Você está na página 1de 13

1

PRINCIPAIS LEGISLAÇÕES SANITÁRIAS REFERENTES A ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PROJETOS

RDC/ANVISA nº 50 de 21 de fevereiro de 2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos
físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde.
Acesso: http://www.anvisa.gov.br/anvisalegis/resol/2002/50_02rdc.pdf

Altera a Resolução - RDC nº 50 de 21 de fevereiro de 2002 que dispõe sobre o Regulamento Técnico para
RDC/ANVISA nº 307 de 14/11/2002 planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de
estabelecimentos assistenciais de saúde.
Acesso:
https://drive.google.com/file/d/0B83tniFArl2GZDc3NzExZGQtMzgxZC00Yjc0LTliMTItNDc0ZDA4Y2RmZ
DBj/view?ddrp=1&hl=pt_BR&pli=1#

RDC/ANVISA nº 189 de 18 de julho de 2003 Dispõe sobre a regulamentação dos procedimentos de análise, avaliação e aprovação dos
projetos físicos de estabelecimentos de saúde no Sistema Nacional de Vigilância Sanitária,
altera o Regulamento Técnico aprovado pela RDC nº 50, de 21 de fevereiro de 2002.
Acesso: http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/Suvisa/doc/DOC000000000025012.PDF

De acordo com a Portaria 1459 de 24 de junho de 2011, são objetivos da Rede Cegonha:
Orientações para Elaboração de Projetos: Centros I - fomentar a implementação de novo modelo de atenção à saúde da mulher e à saúde da criança com foco na
de Parto Normal (CPN); Casa da Gestante, Bebê e atenção ao parto, ao nascimento, ao crescimento e ao desenvolvimento da criança de zero aos vinte e quatro
Puérpera (CGBP); Adequação da Ambiência; meses;
Unidade Neonatal e Banco de Leite Humano II - organizar a Rede de Atenção à Saúde Materna e Infantil para que esta garanta acesso, acolhimento e
resolutividade; e
III - reduzir a mortalidade materna e infantil com ênfase no componente neonatal.
Acesso: http://www.saude.mt.gov.br/arquivo/7199

UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA

RDC/ANVISA nº 7, de 24 de fevereiro de 2010 Dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0007_24_02_2010.html

Instrução Normativa ANVISA Dispõe sobre indicadores para avaliação de Unidades de Terapia Intensiva.
2

nº 4 de 24 de fevereiro de 2010 Acesso: http://www.husm.ufsm.br/janela/legislacoes/uti-adulto/uti-adulto/instrucao-normativa-no-4-de-24-de-


fevereiro-de-2010.pdf

CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Lei nº 9.431 de 6 de janeiro de 1997 Dispõe sobre a obrigatoriedade da manutenção de programa de controle de infecções hospitalares pelos hospitais
do País.
Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9431.htm

Portaria GM nº 2.616 de 12 de maio de 1998 Rege sobre o controle das infecções hospitalares no país.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1998/prt2616_12_05_1998.html

RDC nº. 48 de 02 de junho de2000 Aprova o Roteiro de Inspeção do Programa de Controle de Infecção Hospitalar
Acesso: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/Res_048.pdf

Portaria Estadual nº 104/2013/GBSES-MT Dispõe sobre as responsabilidades dos serviços assistenciais de saúde onde houve casos de infecção por
micobactérias não tuberculosas de crescimento rápido pós-procedimento invasivo
Acesso: http://www.saude.mt.gov.br/upload/controle-infeccoes/pasta2/portaria-n-104-2013-GBSES-MCR.pdf

RDC nº 91 de 28 de novembro de 2008 Proíbe o uso isolado de produtos que contenham paraformaldeído ou formaldeído, para desinfecção e esterilização,
regulamenta o uso de produtos que contenham tais substâncias em equipamentos de esterilização e dá outras
providências.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2008/res0091_28_11_2008.html

RDC nº 8 de 27 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre as medidas para redução da ocorrência de infecções por Micobactérias de Crescimento Rápido -
MCR em serviços de saúde. Acesso:
http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-8-de-27-de-fevereiro-de-2009

RDC nº 42 de 25 de outubro de 2010 Dispõe sobre a obrigatoriedade de disponibilização de preparação alcoólica para fricção antisséptica das mãos,
pelos serviços de saúde.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-42-de-25-de-outubro-de-
2010
3

PROCESSAMENTO DE PRODUTOS PARA A SAÚDE

RE/ANVISA nº2.605 de 11 de agosto de 2006 Estabelece a lista de produtos médicos enquadrados como de uso único proibidos de ser reprocessados
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-42-de-25-de-outubro-de-
2010

RE/ANVISA nº 2.606 de 11 de agosto de 2006 Dispõe sobre as diretrizes para elaboração, validação e implantação de protocolos de reprocessamento de produtos
médicos e dá outras providências. Acesso: http://sbhci.org.br/wp-content/uploads/2016/07/resoluo-rdc-n-2606-
2006.pdf

RDC nº 156 de 11 de agosto de 2006 Dispõe sobre o registro, rotulagem e reprocessamento de produtos médicos, e dá outras providências.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/resolucao-rdc-n-156-de-11-de-
agosto-de-2006

RDC nº 91 de 28 de novembro de 2008 Proíbe o uso isolado de produtos que contenham paraformaldeído ou formaldeído, para desinfecção e esterilização,
regulamenta o uso de produtos que contenham tais substâncias em equipamentos de esterilização e dá outras
providências Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2008/res0091_28_11_2008.html

RDC nº 37 de 3 de junho de 2008 Proibe o uso de pastilhas contendo paraformaldeído ou formaldeído nos processos de desinfecção e esterilização.
Acesso: http://www.macae.rj.gov.br/midia/uploads/RDC%2037-08.pdf

RDC nº 15 de 15 de março de 2012 Dispõe sobre requisitos de boas práticas para o processamento de produtos para saúde e dá outras providências.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2012/rdc0015_15_03_2012.html

CONTROLE DE PRAGAS E VETORES

RDC nº 52 de 22 de outubro de 2009 Dispõe sobre o funcionamento de empresas especializadas na prestação de serviço de controle de vetores e pragas
urbanas e dá outras providências.
Acesso: http://www.abdir.com.br/legislacao/legislacao_abdir_26_10_09_4.pdf
4

RADIODIAGNÓSTICO MÉDICO

Portaria SVS/MS n° 453 de 1 de junho de 1998 Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de proteção radiológica em radiodiagnóstico
médico e odontológico, dispõe sobre o uso dos raios-x diagnósticos em todo território nacional e dá outras
providências. Acesso: http://www.conter.gov.br/uploads/legislativo/portaria_453.pdf

RDC nº 38 de 04 de junho de 2008 Dispõe sobre a instalação e o funcionamento de Serviços de Medicina Nuclear "in vivo"
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2008/res0038_04_06_2008.html

Portaria GM/ MS n° 2.898 de 28 de novembro Atualiza o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM).
de 2013 Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2898_28_11_2013.html

BANCO DE LEITE HUMANO

Portaria ANVISA nº 193 de 23 de fevereiro de Aprovar a Nota Técnica Conjunta nº 01/2010 Anvisa e Ministério da Saúde, conforme anexo, que tem por objetivo
2010 orientar a instalação de salas de apoio à amamentação em empresas públicas ou privadas e a fiscalização desses
ambientes pelas vigilâncias sanitárias locais.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/prt0193_23_02_2010.html

LABORATÓRIO

RDC nº. 302 de 13 de outubro de 2005 Dispõe sobre Regulamento Técnico para funcionamento de Laboratórios Clínicos.
Acesso:
http://www.ebserh.gov.br/documents/222842/1014626/RDC_ANVISA_302_13_de_outubro_de_2005.pdf/0f34c124-
6660-4447-849f-3955abd9de6f
5

SAÚDE DO TRABALHADOR

Lei nº 6.514 de 22 de dezembro de 1977 Altera o Capítulo V do Titulo II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a segurança e medicina do trabalho
e dá outras providências. Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6514.htm

NR 5 CIPA - As empresas privadas, públicas e órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela CLT ficam
obrigados a organizar e manter em funcionamento uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CLT Artigo
164 Inciso 5.6|5.6.1|5.6.2|5.7|5.11 e Artigo 165 inciso 5.8) [1] A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes –
CIPA. Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6514.htm

NR 6 EPI - Para os fins de aplicação desta NR, considera-se EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricação
nacional ou estrangeira, destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador. A empresa é obrigada a
fornecer aos empregados gratuitamente. (CLT - artigo 166 inciso 6.3 subitem A - Artigo 167 inciso 6.2).
Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6514.htm

NR 7 PCMSO - Esta NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os


empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de
Saúde Ocupacional - PCMSO, cujo objetivo é promover e preservar a saúde do conjunto dos seus trabalhadores.
Acesso: http://www.mtps.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR7.pdf

NR 9 PPRA - Esta NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores
e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais,
através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais
existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho. Acesso:
http://www.mtps.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR-09atualizada2014II.pdf

NR 13 Caldeiras e Vasos de Pressão - Esta NR estabelece os procedimentos obrigatórios nos locais onde se situam as
caldeiras de qualquer fonte de energia, projeto, acompanhamento de operação e manutenção, inspeção e
supervisão de inspeção de caldeiras e vasos de pressão, em conformidade com a regulamentação profissional
vigente no país. Acesso: http://www.mtps.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR13.pdf

NR 15 Atividades e Operações Insalubres – Esta NR estabelece os procedimentos obrigatórios, nas atividades ou


operações insalubres que são executadas acima dos limites de tolerância previstos na Legislação, comprovadas
através de laudo de inspeção do local de trabalho. Agentes agressivos: ruído, calor, radiações, pressões, frio,
6

umidade, agentes químicos. Acesso: http://cipa.iqsc.usp.br/files/2009/05/nr15.pdf

NR 24 Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais de Trabalho - Esta NR estabelece critérios mínimos, para fins de
aplicação de aparelhos sanitários, gabinete sanitário, banheiro, cujas instalações deverão ser separadas por sexo,
vestiários, refeitórios, cozinhas e alojamentos. Acesso:
http://www.pastoreadvogados.com.br/midia/_053b___NR_24_Adequaes_DSST.pdf
NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Saúde - Esta Norma Regulamentadora tem por finalidade
estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos
trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à
saúde em geral. Para fins de aplicação desta NR, entende-se como serviços de saúde qualquer edificação destinada
à prestação de assistência à saúde da população, e todas as ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e
ensino em saúde em qualquer nível de complexidade. A responsabilidade é solidária entre contratante e contratado
quanto ao cumprimento da NR 32. A conscientização e colaboração de todos é muito importante para prevenção de
acidentes na área da saúde. As atividades relacionadas aos serviços de saúde são aquelas que, no entendimento do
legislador, apresentam maior risco devido à possibilidade de contato com microorganismos encontrados nos
ambientes e equipamentos utilizados no exercício do trabalho, com potencial de provocar doenças nos
trabalhadores. Os trabalhadores diretamente envolvidos com este agentes são: médicos, enfermeiros, auxiliares e
técnicos de enfermagem, atendentes de ambulatórios e hospitais, dentistas,limpeza e manutenção de equipamentos
hospitalar, motoristas de ambulância, entre outros envolvidos em serviços de saúde. Acesso:
http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/manuais/legislacao/NR-32.pdf

Portaria MTE n.° 939 de 18 de novembro de Trata da obrigatoriedade dos empregadores em promover a substituição dos materiais perfurocortantes por outros
2008 com dispositivo de segurança no prazo máximo de vinte e quatro meses a partir da data de publicação desta
Portaria. Acesso: http://www.trtsp.jus.br/geral/tribunal2/ORGAOS/MTE/Portaria/P939_08.html

TESTE DO PEZINHO

Portaria nº 822 de 6 de junho de 2001 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde o Programa Nacional de Triagem Neonatal / PNTN.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2001/prt0822_06_06_2001.html
7

SERVIÇO DE HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR

Portaria nº 15 de 23 de agosto de 1988 Determina que o registro de produtos saneantes domissanitários com finalidade antimicrobiana seja procedido de
acordo com as normas regulamentares.
Acesso: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/u_pt-anvisa-015_230888.pdf

RDC nº 35 de 16 de agosto de 2010 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para produtos com ação antimicrobiana utilizados em
artigos críticos e semicríticos.
Acesso: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/u_pt-anvisa-015_230888.pdf

Resolução ANVISA nº 31 de 04 de julho de Dispõe sobre a indicação de uso de produtos saneantes na categoria "Esterilizante", para aplicação sob a forma de
2011 imersão, e a indicação de uso de produtos saneantes atualmente categorizados como "Desinfetante Hospitalar para
Artigos Semicríticos.
Acesso: http://www.cvs.saude.sp.gov.br/zip/U_RDC-ANVISA-31_040711.pdf

NUTRIÇÃO E DIETÉTICA

Portaria SVS/MS nº 326 de 30 de julho de 1997 Aprova o Regulamento Técnico; "Condições Higiênicos-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para
Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos"
Acesso: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/388704/Portaria%2BSVS-MS%2BN.%2B326%2Bde
%2B30%2Bde%2BJulho%2Bde%2B1997.pdf/87a1ab03-0650-4e67-9f31-59d8be3de167

Portaria MS/SNVS nº 272 de 8 abril de 1998 Aprova o Regulamento Técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para a Terapia de Nutrição Parenteral.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/svs1/1998/prt0272_08_04_1998.html

RDC nº 63 de 6 de julho de 2000 Aprova o Regulamento Técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para a Terapia de Nutrição Enteral.
Acesso: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/RDC%2063%20NUTRICaO%20ENTERAL.pdf

RDC nº 275 de 21 de outubro de 2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos
Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de
Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.
Acesso: http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/5125403/4132350/ResoluuoRDC27521.10.2002.pdf

RDC n° 216 de 15 de setembro de 2004 Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação.
Acesso: http://www.paulinia.sp.gov.br/downloads/RDC_N_216_DE_15_DE_SETEMBRO_DE_2004.pdf
8

FARMÁCIA HOSPITALAR

Lei nº 5.991 de 17 de dezembro de 1973 Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos
Acesso: http://www.paulinia.sp.gov.br/downloads/Lei%205991_1973.pdf

Lei nº 6.360 de 23 de setembro de 1976 Dispõe sobre a vigilância sanitária a que ficam sujeitos os medicamentos, as drogas, os insumos farmacêuticos e
correlatos, cosméticos, saneantes e outros produtos, e dá outras providências.
Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6360.htm

Portaria SVS/MS n° 344 de 12 de maio de 1998


Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.
Acesso: http://anvisa.gov.br/hotsite/cd_sngpc_old/portaria344.pdf
Portaria n° 6 de 29 de janeiro de 1999 Aprova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS nº 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu o Regulamento
Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.
Acesso: http://www.anvisa.gov.br/hotsite/sngpc_visa/legis/portaria6.pdf?id=839&word=
RDC n.º 45 de 12 de março de 2003 Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas de Utilização das Soluções
Parenterais (SP) em Serviços de Saúde. Acesso:
http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/resolucao-rdc-n-45-de-12-de-marco-
de-2003

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

RDC nº 306 de 7 de dezembro de 2004 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0306_07_12_2004.html

Resolução CONAMA n° 358 de 29de abril de Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências.
2005 Acesso: http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=462

Lei nº 7.862 de 19 de dezembro de 2002 Dispõe sobre a Política Estadual de Resíduos Sólidos e dá outras providências.
Acesso: http://www.cuiaba.mt.gov.br/upload/arquivo/lei%207.862_19%20DE_dezembro_%202002_sema.pdf

Instrução Normativa nº. 001 de 12 de fevereiro Estabelece atribuições ao Poder Público e responsabilidades ao Estabelecimento gerador de resíduos de serviços
de 2008 de saúde, bem como o Termo de Referência para elaboração e apresentação do Plano de Gerenciamento de
Resíduos de Serviços de Saúde –PGRSS
Acesso: http://www.saude.mt.gov.br/upload/legislacao/001sema-[2045-120110-SES-MT].pdf
9

LAVANDERIA HOSPITALAR

Resolução RDC nº 6 de 30 de janeiro de 2012 Dispõe sobre as Boas Práticas de Funcionamento para as Unidades de Processamento de Roupas de Serviços de
Saúde e dá outras providências.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-6-de-30-de-janeiro-de-
2012

ONCOLOGIA
RDC nº 220 DE 21 de setembro de 2004 Aprova o Regulamento Técnico de funcionamento dos Serviços de Terapia Antineoplásica.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/resolucao-rdc-n-220-de-21-
de-setembro-de-2004

URGÊNCIA E EMERGÊNCIA

Portaria nº 1.601 de 07 de julho de 2011 Estabelece diretrizes para a implantação do componente Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e o
conjunto de serviços de urgência 24 horas da Rede de Atenção às Urgências, em conformidade com a
Política Nacional de Atenção às Urgências.Acesso:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1601_07_07_2011_rep.html

Portaria GM/MS nº 2.048 de 05/11/2002 Aprova na forma do Anexo desta Portaria, o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de Urgência e
Emergência.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt2048_05_11_2002.html

HEMOTERAPIA

RDC nº 153 de 14 de junho de 2004 Determina o Regulamento Técnico para os procedimentos hemoterápicos, incluindo a coleta, o
processamento, a testagem, o armazenamento, o transporte, o controle de qualidade e o uso
humano de sangue, e seus componentes, obtidos do sangue venoso, do cordão umbilical, da placenta e da
medula óssea.
Acesso: http://www.sbpc.org.br/upload/noticias_gerais/320100416113458.pdf
10

TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA

RDC nº 11 de 13 de março de 2014 Dispõe sobre os Requisitos de Boas Práticas de Funcionamento para Serviços de Diálise.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2014/rdc0011_13_03_2014.pdf

RDC nº 8 de 02 de janeiro de 2001 Aprova o Regulamento Técnico que Institui as Boas Práticas de Fabricação do
Concentrado Polieletrolíticos para Hemodiálise – CPHD
Acesso: https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/resolucao-rdc-n-8-de-
2-de-janeiro-de-2001

TECNOVIGILÂNCIA

RDC nº 59 de 27 de junho de 2000 Determina a todos fornecedores de produtos médicos, o cumprimento dos requisitos estabelecidos pelas
"Boas Práticas de Fabricação de Produtos Médicos".
Acesso: http://www.sbpc.org.br/upload/conteudo/320101202142144.pdf

RDC nº 97 de 09 de novembro de 2000 Tecnologia de produtos para a saúde.


Acesso: https://www.diariodasleis.com.br/busca/exibelink.php?numlink=1-9-34-2000-09-09-97

RDC nº 56 de abril de 2001 Os produtos para saúde devem atender aos requisitos essenciais de segurança e eficácia aplicáveis a estes
produtos, referidos no Regulamento Técnico anexo a esta Resolução.
Acesso: http://www.poderesaude.com.br/novosite/images/publicacoes_09.10.2014-I.pdf

RDC nº 2 de 25 de janeiro de 2010 Dispõe sobre o gerenciamento de tecnologias em saúde em estabelecimentos de saúde.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-2-de-25-de-
janeiro-de-2010

COMUNIDADES TERAPÊUTICAS
11

Dispõe sobre os requisitos de segurança sanitária para o funcionamento de instituições que prestem serviços de
Resolução RDC nº 29 de 30 de junho de 2011 atenção a pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substâncias psicoativas. Acesso:
http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-29-de-30-de-junho-de-
2011

RECURSOS HUMANOS

Baixa normas para ANOTAÇÃO da responsabilidade técnica de Enfermeiro(a), em virtude de Chefia de


Resolução COFEN nº 168 de outubro de 1993
Serviço de Enfermagem, nos estabelecimentos das instituições e empresas públicas, privadas e
filantrópicas onde é realizada assistência à saúde. Acesso: http://www.portalcoren-
rs.gov.br/docs/Legislacoes/legislacao_b28c8627caa038084da550b023186457.pdf

Trata do cadastro do estabelecimento, ART e outros.


Resolução CFM n.º 1.626/2001
Acesso: http://sobed.pre-ec0643dde3.undercloud.net/wp-content/uploads/2013/11/1626-2001.pdf

BRONZEAMENTO ARTIFICIAL

Proíbe em todo território nacional o uso dos equipamentos para bronzeamento artificial, com finalidade
RDC nº 56 de 09 de novembro de 2009 estética, baseada na emissão da radiação ultravioleta (UV).
Acesso:
http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/cao_consumidor/legislacao/leg_saude/leg_sau_anvs/RDC-56-
2009.pdf

ATENÇÃO DO IDOSO
12

Aprova o Regulamento Técnico que define normas de funcionamento para as Instituições de Longa
Resolução RDC nº 283 de 26 de setembro de 2005 Permanência para Idosos.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2005/res0283_26_09_2005.html

Portaria/GM nº 1.868 de 11 de outubro de 2005 Aprova normas e padrões para o funcionamento de casas de repouso, clínicas geriátricas e outras
instituições destinadas ao atendimento de idosos, a serem observados em todo o território nacional.
Acesso: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/Portaria_1868.pdf

Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006 Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa.
Acesso: http://www.saudeidoso.icict.fiocruz.br/pdf/PoliticaNacionaldeSaudedaPessoaIdosa.pdf

SEGURANÇA DO PACIENTE

Resolução RDC nº 63 de 25 de novembro de 2011 Dispõe sobre os requisitos de Boas Práticas de Funcionamento para os serviços de saúde.
Acesso: http://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-63-de-25-de-
novembro-de-2011

Portaria MS nº 529, de 1 de abril de 2013 Institui o programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP).
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0529_01_04_2013.html

Resolução RDC nº 36 de 25 de julho de 2013 Institui ações para a Segurança do Paciente em serviços de saúde e da outras providências.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0036_25_07_2013.htm

Resolução RDC nº 53 de 14 de novembro de Altera a Resolução RDC Nº 36, de 25 de julho de 2013 que institui ações para a segurança do paciente em
2013 serviços de saúde e dá outras providências.
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0053_14_11_2013.html

ENDOSCOPIA

Resolução RDC nº 6 de 10 de março de 2013 Dispõe sobre os requisitos de Boas Práticas de Funcionamento para os serviços de endoscopia com via de
acesso ao organismo por orifícios exclusivamente naturais.
Acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0006_10_03_2013.html
13

OUTRAS LEGISLAÇÕES

Lei nº. 6.437 de 20 de agosto de 1977 Configura infrações à legislação sanitária federal, estabelece as sanções respectivas, e dá outras
providências.
Acesso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6437.htm
Decreto Estadual (MT) nº 2.461 de 24 de março Aprova a Norma Técnica que dispõe sobre o funcionamento dos estabelecimentos que realizam
de 2010 procedimentos de pigmentação artificial permanente da pele e inserção de piercing.
Acesso: http://www.saude.mt.gov.br/upload/controle-
infeccoes/pasta2/legislacao_estado_mt_serv_tatuagem_pigment_pele_e_piercing.pdf

Elaboração:
Serviço Estadual de Controle de Infecção
Secretaria de Estado de Saúde de MT