas por minuto.

8.095 min X 20 etiquetas/min = 161.900 etiquetas deixaram de ser


fabricadas

Como a impressora pode (e deve) produzir 100 etiquetas/minuto, tudo se passa como se a
máquina estivesse parada .Logo a perda de tempo por queda de velocidade é:

161.900 etiquetas____ = __________________ TEMPO PERDIDO POR QUEDA DE VELOCIDADE


100 etiquetas/min

Logo, o IE será de:

IE = TO - (perda por parada + perda tempo ocioso + perda por queda de


velocidade)
TO

IE =
Se estiver tudo correto IE = 0,7883

Vamos calcular Indice de Qualidade IQ

IQ = quantidade de itens conformes - (perda 5 + perda 6)


quantidade de itens conformes

Perda 5 - Qualidade insatisfatória. É a quantidade de itens que é perdida (para todos os


efeitos, é como se eles não tivessem sido produzidos) por qualidade insatisfatória, quando
o processo já entrou em regime.
Perda 6 - Perdas com start-up. É a quantidade de itens que é perdida (para todos os
efeitos, é como se eles não tivessem sido produzidos) por qualidade insatisfatória, quando
o processo ainda não entrou em regime.

Suponha que a impressora flexográfica apresentou, durante o mês de novembro, as


seguintes porcentagens de perdas por qualidade:
1. Qualidade insatisfatória (em regime) = 0,10%
2. No start-up ou partida, o índice de perda é em geral maior, vamos admitir que foi
de 0,8%

As perdas 5 e 6 definem a qualidade - ou índice da qualidade (IQ) - do equipamento.


Assim:

Calculo do índice da Qualidade

Unidades produzidas = 8.095 (80) = 647.600 etiquetas

 Calcule a quantidade aproveitada após a perda de 0,1% devido a Qualidade


Insatisfatória (em regime)

quantidade aproveitada após a perda de 10% devido a Qualidade Insatisfatória (em regime) =

 Calcule agora a quantidade aproveitada após descontar as perdas de 0,80% devido a


Qualidade insatisfatória (inicio do processo)

Quantidade aproveitada após descontar as perdas de 80% devido a Qualidade insatisfatória (inicio
do processo) =

Se estiver tudo certo você deve ter encontrado o seguinte :


 Unidades produzidas = 8.095 * (80) = 647.600 etiquetas
 Qualidade insatisfatória (em regime) = 0,10% de 647.600 = 647.6 etiquetas [ou
(647.6)*(60min/100 etiq/min) = 388.56 min]
 Qualidade insatisfatória (inicio do processo) = 0,80% de 647.600 = 5.180,8 etiquetas
(ou 5.180,8*0,6 = 3.108,48 min)

Vamos calcular IQ

IQ = quantidade de itens conformes - ( quantidade de itens não conformes)


quantidade de itens conformes
IQ =

Se você fez tudo certo IQ =0,9910 = 99,10%

Calculo do Índice OEE

A denominação OEE (de overall equipment effectiveness) é bem mais usada nos meios de
manutenção do que a abreviatura da "tradução", que poderia ser EGE (de eficiência global
do equipamento). Dessa forma, usaremos também OEE, que é definida como:

OEE = ID x IE x IQ

Exemplo:

Calcular a OEE da impressora flexográfica do exemplo anterior.

OEE = 0,9508 X 0,7883 X 0,9910 = 0,7428, ou 74,28%

Item para reflexão:

Pela fórmula podemos ver que o índice de OEE é um teste severo para uma fábrica. Considere, por
exemplo, uma planta que tenha os 3 índices com o valor de 90%, o que aparentemente pareceria um alto
valor para cada um dos índices.
Entretanto quando aplicamos o cálculo obtemos 72,9% de OEE, que em termos de Standard
mundial é um valor que deixa muito a desejar. O Standard mundial dos fatores que
constituem o índice de OEE foi definido desta forma:

Fator Padrão Mundial Aceitável


disponibilidade 90%
performance 95%
qualidade 99,9%
OEE 85%

Como o seu grupo avaliaria a situação nas indústrias brasileiras? Vocês acham que na
maioria das fabricas o índice de OEE tem a padrão mundial aceitável? Por quê?