Você está na página 1de 8

RELATÓRIO DE FÍSICA

2019
Introdução:

Os osciladores harmônicos simples são sistemas cujo movimento, dentre


muitas características específicas, é periódico. Neste relatório, faremos um breve
resumo sobre os osciladores harmônicos simples, com os principais resultados
relacionados à esse conteúdo. Posteriormente, faremos dois experimentos, um com
um sistema massa-mola e outro com um pêndulo simples, e estimaremos a constante
de mola e a aceleração da gravidade, bem como ilustraremos, a relação existente
entre período ao quadrado e a massa ou comprimento de um pêndulo.

Resumo da Teoria:

Verificaremos o comportamento oscilatório de dois sistemas com movimentos


harmônicos simples – um sistema massa-mola e um pêndulo simples. Para isso
usaremos os seguintes conceitos.
Oscilações Harmônicas Simples: movimento de que se repetem em intervalos
de tempo que ocorre quando a aceleração e a força resultante são proporcionais e
opostas ao deslocamento.
Movimentos Harmônicos Simples: quando uma força restauradora é
diretamente proporcional ao deslocamento da posição de equilíbrio à oscilação.
Sistema massa-mola: é um modelo de sistema utilizado para aproximação de
oscilações de pequenas amplitudes. Consiste de uma mola com uma extremidade fica
e outra presa a um corpo.
Pendulo simples: quando um objeto que oscila preso a uma corda de massa
desprezível em OHS, com amplitude pequena. (Caso particular do pendulo físico).
Pendulo físico: é qualquer pendulo real. Consiste de um corpo rígido suspenso
por um ponto e que pode girar livremente em torno desse ponto.
Amplitude: deslocamento máximo. Representada por 𝐴.
Período: tempo necessário para que um sistema oscilante complete um ciclo
completo de oscilações. T[s]
Frequência: 𝑓 = [Hz]

Frequência angular: 𝜔 = 2𝜋𝑓


De modo geral sabemos que a força exercida por uma mola é proporcional à
sua distensão:
𝐹 = −𝑘𝑥
Osciladores harmônicos simples:
Consideremos uma oscilação que respeite as características do OHS. Então, sendo
A a sua amplitude, 𝑚 a massa do corpo e 𝜔 a sua frequência angular, a posição,
velocidade e aceleração do corpo em oscilação são dadas por:
𝑥(𝑡) = 𝐴 𝑐𝑜𝑠(𝜔𝑡 + 𝜑)
𝑣(𝑡) = −𝐴𝜔𝑠𝑒𝑛(𝜔𝑡 + 𝜑)
𝑎(𝑡) = −𝐴𝜔 𝑐𝑜𝑠(𝜔𝑡 + 𝜑)
onde 𝜔𝑡 + 𝜑 é a fase do sistema e 𝜑 é a constante de fase. Além disso, temos que

𝑘
𝜔=
𝑚

e a energia total do OHS é dada por 𝐸 = .

Pêndulo Simples:
Um pêndulo é simples quando o corpo ligado ao fio é homogêneo, ou seja, é
irrelevante o ponto do corpo onde se prende o fio.
Consideremos um pêndulo simples, de amplitude A e cujo fio, de massa desprezível,
tem comprimento L. As equações da posição, velocidade e aceleração da massa do
pêndulo são idênticas às do OHS vistas acima. Temos ainda que
𝑔
𝜔=
𝐿
Pêndulo Físico:
Um pêndulo físico é um pêndulo real, onde o formato e dimensões do corpo são
relevantes.
Consideremos um pêndulo físico, com distância entre o pivô e o centro de gravidade
do corpo dada por 𝑑, massa m e momento de inércia I. As principais equações
relacionadas ao movimento são:
𝜏 = −𝑚𝑔𝑑 𝑠𝑒𝑛(𝛳) = 𝐼𝛼, onde α é a aceleração angular

𝑚𝑔𝑑
𝜔=
𝐼
Questionário:

1) Apresente os resultados de maneira clara e organizada. Mostre os cálculos


requisitados de maneira clara e sucinta, evidenciando o raciocínio desenvolvido.

• Experimento 1: massa-mola

No experimento do sistema massa-mola foram realizadas cinco medições do tempo


necessário para que o sistema completasse dez oscilações. A cada medição era
adicionada uma nova anilha a massa do sistema, aumentando assim a massa total. A
cada anilha adicionada era medido o comprimento x, ou seja, a deformação da mola.

Através da experimentação verificamos que quanto maior o valor da massa, maior é


o tempo necessário para que o sistema complete uma oscilação. Ou seja, o período
e a massa são diretamente proporcionais em um sistema massa-mola.

Para determinar a constante de mola utilizaremos os dados obtidos e a seguinte


equação:

𝐹 𝑚 .𝑔
𝐹 = 𝐾. 𝑥 ⇔ 𝐾 = ⇔ 𝐾=
𝑥 𝑥
Onde 𝐾 é a constante elástica da mola, m é a massa colocada em uma das
extremidades da mola, x é o comprimento de deformação da mola gerada pela massa
e g é a aceleração da gravidade.

• Experimento 2: pêndulo simples

No experimento do pêndulo simples, um corpo de metal cuja massa é igual a 89,7 g


foi prendido à uma das extremidades do barbante. A outra extremidade foi prendida à
haste horizontal do suporte vertical de forma que o comprimento do fio fosse igual a
100 cm. Deslocamos o corpo lateralmente até que o ângulo entre o fio e o suporte
fosse aproximadamente 10°. Ao soltarmos o corpo, com um cronômetro iniciamos a
medição do tempo necessário para que o pêndulo completasse dez oscilações. A
cada medição o barbante teve seu comprimento diminuído em 5 cm. Repetimos o
processo até que o comprimento do fio fosse aproximadamente 45 cm, totalizando 12
medições.

Através da experimentação verificamos que quanto maior o comprimento do fio, maior


é o tempo necessário para que o pêndulo complete uma oscilação. Ou seja, o período
e o comprimento do barbante são diretamente proporcionais.

Para determinar a aceleração da gravidade utilizaremos os dados obtidos e a seguinte


equação:
4𝜋
𝑔= .𝐿
𝑇
Onde g é a aceleração da gravidade, T é o período e L é o comprimento do barbante.

2) Liste os equipamentos utilizados. Para os instrumentos de medida, descreva o tipo


do equipamento, sua resolução e seu erro de escala.

MATERIAL UTILIZADO NO EXPERIMENTO DO SISTEMA MASSA-MOLA

• Uma mola de 12 cm de comprimento em seu tamanho original;

• Suporte vertical com haste horizontal utilizado para prender a mola verticalmente.

• 05 anilhas que foram prendidas à uma das extremidades da mola;

• 01 gancho para acoplar as anilhas à extremidade da mola;

• Balança (imprecisão de 0,5g) mecânica para medir a massa do gancho e das anilhas;

• Cronômetro para marcar o tempo necessário para que o sistema completasse dez
oscilações;

• Régua milimetrada (imprecisão de 0,5 mm) de 100 cm para medir o comprimento da


mola em seu estado original e o comprimento da deformação gerada pelas anilhas.

3) Liste os equipamentos utilizados. Para os instrumentos de medida, descreva o tipo


do equipamento, sua resolução e seu erro de escala.

MATERIAL UTILIZADO NO EXPERIMENTO DO PÊNDULO SIMPLES:

• Suporte vertical com haste horizontal para se prender o fio verticalmente;

• Barbante;

• Corpo de metal com uma argola em uma das extremidades, para que se possa
prender o barbante.

• Balança (imprecisão de 0,5g) para medir a massa do corpo de metal;

• Régua milimetrada (imprecisão de 0,5 mm) de 100 cm para medir o comprimento do


fio a cada medição de tempo;

• Transferidor (imprecisão de 0,5°) para medir o deslocamento lateral de


aproximadamente 10° do barbante em relação ao suporte vertical.

• Cronômetro para medir o tempo necessário para que o pêndulo completasse dez
oscilações;

4) Preencha as tabelas com o número adequado de algarismos significativos,


unidades, e erros de escala apropriados.
m [kg] x [m] F [N] K [N/m] 𝑲𝒎
0,0562 0,058 0,55008 9,484138
0,1064 0,11 1,04143 9,467545
0,1565 0,161 1,53181 9,514348 9,5369384 N/m
0,2071 0,211 2,02708 9,607014
0,2563 0,261 2,50864 9,611647
Tabela 1.1: Dados para
determinação da constante de
mola média.

m [kg] 𝑻𝟏𝟎 [s] T [s] T² [s²]


0,0562 4,61 0,1161 0,212521
0,1064 6,21 0,621 0,385641
0,1565 7,81 0,781 0,609961
0,2071 8,95 0,895 0,801025
0,2563 9,83 0,983 0,966289
Tabela 1.2: Dados para a oscilação
de um sistema massa-mola.

L [m] 𝑻𝟏𝟎 [s] T [s] T²[s²]


1 20,02 2,002 4,008004
0,955 19,63 1,963 3,853369
0,905 19,28 1,928 3,717184
0,855 18,86 1,886 3,556996
0,804 18,15 1,815 3,294225
0,755 17,64 1,764 3,111696
0,7 17,02 1,702 2,896804
0,65 16,36 1,636 2,676496
0,601 15,98 1,598 2,553604
0,552 14,95 1,495 2,235025
0,503 14,63 1,463 2,140369
0,453 14,06 1,406 1,976836
Tabela 1.3: Dados para a oscilação
de um pêndulo simples.
6) Os experimentos nos forneceram que a constante de mola k é aproximadamente
𝑘 ≈ 9,5369 𝑁/𝑚. Utilizando a planilha do Excel, a reta que melhor relaciona 𝑇 e 𝑚 é
dada por 𝑇 ≈ 3,8393 𝑚 − 0,0058. Nesse caso, o coeficiente angular é 3,8393𝑁/𝑚 e
o coeficiente linear é −0,0058𝑠 .

7) Temos que = ⇒ 𝑚 = 𝑇 = 𝐵𝑚 − 0,0058 ⇒ 𝐵 = ( 𝑚 + 0,0058)

Tendo obtido o valor de B, não podemos obter o valor de k apenas substituindo o valor
de B na equação 𝐵 = ( 𝑚 + 0,0058), pois o m varia, de modo que k não ficaria

bem definido. A igualdade 𝑚 = 𝑇 , nos informa que 𝑇 e 𝑚 estão relacionados por


uma função linear, com coeficiente linear 0. A equação da reta 𝑇 ≈ 3,8393 𝑚 −
0,0058 fornece uma boa representação dos dados quando m não é muito pequeno.
Quando m está próximo de 0, porém, essa reta não representa corretamente os
dados. Para calcularmos k, vamos assumir que 𝐵 = 3,8393 𝑁/𝑚 e 𝐵𝑚 = 𝑚=𝑇 ,
o que nos dá 𝑘 ≈ 10,2827 𝑁/𝑚.
| , , |
O erro percentual é ,
≈ 0,0782 = 7,82%.

8) Na primeira situação, temos que 𝑚 = 0,0562𝑘𝑔, 𝑥 = 0,058𝑚, 𝑘 ≈ 9,5369𝑁/𝑚, 𝐴 =


0,047𝑚 e 𝑇 = 0,461𝑠. Segue-se que:

𝑘
𝜔= ≈ 13,0267 𝑟𝑎𝑑/𝑠
𝑚

𝑥(𝑡) = 0,047 𝑐𝑜𝑠(13,0267𝑡 + 𝜋)

𝑓= = ,
≈ 2,1692𝐻𝑧 e 𝜑 = 𝜋

Na segunda situação, temos que 𝑚 = 0,2563𝑘𝑔, 𝑥 = 0,261𝑚, 𝑘 ≈ 9,5369𝑁/𝑚, 𝐴 =


0,094𝑚 e 𝑇 = 0,983𝑠. Segue-se que:

𝑘
𝜔= ≈ 6,1 𝑟𝑎𝑑/𝑠
𝑚

𝑥(𝑡) = 0,094 𝑐𝑜𝑠(6,1𝑡 + 𝜋)

𝑓= = ,
≈ 1,0173𝐻𝑧 e 𝜑 = 𝜋

10) Utilizando a planilha do Excel, a reta que melhor representa os dados obtidos
possui equação 𝑇 = 3,851 𝐿 + 0,1992. O coeficiente angular é 3,851𝑠 /𝑚 e o
coeficiente linear é 0,1992𝑠 .

11) Temos que 𝑇 = 2𝜋 , o que nos dá 𝐿 = 𝐵𝐿 + 0,1992 ⇒ 𝐵 = ( 𝐿 − 0,1992).


Aqui acontece a mesma situação descrita na questão 7). Não podemos calcular o
valor de g apenas substituindo o valor de B na equação acima, pois o L é variável.
Novamente, utilizaremos o fato de que 𝐿 = 𝐵𝐿 = 𝑇 e assumiremos 𝐵 =
| , , |
3,851𝑠 /𝑚, o que nos fornece 𝑔 ≈ 10,2514 . O erro percentual é ,

0,0473 = 4,73%.

12) Foram atingidos todos os objetivos com relativo sucesso. Foi verificada que as
relações entre o período ao quadrado e a massa, em um sistema massa-mola, e o
período ao quadrado e o comprimento de um pêndulo, é linear. Além disso, foi possível
determinar a constante elástica de uma mola através do período de oscilação do
sistema massa-mola e também foi determinada a aceleração da gravidade através do
período de oscilação de um pêndulo simples. Os resultados foram obtidos com erros
não muito significativos, justificados por pequenos erros de medição, o que significa
que os objetivos foram atingidos com relativo sucesso.